Você está na página 1de 27

Para provar que o Cordel

Com tudo se comunica


E, como literatura,
Atrás das outras não fica,
Eu peço condescendência
cordel
Para falar na ciência
Boletim
campo
Que somente Freud explica.

do
lacaniano
Fortaleza-201
Pois foi Sigmund Freud,
O gênio neurologista,
Quem sondou a alma humana
Sob outro ponto de vista,
Tornando-se pioneiro
Com fama no mundo inteiro
Como psicanalista.

Estudando o psiquismo
Com funda investigação,
3
Freud adota novo método
Que inclui a aplicação
Na pessoa analisada
De uma técnica chamada
De Livre Associação
Que a causa é psicológica,
A cura pela conversa Não orgânica – eis a lógica
Entre médico e paciente, Central da sua pesquisa.
Eis a metodologia
Que de modo eficiente Seu trabalho original
Oferece grande pista Trouxe um novo entendimento
Para o psicanalista Ao conflito que há entre
Acessar o inconsciente. O desejo e o sentimento,
E cuja contradição
Convém aqui destacar Torna imperfeita a razão,
A famosa parceria Sendo causa de tormento.
De Freud e Joseph Breuer,
Cuja nova teoria Em famosas conferências,
Seria então publicada Freud expôs suas razões,
Numa obra intitulada Que foram depois impressas
“Estudos Sobre a Histeria”. E ganharam edições
Amplamente traduzidas.
O famoso caso Bertha São bastante conhecidas
Que nalguma ocasião As suas Cinco Lições.
Era incapaz de falar
Sua língua, o alemão, A primeira delas trata
Deu início à jornada Do caso aqui já citado
Da que se tornou chamada Da paciente de Breuer
“Cura de conversação”. E seu drama complicado,
4 5
Com crises de histeria
A partir já dos estudos E acessos de afasia,
De Charcot, Freud analisa Vivendo presa ao passado.
Os pacientes tratados
E desde logo divisa Com tratamento catártico
De sondar o inconsciente A incompatibilidade.
E descobrir da moléstia
A causa subjacente Esse conflito psíquico
(Usando ainda hipnose), Precisa ser resolvido.
Foi combatida a neurose Pelo método de Freud,
E curada a paciente. O paciente assistido,
Mesmo em estado normal
Esse caso tão famoso, Traria à tona, afinal,
Além doutras evidências, Um pensamento esquecido.
Serviram de base a Freud
Nas demais experiências. Conflito que sempre traz
Pela sua teoria, Ao paciente a tortura
Quem padece de histeria, E, quanto mais prolongado,
Sofre de reminiscências. Mais o desprazer perdura,
Cabe ao psicanalista
Vamos agora abordar A gloriosa conquista
Sua segunda lição De enfim alcançar a cura.
Que trata da resistência
De trazer recordação Já na terceira lição,
Ao estado consciente, O tema é desenvolvido
Que ele chamou prontamente Considerando de um lado
Processo de “repressão”. O esforço refletido,
E do outro, a resistência
Um desejo violento Pra trazer à consciência
6 7
Sempre em contrariedade O complexo reprimido.
Às aspirações morais
De uma personalidade: Em outras palavras, tudo
Entre o ego do doente O que o cientista quer
E a ideia, está presente Dizer é que: para a busca
Do desejado é mister Freud, na quarta lição,
Que o médico, simplesmente, Fala em sexualidade
Permita que o paciente Que, segundo a sua tese,
Diga tudo o que quiser. Já começa em tenra idade;
Além dos vários complexos
Outro tema ainda exposto Relacionados aos sexos,
Nessa terceira lição Em qualquer sociedade.
São os sonhos, para os quais
Freud tem explicação, Segundo ele, na infância,
Como se vê adiante, Existem vários sinais
Tal como é muito importante De instintos e atividades
A sua interpretação. Claras e sexuais
Que vão se tornar ativas,
Os sonhos são os desejos Por fases evolutivas,
Que ficaram na memória. Nos indivíduos normais.
Essa frase já resume,
De forma satisfatória, O sexo, em seu entender,
O processo de sonhar, Age de forma segura
Sem ser preciso apelar Na formação do caráter,
Para arte divinatória. Em toda e qualquer cultura,
Mas, segundo o seu estudo,
Pela análise dos sonhos Pode ser o conteúdo
E profunda observância De uma neurose futura.
Das impressões e dos fatos
8 9
Acontecidos na infância, Abordando o mesmo tema,
Prevê-se a sua influência Mas já na quinta lição,
Em toda a nossa existência, Freud analisa os sintomas
Daí a sua importância. Ligados à regressão
Para a fase inicial
Da vida sexual, Com seu trabalho importante,
Quando existe repressão. Fundamentado e decente,
Profissional da ciência
Certas moléstias nervosas Que provoca a consciência
Têm sua etiologia Para ouvir o inconsciente.
Em traumas sexuais
Que se vão mostrar um dia Este cordel talvez seja
Como fuga à realidade, O primeiro freudiano,
Dominando na vontade Investigando os mistérios
Do doente a fantasia. Profundos do ser humano.
É, porém, de tudo antes
Em suma, Freud constata Um apreço aos integrantes
Que, devido à repressão, Do Campo Lacaniano.
O indivíduo perde fontes
De energia que lhe são P edro P aulo P aulino C ampos ,
De incontestável valor, C anindé , 13/01/16
Elemento propulsor
Para sua formação.

Pedro Paulo Paulino Campos, é um poeta, cordelista, Jornalista prático


Mas com a psicanálise e profissional em artes gráficas. Nasceu em 1967 em Vila Campos, zona
E meios de tratamento, rural do município de Canindé - Ceará. A qualidade de seu trabalho
artístico valeu-lhe a alcunha de “Príncipe dos Poetas Canideenses”.
São anulados desejos Com vários folhetos publicados e participação em diversos livros e
outras publicações, como jornais, revistas e internet, Pedro mantém
Que só provocam tormento. ainda o blog VILA CAMPOS ONLINE de Informação e Cultura
Conduzida, a ação mental Regional.  Maiores informações e outros trabalhos do autor estão
10 disponíveis em: 11
Produz em si, afinal, http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=95366
O próprio medicamento.

Viva o psicanalista,
O detetive da mente,
XII Seminário do Campo Lacaniano

SUMÁRIO RSI – O seminário 22: heresia e topologia lacaniana


Formações Clínicas do Campo Lacaniano de Fortaleza
Seminário - O objeto a na lógica da fantasia
Seminário - Interpretação e exegese
Seminário - O Seminário livro 2: o eu na teoria de
Freud e na técnica da psicanálise

Apresentação Grupo de Estudos - O analista, parceiro-sintoma

A internacional dos Fóruns Grupo de Estudos - Grupo de estudos sobre as


psicoses
A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano
Seminário - Leitura do Seminário, livro IV - A
A EPFCL Brasil relação de objeto, de Jacques Lacan
Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza Seminário - O objeto voz e a constituição do su-
jeito em Psicanálise
Como ser membro do Fórum Fortaleza?
Contatos
Encontro Nacional EPFCL - Brasil
Agenda Semestral
Atividades do Fórum Fortaleza
Cartel
VII Jornada de Cartéis
Espaço Escola - A formação do analista:
O que? Como? Onde?
Atividades do Espaço Escola em Sobral
Espaço Escola e seu compromisso político com
o Campo Lacaniano
Comissão de Gestão - 2019

Apresentação
Lia Silveira
Francisco Paiva
Raissa Dantas

2018 foi um ano em que os Adventos do real bateram a nossa


porta. Não só teoricamente, mas na experiência de acontecimentos
políticos que deixam suas marcas também no campo da psicanálise.
Foi o ano que nos fez retomar a questão “Qual política para o
Campo Lacaniano?” Enlaçada à essa pergunta, caminhamos
também pela dimensão clínica, a partir da topologia, com nosso
primeiro seminário dedicado a este tema. O percurso também
foi atravessado pela força dos acontecimentos da cena política
brasileira e mundial, mas a resposta veio em forma de trabalho e
ele foi o fio que sustentou nosso entusiasmo. Foram dias intensos
de debate tanto dentro dos nossos muros, como nas ruas.  

 Em 2019 relançamos essa aposta no desejo, na vida e no


trabalho decidido em torno da psicanálise. Quanto a dimensão
política, abordaremos no Espaço Escola os textos fundadores
para pensar a formação do analista enlaçada com a dimensão
da causa. Quanto a dimensão clinica, prosseguiremos no estudo
da topologia, dessa vez dedicado à temática dos nós, a partir da
14 leitura do Seminário R.S.I. de Jacques Lacan.  Introduzindo o ano, 15
contaremos com a presença especial do colega da EPFCL-França,
Bernard Nominé, que trabalhará conosco o nó borromeano em
sua relação com a clinica e a formação do analista.

 Fica aqui nosso convite a todos que se sintam concernidos!  


O objetivo principal dos Fóruns se deduz e tem origem

A INTERNACIONAL
dessa referência, isto é, contribuir para presença e manutenção
do discurso analitico na atualidade.

Os Fóruns não são Escolas, mas campo e sendo campo, tem

DOS FÓRUNS como finalidade assegurar a repercussão e a incidência do discurso


analítico no seio dos outros discursos reguladores de gozo. Assim,
são de sua alçada as conexões com as práticas sociais e políticas
que se confrontam com a os sintomas da atualidade e os laços
com outras práxis teóricas (ciências, filosofia, arte, religião, etc.).

Os Fóruns são orientados a Escola, pois é ela quem se


dedica a cultivar o discurso analítico, através das análises, das
supervisões, trabalho individual sobre os textos, no trabalho de
A Internacional dos Fóruns (IF) tem como objetivo congregar
cartéis, na experiência de transmissão do passe fazendo circular
as atividades dos Fóruns do Campo Lacaniano (FCL) e desenvolver
e submeter ao saber o que se deposita dessa experiência, sem a
entre eles novos laços de trabalho.
qual não há ato analítico.
A iniciativa de fundação do movimento dos Fóruns se
Mesmo não sendo Escola, os Fóruns participam desses
deu em Barcelona, em julho de 1998, porém eles encontram sua
objetivos da Escola promovendo numa certa medida um retorno
origem longínqua na dissolução, em 1980, da Escola de Lacan,
a Escola que Lacan quis.
a EFP. Eles são oriundos da corrente que, nessa data, na França,
optou por uma nova Escola, a Escola da Causa Freudiana. Ela
se estendeu em seguida à Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, O conjunto Forum/Escola também funcionam localmente
Colômbia, Espanha, Israel, Itália, Venezuela etc. em relação solidária com os colegiados clínicos e Formações do
Campo Lacaniano.
Nascidos de uma oposição ao abuso do Um na psicanálise,
os Fóruns inauguram uma tentativa de contra-experiência a partir
da crise de 1998 e visam a uma alternativa institucional orientada
pelos ensinamentos de Sigmund Freud e de Jacques Lacan.

A Assembleia da IF, reunida em 16 de dezembro de 2001 em


16 Paris, proclamou a criação da Escola da IF, Escola de Psicanálise 17
dos Fóruns do Campo Lacaniano (EPFCL), conforme o que estava
previsto em sua Carta de 1999.

Os Fóruns associados a IF-EPFCL fazem parte do Campo


Lacaniano. Essa noção foi retirada do ensino desenvolvido por
Jacques Lacan em seu Seminário O avesso da Psicanálise.
A ESCOLA DE PSICANÁLISE deram suas provas”; 3) sustentar “a ética da psicanálise que é a
práxis de sua teoria”.

DOS FÓRUNS DO CAMPO Os novos membros de Escola são admitidos a partir de uma
entrevista com um dos membros da Comissão Epistêmica, através
da Coordenação do Fórum local. No Brasil, essa comissão é a

lACANIANO Comissão Local Epistêmica de Acolhimento e Garantia (CLEAG).

Para ler mais sobre esses e outros temas concernentes à


A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano é Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano, acesse
um dispositivo criado a partir dos textos fundadores que Jacques o endereço eletrônico:
Lacan consagrou à sua Escola. A Escola não é uma associação
jurídica, não tendo, portanto, uma direção associativa, mas
instâncias de funcionamento internacionais e locais, ajustadas http://campolacaniano.com.br
às suas finalidades.

A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano é


internacional e foi criada em dezembro de 2001, como resultado de
um amplo debate sobre o que deve ser uma Escola de psicanálise
orientada pelo ensino de Lacan. Suas estruturas e finalidades estão
definidas no texto Princípios diretivos para uma Escola orientada
pelos ensinamentos de Sigmund Freud e de Jacques Lacan,
modificadas em 2006 a partir de votação de todos os membros.
A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano tem
como objetivo transmitir a experiência original que constitui a
psicanálise, elaborar um saber sobre isso, permitir a formação
de psicanalistas, fundamentar sua qualificação e garanti-la. O
18 funcionamento da Escola em nível internacional é assegurado por 19
dois Colegiados: o Colegiado Internacional da Garantia (CIG) e o
Colegiado de Animação e Orientação da Escola (CAOE).

A Escola tem como funções: 1) sustentar “a experiência


original” em que consiste uma psicanálise e permitir a formação
dos psicanalistas; 2) outorgar a garantia dessa formação pelo
dispositivo do passe e pela habilitação dos psicanalistas “que
também solicitar sua entrada nesta associação que organiza os
fóruns no território brasileiro. Apenas a Associação Escola de
Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano - Brasil (EPFCL – Brasil)

A EPFCL BRASIL tem personalidade jurídica. Tal se faz necessário para atender à
legislação brasileira. Os membros da EPFCL-Brasil pagam uma
cotização anual, cujo valor é estabelecido na Assembleia Geral
Ordinária e têm o direito de receber anualmente dois números
de Stylus – a revista da EPFCL-Brasil.

A EPFCL-Brasil é a associação Nacional que reúne os


membros de Fóruns no Brasil através do princípio de solidariedade. Para maiores informações sobre a Revista Stylus e sobre
a EPFCL-Brasil, acesse o endereço eletrônico:
A EPFCL-Brasil é dirigida por uma Comissão de gestão
eleita por 2 (dois) anos, pelos membros, responsabilizando-se, http://campolacaniano.com.br
dentre outras coisas, pela coordenação da CAI – Comissão de
Acolhimento e Intercâmbio –, que recebe os novos membros;
pelo recolhimento e administração das cotizações dos membros;
pela manutenção e publicação da Revista Stylus; viabilizando
Seminários e Diagonais Epistêmicas em parceria com os
Fóruns; promovendo e organizando os Encontros Nacionais.

A Associação (EPFCL-Brasil) também acolhe os dispositivos


de Escola no Brasil: Comissão Local Epistêmica de Acolhimento
e Garantia (CLEAG), instância responsável pelo acolhimento das
demandas de passe e o estabelecimento das listas de passadores
indicados pelos AMEs (Analista Membro de Escola), articulando-se
com a Comissão Local de Garantia para América do Sul (CLGAL)
20 e em consonância com o Colegiado Internacional de Garantia 21
(CIG) da Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano.
A CLEAG também é responsável por cuidar do dispositivo do
Cartel no Brasil.

Desde 2009, após decisão da assembleia geral da Associação


(EPFCL-Brasil), ficou decidido que todo membro do fórum deve
FÓRUM DO CAMPO Como participar das atividades?
Para participar das atividades não é preciso ser membro.

LACANIANO DE O interessado deve procurar o coordenador da atividade para


maiores informações.

FORTALEZA Como ser membro do Fórum?


O pedido de entrada deve ser feito mediante apresentação
de uma carta à coordenação do Fórum sobre o interesse em
integrá-lo. A seguir, será marcada entrevista na qual se indicará
ao candidato as leituras dos textos institucionais, sobre a
fundação e os princípios da Escola orientada pelo ensino de
Lacan. A solicitação será submetida também à comissão de
O Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza (FCL-Fortaleza)
acolhimento (CAI) da EPFCL-Brasil, tendo em vista que a
é uma associação de pessoas movidas pela causa analítica,
entrada para o Fórum local implica também na entrada para
orientada pelos ensinamentos de Sigmund Freud e de Jacques
a associação nacional e internacional (IF). Caso a solicitação
Lacan, que presentifica a Escola de Psicanálise dos Fóruns do
seja aprovada, a entrada se dará pelo início da participação do
Campo Lacaniano no contexto da capital do Ceará.
candidato no Fórum local e nas instâncias Nacional (EPFCL-
Brasil) e Internacional (IF) e pelo pagamento de uma taxa ao
O Fórum Fortaleza faz parte de uma rede na qual fóruns de fórum local, taxa à EPFCL-Brasil e taxa à IF.
outras cidades do mundo estão inseridos. Os diversos fóruns que
compõem essa rede são autônomos e mantêm entre si laços de
cooperação e de trabalho, organizando-se internacionalmente no Encontro Nacional da EPFCL - Brasil
conjunto denominado Internacional dos Fóruns (IF). O membro
do Fórum Fortaleza é, automaticamente, também membro da IF, Todos os anos um Encontro nacional reúne os membros
responsabilizando-se, portanto, pelo pagamento das cotizações dos Fóruns e da Escola ligados a EPFCL-Brasil. Em 2019 ele
da mesma. A IF possui sua própria carta de princípios, onde estão ocorrerá em Aracaju- SE nos dias 11- 12- e 13 de outubro, com
expressas as obrigações e prerrogativas de cada membro. o tema A  Política do corpo.

É compromisso primeiro de cada Fórum apoiar e sustentar


os dispositivos da Escola em sua cidade (os cartéis e o passe). Assim, Atividades do Fórum de Fortaleza
22 os fóruns não são a Escola, mas dão suporte a ela. Em seu texto Ato de Fundação, Lacan nos diz que a Escola 23
representa “um organismo onde deve realizar-se um trabalho”, e
que seu “objetivo [...] é indissociável de uma formação”. Podemos
de saída nos perguntar: como esse trabalho pode ser executado
visando a uma formação? Lacan propõe então o cartel. Esse
pequeno grupo, órgão de base de uma Escola de psicanálise se
constitui na porta de entrada para a mesma, como consta nos
Princípios Diretivos de nossa Escola, item VI: “as admissões dos
membros da Escola são decididas pela comissão de acolhimento Cartel
em função, sobretudo, da participação efetiva nas atividades da
Escola e na ‘experiência da Escola’ em um cartel”. A questão da transmissão do saber em psicanálise coloca
alguns impasses a serem considerados na formação do analista.
Além do cartel, Lacan instituiu também o passe: um dispositivo Se, desde Freud, fica estabelecido que ela não acontece sem a
para verificar a passagem de analisante à analista. Podemos dizer análise pessoal, é certo que o estudo teórico também desempenha
que, em ambos os dispositivos (cartel e passe), trata-se de um uma função importante na formação. No entanto, a relação do
risco. Para participar de um cartel, não é necessário conhecimento sujeito com o saber, conforme a tomamos na psicanálise, não
prévio de um assunto, nem tampouco seu funcionamento se dá fora das leis do inconsciente. Pelo contrário, ela implica,
pressupõe ministração de aulas ou qualquer tipo de regência. incondicionalmente, esse “saber não sabido” que segue suas
Trata-se do não sabido. Cada um associa-se a partir de sua própria leis próprias. Sendo assim, como pensar uma possibilidade
ignorância, formula sua questão e empreende sua pesquisa. de transmissão que não esteja subsumida à palavra do mestre
Engajar-se no dispositivo do passe também é tarefa arriscada: portador do “um” que escamoteia a verdade do sujeito? 
conta seu testemunho para os passadores, que contam para o
cartel do passe, que decide: “há ‘do’ analista?” Ninguém garante Considerando essas e outras questões afins, Lacan
que haverá nomeação. propôs o CARTEL como um modo singular de estudo e via
de excelência para a elaboração teórica no âmbito da Escola.
Freud instituiu como formação do analista um tripé: análise, Trata-se de uma pequena reunião de pessoas - no mínimo
supervisão e estudo; esse tripé orienta a formação nas várias três e, no máximo, cinco - marcada pela ausência de mestre e
instituições psicanalíticas. Mas Lacan deu um passo à frente e destinada ao estudo de um tema por, no máximo, dois anos. 
criou outros mecanismos que apontam para o real em jogo na
formação do analista, como o cartel e o passe. Os interessados se escolhem a partir de um tema
proposto, designam alguém para funcionar como o MAIS-UM
Assim, o Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza está e iniciam um trabalho de pesquisa e elaboração que, ao final,
ligado à Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano; deve culminar na produção de escritos individuais a serem
o Fórum não é a Escola, mas estabelece com a mesma uma publicamente apresentados. Tais escritos devem abordar ou
interlocução, e, dessa forma, relança sua aposta na Escola de o tema proposto ou a experiência singular de trabalho do
Lacan e nos dispositivos, a partir de uma concepção singular de cartel, não importando se houve conclusão ou dissolução. O
formação do analista. As atividades do Fórum fazem uma ponte necessário produto escrito é um endereçamento à comunidade
para qual-quer aproximar-se da psicanálise e do discurso analítico, psicanalítica. O cartel não é grupo de estudos nem seminário.
são elas: Sessões Clínicas, Espaço Escola e cartéis. Do cartelizante esperam-se o engajamento no trabalho e a
24 responsabilização pelas implicações da escolha de participar 25
de um cartel.
Aqueles que desejam fazer seu percurso de estudos, as
Formações Clínicas é um espaço de trabalho e transmissão da
psicanálise constituído mediante atividades de ensino e pesquisa, NOVAS PROPOSTAS DE CARTÉIS PODEM SER
onde os que se interessam pela psicanálise podem encontrar a FEITAS A QUALQUER MOMENTO.  Elas serão divulgadas
através da mala direta do Fórum. Aqueles que estabelecerem
vertente teórico-clínica de sua formação em seminários e grupo
transferência de trabalho com o FCL-Fortaleza podem lançar
de estudos, bem como no Seminário do Campo Lacaniano.
uma proposta de Cartel ou engajarem-se em uma das existentes
ainda em aberto. Na sede do Fórum do Campo Lacaniano ou O Feminino da obra de Elena Ferrante
no blog, uma lista de propostas estará disponível. Para propor
Carolina Carrah Colares
um cartel ou obter outras informações, entrar em contato
Débora Passos de Oliveira
com a coordenadora de cartéis da EPFCL em Fortaleza, Lina Larissa Souza Vasconcelos
Cavalcante, pelo e-mail linapsicanalise@gmail.com ou pelo Patrícia Lavinas Santos
telefone (85) 9 9716 1433 Mais-um: Raissa de Assis Dantas

A seguir, apresentamos os cartéis atualmente em O sujeito na era das relações virtuais: uma demarcação da
funcionamento do FCL-Fortaleza, até o fechamento desta posição sexual para a constituição psíquica

edição do Cordel: André Luiz Bessa


Jessika Gomes do Carmo
Nathalia Nogueira do Nascimento
Mais-um: Amanda Vince
EM FUNCIONAMENTO
Psicanálise e estudos queer
A formação do analista
Ana Carolina Leão
Samila Dutra Rocha Ingrid Sampaio de Sousa
Fabíola Cristina Silveira Nathalia Rocha
Tallita Araújo Michelle Lourinho
Luiz Osterne Mais-um: Mauro Reis Albuquerque
Lincoln Shaycoln Teixeira
Mais-um: Jason Sousa Psicanálise e políticas públicas de saúde

(Des)encontros amorosos na diferença sexual Eudes Duarte Filho


Camilla Araújo Lopes Vieira
Camila Carrilho Marilia Albuquerque
Diana Negreiros Maria Luisa Ximenes
Gabriela Simão Mais-um: Ana Ramyres Andrade de Araújo
Natália Barreto
Sabrina Ximenes Quanto custa? Capital e libido na análise
Mais-um: Raissa Dantas
Francisco Paiva Filho
Lina Cavalcante
Estruturas Clínicas em psicanálise
Thalita Fontenele
26 Ana Paula da Silva Mais-um: Sandra Mara Nunes Dourado 27
Dayse Costa Pereira
Diana Alves Monteiro Sexualidade feminina
Luís Carvalho Rodrigues
Ana Ramyres Andrade de Araújo
Mais-um: Célia Maria Vasconcelos
Julyana Andrade
Kilvia Mara Oliveira
Lilian Cristina Castro
Mais-um: Francisca Graziele Calixto
VII Jornada de Cartéis Espaço Escola - A Formação do analista:
O que? Como? Onde?
A Jornada de Cartéis constitui um espaço em que
os participantes de cartéis podem trazer a público suas
elaborações na forma de produção de escritos individuais a “ Um charlatão é aquele que empreende um tratamento sem
serem apresentados. Tais escritos abordam o tema proposto e/ possuir as capacidades requeridas... Se fazer análises for necessário,
ou a experiência singular de trabalho no cartel, não importando é necessário que elas sejam feitas por pessoas que receberam para
se ele ainda está em funcionamento, se houve conclusão ou isso uma formação aprofundada. Enfatizo a exigência segundo a
dissolução. qual ninguém deve praticar a análise sem ter adquirido o direito
disso com uma formação determinada... Quais proposições precisas
Atividade gratuita e aberta a todos os interessados. o senhor tem para fazer? Ainda não cheguei nesse ponto e não sei se
vou chegar lá algum dia.” (FREUD, S. (1926) A questão da análise
leiga)
Data: 30/03/2019
A preocupação com a formação do analista atravessa toda
Coordenação: Lina Cavalcante a história da psicanálise. As questões em torno da formação do
Informações: (85) 9 9716 1433 psicanalista não poderia ser mais urgente para a psicanálise de
hoje, quando fazemos um balanço dos avanços introduzidos
Local: Auditório da Torre Del
por lacan nesse âmbito e se os ajusta ao funcionamento de suas
Paseo, Av. Santos Dummont 3131,
escolas contemporâneas. Ademais, a busca de regulamentação
andar E.
da prática da psicanálise em diversos países, inclusive aqui
no Brasil, tem exigido dos analistas vigor na afirmação da
especificidade de sua experiência, assim como a explicitação
e o debate constante dos dispositivos que estão em jogo na
formação de seus operadores.

Sabemos que a psicanálise é solidária à democracia e ao


que dela advém, por exemplo o debate sério e responsável do
qual emana a voz do povo. Deste modo, a proposta que fazemos
para o Espaço Escola deste ano no fórum do campo lacaniano
de Fortaleza é a de atualizar esse debate recorrendo não só aos
28 textos fundadores deixados por Freud, mas principalmente 29
àqueles que fundam a Escola de Lacan.

Ao lançarmos as perguntas o que? Como? Onde?


Abrimos um espaço onde possa reverberar as diversas vozes
e contribuições que auxiliem nos avanços e nos limites
necessários para a permanência da psicanálise no mundo, e
por que não dizer, na nossa Fortaleza.

CRONOGRAMA

28 de março 07 de junho
Tema: A Escola e a (de)formação do analista. Tema: “Autorizar-se não é auto-ri(tuali)zar-se”

Convidada: Lia Silveira (membro da EPFCL- fórum Fortaleza). Apresentação: Alba Abreu (membro da EPFCL- fórum Aracaju)
T exto norteador : Proposição de 9 de outubro de 1967 sobre o Texto: Nota Italiana
psicanalista da Escola.
* Os convidados, assim como os temas propostos, serão divulgados
12 de abril semestralmente.
Tema: Três pés para uma formação
Convidada: Gláucia Nagem (membro da EPFCL- fórum São Paulo)
Textos Norteadores: Prefácio a edição inglesa do Seminário 11;
Introdução a edição alemã de um primeiro volume dos Escritos. Coordenação: Sandra Mara N. Dourado – delegada do
FCL-Fortaleza (2019-2020)
Dia da semana: quinta-feira
30 de maio
Horário: 20h30
Tema: A formação do analista na Escola de Lacan
Contato: (85) 9 99983393 (celular e Whatsapp)
Convidada: Elynes Barros Lima (membro da EPFCL- fórum Fortaleza) Local: sede do Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza
Texto norteador: Discurso na Escola Freudiana de Paris

30 31
Atividades do Espaço Escola em Sobral
Espaço Escola e seu compromisso político
com o Campo Lacaniano
Marcando o inicio das atividades do Fórum do Campo
Lacaniano de Sobral – FCLS, em 2019 e cumprindo com o
direcionamento à Escola, realizaremos ao longo do ano, atividades Coordenação: Camilla Araújo Lopes Vieira
de estudos relacionadas ao Espaço Escola. Funcionando pelo Informações: (85) 9 9716 1433
princípio da solidariedade com o FCL Fortaleza e entendendo a
Local: Usina Co-Working
relevância de tomar o ensino de Lacan aquilo que é elementar
e fundamental, suas bases, partiremos do estudo dos textos
estruturantes com as seguintes referências contidas nos Outros
Escritos de Jacques Lacan:
P ara informações , acessar a rede de comunicação
instragran (@fclsobral) ou através do contato com Camilla
- A psicanálise verdadeira, e a falsa
Lopes 88988530805.
- Ato de Fundação
- Proposição de 9 de outubro de 1967 sobre o psicanalista da
Escola
- Discurso na Escola Freudiana de Paris
- Pronunciamento na Escola
- Alocução sobre o ensino
- Nota Italiana

Os trabalhos de estudos e discussões dos textos


fundamentais acontecerão ordinariamente em encontros
quinzenais às segundas feiras a partir de 11 de março, de 14:00
as 16:00 horas na Usina Co-Working e terão como convidados
colegas de outros Fóruns e da Escola.

Em março, no dia 22, receberemos Sandra Mara Nunes


32 Dourado do FCL Fortaleza e em maio a nossa convidada 33
confirmada será Elynes Barros, também do FCL Fortaleza. A
programação dos convidados para o segundo semestre está
em andamento e logo mais será divulgada.
estrutura, com ou sem topologia? Como conseguiremos que
XII Seminário do Campo Lacaniano o nó do inconsciente satis-faça, faça- se real o bastante? –
perguntas inquietantes para aqueles causados pela psicanálise
RSI - O seminário 22: heresia e topologia em intensão. É a partir delas que convidamos a comunidade
lacaniana que fez conosco esse percurso até aqui para continuarmos,
em 2019, inclinados à heReSIa lacaniana.
Apresentação

O Seminário do Campo Lacaniano de Fortaleza inicia


seu décimo segundo ano ainda norteado pela possibilidade de
proporcionar aos membros do Fórum Fortaleza uma formação CRONOGRAMA
permanente de maneira sistemática. Nossa atividade tem como
Teremos cinco encontros durante o ano, nos quais estudaremos
princípios norteadores um desdobramento da Proposição de
as lições do Seminário 22 – RSI, de Lacan:
Lacan, os quais podem ser assim delineados:

1- O psicanalista só se autoriza de si mesmo; 16 e 17 de fevereiro : A bertura dos seminários com


2- Isso não significa dizer que qualquer um, em qualquer B ernard N ominé .
ponto, possa se autorizar;
3- Isso não impede que a Escola garanta que um analista • 16/02, sábado , de 09 h às 12 h : “O encontro de L acan com
o nó borromeano ”
depende de sua formação.
• 16/02, sábado , de 15 h às 18 h : “O tempo na experiência do
Ano passado, topamos com o real e iniciamos um estudo passe ”
mais específico da topologia, desafio que enfrentamos a partir
da própria estrutura do percurso que percorremos até aqui. • 17/02, domingo, de 09h às 12h: “O nó borromeano e a escrita
Foram encontros importantes, alinhando pontos e bordados, em da clínica psicanalítica ”
que trabalhamos temas introdutórios da topologia lacaniana,
como a banda de Moebius, a garrafa de Klein, suas relações 13 de abril , sábado
com o sujeito e com o Outro. Agora, seguimos a aventura
S eminário sobre as lições 1 (10/12/1974) e 2 (17/12/1974) do
de corte e costura, desta vez, dedicando-nos ao estudo do
RSI, com G láucia N agem (FCL – SP).
seminário 22 – RSI.
08 de junho , sábado
Ao longo de sua obra, Lacan foi elaborando as noções
34 de Real, Simbólico, Imaginário, até chegar no seminário 22, em S eminário sobre as lições 3 (14/01/1975) e 4 (21/01/1975) do 35
que retoma o nó borromeano para redimensionar a articulação RSI, com A lba A breu (FCL – SE).
dos três registros através da topologia. A aventura é descobrir
o que pode atar esse nó em termos clínicos. Isso nos remete 24 de agosto , sábado
à pergunta de Bousseyroux, em seu texto Passe e fim pelo nó:
Onde estamos hoje na nossa prática do dizer (no estudo da S eminário sobre as lições 5 (11/02/1975) e 6 (18/02/1975) do
topologia)? Como, quando analisamos, orientamo-nos na RSI, com A ndréa B runetto (FCL – MS).
S etembro ( dia a divulgar )
S eminário sobre as lições 7 (11/03/1975) e 8 (18/03/1975) do
FORMAÇÕES CLÍNICAS
RSI, com convidado a divulgar .
DO CAMPO LACANIANO
N ovembro ( dia a divulgar )
S eminário sobre as lições 9 (08/04/1975), 10 (15/04/1975) e
11 (13/05/1975) do RSI, com convidado a divulgar .
DE FOrtALEZA
Abertura das Atividades de FCCL

Coordenação: Thalita Fontenele Dia 11 de março teremos a abertura das nossas atividades. Na
Horários: Sábados: manhã e tarde, das 9h às 17h. ocasião serão apresentados os coordenadores e a proposta de cada
(Atenção! Apenas a abertura com Bernard Nominé terá
uma delas, além de uma explanação geral sobre o funcionamento
do Fórum e de Formações Clínicas.
horários e dias diferentes dos demais encontros).

Informações e Inscrições: (85) 99970-6746 Faz-se importante a presença de todos os interessados em


fcl.fortaleza@gmail.com frequentar as atividades no ano de 2019.
Local: Auditório da Torre do Shopping Del Paseo
(Av. Santos Dumont, 3131 / Andar: E)

Investimento Local: Sede do Fórum do Campo Lacaniano


Inscrições antecipadas (5 cheques pré-datados): Horário: 19:30
R$ 160,00 – profissionais
R$ 80,00 – estudantes de graduação
Por seminário:
Pagamento antecipado
R$ 180,00 – profissionais
R$ 90,00 - estudantes de graduação
36 No local 37
R$ 200,00 – profissionais
R$100,00 - estudantes de graduação
SEMINÁRIO Coordenação: Lia Silveira
O objeto a na lógica da fantasia Data de início: 18 de março
Horário: segunda-feira, de 19:00h às 20:30h
Em 2018, continuamos com nossa proposta de estudas Periodicidade: quinzenal
o objeto na lógica da fantasia. Acompanhando a proposta do Contato: (85) 9 8787-1973
Seminário do Campo Lacaniano de enveredar pela topolo- Local: sede do Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza
gia, dedicamos nosso seminário a estudar a figura topológica
do Cross Cap. Recapitulamos as lições em que Lacan aborda
este elemento desde o seminário 09 – A identificação, onde
apresenta suas coordenadas, até o seminário 12- Problemas
Cruciais para a Psicanálise. Como sabemos, o Cross Cap foi o
recurso que permitiu a Lacan elaborar o corte que distingue
como estruturas heterogêneas sujeito ($) e o objeto (a), que
surgem articulados na lógica da fantasia ($<>a).

A ideia de caminhar até o seminário 12 foi preparar


terreno para este ano de 2019 estudarmos o seminário 13 – O
objeto da Psicanálise, com tradução inédita para o português
recém lançada pelo Fórum do Campo Lacaniano São Paulo.

 Acreditamos que o estudo deste texto vai nos permitir


avançar na pergunta que viemos perseguindo há alguns
anos, desde que começamos a articular a temática anterior-
mente trabalhada “A Função da Falta” com o estudo do Ob-
jeto a conforme proposto por Lacan.

Assim, este ano convidamos a todos que queiram


prosseguir neste tema a partir da leitura do seminário “O
Objeto da psicanálise”.

38 39
judaica quanto cristã mas não é descabido aqui pois foi nela
SEMINÁRIO que Saussure foi buscar a fonte da sua teoria do significante
e significado, e Lacan, lembremo-nos, também bebeu dessa
Interpretação e exegese mesma fonte (São Jerônimo, Santo Agostinho).

A interpretação não é aberta a todos os sentidos. Ela não Diferentes, interpretação e exegese, ambas têm seu lugar
é de modo algum não importa qual. (Lacan, O Seminário livro II) na psicanálise, tanto na abordagem dos textos quanto na clínica.
Há que apenas saber errar bem o seu idioma. (Manoel de Barros, Trago como pergunta se uma seria a busca dessa dimensão
Livro das Ignorãças) de verdade, e a outra a que se orienta pela materialidade do
Repetir, repetir - até ficar diferente. Repetir é um dom do estilo. texto. Lacan pede que cada um traga sua pequena contribuição
(Manoel de Barros, Livro das Ignorãças) à psicanálise, o que pode ser feito a qualquer momento em
que se está do seu percurso (assim como ninguém espera o
A citação de Lacan que abre meu comentário é dirigida final de sua análise para começar a atender) porém aquilo
à interpretação no dispositivo analítico mas acredito que se que é novo, que é a invenção de cada um, só ao final de um
aplique a qualquer texto - inclusive o o do próprio Lacan. longo percurso. Para saber errar bem o seu idioma, como diz
o poeta, é preciso, além de sabê-lo bem, repetir, repetir, até
Já em Radiofonia, ele vai falar sobre a exegese: ficar diferente.

Sobre o judeu, vai dizer: “é aquele que sabe ler, isto é,


que pela letra se distancia de sua fala.” Prossegue afirmando
que se ele toma o Livro ao pé da letra é “para, a partir de sua
colusão significante, tomado em sua materialidade -por aquilo Coordenação: Andrea Rodrigues
que sua combinação torna obrigatório por vizinhança (portanto, Data de início: 25 de março
não querido), pelo que as variantes gramaticais impõem de Horário: segunda-feira, de 19:00h às 20:30h
escolha desinencial - , extrair do texto um dizer outro.” Periodicidade: quinzenal
Contato: (85) 9 9994-0161
Por si só, esse já seria um trecho merecedor de um Local: sede do Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza
exame atencioso, e que exemplifica ao mesmo tempo o que
gostaria de afirmar. Dada a dificuldade de estilo de Lacan só
é possível, num primeiro momento, extrair um certo efeito
de significação. 
40 41
A exegese é diferente da interpretação. No dicionário,
seu significado (bem limitado) é 1 Comentário ou dissertação
que tem por objetivo esclarecer ou interpretar minuciosamente
um texto ou uma palavra 2interpretação de obra literária,
artística, etc. 

O termo faz parte de uma tradição religiosa tanto


SEMINÁRIO Coordenação: Sandra Mara Nunes Dourado
O SEMINÁRIO LIVRO 2: O eu na teoria de Data de início: 12 de março (primeiro semestre)
06 de agosto (segundo semestre)
Freud e na técnica da psicanálise. Horário: terça-feira, de 19h30 às 21h
“Neste ano prosseguiremos, pois, ao exame e à crítica da Periodicidade: quinzenal
noção do eu na teoria de Freud, precisaremos seu sentido em função Contato: : (85) 9 9998-3393 / sandra.lacaniana@gmail.com
da descoberta de Freud e da técnica da psicanálise, estudando
paralelamente algumas de suas incidências atuais, ligadas ao um
certo modo de conceber, na análise, a relação de indivíduo a indivíduo”
(Jacques Lacan, 1954).

Desde o início de 2018, estamos debruçados na leitura


minuciosa e atenta do Seminário 2, de J. lacan, intitulado O
eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise. (1985. Jorge
Zahar Ed., Rio de Janeiro).

É neste seminário onde Lacan declara seu método de


leitura da obra freudiana: não pretende eliminar as contradições
existentes entre os textos. “Trata-se de ver a que dificuldade
única e constante respondia o progresso deste pensamento,
constituído pelas contradições de suas diferentes etapas. Trata-
se, através da sucessão de antinomias que este pensamento
continua nos apresentando, dentro de cada uma destas etapas e
entre si, de defrontarmo-nos com o que constitui, propriamente,
o objeto de nossa experiência” (p.189).

A orientação de Lacan acerca de como ler Freud pode


ser estendida à leitura do próprio Lacan. Portanto, convidamos
àqueles interessados na leitura sistemática e no debate minucioso
da obra lacaniana a nos acompanhar neste projeto.
42 43
GRUPO DE ESTUDOS GRUPO DE ESTUDOS
O analista, parceiro-sintoma As psicoses

“O analista, como uma nova parceria do sujeito, capta, concentra, “Aquele que me interroga também sabe me ler” (J. Lacan, 1973).
ilumina a via sem saída que determina o postulado inconsciente do
sujeito. O analista, complemento do sintoma, não é uma concepção Nosso grupo teve início em 2017 a partir do desejo de
possível senão com a condição de que esteja alojado pelo sujeito na aprofundamento dos estudos sobre as psicoses. Tomamos o
série de eleições de objeto inconsciente. É isto que permite conceber o bonde chamado Seminário 3 e seguimos viagem durante dois
analista como parceria sexual do sujeito” (IZCOVICH, 2010, P.99). anos, parando em diversas estações – ora indo, ora voltando:
Schreber, Freud, Soler, dentre outras – a fim de decifrar o mistério
Izcovich, em seu livro “El cuerpo y sus enigmas” fala- da linguagem na loucura. Tola intenção! Bem no comecinho do
nos da nova parceria que um analista representa para um livro, Lacan adverte: “A compreensão só é evocada como uma
sujeito. Uma parceria sustentada pelo “novo desejo”, o desejo relação sempre no limite. Desde que dela nos aproximamos,
do analista, que aponta para as impossibilidades advindas do ela é, a rigor, inapreensível” (LACAN, 1955/2010, p. 15). O efeito
inconsciente de cada um que se apresenta para uma análise. A desse aviso só veio depois. Do caminho, extraímos uma lição
pergunta que nos guia diante disso é como o analista opera a preciosa: a necessidade de “restaurar o acesso à experiência que
partir desse lugar, e se ele é capaz de introduzir modificações Freud descobriu” (LACAN, 1958/1998, p. 590). Tal movimento
na série inconsciente do sujeito, na qual foi alojado. Assim, não nos dá garantia de destino certo, mas ajuda a manter o
a proposta para este grupo de estudo é a de investigar desde bonde nos trilhos, evitando maiores acidentes. O estudo da
os textos fundamentais de Freud sobre a transferência e o “questão das psicoses” é um esforço de rigor, como disse Soler
sintoma, aportando também na leitura e proposta lacaniana um dia, um esforço sobretudo ético, pois nos faz interrogar os
para estes temas. temas fundamentais da psicanálise e a nossa própria atuação
clínica. Não recuaremos diante das psicoses. Seguiremos a
REFERÊNCIAS grande rota, portanto, desta vez percorrendo os Escritos.
IZCOVICH, Luis. As marcas de uma psicanálise. São Paulo: Aller Editora, 2018.
IZCOVICH, Luis. El cuerpo y sus enigmas. Medellin: UPB, 2009.
Adiante, o nosso roteiro (sujeito a ziguezagues, longas
paradas e tormentas!):

- Os complexos familiares na formação do indivíduo (1938);


Coordenação: Francisco Paiva - O estádio do espelho como formador da função do eu (1949);
44 Data de início: 26 de março - A instância da letra no inconsciente ou a razão desde Freud 45
Horário: às terças-feiras de 19:30h às 21h. (1957);
Periodicidade: quinzenal - De uma questão preliminar a todo tratamento possível da
Contato: (85) 9 96241883 psicose (1957-58);
- De nossos antecedentes (1966);
- Apresentação das Memórias de um doente dos nervos (1966); GRUPO DE ESTUDOS
- Alocução sobre as psicoses da criança (1967);
- O aturdito (1973); Leitura do Seminário, livro IV - A relação
- Joyce, o sintoma (1979). de objeto, de Jacques Lacan

Neste ano daremos continuidade ao estudo sobre a falta


de objeto, a partir da leitura do Seminário livro IV - A relação
de Objeto, de Jacques Lacan.
Coordenação: Thalita Castello Branco Fontenele
Data de início: 13 de março (primeiro semestre) Retomaremos a leitura na parte: A Estrutura dos
07 de agosto (segundo semestre) mitos na observação da Fobia do Pequeno Hans. Para tanto,
Horário: às quartas-feiras, de 18:30 às 20h recomendamos a leitura do caso do Pequeno Hans em Freud.
Periodicidade: quinzenal
Contato: 99970-6746 / thalitafontenele@gmail.com
Local: sede do Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza
Coordenação: Elynes Barros Lima
Periodicidade: semanal
Horário: quarta-feira, de 20h30 às 22h00
Contato: elynesbl@gmail.com (85) 98898-7288 (whatsapp)
Local: sede do Fórum do Campo Lacaniano de Fortaleza
Data de início: 13 de março (primeiro semestre)
14 de agosto (segundo semestre)

46 47
SEMINÁRIO
O objeto voz e a constituição do sujeito em
Psicanálise Contatos
Dando continuidade ao trabalho que tem como objetivo
apresentar os conceitos fundamentais da psicanálise e abordar
questões de pesquisa relativas à dimensão da voz enquanto
objeto pulsional nomeado por Lacan, este ano nos dedicaremos
a esse tema na obra de Freud seguindo o ensino de Jacques
Lacan. MEMBROS DO FÓRUM DO CAMPO LACANIANO
DE FORTALEZA
Ana Carolina Borges Leão Martins
(85) 996542429
Coordenação: Luis Achilles Rodrigues Furtado carolinablmartins@gmail.com
Datas: Quintas-feiras, as 16:00h
Local: Usina Co-Working - Sobral – CE Andrea Helena P. Rodrigues
(85) 99994-0161
andreahr.fortaleza@gmail.com

Elynes Barros Lima


(85) 98898-7288/ 99603-7294
elynesbl@gmail.com

Ercilia Maria Soares Souza


(85) 99635-1501
erciliassouza@gmail.com

Francisco Paiva Filho


(85) 99624-1883/ 98722-7520
chicopf@yahoo.com.br
48
Gabriela Monteiro Simão
(85) 996752168 / (85) 986071378
gabrielamsimao@hotmail.com

Lia Carneiro Silveira


(85) 98787-1973
silveiralia@gmail.com
Lina Cavalcante
(85) 99716-1433
cavalcante.lina@gmail.com

Luis Achilles R. Furtado


Agenda
(88) 98881-0112
luis_achilles@hotmail.com

Osvaldo Costa Martins


Semestral
(85) 98896-9907
osvaldocosta.mar@gmail.com

Raissa Dantas
(85) 99962-8589
raissadanpsi@gmail.com
FEVEREIRO
Sandra Mara Nunes Dourado
(85) 98889-8779
- 16, 17/02: Abertura dos Seminários de 2019 com Bernard
sandra.lacaniana@gmail.com Nominé

Thalita Castello Branco Fontenele MARÇO


(85) 99970-6746
thalitafontenele@gmail.com - 02/03: Abertura das atividades de Formações Clínicas
- 28/03: Espaço Escola com Lia Silveira
GESTÃO DO FÓRUM DO CAMPO LACANIANO - 30/03: Jornada de Cartéis
DE FORTALEZA
ABRIL
Coordenação: Lia Silveira
Tesouraria: Francisco Paiva - 12/04: Espaço escola com Gláucia Nagem
Secretaria: Raissa Dantas
Delegada da IF: Sandra Mara Nunes Douradoa - 13/04: Seminário com Gláucia Nagem
Coordenação de cartéis: Lina Cavalcante
50 Endereço: Fortaleza - Rua Leonardo Mota nº. 1394. MAIO 51
Sala 103 – Aldeota
Telefone: 3021-0811 - 30/05: Espaço Escola com Elynes Barros
Email: fcl.fortaleza@gmail.com
Blog: http://fcl-fortaleza.blogspot.com
Facebook: facebook.com/campolacanianofortaleza/
Instagram: @fclfortaleza
JUNHO
- 07/06: Espaço Escola com Alba Abreu
- 08/06: Seminário com Alba Abreu

JULHO
RECESSO

52 53