Você está na página 1de 3

RESUMO:

O presente artigo apresenta a evolução das aeronaves ao longo


da história juntamente com seu processo de fabricação e
utilização. Com isso, o objetivo deste artigo é abordar quais
eram as condições da aviação civil e por que era essencial a
devida regulamentação internacional para que a aviação
mundial se tornasse viável.

O INICIO DA AVIAÇÃO:
Pouco mais de 100 anos atrás a aviação era uma invenção onde
as pessoas não acreditavam que aquilo era real. O público que
assistia os shows de aviação variava entre 100 mil à 200 mil
pessoas e impressionadas elas pensavam: “ O que mais somos
capazes de
fazer?” http://theageofaerospace.com.br/boeing/watch/ep1/ch
1
Uma disputa entre os irmãos Wright e o Santos
Dumont com seu 14bis propõem temas acalorados até os dias
atuais. Há quem diga que os irmãos construíram o avião
primeiro, porém para os adeptos ao Santos Dumont, os Irmãos
Wright criaram apenas um “estilingue gigante”, pois os
primeiros modelos feitos pelos irmãos Wright utilizavam uma
espécie de catapulta, um sistema de impulsão para arremesso
da estrutura, com exceção do Flyer III, que utilizava trilhos
apenas para deslizar o avião e fazer a corrida de decolagem,
pois não havia trem de pouso no avião.
Em 1905, os Irmãos Wright voaram numa altura de 39 metros
e, em 1906, o voo de Santos Dumont foi de apenas 220 metros,
porém com trem de pouso fixo e sem a necessidade
complementar de trilhos. Eis a polêmica.

BOEING
William Edward Boeing tinha 28 anos de idade quando viu
pela primeira vez, em 1910, um avião voar. Ele era dono de
uma empresa de extração de madeira, mas quando viu o avião
teve uma visão empreendedora e não viu apenas como
entretenimento como grande maioria das pessoas na época.
Em 1916, após seu primeiro voo, Boeing viu um ponto para
novas criações em cima daquela máquina voadora e sua
aplicabilidade para utilização. William Boeing começou sua
indústria aeronáutica contratando seu primeiro engenheiro,
mas ainda sem muita noção do que aquela máquina voadora
poderia fazer. Certamente ele ainda se perguntava: “ Para que
serve o avião?”

Os primeiros clientes do Boeing foi o Governo Norte


Americano que encomendou 50 aviões para treinamento e
utilização na primeira guerra, porém, em 1918 a compra não foi
realizada devido o fim da primeira guerra mundial.

Em busca de um mercado para atuar, Boeing notou o


dinamismo que o serviço de correios poderia ter com a aviação
e as aeronaves da época. Contudo, o correio aéreo possuía
muitos riscos, pois a aviação não era nada sólida, ou seja, não
havia como prever o que poderia acontecer.

O avião utilizado para o transporte de correspondência aérea


foi o Boeing 40-A o qual ganhou uma licitação do governo dos
EUA.

A importância que a Boeing teve neste período foi a


industrialização da aviação. Os projetos iniciados na oficina de
bicicleta dos irmãos Wright foram levados adiante e então
iniciou-se a industria da aviação.

O TRANSPORTE AÉREO DE PESSOAS


O transporte aéreo de pessoas começou de forma precária e
improvisada. As pessoas aproveitavam o espaço no avião de
transporte de correspondências e iam apenas se houvesse
espaço. Não havia nenhuma norma regulamentadora ou
preocupação com a comodidade do passageiro ou a segurança
de voo.

“Inicialmente, o transporte de passageiros era realizado caso


tivesse espaço no avião de transporte de
correspondência"Herb Kelleher – Cofundador e
Presidente Emérito da Southwest Airlines
Visionando o transporte de passageiros, a Boeing fabricou o B-
80 e teve seu primeiro voo em 27 de julho de 1928 com
capacidade para 18 passageiros ou carga útil de 408kg. Dessa
forma, introduziu o conceito de comissárias de bordo para
servir os passageiros e manter a calma durante o voo. Caso
algum imprevisto acontecesse, as comissárias eram
enfermeiras e os passageiros se sentiriam mais acolhidos e
seguros.

Na crise de 1929, muitas empresas entravam em falência ou


passavam por sérias dificuldades financeiras, exceto o mercado
da aviação que estava em crescimento. Com esse contraste,
haviam rumores de corrupção no mercado aéreo. Nessa época
ainda era permitido que os fabricantes de aeronaves
possuíssem empresas de transporte aéreo concomitantemente.
Essa é uma possível hipótese para o sucesso econômico
durante a crise.