Você está na página 1de 6

SENAC EAD

KARLA MONIQUE SILVA DE LIMA ROCHA

ATIVIDADE III
Relatório com os procedimentos legais de arquivamento e revisão

São José dos Campos - SP


2019
Prática vivencial III

Relatório com os procedimentos para arquivamento e revisão dos seguintes


documentos:

1. Atestado de saúde ocupacional (ASO):

O Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) deve ser emitido em duas vias. A


primeira via do ASO fica arquivada no local de trabalho do empregado, inclusive
frente de trabalho ou canteiro de obras, à disposição da fiscalização do
trabalho. A segunda, deve ser entregue ao trabalhador, mediante recibo na
primeira via.

Prazo de guarda dos registros

Os registros médicos devem ser mantidos por período mínimo de 20 anos após
desligamento do trabalhador. O mesmo pode ser arquivado digitalmente e
fisicamente.

2. Comunicação de acidentes do trabalho (CAT):

A CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) é o documento que informa


ao INSS que o trabalhador sofreu acidente de trabalho ou suspeita-se que
tenha adquirido uma doença de trabalho. Segundo a instrução normativa do
INSS número 45 de agosto de 2010 no artigo 357, a CAT deve ser emitida em
4 vias, sendo destinadas para: 1 – INSS, 2 – segurado (empregado) ou
dependente, 3 – sindicato dos trabalhadores e 4 – para a empresa.
A empresa tem obrigação de emitir a CAT em caso de ocorrência de acidente
de trabalho ou suspeita médica de doença do trabalho. Assim, deverá ser
preenchida pelo setor de Recursos Humanos da empresa até o primeiro dia
útil seguinte da ocorrência.
A CAT deve ser emitida imediatamente em caso de morte.

Prazo mínimo para a guarda do documento é de 5 anos.

3. Folha de votação de eleição da CIPA:

O empregador deverá guardar e se responsabilizar pela conservação de todos


os documentos relativos à eleição da CIPA, por um período mínimo de 5 (cinco)
anos, bem como, estarem sempre à disposição da fiscalização do Ministério do
Trabalho e Emprego.
Além disso, a documentação referente ao processo eleitoral da CIPA só deverá
ser encaminhada ao Sindicato dos Trabalhadores da categoria, quando for
solicitada.
Prazo de guardar o documento é de 5 anos

4. Registro dos dados do programa de prevenção de riscos ambientais


(PPRA):

Registro
Todos os dados serão mantidos arquivados durante no mínimo 20 (vinte) anos,
juntamente com o histórico administrativo e técnico do desenvolvimento do
PPRA.

Manutenção
a) Avaliação periódica para verificar o andamento dos trabalhos e o
cumprimento das metas estipuladas no cronograma.
b) Monitoramento - será efetuado o monitoramento periódico para avaliar a
eficiência do programa e as medidas de controle implantadas.
c) Controle Médico - os resultados dos exames médicos também serão
instrumentos para avaliar a eficácia do programa.

Divulgação
Todos os dados estarão à disposição dos empregados, seus representantes
legais e órgãos competentes, em arquivo do setor Recursos humanos. As
informações sobre o PPRA serão fornecidas aos trabalhadores através de
palestras proferidas por terceiros ou outros meios de comunicação interna da
empresa.
O PPRA deverá ser refeito e/ou reavaliado a cada ano para controle e/ou
eliminação dos riscos detectados, E sempre que houve alteração física ou
humana.

5. Programa de condições de trabalho e meio ambiente na indústria da


construção (PCMAT):

O PCMAT deve ser elaborado antes do início das atividades. Ele contempla os
riscos de todas as etapas da obra, e por isso não tem validade definida.
Periodicamente o PCMAT deve passar por uma reavaliação global. Na
reavaliação deve ser observado seu desenvolvimento, e também se ele está
atendendo plenamente o objetivo para o qual foi elaborado. Se houver
necessidade, deve ser feito ajustes necessário estabelecendo novas metas e
prioridades de segurança.

Segundo o item da NR 18.3.1 toda construção que terá pico de 20


trabalhadores ou mais devem elaborar o PCMAT e adotar as medidas de
prevenção contidas nele.
O PCMAT deve permanecer no local de origem do programa a disposição dos
interessados e da fiscalização do trabalho.

O PCMAT deve ser guardado por no mínimo 20 anos. NR 9 item 9.3.8.2.

6. Laudo técnico de condições ambientais do trabalho (LTCAT):

O LTCAT tem como objetivo identificar a exposição aos agentes químicos,


biológicos ou associados aos agentes prejudiciais à saúde e à integridade
física do trabalhador, para fins da concessão da aposentadoria especial.
O Prazo de Validade do LTCAT é indeterminado, salvo se ocorrer
modificações no ambiente de trabalho, que altere as condições de nocividade
aos riscos ambientais. Diante disso, o LTCAT deve ser revisado e atualizado.

Prazo mínimo de guardar o documento é de 20 anos

7. Programa de conservação auditiva (PCA):

A Norma Regulamentadora NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos


Ambientais (PPRA) –estabelece que as ações preventivas devem ser iniciadas
quando a dose de exposição ao ruído ultrapassar o valor de 0,5 (ou 50%),
sendo, nesses casos, necessárias ações de monitoramento periódico da
exposição, informação aos trabalhadores e controle médico. O Anexo 2 da
Ordem de Serviço INSS/DAF/DSS nº 608 de 05/08/1998 indica que, para
exposições a níveis de pressão sonora elevados, a empresa deve organizar sob
sua responsabilidade um Programa de Conservação Auditiva.
A manutenção dos registros envolve a criação e a guarda de toda a
documentação gerada em cada etapa do PCA e dos trabalhadores envolvidos
no programa. Esses registros devem ter referência cruzada, de modo que a
informação de uma determinada etapa do programa possa ser prontamente
ligada a todos os outros componentes do PCA, ou a cada trabalhador. Esses
registros constituem evidências do programa e devem ser mantidos por pelo
menos 20 anos, e ser válidos segundo critérios ou procedimentos legais,
quando aplicáveis.

8. O P C A – programa
de co nser vaçã o a
udi ti va , te m co mo
ob je ti vo pre ve ni r
as
9. Programa de prevenção da exposição ocupacional ao benzeno (PPEOB):

A monitoração dos trabalhadores se dará através de realização de hemograma


completo com plaquetas, semestralmente, de acordo com o disposto na NR-7 e
na IN-02 da Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho – MTE. Quando
ocorra a detectação de benzeno nas frentes de serviço, o responsável pela área
deverá comunicar imediatamente ao SMS, para que seja realizado o
monitoramento do mesmo no ar. As formas de registro, manutenção e
divulgação dos dados são: a) O PPEOB, suas alterações e complementações
serão apresentados e discutidos periodicamente com a CIPA de acordo com a
NR-5, sendo sua cópia anexada ao livro de atas desta Comissão; b) O PPEOB
e suas alterações estarão disponíveis no canteiro de obras ou escritório, de
modo a proporcionar o imediato acesso aos trabalhadores e às autoridades
competentes; c) Deve ser mantido o registro de dados, estruturado de forma a
constituir um histórico técnico e administrativo do desenvolvimento do PPEOB.
Os documentos, registros e dados serão mantidos em arquivo por um período
de até 20 anos, conforme o caso; d) Os trabalhadores interessados têm o direito
de apresentar propostas e receber informações e orientações, a fim de
assegurar a proteção aos riscos ambientais identificados na execução do
PPEOB; e) As gerências e os técnicos de segurança devem informar os
trabalhadores sobre os riscos ambientais que possam originar-se nos locais de
trabalho, bem como os procedimentos para proteção coletiva e individual
adotados, através de medidas como: organização do trabalho, sinalização
apropriada, isolamento de área, treinamento específico, ventilação apropriada,
proteção respiratória adequada, proteção para evitar contato com a pele.
Será efetuada sempre que necessário, uma análise global do PPEOB, para
avaliação do seu desenvolvimento e realização dos ajustes necessários e
estabelecimentos de novos objetivos, metas e prioridades. A descrição do
cumprimento das determinações da Portaria e acordos coletivos referentes ao
benzeno está ao longo deste documento. Haverá a necessidade de
arquivamento dos resultados de avaliações ambientais, previstas na IN Nº 0001
de 20.12.1995 emitida pela Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho por
40 (quarenta) anos. O programa para adequação da proteção respiratória deve
atender ao disposto na Instrução Normativa Nº 01 de 11/04/94. O Levantamento
de todas as situações em que possam ocorrer concentrações elevadas de
benzeno, com dados qualitativos e quantitativos que contribuam para a
avaliação ocupacional dos trabalhadores será feito conforme sistemática de
APR e PT.

Você também pode gostar