Você está na página 1de 351

Sexta-feira, 28 de DE~zembro de 2018 I Série- N.

0 192

ÓRGÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DE ANGOLA


Preço deste número - Kz: 3.200,00
Toda a con·espondência. qu er oficial. quer ASSINATUHA O preço de cada linha publicada n os Diários
relativa a anúncio e assinaturas do <<Diário An o da República 1.' e 2.' série é de Kz: 75.00 e para
da República». deve ser dirigida à imprensa
As três séries . Kz: 611 799.50 a 3.' série Kz: 95.00, acrescido do respec tivo
Nac ional • E.P., en1 Luanda, Rua Henrique de
A l.' série Kz: 361 270.00 im posto do selo, dependendo a pu blic ação da
Carvallio n.• 2, Cidade Alta, Caixa Postal 1306,
www.imprensanacional.gov.ao • End. teleg.: A 2.' série Kz: 189 150.00 3. • série de depósito prévio a efectuarna tesouraria
«imprensa». A 3.' série . .... .............. Kz: 150111.00 da Imprensa Nacional · E. P.

IMPRENSA NACI ONAL- E.P. 4. Aos preços mencionados no n.0 1 acrescer-se-à um


Rua Henrique de Ca1valho n.0 2 valor adicional, para p01t es de coa eio por via n01m al das
E-nu.àl: callcenter@imprensanacional.gov.ao/mmketing@ três séries, para todo o ano, no valor de Kz: 95.975,00, que
imprensanacional. gov.ao/www. imprensanacional. gov.ao poderá sofrer eventuais alterações, em função da flutuação
das taxas a praticar pela Empresa Nacional de Con·eios de
CIRCULAR Angola-E.P. no ano de 2019.
Excelentíssimos, 5. Os clientes que optarem pela recepção dos Diários da
Temos a honra de convidá-los a visitar a página da intemet República através do coa eio deverão indicar o seu endereço
no site www.imprensanacional.gov.ao, onde poderá online ter completo, incluindo a Caixa Postal, a fim de se evitarem
acesso, entre outras infonnações, aos sumários dos conteúdos atrasos na sua entrega, devolução ou extravio.
de Diários da República nas três séries. 6. Os clientes que optarem pela recepção dos Diários da
Havendo necessidade de se evitarem os inconvenientes que República da III Série, através do con·eio electrónico, deverão
re5ultam para os nossos se1viços do facto de as respectivas assi- indicar o endereço de e-mail, a fim de se processar o envio.
naturas no Diário da República não serem feitas com a devida Observações:
oporttmidade; a) Estes preços poderão ser alterados se houver tuna
Para que não haja inteinlpção no fom ecimento do Diário desvalorização da m oeda nacional, numa pro-
da República aos estimados clientes, temos a honra de porção superior à base que detetminou o seu
inf01má-los que, até 15 de Dezembro de 2018, estarão aber- cálculo ou outros factores que afectem conside-
tas as respectivas assinaturas para o ano 2019, pelo que ravehnente a nossa estmtma de custos;
deverão providenciar a regularização dos seus pagamentos, b) As assinaturas que forem feitas depo is de 15 de
junto dos nossos serviços. Dezembro de 2018 sofrerão tun acréscimo aos
L Enquanto não for ajustada a nova tabela de preços, a
preços em vigor de uma taxa coa espondente a
cobrar pelas assinaturas para o fom ecimento do Diário da
15%.
República para o ano de 20 19, passam, a título provisório, a
Telf: +244 222 392 793/331 689/Fax: +244 337 270
ser cobrados os preços em vigor, acrescidos do Imposto de
Thn: 948 511 036/913 147 806
Consumo de 2% (dois por cento):
E-n1càl: callcenta·@imprensanacional. gov.ao/marketing@
As 3 Séries ........................Kz: 734.159,40
imprensanacional.gov.ao/www.impra1sanacional.
La Série ............................Kz: 433. 524,00
gov.ao
2." Série ............................Kz: 226.980,00
3." Série ............................Kz: 180. 133,20
2. Tão logo seja pub licado o preço definitivo, os assinan- SUMÁRIO
tes terão o prazo de 45 (quarenta e cinco) dias para liquidar a
Assembleia Nacional
diferença apurada, visando assegurar a continuidade do for-
Lei n . • 16/18:
necimento durante o período em referência. Lei de Autorização Legislativa que Estabelece o Regime Jurídico de
3. As assinatw·as serão feitas apenas em regime anual. Regularização e Cobrança de Div ida à Protecção Social Obrigatória .
5648 DIÁRIO DA REPÚBLICA

Lei n.• 17/ 18: ARTIGO 3. 0


Lei de Autorização Legislativa para Regulação da Padronização da (Dw·ação)
Nomenclatura dos Grandes Números.
A presente Autorização Legislativa tem a duração de 90
Lei n. • 18/18:
Lei que aprova o Orçamento Geral do Estado para o E:<ercicioEcon ómico (noventa) dias, a contar da data da sua publicação.
de 2019. doravante designado abreviadamente por OGE 2019. qu e
comporta receitas estimadas em Kz: 11. 355.138.688.790,00 c des- A RTIG04.•
pesas fiXadas em igual montante para o mesmo período. - Revoga (Dúvidas e omissões)
toda a legis lação que contrarie o disposto na presente Lei. nomea-
damente a Lei n.• 3/ 18, de 1 de Março. - Lei do Orçamento Geral
As dúvidas e as omissões resultantes da intetpretação e
do Estado. da aplicação da presente Lei são resolvidas pela Assembleia
Resolução n.• 45118: Nacional.
Aprova as recomendações resultantes da ap reciação e discussão
do Orçamento Geral do Estado para o Ex ercício Económico de ARTIGO 5.0
2019, constantes do Relatório Parecer Conjunto das Comissões de (Entrada em vigor)
Economia e Finanças, de Assw1tos Constitucionais c J urídicos e de
Adminish<~ção do Estado e Poder Loc al.
A presente Lei de Autorização Legislativa entra em vigor
à data da sua publicação.
Vista e aprovada pela Assembleia Nacional, em Luanda,
ASSEMBLEIA NACIONAL aos 21 de Novembro de 2018.
O Presidente da Assembleia Nacional, Fernanrb eh. Piedade
Lei n. o 16/18
Dias dos Santos.
de 28 de Dezembro
Havendo necessidade de se criarem mecanismos que per- Promulgada, aos 29 de Novembro de 2018.
mitam à Entidade Gestora da Protecção Social Obrigatória
Publique-se.
realizar cobranças de dívidas resultantes do incumprimento
das contribuições, juros de mora e das multas, com vista O Presidente da República, JoÃo MANUEL GONÇALVES
a garantir os recmsos financeiros necessários para o paga- LOURENÇO.
mento das prestações futw·as e a sustentabilidade financeira
do Sistema de Segmança Social;
A Assembleia Nacional aprova, por mandato do povo, Lei ll. 0 17/18
de 28 de Dezembro
nos te1mos das disposições combinadas da alú1ea c) do
attigo 161.0 , do n.0 2 do a1tigo 165.o e da almea e) do n.0 2 do A legislação vigente em Angola sobre a Nomenclatura
a1tigo 166.0 , todos da Constituição da República de Angola, dos Grandes Números, designada Regra N, remonta à
a seguinte: década de 60 do século passado.
O Instituto Angolano de Notmalização e Qualidade, nas
vestes de Organismo Nacional de Nonnalização, homolo-
LEI DE AUTORIZAÇÃO LEGISLATIVA gou a N01ma Angolana (NA 32/2016), tendo como opção o
QUE ESTABELECE O REGIME JURÍDICO Sistema de Leitura e Escrita de Escala Longa.
DE REGULARIZAÇÃO E COBRANÇA No entanto constata-se que a NA 32/2016 não é aplicada
DE DÍVIDA À PROTECÇÃO SOCIAL de f01ma tmifonne mantendo-se as ambiguidades decor-
OBRIGATÓRIA rentes da existência de duas escalas, especialmente, no
ARTIGO t.•
tratamento dos números da economia angolana.
(Objecto) Por esse facto, toma-se necessário a padronização da
Leitura e E.-,;crita dos Grandes Números para o País.
É concedida Autorização Legislativa ao Presidente da
A Assembleia Nacional aprova, por mandato do povo,
República, enquanto Titular do Poder Executivo, para legis-
nos te1mos das disposições combinadas da alínea c) do
lar sobre o regime jurídico de regularização e cobrança da a1tigo 161.0 , do n.0 2 do a1tigo 165.0 e da alínea e) do n.0 2 do
dívida dos contribuintes à Entidade Gestora da Protecção a1tigo 166.0 , todos da Constituição da República de Angola,
Social Obrigatória. a seguinte:
ARTIGO 2."
(Sentido t extensão)
LEI DE AUTORIZAÇÃO LEGISLATIVA
No uso da presente Autorização Legislativa, o Presidente
PARA REGULAÇÃO DA PADRONIZAÇÃO DA
da República, enquanto Titular do Poder Executivo, aprova
NOMENCLATURADOSGRANDESNÚMEROS
o regime jtu·ídico de regularização e cobrança da dívida
dos contribuintes à Entidade Gestora da Protecção Social AKfiGO 1.•
Obrigatória que abrange todos os contribuintes vinculados (Objecto)

à Protecção Social Obrigatória e que não tenham ctunprido É concedida Autorização Legislativa ao Presidente da
com a obrigação contribuitiva, o pagamento dos juros de República, enquanto Titular do Poder Executivo, para legis-
mora e de multas, bem como os beneficiários que tenham lar sobre a Regulação da Padronização da Nomenclatma dos
recebido prestações sociais indevidamente. Grandes Números.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5649

ARTIGO 2. 0 2. O OGE 2019 compotta receitas estimadas em Kz:


(Sentido e extensão)
11.355.138.688.790,00 (onze biliões, trezentos e cinquenta
No uso da presente Autorização Legislativa, o Presidente e cinco mil milhões, cento e trinta e oito milhões, seiscentos
da República, enquanto Titular do Poder Executivo deve:
e oitenta e oito mil e setecentos e noventa Kwanzas) e despe-
a) Conferir carácter obrigatório à utilização da escala
sas fixadas em igual montante para o mesmo período.
longa para escrita e leitura dos grandes números;
b) Definir o modo de escrita dos grandes números; 3. O OGE 2019 integra os orçamentos dos órgãos da
c) Definir o âmbito de aplicação da referida nonna. Administt<~ção Centml e Local do Estado, dos Institutos

ARTIGO 3. 0 Públicos, dos Setviços e Ftmdos Autónomos, da Segut<~nça


(Duração) Social e dos subsídios e tt·ansferências a realizar pam as
A presente Aut01ização Legislativa tem a dm·ação de Empresas Públicas e pat<l as Instituições de Utilidade Pública.
90 (noventa) dias, a contar da data da sua publicação. 4. O Presidente da República, enquanto Titular do Poder
ARTIG04.0 Executivo é autorizado a cobrar os impostos, as taxas e as
(Dúvidas e omissões) contt·ibuições previstas nos códigos e demais legislação em
As dúvidas e as omissões resultantes da intetpretação e vigor, durante o exercício económico de 2019, devendo
da aplicação da presente Lei são resolvidas pela Assembleia adoptar os mecanismos necessários para a efectiva cobrança
Nacional.
dos referidos tributos.
ARTIGO 5.0
(Entrada em vigor) 5. As receitas provenientes de doações em espécie e em
A presente Lei de Autorização Legislativa entra em vigor bens e setviços integram obrigatoriamente o OGE 2019.
à data da sua publicação. ARTIGO 2. 0
Vista e aprovada pela Assembleia Nacional, em Luanda, (Peças integrantes)
aos 21 de Novembro de 2018. Integram o Orçamento Geral do Estado para o exercício
O PresidentedaA~mbleia Nacional, Fernando da Piedade económico de 2019, os quadros orçamentais seguintes:
Dias dos Sant.os. a) Resumo da Receita por Natureza Económica;
Promulgada, aos 29 de Novembro de 2018. b) Resumo da Receita por Fonte de Recursos;
Publique-se. c) Resmno da Despesa por Natm·eza Económica;
O Presidente da Reptíblica, JoÃo MANUEL GONÇALVES d) Resumo da Despesa por Função;
LOURENÇO. e) Resmno da Despesa por Local;
j) Resumo da Despesa por Programa; e
Lei n. o 18/18 g ) Dotações Orçamentais por Órgãos.
de 28 de Dezembro
O Orçamento Geral do Estado para o exercício econó- CAPÍTULO II
mico de 2019, constitui o plano financeiro do ano e reflecte Ajustes Orçamentais
os objectivos, as metas e as acções contidas nos Instt1m1entos
ARTIGO 3. 0
de Planeamento Nacional. (Regras basicas)
Tendo o Orçamento Geral do Estado para o exercício
económico de 2019, sido elaborado confonne o disposto no Para a execução do OGE2019, oPresidentedaRepública,
axtigo 104.0 da Constituição da República de Angola, e na Lei enquanto Titular do Poder Executivo é autorizado a:
n.0 15/10, de 14 de Julho, Lei do Orçamento Geral do Estado; a) Fixar o limite anual de cabimentação da despesa
A Assembleia Nacional aprova, por mandato do povo, com os projectos de investimentos públicos,
nos texmos das disposições combinadas do n.0 1 do axtigo 102.0 , com base na Programação Financeira;
das alíneas c) e e) do axtigo 161.0 , da alínea o) do n.0 1 do b) Fixar o limite trimestral de cabimentação da
attigo 165.0 , e da alínea d) do n.0 2 do attigo 166.0 , todos da
despesa, com base na previsão de receitas da
Constituição da República de Angola, a seguinte:
Programação Financeira;
c) Fixar nas Regras Anuais de Execução do Orça-
LEI QUE APROVA mento Gera l do Estado, os limites de valores
O ORÇAMENTO GERALDO ESTADO para efeitos de celebração de adendas a contt·a-
PARA O EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2019 tos em execução ou finalizados das Unidades
Orçamentais dos Órgãos da Administração Cen-
CAPÍTULO I b<~l e Local do Estado e das demais entidades
Constituição do Orçamento equiparadas;
d) Proceder aos ajustes, sempre que necessário, nos
ARTIGO 1.0
(Composição do orçamento) valores inseridos nas peças constantes do attigo r
1. A presente Lei estima a receita e fixa a despesa do da presente Lei, com vista à plena execução das
Orçamento Geral do Estado para o exercício económico de regras orçamentais, motmente a unicidade e a
2019, doravante designado abreviadamente por OGE 2019. tmiversalidade;
5650 DIÁRIO DA REPÚBLICA

e) Ajustar o orçamento para suplementar despesas c) Contratar novas operações destinadas ao paga-
autorizadas, quando oc01rerem variações de mento antecipado; e
receitas, por alteração da taxa de câmbio utili- d) Renegociar as condições da dívida com garantias
zada; reais, para possibilitar uma reprogramação do
j} Inscrever novos projectos do Programa de Inves- serviço da dívida com prestações fixas e a renta-
timentos Públicos de significativa imp01tância bilização das garantias afectas.
para o alcance dos objectivos do Plano de Desen- ARTIGO 6. 0
volvimento Nacional 2018-2022, com fonte de (Garantias do Estado)

financiamento assegurada, e por contrapattida 1. O Presidente da República, enquanto Titular do Poder


de projectos de baixa ou nula execução; Executivo, tem competências para conceder garantias do
g) Ajustar o orçamento dos órgãos para suplementar Estado a operadores económicos nacionais, para projec-
despesas necessárias para a utilização de desem- tos do âmbito do programa de diversificação da economia
bolsos cotTespondentes; e nacional.
h) Ajustar o orçamento dos órgãos para suplementar
2. O limite para a concessão de garantias pelo Estado é
fixado em Kz: 500.000.000.000,00 (quinhentos mil milhões
despesas necessárias para a utilização de desem-
de Kwanzas).
bolsos cotTespondentes a doações não previstas,
ou a um aumento da receita tributária petrolífera. CAPÍTULO IV
Consignação de Receitas
CAPÍTULO III
Operações de Crédito ARTIGO 7. 0
(F\mdo de Equilíbrio t Orçamento Participativo)
ARTIGO 4. 0
1. No quadro do processo de desconcentração financeira
(F!n andamento)
ao nível da Achninistração Local do Ec;tado e do reforço
1. O Presidente da República, enquanto Titular do Poder
da patticipação dos cidadãos, o Presidente da República,
Executivo é autorizado a: enquanto Titular do Poder Executivo, pode proceder à cria-
a) Contrair empréstimos e a realizar outras operações ção de Ftmdos de Equilíbrio e de orçamentos patticipativos
de crédito no mercado intemo e extemo, para com vista a garantir a justa repattição da riqueza e do ren-
fazer face às necessidades de financiamento dimento nacional e a pmticipação dos cidadãos na gestão
dec01rentes dos investimentos públicos e da pública.
amottização da dívida pública, previstos no 2. Os Fundos de Equilíbrio e os orçamentos patticipati-
OGE/ 2019; e vos referidos no número anterior devem ser financiados com
b) Emitir títulos do tesouro nacional e a contrair base em receitas inscritas a favor de Programas específicos,
empréstimos intemos de instituições financeiras, nos tetmos do presente OGE.
para socon·er as necessidades de tesouraria, de 3. O Presidente da República estabelece em Diploma
acordo com os montantes a propor pelo titular próprio, os critérios de consignação e a percentagem a ser
do depattamento ministerial responsável pelas atribuída.
finanças públicas, a reembolsar dm·ante o exer- ARTIGO 8. 0
(Afectação de receitas fiscais referentes à ex1Jioração petrolífera)
cício económico.
2. Os encargos a assumir com os empréstimos refetidos 1. É fixada em 5% a retenção da Concessionária
na alínea b) do número anterior, não podem ser mais gravo- Nacional, prevista no n.0 2 do attigo 54.0 da Lei n.0 13/04, de
sos do que os praticados no mercado, em matétia de prazos, 24 de Dezembro- Lei sobre a Tributação das Actividades
de taxas de jm·os e demais custos. Petrolíferas, para fazer face às despesas com a supervisão e
controlo das actividades das operadoras dos blocos petrolí-
ARTIGO 5.0
(Gestão da dívida pública) feros no exercício económico de 2019.
2. A retenção prevista no número anterior é calculada
O Presidente da República, enquanto Titular do Poder
com base no preço de referência fiscal do OGE/2019.
Executivo, deve tomar as medidas adequadas à eficiente
gestão da dívida pública ficando, para o efeito, autorizado a CAPÍTULO V
adoptar medidas conducentes a: Disciplina Orçamental
~ Reforçar as dotações orçamentais para ammtiza- A RTIGO 9.0
ção do capital e juros, caso seja necessário; (Execução orçamental)
b) Pagar antecipadamente, total ou parcialmente, a 1. Os órgãos da Achninistração Central e Local do
dívida já contraída, sempre que os benefícios os Estado, incluindo os órgãos de soberania dependentes do
justifiquem: Orçamento Geral do Estado, devem observar rigorosamente
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5651

os critérios de gestão em vigor, para que seja assegm·ada, 12. São petmitidas admissões de novos ftmcionários para
cada vez mais, a racional aplicação dos recmsos públicos a Administração Pública, para o preenchimento de vagas
disponíveis, de fonna a pennitir uma melhor satisfação das decon·entes de situações de refotma, de abandono, de demis-
necessidades colectivas. são, de transferência, de m01te ou de outras circunstâncias
2. Nenhuma despesa pode ser autorizada ou paga sem previstas em diploma próprio, desde que devidamente auto-
que, cmnulativamente: rizada pelo Titular do Poder Executivo, mediante proposta
~ O factor gerador da obrigação de despesa respeite do Depattamento Ministerial que responde pelas Finanças
as nonnas legais aplicáveis; e Públicas, após solicitação do respectivo sector, devendo
b) A despesa disponha de inscrição orçamental, tenha aquele Depattamento Ministerial avaliar se a respectiva
cabimentação na programação financeira , esteja vaga não pode ser preenchida com rectu·so à mobilidade
adequadamente classificada e satisfaça os prin- intema ao nível da Administração Pública.
cípios da economia, da eficiência e da eficácia.
13. Os processos de promoção dos funcionários públicos
só podem ser realizados após a conclusão do processo de
3. É vedada a realização de despesas, o início de obras,
recadastramento da fimção pública, mediante programações
a celebração de quaisquer contratos ou a requisição de bens
plmianuais de três a cinco anos e de acordo com os seguin-
sem prévia cabiment.ação, observando o limite para cabi-
tes requisitos:
mentação estabelecido na programação financeira ou em
a) Realização de concm·so público de acesso/promo-
montante que exceda o limite dos créditos orçamentais
ção;
autorizados.
4. Na execução do Orçamento Geral do Estado durante o b) Existência de dotação orçamental confumada pelo
ano fiscal de 2019, com vista a prevenir eventuais compotta- Ministério das Finanças: e
mentos insuficientes da anecadação de receitas, o Presidente c) Existência de vaga no quadro de pessoal.
da República, enquanto Titular do Poder Executivo é auto- 14. Dmante o exercício económico de 2019, fica sus-
rizado a cativar até 100% das dotações orçamentais de pensa a aprovação de Estatutos Remuneratórios cujos
determinados projectos do Programa de Investimentos índices difiram substanciahnente da Função Pública, quando
Públicos e das despesas de apoio ao desenvolvimento. estes organismos não disponham de receitas próprias para
5. Não é petmitida a aprovação de quaisquer regimes cobrir patte das suas despesas.
remuneratórios indexados à moeda extema.
15. Durante o Exercício Económico de 2019, é vedado o
6. Não é petmitida a realização de despesas variáveis processamento de horas extraordinárias, com excepção para
o regime especial do sector da saúde.
com valores indexados à moeda extema.
7. Os encargos em moeda extema só podem ser assu-
16. Nas situações em que a Lei petmite a acmnulação
de funções, designadamente, na Educação, na Saúde e no
midos, desde que os mesmos tenham como base contratos
Ensino Superior, os funcionários públicos devem ser remu-
celebrados com entidade não residente cambial ou contra-
nerados da seguinte fotma :
tos resultantes de concurso público intemacional ou decisão
a) Educação - um máximo de 500/o da remuneração da
do Presidente da República , enquanto Titular do Poder
categoria em que está enquadrado o respectivo
Executivo.
8. Os fomecedores de bens ou prestadores de serviços funcionário e passa ao vínculo de colaborador,
devem exigir, dos respectivos ordenadores da despesa, a enquanto acmnular fm1ções;
competente via da nota de cabimentação da despesa. b) Ensino Superior -passa ao vínculo de tempo pareia!
9. O inctunprimento do disposto nos n."• 2, 3, 5, 6, 7 e e remtmerado com o limite máximo de 68 horas
8 do presente attigo, não vincula o Estado à obrigação de na categoria em que estiver enquadrado, enquanto
pagamento. estiver a actunular funções;
10. A eventual necessidade de actualização do valor c) Saúde - tratando-se de docentes tmiversitários, que
da despesa realizada é feita por ap licação da Unidade de também exercem funções em Unidades Hospi-
CotTecção Fiscal (U.C.F.) aprovada pelo Presidente da talares, devem receber até mn máximo de 500/o
República. da remuneração da categoria em que estiver
11. No exercício económico de 2019, não são petmiti- enquadrado;
das novas admissões que se consubstanciem mun aumento d) Nas situações em que é admissível, por inerência de
da massa salarial da ftmção pública, incluindo a celebração ftmções , a acmnulação em diferentes Unidades
de Contrato de Trabalho por tempo detetminado, podendo Orçamentais, a remtmeração deve ser inferior a
apenas oconer em casos devidamente justificados e aprova- 1000/o do salário-base.
dos pelo Presidente da República, enquanto Titular do Poder 17. Os órgãos da Administração Centra l e Local do
Executivo, sob proposta do Depattamento Ministerial que Estado, através dos setviços de recmsos humanos, devem
responde pelas Finanças Públicas e por solicitação dos sec- gerir, de fotma adequada, a base de dados para o processa-
tores interessados. mento de salários do Sistema Integrado de Gestão Financeira
5652 DIÁRIO DA REPÚBLICA

do Estado (SIGFE), incorporando todas as decisões que 4 . Os contratos que carecem de fiscalização preventiva,
alterem, nos tetmos da lei, a situação jm·ídica dos recursos nos tennos do presente artigo, só produzem efeitos após a
htunanos da :fimção pública, nomeadamente a assiduidade, obtenção do Visto ou da Declaração de Confotmidade do
as licenças, as transferências, as comissões de serviço, a Tribtmal de Contas ou, findo o prazo estabelecido no n.0 7
exoneração, a demissão e a aposentação. do attigo 8.0 da Lei n.0 13/10, de 9 de Julho, Lei Orgânica e
18. A contratação de pessoal nos tennos da legisla- do Processo do Tribtmal de Contas.
ção aplicável à criação, estmtm·ação e funcionamento dos
5. As receitas resultantes das cobranças de taxas e emo-
Institutos Públicos é realizada desde que as receitas próprias
lmnentos do Tribunal de Contas devem revetter em 600/o
estejam inscritas no orçamento e sejam capazes de cobrir, na
para o financiamento dos projectos de refonna do sistema
totalidade, o pagamento dos salários.
judicial.
19. As doações que sejam recebidas no decotTer do exer-
cício económico, não previstas no OGE 2019, devem ser 6. Sempre que as Entidades Públicas Contratantes cele-
inf01madas ao Ministro das Finanças, de modo a que sejam brem contratos ao abrigo de delegação de competências, por
incorporadas no orçamento, com vista a garantir o princípio patte do Presidente da República, enquanto Titular do Poder
orçamental da universalidade. Executivo, os limites de valor a considerar para efeito de
20. As despesas especiais de segurança intema e extema fiscalização preventiva são os definidos no n.0 2, indepen-
de protecção do Estado, constantes do Orçamento Geral do dentemente do ótgão que execute a despesa.
Estado, estão sujeitas a um regime especial de execução e 7. A delegação de competências referida non(unero ante-
controlo orçamental, de acordo com o que venha a ser esta- rior deve especificar o projecto, o valor, e deve ser limitada
belecido pelo Presidente da República, enquanto Titular do no tempo.
Poder Executivo. ARTIGO 11.•
21. Os órgãos da Administração Central e Local do (Receitas pell'Oliferas)
Estado devem enviar, trimestralmente, ao Ministério das 1. A receita tributária petrolífera que venha a ser at1'e-
Finanças, os elementos necessários à avaliação da exe- cadada em excesso sobre a receita prevista em face dos
cução das despesas incluídas no Programa de Investimentos pressupostos orçamentais estabelecidos é contabilizada em
Públicos. conta de Resetva do Tesouro Nacional.
22. A inobsetvância do disposto nos n(uneros anteriores 2. O recurso aos ftmdos da Resetva do Tesotu·o Nacional
faz inconer os seus autores em responsabilidade administra- constituídos nos tetmos do número anterior, para cobettura
tiva, disciplinar, civil e criminal, nos tennos da lei. de despesas constantes do OGE 2019, fica condicionado, por
23. É o Presidente da República, enquanto Titular razões justificadas, à autorização expressa do Presidente da
do Poder Executivo, autorizado a transferir projectos e República, enquanto Titular do Poder Executivo.
as respectivas verbas inscritos no OGE, dos órgãos da ARTIGO 12.•
Administração Central para os ótgãos da Administração (Despesas e fundos especiais)
Local e dos Govemos Provinciais para as Administrações 1. Ficam sujeitos a tun regime especial e de cobettma,
Municipais de acordo com o regime de desconcentração e de execução e de prestação de contas, as despesas especiais
delimitação de competências. afectas aos órgãos de soberania e setviços públicos que rea-
ARTI GO 10.• lizam as ftmções de segurança interna e externa do Estado,
(Fiscalização preventiva) integrados no Sistema Nacional de Segmança, em tetmos
1. Sem prejuízo dos poderes próprios dos órgãos de fis- que assegm·e o carácter resetvado ou secreto destas ftmções
calização, controlo e inspecção da Administração do Estado, e o interesse público, com eficácia, prontidão e eficiência.
a fiscalização preventiva é exercida através da emissão do 2. São inscritos no OGE 2019, os créditos orçamentais
Visto, da sua recusa ou da Declaração de Confmmidade que pennitam a criação de Fundos Financeiros Especiais
emitida pelo Tribtmal de Contas. de Segmança, a ftmcionarem como resetva estratégica do
2. O Presidente da República, enquanto Titular do Poder Estado, para a execução das despesas referidas no n(unero
Executivo, deve submeter ao Tribunal de Contas, para efei- anteriot:
tos de fiscalização preventiva, os contratos de qualquer 3. A fonna de utilização e de prestação de contas dos
natureza, de valor igual ou superior a Kz: 5.500.000.000,00 Fundos Financeiros Especiais de Segurança é regulamen-
(cinco milmill1ões e quinhentos milhões de Kwanzas). tada pelo Presidente da República, enquanto Titular do
3. As tmidades orçamentais dos órgãos da Administração Poder Executivo.
Central e Local do Estado devem submeter ao Tribunal ARTIGO 13.0
de Contas, para efeitos de fiscalização preventiva, os con- (Publicidade orçamental)
tratos de qualquer natureza, de valor igual ou superior a 1. O Ministério das Finanças deve dar publicidade, tri-
Kz: 300.000.000,00 (trezentos milhões de Kwanzas). mestralmente, do resultado da execução do OGE 2019.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5653

2. As infonnações relativas a cada trimestre do exercí- 8. A liquidação da Contribuição Especial sobre as


cio económico de 2019, devem ser publicitadas no prazo Operações Cambiais de Invisíveis Cotrentes é efectuada
máximo de 60 (sessenta) dias após o encen·amento do pelo sujeito passivo, nos serviços tributários competentes,
trimestre. antes do processamento, pelas instituições financeiras, da
ARTIGO 14.• transferência sqjeita à referida contribuição.
(Balanço da Execução Orçamental) 9. O sujeito passivo é responsável, também, pelo paga-
O Presidente da República, enquanto Titular do Poder mento da Contribuição Especial sobre as Operações
Executivo, deve submeter à Assembleia Nacional, trimes- Cambiais de Invisíveis Con·entes, que é efectuado mediante
tralmente, o Balanço da Execução do Orçamento Geral do a apresentação do Docmnento de Liquidação de Impostos
Estado de 2019, nos tennos do dispostonon.0 3 do attigo 63.0 que discrimina o valor tributável.
da Lei n.0 15/10, de 14 de Julho- Lei do Orçamento Geral 1O. À Administração Geral Tributária compete, com
do E<>tado, e das alíneas b) e c) do n.0 1 do attigo 275.0 do a colaboração do Banco Nacional de Angola, fiscalizar o
Regimento da Assembleia Nacional. pagamento e demais obrigações tributárias previstas no
presente regime jmídico.
CAPÍTULO VI
11. As Instituições Financeiras só devem realizar as
DiSJlosições Fiscais e de Estabilidade Orçamental
transferências, mediante cettificação prévia do Documento
A RTIGO 15.• de AtTecadação de Receitas (DAR) ou Documento de
(Contribuição Especial sobre Operações Cambiais
de Invisíveis Correntes)
Cobrança (DC), nos tennos das disposições sobre atrecada-
ção de receitas públicas, atestando o efectivo pagamento da
1. Para efeitos de execução do Orçamento Geral do E<>tado Contribuição Especial a que estiver obrigado o sujeito pas-
para o Exercício Económico de 2019 é criada a Contribuição
sivo, sob pena de inconerem em multa cotTespondente ao
Especial sobre Operações Cambiais de Invisíveis Con·entes,
dobro do valor da Contribuição Especial devida, sem pre-
nos tennos do Código Geral Tributário, aprovado pela Lei
juízo de outras infracções estabelecidas no Código Geral
n.0 21114, de 22 de Outubro, cujo regimejmidico se estabe-
Tributário.
lece nos n(uneros seguintes.
12. Estão isentos da Contribuição E<>pecial sobre as
2. A Contribuição Especial sobre as Operações Cambiais
Operações de Invisíveis Con·entes, quando esta constitua
de Invisíveis Con·entes incide sobre as transferências efec-
seu encargo, o Estado e quaisquer dos seus órgãos, esta-
tuadas no âmbito dos contratos de prestação de setviços de
belecimentos e organismos, ainda que personalizados,
assistência técnica estrangeira ou de gestão, regulados pelas
exceptuando as empresas públicas.
disposições do regulamento sobre a contratação de presta-
13. Estão, igualmente, isentos da Contribuição Especial
ção de setviços de assistência técnica ou de gestão, aprovado
sobre as Operações Cambiais de Invisíveis CotTentes,
pelo Decreto Presidencial n.0 273/ 11 , de 27 de Outubro.
excepto quando actuem no âmbito do desenvolvimento
3. Não estão sujeitos à Contribuição Especial sobre as
de actividades económicas de natureza empresarial ou
Operações Cambiais de Invisíveis Con·entes, as demais
comercial:
Operações Cambiais de Invisíveis CotTentes reguladas pelo
a) As instituições públicas de previdência e segurança
Decreto n.0 21/98, de 24 de Julho.
social;
4. São sujeitos passivos da Contribuição Especial sobre
b) As associações de utilidade pública reconhecidas
Operações Cambiais de Invisíveis Conentes, as pessoas
singulares ou colectivas de direito privado e as empresas nos tetmos da lei.
públicas, com domicílio ou sede, direcção efectiva ou esta- 14. O Presidente da Rep úb li c a, enquanto Titular do Poder
belecimento estável em tenitório nacional, que requeiram Executivo, define os procedimentos e regulamentos neces-
junto de uma instituição financeira a realização de transfe- sários para a execução do regime jurídico da Contribuição
rências para o pagamento dos contratos referidos no nt'unero Especial sobre as Operações de Invisíveis Con·entes.
anterior. 15. As reclamações, recursos, infi·acções e respectivas
5. A obrigação tributária da Contribuição Especial penalidades, bem como outros elementos não previstos no
sobre as Operações Cambiais de Invisíveis Con·entes con- presente regime fiscal, são regulados nos tennos gerais de
sidera-se constituída no momento anterior à realização da direito, designadamente pelo Código Geral Tributário.
transferência. ARTIGO 16.•
(Autorização legislativa em matéria fiscal)
6. A base de cálculo da Contribuição Especial sobre as
Operações Cambiais de Invisíveis CotTentes é o montante L É concedida ao Presidente da República, enquanto
em moeda nacional, objecto da transferência, independente- Titular do Poder Executivo, autorização legislativa para, em
mente da taxa de câmbio utilizada. matéria de definição do sistema fiscal e criação de impostos,
7. A taxa de Contribuição Especial sobre as Operações aprovar medidas para os seguintes regimes fiscais:
Cambiais de Invisíveis Con·entes é de 10% sobre o valor da a) Código Aduaneiro, aprovado pelo Decreto-Lei
transferência a efectuat: n.0 5/06, de 4 de Outubro;
5654 DIÁRIO DA REPÚBLICA

b) Código do Imposto sobre a Aplicação de Capitais, j ) Clarificar o regime de responsabilidade tributária


aprovado pelo Decreto Legislativo Presidencial em sede do Imposto de Selo.
n.0 2/14, de 20 de Outubro: ARTIGO 17.•
c) Código do Imposto de Selo, aprovado pelo Decreto (Regime excepcional de regularização de dívidas fiscais,
aduaneiras e à segurança social)
Legislativo Presidencial n.0 3/14, de 21 de Outu-
bro. 1. A regularização das dívidas de natmeza fiscal e
2. No âmbito do presente mtigo, fica o Presidente da aduaneira, bem como aos regimes contributivos em vigor,
República autorizado a: integrantes do sistema de segm·ança social, cujos factos tri-
a) Proceder a uma revisão estmtural do Código butários se tenham verificado até 31 de Dezembro de 2017,
Aduaneiro, com vista a tuna melhor anumação quando realizado por iniciativa do contribuinte ou pelos seus
sistemática e redefinição dos regimes aduanei- representantes, são feitas sem o pagamento de juros, multas
ros, bem como o regime de penalidades, com
e custas processuais.
vista a imprimir alguma coerência sistemática
2. A adesão ao regime previsto no ntm1ero anterior deve
em hannonia com o Código Geral Tributário;
ser feita até 30 de Jtmho de 2019, podendo ser requerido o
b) Introduzir um regime de pagamento de dívidas
aduaneiras em prestações, nos casos em que pagamento de impostos e contribuições em dívida, mediante
tenha havido o procedimento de desembaraço planos prestacionais mensais, desde que a liquidação total
aduaneiro, mediante regularização à posterior, da dívida seja feita até 31 de Dezembro de 2019.
bem como nos casos em que se apm·ar imposto 3. Para efeitos do número anterior, o pagamento integral
adicional resultante dos processos de auditoria da dívida é aferido por cada tipo de imposto.
pós impottação; 4. DecotTido o prazo previsto no n.0 2, sem que o contri-
c) Redefinir o regime de isenção do Imposto sobre buinte tenha efectuado o pagamento integral da dívida, fica
a Aplicação de Capitais, na distribuição de
sem efeito a aplicação da dispensa do pagamento de juros,
dividendos a favor de pessoas colectivas ou
multas e custas processuais, sendo esta devida nos tennos
entes equiparados, sujeitos passivos do Imposto
gerais.
Industrial e com residência fiscal em Angola,
tomando-o mais adequado aos critérios de 5. No caso de contribuintes que sejam credores do
proporcionalidade e justiça tributátia material Estado, incluindo por créditos não tributários devidamente
definidos no Código Geral Tributário; reconhecidos pela Unidade de Gestão da Dívida Pública, a
d) Clarificar as notmas de incidência para pennitir regularização opera através de compensação, nos tetmos do
a tributação, autónoma, de mais-valias nas presente regime.
transmissões para pessoas singulares e destas 6. O regime referido no n.0 1 não se aplica às empresas
para pessoas colectivas, de títulos nos mercados sujeitas aos regimes especiais de tributação das actividades
regulamentados;
petrolífera e mineira.
e) Eliminar a incidência do Imposto de Selo ao câm-
7. Os efeitos previstos no n.0 2, aplicam-se ainda que à
bio de notas em moedas estrangeiras, conversão
data da entrada em vigor deste regime esteja em curso qual-
de moeda nacional em moeda estrangeira a favor
de pessoas singulares , prevista na verba 16.3.3 quer procedimento ou processo tributário, constituindo a
da tabela anexa ao Código; entrega do requerimento de regularização tributária facto
j) Sujeitar ao Imposto de Selo os recibos de quitação suficiente de suspensão dos mesmos.
dos profissionais liberais; 8. Os procedimentos de adesão e de pagamento dos
g) Sujeitar ao Imposto de Selo os contratos de presta- impostos e das contribuições para segurança social são autó-
ção de setviços de qualquer natm·eza; nomos e distintos entre si, con·endo nos respectivos serviços
h) Sujeitar ao Imposto de Selo os contratos de traba-
da Administração Pública.
lho dos estrangeiros não residentes;
ARTIGO 18. 0
i) Alterar o momento da constituição da obrigação de (Pagamento de dívidas aduaneiras em prestações)
Imposto de Selo nas aquisições ou promessas de
As regras previstas no Código Geral Tributário relativas
aquisições onerosas de bens por via do direito
ao pagamento em prestações são extensivas à dívida adua-
de propriedade ou de figuras parcelares desse
direito sobre imóveis, para 60 dias após a assi- neira, nos casos em que tenha havido o procedimento de
natma do contrato ou doctunento, que transmite desembaraço aduaneiro, mediante regularização à posterior,
direitos sobre o imóvel, eliminando o condicio- bem como nos casos em que se apurar imposto adicional
namento à realização da escritura pública; resultante dos processos de auditoria pós-impottação.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5655

A R11GO 19.0 7. Dm·ante o exercício económico de 2019, o Presidente


(Suspensão e restrição de direitos e regalias)
da República deve aprovar um quadro legal sobre o sistema
1. Tendo em atenção a premente necessidade de consoli-
de atribuição gratuita de combustível a vários destinatários,
dação e estabilização orçamental, durante o ano de 2019, são
devendo o mesmo obedecer aos princípios da racionalidade
suspensos os seguintes direitos e regalias:
financeira e orçamental e da eficiência económica.
a) Subsídio de manutenção de residência para todos
os beneficiários; CAPÍTULO VII
b) Subsídio de reinstalação para todos os beneficiá- Disposições Finais e Transitórias
rios; ARTIGO 20.•
c) Subvenção mensal vitalícia a beneficiários remune- (Rnisão orçamental)
rados de fonna cmnulativa, salvo se o beneficiálio Sob proposta ftmdamentada do Presidente da República,
optar por receber exclusivamente a subvenção enquanto Titular do Poder Executivo, o Orçamento Geral do
mensal vitalícia; Estado/2019, pode ser objecto de revisão e aprovação pela
d) Atribuição de veículos do Estado para apoio à residên- Assembleia Nacional.
cia aos Titulares de Catgos Políticos, Magistrados ARTIGO 21.•
e outros beneficiários. (Responsabilização e iiúracções coniJ·a finanças públicas)
2. Durante o exercício económico de 2019 são, igual- A não obsetvância das disposições da presente Lei são
mente, restringidos os seguintes direitos: consideradas infi·acções e faz inconer os seus autores em
a) Subsídio de instalação em 500/o para todos os bene- responsabilidade disciplinar, achninistrativa, financeira, fis-
ficiários; cal, civil e criminal, nos tennos da legislação em vigor.
b) Subsídio de estimulo em 50%, cujo pagamento
ARTIGO 22.•
deve ocotTer em parcela (mica: (Nominação dos impostos)
c) Redução para dois, o níunero de empregados As referências feitas aos impostos constantes da presente
domésticos para Titulares de Cargos Políticos, Lei devem ser entendidas como feitas a qualquer imposto
Magistrados e outros beneficiários; que os venha a substituir.
d) Redução das classes dos Bilhetes de Viagem dos
ARTIGO 23.•
Titulares de Catgos Políticos, Magistrados, (Dú\idas e omissões)
Deputados e respectivos cônjuges, da 1• Classe, As dúvidas e as omissões resultantes da interpretação e
para a Classe Executiva e, dos titulares de catgos da aplicação da presente Lei são resolvidas pela Assembleia
de Direcção e Chefia, da Classe Executiva para a Nacional.
Classe Económica.
ARTIGO 24.•
3. A suspensão e restrição de direitos e regalias pre- (Revogação)
vistas nos n."' 1 e 2 do presente attigo não se aplicam aos É revogada toda a legislação que contrarie o disposto na
Magistrados Judiciais e do Ministério Público, nem aos
presente Lei, nomeadamente a Lei n.0 3/18, de 1 de Março-
Oficiais de Justiça, excepto a prevista na alínea d) do n.0 2.
Lei do Orçamento Geral do Estado.
4. A suspensão e restrição de direitos e regalias previstas
ARTIGO 25.•
na alínea a) do n.0 2 do presente attigo não se aplicam aos (EniJ·ada em vigor)
Deputados à Assembleia Nacional.
A presente Lei entra em vigor a 1 de Janeiro de 2019.
5. O subsídio previsto na alínea b) do n.0 2 do presente
Vista e aprovada pela Assembleia Nacional, em Luanda,
attigo deve ser supottado pela respectiva tmidade orçamen-
aos 14 de Dezembro de 2018.
tal, apenas quando se verificar que a mesma possui receitas
O Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da
próprias. Piedade Dias dos Santos.
6. Sem prejuízo das excepções previstas nos n."' 3 e 4,
Promulgada, aos 27 de Dezembro de 2018.
a suspensão e restrição de direitos e regalias estabeleci-
das nos n."' 1 e 2, têm natureza imperativa e excepcional, Publique-se.
devendo prevalecer sobre quaisquer outras nonnas especiais O Presidente da República, JoÃo MANUEL GONÇALVES

ou excepcionais em sentido contrário. LOURENÇO.


5656 DIÁRIO DA REPÚBLICA

RELATÓRIO DE FUNDAMENTAÇÃO PREÂMBULO


i. A economia angolana continua severamente
Siglas e Abl'eviatw·as
AGT- Administração Geral Tributária afectada pela queda do preço do petróleo no
BCE- Banco Central Europeu mercado intemacional, que se registou a pattir
BNA- Banco Nacional de Angola de meados de 2014.
BRICS -Brasil, Rússia, Índia, China e Áfi·ica do Sul ii. Apesar das medidas de política que o E:xecutivo
BUE- Balcão Único do Empreendedor tem vindo a implementar para mitigar os seus
CBC/FT - Combate ao Branqueamento de Capitais e efeitos, a proftmdidade e a duração desse choque
Financiamento do Ten·orismo extemo severo, combinada com a fi'agilidade
EUA- Estados Unidos da América estmtural da nossa economia, devido a sua
FED- Reserva Federal Americana fotte dependência das expottações de petró-
FMI- Fundo Monetário Intemacional leo, resultaram em grandes desequilíbrios
GEE- Gabinete de Estudos e Estatísticas do Ministério macroeconómicos.
das Finanças iii. Para dar resposta a esses desequilíbrios , o
GERI -Gabinete de Estudos e Relações Intemacionais E:xecutivo que tomou posse em Setembro de
IDE -Investimento Directo Estrangeiro 2017 tem vindo a implementar, desde Janeiro
IPU- Imposto Público Urbano de 2018, um Programa de Estabilização
INE- Instituto Nacional de Estatística Macroeconómica (PEl\1).
IPC- Índice de Preços ao Consumidor iv. O PEM tem como objectivo reduzir as vulne-
Kz-Kwanzas rabilidades fiscais, fottalecer a sustentabilidade
LIBOR- London Interbank Ofl'ered Rate da dívida, reduzir a inflação, implementar um
LNG- Liquefied Natural Gas regime cambial flexível para assegmar a esta-
MINFIN- Ministério das Finanças bilidade das Resetvas Intemacionais Líquidas,
M2- Massa Monetária assegm·ar a estabilidade do sector financeiro e
l'viPE- Ministério do Planeamento e Economia fottalecer o quadro de combate ao branquea-
NATFA- NotthAmerican Free TradeAgreement mento de capitais e financiamento do tetTotümo
ODM -Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (CBC/FT). O PEM tem ainda como objec-
OGE- Orçamento Geral do Estado tivo, a criação das condições para a retoma
OMA- Operações de Mercado Abetto do crescimento económico do País, através da
OMC- Organização Mundial do Comércio
reanimação do seu sector produtivo.
OPEP- Organização dos Países Expmtadores de Petróleo
v. O Executivo aprovou também o Plano de
PAGEC -Programa de Apoio às Grandes Empresas e
Desenvolvimento Nacional2018-2022 (PDN
Sua Inserção em Clusters Empresariais
2018-2022), com o objectivo de promover a
PED- País em Desenvolvimento
diversificação da economia, fomentar o cres-
PERT- Projecto Executivo para a Refonna Tributária
cimento inclusivo e reduzir a pobreza e a
PIB -Produto Intemo Bmto
desigualdade.
PIP- Programa de Investimento Público
vi. Além disso, o E:xecutivo tomou medidas signifi-
PMA- Países Menos Avançados
cativas para melhorar a govemação e combater
PND -Plano Nacional de Desenvolvimento
PP- Pontos Percentuais a comtpção.
PPC- Paridade do Poder de Compra vii. O presente Orçamento Geral do Estado (OGE)
PROAPEN- Programas de Apoio ao Pequeno Negócio encontra-se alinhado com os objectivos esta-
PODES!- Programa de Diversificação das Expmtações belecidos no PDN 2018-2022.
e Substituição das Imp01tações viii. O OGE 2019 visa restaurar a estabilidade
RIL- Resetvas Intemacionais Líquidas macroeconómica da economia nacional, acele-
UGD- Unidade de Gestão da Dívida do Ministério das rar a recuperação do crescimento do PIB, com
Finanças ênfase no sector produtivo, em patticular no
US$- Dólares dos Estados Unidos da América sector agrícola, reforçar o apoio ao sector social
VVEO - World Economic Outlook (educação, saúde e combate à pobreza), bem
\iVTI- West Te:xas Intermedi.ate como promover a implen1entação das refor-
SIMBOLOGIA mas necessárias para continuar a superar os
N.D -Não Disponível bloqueios estruturais que caracterizam a eco-
*Previsões/Estimativas nomia nacional.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5657

ix. Não obstante as incettezas e os riscos asso- Síntese do Contexto e dos Principais Resultados
ciados à volatilidade do preço do petróleo, as 5. O contexto macroeconómico mundial é caracterizado
perspectivas de crescimento económico para os por tensões comerciais e financeiras, com a economia notte-
próximos anos são mais confiantes e favoráveis. -americana no epicentro destes eventos. Não se trata de um
x. Os prognósticos indicam um preço do petróleo momento de pânico para a economia mundial, mas considera-
relativamente mais elevado, tnn contúmo esforço -se que a este respeito os optimismos devem ser moderados.
de redução da taxa de inflação e a prossecução 6. As projecções do Fundo Monetário Intemacional, divul-
do equilíbrio do mercado cambial. gadas em Julho do con·ente ano, apostavam num crescimento
xi. Os esforços de consolidação das finanças do PIB mundial mais estável, todavia mais desigualmente
públicas também constam da pauta do desen- distribuído. Para este ano e para o ano de 2019 prevê-se que
volvimento do País. Isto inclui a redução dos a economia mundial cresça a um ritmo de 3,9o/o, acima do
défices fiscais e da dívida. crescimento de 3, 7% registado em 2017.
xii. Esses esforços vão petmitir assentar as finan- 7. Todavia, não obstante este reforço no crescimento do
ças públicas em alicerces mais robustos. PIB mtmdial, os países estão preocupados com as implica-
xiii. O Orçamento do Estado para 2019 assume- ções das tensões comerciais opondo os EUA, por um lado, e
-se, assim, como garante de um futuro com China, Japão, União Europeia e os parceiros americanos do
maior confiança e previsibilidade. NATFA, por outro lado. Um escalar dessa tensão pode pre-
xiv. Com o presente Orçamento de Estado, o judicar a ctuto prazo o crescimento da economia mtmdial.
Executivo assume o compromisso de fottale- 8. Por outro lado, as principais economias emergentes estão
cer os fundamentos e restaurar a qualidade e a igualmente preocupadas com o futmo da política monetária
sustentabilidade do quadro macroeconómico e da Reserva Federal Americana (FED) e das perspectivas de
do ambiente de negócios e financeiro. aumento da taxa de inflação, derivadas do amnento do preço
xv. Assume também o compromisso de devolver das mercadorias.
vigor no crescimento do PIB, num fotmato mais 9. No cenário nacional, Angola ainda se encontra em reces-
inclusivo, diverso e sólido, com recuperação e são. Mas, felizmente, está gradualmente a recuperar da crise,
c1iação de mais empregos, o que culminará num por via da restauração da estabilidade macroeconómica e
maior desenvolvimento do País e na melhoria financeira e das medidas que vêm sendo adoptadas para a
do bem-estar dos angolanos. melhoria do ambiente de negócios no país.
I. Introdução 1O. Em Abril do con·ente ano, o Executivo aprovou tun
1. O Orçamento Geral do Estado (OGE) é o principal ins- Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) para o horizonte
tnunento de programação da política económica e financeira do 2018-2022. Este plano tem como objectivo promover a diver-
Estado. Ele é elaborado e aprovado nos tennos do attigo 104.0 sificação da economia, fomentar o crescimento inclusivo e
reduzir a pobreza e a desigualdade.
da Constituição da República de Angola e da Lei n.0 15/10,
11. Além disso, o Executivo continua a tomar medidas sig-
de 14 de Julho, Lei do Orçamento Geral do Estado. Ainda
nificativas para melhorar a gestão económica do país, melhorar
obedecendo à legislação em vigor, o OGE respeita os princí-
o ambiente ftmcional das instituições públicas e combater a
pios da unidade e da tmiversalidade orçamental.
cotmpção. de modo a pavimentar o caminho para tun cres-
2. O Orçamento Geral do Estado estima as receitas que o
cimento económico impetuoso, sustentável, mais inclusivo,
Executivo espera an·ecadar ao longo do próximo ano e, com
equilibrado e dm·adouro.
base nelas, fixa um limite de despesas a serem realizadas. Ao
12. Em 2019 espera-se que a economia angolana cresça
englobar receitas e despesas, o orçamento constituí uma peça
2,8%>, como resultado do crescimento de 3,1% no sector petro-
impottante para a gestão e o equilíbrio das contas públicas,
lífero e de 2,6%no sector não petrolífero.
tendo natm·almente em consideração os desenvolvimentos
13. Em Janeiro de 2018, o diferencial entre as taxas de
e as perspectivas das envolventes macroeconómica e finan- câmbio oficial de referência do Kwanza e do mercado infor-
ceira, extema e intema. mal atingiu um nível de 150,00/o. Os esforços de gestão da
3. As despesas contempladas no orçamento sinalizam as prio- política cambial e monetária pennitiram a redução gradua l
ridades de política económica, social e in~titucional estabelecidas deste diferencial, que até o mês Agosto do con·ente ano se
pelo Executivo, bem como as p!Íot·idades de desenvolvimento situava ao redor dos 33,90/o. A relativa estabilidade do mercado
das infi·a-estmturas. Essas prioridades de desenvolvimento cambial e a transição para um regime mais livre afigmam-se
são enqua<kadas pelo Plano de Desenvolvimento Nacional. como medidas fimdamentais para a protecção das Reservas
4. Esta introdução está otganizada em duas secções. Na Intemacionais Líquidas (RIL) e a redução dos desequilíbrios
primeira apresentamos uma síntese do contexto e dos princi- das contas extemas.
pais números do OGE 2019. Na segunda e última sintetizamos 14. Em tennos de gestão dos desequilíbJios intemos, foram
a estmtura deste relatório de fundamentação. igualmente alcançados resultados imp01tantes.
5658 DIÁRIO DA REPÚBLICA

15. A taxa de Inflação reduziu dos níveis de 26.26%, em 22. O Executivo continuará empenhado na regeneração do
2017, para 21,80/o em Setembro do cotrente ano. As projecções sistema financeiro público. Tem destaque a aceleração, através
apontam para uma taxa de inflação anual de 19,17% até finais da Recredit, do saneamento financeiro do Banco de Poupança
de 2018. Em 2019 pretende-se atingir tuna taxa de inflação e Crédito (BPC). Mas será igualmente prestada atenção às
de 15%. Entretanto, o objectivo é levar a taxa para níveis de outras instituições e empresas financeiras públicas, nomea-
um dígito, tal como prevê o PDN 2018-2022. damente o BCI e o BDA, viabilizando a sua capacidade para
16. Em relação a política fiscal, o Executivo tem vindo apoiar a dinamização do investimento privado.
a implementar um processo de consolidação. Neste sentido, 23. O Executivo continuará igualmente empenhado no
o ano de 2018 poderá representar um marco para a história reforço do apoio ao sector social e no combate à pobreza. A
recente da política fiscal angolana, perspectivando-se a retoma confiança no futm·o só pode ser uma cetteza num cenário em
de saldos global e primário superavitários, de 0,6% e 4,8% que o Estado assume decididamente o seu papel de combate
do PIB, respectivamente. à pobreza e de promoção da inclusão social.
17. Esta evolução representa um esforço substancial no 24. Nessa linha estJ·atégica, será dado um destaque deci-
sentido da alteração da postura fiscal que se vinha obsetvando sivo ao investimento no capital htunano, nomeadamente na
até 2017, quando o défice global atingiu cerca de 6,3% e o
educação e na saúde. A melhoria da qualidade do ensino e
défice primário cerca de 3,0%.
a redução da taxa de mottalidade infantil são prioridades do
18. Apesar disso, a Dívida Govemamental continua acima
Executivo- o que é confirmado pelas verbas alocadas neste
dos 60% do PIB. Por isso, os esforços de consolidação fiscal
orçamento para estes domínios.
devem continuar em 2019. A estratégia definida para a con-
25. Daí que o Orçamento Geral do Estado 2019 pro-
tinuidade deste processo de consolidação fiscal assenta em
porcionará recmsos para reforçar os programas sociais, em
dois pilares:
confonnidade com o Plano de Desenvolvimento Nacional
i. Mobilização de receitas não petrolíferas.
2018-2022.
ii. Maior racionalização das despesas con·entes,
26. Neste orçamento e com proftmdo sentido de Estado,
através nomeadamente das seguintes linhas de
o Executivo apottará mais recursos ao sector social, contem-
actuação: contenção da massa salarial, ptivile--
plando na programação orçamental um aumento de cerca
giando, entretanto, a contratação em sectores
de 18,7% da despesa social, com incidências nas áreas da
de alta prioridade, como educação e saúde:
optimização das despesas com as subvenções saúde, da educação e do apoio ao desenvolvimento de uma
(a preços e operacionais); melhoria na realiza- rede de segtu·ança social para os segmentos mais vulneráveis
ção de despesas em bens e setviços, exigindo da população.
maior rigor e aderência às regras de execução 27. Entre outros pressupostos do quadro macroeconómico,
da despesa, aos processos de contJ·atação e aos o OGE 2019 prevê um preço médio do ban·il de petJ·óleo
mecanismos de controlo intemo. deUS$ 68, tuna taxa de inflação acumulada anual de 15%
19. Para além da redinamização do investimento público, e Reservas Intemacionais Líquidas (RIL) não inferiores a
que deverá continuar a exercer um contJ·ibuto impottante na 6 meses de importações.
composição e expansão do produto intemo bmto, em 2019 o 28. O Orçamento Geral do Estado 2019 contempla des-
Executivo adoptará uma estJ·atégia para melhorar aliviar as pesas no montante de Kz: 11.345,5 mil milhões, e receitas
pressões de liquidez das empresas, atJ·avés da continuidade no mesmo valor, refi ectindo um aumento de 17,1% relativa-
da regularização dos atJ·asados intemos. mente ao OGE 2018, avaliado em Kz: 9.685,6mil milhões.
20. Na mesma linha, o Executivo continuará a apoiar a 29. As projecções fiscais apontam para a criação em 2019
diversificação da economia, cujas linhas mestJ·as estão no de um saldo global superavitário de 1 ,2% do PIB e de um
Programa de Apoio à Produção Nacional, Diversificação saldo primário igualmente superavitário de 5,6% do PIB.
das Expottações e Substituição de Imp01tações (PRODESI). 30. As necessidades bmtas de financiamento do presente
21 . Para o feito, o Executivo apoiará o investimento pri- orçamento ascendem a Kz: 4.437,0 mil milhões, cotTespon-
vado, através nomeadamente dos diversos veículos públicos de dendo a 12,7% do PIB. E<;temontante será atTecadado através
financiamento da economia, nomeadamente: Fundo Nacional de da captação de financiamento, tanto no mercado intemo como
Desenvolvimento (FND), Fundo de Apoio ao Desenvolvimento no mercado extemo, venda de activos e utilização da poupança
Agrário (FADA), Ftmdo Activo de Capital de Risco Angolano fiscal global de 1,2% do PIB, prevista para o próximo ano.
(FACRA), do Fundo de Garantia de Crédito (FGC), este último Estrutm·a do Relatório de Fundamentação
para a facilitação do acesso ao crédito jtmto da banca nacio- 31. O presente relatório de fimdamentação, para além do
nal, e dará prioridade a concessão de garantias públicas para preâmbulo e deste capítulo introdutório, comp01ta as seguin-
financiamentos extemos ao sector produtivo nacional. tes pmtes:
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5659

CAPÍTULO II Epílogo
Contexto Económico Internacional Destaca algumas notas finais essenciais para a boa com-
Resume a conjtmtura macroeconómica mtmdial dos dois preensão do orçamento.
últimos anos, a situação actual e as perspectivas de evolução, 3 2. O detalhe da Proposta do Orçamento Geral do Estado
com destaque para o produto, a inflação, o comércio mun- 2019 contém os seguintes documentos anexos:
dial e as taxas de jtu·o. Fazem-se iguahnente prognósticos da ANEXO 1 -Resumo da Receita Por Nattu·eza Económica
influência do contexto intemacional sobre a economia nacional. ANEXO 2 - Resumo da Receita Por Fonte de Recursos
ANEXO 3 - Resumo da Despesa Por Ftmção
CAPÍTULO III ANEXO 4 - Resumo da Despesa Por Local
Desempenho Recente da Economia Nacional ANEXO 5 -Resumo do Orçamento por Programa
Passa em revi~ta os principais desenvolvimentos económi- ANEXO 6 - Dotações Orçamentais Por Órgãos
cos que marcaram a economia nacional, incluindo a política
fiscal e monetária, nos anos mais recentes de 2017 e de 2018.

CAPÍTULO IV CONTEXTO ECONÓMICO INTERNACIONAL


Objectivos Nacionais de Médio Prazo e Programas 33. Este capítulo apresenta os desenvolvimentos recentes
Estratégicos da conjuntura macroeconómica mundial. São apresentadas as
Apresenta os objectivos nacionais, de acordo com a projecções actualizadas pelo Ftmdo Monetário Intemacional
orientação política do Executivo, traduzidos no Plano de para o crescimento do PIB mundial das principais economias
Desenvolvimento Nacional 2018-2022. com impacto mtmdial e regional, assim como os prognósticos
CAPÍTULO V para a evolução do comércio mundial, da taxa de inflação e
Quacb·o Macroeconómico 11ara 2019 das principais taxas de juro intemacionais.
Apresenta o contexto de referência para a política macro- Produto Mtmdial
económica, definindo algumas variáveis detenninantes das 34. As mais recentes projecções do Fundo Monetário
projecções fiscais , nomeadamente as estimativas para a taxa Intemacional (FMI), de Outubro de 2018, apontam para um
de inflação, a taxa de câmbio e preço e a produção de petró- crescimento da economia mtmdial de 3,7%, tanto para 2018
leo, bem como outras que constituem metas ou objectivos como para 2019, como se mostra na Tabela 1, na página
para a política económica. seguinte. Esta taxa de crescimento reflecte uma estabiliza-
ção do crescimento do PIB mundial nos níveis observados
CAPÍTULO VI
em 2017 (3,7%).
Acções de Política Económica para 2019
35. Reflecte também um ligeiro relaxamento das expectati-
Apresentam-se as políticas de natureza económica que
vas face às projecções de Julho de 2018, que projectavam um
serão implementadas ao longo do Ano Fiscal de 2019, por
crescimento de 3,90/o. E<>te recuo é justificado pela materia-
fonna a concretizar os Objectivos Estratégicos de Govemação.
lização de riscos previamente identificados, pmticulannente
CAPÍTULO VII os relacionados com as tensões comerciais que têm caracte-
Proposta do Orçamento Geral do Estado I> ara 2019 rizado o clima económico intemacional.
Apresenta os fluxos globais da proposta orçamental para 36. Face às previsões de Julho de 2018, as projecções de
o exercício financeiro de 2019, incluindo as opções funcional crescimento do conjunto das economias emetgentes e em
e tetTitorial do Orçamento Geral do Estado 2019. desenvolvimento, tanto para 2018 como para 2019, foram
CAPÍTULO VIII revistas em baixa de 0,2pp e 0,4pp, passando para 4,7% em
Principais Riscos para a Execução 2018 e 2019 (4, 7% em 2017).
do Orçamento Geral do Estado 2019 37. As projecções de crescimento das economias avançadas
Apresenta os principais riscos para a realização da des- para 2018 foram mantidas em 2,4%, enquanto as projecções
pesa pública inscrita no Orçamento Geral do Estado de 2018. para o ano 2019 caíram 0,1pp, passando de 2,2% para 2,1.
5660 DIÁRIO DA REPÚBLICA

Tabela 1 -Taxas de Crescimento do Produto Mtmdial

Esb·utura do PIB Taxa dt Cnscimmto Mundial


Economias
Mtmdial2 018 (PPC) % 2015 2016 201 7 2018 2019
M tutdo 100 3,5 3,3 3,7 3,7 3,7
Economias Avançadas 40,8 2,3 1,7 2,3 2,4 2,l
EUA 15,2 2,9 1,6 2,2 2,9 2,5
Zona Euro 13,1 2,1 1,9 2,4 2,0 1,9
Alemanha 3,2 1,5 2,2 2,5 1,9 1,9
fup anha 1!,4 3,6 3,2 3,0 2,7 2,2
Fran ça ~~.2 1,0 1,1 2,3 1,6 1,6
Itália 1,8 1,0 0,9 1,5 1,2 1,0
Portugal 0,2 1,8 1,6 2,7 2,3 1,8
Japão 4,2 1,4 1,0 1,7 1, 1 0,9
Reino Unido :t,2 2,3 1,8 1,7 1,4 1,5
Economias Emergentes e em Desenvolvi mento 59,2 4,3 4,4 4,7 4,7 4,7
cVq:BRICS 32,6 2,1 2,1 3,5 3,6 3,8
Brasil ;t,5 -3,5 -3,5 1,0 1,4 2,4
Rússia ;;,1 -2,5 -0,2 1,5 1,7 1,8
Í ndia :r.1 8,2 7,1 6,7 7,3 7,4
China 18,7 6,9 6,7 6,9 6,6 6,2
Âfi·ica do Sul 0,6 1,3 0,6 1,3 0,8 1,4
Nigeria 0,9 2,7 -1,6 0,8 1,9 2,3
Âfi·ica Subsaarian a ;;,o 3,3 1,4 2,7 3,1 3,8

SADC 1 ,2 3,3 2,7 2,5 3,0 3,6

fonte: FMI, WEO, Outubro de 20 L8.

38. O crescimento nos Estados Unidos, amplamente impul- 40. Na base desta revisão em queda do crescimento notte-
sionado por um pacote fiscal pró-cíclico, continua a um ritmo -americano está o clima de tensões comerciais com a China,
robusto, prevendo-se para este ano uma taxa de crescimento que no decm·so do III Trimestre lançou medidas de retalia-
de 2,4%. ção contra os EUA.
39. A principal preocupação com o crescimento notte- 41. Já o crescimento da China para 2018 foi mantido em
-americano, fundamentado no crescimento alto da procura 6,6o/o. Entretanto, as projecções para 2019 foram revistas em
intema, advém do facto do mesmo estar a motivar a elevação baixa de 0,2 pp, de Julho para Outubro, passando dos 6,4%
das taxas de juro directoras da economia notte-americana. Não para 6.2%
obstante o actual momento de crescimento f01te da procm·a Inflação
interna notte-americana, o FMI reviu em baixa as projec- 42. As expectativas são de um atunento da inflação, tanto
ções de crescimento desta economia para 2019, estimando nas economias avançadas como nas economias emergentes
um crescimento de 2,5%, contra os 2,7% previstos em Julho. e em desenvolvimento, reflectindo o aumento do preço das
mercadotias- vide Gráfico 1.

Gráfico 1 -Taxas de Inflação(%)

m
1'-
u-1
'<t
U"l~
«i

iii
1'-:.U"I
N ·N

!Iii
Nm
Ln ~ T-..

~!11
E.U.A Zona Euro Japão Reino Unido BRICS SADC

Fonte: FM~ WEO, Outubro de2018


I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5661

43. As projecções de Outubro de 2018 apontam para um 49. Por outro lado, as expectativas do mercado sugerem
aumento da taxa de inflação nas economias avançadas, de que o declínio da capacidade de produção da Venezuela e as
1,7% em 2017 para 2% este ano. Para 2019 as perspectivas sanções dos EUA ao Irão podem representar dificuldades para
são de uma redução, devendo cifi·ar-se em 1,9%. Não obstante esses dois países responderem consistentemente ao aumento
a subida da taxa de inflação nas economias avançadas, essas da produção acordado.
continuarão a experimentar condições financeiras favoráveis. 50. No entanto, os mercados de futw·os indicam que os
44. Contudo, os prognósticos não apontam o mesmo para
preços deverão cair nos próximos 4-5 anos, em pa1te devido
as economias emergentes e em desenvolvimento, onde as con-
ao aumento da produção de xisto dos EUA.
dições financeiras revelaram-se mais ape1tadas nos últimos
seis meses. As projecções para estes segmentos são de uma
Comércio MwHlial
subida da taxa de inflação, tanto em 2018 como em 2019, 51. Face às projecções de Julho que apontavam para um
situando-se na ordem de 5% e 5,2%, respectivamente. crescimento de 4,80/o e 4,5%, em 2018 e 2019 respectivamente,
Preço do Petróleo as projecções do Fundo Monetário Intemacional revistas em
45. O FMI prevê preços do petróleo em tomo dos US$72,3 Outubro sinalizam tun crescimento do voltm1e de comércio
em 2019. Estas estimativas resultam da média aritmética de bens e serviços a um ritmo mais brando.
simp les das projecções feitas para os preços do petróleo UK 52. As actuais projecções apontam para um crescimento
Brent, Dubai Fateh e WTI. do comércio mtmdialna ordem de 4,2% em 2018 e 4% em
46. Os fundamentos de mercado assinalam que os preços 2019 - vide Tabela 2.
globais do petróleo aumentaram cerca de 16o/o, entre Fevereiro 53. A perspectiva menos animadora do crescimento do
e Jtmho de 2018, em resultado da maior carência de ofe1ta. comércio mw1dial para o ano de 2018 deve-se sobretudo a
47. Todavia, a Organização dos Países Expo1tadores de
revisão em baixa das projecções do crescimento de bens e
Petróleo (OPEP) e os produtores de petróleo não OPEP pre-
serviços no grupo das economias avançadas.
tendem con·igir os recentes desdobramentos em tomo do
54. A previsão para 2019 é muito influenciada pela revi-
acordo de Novembro de 2016. No mês de Junho concordaram
em aumentar a produção de petróleo em cerca de 1milhão de são menos animadora do crescimento do volume de comércio
ban·is/dia, a pa1tir dos níveis existente à data. a nível das economias emergentes e em desenvolvimento.
48. De recordar que o acordo de Novembro de 2016 con- 55. De assinalar que o cenário do comércio mundial con-
sistiu em reduzir os então 33,6 milhões de ban·is/dia para tinua a experimentar um momento de conflitos, sobretudo
uma meta de 32,5 milhões de ban·is/dia, ou seja, uma redu- entre os EUA e a China, sendo que a China vem adoptando
ção de 3,27%. medidas de retaliação.

Tabela 2- DesemJlenho dtO Comércio Internacional


Economias 2016 201 7 2018 2019
Comércio Mtuulial 2,2 5,2 4,2 4,0

MtUldo Imp01taç ões 2,2 5,2 4,5 4,3

Expottações 2,2 5,3 3,8 3,7

Imp01tações 2,4 4,2 3,7 4,0


Economias Avançadas
Exp01taç ões 1,8 4.4 3.4 3,1

Impottações 1,9 4,6 4.5 5,7


EUA
Expottações -0,1 3,0 3,3 0,9

lmpottações 3,9 3,7 4,0 4,5


Zona EURO
Expottações 2,6 5,2 3.8 4,1

Impottações -1 ,6 3,4 3.2 2,3


Japão
Expottações 1,7 6,7 3,9 2,1

lmpottações 3,3 3,2 -0,3 0,6


Reino Unido
Expottações 1,0 5,4 0,0 1,2

lmpottações 1,8 7,0 6,0 4,8


Pai ses Emetgentes e em Desenvolvimento
&')lottações 3,0 6,9 4,7 4,8

Impottações -4,3 20.3 4,8 4.5


Rússia
Expottações 1,6 8,8 4,8 1,9

lmpottações 4,7 7, 1 8,2 5,1


C1tina
Expottações 1,1 9,3 5,5 4 .5

lmpottações 4,1 12,9 9,2 8,1


Índia
& ')lottações 6,8 9,6 7,4 8,0
5662 DIÁRIO DA REPÚBLICA

Economias 2016 2017 2018 2019


Impottações -8,2 3,5 7,5 6,9
Btasil
Expottações 3.7 10.8 6,2 3.3

Impottações -3,8 1,6 2,5 3,1


África do Sul
Expottações 1,0 -0, 1 1,4 2,9
Impottações -1 ,7 -3,0 5,4 7,5
SADC
& ')lottações 1,1 4,3 5,4 5,5

Fontr.: FMI, WEO, Outubro de 2018.

56. Todavia, os recentes reposicionamentos da política monetária, com dois futm·os aumentos adicionais da taxa de
comercial notte-americana tiveram impacto, não apenas na jtu·o básica em 2018 e três em 2019.
China, mas num gmpo vasto de economias, incluindo o Japão, 59. Na zona Euro. a política monetária apresentou tuna
a União Europeia e parceiros americanos do NAFTA. orientação mn pouco mais acomodaticia, com o Banco Central
Taxas de Jw·o Europeu a comunicar a redução das compras de activos de
57. As tensões financeiras devem marcar um clima de con- € 30 bilhões para € 15 bilhões em Outubro, com um final ante-
dições financeiras mais restritivas nos mercados. No centro cipado do Programa de Compra deActivos, lançado em 2015.
destas tensões estão os Estados Unidos da América. O con- 60. No que respeita a utilização de instnunentos não con-
texto que este país vive tem causando fottes pressões a nível vencionais de política monetária (Quantitative Easing), o
da sua conta cotrente. O FED vem preconizando um curso de Conselho do BCE sinalizou a manutenção inalterada das taxas
nonnalização fina da política monetária, tendo aumentado em de juro de referência nos níveis co1Tentes, até pelo menos
Junho do con·ent.e ano a taxa de jm-o básica, a chamada Taxa antes do verão de 2019.
de Juro dos Ftmdos Federais, em 25 pontos base. 61. As expectativas são que as taxas de juro de referên-
58. Todavia, em face dos riscos de desequilíbrio extemo, cia LIBOR (Londonlnterbcmk Offered Rate) para depósitos,
não obstante as medidas comerciais proteccionistas já imple- em em·os, a 3 meses continuen1 a não apresentar sinais de
mentadas nos últimos meses pelo govemo notte-americano, melhoria para patamares positivos até 2019, registando tuna
com vista a estabilização da economia, o FED sinalizou já em manutenção em -0,3% em 2018, e uma ligeira subida para
Junho outros aprofundamentos de acomodação da sua política -0,2%, em 2019.

Gráfico 2 - Taxas de Juro de Referência

• 2015 • 2016 • 2017 • 2018 • 2019

-e-_,__ _
o

M m m N
.-1
o'
-o~
o o
o'
o
o'
.-1
à

9... 9... 9 9'


Libor USD 6 meses (E.U.A) Libor EU R 3 rneses (Zona Euro) Libor Yen 6 meses (Japão)

Fonte: FMI, WEO,Julhode2018.

62. Nos Estados Unidos da América, espera-se que as taxas economia, em resposta às pressões inflacionistas e cambiais e,
de jm·o de referência (London Interbank Offered Rate) para em alguns casos, juntamente com reversões de fluxo de capital.
depósitos a 6 meses, em dólares nOite-americanos, aumentem III. Desempenho Recente da Economia Nacional
de 1,5% em 2017 para 2,5% até finais de 2018, prolongando- 65. E<>te capítulo descreve a evolução recente da economia
-se esta tendência de aumento em 2019, ano em que se espera nacional, com destaque para o crescimento do PIB e sua dinâ-
que venha a fixar-se em 3,4%. mica sectorial. O capítulo expõe igualmente o desempenho
63. Em relação aos depósitos em Yen a 6 meses. até finais da gestão macroeconómica, ao passar em revista os desen-
de 2018 espera-se a manutenção da LIBOR em níveis de 00/o,
volvimentos obsetvados nos domínios das políticas fiscal,
devendo registar tun atm1ento para 0,1 em 2019.
64. Nas principais economias de mercado emergentes, monetária e cambial, apresentando os resultados alcançados
incluindo Argentina, Índia, Indonésia, México e Tmquia, os ao nível dos principais indicadores macroeconómicos e as
bancos centrais aumentaram as taxas de jm·o directoras da respectivas perspectivas de fecho para 2018.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5663

Sector Real
66. Em 2016 e 2017 a economia angolana esteve em recessão, tendo decrescido cerca de 2,6% e 0,1% respectivamente.
O Gráfico 3 mosb:a a evolução do crescimento da economia angolana entre 2012 e 2018.

Gráfico 3 -Taxas de Crescimento do PIB(%)


12 r------------------------------------------,-------------------
11,1
10 - r9,o___ ~

2 1,2
./--

-2

PJB J\llo Petrollfero

-8 ,2
-10

·12 ~----------------------------------------L--------------------J
2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Fonte: MPE

67. O qua(ko recente de recessão da economia teve como 72. De facto, apesar do preço médio das ramas angolanas
principal causa a redução do preço do petróleo no mercado ao longo do ano de 2018 se tenha situado em US$ 72 por bar-
internacional e os consequentes desequilíbrios gerados na ril, 43% acima da média dos US$ 50 previstos no Orçamento
economia nacional. Geral do Estado, em contraste, em tetmos reais, o desempenho
68. Por isso, à semelhança dos anos anteriores, em 2018 da produção petrolífera tem-se situado abaixo do previsto.
o Executivo continuou os seus esforços de gestão macroe- 73. Face ao baixo desempenho do sector petrolífero no
conómica, tendo em vista a restauração da estabilidade
primeiro semestre, a produção petwlífera diária para o ano foi
macroeconómica e o revigoramento do crescimento eco-
revista em baixa, cerca de -10.3%. A produção diária passou
nómico. O Executivo lançou o Programa de Estabilidade
dos 1.698,6 milhões de ban·is/dia (620.0 milhões de ban·is/
Macroeconómica (PEM) e um conjtmto amplo de medidas de
ajustamento fiscal previstas no Orçamento Geral do Estado 2018. ano) previstos no OGE 2018 para 1.524,3 milhões de ban·is
69. N o que respeita ao cenário económico para 2018, I dia (556,3 milhões de ban-is I ano).
o Orçamento Geral do Estado, programado na base de um 74. Inc luindo a produção de LNG, a produção petrolí-
preço médio deUS$ 50, antecipou tuna taxa de crescimento fera foi revista em baixa em cerca de 12,4%, ao passar de
do PIB de 4,9%. 1.846,7 milhões de ban·is/dia (674,1 milhões de ban·is/ano)
70. Este crescimento seria supottado por um crescimento para 1.617,3 milhões de ban-is/dia (590,3 milhões de ban-is/
do sector petrolífero de 6,1 %, incluindo a produção deLNG, ano). Neste contexto, o desempenho do sector petrolífero
e do sector não pet1·olífero de 4,4%. O crescimento do sec- face à 2017 agravou-se. esperando-se para o con·ente ano
tor petrolífero, excluindo o LNG, seria de 3,1%. Entretanto, de 2018 uma redução de 8,2% incluindo o LNG e de 6,90/o
as projecções mais recentes indicam que o ano 2018 deverá excluindo o LNG.
encen·ar com uma taxa de crescimento real do PIB negativa
75. Do lado do PIB não petrolífero, as projecções revisi-
de 1,1%.
tadas são relativamente mais animadoras. Apontam para um
71. A revisão em baixa do crescimento real do PIB, de4,90/o
crescimento positivo do PIB de cerca 1,0%, mantendo-se,
no OGE 2018 para uma recessão de 1,1% na Programação
Monetária Executiva (Pl\ffi) 2018 Revista, é explicada por entretanto, abaixo do previsto no OGE 2018 de 4,4%.
dois factores : a) Por um lado, pelos bai.xos níveis de produ- 76. Este crescimento de 1,00/o prognosticado para o PIB
ção de petróleo realizados até ao I semestre do ano: b) Por não petrolífero é resultado sobretudo dos impulsos da recu-
outro lado, pela menor dinâmica da actividade económica peração da actividade económica dos sectores da agricultura,
não petrolífera, vis-à-vis aos prognósticos elaborados para o construção e energias, que deverão crescer em 2018 a taxas
cenário macroeconómico do OGE 2018. de 3,1%. 2,3% e 300/o. respectivamente.
5664 DIÁRIO DA REPÚBLICA

Inflação 78. A taxa de inflação obsetvada em 2017, de 26,26%,


77. Em 2016, em consequência da queda do preço do petró- já reflectiu um grande esforço de estabilização face a 2016.
leo, o quach'o inflacionário sofreu choques severos, tanto do
Foi possível reduzir a taxa de inflação média mensal de 3%
lado da procura como do lado da ofetta, induzindo uma trajec-
para 2% O custo desta política foi a redução das RIL, ao
tória crescente da taxa de inflação, que encen·ou em 41 ,95%.
O Gráfico 4 mostra a evolução da inflação entre Agosto de manter-se a taxa de câmbio fixa em 165 Kz por USD ao
2013 e Agosto de 2018. longo do ano.

Gráfico 4- Evolução da Inflação Homóloga, Luanda (%)


45

40

35

30

25 21,81

20

15

lO

o llllllllllllllllllllll
set/13 set/14 set/15 set/16 set/17 set/18

Fonte: INE

79. Em vittude da necessidade de conigir os desequilíbrios 84. Ao longo do presente ano, a política monetária manteve-
do mercado cambial e presetvar as resetvas intemacionais, -se acomodaticia, tendo a base monetária em moeda nacional
em Janeiro de 2018 o Banco Nacional de Angola procedeu a registado uma redução acumulada de 14,4% entre Janeit·o e
uma maior liberalização do regime cambial, passando de um Jtmho e 4 ,6% em tetmos homólogos no mês de Jtmho.
regime administrado para tun regime de flutuação controlada
85. Adicionalmente, em resultado da rápida desinflação
em banda (num intetvalo definido).
e das condições de liquidez mais resn·itivas, em Novembro
80. Não obstante à maior liberalização e flexibilização
de 2017 o Banco Nacional de Angola reduziu a taxa nominal
cambial levada a cabo pelo Banco Nacional de Angola, a
de resetva obrigatótia de 30% para 21%, mas a taxa efectiva
taxa de inflação continua a desacelerar em tetmos homólo-
gos desdeJaneit·o de 2018, tendo a inflação anual, medida em aumentou, devido a exclusão da possibilidade de os bancos
Setembro, atingido os 21 ,80/o. comerciais constituírem resetvas com títulos.
81. No decurso do presente ano, a taxa de inflação mensal 86. Entretanto, em Maio de 2018, o BNA ao unificar as taxas
registou uma fmte aceleração ao passar de 1,20%, no mês de da Facilidade Pennanente de Cedência de Liquidez Ovemight
Agosto, para 4,980/o, no mês de Setembro. Esta aceleração é em com a Taxa Básica de Jm·os, estabeleceu a Taxa Directora em
muito explicada pela cotTecção realizada nas tarifas de água. 18% Em Julho, reduziu a Taxa Básica de Jm·os para 16,5%
82. Não obstante a aceleração obsetvada em Setembro, e estabeleceu o Coeficiente de Reservas Obrigatórias para
a taxa de inflação registou uma redução em tetmos médios,
Moeda Nacional em 17%
estando a evoluir a um ritmo médio de 1,4% ao mês, em
87. As projecções actualizadas do cenário macroeco-
conn·aste com os níveis médios de 2% e 3%, obsetvados nos
nómico para 2018, elaborados no âmbito da Programação
anos de 2017 e 2016.
Macroeconómica Executiva, prevêem que a inflação nuclear
83. Este desempenho reflecte o impacto da combinação
de uma política monetária resn·itiva e de uma execução da anual atinja no final de 2018 os ISO/o em tetmos homólogos,
despesa pública muito aquém do nível orçamentado (36% no abaixo do previsto no OGE 2018. Isto reflecte as condições
I Semesn·e), devido às dificuldades de captação de financia- monetárias mais apettadas e os impactos da depreciação da
mento no mercado intemo de títulos. taxa de câmbio abaixo do esperado.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5665

Sector Externo
88. Como se mostra no Gráfico 5, a posição extema da economia regista melhorias, em reflexo do amnento das exporta-
ções petrolíferas.

Gráfico 5- Necessidade (-)I Capacidade· ( +) Líquida de Financiamento Externo


(%do PIB)
35

25

15

·5

-15

·25
2013 2014 2015 2016 2017 2018
-Bens - serviços
- Rendimento Primário - Rendimento Liquido Secundário
- -Capacidade/Necessidade de Financiamento (CF)

Fonte: BNA.

89. Depois dos elevados défices c01rente extemo de 8,90/o, 91. À semelhança do verificado em 2017, as projecções
3% e 0,5% do PIB em 2015, 2016 e 2017, respectivamente, de fecho de 2018 indicam que o saldo da conta financeira
as projecções para 2018 reflectem uma melhoria para um deverá permanecer negativo em cerca de 3,9% do PIB,
nível positivo de 3,7% do PIB, como reflexo da expectativa
um ligeiro agravamento face aos 3,2% do PIB registados
de aumento das expottações, derivada do aumento do preço
em 2017.
do petróleo.
92. Para o presente ano, as reduções nos passivos de inves-
90. Entretanto a balança de pagamentos como um todo con-
tinua a assinalar um saldo negativo de 0,3% do PIB. Todavia, timento directo estrangeiro e de depósitos de não residentes
reflecte uma melhoria face ao défice global de 3,8% regis- mais do que compensarão o impacto da emissão de Eurobonds
tado em 2017. e do maior financiamento extemo.

Gráfico 6- Reservas Internacionais LíqiUidas 2013-2018 (Milhões deUS$)

31 154

dez/13 deZ/14 dez/15 deZ/16 dez/17 IT 2018 IIT 2018 IV 2018

Fonte: BNA.
5666 DIÁRIO DA REPÚBLICA

93. Em tetmos gerais, antecipa-se que as RIL deverão diminuir para tun valor em tomo dos US$ 1Omil milhões, até o
final de 2018, contra os US$ 13,4 mil milhões do final de 2017, estabelecendo-se acima do piso de 6 meses de imp01tação,
referenciado pelo FlVII como nível ctitico.
Sector Fiscal
94. O ano 20 18 traduziu-se nwn ano marcante para a história recente da política fiscal angolana. Queremos referir-nos
às perspectivas de retoma de saldos g lobal e primário superavitários, de 0,6% e 4,80/o do PIB, respectivamente, níveis acima
das expectativas programadas no Orçamento Geral do Estado de 2018 (-3,4% e O,7% do PIB, respectivamente), tal como se
mostra no Gráfico 7.

Gráfico 7- Síntese da SitUJação Fiscal(% do PIB)

4,8

1,1
06
• Saldo Global, em% do PIB • Saldo Primário, em% do PIB '

-3,0
-3,3
-3,8

-5,4
-6,6 -6,3

2013 2014 2015 2016 2017 PME R_2018

Fonte: GEE do Ministério das Finanças.

95 . Esta evolução representa um esforço substancial no 99. O desempenho inferior da receita não petrolífem deveu-
sentido da alteração da postura fiscal que se vinha obsetvando -se ao fi-aco desempenho da actividade económica, com reflexo
até 20 17, quando o défice global atingiu cerca de 6,3% e o nos impostos sobre rendimentos, lucros e ganhos de capital,
primário cerca de 3,0%. bem como nos impostos sobre a propriedade e impostos sobre
96. O facto do superávit primário, estimado em Kz: 1.357,3 bens e serviços, pmticulannente no II Trimestre do ano.
mil milhões para 2018, equivalente a4,8o/o do PIB, estar ligei- 100. Do lado da despesa, a despesa primária (que excluí os
ramente acima dos jw·os totais, estimados em 4,2% do PIB, jm·os da dívida) foi executada 22,5% abaixo do programado
significa que o Tesouro gerará receitas capazes de pagar a para o período, cifi·ando-se em Kz: 1. 385,0 mil milhões. A
totalidade dos juros e diminuirá o stock da dívida em cerca despesa de capital foi executada em níveis abaixo dos 40%
de 0.6% do PIB, o que demonstra o esforço para alterar a 101. As taxas de juro dos títulos públicos reduziram-se ao
trajectória do endividamento, objectivo plasmado no PEM e longo do primeiro semestre do ano, de 24% para 17% para
no PDN 2018-2022. Bill1etes de Tesom·o a 365 dias. Já o voltune de captação de
97. Este desempenho favorável da execução orçamental financiamento intemo desviou-se em 50% do programado.
resulta exclusivamente do melhor desempenho da mTecada- 102. Todavia, a despesa com juros registou uma aceleração
ção de receitas públicas que se tem verificado até ao mês de de cerca de 14,9%, comparativamente ao nível obsetvado no
Setembro, sobretudo, na componente petrolífera. I Semestre de 2017. Esta aceleração deveu-se essencialmente
98. No primeiro semestre do ano a receita petrolífera ao impacto da depreciação cambial sobre a dívida extema e
anecadada foi de Kz: 1.562,1 mil milhões, 15,6% acima intema indexada'.
do programado, enquanto a receita não petrolífera foi de
1
Kz: 821 ,2 mil milhões, 7, 7% abaixo do previsto. A taxa de roll over (refi nanciamo:ollo) foi apenas de 50%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5667

103. A cobe1tura do gap de financiamento causado pela 104. Até Agosto do conente ano, o stock da dívida
governamental estava ava liado em Kz : 19.226 ,77 mil
obse1vação de uma taxa de refinanciamento tão baixa (50%)
milhões, con·espondendo a 66,7% do PIB. Já o stock da
foi feita pelo excedente da receita petrolífera obse1vado no
dívida pública ascendia a Kz: 20.319,96 mil milhões, ou
mesmo período. seja, 70,5% do PIB.

Gráfico 8- Evolução da Dívida Pública (%do PIB)

*Dívida Pública Bruta Acumulada até o mês de Agosto


Fonte: UGD.

105. O Gráfico 8 mostra a evolução da dívida pública entre fiscal projectada no âmbito do Plano de Desenvolvimento
2013 e 2018. A dívida pública no final de 2018 atingirá sen- Nacional 2018-2022.
sivelmente o dobro do valor de 2013 . Naturalmente que esta 107. As avaliações técnicas dos ftmdamentos da trajec-
duplicação da dívida em 5 anos demanda cuidados. tória da dívida pública indicam que os principais factores
106. O Executivo vem realizando avaliações técnicas da explicativos do atunento foram os seguintes: criação suces-
solidez das dívidas govemamental e pública- vide Tabela 3. As siva de défices primários, em consequência da queda do preço
análises já efectuadas pennitem sustentar que a dívida pública do petróleo; depreciação da taxa de câmbio; deterioração do
é solvente a médio e longo prazo, tendo em conta a trajectória crescimento económico.

Tabela 3 -Matriz dos Fund.amentos da Dívida Pública


Dinâmica da Di~ida 2013 2014 2015 2016 201 7 2018*
11 Rácio da Divida Púb lica 35,0 44,5 64,4 72,5 63,3 70,5

21 Rácio da Divida Govemamental 24,2 32,2 49,9 63,2 59,3 66,7

31 Saldo Pti mãrio Estabilizador da Div1da Govemamental I (-) Superavit -0,3 -0,8 -3.6 -0.5 4,0 -6,2

3.1/ Saldo Pti mãrio Estabilizador da Divida Govemamental (600/Ó do PIB) 0,1 -0,4 -3,3 -0,4 4,0 -6,2
41 Variação doRácio da Divida Púb lica (51+ 61) 8,4 9,5 19,9 8,0 -9,2 100,7

51 Fluxos Criadores de Divida (5.1+5.2+5.3) 9,1 18.4 25,8 15.1 2.9 12,0

5. 1 d/q: Défice Primário(+) I Superavit Pt·imário (-) -1 ,1 5,4 1,3 1,7 2,9 -3,9

5.2 Dinâm ica Automâtica da Divida -0,6 0,8 10.0 4.1 -4,0 12,0
Efeito Bola de Neve (Snou•ba/1 Ejfêc()
-0,9 -LI 4,5 -6.1 -4,4 -1,6
(diferencial taxa de j uro/crescimento)
Efeito Taxa de Juro 0,3 0,2 4,9 -7,5 -6,0 -2,2

Ffeito Crescimento do PIB real -1 ,2 -1,3 -0,4 1,4 1,6 0,7

Efeito da Taxa de Câmbio 0,3 1,9 5,5 10,2 0.4 13.6


5.3 Outros Fluxos 10,8 12,3 14,6 9,3 4,0 3,8
6! Resi dual, incluindo variação dos activos -0,7 -9,0 -5,9 -7,0 -12,1 88,7
Aju:,t amento Esbuttu·al
Saldo Pt·imário Não Petrolífero, em percentagem do PIB não petrolifa ·o -44,6 -2 1,8 -12,6 -1 5,7 -12,7 -10,9
Variação do Saldo Plim ário Não Petrolifa ·o, an pp PIB não petrolífero 3,7 22,8 9,2 -3,l 3,0 1,8

*Dinâmica preli minar da Divida Púb lica acumulada até o mês de Agosto.
Fonlt : GEE.
5668 DIÁRIO DA REPÚBLICA

108. Não obstante a taxa de juro efectiva do stock da dívidla manter-se relativamente estável nos últimos anos, o período
recessivo em que se encontra o País desde 2016 vem reduzindo a capacidade am01tecedora do efeito bola de neve (snowball).

Tabela 4- Quadro Fiscal2015-2018

E m Pcn·cntagc m do PlB
Quadm Fiscal
201 6 2017 OGE PMF.
Rct: (expressas em mH milhões de Kwanzas,
.lxc•·· .lhe c. 2018 Rcvisl:t
excepto onde intfic:utf(, em c:ottfrtírio) 2016 20 17 OGF: PMR
Ex c c. Excc. 2018 Revista

I.O Receitas 2 900,0 3 543,0 4 404,2 5 625,0 17,5 17,5 18.4 19,9
1.1 Re ceitas Cu,.rcntcs 2899,1 3 542,3 4 404,2 5 625,0 17,5 17,5 18,4 19,9
1.1.1 Impostos 2 599,3 3 202,7 4139,3 s 257,2 15,7 15,8 17,3 18,6
1.1.1.1 Pe!rotill::ros 1 372,6 2 009,2 2399,1 3 885,7 R,3 9,9 10,1 13,8
1.1. 1. 1.1 Dos quais: Direitos da concessionária 905,6 1142,8 1 538.2 2608,9 5,5 5,6 6.4 9,2
1.1. 1.2 Não petmlíteros 1 226,7 1 193,5 1 740,2 1 371,5 7,4 5,9 7Tl 4,9
1.1.2 Contribuições sociais 158,7 165,8 172,9 174,2 1,0 O,ll 0,7 0,6
1.1.3 Doações 1,8 4,6 0,0 0,11 0,0 0,0 0,0 0,0
1.1.4 Outt·as receitas 139,2 169,2 91,1 192,11 0,11 0,11 0,4 0,7
2.0 Despesa Total 3 534,3 4 822,1 5 209,0 5 450,0 21,4 23,8 21.8 19,3
2.1 Dt•s pc sõt Corrente 2 8119,2 3 499,2 4 230,2 4 370,3 17,5 17,3 17,7 15,5
2.1.1 Remunen~çíiu dos F:mp•-egados 1 396,9 I 507,1 I 689,7 I 691 ,7 8,4 7,4 7,1 6,0
2.1.2 Bens c Scn'içus 624,1 840,7 972,0 972,0 3,8 4,1 4,1 3,4
2.1.3 .Jm·os 356,5 677,3 968,4 I 182,3 2,2 3,3 4,1 4,2
2.1.3.1 Externo 155,2 294,7 517,1 553,0 0,9 1,5 2,2 2,0
2.1.3.2 l utemo 201,3 382,6 451,3 629,3 1,2 1,9 1,9 2,2
2.1.4 Transferências Con-entes 511 ,7 474,2 600,1 524,3 3,1 2,3 2,.-'; 1,9
2.1.4. 1 Subsídios 160,9 93,7 225,0 1,0 0,5 0,9 0,0
2.1 Aquisição de Activos !'ião Financeiros 634,3 1312,5 978,8 1079,7 3,8 6,5 4,1 3,8
13.0 !Saldo Global (Cumpmmissu) -634,3 1-1 279,1 11 -804,7 1 175,1 -3,8 -6,3 -3,4 0,6
22,3 I 103,9 11 o,o I o,o 0,1 0,5 0,0 0,0
Is o Isaldo Global (Caixa) -612 .o l-1175.zll -804,7 I 17''\0
-, -3 ,7
-· -3,4 06 .
6.0 Financiamento liq1údo 612,0 1175,2 804,7 -175,0 3,7 5,11 3,4 -0,6
6.1 F inanciamento intemu (líquido) .J 386,6 627,2 239,9 -525,4 -8,4 3,1 1,0 -1,9
6.1.1 Acl.ivos -2 560,8 -85,2 177,5 -246,1 -15,5 -0,4 0,7 -0,9
6.1.2 Passivos 1 174,2 712,5 61,4 -279,3 7,1 3,5 0,3 -1,0
6.1.2.1 Crédito I Jquido Ohlido 1174,2 806,2 62,4 -279,3 7, 1 4,0 0,~ -1,0
6.1.2.1.1 Desembolsos 2135,5 2 084,8 282 1,4 2 R.l7,7 12,9 10,1 l l ,R 10,1
6.1.2.1.2 Amurtizaçiies -961,3 . f 278,5 -2 759,0 -3 117,1 -5,8 -6,3 -11.6 -1 1,0
6.2 Financiamento extemo (liquido) 1 9911,6 547,9 564,9 350,3 12,1 2,7 2,4 1,2
6.2.1 Activos 0,0 0,0 0,0 -371,5 0,0 0,0 0,0 -1,3
6.2.2 Passivos 19911,6 547,9 564,!1 721,9 12,1 2,7 2,4 2,6
6.2.2. 1 Crédito Liquido Obtido 1 998,6 547,9 564,9 721,9 12,1 2,7 2,4 2,6
6.2.2. 1.1 Dc.:sc.:mbolsos 2 390,2 1 126,7 1959,() 2 178,3 14,4 5,6 1!.2 7,7
6.2.2. 1.2 Amortizações -391,6 -578,8 -1 394,2 -1456,4 -2,4 -2,9 -5,8 -5,2
.:\;lemo:
Inflação ac. (%) 42,0 23,7 28,7 u~.o
Exportações de petróleo bruto (milhões de barris) 630,1 597,6 620,0 556,3
Preço do petrúko hrulu (U S$ibarriQ 40,9 4S,4 50,0 71,9
Pl"oduto lote mo Bruto (mil milhões de Kz) 16 549,6 20 262,3 23 871,6 28 212,3
PIB peLmlílem 3 456,5 4 240,0 5 016,5 8 748,2
.I'IB ru'ío pclrolífc.:ro 13 093,1 16 022,3 18 8551 19464,1
Ta xa tlc C rcsc. Produto Real(% chg) ·2,6 -0,1 4,9 -1,1
l'c!roUfcm ·2,7 -5,3 3,1 -1!,2
Não Petmlífero -2,5 1,? 4,4 1,0

Fonte:GEE.
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5669

Sector Monetário 112. As projecções de fech o da síntese do Banco Central


109. Ao longo de 2018, a política monetária manteve o dão conta de uma posição em tennos de reservas intemacio-
nais líquidas em tomo deUS$ 10,0 m il milhões até Dezembro
seu curso restl"itivo em apoio à maior flexibilidade da taxa
de 2018.
de câmbio, no âmbito do novo regime cambial de flutuação 113. A Tabela 5 - mostra a evolução da Base M onetária
controlada e tendo em vista a manutenção da traj ectória de no I Semestre de 2018.
queda da taxa de inflação. 114. A Base Monetária em m oeda nacional, que desde
110. Para a ancoragem do novo regime, o BNA conti- Novembro de 201 7 passou a ser a variável operacional da
política monetária, registou entre Janeiro e Junho do corTente
nuou a assegurar uma posição de força em ten nos de reservas
ano uma queda acumulada de 14,4% e de 4,6% em tennos
intemacionais.
hom ólogos no I Sem estre, prevendo-se que até Dezembro
111. Entre Dezembro de 2017 e Junho de 2018, as Reservas de 2018 acumule uma dim inuição hom óloga de 0,7%. O
Intem acionais Líquidas (RIL) acumularam uma e:ll.'p ansão agregado monetário M2 em moeda nacional, importante deter-
de 3,4%. As RIL passaram de US$ 13,4 mil milhões para minante da taxa de inflação, teve uma contracção acumulada,
US$ 13,9 mil milhões. de cerca 1, 7%.

Tabela 5 - Evolução da Base Monetária- I Semestre 2018 (%)


Impacto da Coordmaçilo das Políticas sobrr a Oferta de Moeda do
Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho
BNA (% )

Op erações do Tesouro 5,0 18,9 21,4 1,4 16,3 14,6

Política Fiscal -6,2 8,2 5,6 -1 ,5 11,3 1,8

Operações de Dívida e Regu larizações 11,2 10,7 15,7 2.9 5.0 12,7

Política Monetâtia (Impacto Insbunental - Novo Quacb·o Operacional) -4,2 -6,7 -6,5 2,9 l1,6 -2.0

Op erações de M ercadoAbe1to -7,4 -3,0 -6,7 0,4 12,3 -1 ,5

Facilidades Pe1mat1entes de Liquidez 3,2 -3,7 0,2 2,5 -6,1 0,3

Redesconto 0,0 0,0 0.0 0,0 5,3 -0.8

Politica Catn bial -10,0 -9,4 -10,5 -7, 8 -3 1,3 - IS, I

Efeito Combinado das Politicas Fiscal, Monetária e Cambial -9,2 2,7 4,4 -3,5 -3,4 -5,5

Ou b·os Factores 0,1 -0,2 0,1 0,2 -0,5 0,1

LI M ensal da Base M onetária, e1n percentage1n -9, 1 2,6 4,6 -3,3 -4,0 -5,4

LI Actunulada da Base Monetária, em pe1-ce1ttagem -9,1 -6,8 -2,6 -5,8 -9,6 -14,4

Fon te : BNA

115. Esta dinâmica evidenciada pelos agregados mone- em queda, atingindo os 21,8% em termos homólogos, contJ.·a
tários perm itiu a contenção de m aiores pressões sobre a taxa os 27,5% obsetvados em Setembro de 2017, reflectindo um
de câmbio, viabilizando tm1a implementação estável do novo efeito passthrough abaixo do esperado.
reginle cambial e das medidas para a desaceleração da inflação. 118. No que concem e aos preços, a política m onetária
11 6. A gestão da liquidez da economia contou iguahnente pautou-se pela r edução da taxa de juro directora da econo-
com a habitual coordenação fina das políticas fisca l e monetá-
m ia e a diminuição do coeficiente de reservas obrigatórias.
ria, veiculadas nos insllumentais da Programação Financeira
11 9. No I Sem estre de 2018, o BNA procedeu a uma
do Tesouro e da Programação M onetária do BNA, por f01ma
un ificação da taxa de juro da facilidade permanente de cedên-
a garantir o controlo da evolução dos detenninantes da base
cia de liquidez e da taxa de juro básica da economia (Taxa
m onetária.
117. Note-se que não obstante o novo regime cambial, que BNA), passando o con·edor da política m onetária a contar
confere m aior solidez aos fundamentos da taxa de câmbio, como piso a taxa de jmo da facilidade permanente de liqui-
em Setembro do con·ente ano a taxa de inflação continuou dez e como tecto a taxa de j w·o BNA.
5670 DIÁRIO DA REPÚBLICA

Gráfico 9 -Corredor da Política Monetária(%)


24

22

20
- TAXABNA
18 - - F.AL 7 DIAS
- - F.C OVERNIGHT
16
- - F.A. OVERNIGHT
14 LUIBOR (OVernight)

12 Unificação da Taxa BNA


e da Taxa F.C Ovemight
10

8
Introdução 7,3
6 da F.A.l 7 Dias

4
~--;,~~::+ 3,3
2,8
2 2,3
~~---,

o
~ ~
~ ~

~ ·~

Fonte: GEE/ BNA.

120. Em função do ritmo de diminuição da inflação e das 125. No âmbito do novo regime, a taxa de câmbio não
condições de liquidez mais apettadas, entre Maio e Julho e mais é definida a<hninistrativamente, independentemente
por f01ma a acomodar a gestão da liquidez estmtural da eco- dos fundamentos da procura e da ofe1ta de recursos cambais.
nomia, o BNA reduziu o coeficiente de reservas obtigatórias
126. Com o novo regime, a taxa de câmbio passa a ser
em moeda nacional para 19%, em contraposição aos 21%
fixados em Novembro de 2017. fotmada através de transacções de leilões de preço para a
121. O coeficiente das Reservas Obrigatórias para os depó- compra e venda de moeda estrangeira no mercado primário,
sitos do sector privado, do Govemo Central e dos Govemos organizados pelo BNA e envolvendo a participação dos bancos
Locais. em moeda nacional, foi em Julho fixado em 17%. comerciais. Os lances de preços respeitam os limites mú1imo
122. Por outro lado, atendendo que a unificação das taxas
e máximo da banda estabelecida em cada leilão.
de jw·o da faci lidade pennanente de cedência de liquidez e a
127. Esta alteração resulta do seguimento do Programa
taxa de juro básica da economia que estabeleceu o conedor
da política monetária, tomando a taxa BNA no custo efectivo de Estabilidade Macroeconómica do Executivo, desenhado
da cedência de liquidez ao sistema bancário, a liquidez fina com o objectivo de restaurar a qualidade do ambiente
também observou uma gestão acomodatícia, com a redução macroeconómico e dinamizar o crescimento da econo-
pelo BNA da taxa de jtu·o básica da economia (Taxa BNA) mia nacional.
dos 180/o, fixados em Novembro de 2017, para 16,5% no
128. Para além de prosseguir uma cotTecção mais orde-
mês de Julho.
123. A redução do coeficiente de reservas obrigatórias nada dos desequilíbrios no mercado cambial, a alteração do
de 21% para 19% em Junho, bem como a redução das taxas regime cambial levado a cabo pelo BNA tem visado igual-
de Jw·o, reflectem a necessidade de conferir alguma folga de mente a regularização dos atrasados cambiais pendentes no
geração de liquidez para que a economia fw1cione, mesmo sistema bancário.
em período de estabilização macroeconómica. 129. O novo regime promove uma alocação mais efi-
Sector Cambial
ciente dos recursos cambiais, através da sua ofetta em leilões
124. Em Janeiro de 2018 o ENA procedeu à alteração do
regime cambial, de administrado para um regime cambial de de venda de divisas mais regulares, em detrimento da venda
flutuação controlada por tuna banda, delimitada por um piso directa das mesmas, sem perder de vista o atendimento prio-
e tm1 tecto. ritário das necessidades produtivas da economia nacional.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5671

Tabela 6- Evolução da Taxa de Câmbio Figura 1 - Representaç~o Estilizada do PDN 201 8-2022
6 Eixos Estratégicos

Depreciação Anual A ctunulada


I
25 Políticas Estratégicas
{ S.'iCiarioiN ~~ Tfi!ANW't~r.\õoi~;J
•Em 2017, a taxa de câmbio foi te-vinculada. O~õesde

••oepr~cia ção aré Agosto- Fonte: BNA.


I
Programas de Acção
Polí&Ka do [Kec.ulivo
83
Gráfico 10 - Taxa de Câmbio Oficial. Kz/USD I
570 I
Projectos Actlvl~des
530
.00
I Aloçaçio de Re<:urws
"'SO
1 10
I I (OGE)
3/0
PIP DAD

,..
330
Fonre: GEE.
,:,o 136. Para dar cumprimento aos desígnios do desenvolvi-
210
IJO mento nacional até 2022, o Executivo concentrará esforços
llO
em 6 eixos ou áreas estrategicamente prioritárias, que pas-
,.•• ~
samos a mencionai:
~
;,: ~ 137. Eixo 1: Desenvolvimento Humano e Bem-Estar. Visa
Fonle: BNA a criação de condições essenciais para o progresso económico
130. Ao abrigo do novo regime, a taxa de câmbio do kwanza e social do País. As prioridades do Executivo neste domínio
estratégico são as seguintes:
face ao dólar depreciou-se em 39,9% entre Dezembro de 2017
i. Melhoria do bem-estar dos cidadãos e da quali-
e Agosto de 2018. O diferencial entre as taxas de câmbio infor-
dade de vida das famílias angolanas;
mal e a de referência do Kwanza diminuiu acentuadamente, ii. Redução das desigualdades e da pobreza;
de 150,0o/o, em Janeiro de 2018 para 33,90/o em Agosto do iii. Promoção do nível de desenvolvimento htunano.
con·ente ano, caminhando em direcção à meta de 20%. 138. Eixo 2: Desenvolvimento Económico Sustentável,
131. No período de Janeiro a Agosto de 2018, o BNA Diversificado e Inclusivo. Neste domínio as prioridades do
Executivo são as seguintes :
colocou divisas no mercado no valor deUS$ 9,5 mil milhões,
i. Restaurar a estabilidade macroeconómica e refor-
reflectindo uma variação homóloga de 44% face a Agosto
çar a sustentabilidade das finanças públicas:
de2017. ii. Melhorar o ambiente de negócios e promover a
132. No que respeita aos atrasados cambiais, foi realizada produtividade e a competitividade das empresas;
uma avaliação meticulosa dos atrasados que não foram aten- iii. Acelerar a diversificação da economia, tor-
didos e que se encontravam pendentes no sistema bancário nando-a menos dependente das impmtações e
melhorar a estrutura das expoltações, tomando-
desde finais de 2014. Foram injectados cerca deUS$ 2,5 mil
-as menos dependente do petróleo;
milhões no sistema bancário para a regularização dos mesmos.
iv. Promover a criação líquida de emprego e melho-
IV. OBJECTIVOS NACIONAIS DE MÉDIO PRAZO raras condições de traball1o;
E PROGRAMAS ESTRATÉGICOS v. Assegurar a sustentabilidade ambiental.
133. Este capítulo apresenta a orientação da política de 139. De assinalar que tendo em vista tuna inclusão mais
desenvolvimento do Executivo estabelecida no Plano de acelerada do investimento privado no processo de cresci-
mento económico diversificado e sustentável, o Executivo
Desenvolvimento Nacional 2018-2022.
pretende reposicionar o seu papel no sistema produtivo da
134. No âmbito da execução da sua Estratégia de Longo
economia nacional, através do reforço e actuação sobretudo
Prazo -Angola 2025 - , o Executivo aprovou em Abril de como regulador, coordenador e facilitador das actividades
2018 o Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022 (PDN económicas e sociais.
2018-2022). 140. Eixo 3: Infra-Estmturas Necessárias ao Desenvol-
135. O PDN 2018-2022 estabelece como objectivos res- vimento. O Executivo preconiza dar continuidade aos esforços
de infl'a-estmturação do País, tendo em vista a criaçã.o de
tam·ar a estabilidade macroeconómica e projectar para Angola
facilidades para a aceleração do crescimento económico e a
um futuro com confiança e previsibilidade, em tem1os de
melhoria das condições de vida das populações.
crescimento económico inclusivo, diversificação económica 141. Neste domínio, as ptioridades do Executivo incluem:
sustentável e melhoria do bem-estar dos angolanos, através i. MeU10ria das infra-estruturas de transpmte e do
da redução da pobreza e da desigualdade. sistema logístico nacional;
5672 DIÁRIO DA REPÚBLICA

ii. Melhoria da capacidade de transpotte e distri- Executivo a alcançar no ano de 2019, em linha com o definido
buição de enetgia eléctrica; no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022.
iii. Melhoria das infra-estruturas de água e 148. A política económica do Executivo para o ano 2019
saneamento: visa:
iv. Melhotia das infra-estmturas de comunicações. a) Restaurar a estabilidade macroeconómica e apro-
142. Eixo 4 : Consolidação da Paz, Reforço do Estado ftmdar a consolidação fiscal;
Democrático e de Direito, Boa Govemação, Refonna do Estado b) Reanimar o sector produtivo, com especial realce
e Descentralização. Esta é tuna área de actuação transversal para a agricultma;
do Executivo, que traduz o reconhecimento de que o sector c) Implementar o conteúdo sectotial do PDN 2018-2019.
público precisa de ser modemizado, a capacidade e a quali- 149. Apresentamos a seguir o desenvolvimento de cada
dade da Administração Pública para prover bens e setviços à tm1a dessas acções de política.
sociedade precisa de ser alavancada, o quadro geral de gover- Estabilidade Macroeconómica e Al>rofundamento da
nança pública demanda reforços, e que a democracia deve Consolidação Fiscal
ser consolidada em favor da paz, tmidade e coesão nacional. 150. O Executivo continuará a dar respostas aos dese-
143. É na base destas aspirações estratégicas que o Executivo quilíbrios macroeconómicos prevalecentes, buscando uma
definiu neste domínio as seguintes prioridades: restamação rápida da estabilidade macroeconómica , assim
i. Reforçar as bases da democracia e da socie- como a igualmente rápida retirada da economia nacional da
dade civil; recessão económica em que se encontra desde 2016. No ano
ii. Melhorar a govemação pública, refotmar o de 2019 o Executivo dará seguimento à implementação do
Estado e modemizar a Administração Pública; Programa de Estabilização Macroeconómica (PEM), principal
iii. Amnentar a capacidade e qualidade de provi- âncora programática de sup01te à recomposição da estabili-
mento de bens e setviços públicos, através da dade do ambiente macroeconómico do País.
descentralização da Administração Central e 151. Adicionahnente, a pmtir do ano 2019, a implemen-
do reforço do poder local. tação do PEM contará com o apoio financeiro e técnico do
144. Eixo 5: Desenvolvimento Hatmonioso do TetTitório. Fundo Monetário Intemacional, através de tlll1 Programa de
Tendo em vista um tetTitório nacional integrado e facilitador Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility - EFF), que
da circulação de pessoas, bens e setviços, o Executivo esta- se encontra em negociação com este organismo intemacional.
beleceu as seguintes duas prioridades neste domínio: 152. O OGE 2019 está feito com base em medidas que,
i. Assegurar o desenvolvimento hatmonioso do embora ainda não fonnalmente aprovadas pelo Conselho de
tetTitório; Administração do Fl\III, foram já aceites por ambas as pattes
ii. Melhorar o ordenamento do tenitório e desenvol- durante as negociações em curso.
ver uma urbanização de qualidade e sustentável. 153. O PEM tem por objectivo reduzir as vulnerabilida-
145. Eixo 6: Garantia da Estabilidade e Integridade des fiscais e f01talecer a sustentabilidade da dívida, reduzir a
TetTitorial de Angola e Reforço do seu Papel no Contexto inflação, implementar tm regime cambial flexível, assegurar
Intemacional e Regional. Neste domínio o Executivo tem os a estabilidade do sector financeiro e f01talecer o quadro de
seguintes desígnios: combate ao branqueamento de capitais e financiamento do
i. Segm·ança da Nação e das pessoas; tetTorismo (CBC/FT).
ii. Manutenção da estabilidade e da integridade 154. A seguir, apresentam-se as principais orientações e
tetTitorial do País; medidas de política para o processo de restamação da estabi-
iii. Reforço do papel e do posicionamento estra- lidade macroeconómica e de aprofundamento da consolidação
tégico de Angola etn divet·sos assuntos da fiscal.
envolvente intemacional e regional; 155. Orientações e Medidas de Política Fiscal. Em 2019,
i v. Aprofundamento de parcetias estratégicas com a política fiscal deverá prosseguir o esforço de consolidação,
actores imp01tantes da esfera intetnacional. reduzindo o défice primário não petrolífero como percenta-
146. Nesse sentido, o Executivo vai ptiorizar a continuidade gem do PIB não petrolífero, tendo em vista o f01talecimento
dos seus esforços nas áreas da defesa do País, da segmança da sustentabilidade da dívida e a redução das vulnerabilida-
do Estado e das pessoas e do posicionamento de Angola nos des e riscos fiscais.
contextos intemacional e regional. 156. As opções de política fiscal conducentes à concreti-
V.ACÇÕESDEPOÚTICAECONÓMICAPARA2019 zação das aspirações acima emmciadas deverão assentar nas
147. Neste capítulo, apresentam-se as orientações da polí- seguintes orientações de política fiscal e de gestão da dívida.
tica macroeconómica do Executivo para o ano 2019, bem i. Maior mobilização de receita não petrolífera.
como as políticas económicas e respectivos programas que, Com destaque para a introdução de novos
estando orçamentadas, viabilizarão a concretização dos objec- impostos, com entrada em vigor prevista para
tivos macroeconómicos e de política de desenvolvimento do o segundo semestre do ano. Entretanto, a Lei
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5673

do OGE trará medidas de contingência para 160. Pretende-se deste modo prosseguir os esforços de eli-
salvaguardar eventuais atrasos na implemen- minação dos desequilíbrios que persi~tem no mercado cambial,
tação dos mesmos; criando condições mais eficientes e equilibradas de alocação
ii. Maior racionalização da despesa con·ente. Aqui de recm·sos cambiais, na base de tuna maior previsibilidade
se incluí a contenção do crescimento da massa da realização de leilões de divisas, protegendo assim as RIL.
salarial, tomando sempre em consideração os 161. No âmbito do PEM, o Executivo continuará a adoptar
sectores de excepção ou priotitários, como edu- medidas de política orientadas para a redução do diferencial
cação e saúde, e a eliminação, onde necessário, da taxa de câmbio entre os mercados f01mal e infotmal, bem
de despesas supérfluas. Adicionahnente, serão como definirá uma estratégia para a regularização dos atra-
tomadas medidas para: a) a contenção do cres- sados cambiais pendentes no sistema financeiro.
cimento da despesa com bens e serviços; b) O 162. No âmbito do PEM, o Executivo orientará igualmente
a política cambial no sentido do reforço da recomposição das
redimensionamento das despesas com transfe-
resetvas intemacionais.
rências, com destaque para as despesas com
Reanimação do Sector Económico com Realce para a
as subvenções, a preço e operacionais, visando
Agricultura
reduzir o esforço financeiro do Tesom·o;
163. A par da rápida restmu·ação da estabilidade macroe-
iii. Fottalecimento da gestão da dívida. Buscar-se-à
conómica, a retirada da economia da recessão económica em
um quadro fiscal para 2019 que demande tm1
que se encontra desde 2016, através da sua diversificação e
menor nível de necessidades bmtas de finan-
reesbuturação, constitui uma prioridade para o Executivo.
ciamento. Será desenvolvida uma estratégia de 164. O PDN 2018-2022 preconiza as principais directrizes
gestão da dívida de médio prazo que, veiculado de política económica para a reanimação do sector produtivo
na base do Plano Anual de Endividamento, da economia nacional.
delineie opções de medidas de gestão que aco- 165. O PRODESI é a âncora para a gestão a médio prazo
modem a melhoria do perfil do serviço da dívida dos esforços do Executivo orientados para o aumento e melhor
govemamental, promovam a criação de títu- gestão da capacidade de ofetta de bens e setviços autonoma-
los de referência, redimensionem a frequência mente produzidos pela economia nacional.
de leilões no mercado primário e promovam 166. As projecções económicas para o ano 2019 são mais
maior competitividade dos leilões no finan- animadoras. Perspectiva-se tuna taxa de crescimento do PIB
ciamento intemo; positiva, estimada em 2,8%. Assim, no âmbito da política eco-
h\ Ref01mas estmturais. Serão operadas refonnas na nómica para o ano de 2019, o Executivo definiu tuna estratégia
redução da característica pró-cíclica da despesa para acelerar a recuperação do crescimento. Esta estratégia
pública, com recurso nomeadamente a concepção assenta nos seguintes pilares:
de um ftmdo de estabilização fiscal para reduzir a 167. Redinamização do investimento público. Dar-se-á
caractetistica pró-cíclica da despesa. Para a melho- continuidade a implementação das medidas para melhorar o
impacto do Investimento público no crescimento do PIB. A
ria da transparência fiscal, o Executivo adoptará
reanimação do investimento público deverá estar ao serviço
um Quadro Fiscal de Médio Prazo (QFMP), que
de mn crescimento económico mais sólido.
tomará em consideração as metas fiscais de médio
168. Dar-se-á tuna fotte atenção ao investimento público
prazo e contemplará as implicações das decisões
estmturante e reprodutivo, criador de facilidades in:li"a-esttu-
actuais de investimento na despesa con·ente a turais para o ftu1cionamento mais eficiente das actividades
médio prazo. O Executivo submeterá à aprova- produtivas e de tuna maior ligação dos mercados económicos,
ção da Assembleia Nacional legislação relativa à com grande incidência nos domínios de transpottes, logística
gestão das finanças públicas. de distribuição, energia eléctrica e água.
157. Orientações e Medidas de Política Monetária. Neste 169. Será dado tm1 apoio vigoroso ao financiamento das
contexto, o PEM vai otientar os aspectos operacionais para refe- empresas e do investimento privado, ab·avés nomeadamente
rência da meta para âncora da política monetária, alinhando às das seguintes medidas:
orientações das restantes políticas de gestão macroeconómica. 170. Redução das pressões de liquidez das empresas pela
158. Tendo em vista a concretização do objectivo de infla- regularização dos atrasados. O Executivo reconhece que o
ção definido para o ano vindouro e a necessária acomodação volume de atrasados intemos, acumulados durante os últimos
das intervenções da política fiscal nos mercados, a fim de anos, constitui mn grande fardo para a economia produtiva
viabilizar anotmal execução do OGE 2019, será necessário e representa tma fi·aqueza do sistema de gestão das finanças
obsetvar uma sintonia fina entre as políticas fiscal e monetá- públicas, afectando negativamente a economia. Neste con-
ria, no que respeita a gestão de liquidez. texto, visando aliviar as pressões de liquidez que as empresas
159. Otientações e Medidas de Política Cambial. Em 2019, vêm experimentado, o Executivo vem adoptando nos últimos
a política cambial petmanecerá orientada para o aproftmda- tempos um esforço de regularização decisiva dos atrasados
mento e consolidação da liberalização do regime cambial. intemos. Este esforço será intensificado.
5674 DIÁRIO DA REPÚBLICA

171. Facilitação do acesso ao financiamento do investi- 173. Políticas e Programas Orçamentais para o Sector Social.
mento privado. O Executivo adoptará medidas de facilitação a) Política da População:
do acesso ao investimento do sector privado, nomeadamente i. Programa de Desenvolvimento Local e Combate
as seguintes: à Pobreza;
a) Reforço dos veículos públicos de financiamento da ii. Programa de Protecção e Promoção dos Direitos
economia. O Executivo vai reforçar a sua actua- da Ctiança;
ção no apoio ao investimento privado, através iii. Programa de Promoção do Género e
dos diversos veiculos públicos de financiamento F.mpoderamento da Mulher;
da economia, nomeadamente: o Ftmdo Nacional iv. Programa de Valorização da Família e Reforço
de Desenvolvimento (FND), o Ftmdo de Apoio das Competências Familiares.
ao Desenvolvimento Agrário (FADA), o Fundo
v. Programa de Desenvolvimento Integral da
Activo de Capital de Risco Angolano (FACRA)
Juventude.
e o Fundo de Garantia de Crédito (FGC). Para a
b) Política da Educação e Ensino:
boa operacionalização destes instmmentos públi-
i. Programa de Fonnação e Gestão do Pessoal
cos, as projecções fiscais contemplam tun pacote
Docente:
financeiro de reforço da sua capacidade financeira;
ii. Programa de Desenvolvimento da Educação
b) Emissão de garantias públicas. O Executivo vai
Pré-Escolar;
priorizar a emissão de garantias públicas, visando
apoiar os investimentos privados produtivos que iii. Programa de Melhoria da Qualidade e
reconerem à financiamento extemo. Natural- Desenvolvimento do Ensino Primário;
mente, a emissão de garantias públicas presetvará iv. Programa de Desenvolvimento do Ensino
o controlo dos riscos e da vulnerabilidade da Sectmdário Geral;
dívida govemamental, evitando a balcanização v. Programa de Melhoria e Desenvolvimento do
ele projectos privados ele investimento. Ao invés, F.J.1sino Técnico-Profissional;
será estimulada a sua viabilidade económica , vi. Programa de Intensificação da Alfabetização
financeira e social; e da Educação de Jovens e Adultos;
c) Melhomria da eficiência produtiva do sector empre- vii. Programa de Melh01ia da Qualidade do Ensino
sarial público. O Executivo vai redinamizar a Superior e Desenvolvimento da Investigação
actividade económica, concretizando os efeitos Científica e Tecnológica;
da proposta de Lei de Base das Privatizações, já viii. Programa de Acção Social, Saúde eDespotto
submetida à Assembleia Nacional, assim como E'lcolar.
a já aprovada Lei ela ConcotTência. O Executivo c) Política do Desenvolvimento de Recursos Humanos:
implementará medidas conducentes à melhoria i. Plano Nacional de Fonnação de Quackos;
da eficiência produtiva das empresas do sector ii. Programa de Reforço do Sistema Nacional de
empresarial público. Serão reestruturadas as Fonnação Profissional;
empresas públicas economicamente viáveis e, iii. Programa de Estabelecimento do Sistema
simultaneamente, ptivatizadas aquelas que poderão
Nacional de Qualificações.
ser melhor conduzidas pelo sector privado. Este
d) Política da Saúde:
esforço vai acelerar tm1a maior patticipação e
i. Programa de Melhoria da Assistência Médica
inclusão do sector privado no processo de cres-
e Medicamentosa;
cimento da economia;
ii. Programa de Melhoria da Saúde Matemo-Infantil
d) Implementação de ref01mas estrutmais. Na sequên-
e Nutrição;
cia da aprovação da Lei da ConcotTência e da Lei
do Investimento Privado, o Executivo continuará iii. Programa de Combate às Grandes Endemias
engajado na realização de ref01mas estmtm·ais, pela Abordagem dos Detenninantes da Saúde;
tanto no domínio institucional como no domínio iv. Programa de Reforço do Sistema de Infotmação
económico, visando a promoção da concotTência Sanitária e Desenvolvimento da Investigação
económica e uma maior liberalização dos mercados. em Saúde.
Implementação do Conteúdo Sectorial do PDN 2018-2019 e) Política de Assistência e Protecção Social:
172. Dmante o ano de 2019, a implementação do PDN i. Programa de Apoio à Vítima de Violência;
2018-2022 consubstanciar-se-{! na materialização de várias ii. Programa de Melhoria do Bem-estar dos Antigos
políticas e dos seus respectivos programas de acção. Pretende-se Combatentes e Veteranos da Pátria;
iguahnente, em 2019, cumprir com tigor a implementação do iii. Programa de Modemização do Sistema de
orçamento na óptica programática. Protecção Social Obrigatória.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5675

jj Política de Habitação: x. Programa de Fomento da Produção da Indústria


i. O Executivo vai continuar a promover o lotea- Transfonnadora;
mento e infra-estmturação de rese1vas fundiárias, xi. Programa de Desenvolvimento de Indústrias
bem como a mobilização dos diversos actores da Defesa;
para a sua pmticipação no programa da habita- xii. Programa de Desenvolvimento Hoteleiro e
ção social, através da auto-constmção dirigida; Tmístico.
ii. Ainda no âmbito desta política, o Executivo d ) Política de SustentabilidadeAmbiental:
perspectiva dotar de infra-estruturas todas as i. Programa de Alterações Climáticas;
centralidades/urbanizações com casas já concluí-
ii. Programa de Biodiversidade e Áreas de
das e não habitadas, assim como desenvolver,
Conse1vação;
através de Pm·cerias Público Privadas (PPP),
iii. Programa de Ordenamento do Espaço Marinho
novas centralidades/urbanizações de modo a
e Saúde do Ecossistema;
aumentar a ofe1ta de habitações.
iv. Programa de Prevenção de Riscos e Protecção
g) Política de Cultura:
Ambiental.
i. Programa de Valorização e Dinamização do
e) Política de Emprego e Condições de Traba ll1o:
Património Histórico e Cultural;
i. Programa de Reconversão da Economia Infotrnal;
ii. Programa de Fomento daA1te e das Indústrias
Culturais e Criativas. ii. Programa de Promoção da Empregabilidade;
h) Política de Despo1to:
iii. Programa de Mellioria da Organização e das
i. Programa de Generalização da Prática Desportiva Condições de Trabalho.
e Melhoria do Despmto de Rendimento. 175. Políticas e Programas Orçamentais para o Sector de
174. Políticas e Programas Orçamentais para o Sector Infra-Estmtura s.
Económico: a ) Política de Transp01te e Logística :
a) Política de Sustentabilidade das Finanças; i. Programa de Modemização e Desenvolvimento
i. Programa de Melhoria da Gestão das Finanças da Actividade de Transp01tes;
Públicas. ii. Programa de Desenvolvimento e Melhoria das
b) Política de Ambiente de Negócios, Competitividade In:th -estmturas de Transp01tes;
e Produtividade: iii. Programa de Expansão do Transp01te Público;
ii. Programa deMell1o1ia do Ambiente de Negócios iv. Programa de Desenvolvimento da Logística e
e Concon·ência; da Distribuição;
iii. Programa de Melhoria da Competitividade e v. Programa de Rede Nacional de Plataf01mas
Produtividade; Logísticas;
iv. Programa de Melhoria do Sistema Nacional vi. Programa de Desenvolvimento e Opera-
da Qualidade; ciona lização da Rede de Armazenagem,
v. Programa de Promoção da Inovação e Distribuição e Comercialização de Bens
Transferência de Tecnologia. Alimentares.
c) Política de Fomento da Produção, Substituição de
b) Política de Energia Eléctrica:
Imp01tações e Diversificação das Expottações:
i. Programa de Expansão do Acesso à Energia
i. Programa de Apoio à Produção, Substituição das
Eléctrica nas Áreas Urbanas, Sedes de Município
Impottações e Diversificação das Exp01tações;
e Áreas Rurais:
ii. Programa de Fomento da Produção Agrícola;
ii. Programa de Consolidação e Optimização do
iii. Programa de Fomento da Produção Pecuária;
Sector Eléctrico.
iv. Programa de Fomento da Exploração e Gestão
c) Política de Água e Saneamento:
Sustentável de Recursos Florestais;
i. Programa de Expansão do Abastecimento de
v. Programa deMellioria da Segurança Alimentar
Água nas Áreas Urbanas, Sedes de Município
e Nutricional;
vi. Programa de Exploração Sustentável dos e Áreas Rurais;
Rectu·sos Aquáticos Vivos e do Sal; ii. Programa de Desenvolvimento e Consolidação
vi i. Programa de Desenvolvimento da Aquicultura do Sector da Água;
Sustentável; iii. Programa de Saneamento Básico.
viii. Programa de Desenvolvimento e Modemização d ) Política de Commlicações:
das Actividades Geológico-Mineiras; 1. Programa de Desenvolvimento de Infra-

ix. Programa de Desenvolvimento e Consolidação estmturas de Telecomunicações e Tecnologias


da Fileira do Petróleo e Gás; de Inf01mação.
5676 DIÁRIO DA REPÚBLICA

176. Po líticas e Programas Orçamentais para o Sector 177. Políticas Transversais e Respectivos Programas
Institucional. Orçamentais.
a) Política de Reforço das Bases da Democracia e da a) P o lítica de Desenvolvimento Harmonioso do
Sociedade Civil: Ten·itório:
i. Programa de Melhoria do Serviço Público i. Programa de Melhoria do Sistema Geodésico e
Nacional de C01mmicação Social: Ca1tográfico Nacional;
ii. Programa de Promoção da Cidadania e da ii. Programa de Construção e Reabilitação de Infra-
Pa1ticipação dos Cidadãos na Govemação. Ec;truturas Rodoviárias;
b) Política de Boa Govemação, Ref01ma do Estado e iii. Programa de Construção e Reabilitação de
Modemização da Administração Pública : Edifícios Públicos e Equipamentos Sociais;
i. Programa de Aprofundamento da Refonna da iv. Programa de Desminagem;
Administração Pública; v. Programa de Desenvolvimento da Rede Urbana
ii. Programa de Capacitação Institucional e
b) Política de Garantia da Estabilidade e Integridade
Va lorização dos Recursos Humanos da
Ten·itorial de Angola e Reforço do seu Papel no
Administração Pública;
Contexto Intemacional e Regional.
iii. Programa de Ref01ma e Modemização da
VI. QUADRO MACROECONÓMICO PARA2019
Administração da Justiça;
178. Este capítulo tem dois objectivos principais. Primeiro
iv. Programa de Reforço do Combate ao Crime
Económico, Financeiro e à Com1pção. apresentar os pressupostos técnicos subjacentes ao Orçamento
c) Política de Descentralização e Reforço do Poder Local: Geral do Estado 2019. Segundo apresentar as projecções
i. Programa de Desconcentração Administrativa económicas para o próximo ano, incluindo a projecção do
e Financeira; crescimento do PIB e dos principais agregados macroeconó-
ii. Programa de Descentralização e Implementação micos da economia nacional.
das Autarquias Locais; Pressu}lostos Técnicos
iii. Programa de Refonna da Administração Local 179. O cenário macroeconómico para 2019 assenta num
e Melhoria dos Serviços Públicos a Nível conjunto de pressupostos técnicos sobre as envolventes exten1a
Mtmicipal. e intema, sintetizados na Tabela 7.

Tabela 7 - Quadro Macroeconómico de Referência 2019


2018 2019
Indicadorts 2016 2017 PME
OGE OGE
Rnista
Inflação(%) 4 1,1 23.7 28,8 18.0 15.0
Produção de Diamantes (Mil quilates) 8.964,1 8.964,1 9 047,7 9.442,0 9.442,0
Preço Médio dos Diam antes (US$/quilate) 118,0 11 5,1 124,2 14 1,1 14 1,1
Produção de Petróleo + LNG Anual 638,2 643,2 674,1 590,3 608,6
(a) Produção Petrolífera Anuai(JV!Bbl) 630,1 597,6 620,0 556,3 573,2
(b) Produção de LNG Anu al (MBOE) 8, 1 45,6 54,1 34,0 35,4
Produção Petrolífera + ALNG (lV!Bbl)/dia I 748,6 I 762,4 I 846,7 1 617,3 1 667,5
(a. I) Produção Petl'olífera (Mil hões Bbl)/dia I 726,3 I 637,4 I 698,6 I 524,1 I 570,5
(b. l ) Produção Peb·olífera (Mil BOEPD) 22,3 125,0 148,1 93,2 97,0
Preço Médio do Petróleo (US$/Bbl) 40,9 53 ,9 50,0 71,9 68,0
Preço l\•!édio do LNG (US$/BOE) 29,0 29.0 29.0 29,0 29,0

Fonte: Program ação Macroeconómica E.xectttiva Revista 2018, MEP, MINFlN, MINPE:r e BNA.

180. Destacamos as previsões relativas à: evolução do A PME Revista 2018 antecipa um preço médio das ramas
preço do petróleo nos mercados de futuros, produção petro- angolanas deUS$ 71,9 para o ano em ctu·so.
lífera, taxa de câmbio, meta para a taxa de inflação definida 182. O preço médio das ramas angolanas em 2019 deve
para o ano em referência. Passamos a abordar cada um des- fixar-se em USD/bm1'il 68,0, em linha com as projecções de
agências intemacionais e analistas para o preço médio mundial.
ses pressupostos.
183. Produção Petrolífera. A previsão para a produção
181. Preço do Petróleo. A previsão para o preço médio petrolífera incorpora o impacto de algumas medidas de mitiga-
das ramas angolanas assenta na infonnação dos mercados de ção dos riscos propiciadores de queda da produção observada
futuros sobre as perspectivas de evolução do petróleo Brent, em 2018. Incorpora também o impacto da entrada em produ-
que aponta para um aumento do preço desta matéria-prima. ção de novos blocos.
I SÉRIE- N.o 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5677

184. Antecipa-se assim uma recuperação do volume de 2018


PIB Real t C ompontntts (% ) 2016 201 7 2019
produção de 3,0o/o, de modo a contrariar o perfil de queda PMER

verificado na produção petrolífera no con·ente ano. Indú;1J'ia tmnsfonnadora 11 ,6 1,2 0,1 2,1

185. Taxa de Câmbio. Em 2019, em linha com a meta defi- Constmção 2,5 2,5 2,1 2,0

nida para a taxa de inflação, vai-se continuar a aproftmdar a Enet:gia 8,8 -1,7 30,0 0,0

nova política cambial tendente à eliminação do desequilíbtio Setviços mercantis -5,2 1,5 I 1,4

que ainda prevalece no mercado cambial de divisas do País. Oub·os (Sector Púb lico
-16,5 0.3 2 2,0
Admittisn·ativo)
Com isso, procurar-se-á reforçar a recomposição das reser-
PIB Nomin al (mil milh ões
vas intemacionais e melhorar a eficiência do mecanismo de deKz)
16.549,57 20.262,30 28.2 12,27 34 .807,74
alocação de divisas. dos quais : Não Pen·olifero 13.093,05 16.022,33 19 4 64, 12 23 032,77
186. Taxa de inflação. No âmbito do PDN 2018-2022, o
Fonte: MEP
Exect~tivo pretende retomar uma taxa de inflação de um dígito
192. Para o ano 2019, foram igualmente definidas estra-
a pattlr de 2021 . Neste sentido, estima-se atingir uma taxa de
tégias orientadas para a recuperação da produção petrolífera,
inflação nuclear de 18,0% em 2018. Para 2019 perspectiva-
sendo de destacar as seguintes:
-se mna taxa de inflação de 15%.
a) Reinício de produção dos campos Raia, Bagre e
187. Esta previsão está em linha com as projecções eco-
Albacore, no Bloco 2/05;
nómicas de crescimento do sector não petrolífero e com o
b) Restabelecimento e melhoria da injecção de água
cenário de coordenação das políticas fiscal e monetária, no
em várias concessões;
âmbito da gestão da liquidez da economia nacional no ano
c) Entrada em produção do campo Vandumbu do Bloco
vindouro.
15/06, em Janeiro, e do Polo Kaombo Sul do
Cenário Macroeconómico J>ara 2019
Bloco 32, em Jtmho. '
188. As previsões macroeconómicas para2019 assinalam
193. PIB Não Petrolífero. Relativamente ao ano de 2018,
a retoma do crescimento do PIB, atm1a taxa de 2,80/o em ter-
a previsão para 2019 de crescimento do sector não petrolífero
mos reais. sup01tado por um crescimento do PIB petrolífero
reflecte uma aceleração 7pp.
de 3,1%, incluindo a produção de LNG, e do PIB não petro-
194. Perspectiva-se uma aceleração maior da actividade
lífero de 2,6%.
não petrolífera, à medida que as políticas de con·ecção dos
189. O crescimento do PIB petrolífero, excluindo a produ-
desequilíbrios macroeconómicos forem implementadas e
ção de LNG, está previsto para uma taxa de 3%. As dinâmicas
absorvidas pelos agentes económicos, reposicionando as suas
intemas desses agregados são as seguintes.
decisões de investimento e conswno, sobretudo os desequilí-
190. PIB Petrolífero. O Executivo está a envidar esforços
brios associados ao mercado cambial e as ref01mas estmturais
no sentido de redireccionar o perfil de declínio da produção
petrolífera. Para tal, conta com o apoio directo das compa- voltadas à dinamização da diversificação da economia.
195. A previsão de 2,6% para o crescimento do sector não
nhias operadoras do sector, tendo inclusive criado em 2017
petrolífero é resultante de uma maior aceleração do crescimento
uma Comissão de Avaliação do Sector Petrolífero, liderada
nos sectores mineral não petrolífero, incluindo a produção
pelo Ministérios dos Recursos Minerais e Petróleos e integrada
diamantífera, agricultura e pescas.
pelo Ministério das Finanças, que fommlou recomendações
196. Seguem-se os prognósticos sectoriais da economia
estratégias para o reforço dos investimentos no sector.
191. Adicionalmente, o Executivo tem levado a cabo o não petrolífera.
processo da reestmturação institucional do sector petrolífero. 197. Agricultura. Prevê-se um maior crescimento deste sec-
Este processo levará a separação das funções concessionária tor em 2019, a uma taxa de 6,8%, contra os 3,1% estimados
e operadora da SONANGOL, o que deverá conferir foco e para 2018. Esta expectativa de melhor desempenho da agricul-
maior eficiência produtiva àquela empresa pública. tura em 2019 é justificada pela continuidade do engajamento
na produção em fileiras directamente ligadas à dieta alimentar
das populações: cereais, fmtas e leguminosas e oleaginosas.
Tabela 8- Taxa de Crescimento do PIB 2016-2019 198. Pescas. Em 2019 este sector deverá crescer a uma
taxa de 3%, maior que a taxa de 1,3% estimada para 2018,
2018
PIB R t al t C omponentes(%) 2016 2017
PMER
2019 em resultado da remobilização de 10 navios. Projecta-se uma
PID glob ai a preços de mercado -2,6 -0.1 -l.l 2,8 produção média de 303.000 toneladas, resultantes da pesca
(a) Pen·óleo e Gâs Nanu·al -2,7 -5,3 -8,2 3,1 indushial e semi-industrial, 232.400 toneladas da pesca atte-
P en·óleo -2.7 -6,9 3,0 sanal e 3.580 toneladas da aqui cultura.
Gás 0,0 -25,4 4,1 199. Extt·acção de Diamantes, de Minerais Metálicos e
(b) PIB n ão Pen·olifero -2,5 1,2 1,0 2,6
de Outros Minerais. As projecções para 2019 são de reforço
Agriculnu·a 1,8 1,4 3,1 6,8
do ritmo de crescimento desta componente da economia não
petrolífera, que deverá crescer a uma taxa de 15,5% em 2019.
Pescas e derivados 7.5 -1,1 1,3 3,0
Isto depois dos níveis baixos de crescimentos observados
Exbacção de Diamantes. de
Minerais 0,0 -0,8 0,8 15,5 nos últimos anos, sendo de destacar o crescimento neoativo
Metálicos e de Oun·os Minerais
registado em 2017.
"'
5678 DIÁRIO DA REPÚBLICA

200. Este prognóstico de melhor desempenho em 2019 Para além da leittu·a por natureza económica, as despesas
é supottado, nomeadamente, pela entrada em el\'P loração de são ainda analisadas na óptica da sua distribuição ftmcional
novas minas de diamantes (Luaxe) e de novas tmidades de e tetTitorial.
produção de rochas amamentais, além da continuidade da Fluxos Globais do Orçamento Gera l do Estado
produção de outras minas como Catoca, Cuando e Chito lo 208. O Orçamento Geral do E<>tado 2019 (OGE 2019) está
(ouro, minério de feiTO e feiTO concentrado). avaliado no montante de Kz: 11.355,1mil milhões, reflec-
201. Indústria Transfonnadora. Projecta-se uma ligeira tindo um aumento de 17,2% relativamente ao OGE 2018
aceleração em 2019, com tuna taxa de crescimento de 2,1 %, avaliado em Kz: 9.685,6 mil milhões. O OGE 2019 reflecte
contra o crescimento de 0,1% prognosticado para 2018. Este um aumento de 13,3% face a estimativa de execução orça-
reforço no ritmo de crescimento do sector da transfonnação mental para o ano de 2018 (PME).
assenta no maior dinamismo projectado para a agriculnu·a e 209. As projecções fiscais do OGE 2019 apontam para
no acesso mais estável às divisas, à luz do processo de con- tu11 superávit g lobal de 1, 5% do PIB e para a continuidade
solidação do novo regime cambial. de criação de um superávit primário de 6 ,1% do PIB. Isto em
202. Constmção. Em 2019 este sector deverá registar uma resultado de fluxos g lobais de Receitas Fiscais 2 de Kz: 7.423,8
ligeira desaceleração do seu crescimento, de 0,3 pp, ao passar mil milhões (21,3% do PIB).
de 2,3% estimado para 2018 para um crescimento previsto 2 10. Do lado da despesa, a Despesa Fiscal Primária foi
de 2% em 2019. O desempenho deste sector é fmtemente fixada em cerca deKz: 5.29 1,4 mil milhões (15,2%do PIB).
influenciado pela dinâmica da despesa de capital, palticular- Os juros foram projectados em Kz: 1.626,4 m il milhões (4,7%
mente do Programa de Investimentos Públicos (PIP), que é no do PIB), o que jtmtos pe1fazem uma Despesa Fiscal TotaP de
essencial financiado através de linhas de crédito negociadas Kz: 6.917,8 (19,9% do PIB).
com diversos parceiros económicos de Angola. Gráfico 11- Evolução do Défice 201 6-2019 (%do PIB)
203. O Executivo tem vindo a levar a cabo um conjunto de &,l
4,8
medidas orientadas para a melhoria do ambiente de negócios e

.. -
o relançamento das Parcerias Público-Privadas (PPP), de modo

-
1,5
a abrir espaço para a concretização de projectos importantes. o.&

204. Energia e Águas. Depois do crescimento negativo de


3% em 2017, estima-se que no ano cotTente de 2018 este sector ·1 .7

acumule um crescimento de 300/o, em resultado da entrada em • S<ildo Global • ~Ido Primário


·3,8
funcionamento das Centrais 3 e 4 de Laúca, com capacidade
6,3
nominal combinada prevista de 1.320 l\1'W, e do projecto de 2016 2017 I'Mt;R_ZOI8 OGJ::2019

Ciclo Combinado do Soyo, com capacidade nominal de 480


M\i'l. Todavia. as previsões deste sector para o ano 2019 são 2 11. O Orçamento Geral do Estado é consistente com os
menos animadoras, antecipando-se uma estagnação a nível objectivos do PDN 2018-2022, na medida em que propor-
da sua produção. ciona recursos para sup01tar os seus programas, sobretudo os
205. Serviços. A classificação deste sector inclui os ser- de natureza social. Fá-lo porque considera que a confiança no
viços de comércio, transpottes, COITeios e telecomunicações, futuro só pode ser tuna certeza num cenário em que o Estado
inte1mediação financeira, setviços imobiliários e aluguer, assume o seu papel de combate à pobreza e de promoção da
outros setviços mercantis -que integra o turismo. Prevê-se inclusão sociaL
para 2019 um crescimento de 1Ao/o. 212. A programação orçamental contempla tll11 aumento
206. Sector Público Administrativo. As projecções para de 18,7% da despesa social, com grande incidência nas áreas
2019 são de retoma do crescimento deste sector, a uma taxa da saúde, da educação e do apoio ao desenvolvimento de uma
de 2%. Note-se que entre 2016 e 2018 terá registado uma rede de segtu·ru1ça social para os mais vulneráveis.
quebra, com taxas de crescimento negativas nos anos 2016 e
2017 e estagnação em 2018.
VII. PROPOSTA DE ORÇAMENTO GERAL DO
ESTADO PARA2019
207. No presente capíhtlo é apresentada a proposta orça-
2
mental COnsolidada em te11110S financeiros e as OpÇÕeS do As receitas fiscais excluem desembolsos de financiamentos e venda de activos.
3
Executivo em tennos de alocação de despesas e financiamento. As de>)lesas fiscais excluem am01t ização da divida e constituição de activos.
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5679

Tabela 9- Balanço M.acro-Fiscal 2017-2019


P(..·rccnbtgcm do PTR
Qundt•o J:lsca1 Médio l'l'nzo 1018
2017 2018 2019
r\." (1'.\pressas em mil mii/1/Jts de Kwanzas, excepto o11de PMF 1018
!'rei. OGF. 2017 20 18 2019
itzdicad(J em (·,mtrúrit~) Re\·istu 1'.\ lli
1'1'Cl. OGJ::
I'DN OGF. Revisto I'DN OGF.
LO N.ecella9 3 543,0 4 ~04,2 s 625,0 s 432,6 7 423,8 17,5 17,6 19,9 18,!> 21,3
1.1 Rcc~itas con~ntcs 3 542,3 4 404,2 s 625,0 5 432,6 7-U3.8 17,5 17.6 19,9 i8,6 21.3
1.1.1 Imoostos 3 202.7 4 139.3 5 257 2 4974 o 7 032.9 15.8 16.6 18 ~ 17.0 20.2
1.1.1. 1 l'cn-olífcros 2 009.2 2 399.1 3 885 7 3 158,7 5 3191 9.9 9.6 13 8 10 8 15 3
1.1.1.1.1 Dns <ltuti.'i : Direitos ela cnnccssiomhia I 1-1 2.R I 538,2 2 60~.9 19·16,1 3 027,2 5,6 6,2 9,2 ó,7 8,7
1.1.1.2 Não petrolíff.ros 1193,5 1740. 2 1371,5 1lH5,3 1 713,8 5~9 7.0 4,9 6,2 49
1. 1.2 Cootrtbulções ~oclal~ 165,8 172_9 174,2 268,6 180,9 0,8 0.7 0,6 0,9 o.~

1.13 Dt•a·õc.s 'I 6 00 0,8 0,0 0,0 00 0 ,0 0,0 0,0 0,0


1.1.4 Uun'lls t~ultas 1(;9,2 92, 1 1n,s 190,11 210,0 0,8 0,4 0,7 07 0(;

2.0 ncspt~)la,~ 4 822, 1 5 209, 0 5 ~50,0 5872,4 G 919,0 23,8 20,9 19,.3 20, 1 19,9
2. I Dcs1~~as Currcntcs 3 499,2 4 2.30,2 ~ 370,3 4 650,9 5 623,4 17,3 16,9 1 ~~5 15,9 16,'2
2.1.1 Remuneração dos IlutJ>J'Il~a<Jos 1 507.1 1689. 7 1691.7 1934.0 l 792 6 7.4 6,8 60 6.6 5:2
2. 1.2 Bens- e Servit.'tts H40,7 972,0 972,(1 ,,,,8 1399,5 4,1 3,9 3,4 3,4 4,0
2.U Juros 677.3 968.4 1182.3 1 053,1 1 626.4 3.3 3,9 4.2 3.6 4,7
2.13.1 Externos 294.7 5 17.1 553.0 531.9 807 6 1.5 2.1 2.0 1.8 2.3
2.13.2 ln temos :\82,6 '151,3 629,:\ 52'1,2 8 1&,9 L9 I,S 2,2 1,8 2.tl
2.1.4 Transferência~ 474.2 600,1 52~.3 672.0 804.9 2.3 2,4 1.9 2,3 2.3
2.1.4.1 Subsidio; 93.7 225,0 217,3 274,6 0,5 0,9 0.0 OJ 0,8
2.2.1 :\{jUisiçtto ele ;\cth·ns NUo fin ance iros 1312 5 9788 1 0797 I 221.5 1295,5 65 39 38 42 37
2.2.2 Oun·as Dcspeus de Ca!lltal 10.3 0.0 0,1 00 00 0,0 0.0
3.0 Saldu Glnhal (Cc1m trnmissn} -I 279, 1 -804,7 1 m.sll -439,8 1 504,911 -6,3 1 -3,'2 1 0.6 11 -L> I 1,51
14,0 IRestu.'i-a Pa~al' t' u Re~~het· 103,91 o.ol o,oll o,ol o.oll 0,51 OJ) I o,oll o,ol o,ol
Is.o ls aldo Global (caixa) 1-1175.21 -804, 7 1 t7s.t ll -~39.8 1 504.911 -s.s l -3,2 1 0.6 11 -.1,5 1 1.51
6.0 Flnandarucnto Lio11ldo 1175.2 804,7 -17~.0 439.8 -504.9 5,8 3.2 -0.6 1.5 -1.5
6.1 Fi nanchtmen tn Interno Oíctuidn) 6272 '2 39 9 -525.4 324.8 -415.5 3 I 1o -1.9 u -1,2
6.U Acti\'os -85,2 177,5 -24-6,1 -675,7 -591,3 -0,4 0,7 -0,9 -2,3 -1,7
6.1.2 1':l~sh·os 712.5 62,4 -279,3 1 OOCJ,4 175.8 3.5 0,2 -1,0 34 U.5
6. 1.2. 1 CJ-édito f.í11ll~lo Obtido 8062 62.~ -279.3 I 000 ,, 175.8 40 0,2 - 1.0 3,cl 05
6. 1.2. 1.1 Oesembol>os 2 08·1 R 2 821 . ~ 2 S:l7.7 I 950 O I 9:\•1 O 10 3 11.3 10.1 6,7 56
6. 1.2 .1.2 Amortizações -1 278,5 -2 7 59,0 -3 117,1 -949,6 -1 758,2 -6,3 -ll,O - 11,0 -3,2 -5,1
6:2 Financiamcntít F.xt crn.-. ( J.íquiOO) 547,9 :;6~,9 3:i0,3 115,0 -89,5 27 2,3 1,2 0,4 -0,3
6.2.1 Ac.llvos o.o 00 -371.5 o.o 0.0 o.o o.o -1.3 o.o 00
6.2.2 Passivos 547,9 564,9 721,9 115,11 -!1'),5 2,7 2,3 2,6 0,4 -0,3
6 .2.2 .1 Crédit.o Líquido Ob1id<1 517,1) 560 i21.9 115.0 -895 2.7 2,3 2 ,6 0,4 -O,J
6 .2.2 .1.1 Ocs=bolsos 1126.7 I 959,0 2. 178 3 1 850,0 1 995.7 5,6 7.8 77 63 5.7
6.2.2.1.2 Anmrli:t.:içücs ·578J~ ·I ~9·1, 2 · 1 -156.'1 · I 735,0 ·2 085, 1 ·2,9 -5,6 -5,2 -5,9 ·6,0
i\.:kn!O'
J.oful(,1o ac. (%) 23,7 2S,8 18,0 17,4 15,CJ
Petroléo 1 !IIL'<G (.nillhõe; de barris) 643.2 674. 1 590.3 665.9 608.6
l'roduçli<> de petróleo brulo (wilbõc-s de U8tl'Í$) 597,6 620,0 556,3 604,2 573.2
Produ ·iío Petmlífer•.- :\J.NG (l\,fHbl)!d>t I 762.:1 I 8~6. 7 I 617,:\ I R2~ .3 I 667,5
Produçà<J Petrolífera ilvlil Dbl)/dia 1637.3 1 698.6 I 521 I I 655 •1 1 570.5
Preco rlo petróleo bmto (US$:'barril) 53,9 50, 0 71 9 57,2 6S.O
Preço Médio do LNU ( US$i OO!i) 29,0 29. 0 29,0 30,7 29,0
PnHiu tu l nh~•·nu tkuto (mil milhões de k::t.) ~o 2Jí~,3 24 ,7(,,2- 2-HZ12,3 29 220,6 34 Hfl7,7
1'1l:lJ>ctrolifcro (incündo LNG) 4 240,0 5 270, 1 s 748~ 8 764.4 11 775.0
PIB t1iío pelmlífew 16 022,:1 19 706, 1 19 46cf, l 20 456,2 23 032,8
Taxa de Ct·csc. Produto Real 1% cbe) -0.1 4.9 -11 3.5 2.8
l'ctrolifc ro- ALNU -5.3 6,1 -&,2 1.7 3,1
Petrolífero 3. 1 -6 9 0.6 3.0
N;to Pclrolin..,·n 1,2 4,4 1,() 4.4 2,6

Fonte: GE~ Ministério das Finanças.


5680 DIÁRIO DA REPÚBLICA

Financiamento do Orçamento 214. Er; ta redução justifica-se, por um lado, pela previ-
213. A proposta de Orçamento Geral do Estado para 2019 são de criação de uma poupança fiscal g lobal de Kz 504,9
compmta necessidades brutas de financiamento de Kz 4.436,2
mil milhões, 1,5% do PIB, comparativamente ao défice fis-
mil milhões, 12,7% do PIB, sendo que as necessidades líquidas
cal programado no OGE 2018 , de Kz 804,7milmilhões. Por
ascendem a Kz 594,0 mil milliões, 1,7% do PIB. Comparando
com o previsto no OGE 2018, verifica-se tuna redução de cerca outro lado, graças a tun voltune relativamente mais baixo de
de 16% das necessidades bmtas de financiamento. dívida a vencer em 2019.

Tabela 10- Necessidades de Financiamento do Estado 2019


OGE 2019
Nectssidades Bl'tltas de .F inanciamento do :Estado
A Kz mil miUtões % do PIB

Necessidades Bmtas de FitHIItcírunolto 4.436.2 12,7

Necessidades Líquidas de Financiamento 594,0 1,7

Aquisição de Activos Fínrutceiros 592,9 1,7

Am ortizações de Dívida de CMLP 3.843,3 11.0

lntottas 1.758.2 5, 1

Extottas 2.085.1 6.0

Fontes de Rectu-sos do Estado 4.436.2 12,7

Superávi t Fiscal 504.9 1.5

Vo1da.de Activos 1.6 0,0

Financiamento no Ano 3.919,7 11,3

Intot\o 1. 934.0 5,6

Extemo 1. 995.7 5.7

Fonte : GEE, Min i;t ério das Finanças.

215. As projecções fiscais indicam igualmente tuna reduç~ío do nício serviço da dívida- receita de impostos, de 109,5%
estimado para 2018 para 77,8% em 2019.
Gráfico 12 - Evolução do Serviço da Dívida (%)
115 7000

lLO I>IJIU ~NM


~ ~·ill,e

JS ~.000

ao T!J) ..wu . 1 ~da !Mia (m111"ihõe:'i de kíJ

's :mo r
l5l41&

~o zoou I 101,.4

J.' - ll.ül 5mU .. DM:Itlttl !iA*IIIUllllm 11110 .


,11\4

20
2016 2017 00 R..)OlB OGE 201:t :JIIIIo 7liiJ !'11-W_:JIJIK 0 [,]-'JI)Jij

Fonte: GEE, Ministério das Finanças.


216. Em tetmos bmtos, o plano de financiamento de supmte ao Orçamento Geral do Estado 2019 restune-se na Tabela 11 ,
enquanto que o plano de despesas do Orçamento Geral do Estado 2019 é restm1ido na Tabela 12.
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5681

Tabela 11 -Plano de Financiamento do OGE 2018 excluindo o serviço da dívida, o peso destes sectores é ainda
Desoição MiiMilhõts % do Total o/o d o PIB mais elevado, cerca de 11,3% para a educação e 12,7% para
1. Receitas Fiscais 7.423,8 65,4 21,3 a saúde, tal como se apresenta na Tabela 13.
l.l I mpostos 7.032,9 6 1,9 20,2 220. Este f01te incremento resulta da impottância que o
l.l.l Petrolíferos 5.3 19,1 46.8 15,3 Executivo atribui à operação e manutenção das instituições
1. 1.2 Nli o Pttrolíferos 1.713,8 15,1 4,9 prestadoras de setv iços públicos de saúde, educação e assis-
L2 Conhibuições Sociais 180,9 1,6 0,5 tência social a crianças e idosos. As dotações orçamentais para
1.3 Outras Receitas 210,0 1,8 0,6 o sector social, em especial nos sectores da saúde, educação
2. Receita Pab·imon ial 1,6 0,0 0,0 e ensino superior, visam dar continuidade ao asseguramento
3. Receita de E tdividamento 3.929,7 34.6 11,3 da concretização dos objectivos de desenvolvimento para
3.1 Intemo 1. 934,0 I 7,0 5,6 estes domínios.
3.2 Extem o 1.995,1 17,6 5,1 221. O sector produtivo ganha igualmente relevância, des-
4. Total 11.355,1 100,0 32,6 tacando-se o sector agticola, cuja dotação orçamental é seis
Fonte: GEE, Ministério das Fin anças. vezes maior face ao OGE 2018. O peso do sector agrícola
no tota l da despesa passou de 2018 para 2019 de 0,40% para
Tabela 12- Estrutura da A11licação de Recursos cerca de 1,75%. Entretanto, excluindo o setviço da dívida,
em 2018 este sector ocupa um peso de cerca de 3,3%.
~~ do Tabela 13 -Distribuição Funcional da Despesa
Descrição Mil Milhões o/o do PIB
Total (Kz mil milhões, Excepto Onde Indicado)
Despesas de Operações ~·O da
LO Fisc.a is
6 919 ,0 60,9 19,9 OGE Em o/o do
Orçamento Geral do E~tado Despesa
2019 PIB
1.1 P essoal 1 792,6 15,8 5,2 Fiscal

Sector Social 2 381,3 40,5 6,8


l.l.l Dos quais Vencimentos I 698,4 15,0 4,9
Educação 677,2 ll ,5 1,9
1.2 Ben s e Seniços 1 399,5 12,3 4,0
Saúde 749.0 12,7 2,2
1.3 J w·os 1 626,4 14,3 4,7
Protecção Social 526,7 9.0 1,5
1.3.1 Ex temo 807,6 7,1 2,3
Habitação e Serviços Connutitàrios 369,0 6,3 1,1
13.2 ln temo 818,9 7,2 2,4
Recreação, Culttu·a e Religião 47,5 0.8 0,1
1.4 Transfert.ncias 804,9 7,1 2,3
Protecção Ambiental 11,9 0,2 0,0
1.4.1 Dos quais Snb sidios 274,6 2,4 0,8

Aquisição de Activos Stdor Económico 1265,0 2 1,5 3,6


l.5 1 295,5 11,4 3,7
Não Financeiros Agticultura. Sivicu lttu·a, Pesra e Caça 194.4 3.3 0.6
Despesas de Operações
2.0 4 436,2 39,1 12,7 Transpottes 339,2 5,8 1,0
Fi nanceiras
2.1 Amortização de Divida 3 843,3 33,8 11,0 Combmtíveis e Eu:~-gia 353,0 6,0 1,0
Jndústl'ia Exb·activa, Transfonnadora e
2.l.l Ex tema 2 085,1 18,4 6,0 73,8 1,3 0,2
Comtntção
2.1. 2 ln tema I 758,2 15,5 5,1 Asstuttos Económicos Gerais, Comer-
278,9 4,7 0,8
ciais e Laborais
Aquisição de Activos
2.2 592,9 5,2 1,7 Conuuticações e Ternologias da I1ú'or-
.F inanceiros 22,0 0,4 0,1
mação
3.0 Total 11 355,2 100,0 32,6
Outras Actividades Econ ômicas 3,6 0,1 0.0
Fonte : GEE, Ministéti o das Finanças Dtfrsa, Segw·ança t Ordem Pública 1 045,6 3,0
17,8

Defesa 584.4 9.9 1,7


Leitm·a Funcional do OGE 2019 Segurança e Onlem Pública 461,2 7,8 1,3
217. A leitura ftmcional da despesa desagrega a despesa Sen;ços Pítblico Gtrais 1 193,5 20,3 3,4
fiscal do orçamento pelas principais áreas de intervenção do
Órgãos Legislativos 34,4 0,6 0, 1
Executivo.
Órgãos Executivos 504,4 8,6 1,4
218. Excluindo a am01tização da dívida, a despesa social
ÓJ-gãos J udiciais 48,9 0,8 0, 1
con·esponde a 40,2% do orçamento, o sector económico a
Serviços Gerais 44,9 0,8 0,1
21,5%, enquanto os Serviços Públicos Gerais e a função
Segurança e Ordem Pública representam, respectivamente, Assmttos Financeiros e Fiscais 468,0 s.o 1,3

Relações &'tetiores 48,4 0.8 0,1


20,5% e 17 ,80/o.
S etviços P úblicos Get·ais de Investigação
219. A despesa com o sector social, em pa1ticular, regis- e Desenvolvimento
0,1 0,0 0,0

tou um atunento de 18,7%, face à alocação programada no Ajuda Econôm ica Extema 1,0 0,0 0,0
OGE 2018, tendo a função saúde passado de um peso no total In vestigação Básica 1.4 0,0 0,0
das despesas de 3,63% em 2018 para cerca de 6,6% no OGE Setviços Get·ais (Incl ui daAcbnini;;tração
42,1 0,7 0,1
P ública Não &pecificados)
2019 e a função educação de 5,41% para 5,83%. Todavia,
5682 DIÁRIO DA REPÚBLICA

q,c., da Leitura Territorial do OGE 2018


OGE Em ~o do
Orpunmto Gemi do Estado Dtspesa
2019
Fiscal
PIB 222. No tocante a distribuição territorial da despesa,
Total de Desp esa Fiscal 5 885,4 100,0 16,9 excluindo as despesas com a estrutura central, operações
Despesa Fin anceira 5 469,8 15,7 de dívida pública e despesa com o exterior para atendi-
Operações da Divi da Púb lica Intema 2 577,1 7,4 mento das missões diplomáticas, a despesa em 2019 está
Ope11ções da Dívi da Púb lica li'<tella 2 892,7 8.3 centrada maioritariamente na Província de Luanda , vindo
Total Orçamento Geral do E~tado 11 355,1 32,6 de seguida as Prov íncias de Benguela , Cuanza-Norte,
.Fonte : GEE. MútistéJio das Fútan ças Huíla e Huambo.

Gráfico 13- Di:stribuição Terri torial da Despesa


(Mil Milhóe; de Kz, Excluindo Eslrulur<t Cen tral EMi>SÕe> DifJiomáticas)
Luanda
Benguela 127,9
Kwanza Norte 123,2
Huíla
Huambo 112,0
Zaire 103,8
Malanje 98,6
Kwanza Sul 85,8
Uíge 80,9
Cabinda 80,2
Bié 77,5
Kuando Kubango 77,2
Moxico 69,8
Lunda Norte 67,5
Cunene
Beng9
Namibe
Lunda Sul

o 50 100 150 200 250 300 350 4()0 450 500 550

Fonte: GcE, Ministerio das finanças.

VIII. PRINCIPAIS RISCOS PARA A EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO GERALDO ESTADO 2019


223. As projecções fiscais estão rodeadas de incettezas, <JIUe se podem traduzir numa maior pressão de financiamento,
comprometendo a execução nonnal do Orçamento Geral do Estado 2019.
224. Essas incettezas estão, no essencial, associadas aos factores de risco, esquematizados na figura abaixo. Seguidamente
comentamos cada uma das categotias de risco identificadas na figm·a.
Figura 2- Riscos do OGE 2019

erabrlrdade

Alia vmttMdlde de mcerte pd,"'O!~


Malorrutce&&tlades'ct.l'flilneiar."l:erto

~irleraodo ~nctdaauec&çôes
~da ~! GMtc•JMtld~lcde . .1'1.,
_ . . . . . pelroil...,.
RMoçoOI ....,CS. .~I'tM

--
Logbfic«~lfNisêeficiMtt!~ ~det:~PC! dHc ci:e.-or~dot
~~~

~10 dt C~PC! Gadec!e cap.IOdt


. .oft.ífldnetto di cCl~Cttd~Nc;to •
~Mift'CJ ·In•i*lc. .aldOip~e-.o&
).lrto e«JJotHCtotH

Coo-hdoopdltieoo~lo
rrGflelaria. no4nlbll0• {111$11odatll~o~ldfz
lt1entianeltos i:tento. ftU e tSerutllr'l&dit ec:onon...

~...SI.•f!'l!'n.toc:b~rio de
l~doiVA

Fonte: GFF, Mini.<tP.!io da.< Fin,mça.<.


1-·----··· ll-----~
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5683

225. Volatilidade do preço do petróleo. Não há dúvidas de 226. Entre Fevereiro e Junho do con·ente ano, o preço
que o preço do petróleo é a principal variável detenninante intemacional do petróleo registou uma recuperação de cerca
da conjuntura macroeconómica e financeira da economia
de 16%, em resultado de uma menor ofetta. O Gráfico 14
angolana, tomando em consideração os múltiplos canais de
transmissão, sobretudo os canais fiscal e monetário ou o canal mostra a variação do preço do petróleo entre o II Semestre
da taxa de câmbio. de 2014 e 2018.

Gráfico 14 - Variação do Preço do Petróleo

- 120

f I
' 20
2015 2816 2017 2t18

Fonte: Trading Economics.

227. O OGE 2019 baseia-se num preço médio das ramas 233. Um quadro económico recessivo, combinado com
angolanas deUS$ 68,00. O FMI prevê para 2019 preços do maior desemprego e tm1 ambiente de apetto geral das condi-
petróleo (Brent) em tomo dos US$72,3. Até a terceira semana ções financeiras das famílias e das empresas, inibe o ritmo de
de Outubro o preço do Brent atingiu os US$80. Não ob~tante a crescimento do consumo e do investimento, impactando igual-
recuperação dos preços intemacionais do petróleo, a sua vola- mente a capacidade de an·ecadação de receita não petrolífera.
tilidade constitui um importante detenninante da receita fiscal. 234. Uma maior an·ecadação pressupõe a reanimação
228. Em função da dinâmica dos mercados intemacionais, rápida da actividade económica. Com efeito, um crescimento
do reposicionamento da OPEP, de desenvolvimentos ao nível abaixo do esperado da economia implicará naturalmente uma
das sanções dos EUA contra o Irão, da manutenção da capa- an·ecadação abaixo do previsto, agravando as necessidades
cidade de produção da Venezuela, das perspectivas sobre os de financiamento da economia.
desenvolvimentos de petróleo de xisto, o preço do petróleo 235. Depreciação cambial acelerada. A introdução etn
pode apresentar maior volatilidade ou mesmo posicionar-se Janeiro do presente ano do novo regime cambia l alinhou a
relativamente abaixo dos níveis actuais. fotmação da taxa de câmbio cotn os fundamentos de met·-
229. Uma maior volatilidade do preço intemacional do cado da ofetta e procura de recursos cambiais, dentro de uma
petróleo tomará a receita fiscal petrolífera mais volátil, com banda de flutuação.
potencial impacto nas necessidades de financiamento. 236. Uma depreciação acima do programado nas projec-
230. Quebra da produção petrolífera. Não obstante os ções fiscais in1pactará, sobretudo, as despesas financeiras com
esforços que vem sendo levados a cabo para contomar este o setviço da dívida. Isto. quer seja de dívida indexada, quer
cenário, a produção petrolífera apresenta um perfil tenden- seja de dívida denominada em moeda extema, agravando as
cial de queda. necessidades de financiamento do orçamento quando expres-
231. Embora o preço do petróleo possa ser urna variável sas em moeda nacional.
mais elá~tica, tuna quebra da produção ou uma produção abaixo 237. Naturahnente, nem toda a depreciação se traduzirá
do previsto no OGE 2019 compromete a receita, impactando em impacto de tesouraria.
negativamente as necessidades de financiamento do OGE 2019. 238. Logística institucional mais ineficiente dos desembol-
232. Crescimento lento do PIB não petrolífero. Nos últi- sos extetnos. A maior ou menor criação de défice fiscal é uma
mos anos, a receita de impostos não petrolíferos registou função da capacidade de absorção dos desembolsos extemos,
aumentos, num clima de desaceleração da economia ango- em razão da execução da despesa de capital.
lana. Esses aumentos verificados a nível da atTecadação não 239. O contexto histórico do desempenho da função finan-
petrolífera tiveram lugar graças a uma maior actuação da ceira de captação de financiamentos extemo para supottar a
Administração Get·al Tributária (AGT), o que lhe confet·iu realização de projectos de investimentos demonstra que a efec-
maior visibilidade. AAGT reforçou a conformidade proces- tiva absorção financeira, no quadro da execução do Orçamento
sual das execuções fiscais. Geral do Er;tado, é em muito detenninada pela eficácia técnica
5684 DIÁRIO DA REPÚBLICA

e institucional para a realização dos processos exigidos para tuna altemativa para conter eventuais desvios
utilização dos recursos disponíveis. na receita de financiamento ou na receita petro-
240. Neste contexto, uma menor eficácia da logística lífera e não petrolífera.
administrativa de apoio à utilização dos desembolsos exter- ii. Entretanto, a redução dos níveis actuais de
nos já contratados e disponíveis vai traduzir-se muna menor superavit deve ser o último recurso no caso
capacidade de absorção de desembolsos, aceleradores do da materialização de algtms dos riscos mencio-
crescimento do PIB. nados, dado que a redução dos actuais níveis
241. Esta situação demanda tun maior diálogo e acompa- de stock da dívida, exigirão ainda superávits
nhamento por pmte do Departamento Financeiro do Executivo contínuos nos próximos anos, para a continui-
com os sectores beneficiadores dos recursos, no âmbito da dade do processo de consolidação fiscal.
execução do PIP. iii. É muito impottante que se impletnentetn de
242. Condições de liquidez mais apettadas no mercado fotma rigorosa as políticas e medidas apresenta-
intemo. A habitual fina coordenação fiscal-monetária deverá das pelo Executivo, por fotma a que o cenário
assumir um lugar privilegiado no âmbito da gestão cambial, macroeconómico projectado se concretize.
com o objectivo de se garantir o controlo da liquidez da eco- iv. É impottante garantir que a taxa de inflação
nomia, sem comprometer a nonnal execução do Orçamento desacelere para níveis ao redor de 15%. Um
Geral do Estado 2019, em razão de dificuldades de captação desvio deste indicador da meta projectada tra-
de financiamento no mercado intemo. ria alterações nas taxas de juro do met·cado
243. A falta de liquidez no sistema financeiro dificulta a intemo e pressionaria a depreciação cambial,
captação de financiamento intemo por patte da Unidade de fazendo com que as despesas com juros inter-
Gestão da Dívida (UGD), com todas as restantes consequên- nos e extemos se tomassem maiores do que o
cias em tennos de minimização do custo do financiamento programado.
doEstado. v. Do mesmo modo, espera-se que a refonna em
244. De assinalar que cerca de 16% do montante da des-
curso no mercado cambial se transfotme num
pesa inscrita no OGE 2019, de Kz: 11.206,4 mil milhões ,
mecanismo eficiente para a detetminação da
depende de recmsos a captar no mercado de crédito intetno.
taxa de câmbio de equilíbrio, necessária para
Pottanto será necessário captar no mercado intemo cerca de
a redução das distorções do próprio mercado
Kz: 1. 792 mil milhões.
e dos preços relativos da economia angolana.
245. Este quadro pressupõe natmalmente a existência de
vi. A boa detenrúnação da taxa de câmbio de equi-
liquidez no sistema financeiro para acomodar a execução do
líbrio é igttalmente impottante para acautelar
orçamento. Isto demanda um maior aproftmdamento da atti-
incettezas em relação a variáveis macroeco-
culação das políticas fiscal e monetária, em sede das opções
nómicas muito relevantes, como as reset-vas
de política de gestão da liquidez, tanto da fina como da estru-
intemacionais líquidas e os stocks da dívida.
tural do Sistema Financeiro Nacional.
vii. Só assim será possível dar continuidade ao
246. Reajustamento do calendário de implementação
dos novos impostos. O início da impletnetltação de novos processo de consolidação fiscal, que prevê a
impostos estava inicialmente previsto para Janeiro de 2019, redução do stock da dívida para níveis inferio-
tendo sido adiado para o mês de Julho, sujeito à aprovação res a 60% até 2022.
da Assembleia Nacional. viii. O Processo de consolidação fiscal em nu·so
247. O OGE 2019 contempla já esta nova infonnação e depende em grande medida da dinâmica da
incorpora nas projecções fiscais o impacto operacional deste actividade económica. Exigirá níveis de cres-
imposto a partir de Julho de 2019. cimento compatíveis com as previsões do PDN
248. Um adiamento no calendário da implementação dos 2018-2022, que dependetn em latga medida
novos impostos, implicará menor atTecadação de receitas do da implet11entação atetnpada e adequada do
que as previstas no orçamento, implicando num agravamento PRODESI.
das necessidades de financiamento. ix. Só deste modo se poderão concretizar aumen-
249. De todo o modo, o Executivo elaborou já tun plano tos relevantes a nível da receita do sector não
de contingência para relaxar potenciais riscos na implemen- petrolífero, em 2019 e nos restantes anos do
tação dos novos impostos nos tetmos programados. quinquénio 2018-2022.
250. Pelo conjunto de riscos acima descritos, a execu- x. Em 2019 espet·a-se a concretização do cres-
ção do OGE 2019 será desafiante. Tudo faremos para lidar cimento em níveis não inferiores a 2,6% no
convenientemente com esses riscos, se e quando eles se tor- sector não petrolífero.
narem efectivos. xi. O OGE 2019 representa efectivamente o ponto
Eilílogo de viragem, de uma trajectória de défices recor-
i. Apesar dos riscos apresentados acima, o facto rentes e de aumento galopante do stock da
do OGE 2019 trazer um superávit de 1,5%não dívida, iniciados em 2014.
só constitui um marco histórico, como poderá xii. Esperemos que seja o princípio do fim da crise
em tennos práticos contribuir para o regresso que atravessa a nossa economia, para o bem-
dos estabilizadores automáticos, fomecendo -estar das empresas e das famílias angolanas.
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5685

RESUMO DA RECEITA POR NATUREZA ECONÓMICA

Natureza Valor %
Total Geral: 11.355.138.688. 790,00 100,00%
l - Receitas COITentes 7.423.646.288.515, 00 65,38%
li - Receita Tributária 4.220.458. 7 19.591,00 37, 17%
111 - Impostos 3.829.549.816.674,00 33,73%
~ - Impostos Sobre Rendbnen tos ~ 0.691.909. 1 51, 00 22,99%
111101 - Impostos Sobre Rendimentos De Pessoas SingulaJres 322.274.252.631,00 2,84%
11110101 - Imposto Sob re Rendimentos Do Txabalho Por Couta De Outrem 274.002. 106.888,00 2,41%
11110102 - Imposto Sobre Rendimentos Do Txabalho Por Co uta Própria 26.736.740.403,00 0,24%
11110104 - Impostos Sobre Rendimentos De Capitais Iudiv idua is 21. 535.405.340,00 0,19%
-- ---
111102 - Imposto Sobre Rendimentos De P essoas Colectiva s 2.288.417.656.520, 00 20,15%
- - -- ---
11110201 - Imposto Sobre Rendimento Do Petróleo 1.598.751.63 8.425, 00 14,08%
11110202 - Imposto De Txansacção De Petróleo 179.217.240.538, 00 1,58%
11110203 - Imposto Ind ustrial 407.005.061.701,00 3,58%
11110204 - Imposto Sobre Rendimentos De Capita l De Pes:soas Colectivas 103.443.7 15.856,00 0,91%
~Impostos Sobre O Património 47.556. 794.929,00 0,42%
--------
111201 - Imposto Predial Urbano - Património 14.823.436.006,00 0,13%
111202 - Imposto Sobre S ucessões E Doações 1.820.805.482,00 0,02%
111203 - Imposto Sobre Txans. Imobiliárias A Título Oneroso (Sisa) 4. 174.38 1.392,00 0,04%
111204 - Imposto Predial Urbano - Renda 26.738. 172.049,00 0,24%
1113 - Imposto Sobre A Pl·odução 533.671.313.069,00 4,70%
111301 - ImpostoS/Produção Da Ind1ístria Petrolífexa 513.899.536.260,00 4,53%
11 1304 - ImpostoS/Prod ução De Diamantes 15.415.726.243,00 0,14%
- - ---
11 1309 - ImpostoS/Prod ução De Prod utos Diversos 4.356.050. 566,00 0,04%
1114 - Imposto Sobre O Consumo 438.209.176.585,00 3,86%
111401 - Imposto Sobre O Consumo De Bens 118.158.200.535,00 1,04%
11140101 - Imposto Sobre O Cons umo De Derivados Do P·etroleo 2.336.978.423,00 0,02%
11140104 - Imposto Sobre O Co ns umo De Cerveja Naciona l 19.587.818.564,00 0,17%
11 140105 - Imposto Sobre O C.onsumo De Cerveja Importada 177.950.106,00 0,00%
- -- -- ---- -~-,-

11140106 - Imposto Sobre O Co nsumo De O utras Bebidas Alcólicas 6.430.530.167,00 0,06%


11140109 - Imposto Sobre O Cons umo De Prod utos Diversos 89.624.923.275,00 0,79%
111402 - Imposto Sobre O Consumo De Serviços 191.502.712. 285,00 1,69%
11140201 - Imposto Sobre O Cons umo De Serviços Hoteleiros 5.295.93 1.789,00 0,05%
11140203 - Imposto Sobre O Co ns umo De Serviços De Á_!!ua 735.822. 193,00 0,01%
11140204 - Imposto Sobre O C.onsumo De Serviços De Telecom unicações 11.286.694.078,00 0,10%
- - --
11140209 - Imposto Sobre O Co nsumo De Serviços Diversc)S 1.887.806.087,00 0,02%
111402 10 - Imposto De Cons umo - Diversos 172.296.458.138,00 1,52%
111403 - Imposto De Selo 128.548.263.765,00 1,13%
lll5 - Imposto Sobre Comércio Extemo 176.218.586.545,00 1,55%
111501 - Imposto Sobre A Exportação 3.063. 179.07 1,00 0,03%
-- ---
111502 - Imposto Sobre A Importação 173.155.407.474,00 1,52%
lll9 - Impostos Diver sos 23.202.036.395,00 0,20%
111902 - Imposto De Tonelagem 128.175.321,00 0,00%
-- --
111903 - Contribuições Especiais E Opexações De Invisiveis 18.573.457.822,00 0,16%
- - - - - ,-,------'-:-,-
111909 - O utras Receitas Trib utárias 4.500.403.252,00 0,04%
112 - Taxas Custas E Emoltunentos 120.825.547.441,00 1,06%
ll21 - Taxas 119.919.065.799,00 1,06%
112101 - Taxas De Serviços Ad uaneiros 87.654.136.087,00 0,77%
5686 DIÁRIO DA REPÚBLICA

RESUMO DA RECEITA POR NATUREZA ECONÓMICA

Natureza Valor %
112102 - Taxa Es-tatística 9.237.840.259,00 0,08%
112103 - Taxa De Circulação De Veíc ulos Automóveis 4.33 7 .865. 004,00 0,04%
112104 - Taxa Da Juventude 776.447.893,00 0,01%
112106 - Taxa De Superfície (Diamantes~-- 138.7 12.063,00 0,00%
112108 - Taxas Ambientais 61.919.416,00 0,00%
-----
112199 - Taxas Diversas 17.712.145.077.00 0,16%
1123 - Emolumentos 906.481.642,00 0,01%
112304 - Emolumentos O>nsulares 906.481.642,00 0,01%
----- ---
193 - Receita Parafiscal 88.461.156.783,00 0,78%
1131 - M ultas E Penalidades 1.262.031. 977,00 0,01%
1132 - Multas Fiscais 11.612.73 1.598,00 0,10%
1133 - Multas E O utras Penalidades Ad naneiras 4.948.084.841.00 0,04%
1134 - Multas De Trânsito 856.615. 160,00 0,01%
1135 - Adicio na l De 10% Sobre Multas Para Governos Provinciais 187.304.382,00 0,00%
1136 - Multas E Outras Penalidade Diversas 1.809.428. 261,00 0,02%
-- - --
1137 - Juros De .Mora 6.283.393.505,00 0,06%
1139 - Juros Diversos 61.501.567.059,00 0,54%
114 - Contribuições 181.622.198.693,00 1,60%
1141 - Contribtdfões Sociais 180.939.224.379,00 1,59%
114102 - O>ntribuiçao Dos Trabalhadores 49.333.231.437 .oo 0.43%
114104 - C.ontribu ição Eu tidades Empregadoras 131.605.992.942,00 1.16%
1142 - Contribuições Económicas 682.974.314,00 0,0 1%
114299 - Outras O>n tribuições Económicas 682.974.314,00 0,01%
12 - Receita Patrimonial 3.029.500.583.464, 00 26,68%
121 - Receitas Imobiliárias 1.958.139.277,00 0,02%
1211 - Rendas De Casa 1.958.139. 277,00 0,02%
125 - Rendimentos De Recursos Min erais 3.027.201.267.963,00 26,66%
1252 - P.drtilha Da Produção De Pettóleo 3.027.201.267.963,00 26,66%
129 - Outras Receitas Patrimon iais 34 1.176.224,00 0,00%
13 - Receita De Serviços 5.870.056. 774,00 0,05%
131 - Receita De Serviços Comerciais 391.901.424,00 0,00%
133 - Receitas De Serviços O>mnnitários 4.601.346.895,00 0,04%
139 - Receita De Serviços Diversos 876.808.455,00 0,01%
19 - R eceitas Co!Tentes Diversas 167.816.928.686,00 1,48%
199 - Outras Receitas Correntes 167.816.928.686,00 1,48%
2 - Receitas De Capital 3.931.492.400.275,00 34,62%
2 1 - Allenaf ãO 1.821.593. 920,00 0,02%
212 - Alienação De Habitações 1.236.548.379,00 0,01%
213 - Alienação De Empresas 395.194.919,00 0,00%
-
219 - Alienação De Bens Diversos 189.850.622,00 0,00%
24 - Receita De Financiamentos 3.929.670.806.355, 00 34,6 1%
241 - Financiamentos Intemos 1.933.993.855.822, 00 17,03%
---,--
24 11 - Financiamentos Internos Diversos 1.933 .993.855.822, 00 17,03%
242 - Financiam entos Externos 1.995.676.950.533,00 17,58%
2421 - Financiamento Externo Diverso 1.995.676.950.533, 00 17,58%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5687

RESUMO DA RECEITA POR FONTE DE RECURSO

Fonte de Re curso Valor

Total Geral: 11.355.138.688.790,00 100,00%


Financiamentos Externos 1. 995.676.950.533,00 17,58%
Financiamentos Internos 1. 933.993.855.822,00 17,03%
Recursos Consignados - Diversos 15.000.000.000,00 0,13%
Recursos Consignados - Local 673.971.776.263,00 5,94%
Recursos Ordinários Do Tesouro 6.343.602.199.494,00 55,87%
- -- - - ---·---::-:--::
Recursos Próprios 3 92.893 .906.678,00 3,46%

RESUMO DA DESPESA POR NATUREZA ECONÓMICA


Natureza Valor
Total Ge ral : 11.355.138.688.790,00 100,00%
3- Despesas Correntes 5. 740.475.457.353,00 50,55%
31 - Despesas Com O Pessoal 1.698.429.421.508,00 14,96%
----
311 - Despesas Com O P essoal Civil 982.155.317.398,00 8,65%
--- -- --- -
3111 - Vencimentos E Remuner. Permanentes Do Pessoa l Civil 949.069.686.438,00 8,36%
31110 I - Vencimentos Do Pessoal Civil Do Quadro 661.194.543.73 6,00 5,82%
311102- Vencimentos De Outro Pessoal Civil 84.248.004.081,00 0,74%
311103 - Subsídios Do Pessoal Civil 117.452.281.813,00 1,03%
- -fiTf04- Décimo Terceiro Mês Do Pessoal CiviÍ -s:r.-276.382. 928,00 0,47%
-----
311109 - O utros Veucim. E Remuu. Perma nentes Do Pessoal Civil 3 2.898.473. 880,00 0,29%
3112 - Remunerações Var iáveis Ou Eventuais Do Pessoal Civil 33.085.630.960,00 0,29%
31120 I - Horas Extraordinárias Do Pessoal Civil 1. 900.605.358,00 0,02%
311202 - Trabalho Acrescido E C hamadas Do Pessoa l Médico 12.079.296.796,00 0,11%
311203 - Subsídio De Exame 5. 943.126.433,00 0,05%
311204- Subsídio De Instalação E Reiustalayào 294.068.035,00 0,00%
------- --------- ----
311209 - Outras Remuuera~es Variáveis Do Pessoal Civil 12.868.534.338,00 0,11 %
312 - Despesas Com O P essoal Militar 343.326.493.105,00 3,02%
3121 - Vencimentos E Remunerações Permanentes Do Pe sso~~ Militar 331.419.103.936,00 2,92%
312101 - Vencimentos Do Pessoal Militar 234.9 51.021.053,00 2,07 %
----
312102 - Subsídios Do Pessoal Militar 64.I93 .247.I85,00 0,57%
312103 - Décimo Terceiro Mês Do Pessoal Militar 25.654.899.938,00 0,23%
312109- Outros Vencimentos E RenHIU. Permane ntes Do Pessoal Militar -- 6. 619~93s:7.6o.~ - -õ-:õ6 %
3122- Remunerações Variáveis Ou Eventuais Do Pessoal Militrur 11.907.389.169,00 0,10%
313 - Despesas Com O Pessoal Paramilitar 3 72.947.611.005,00 3,28%
3131 - Vencimentos E Remun. Permanentes Do Pessoal Paramilitar 3 71.874.406.757,00 3,27%
----- ----
313IO I - Vencimentos Do Pessoal Paramilitar 242.662.14I.668,00 2,I4%
-------
313102- Subsídios Do Pessoal Paramilitar I 08.909.770.169,00 0,96%
------
313103- Décimo Terceiro Mês Do Pessoal Paramilitar 20.302.494.920,00 0,18 %
3132 - Remunerações Variá v. O u Eventuais Do Pessoal Paramilitar I. 073.204.248,00 0,01%
32 - ContJ·ibuições Do Empregador 94.200.366.537,00 0,83%
321 - Contribuições Do Empregador Para A Segura nça Social 93.321.136.316,00 0,82 %
------- ---- -------
3 29- Outras Coutribui9ões Do Empregador 879.23 0.221,00 0,01%
--- -- ---- -
33 - Despesas Em Bens E Serviços 1.516.552.270.661,00 13,36%
331 - Bens 423.826.820.606,00 3,73%
----
3311 - Materiais De Consumo 384.054.100.146,00 3,38%
----
3 3110 I - Combustíveis E Lubrificantes 3 8.328.858. 543,00 0,34%
331102 - Víveres E Géneros Alimentícios 112.269.434.276,00 0,99%
331103 - Mtterial De Consumo Corrente Especializado 154.577.086.456,00 1,36%
331109- O utros Mtteriais De Co ns umo Corrente 78.878.720.871,00 0,69 %
----
3312 - Materiais E Utensílios Duradom·os 39.772.720.460,00 0,35%
--=--=----:-:-:-:~·
331201 - Mtteriais E Utens1lios Duradouros De Especialidade 27.016.483.161,00 0,24%
331209- Outros M•teriais E Utensílios D uradouros I2.756.237. 299,00 0,11%
332 - Seniços 1.092.725.450.055,00 9,62%
3321 - Serviços De T=-
e'.·c=
.., ei"r7o_s_ _-:---: 581.057.244.985,00 5,12%
332IO I - Servi9os De Telecom unicação I6.974.432.102,00 O,I5%
- -332102- Serviços De Sa1íde 43.489.158.765,ÕÕ 0,38%
332103- Serviços De Ensino E Formaçao 79.040.741.043,00 0,70%
332104- Serviços De Agua E Electricidade I 0.529.270. 869,00 0,09%
332105 - Serviço De Hospedagem EA!imeutayào 11.301.306.986,00 0,10%
5688 DIÁRIO DA REPÚBLICA

RESUMO DA DESPESA POR NATUREZA ECONÓMICA

Natureza Valor ~h

332106 - Serviços De Fstudo. Fiscalização E Consultaria 403.269.542.555,00 3,55%


332107 - Serviço De Protecção E Vigilância 16.452.792.665,00 0.14%
--- ---
3322 - Outros Serviços De Terceiros 511.668.205.070,00 4,51%
332201 - Seguros - 16.475.433.832,00 0,15%
332202 - Serviços Bancários 11.380.910.624,00 0,10%
332203 - Serviços De Processamento De Dados 14.600.911.696,00 0,13%
332204 - Serviços De Limpeza E Saneamento 59.252.677 578,00 0,52%
----- ----
332205 - Serviços De 'Manutenção E Conservação 81.283.550.952,00 0,72%
332206 - Encargos Com Viagens Em Serviços E Transpottação 52.865.973.049,00 0,47%
--ffi2õ6Õ~ilhetes De Passagem 19 898.731.537,00 - -ü8%
33220602 - Subsídios De Deslocação 23 024.477.860,00 0,20%
--=----,...
33220603 - Serviços De Transportação De Pessoas E Bens 9.942.763.652,00 0,09%
33 2207 - Encargos Ad uaueiros E Portuários 5.644.059.530,00 0,05%
-nTI~endas De !moveis 16.848.755.861,00 0,15%
332209 - Outros Sen•iços 253.315.931.948,00 2,23%
34 - Juros 1.626.416.847.299,00 14,32%
342 - Juros Da Dívida Interna 818 854.422.998,00 7,21%
343 - Juros Da Dívida Externa 807. 562.424.301,00 7, 11%
35 - Subsídios E Transferências Correntes 804.876.551.348,00 7,09%
351 - Subsidios 274.630.710.526,00 2,42%
3511 - Subsidios A Emp. Públicas Não Financeiras 252.027.404.196,00 2,22%
351101 - Subsíd io A Preços 236.775.730.387 .oo 2,09%
351102 - Subsidio Para Cobertura De Custos Operacionais 15.251.673.809,00 0, 13%
35110201 - Subsídio P/Cobertura De Custos G>m Pessoal 6.278.498.259,00 0,06%
351102Õ-2 - Subsídio P/Cobertura De Ou tros 01stos Operac;ionais 8.973.175. 550~00-- Õ,08%
3512 - Subsidios A Instituições Financeiras 22.603.306.330,00 0,20%
351201 - Subsíd io P/ Cobertura De Custos G>m Pessoal 22.407.3 06.33 o.00 0,20%
351202 - Subsídio P/Cobert.De Ou tros Custos Operacionais 196 000 000,00 0,00%
352 - Transferências Correntes 530.245.840.822,00 4,67%
3522 - Transferências P/Instituições Sem Fins Lucrativos 30.782.041.399,00 0,27%
3523 - Transferências Cotnntes Para Familias 488.629.168.830,00 4,30%
352301 - Pensão De Reforma 327.764. 138.793,00 2,89%
352302 - Abono De Família 4.516. 268.043,00 0,04%
3523 03 - Bolsas De F.studos 41.264.593.835,00 0,36%
352304 - Subsíd ios As Au toridades Tmdicionais 10.780.733.114,00 0,09%
352306 - Pensão Dos Antigos G>mbatentes 72.235.707.538,00 0,64%
----
352309 - Ou tras Transferências Correntes Para Famílias 32.067.727.507,00 0,28%
3526 - Transferências C01nntes Para O E.xterior 10.834.630.593,00 0,10%
--- --
352601 - Transf. G>rrentes P/Goveruos E Org.Internacionais 10.834.630.593,00 o)O%
4 - Despesas De Capital 5.506. 863.231.437,00 48,50%
- - - - -·
41 - Investimentos 1.06 1.193.594.096,00 9,35%
-- --- ---- ---
411 - Aquisição De Bens De Capital Fixo 1.06 1.166.644.096,00 9,35%
--- -- - -- - ----
4111 - Construção De Imóveis 122.422 061.055,00 1,08%
=-=---==--- --=-= 5,70%
4112 - Construção De Infra-Estruturas E Instalações 647.403.738.389,00
4113 - Meios E Equipamentos De Tmnsporte 64.298.382.785.00 0,57%
4114 - Equipamentos De Processamento De Dados 38.746.257.240,00 0,34%
4115 - Aquisição De !moveis 32.889.539.179,00 0,29%
4116 - Aquisição De :Mobiliário 23.232.339.851,00 0,20%
4117 - Aquisição De Máqu inas, Equip.EFerrdmentas 29.015.734.213,00 0,26%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5689

RESUMO DA DESPESA POR NATUREZA ECONÓMICA

Natureza Valor ~h

4 118 - Obias De Reab.De Im6veis, In fia-Fstrut.E Instalações 65.402.349.775,00 0, 58%


4 119 - O utros Bens De Capital Fixo 37.7 56.24 1.609,00 0,33%
4 14 - Compia De Activos In tan gíveis 26.950.000,00 0,00%
42 - Transferencias De Capital 281.824.044.142,00 2,48%
421 - Transferências De Capital Internas 281.824.044.142,00 2,48%
4211 - Transfer.De Capital Para Outros Niveis Do Govemo Nacional 143.866.176.000,00 1,27%
42 1101 - Tiausf. De Capital Paia Fundos A ut.ouomos 143.866. 176 000,00 1,27%
-------- ----
4213 - Trausf. De Capital PaUl I nstituições Financeiias 1.402.479.392,00 0,01%
-- -
42 14 - Transferências De Capital Paia O utias Empresas 103.086.727.947,00 0,91%
42 19 - O utras Tiausferências De Capital 33.468.660.803,00 - o.i 9%
43 - Despesas De Capital Financeh'o 4.154. 354.676.553,00 36,59%
431 - Aplicação Em Activos Financeiros 311.005.908.507,00 2,74%
4313 - A umento De Participação E Outias Ap licações Financeiras 3 11.005.908.507,00 2,74%
432 - Amortização De Passivos Financeiros 3.843.348. 768.046,00 33,85%
4321 - Amortização Da Divida 3.689.066.953.895,00 32,49%
432101 - Amortização Da Divida Interna 1.603.926.027. 730,00 14,13%
43210103 - AmortDa Dívida A Instituições Financeiras 1.161.555. 030.996,00 10,23%
43210109 - Amortiz.Da Dívida A O ut. Entidades E Inst.Internas 442.370.996.734,00 3,90%
432102 - Amortização Da Divida Externa 2.085.140.926. 165,00 18,36%
43210209 - Amortiz.Dívida A O ut.Entidades/Instituições Externas 2.085.140. 926.165,00 18,36%
4329 - Amortização De OutJ·os Passivos Financeiros 154.281.814.151,00 1,36%
433 - O utros Passivos Financeiros 154.281.814.151,00 1,36%
49 - O utias Despesas De Capital 9.490. 916.646,00 0,08%
9 - Reservas 107.800.000.000,00 0,95%
-- --------,-- 1o7.8õo~õoo. ooõTo--
91 - Reserva O rçamenta l -- õ~95%
5690 DIÁRIO DA REPÚBLICA

RESUMO DA DESPESA POR FUNÇÃO


Função Valor %

Total Geral: 11.355.138.688.790,00 100,00%

01 - Serviços Públicos Gerais 1.193.475.392.203, 00 10,51%


O1.01.00 - Ór~ãos Legislativos 34.360.931.536,00 0,30%
O1.02.00 - Órgãos Judiciais 48.896.475.345,00 0,43%
01.03.00 - Órgãos Executivos 504.382.698. 166,00 4,44%
O1.04.00 - Assuntos Financeiros E Fiscais 468.02 9.3 00.803.00 4, 12%
O1.05.00 - Relações .&teriores 48.359.662.287,00 0,43%
O1.07.00 - Serviços Ptíblicos Gerdis De In vest ig.E Desenvolvimento 122.612.970,00 0,00%
01.09.00 - Ajuda Econó mica Externa 980.809.3 16,00 0,01%
O1.10.00 - Investigação Básica 1.356.930. 204,00 0,01%
01.18.00 - Serviços Gerais 44.934. 177.203,00 0,40%
01.19.00 - Outros Serv iços Gerais Da Administ.Ptíblica 42.051.794.373,00 0,37%
02 - Defesa 584.417.825.355,00 5,15%
02.01.00 - Defesa Militar 572.032.132.263,00 5,04%
02.02.00 - Protecção E Segurança 12.385.693.092,00 0,11%
03 - Seg_lJrança E Ordem Pública 461.152.870.344,00 4,06%
03.01.00 - Serviços Policiais 395.984.995. 113,00 3,49%
03.02.00 - Serviços De Bombeiros 650.940.878,00 0,01%
03.04.00 - Prisões 1.634.679.416,00 0,01%
03.05.00 - Serviços De Protecção Civil 844.265.7 55,00 0,01%
03.06.00 - Investigação E Desenvolvimento Em Seg.E Oroem P1íblica 61.67 6.621.366,00 0,54%
03.09.00 - Outros Serviços De Segurdnça E O rdem Ptíblica 361.367.816,00 0,00%
04 - Educa~_
o_ ____!f!J :!45.636.2!?~ __5_,96%
04.01.00 - Ensino Pré-Escolar 32.340 000,00 0,00%
04.02.00 - Ensino Primário 291.203.668.841,00 2,56%
04.03.00 - Ensino Secnnd::..
ár:.::io~- 224.212.797.264,00 1,97%
04.05.00 - Serviços Subs idiários À Educação 54.975.045.736,00 0,48%
04.06.00 - Ensino Técnico-Profissional 28.461283.629,00 0,25%
04.07 - Ensino Superior 77.936.540.420,00 0,69%
04.07. 01 - Ensino Superior De Gradna_são 77.866.759.734,00 0,69%
04.07.02 - Ensino Superior De Pós-Graduação 69.780.686,00 0,00%
04.08.00 - Investiga2_ão E Desenvolvimento Em Educação 3.517.043,00 0,00%
04.10.00 - Educação Especial 420.443.3 14,00 0,00%
05 - Saúde 7 48.995.544.965,00 6,60%
_ OS.:.Q_1_:_0 0 - Serviç~ Hos.Pitala_~ Ge~s 219.240.223.632,00
-------- ~3%
05.02.00 - Serviços Hospitalares Especializados 54.796.049.2 14,00 0,48%
05.03.00 - Serv ~os De Centros Médicos E De ?vfateruidade 59.204.980.986,00 0,52%
05.04.00 - Servi os De Saúde Pública 3 93.002.105.3 82,00 3,46%
05.05.00 - Produtos, Apare lhos E Equipamentos Médi~ 22.382.365.450,00 0,20%
05.07.00 - Serviços De SaJídeAmbolat6rios 369.820.301,00 0,00%
06 - Prot~_ção Socil!' 526.749.824.276,00 _ _ 4,64%
06.01.00 - Família E Infância 9.199.966.240,00 0,08%
06.02.00 - Velhice 387.083.877.511,00 3,41%
06.04.00 - Sobrevivência 66.829.923.976,00 0,59%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5691

RESUMO DA DESPESA POR FUNÇÃO

Função Valor %

06.06.00 - Doença E Incapacidade 1.491.681. 640,00 0,0 1%


06. 09.00 - Outros Sexviços De P rotecção Socia l 62. 144.374.909,00 0,55%
9'7 - H~ l~~~!~§-~rvi os Comu!!ltárlos_ _ 368.981_.330. <i~. oo
____
3,25%
07.01.00 - Desenvo lvimento Habitacio nal 83.427 .685.615,00 0,73%
07.02.00 - Abastecimento De Ág ua 135.17 8.784.528,00 1, 19%
07 .03.00 - Ilu minação Das Vias P ríb licas 936.313.004,00 0,01%
07.04.00 - Desenvolv imento Com unitário 8.942.623.767,00 0,08%
07.05.00 - Saneamento Básico 7 .164.058.751,00 0,06%
07 .06.00 - In fra-&tru tnra Urbana 133.33 1.864.987,00 1,17%
08 - R ecreação, C ultura E R eligiã o 47.509.950.206,00 0,42%
08.0 1.00 - Serviços 01 lturais 8.911.164. 239,00 0,08%
08.02.00 - Serviços Recreativos E Desportivos 11.662.855.309,00 0, 10%
08.03.00 - Serviços Religiosos E Outros Serviços À Com unidade 818.724.270,00 0,01%
08.04.00 - Serviços De Difusão E P ublicação 26. 11 2.761.052,00 0,23%
08.09.00 - Ass un t.E Serv. De Rec.Cnltnra ERelig.Não E<;pecificados 4.445.336,00 0, 00%
09 - Assuntos E conómicos _ _!}~4.988.571.396, 00 11,14%
09.01 - ·tctdtura, Slvictdtura, Pesca E C a ça 194.409.499.662,00 1,71%
09. 01.01 - A_gric ultura 17 8.133.365.927,00 1,57%
09.01.02 - Sivicultura 2.011.593.686,00 0,02%
09. 01. 03 - Pesca E Ca~ 14.264.540.049,00 0, 13%
09.02 - Transportes 339.223.525.518,00 2,99%
09.02.01 - T ransporte Rodov iá rio 177.162.707. 132,00 1,56%
09. 02.02 - T ransporte F luvia l 37.558.408.985,00 0,33%
09. 02.03 - Tra nsporte Ferrov iá rio 38. 182.101.020,00 0,34%
09.02.04 - T ransporte Aéreo 86.320.308.381,00 0,76%
09.03 - Combustíveis E Ene1.:g!a 353.019.147.916,00 3,ll%
09.03.02 - Petróleo E Gás Nat ural 27.039.820.1 07,00 0,24%
09.03.05 - E lectric idade 3 11.495.304.852,00 2,74%
09.03. 06 - Ene rgia Não E léctrica 14.484.022.957,00 0, 13%
_Q~<!_4 - !!!'!úst1~a E xtr activa, !ran~formadora E ÇQnstt·u fl!_O
__
09.04.01 - Ind tfstria Extractiva E Rec.Minerais , Except.Comb ustíve is 13. 586.603.004,00 0, 12%
09.04.02 - Ind tístria T ransformadora 40.347.397 .595,00 0,36%
09.04.03 - Constru ção 19.882.469. 17 1,00 0, 18%
09.05 - Assuntos Económicos G erais, Comerciais E Laborais 2 78.884.508.786,00 2,46%
09.05.01 - Assuntos Económ icos E Comerc iais Em Glral 27 6.029.548.209,00 2,43%
09.05. 02 - Ass un tos Laborais Em Geral 117 .802.672,00 0, 00%
09.05.03 - Turismo _ _2_:_132:_1522_05,00 0,02%
----
09.06 - Comunicações E Tecnolo ' a s Da Inf01·mação 21.995.825.523,00 0,19%
09.06.01 - Com unicações 12. 114.310. 17 8,00 0,11%
09. 06. 02 - Tecno logias Da I nforma ão 9 .881.515.345, 00 0,09%
09.09.00 - Outras Activ idades Económicas 3 .639.594. 22 1,00 0,03%
lO - Protec ão Ambiental ll.856.l27.80l,OO 0,10%
10. 01. 00 - Glstão De Resíd uos 5.842.994.0 10,00 0,05%
10. 02.00 - Glstã.o De Águas Resid ua is 7 98.387.968,00 0,01%
5692 DIÁRIO DA REPÚBLICA

RESUMO DA DESPESA POR FUNÇÃO

Função Valor %

10.04.00 - Protecção Da Biodiversidade E Da Paisa<>em 1.737.143.970,00 0,02%


10.05.00 - Investigação EDesenvolvim.Em Protecção Do Ambiente 2.142.448.303,00 0,02%
10.06.00 - Ou tros Serviços De P rotecção Ambiental 1.335.153 550,00 0,01%
18 - Operações De Divida Pública 5.469. 765.615.345,00 48, 17%
18.01 - Operações Da Dívida Ptiblica Interna 2.577.062.264.879,00 22,70%
18.02 - Operações Da Dívida Ptiblica Externa 2.892.703.350.466,00 25,47%

RESUMO DA DESPESA POR LOCAL

Província Valor
Total Geral: 11.355.138.688.790,00 100,00%
Bengo 54.048.359.990,00 0,48%
-------··
Benguela 127.922.453.530,00 1,13%
Bié 77.464.149.275,00 0,68%
Càbinda 80.245.7 11.293,00 0,7 1%
01nene 54.285.152.286,00 0,48%
Dívida Ptiblica 5.469.765.615.345,00 48,17%
- - - - -·-
&trntura Central 3.897.733.088.545,00 34,33%
--- ·---
E'tterior 35.647.27 1.394,00 0,3 1%
Huambo 111.976.506.720,00 0,99%
Hníla 114.223.315.568,00 1,01%
Kuando Knbaugo 77. 165.416.510,00 0,68%
Kwanza Nort.e 123.167.378.350,00 1,08%
Kwanza Sul 85.838.570 082,00 Õ,76%
------- - -
Luanda 535.934.7 10.610,00 4,72%
Lunda Norte 67.478.854.039,00 0,59%
Lunda Sul 37.450.615.970,00 0,33%
Malanje 98.646.461.534,00 0,87%
lvfoxico 69.751556.786,00 0,61%
Namibe 51.768.769.238,00 0,46%
Uíge 80.854.511.305,00 0,7 1%
Zaire 103.770.220.420,00 0,91%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5693

RESUMO DA DESPESA POR PROGRAMA

Programa Valor %

Total Geul: 11.355.138.688.790,00 100,00%


Acções Corren tes 9.654.740.173.041,00 85,03%
Melhoria Da Sa tíde !Vfaterno-Infantil E Nutrição 29.251.420.811,00 0,26%
Fomeuto Da Arte E Das Indtístrias C ulturais E Criativas 7 16. 123.089,00 0,01%
Fomento Da Produção Pecuária 15.7 14.205. 157,00 0,14%
Fomento Da Exploração E Gestão S ustentável De Recursos Florestais 57 1.920.687,00 0,01%
Exploração S ustentável Dos Recursos Aquáticos Vivos E De) Sal 2. 130.435.637,00 0,02%
Desenvolvimento Da Aqu icultura Sustentáve l 1.689.305.070,00 0,01%
Reconversão Da Economia Informal 179.407.915,00 0,00%
Expansão Do Transporte Ptíblico 2. 621.142.666,00 0,02%
Formação E Gestão Do Pessoal Docente 2.459.564.055,00 0,02%
Melhoria Da Q ualidade E Desenvolvimento Do Ensino Primário 67.335.545.840,00 0,59%
Estabelecimento Do Sistema Nacional De Qualificações 100.000.000,00 0,00%
- ----
Co nstrução E Reabilitação De Edifícios Públicos E Equipamentos Sociais 104.248. 207.386,00 0,92%
Combate Às Grandes Endemias Pela Abordagem Das Determinantes Da Saúde 152.634.824.481 ,00 1,34%
Valorização E Dinamização Do Património H istórico E Cultltral 7. 508.715.859,00 0,07%
Melhoria Da Gestão Das Finanças Públicas 9.005.605.445,00 0,08%
Melhoria Da Organização E Das Condições De Trabalho 11.110.587,00 0,00%
Expansão Do Abastecimento De Ág ua Nas Áreas Urbanas, Sedes De Município E Áreas 85.361.834.500,00 0,75%
Rurais
Promoção Da Cidadania E Da Participação Dos Cidadãos Na Governação 57.969.301,00 0,00%
Plano Nacional De furmação De Quadros 1.174. 621.433,00 0,01%
Desminagem 6.568.298.656,00 0,06%
Reforço Da Projecção De A ngo la No Exterior 17.842.332,00 0,00%
Fomento Da Produção AgrK:ola 155.781.792.73 1,00 1,37%
Desenvolvimento Do Ensino Secundário Gera l 4.325.568.732,0_0_ _ 0,04%
Melhoria Da Qualidade Do Ensino S uperior E Desenvolvimento Da Investigação Cientif ica 51.889.582.422,00 0,46%
E Tecnológica
Reforma E Modernização Da Administração Da Justiça 16.008.491.236,00 0, 14%
Desconcentração Administrativa E F ina nceira 635.325.640,00 0,01%
~h o ria Da Capacidade Nacio nal De Prevenção E Socorro Das Põj)U!ãções 6-:940.661 . .58~ õ,66%
-----
Apoio À Produção, SubstituiÇão Das Importações E Diversi!ficação Das li'<portações 3 1.044.696.499,00 0,27%
Melhoria Da Segurança Alimentar EN utricional 1.409.497. 124,00 0,01%
---
Alterações Climátjcas 754.519.737,00 0,01%
=-::-:-:--:-
Desenvolvimento E Melhoria Das Infraestruturas De Transportes 39.486.454.0ll,OO 0,35%
Melhoria E Desenvolvimento Do E~ Té cnico-Profissionãl 7.344.585.464,00 - -(Õ6%
Aprofundamento Da Reforma Da Administrdçào P tíbliêa - 16.875.8o3.o·o- - (õo%
Descentralização E Implemenlaçào Das Autarquias Locais ~7 80.788.47oJí·o- -(17%
-----
Desenvolvimento Da Rede Urbana 40.191.422.695,00 0,35%
----- --------- - · ------ --
Fortalecimento E Valo rização Das Forças Armadas 1.450.037.947,00 0,01%
Melhoria Da Participaçãõ De Angola No a;;;;érc io Interuaciõlli\1 l6.2ÕõJ45.oo o.oo%
Melhoria Da Assistência Médica E Medicamentosa 4 1.129.466.435,00 0,36%
Apoio À Vitima De Violência - - ,1,--:2-=-
5 .-=
76=7:-:
.8c-8_--=-
6 .-=-
o o, - -o. o o%
Melhoria Do Bem-Estar Dos Antigos Combatentes E Veteraltos Da Pátria 3.165.807.806,00 0,03%
------
Habitação 50.095.7 03.697,00 0,44%
- -;-
M-;-e-::lhoria Do S istema Nacional De Q ualidade 348 ~657:87õ.o-o õ.õo%
Desenvolvimento E Consolidação Da Fileira Do Petróleo E Gás Natural 374.019.753,00 0,00%
Biodiversidade E Áreas De Conservação 281.011.283,00 0,00%
5694 DIÁRIO DA REPÚBLICA

RESUMO DA DESPESA POR PROGR AMA

Programa Valor %

Prevenção De Riscos E Protecção Ambiental 12.394.770.148,00 0,11%


Promoção Da Empregabilidade 930.091.938,00 0,01%
Desenvolvimento De Infraestmt.uras De Telecomunicações 18 Tecnologias De Infonnação 8.350.734.094,00 0,07%
Desenvolvimento Da Educação Pre-Bscolar 549.236.964,00 0,00%
Acçã.o Social, Satíde E Desporto Escolar 457. 193.276,00 0,00%
Reforço Do Combate À Criminalidade E À Delinquência 4.492.451.376,00 0,04%
Melhoria Do Ambiente De Negócios E Concorrência 21.811.606,00 0,00%
Melhoria Da Competitividade E Da Produtividade 22.931.297,00 0,00%
Desenvolvimento E Modernização Das Actividades ~o lógico-Mineiras 11.435.660.427,00 0, 10%
--- - ---,-,....,..-----c---,-.,-
Consolidação E Optimização Do Sector Eléctrico 18.423.849. 199,00 0, 16%
Desenvolvimento Local E Combate A Pobreza 109. 705.9so--=
.3--=-
93 ~..,
oo,--·-7" o.-::-:
97=%
Reforço Do Combate Ao Crime Económico, Financeiro E À. Corrupção 147. 122.522,00 0,00%
Promoção Da Inovação E Transferência De Tecnologia 155.572.911,00 0,00%
Melhoria Do Saneamento Básico 10.547.190.290,00 0,09%
Protecção E Promoção De Direitos Da Criança 1.742.015.025,00 0,02%
Desenvolvimento Integral Da Juventude 4. 123.436.831,00 0,04%
Intensificação Da Alfabetização E Da Educação De Jovens E Adultos 6.062.192.446,00 0,05%
Reforço Do Sistema Nacional De Emprego E-Fbnnação Pro fissioual 23.641.858,00 0,00%
Capacitação Institucional E Valorização Dos Recursos Humanos Na Admini!.'tração Ptíblica 22.081.7 19.429,00 0,19%
Coesão Territorial 1.749.147.047,00 0,02%
Melhoria Do Sistema Geodésico E Cartográfico Nacio nal 494.034.646,00 0,00%
Construção E Reabilitação De In fraestruturas Rodoviárias 169.563.479.669,00 1,49%
Reforço Das Capacidades Técnico-Materiais E Operacionai~; 28.484.791.592,00 0,25%
Melhoria Do Controlo Das Fronteiras Nacionais E Imigraçãc) 676.030.539,00 0,01%
Reforço Do Sistema De Informação Sanitária E Desenvolvimento Da Investigação Em 192. 57 8....,.14
..,.,5~.o=--=o- · -0, 0o
7 7
:-=
%
Satíde
Generalização Da Prática Desportiva E 1'vfelhoria Do Despo1to De Rendimen to 4.354.617. 176,00 0,04%
- "7"7-:
Modernização E Desenvolvimento Da Actividade De Transportes 4. 901.444.792,00 0,04%
Expansão Do Acesso Á Energia Bléctrica Nas Á reas U rbanas, Sedes De Município E Á reas 263.67 S. 389.553,00 2,32%
Rurais
Desenvolvimento E Consolidação Do Sector Da Água 15.965.248.325,00 0,14%
Melhoria Do Serviço Ptíblico Nacional Da Com unicação Social 624.516.559,00 0,01%
Promoção Do ÕéneroEEmpoderamento Da Mulher 562.775.129,00 õ.oo%
V alorização Da Família E Reforço DãSCompetências Famimares 1.325. 968.593,00 0,01%
- -- - - - -- :-:----:-:-:
Reforma Da Administração Local E Melhoria Dos Serv iços Públicos A Nível Municipal 4.633.748.334,00 0,04%
FõffieutODa Produção Da Indústria Transformadora --
13.483.37 2.888,0-0- -0;Tf%
Desenvolvimen to De Ind6Stri~ Da Defesa --3~838.468~732J)Õ --o~ô3-%
Desenvolvimen to Hoteleiro E Turístico - 744 079.077,0-0- -( 01%
_ _Desen volvim~u~?a Logís~ca_ EDa Distribuição,__ __ - -3.724.502..848:00 - -(Õ3%
- - -----
Ordenamento Do Espaço Míuinho E Saúde Do Ecossistema 104.112.508,00 0,00%
Melhoria i5õSistemaN aciOnãl De Qualidade -- 745.113.60Õ,ÕÕ- -O,õ1%
.~-~~~=~-~-
Reforço Do Sistema Nacional De Formação Profissional ~2 488.087,-
00--Ô~07%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5695

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Assembleia Nacional
RECEITA POR NATUREZA ECONÓMI CA
Natureza Val01· ~h
Total Geral: 115.170.102,00 100,00%
Receitas Conentes 115.170. 102,00 100,00%
Receitas Conentes Diversas 115.170. 102,00 100,00%
O nhas Receitas Correntes 115.170.102,00 100,00%
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 35.665.273.385,00 100,00%
DespesasCorrente~
s _ _ __ 31.161.766.616,00 87,37%
--·-----· -
Despesas Com O Pessoal 22.102.542.449,00 61,97%
Des(Jesas Com O Pessoal O vil 22.102.542.449,00 61,97%
- - ----- - - - - - - - --- --------
Contlibuições Do Em1Jregador 311.268.654,00 0,87%
- Co;tribniçõesDoEmpregador Para A Segurança Social 311.268 654'.00 0,87%
Des(J esas Em Bens E Serviços 8.328.277.441,00 23,35%
Bens 1.193.650.990,00 3,35%
Serviços 7.134.626.451,00 20,00%
Subsídios E Transfe1·êndas Correntes 419.678.072,00 1,18%
Transferências Correntes 419.678.072,00 1,18%
Despesas De Capital 4. 503.506.769' 00 U,63%
Investimentos 4.503.506.769,00 U,63%
Aqtúsição De Bens De Capital Fixo 4.503.506.769,00 U,63%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mçí'ío Valor %
Total Geral: 35.665.273.385,00 100,00%
Serviç~ Públicos Gera~ 35.531.755.639,00 99,63%
Qgãos Legislativos 34.360.931.536~6~34%
6-'gãos Executivos 1.170 824.103,00 3,28%
Assuntos Económicos 133.517.746,00 0,37%
Comtmicações E Tecnologias Da Informação 133.517.746,00 0,37%
Comu nicações 133.517.746,00 0,37%
DESPESA() POR PROGRAMA
Pl:ograma Valor %
Total Geral: 35.665.273.385,00 100,00%
Acções Corre ntes 35.665.273.385,00 100,00%
DESPESAS DE FUNCIONAMENT O E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~h
Total Geral: 35.665.273.385,00 100,00%
Defesa Dos Direitos E Garantias Dos Cidadãos 1.170.824.103,00 3,28%
Deseuvolvimeut.o Da Actividade Legislativa 34.360.931.536,00 96,34%
Operação EManuteução Geral Dos Serviços 133.517.746,00 0,37%
DE&'PESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natm·eza Valor %
Assembleia Nacional 35.531.755.639,00 100,00%
---
Despesas Conentes 31.028.248.870,00 87,33%
---
Despesas Com O Pessoal 22.060.135.425,00 62,09%
5696 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS D E NAHJREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Uni dade O r çamental I Natm· eza Va lor 0
/o
Contribuições Do Empr egador 311.268.654,00 0,88%
_ D_e_s_p_e s_a_
s Em Bens E Seniços _ __ 8.237.166. 719,00 23,18%
-- --
Subsídios E Transferências Correntes 419.678.072,00 1, 18%
---- ----
Despesa s De Capital 4.503.506. 769,00 12,67%
----
Investimentos 4.503.506. 769,00 12,67%
U1údade Orçamenta l I Natm· eza Valor %
Entidade Reguladora Da Comnnicaçiio Social 133.517.746,00 100,00%
----=-~ ------
133.517.746,00
--
100,00%
Despe sa s Correntes
Despesas Com O Pessoal 42.407.024,00 31,76%
Despesas Em Bens E Ser viços 91.110.722,00 68,24%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Presidência Da República
DESPESAS POR NATUREZA E CONÓMICA
Natureza Val or %
T otal Geral : 23.805.887.804,00 100,00%
Despesas Corrente! 21.715.743.804,00 91,22%
------
__!>e~lJesas
Com_O Pessoal --~~1~~25.653~~6~~4%
Despesas Com O Pessoal Qvil 3.818.525.653,00 16,04%
Contl"ibuições Do ~npre gado_
r _ 151.033.645,00 0,63%
Contribuições Do E~regador Para A Segurança Social 151.033.645,00 0,63 %
--- - - - -
__!>e~lJesas Em Bens E ~~rvi~s 16.177.100.608,00 67,95%
----
Bens 3.226.604. 762,00 13,55%
Serviços 12.950.495.846,00 5 4,40%
Subsídios E Transferências Correntes 1.569.083.898,00 6,59%
Tramferências Correntes 1.569.083.898,00 6,59%
Despesas De Capital 2.090.144.000,00 8,78%
- --
Investimentos 2.090.144.000,00 8,78%
Aquisição De Bens De Capital Fixo 2.090.144.000,00 8,78%
DESPESAS POR FUNÇÃO
Função Val or
T otal Geral : 23.805.887.804,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 19.628.844.160,00 82,45%
Órgãos Executivos 19.628.844.160,00 82,45%
Educação 1.174.621.433,00 4,93%
Ensino Superior 1.174.621.433,00 4,93%
Ensino Superior De Graduayão 1.174.621.433,00 4,93%
~ecreação, C ultura E Religião 2.902.422.211,00 12,19%
Setv iyos Culturais - -Ú02.422.211 ,00-r2T9%
Assunt os Económicos 100.000.000,00 0,42%
Assuntos Económicos Gerais, Comerciais E Laborais 70.000.000,00 0,29%
Assuntos Económicos E Comerciais Em Geral 70.000.000,00 0,29%
OutJ'as Actividades Eco nómicas - -3 o.ooO.oOõJ)o 0,13%
DESPESAS POR PROGRAMA
Programa Val or %
T otal Geral : 23.805.887.804,00 100,00%
20.590.866.37 1,00 86,49%
1940 400 000,00 8,15%
Estabelecimento Do Sistema Nacional De Qualificayões - - 1ÕO.ÕÕO 000,00 0,42%
Plano Nacional De Fonuação De Quadros 1.174.621.433,00 4,93%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO E: DE APOIO AO DESENVOL VIMENTO
Projecto I Acthidade Val or %
Total Geral : 21.865.487.804,00 100,00%
Admini~trayão E ~stão Dos Assuntos Governamentais 715.056.631,00 3,27%
Apoio Financeim Para As Associayões De Utilidade Pública 1.568.000.000,00 7 ,17%
Assistência Médica E Medicamentosa 490.000.000,00 2,24%
Càpacitayão Institucional Dos Principais Actores Do Snq (Depart. Ministeriais) E Parceims lT.õoo.oOõJ)o 0,05%
Sociais
Elab;;-ração Do Catá logo Nacional De Qualificayões (Cnq) (+JS Mil Exemplares) 15.000 000,00 0,07%
:---:-~-:-::,--

Elaboração Do Mlnual De Pmcedimentos Do Qualificador Nacional Das Profissões (15 Mil 12.000.000,00 0,05%
E:'Cem~res)
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5697

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Elaboração Do Manua l De Procedimentos Reg ime De Reconhecimento Certificações De 13.000 000,00 0,06%
ComEet.êuc:c@s
Encargos Com A Expo 982.744.000,00 4,49%
Gestão Do Arq uivo Da P residência !fd República 1.133.860 000,00 5,19%
Mau uteução E Conservação Do :Memo tia l Ago5tiulto Neto 78.725.523,00 0,36%
:Mobilização De Cons ulto ria Especializada 1O. 000.000,00 0,05%
-------
Operação Elvfauuteuçào Geral Dos Serviços 16.794.651.650,00 76,81%
RealizaçãoDelEstudo Técnico De Viab il iza
--
7
_,
-
çã._o-::D"""a-,I:o-
mp lemeutação D·o Suq
-----
-uooO.õoo-:oo- 0,05%
Realização De 2 Estudos De Beuc lt markiug Sobre Cuq (Um E nvolvendo Os Palop E O utro A 18 000 000,00 0,08%
~~~
Rea lização De Campanhas D ivu lgação Se ns ib ilização Da Sociedade Sobre A I mportfu.tcia Do 8.000 000,00 0,04%
~_u_g_
Solu ção Tecno lóg ica Do P.d lácio Presidenc ial 2.450 000,00 0,01%
- PROGRAMA DE I NVEST1ME NTOS PÚBLICOS
Municlpio I Pl"ojecto I Actividade Total
Total Geral: 1.940.400.000,00
Esu·utm·a Central 1.940.400.000,00
Estudo E Constru ção Da Gale ria E Biblioteca Da Presidênc ia Da Repotíblica 1.940.400.000,00
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Gabinete T écnico De Reconversão Urbana Do Cazenga 715.056.631,00 100,00%


Despesas Correntes 715.056.631,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 144.749.818,00 20,24%
Conu·ibuições Do Empregado•· 10.094.000,00 1,41%
Despesas Em Bens E Serviços 560.212.813,00 78,35%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
M emotial Dr. António Agostinho Neto 962.022.211,00 100,00%
Despesas Cornntes 962.022.211,00 100,00%
DesJJ esas Com O P essoal 73.772.252,00 7,67%
Conu·ibuições Do Empregado•· 4.457.373,00 0,46%
Despesas Em Bens E Serviços 883.296.688,00 91,82%
Subsidias E Tmnsferências Correntes 495.898,00 0,05%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Secretaria Geral Da Pr esidência Da R epública 20.854.187.529,00 100,00%
Despesas Conentes 18.764.043.529,00 89,98%
Despesas Com O P essoal 3.243.854.429' 00 15,55%
Contribuições Do Empregador 104.40 l. 024,00 0,50%
Desp esas Em Bens E Serviços 13.847.200.076,00 66,40%
Subsidios E Transfer ências Correntes 1.568.588.000,00 7,52%
Despesas De Capital 2.090.144.000,00 10,02%
Investimentos 2.090.144.000, 00 10,02%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Unidade Técnica De Gestão Do Plano Nacional De Formação De Quadros 1.274.621.433,00 100,00%


Despesas Correntes 1.274.621.433,00 100,00%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DE&'PESAS DE NATUREZA POR U NIDADE ORÇ AM ENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Despesas Com O P essoal 356.149.154,00 27,94%
Contribuições Do Empregador 32.081.248,00 2,52%
Despesas Em Bens E Serviços 886.391.031,00 69,54%
5698 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Tribunal Constitucional
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 3.393.229.294,00 100,00%
Despesas Correntes 3.389.309.294,00 99,88%
-- ----- ----- -----
Despesas Com O Pessoal 2.023.066.056,00 59,62%
c---:--=-~ -----
Despesas Com__9 Pessoal a~ 2.023.066.056,00 59,62%
ConUibuições Do Empregador 108.221.997,00 3,19%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumn ça Social 108.221.997,0-0 - 3.l9%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 1.257.786.041,00 37,07%
Bens 292.903.844,00 8,63%
~rviços _ _ ---~--- 964.882.197,00 28,44%
- - - -----
Subsidios E Transferências Correntes 235.200,00 0,01%
Transferências Correntes 235.200,00 0,01%
Despesas De Capital 3.920.000,00 0,12%
Investimentos 3.920.000,00 0,12%
------,--- ---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 3.920.000,00 0,12%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 3.393.229.294,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 3. 393.229.294,00 100,00%
órgãos Judiciais 3.393.229.294,00 lOO,ÕÕ%
DE&'PESAS POR PROGRAMA
Val01· ~h
Total Geral: 3.393.229.294,00 100,00%
Acções Corre ntes 3.393.229.294,00 100.00%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO I: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl:ojecto I Actividade Valor %
Total Geral: 3.393.229.294,00 100,00%
Opernção E 1vfan utenção Gemi Dos Serviços 3.270.729.294,00 96,39%
Serviços Integrados De Nfanu teução Do Palácio Da Justiça - 122.soo-.-oõo.õo--:f.6f%
--·- -----
DESPESAS DE NATUREZA POR: UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Tribunal Constitucional 3.393.229.294,00 100,00%


Despesas Correntes 3. 389.309.294,00 99,88%
Despesas Com O Pessoal 2.023.066.056,00 59,62%
Contribuições Do Empregado1· 108.221.997' 00 3,19%
Despesas Em Bens E Serviços 1.257.786.041,00 37,07%
Subsidios E Transferências Correntes 235.200,00 0,01%
Despesas De Capital 3.920.000,00 0,12%
- -
Investimentos 3.920.000,00 0,12%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5699

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Tribunal Snp1emo
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 3.277.486.458, 00 100,00%
Despesas Correntes 3.179.564.858, 00 97,01%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 1.557.842.042,00 47,53%
c---:--=-~
Despesas Com__9 Pessoal a~ 1.557.842.042,00
99.754.718,00
--47,53%
--
3,04%
ConUibuições Do Empregador
--- - --
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumuça Social 99.754.7 18,00 3,õ4%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 1.521.614.514,00 46,43%
--- ---
Bens 579.201.305,00 17,67%
~rviços _ _ ---~--- 942.413.209,00 28,75%
-----
Subsidios E Transferências Correntes 353.584,00 0,01%
Transferências Correntes 353.584,00 0,01%
Despesas De Capital 97.911.600,00 2,99%
-- -------
Investimentos 97.921.600,00 2,99%
------,--- -- -------
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 97.921.600,00 2,99%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 3.277.486.458,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 3.277.486.458,00 100,00%
órgãos Judiciais 3.277.486.458,00 100,ÕÕ%
DE&'PESAS POR PROGRAMA
Prog1·ama Val01· ~h

Total Geral: 3.277.486.458,00 100,00%


Acções Corre ntes 3. 277.486.458,00 100,00%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO I: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl:ojecto I Actividade Valor %
Total Geral: 3.277.486.458,00 100,00%
Mau uteução De Residências De Membros Do Goveruo E Magistrados 14.161000,00 0,43%
Opemção E Mau ute ução Geral Dos Serviços ----r.263.325.458,00 9-9,57%
--·- -----
DESPESAS DE NATUREZA POR: UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Tribunal Supremo 3.277.486.458,00 100,00%


Despesas Correntes 3.179.564.858, 00 97,01%
Despesas Com O Pessoal 1.557.841.042,00 47,53%
Contribuições Do Empregado1· 99.754.718,00 3,04%
Despesas Em Bens E Serviços 1.521.614.514,00 46,43%
Subsidios E Transferências Correntes 353.584,00 0,01%
Despesas De Capital 97.921.600,00 2,99%
- -
Investimentos 97.911.600,00 2,99%
5700 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Tribunal De Contas
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral : 1.991.158.565,00 100,00%
Despesas Corren tes 1.686.628.124,00 84,71%
-- ----- ------ --
Despesas Com O Pessoal 729.750.187,00 36,65%
c---:--=-~ --c=-~ ---·--
Despesas Com__9 Pessoal a~ 729.750. 187,00 36,65%
ConUibuições Do Empregador 55.681.738,00 2,80%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 55. 681.73 8~2;80%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 90 1.196. 199,00 45,26%
Bens 140.197.079,00 7,04%
Serviço~ 760.999. 120,00 38,22%
--------
Despesas De Capital 304.530.441,00 15,29%
--------
Investimentos 304.530.441,00 15,29%
---------
Aquisição De Ben s De Capital Flxo
----------
304.530.441,00 15,29%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valo1· ~h

Total Geral: 1.991.158.565,00 100,00%


Serviços Públicos Gerais 1.99 1.158.565,00 100,00%
- Qgãos Judiciais 1. 991158.565,00 100,00%
DE&'PESAS POR PROGRAMA
Programa Valor %
Total Geral: 1.991.158.565,00 100,00%
Acções Correntes 1. 991.158.565,00 100,00%
DESPESAS DE FUNCIONA!VIENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~h
Total Geral : 1.991.158.565,00 100,00%
Opernção E 1vfan utenção Gemi Dos Serviços 1. 991158.565,00 100,00%
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~h

Tribunal De Contas 1.991.158.565,00 100,00%


Despesas Correntes 1. 686.628. 124,00 84,71%
Despesas Com O Pessoal 729.750. 187,00 36,65%
Contribuições Do Empregador 55.681.738,00 2,80%
DesJJesas Em Bens E Serviços 901.196. 199,00 45,26%
------·
Despesas De Capital 304.530.441,00 15,29%
--------
Investimentos 304.530.441,00 15,29%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5701

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Supremo Tribunal Militar
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 3.594.955. 663,00 100,00%
Despesas Correntes 3.594.955.663,00 100,00%
-- ----- ---
Despesas Com O Pessoal 3.075.418.062,00 85,55%
c---:--=-~
Despesas Com__9 Pessoal a~ 3.075.418.062,00 85,55%
ConUibuições Do Empregador 132.937.882,00 3,70%
- Co ntribuições Do Empregador Parn A Segumuça Social 132.93'f882.o-o - f? o%
---- ----
Despesas Em Bens E Serviços 386.599.719,00 10,75%
- ----
Bens 49.929.239,00 1,39%
Serviços 336.670.480,00 9,37%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 3.594.955.663,00 100,00%
Snviços Públicos Gerais 3.594.955.663,00 100,00%
Órgãos Jud iciais 3. 594.955.663,00 100,00%
DESPESAS POR PROGRAMA
Programa Valor ~~
Total Geral: 3.594.955.663,00 100,00%
Acções Co rrentes 3.510.929.509,00 97,66%
Otpacitação Institucional E Valorização Dos Rec ursos Humanos Na Admiuistrnção Ptiblica 84.026. 154,00 2,34%
DESPESAS DE FUNCIONA!VIENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojec.to I Actividade Valor %
Total Geral: 3.594.955.663,00 100,00%
Formação E Capacitação Técnica - Profissional 84. 026.154,oo 2,34%
Mau uteuçãODê Residências De .Membros Do Governo E 1\.fagistrados 27.423. 166,00 0,76%
Opernção E 1\.fau uteução Gernl Dos Serviços 3.483.506.343,00 96,90%
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~(,

Supremo Tribtmal Militar 3.594.955.663,00 100,00%


Despesas Correntes 3.594.955.663,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 3.075.418.062,00 85,55%
Contribuições Do Empregador 132.937.882,00 3,70%
DesJJesas Em Bens E Serviços 386.599.719,00 10,75%
5702 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Gabinete Do V ice-Presidente Da Reptiblica
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral : 2.455.956.845,00 100,00%
Despesas Corren tes 2.071.919.345,00 84,36%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 855.018.986,00 34,81%
c---:--=-~ - ·------
Despesas Com__9 Pessoal a~ 855.018.986,00 34,81%
ConUibuições Do Empregador 24.764.035,00 1,01%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 24.764.035,00 Io 1%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços l.l76.9 16.4,...34
,....:-
, oo
~_4_7.:._
, 9_2_~_
ó
Bens 344.172.986,00 14,01%
~rviços _ _ ---~--- 832.7 43.448,00
------
33,91%
Subsidios E Transferências Correntes 15.219.890,00 0,62%
------
Transferências Correntes _ _1_5_
.219.890{1~--0~2!0
Despesas De Capital 384.037.500,00 15,64%
--- ----~---

Investimentos 384.037.500,00 15,64%


------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 384.037.500,00 15,64%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 2.455.956.845,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 2.377.135.005,00 96,79%
órgãos Executivos 2.377 .13s.õos;-oo 96)9%
Sep trança E Ordem Pública 78.82 1.840,00 3,21%
Outros Serviços De Seguran ça E Ordem Ptiblica 78.821.840,00 3,21%
DESPESAS POR PROGRAMA
Programa Valor %
Total Geral: 2.455.956.845,00 100,00%
Acções Correntes 2.455.956.845,00 100,00%
DESPESAS DE FUNCIONA1\1ENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Actividade Valor ~~
Total Geral: 2.455.956.845,00 100,00%
Co nselho Nacional De Luta Co ntra Vih/Sida E Grandes Endemias (Cnl -Vib/Sida/Ge) 53.900.000,00 2,19%
- - - ---·-----
Encargos C/ ComissãoNacioual Para Salvaguarda Do Património Cultural Mundial (Cnspm-) - 49.000.000,00 2,00%
Õperação-E:tvfanuteuçãoCeraJDos Se~iços_ _ - us3.os6.84s.oo 95,81%
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Gabinete Do Vice-Presidente Da Repúb lica 2.455.956.845,00 100,00%
Despesas Correntes 2.071.9 19.345,00 84,36%
Despesas Com O Pessoal 855.018.986,00 34,81%
Contribuições Do Empregador 24.764.035,00 1,01%
Despesas Em Bens E Serviços 1.176.916.434,00 47,92%
Subsidios E Transferências Correntes 15.219.890,00 0,62%
Despesas De Capital 384.037.500,00 15,64%
Investimentos 384.037.500,00 15,64%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5703

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Conselho Superior Da 1\llagistratura Jud icial
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 1.014.243.904,00 100,00%
Despesas Correntes 1.004.113.398,00 99,00%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 164.092.979,00 16,18%
c---:--=-~ ·----
Despesas Com__9 Pessoal a~ 164.092.979,00 16,18%
ConUibuições Do Empregador 4.900.000,00 0,48%
- Co ntrib uições Do Empregador Para A Segumnça Social 4-:900.000,00- - (48%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 835.032.2 19,00 82,33%
Bens 257.940.120,00 25,43%
~rviços _ _ ---~--- 577.092.099,00 56,90%
Subsidios E Transferências Correntes 88.200,00 0,01%
Transferências Correntes 88.200,00 0,01%
Despesas De Capital 10.130.506,00 1,00%
---.---- -
Investimentos 10.130.506,00 1,00%
------,--- -----------
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 10.130.506,00 1,00%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 1.014.243.904,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 1. o14.243.904,00 100,00%
órgãos Judiciais 1.014.243.-904,00 100,ÕÕ%
DE&'PESAS POR PROGRAMA
Prog1·ama Valo1· ~h

Total Geral: 1.014.243.904,00 100,00%


Acções Corre ntes 1.014 243.904,00 100,00%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO I: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl:ojecto I Actividade Valor %
Total Geral: 1.014.243.904,00 100,00%
Opemção E 1vfan utenção Geral Dos Serviços 1. 014.243.904,00 100,00%
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Conselho Superior Da Magisn·atura Judicial 1.014.243.904,00 100,00%


Despesas Correntes 1.004.113.398,00 99,00%
Despesas Com O Pessoal 164.092.979,00 16,18%
Contribuições Do Empregado1· 4.900.000,00 0,48%
Despesas Em Bens E Serviços 835.032.219,00 82,33%
Subsidios E Transferências Correntes 88.200,00 0,01%
---- -
Despesas De Capital 10.130.506,00 1,00%
- ----
Investimentos 10.130.506,00 1,00%
5704 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Conselho Superior Da 1\llagistratura Do Ministério Ptiblico
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral : 1.0 15.922.444,00 100,00%
Despesas Corren tes 967.480.422,00 95,23%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 278.492.754,00 27,41%
c---:--=-~
Despesas Com__9 Pessoal a~ 278.492.754,00 27,41%
ConUibuições Do Empregador 117.600.000,00 11,58%
- Co ntribuições Do Empregador Para A Segumnça Social 117.6oo.Oõo.o011.58%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 571.387.668,00 56,24%
Bens 252.399.000,00 24,84%
Serviço~ 318.988.668,00 31,40%
Despesas De Capital 48.442.022,00 4,77%
Investimentos 48.442.022,00 4,77%
---------
Aquisição De Ben s De Capital Flxo
- -
48.442.022,00
--- -
4,77%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valo1· ~h

Total Geral: LO15.922.444,00 100,00%


Serviços Públicos Gerais 1.015.922.444,00 100,00%
- Qgãos Judiciais 1. 015.922.444,00 100,00%
DE&'PESAS POR PROGRAMA
Programa Valor %
Total Geral: 1.015.922.444,00 100,00%
Acções Correntes 1.015.922.444,00 100,00%
DESPESAS DE FUNCIONA!VIENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~h
Total Geral : LO15.922.444,00 100,00%
Defesa Da Legalidade E Dos Interesses Do Estado Em JuíZo 1. 015.922.444,00 100,00%
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~h

Con sellio Superior Da Magistratura Do Ministério Público o


l. 15.922.444,00 100,00%
Despesas Correntes 967.480.422,00 95,23%
Despesas Com O Pessoal 278.492.754,00 27,41%
Contribuições Do Empregador 117.600.000,00 11,58%
DesJJesas Em Bens E Serviços 571.387.668,00 56,24%
Despesas De Capital 48.442.022,00 4,77%
Investimentos 48.442.022,00 4,77%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5705

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Min istério Da Defesa Nacional
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 632.190.055.505,00 100,00%
Despesas Correntes 575.411.307.467,00 91,02%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 343.557.098.969,00 54,34%
c---:--=-~ - - - --------
Despesas Com O Pessoal _0vil 38.393.635.154,00 6,07%
Despesas Com O Pessoal M ilitar 305.160.997.154,00 48,27%
Despesas Com O Pessoal Paramilitar 2.466.661,00 0,00%
Conttibulções Do E mpregador 21.572.059.880,00 3,41%
------
~n trib uições Do Empregador Parn A Seg umn ça Social 21.572.059.880,00 3,4 1%
---,-~-,-
Despesas E m Bens E Serviços 62.836.899.658,00 9,94%
Bens 34.332.366.004,00 5,43%
Serviço_s _ _ __ 28.504.533.654,00 4,51%
-
Subsidios E Transferên cias Correntes 147.445.248.960,00 23,32%
-- -- --- - - -
Transferências Correntes 147.445.248.960,00 23,32%
--- ---
Despesas De Capital 56.778.748.038,00 8,98%
Investimentos 56.778.748.038,00 8,98%
------ :'-:-::---,::'
Aqtdslção De Bens De C apital FL..:o 56.778.748.038,00 8,98%
----
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor ~~

Total Geral: 632.190.055.505,00 100,00%


Defesa 492.251.560.975,00 77,86%
ne-=
re
-sa
~ Mi
-=.:c-
li,-
ta_r_
- ---
492. 251.560.975,00 77,86%
-··------
Pl~ec.ção Social 139.918.494.530,00 22,13%
- - - - - - - - - --· - - -
Vel~ice 139.918.494. 530,00 22,13%
Assuntos Económicos 20.000.000,00 0,00%
----
Indústria Extractiva, Transformadora E Construção 20.000.000,00 0,00%
- Indlíst;ia Extr.tctiva E-Redvi~Except.Combustíveis 20.000 000,00 ( 00%
DESPESAS POR PROGRAMA
Pl:ograma Valor %
Total Geral: 632.190.055.505,00 100,00%
Acções Corre ntes 590.263.245.405,00 93,37%
Otpacitação Institucio nal E Valo rização Dos Recursos Humauos Na Administrnção Pública 1.231.258 000,00 0,19%
Construção E Reabilitação De Ed ifícios Ptiblicos E Equipamentos Sociais 3. 509.758. 277,00 0,56%
Desenvolvimento De Indústrias Da Defesa 3.838.468.732,00 0,61%
Fomento Da Produção Agrícola 825.435.586,00 0,13%
Fortalecime nto E Valo rização Das Forças Armadas 1.450.037 .947. 00 0,23%
Habitação 2. 793.725.728,00 0,44%
--;::,--,;::;--~-:

Melho ria Do Bem-Estar Dos A ntigos Combatentes E Veternnos Da P.ít:ria 425.296.112,00 0,07%
- - -----
Reforço r5ãSCapacidades Técnico-Materiais E Opemcio nais 27.484.599.528,00 4,3 5%
Reforço Do Sistema Nacional De Formação Profissio nal 368.230.190,00 0,06%
DESPESAS DE FUNCIONA!VIENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojec.to I Actividade Valor %
Total Geral: 590.283.245.405,00 100,00%
Adm iu istrnção E Gestão Dos Serviços De Defesa Nacio nal 156.380.254.671,00 26,49%
Apetrechamento De Salas De Au las-· - - 165.963.276,00 0,03%
Assistência Tecnica Diversa 1. 938.012.720,00 0,33%
5706 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇ AMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Cooperação Tecnico Militar 147.000 000,00 0,02%


Encargos C/A Delim.Demarc.Dos Espaços Marít.De A ngola 1.078.000 000,00 0,18%
Evacuações Méd icas 181.909.968,00 ----o.o3%
Exercício M ilitar Conjun to 177.629.203,00 0,03%
Fonna~o E Coesão Combativa Dos Efectivos Das Fac 232.607.559,00 0,04%
Fornecimento EMa uu teução De MeiosTecnicos De Apoio 607.477.674,00 0,10%
Informatização De S erv iços E Criação De Redes
- . --
3-65.543.988.õo 0.06%
Laborat6rio Central De Metrologia 20.000 000,00 0,00%
Manutenção Das Infraestruturas Operativas 495.287.040,00 0,08%
Opera~o E Manutenção Geral Dos Serv i~ 367.644.661.211,00 62,28%
Pacote Logístico-Alimentação 19.600.000 000,00 3,32%
Pacote Logístico-Equipamentos Meios Méd icos 980.000.000,00 0,17%
Pacote Logístico-Meios De Aquartelamento E Equipamento De Coziuh a 980.000.000,00 0,17%
Pacote Logístico-Vestuário E Otlçados 3. 920.000 000,00 0,66%
Pacote Logísticos- Médicaruentos l. 960.000 000,00 0,33%
Potenciação E Apetrechamento Técnico Militar 26300.917.875,00 4,46%
Presta~o De Serviço De Educação 430.291.330,00 0,07%
Programa De Coesão M il_it_ a r-,----,- ~4.430. 994,00 0,05%
Programa De Melho ramento Da Otpacidade Fisíca Dos Militares 5.782.000.763,00 0,98%
Rastreio Méd ico Dos M ilitares 101.257.133,ÕO- 0,02%
Rece nseamento, Recrutamento E Mob ilizações M ilitares 98. õoo~õoo~oo- 0,02%
·--·---
Reuniões Sobre Projecto r5e Identifica <?ia :Pelo
B.I E Projec
- to-s""":!-..~
1-:
ultilaterais-Do M uden 392.000.000,00 0,07%
PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
MunlcitJio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 41.906.810.100,00
Belas Ll28.891.717,00
Construção Do Centro Nacio nal Coordenação E V igilância Luanda-Kalunga 1.128. 891.717,00
Cabinda 412.717.792,00
Constru ção E Apetrechamento Do Posto De Observação Costeira De Otbinda -Kalunga!Rép lica 412.717.792,00
Cacuaco 793.526.302,00
Constru ~o
Centro De Formação Profissional Otcuaco/Funda P/ Mutilados De Guerra E Ex.Militares 368.230.190,00
Constn~o Centro De Reabilitação De Mutilados De Guerra EEx.Milita1es Otcuaco 425.296.112,00
Cuanhama 101.910.600,00
Estudo Para Co nstrução Do Memo rial Aos Martíres Xetekela/ Oouene 101.910.600,00
Estnttm·a Central 12.357.001.220,00
Aquis ição Equipamento Vigilância Maritúna 921.083.963,00
Centro De Dados E Plataforma De Software Luanda 405.822.414,00
Aquis icação De Embarcações De P.atru lha Da Costa Marítima A ngol;ana 841.202.649,00
Construção Apetrechamento Posto Observa~o Costeira Epinda - Kal unga 163.697.513,00
Aquisição De Nav ios Dvorae Equipamentos, Radares -Kalunga 412.717.793,00
Aquisição Equ ipamento De Transporte 6 Helic6pteros 825.435.586,00
Constn~o Apetoechamenlo Posto De Observação Co:>1eira Otpulo-Kalunga 209.120.858,00
Aquis ição 3 Aero naves E Equipamentos Adic io nais Airbus 359.674.890,00
Construção Do Edifício Sede Da Otixa De Segurança Social Das FA.A. 890.018.545,00
Construção E Aqu isição De Equ ipamentos Edifício Adm inistrativo Luanda 3.509.758.277,00
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5707

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Munlcipio I Projecto I Actividade Total

Foruecime uto Fardam eu to Eq uipame uto Uso lvlilitar Forças Armadas 3.818.468.732,00

Huambo 356. 198.202,00


Coust. EApetrecltameuto Do Instituto Superior Do E'Xército Huambe> 356.198.202,00
Icolo E Bengo 284.985.960,00
Coustrução Vedação Vias Segurauça Patnalltamento Servidão Maria Teresa 142.492.980,00
Outros Projectos 142.492.980,00
Lobito 2.434.053.868,00
Construção Do Ceutro Regioual De Coord. E Vigilâucia Do Lobito-l{alunga 201.150.446,00
Co ustrução Apetrechamento Fbsto De Observação Costeira Lobito 1--Kaluuga 502.217.912,00
Co ustrução Apetrechamento Fbsto De Observação Costeira Lobito-Kalunga 1.575. 596.524,00
Coustru ção E Apetrechameuto Do Fbsto De Observação Costeira De Lobito 1-Kaluuga/Réplica 155.088.986,00
Luanda 17.266.065.133,00
Coustrução Apetrechamento Hospital lvlilitar Priucipal -Luauda 445.735.215,00
Aquisição De Equ ipameutos E Meios lvlilitares Para Forç-d Aérea Nacioual 1.393.442.822,00
Coustrução Das Oficinas Gerais Luanda 632.822.870,00
Co ustrução Do Ed ifício Do Iustituto De Defesa Nacio nal - Luauda 2.793. 725.728,00
Capacitação Técuica E Opertiva Das Unidades De Coustrução - Luanda 825.435.586,00
--- ------ --
Coustru ção Apetrec.Da Base De Fuzileiros Navais De Luanda- Kaluuga 2.793. 725.728,00
Coustru ção E Apetrechameuto Das Iustalações Da Base Navais De Luanda 2.793. 725.728,00
Coustrução De 20000\sas PJDeficieutes E Mutilados De Guerra 2f9-3. n5.728,oo
Reabilitação E Apetrechamento Da Academ ia Do E'tercíto - Luauda 2.793. 725.728,00
Lubango 101.910.600,00
Co nstru ção De Sítio :tvfemorial Aos Martíres De Càssinda/Huíla 101.910.600,00
Moxico 142.492.980,00
Coust.Apetrechame uto Poligno Preparação Defesa Moxico 142.492.980,00
Namibe 586.867.932,00
Constnção Ceutro Regioual Coordeuação E V igilaucia Nam ibe - Kaluuga 205.778.703,00
CoustruçãOÃpetrechamento Centro Regioual Coordenação Nam ibe-Kal;nga 381.089.229,00
-------
Nzeto 340.460.875,00
Construção Apetrechameuto Fbsto De Observação Costeira Ambo im-Ka lunga 131.877.793,00
Coustna~o Apetrechamento Fbsto De Õbservação Costeira Nzeto-Kalunga 208.583 .082,õõ
--- ----
Porto Ambohn 619.076.689,00
Coustru ção E Apetrechameuto Da Academ ia Naval Porto Amboim-Kalu uga 619.076.689,00
Quiçama 1.229.547.118,00
Reabilitação Ampliação &cola funnação Forças Especiais Luauda 477.026.611,00
Constnção Apetrechameulo Fbsto Observação Costeira Cabo Ledo1-Kaluu ga 163.697.513,00
Outros Projectos 588.822.994,00
Soyo 1.994.504.691,00
Construção Do Ceutro Regioual De Coord. E Vigilâucia Do Soyo-Kat luuga 1.370.314.791,00
Co ustrução Do Cais E Reabilitação Da Base Naval Soyo -Ka! uuga 415.606.818,00
Coustru ção Apetrechameuto Fbsto De Observação Costeira Soyo-Kaluuga 208.583.082,00
Tômbwa 101.215.932,00
Coustrução Apetrechamento Fbsto De Observação Costeira Tómbwa-Kalunga 101.215.932,00
5708 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Varios Municlpios-Naclonal 825.435.586,00


Desenvolvimento Agrário Do Sector Da Defesa Nac io ual 825.435.586,00
Viana 369.591.625,00
O utros Projectos 369.591.625,00
Vál'ios Munlciplos-Bengo 460.355.278,00
Constru ção Apetrechame nto Posto Observação Costeira Barrabengo-Kalun ga 460.355. 278,00

DESPESAS DE NATUREZA POR: UNIDADE ORÇAMENTAL


Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Estado Maior Do E.xército 197.204.705.603,00 100,00%


Despesas Conentes 197.185.056.603,00 99,99%
Despesas C om O Pessoal 182.985. 156.988,00 92,79%
Contribuições Do Empregado!· 13.068.643. 165,00 6,63%
Despesas Em Bens E Serviços 1. 130.316.184,00 0,57%
Subsidios E Transferências Conentes 940.266,00 0,00%
Despesas De C apital 19.649.000,00 0,01%
- - - -------
Investimentos 19.649.000,00 0,01%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Estado Maio1· General 149.934.87 5. 036,00 100,00%
Despesas Correntes 144.065.603.509' 00 96,09%
--- -------
Despesas C om O Pessoal 95.251.354.751,00 63,53%
Contribuições Do Empregador 4.942.131.116,00 3,30%
DesJJesas Em Bens E Serviços 36.363.825.928,00 24,25%
Subsídios E Transferências Correntes 7.508.29 1.714,00 5,01%
Despesas De Capital 5.869.27 1.527,00 3,91%
Investimentos 5.869.271.527,00 3,91%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Fot·ça Aérea Nacional 31.381.735.522,00 100,00%
Despesas Correntes 3 1.362.438.538,00 99,94%
Despesas C om O P essoal 29.3 79.026.899,00 93,62%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador l. 366.742.531,00 4,36%
----
Despesas Em Bens E Serviços 616.536. 100,00 1,96%
Subsfdios E Tran~ferências Correntes 133.008,00 0,00%
Despesas De C apital 19.296.984,00 0,06%
Investimentos 19.296.984,00 0,06%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Hospital Militar Principal 627. 125. 101,00 100,00%
Despesas Correntes 6 16.536. 103,00 98,31%
Despesas Em Bens E Serviços 616.536.103,00 98,31%
Despesas De Capital 10.588.998,00 1,69%
Investimentos 10.588.998,00 1,69%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· ~i>

Instituto SUJJeiior Témico M Ultar 729.881.117,00 100,00%


I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5709

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Despesas Correntes 719.292.119,00 98,55%
---------
Despesas Em Bens E Serviços 719.292. 119,00 98,55%
- - -- -- -
Despesas De Capital 10.588.998,00 1,45%
Investimentos 10.588.998,00 1,45%
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Marinha De Guerra Angolana 23.620.446.430,00 100,00%
Despesas Correntes 23.602.995.374,00 99,93%
Despesas Com O Pessoal 21.945.505.561,00 92,91%
Contr ibuições Do Empngador 922.576.025,00 3,91%
Despesas Em Bens E Serviços 719.292.116,00 3,05%
-----
Subsidios E Transferências Co-n -·en- t-es- 15.621.672,00 0,07%
Despesas De Capital 17.451.056,00 0,07%
Investimentos 17.451.056,00 0,07%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Ministério Da Defesa Nacional 228.691.286.696,00 100,00%


Despesas Correntes 177.859.385.221' 00 77,77%
Despesas Com O Pessoal 13.996.054.770,00 6,12%
Contribuições Do Empngado1· 1.271.967.043,00 0,56%
Despesas Em Bens E Serviços 22.671.101.108,00 9,91%
Subsidlos E Transferências Correntes 139.920.262.300,00 61,18%
Despesas De Capital 50.831.901.475,00 22,23%
Investimentos 50.831.901.475,00 22,23%
5710 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORG.~O


Órgão: tvii.nistério Do lnlerior
I>ESP~:SAS POR NATLREZA ECOI\ÓMICA
Natt1reza Valor %
Total Geral: 416.1 ~3.N40.077 ,OU IHO,OIJ"/c•
Despesas Correntes 400.267.986.404,00 96,18'!/o
Despesas Com O Pessoal 321.688.841.835,00 77,29%
Despesas Com O Pessoal Civil 5.902.499.217,00 1,42%
Dc.Sllesas Com O Pc.ssoal Paranúlitar 315.786.342.618,00 75,88%
Conrribui\~Ões l>o l<:mpregador 21.M13.H12.176,UU :\124 1!/o

Contrilmiçiks Do Empregador Para /\ Segurança Social 21.813.812.176,00 5,24%


Dc.Silcsas Em Bens E Serviços 42.042.27<>.343,00 tO, lO%.
Bens 24. 777.368.58!1,00 5,95%
Serviços 17.264.907.755,00 4;15%
Subsídios E Transferências Correntes 14.723.056.050,00 3,54%.
T1·ansfcr~ndas Con·entcs 14.723.056.050.00 3,54'Vo
DesJ)esas l>e Capital 15.915.N53.6 73,UU 3,~2%

Investimentos 15.915.853.<173,00 3,82%


A«tuisiçâo De Bens De Capital Fixo 15.915.853.673,00 3,82%
DESPES.>\S J'OR FUNÇAO
FWlção Valor 'Yo
Total Geral: 416.183.840.077,00 100,00%
Serviços Pítblkos Gerais 600.903. 74H,HO 11,14%
Servi<,:os Gerais· 157.505 .834,(Xl 0,04%
<)utms Serviços ( icrais I )a .4dminisLPtíhliea 44:U~17 ':106,00 0.1'1%
Defesa 2.756.676.269,00 0,66%
l'rot..:~;l,'iio E Sq.;uram;a 2.756.676:269.00 0,66%
Segnran\·,a I( Ordem l'ública 39M.095.365.~3M,HII 9!i,6!i%
Servi~:os Policiais 395.458.93 3 .401 ,(Xl 95.02'7(
Serviço,; De Bombeiros 630522.501,00 0.15%
l'rÍS()C~ 1370.!G5.450,00 0.13%·
Serviços De Prowcção Civil 84.957.864 ,00 0,02%
lnvc:sli~ao,:iiu E D<'st:uvolvimt:Hlo Em Se~J:: Ordeml'(Jbliça 267 .570.646,(Xl 0,06%
Outms Serviços De Segurança E Ordem Ptíhlica 282545 .976,00 0,07</(,
Prutccçãu Social 14.730.894.230,00 3,54%
V.:Ih ice 14 .71ll.X40 .2.:10,00 :1.54%
Oulm~ Servi;,:os De Pmleq;ão Social 12.054.000,00 O,fKJ'Ii>
DESPESAS POR PROGRAMA
Valor %
Total Geral: 416.183.840.077,00 100,00%.
/\cçôcs Correntes 392.481.270.368,00 94.30<};:
Ülpa<.:itm;ão Institucional E ValoriLa~:iio Dos Recursos Humanos Na Admilli~trac;~io Pública 1.720.546.176.00 0.4l'Ji,
Constmçào E Kcahilitação De I ldifícios Pühlicos I: I iqu ipamcntos Sociais 15 .693.41 'I .239,00 :1.77%
Desenvolvimenlo Da Loghti<:a E Da Ili$lribui;,:ão l.47l .(i02 .999,00 0,35'i'o
Mclhnria Da Capacidade Nncinnal lk Prevenção t-: Socorro Da~ Popnlaçõcs 1.130.702.426,00 0,27%
Melhoria Do Comrolo Das f'ronlciras Na<:ionais E Tmigração 431538.571,00 0,!0'1(,
l'rol<'i.:'<iio E l'romoçiiu De Dir~itos Da Crian\:a 562.414.453,(Xl 0.14%
Reforço Do Comhatc A Criminalidade E.\ Delinquência 2.692 .35~ .845 ,00 0,65'K:
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5711

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h
Total Geral: 393.952.873.367' 00 100,00%
Abastecimento Logístico-Be ns D iversos 575.835. 540,00 0,15%
Abastecimento Logí~tico-Rlcote Alimentar 10.523.404.050,00 2,67%
Abastecimento Logí~tico-Rlcote De Med icamentos 895.767.459,00 0,23%
Apoio Em Situações De Calam idades Naturais 528.307.906,00 0,13%
Desarmamento Da População Civ il 47.001.716,00 0,01%
Operação Elvfanutenção Ge~tl Dos Serviços 378.964.955.597,00 96,20%
Rico te Logístico-Vestuário E Càlçados ~O:ÕÕÕ~ÔOO, OO 0,50%
- -
Siste ma De Controlo Da Fro nteira Nacio na l 457.60 1 099,00 0,12%
PROGRAlVIA DE I NVESTIM ENTOS PÚBLIC OS
Munidpio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 22.230.966.710,00
Ambriz 141.062.607,00
Co nstru ção E Apetrechame nto Do Posto Fro nteiriço Do Ambrizl Bewgo 141.062.607,00
Bala Farta 184.898.710,00
Construção Da Escola Naciona l De Bombeiros Da Baía Farta 2.• Fas•e 184.898.7 10,00
Cabinda 133.285.101,00
Construção E Apetrechamento Do Bombeiro Mu nic ipal De Càbinda 133.285. 101,00
Cazen ga 135.619.058,00
O ntros P rojectos 135.619.058,00
Culto 1.044.689.857,00
Constru ção Da Cadeia Do Kuq oe ma No Bié/Replica 1.044. 689.857,00
Dan de 292.789.783,00
Constru ção E Apetrechamento Da Direcção Provinc ia l Do Sme Bengo 161. 158.58 1,00
Constru ção E Apetrechamento Do Destacamento Na Provínc ia Do B•engo 131.631.202,00
Estruttu·a Central 15.573.191.544,00
Sistema De Gestão De Emergênc ia Pata A Siuistralidade Rodov iá ria 1. 130. 702.426,00
Construção Do Ed if Sede Do Serviço De In vestigação Crimina l Em Lua nd 737.440.242,00
Construção Do Centro In te_grado De Seguran ça Púb lica (Cisp) Lua nda/R~ 13.705.048.876,00
Huambo 679.213.051,00
Constru ção Do Centro De Socializaçao De Meno res No Huambo/Rep lica 549.895.668,00
. --
Outros Project~ 129.317.383,00
lngombot.a (01<1) 143.871.058,00
O ntros P rojectos 143.871.058,00
Luanda 410.613.699,00
Constru ção E Apetrechamento Da Ofic ina Gera l Do Minin t Em Lua mda 107.99 1 941,00
Constru ção E Apetrechamento De U m P resid io De A lta Segurança 105.685.846,00
Const. E Apet. Do Centro De Socia lização De Menores De L uanda 196.935.912,00
Lu capa 324.650.661,00
Constru ção Da Direcção Prov incia l De In vestigação Crimina l Luuda Norte 198.097.020,00
Õ utros Projectos - -l26.55Ü 41,0Õ
Malanje 484.955.474,00
Const. Do Centro De Socialização De Meno res Em Mtla uje 365.478.541,00
-- -
Outros Projectos 119.476.933,00
5712 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Menongue 171.997.776,00
Outros Projectos 171.997.776,00
Moxico 317.982.256,00
Coustrução E Apetrechamento Da Otdeia Provincial Do Moxico 317.982.256,00
Ongiva 219.482.491,00
Coustrução E Apetrechamento Da Otdeia Muuicipal De Ondjiva 219.482.491,00
Qnlçama 86.729.643,00
O utros Projectos 86.729.643,00
Sam·imo 71.493.842,00
Construção Direcção Provincial De Inve5tigação Criminal Luuda S ul 71.493.842,00
Soyo 153. 173.556,00
O utros Projectos 153.173.556,00
Varios Municiplos-Nacional 983.105.934,00
Outros Projectos 983.105.934,00
Viana 152.302.755,00
Outros Projectos 152.302.755,00
Vários Municipios-Zah'e 176.392. 113,00
Constru ção E Apetrechamento Da Otdeia Municipal Do B uco-Zau 176.392. 113,00
Wako-Kungo 349.465.741,00
Coustrução E Apetrechamento Da Otdeia Municipal Do Waco-Kuu go 349.465.741,00
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Comando Geral Da Policia Nacional 9.547.917.914,00 100,00%
Despesas Cornntes 8.812.917.914,00 92,30%
DesJJesas Em Bens E Serviços 8. 812.917.914,00 92,30%
Despesas De Capital 735.000.000,00 7,70%
-~- -------
Investimentos 735.000.000,00 7,70%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Do Interior Da Htúla 134.120.742,00 100,00%
-----
Despesas Correntes 134.120.742,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 134.120.742,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Do Intetior Da Ltmda-Norte 108.330.798,00 100,00%
Despesas Conentes 108.330.798,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 108.330. 798,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Delegação Provincial Do Intetior Da Ltmda-Sul 108.742.998,00 100,00%


Despesas Conentes 108.742.998,00 100,00%
DesJJesas Em Bens E Serviços 108.742.998,00 100,00%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Do Intetior De Benguela 136.907.796,00 100,00%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5713

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Despesas Correntes 136.907.796,00 100,00%
-- ---------
Despesas Em Bens E Serviços 136.907.796,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natm·eza Valor %
Delegação Provincial Do Inte1i01· De Cabinda 117.930.905,00 100,00%
-------
Despesas Conentes 117.930.905,00 100,00%
-- -- ,--,--- ----
Despesas Em Bens E Serviços 117.930.905,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~(,

Delegação Provincial Do Intetior De Luanda 413.182.671,00 100,00%


Despesas Correntes 413.182.671,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 413.182.671,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Do Intetior De M alanj e 112.468.580,00 100,00%
Despesas Conentes 112.468.580,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 112.468.580,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· o/o
Delegação Provincial Do Intetior Do Bengo 108.082.511,00 100,00%
Despesas Cornntes 108.082.511,00 100,00%
DesJJesas Em Bens E Serviços 108.082.511,00 100,00%
Unillade Orçamental I Natureza Valot· o/o
Delegação Provincial Do Intetior Do Bié 117.087.202,00 100,00%
Despesas Correntes 117.087.202,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 117.087.202,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· ~i>

Delegação Provincial Do Interior Do C.C ubango 109.605.279,00 100,00%


Despesas Conentes 109.605.279,00 100,00%
------
Despesas Em Bens E Serviços 109.605.279,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Do Inte1i01· Do C uanza-Norte 114.478.305,00 100,00%
Despesas Correntes 114.478.305,00 100,00%
=--=--==-::--:-- - - --
Despesas Em Bens E Serviços 114.478.305,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Do Interior Do C uanza-Sul 110.917.255,00 100,00%
----
Despesas Correntes 110.917.255,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 110.917.255,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Do Intetior Do Ctmene 110.666.546,00 100,00%
Despesas Conentes 110.666.546,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 110.666.546,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· ~i>

Delegação Provincial Do Intetior Do Huambo 127.774.988,00 100,00%


Despesas Cornntes 127.774.988,00 100,00%
DesJJesas Em Bens E Serviços 127.774.988,00 100,00%
Unillade Orçamental I Natureza Valot· o/o
5714 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Delegação Provincial Do Intetior Do Moxico 109.283.425,00 100,00%
Despesas Correntes 109.283.425,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 109.283.425,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Delegação Provincial Do Interior Do Namibe 112.725.779,00 100,00%


Despesas Correntes 112.725.779,00 100,00%
DesJJesas Em Bens E Serviços 112.725.779,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Do Intetior Do Uige 113.123.253,00 100,00%
Despesas Correntes 113.123.253,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 113.123.253,00 100,00%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Do Intetior Do Zaire 112.969.565,00 100,00%
Despesas Correntes 112.969.565,00 100,00%
- - ----- - - - -
Despesas Em Bens E Serviços 112.969.565,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Do Interior 400.540.908.035,00 100,00%
·-----
Despesas Con-entes 385.433.554.362,00 96,23%
-- - -------
Despesas Com O Pessoal 321.688.841.835,00 80,31%
---
Contribuições Do Empregador 21.813.812.176,00 5,45%
Despesas Em Bens E Serviços 27.207.844.301,00 6,79%
Subsidlos E Transferências Correntes 14.723.056.050,00 3,68%
Despesas De Capital 15.107.353.673,00 3,77%
Investimentos 15.107.353.673,00 3,77%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Serviço De Investigação Criminal 1.965.653.845,00 100,00%
Despesas Cornntes 1. 892.153.845,00 96,26%
DesJJesas Em Bens E Serviços 1. 892.153.845,00 96,26%
Despesas De Capital 73.500.000,00 3,74%
- - - --- - - - --
Investimentos 73.500.000,00 3,74%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Serviços De Bombeiros 526.180.997,00 100,00%
~--·--

Despesas Correntes 526.180.997,00 100,00%


----
Despesas Em Bens E Serviços 526.180.997,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Serviços De Migração E Estrangeh·os 533.761.837,00 100,00%
Despesas Correntes 533.761.837,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 533.761.837,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Serviços Prisionais 691.018.851,00 100,00%


Despesas Cornntes 691.018.851,00 100,00%
DesJJesas Em Bens E Serviços 691.018.851,00 100,00%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5715

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Min istério Das Relações Exteriores
RECEITA POR NATUREZA ECONÓMI CA
Natureza Val01· o/o
Total Geral: 906.481.642,00 100,00%
Receitas Correntes 906.481.642,00 100,00%
Receita Tributária 906.481.642,00 100,00%
Taxas Custas E Emohunentos 906.481.642,00 100,00%
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor o/o
Total Geral: 44.002.258.604,00 100,00%
DespesasCorrente~
s _______ 43.134.119.838,00 98,03%
-----
Despesas Com O Pessoal 17.731.916.560,00 40,30%
Des(Jesas Com O Pessoal O vil 17.731.916.560,00 40,30%
- - ------ ------ - - -
Contlibuições Do Em(Jregador 1.074.822.961,00 2,44%
- Co;tribuiçõesDo Empregador Para A Seguran ça Social -----ul6ü75.123.00- -2.42%
Outras Contribuições Do Empregador 10.247.838,00 0,02%
Des(Jesas Em Bens E Serviços 24.291.901.044,00 55,21 o/o
Bens l. 780.231.281,00 4,05%
----,---,-----,--.,..,-
Serviços 22.511.669.763,00 51,16%
Subsídios E Transfe1·êndas Correntes 35.479.273,00 0,08%
Transferências Correntes 35.479.273,00 0,08%
Despesas De Capital 868.138.766,00 1,97%
Investimentos 868.138.766,00 1,97%
Aqtúsição De Bens De Capital Fixo 868.138.766,00 1,97%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor
Total Geral: 44.002.258.604,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 40.958.559.782,00 93,08%
Órgãos Executivos 2.452.718.772,00 5,57%
"'Relações Exteriores 38.505.841010,00 87,51%
Educação 1.802.736.657,00 4,10%
Ensino Supelior 1.802.736.657,00 4,10%
Ensino Superior De Grad uação 1.802.736.657,00 4,10%
Recreação, Cultm·a E Religião 1.179.207.184,00 2,68%
Serviços Culturais 34.435.85 1,00 0,08%
Serviços De Dif,-us--:ã:-o-;E,--;::::
P--: ub--:1.,-
ic-a-çã·o - u 44.771.333,00 2,60%
Assuntos Económicos 61.754.981,00 0,14%
Agricultura, Shicultm·a, Pesca E Caça 61.754.981,00 0,14%
Agricultura - 22.774.195,00- 0,05%
Pesca ECàça 38.980.786,00 0,09%
DESPESAS POR PROGRAMA
Prog1·ama Valo1·
Total Geral: 44.002.258.604,00 100,00%
Acções Cbrrentes 43.53 2.261.379,00 98,93%
Càpacitação Institucional E Valorização Dos Rec ursos Humanos Na Admiui5tração Ptíblica 4ill61.374, 00 0,99%
Fomento Da Arte E Das Indtístrias Culturais E Criativas 34.435.851,00 0,08%
DESPESAS DE FUNCIONAi\IIENTO I: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojec.to I Actividade Valor o/o
5716 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01·
Total Geral: 44.002.258.604,00 100,00%
Comemorações Do 11 De Novembro -Dia Da Independência Nacional 225.786.723,00 0,51%
Desenvolvime nto Da Actividade Diplomática Nacio na l 42.170.616.765,00 95,84%
Eucargos Com A Cime ira Da Dupla T roika 128.526.626,00 0,29%
Encargos Co m A Escola Consu la r 62.223.527,00 0,14%
Formação E Superação Técnica Profissional 435.561.374,00 0,99%
Funcionamento Da Adpa. 120.129.587,00 0,27%
Funcionamento Do Secr-e-ta-r,...
ia""'
do
-=Executivo Do Golfo Da Guiné - 71.661.397,00 0,16%
Operação E Mau utenção Geral Dos Serviços 98.000 000,00 0,22%
Pmmo-ção De Acções De In tercâmb io E Cooperação In ternac ional 562.195.818,00 1,28%
Pmmoção E Fomento De Actividades ArtíSticas E C ulturais 34.435.851,00 0,08%
Realização De Works hops E Co nferê ncias 40.270.656,00 0,09%
Reuniões Das Comissões Bilaterdis E Missões Técnicas 52.850.280,00 0,12%
DESPESAS DE NATUREZA POR: UNIDADE ORÇAMENTAL
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Comité Nacional Da S.AD.C 98.000.000,00 100,00%
Despesas Correntes 87.710.000,00 89,50%
Despesas Com O P essoal 30.331.000,00 30,95%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 2.450.000,00 2,50%
Despesas Em Bens E Serviços 54.880.000,00 56,00%
Sub sldlos E Tran~ferências Correntes 49.000,00 0,05%
Despesas De Capital 10.290.000,00 10,50%
Investimentos 10.290.000,00 10,50%
Unidade Orçamental I Natm·eza Valor %
In~Ututo Supetior De Relações Internacionais 2.332.693.737,00 100,00%
Despesas Conentes 1.972.259.323,00 84,55%
Despesas Com O Pessoal 680.008.616,00 29,15%
Contribuições Do Empregador 37.252.278,00 1,60%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 1.254.969.333,00 53,80%
---
Subsiclios E Transferências Correntes 29.096,00 0,00%
Despesas De Capital 360.434.414,00 15,45%
Investimentos 360.434.414,00 15,45%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Das Relações Extetiores 7.144.883.473,00 100,00%
Despesas Con-entes 6.647.469.121,00 93,04%
Despesas Com O Pessoal L 730.219.962,00 24,22%
Contribuições Do Empregacl01· 152.421.092,00 2,13%
Despesas Em Bens E Serviços 4.764.545.239,00 66,68%
Subsidlos E Transferências Con-entes 282.828,00 0,00%
Despesas De Capital 497.414.352,00 6,96%
- -
Investimentos 497.414.352,00 6,96%
Unidade Orçamental I Natureza Valor
Missões Diplomátlcas,Consulares E Rep.Comerciais 34.426.681.394,00 100,00%
Despesas Correntes 34.426.681.394,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 15.291.356.982,00 44,42%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Nantreza Valor %
Conn·tbuições Do Empregador 882.699.59 1,00 2,56%
Despesas E m Bens E Seniços 18.217.506.472,00 52,92%
Subsidias E Transferências Correntes 35.118.349,00 0,10%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5717

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Da Economia E Planeamento
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 10.681.287.003,00 100,00%
Despesas Correntes 6.887.973.779,00 64,49%
-- ----- --- ---
Desp esas Com O Pessoal 1.329.227.945,00 U,44%
c---:--=-~
Despesas Com __9 Pessoal a~ 1.329.227.945,00 U,44%
ConUibuições Do Empregador 95.423.517,00 0,89%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 95.423.517,00 0,89%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 5.457.476.041,00 51,09%
Bens 524.264.910,00 4,91%
~rviços _ _ ---~--- 4.933.211.131,00
------·--
46,19%
Subsidios E Transferências Correntes 5.846.276,00 0,05%
Transferências Correntes 6,_00_ _0,05%
5.846.27...: _;
Despesas De Capital 3.793.313.224,00 35,51%
---
Investimentos 3.793.313.224,00 35,51%
------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 3. 793.313.224,00 35,51%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 10.681.287.003,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais l. 942.485.776,00 18, 19%
órgãos &ee;;tivos 1.942.485.776,00 ~9%
!labitaçã~ E Serviços Comunitários 98.000.000,00 0,92%
Desenvo lvimento Com unitário 98.00ifõÕ0,00- -0-,92%
Assuntos Económicos 8.640.801.227,00 80,90%
-------
Agricultura, Shicultm·a, Pesca E Caça 55.000.000,00 0,51%
Agric ulturd 55.000.000,00 0,51%
Assuntos Económicos Gerais, Comerciais E Laborais 8.585.801.227,00 80,38%
Ass un tos Económicos E Comerciais Em Geral 8.585.801.227,00-sõ]S%
DESPESAS POR PROGRAMA
Pl:ograma Valor %
Total Geral: 10.681.287.003,00 100,00%
Acções Correntes 5.635.376.782,00 52,76%
Apoio A P rod ução, Substituição Das Importações E Diversificação Das Exportações 778.774. 282,00 7,29%
-- -- -
Càpacitação Inst.itncio ual E Valorização Dos Rec ursos Hu manos Na Adm inistração Ptíblica 870.387.009,00 8,15%
Coesão Territo1ial 325.965.636,00 3,05%
Co nstrução E Reabilitação De Edifícios P tíblicos E Eq uipamentos Sociais 2.956.802.744, 00 27,68%
Melho1ia Da Competitiv idade E Da Prod utividade 22.93 1.297,00 0,21%
Melho1ia Da Part.icipação De Angola No Comércio In teruacional 11.300. 14 5,00 0,11%
Melhoria Do Ambiente De Neg6c~ Conco rrência 11.068.861,00 0,10%
Melhoria E Desenvo lvimento Do Ensino Técnico-Profissional 15.000 000,00 0,14%
Reco nversão Da Eco nomia Iufonnal --35.837~915 ,00- 0,34%
Reforço Da Projecção De A ngola No E'<:terior 17.842.332,00 0,17%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor
Total Geral: 7.724.484.259,00 100,00%
Acordo De Parce!Ía Económica E Zona De Comércio Livre Regional 11.300.145,00 0,15%
Acções De Ap roveitamento Das Facilidades Fiuauceirds Dos Parceiros De Cooperação 8.921.166,00 0,12%
5718 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Adm in istração E Gestão Da Política Económica l. 725.455.577,00 22,34%


Oipacitação Dos RecutSos Humanos 127.400.000,00 1,65%
captação E Promoção De Investimento Privado Estrangeiro 13.500.000,00 0,17%
Coordenação Das Acções De Integração Económica 19.600 000,00 0,25%
Coordenação Das Acções Desenvolvime nto D-a Economia Nacional 19.600 000,00 0,25%
Coordenação Do Pla neamento Do Desenvolvimento Nacional 19. 600.000,00 0,25%
Coo rdenação E 'Mo nitoria Da Impleme;uaçãoDo P.R.Õ. D.Es . r - 487 .482~089 ,ÕO 6,3 1%
Desenvolvimento Do Sistema Nac io nal De Planeamento 343.000 000,00 4,44%
Diagu6stico Dos Constrangimento Para O Desenvolvimento D-a Actividlade Económica 814.691,00 0,01%
Difusão D-a Info rmação Estatística 24.572.078,00 0,32%
Edição E Publicação De Documentos 44.979.133,00 0,58%
Elaboração De Programas De Crescimento Acele rado Para As Provínci:as Do Beugo E Do 133.525.187,00 1,73%
Cuanza
- - - -Norte
-----
Estudos De Avaliação E Caracterização Dos Projectos Estru turan tes Existentes 50.925.525,00 0,66%
Estudos Para Preparação Das Operações In tegradas De Deseuvolvimenllo Do Territó1io 43.514.924,00 0,56%
Facilitação Do Acesso Ao Créd ito No Amb ito Do Programa Angola In veste Mais 183.792.193,00 2,38%
Implementação De Rede Informática Plivativa 160.624.327,00 2,08%
Implementaçã015eUm Sistema De Gestão Documental 107.800.000,00 1,40%
Implementação Do Plano De Acção De Desenv Do Cluster Da Act.Mineira Do Apoio A 10.000 000,00 0,13%
Construção _ _ _ __
Implementação Do Plano De Acção De Desenv Do Cluster Das Pedras E Metais Preciosos 18.000 000,00 0,23%
Impleme;rtaÇãODoPla uo De Acção Dop;.o;ecto DeDesenv Do Cluste1:-Do Vestuário E'Calçado 1 ~õoo~õoo~oo· o. 16%
- ------ --- --·---
Impleme ntação Do Pla no De Acção Do Projecto De Desenvolvünento Do Cluster Agroiudustrial 8.000.000,00 0,10%
Ve•etal ----
Implementação Do Pla no De Acção Do Projecto De Desenvolvimento Do Cluster Do Turismo E 11.000 000,00 0,14%
Lazer
Implementação Do Pla no De Acção Do Projecto De Desenvolvimento Do Cluster Dos Produtos 12.000.000,00 0,16%
An imais=-·--.,..-,::--:=--=--:----:--::~=-...,..---=- -----
Implementação Do Plano De Acção Do Projecto De Desenvolvimento Do Cluster Florestal 15 000 000,00 0,19%
- --·
Implementação Do Plano De Acção Do Projecto De Desenvolvimnento Do O uster Do Mar 8 000 000,00 0,10%
ImplementaÇão Do Plano Estrat~gico De Produtividade E Competitivid:ade 22.931.297,00 0,30%
Implementação Do Plano Estratégico De Reconversão Da Actividade Econó mica In fonnal 35.837.915,00 0,46%
Implementação Do Projecto De Desb urocratização D-a Actividade Económica 10.254.170,00 0,13%
Operação E Mau utenção Geral Dos Serviços 3. 510.836.293,00 45,45%
Participação Na :Melho1ia Da Acção Diplomática Voltada Para A Economia 8.921.166,00 0,12%
Potenciação Dos 30 Projectos Com unitários De Organizações Da Sociedade Civil 98.000 000,00 1,27%
Produção Das Co ntas Nacio nais 25.190.635,00 0,33%
Produção De Estatísticas Demog ráficas E Sociais 24. 572.078,00 0,32%
Produção De Estatísticas Económicas E Financeiras 33.323.626,00 0,43%
Projecto De Capacitação Institucio nal Para O Desenvolvime nto Do Sector Privado 15.000 000,00 0,19%
Reforço Da Capacidade De Produção Estatística 131.562.682,00 1,70%
Rev isão Da Estratégia De Longo Prazo 1S7.647.362,ÕO. ·2,43%
PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PUBLICOS
Munidpio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 2.956.802. 744,00
Cabinda 121.123.539,00
Constru ção E Apetrechamento Do Serviço Prov incial Ine Cabinda 121.123.539,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5719

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIME NTOS PÚBLIC OS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Culto 201.961.463,00
Constru ção E Apetrechamento Do Ed ifício Serviço Prov incial Ine Quito 201. 961.463,00
Estnttm·a C entral 250.640.958,00
A petrechamento Reprografia Cartografia Ine 250.640.958,00
Mbanza Kongo 201.961.461,00
Coustru çãodo Apetrechameuto Serviço P rovincial Iue Mbauza Congo 201. 961.461,00
Menongue 201.961.461,00
Constru ção E Apetrecha meu to Do Serviço Prov iucial Ine Meuo ugue 201. 961.46 1,00
~ -- -"'-- --=
Moxico 748.994.400,00
Constru ção E Apetrechamento Do Ed ifício Serviço Prov incial Ine M)xico 748.994.400,00
Stunbe 201.961.461,00
Co nstru ção E Apetrechamento Do Serviço Prov iucial I.N.E. No O aauza Sul 201. 961.461,00
Varios M uniciplos-Nacional 1.028.198.001,00
Constru ção Apetrechame ulo 6 Serviços Prov iuciais Iue 1.028. 198.001,00

DESPESAS D E NATURE ZA POR UNIDADE ORÇ AMENTAL


Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Agência De Investimento Privado E PrOilloção Das E xtJOrtações 623.4 77.305,00 100,00%
D espesas Correntes 535.437. 866,00 85,88%
-- ---· - - - -------
Despesas C om O P essoal 107.230.591,00 17,20%
=-- - : - - - - - ·---
Contribuições Do E mpregador 6.844.894,00 1,10%
Despesas E m Bens E Serviços 420.828.803,00 67,50%
Subsidios E Transfer ências Correntes 533.578,00 0,09%
Despesas De C apital 88.039.439,00 14,12%
Investimentos 88.039.439,00 14,12%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
In~tltuto Do Fomento Empresarial 230.198.409,00 100,00%
Despesas Conentes 230.198.409,00 100,00%
Despesas C om O P essoal 68.992.000,00 29,97%
Contribuições Do E mpregador 5.194.000,00 2,26%
Despesas E m Bens E Serviços 155.718.409,00 67,65%
------
Subsidios E Transfer ências Co-n -·en- t-es- 294.000,00 0,13%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· Ofo

Instituto Nacional De Apoio Às Pequenas E M édias Empresas 1.495.257.168,00 100,00%


Despesas Correntes 1.258.340.005,00 84,16%
Despesas C om O P essoal 135.166. 706,00 9,04%
Contribuições Do Empregador 9.076.412,00 0,61 Ofo
Despesas E m Bens E Serviços l.ll4.092.653,00 74,51%
Subsídios E Transferências Correntes 4.234,00 0,00%
Despesas De C apital 236.917.163,00 15,84%
Investimentos 236.917.163,00 15,84%
Unidade Orçamental I Natunza Valot· Ofo

Instituto Nacional De Estatística 1.319.008.471,00 100,00%


5720 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Despesas Correntes 1.311.246.871,00 99,41%
-- ------~-

Despesas Com O Pessoal 451.958.301,00 34,27%


-- --,------ ---------
Contribuições Do Empregador 36.542.360,00 2,77%
Despesas Em Bens E Serviços 818.371.490,00 62,04%
Subsídios E Tran~ferências Correntes 4.374.720,00 0,33%
Despesas De Capital 7.76 1.600,00 0,59%
InvestJmentos 7.761.600,00 0,59%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Da Economia E Planeamento 7.013.345.650,00 100,00%
Despesas Con-entes 3.552.750.628,00 50,66%
Despesas Com O Pessoal 565.880.347,00 8,07%
---
Contribuições Do Empregador 37.765.851,00 0,54%
Despesas Em Bens E Serviços 2.948.464.686,00 42,04%
Subsídios E Transferências Correntes 639. 744,00 0,01%
Despesas De Capital 3.460.595.022,00 49,34%
Investimentos 3.460.595.022,00 49,34%
I SÉRIE- N. 0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5721

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Das Finanças
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 108.657.228.648,00 100,00%
Despesas Correntes 79.990.018.836,00 73,62%
-- -----
Desp esas Com O Pessoal 38.397.771.308,00 35,34%
c---:--=-~ ----
Despesas Com __9 Pessoal a~ 38.397.771.308,00 35,34%
ConUibuições Do Empregador 827.400.669,00 0,76%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social -----s2'7.400.669,0-0 - 0) 6%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 40.750.2 17.696,00 37,50%
----
Bens 5.881.048.019,00 5,41%
~rviços _ _ ---~--- 34.869.169.677,00 32,09%
-----
Subsidios E Transferências Correntes 14.629.163,00 0,01%
------
Transferências Correntes 14.629.163,00 0,01%
Despesas De Capital 28.667.209.812,00 26,38%
Investimentos 28.667.209.812,00 26,38%
------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 28.667.209.812,00 26,38%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 108.657.228.648,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 107.223.001.991,00 98,68%
órgãos Exec utivos 4.23I.848.õ3Do 3,89%
----- - - - ----
Ass untos Financeiros E Fiscais 102.991.153.956,00 94,79%
A~sunt.os Económicos 1.434.226.657,00 1,32%
-----
Assuntos Económicos Gerais, Comerciais E Laborais --:-1.-:c
43:-4.226.657,00 1,32%
Ass un tos Económicos E Comerciais Em Geral 1.434.Ü:6657,00 1.3i%
DESPESAS POR PROGRAMA
PI·ograma Valor ~~

Total Geral: 108.657.228.648,00 100,00%


Acções Correntes 82.814.237.180,00 76,22%
Oipacitação Institucional E Valorização Dos Rec ursos Humanos Na Adm iui~1ração PUblica 1. 569.028.501,00 1,44%
Coesão Territoria l 1.423. 181.411,00 1,31%
Construção E Reabilitação De Edifícios Ptiblicos E Eq uipamentos Sociais 18. 180.731.551,00 16,73%
Descentralização E Implementação Das A utarq uias Locâis 311.626.042,00 0,29%
Desenvolvimento Da Logística E Da Distribuição l. 038.223.186,00 0,96%
Melhoria Da Gestão Das Finanças Ptiblicas 3. 210.084.840,00 2,95%
Reforço Do Combate Ao Crime Económico, Financeiro E A Corrupção 11 0. 115.937,00 0, 10%
DESPESAS DE FUNCIO NAM ENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVI MENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~~
Total Geral: 87.593.350.521,00 100,00%
Acções De Divulgação Da M1téria Fiscal E Das Finanças P tiblicas 5.216.633.512,00 5,96%
Desenvolvimento Do Sistema Fina nceiro 2018 A 2022 215.600.000,00 0,25%
Encargos Com O Instituto De 'furmação Em Gestão Econ. Fina nc. Palop 2.911 .380.840,00 3,32%
Formação De Quadros Da Adm inistração P tiblica 1. 531.692.979,00 1,75%
Operação E Ma nutenção Geral Dos Serviços 72.080.534.092,00 82,29%
Plano Nacional De I nclusão Financeira 2018 A 2022 83. 104.000,00 0,09%
Refo rço Da capacidade Institucional 37.335.522,00 0,04%
Reg ulação Da Actividade De Jogos 848.811. 071,00 0,97%
5722 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01·

Regu lação Da Activ idade Financeira Não Bancária 4. 668.258.505,00 5,33%


PROGRAlV IA DE I NVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Municipio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 21.063.878.127,00
Ambriz 436.293.802,00
Construção E Apetrechamento Da Dele_gação Ad uaneira Do Ambriz 241.387.687,00
Construção Da Repartição Fiscal Do Ambriz, Incluindo 2 Casas De Função 194.906.115,00
Bala Farta 162.394.691,00
Constru ção Do Posto Ad uaneiro Da Baia Farta 162.394.691,00
Cabinda 165.363.297,00
Constru ção E Apetrechamento Do Ed ifício Da Direcção Regio nal Das Alfândegas De Cabinda 73.224.2 92, 00
Constru ção Do Ed ificio Para Inspecção Fisica E Armazem E m Cabin.d a 92.139.005,00
Cacongo 822.939.774,00
Constru ção E Apetrechamento De Gtnis Da Delegação Ad uaneira De Massabi 81.8 11.430,00
Constru ção E Apetrechamento Das Casas De Função De Massabi 741. 128.344,00
Cacuaco 146.444.291,00
Reabilitação Repartição Fiscal Cac uaco 146.444. 291 'oo
Catumbela 268.494.833,00
Construção Da Delegação Ad uaneira Do Aeropotto De Caturnbela 268.494.833,00
Cazenga 201. 161.976,00
Reabilitação Repa!tição Fiscal Cazeng-d 201. 161.976,00
Cuangar l.l 09.648.754,00
Constru ção E Apetrechamento Do Posto Aduaneiro De Katwitwi 274.681.946,00
~nstru çãoDo Edifício De I nspecçãODaDetegação-!Sekai.Witwi - -3- Ü64.220' 00
Constru ção Do Ed ifício Do Scanner E Parq ues Na Delegação De Kat.witwi 57 460 051 ' 00
Constna ~oE Apetrechamento De Casas De Função De Katwitwi ~1. 642.537 ,õõ
Cuanhama ---------------------- 44.541.608,00
Reabilitação, Constna ção E Apetrechamento De A nexos Da Casa De Passagem De Oudjiva 44.541.608,00
Culto 293.329.825,00
Constru ção E Apetrechamento Do Posto Aduaneiro Do Kunje 293.329.825,00
---- -
Estr uttn·a Central 4.747.664.804,00
Constru ção Apetrechamento Novo Ed ifício Min istério Das Finanças Lua nda 4.398.418.762,00
Reabilitação Ampliação Apetrech. Delegação Prov incial Finanças GJtbiuda 3 11.626.042,00
Fornecimento, Instalação E Manu tenção Do Sistema Informático In tE:g rado Da Adm Geral T ributária 37.620.000,00
Huambo 100.788.050,00
Constru ção E Apetrechamento Da Delegação Ad uaneir.t Do Huambo· 100.788.050,00
Kllamba Klaxi 354.831.811,00
Constru ção 5" Repartição Fiscal Luanda (Kilamba Kiaxi) 323.471.300,00
-=-::::-
Constru ção E Apetrechamento Da Delegação Ad uane ira Da Grupagem Em Luanda 31.360.511,00
Lobito 296.493.862,00
Constru ção E Apetrechamento Do Armazém, &c rit6rios E Panpae De Veri ficação Do Lobito 296.493.862,00
Luanda 4.392.175.957,00
Reabilitação E Apetrechamento Do Ed ifício Para F utur.t A utoridade Tributária, E m Luanda 989.031.042,00
I SÉRIE- N. 0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5723

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Aquisição Instalações No Ed ifício Multirna Plaza 1.563.373.634,00


~abilitação Do Ed~ficio_ Do Serviço Regio nal Das A lfândegas De Luanda 1.426 504.000,00
Construção Do Ed ificio Pata A Policia Fiscal Portuária De Luanda 413.267.281,00
Luau 111.289.865,00
Co nstrução E Apetrechamento Do Posto Aduaueiro Do Luau 111.289.865,00
Lubango 638.416.734,00
Co ustrução Iost. Gestão, Formação E Gestão Ecouórnica Palop Hu ila. 563.902.254,00
Co ustrução E Apetrechamento Da Repartição Fiscal Do Lubango (Hu íla) 74.514.480,00
Malanje 854.682.032,00
Construção E Apetrechamento Da Uuidade Pard Po licia Fiscal De Malanje 112.910.342,00
Construção Ed ifício Para O Serviço Da 2" Região Tributária Em Mal;anje 741.771.690,00
Maquela Do Zomb o 877.710.70 1,00
Reabilitação Da Repartição Fiscal De Maq nela Do Zombo 190.666.271,00
Coustru ção Do Posto Aduaneiro Do Qnimbata 687.044.430,00
Ma"inga 492.554.080,00
Construção E Apetrechamento Do Posto Aduaneiro Do Mucusso 492.554.080,00
Mbanza Kon go 54.452.158,00
Construção E Apetrechamento De Anexos Na Casa De Função Do lJuvo 54.452.158,00
Menongue 424.070.081,00
Co nstrução Da Delegação Aduaneira De Meuo ugue 424.070.081,00
Moxico 293.908.613,00
Construção E Apetrechamento Do Posto Ad uaueiro Do Lueua 183.792.676,00
Reabilitação E Apetrechame nto Da Unidade Da Policia Fiscal Do Moxico 110.115.937,00
Namacunde 596.240.621,00
Constru ção De Cauis PardA Delegação Ad uaueira De Santa Clata 81.811.428,00
Constru ção De Casas De Função Para Os Funcionários De Santa ClaJta 514.429.193,00
Namibe 45.071.493,00
Reabilitação E Apetrechamento Da Casa De Função Do Nam ibe 45.071.493,00
Ombadja 68.615.711,00
Construção Do Posto Aduaneiro Do Xangongo 68.615.711,00
Sam·imo 282.615.709,00
Construção E Apetrechamento Da Delegação Aduaneira De San rimo 282.615.709,00
Soyo 71.598.361,00
Reabilitação Da Delegação Aduaneira Do Soyo 71.598.361,00
Varlos Municipios-Nacional 1.423. 181.411,00
Acompaultameuto Da Implementação Prog tama Iuvestimeuto Ptíblic·o Nacio nal 1.423.181.411,00
Viana 1.286.903.222,00
Construção Nave Centro De Documentação Do Sua Em Viana 83.065.712,00
Reabilitação Centro Logístico Aduaneiro Em Viana, E Pavimeutaç. Huque 741.729.324,00
Construção E Apetrechamento De Três Naves Annazéns De lvfercadorias Em Viana 16.680.879,00
Coustna~o Da Rep;utição Fiscal De Viana Pâtk Em Viaua ~. 427.307 ,ÕÕ
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
5724 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Administração Ge1·al Tributária 60.288.535.871,00 100,00%
Despesas Correntes 45.401.836.511,00 75,31%
Despesas Com O Pessoal 29.218.550.079,00 48,46%
Contribuições Do Empregador 347.323.434,00 0,58%
Despesas Em Bens E Serviços 15.835.962.998,00 26,27%
Despesas De Capital 14.886.699.360,00 24,69%
Investimentos 14.886.699.360,00 24,69%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Agência Angolana De Regulação E SUJJ ervisão De Segm·os 1.434.226.657,00 100,00%
Despesas Correntes 971.979.292,00 67,77%
Despesas Com O Pessoal 570.436.536,00 39,77%
Contribuições Do Empregador 41.842.080,00 2,92%
Despesas Em Bens E Serviços 359.700.676,00 25,08%
Despesas De Capital 462.247.365,00 32,23%
Investimentos 462.247.365,00 32,23%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Comissão Do Mercado De Capitais 3.234.031.848,00 100,00%
Despesas Correntes 3.004.853.820,00 92,91%
Despesas Com O Pessoal 2.100.459.904,00 64,95%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 89.426.043,00 2,77%
Despesas Em Bens E Serviços 813.9 19.410,00 25,17%
Subsldios E Tran~ferências Correntes 1.048.463,00 0,03%
Despesas De Capital 229.178.028,00 7,09%
InvestJmentos 229.178.028,00 7,09%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Con sellio Nacional De Estabilidade Financeira 539.048.213,00 100,00%
Despesas Correntes 527.970.367,00 97,94%
Despesas Com O Pessoal 54. 109.846,00 10,04%
Contribuições Do Empregador 4.204.840,00 0,78%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 469.645.391,00 87,U%
---
Subsiclios E Transferências Correntes 10.290,00 0,00%
---,-
Despesas De Capital 11.077.846,00 2,06%
Investimentos 11.077.846,00 2,06%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial De Finanças Da Huila 274.689.087,00 100,00%
Despesas Correntes 257.813.786,00 93,86%
Despesas Com O Pessoal 94.696.146,00 34,47%
Contribuições Do Empregado1· 5.217.724,00 1,90%
Despesas Em Bens E Serviços 157.899.916,00 57,48%
Despesas De Capital 16.875.301,00 6,14%
Investimentos 16.875.301,00 6,14%
Unidade Orçamental I Natunza Valot· %
Delegação Provincial De Finanças Da Ltmda-Norte 189.635.259,00 100,00%
Despesas Correntes 189.074.896,00 99,70%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5725

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
DesJJesas Com O Pessoal 82.494.093,00 43,50%
Contribuições Do Empregado•· 3.088.434,00 1,63%
--·----
Despesas Em Bens E Serviços 103.198.369,00 54,42%
Subsídios E Tnmsferências Correntes 294.000,00 0,16%
Despesas De Capital 560.363,00 0,30%
Investimentos 560.363,00 0,30%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Da Ltmda-Sul 176.645.360,00 100,00%
Despesas Correntes 175.970.528,00 99,62%
-- - - - · -----
Despesas Com O Pessoal 65.882.966,00 37,30%
=-- - : - - - ---------
Contribuições Do Empregador 1.722.924,00 0,98%
Despesas Em Bens E Serviços 108.364.638,00 61,35%
Despesas De Capital 674.832,00 0,38%
Investimentos 674.832,00 0,38%
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~(,

Delegação Provincial De Finanças De Benguela 227.508.886,00 100,00%


Despesas Correntes 226.948.523,00 99,75%
Despesas Com O Pessoal 129.685.587,00 57,00%
Contribuições Do Empregador 11.090.562,00 4,87%
DesJJesas Em Bens E Serviços 86.172.374,00 37,88%
--------- - -
Despesas De Capital 560.363,00 0,25%
----
Investimentos 560.363,00 0,25%
Unidade Ot·çamental I Natureza Valor ~h

Delegação Provincial De Finanças De Cabinda 129.461.471,00 100,00%


Despesas Correntes 128.901.108,00 99,57%
Despesas Com O Pessoal 55.121.141,00 42,58%
Contribuições Do Empregador 7.115.081,00 5,50%
Despesas Em Bens E Serviços 66.664.886,00 51,49%
Despesas De Capital 560.363,00 0,43%
Investimentos 560.363,00 0,43%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Delegação Provincial De Finanças De Luanda 205.953.498,00 100,00%
Despesas Cornntes 205.393.135,00 99,73%
DesJJesas Com O Pessoal 103.595.308,00 50,30%
Contribuições Do Empregado•· 6.871.318, 00 3,34%
--- -
Despesas Em Bens E Serviços 94.926.509,00 46,09%
Despesas De Capital 560.363,00 0,27%
Investimentos 560.363,00 0,27%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Delegação Provincial De Finanças De Malanje 198.750.305,00 100,00%


Despesas Cornntes 198.189.942,00 99,72%
DesJJesas Com O Pessoal 98.053.131,00 49,33%
Contribuições Do Empregad01· 4.655.000,00 2,34%
-
Despesas Em Bens E Serviços 92.541.811,00 46,56%
5726 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Subsídios E Transferências Correntes 2.940.000,001,48%
-----·--- - -
Despesas De Capital 560.363,00 0,28%
-----
Investimentos 560.363,00 0,28%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do Bengo 150.530.934,00 100,00%
-----
Despesas Correntes 149.970.571,00 99,63%
Despesas Com O Pessoal 21.093.001,00 14,01%
Contribuições Do Empregador 1.336.415, 00 0,89%
DesJJesas Em Bens E Serviços 127.541.155,00 84,73%
-----·
Despesas De Capital 560.363,00 0,37%
----
Investimentos 560.363,00 0,37%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do Bié 334.782.200,00 100,00%
Despesas Correntes 334.742.524,00 99,99%
--- --
Despesas Com O Pessoal 194.664.479,00 58,15%
Contribuições Do Empregador 11.942.694,00 3,57%
Despesas Em Bens E Serviços 127.864.871,00 38,19%
Subsídios E Transferências Correntes 270.480,00 0,08%
Despesas De Capital 39.676,00 0,01 o/o
Investimentos 39.676,00 0,01%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do C.Cnbango 192.014.842,00 100,00%
Despesas Correntes 174.135.805,00 90,69%
Despesas Com O Pessoal 80.360.000,00 41,85%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 5.978.000,00 3,11%
Despesas Em Bens E Serviços 87.093.233,00 45,36%
Subsidios E Tran~ferênclas Correntes 704.572,00 0,37%
Despesas De Capital 17.879.037,00 9,31%
Investimentos 17.879.037,00 9,31%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial De Finanças Do Cuanza-Norte 192.189.496,00 100,00%
Despesas Correntes 191.629.133,00 99,71%
Despesas Com O Pessoal 123.372.097,00 64,19%
Contribuições Do Empregador 7.530.723,00 3,92%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 60.444.073,00 31,45%
---
Subsiclios E Transferências Correntes 282.240,00 0,15%
Despesas De Capital 560.363,00 0,29%
Investimentos 560.363,00 0,29%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· ~i>

Delegação Provincial De Finanças Do Cuanza-Sul 193.331. 740,00 100,00%


Despesas Cornntes 189.013.539,00 97,77%
DesJJesas Com O Pessoal 74.176.475,00 38,37%
Contribuições Do Empregado•· 7.448.000,00 3,85%
---- -
Despesas Em Bens E Serviços 107.263.188,00 55,48%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5727

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Subsídios E Transferências Correntes 125.876,00 0,07%
Despesas De Capital 4.318.201,00 2,23%
Investimentos 4.318.20 1, 00 2,23%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do Cunene 208.142.425,00 100,00%
Despesas Correntes 203.122.222,00 97,59%
Despesas Com O Pessoal 119.011.206,00 57,18%
Contribuições Do Empr egador 7.363.058,00 3,54%
DesJJesas Em Bens E Serviços 76.219.375,00 36,62%
Subsídios E Transferência-'-
s -,C_o_
n --e-n-t e_s_
------
528.583,00 0,25%
--~-----

Despesas De Capital 5.020.203,00 2,41%


Investimentos 5.020.203,00 2,41%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do Huambo 564.277.732,00 100,00%
Despesas Correntes 553.981.118,00 98,18%
Despesas Com O Pessoal 163.037.136,00 28,89%
Contribuições Do Empregador 13.911.493,00 2,47%
Despesas Em Bens E Serviços 374.149.348,00 66,31%
Subsídios E Transferências Correntes 2.883.141,00 0,51 o/o
Despesas De Capital 10.296.614,00 1,82%
----
InvestJmentos 10.296.614,00 1,82%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do Moxico 159.584.151,00 100,00%
Despesas Correntes 156.203.151,00 97,88%
- - ---- -- ------
Despesas Com O Pessoal 69.000.000,00 43,24%
Contribuições Do Empregador 4.000.000,00 2,51%
Despesas Em Bens E Serviços 82.842.119,00 51,91%
Sub sídios E Transferências Correntes 361.032,00 0,23%
Despesas De Capital 3.381.000,00 2,12%
Investimentos 3.381.000,00 2,12%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Delegação Provincial De Finanças Do Namibe 277.279.308,00 100,00%
Despesas Cornntes 2 73.360.194,00 98,59%
DesJJesas Com O Pessoal 152.988.997,00 55,18%
Contribuições Do Empregado•· 16.758.000,00 6,04%
-- ----
Despesas Em Bens E Serviços 103.602.219,00 37,36%
Subsídios E Tnmsferênctas Correntes 10.978,00 0,00%
Despesas De Capital 3.919.114,00 1,41%
Investimentos 3.919.114,00 1,41%
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~(,

Delegação Provincial De Fin:UlÇas Do Uige 190.268.663,00 100,00%


Despesas Correntes 188.408.967,00 99,02%
Despesas Com O Pessoal 68.274.078,00 35,88%
-- --- --- ----------
Contribuições Do Empregador 3.952.189,00 2,08%
5728 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
DesJJesas Em Bens E Serviços 116.182.700,00 61,06%
Despesas De Capital 1.859.696,00 0,98%
---------
Investimentos 1.859.696,00 0,98%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial De Finanças Do Zaire 416.273.971,00 100,00%
-------
Despesas Correntes 399.287.706,00 95,92%
Despesas Com O Pessoal 268.485.939,00 64,50%
Contribuições Do Empregador 19.131.689,00 4,60%
DesJJesas Em Bens E Serviços 111.583.054,00 26,81 o/o
Subsidios E Transferência-'-
s _,C_o_
n --e-n-t e_s_ 87.024,00 0,02%
-------
Despesas De Capital 16.986.265,00 4,08%
Investimentos 16.986.265,00 4,08%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Instituto De Formação De Finanças Públicas 1.560.208.501,00 100,00%
Despesas Correntes 1.448.014.610,00 92,81%
Despesas Com O Pessoal 127.528.391,00 8,17%
Contribuições Do Empregador 7.439.425,00 0,48%
Despesas Em Bens E Serviços 1.311.355.806,00 84,05%
Subsidios E Transferências Correntes 1.690.988,00 0,11 o/o
Despesas De Capital 112.193.891,00 7,19%
Investimentos 112.193.891,00 7,19%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
In~tHuto De Preços E Concorrencia 563.379.721,00 100,00%
Despesas Con-entes 418.230.543,00 74,24%
- - ---- -- ------
Despesas Com O Pessoal 134.330.934,00 23,84%
Contribuições Do Empregador 3.150.000,00 0,56%
Despesas Em Bens E Serviços 279.899.609,00 49,68%
Subsidios E Transferências Correntes 850.000,00 0,15%
Despesas De Capital 145.149.178,00 25,76%
Investimentos 145.149.178,00 25,76%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Instituto De Supervisão De Jogos 848.811.071,00 100,00%
Despesas Cornntes 352.643.686,00 41,55%
DesJJesas Com O Pessoal 66.072.506,00 7,78%
Contribuições Do Empregado•· 4.884.288,00 0,58%
------ -
Despesas Em Bens E Serviços 2 79.801.862,00 32,96%
Subsidios E Tnmsferênctas Correntes 1.885.030,00 0,22%
Despesas De Capital 496.167.385,00 58,45%
Investimentos 496.167.385,00 58,45%
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~(,

Instituto Pa1·a O Sector Eln(nes:u·ial Público 984.289. 723,00 100,00%


Despesas Correntes 445.562.261,00 45,27%
Despesas Com O Pessoal 146.926.023,00 14,93%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 9.921. 759,00 1,01%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5729

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
DesJJesas Em Bens E Serviços 288.449.879,00 29,31%
Subsidios E Transferência-'-
s -=c-:-o-n -·e-n-te_s_ 264.600,00 0,03%
- - --
Despesas De Capital 538.727.462,00 54,73%
Investimentos 538.727.462,00 54,73%
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Ministério Das Finanças 20.603.921.044,00 100,00%
Despesas Correntes 11.637.323.717,00 56,48%
Despesas Com O Pessoal 2.687.986.743,00 13,05%
Contribuições Do Empngador 116.097.663,00 0,56%
Despesas Em Bens E Serviços 8.832.945.445,00 42,87%
------
Subsidios E Transferências Co-n -·en- t-es- 293.866,00 0,00%
-....,.-~~

Despesas De Capital 8.966.597.327,00 43,52%


Investimentos 8.966.597.327,00 43,52%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Set·viço De Tecnologias De Inf01mação E Comtmlcação Das Finanças Públlc 12.759.868.445,00 100,00%
Despesas Correntes 10.193.362.819,00 79,89%
Despesas Com O Pessoal 837.282.191,00 6,56%
Contribuições Do Empngadot· 30.050.124,00 0,24%
Despesas Em Bens E Serviços 9.326.030.504,00 73,09%
Despesas De Capital 2.566.505.626,00 20,11%
InvestJmentos 2.566.505.626,00 20,11%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Set·viço Nacional Da Contratação Públlca 569.091.140,00 100,00%
Despesas Correntes 559.416.539,00 98,30%
- - ----
Despesas Com O Pessoal 156.040.681,00 27,42%
Contribuições Do Empregador 10.396.094,00 1,83%
Despesas Em Bens E Serviços 392.979.764,00 69,05%
Despesas De Capital 9.674.601,00 1,70%
Investimentos 9.674.601,00 1,70%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Unidade De Gestão Da Divida Pública 508.025.377,00 100,00%
Despesas Correntes 415.866.114,00 81,86%
Despesas Com O Pessoal 119.087.206,00 23,44%
Contr ibuições Do Empngador 8.397.875,00 1,65%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 288.381.033,00 56,77%
-- --- -------
Despesas De Capital 92.159.263,00 18,14%
Investimentos 92.159.263,00 18,14%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Unidade Técnica Acompanhamento Proj Financiamento Externo 482.471.709,00 100,00%
Despesas Correntes 416.811.709,00 86,39%
Despesas Com O Pessoal 214.968.488,00 44,56%
Contribuições Do Empngador 15.153.740,00 3,14%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 186.591.481,00 38,67%
--- -- ------
Subsiclios E Transferências Correntes 98.000,00 0,02%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Despesas De Capital 65.660.000,00 13,61%
Investimentos 65.660.000,00 13,61%
5730 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORG.~O


Órgão: tvii.nistério Da 1\.dnúnistnu;ão Do Terrilc:í1io E Reforma Dt> Estad
I>ESP~:SAS POR NATLREZA ECOI\ÓMICA
Natt1reza Valor %
Total Geral: I 6.299,630,9110,00 IHO,OIJ"/c•
Despesas Correntes 9.344.602.975,00 57,33%
Despesas Com O Pessoal 768.540.027,00 4,72%
Despesas Com O Pessoal Civil 768.~40.02í,OO 4,72%
Contribuições Do Empregador 66.102.322,00 0,41%
Contribuiçôcs T)o Empregador Para /\ Segurança Social 66.102.322,00 0.41%
UesJ)esas l(m Hens 1<: Seni~~os H.393,1 52,544,00 51,49%
Bc.ns 1.016.124.Ci81,00 Ci,23%,
Sen·iços 7.377.027.863,00 45,26%
Subsídios E Tntnsferências Correntes 116.808.082,00 0,72%
Transferências COJTentes 116.808.082,00 0,72%
Despesas De ÜlJlital 6.')55.027.925,00 42,67'llo
11westimen.tos 6,955.112 7.925,00 42,67"/c•
A«tuisiçâo De Bens De Capital Fixo 6.955.027.925,00 42,(;7%,
DESPESAS l'OR FUNÇi\.0
Funçãu Valnr o;.,
Total Geral: 16.299.630.900,00 IOO,OO'Yo
Set"'<iços Pí1blicos Gerais 13.459.225.308,00 82,57%
Órgãos Executivos 13.459.225.308,00 82.57'}(,
Educação 890.216.348,00 5,46%
Em,ino Primário 6X2.200.<.J45J)(l4.l<.J%
Ensino T.Scnico-Profissional 208.015.403,tXJ 1,28%
Saúde 461.205.380,00 2,83'!/o
Serviço:; De Centros Médicos E D-:: Matem idade 461.205.380,00 2,83%
Prutccçãu Social I .441.322.086,00 8,84%
Outros Serviços De Protecção Social 1.441 .322.086,00 8,84%
Habitação E Serviços Comunitátios 31.424.460,00 0,19%.
Dcscn volvi rncmo H abi lacional 31.424.4(iJ,OO 0,19%
Recreação, Cultuta E Religião 16.237.318,00 0,10%
Serviços Recreativos E Dc~portivos 16.237.31 8,00 O,JOCJ(,
DESPESAS POR PROGRAi\1A
Programa Valor %
Total Geral: 16.299.630,90H,OII lHII,IUI%
Acçõe s Correntes 2 .416.(,34.062,00 14,83'1(.
Cllpacir;Jç1ío lnstitncionllll ~ Valnri7ação Dos 1-:ccur:;os Hnmm1os Na Administração Pública IO.O14 .7!10 ,00 0.06%
Cons(ruo,:<io E Rt!auililltç~io Dt! Edifícios Públicos E hltLÍpllm.:utos Soçiais 31.424.460,00 0 ,19%
Dc~ccntrali7.ação E Implementação Das Autarquias Locais 7.421.362.412,00 45,53'}(,
Descoucentraçiio Administrativa b Financeira 635325 .640,00 3.'Xl'Ji,
Dc~cnvolvimcnto Da Logística E Da Distribuição 201.<.J:'i6.702.()() 1.24%
Geueralizaçf.ío Da Prática Desporüva E Melhoria Do Desporto De Rendlimenlo 16.237.318,00 O,lO'Yo
Mclhnria Da As~i~rência Mé<iica E Mcdicmncntn~a 461 .205 3XO,OO 2,H3%
Melhoria Da Qualidade E Dcscnvolvimcnlo Do Ensino l'rim<írio 682.200 .')45 ,00 4,19%
Mdlwria E Dt>st!nvolvimt!nto Do En>Ínl• Tticu.i;;o-l'rofissional 208.015.403,00 1,28%
Promoção Da Cidadania E Da Patticipação Dos Cidadãos Na Governação 50.269 .990.00 O,J'I '!i:
Reiorma Da lülminislr<tção Local E .Melhoria Dos Serviços l'tíblicos /\. Nível Munit:ipal 4 .164.983.308.00 25,5:'í'fl.
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5731

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h
Total Geral: 8.877.390.692,00 100,00%
Apoio Ao Desenvo lvimento De Línguas Nacionais E Estrange ilâs 25.275.141,00 0,28%
olpacitação Dos Quadros Da Administração Local E Autarq\tias 247.173.346,00 2,78%
Comemorações Do lO De Agosto - Feilâ Dos Mu nicípios E Cidades 52.466.869,00 0,59%
Comemorações Do 11 De Novembro-Dia Da I n~dência Nacional 26.873.024,00 0,30%
ComemoraÇões Do 17 De Setembro-Dia Do Heroi Nacional 17.915.348,00 0,20%
Comemorações ~o 4 De-=A,-b_ri_l - , - - 17.915.348,00 0,20%
Comemorações Do 4 De Fevereiro --17. 915.3~ Uo%
Comemorações Locais E Nacionais 13.436.511,00 0,15%
Financiamento De Projectos De Âmbito Social 261.934.065,00 2,95%
Operação E Ma nutenção Geral Dos Serviços 1.970.143.295,00 22,19%
PAD.E.L.I. - Programa De Apoio Ao Des. De L. Nac. E Esl (Celi)(Dlinac). 28.729.680,00 0,32%
PAD.LR - P rograma De Aq ~i<;ição De Distintivos Da República 38.034.254,00 0,43%
P.A.P.E - Progruna De Acompanhamento De Processos Eleitorais L 002.538.837,00 11,29%
P.E.E. CAP. - Projectos De Estudos De Elaboração Das Cadeias Produ tivas 176.908.203,00 1,99%
P.N.A.D.- Programa Nacional De Descentralização 425.877.167,00 4,80%
P O.P.O.M.E.L. Projecto De Organização De Povoações E Melhorame ntos Locais 1. 002.479.818,00 11,29%
P.RA.A.L. - Progrdlna De Acompanhamento E Apoio A Adm inistraçao Local 96.298.572,00 1,08%
P.RE.G.O.L.- Programa De Reforma Da Adm inistração Local Do Esta·~ 736.679.306,00 8,30%
-----
P.RE.M.LA.T- Prog. De Revitalização Da Inspecção Da Administração Territorial 29.826.674,00 0,34%
P.R.O.P.L-Prograrna De Previdência LabOral E- Estudos Autuários 49.186~9i8-.-oo~ 0,55%
P.R O.P.P.A.L- Pro grama Apoio Ao Processo De Preparação Das A uta.rq uias Locais 350.450.229,00 3,95%
P.RO~'Í'-.-O. N - Proglâma De Regulãrização Da Toponímia Nacional- -- 177.506.421,0Õ 2,00%
Piâgeps: Prog. De Reforço E Apoio Ao Gep/S Provinciais E Municipaü> -- 160 26L495~õ 1,81%
Programa De Extensão E ModerniZação Do IFAL --~-
.o29 fsf-658.oo 11,59%
Programa De Iutercâtnbio E Genniuação De Cidades E Mu nicíp ios 50.269.990,00 0,57%
Programa LFAL Online 79.878 085,00 0,90%
Pmgrama Naciona l De Inserção Profissional 10.014.780,00 0,11%
Pmsimplex - Implementação Do Sistema Simplicação Dos Processos Da Adrn. Local 361.225.571,00 4,07%
S.LLGA.T- Sistema Integrado De Iu fo rmaçãOE""Gestão Da Adm iu. Do Território 420.993.679,00 4,74%
--- PROGRAMA DE I NVEST1MENTOS P ÚBLIC OS
Municlpio I Pl"oj ecto I Actividade Total
Total Ger al: 7.422.240.208, 00
Bundas 56.649.662,00
Constru ção E Apetrechamento De Residência T2 Chiugando Bu nd~; 15.712.230,00
Construção Apet.recbame nto Escola 6 Salas De Au las Bundas -.;fo.937.432~õo
Cacttla 16.237.318,00
Construção De Um Campo Multiuso Na Càcula Hu ila 16.237.3 18,00
Calmbambo 33.199.257,00
Construção E Apetrechamento Escola De 6 Salas No Caimbambo Benguela 33.199.257,00
Cambambe 34.530.557,00
Construção Apetrechamento Escola De 6 Salas Alto Cambambe C uacuza Norte 34.530.557,00
Cambambe Dondo 429.004.596,00
Construção Apetrechamento Centro De Saúde Cuacuza-Norte Cambambe 429.004.596,00
__..=;;: =
Cela 429.004.596,00
Co nstrução Apetrechamento Escola 6 Salas De Aulas C uanza-Su l Oela 429.004.596,00
5732 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Chita to 34.530.557,00
Constru ção De Uma Escola De 6 Salas De Aulas No Louvua Luuda Norte 34.530.557,00
Chongorol 50.242.787,00
Construção ApetJ-ecbamento Esco la 6 Salas Vaiva Malongo Cbou go roi 34.530.557,00
-- -- -~---- -
Construção ApetJ-ecbamento Residencia T2 Vaiva Malougo Cbougoroi 15.712.230,00
Est:rutm·a Central 6.029.215.403,00
Coustnção De Infraestruturas Admini~trativas E Autárquicas 5.821. 200.000,00
Reabilitação E Ampliação Do Auditório Do Ifal Lnand_a _ 208.015.403,00
Lua cano 40.937.432,00
Construção Apett-echamento Escola 6 Salas De Au las Sam bolo Luacano 40.937.432,00
Nó qui 66.731.341,00
Construção Apetrechamento Escola 6 Salas De Au las Lu funde N6qu:i 34.530.557,00
Construção Apetrechamento Centro De Sa1íde Na lvfbanza Kuiuga Tomboco 32.200.784,00
Viana 201.956.702,00
Reabilitação Da Base Logística De Viaua 201.956.702,00
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ftmdo De Apoio Social 2.632.390.189,00 100,00%
Despesas Correntes 1.575.857.907,00 59,86%
--- -----
Despesas Com O Pessoal 94.240.379,00 3,58%
Contribuições Do Empregador 6.524.618,00 0,25%
DesJJesas Em Bens E Serviços 1.475.092.910,00 56,04%
--
Despesas De Capital 1.056.532.282,00 40,14%
Investimentos I. 056.532.282,00 40,14%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
In~tltuto De Formação De Administração Local - I.F.AL. 2.078.061.823,00 100,00%
Despesas Cornntes 2.078.061.823,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 118.962.419,00 5,72%
Contribuições Do Empregado•· 11.437.207,00 0,55%
Despesas Em Bens E Serviços 1.944.722.197,00 93,58%
-----
Subsidios E Tnmsferênctas Correntes 2.940.000,00 0,14%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Da Administração Do Tenitório E Reforma Do Estado 11.589.178.888,00 100,00%
Despesas Correntes 5.690.683.245,00 49, 10%
Despesas Com O Pessoal 555.337.229,00 4,79%
Contribuições Do Empregador 48.140.497,00 0,42%
Despesas Em Bens E Serviços 4.973.337.437,00 42,91%
Subsidios E Transferências Correntes 113.868.082,00 0,98%
Despesas De Capital 5.898.495.643,00 50,90%
Investimentos 5.898.495.643,00 50,90%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5733

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORG.~O


Órgão: Jlvfulislério Da 1\.dnún, Púb.Tral1alho b Segurança Sot:ial
RECEITA POR NATUREZA ECONÓJ\11CA
NatureJ:a Valor %.
Total Geral: 240.131.383.031 ,oo 100,00%.
Receitas Correntes 240.131.383.031,00 100,00'Yo
Reccitn Trihull1rin 239.412.972.807,oo 99,70%
Receita Pantfiscal 58.473.748.428,00 24,35%
Contrihuiçô('S 180.1)39.224.379,00 75,35%
Re<:eita l'atlimonial 341 .176.224,011 11,14%.
Outras Receitas Patrimoniais 341.176.224,00 0,14%
Receitas Correntes Diversas 377.234.000,00 O,H)%,
Outras Receitas Con·cntcs 377.2:14.000,00 0.16'/i,
DESPESAS POR NATLREZA ECOl\ÓM1CA
Valor O;(.

Total Geral: 244.521.646.183,00 100,00%


Dcspcsns Correntes 209.462.991.242,00 85,66%,
Despesas Com O Pessoal 8.479.168.769,00 3,47'!/o
Despesas Com O Pessoal Civil 8.479.168.769,00 3,47%
Contribuições Do Empregador 411.310.326,00 0,17%
Culllribui;,;ües Du bmpn:gador Para A Segurança Soci<ti 411310.326,00 0,17f1(,
llespesas l<:m Hens 10: Servi~:os 1M.ll96.14!'i.27M,UII 7,411'!/o
Bens 759.297.4()3,00 0,31%
Serviçus 17.336.847.815,00 7,09%
Subsídios E Transferências Correntes 182.476.366.869,00 74,63%
Transferências Conentes 182,476.366.869,00 74,63%,
Despesas De Capital 35.058.654.941,00 14,34%
Inv('stim('ntos 18.131).838.563,00 7,42'!/o
A<IUisi~:ão l>t' Bens l>e Capital Fixo 1H. 139.M31i.!'i63,UII 7,42°/co
Despesas De Ü1pital Financcim 16.918.81().378,00 Cí,92%
Aplicação Em Activos Financeiros 16.918.816.378,00 6,92%
DESPESA."l .POR FUNÇ..\0
função Valor 'Yo
Total Geral: 244.521.(>46.183,00 100,00%.
Serviços f>úblkos Gerais 1.925.!'i76.25!'i,UH 0,79%
Oulros S~rviços Gerais Da Admi nist.l'ública 1.925.57c. .255 .00 0,79%
Educnção 7.034.4 72.298,00 2,88%
Ensino Técnico-Profissional 7.034.472.298,00 2,88'/i)
Protecção Socinl 235.432.684.371,00 %,28%
f-amíl ia E Infância I .3<í7 .880 .G:n ,00 0,56%
Velhice 20!i .244.664.796.00 H5,16<)-(.
Sobrevivência 18 .798 .069.973,00 7,69%
Doença 1-: lncaprocidadc l.<nX.1HX .965 ,00 0,42%·
OutmHS0rviços De Pro10cçíio Social 5.983.!\SO.OOO,OO 2,45%
Assuntos Económicos 128.913.259,00 0,05%
Assuntos F.<:onómkos Gerais, Comerdais F: I ,abm·ais 12!!.913.259,011 0,115%
Aso;unws &:on6miços .I:: Comerciais Em Ger<·ll 11.110 .5S7 ,00 OfiO%
A~~nnr.os I ,ahnrais l<.m ( icral 117.X02672J)(J 0.05%
5734 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DE&'PESAS POR PROGRAMA
Pl·ograma Valor %
Total Geral: 244.521.646.183,00 100,00%
Acções Correntes 238.031.199.084,00 97,35%
Aprofundamento Da Reforma Da Administração Ptíblica 16.875.803,00 0,01%
Oi-pacitação Institucional E Valorização Dos Rec ursos Hnmauos Na Admiui~1ração Pública 3.183.750.244,00 1,30%
Melho ria Da Organização E Das Condições De Trabalho -- 11.110.587,00 0,00%
Promoção Da Empregabilidade 930.091.938,00 0,38%
Reforço Do Sistema Nacional De Formação Profissional 2.348.618.527,00 0,96%
DESPESAS DE FUNCIONA1\1ENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Actividade Valor
Total Geral: 241.242.935.718,00 100,00%
Apoio Ao Gnapo Técnico &tudo Evolu ção Do Salário ?vfíuimo Nacional 42.575.234,00 0,02%
-· ---- - -- --·--
1ô3-:88o.oo(õõ

Apoio Financeiro As Associações De Utilidade Ptíblica -- 0,04%


~q uisiçao De 23 Mei~s De f ransporte Fà~erviços Da_I,;=g_t -:-=--:--::- =-- - , - - --5-.895.27-6~0 o,oo%
Aquisição De Meios Para Apetrechamento Dos Serviços Da Igt Nas 18 Províncias - -5. 215.31-,-
1,..,-oo:c----:o:-:.oo%
Financiamento De Pensões 235.328.804.371,õo-97-:55%
Formação De Quadros Da Administração Pública 10.000 000,00 0,00%
Formação E Superação Técnica Profissional 3.173.750.244,00 1,32%
Operação E Manutenção Geral Dos Serv i~ 2.555.939.479,00 1,06%
Programa De Reconversão Profissional 16.875.803,00 0,01%
PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Municlpio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 3.278.710.465,00
Cabinda 312.401.342,00
Constru ção E Apetrechamento Da &cola Rural De Capacitação E Ofícios - Cabinda 3 12.401.342,00
Cazengo 117.802.672,00
Constru ção Aptrechamento Centro Local Serviço De Emprego - C Norte 117.802.672,00
c:uanhama 121.336.750,00
Constru ção E Aptr. Centro Local Empr. Serviço De Emprego - O tnEme 121.336.750,00
Culto 121.336.750,00
Constru ção E Aptr. Centro Local Empr. Serviço De Emprego - Bie 121.336.750,00
Luanda 120.737.167,00
Construção E Aptr. Centro Local Empr. Serviço De Empre_go- Luanda 120.737.167,00
Malanje 1.530.878.322,00
Co nstru ção E Apetrechamen to Da &cola Rural De Capacitação E Ofícios -1-falange 1.530. 878.322,00
Menongue 121.336.750,00
Construção E Aptr. Centro Local Empr. Serviço De Emprego - C 011bango 121.336.750,00
Namibe 121.336.750,00
Construção E Aptr. Centro Local Empr. Seav iço De Emprego - Nam ibe 121.336.750,00
Saurlmo 84.868.349' 00
Constru ção E Aptr. Centro Local Empr. Serviço De Emprego- L Snl 84.868.349,00
Soyo 121.336.750,00
Constru ção E Aptr. Centro Local Empr. Serviço De Emprego -Zaire 121.336.750,00
Ulge 505.338.863,00
Construção E Apetrechamento Da &cola Rural De Capacitação E Ofícios - Uíge 505.338.863,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5735

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Cent.ro De Formação De Construção Civil 71.960.835,00 100,00%
--- -
Despesas Correntes 71.960.835,00 100,00%
Despesas Em Bens E Serviços 71.960.835,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Centro De Formação Profissional Do Cazenga 262.57 5. 008,00 100,00%


Despesas Correntes 262.575.008,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 140.943.701,00 53,68%
Contribuições Do Empregado•· 10.356.637,00 3,94%
---- - - - -
Despesas Em Bens E Serviços 110.882.214,00 42,23%
-----
Subsidios E Tnmsferências Correntes 392.456,00 0,15%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Centro Integrado De Fotmação T ecnológica 248.733.628,00 100,00%
Despesas Correntes 248.733.628,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 123.459.609' 00 49,64%
Contribuições Do Empregador 12.038.922,00 4,84%
Despesas Em Bens E Serviços 112.589.081' 00 45,26%
Subsidios E Transferências Correntes 646.016,00 0,26%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Centro Polivalente De Fot·mação Profisslot1al 89.578.141,00 100,00%
Despesas Cornntes 89.578.141,00 100,00%
DesJJesas Em Bens E Serviços 89.578.141,00 100,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· o/o
Instituto Naciooal De Segurança Social 235.328.804.371,00 100,00%
Despesas Correntes 203.465.718.807,00 86,46%
DesJJesas Com O Pessoal 4.105.030.275,00 1,74%
---------
Contribuições Do Empregado•· 111.249.600,00 0,05%
Despesas Em Bens E Serviços 16.882.226.604,00 7,17%
Subsidios E Tnmsferências Correntes 182.367.212.328,00 77,49%
Despesas De Capital 31.863.085.564,00 13,54%
Investimentos 14.944.269.186,00 6,35%
Despesas De Capital Financeiro 16.918.816.378,00 7,19%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Ministério Da Adm.Pública, n ·abalho E Segm·ança Social 8.239. 7 43.575,00 100,00%
Despesas Correntes 5.044.174.198,00 61,22%
Despesas Com O Pessoal 3.951.065.267,00 47,95%
Contr ibuições Do Empregador 255.784.893,00 3,10%
Despesas Em Bens E Serviços 729.701.889,00 8,86%
Subsidios E Transferências Co-n -·en- t-es- 107.622.149,00 1,31%
Despesas De Capital 3.195.569.377,00 38,78%
Investimentos 3.195.569.377,00 38,78%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· o/o
Serviço Integrado De Atendimento Ao Qdadão 280.250.625,00 100,00%
Despesas Cot·nntes 280.250.625,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 158.669.917,00 56,62%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unillade Orçamental I Natureza Valot· %
Contribuições Do Empregador 21.880.274,00 7,81%
Despesas Em Bens E Serviços 99.206.514,00 35,40%
Subsidias E Transferências Correntes 493.920,00 0,18%
5736 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Ministério Da Justiça E Dos Direitos Humanos
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral : 67.013.665.331,00 100,00%
Despesas Corren tes 49.547.822.887,00 73,94%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 29.340.592.395,00 43,78%
c---:--=-~
Despesas Com__9 Pessoal a~ 29.340.592.395,00 43,78%
ConUibuições Do Empregador 1.805.319.743,00 2,69%
- Co ntribuições Do Empregador Parn A Segumnça Social -- l .TI8.8Õ1.624,oo- - us%
O utras Contrib uições Do Empregador 26.518.119,00 0,04%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 18.385. 182.853,00 27,43%
---
Bens 1.353.187.042,00 2,02%
--- - - - - - ---
Serviços 17.031.995.811,00 25,42%
----~--

Subsidios E Transferências Correntes 16.727.896,00 0,02%


Transferências Correntes _ _ _1,_.6...,..
. 727.896,00 0,02%
--- --
Despesas De Capital 17.465.842.444,00 26,06%
Investimentos 17.465.842.444,00 26,06%
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 17.465.842.444,00 26,06%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 67.013.665.331,00 100,00%
Serviços Públicos Gerais 57.386.490.647,00 85,63%
órgãos Judiciais -u:-877.414.56~00-r?. 72%
-Órgã(iS
Ex~ivos --45 so9.076:08(õo 67,91%
I:J~bitaçãoE Servt_ços Comunitários 9.627.174.684,00 14,37%
Deseuvol\'imento Habitacional 9.627. 174.684,oo-l4,37%
DESPESAS POR PROGRAMA
Pl·ograma Valor %
Total Geral: 67.013.665.331,00 100,00%
Acções Correntes 47.431.398.342,00 70,78%
Oipacitação Institucional E Valorização Dos Rec ursos Hnmauos Na Admini~1ração PUblica 145.034.432,00 0,22%
?vfelhoria Da Capacidade Nacional De Prevenção E Socorro Das Populatções 3. 50 1.791.535,00 5,23%
?vfelhoria Do Ambiente De Negócios E Concorrência - -- 2.940 000,00 0,00%
Reforma E lvfode ruização Da Administiação Da Justiça 15.910.491.236,00 23,74%
Reforço Do Combate Ao Crime Económico. Financeiro E À Corrupção 22.009.786,00 0,03%
DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Actividade Valor %
Total Geral: 49.788.360.593,00 100,00%
Administmção E Gestão Dos B.U.E 452.517.919,00 0,91%
Apoio Financeiro As Associações De Utilidade Ptiblica 5.374.605,00 0,01%
Assistência E Patrocínio Judiciário 3. 501.791.535,00 7,03%
Comissão Da Agencia Dos Registos E Notariado E Da Iden tificação 49.000 000,00 0,10%
Comissão De Reforma Da Jtastiç-d E Do Direito 39.742.162,00 0,08%
Criação De Uma Plataforma Onliue Parn O Registo De Empresa 2.940 000,00 0,01%
Encargos Com O Centro De Internamen to De ?vfenores/Calumbo 355.972.307,00 0,7 1%
Encargos Com O Observatório Julgado De lvfeuores/Za ugo 3 191.367.206,00 0,38%
Encargos Co missão In tersecto rial Elabornção Relatórios- Sobre Direitos Humanos 173.331.001,00 0,35%
Formação E Capacitação Dos Funcionarios Do Sector Da Justiça 145.034.432,00 0,29%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5737

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Implementação Do Legislativo 116.449.769,00 0,23%


Manu tenção De Residências De Membros Do Governo E Mag istrados 25.3 19.661,00 0,05%
?vfelho iias Dos 600 Serviços E Benfeitorias Das 550 In fraestmturas Do Sector Da Justiça 3 06.781.124,00 0,62%
tvfoderuização Do B ilhete De Identidade E Infonnatização Do Registo C riminal 3. 129.563.650,00 6,29%
Operação E Mau utenção Geral Dos Serviços 35.260.021.437,00 70,82%
Plano De Acção Para O Descongestio na me nto Dos Tribunais 3 10.432.490,00 0,62%
Prestação Serviços Cons ulto lia E-Fo rnecime nto A pÍicativosP/ Registos: Nota liais E G uic!té 3-:133.92 6.748,00 6,i 9%
!}nico
Prod ução E Difusão De Estatística Do Sector Da Justiça 195.695. 242,00 0,39%
-· --
Projecto De lvfassificação Do Re_;isto Civil 2.151.128.852,00 4,3 2%
Ratificação Das Convenções Internacio nais Em r..-tatéria De D.H. 54. 629.817,00 0,11%
Reforma Da Gestão F ina nceira Do Sector Da Justiça 165.330.850,00 0,33%
Rev isão Actualização Da Legislação Sobre Co ma pÇão E Crimes Econó micos 22.009.786,00 0,04%
PROG RAMA DE I NVEST1ME NTOS PÚBLICOS
Munlcipio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 17.225.304.738,00
Esu·utm·a Central 17.225.304.738,00
Fornecime nto De Bens, Instalação E Supoate Técnico Do B~ Rc Not1riado 9.627.174.684,00
Regula rização E Legalização Imobiliáaia!Mitrelli 7.598.130.054,00
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇ AMENTAL
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htnnanos Da Hulla 913.986.458,00 100,00%
Despesas Correntes 913.986.458,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 794.757.031,00 86,96%
-- -
Contribuições Do Empregador 57.098.640,00 6,25%
Despesas Em Bens E Serviços 61.820.715,00 6,76%
Subsidios E Transferências Correntes 310.072,00 0,03%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Hmnanos Da Lund:a Norte 827.620.517,00 100,00%
Despesas Correntes 827.620.517,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 734.892.947' 00 88,80%
Contribuições Do Empregado1· 38.967.328,00 4,71Ofo
Despesas Em Bens E Serviços 53.760.242,00 6,50%
Unidade Orçamental I Natureza Valor Ofo
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Hmnanos Da Lund:a Sul 319.148.447,00 100,00%
Despesas Cornntes 319.148.447,00 100,00%
DesJJesas Com O P essoal 269.771.344,00 84,53%
Conu·ibuições Do Empregad01· 14.700.000,00 4,61 Ofo
Despesas Em Bens E Serviços 34.668.283,00 10,86%
Subsidios E Tmnsferências Correntes 8.820, 00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Humanos De Bengu ela 1.197.604.072,00 100,00%
Despesas Conentes 1.197.604.072,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 1.065.097.122,00 88,94%
5738 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Contribuições Do Empngador 70.684.280,00 5,90%
Despesas Em Bens E Serviços 61.820.710,00 5,16%
Subsidios E Transferências Co-n-·e-n-te_s_ 1.960,00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos De Cabinda 605.244.470,00 100,00%
- - - - --
Despesas Correntes 605.244.470,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 512.360.033,00 84,65%
Contribuições Do Empregador 51.196.479,00 8,46%
DesJJesas Em Bens E Serviços 41.687.958,00 6,89%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos De Luanda 928.244.488,00 100,00%
Despesas Correntes 928.244.488,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 625.221.071,00 67,36%
=-- - : - -
Contribuições Do Empngador 46.804.920,00 5,04%
Despesas Em Bens E Serviços 256.130.297,00 27,59%
Subsldlos E Tran~ferências Correntes 88.200,00 0,01%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos De Malanje 345.762.651,00 100,00%
Despesas Correntes 345.762.651,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 278.029.108,00 80,41%
Contribuições Do Empngado1· 19.132.900,00 5,53%
Despesas Em Bens E Serviços 48.600.643,00 14,06%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos Do Bengo 589.841.682,00 100,00%
Despesas Cornntes 589.841.682,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 514.014.119,00 87, 14%
Contribuições Do Empregado1· 17.765.830,00 3,01%
-----
Despesas Em Bens E Serviços 57.081.733,00 9,68%
----- -- ---
Subsidlos E Tmnsferênclas Correntes 980.000,00 0,17%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos Do Bié 776.766.623,00 100,00%
Despesas Correntes 776.766.623,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 695.199.419,00 89,50%
Contribuições Do Empngador 50.286.387,00 6,47%
Despesas Em Bens E Serviços 30.425.708,00 3,92%
Subsidlos E Transferências Correntes 855.109,00 0,11o/o
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos Do C.Cubango 525.258.680,00 100,00%
Despesas Cornntes 525.258.680,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 475.400.000,00 90,51 o/o
Contribuições Do Empregador 19.061.301,00 3,63%
Despesas Em Bens E Serviços 30.786.599,00 5,86%
Subsídios E Transferências Correntes 10.780,00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5739

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos Do C uan:ta-Norte 563.440.749,00 100,00%
Despesas Correntes 563.440.749,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 460.474.984,00 81,73%
Contribuições Do Empregador 35.392.216,00 6,28%
Despesas Em Bens E Serviços 66.299.549,00 11,77%
Subsidios E Transferências Correntes 1.274.000,00 0,23%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Hmnanos Do C uan:za-Sul 821.835.520,00 100,00%
Despesas Correntes 821.835.520,00 100,00%
---
Despesas Com O Pessoal 705.254.235,00 85,81%
Contribuições Do Empregador 50.771.044,00 6,18%
Despesas Em Bens E Serviços 65.496.238,00 7,97%
Sub sidios E Transferências Correntes 314.003,00 0,04%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos Do CuneJ~e 520.771. 719,00 100,00%
Despesas Correntes 520.771.719,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 447.630.308,00 85,96%
Contr ibuições Do Empregador 29.792.000,00 5,72%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 43.153.411,00 8,29%
--- -------
Subsiclios E Transferências Correntes 196.000,00 0,04%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Humanos Do Hurunbo 1.062.715.023,00 100,00%
Despesas Correntes 1.062.715.023,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 908.750.982,00 85,51%
Contribuições Do Empregador 53. U9.424,00 5,00%
Despesas Em Bens E Serviços 99.251.498,00 9,34%
Sub sidios E Transferências Correntes 1.583.119,00 0,15%
Unidade Orçrunental I Natureza Valot· ~(,

Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Htunanos Do Moxtco 525.841.323,00 100,00%


Despesas Correntes 525.841.323,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 430.388.594,00 81,85%
Contribuições Do Empregador 23.520.000,00 4,47%
Despesas Em Bens E Serviços 68.460.759,00 13,02%
---
Subsiclios E Transferências Correntes 3.471.970,00 0,66%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Humanos Do Namil!Je 519.766.192,00 100,00%
Despesas Correntes 519.766.192,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 430.321.389,00 82,79%
---
Contribuições Do Empregador 36.109.226,00 6,95%
Despesas Em Bens E Serviços 53.335.577,00 10,26%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· o/o
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Hmnanos Do Uige 506.265.600,00 100,00%
Despesas Cornntes 506.265.600,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 412.221.145,00 81,42%
5740 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Contribuições Do Empngador 32.223.746,00 6,36%
Despesas Em Bens E Serviços 61.820.709,00 U,21%
Unidade Orçamental I Natm·eza Valor %
Delegação Provincial Da Justiça E Dos Direitos Hmnanos Do Zaire 397.366.959,00 100,00%
Despesas Conentes 397.366.959,00 100,00%
------ -----
Despesas Com O Pessoal 331.673.695,00 83,47%
Contribuições Do Empngado1· 18.620.000,00 4,69%
Despesas Em Bens E Serviços 46.877.264,00 11,80%
Subsidlos E Transferências Correntes 196.000,00 0,05%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Instituto Nacional De Estudos Judiciários 142.893.593,00 100,00%
Despesas Correntes 142.893.593,00 100,00%
--------------------------·-----------------------
Despesas Com O Pessoal
=-- - : - -
83.729.675,00 58,60%
Contribuições Do Empngador 7.350.000,00 5,14%
Despesas Em Bens E Serviços 51.323.918,00 35,92%
Subsidlos E Tran~ferências Correntes 490.000,00 0,34%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Da Justiça E Dos Direitos Humanos 43.222.579.420,00 100,00%
Despesas Correntes 25.756.736.976,00 59,59%
Despesas Com O Pessoal 9.344.341.308,00 21,62%
Contribuições Do Empngado1· 438.338.658,00 1,01%
Despesas Em Bens E Serviços 15.973.954.613,00 36,96%
Subsfdlos E Tmnsferências Correntes 102.397,00 0,00%
Despesas De Capital 17.465.842.444,00 40,41%
- -
Investimentos 17.465.842.444,00 40,41%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Do Lobito 65.836.130,00 100,00%
Despesas Correntes 65.836.130,00 100,00%
--~

Despesas Em Bens E Serviços 65.836.130,00 100,00%


Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Da Huila 549.202.602,00 100,00%
Despesas Correntes 549.202.602,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 462.979.955,00 84,30%
Contribuições Do Empngador 31.593.004,00 5,75%
Despesas Em Bens E Serviços 53.790. 175,00 9,79%
Subsidlos E Transferências Correntes 839.468,00 0,15%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Tribunal Provincial Da Lunda-N01te 245.877.526,00 100,00%
Despesas Cornntes 245.877.526,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 141.442.368,00 57,53%
Contribuições Do Empregador 11.825.999,00 4,81%
Despesas Em Bens E Serviços 92.473.919,00 37,61%
Subsídios E Transferências Correntes 135.240,00 0,06%
Unidade Orçamental I Natureza Val01· %
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5741

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Tribunal Provincial Da Lunda-Sul 224.183.069,00 100,00%
Despesas Correntes 224.183.069,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 171.507.878,00 76,50%
Contribuições Do Empregador 11.760.000,00 5,25%
Despesas Em Bens E Serviços 40.895.591,00 18,24%
Subsidios E Transferências Correntes 19.600,00 0,01%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial De Benguela 1.271.022.034,00 100,00%
Despesas Correntes 1.271.022.034,00 100,00%
--- - - --
Despesas Com O Pessoal 1.116.205.665,00 87,82%
Contribuições Do Empregador 80.347.823,00 6,32%
Despesas Em Bens E Serviços 74.421.506,00 5,86%
Sub sídios E Transferências Correntes 47.040,00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Tribunal Prov1ndal De Cabinda 415.765.488,00 100,00%
Despesas Correntes 415.765.488,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 342.123.539,00 82,29%
Contr ibuições Do Empregador 24.225.605,00 5,83%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 48.632.344,00 11,70%
--- ----
Subsiclios E Transferências Correntes 784.000,00 0,19%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Tribunal Provincial De Luanda 4.539.549.817,00 100,00%
Despesas Correntes 4.539.549.817,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 4.082.190.000, 00 89,92%
Contribuições Do Empregador 274.400.000,00 6,04%
Despesas Em Bens E Serviços 182.735.994,00 4,03%
Sub sídios E Transferências Correntes 223.823,00 0,00%
Unidade Orç:unental I Natureza Valot· ~(,

Tribunal Prov1ndal De Malanje 306.359.177' 00 100,00%


Despesas Correntes 306.359.177' 00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 247.016.517,00 80,63%
Contribuições Do Empr egador 18.400.030,00 6,01%
Despesas Em Bens E Serviços 40.895.590,00 13,35%
--- ----
Subsiclios E Transferências Correntes 47.040,00 0,02%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Tribunal Provincial Do Bengo 332.517.706,00 100,00%
Despesas Correntes 332.517.706,00 100,00%
------
Despesas Com O Pessoal 280.231.000,00 84,28%
---
Contribuições Do Empregador 17.689.000,00 5,32%
Despesas Em Bens E Serviços 34.597.706,00 10,40%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· o/o
Tribunal Provincial Do Bié 387.484.977,00 100,00%
Despesas Cornntes 387.484.977,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 287.520.355,00 74,20%
5742 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Contribuições Do Empngador 19.664.956,00 5,08%
Despesas Em Bens E Serviços 80.252.626,00 20,71%
----
Subsidios E Transferências Co-n-·e-n-te_s_ 47.040,00 0,01%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Do Cuando Cubango 286.005.534,00 100,00%
- - ----
Despesas Correntes 286.005.534,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 222.993.189,00 77,97%
Contribuições Do Empregador 16.468.725,00 5,76%
DesJJesas Em Bens E Serviços 46.053.424,00 16,10%
Subsidios E Transferência-'-
s -,C_o_
n --e-n-t e_s_
-----------
490.196,00 0,17%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Do Cuanza-N01·t.e 291.992.529' 00 100,00%
Despesas Con-entes 291.992.529,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 230.107.887,00 78,81%
---
Contribuições Do Empregador 15.635.218,00 5,35%
Despesas Em Bens E Serviços 46.053.424,00 15,77%
Subsidios E Transferências Correntes 196.000,00 0,07%
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~(,

Tribunal Prov1ndal Do Cuanza-Std 385.873.369,00 100,00%


Despesas Correntes 385.873.369,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 329.083.148,00 85,28%
Contribuições Do Empregador 15.625.410,00 4,05%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 40.895.588,00 10,60%
Subsidios E Transferências Correntes 269.223,00 0,07%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Do Cunene 387.038.304,00 100,00%
Despesas Con-entes 387.038.304,00 100,00%
- - ---- ---- --
Despesas Com O Pessoal 268.234.872,00 69,30%
Contribuições Do Empregador 19. 168.119,00 4,95%
Despesas Em Bens E Serviços 99.616.498,00 25,74%
Subsidios E Transferências Correntes 18.815,00 0,00%
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~(,

Tribunal Pro"incial Do Huambo 733. 145.764,00 100,00%


Despesas Correntes 733.145.764,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 620.122.680,00 84,58%
Contribuições Do Empregador 43.650.823,00 5,95%
DesJJesas Em Bens E Serviços 69.354.620,00 9,46%
Subsidios E Transferências Correntes 17.641,00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Do Moxico 296.792.729,00 100,00%
Despesas Correntes 296.792.729,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 236.451.553,00 79,67%
Contribuições Do Empregadot· 20.910.652,00 7,05%
Despesas Em Bens E Serviços 39.234.524,00 13,22%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5743

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Subsidios E Transferências Correntes 196.000,00 0,07%
Unhlade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Do Namibe 358.061.351,00 100,00%
Despesas Correntes 358.061.351,00 100,00%
-- ------~-

Despesas Com O Pessoal 286.508.329,00 80,02%


-- --,------ -----
Contribuições Do Empregador 25.480.000,00 7,12%
Despesas Em Bens E Ser\>iços 46.053.422,00 U,86%
Subsidios E Transferências Correntes 19.600,00 0,01 o/o
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Tribunal Pro\>incial Do Uige 368.489.794,00 100,00%
Despesas Cornntes 368.489.794,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 315.730.951,00 85,68%
Contribuições Do Empregado•· 19.600.000,00 5,32%
-------
Despesas Em Bens E Ser\>iços 33.158.843,00 9,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Tribunal Provincial Do Zaire 255.513.245,00 100,00%
Despesas Correntes 255.513.245,00 100,00%
--- --- -
Despesas Com O Pessoal 180.614.000,00 70,69%
Contribuições Do Empregador 27.930.000,00 10,93%
Despesas Em Bens E Ser\>iços 43.474.505,00 17,01%
Sub sídios E Transferências Correntes 3.494.740,00 1,37%
5744 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Ministério Dos Antigos Combatentes E Veteranos Da Pá1ria
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral : 2.861.43 1.238,00 100,00%
Despesas Corren tes 1.684.599.222,00 58,87%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 306.894.282,00 10,73%
c---:--=-~ -------·--- ---
Despesas Com__9 Pessoal a~ 306.894.282,00 10,73%
ConUibuições Do Empregador 14.653.764,00 0,51%
- Co nlribuições Do Empregador Para A Segumnça Social 14.653.764,00 0,5l%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 51_0,'-,00
1.2 14.646_...,. ~_42
__:_
, 4..,.5-,-
~..,.
ó
Bens 132.007.829,00 4,61%
~rviços _ _ ---~--- 1.082.638.681,00
-- ---
37,84%
Subsidios E Transferências Correntes 148.404.666,00 5,19%
Transferências Correntes ___ 14_8.404.666,00 5,19%
Despesas De Capital 1.176.832.016,00 41,13%
--- ----
Investimentos 1.176.832.016,00 41,13%
------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 1.176.832.016,00 41,13%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 2.861.431.238,00 100,00%
Protecção Social 2. 704.522.928,00 94,52%
ÜJ~Serviços De Protecção Social 2. 704. 522 ~92![oo 94,52%
-- --
!labitaçã~E Serviço~_Comun!tários - -,1-;;-
56:;-:.908.310,00 5,48%
Desenvolvimento Habitacional 156.9õ8 f f(õõ 5,48%
DESPESAS POR PROGRAMA
Programa Valor %
Total Geral: 2.861.431.238,00 100,00%
Acções Correntes 1.433.079.615,00 50,08%
CàpacitaçãÕ--.:I-nst
-,-
it-uc"""'io_n_a..,.l=E Valorização Dos Recursos Humanos Na Administração Ptíblica 643810 075,00 22,50%
Construção E Reabi litação De Edifícios Ptfulicos E Equipamentos Sociais 235.362.464,00 8,23%
?vfelhoiia Do Bem-Estar Dos Antigos Combatentes E Vetera nos Da Pát:ria 549.179.084,00 19,19%
-----
DESPESAS DE FUNCIONAi\1ENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Actividade Valo1· ~h
Total Geral: 2.076.889.690,00 100,00%
Apoio Financeiro As Associações De Utilidade Ptfulica 9.800.000,00 0,47%
Assistência Social Aos Antigos Combatentes Deficientes De Guerra 124.273.551,00 5,98%
Com unicação E Imagem Institucional 66.786.266,00 3,22%
Desenvolvimento De lnfraestruturd Tecnológica Do Gepe 465.735.987,00 22,42%
Educação Patriótica E Preservação Do Legado Histórico Do Antigo Co!lllbatenle 49.417.163,00 2,38%
Mode;;;-;zação Sistema Nacional Recenseamento Dos Antigos Combatentes 178.074. 088,00 8,57%
----
Operação E Mau utenção Geral Dos Serviços 1. 052.308.911,00 50,67%
Rein tegração Dos Antigos Combatentes Deficientes De Guerm 130.493.724,00 6,28%
PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Munlcipio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 784.541.548,00
Luanda 235.362.464,00
Estudo Projecto E Reabilitação Do Edíficio Sede Do Macvp 235.362.464,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5745

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Moxico 392.270.774,00
Constru ção E Apetrechamento Centro Acolhimento E Orientação Dos Mutilados De G uerra - Macvp 392.270.774,00
Varios Mnnicipios-Nacional 156.908.310,00
Reabilitação De Residências Dos Antigos Combatentes 156.908.3 10,00

DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇ AMENTAL


Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Dos Antigos Combatentes E Veteranos Da Pátria 2.861.431.238,00 100,00%
Despesas Cornntes I. 684.599.222,00 58,87%
DesJJesas Com O Pessoal 306.894.282,00 10,73%
Contribuições Do E mpregado•· 14.653.764,00 0,51%
-
Despesas Em Bens E Serviços 1.214.646.510,00 42,45%
-----
Snbsidios E Tnmsferênclas Correntes 148.404.666,00 5,19%
Despesas De Capital 1.176.832.016,00 41,13%
Investimentos 1.176.832.016,00 41,13%
5746 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Da Agricu ltura E Florestas
RECEITA POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Val01· ~h
Total Geral: 537.628.276,00 100,00%
Receitas Conentes 537.628.276,00 100,00%
Receita Tributária 185.481. 755,00 34,50%
Receita Parafiscal 185.481. 755,00 34,50%
Receitas Correntes Diversas 352.146.521,00 65,50%
Out1as Receitas Corren tes 352.146.521,00 65,50%
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 56.106.868.817,00 100,00%
Despesas Correntes 43.258.499.590,00 77, 10%
Despesas Com O Pessoal 4.772.712.469,00 8,51%
-- --- - -------
Despesas Com O Pessoal O vil 4. 772.712.469,00 8,51%
Contlibuições Do Em1negador 398.971.722,00 0,71%
Contribuições Do Empregador Pa1a A Seguran ça Social 363.337.727,00 0,65%
Ou tias Contribuições Do Empregador 35.633.995,00 0,06%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 37.702.928.230,00 67,20%
Bens 20.357.344.779,00 36,28%
Serviços 17.345.583.451,00 30,92%
Subsldios E Transferências Correntes 383.887.169,00 0,68%
Transferências Correntes 383.887.169,00 0,68%
Despesas De Capital 12.848.369.227,00 22,90%
Inveslimentos 12.848.369.227,00 22,90%
Aqtúsição De Bens De Capital Fi.xo 12.848.369.227,00 22,90%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 56.106.868.817,00 100,00%
Assuntos Económicos 56.106.868.817,00 100,00%
~1·1cultura, Sivicultm·a, Pesca E Caça 56.106.868.817,00 100,00%
Agricu ltuJa 56.106.868.817,00 100,00%
DESPESA() POR PROGRAMA
Pl·ograma Valor %
Total Geral: 56.106.868.817,00 100,00%
Acções Co rrentes 8.719.385.437,00 15,54%
Otpacitação Institucional E Valorização Dos Rec ursos Humanos Na Administração Pública 210.935. 187,00 0,38%
Combate Às Gt-audes Endemias Pela Abordagem Das Determinantes D;a Satíde 676.538.626,00 1,21%
Construção E Reabilitação De Edifícios Ptiblicos E Equipamentos Sociais 69.087.241,00 0,12%
Fomento Da Exploração E Gestão Susten tável De Recursos Flor<*>tais 324.450.017,00 0,58%
Fomento Da Produção Agrícola 29.470.890.576,00 52,53%
Fomento Da Prod;;ção Pecuária 14.60TI97.3i8-.-oo· .26~03%
-----
Melhoria Da Q ualidade Do Ens ino Superior E Desenvolvimen to Da In v·estigação Cien tifica E 1.052.384.355,00 1,88%
Tecuol6 ~ica
:tvfelhoria Da Segtn-ança Alimentar E Nu tricional 980.000.000,00 1,75%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO I!: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Act.hidade Valor %
Total Geral: 43.696.334.958,00 100,00%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5747

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESP ESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01·

Acções De Apoio Aos Pro~Jamas Dirigidos De AceleJação Da Produção 376.373.615,00 0,86%


Acções De Fomento Da P rod ução Agropecuária 254.876.103,00 0,58%
Agric ultu ra Familiar E Acesso Aos Mercados- S.AJv1A.P 1.763.076.284,00 4,03%
Agricultura Familia r Orie ntada P.ara O Mercado- M.O.S.A.P 2.160.130.238,00 4,94%
Apoio Em Situações De Calam idades Naturais 793.537.360,00 1,82%
Apoio Fina nceiro As Associações De Utilidade P tiblica 377.300.000,00 0,86%
--------
Ãqu isi"Çáo De Equipamentos De~çáo De Agua 270.219.646,00 0,62%
Consetvação Das Florestas 17.001438,00 0,04%
Desenvolvimento Da Agricultura Familiar 915.427.111,00 2,09%
Desenvolvimento Da Cadeia De Valor Agríco la De Cabinda 245.000.000,00 0,56%
Desenvolvimento Da Pecuária Do Planalto De Camabatela 110.535.912,00 0,25%
Desenvolvimento Da Pecuária Do Porto Ambo im 91.490.014,00 0,21%
E,,.tensão E Desenvolvimento R ural 3. 266.898.021,00 7,48%
Financiamento Do Fomeuto Da Produção Do Café 2 93.999.999.00 0,67%
Fomento Da Produção De Aves 740.965.621,00 1,70%
Fomento Da Produção De Bovinos De Corte E Leite 3.483.141722,00 7,97%
Fomento Da Produção De Pequenos Rum ina ntes 275.475.695,00 0,63%
Fomento Da Produção De Suínos -----z75."475. 694,00 0,63%
----
Fomento De Pequenos R umiua ntes, Aves De CapoeiJa E Suinos 2.136.021.526,00 4,89%
Fortalecimento eãpãCidade Pesquisa 2" E 4"-Cooperação M nagriiF'.A.ÔIÊI-;-;-brapa 98.ÕOO~õoo~oo- O,ú %
--- ·-·-
-~

~ortalecimeu_~ Resiliê ncia Segurança A limentar E Nutricio nal Em A.ugo la 980.000.000,00 2,24%
--·----
Gestão Fund iá ria Agrá ria 90.393.713,00 0,21%
Inventário Florestal Nacio nal 7 1.9oo.o3{oo-o:T6%
cS[ieração E 1-iaut~-ra-cl-::D:-os -Se =:--n-,.,...
iços ~ 6.648 042,00 17,11%
Plano Nac io nal De Co ntigência E Emergência Contra Raiva 126.480.706,00 0,29%
Povoa meu to E Repoamento Florestal 126.656.462,00 0,29%
P reparação Mecanizada De Terras 875.182.098,00 2,00%
- --
P revenção Controlo Doenças Da m una Selvagem, Abelhas E Animais Aq uáticos 115.607.865,00 0,26%
Prevenção E Contwlo Da Peste Dos Pequenos Rumina ntes 204.628.528,00 0.47%
Prevenção, Controlo E Erradicação Da Doença De Newcastle 162.380.300,00 0,37%
Prevenção, Controlo E Erradicação Da Febre Aftosa 152.738.317,00 0,35%
PrevenÇão, Controlo E Erradicação Da Gripe Das A'•es 101.421.292,00 0,23%
Prevenção, Co ntrolo E Erradicação D-a Mosca Tsé-Tsé E Tripanossomíil.ses 676.538.626,00 1,55%
Prevenção, Co ntrolo E Erradicação D-a Peripne umonia Co utagiosa Bov:iua 1779.670.874, 00 4,07%
P revenção, Controlo E Erradicação Da Peste Suwa Africana 151.090.669,00 0,3 5%
P revenção, Controlo E Erradicação Da Raiva 3.151.393.468,00 7,21%
---,-.,-
Prevenção, Controlo E Erradicação De Doeuças No Planalto De Ounabatela E De Porto Ambo im 784.244.063,00 1,79%
Pmdutividade Agícula P.ara Á frica - A.P.P.S.A 98.ÕOO~õoo~oo- O,ú %
·- --- ---
Pmgrama De Fomento Do Mel 82.921903,00 0,19%
Pro grama De P rodução E_e Se=--m_e_u-te_s_ -sõ3 .450. 262, oõ 1.15%
Pro grama De Reforço Da Capacidade Iustitucional 210.935.187,00 0,48%
Programa DeYaciuação Aui mal - sili63.657,ÕO- - 1,31%
Pmjecto De Iuve~i.igaçã·-o-::E::-=
Ex,-
pe
-n· ,-
7
~~-
e-u ta
---,
çãô Agro uó mica 324.472.389,00 0,74%
Pmjecto De Iuvestigação E E"perimeutação Veterinária 3 04.90-2.271,0_0_ 0,70%
Pmmoção De Campanhas Agrícolas 2.072.426.594,00 4,74%
Recuperação-EDesenvolvimeu to""D,_o-S~ec
- to-r Do cãfé E Palmar ~6S.S2o 82o.õo 5]8%
Reforço Da Fiscalização Florestal E Fau níStica 97.870.214,00 0,22%
5748 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Reforço Da Rede Agro-Meteorol6gica E Sistema De Alerta Rápido 101.067.830,00 0,23%


Reforço Das Estatísticas Agrícolas 223.941.865,00 0,51%
Reg isto, Indeutificação E Rastreabilidade Animal 91.171.455,00 0,21%
Relançamento D-a Cultura Do A lgodão 1.776.469.454,00 4,07%
PROGRAMA DE INVESTIMENfOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 12.410.533.859,00
Ambaca 1.940.400,00
P lano De Desenvolvime nto Da Camabatela/1v1iuagri L 940.400,00
Amboim 95.033.672,00
Reabilitação Da Estação De Investiga ção Do Càfé Da Gabe la 95.033.672,00
Cabinda 1.876. 797.622,00
Constru ção Infra. Desenvotvimeu. Das Càdeias De Valo r Agrícola Cabinda 801.305.844,00
Constru ção De Infraestruturas De Desenvolvimento Agropecuário_C\lbiuda 1.075 49 1.778,00
Cacuso 3.769.664.448,00
Constru. De Infra-Estnat. Para Irrigaç. E Foruec. De Equipam. Q uizen ga 3.769.664.448,00
Estruttu·a Central 2.442.510.439,00
Pr<jecto De lvfecanização Agrícola (Aq ui<;ição) 475.757.809,00
Constru ção De Infra. Desen. Comer. Agric. De Peq. A_gric ultores ""Sama.p"" 249 463.389,00
Constru ção In fraestruturas Pr Desenvolvimen to Da Agricu ltura Con~<ercial 285.742.494,00
----
Projecto De Agricu ltura Familiar Orien tado Para O Mercado-Mosap Ii 142. 550.508,00
~te-Rec uperação Da Agricu ltura E Resi liênc ia Na Região Sul De Angola 170.822.551,00
Foruecim. E Instalação De Armazéns Frigoríficos Para Prod. Perecív·eis 458.173.688,00
Co nstru ção Da Fábrica De Vacinas E In vestigação Agtária 165.000.000,00
Co nstru ção De Represa De Água Da Chicomba 1" Fase- Estiagem 165.000.000,00
Constru ção Infra. Aba<>t.. De Água Na Região Pastoril De Porto Amb<)im 165.000.000,00
Reabilitação Do Perímetro Irrigado Do Dombe Grdllde 165.000.000,00
Huambo 1.320.883.564,00
Constru ção De In fraestruturas De Desenvolvime nto Agropecuário_Huambo 1.320. 883.564,00
Quibala 974.488.499,00
Constru ção Da Fazenda De Sementes Na Q uiba la 974.488.499,00
Samba Cajú 751.080.690,00
Desenvolvime nto Agrícola Integrado De Samba Càjtí 751.080.690,00
= =
Vários Munlcil>ios -Bié 1.940.400,00
Càmpanhas Agrícola/Bié 1. 940.400,00
Vários Municipios-Cunene 165.000.000,00
Constru ção Do Perúnetro Irrigado De Càlueque- Lcc 165.000.000,00
Vários Municipios-Hulla 165.000.000,00
Reconstmção Da Barragem E Do Perímetro Irrigado Das Neves-Esti<~gem 165.000.000,00
Vários Municipios-Malanje 69.087.241,00
Constru ção Do Perúnet.ro Irrigado De Càpanda-1" Fase- Lcc 69.087.241,00
Vários Municipios.Lunda Sul 777. 106.884,00
Co nstrução De In fraestruturas Desenvolvime nto Agropecuário_ Lunda S ul 777. 106.884,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5749

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Ftmdo De Desenvolvimento Do Café De Angola 361.170.571,00 100,00%
Despesas Correntes 325.798.035,00 90,21%
Despesas Com O Pessoal 23.201.915,00 6,42%
Contribuições Do Empregador 1.548.843,00 0,43%
Despesas Em Bens E Serviços 300.927.325,00 83,32%
Subsidios E Transferências Correntes 119.952,00 0,03%
-- ---
Despesas De Capital 35.372.536,00 9,79%
Investimentos 35.372.536,00 9,79%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Instituto De Desenvolvimento Agrário 813.485.271,00 100,00%
Despesas Correntes 813.485.271,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 676.340.260,00 83,14%
Contribuições Do Empregado•· 49.803.463,00 6,12%
Despesas Em Bens E Serviços 87.184.748,00 10,72%
Subsidios E Transferências Correntes 156.800,00 0,02%
Unillade Orçamental I Natureza Valor o/o
Instituto De Desenvolvimento Florestal 685.061.305,00 100,00%
Despesas Correntes 685.061.305,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 515.679.4ll,OO 75,27%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 35.633.995,00 5,20%
Despesas Em Bens E Serviços 133.729.082,00 19,52%
Subsidios E Tran~ferências Correntes 18.817,00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Val01· %
Instituto De Investigação Agronómica 601.526.372,00 100,00%
Despesas Correntes 601.526.372,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 486.512.868,00 80,88%
Contribuições Do Empregado•· 48.538.968,00 8,07%
Despesas Em Bens E Serviços 65.494.536,00 10,89%
Subsidios E Transferências Correntes 980.000,00 0,16%
Unidade Orçamental I Natureza Val01· o/o
Instituto De Investigação Veterlnátia 580.460.202,00 100,00%
Despesas Correntes 580.460.202,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 487.643.368,00 84,01%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 22.422.300,00 3,86%
Despesas Em Bens E Serviços 65.494.534,00 ll,28%
Subsidios E Tran~ferências Correntes 4.900.000,00 0,84%
Unidade Orçamental I Natureza Val01· %
Instituto Dos Serviços De Veterinária 704.345.956,00 100,00%
Despesas Correntes 704.345.956,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 427.536.151,00 60,70%
Contribuições Do Empregador 44.510.998,00 6,32%
·------
Despesas Em Bens E Serviços 232.259.607,00 32,98%
Subsídios E Tmnsferências Correntes 39.200,00 0,01%
Unidade Orçamental I Natureza Val01· %
5750 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Instituto Nacional Do Café 566.980.831,00 100,00%
Despesas Correntes 566.980.831,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 475.956.719,00 83,95%
Contribuições Do Empregador 27.753.078,00 4,89%
Despesas Em Bens E Serviços 63.27 1.034,00 11,16%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Instituto Nacional Dos Cereais 394.293.055,00 100,00%
Despesas Correntes 394.293.055,00 100,00%
- - ~~~~
- ------ -
Despesas Com O Pessoal 304.471.543,00 77,22%
----
Contribuições Do Empregador 29.490.489,00 7,48%
Despesas Em Bens E Serviços 60.331.023,00 15,30%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Ministério Da Agricultura E Flot·estas 51.399.545.254,00 100,00%
Despesas Correntes 38.586.548.563,00 75,07%
Despesas Com O Pessoal 1.375.370.234,00 2,68%
Contribuições Do Empregado1· 139.269.588,00 0,27%
Despesas Em Bens E Serviços 36.694.236.341,00 71,39%
Subsidios E Transferências Correntes 377.672.400,00 0,73%
Despesas De Capital 12.812.996.691,00 24,93%
- -
Investimentos 12.812.996.691,00 24,93%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5751

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Das Pescas E Do Mar
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 12.400.041.532,00 100,00%
Despesas Correntes 7.536.894.567,00 60,78%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 1.105. 722.489,00 8,92%
c---:--=-~ -- -------
Despesas Com __9 Pessoal a~ 1.105.722.489,00 8,92%
ConUibuições Do Empregador 71.911.052,00 0,58%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumn ça Social 71.9il.õ52,00 0,58%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 6.355.507.955,00 51,25%
Bens 445.764.515,00 3,59%
--,...,...,- - --
~rviços _ _ ---~--- 5.909.743.440, 00 47,66%
-----
Subsidios E Transferências Correntes 3.753.071,00 0,03%
Transferências Correntes __ 3._75_3.071,00 0,03%
Despesas De Capital 4.863.146.965,00 39,22%
---- -----
Investimentos 4.863.146.965,00 39,22%
------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 4.863.146.965,00 39,22%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 12.400.041.532,00 100,00%
Assuntos Económicos 12.400.041.532,00 100,00%
- - - - --.,..---,,.....,--
~ricultura, Sivicultm·a, Pesca E Caça 12.400.041.532,00 100,00%
- -------
Pesca ECàça 12.400.041.532,00 100,00%
DESPESAS POR PROGRAMA
Prog1·ama Valo1· o/o
Total Geral: 12.400.041.532,00 100,00%
Acções Correntes__ 2.466.620.563,00 19,89%
- - - - - - ---
Alterações Climáticas 68.600.000,00 0,55%
Càpacitaçãô Institucional E-Valorização Dos Recursos Hu manos Na Adm inistração Ptíblica - -214.8Ú .736,ÕO -r.?'f%
---·--
Desenvolvimento Da Aq uicultnra Sustentável 1. 543.737.790,00 12,45%
Desenvolvimento Da Logística E Da Distrib uição 376.498.898,00 3,04%
~~-~.
Explomção Sustentável Dos Recursos Aq uáticos Vivos E Do Sal 217.069.908,00 1,75%
Fomento Da Prod ução Agrícola 51.597 000,00 0,42%
Melhoria Da Qualidade Do Ensino Superior E Desenvolvimento lJd In v·estigação Cientifica E 4.316.823.304,00 34,81%
T~112~gi~<t_ _
Melhoria E Desenvolvimento Do Ensino Téc nico-Profissional 5.093.550,00 0,04%
Ordenamento Do Espaço ~vfariuho E Saúde Do Ecossistema 40.000.000,00 0,32%
Prevenção De Riscos E Protecção Amb ie ntal 39.200.000,00 0,32%
Reforço Do Sistema Nacional De Formação Profissional 3.059.972.783,00 24,68%
DESPESAS DE FUNCIO NA1\1:ENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Act.i\>idade Valor %
Total Geral: 3.135. 804.514,00 100,00%
Actualização Das Cartas Náuticas Da Costa Angolana. 7.736.120,00 0,25%
Acções De Apoio Aos Programas Dirigidos De Aceleração Da Prod ução 51.597 000,00 1,65%
~De ApoioA. Pesca Artesa~ - 87.220.000,00 2,78%
Acções De Fomento E Promoção Da Aq uic ultura 97. 199.999,00 3,10%
Acções De Sensibilização E Divulgação Do Sector 7 840 000,00 0,25%
Adm ini~tração E Gestão Da Política E Do Desenvolvimento Das Pesca~; 396.335.683,00 12,64%
Apoio Ao Desenvolvimento Da Aq uic ultura 100.523.062,00 3,21%
5752 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Aq uisição De Laborat6rios 122.865 095,00 3,92%


Aquisição Material De Reposição P/ Embarcações De Proteção CosteÜ;l 39.200 000,00 1,25%
Ass istência Técnica A Frota Institucional- - 71.661.397,00 2,29%
Combate À Poluição Ambiental 68.600 000,00 2,19%
Definição Das Potenciais Á reas :Marinhas Protegidas Costeiras E Oceanicas 30.640 000,00 0,98%
Elaboração De Planos De Ordenamen to Para A Aq uic ullura Co ntinenta l EA Maricultura 9.360.000,00 0,30%
- - - -·
Fonuaçã'ô E Superação Técnica Profissional ~3"TT6.339, 00 4,57%
-- ---
Manu tenção Gestão EAssitência Técnica Academ ia De Pescas 102.612.540,00 3,27%
?vfelhoiia Condições Comercialização Peixe lvfercado Da Mabunda 11.356.240,00 0,36%
Operação E Ma nutenção Ge1a l Dos Serv i~ 1.612.350.271,00 51,42%
Programa De In vestigação Pesqueira 127.909.508,00 4,08%
Regulação Da Actividade Pesqueir.t 47.631.260,00 1.52%
PROGRAMA DE INVEST1MENTOS PÚBLICOS
Municlpio I Pl"ojecto I Actividade Total
Total Geral: 9.264.237.018,00
Belas 3.059.972.783,00
Coustru ção Apet.recbame uto &cola Básica Pescas Cefopesca-Ramir<>, Belas 3.059. 972.783,00
Estruttu·a C entral 280.758.449,00
Apoio Ao Sector Das Pescas (Comunidades Piscat6Iias) 280.758.449,00
---==
Luanda 1.940.400,00
Co nstru ção E Apetrechamento Ceutro Apoio A Pesca Artesanal De Luanda 1. 940.400,00
Menongue 1.346.014.729,00
Co nstru ção E Apetrechamento Do Ce ntro De !...arvicultura Em Me oo:ug ue 1.346.014.729,00
Namibe 2.1 04.806.787,00
Reabilitação E Apetrechamento Do Instituto Méd io Helder Neto Namibe 5.093.550,00
Coustrução E Apetrechamento Do Entreposto Frigorífico Nam ibe 361.378.450,00
Coustrução Da Academia De Pesca Do Namibe E C iencias Do :Mar 1(3 ' Fase) 1.738.334.787,00
Tômbwa 15.120.448,00
Constru ção E Apetrechamento Do Eutreposto Frigorífico Tômbwa 15.120.448,00
Varios Municlpios-Naclonal 2.455.623.422,00
Coustru ção Nav io In vestigação Baía Farta Luanda 2.455.623.422,00

DE&'PESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇ AMENTAL


Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Centro De Formação Profissional De Pescas 169.442.556,00 100,00%
Despesas C01·nntes 169.442.556,00 100,00%
DesJJesas Com O Pessoal 98.482.491,00 58,12%
Contribuições Do Empregado•· 8.757.132,00 5,17%
Despesas Em Bens E Serviços 61.085.81 7,00 36,05%
-----
Subsidias E Tnmsferênctas Correntes 1.117.116,00 0,66%
Unidade Ot·çamental I Natureza Valor ~h
Ftmdo De Apoio Ao Desenvolvimento Da lndústl·ia P esqueira 60. 198.188,00 100,00%
Despesas Conentes 60.198.188,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 60.198.188,00 100,00%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5753

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Ministério Das Pescas E Do Mar 11.840.809.021,00 100,00%
----
Despesas Correntes 6.977.662.056,00 58,93%
Despesas Com O Pessoal 800.220.553,00 6,76%
Contribuições Do E mpregador 53.621.185,00 0,45%
Despesas E m Bens E Serviços 6. u 1.345.659' 00 51,70%
Subsidios E Transferências Correntes 2.474.659,00 0,02%
-- --- ------
Despesas De Capital 4. 863.146.965,00 41,07%
Investimentos 4. 863.146.965,00 41,07%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Serviço Nacional De Fiscalização Pesqueira E Da Aqui cultura 329.591.767,00 100,00%


Despesas Correntes 329.591.767,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 146.821.257,00 44,55%
Contribuições Do E mpregado1· 9.532.735,00 2,89%
Despesas E m Bens E Serviços 173.076.479,00 52,51%
Subsidios E Transferências Correntes 161.296,00 0,05%
5754 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Da Indústria
RECEITA POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Val01· ~h
Total Geral: 71.940.140,00 100,00%
Receitas Conentes 71.940. 140,00 100,00%
Receitas Correntes Diversas 71.940.140,00 100,00%
O nhas Receitas Correntes 7 1.940.14 0,00 100,00%
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 26.708.912.678,00 100,00%
DespesasCorrente~
s _ _ __ 14.165.421.737,00 53,04%
·--·------
Despesas Com O Pessoal 920.150.032,00 3,45%
- - - - ---·-
Des(Jesas Com O Pessoal O vil 920.150.032,00 3,45%
-- ----- - - - - - - - ------·-
Contlibuições Do Em(Jregador 56.961.473,00 0,21%
- Co;tribniçõesDo Empregador Pam A Segurança Social 56.961.473,00 0,21%
Des(Jesas Em Bens E Seniços 13.014.846.272,00 48,73%
Bens 6. 714.692.279,00 25,14%
Serviços 6.300.153.993,00 23,59%
Subsídios E Transfe1·êndas Conent.es 173.463.960,00 0,65%
Transferências Conentes 173.463.960,00 0,65%
Despesas De Capital 12.543.490.941,00 46,96%
Investimentos 12.543.490.941,00 46,96%
Aqtúsição De Bens De Capital Fixo 12.543.490.941,00 46,96%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mçí'ío Valor %
Total Geral: 26.708.912.678,00 100,00%
Edt~caçí'ío 15.262.894.964,00 57, 15%
Ensiuo Primário 6.000~76 .730, 00 22,47%
Eusiuo Técn ice-Profissiona l 9.262.218.234,00 34,68%
Assuntos Económicos 11.446.017.714,00 42,85%
lndú~tria Extractiva, T1·ansformado1·a E C onstrução 10.644.688.313,00 39,85%
Ind1íst.ria Trausfo1madord 10.644.688.313,00 39,85%
Assuntos Económicos Gerais, Comerciais E Laborais 56.215.801,00 0,21%
Assun tos Económicos E Comerc iais Em Geral 56.215.801,00 0,21%
Ou tras Activ idades Econó micas 745.113.600,00 2,79%
DESPESAS POR PROGRAMA
Programa Valor ~~

Total Geral: 26.708.912.678,00 100,00%


Acções Co rre ntes 2.647.737.240,00 9,91%
-----
Apoio À Prod uç-ã-o,- S=-1-Jbs
- tituição Das Importações E Diversificação Das -Exportações 7 66.196.27 5,00 2,87%
C\pac itaçã~ustitucio nal E Va lorização Dos Recursos Humanos Na Administmção Plíb lica --36-:-õ37. 140~oo· o, 13%
Dese nvolvime nto Local E Combate À Pobreza 2.937.942.359,00 ll,OO%
Fomento Da Produção Da Indtístria Tmnsfonnadora ----n22o. 353-:6õ .( õõ- 49,50%
Melho ria Da Part.idpaçào De An gola No Comérc io I nternacional 4.900.000,00 0,02%
Melho ria Da Q ualidade El5eSenvolvime nto Do Ensino Primário ~6~
.0~
0~0 .~
67~6~
.7=
3~0.~
0~
0 -~22
~ ,4j%

Melho ria Do Sistema Nacio na l De Qualidade 348.657.870,00 1,3 1%


- --- --- =-"::-:---:-'-=-:=
Melho ria Do Sistema Nacio na l De Qualidade 745.113.600,00 2,79%
- --- -- --· - - -
Reforço Do Sistema Nacional De Emprego E Formação Pro fiss io na l 1.297.858~oo o,õo%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5755

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h
Total Geral: 12.899.544.690,00 100,00%
Acom pa nhamento Dos Projectos Do P.D.N E Respectivos Contratos 150.594.750,00 1,17%
Apoio Financeiro As Associações De Utilidade P 1íblica 172.614.750,00 1,34%
Avaliação De Fábricas Têxteis 466.244,00 0,00%
Criação De Uma Bolsa De A udito res Locais 23.000 000,00 0,18%
E ncargos Co m A Expo 33.863.954,00 0,26%
Eq uipamento Rtra O Ce ntro De Formação Técnico De Metalurgia 648928,00 0,01%
Eq uipamentos Rtra Õ Ce ntro D e Fo nnaçã:o Rldário Muteka 648.930~ÕO 0,01%
-- --
&trategia De Formação Rec ursos H umanos PardO Sector Da Industria 20. 410.387,00 0,16%
Fabricação E D istribuição De Livros Escola res 6. 000.676.730,00 46,52%
Fina nciamento De Projectos Económ. Sociais E Micro-Cr6:1 ito 24. 215.801,00 0,19%
Fomento De Peq ue na lnd1fstria Rural 2.937.942.359,00 22,78%
Gru po Técnico M ultisectorial Protocolo Co mé rcio Da S.AD. C 4.900 000,00 0,04%
Implementação De Est.Jatégia De Reindustrialização De A ngola 766. 196.275,00 5,94%
Infonnatização - Sistema De In fo1mação In teg1ada 6.449.858, 00 0,05%
Interligação Da Base De Dados Do Cad Ind usE D irecções Prov inciais !Da Ind us 5.038.224,00 0,04%
Operação E Manutenção Gera l Dos Serviços 2.417.042.735, 00 18,74%
Realização De Serviços De Acreditação 9.000 000,00 0,07%
---
Reforço Do Sistema Nacional De Q ualidade 316.657. 870,00 2,45%
----- ----- ---
Sistematização E D igitalização A rq uivo Documental Ind tfstria 9.176.895,00 0,07%
PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Munidpio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 13.809.367.988,00
A Classificar 372.556.800,00
Estudos Para Co nst111ção De Laborató rios De Metro logia 372.556.800,00
-~~

Cabinda 7.647.821.727,00
Co nstru ção Do PoJo De Desenvolvime nto Ind ustrial Do Fútila 7.647. 821.727,00
Luanda 372.556.800,00
Estudos Para Co nst111ção De Laboratórios De Avaliação Da Confor!lllidade 372.556.800,00
Varios Municipios-Nacional 3.802.036.154,00
Polos Ind ustriais Estudos E P rojectos Exec utivos 3.802. 036.154.00
Viana 1.614.396.507,00
Cons tru ção Ce ntro Ind ustrial De Tec no logia Avançada Lua nda - Viama 1.614.396.507,00

DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL


Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~h
Flmdo Do Projecto Coca-Cola 24.215.801,00 100,00%
Despesas Correntes 24.215.801,00 100,00%
Desp esas Com O P essoal 8.501.520,00 35,11%
Contribuições Do Empregador 268.495,00 1,11%
DesJJ esas Em Bens E Serviços 15. Ul.400,00 62,44%
Subsidios E Transferências Correntes 324.386,00 1,34%
Unidade Orç:unental I Natureza Valor ~i>

Instituto Angolano De Acr·editação 185.582.598,00 100,00%


Despesas Correntes 185.582.598,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 76.695.637,00 41,33%
5756 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Contribuições Do Empngador 3.556.561, 00 1,92%
-----·-·
Despesas Em Bens E Serviços 105.330.400,00 56,76%
Unidade Orçamental I Natm·eza Valor %
Instituto Angolano De Not·malização E Qualidade 263.443.600,00 100,00%
Despesas Conentes 257.073.600,00 97,58%
----
Despesas Com O Pessoal 91.985.036,00 34,92%
Contribuições Do Empngado1· 5.748.012,00 2,18%
Despesas Em Bens E Serviços 159.152.000,00 60,41%
Subsidlos E Transferências Correntes 188.552,00 0,07%
Despesas De Capital 6.370.000,00 2,42%
------ -
Investimentos 6.370.000,00 2,42%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Instituto Angolano De Propriedade lndustlial 262.473.401,00 100,00%
Despesas Correntes 262.473.401,00 100,00%
--- --
Despesas Com O Pessoal 77. 185.295,00 29,41%
Contribuições Do Empregador 9.753.249,00 3,72%
Despesas Em Bens E Serviços 175.527.801,00 66,87%
Subsídios E Transferências Correntes 7.056,00 0,00%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
In~tltuto De Desenvohimento Industrial De Angola 263.394.599,00 100,00%
Despesas Correntes 249.674.599,00 94,79%
Despesas Com O Pessoal 78.537.200,00 29,82%
Contribuições Do Empregador 7.350.000,00 2,79%
Despesas Em Bens E Serviços 163.620. 799,00 62,12%
--- -- -------
Subsiclios E Transferências Correntes 166.600,00 0,06%
Despesas De Capital 13.720.000,00 5,21%
Investimentos 13.720.000,00 5,21%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· ~i>
Instituto Nacional De Inovação E Tecnologias Industriais 191.952.600,00 100,00%
Despesas Correntes 185.582.600,00 96,68%
Despesas Com O Pessoal 75.135.741,00 39,14%
Contribuições Do Empngado1· 4.990.362,00 2,60%
Despesas Em Bens E Serviços 105.330.400,00 54,87%
Subsidlos E Transferências Correntes 126.097,00 0,07%
Despesas De Capital 6.370.000,00 3,32%
- -
Investimentos 6.370.000,00 3,32%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Ministério Da Indústria 25.517.850.079,00 100,00%
Despesas Correntes 13.000.819.138,00 50,95%
---
Despesas Com O Pessoal 512.109.603,00 2,01%
Contribuições Do Empregador 25.294.794,00 0,10%
DesJJesas Em Bens E Serviços 12.290.763.472,00 48,17%
Subsidlos E Transferências Correntes 172.651.269,00 0,68%
-- --- ----
Despesas De Capital 12.517.030.941,00 49,05%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natur eza Valot· %
Investimentos 12.517.030.941,00 49,05%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5757

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Min istério Dos Recursos Minerais E Pet.roleos
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 14.434.866.789,00 100,00%
Despesas Correntes 12.854.851.200,00 89,05%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 1.440.680.442,00 9,98%
c---:--=-~ ---·
Despesas Com__9 Pessoal a~ 1.440.680.442,00 9,98%
ConUibuições Do Empregador 105.387.441,00 0,73%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 105.387.441,0-0 - 0,73%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 11.304.474.996,00 78,31%
Bens 936.262.372,00 6,49%
~rviços _ _ ---~--- 10.368.212.624,00 71,83%
-- -----
Subsidios E Transferências Correntes 4.308.321,00 0,03%
Transferências Correntes 4.308.321,00 0,03%
---- ----- --
Despesas De Capital 1.580.015.589,00 10,95%
------ ------
Investimentos 1.580.015.589,00 10,95%
------,---
Aquisição De Bens De CaJJilal Flxo 1.580.015.589,00 10,95%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 14.434.866.789,00 100,00%
Serviços Públlcos Gerais 292.920.039,00 2,03%
órgãos Executivos 2 92~nõ....-õ39,õo·
·2.o3%
--~-~~-
Educação 436.852.158,00 3,03%
Ensino Secundário ---:ii36.852.158:ÕÕ- -3-. õ3%
Assuntos Económicos 13.705.094.592,00 94,94%
-- ---
Combustlveis E Energia 319.240.567,00 2,21%
Petróleo E Gás Natuml 319.240. 567,00 2,21%
Indústria Extractiva, Transformadora E Construção 13.385.854.025"-::
,o..,.
o_ ..,
92, 73%
7
- Indlíst;ia Extractiva E-Redvi~Except.Combustíveis ---rr.385.854.025,00 92,73%
DESPESAS POR PROGRAMA
Pl:ograma Valor %
Total Geral: 14.434.866.789,00 100,00%
Acções Correntes 2.462.571.922,00 17,06%
Otpacitação Institucional E Valorização Dos Recursos Humauos Na Administração Pública 98.502. 179,00 0,68%
Desenvolvimen to E Consolidação Da Fileira Do Petróleo E Gás Natuml 374.019.753,00 2,59%
Desenvolvimen to E Modernização Das Actividades Geológico-Mineiras 11.435.660.427,00 79,22%
Ordenamento Do Espaço ~vfariulto E Saúde Do Ecossistema 64.112.508,00 0,44%
DESPESAS DE FUNCIONAMENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~~
Total Geral: 3.255.380.839,00 100,00%
Acompanhamemto Da Implementação Do Projecto Do MPopo 241.339,00 0,01%
Acompanhamento Da ComercializaÇãOhtterua De Produtos Derivados Petróleo Bmto E Minerais 9.843.961,00 0,30%
Acompanhamento Da Implementação Do Plano Nacional De Geologia (P.LA.N.A.G.E.O) 2.273.809,00 0,07%
Acompanhamento Das Actividades Das Organizações In ternacionais 11.867.327,00 0,36%
Acompanhamento De Projectos De Ferro Gusa Do O ttato E Kassiuga 1.558.403,00 0,05%
Acompanhamento Do Projecto De Fosfacto Zaire E Otbinda - - 420.601,00 0,01%
Acompanhamento E Controlo As Empresas Do Conte ndo Nac ional E Plano De Desenvolvimento 9.655.459,00 0,30%
De R Humanos
Aco.;:; pãnhamentosistema Med ição Fiscal De Petróleo Bruto, Gás E Derivados 10.482.678,00 0,32%
5758 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: D E APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Valo1· ~h

Acções Das Brigadas De F iscalização Mine ira 11.761.871,00 0,36%


AcÇões Das B rigadas M ultissectoriais P/ Inspecção E F iscalização De Inertes 1.282.308,00 0,04%
Adm in istração E Gestão Da Po lítica De Hidrocarbonetos 306.220.564,00 9,41%
Adm iui~tração E Gestão Da Política E Dos Recursos lvfiue rais 3 16.500.892,00 9,72%
Conselho Cons ultivo Do Mirempet 28.864.551,00 0,89%
Criação De Uma Base De Dados Estatí5ticos Do Mirempet 5.552.628,00 0,17%
Elaboração Do Plano -De Desenvolvimento Detal:-:-h-
ad-,-o-=
D~
o s=-u-b-:-Se
:c-c-
to-r-=
De Petróleos E Gás - -2.547 225,00 0,08%
Elaboração Do Plano De Desenvolvimento Detalhado Para O Sub Secte>r Mine iro 3 083 294,00 0,09%
Formação E Superação Técnica Profissio na l 8.254.030,00 0,25%
Informatização Dos Serviços 84.695.521,00 2,60%
M 111utenção De Residênc ias De Membros Do Governo E Magistrados 1.249.500,00 0,04%
M 111utenção Do Sistema Iu formatico De Angolauização Do Sector Pet!t·o lífero 7.012.288,00 0,22%
Monitoramento Da Implementação Sistema De Gestão De Segurança E Ambie nte 26. 106.576,00 0,80%
Operação E Manutenção Gera l Dos Serviços 1. 851.972.613,00 56,89%
Orga nização Activ idade De Exploração Artesana l E Comercia l Do Ü Uf\O Em Cabinda 140.758,00 0,00%
Orga nização Da Feira In ternacio na l De Minas Fima (A ngola Mi ning) 2.404. 7 94, 00 0,07%
P.artic ipação Em Cong ressos, Seminá rios E \Vorks hops 2.810.423,00 0,09%
Plano Nacio na l De Contin[ênc ia Contra Derrames De Petróleo 64. 112.508,00 1,97%
Prestação De Serviço De Ed ucação 436.852. 158,00 13,42%
Projecto De Reg ulamentação De Cód igo Mine iro 68o~:335 , õo~ o,õi %
- -- ~

Rev isão Da Legislação Do Sector 45.472.267,00 1,40%


Sistema Integrado De GestiÕDo Ca : -d:-
a-,
st-ro--::1-;
.fine iro - r 46Ü.158,00 0,04%
PRO G'"'R
~-,-,
AM A-,DE INVESTIMENTOS PÚBLIC OS
M unlcitJio I Projecto I Actividade Total
Total G eral: 11.179.485.950,00
Estruttu·a Central 11.114.233.986,00
Estudos De Levantamento Geológico Zona Norte 3.762. 293.519,00
Estudos De Levantamento Geológico Zona Sul 4.446.380.920,00
Estudos De Levantamento Geológico Zona Leste 235.012.355,00
Co nstru ção E Apetrechame nto De In fraestru turas Geo lógicas 2.670. 547. 192,00
Kllamba Kiaxi 65.251.964,00
Estudo P/ Solução Constru ção Laboratório A ná lise Derivados Petró leo 65.251.964,00
----
DESPESAS D E NATURE ZA POR UNIDADE ORÇ AMENTAL
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Agência Reguladora Do Mercado Do Om·o 54.400.000,00 100,00%
D espesas Correntes 54.400.000,00 100,00%
-- ---· - - -
Despesas C om O P essoal 26.950.000,00 49,54%
=-- - : - - ------- -
Contribuições Do E mpregador 1.960.000,00 3,60%
Despesas E m Bens E Serviços 25.000.000,00 45,96%
Sub sidlos E Tran~ferências Correntes 490.000,00 0,90%
Unidade Orçamental / Natureza Valor Ofo
Instituto G eológico De Angola 262.100.892,00 100,00%
D espesas Cornntes 223.056.561,00 85, 10%
DesJJ esas C om O P essoal 106.629.260,00 40,68%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5759

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Contribuições Do Empngador 7.950.554,00 3,03%
------
Despesas Em Bens E Serviços 108.329.7 47' 00 41,33%
-----
Subsidios E Transferências Co-n--e-n-te_s_ 147.000,00 0,06%
Despesas De Capital 39.044.331,00 14,90%
Investimentos 39.044.331,00 14,90%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Instituto Nacional De Petróleos 436.852.158,00 100,00%


Despesas Cornntes 436.450.844,00 99,91%
DesJJesas Com O Pessoal 283.024.340,00 64,79%
Contribuições Do Empregado•· 19.795.659,00 4,53%
---------
Despesas Em Bens E Serviços 133.630.845,00 30,59%
Despesas De Capital 401.314,00 0,09%
Investimentos 401.314,00 0,09%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

In~tltuto ReguladorDos Derivados Do Petróleo 319.240.567,00 100,00%


Despesas Correntes 207.139.550,00 64,89%
Despesas Com O Pessoal 35.091.089,00 10,99%
Contribuições Do Empregado•· 3.403.693,00 1,07%
Despesas Em Bens E Serviços 168.639.868,00 52,83%
Subsidlos E Transferências Correntes 4.900,00 0,00%
-------
Despesas De Capital 112.101.017,00 35,11%
Investimentos 112.101.017,00 35,11%
Unidade Ot·çamental I Natureza Valor ~h
Ministério Dos Recursos M inerais E Peb·óleos 13.362.273.172,00 100,00%
Despesas Correntes 11.933.804.245,00 89,31%
Despesas Com O Pessoal 988.985.753,00 7,40%
Contribuições Do Empregador 72.277.535,00 0,54%
Despesas Em Bens E Serviços 10.868.874.536,00 81,34%
Sub sídios E Transferências Correntes 3.666.421,00 0,03%
Despesas De Capital l. 428.468.927' 00 10,69%
Investimentos 1.428.468.927,00 10,69%
5760 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Do Comérc-io
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 5.687.128.596,00 100,00%
Despesas Correntes 5.529.519.606,00 97,23%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 1.572.546.061,00 27,65%
c---:--=-~
Despesas Com__9 Pessoal a~ 1.572.546.061,00 27,65%
ConUibuições Do Empregador 104.568.829,00 1,84%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 100.067.101,0-0 - 1,76%
Outras Contrib uições Do Empregador 4.5ot.n8-:-oo o.o8%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 3. 756.050.606,00 66,04%
Bens 1.177.930.242,00 20, 7l%
--------
Serviços 2.578.120.364,00 45,33%
----~--

Subsidios E Transferências Conentes 96.354.110,00 1,69%


------
Transferências Correntes 96.354.110,00 1,69%
--- -- -- ---------
Despesas De Capital 157.608.990,00 2,77%
Investimentos 157.608.990,00 2,77%
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 157.608.990,00 2,77%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 5.687.128.596,00 100,00%
Habitação E Servi~os Comunitários 613.480.000,00 10,79%
Desenvolvime nto Com unitário - -613.480-.--oõo.õo- 10,79%
A~suntos Económicos 5.073.648.596,00 89,21%
Assuntos Económicos Gerais, Com erciais E Laborais
- -3.994.077.426,00
- - - - - - -70,23% --
Assuntos Económicos E Comerciais Em Ger.tl - 3.994.077.426-:-o-o - 70,23%
Outms Actividades Económicas 1.079.57 1.170,00 18,98%
DE&'PESAS POR PROGRAMA
PI·ograma Valor ~~
Total Geral: 5.687.128.596,00 100,00%
Acções Correntes 3.712.759.114,00 65,28%
Oipacitação Institucional E Valorização Dos Recursos Hnmauos Na Admiui~1ração PUblica 737.3 52.358,00 12,97%
Desenvolvimento Da Logística E Da Distribuição 90.160 000,00 1.59%
Fomento Da Produção AgriCOla 613.480.000,00 10,79%
Melhoria Da Seguran ça Alimentar E Nutricional 429.497.124,00 7,55%
Reco nversão Da Economia Informal 103.880.000,00 1,83%
DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~~
Total Geral: 5.687.128.596,00 100,00%
Acções De Sensibilização E Mobilização Do Consumidor 31.360 000,00 0,55%
Ampliação Da Rede In fo nnatica Do Minco 149.940.000,00 2,64%
Apoio Financeiro As Associações De Utilidade Ptiblica 94.668 000,00 1,66%
Comissão Par.t A Adesão De Angola Na Zona De Comércio Livre Da SA.D.C. 109.760.000,00 1,93%
Comité Nacional Para O Código Alimen tar Em Angola 78.400 000,00 1,38%
Formação E Superação Técnica Profissional 131.712.358,00 2,32%
Gestão Infraestrutums Logísticas De Recolha, Tnmsfonnação E Distribuição De Produtos 90.160 000,00 1,59%
Implementação Dos Sistemas De Informação No Âmbito Do S.I. M I.N.C.O 455.700.000,00 8,01%
Melhoria Da Gestão Do Comércio Rural E Empreendedores 72.520 000,00 1.28%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5761

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Valo•· ~h

Operacio ualização Do &coameuto Da P rod ução P.A.P.A.G.RO 613.480 000,00 10,79%


Operação E Ma uuteução Geral Dos Serviços - - 2.732.223.879,00 48,04%
Pl1:>grama De Organização E Moderuização Adrn iui~trativa Do Miuco 325.360.000,00 5,72%
Regu lação Da Activ idade Comercial -- 372.347.235,00 6,55%
Reserva &tratégica A limeutar Do Estado 429.497.124,00 7,55%
-----
DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Instituto Nacional De Defesa Do C onsumidor 424.056.562,00 100,00%
Despesas Correntes 424.056.562,00 100,00%
Despesas C om O Pessoal 254.675.862,00 60,06%
Contribuições Do E mpregador 16.779.444,00 3,96%
Despesas E m Bens E Serviços 152.474.672,00 35,96%
Subsidios E Transferências Correntes 126.584,00 0,03%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Ministério Do Comércio 4.042.482.034,00 100,00%
Despesas Conentes 3.884.873.044,00 96,10%
DesJJesas Com O Pessoal 920.283.243,00 22,77%
Contribuições Do E mpregado•· 65.769.912,00 1,63%
-
Despesas E m Bens E Serviços 2.803.895.934,00 69,36%
----- -----
Subsidias E Tnmsferênctas Correntes 94.923.955,00 2,35%
Despesas De C apital 157.608.990,00 3,90%
Investimentos 157.608.990,00 3,90%
Unillade Orçamental I Natureza Valor %
Representações Com erciais 1.220.590.000,00 100,00%
Despesas Conentes 1.220.590.000,00 100,00%
Despesas C om O Pessoal 397.586.956,00 32,57%
Contribuições Do Empregador 22.019.473,00 1,80%
DesJJesas E m Bens E Serviços 799.680.000,00 65,52%
Subsidios E Transferências Correntes 1.303.571, 00 0,11%
5762 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Do Turismo
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 2.653.342.315,00 100,00%
Despesas Correntes 2.199.344.285,00 82,89%
-- -----
Desp esas Com O Pessoal 709.153.096,00 26, 73%
c---:--=-~ - - · - --·-- - -
Despesas Com __9 Pessoal a~ 709.153.096,00 26,73%
ConUibuições Do Empregador 58.694.510,00 2,21%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 58.694.510,00 2}1%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 1.430.675.662,00 53,92%
Bens 129.621.288,00 4,89%
- -
~rviços _ _ ---~--- 1.301.054.374,00 49,03%
Subsidios E Transferências Correntes 821.017,00 0,03%
Transferências Correntes 821.017,00 0,03%
- -----
Despesas De Capital 453.998.030,00 17, 11%
- ---·--
Investimentos 453.998.030,00 17, 11%
------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 453.998.030,00 17, 11%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 2.653.342.315,00 100,00%
Assuntos Económicos 2.653.342.315,00 100,00%
Assuntos Económicos Gerais, Comerciais E Laborais 2.653.342.315,00 100,00%
- - - - - · - - - - --
T urismo 2.653.342.3 15,00 100,00%
DESPESAS POR PROGRAMA
Val01· o/o
Total Geral: 2.653.342.315,00 100,00%
~cções Co~ren te_s 1.540.364.182,00 58,05%
Otpacitaçào Instituciona l E Va lorização Dos Rec ursos Humanos Na Adm inistração Ptíblica 398.432.446,00
- -----
Desenvolvimento Hoteleiro E Turístico m.545.687,ÕO
DESPESAS DE FUNCIO NA1\1ENTO E: DE APOIO AO DESENVOLVI MENTO
Projecto I Actividade Valor %
Total Geral: 2.653.342.315,00 100,00%
Criaçao E Divu lgação Da ~!arca De Angola 122.017. 562,00 4,60%
------ -----
Dia M undial Do Turismo 28.258.226,00 1,07%
Elaboração Da Politica Nac ional Do Turismo -- 130.950 04Õ~ÕO 4,94%
Elaboração Do Plano Naciona l De Marketing Do Tu rismo 36.952.102,00 1,39%
Formação Ambiental Para Populacào LocaÍD o Otbo Ledo 4.896.536, 00 0,18%
Formação E Superação Técnica Profissional 3.339.422,00 0,13%
Formação Em Brigadas Itinerantes Profissionais Do Sector Empreendedorismo 51.951.811,00 1,96%
ImplementaçáODOSistema De Emissão De Alvátas -- 93.903.43 1,00 3, 54%
Inventariação Dos Recursos T uristicos 63.323.838,00 2,39%
Operação E Manutenção Geral Dos Serviços 1.512. 105.956,00 56,99%
Participação No Pt·ojecto Turistico De Conservação Amb iental Olavau,go Zambeze 81.627.710,00 3,08%
Programa De Desenvolvimento Do Wi Fi Em Locais T urísticos E De Iwteresse Público 96.985.536,00 3,66%
PJ1:>grama De Desenvo lvimento E Fomento Das Alde ias Turistica Rural 76.962.685,00 2,90%
PJ1:>g ;:a;;a De Reestruturação E Refo rço Da capacidade Institucional 40.397.887,00 1.52%
PJ1:>grama De Reforço Da-Capacidade Institucional 260.791.706,00 9,83%
Realização Do P ress Tour EFamtryps 11.956 00 1,00 0,45%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5763

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Revisao Do P.dcote Legislativo Do Turismo 36.921.866,00 1,39%


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Gabinete De Gestão Do Polo Desenv.TuriCabo Ledo 184.968.058,00 100,00%
Despesas Correntes 168.397.239,00 91,04%
Despesas Com O Pessoal 47.935.320,00 25,92%
Contribuições Do Empregador 3.910.200,00 2,11 o/o
DesJJesas Em Bens E Serviços 116.551.719,00 63,01 o/o
Despesas De Capital 16.570.819,00 8,96%
- - -----
Investimentos 16.570.819,00 8,96%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Gabinete De Gestão Do Polo Desenv.TuriKalandula 163.344.316,00 100,00%
Despesas Correntes 137.872.267,00 84,41%
--- -- ----
Despesas Com O Pessoal 31.364.838,00 19,20%
Contribuições Do Empregador 4.214.000,00 2,58%
Despesas Em Bens E Serviços 1o1.803.429, 00 62,32%
Subsídios E Transferências Correntes 490.000,00 0,30%
Despesas De Capital 25.472.049,00 15,59%
Investimentos 25.472.049,00 15,59%
Unidade Orçamental I Natureza Valor o/o
Gabinete De Gestão Do Polo Desenv.TuriOkavango 185.493.911,00 100,00%
Despesas Correntes 170. 146.648,00 91,73%
Despesas Com O Pessoal 47.540.780,00 25,63%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 4.294.937,00 2,32%
---
Despesas Em Bens E Serviços 118.310.931,00 63,78%
Despesas De Capital 15.347.263,00 8,27%
Investimentos 15.347.263,00 8,27%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

In~tltuto DeFomento Ttn'istico 261.232.878,00 100,00%


Despesas Conentes 223.946.856,00 85,73%
Despesas Com O Pessoal 64.669. 175,00 24,76%
Contribuições Do Empregado1· 3.342.089,00 1,28%
DesJJesas Em Bens E Serviços 155.652.696,00 59,58%
Subsídios E Transferências Correntes 282.896,00 0,11%
--------- -
Despesas De Capital 37.286.022,00 14,27%
Investimentos 37.286.022,00 14,27%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
Ministério Do Tm·ismo 1.858.303.152,00 100,00%
- - -- · - - - -
Despesas Correntes 1.498.981.275,00 80,66%
Despesas Com O Pessoal 517.642.983,00 27,86%
Contribuições Do Empregador 42.933.284,00 2,31%
DesJJesas Em Bens E Serviços 938.356.887,00 50,50%
Subsídios E Transferêncla.:..
s -=c,_o-n --e-n-te_s_ 48.121,00 0,00%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natm·eza Valor %
Despesas De Capital 359.321.877,00 19,34%
Investimentos 359.321.877,00 19,34%
5764 DIÁRIO DA REPÚBLICA

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Ministério Da Construção E Obras Ptíblicas
RECEITA POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Val01· o/o
Total Geral: 8.375.126,00 100,00%
Receitas Conentes 8.375. 126,00 100,00%
Receitas Correntes Diversas 8.375.126,00 100,00%
Onhas Receitas Correntes --
8.375.126,00 100,00%
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor o/o
Total Geral : 246.064.702. 127,00 100,00%
DespesasCorrente~
s _______ 78.593.722.579,00 31,94%
-- -------
Despesas Com O Pessoal 1.439.413.825,00 0,58%
Des(Jesas Com O Pessoal O vil 1.439.413.825,00 0,58%
- - ------ ------ - - -
Contlibuições Do Em1Jregador 115.491.807,00 0,05%
- Co;tribniçõesDoEmpregador Pam A Seguran ça Social 115.491.807,00 o:-o5%
Des(Jesas Em Bens E Serviços 76.964.428.479,00 31,28%
Bens 576.894.744,00 0,23%
Serviços 76.387.533.735,00 31,04%
Subsídios E Transfet·êndas Correntes 74.388.468,00 0,03%
Transferências Correntes 74.388.468,00 0,03%
Despesas De Capital 167.470.979.548,00 68,06%
Investimentos 161.590.979.548,00 65,67%
Aqtúsição De Bens De Capital Fixo 161.590.979.548,00 65,67%
Outras Despesas De Capital 5.880.000 000,00 2,39%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor
Total Geral: 246.064.702. 127' 00 100,00%
Serviços Públicos Gerais L 714.175.812,00 0,70%
Órgãos Executivos 500.565.573,00 0,20%
fuvestigação Básica 38.333. 156,00 0,02%
------
Outros Serviços Gerais Da Admiuist.Ptíblica 1.175.277 083,00 0,48%
Educação 3.946.113.649,00 1,60%
Ensino Supetior 3.946.113.649,00 1,60%
Ensino Superior De Grad uação 3. 946.113.649,00 1,60%
Habitação E Sen1ços Comunitários 116.308.693.541,00 47,27%
Desenvolvimento Habitacional 45.477.:366.244,00 18,48%
Desenvolvimento Com unitário 2.633.318.584,00 1,07%
- Saneamento Básico 7.203.469-;-oo O,ÕO%
Infm-Estrutum Urbana 6S.19Ü.S05.244,00- 27,71%
-- ---
A~stmt.os Económ icos 124.095.719. 125,00 50,43%
------- --- --
Agricultura, Sivicultm·a, Pesca E Caça __ 3.60~8.)6.?.36.:..~_ _1,470/~
Agricultum 3.608.816.736,00 1,47%
Transportes=-,.-,-,-,- 103.886.990.414,00 42,22%
Tmnsporte Rodoviário - -102.448.060. n.4,oo 41,63%
Tmnsporte Fluvial 230.913.500,00 0,09%
Tmnsporte rerroviário 1. 208.015.990,00 0,49%
Indústria Extractiva, Tran sform adora E Construção 16.599.911.975,00 6,75%
Construção 16 599. 911.975~0 6,i5%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5765

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


D E&'PESAS POR PROGRAMA
Pl·ograma Valor %
Total Geral: 246.064.702.127,00 100,00%
Acções Corre ntes 7.084.894.890,00 2,88%
Oipacitação Institucional E Valo rização Dos Recursos Hnmauos Na Adm ini~1ração Pública 275.814.213,00 0,11%
Construção E Reabilitação De Edifícios Ptiblicos E Equipamentos Sociais 3 1. 83 9. 60 1.3::-2:-:4--:
,0-:-
0--,-
127",94%
Construção E Reabi litação De Infraestnaturas Rodoviárias 145.124.919.746,00 58,98%
Descentralização E Implementação Das Autarqu ias Locais 645.108.861,00 0,26%
Desenvolvime nto Da Rede Urba na 17.916179.467,00 7,28%
Desenvolvimento E 1\felhoria Da- s =-
rn-:f-ra-e s-·truturas De T ta nsportes 1.738.798.4 19,0o-ü,7T%
Expansão Do Transporte Ptlblico 170.555.842,00 0,07%
Fomento Da Produção Agrícola 3.608.816.736,00 1,47%
Habitação 22.074. 259.899,00 8,97%
Melho ria Da Qualidade Do Eusino Superior E Desenvolvime nto D-a Inv·estigação Cientifica E 3. 946.113...,.6"""4=-
9 .-=-
oo=---1,.-.6.,..,0"""
%
Tecn<?_~!i_c~--
Melho ria Do Saneamento Básico 330.490.049,00 0,13%
Prevenção De Riscos E Protecção Ambie ntal 8. 630.293.823,00 3,51%
Promoção Da Inovação E Transferência De Tecnologia 38.333.156,00 0,02%
Va lo rização E Dinamização Do Património Histórico E C ultural 2.640.522053,00 1,07%
DESPESAS DE FUNCIONAMENT O E: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Acthidade Valor ~~
Total Geral: 13.429.672.784,00100,00%
Apoio Financeiro Para As Assoc iações De Utilidade Pública 68.943 000,00 0,51%
Apoio A Pesquisa E In vestigação Cieutífica 38.333.156,00 0,29%
Assistência Tecnica Diversa 326.836.305,00 2,43%
Coordenação Do Projecto Do Centro Politico Administtativo 150.630.525,00 1,12%
Despesas Com Conselhos Consultivos, Conselhos Fiscais E Conselhos Técnicos 68.211.299,00 0,51%
Formação De Quad ros Da Adm in istração P tiblica 5.467 038,00 0,04%
Gestão De Brigadas De Reparação De Estradas E Pontes 36.573.600,00 0,27%
---- ~

Informatização De Serviços E Aqu isição De Software 97.857.610,00 0,73%


----M-
Intervenções Em Otlamidades Ptlblicas De Emergência 2.572.500.000, 0019,16%
Modernização- Dos Serviços Adm inistrativos - -8- 82o.õõO,õo 0,07%
--------
Üperação-E:tvfa~ten çãoêera!D~iços 4. 074.316.825,00 30,34%
- · - --------
~-·-·

Reabilitação E Manu tenção De Infra-Est.r utmas 5. 880.000.000,00 43,78%


Reforço DaÓ!pacidade Institucional 101.183.426,00 0,75%
----
PROGR.Ai\IIA DE I NVESTIM ENTOS PÚBLICOS
Município I Pl·ojecto I Activid.ade Total
Total Geral: 232.635.029.343,00
Belas 16.022.350.663,00
Co nstrução Da Fase Ii Do Ed ifício Sede Do Gckcc 17. 107.260,00
Co nstrução De Infra-F.stnaturas - Fase 1 6.407.285.483,00
Co nstrução In fra-Estrutu ra Urbana 10.000 rogos- Kilamba 9.597. 957.920,00
Benguela 13.413.119,00
Reabilitação De Ruas Do Casco Urbano De Benguela 13.413.119,00
== ~

Bibala 330.448.080,00
Estudos E Reabilitação Da Estrada En-104, Troço: Bibala/Lola 330.448.080,00
Bundas 58.995.324,00
Reab. Da F.str. Luc usse/Lumbala N 'Gu imbo: Lutembo/Lumbala N ' Guimbo-Lcc 58.995.324,00
5766 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇ AMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Cabinda 12.526.782.632,00
Construção Do Campus Univers itário De Cabinda 1.47 1.482.135,00
Construção Do Centro Político Admiuishativo Da Província De Cabinda 645.108.861,00
Construção Iofrnestruturds Integrndas Cabinda Fase 2 7.352.694.096,00
Construção Va la De Drenagem Cabinda -Encostas .tvforro Do Tcltizo E Vai De M:acrod re- Fas1 59.950.586,00
Construção Casas Sociais Otbiuda 12.000 Fog. Real. Pop. Afe. Vai. Euc. Tcbizo F.>1 117.245.990,00
Constnt~fraestruturd Iutegrnda De OtbiMla Fase 1 Etapa 2 430.121.764,00
-----
Construção Do Corredo r De Infraestrutlna De Cabinda Fase I 232.663.492,00
Construção Arruamento Otbiuda Vias Casco Urbano 16,92 Km, Red.es Infraestrutnrns 1.190. 025.914,00
Construção Do Campus Univers itário - Fase 2 I Construção De 3 Unidades Orgânicas Faculdade 539.016.3 12,00
Co nstrução Edifício Admiuisttativo Cabinda -~las De Conferencias Do Ce ntro Politico 488.473.482,00
Cachltmgo 924.169.102,00
Reabilitação Da Estrada Catcbiu u;oiC!tiuhama - Lcc 924.169.102,00
Caco!o 26.962.493,00
Estudos E Reabilitação En-170, Troço: Otcolo/Cucumbi/ Xasse ngue. 26.962.493,00
Cacuaco 5.160.548.972,00
Estudos E Construção Da 2' Circular Luanda!Kifaugoudo!FundaiCatcete -PI 5.160.548.972,00
Cacuso 1.894. 568.166,00
Reab Estr Naci Otcuso Lote 02 - Cacuso (Iutets . Eu 322) I Malanje-I..cc 977.112.648,00
Reab.Estr Naci. Lucala Lote 01 -Lucala ICacuso (Inters.En 322)-Lcc· 917.455.518,00
Calandula 8.436.273,00
Construção Do Teleférico De C<laudu la 8.436.273,00
Cambambe 4.538.04 1.182,00
Reab. Estr. A lto Dondo/Capauda Troço: São Pedro Da Quilemba/Al~o D-Lcc 559.318.974,00
Reab. Estrnd. Nacio. Camb. Eu 321 - Troço: !\.'faria Teresa I Don do -Lcc 3.179.079.640,00
Reab. Estr. Nacio. Libolo Lote 1: A lto Doudo!Desvio Da Mu uenga - Lcc 799.642.568,00
Cassongue 2.032.001.436,00
~Reabilitação Estrada Nacio nal Cassongue/Cruzamenw Com Eu 120-Lcc 2.032. 001.436,00
Catumbela 268.711.167,00
Co nstrução 1750 Habitações Sociais Infrnest.Inter.Realoj.Cid.Lob. Ciitumbela 134.908.985,00
Constru ção Macro-Dreuagem Nas Cidades Do Lob.Catumbela Prov. Benguela 68.717.927,00
Desassoreamenw Do Rio Catumbela 65.084.255,00
Cazen ga 1.016.322.922,00
Estudo E Con!>tru ção Passagem Do Cfl, Cruzamento Avenida Hoji Ya Henda 1.016.322.922,00
c:uangar 189. 150.001,00
Estudo E Reab.Estr.Nac.En 295-Troço: C uan gar-Cala i/Cuando Cubango 189.150.001,00
Culto 7.250.008.047,00
Combale Ravina B ié Contenção E Estab. Da Ravina Da Otugaugave,. Cuito 293.529.400,00
Reab. Vias Secnnd. E Terciárias Da Cidade Do C uito( 15 Km -LCc 173.647.692,00
Troço Cu itoiCatabo laiCarnac upa/C uernba 6.775.627.486,00
ConcÍusã6150Templo Da Sé Catedrnl-Do Otito - -7-.203.469,00
011to Cuanavale 998.977.680,00
Combate Ravina Cuando Cubango Contenção E Estab.Da Ravina Da Pista Do Aeroporto 998.977.680,00
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5767

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Cuvelai 1.620.616.694,00
Reabilitação Da Fstrada OndjivaiCuvelai - Troço: Omala/Ondjiva - Lcc 1.620. 6i 6.694,00
Da la 1.588.446.766,00
Fstudo E Reabilitação Fstrada Nacional En-240, Troço:Dala!Luma Càssai. 1.588.446.766,00
Dan de 26.826.875,00
Construção Da Ponte Sob re O Rio M ule uvo (Pangu ila) 22.073.685,00
Construção De Infraestruturas Integradas No Panguila 4.753.190,00
Dange-Q ultexe 880.526.994,00
Reabilitação Da Fstrada Quitexe1Ambuí1a/Quipedro - Lcc 880.526.994,00
Dembos 544.311.005,00
Reabilitação Infra-Fstnaturas Rodoviárias Região Dembos+Reab.300m De Ponte 544.311.005,00
Estnttm·a Central 8. 712.187.877,00
Montagem De Pontes Metálicasflvfincons 1.000. 703.469,00
Fstudos E Projectos De Engenharia 73.613.900,00
P rograma De Salvação De FstJadas E Setv iços Mín imos De Conservação 7.377.362.794,00
P rograma De Pesagem De Veíc ulos -- 23.590.860,00
P rograma De In ventario Do Estado Da Malha Rodoviaria 209.909.407,00
P rograma De Conservação De Pontes 14.744.288,00
Co nstrução Da Ponte Sobre O Rio Hoke, Extensão De 300m 12.263.159,00
Golungo Alto 29.300.120,00
Fstudos Pata A Reabilitação Da Estrada Golungo A lto i, Ngo uguembo 29.300.120,00
Huambo 5.256.07 1,00
Prolo ngamento Da Av. Norton De 1-..fatos Alé Ao Ex Coutl'O lo Da Policia (7 Km) 5.256.071,00
Lobito 1.026. 172.337,00
Fstudos E Reabilitação En-100, Troço: Egito Praia Ligação Praia Da Eva 10.175.955,00
Reab. Estr.Nac. Lobito ~te 06- Ponte Do Rio Culaugo I Lobito-Lcc --
434. 8Õ5.244,0Õ
Reab.Estruac.Lobito Lote 05pont. Rio Eval /Ponte Do Rio O alango- Lcc 581.191.138,00
Luanda 52.546.865.417' 00
Construção De 3000 0\sas Sociais Raloj.Euc.Boavista E Sambizauga/Mincons 2.170.565.748,00
Requalificação Sambizanga Iufraestruttnas Zonas 2a-Pacote A+B Luanda/Mincons 829.326.574,00
- - - - - --------- - -- -----
Aproveitamento Hidroagríco la Da Quiminha/Mincons - uo8.816 736.oõ
Reab. ~Sec.Lua uda Aven ida N'ÕÕia kil;;a;;ge-Icc 941.491.809,00
Reab. Estrada Sec.-L uauda Rua 12 De Ju lho/Sambizauga Em Luanda.-Lcc 230.726.906,õÕ
Proteção Esta.biliza.ção Encosta.s Da Boa.vista Sa.mbizanga Fase 1 LuatUda/Mincous 3 053126.298,00
Reabilitação Da Fstrada Viana Ca.hnnbo 2" Fase/Mincons 1.638. 875.3 29,00
Construção De Passagem De Peões Na Cidade De Lnanda/Mincons 3 157.48 1.916,00
Construção 1168 Apartamentos Sociais Respectivas Infraestrutura/Luanda 2.516. 667.334,00
ConstruçãolSa Infra-Fstnat. Costeira/ Projecto Marginal Da Corimba 21.518 271.447,00
Construção Casas Sociais Luanda 13.000 Habitações 1.021.331.365,00
Fstudo E Reabilitação Avenida Ngola K iluanje Troço 7" Avenida-M~gem 571.602.206,00
Reab.Estr Sec Luanda Reabilitação Benefi. De 5 Estradas Em Luauda-Lcc 498.426.111,00
Construção Do Campns Universitário A. Neto 1.935. 615.202,00
Fstndo E Reabilitação Troço Boa vif>ta Avenida Kiama K ienda 482.922.488,00
P rotecção E Estabilização Da Encosta Do Lote 4: Ligação SonilsNia. Expressa!Kifangondo 7.344.186,00
Reabilitação E Apetrechamento Fottaleza São Fr.ucisco PenEdo Luanda 2.633.318.584,00
5768 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Reequipamento Do Laboratório De Engenharia De Angola 833.356.090,00


~ertura, Limpeza E Dragagem Do Canal Da Chicala 201.821.536,00
Constru ção E Apetrechamento Do B:lifício Do Irccop 10.858.081,00
Reabilitação Das Estradas Do Bairro Marçal 70.538.474,00
- --- - - - -- -- --=:--:~

Aquisição De Equ ipamen tos Para A tvfoutagem De Oficina, Fabrica lvfarc. Q uilomét. E Placas 12.263 159,00
Constru ção Casas Sociãis Luanda 14SÔ Habitações -z.õ2'9.288.944,0õ
-- --- --- ---- ---
Constru ção Casas Sociais Luanda 1550 Habitações E Respectivas In Draestruturas 1.535.361.140,00
Constr;;Çã'o E Apetrechamento Do B:lificio Do~Gauda ~694.740~õo
Co ntrato De Empreitada De Construção Do Projecto De Deseuvolvirnento D-.ts Infraestru turas In 840.009.400,00
Elãboração Do Estudo E Projecto Para Construção Do Bãirro Dos M iÜisterios- 65.524.199,00
EstudOEReq uaÍificaçãÕ -Das E;;c0stãSJ5a Estrada DO Prenda E Amidores S. 628.790,00
Estudo EReqmilif'ieãÇão Das E ncostas Da Estrada ~mba E Arredores - -3T762.lõõ. oõ
Programa Especial De Obras Ptíblicas Para Luanda-Peopl 51.848 525.oõ
Lnbalo 21.586.836,00
Estudos E Reabilitação En-170, Troço: Camaxilo/Lubalo. 21.586.836,00
Ln capa 1.338.560.287,00
Combate Ravina Lunda Norte Contenção E Estab. Da Rav ina Central De Cap. Agua 295.643.856,00
Combale Ravina Lunda Norte Contenção E Estabil. Da Rav ina Da Oentra l Térmica 212.431.796,00
Combale Ravina Lucapa Centralidade Do Dn ndo, Zona Norte/Lu nda Norte 348.485.236,00
Combale Rav ina Lucapa Estabilização Rav ina Da Eta, Lu nda Norte 365.236.612,00
Combale A Ravina Do Aeroporto Do Du ndo 66.245.183,00
Combate As Rav inas Da E nl 80 En trada A Cidade Do Du ndo 50.517.604,00
Malanje 3.534. 119.915,00
Reabilitação Da Estrada Caculama (1vfucari)/Talam tm gongo 530.259.300,00
Constnção 500 Casas Sociais E Infra-Est.rumras/Provfucia De Ma!awje 1.374. 616.126.00
Reabilitação Da Estrada Talamungongo!Kambnndi Katembo/Mala uje 861.979.654,00
Construçao De Infraestruturas Iu tegrãdas De Malange Fa<;e 1 Etapa 2 767.264.83 5,00
Mbanza Kongo 461.036.170,00
Constru ção In fraestru turas In tegradas Mbanza Congo Fase! Etapa2lZaire 461.036.170,00
Menongue 264.398.812,00
Combate Rav ina C uando C uban go Contenção EF.stab. Da Rav ina Da Residência Do Rei 264.398.812,00
Moxlco 4.435.825.365,00
Estudo Reabilitação En-250, Troço: Lueua I Le na I Lumeje. 2.90 l. 912. 163,00
Combate Rav ina Mox ico Projecto _De Contenção E Estab. Da Rav i~ Do B.Aço 269.533.538,00
Constru ção De 450 Casas Sociais E Infra-Estruturas/Província Do Moxico C242. 975.366,00
Constru ção Da Estrada De Acesso A Un iversidade Na Cidade Do Luena 21.404.298,00
-- --
Moçâmedes 748.022.373,00
Co nclução Do Troço De Estrada Moçamedes Baia Das Pipas (8,8 Knn) 613.116.791,00
Estudo E Reabilitação Da Estrada Nacio nal Nam ibe/Bay nes 7.435.114,00
---- -- - ---
Reabilitação Da Estrada Desvio Da Luc ira I Lucita -u?.470.468,00
Nambuangongo ------------------------------- 31.367.874,00
Reabilitação Da Estrada Mnxaluaudo I Iu tetsecçào Com Eu 120 31.367.874,00
Negage 468.601.242,00
Reabilitação Da Estrada UígeiCalumbo/Dambi/Neg~ge- Lcc 468 601.242,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5769

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVEST IMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade T otal

Nzeto 589.197.727,00
Const.Auto E.Lda/Soyo-P.3(E.C.Nzeto 8km)+T.C.I. Eu 100(31km) 1.344.265,00
Construção In fraestruturd Iutegrada Do Nzeto Fase 1 Etapa 2/Zaire 587.853.462,00
P omb o 25.679.539' 00
Estudo E Reabilitação E n- 150,Troço: :::auza Pombo/C uilo Pombo/Qmirnbia nda 25.679.539,00
P orto Amboim 4.115.103.107,00
Reab Estr. Nac Portambo Ote 03- Poute Do R io Keve I Sumbe S-Lcc 1.291. 684.224,00
Reab.Estr. Nacipor Amb. Lote 02-Pout Do R io Louga/Pout DO Rio Keve-Lcc 1.527.154.616,00
-- ---
Construção Da Nova Poute Cais lJd Peskwauza, Potto Amboim 1.275. 221.427,00
Estudos E Projecto De Obra :Maritima De Protecção Costeird De Port:o Amboim Fase 1 21.042.840. 00
Qnlba1a 3.660.366.410,00
Reab Estr Nacio Q uibala Lote 03 -Pontão/ O Rio Quimone/Sãomamede-Lcc 890.511.040,00
Rea~Estr. NãCi. Quibala-Lote 04 - São Mamede / Waco Ku ngo-Lcc C642 691214,00
Reab.Estr. Naci. Quibala Lote OS - Waco K un go I Ponte Do Rio Kev•e-Lcc 368.609.940,00
Reab.Estr Naci.Quibala Lote2:Desvioda Mnue uga!Poutão Do R ioqn irnoue-Lcc 758.554.216,00
Qullenda 431.606.408,00
Reabilitação Da Estrada Gabela/Quile uda- Lcc 431.606.408,00
Qnlrlma 535.191.946,00
_ Reabilitação Da Estrada Mussolo/Dumba Cabaugo- Lcc 535.191.946,00
=~
Qulçama 560.556.598,00
Reab.Estr. Nacioua1 Quiçama Lote 01 - Cabo Ledo/Ponte/ O Rio Louga-Lcc 560.556.598,00
Samba Cajú 1.118.502.150,00
Estudos E Reabilitação Eo-320-1, Troço: C uso/ Samba Luca la. 1.118. 502.150,00
Sam·imo 176.756.301,00
Combate Rav ina Saurimo E<;tabilização Da Ravina Bairro Auteuaf Lu nda Sul 176.756.301,00
Soyo 1.322.993.129,00
Coust.Auto-Estrada Luauda!Soyo Pacote 4 Poute/R io Mbridge 921.496.913,00
Coustrução Das Iufraestnttu ras Integradas Da Cidade Do Soyo 401.496.216,00
Smnbe 4.730.559.562,00
Reab.Estr.Nacio nal Sumbe Lote 04 - Sumbe I Ponte Do R io Eval-L;c 924.124.084,00
Reabilitação E Apetrechamento Do Palácio Do Governador Do C uanza Sul 1.307.304.612,00
Co ustrução Iofraestruturds Integradas Snmbe 2.499.130.866,00
Tal atona 17.382.420.363,00
Construção Iufraestrnturas Do Lar Do Patriota 12.205.807.105,00
Coust. Da Via :Margiual Sudoeste 2' Etapa!Mincous 1226.664.652,00
Estudo E Co n~trução Nó Ligação Samba/Avenida Ped ro Vaudu ném/ Luauda 3.395.032.308,00
Construção Infra-Estruturas Do Camama-Eixos Estntturautesflvfincons 471.737.139,00
P rotecção E Estabilização Das Encostas Da Samba/Lua nda 83.179.159,00
Tômbwa 230.913.500,00
Construção E Apetrechamento Da Ponte Cais Do Tórnbwa 230.913.500,00
Uige 1.374.616.128,00
Construção De SOO Casas Sociais E Infra-Estrutu ras/Província Do Ufge 1.374. 616.128.00
5770 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Varios Municlpios-Naclonal 10.280.442.803,00


Constru ção Nova P.S/Rio C ua nza B .K. Iten.Luanda-Lob.Fst.En i 00/?vfiucons 464.732.954,00
Reabilitação Da Fstrada Matala-Dongo-Cuvango-Cuc hi!?vfeno ng ue 862.371.006,00
Co nstru ção Nova P.S/Rio Q ueve,Iten.Por.Amb-S umbe Est.En 100/Mlinco us 1.037.460. 148,00
Reab ilitação Da Fstrada Malanje. Sa urimo , D undo E Lue na/Mincons 110. 155.457 .oo
Fstudos Pam A Reabilitação Do Troço - Otcbindja u - Ouc6cua E u 368 (68 Km) 24.124.315,00
-- -- -
P rograma De Conservação De Estrada 299.780.123.00
----- --
Fstudos E Projectos Pam A Constru ção De Obras 2vfaritimas De Pro~eção Costeira 5.518.422,00
Construção De Fstmdas Em Terra Batida ---- 7.374.832.639,00
Construção De Fstmdas Em Terras Ao Longo Das Zonas Fronteiriça:; 49.052.636,00
Fstudos E Construção De 10000 Otsas Socia is PardOs Defic ie ntes De Guerra, 1" Fase - 2000 23.029.435,00
Fstudos E Projectos Pam A Co nstru ção Da Po nte SoyoiCab inda 29.385.668,00
Vh·ei 505.987.394,00
Fstudos E Reabilitação E u 2 90 T roço: Nam ibe Eutro uc-dmeuto Eu 1OON irei 505.987.394.00
Vários Municiplos-Cuanza Norte 905.716.458,00
Reab. Da Estrada Samba Caj \Í/Uiangombe/Bauga!Quic uluu go/Bolo u gou - Lcc 905.716.458,00
Vários Munlciplos -Bié 1.374.616.126,00
Constru ção De SOO Casas Sociais E In fra-Estruturas/Provínc ia Do Bie 1.374. 616. 126,00
Vários Municipios -Luanda 17.861.318.932,00
Sistema De Tmnspo rte B .R.T. Corredor Infraestruturd/M incous 170. 555.842.00
Ampliação Da Estrada CamamaNia na!Minco ns 4.300. 847. 118,00
Fstudo E Reabilitação A uto-Estrada Lua nda Via Expr. Cab./Cac./N&.; ViáriosiCam./Zango/Kilamba 3.505. 942.758,00
Fstudo E Reabilitação Fstrada Naciona l L uanda E u 230 N6 Viá rio U uid . Oper.N ia &p ressa 2.893.410.232,00
---- ---
Fstudo E Reabilitação Fstrada Naciona l L uanda E u230,T roço Via na/Novo AeroportoiOttet.e+Macrod re u 4.547. 627.334,00
-- -- - ----
Constru ção De In fraestruturas Ligação Cem itério Cama ma A Via ExPressa 2.442.935.648,00
Vários Municipios -Moxico 697.927.078,00
Fstudos E Reabilitação E u 17412 60. Lue ua/Cassam ba/Can gam ba/Mox.ico 602.743.535,00
Reabilitação Da Fstrada L ua uiCazomboMoxico 85.274.481,00
Fstudos EReabilitação Da Fstrada E u 250 Lu mege!Luacauo!?vfarco :!51João CbavesiCaiuda/Jimbi 9. 909.062,00
Vários Munlciplos- Bengu ela 7.116.341.596,00
Reab. Da Estrada Dombe Gmude/Rio Eq uimiua/Lucira/Beug uela 2 7.038.746.713,00
Estabilização Reg. Áreas R isco Encostas-Lobito Via De Coutomo Lolb.Catumbela 77.594.883,00
------
Vários Municipios-Bengo 3.870.116.544,00
Fstudo E Cou~tru çào Das In fraestruturas Iu teg.Caxito&f.iucous 1.224.023.708,00
Reabilitação Da Fstrada Cax.itoiOuzo/?v{uxal ua udo 2.604. 954.656,00
Reab ilitação Da PStradaDesv io Do Ambriz I Bela Vista 4 1. ú8.i8o. oõ
----- -----
Vários Municipios-Cabinda 22.471.032,00
Reabilitação Fstlada Sund i, Troço:.Malo ug oeiZa uiSauda!?vfassala/Q uissoq ui 22.471.032,00
Vários Municipios-Cnando Cubango 1.51 7.020.904,00
Combate Às Rav inas/M inco ns 1.511.840 690,00
Reabilitação Da Fstrada Nac io nal Lucusse I L umbala Otq ueugue 5. 180.214,00
Vários MuniCÍl>ios-Cuanza Sul 1.508.621.357,00
Fstudos Reabilitação E n243, Waco K uu go(Entrocameuto E nl 20)1Sanga 18 276.561,00
Reab ilitação Da Estrada Uk u SelesiAmboivaiOtssougueiO•auza-Sul ---- 158.373.496,00
Reab ilitação Da Estrada Coodé/Ébo - Lcc 500.436.352,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5771

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Reabilitação Da &t.rada Quibala/Carian go/Musseude/CSul 593.748.802,00


Projecto~ Iufm-Estru turas_!utegradas Do Sumbe, Po1to A :-m
- c-c
bo im
-;:E Gabela 200.996.670,00
&todos E Projectos Para A Co u5trn ção De Obras lvfarítimas/&tuáriaiS Na Foz Dos Rios Kwanza 36.789.476,00
Vários Mnnlciplos-Cunene 1.261. 726.113,00
&tudos E Reabilitação En-368, Othama/ Otchinja u/Cnuene. 18.750.747,00
Constru ção De 450 Casas Sociais E In fra-&trutnras!Província Do Cn nene 1.242. 975.366,00
Vários Munlciplos-Huambo 971.499.938,00
Reabilitação Da &t.rada Cuima/O asse- Lcc 971.499.938,00
Vários Municipios-Hulla 65.081.370,00
Reabilitação Da &trada Caconda I Chicomba I Quipungo I Nfatala 65.081.370,00
Vários Munlciplos-Lunda Norte 388.626.706,00
Combate Rav ina Lucapa Estabilização Das Ravinas Da Centralidade Do Dundo 343.983.802,00
- --
Combate Das Ravinas Da En-225, Troço Duudo-Xa M uteba Na Ext 1000 M 44.642.904,00
Vários Municipios-Uige 765.406.638,00
&tudos E Reabilitação Eu-i 2012 i5, Troço:Uíge/Sougo/Lnc uu ga/Bernbe. 765.406.638,00
Vários Munlciplos-Zalre 15.723.729.197' 00
&tudos E Reabilitação En-304,Cuimba/Serra Da Kanda/Zaire. 2.031.576.462,00
Estudos ReabiiitãÇãõ Ê u120,Mbanz aCo ugo/1vfadimba!Luc uu ga!Zaim 4 10.469.056,00
Reabilitação Da &t.rada Cuil~ba!Mba uza Co ngo+Aces. Posto F ront. Bnela7Mincons 54i030.21l,OÕ
Constru ção Da A uto Fstrada-Luanda/Soyo-Pacote 5 (K~8+ 8ÓÕ Ao Km 104+!i"00)2- - --;3o-.""'
1 2:-:1~.2"24130,0Õ
Constru ç;i'ODa Auto Fst;:ãêla Lnanda/Soyo-Pa~ 6 (Km 1Ô4+800 Ão-Krn 149+30 0 ) - -9-.567. <i42.5Tfõo
Empreitada De Constru ção Da Ponte Sobre O Rio Lufico 46.4 16.975,00
- -- - - ::--:cc:-=-
&tudos E Constru ção Da Nova Ponte Sobre O Rio Lu vo Na Fronteira Com Rdc -Zaire 4. 969.850,00
DE&'PESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAM ENTAL
Unidade Orçamental / Natureza Valot· %
Ftmdo Rodoviário E Obras De Emergência 5.916.573.600, 00 100,00%
Despesas Correntes 36.573.600,00 0,62%
Despesas Com O Pessoal 18.620.000,00 0,31o/o
Cont.rlbuições Do Empngador 2.940.000,00 0,05%
Despesas Em Bens E Serviços 13.543.600,00 0,23%
- - --- - - - · - -
Subsidios E Transfer ências Co-n -·en-t-es- 1.470.000,00 0,02%
Despesas De Capital 5.880.000.000, 00 99,38%
Outras Despesas De Capital 5.880.000 000,00 99,38%
Unidade Orçamental / Natureza Valot· ~i>

Gab. Coot·d. Con~t. Desenv. Urb. Das Cid. Do Kilamba, Camama E. Cacuaco 9.831.226.039,00 100,00%
Despesas Correntes 5.018. 774.560, 00 51,05%
Despesas Com O Pessoal 24.037.485,00 0,24%
Contribuições Do Empngado1· 2.87 1.344, 00 0,03%
Despesas Em Bens E Serviços 4. 991.823.395,00 50,78%
Subsídios E Transferências Correntes 42.336,00 0,00%
Despesas De Capital 4.812.451.479,00 48,95%
Investimentos 4.812.451.479,00 48,95%
Unidade Orçamental / Natureza Valot· ~(,
5772 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valor %
Gabinete Gestão De R.D.U.P.C.C.LF\ttungo De Belas E Musstdo 28.274.521.778,00 100,00%
Despesas Correntes 11.281.308.093,00 39,90%
Despesas Com O Pessoal 104.969.289,00 0,37%
Contribuições Do Empregador 7.803.609,00 0,03%
Despesas Em Bens E Serviços 11.167.442.691,00 39,50%
Subsidios E Transferências Correntes 1.092.504,00 0,00%
-- --- -- -
Despesas De Capital 16.993.213.685,00 60, 10%
Investimentos 16.993.213.685,00 60,10%
Unidade Orçamental I Natureza Valor ~i>

Instituto De Estradas De Angola 1.277.358.846,00 100,00%


Despesas Correntes 1.277.358.846,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 488.356.837' 00 38,23%
Contribuições Do Empregadot· 38.939.716,00 3,05%
Despesas Em Bens E Serviços 749.572.293,00 58,68%
Subsidios E Transferências Correntes 490.000,00 0,04%
Unillade Orçamental I Natureza Valor o/o
Instituto Nacional De Obras Públicas 227.123.733,00 100,00%
Despesas Correntes 225.322.561,00 99,21%
Despesas Com O Pessoal 72.614.118,00 31,97%
-- --- ---
Contribuições Do Empregador 4.165.000,00 1,83%
Despesas Em Bens E Serviços 148.297.659,00 65,29%
Subsidios E Tran~ferências Correntes 245.784,00 0,11%
Despesas De Capital 1.80 1.172, 00 0,79%
InvestJmentos 1.80 1.172, 00 0,79%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
In~Ututo Regtdador Da Construção O vil Obras Públicas 148.824.082,00 100,00%
Despesas Conentes 141.827.768,00 95,30%
Despesas Com O Pessoal 48.011.213,00 32,26%
Contribuições Do Empregador 3.076.971,00 2,07%
-- -
Despesas Em Bens E Serviços 90.543.584,00 60,84%
--- ------
Subsiclios E Transferências Correntes 196.000,00 0,13%
Despesas De Capital 6.996.314, 00 4,70%
Investimentos 6.996.314, 00 4,70%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Laboratól"io De Engenharia De Angola 432.423.684,00 100,00%
Despesas Correntes 432.423.684,00 100,00%
Despesas Com O Pessoal 153.412.862,00 35,48%
Contribuições Do Empregadot· 9.800.000,00 2,27%
Despesas Em Bens E Serviços 269.044.222,00 62,22%
Subsidios E Transferências Correntes 166.600,00 0,04%
Unidade Orçamental I Natureza Valot· %
Ministério Da Construção E Obras Públicas 199.956.650.365,00 100,00%
Despesas Correntes 60.180.133.467,00 30, 10%
--- ---
Despesas Com O Pessoal 529.392.021,00 0,26%

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAlVIENT AL
Unidade Orçamental I Natunza Valot· %
Contribuições Do Empregador 45.895.167,00 0,02%
Despesas Em Bens E Serviços 59.534. 161.035,00 29,77%
--- -
Subsiclios E Transferências Co-n-·e-n-te_s_ 70.685.244,00 0,04%
Despesas De Capital 139.776.5 16.898,00 69,90%
Investimentos 139.776.516.898,00 69,90%
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5773

D OT AÇÃO OR ÇAMENTAL P OR OR GÃO


Órgão: Ministério Do Ordenamento Do Território E Habitação
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral : 26.733.239. 151,00 100,00%
Despesas Corren tes 3.508.131.243,00 13,12%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 1.424.226.882,00 5,33%
c---:--=-~ -- -- - ------
Despesas Com__9 Pessoal a~ 1.424.226.882,00 5,33%
--- -
ConUibuições Do Empregador 101.190.257,00 0,38%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social toT.19õ:257.o-o - o,38%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços L 981.536.592..:..'00
~_.,..:
7,..:..
4 1-:0A-o:-
Bens 117.254.236,00 0,44%
----
~rviços _ _ ---~--- 1.864.282.356,00 6,97%
Subsidios E Transferências Correntes 1.1 77.512,00 0,00%
Transferências Correntes 1.1 77.512,00 0,00%
--------
Despesas De Capital 23.225. 107.908,00 86,88%
----
Investimentos 23.224.137.708,00 86,87%
------..,---
- Aqui~~ção De Bens De CalJilal Flxo 23.224.137.708,00 86,87%
Outras Despesas De Capital 970.200,00 0,00%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 26.733.239. 151,00 100,00%
Habitação E Serviç~ Comunitários 26.733.239.151,00 100,00%
Desenvolvime nto Habitacional 2.086.091.06-s;-oo - r ro%
Infrn-Estrutura Urbana -u647.148.o8f.oo 92)o%
DESPESAS POR PROGRAMA
PI: o grama Valor %
Total Geral: 26.733.239. 151,00 100,00%
Acções Correntes 1989 591.072,00 7,44%
CàpãcitaçãÕ-.:I-nst
-,--
it-uc- ,io_n_a-,.1-=
E Valo rização Dos Recursos Humanos Na Administração Ptíblica 29.966f96,00 0,11%
Construção E Reabi litação De Edifícios Ptfulicos E Equipamentos Sociais 957.809.801,00 3,58%
Construção E Reabilitação De Infraestruturas Rodoviárias 3.880.800,00 0,01%
Desenvolvimento Da &de Urbana 15.027.494.872,00 56,21%
Habitação 8.714.3 52.810,00 32,60%
Melho ria Do Sistema Geodésico E Càrtográfico Nacional 10.143 000,00 0,04%
DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Actividade Valor %
Total Geral: 2.089.970.868,00 100,00%
Actualização Da Càrtografia Do ?dís 1:100 000 3.430 000,00 0,16%
Apetrechamento Das Delegações Provinciais E Sede Do I.G.C.A. 4.508 000,00 0,22%
Apetrechamento Do Edíficio Sede E Das Representações Provinciais Do I.N.H 12.740 000,00 0,61%
Assistência Tecnica Diversa 24.500 000,00 1.17%
Comissão Intenninisterial Reordenação Terrenos Rurais A Favor Das Comu nidades Locais 9 800 000,00 0.47%
Comu nicação Iustituicioual 9 800 000,00 0.47%
Digitalização Do Arquivo Dos Processos De Confisco De Imóveis 9 800 000,00 0,47%
Elaboração De Estudos Urbanísticos 14. 210 000,00 0,68%
Formação E Capacitação De Q uadros 1 1.349.736,00 0,54%
-- -- -- --
Instalação Dos Serviços Centrais Do M inuha 9 800 000,00 0.47%
tvfonitoria E Avaliação Da Exec ução Do Pip 8 820 000,00 0.42%
5774 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Operação E Mau uteução Geral Dos Serviços l. 895.926.592,00 90,72%


Participação Em Congressos E Worksltops 40.744.480,00 1,95%
Produção De Cartografia Temática 1.225 000,00 0,06%
Produção De LegiSlação Cartográfica E Cadastral 980.000,00 0,05%
Projecto De Desenvolvimen to Urbano SusteutaveVUu Habitat 13.720 000,00 0,66%
Reforço Da Capacidade Institucio nal 18.617.060,00 0,89%
PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Município I Projecto I Activid.ade Total
Total Geral: 24.643.268.283,00
Bala Farta 5.920.200,00
Constru ção Infraestruturas E"terna Centralidade Baia Farta - Benguela 5. 920.200,00
Belas 505.335.413,00
Constru ção Infraestruturas Da Centralidade Do Kilamba Kk 50001Sonip 162.360.581,00
- ----- -- ----
Constru ção Infraestruturas Da Centralidade Zango Red/So uip 337.054.632,00
COuStr'uçãoDe Infraestruturas Externa Centralidade Kk 5000 - Luanda - -5.920 200,0Õ
-
Benguela 323.750.964,00
Co nstru ção In fraestruturas Da Centralidade Beuguela/Sooip 323.750.964,00
Catumb ela 130.202.908,00
Construção Infraestruturas Externa Centralidade Do Luhongo- Benguela 130.202 908,00
Cazengo 5.920.200,00
Construção Infraestruturas Integradas In ternas E Externas No Cazeuj~O 5. 920.200,00
Caála 2.910.600,00
Construção Equipamento Sociais Da Centralidade Da Caala- Kora 2. 910.600,00
Dan de 11.840.400,00
Constru ção Infraestruturas Da Centralidade Capari/Souip 5. 920.200,00
Const.nção Infraestru turas In ternas E Externas Projecto Açucareira 5. 920.200,00
!colo E Bengo 11.840.400,00
Constru ção Infraestruturas Externas Na Centralidade Do Km 44 -Liuauda 5. 920.200,00
Construção Infraestruturas Externas Centralidade De Capari-Icole Be:ugo - -5.920 200,0Õ
Luanda 3.880.800,00
Co nstru ção Da Iu fra-Est.rut. Costeira/ Projecto Marginal Da Corimba 3. 880.800,00
Lubango 17.586.459.801' 00
~ustrução Infraestruturas Da Centralidad.:._Lubaugo/So u_ip
~-,--­ 323.750.964,00
Coustrução Infraestruturas Externas Centralidade Da Quilemba-Luba.ngo 3.569.078.843,00
Constru ção Das Infmestrutnras Integradas Do ~go, fuila --r3.693 629.994,0Õ
Malanje 5.920.200,00
Constru ção Infraestrutu ras Interna E E"terua Na Carreira Tiro 5. 920.200,00
Mbanza Kongo 5.920.200,00
Constru ção Infraestruturas In ternas E Externa Em Mbanza Congo - Zaire 5. 920.200,00
--= =
Menongue 5.920.200,00
Constru ção De Habitação Iufra.e~truturas Internas E Externas No Tuc uve 5. 920.200,00
Namlbe 214.391.161,00
Constru ção Infra.estruturas Da. Centralidade Namibe/Sonip 162.360.581,00
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5775

DOTAÇÃO ORÇAMl~NTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
MuniciJ>Io I Pl·ojedo I Actl\>idade Total

Construção lnf.aes truturas Exte•·na Centmlidade Praia Amélia Namibe 47.694.752,00


Construção ln.fraestrutu•as Externas CentJ'alidade 5 De Ab•·il-Namibe: 4.335.828,00
Ombadja 921.389.001,00
Construção lnf.aes trutuJas lu temas Extemas E Habitação No Ek uma 921389 001,00
Qulçama 2.294.552.851,00
Const11Jção De Infraestt·u turas Básicas Na Rese1va Fu ndiária Da Quissama 2.294.552.851,00
Sam·Jmo 5.920.200,00
Construção Infmestruturas Integmda~ In ternas E Extemas Em :':aurimo 5.920.200,00
Uige 1.282.579.410,00
Estudos E Execução illfJaestJ1Jturas Integ•adas Ufge E Negage- Ufge• 1.274.494.478,00
-----
Const11Jção De Infraestt·u turas Básicas Na Rese1va Fu ndiária Da Catapa 8.084.932,00
Varios Munlciplos-Nacional 5.929.902,00
_ l?J'Ogmma Nacional De Urbanização De Rese1vas Fundiárias I Minuba 5.929.902,00
Viana 1.312.683.472,0Ó
Construção !JJf,aestt·utuJas Da Cen tt·alidade Km 44/Sonip 5. 920.200,00
Construção lnf.aestrutuJas Exte1·nas Cent1al idade Zallgo8000 - Luanda 1.116.611.742,00
-- -- -
Constt·ução lnfmestt·utuJas Externas Da Centralidade Do Zango O- Viana 190.151:S3o.oõ
DESPESAS DE NA11JREZAPOR UMDADE ORÇAMENTAL
U1údade Orçamental I Natw·eza Valor %
Instituto Geográfico E Cadastral De Angola 699.720.001,00 100,00%
De~')lesas
Conenles 697.760.001,00 99,72%
Despesas Com O Pessoal 616.992.847,00 88,18%
~nlJ'lbulções Do ~]>regador 39.275.136,00 5,61%
- -·-----
Des1>esas Em Bens E Ser viços 41.160.001,00 5,8SOA.
Subsídios E Transfer~ncl a~ Conenles 332.017,00 0,05%
·- --
Despesas De Capllal 1.960.000,00 0,2SOA>
Investimentos 1.960.000,00 0,28%
Unidade Orçamental I Natureza Valor %
lnsUtuto Nacional De Habitação 182.814.908,00 100,00%
Despesas Conenles 180.952.908,00 98,98%
- - - ---
Despesas Com O Pessoal 138.053.932,00 75,52°/Ó
Contribuições Do Empregador 9.566.481,00 5,23%
DesJ>esas Em Bens E Se•·viços 33.320.000,00 18,23%
Subsídios E Transfer~nclas Conenles 12.495,00 0,01%
Despesas De Capital 1.862.000,00 1,02%
Investlmenlos 1.862.000,00 1,02%
Unidade Orçamental I Natw·eza Valor %
Instltulo Nacional Ordenamento Território Desenvolvimento Urba1no 348.888.213,00 100,00%
Despesas Conenles 345.458.213,00 99,02%
- ---- - - - --
DeSllesas Com O P essoal 291.607.213,00 83,58%
Contribuições Do Empregador 20.335.000,00 5,83%
Despesas Em Bens E Serviços 33.320.000,00 9,55%
Subsídios E Transferências Conenles 196.000,00 0,06%

DOTAÇÃO ORÇAMgNTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE NATUREZA POR UNIDADE ORÇAMENTAL
Unidade Orçamental I Natw·eza Valor %
Despesas De Capital 3.430.000,00 0,98%
Investbnentos 3.430.000,00 0,98%
Unidade Orçamental I Natw·eza Valor %
MinlstéJio Do Ordenamento Do T enllóJio E Habitação 25.501.816.029,00 100,00%
Despesas Correntes 2.283.960.121,00 8,96%
Dts)lesas Cmn O Pessoal 377.572.890,00 1,48%
------
Contrlbul f ões Do Empregador 32.013.640,00 O, t3C~b
------~

Despesas Em Bens E Ser viços 1.873. 736.591,00 7,35%


Subsidlos E Transferências Conenles 637.000,00 0,00%
Despesas De Ca)lllal 23.21 7.855.908,00 91,04%
Investbnenlos 23.216.885.708,00 91,04%
Outra~-Despesas De Capital - 970. 200, 00--0~0%
5776 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


Órgão: Ministério Da Energia E Das Águas
DESPESAS POR NATUREZA ECONÓMICA
Natureza Valor %
Total Geral: 380.064.428.461,00 100,00%
Despesas Correntes 68.264.809.882,00 17,96%
-- -----
Despesas Com O Pessoal 1.106.193.952,00 0,29%
c---:--=-~ --- ------
Despesas Com__9 Pessoal a~ 1.106.193.952,00 0,29%
ConUibuições Do Empregador 81.327.970,00 0,02%
- Co ntribuições Do Empregador Pam A Segumnça Social 81.327.970,00 o:o2%
-- --
Despesas Em Bens E Serviços 67.076.013.222,00 17,65%
Bens 1.353.572.654,00 0,36%
~rviços _ _ ---~--- 65.722.440.568,00 17,29%
- -------
Subsidios E Transferências Correntes 1.274.738,00 0,00%
Transferências Correntes 1.274.738,00 0,00%
------ -----
Despesas De Capital 311.799.618.579,00 82,04%
·----
Investimentos 311.799.618.579,00 82,04%
------,---
Aquisição De Bens De CalJilal Flxo 311.799.618.579,00 82,04%
DESPESAS POR FUNÇÃO
F\mção Valor %
Total Geral: 380.064.428.461,00 100,00%
Habitação E Serviços Comunitários 115.611.394.203,00 30,42%
Abastecimento De Água -o5:6 11.394.io~õo--30,42%
-- ---
A~suntos Económicos 264.453.034.258,00 69,58%
- - ~---

CombusUveis E Energia 264.453.034.258,00 69,58%


- E lectricidade -u-9.969.011 301 ,0Õ 65,77%
Energia Não Eléctrica 14.484.022) 57,00 3,81%
DESPESAS POR PROGRAMA
PI·ograma Valor
Total Geral: 380.064.428.461,00 100,00%
Acções Correntes 7.433.678.259,00 1, 96%
Co~solidação E Optimização Do Sector Eléctrico 17.990.497.785,00 4,73%
=~-~
Construção E Reabilitação De Edifícios Ptiblicos E Equipamentos Sociais 240.829.875,00 0,06%
Construção E Reabi litação De Infraestruturas Rodoviárias 81.972.423,00 0,02%
Desenvolvimen to E Consolidação Do Sector Da Ág ua 15.956.932.167,00 4,20%
Desenvolvimen to Local E Combate À Pobreza 29.114.694,00 0,01%
E"pansão Do Abastecimento De Ág ua Nas A"reas Ud>anas, Sedes De Município E Áreas Rurais 80.373.449.113,00 21,15%
E"pansão Do Acesso À Energia Eléctrica Nas Áreas Utbanas, Sedes DEl Mu nicípio E Áreas 256.458.111.236,00 67,48%
Rurais
Prevenção De Riscos E Protecção Ambiental 149.150.592,00 0,04%
Reforço Do Sistema Nacional De Formação Profissional 1.350.692.317, 00 0,36%
DESPESAS DE FUNCIONA1\1:ENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Pl·ojecto I Actl\>idade Valor %
Total Geral: 7.963.491.393,00 100,00%
Aceleração Da E"ecução Do Pla no De Electrificação Rural 441.000.000,00 5,54%
Acções De Sensibilização E Divulgação Do Sector 45.105.118,00 0,57%
Acções !nau gntativas 490.000,00 0,01%
Acções Iuspectivas 1.470 000,00 0,02%
Apoio A Carteüa De Projecto Do Sector 1.350.205.381,00 16,95%
-- --
Apoio Institucional 789.845.528,00 9,92%
I SÉRIE- N.0 192 - DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5777

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


DESPESAS DE FUNCIONAlVIENTO 11: DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO
Projecto I Acti\'idade Val01· ~h

Aq uisição De Produtos Q uimicos Pffratameuto De Água Na Prov iucia 940.800 000,00 11,81%
Assistência Técuica/Consultoria Desenvolvimento Do Sector 578.246.585,00 7,26%
Com unicação E Imagem Institucio nal 24.500.000,00 0,3 1%
Cons ultoria P.dra As Bacias Hidrográficas Internacio nais 190.102.329,00 2,39%
Coordenação E Gestão De Projectos 1.531.170,00 0,02%
Desenvolvimento Programa I~onnatizaç~~ De Controlo E Gestão De Projectos 463.300.212,00 5,82%
Elaboração Planos Contro lo Operacio nal Monitoria Qualidade Águas 3-34.369:796,ÕO 4.2ô%
Operação E Mau utenção Geral Dos Serviços 2.178.459.747,00 27,36%
Pmgrama De Transformação Do Sector E léctrico 197.068.842,00 2,47%
Pub licidade E Divulgação Do Sector (Magazine Energias) 10.314.049,00 0,13%
Reestruturação Do Sector Das Águas ---- 201.390.000,00 2, 53%
Regu lação Das Actividades No Domínio Da Energia 2.205 000,00 0,03%
Reg ulação Das Actividades No Domínio Das ~a- s­ 38.791.914,00 0,49%
Reg ulação E Acompanhamento Da Rede Info rmática Do Sector 174.295.722,00 2,19%
PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Munlcipio I Projecto I Actividade Total
Total Geral: 372.100.937.068,00
Ambobn 29.731.790,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Água Dat Gabela 29.731.790,00
Ambriz 29.114.694,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastec imento De Água De> Ambriz 29.114.694,00
Ambuíla 14.971.167,00
Reabilitação Do Sistema De Abastec imento De Água Ambuila 14.97 1.167,00
~ -- --~

Andulo 23.530.867,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento Água Do Audu lo 23.530.867, 00
Bailundo 64.086.348,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema Abastecimento De Ág ua De Bailundo 64.086.348,00
--= =
Banga 74.010.551.898,00
Constru ção Do Aproveitamento Hid roeléctrico De Caculo Cabaça 74.010.551.898,00
Belas 578.554.516,00
Se 60/15 Kv Lar Do Patriota - Edel/Miuea 14 038 935,00
Construção Do Centro De Distribuição ;;:;:
D- e'
Á~g-u-
a Potável Luauda-Sa.ptí 46.888.340,00
Construção Sistema 4 (Eta Bitã}SiSterua De Distribuição Água- Luanda 517.627.24 1,00
Belize 115.208.695,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento Águas De Belize 115.208 695,00
Benguela 1.538.969.304,00
L.T. 200kv l..omaum-Biop-Bgla Sul220kv Sub Bgla S ul 60/30kv-1210mva 1.538. 969.304,00
~

Blbala 34.546.616,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimen to Ág ua De Bibala. - Lcc 34.546.616,00
Bocoio 3.023.647.038,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abast.recimeu to Água De Bocoio 3.023.647.038,00
Buco Zau 83.754.490,00
Reabilitação E Expansão Si5t. Abastecimento Ág uas Localidade B uoo Zau 83.754.490,00
5778 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇ AMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnn1cipio I Projecto I Actividade Total

Bula-Atumba 189.857.768,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Água De Bula Aturnba-Lcc 189.857.768,00
Bnngo 60.882.041,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Bungo - Eu r 60.882.041,00
Cabinda 9.701.396.166,00
Reab. E Reforço Do Sistema Abastecimento De Água De Cabinda - Lcc 2.627. 071.536,00
Electrificação Da Província De Cabinda!Minea
~-:-:=-
Electrificação E Ligações Dom iciliares Da Cidade De Cabinda - Lcc 1.311.259.660,00
Reabilitação Central Térm~caCabinda /Ma lea~bO,"Re~ Da Capacidade Tennoeléctdca- 1.336 599.657,0Õ
Reabilitação Central Térmica Cabinda Capacidade Da Ct De Ma iembo 2.906. 239.636,00
Cachilmgo 81.097.627,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema Abastecimento De Água De Kattchiun go 81.097.627,00
Caco! o 50.812.930,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Água De 0\colo 50 812 930,00
Cacuaco 3.979.075.559,00
Ampliação Se Cacuaco/.tvfinea 310.065.047,00
Const.Centro.Distrib Água Potáv.Cac uaco-01 Cand.Duascond.Adut.Dn800mm 1.398.816.006,00
Ampliação Estrada Tratamen to Ág ua(Eta)Oicuaco-Eta 0\odelab ro-Fase 3 2.270. 194.506,00
Cacula 351.625.776,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento Água De Cacula - Lcc 351.625.776,00
Cacuso ==1:-4~.2":06.097. 903,00
Construção Do A H De Laúca E Sistema De Transpoate Associado 14. 123.996.106,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento Água De Ca.cuso 82.101.797,00
Cahama 49.597.020,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastec imento De Água Da, Cabama 49.597.020,00
Calai 44.464.101,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Água DE: Caiai 44.464.101,00
Calanchda 30.687.238,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Água De 0\Jandu lat 30.687.238,00
Caluquemb e 718.230.781,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Caiuq uembe- Eu r 7 18.230.781,00
Camacupa 474.788.706,00
Recoustnação A.H. C unje I.L.T. Oa nje-Cuito E Rede Camacupa/Min•ea 224.548.971,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Camacu.pa- Eu r 250.239.735,00
Camanongue 189.405.34 1,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Camanongue- Eur· 189.405.341,00
Cambambe 150.634.440,00
Sistema Transporte Associado A. Hidroeléctrico Cambambe- 2" Central 51.440.400,00
Const.Segu nda Central Hidroeléct.De 0\mban,;be (4x13(fMW)!Mine:a 49.597.020,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De .Águas D-·o-=D=-o-n_,d_o_ 49.597.ÕW,OO
Cambtdo 271.495.415,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Cambulo -Eur 271.495.415,00
I SÉRIE- N. 0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5779

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Cambtmdi C atemb o 171.798.680,00


Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Água De Ounbund i-<:atembo 171.798.680,00
Camela 250.552.512,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Ouneia I Lumeje - Eu r 200.858.472,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Agua DE' Cazombo 49.694.040,00
Camucnlo 34.546.616,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento Água De Camucuio -Lcc 34.546.616,00
---= =
Cangandala 181.329.788,00
Reabilitação Expansão Sistema De Abastecimento De Água <:angandala-Lcc 181.329.788,00
CatJenda Camulemba 19.278.852,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Águas <:ape nda <:am ulemba 19.278.852,00
Cata bola 36.114.656,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento De Água De Catabola 36.114.656,00
Cazenga 16.92l.l03.975,00
Modernização Da Central Térmica Do Cazenga E Conversão P.dra G.ís 14.450.642.328,00
Se 60/15 Kv <:azenga 6" Avenida- Edel/11inea 10.785.932,00
Instalação Central Térmica Luanda I ~zen ga 2xge Tm 2500+ 2.437. 737.362,00
Reabilitação E Modernização Da Se <:azenga/M inea -21.m.ill~õo
Cazengo 23.972.250,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento Água De <:a.mabatela 23.972.250,00
Caála 619.263.ll4,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Caála- Eu r 619.263.114,00
Qlibia 21.887.669,00
Construção Sistema De Abastecimento De Água Chibia 21.887.669,00
====
O llcala-Choloanga 209.061.070,00
Reabilitação Expansão Sist. Abastecimento Água Tchicala Tcho loan.ga-Lcc 209.061.070,00
Chlcomba 32.63 1.044,00
Reforço Sistema De Abastec imento De Água A Localidade De Chiccnnba 32.631044,00
Chlnjenje 188.436.800,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Água De Tcltindjemdje-Lcc 188.436.800,00
O llplndo 136.987.941,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Ág ua Chipiudo- Eu r 136.987.941,00
Chltemb o 209.569.059,00
Reabilitação Expansão Do Sistema De Abastec imento Água De Chitembo-Lcc 209.569.059,00
Cuanhama 5.244.108.310,00
Reforço Sist.Abastecimento De Água A Oudjiva 1.184.199.57 1,00
Programa De Ass istê ncia Técnica Para Dna (Cooperação Cubana) 11.901.232,00
Reparação Barragem Do Cilueque E Const. De Estação Elevat6ria/M iuea 4.048.007.507,00
Cuchl 19.278.852,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecime nto De Água Do Otclti 19.278.852,00
Cnemba 292. 180.496,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento Água Do Cnemba- Lcc 292.180.496,00
5780 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Cnimba 95.081.241,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento Ág ua De C1uÜnba 95.081.241,00
C'nito 1.379. 725.601,00
Reab. E Reforço Sistema Abast. De Água Do O aito-2' Fase/Miuea 625.501.634,00
Reabilitação Central Ténnica C uito Reforço Da Capacidade Geração C. Térmica Do Ku ito 754.223.967,00
Cnito C uanavale 33.219.852,00
Ampliação Rede De Mt, Bt E Ip E Execução Novas Ligações-Cuito C uauavale 33.219.852,00
C'unhlnga 441.736.932,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimeuto Ág ua De C uuhiu ga-Lcc 441.736.932,00
= = =
Ou· oca 49.716.864,00
Estudo Co nstru ção Barragem De Reteução Água Vale Rio C uroca-B;t.iagem 49.716.864,00
01vango 183.25 1.141,00
Reabilitação Sistema De Abasteci meu to De Água Cuvaugo- Eu r 183.251.141,00
Cuvelal 49.716.864,00
Estudo Co nstru ção 4 Barragens Retenção Água Vale Rio C uvelai-Es1t.iagem 49.7 16.864,00
Dala 34.977.664,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Água DE• Da la 34.977.664,00
Damba 90.664.936,00
Reabilitação E Expausão Si~iema Abastecimeuto Ág ua D-d Damba 90.664.936,00
Dan de 1.118.625.604,00
Ampliação Do Ceut.ro Distribu ição De Ág ua Potável Luauda-Paug~a 1.118.625.604,00
Dembos 62.173.781,00
Reab ilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Água DE• Q uibaxi 62.173.781,00
Ecunha 414.184.856,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimeuto Ág ua De Ecu nha - Lcc 4 14.184.856,00
Estrutm·a Central 22.429.342.065,00
~calização Empreitadas De Abast.Água E Sanemento!Miuea 50.541.943,00
Construção De Novos Ce ntros De D istribu ição!Miuea 852.241.188,00
----- ----
Estudos De Planos Gerais De Bacias Hid ro gráficas/1vfinea 5459Tl53,00
Reabilitação De Estações Hidrométricas/Miuea 55.958.459,00
Estudos, Assistêuc ia Técnica Do Pat/Miuea 64.4i.8.557. oõ
Amp liação Sistema Abastecimento Água Nacioual Apoio Institncio n:ãi!Bad 2.705.100.132,0Õ
Projecto De Deseuv. Iustitucioual Do Sector De ~m/Pd isa) 9.288.741.662,00
Coustnção Ceutral Té rmica Luanda Revisão Capital E Coustitu ição De Banco De Peças 3.775.674.439,00
Estudo E Constru ção Sistema De Água Nacio ua l Pdisa Ii (Bm & G:>a,) -- 3.7 10. 085.081,00
-- -- ---
Reabilitação Subestação De E ne rgia Eléc Nac Tu rbiua Aero-Derivativa Nfovél 3lmw Couteutorizado 662.752.811,00
----
Coustr E Aq uis De Eq uip Sis Eléct Ptíblico Nacio ual De Geradores, Fotovoltaicos E Rede Mt/Bt 1.170.869.180,00
E laboração FSlProj.Rxpaosão Capacidade Trausp. Euergia/Miuea/Replica 22.900.023,00
Reabilitãção Sistema De Abastecimeuto De ~a C uito C uanava le 15.467.437,00
Golungo Alto 49.888.080,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento De Água Do Golun go A lto 49.888.080,00
Huambo 5.143.534.424,00
Reforço Do Sistema De Abastecimeuto De Água Do Huambo (2' Fas:e) 3.985.173.700,00
I SÉRIE- N. 0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5781

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Mnn1cipio I Projecto I Actividade Total

Electrificação E Ligações Dom iciliares Da Cidade Do Huambo- Lcc 1.158.360.724,00

Humpata 61.396.882,00
Estudo Co nstru ção Tm n5vese Rios Ot uene E Otbango Rio Cuvelai-Estiagem 49.716.864,00
Cons~OSiSi.ema De Abastecimento De Ãgua Hum pata 11.680.018,00
I colo E Bengo 479.888.254,00
Reab.Reforço Sist. Abasl Água De Catete E Uíge-2" Rtse/M iuea 405.501.857,00
Ampliação Do Sistema De Abastecimento De gua Luanda-Kmcapaxi,B.Jesus 54.688.617,00
Reabilitação Do Centro De Pesquisa De Ouga-Zanga -- -- 19.697.780,00
Jamba 292.504.604,00
Reabilitação E Expansão Si5tema De Abastec imento Água Da Jamba. - Lcc 292.504 604,00
Klwaba Nzoj l 191.812.168,00
Reabilitação Expansão Sistema Abastecimento Água De Kiwaba N'Zogi-Lcc 191.812.168,00
llbolo 194. 109.483,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Ág ua Libelo I Calulo- Eu r 194.109.483,00
Londulmbali 190. 156.386,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento Água Do Alto Hama 54.776.794,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastrecimento Água De Lond nimba le 135.379.592,00
Luanda 59.791.245.428,00
Aq nisição De Quadros Eléctricos E Materiais Fàm Redes De Distribuição 15.534.812,00
Construção DaRede Distribuição De Ag;ã-B ita Tanque Vacaria 23.686.636,00
Se 60/15 Kv Angola Cuba- Edel&.fi uea - u f i i C6o8.oo
Implantação De Redes Terc.Lig.Dom iciliares Redes Existeutes/11i uea 3.340.449.732,00
Implantação De Redes De Dist.Lig.Dom iciliares-Novas Redes/Minea 2.114 684.902,0Õ
Se 60115 Kv Victória Ê Ce1ta - Edel/11inea 14 068141,0Õ
Projecto De Instalação De Sap Isu 37.514.681,00
-- ---
Constntção Do Centro De Formação Luanda-Treinamento 1.3 50.692.317,00
Constntção Do Centro De Distribuição De Água Potável Luanda-Cd Aeropor 473.384.498,00
ReabilitaÇãobo Centro De Distribuíção Do ?vfarçalflvfinea -- 1.497.607.244,00
Reabilitação Estação Tmtamento Água(Eta)Luanda-Sudeste 144.304.658,00
Construção Do Centro De Á gua Potável Luanda-Km9 20.476.866,00
Reabilitação Centro Distribuição Á gua Potável Luanda Sul 60.727.061,00
Co nstrucao Centm De Distribuicao De Agua Potavel Luanda- Cd Momr E Insla lacao Condutas Adutor.ts 357.307.837,00
Inst De Med idores De Caudais Nas E.T.A E CD Sist.De Abast.Ág ua/Lda 11.717.091,00
-- - --
Electrific-.tção E Ligações Domiciliares !f.t Cidade De Luanda- Lcc 14-:557.44 s. s23. oo
Ampliação Da Estação De Tmtamento Ã.gua(Eta)Luanda Sudeste-Cassaque 2.211. 585.637,00
Constru ção Centro Distribuição Vila Flo r Condu la !f.t Eta Kilamba 354.615.714,00
Const.SiSUi.d-;;çã0Di5t.Eta Quilonga Graud.Sist.Di5t.Associado/11iuea - u97.3Õ6.306,00
- --------
Construção Da Lt 60 Kv Se Filda - Se Gika 9.127.298,00
Ampli~çãõ Da CapacidadeDe~en<U~De Água Dos CJ::)!Luand-a - 995.103.83 2,0Õ
Aquisição E Instalação De Tele gestão E Equ ipamentos Tecnológicos 399.830.618,00
Reabilitação E Expansão Das Redes MI, Bt, Ip E Lig Domicil Luand;- ~ .~I.,..
i= r n,_s-e-:S::-1-.,.
tbe - stação N° 1 ----::-
3--,
.8-,-
48.543.908,00
Reabilitação E Expansão Das Redes MI, Bt, Ip E Lig Domicil Luanda. Ii Rtse Subestação N° 2 3.518.575.147,00
Reabilitação E Expansão Das Redes 111., Bt.fp E Lig Domicil Luand;~Iirnse Subestação N° 4 - -3.Ú7.053.133,oo
Reabilitação E Expansão Das Redes 111., B t, Ip E Lig Domicil Luand;~Iirnse Subestação N° 5 3.735.051.645,00
5782 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE INVESTIMENTOS PÚBLIC OS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Reabilitação E Expansão Das Redes 111., Bt, Ip E Lig Domicil Luauda. Ii rnse Subestação No 6 3.572.352.622,00
Reabilitação E Expaus~o Das Redes 111., Bt, Ip E Lig Domicil Luaud;~:!_i Fas_e Subestação N° 3
Reabilitação Centra l Ténnica Luauda Ao Luba ngo Revisão Capital E Transferencia De Gt 13.988.830,00
Reabilitação Central Térmica Luauda Revisão Capital Barcaças Da 'Eioavi5ta ri- - 2.672. 702.1if.-óo
Luau 589.192.727,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Luau -Eu r 589. 192.727,00
Lubango 983.360.584,00
Electrificação E Ligações Domicilia res Do Lubango E Matala- Huila - Lcc 983.360.584,00
Lu cala 109.204.673,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Loca la- Eu r 109.204.673 ,00
Lucapa 1.365.219.376,00
Reabilitação E Expausão Si~iema De Abastecimento Ág ua De Lucapa-Lcc 971.991.812,00
Reabilitação Sistema De Abastecimeuto De Ág ua Lucapa ICafunfo - Eu r 393.227.564,00
Léu a 2.957.800.275,00
Reabilitação Sistema De Abastecime nto De Ág ua Léua - Eu r 266.796.766,00
Reabilitação E Expausão Do Sistema De Abasteci meu to Ág ua Do Lé ua - Lcc 2.691. 003.509,00
Malanje 1.352.908.636,00
Reab .EAmpliação Do Sistema Abast.De Água /Malanje-Fase 2 670.178. 217 ,00
Reabilitação E Ampliação Sistema Abastec imento Agua Ma la nge (2"' Fase) - Lcc 6 82.730.4 19,0Õ
Maqueta Do Zombo 26.136.992,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Ág ua De Maq uela Do Zombo 26.136.992,00
Marimba 314.205.420,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimeuto Ág ua De Marimba- Lcc 3 14. 205.420,00
Massango 244.676.864,00
Reabilitação E Expausão Si~iema De Abastecimento Ág ua De Massa11go- Lcc 244.676.864,00
Ma tala 2.430.097.985,00
Reabilitação E Moderui:zação Da Centra l Hid roeléctric-.t Mata la 2.195. 531.907,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema Abasteci meu to De Água Na .Matala 234.566.078,00
Ma vinga 53.403.569' 00
Estudo E Con!>tru ção Do Sistema Eléctrico Iu tegrado-lvfav inga 53.403.569,00
Mbanza Kongo 1.852.385.906,00
Reabilitação Das Redes Mt E Bt De Mbauza Co ugo/Zaire 848.277.480,00
Reab . EReforço Sistema Abastecimento Água Cidade M 'Bauza Cou,go.!Miuea 1.004. 108.426,00
Menongne 24.041.449.012,00
Reabilitação Central Térmica C oando C uban go Capacidade De Gera o9ão Em 54 Mw Em Meno ngue 24.041.449.012,00
Moxico 5.179.279.633,00
Reabili~ação E lixpausão Si!>tema De ~bastec imen to Água~ Lum~j.e- Lcc 3 056 929.969,00
_ Aproveitamento Hid roeléctrico Chiumbe Dala E L T. 60 Kv Dala - Luena 2.122.349.664,00
Muca11 586.534.090,00
Reabilitação E Expausão Sist.e ma Abastecimento Ág ua De Mucari - ]~ 567.255.238,00
Reabilitação E Expausão Do Sistema De Abastecimento Ág ua De Ca.c ula ma 19.278.852,00
Mussende 32.849.194,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento De Ág ua De M ussende 32.849. 194,00
I SÉRIE- N.0 192- DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018 5783

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Namacunde 303.220.075,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Namacu ude- Eu r 271.929.965,00
ReabilitaÇão E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Água DE: M ilunga 31.290.110,00
-- ---
Nambuangongo 19.298.920,00
Reabilitação Expansão Sistema Abastecimento Água De Muxaluando-Lcc 19298920,00
Namibe 7.027.449.745,00
Estudo Construção De Transvese Rios Cu nene Para Rio Ot roca-Estiagem 49.716.864,00
Estudo ?!Mapeamento Ventos-Aval. Poten.Eólico De A ngola/Mine 2 17.195.229,00
Reab. E Reforço Dos Sistemas De Abast. De Ág ua Do Nam ibe- 1" Fase 6.960.537.652,00
Negage 60.836.494,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastecimento De Água De> Negage 60.836.494,00
Ngonguembo 98.705.401,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema De Abastrecimento Água De Gonguembo 98.705.401,00
Nharêa 134.775.538,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento Água De Nharea - Lcc 134.775.538,00
Nzeto 78.250.915,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimento Água Do Nzeto 78.250.915,00
Pango Aluquém 63.177.786,00
Reabilitação E Expansão Do Sistema Abastecimento Águas Pango A luquém 63.177.786,00
Porto Ambolm 954.752.261,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Porto Amboim -1" Fase 954.752.261,00
Quela 1.127.960.132,00
Reabilitação E Expansão Sistema De Abastecimento Ág ua Do Quela- Lcc 1.127. 960.132,00
Qulbala 101.368. 177,00
Estudo Construção Transvese Rios Longa/Keve P.\ra Rio Uamba-Estiagem 49.716.864, 00
Reabilitação E Expansão Do Sistema Abastecimento De Água Da Ki bala 51.651.313,00
Qnimbele 3 7.895.369, 00
~abilitação E Expansão Do Sistema Abastecimento De Ápta De ~tirnbele 37.895.369,00
Qulrlma 107.616.779,00
Reabilitação Expansão Sistema Abastecimento Água De Quirima 107.616.779,00
Qulçama 109.662.546,00
Reabilitação E Expansão Si5tema Abastecimento Água Da Muxima- Lcc 109.662.546,00
Rlvungo 102.772.311,00
Estudos E Constru ção Do Sistema Eléctrico In tegrado- Rivungo 53.078.271,00
Reabilitação E Expansão Sistema Abastecimentoxg;ã'Do Rivuugo 49.694.040,00
Sam·imo 761.115.120,00
Instalação Central Térmica Saurimo !Lnnda Sul 7 Grupos Geradores, Ge-16v228, De 2,8mw 761. 115.120,00
Soyo 30.253.825.317,00
Instalação Central Gelo Combinado Soyo, Sistema Transpotte Associado 21.533.713.768,00
Reabilitação Sistema De Abastecimentõ'be Água Soyo -Eu r 1.070. 559.593,00
Reabilitação Central Térmica Zaire -Soyo Assistência Técnica Do Ciclo Combinado 7.649. 551.956,00
Stunbe 1.376.146.146,00
Reabilitação E Reforço Do Sist. Abast. De Água Do Sumbe/Miuea 49.694.040,00
5784 DIÁRIO DA REPÚBLICA

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR ORGÃO


PROGRAMA DE I NVESTIMENTOS PÚBLICOS
Mnnicipio I Projecto I Actividade Total

Reabilitação Subestação De E uergia Cuanza Sul Expausão SE 1.326.452.106,00

Talatona 4.966.U5.106,00
Iustalação Central Térmica Luanda /Camama 4 X Ge Tm 2500+ 4.951.401.991,00
Se 6Õt15 Kv ~unba - Edel/Mlnea 14.723.115,00
Tomboco 129.525.572,00
Reabilitação Sistema De Abastecimento De Água Tomboco 79.831.532,00
Reabilitação Expansão Sistema Abastecimento De Água Do Tomboco 49.694.040,00
Ucuma 228.880.562,00
Reabilitação Do Sistema De Abastecimento De Água Ucuma 228.880.562,00
Varios M uniciplos-Nacional 17.590.917.318,00
Programa De Ág uas Subtenâneas 58.044.700,00
Programa Nac io nal ne-~EElectric idade (Pro nae/Ág uas) 63.254.758,00
Reab.Exp.Redes Mt/Bt - Benguela Huambo Bié (Parte 2-Benguela) 478.780.436,00
Ref.E Ampliação Da Rede Novas Centralidades/Miuea 65.087.127,00
Reab.Pxp.Redes Mt/Bt-Beng nela Huambo Bié(Parte1-Huambo Caala) 1.938.871.960,00
Revisão Capital Das Centrais Térmicas- Nível Nacio nal 233. 203.488,00
Reabilitação Das Redes Trdllspo1te Sistema No1te, Centro E Sul 7 1.186.491,00
Plano De Acção Imediata P/Luena, Menongue E Mbaza Congo 55.497.420,00
Constru ção De CD.S Novas Centralidades/Minea 22.698.049,00
Elaboração De Planos D irectores Do Sistema De Abastecimento De ,(gua - 1o.7s6:2oT."õo
Implementação De Sistemas DeEnergia Solar/M~Euergia 1.258. 642.7 10,00
Reabilitação Ref. Do Sist De Abast.De Água Ltandas Norte E S ul Pa1te 1 697.928.841,00
!'regram~De Emergência De AbastRuralDe~Prov.KS1~l E Be:ugo 54.2 67.2 68' 00
E laboração Estudos Proj.P!Expansão Capacidade Prod. Euergia Eléctrica 16.185.400,00
E laboração De EstudosE?ro}S/Gestãõ E-Aprov. Bacias :Hidrog•áficas - 49."597."020, oõ
Reab ilitação S ubestação Energia Fo ruec. Ass Técnica Luanda E Beng uela 3.325. 591.386,00
Const Centro De D isi. De Água Potável A Clas 25 Pequenos Sis De P~guas E 346 Pontos De Água 3.255.873.944,00
Const.Centml Térm.Nam ibe, Lueua, Meno ngue (20mw) Sete Cent.Hibridas 5.935.450.119,00
Viana 5.814.557.949,00
Amp liação Do Centro De Distribuição De Água Potável Luauda-Mulemba 953.880.990,