Você está na página 1de 3

Instituto Federal de Alagoas

Campus Palmeira dos Índios


Discente: Daniel Victor dos Santos Rocha

Atividade de Hidrologia ( Medição de variáveis hidrológicas )


1)

Distância da Profundidade Velocidade a 20%p Velocidade a 80%p


Margem (m) (m) (m/s) (m/s) Área (m²) Vm(m/s) Q (m³/s)
0,5 0,5 0,07 0,02 0,125 0,045 0,005625
1,5 1,2 0,1 0,06 0,6 0,08 0,048
3,5 2,3 0,18 0,1 2,3 0,14 0,322
5,5 3 0,33 0,19 3 0,26 0,78
7,5 3,1 0,4 0,23 3,1 0,315 0,9765
9,5 2,8 0,35 0,19 2,8 0,27 0,756
10,5 2 0,2 0,09 1 0,145 0,145
11,5 0,5 0,1 0,07 0,25 0,085 0,02125
Qt (m³/s) 3,054375

2)

Distância da Profundidade
Margem (m) (m) Área (m²) Vm(m/s) Q (m³/s)
27 8,5 114,75 0,1 11,475
45 8,5 76,5 0,7 53,55
63 8,5 76,5 0,9 68,85
78 8,5 63,75 0,6 38,25
105 8,5 114,75 0,1 11,475
Qt (m³/s) 183,6

O método não é indicado, pois, só temos a medição de um ponto e não pelo menos em 20% e 80%, e com
isso, promove valores absurdos e fora do real. O número de verticais também não é o suficiente, já que temos
poucas áreas, e com isso, podemos obter um erro maior.
3) A curva e equação polinomial foi:

𝑄(ℎ) = 1,4123𝑥 2 + 0,0548𝑥 − 2,376


E com h=4m, encontramos Q = 20,44 m³/s

A curva e equação potencial foi:

𝑄(ℎ) = 3,1577(ℎ − 1,001)1,6568


E com h=4m, encontramos Q = 19,48 m³/s
4) A curva chave, tem como objetivo usar dados hidrológicos colhidos em campo para conseguir determinar a
vazão em uma cota, e com isso conseguir encontrar a equação padrão do local de medição. A precisão não é a
melhor possível usando o Excel, mas, já é um bom começo de parâmetro para poder determinar as vazões nas cotas
da seção.