Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO


FACULDADE DE EDUCAÇÃO
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA
DOCENTE: CELI DA COSTA SILVA BAHIA
DISCENTE: FLÁVIA DUTRA DA COSTA
DISSERTAÇÃO

APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM PELA CRIANÇA NA PERSPECTIVA DE


VYGOTSKY
A criança desde o momento do seu nascimento é envolvida pela linguagem, seja por
símbolos, sons, gestos etc, e diante de uma diversidade de linguagens está a linguagem verbal.
Essa questão pode ser verificada a partir de palavras usadas com o objetivo, por exemplo, de
mostrar o sentimento de carinho que é sentido pela mãe, pai, tias, avós, e até mesmo professores,
isto é, por todos aqueles que usam as palavras para se comunicar com a criança. Envolvida
nesse ambiente de comunicação verbal, a criança logo procura recursos que a façam ser também
compreendida pelos seus interlocutores. Segundo Souza (2008, p. 126) “A criança tenta atrair,
por meio de sons variados, a atenção do adulto, e comunica suas sensações de prazer e
desprazer, que são habilmente decodificadas pela mãe ou adulto significativo do seu meio
circulante”. Nesse sentido, este texto será tratado como base teórica o pensamento vygotskiano
acerca do processo evolutivo da mente, da linguagem e significados para a criança.

Nesse processo de adquirir a linguagem verbal, vai se exigindo mais da criança à medida
que as palavras são pronunciadas por ela para denominar objetos que nem sempre corresponde
ao significado da palavra. É nesse clima de descoberta que as palavras passam a fazer parte do
vocabulário infantil, como ressalta Goés e Cruz (2006, p. 36) “O significado pertence às esferas
tanto do pensamento quanto da linguagem, pois se o pensamento se vincula à palavra e nela se
encarna, a palavra só existe se sustentada pelo pensamento. Para Vygotsky, a linguagem é um
sistema simbólico básico e comum a todo grupo humano. Ou seja, o pensamento passa a tomar
a linguagem como um instrumento de pensamento.

Mas antes é necessário abordar o conceito, que é uma função psicológica superior onde
a linguagem verbal será a principal mediadora para a formação dos conceitos na infância.
Portanto, a formação dos conceitos acontece de forma evolutiva e gradual, apresentando-se com
traços bem específicos, caracterizados pelo pensamento sincrético, pensamento por complexos,
depois desencadeando para os conceitos científicos.
Examinando o desenvolvimento do pensamento tendo como referência a formação de
conceitos, é observado constantemente o uso da palavra como instrumento de um novo
conhecimento. Sendo assim, é indispensável para a evolução intelectual da criança as interações
sociais, principalmente se tratando da comunicação entre as pessoas. A fala molda e da corpo
ao pensamento. A fala muda a qualidade do pensamento. Isto é, o bebê começa falando para o
externo e depois volta sua fala e, consequentemente, seu pensamento para si próprio. Assim
faz-se necessário a comunicação direta entre a criança e outra pessoa em seu convívio cotidiano.
Quando há um direcionamento pedagógico para a criança, mediante uma comunicação com fins
específicos para aprendizagem, como é realizada na escola pelo professor, a relação
comunicativa entre criança e adulto, torna-se um fenômeno para a evolução intelectual da
criança.

Portanto, a escola é o espaço onde a criança tem a contribuição da comunicação em


todos os ambientes, pois para a criança que desde seu nascimento enfrenta situações
comunicativas, o importante para sua formação e desenvolvimento será a possibilidade de se
deparar com situações linguísticas. Uma vez que a criança se encontra no processo de aquisição
da linguagem verbal, a comunicação será um ponto fundamental para o aumento de vocabulário
e, com as vivências e experiências desafiadoras da escola, o seu desenvolvimento intelectual
será antecipado qualitativamente. Por isso, seja qual for o tempo e o espaço de comunicação,
esta sempre estará a serviço da formação intelectual da criança e é imprescindível o professor
auxilia-la.

REFERÊNCIAS

GOÉS, Maria C. Rafael de; CRUZ, Maria N. da. Sentido, significado e conceito: notas sobre
as contribuições de Lev Vigotski.v. 17, n. 2. mai/ago, 2006. p. 31-45

SOUZA, Solange Jobim. Infância e linguagem: Bakhtin, Vgotsky e Benjamin. In:______


L.S Vygotsky: linguagem e construção social da consciência. Papirus Editora. ed. 11ª. São
Paulo. 2008, p. 121-135