Você está na página 1de 15

0

~
Armando Basílio Passuane
Maria Idalina Ramos
Mónica Ali Selemane
Óscar João Titos
Salimata Camara

Personalidade do professor
íLic. Em psicologia educacional)

Universidade Rovuma
Nampula
2019
1

Armando Basílio Passuane

Maria Idalina Ramos

Mónica Ali Selemane

Óscar João Titos

Salimata Camara

Personalidade do professor

Trabalho de carácter Avaliativo da cadeira de


Psicologia da Aprendizagem curso de Psicologia
Educacional, 2° Ano, para ser entregue e
apresentado ao docente da cadeira:

Leccionada: MA. José Maria Pedro Sália

Universidade Rovuma

Nampula

2019
2

Índice

introdução ................................................................................................................................... 3

1. Personalidade do professor.................................................................................................. 4

1.1. Conceitos básicos ............................................................................................................ 4

1.2. A categoria personalidade ............................................................................................... 4

1.3. Características gerais do professor .................................................................................. 5

1.4. Características da personalidade do professor ................................................................. 5

1.5. Qualidades do professor na sala de aula .......................................................................... 6

1.5.1. Características qualitativas sobre personalidade do professor ..................................... 7

1.5.1.1. O professor concentrado no conteúdo ...................................................................... 8

1.5.1.2. Professor concentrado no processo de instrução ...................................................... 8

1.5.1.3. Professor que se concentra no intelecto do aluno .................................................... 8

1.5.1.4. O professor com uma visão estrutural da sociedade ................................................ 9

1.5.1.5. O professor que se concentra na pessoa total ........................................................... 9

1.6. Tipos de professores ........................................................................................................ 9

1.7. Plano de aula.................................................................................................................. 11

conclusão .................................................................................................................................. 13

bibliografia ............................................................................................................................... 14
3

Introdução

A temática referente à personalidade do professor tem sido recorrentemente apelada no campo


das pesquisas em educação. A ênfase conferida a esse fenómeno é um dado relativamente
recente e desponta alinhada a discussão mais ampla, qual seja, a própria formação docente.

Objectivo Geral:

 Falar a personalidade do professor.

Objectivos específicos:

 Enunciar a categoria da personalidade do professor;


 Caracterizar a personalidade do professor.

Metodologias

Para a elaboração do presente trabalho usou-se basicamente as consultas bibliográficas, de


onde se fez resumo e compilação de informação que melhor explica sobre os temas em
análise.

Estrutura do trabalho:

No que tange a sua estrutura, o presente trabalho encontra – se subdividido em três partes a
saber:

 A parte pré – textual; textual e pós textual.


4

1. Personalidade do professor

1.1. Conceitos básicos

Quando se fala da personalidade do professor, nos inferimos a toda conjuntura de


características pessoais que podem Afetar o modo como os professores Realizam suas tarefas
partindo dos seus sentimentos, emoções, pensamentos, atitude, Comportamentos, motivos,
tomada de decisão ate projeto de vida.

Porém, na visão de MARTINS (2007),

A personalidade é uma formação psicológica que se institui como resultado


das transformações das actividades que pautam a relação do indivíduo com o
meio físico e social. Tal fato exige a superação de concepções centradas na
proposição de uma estrutura natural interna na personalidade, que se
desenvolverá nos limites da história particular do indivíduo e na dependência
de seus esforços pessoais.

Para o Norte-Americano Gorgon Allport, personalidade é uma organização dinâmica dos


sistemas psicológicos que determinam uma forma de pensar, de agir. Esta organização é única
em cada sujeito no seu processo de adaptação ao ambiente.

O aspecto dinâmico da personalidade reflecte-se a medida em que cada pessoa esta


constantemente em interacção com o meio envolvente, sendo esta apenas interrompida com a
morte.

Segundo SAVIANI (2007) "Personalidade do professor refere se a postura e características


marcantes em sala de Aulas, Assim como o modo de Administrador os Alunos dentro do
processo de ensino".

Não obstante, A personalidade do professor serve como modelo para o jovem. Modelo
diferente do apresentado pela família, modelo este que poderá mostrar outras formas de ser,
positivas e negativas.

O ser do professor não pode solucionar os problemas do aluno mas pode mostrar uma
esperança, uma escapatória de um ambiente neutro, psicótico ou mesmo marginal.

1.2. A categoria Personalidade

O destaque à categoria personalidade marca a própria história da psicologia, ciência que


trouxe para si os imensos desafios impostos à compreensão da subjectividade humana,
expressa na maneira de ser dos indivíduos.
5

"Essa história nos revela que a maioria das teorias da personalidade tem suas origens e
desenvolvimento nos processos psicotrópicos, dado que nos permite afirmar a existência de
uma relação directamente proporcional entre o enfrentamento de dificuldades ou sofrimento
psíquico vividos pelas pessoas e o relevo teórico conferido a essa categoria". (SAVIANI,
2007)

Não por acaso, entre as teorias da personalidade e as teorias da psicopatologia existe em


elevado grau de concordância. Assim, não é dado novo na história da psicologia, nem na
causa estranheza por conhecermos a referida história, que diante dos inúmeros desafios
impostos ao trabalho do professor, apele-se às expressões de sua personalidade.

SAVIANI, (2007), Aida destaca que:

Todavia, não obstante a relevância desta categoria nos campos psi


(psicologia, psiquiatria, psicopatologia, psicanálise etc.), poucos conceitos se
mantêm tão obscuros e polissémicos quanto o conceito personalidade. Tal
fato, porém, não resulta de nenhum mistério oculto na subjectividade dos
seres humanos, mas da impropriedade e artificialidade presentes nos
caminhos lógico-formais e idealistas trilhados na busca da explicação dos
fenómenos psicológicos.

1.3. Características gerais do professor

Categorias: habilidades sociais e interpessoais (Amigo da Turma, compreensivo, Simpático,


educado, paciente, acessível, atencioso.

Habilidades pedagógicas: comunicativo, ter boa oratória, dinâmica, rigoroso, saber passar
matéria.

Habilidades cognitivas: inteligente, ter o conhecimento, ser informado.

Habilidades Organizacional: organizado, responsável, pontual, objectivo.

Ética: ético, ter respeito, honesto.

1.4. Características da personalidade do professor

As características do professor estão muito ligadas a sua personalidade e ao seu carácter como
pessoa. Para MARTINS (2007), No entanto, Estas características são individuais e
dependentes da situação da matéria, geralmente os educadores estão de acordo com as
qualidades necessárias. Porem, o autor destaca as seguintes características a saber:

 Conhecer a matéria profundamente a ensinar e preparar cada aula de forma especifica,


identificando claramente o objectivo de cada lição e aula;
6

 Explicar aos alunos o objectivo de cada lição; e criar um ambiente agradável para o
aprendizado;
 Gostar de trabalhar com alunos e dar instruções claras e bem organizadas;
 Apresentar o conteúdo da matéria com modelo e exemplo e exigir muito dos seus alunos,
treina-os para que sejam responsáveis quanto ao estudo;
 Ser dedicado e exigente de si mesmo e ser criativo na maneira de ensinar, possuir novas
ideias e novos materiais para fazer entender o aluno;
 Ser bem-humorado e energético aceitando as ideias dos alunos e notificar o aluno quanto
ao seu aproveitamento;
 Ser flexível, estar sempre disposto a dar e a receber (aconselhar e escutar) e Prever
oportunidades de aprendizagem para os alunos atrasados ou avançados sem causar
embaraços, isto é, adaptar o ensino segundo as necessidades individuais do aluno;
 Cooperar com os outros professores; Ter um relacionamento amigável com os alunos
mantendo a disciplina;
 Vestir-se de forma adequada e Usar métodos de ensino comprovados/adequados.

1.5. Qualidades do professor na sala de Aula

Professor bem-sucedido: saber falar bem no contexto da sala de aula, saber falar bem significa
ser um pensador disciplinado com uma mente que saiba consertar-se de modo criativo num
único grupo de ideias pertinentes em vez de ficar dando voltas. Significa saber dar uma
resposta e quando deixar resposta incompleta para estimular as crianças a fazerem suas
próprias pesquisas. Significa usar a voz de maneira expressiva e fluente formular os
pensamentos de maneira apropriada ao nível dos alunos com quem se esta trabalhando.

Ser bom em Aulas expositivas ser capaz de incentivar os Alunos a ralar e de


escuta las com paciência e interesse, intervindo apenas quando necessário e
mostrando a elas que suas ideias merecem ser ouvidas mesmo quando
necessário interromper os comentários do Aluno deve fazer por uma
característica natural ou por desejo de atenção, o bom professor e capaz de
fazer isso de uma forma que proteja a Auto estima da criança e não iniba sua
vontade de voltar a participar numa próxima vez os professores podem ser
bons para falar e bons para escutar em qualquer método que estejam usando.
(PLANCHEAR apud Oliveira e Oliveira 1999:21)
Porém, também não há razão para que não variem seus métodos de acordo com a matéria que
estiver sendo ensinada.

Ainda, PLANCHEAR (1975) apud Oliveira e Oliveira (1999:21) resumem as qualidades do


bom professor em duas faces que são:
7

1- Aptidão para se impor aos novos, não propriamente por uma autoridade forte mas pela
irradiação da própria personalidade;

2- Adaptabilidade constante as necessidades e características dos alunos e também


espontaneidade e criatividade.

Na visão de CORRELl (1973) Apud Oliveira e Oliveira (1999) sintetizam em duas dimensões
as características principais dos bons professores que mantém uma relação óptima na sala de
Aula.

a) Espírito Aberto e interesse pelos alunos e pelo seu trabalho (dimensões mais afetivas. O
professor preocupar se com a pessoa de cada aluno, tem tempo para ouvi-los sobre os seus
problemas ocupasse de pequenas coisas que tornem mais agradáveis o ambiente, apreciados
aspetos positivos dos alunos, discute com eles os seus projetos;

b) Espírito de iniciativa, riqueza de ideias para enfrentar situações novas (dimensões


predominantemente cognitiva) o professor fórmula proposta apropriadas as tarefas, vigia a
realização do trabalho, resolve as situações, imprevistos, confia no êxito do seu trabalho,
mostra-se ativo e desposto a resolver os problemas pedagógicos, estimula cada aluno a
realizar o seu trabalho.

1.5.1. Características Qualitativas sobre personalidade do professor

Dupout (1982) apud Oliveira e Oliveira (1999:p23) identificaram os indicadores do bom


professor e dos factores determinantes duma boa relação educativa que são:

a) Educador-aidart (modelo de estimulação o professor deve, antes de mais, ajudar os


Alunos uma vez que tem seres humanos diante de si, assim, tem de estar munido de
qualidades de autenticidade e sinceridade, de compreensão empática (pôr-se na pele dos
alunos) de consideração (aceitação incondicional que confere a relação educativa uma
dimensão humana ajuda psicológica;

b) Educador-enseignant (modelo de transmissão de conteúdo-professor como Docente) esse


modelo tem como objetivo essencial a transmissão de conteúdos, usando os métodos
adequados constatou-se que o professor nesta perspetiva da mais importância ao
conhecimento orientando-se por diversas taxionomias (exploração, contenção acção);

c) Educador-Organisant (modelo de estrutura de funcionamento na classe-professor como


gestor.
8

O professor apresenta características muitas vesses semelhantes as suas primeiras facetas mais
esta mais preocupado em planificar o ensino e as unidades da Aprendizagem, São Analisadas
nesta dimensão três eixos cada um com funções Gerais e particulares: poder-saber o professor
distribui determinados conteúdos ou saberes.

Função de planificação ser-saber os alunos recebem esses conteúdos, tentando o professor


apelar a sua participação em ordem e Aprendizagem.

Seu poder (o professor privilegia as relações pessoais com os Alunos sobre as relações de
saber).

d) Educador-persone (modelo para a identificação do professor o docente a antes de mais


uma pessoa deve ter um contexto positivo de si e uma boa capacidade relacional com os
Alunos.

1.5.1.1. O professor concentrado no conteúdo

Ele tem plena certeza das matérias que devem ser tratadas e aprendidas. Este professor afirma
que a sua primeira tarefa consiste em cobrir sistematicamente as matérias de sua disciplina
para assim ajudar os alunos a domina-las.

Este professor dá menos importância a originalidade que o facto de o aluno aprender toda
matéria que já foi descoberta no passado.

Este professor dirige-se a sala de aula com uma claridade na matéria que pretende leccionar.

1.5.1.2. Professor concentrado no processo de instrução

Este é diferente o tipo anterior, este professor se concentra em conseguir que os seus alunos
tratem a matéria com os mesmos métodos e processos com que ele os trata.

Trata-se do professor que impõe um modelo de raciocínio e exige que seus alunos
demonstrem (imitem), os exercícios, avaliações.

1.5.1.3. Professor que se concentra no intelecto do aluno

Analisando a visão de GÓMEZ (1997) "Para este professor, o processo de ensino e


aprendizagem deve concentrar-se na própria actividade racional. Para ele deve-se dar muito
mais importância ao como e ao porque do saber, que procura sobretudo em desenvolver as
habilidades intelectuais do aluno".
9

1.5.1.4. O professor com uma visão estrutural da sociedade

Ele considera o aluno e a matéria a ensinar e a si mesmo como parte inspiráveis de um


contexto sociável, isto é, de uma sociedade historicamente estruturada em estratos dominados,
na sociedade que por sua vez, esta emersa num mundo certas sociedades competem umas com
as outras.

Parta ESTEVE, J. (1991), "A metodologia didáctica deste tipo de professor, obviamente será
radicalmente diferente da utilizada pelos tipos anteriores ou outros, principalmente pelo
carácter de engajamento ou compromisso liberado que sua visão dos problemas das
sociedades exige dele e dos seus alunos."

1.5.1.5. O professor que se concentra na pessoa total

Este professor considera o ensino como um desafio global a pessoa do estudante, que obriga a
buscar respostas ainda não aprendidas, e as experimenta. Eles acham que o estudante deve ser
tratado como pessoa integral, pois reparando o mundo intelectual estudantil na Direcção dum
ser adulto torna-se seriamente comprometido.

Este professor não busca apenas ensinar o seu aluno mas, instrui-lo, induzi-lo, encaminha-lo,
para uma imaginação, uma ambição de se tornar alguém, acima de tudo aplicar o
conhecimento obtido durante as aulas.

1.6. Tipos de professores

Segundo Nidelcoff (1983),existem linhas que caracterizam o trabalho dos professores ou seja
são características que revelam a identidade do trabalho e agrupamos os seguintes tipos:

a) Professor policia: de acordo com o autor, esse professor caracteriza se pelo autoritarismo é
o único que sabe e ensina, e os estudantes são aqueles que não sabem e devem apenas
aprender. O aprendizado se da apenas pelo Acto de escutar e prestar atenção a quem sabe.

 Objectivos desse tipo de professor são:


 Manter a disciplina, fazer com que os Alunos Obedeçam sem Questionar;
 Prioriza o factor intelectual e consideram bons Alunos Aqueles com boas notas;
 Pretende que os Alunos cumpram tudo que lhes foi ordenado;
 Condena a rebeldia e o espírito criativo formado indivíduos que só concordam com que
lhe és dito.
 Quanto ao conteúdo a ser ensinado
10

 Aprecia a cultura popular e a experiência;


 Preocupa se com a funcionalidade dos conteúdos;
 Revisa os conteúdos ideológicos dos Livros e textos.

b) Como trabalhar

 Não e capaz de perceber as origens sociais do fracasso escolar;


 Valoriza Apenas o conhecimento;
 Estimula Atitudes passivas e conformistas;
 Não incentiva a Autocrítica;
 Força um ritmo de trabalho aos Alunos;
 Puni de maneira Radical a mão comportamento mas não Obtém sucesso.

c) Professor povo

Para NIDELCOFF (1983) este tipo de professor não se preocupa Apenas com a
Aprendizagem intelectual mas visa a formação de Atitudes visto que seus Alunos são pessoas
e não máquinas de Aprender. No que diz respeito ao método de Aprendizagem, sua linha
geral é partir da observação e da Analise de situações reais e concretas.

Objectivos

 Ajudar o Aluno a ser capaz de liberar se das estruturas opressivas da sociedade.

Quanto ao conteúdo a ser ensinado

 Expressa sempre uma ideologia uma cultura e ao Optar por um ou outro o educador
posiciona se frente aos mesmos.

d) Como Trabalhar

 Incentiva os Alunos a verem a realidade com lucidez e espírito crítico;


 Auxilia os Alunos a Assumirem seu compromisso diante da Realidade;
 Ajuda os Alunos a descobrirem a capacidade que tem;
 Valoriza o trabalho em grupo;
 Responsabiliza se pela Aprendizagem de cada estudante;
 Leva em conta os fatores sociais do rendimento escolar;
 Respeita o ritmo de cada um;
 Sente-se integrante da Realidade dos Alunos.
11

e) Professor Reflexivo

Mackay (2003) Apresenta ainda outro tipo de professor. O professor reflexivo segundo
Mackey, os professores estão constantemente tomando decisão oque pode Acontecer antes,
durante e depois da Aula.

A prática reflexiva cujo os principais elementos são o conhecimento geral e os valores


pessoais, liberta o professor do comportamento de Rotina, faz com que planeje Aulas mais
Atrativas e o habilita a Agir de forma determinada, melhorando a pratica do ensino.

Características desse tipo de professor

 Tenta resolver problemas em sala de Aula;


 É ciente dos valores e suposições que trazem para o ensino;
 É sensível ao contexto do qual ensina;
 Participa do desenvolvimento curricular e de projetos;
 Assume a responsabilidade pelo próprio desenvolvimento profissional

Estágio de Ensino reflexivo

 O professor identifica um problema em sala de Aula;


 Analisa suas possíveis causas;
 Coleta e estuda dados que o Ajudarão a resolver os problemas (registros de sala de Aula).

1.7. Plano de Aula

 Utiliza as informações que reúnem para mudar Alguns de suas Aulas, como uma
alternativa valida para a resolução de problemas da classe.

Um educador que reflete sobre os problemas que ocorrem em sua sala de Aula e um Educador
que busca o desenvolvimento dos Alunos, assim torna se viável sempre refletir sobre o
comportamento dos seus estudantes e suas dificuldades, bem como suas próprias dificuldades
e causas das mesmas. Por tanto o professor reflexivo tende a ser diferente porque não e um
professor rotineiro, busca novidades de pesquisas, estuda, e com isso melhora sua prática de
Ensino.

OLIVEIRA; OLIVEIRAS (op.cit:24) apud Alcino Stélio (2013; 106) acrescentam


apresentando três estilos de liderança de professores:
12

a) Professor autoritário (autocrático)

Atitudes do professor: só ele marca os objectivos e métodos de trabalho, aplica reforços


(elogios ou castigos) a seu bel-prazer.

Reacção dos alunos: bom rendimento de trabalho na presença do professor (o melhor), grande
quebra na ausência do mesmo, comportamentos dominadores e agressivos, submissão ou
rebeldia, isolamento, inimizade, tendência a impor-se e tentativa de conquistar o apreço do
professor.

b) Professor democrático

Atitudes do professor: compromisso com os alunos na marcação dos objectivos e dos métodos
de trabalho, reforços atentos aos alunos.

Reacção dos alunos: bom rendimento escolar, continuação do trabalho na ausência do


professor (interesse pelo estudo em si e não por medo do professor), trabalho em comum,
satisfação interpessoal (amizade, altruísmo, elogios mútuos), maior criatividade e
espontaneidade.

c)Professor deixa-correr (não-intervencionista)

Atitudes do professor: não marca os objectivos nem métodos e verifica-se a ausência de


reforços.

Reacção dos alunos: baixo rendimento escolar, abandono total do trabalho na ausência do
professor, perturbação do trabalho e desordem, inimizades e invejas.

Deste modo, o tipo democrático é o que obtém melhores resultados a nível de


desenvolvimento cognitivo e da personalidade; o autoritário, inibe a criatividade e o auto
determinismo nos alunos; e o “deixa-correr” deforma as crianças, considerando que os alunos
precisam de serem direccionados e orientados para o bom desempenho das actividades.
13

Conclusão

Com o presente trabalho concluímos que o professor deve entender sua missão como
profissional, que passa enxergar que sua luta que sua luta constante e diária não e em vão,
pois A partir dessa jornada que enfrentam, puderam fazer com que surjam no futuro cidadãos
bem-sucedidos.

A postura que se sugere ao professor e que ele possa encontrar na sua prática docente um
motivo para prosseguir pois sem metas e objetivos é impossível se obter sucessos não
somente nesta profissão mas na maioria delas assim Aliando seu talento como professor e
bons métodos de trabalho já citados nesse trabalho, poderá mudar a situação de Ensino.

Não obstante, A pessoa e a personalidade do professor aparecem como unidade e propriedade


de um ser particular, cuja sociabilidade não ultrapassa os estreitos limites do entorno social
imediato. Essa proposição é característica de um humanismo artificial, que suplanta a
realidade concreta, ou, a concebe também artificialmente.
14

Bibliografia

ALCINO STÉLIO. Psicologia de Aprendizagem. Universidade Pedagógica Nampula.2013.

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão


docente. Lisboa: Porto Editora, 1991.

GÓMEZ, A. P. O pensamento prático do professor: a formação do professor reflexivo, 1997.

MACKAy, Sandra. O professor reflectivo: guia para investigação do comportamento em sala


de aula. SP, espacial Book. 2003.

MARTINS, L. M. A formação social da personalidade do professor: um enfoque


vigotskianao. Campinas: Autores Associados, 2007.

NIDELCOFF, Maria. Uma escola para o povo. São Paulo, Brasiliense. 1983.

OLIVEIRA, Mario. Aprendizagem e desenvolvimento. São Paulo, Editora scipioner, 1994.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados,


2007.