Você está na página 1de 3

NERVOS CRANIANOS

Nome do nervo Origem no encéfalo Área de distribuição


Nervo Olfatório (I Par) Bulbo olfatório Mucosa olfatória
Nervo Óptico (II Par) Quiasma óptico Retina
Nervo Oculomotor (III Sulco medial do pedúnculo Todos os músculos
Par) cerebral extrínsecos do olho, exceto o
reto lateral, oblíquo dorsal e
retrator do bulbo
Nervo Troclear (IV Par) Véu medular superior Músculo oblíquo dorsal
Nervo Trigêmeo (V Par) Entre a ponte e o pedúnculo Pele da face, conjuntiva e
cerebelar médio membrana mucosa do nariz,
boca, dentes, chifres, olhos e
músculos da mastigação
Nervo Abducente (VI Par) Sulco bulbo-pontino Músculos reto lateral e
retrator do bulbo
Nervo Facial (VII Par) Sulco bulbo-pontino Glândulas mandibular,
(lateralmente ao VI) sublingual, lacrimal e nasal;
estruturas profundas da pele
Nervo Vestíbulo coclear Sulco bulbo-pontino Cóclea da orelha interna
(VIII Par) (lateralmente ao VII)
Nervo Glossofaríngeo (IX Sulco lateral dorsal do bulbo Pele do meato acústico
Par) interno; glândula parótida;
mucosa faríngea
Nervo Vago (X Par) Sulco lateral dorsal Pele do meato acústico
caudalmente ao IX externo; coração; músculos
lisos; glândulas da traquéia e
brônquios; musculatura lisa
do esôfago e glândulas;
faringe; laringe; traquéia e
brônquios; arco da aorta e
seio carotídeo; músculos da
laringe, faringe e palato
Nervo Acessório (XI Par) Sulco lateral dorsal do bulbo Músculos trapézio e
e medula esternocefálico
Nervo Hipoglosso (XII Par) Sulco lateral ventral do Músculos da língua e genio-
bulbo, adiante da oliva hióideo

OBS: estudar as ilustrações do SISSON nas páginas – 595, 1002 e 1015.


ANATOMIA MACROSCÓPICA DA MEDULA ESPINHAL E SEUS
ENVOLTÓRIOS

1. INTRODUÇÃO
2. LIMITES
- Cranial (bulbo)
- Caudal: Cone medular; Filamento terminal e Cauda Equina.
3. DIVISÃO (porção cervical, torácica, lombar, sacral e caudal)
4. FORMA E ESTRUTURA GERAL
- Cilíndrica e achatada dorso-ventralmente
- Intumescências cervical (plexo braquial) e lombar (plexo lombossacro)
- Sulco mediano dorsal; sulco lateral dorsal (local de penetração das raízes
dorsais dos nervos espinhais); septo mediano dorsal (desde o sulco mediano
dorsal até o canal central); canal central (resquício da luz do tubo neural –
células ependimárias); fissura mediana ventral (ao longo da superfície
ventral da medula); sulco lateral ventral (local de penetração das raízes
ventrais dos nervos espinhais).
5. CONFORMAÇÃO INTERNA (SECÇÃO TRANSVERSAL)
- Substância branca (predominam as fibras nervosas mielínicas/neuróglia):
funículo dorsal; funículos laterais e funículo ventral
- Substância cinzenta (predominam os corpos dos neurônios, fibras nervosas
amielínicas e neuróglia): formato da letra H ou de borboleta (família
Pampilionidae) – cornos dorsais, cornos laterais, cornos ventrais
6. CONEXÕES COM OS NERVOS ESPINHAIS
- Os filamentos radiculares dos nervos se unem para formar as raízes dorsal e
ventral dos nervos espinhais. As duas raízes juntas formam os nervos
espinhais. Na raiz dorsal encontra-se o gânglio espinhal.
- Os nervos espinhais denominam-se segundo o segmento medular onde se
localizam.
7. TOPOGRAFIA VÉRTEBRO-MEDULAR
- Suíno (L5 ou L6); Ruminantes (L6); Eqüino (S2); Cão (L6 ou L7); Gato
(entre L7 e S3).
8. ENVOLTÓRIOS MEDULARES
- Dura-máter (Saco dural; Filamento terminal da dura-máter)
- Aracnóide (Trabéculas aracnóideas)
- Pia-máter (Filamento terminal)
9. CAVIDADES OU ESPAÇOS MEDULARES
- Espaço epidural ou extradural (gordura e plexo venoso)
- Espaço subdural (pequena quantidade de líquido)
- Espaço subaracnóideo (Líquido Cérebro-espinhal ou Líquor)
10. ANESTESIAS
- Raquidianas: o anestésico é introduzido no espaço subaracnóideo.
- Epidurais (ou Peridurais): o anestésico é introduzido no espaço epidural.

11. PUNÇÃO DO LÍQUOR


- Cisterna Magna e cisterna lombossacral
ANATOMIA MACROSCÓPICA DO TRONCO ENCEFÁLICO

1. INTRODUÇÃO
2. DIVISÃO – mesencéfalo (cranialmente); ponte; e bulbo (caudalmente).
3. BULBO:
a) SITUAÇÃO
b) ESTRUTURAS – sulco bulbo-pontino; sulcos longitudinais; corpo
trapezóide; pirâmides; olivas.
4. PONTE:
a) SITUAÇÃO
b) ESTRUTURAS – base; pedúnculo cerebelar médio (ou braço da ponte);
sulco basilar; sulco bulbo-pontino).
5. QUARTO VENTRÍCULO:
a) SITUAÇÃO
b) LIMITES
c) ESTRUTURAS – assoalho do IV ventrículo (fossa rombóide); tecto do IV
ventrículo (cerebelo, tela corióde com o plexo corióde).
6. MESENCÉFALO:
a) SITUAÇÃO
b) ESTRUTURAS – aqueduto cerebral; tecto do mesencéfalo (colículos
rostrais (visão) e caudais (audição); pedúnculos cerebrais (fossa
interpeduncular).