Você está na página 1de 2

Atividade: Resumo dos textos discutidos no GVGO em 13/09/2019

Texto 01

A Psicologia ou as psicologias

Os autores do texto apresentam informações sobre duas formas de psicologia, a


psicologia do senso comum e a Psicologia científica. Destacam que, na
primeira situação, esse conhecimento é bastante utilizado no cotidiano das pessoas
e que, apesar da ausência de um conhecimento mais aprofundado, o conhecimento
adquirido através da vivência de mundo permite às pessoas identificarem e
compreenderem alguns de seus problemas psicológicos de forma superficial.
Reforçam que o senso comum está relacionado a outras formas de conhecimento
adquiridas pelas pessoas durante suas vidas e que, a partir da junção desses
conhecimentos, é compreensível que elas consigam produzir essa visão de mundo
dada pelo senso comum.

Em um momento seguinte, os autores destacam a questão da ciência e como ela se


desenvolve. Os conhecimentos científicos são produzidos a partir de fatos que vão
ocorrendo e os estudos são feitos de forma programada e controlada, inclusive
sofrendo alterações ao longo do tempo, uma vez que estudos realizados em um
dado momento podem sofrer interferência de fatos novos surgidos em novas
investigações sobre o mesmo assunto em momentos posteriores.

Na sequência, é apresentado o objeto de estudo sobre a Psicologia científica,


destacando que, essa ciência ainda é bastante recente, além de ser um estudo de
muita complexidade. Esse fato se caracteriza por alguns fatores pontuais sendo que
o principal deles é o fato de que o homem coloca em estudo ele próprio. Nesse
sentido, o fato de as pessoas estarem inseridas em ambientes sociais diversos torna
o estudo bastante complexo, pois as reações são diferentes para determinados
grupos de pessoas em decorrência de tais características. Além disso, existem as
questões de personalidade uma vez que os indivíduos são únicos e que os estudos
podem variar em relação entre uma pessoa e outra, mesmo que estas convivam em
um ambiente similar.

Texto 02

A multideterminação do humano: uma visão em Psicologia

No texto em questão, bem no seu início, os autores fazem alusão ao provérbio “pau
que nasce torto, não tem jeito, morre torto.” Na verdade, esse exemplo apontado
logo no início é apresentado com o objetivo de ilustrar aquilo que vai em oposição ao
homem. Esse ser, na verdade, é capaz de se transformar ao longo do seu ciclo de
vida, apesar das fragilidades apresentadas quando do seu nascimento.
Evidentemente que ele não nasce sendo detentor de tantas habilidades. Estas serão
desenvolvidas através do repasse de seus antecessores de modo que, ao longo do
tempo, ele seja capaz de aprender aquilo que lhe é repassado, além de se
aperfeiçoar e produzir novos conhecimentos.

Ao nascer, o homem tem a aptidão de desenvolver novas aptidões. Isso faz com que
ele, ao longo de sua formação, seja capaz de produzir conceitos e objetos à medida
de que tenha necessidade de suprir suas necessidades. Por meio da racionalidade,
o homem busca desenvolver aquilo de que necessita. Isso o caracteriza como
humano. Um ser capaz de interpretar e produzir/desenvolver aquilo de que necessita
para a execução de suas atividades do dia a dia. Essas características são inerentes
ao homem. Alguns animais desenvolvem técnicas que permitem promover ações
semelhantes aos humanos. No entanto, são técnicas meramente reproduzidas, não
sendo possível atribuir àqueles animais, uma definição de que eles possuem
habilidades similares aos humanos. Isso pode ser observado quando uma situação
foge ao procedimento normal de execução de determinada atividade.

Outra característica que diferencia o humano é a capacidade de ele desenvolver a


linguagem. Para se comunicar, era preciso que se desenvolvesse uma forma que
permitisse às pessoas compreenderem umas às outras. Isso fez com que fossem
desenvolvidas as linguagens, que se diferenciam de um lugar para outro, de uma
cultura para outra, porém, com propósitos similares, permitir que uma sociedade ou
grupo de pessoas que se relacionam de forma próxima, consiga estabelecer uma
comunicação de forma clara e desembaraçada.

Todos esses apontamentos permitem perceber que o homem compreende o mundo


ao seu redor. Trata-se de um processo de evolução capaz de fazer com que esse
ser seja provido de entender bem aquilo que o cerca. A todo esse conjunto de
habilidades, dá se o nome de consciência, título que é atribuído a esse ser dada a
sua forma de evolução. Essa consciência, inclusive é percebida quando de atitudes
de violência ou outros fatores que vão em direção contrária ao que seria o preceito
de vida em sociedade.