Você está na página 1de 13

D1 – LOCALIZAR INFORMAÇÕES EXPLÍCITAS.

As informações se situam literalmente expostas no texto.


http://chargesdejornais.blogspot.com.br/

Qual é a temática abordada pela charge?


O desmatamento em larga escala nas áreas urbanas.
O êxodo rural e migração para os grandes centros.
O fracasso do homem rural nos grandes centros.
O transtorno gerado pelas árvores nas áreas urbanas.

D2 – INFERIR INFORMAÇÃO EM TEXTO VERBAL.


Relaciona-se à capacidade do leitor ir além das informações claramente
apresentadas no texto e a partir delas, deduzir e compreender
comportamentos de um determinado personagem ou situação.

MINHA BICICLETA (Sérgio Caparelli)

Com minha bici, eu roubo a lua pra enfeitar a minha rua.


Com minha bici dou nó no vento e até fantasma eu espavento.
Com minha bici jogo o anzol no horizonte e pesco o sol.
Com minha bici caio e não dói eu sou um herói.
Com minha bici eu vou a fundo pelas estradas do fim do mundo.
Com minha bici...

A repetição do verso “Com minha bici” reforça


A ideia de velocidade das brincadeiras infantis do eu lírico.
A sensação de que a bicicleta é um objeto mágico para o eu lírico.
A visão infantil do eu lírico frente aos problemas da vida.
A necessidade de uso da bicicleta como meio de transporte.
D3 – INFERIR O SENTINDO DE PALAVRA OU EXPRESSÃO.
Identificar os sentidos possíveis de uma determinada palavra ou expressão e decidir
entre várias opções aquela que apresenta o sentido com que a palavra foi usada no
texto.

MARIA VAI COM AS OUTRAS EM AÇÃO


Os mesmos que hoje adotam Dunga como queridinho, em redes
sociais e no twitter, [...] serão os que se voltarão contra o técnico da
Seleção em caso de fracasso. E o farão sem dó nem piedade. É uma
legião de maria vai com as outras, cujo cérebro não resiste à
manutenção de uma opinião própria. Seus conceitos e preconceitos
migram de forma proporcional à capacidade neuronal de raciocínio:
quase nula. Podem cobrar depois.
http://wp.clicrbs.com.br/castiel/2010/06/24/maria-vai-com-as-outras
Segundo o texto, a expressão “maria vai com as outras” significa
pessoas que:

Têm pouca capacidade de raciocínio.


Seguem a opinião dos outros.
Adoram o técnico da seleção.
Falam mal do dunga.

D4 – INTERPRETAR TEXTOS NÃO VERBAIS E TEXTOS QUE


ARTICULAM ELEMENTOS VERBAIS E NÃO VERBAIS.
Captar as informações que não estão presentes claramente no texto, mas que
podem ser construídas por meio da decodificação de diversos elementos que
compõe o texto.

Folha de São Paulo, 29/4/2004

Pela resposta do Garfield, as coisas que acontecem no mundo são?

Assustadoras.
Corriqueiras.
Curiosas.
Naturais.
VOLTE 2
CASAS

D6 – DISTINGUIR FATO DE OPINIÃO RELATIVA AO FATO.


Reconhecer a diferença entre o que é fato narrado ou discutido e o que é opinião
sobre ele.

A LIGAÇÃO

O pai telefona para casa:


– Alô?
– ... Reconhece o silêncio da tipinha. Você liga? Quem fala é você.
– Alô, fofinha.
Nem um som. Criança não é para ser chamada fofinha. Cinco anos, já viu.
– Oi, filha. Sabe que eu te amo?
– Eu também.
“Puxa, ela nunca disse que me amava”.
– Também o quê?
– Eu também amo eu.
Crianças (seleção). Curitiba, 2001. p. 31. Disponível em: <http://www.releituras.com/daltontrevisan_crianca.asp>.

Em qual dos trechos desse texto está expressa a opinião do


narrador?
“Reconhece o silêncio da tipinha.”.
“Criança não é para ser chamada de fofinha.”.
“– Oi filha. Sabe que eu te amo?”.
AVANCE
1 CASA
D8 – FORMULAR HIPÓTESES SOBRE O CONTEÚDO DO TEXTO.
Utilizar as pistas fornecidas pelo texto, a partir dos conhecimentos prévios que
permitem estabelecer a coerência, fazendo o leitor ser capaz de tecer hipóteses
tanto acerca da estrutura do texto quanto ao seu conteúdo.

O DRAMA DAS PAIXÕES PLATÔNICAS NA ADOLESCÊNCIA

Bruno foi aprovado por três dos sentidos de Camila: visão, olfato e audição. Por isso,
ela precisa conquistá-lo de qualquer maneira. Matriculada na 8ª série, a garota está
determinada a ganhar o gato do 3º ano do Ensino Médio e, para isso, conta com os
conselhos de Tati, uma especialista na arte da azaração. A tarefa não é simples, pois
o moço só tem olhos para Lúcia – justo a maior “crânio” da escola. E agora, o que
fazer? Camila entra em dieta espartana e segue as leis da conquista elaboradas pela
amiga.
(Revista Escola, março 2004, p. 63)
Pode-se deduzir do texto que Bruno

Chama a atenção das meninas.


É mestre na arte de conquistar.
Pode ser conquistado facilmente.
Tem muitos dotes intelectuais.
D9 – RECONHECER GÊNERO DISCURSIVO.
Reconhecer os gêneros textuais diversos e suas peculiaridades que
permitem identificá-los e reconhecê-los entre tantos outros gêneros.

O MONGE E O ESCORPIÃO
Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma
ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela
margem do rio, entrou na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora
do rio o escorpião o picou. Devido à dor, o monge deixou-o cair novamente no rio. Foi
então à margem, pegou um ramo de árvore, voltou outra vez a correr pela margem,
entrou no rio, resgatou o escorpião e o salvou. Em seguida, juntou-se aos seus
discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e
penalizados.
— Mestre, deve estar doendo muito! Por que foi salvar esse bicho ruim e venenoso?
Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda: picou a
mão que o salvava! Não merecia sua compaixão!
O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:
— Ele agiu conforme sua natureza e eu, de acordo com a minha.
http://mensagensepoemas.uol.com.br/reflexao/o-monge-e-o-escorpiao-2.html
O texto pertence ao gênero?
Biografia (B)Fábula(C)Noticia (D)Crônica

D10 – IDENTIFICAR O PROPÓSITO COMUNICATIVO EM DIFERENTES


GÊNEROS.
Reconhecer o gênero ao qual se refere o texto, identificando qual o seu objetivo:
informar, convencer, advertir, instruir, explicar etc.

MENTE QUIETA, CORPO SAUDÁVEL


A meditação ajuda a controlar a ansiedade e a aliviar a dor? Ao que
tudo indica, sim. Nessas duas áreas os cientistas encontraram as
maiores evidências da ação terapêutica da meditação, medida em
dezenas de pesquisas. Nos últimos 24 anos, só a clínica de redução
do estresse da Universidade de Massachusetts monitorou 14 mil
portadores de câncer, aids, dor crônica e complicações gástricas. Os
técnicos descobriram que, submetidos a sessões de meditação que
alteraram o foco da sua atenção, os pacientes reduziram o nível de
ansiedade e diminuíram ou abandonaram o uso de analgésicos.
Revista Superinteressante, outubro de 2003.
O texto tem por finalidade:

(A)Criticar. (B)Conscientizar. (C)Denunciar. (D)Informar.


D11 – RECONHECER OS ELEMENTOS QUE COMPÕEM UMA NARRATIVA E O
CONFLITO GERADOR.
Reconhecer os fatos que causam o conflito ou que motivam as ações dos personagens,
originando o enredo do texto.

O QUE DIZEM AS CAMISETA


Apareceram tantas camisetas com inscrições, que a gente estranha ao deparar com uma
que não tem nada escrito.
– Que é que ele está anunciando? – indagou o cabo eleitoral, apreensivo. – Será que faz
propaganda do voto em branco? Devia ser proibido!
– O cidadão é livre de usar a camiseta que quiser – ponderou um senhor moderado.
– Em tempo de eleição, nunca – retrucou o outro. – Ou o cidadão manifesta sua preferência
política ou é um sabotador do processo de abertura democrática.
– O voto é secreto.
– É secreto, mas a camiseta não é, muito pelo contrário. Ainda há gente neste país que não
assume a sua responsabilidade cívica, se esconde feito avestruz e...
– Ah, pelo que vejo o amigo não aprova as pessoas que gostam de usar uma camiseta
limpinha, sem inscrição, na cor natural em que saiu da fábrica.
DRUMMOND, Carlos. Moça deitada na grama. Rio de Janeiro: Record, 1987, p. 38-40.
O conflito em torno do qual se desenvolveu a narrativa foi o fato de:
Muitas pessoas não assumirem sua responsabilidade cívica.
Alguém aparecer com uma camiseta sem nenhuma inscrição.
Um senhor comentar que o cidadão goza de total liberdade.
Alguém comentar que a camiseta, ao contrário do voto, não é secreta.

AVANCE
1 CASA
D13 – RECONHECER DIFERENTES FORMAS DE TRATAR UMA
INFORMAÇÃO
NA COMPARAÇÃO DE TEXTOS DE UM MESMO TEMA.
Desenvolver habilidades de comparação de textos que tratam do mesmo assunto, em função do
leitor-alvo, da ideologia, da época em que foi produzido e das suas intenções comunicativas,
analisando as críticas de problemas do cotidiano.
Texto 1:
VIDAS SECAS
"Vivia longe dos homens, só se dava bem com os animais. Os pés duros quebravam espinhos e
não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E
falava uma linguagem cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia. A pé, não
se aguentava bem. Pendia para um lado, para o outro lado, cambaio, torto e feio. Às vezes
utilizava nas relações com as pessoas a mesma língua com que se dirigia aos brutos –
exclamações, onomatopeias. Na verdade, falava pouco."
www.mundocultural.com.br/resumos/vidassecas-fragmento.

Texto 2:
O BICHO
Vi ontem um bicho na imundice do pátio catando comida entre os detritos. Quando achava
alguma coisa, não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão,
não era um gato, não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem.
www.mundocultural.com.br/poemas/manuelbandeira
Os dois textos fazem referência ao homem reduzindo-o à condição de:
Animal irracional.
Cidadão.
Criança.
Ser humano.

D14 – RECONHECER AS RELAÇÕES ENTRE PARTES DE UM TEXTO,


IDENTIFICANDO OS RECURSOS COESIVOS QUE CONTRIBUEM PARA SUA
CONTINUIDADE.
Reconhecer a função dos elementos que dão coesão ao texto. Identificando quais
palavras estão sendo substituídas e/ou repetidas para facilitar a continuidade do
texto e a compreensão do sentido.

Com base na observação da charge, o vocábulo “ideais” poderia ser substituído,


sem alterar o sentido, por:
Imaginárias.
Reais.
Adequadas.
Impróprias.
VOLTE 1
CASA

PASSOU
A VEZ
D17 – RECONHECER O SENTIDO DAS RELAÇÕES LÓGICO-
DISCURSIVAS MARCADAS POR CONJUNÇÕES, ADVÉRBIOS
ETC.
Avaliar a habilidade de percepção de uma determinada relação lógico-
discursiva, enfatizada, muitas vezes, pelas expressões de tempo, de
lugar, de comparação, de oposição, entre outros.

A ideia surgiu quando um amigo, Ken Marshall, dono de uma


importadora de vinhos, disse que, se o câmbio continuasse
disparando, voltaria para o antigo negócio de exportação de móveis
artesanais brasileiros...
Época, 17/02/03. p. 451.
Na frase “... disse que “se” o câmbio continuasse ...”, a palavra em
destaque estabelece uma relação de:

Tempo.
Consequência.
Causa.
Condição.

VOLTE
1 CASA
D19 – RECONHECER O EFEITO DE SENTIDO DECORRENTE DA ESCOLHA
DE PALAVRAS, FRASES OU EXPRESSÕES.
Reconhecer a alteração de significado decorrente de uma determinada palavra ou
expressão, dependendo da intenção que o autor quis imprimir ao texto, a partir da
escolha de uma linguagem figurada ou da ordem das palavras entre outros.

ENTREVISTA COM LUÍS FERNANDO VERÍSSIMO


Repórter: Com este romance, você criou seis livros policiais. O
que o atrai no gênero?
Veríssimo: O romance policial é sempre uma leitura atraente.
Se há um crime e uma investigação, sempre é possível
“prender” o leitor. De certa maneira, o primeiro passo de um
livro, que é o contato com o leitor, já está contido na ideia de
espiar os passos dados até a solução de um mistério.
Língua Portuguesa. São Paulo: Editora Seguimento,2009.p.16.Adaptação: Reforma Ortográfica.

A expressão “prender’ o leitor” tem o sentido de:


Aprisionamento.
Atração.
Compromisso.
Urgência.

D20 – IDENTIFICAR O EFEITO DE SENTIDO DECORRENTE DO USO DA PONTUAÇÃO E


DE OUTRAS NOTAÇÕES.
Identificar o sentido provocado por meio da pontuação (travessão, aspas,
reticências, interrogação, exclamação, etc.

ESSA VELHINHA
- Desculpe entrar assim sem pedir licença...
- Doença!
- Não,... quem está doente?
- Mas quem está doente?
- Não – Sorriu o homem -, a senhora entendeu errado.
- Resfriado?
- Ora... quer dizer... bem, eu estava lá fora e ...
- Xi! Catapora?
- Senhora, por favor não confunda...
- Caxumba!!! Cuidado, menino, isso é perigoso... Sabe, sei fazer um chazinho muito bom pra
caxumba.

Os pontos de exclamação em Caxumba!!!, exprimem:


Dor.
Entusiasmo.
Espanto.
Tristeza.
VOLTE
1 CASA
D22 – RECONHECER EFEITOS DE HUMOR E IRONIA.
Reconhecer os efeitos de ironia ou humor causados por expressões diferenciadas,
utilizadas no texto pelo autor, ou, ainda, pela utilização de pontuação e notações.

O que torna o texto engraçado é que:


A aluna é uma formiga.
A aluna faz uma pechincha.
A professora dá um castigo.
A professora fala “xis” e “cê agá”.
D23 – IDENTIFICAR OS NÍVEIS DE LINGUAGEM E/OU AS MARCAS
LINGUÍSTICAS QUE EVIDENCIAM O LOCUTOR E/OU INTERLOCUTOR.
Identificar quem fala no texto e a quem ele se destina, essencialmente, por meio
da presença de marcas linguísticas (o tipo de vocabulário, o assunto, etc.)

Vim em 1960 e fui dar aula no Colégio Seleciano de Recife.


Logo na primeira semana, fui chamado pela direção: um pai
se queixara de que eu ofendera sua filha. É que eu dissera
“Cale-se, rapariga”, sem saber que, no Nordeste, rapariga
significa prostituta.
Revista Diálogo Médico

No trecho “...um pai se queixara...”, a palavra destacada é um exemplo


de
Expressão de gíria.
Expressão regional.
Linguagem coloquial.
Linguagem formal.
TRILHA DOS DESCRITORES
GABARITO
D1 - A
D2 - B
D3 - B
D4 - D
D5 - VOLTE 2 CASAS
D6 - B
D7 - AVANCE 1 CASA
D8 - A
D9 - B
D10 - D
D11 - B
D12 - AVANCE UMA CASA
D13 - A
D14 - C
D15 - VOLTE 1 CASA
D16 - PASSOU A VEZ
D17 - D
D18 - VOLTE 1 CASA
D19 - B
D20 - C
D21 - VOLTE 1 CASA
D22 - B
D23 - D