Você está na página 1de 38

Universidade Federal Rural do Semi-Árido

Centro Multidisciplinar de Pau dos Ferros


Disciplina: Fontes Alternativas de Energia
Professor: Messias Fernandes Neto

Biomassa, Biocombustíveis e Biofertilizantes

Componentes: Antônia Daiara, Gabriel Nogueira, Jonatham Oliveira, José Júnior, Kennia
Nunes e Yago Souto.
SUMÁRIO
● Introdução
● Biomassa
● Técnicas de Aproveitamento de Biomassa
● Biocombustíveis
● Biofertilizantes
● Vantagens e Desvantagens
● Setor no Brasil
● Considerações finais
● Referências
INTRODUÇÃO
Os recursos naturais podem ser consumidos diretamente ou indiretamente. Em que os seres
humanos dependem diretamente das florestas para alimentar, biomassa, saúde, recreação e maior
conforto vivo e indiretamente, as florestas podem atuar como controle de temperatura, controle de
enchentes, proteção contra tempestades e ciclagem de nutrientes.

Sendo assim, os recursos naturais do nosso planeta são fundamentais para a nossa existência,
por isso os recursos naturais não renováveis precisam ser conservados para que as futuras gerações não
sofram com a sua falta, buscando sempre alternativas que agridam menos o meio ambiente.
BIOMASSA
1. O QUE É?

2. COMO É OBTIDA?

3. O QUE É USADO NA GERAÇÃO?

4. QUAIS SEUS DERIVADOS?


IMPACTOS AMBIENTAIS DA BIOMASSA
- A redução da biodiversidade, causada pelo desmatamento e pela implantação de monocultura;

- Contaminação das águas superficiais e subterrâneas e também do solo, por meio de prática excessiva de
adubação química, corretivos minerais e aplicação de herbicidas e defensivos agrícolas;

- Compactação do solo, pelo tráfego de máquinas pesadas durante o plantio, tratos culturais e colheita;

- Assoreamento de corpos d’água devido à erosão do solo em áreas de reforma;

- Emissão de fuligem e gases na queima ao ar livre de palha durante o período da colheita;

- Danos a flora e à fauna, causados por incêndios descontrolados;

- Consumo intenso de óleo diesel nas etapas de plantio, colheita e transporte.


IMPACTOS AMBIENTAIS DA BIOMASSA
IMPACTOS AMBIENTAIS DA BIOMASSA
PROCESSOS DE APROVEITAMENTO DE
BIOMASSA
Combustão direta: combustão é a transformação da energia química dos combustíveis em calor, por
meio das reações dos elementos constituintes com o oxigênio fornecido.

Gaseificação: como o próprio termo indica, gaseificação é um processo de conversão de combustíveis


sólidos em gasosos, por meio de reações termoquímicas, envolvendo vapor quente e ar, ou oxigênio,
em quantidades inferiores à estequiométrica (mínimo teórico para a combustão).
PROCESSOS DE APROVEITAMENTO DE
BIOMASSA
Pirólise: a pirólise ou carbonização é o mais simples e mais antigo processo de conversão de um
combustível (normalmente lenha) em outro de melhor qualidade e conteúdo energético (carvão,
essencialmente). O processo consiste em aquecer o material original (normalmente entre 300°C e 500°
C), na “quase-ausência” de ar, até que o material volátil seja retirado.

Digestão anaeróbia: a digestão anaeróbia, assim como a pirólise, ocorre na ausência de ar, mas, nesse
caso, o processo consiste na decomposição do material pela ação de bactérias (microrganismos
acidogênicos e metanogênicos).
PROCESSOS DE APROVEITAMENTO DE
BIOMASSA
Fermentação: fermentação é um processo biológico anaeróbio em que os açúcares de plantas como a
batata, o milho, a beterraba e, principalmente, a cana de açúcar são convertidos em álcool, por meio da
ação de microrganismos (usualmente leveduras).
BIOCOMBUSTÍVEIS

1. O QUE É?

2. QUAIS OS MAIS USADOS NO BRASIL?


IMPACTOS AMBIENTAIS DOS
BIOCOMBUSTÍVEIS
Mesmo causando uma quantidade muito menor de impactos que os combustíveis fósseis, a

utilização de biocombustíveis em larga escala também são capazes de gerar impactos negativos ao meio

ambiente e, por isso, precisam ser regulamentados e utilizados de forma sustentável.

Um dos principais impactos causados é a destruição da fauna e flora locais, implicando a extinção

de espécies e contaminação, tanto do solo quanto de mananciais de água pelo uso inadequado de adubos

e outros produtos.
IMPACTOS AMBIENTAIS DOS
BIOCOMBUSTÍVEIS
Por ser uma alternativa sustentável aos combustíveis

fósseis, os biocombustíveis devem, portanto, obedecer a

normas, projetos e regulamentações rígidas de proteção

ambiental em todos os aspectos para, somente assim, se fazer

uma fonte realmente renovável e ambiental. Havendo uma

preocupação com a proteção à biodiversidade, os

biocombustíveis podem ser utilizados tanto no fornecimento

de energia quanto para outros setores.


BIOFERTILIZANTES

1. O QUE É?

2. QUAIS SUAS FONTES NATURAIS?

3. COMPOSIÇÃO (Nutrientes; Hormônios; Álcool e fenol; Microorganismos benéficos)


BIODIGESTORES
BIODIGESTOR: VANTAGENS
BIODIGESTORES: FUNCIONAMENTO
IMPACTOS AMBIENTAIS DOS
BIOFERTILIZANTES
Os impactos ambientais dos biofertilizantes são bem menores quando comparados com os dos
fertilizantes químicos, já que este último impacta diretamente no solo e água pela contaminação, a saúde
humana, no meio natural, etc. Mas biofertilizantes podem tem um processamento que causa poluição nos
compartimentos, além de conterem patógenos prejudiciais aos organismos existentes no ecossistema.

Assim, diante da quantidade mínima de impactos ambientais é uma ótima alternativa para ser
utilizado como fertilizante.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA BIOMASSA

VANTAGENS

➔ Recurso renovável;
➔ Emissões não contribuem para o efeito
estufa
➔ Menor corrosão dos equipamentos
(caldeiras e fornos);
➔ Impactos ambientais reduzidos.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA
BIOMASSA
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA
BIOMASSA
DESVANTAGENS

➔ A combustão da biomassa dá origem à emissão de


alguns gases;
➔ Maior possibilidade para geração de material
particulado;
➔ Dificuldade no estoque e armazenamento;
➔ Desflorestação, além da destruição de habitats.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
BIOCOMBUSTÍVEIS
VANTAGENS

➔ Possibilita o fechamento do ciclo do carbono (CO2);


➔ Há grande área para cultivo de plantas;
➔ Geração de emprego e renda no campo;
➔ Menor investimento financeiro em pesquisas;
➔ O biodiesel substitui bem o óleo diesel sem necessidade de ajustes
no motor;
➔ Redução do lixo no planeta (pode ser usado para produção de
biocombustível);
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
BIOCOMBUSTÍVEIS
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
BIOCOMBUSTÍVEIS
DESVANTAGENS

➔ Consome grande quantidade de energia para a produção;


➔ Aumento do consumo de água (para irrigação das culturas);
➔ Redução da biodiversidade;
➔ As culturas para produção de biocombustíveis consomem
muitos fertilizantes nitrogenados, com liberação de óxidos de
nitrogênio;
➔ Devastação de áreas florestais (grandes consumidoras de CO2);
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
BIOFERTILIZANTES
VANTAGENS

➔ Nutrientes - nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio,


enxofre, boro, zinco, molibdênio, ferro, manganês, cobre e outros
mais.
➔ Hormônios – substâncias que ajudam o desenvolvimento e a
resistência das plantas.
➔ Álcool e fenol – substâncias que ajudam as plantas a
desenvolverem suas células.
➔ Microrganismos benéficos - seres que ajudam nos processos de
defesa das plantas e na disponibilização de nutrientes.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
BIOFERTILIZANTES
DESVANTAGENS

➔ Transportando grandes quantidades de fertilizante, incorre


em custos mais elevados, especialmente com chorume e
estrume;
➔ Adubos orgânicos preparados de forma inadequada pode
conter patógenos de origem vegetal ou animal que são
prejudiciais para os humanos ou plantas.
➔ Mais trabalho é necessário para compostagem de adubo
orgânico.
SETOR NO BRASIL
Uma pesquisa feita pela ABiogás (Associação Brasileira de Biogás e Biometano) identificou que
o país desperdiça por ano mais de uma Itaipu e meia em energia que poderia ser obtida com biogás.
Hoje, o país deixa de gerar 115 mil gigawatts-hora de energia com o não aproveitamento dos rejeitos
urbanos, da pecuária e da agroindústria. Esse volume poderia ter abastecido quase 25% de toda energia
elétrica consumida em 2015, aliviando a pressão sobre o setor.
Outra equivalência energética é que o biometano - extraído da purificação do biogás - poderia
chegar a uma produção anual de 28,5 bilhões m³. Isso equivale a 50% do consumo de diesel do país e
poderia alimentar quase 25% da frota nacional de veículos, combinando a gestão adequada dos diversos
resíduos com emissão negativa de dióxido de carbono. Aos poucos, o cenário começa a mudar: de 2015
para 2016, o biogás cresceu 30% na matriz elétrica brasileira e foi inaugurada a maior termelétrica a
biogás da América Latina, instalada no aterro sanitário de Caieiras (SP). Esta mesma usina é a maior do
mundo em aproveitamento de biogás em aterro.
SETOR NO BRASIL
SETOR NO BRASIL
Falta de conhecimento é o fator preponderante para o não uso deste tipo de produção energética,
mesmo o Brasil sendo um dos países com mais potencial de produção energética a partir de biomassa e
biogás em todo o mundo.

Sobre o investimento, o valor varia bastante tendo em vista a existência de uma gama extensa de
tecnologias que atendem a diferentes necessidades. A energia produzida pode ser utilizada para
consumo próprio e o excedente, vendido no mercado livre ou injetado na rede para ser abatido em seu
consumo vindo do fornecimento público (em qualquer empreendimento com o mesmo CNPJ). Uma
planta de alta tecnologia de porte médio (até 4 MW) tem seu investimento compensado em 6 anos.
SETOR NO BRASIL

O Brasil possui tradição em biomassa. Utilizamos muito a biomassa de cana-de-açúcar, por


exemplo, com mais de 14 mil megawatts instalados de geração de energia elétrica a partir do bagaço
de cana.

Existe uma grande mobilização no meio energético para que o biogás seja mais conhecido e
desvinculado da biomassa, porque, por mais que o biogás seja proveniente da biomassa, nem toda
biomassa pode ser convertida em biogás (ex.: cavaco de madeira). Com essa separação, é possível que
haja mais políticas específicas para o biogás no país.
SETOR NO BRASIL
Usina Bonfim, em Guariba – SP, tem previsão para começar a funcionar este ano. 21 MW. O
biogás será oriundo da vinhaça, um subproduto da cana-de-açúcar que quando descartado no meio
ambiente causa impactos ambientais relevantes. A Bonfim negociou 14 MW no leilão, deixando 7
MW livres para negociar bilateralmente ou liquidar no mercado spot - que vem registrando altas
sucessivas no período seco: o PLD para esta semana operativa está no teto regulatório de R$
533/MWh. A usina tem investimentos orçados de R$ 129 milhões. No leilão A-5, a usina vendeu
energia a R$ 251/MWh.
SETOR NO BRASIL
O município de Caucaia, na grande Fortaleza, tem um dos cinco grandes aterros de lixo que
atendem a capital cearense de 2,6 milhões de habitantes, onde recebe três mil toneladas de resíduos
domiciliares todo dia.

Em meados do meio de abril de 2018, todo esse volume em decomposição é reaproveitado pela
recém-instalada usina, que gera 80 mil metros cúbicos de biometano. A previsão, no entanto, é chegar
a 150 mil metros cúbicos por dia. Fruto de um investimento de R$ 100 milhões, é a maior instalação
desse tipo para converter biogás de resíduo urbano na produção de gás natural renovável (GNR)
especificado pelos parâmetros da ANP (Agência Nacional do Petróleo).
SETOR NO BRASIL
A GNR Fortaleza capta biogás de 230 poços no aterro de Caucaia e é um dos exemplos de
aproveitamento de energia a partir do lixo, que hoje é injetado em dutos de gás utilizados pela
indústria local mas que também é capaz de abastecer automóveis convertidos a GNV (gás natural
veicular). “Essa produção do Ceará seria capaz de abastecer 10 mil veículos com gás natural por dia”,
estima Carlos Martins, diretor-executivo da Ecometano, empresa de inovação na cadeia do biometano.

O executivo alerta que a ideia do projeto não é utilizar o biometano para queima em motores a
combustão mas sim para a geração de energia convertida em eletricidade. “O Brasil tem opções de
geração de energia biorrenovável como a solar e a eólica com parques muito competitivos, e o gás
natural é uma dessas nobres alternativas”, explica. De acordo com Martins, se o Brasil usasse os cerca
de três mil aterros sanitários para a geração de biometano, o país abriria mão de 20% do gás natural
importado da Bolívia.
SETOR NO BRASIL
E COMO ESTÁ O SETOR NO MUNDO?
Diversos países possuem formas de aproveitamento muito interessantes. A Alemanha foi o
primeiro case de importância mundial - o país possuía uma política de subsídios que acabou no ano
passado e, com isso, as plantas de biogás estão migrando para o mercado livre, de forma madura e
eficiente. Na Suécia, há a produção de biogás a partir de efluentes sanitários para uso como
combustível no transporte público. A Áustria e a França também possuem políticas muito eficazes.
Outro modelo emblemático vem da Califórnia, nos Estados Unidos, com um programa bem
consolidado de uso de biometano como combustível, com larga aplicação em locomotivas, caminhões
e ônibus.
A Finlândia, em 2013, inaugurou, até aquele momento, a maior usina de biogás do mundo, com
capacidade para 140 MW.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Vê-se então a necessidade pela busca de


novas alternativas como fontes de energia e de
um melhor tratamento para com os recursos
naturais.

É importante que se preserve o que existe


de disponível na natureza hoje e que encontrem
novas tecnologias a fim de garantir para as
próximas gerações um melhor atendimento de
suas necessidades.
REFERÊNCIAS
CEMPRE (Ed.). O alto potencial do biogás como fonte de energia e combustível. Disponível em:
<http://cempre.org.br/informa-mais/id/63/o-alto-potencial-do-biogas-como-fonte-de-energia-e-combustivel>. Acesso em: 12 fev.
2019.
FGV ENERGIA (Ed.). Raízen deve antecipar em dois anos operação de usina a biogás. Disponível em:
<https://fgvenergia.fgv.br/noticias/raizen-deve-antecipar-em-dois-anos-operacao-de-usina-biogas>. Acesso em: 12 fev. 2019.
MARCOS ANTÔNIO JÚNIOR (São Paulo). A Tarde (Ed.). Ceará é referência em produção de biogás com maior usina do Brasil.
2018. Disponível em:
<http://www.atarde.uol.com.br/economia/noticias/1964852-ceara-e-referencia-em-producao-de-biogas-com-maior-usina-do-br
asil>. Acesso em: 12 fev. 2019.
G1 (São Paulo) (Ed.). Finlândia inaugura maior usina de biogás do mundo. 2013. Disponível em:
<http://g1.globo.com/natureza/noticia/2013/03/finlandia-inaugura-maior-usina-de-producao-de-biogas-do-mundo.html>. Acesso
em: 12 fev. 2013.
BIOCOMBUSTÍVEIS. Biocombustíveis: uma vantagem para o futuro. Disponível em:
<http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/BolsistaDeValor/article/viewFile/2389/1278>. Acesso em 12 de novembro de 2019.
BIOFERTILIZANTES. Portal Biogás. Disponível em: <https://www.portaldobiogas.com/biofertilizantes/ >. Acesso em 12 de
novembro de 2019.
BIOFERTILIZANTES. Fichas Agroecológicas. Disponível em:
<http://www.agroecologia.gov.br/sites/default/files/publicacoes/4-biofertilizante.pdf>. Acesso em 12 de novembro de 2019.
CARDOSO, Bruno Monteiro. Uso da Biomassa como Alternativa Energética. 2012. 112 f. Dissertação (Graduação em
Engenharia Elétrica)-Escola Politécnica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

Você também pode gostar