Você está na página 1de 1

O artigo buscou analisar e quantificar os fatores que levam a perdas no rendimento de

painéis fotovoltaicos.
Dentre os fatores ambientais podemos citar: Radiação solar, Temperatura, Acumulação
de poeira, sombreamento e sujeira nos painéis.
A radiação solar é relacionada de forma direta com a produção de energia pelo painel. A
produção é maior quando a radiação solar chega no painel de forma perpendicular, para
angulações diferentes existe uma perda de eficiência, pois a forma como as componentes da
radiação solar é decomposta é diferente. Alguns artigos dizem que para cada ângulo de variação
ocorre uma perda de 0,08% na eficiência de produção de energia.
Os painéis convertem cerca de 20% de toda a radiação solar que recebem para energia
elétrica, sendo o restante convertido em calor. Elevadas temperaturas ambientes e excesso de
radiação solar podem levar o painel a um superaquecimento, o que diminui a eficiência do
sistema. A perda de eficiência média para um painel cristalino é de 11% (eficiência multiplicada
por 0,89).
A poeira e outros tipos de sujeira podem interferir na eficiência do painel, pois
bloqueiam a luz solar, esse bloqueio acaba gerando uma perda média de 7% (eficiência
multiplicada por 0,93).
O sombreamento influência na eficiência do painel como um todo, pois ele diminui a
eficiência nas células sombreadas, que por estarem conectadas em série, afetam as outras células
que não estão na sombra. Essas perdas são variáveis, mas num geral ficam entre 59% e 73%.
A acumulação de poeira pode criar sujeira nos painéis, geralmente essa sujeira é limpa
pela chuva, mas em alguns casos ela resiste às precipitações. Esse problema se torna mais
crítico nas bordas, reduzindo em média a eficiência do painel em 1% (chegando a 5% em
regiões como a Califórnia).
Dentre os fatores técnicos podemos citar: Eficiência do inversor, eficiência da bateria,
estrutura atômica do painel, energia dos semicondutores, eficiência do painel.
O inversor transforma a corrente direta produzida pelo painel, para corrente alternada
(necessário para a utilização na maioria dos equipamentos domésticos). Inúmeros fatores
internos como a temperatura do inversor influenciam na sua eficiência, que numa média vária
entre 88-92%.
As baterias são usadas em sistemas isolados, onde o excesso de produção é armazenado
para utilização em períodos em que não há a produção de energia. Quanto menor a energia
armazenada da bateria no início de seu carregamento, maior será sua eficiência, que varia
conforme o estado inicial e temperatura.
Quanto ao material do painel algumas considerações podem ser feitas. O material do
painel influência em sua eficiência, painéis feitos de apenas um tipo de cristal apresentam maior
eficiência quando comparados com os policristalinos. A estrutura do painel varia entre:
monocristalino (eficiência de 15%), policristalino (eficiência de 12%), amorfo (eficiência de
6%) e nano. O intervalo de banda que um fóton precisa ter para a produção de energia também
varia conforme o tipo de painel.