Você está na página 1de 10

HISTÓRIA DA ARTE

1.PRÉ-HISTÓRIA

Pinturas rupestres, pinturas e gravações em rochas representavam principalmente a caça,


cenas do cotidiano, plantas e rituais. Mais conhecidas estão na França e Alemanha.

2.ANTIGIDADE:

2.1 ARTE EGÍPCIA:

Desde o ano 3000 a.C. até o século IV d.C. arte ligada ao espírito. Religiosidade é o ponto
principal de produção artística desse povo que eram totalmente subordinados a pessoa do
Faraó, tudo referente a ele era considerado sagrado. Essa arte se dedicava aos mortos, para
eles a morte significava uma transição. Foi a mais longa história das civilizações. Se destacaram
na pintura, esculturas, engenharia, escrita, ciências...eles eram politeístas os faraós criam que
eram deuses portanto eram cultuados.

2.2ARTE GREGA:

Liga-se a inteligência, volta-se para vida presente contemplando a natureza, através da arte
exprime suas manifestações. Arte elaborada intelectualmente onde predomina ritmo,
equilíbrio, harmonia. Nas edificações o interesse maior eram os templos e teatros. Nas
esculturas as estátuas gregas representaram os mais altos padrões atingidos pelos homens
usando o antropomorfismo (esculturas com formas humana), primeira expressão a valorizar o
homem, deixaram importantes legados para épocas posteriores nas ciências, filosofia e
mitologia.

2.3 ARTE ROMANA: 500 A.C. até sec. III

Seres humanos representados através de suas emoções e estado de espírito nas esculturas.A
arquitetura possuía elementos inovadores e avanços em suas técnicas, usavam arco em suas
construções. Nas esculturas retratavam os antepassados. Após a morte de Cristo a pregação
do ideário cristão logo chegou a Roma causando uma séria ameaça aos valores e interesses do
império, a crença monoteísta era contrária a ao culto às divindades romanas entre as quais se
destacava o próprio culto ao imperador. O conceito de liberdade despertou nos escravos o
sentimento de não submissão à imposição não governamental dessa forma os novos cristãos
foram perseguidos, torturados e mortos por animais e crucificados. A arte paleo cristã é toda
produção dos adeptos do cristianismo do séc. I ao V d.C. Nas catacumbas os cristãos
enterravam seus mártires e lá pintavam imagens que manifestavam suas convicções religiosas.
Ao aceitar o cristianismo no império de Constantino foi estabelecida uma nova fase das
expressões artísticas ligadas a essa nova crença, as igrejas cristãs se proliferam e abrem um
novo campo para expressão artística.

3.IDADE MÉDIA (séc V a XV)

A arte europeia foi marcada por uma forte influência da Igreja Católica, esta atuava nos
aspectos sociais, econômicos, políticos, religiosos e culturais da sociedade. Logo, a arte
medieval teve uma forte marca temática: a religião. Pinturas, esculturas, livros, construções e
outras manifestações artísticas eram influenciados e supervisionados pelo clero católico.
A Idade Média é bastante conhecida como Idade das Trevas, pois era dominada culturalmente
pela religião, que criava uma sombra sobre as artes e as ciências.

As características mais significativas da arquitetura românica são a utilização da abóbada,


dos pilares maciços que as sustentam e das paredes espessas com aberturas estreitas usadas
como janelas.

ARTE ROMÂNICA:

Numa época em que poucas pessoas sabiam ler, a Igreja recorria à pintura e à escultura
para narrar histórias bíblicas ou comunicar valores religiosos aos fiéis. Um lugar muito usado
para isso eram os portais, na entrada do templo.

A pintura românica desenvolveu-se nas grandes decorações murais, através da técnica do


afresco , Essa característica está ligada às formas da arquitetura, pois as grandes abóbadas
e as espessas paredes laterais com poucas aberturas criavam grandes superfícies, que
favoreciam a pintura mural.

A Arte Bizantina se contextualiza na Arte Paleocristã. A Arte Paleocristã


tem origem nas expressões artísticas que os convertidos na fé em Jesus Cristo
manifestam especialmente através das pinturas nas catacumbas e nos sepulcros. Jesus,
considerado uma ameaça para o Império Romano, foi perseguido e morto pelos
romanos. Após sua morte, seus adeptos se escondiam em catacumbas para rezar, pois
continuaram sendo perseguidos.
A Arte Bizantina, por sua vez, surge após a aceitação do Cristianismo e, assim,
revela a exuberância de uma arte que pretende ser vista, divulgada e que tinha como
propósito instruir os devotos, neles incutindo a devoção ao Cristianismo.
Desse modo, a arte Bizantina pode ser considerada o primeiro estilo de arte Cristã, a
principal característica dessa arte são as auréolas em suas pinturas.

ARTE GÓTICA:

No século XVI, essa nova arquitetura foi chamada desdenhosamente de gótica pelos
estudiosos, que a consideravam de aparência tão bárbara que poderia ter sido criada pelos
godos, povo que invadiu o Império Romano e destruiu muitas obras da antiga civilização
romana. Mais tarde, o nome gótico perdeu seu caráter depreciativo e ficou definitivamente
ligado à arquitetura dos arcos ogivais.

A primeira diferença que notamos entre uma igreja gótica e uma românica é a fachada.
Enquanto, de modo geral, a igreja românica apresenta um único portal, a igreja gótica tem
três portais que dão acesso às três naves do interior da igreja: a nave central e as duas naves
laterais. Exemplos dessa arte: mosaicos, vitrais,

4.IDADE MODERNA

4.1 RENASCIMENTO:

O Renascimento Cultural foi um movimento que teve seu início na Itália no século XIV e se
estendeu por toda a Europa até o século XVI. Na Idade Média, grande parte da produção
intelectual e artística estava ligada à Igreja. Já na Idade Moderna, a arte e o saber
voltaram-se para o mundo concreto, para a humanidade e a sua capacidade de transformar o
mundo.O período medieval foi considerado a "Idade das Trevas", por isso época obscura
seria abolida por um "renascimento cultural". Assim, opunham-se ao teocentrismo.
O antropocentrismo renascentista foi inspirado nos valores da antiguidade grega e romana,
e renasce a ideia do homem como centro das preocupações intelectuais e artísticas. Principais
representantes : Leonardo Da Vinci e Michelangelo.

4.2 BARROCO

Conflito é uma característica bem presente neste movimento: renascimento x


contrarreforma, teocentrismo x antropocentrismo...isso reflete diretamente nas artes
também. Há uma propaganda da igreja católica contra reforma protestante causando
angústia dos homens, na arte verificamos a presença de muitos contrastes, conflitos
emocionais, Entre outras mudanças, houve o surgimento de pinturas e esculturas marcadas
por formas retorcidas e tensas. A preocupação em reforçar o racionalismo e equilibrá-lo com
as emoções perdeu campo para uma arte mais emotiva e cotidiana.

A história e atributos de santos e mártires católicos foram representados com bastante


frequência na pintura, nas esculturas e construções do período. Os elementos eram dispostos
de uma maneira pouco assimétrica, assumindo na maioria das vezes uma organização diagonal.
Paralelamente, podemos também destacar um tipo de realismo que tentava captar situações
cotidianas vividas por pessoas simples, propondo um contraste à reprodução das autoridades
monárquicas que se firmavam na época.

4.3 Rococó

Rococó” é um substantivo masculino de origem francesa (rocaille, que significa “concha”) e


faz alusão a um estilo artístico tipicamente decorativo. Ele prosperou na Europa
(especialmente no sul da Alemanha e na Áustria) do início ao fim do século XVIII, marcando
a passagem do Barroco para o Arcadismo. Caracterizado pelo uso de conchas, laços e flores
em seus adornos, o estilo rococó predominou na esfera da arquitetura, escultura e pintura.
Elas deveriam se complementar harmonicamente, muitas vezes pela união de artistas
especializados em afazeres distintos. Arte decorativa abandona aquelas linhas retorcidas,
típicas do barroco, para empregar linhas e formas mais leves e delicadas, vistas facilmente
na decoração dos interiores, mobiliário, pintura, escultura e arquitetura usando cores com
uso de tons pastéis. Representante brasileiro: Aleijadinho
5. Idade Contemporânea

A Idade Contemporânea é o período que inicia na Revolução Francesa (1789), fato esse que
modificou toda a história política e social da França, com as diversas manifestações
artísticas que surgiram, e vai até os dias atuais. Os principais acontecimentos que
marcaram a Idade Contemporânea foram:

- Revolução Francesa;

- Primeira Guerra Mundial;

- Segunda Guerra Mundial;

- Guerra Fria.

A globalização já estava acontecendo e o iluminismo, uma corrente filosófica que acreditava


na razão do homem e não na religiosidade se propagou. Foi também nesse período que
ocorreram as Grandes Guerras e a revolta de artistas através da arte.

5.1.Neoclassicismo

O Neoclassicismo se dedicou ao retorno dos princípios gregos, romanos e renascentistas.


Esse movimento surgiu na Europa no século XVIII e trouxe novas formas de produção
artística, principalmente, com o governo de Napoleão. Neoclassicismo (volta da arte greco-
romana), na França. De acordo com os neoclassicistas, só haveria arte, se os artistas
resgatassem os ideais gregos e renascentistas. Dessa forma, a arte nesse período era
considerada bela.

5.2.Romantismo

O Romantismo era um estilo de arte caracterizado pela oposição à arte neoclássica. Os


artistas acreditavam que uma obra de arte deveria expressar o estilo do artista. Surgiu na
Alemanha, nas últimas décadas do século XVIII. Os românticos se caracterizam por estar
em oposição à arte neoclássica. Eles queriam se libertar das regras e valorizar o estilo do
artista na obra. Ela se caracteriza por aderir os sentimentos, a imaginação, o nacionalismo
e a natureza, através das paisagens. Suas características são: realismo, utilização das
cores da natureza, da luz, e outras, sendo essa última característica um preparo para as
obras dos impressionistas.

5.3.Realismo

O Realismo teve como principal influência a Industrialização e predominou entre 1850 e


1900. Tinha como característica o retrato da realidade e os diversos temas sociais e se
destacou principalmente na pintura francesa. O homem contemporâneo entendeu que
precisava ser realista, tendo uma visão mais técnica e deixando um pouco de lados as
emoções humanas. A pintura busca retratar a objetividade com que os cientistas
retratavam os fenômenos, esquecendo, assim, os temas antigos, históricos e a imaginação.
Sendo parte da criação, apenas, aquilo que é real. É nesse período que surge a "pintura
social" que retrata os problemas dos trabalhadores da sociedade contemporânea
5.4.Impressionismo

O Impressionismo foi um importante movimento que transformou a arte do século XX. Se


baseava na observação minunciosa da luz sob os objetivos, suas variações e como elas
poderiam aparecer na tela dos pintores impressionistas. Movimento artístico que mudou a
arte do século XX. As pessoas puderam apreciar as obras do período, numa exposição em
Paris, em abril de 1874, mas ela foi mal vista por seus observadores.

Principais características:

 Registro das alterações que a luz provocava nas cores da natureza;


 As pinturas deveriam representar a cor que a luz do sol refletia nos objetos, pois
elas se alteram com a luz;
 Figuras sem contorno;
 Sombras luminosas e coloridas;
 Utilização da lei de cores complementares para dar contraste às imagens;
 Não deve haver mistura de cores para formar diferentes tonalidades e cores.

5.5.Pós- impressionismo

Como o nome indica, o pós-impressionismo foi a expressão artística utilizada para


definir a pintura e, posteriormente, a escultura no final do impressionismo, por
volta de 1885, marcando também o início do cubismo, já no início do século XX. O
pós-impressionismo designa-se por um grupo de artistas e de movimentos diversos
onde se seguiram as suas tendências para encontrar novos caminhos para a pintura.
Estes, acentuaram a pintura nos seus valores específicos – a cor e
bidimensionalidade.A maioria de seus artistas iniciou-se como impressionista,
partindo daí para diversas tendências distintas. Chamavam-se genericamente pós-
impressionistas os artistas que não mais representavam fielmente os preceitos
originais do impressionismo, ainda que não tenham se afastado muito dele ou
estejam agrupados formalmente em novos grupos. Sentindo-se limitados e
insatisfeitos pelo estilo impressionista, alguns jovens artistas queriam ir mais além,
ultrapassar a Revolução de Manet. Aí se encontra a gênese do novo movimento, que
não buscava destrir os valores do grande mestre, e sim aprimorá-los. Insurge-se
contra o impressionismo devido à sua superficialidade ilusionista da análise à
realidade.Movimentos impressionistas como o Pontilhismo ou o Divisionismo nunca
são chamados pós-impressionistas mas sim de neo-impressionistas.

A expressão Pós-Impressionismo foi usada para designar a pintura que se


desenvolveu de 1886, a partir da última exposição impressionista, até o surgimento
do Cubismo, com Pablo Picasso e Georges Braque.Ela abrange pintores de
tendências bem diversas, como Gauguim, Cézanne, Van Gogh e Seurat. Além desses
artistas, Toulouse Lautrec, que documentou a vida parisiense do fim do século XIX.

http://adriartessempre.blogspot.com/p/historia-da-arte-idade-conte.html
EXEMPLOS DE ARTE

NEOCLASSICA:
ROMANTISMO:
REALISMO: