Você está na página 1de 89

Caderno de Resumos

i
VII

Caderno de Resumos do VII SEF (Seminário Internacional de Estudos Fronteiriços).


Universidade Federal do Mato Grosso do Sul: Corumbá, 2019.
ISSN 2178-2245 (Anais)

Coordenação Geral
Edgar Aparecido da Costa - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Rebeca Steiman – Universidade Federal do Rio de Janeiro

Comissão Organizadora

Adriana Dorfman – Universidade Federal do Rio Grande do Sul


Alberto Hernandez - El Colegio de la Frontera Norte, México
Aguinaldo Silva - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Beatriz Lima de Paula Silva - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Gustavo de Souza Preussler – Universidade Federal da Grande Dourados
Gutemberg de Vilhena Silva – Universidade Federal do Amapá
Haroldo Dilla Alfonso – Universidad Arturo Pratt, Chile
Karla Maria Müller - Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Lucilene Machado Garcia Arf - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Marcos Leandro Mondardo - Universidade Federal da Grande Dourados

Comitê Científico

Nacional

Adriana Dorfman - Universidade Federal do Rio Grande do Sul


Aguinaldo Silva - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Alberto Hernández - El Colegio de la Frontera Norte, México

ii
VII

Alessandra Rufino Santos - Universidade Federal de Roraima


Alfredo Ricardo Silva Lopes - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Ana Paula Correia de Araujo - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Antonio Firmino de Oliveira Neto - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Beatriz Lima de Paula Silva - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Camilo Pereira Carneiro Filho - Universidade Federal da Grande Dourados
Carlo Henrique Golin - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Cláudia Araújo de Lima - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Edgar Aparecido da Costa - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Elisa Pinheiro de Freitas - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Gicelma da Fonseca Chacarosqui Torchi - Universidade Federal da Grande Dourados
Gleicy Denise Vasques Moreira Santos - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Gustavo de Souza Preussler - Universidade Federal da Grande Dourados
Gutemberg de Vilhena Silva - Universidade Federal do Amapá
Jones Dari Goettert - Universidade Federal da Grande Dourados
Karla Maria Muller - Unbral Fronteiras/Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Leticia Parente Ribeiro - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Liana Amin Lima da Silva - Universidade Federal da Grande Dourados
Lício Caetano do Rego Monteiro - Universidade Federal Fluminense
Lisandra Pereira Lamoso - Universidade Federal da Grande Dourados
Luciana Escalante Pereira - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Lucilene Machado Garcia Arf - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Luis Paulo Batista da Silva – Universidade Federal da Bahia
Luiz Fabio Silva Paiva – Universidade Estadual do Ceará
Mara Aline Santos Ribeiro - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Marcela Tapia Ladino Universidad Arturo Pratt, Chile
Marco Aurélio Oliveira Machado - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Marcos Aurélio Matos Lemões - Universidade Federal de Pelotas

iii
VII

Marcos Leandro Mondardo -Universidade Federal da Grande Dourados


Maristela Ferrari - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Milton Augusto Pasquotto Mariani Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Rebeca Steiman - Grupo Retis/Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tomaz Espósito Neto - Universidade Federal da Grande Dourados
Vanessa Catherina Neumann Figueiredo - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Vera Lucia Spacil Raddatz - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Internacional

Bianca de Marchi Moyano - Universidad Mayor de San Andrés, Bolívia


Carlos Piñones Rivera - Universidad Arturo Pratt, Chile
Cristian Ovando Santana - Universidad Arturo Pratt, Chile
Frédéric Lasserre - Université Laval, Canadá
Haroldo Dilla - Universidad Arturo Pratt, Chile
Inês Gusman -Universidad de Santiago de Compostela, Espanha
Sergio Peña Medina - El Colegio de la Frontera Norte, México
Yenny Vega Cárdenas - Université de Montréal, Canadá

Comissão de divulgação e credenciamento

Bárbara Marcela de Castro Martins


Augusto Azevedo da Silva Santos
Dayane Mayara Chaves Pereira Ferreira
Dayane Romero Martins
Elisângela de Souza Cunha
Erika Luana Lopez Flores
Francisco Rogério Magalhães Messias

iv
VII

Glenda Helenice da Silva Rodrigues


Ianna Louise Araújo Chagas
Jessica Mayara Lima Ramires
Leandro dos Santos Pereira
Marco Antônio Vilalva Rodrigues
Raiane dos Santos Ojeda
Sinara de Oliveira de Arruda
Tayrine Pinho de Lima Fonseca

Comissão de apoio logístico

Elisângela de Souza Cunha (Presidente)


Aguinaldo Silva
Antônio Carlos Oliveira Fonseca Júnior
Bárbara Marcela de Castro Martins
Beatriz Lima de Paula Silva
Emmanuel Alexandre Cavasana Oliveira
Erika Luana Lopez Flores
Glenda Helenice da Silva Rodrigues
Marco Antônio Vilalva Rodrigues
Marcos Antônio Gonçalves Cypriano

Comissão de recepção dos trabalhos

Éder Damião Goes Kukiel


Edgar Aparecido da Costa
Rebeca Steiman

v
VII

Instituição promotora

Realização

Apoio

vi
VII

Sumário

Eixo temático 1 – Aspectos identitários e discursivos nas fronteiras: identidades, gêneros, diversidades,
cultura, arte, literatura, comunicação, saúde, educação, bilinguismo ........................................................... 1
Eixo temático 2 – Movimentos de população hoje e no passado: migrações, colonização, redes, histórias
e memórias ....................................................................................................................................................... 24
Eixo temático 3 – Territórios e territorialidades nas fronteiras: integração, desenvolvimento, políticas
públicas, urbanização, comércio e desenvolvimento local ........................................................................... 32
Eixo temático 4 – Limites estratégicos: geopolítica, soberania e relações internacionais, globalização,
segurança pública, conflitos e violência ......................................................................................................... 48
Eixo temático 5 – A natureza e seus usos: conservação, sustentabilidade, turismo, frentes, reforma e
outras dinâmicas agrárias (assentamentos, agronegócio, agricultura familiar) ........................................ 58
Sessões de Pôsteres ......................................................................................................................................... 66

vii
Eixo temático 1 – Aspectos identitários e discursivos nas fronteiras:
identidades, gêneros, diversidades, cultura, arte, literatura,
comunicação, saúde, educação, bilinguismo

1
VII

A DESOBEDIENCIA EPISTEMICA EM HELOISA BUARQUE DE HOLLANDA E AS


FRONTEIRAS DO INTELECTO.
Nathalia Flores Soares
Edgar Cézar Nolasco

Esta pesquisa propõe uma leitura crítico-biográfica fronteiriça da autobiografia Escolhas (2009) da
intelectual Heloisa Buarque de Hollanda visando abordar questões pertinentes ao seu projeto intelectual
que se dedica a refletir e articular ideias a partir/sobre marginalidades. Nesse sentido, utilizaremos uma
metodologia eminentemente bibliográfica assentada na Crítica biográfica fronteiriça engendrada, dentre
outros, por críticos como Walter Mignolo e Edgar Cézar Nolasco, com exterioridade e desobediência
epistêmica, Eneida Maria de Souza e Jacques Derrida com amizade, memória e arquivo e Edward W. Said
com o conceito de intelectual. Portanto, na esteira do recorte teórico, pretendemos delinear um ensaio
biográfico da intelectual a partir de seu projeto intelectual marginal.

Palavras-chave: Fronteira; Crítica Biográfica Fronteiriça; Cultura; Exterioridade; Descolonial

A EVASÃO E O PERFIL MOTIVACIONAL DOS ESTUDANTES DE LICENCIATURAS


NA FRONTEIRA COM A BOLÍVIA: CÂMPUS DO PANTANAL/UFMS
Bárbara Regina Gonçalves da Silva Barros
Luis Fernando Galvão
Vanessa Catherina Neumann Figueiredo

Este estudo exploratório tem como objetivo explorar a qualidade motivacional dos estudantes e sua
associação com dados sócio-econômicos e estudantis e com a evasão. Participaram 5 coordenadores, 51
professores e 370 estudantes das licenciaturas do CPAN. Foi constatada a presença de motivação
autodeterminada, sendo apontados mães e professores como fator de apoio e incentivo. Estudantes com
baixa qualidade motivacional queixam-se do ensino médio insuficiente e de dificuldade nos estudos e na
organização do tempo. A pesquisa recomenda às instituições universitárias de estudos sobre fatores
promotores da motivação, apoio no desenvolvimento de técnicas de estudo e acompanhamento das taxas
de evasão.

Palavras-chave: Motivação; Evasão; Licenciaturas; Campus do Pantanal; Fronteira

2
VII

A EXPERIÊNCIA EM ESTÁGIO DOCÊNCIA EM GRADUAÇÃO I A FORMAÇÃO DO


ESTADO, FRONTEIRAS E SUAS DINÂMICAS EM REDE
Janaina Costa Teixeira
Paola Gomes Pereira

A disciplina do Estágio docência em graduação I, realizado na Universidade Federal do Rio Grande do


Sul (UFRGS), no curso de pós-graduação em Geografia. Na disciplina de Geografia Política no primeiro
semestre de 2019. O estágio destina-se ao desenvolvimento do pós-graduando nas práticas pedagógicas
no escopo do ensino no âmbito das geociências, análise territorial e socioeconômicas relacionadas às
ciências da Terra. Durante as quatro aulas ministradas são apresentados os conceitos norteadores que dão
significado aos temas tratados e auxiliam nos encaminhamentos de análise e de qualificação por meio da
avaliação dos conhecimentos adquiridos. Nesse sentido, destaca-se a importância de ensinar geopolítica
com base em seus conceitos essenciais tais como: fronteira, Estado; assim como a ideia de sistemas em
rede, que influencia nas relações sociopolíticas e econômicas em escalas micro e macro. Procuramos, ao
articular esses conceitos com os alunos, uma melhor apreensão das distintas realidades, as quais compõem
o cenário geopolítico, para instrumentalizá-los. Com o intuito de que se tornem críticos dessas realidades,
tão distintas e plenas de tensões, e simultaneamente, de oportunidades de trocas e de vivências.

Palavras-chave: Estágio docência; Geopolítica; Ensino; conceitos; fronteira

A FRONTEIRA NO CORPO
Diego Aparecido Cafola

Em uma sociedade construída pelo binarismo de gênero (homem/mulher) os elementos que identificam
um e outro são díspares. A travesti não está dentro dessa norma binária, pois seu corpo possui ao mesmo
tempo características relacionadas ao masculino e ao feminino. Não se enquadrando na norma, a travesti
está no entre-lugar desse binarismo. Nosso objetivo é refletir quais são os tensionamentos que são
explicitados nos discursos da “bixa travesty”, Linn da Quebrada. Nesse sentido, as reflexões sobre
fronteira participam também das nossas reflexões sobre o corpo para entender o lugar desse corpo não-
hegemônico. Para isso realizamos pesquisa bibliográfica nas plataformas Capes, Scielo e no Instituto de
Estudos de Gênero (IEG, UFSC). Bem como, levantamento documental em jornais, revistas e youtube,
após o lançamento de seu álbum Pajubá em 2017, momento que ela ganha visibilidade.

Palavras-chave: Fronteira; Binarismo; Transgênero; travesti; cultura hegemônica

3
VII

A FRONTEIRA QUE NOS SEPARA: OS SURDOS E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS


Katicilayne Roberta de Alcântara
Antônio Firmino de Oliveira Neto
Izac de Oliveira Belino Bonfim

Este artigo busca analisar como ocorrem as representações sociais dos surdos, desde a sua visibilidade até
o reconhecimento da Libras, a construção de sua identidade e cultura. A discussão se faz em torno de uma
fronteira, que não se limita ao físico, territorial, mas principalmente simbólicas, estereotipadas pelos
humanos. Apontaremos ainda, como é importante o sujeito se reconhecer como agente de suas
representações sociais e participante dos segmentos sociais em que está envolvido. A metodologia
constitui-se com uma revisão da bibliografia acerca do tema discutido, que corrobora com as construções
teóricas presentes neste artigo, com a finalidade de apresentar como os surdos resistem ao longo dos anos,
conquistam seus espaços e adquirem o direito à comunicação através de sua língua.

Palavras-chave: Fronteira; Surdos; Representações sociais; Libras; Visibilidade

A IMPLEMENTAÇÃO DO ENSINO À DISTÂNCIA, AOS MOLDES DO SISTEMA


COLÉGIO MILITAR DO BRASIL, AOS RESIDENTES NA FAIXA DE FRONTEIRA SUL-
MATO-GROSSENSE UMA PROPOSTA
Eduardo Freitas Gorga
Elisa Pinheiro de Freitas
O presente artigo tem por finalidade, com foco no ensino médio, na faixa de fronteira do estado de Mato
Grosso do Sul (MS), apresentar uma proposta de implementação do Ensino à Distância (EAD), aos
moldes do Sistema Colégio Militar do Brasil (SCMB), aos civis da área em questão. Nessas condições, o
referencial no MS é o Colégio Militar de Campo Grande (CMCG), pois dentre as escolas 100 primeiras
colocadas do MS, apenas 32 públicas foram destacadas pela média dos seus alunos no Exame Nacional
do Ensino Médio (ENEM), ficando o CMCG em primeiro lugar. Tal fato atesta que o foco dos
investimentos educacionais deve ser voltado para o interior (com destaque para os municípios
fronteiriços), de forma que prosperem aos moldes da capital. Não obstante, a pesquisa comprova, através
da coleta de dados, a deficitária qualidade do ensino público do MS. Com isso, o resultado esperado,
através do EAD, busca aproximar a qualidade do ensino da faixa de fronteira ao da capital, Campo Grande.
Ademais, o estudo possibilita ratificar a condição do SCMB como referência positiva de ensino e a
necessidade de melhorias na rede de ensino público da Região Centro-Oeste do Brasil.
Palavras-chave: Ensino Público; Educação à Distância; Sistema Colégio Militar do Brasil; Fronteira sul-
mato-grossense; Ensino Médio
4
VII

A INVISIBILIDADE NA FRONTEIRA: UMA ANÁLISE SOBRE A “FAIXA LIVRE”


LOCALIZADA ENTRE SETE QUEDAS-BR E PINDOTY PORÃ-PY
Leonardo Calixto MAruchi
Lidiane Cristina Lopes Garcia de Souza

Este artigo é fruto de um trabalho de campo realizado pela turma de mestrandos e doutorandos do PPGG-
Programa de Pós Graduação em Geografia da UFGD- Universidade Federal da Grande Dourados,
durante a disciplina “Tópicos especiais em Geografia”, ministrada pelo Prof. Dr. Jones Dari Goettert.
Nesta aula de campo, foram realizadas entrevistas com moradores da chamada “faixa livre”, que é uma
zona neutra na fronteira entre Brasil e Paraguai no sul do estado do Mato Grosso do Sul. A particularidade
desse lugar e das pessoas que ali vivem mostra como a fronteira é um lugar em que as relações se dão de
maneira única, e que apesar de ser um lugar contraditório e com diversos problemas, também é um lugar
de multiplicidades, saberes e vivências únicas.

Palavras-chave: Fronteira; Faixa livre; Multiplicidade; Políticas públicas; Relações fronteiriças

A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO CÓRREGO IMBIRUSSU - CAMPO GRANDE/MS SOB


A ÓTICA DE ALUNOS DE UMA ESCOLA PÚBLICA
Juliana Cristina Ribeiro da Silva
Eliane da Silva Andrade
Mônica Cristine Junqueira Filheiro

O presente trabalho aborda a representação social do Córrego Imbirussu, localizado em Campo Grande,
MS sob o ponto de vista de alunos do quinto ano do ensino fundamental através de mapas mentais. A
escola se localiza nas proximidades do córrego, assim como a maioria dos alunos residem nas redondezas.
Para a interpretação dos mapas mentais, utilizou-se a Metodologia Kozel. Como resultados obtidos, a
quantidade de lixo que é jogada no córrego foi retratada pelos educandos. A Educação Ambiental no
ambiente escolar é uma ferramenta para que ações na comunidade sejam mais eficazes para que problemas
como esse sejam amenizados.

Palavras-chave: Educação ambiental; Mapas mentais; Ambiente escolar

5
VII

ANÁLISES SOBRE A EDUCAÇÃO DE TEMPO INTEGRAL EM ESCOLAS PÚBLICAS


COM DIFERENTES CONTEXTOS DA CIDADE FRONTEIRIÇA DE CORUMBÁ-MS
Ana Maria dos Santos Silva
Josiane Aparecida da Silva Xavier de Moura
Carlo Henrique Golin

O objetivo desta pesquisa é fazer uma apresentação geral, por meio de dados documentais e experiências
vividas, sobre duas escolas públicas que atuam em horário ampliado (tempo integral), ambas da região
fronteiriça (Brasil-Bolívia) de Corumbá-MS, sendo uma localizada na área urbana, atendendo
exclusivamente o ensino médio (rede estadual) e outra situada na área rural, atendendo somente o ensino
fundamental (rede municipal). A pesquisa utiliza um acervo bibliográfico e documental, bem como
apresenta dados qualitativos e quantitativos relativos à experiências observadas nas duas escolas
pesquisadas, sobretudo discutindo as diferentes realidades (urbana e rural) de educação em tempo integral.
Espera-se que os resultados ajudem na compreensão das diferentes realidades territoriais e sobre a jornada
expandida de educação em escolas públicas, especialmente demonstrando a relevância da educação
inclusiva e acolhedora das heterogeneidades culturais vivenciadas pelos fronteiriços da região.

Palavras-chave: Educação; Escolas Públicas; Intercultural; Tempo Integral; Fronteira

AS ESCOLAS EM SUAS ESPECIFICIDADES: DA ESCOLA INDÍGENA À ESCOLA DE


FRONTEIRA, ESTUDO DAS ESCOLAS INDÍGENAS EM RELAÇÃO ÀS ESCOLAS DE
FRONTEIRA, PONTA PORÃ – BR/PEDRO JUAN CABALEIRO – PY (ALTERIDADE E
MULTICULTURALISMO)
João Evaldo Ghizoni Dieterich

O presente trabalho aborda a questão das escolas e da educação em suas especificidades, aqui abordadas
dentro de dois casos específicos, as escolas fronteiriças e as escolas indígenas. Duas realidades bem
presentes dentro do Estado de Mato Grosso do Sul. A discussão destes tipos de escolas se fazem mais
presentes nos últimos anos dentro do ensino superior, já que perfazem uma realidade totalmente
diferenciada, para quem não convive com esta situação. Portanto analisaremos estas com o intuito de
explicitar as problemáticas vividas por essa parcela populacional e levar o leitor a reflexão sobre como
poderemos alterar a realidade vivida diariamente dentro destas escolas, melhorando e adaptando o ensino
das mesmas para que se adequem a suas particularidades.
Palavras-chave: Fronteira; Alteridade; Escola fronteiriça; Educação na fronteira; educação indígena

6
VII

AS VOZES DE GUAJARÁ-MIRIM QUE AQUI GORJEIAM, NÃO GORJEIAM COMO LÁ:


DIVERSIDADES LINGUÍSTICAS RONDONIENSES SILENCIADAS
Décio Keher Marques
Carlos Alberto Bosquê Jr.
Ana Alice Siqueira

Este artigo investiga o cenário de diversidades lingüísticas no tecido social rondoniense e o processo de
submissão de identidades que ocorre através da escolarização colonizadora. Utilizou-se de metodologia
qualitativa e quantitativa sobre os fatos analisados. Partiu dos registros das materializações históricas
publicadas nos dispositivos legais, entre eles, a Constituição de 1988, a Lei 9394/96 e os Projetos
Pedagógicos de Cursos - PPCs do ensino médio integrado ofertados em 2017 no Campus do Instituto
Federal de Educação – IFRO/Guajará-Mirim, de teóricos da educação e da análise perceptiva dos
resultados da organização escolar que desconsidera as expressões culturais nos ordenamentos legais da
escola. No cômputo restou demonstrado o tipo de linguagem oriunda da estrutura social que pertence o
falante e a estrutura social está baseada na produção-trabalho-lucro. Os dominados se emanciparão se
mudar a estrutura social capitalista e não pelo simples fato de lhe prover o acesso à linguagem da cultura
dominante.

Palavras-chave: Escola; Diversidades linguísticas; Linguagem colonizadora; Identidade; Fronteira

BILINGUISMO NA EDUCAÇÃO DE SURDOS NA FRONTEIRA BRASI-BOLÍVIA:


ALGUMAS CONSIDERAÇÕES
Lineise Auxiliadora Amarilio dos Santos
Cláudia Araújo de Lima

Este artigo aborda o bilinguismo na educação de surdos na fronteira Brasil–Bolívia. Apesar dos avanços
históricos na educação de surdos no que diz respeito ao reconhecimento e valorização da língua de sinais
e da adoção da política linguística bilíngue observamos aspectos ainda não efetivados na educação bilíngue.
Este estudo pretende analisar o contexto formal de aquisição da Língua de Sinais e da Língua Portuguesa
como segunda Língua nas escolas de Corumbá. É um estudo bibliográfico e documental onde discutiremos
as categorias Bilinguismo, Fronteira, Surdez e Língua de Sinais.

Palavras-chave: Bilinguismo; Fronteira; Língua de Sinais; Surdez; AEE

7
VII

CLARICE LISPECTOR: POR UM DIREITO PENAL FRONTERIZO


Barbara Artuzo Simabuco
Edgar Cézar Nolasco

Com base em uma epistemologia biográfico-fronteiriça (NOLASCO, 2015), objetivamos demonstrar


relevância de Clarice Lispector enquanto intelectual cujo direito faz parte do bios, tendo em vista a
politicidade de sua obra, seu olhar sensível ante as questões humanas e a discordância em relação ao sistema
penal brasileiro. Para ilustrar a discussão, utilizamos como base o ensaio “Observações sobre o direito de
punir” (1941), no qual Lispector tece comentários sobre o Estado e o direito/poder de punir,
demonstrando seu olhar desobediente (MIGNOLO, 2015) e fronterizo (NOLASCO, 2013). A
metodologia utilizada é essencialmente bibliográfica e alguns dos teóricos e biógrafos que dialogam com
a epistemologia adotada são: Walter Mignolo (2013; 2015), Edgar Cézar Nolasco (2013), Eneida Maria de
Souza (2002), Silviano Santiago (2014) e Nádia Batella Gotlib (1995). Algumas das obras norteadoras da
pesquisa são: CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS, Crítica cult (2002), Habitar la frontera (2015)
e Clarice: uma vida que se conta (1995).

Palavras-chave: Clarice Lispector; crítica biográfica fronteiriça; desobediência epistêmica; direito; crítica
biográfica

COMPAIXÃO ALÉM DAS FRONTEIRAS: NARRATIVAS PARA A HUMANIZAÇÃO DO


REFÚGIO DE INDESEJÁVEIS
Fernanda Paraguassu

Este artigo analisa a tendência de humanizar o tema do refúgio na sociedade atual através da narrativa
usada pela mídia convencional, a partir da foto do menino Aylan Kurdi, que morreu afogado em 2015, ao
tentar fugir do conflito na Síria. Por que essa foto foi escolhida para estampar a capa dos jornais e gerou
comoção mundial, tornando-se emblemática da situação dos refugiados? Serão contempladas aqui a
seleção do sofredor na esfera pública, a elaboração social da responsabilidade e a construção da
solidariedade pelo despertar da compaixão, considerando os valores culturais e a nova linguagem do social
na pós-modernidade. Na sequência, será abordado o desafio de enfrentar a fadiga da compaixão num
contexto em que a moralidade e a competência dos agentes do Estado são centrais na política
contemporânea. A referência será a argumentação desenvolvida pelo antropólogo francês Didier Fassin
em Humanitarian Reason – a moral history of the present.

Palavras-chave: humanização; compaixão; refugiados; linguagem; criança


8
VII

CONDUTORES DE CARROÇAS EM CORUMBÁ, MS- UMA ABORDAGEM


INTRODUTÓRIA AO PROBLEMA.
Waldson Luciano Corrêa Diniz

Resumo: A história das cidades é repleta de atores sociais invisibilizados. Através da História Oral busca-
se problematizar esse espaço geográfico rompendo com a narrativa histórica vigente e inserindo o
trabalhador pobre, muitas vezes negro ou descendente de indígenas na trama histórica. O estudo dos
condutores de carroças aporta uma série de reflexões ao cotidiano e às formas como se organizaram as
relações entre os diferentes setores produtivos. Colabora, portanto, para esclarecer o valor desse trabalho
aparentemente marginal, bem como explica como pensam a si mesmos, no seu oficio, tais trabalhadores.

Palavras-chave: Condutores de carroças; História Oral; Trabalho; não há; não há

CORPO EPISTÊMICO FRONTEIRIÇO DESCOLONIAL: TRANSITANDO NA


FRONTEIRA DA EXTERIORIDADE EM MS
Marina Maura de Oliveira Noronha

Esse estudo emerge para discutir o corpo fronteiriço da exterioridade, diferente do corpo já imposto como
nosso dividido entre razão e emoção e que, insistentemente, quer manter-se no universal. Desse modo, a
pesquisa se estabelece através de uma leitura crítica-biográfica fronteiriça (Nolasco, 2015) do corpo a partir
de uma epistemologia da diferença em MS. Para tal, nos valeremos, do corpo epistêmico fronteiriço para
pensar corpos outros que também ensejamos discutir, tais como os da exterioridade, os docilizados, os
fronteiriços etc. Considerando essas discussões atravessado por corpos outros para pensar o corpo como
conceitos de uma episteme cultural. Entre os teóricos que embasam a metodologia adotada, sobressaem-
se os críticos, como Walter Mignolo, Ramón Grosfoguel, Edgar Nolasco, Jacques Derrida, Marcos
Antônio Bessa-Oliveira, entre outros. Com o olhar crítico assentado em nosso (bio)lócus sul-mato-
grossense, esperamos romper fronteiras epistemológicas que ainda estabelecem limites dos corpos nas
práticas epistêmica do estado.

Palavras-chave: Corpo epistêmico; Fronteira; Crítica biográfica fronteiriça.; exterioridade; Descolonial

9
VII

DO CHURRASCO GRIEGO A LA ARGEN(CHI)NA: PRÁTICAS COTIDIANAS,


CARTOGRAFIAS TRANSFRONTEIRIÇAS
Luiz Felipe Rodrigues
Dalila Tavares Garcia

A fim de discutir os trânsitos e contatos entre alteridades na Tríplice Fronteira entre Argentina, Brasil e
Paraguai, buscaremos construir uma reflexão a partir de trabalho empírico nas cidades de Puerto Iguazú,
Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, com o objetivo de constatar processos cotidianos de transfronteirização
que se expressam em diferentes objetos e ações. A transfronteirização é aqui entendida enquanto um
processo, dialógico e conflitivo, que denota a presença das diferenças em permanente negociação,
interpretação e ressignificação mútuas que se revelam nas diversas interações que envolvem linguagens,
comidas, comércio, hábitos, entre outras práticas cotidianas em que se constroem hibridismos. Nisso,
temos que considerar o papel do atual contexto da globalização que difunde uma multiplicidade de
elementos e signos, e de como estes se territorializam na dinâmica fronteiriça local, fazendo da reprodução
da fronteira um processo multiescalar.

Palavras-chave: Fronteira; Cultura; Cartografias; Transfronteirização; Identidade

DO SAROBÁ DE LOBIVAR MATOS AOS NOVOS OLHARES POÉTICOS SOBRE AS


‘MANCHAS NEGRAS’ DA FRONTEIRA
Nelson Abdnur Urt

Poeta corumbaense de apenas duas obras, Lobivar Matos publicou Areôtorare em 1935 e Sarobá em 1936,
no Rio Janeiro. Morreu aos 32 anos. Deixou claro onde queria chegar com seus poemas. No prefácio do
primeiro livro, define-se como um poeta intrigado com os “dramas cruciantes dos desgraçados, dos
miseráveis, dos parias sem pão, sem amor e sem trabalho” (MATOS, 1935). Hoje as duas obras únicas do
autor fazem parte do acervo da Biblioteca Municipal Lobivar Matos em Corumbá. Acervo este que
continua encaixotado após a interdição do prédio que o abrigava, o Instituto Luiz Albuquerque, à espera
de instalações adequadas. Este trabalho objetiva acompanhar o planejamento de instalação da biblioteca e
a preservação do acervo, além de identificar, na cena literária fronteiriça, poetas e poesias influenciados
pela gênese do escritor modernista. O resultado da pesquisa será editado em livretos artesanais para
divulgação na rede de ensino.

Palavras-chave: Livro; Poemas; Biblioteca; Acervo; Fronteira

10
VII

ESPAÇOS DE FRONTEIRA E CODIFICAÇÃO CULTURAL INDÍGENA: A


SEMIOTIZAÇÃO DO CÓDIGO “CAPITÃO”
Luzia Bernardes da Silva
Gicelma da Fonseca Chacarosqui Torchi

Nosso Trabalho faz um leitura da figura do “Capitão” enquanto código cultural nas aldeias Jaguapiru e
Bororó localizadas em Dourados, Mato Grosso do Sul/MS . Traçarmos um breve panorama histórico
sobre o locus em estudo: a investigação da liderança indígena denominada de “Capitão” como um
processo de transformação de não-cultura para cultura, sob a ótica da Semiótica da Cultura (referencial
teórico construído por estudiosos da antiga União Soviética, denominados de Escola de Tártu-
Moscou/ETM), nas comunidades indígenas Jaguapiru e Bororó e apontamos como a constituição da
cultura é um processo sistêmico, transformação do não texto em informação codificada.

Palavras-chave: Cultura; Semiótica; Indígena; Fronteira; Aldeia

EVENTOS RURAIS: UMA ANÁLISE DA PRÁTICA DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE


PESQUISA AGROPECUÁRIA DO BRASIL E DA ARGENTINA
Andrea Fernanda Lyvio Vilardo
Karla Maria Müller

O cone sul da América Latina é uma região estratégica para a agropecuária, um dos pilares da economia
brasileira e dos países vizinhos, que podem enfrentar os mesmos desafios de produção. Dessa forma, a
necessidade de gerar informação e tecnologias para o setor é sempre urgente. As instituições públicas de
pesquisa agropecuária têm essa função e desemprenham um papel fundamental na transferência de
tecnologias, utilizando a promoção de eventos como uma das estratégias para isso. Este trabalho é
resultado de um breve levantamento dos eventos realizados pela Empresa Brasileira da Pesquisa
Agropecuária (Embrapa), do Brasil, e pelo Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), da
Argentina, buscando uma aproximação inicial para entender como tais organizações se relacionam com os
sujeitos do setor. O número expressivo de eventos promovidos por ambas as instituições evidencia o
caráter estratégico conferido a esse recurso pelo setor agropecuário.

Palavras-chave: Agropecuária; Cone Sul; instituições de pesquisa; transferência de tecnologia; eventos


rurais

11
VII

FRONTEIRA, MIGRAÇÃO E DIREITOS HUMANOS NA MÍDIA: UM ESTUDO SOBRE A


REPERCUSSÃO DA IMIGRAÇÃO VENEZUELANA PARA O BRASIL
Vilmara Crystine Fonseca Gomes
Camila Maria Risso Sales

Este trabalho busca compreender de que forma as matérias jornalísticas que a mídia nacional e local tem
produzido referente à temática dos migrantes venezuelanos que vem para o Brasil tem repercutido na
construção de imagens estereotipantes a respeito dos migrantes. O estudo observacional mapeou 5 jornais
de diferentes abrangências e os analisou de acordo com guias para comunicadores que orientam sobre
matérias que envolvam a temática migrante. Os resultados demonstram a necessidade de problematização
da forma como os meios de comunicação e, em especial a imprensa, informa sobre questões relativas à
migração e aos migrantes

Palavras-chave: Venezuela; Brasil; Migração; Mídia; Direito Humanos

FRONTEIRAS DO LOCAL: POR UMA LEITURA DE SI ME PERMITEN HABLAR NA


FRONTEIRA-SUL
Julia Evelyn Muniz Barreto Guzman

Este trabalho tem como objetivo uma leitura da obra ‘Si me permiten hablar...’ testimonio de Domitila,
una mujer de las minas de Bolivia (1999) transcrito e organizado pela brasileira Moema Viezzer a partir do
conceito de fronteira. Para a leitura, me utilizo de uma metodologia bibliográfica pautada na Crítica
biográfica fronteiriça (NOLASCO), um estudo centrado nos Estudos Pós-coloniais (NOLASCO, 2013) e
Crítico-biográficos (SOUZA, 2002). Assim, a partir de minha condição de sujeito que escreve e vive na
fronteira proponho fazer uma leitura outra do testemunho de Domitila Chungara, que contemple meu
bios e lócus permitido por meio da Crítica biográfica fronteiriça. Ademais, procuro estabelecer
interrelações entre o meu bios e o de Domitila, desde nossos discursos de sujeitos da exterioridade, além
de pensar e escrever a partir de loci subalternos eu na/da fronteira-sul do Brasil e Domitila Chungara de
um acampamento mineiro na Bolívia.

Palavras-chave: Domitila Chungara; Si me permiten hablar; Fronteira; Exterioridade; Bolívia

12
VII

ÍNDIOS GUATÓ NA FRONTEIRA BRASIL / BOLÍVIA


Danielle Urt Mansur Bumlai

Esse trabalho propõe expor a literatura existente sobre os Índios Guató na fronteira Brasil/Bolívia,
delineando um caminho desde as primeiras descobertas retratadas pelo pintor francês Hércules Florence,
no século XIX, as realizadas pelo etnólogo alemão Max Schimidt, no início do século XX, como a história
de “extinção” e “redescoberta” do povo guató, chegando até as representações nos dias atuais. Trazer uma
reflexão sobre os modos de expressão literária indígena, como forma de conhecimento, compreensão e
valorização da cultura do outro.

Palavras-chave: Guató; Fronteira; Língua Indígena; Cultura; Literatura

JORNAL IMPRESSO NA FRONTEIRA SUL-RIOGRANDENSE: NARRATIVAS SOBRE O


RURAL
Thaís Leobeth
Karla Maria Müller

Realidade social complexa e específica, as regiões de fronteira internacional constituem instigante ambiente
de pesquisa. Nesse sentido, provocaram a investigação sobre a abordagem atribuída a notícias dedicadas à
temática rural. A pesquisa teve como objetos empíricos os jornais A Plateia (Sant’Ana do Livramento,
fronteira com o Uruguai) e Cidade (Uruguaiana, fronteira com a Argentina). Em termos metodológicos,
trata-se de Estudo de Caso, para o qual foram acionadas Pesquisa Bibliográfica, Exploratória e Análise de
Conteúdo. A noção de rural identificada como abordagem dos periódicos mostrou fatores econômicos,
culturais, construção histórica local e regional, problemáticas comuns e interações que se sobrepõem à
existência do limite estatal em diferentes níveis.

Palavras-chave: Jornal impresso; Narrativa jornalística; Mídia local; Fronteiras internacionais; Rural

13
VII

JORNALISMO ONLINE NA FRONTEIRA BRASIL-PARAGUAI: PERIFÉRICO E


TRANSNACIONAL
Gesiel Rocha de Araújo

A fronteira do Brasil com o Paraguai (Ponta Porã e Pedro Juan Caballero) abriga sites de notícias que
expressam as marcas fronteiriças mais viscerais: tensão, conflito, contradição, improviso, amadorismo e
narrativa do grotesco, mas também cooperação, mescla social e cultural, intercâmbio informacional e
esforço para informar a qualquer custo. Dessa leitura inicial parte este trabalho, resultado de uma pesquisa
de campo em âmbito de mestrado que buscou compreender alguns aspectos operacionais e editoriais
desses veículos, tais como estrutura, modelos empresariais e métodos de trabalho no contexto local e
transnacional.

Palavras-chave: Jornalismo online; Sites de notícias; Imprensa fronteiriça; Fronteiras transnacionais;


Brasil-Paraguai

LITERATURA E TERRITORIALIDADE NA FRONTEIRA BRASIL/BOLIVIA: UM


ESPAÇO DO SER FRONTERIÇO
Tarissa Marques Rodrigues dos Santos
Lucilene Machado Garcia Arf

Este artigo propõe a reflexão da literatura como um meio de aproximação de culturas que circulam no
território fronteiriço Brasil-Bolívia, de como é vista a fronteira e como sentir-se parte dela. O uso da
literatura serve tanto para ensinar a ler e a escrever quanto para formar culturalmente um indivíduo. Para
dar sustentação teórica a este estudo, escolheu-se alguns conceitos essenciais acerca de território,
territorialidade e fronteira a partir de autores como Raffesttin (1993), Saquet (2007) Nogueira (2007), Guhl
(1991) e Hissa (2002), com o fim de colocar em debate a importância da literatura como construção de
identidades de um povo e sensibilizar a comunidade com relação ao papel social de cada um na
espacialização fronteiriça.

Palavras-chave: literatura; fronteira; identidade; território; espacialização

14
VII

LOCALIZANDO AS CONDIÇÕES PRETÉRITAS E AS RELAÇÕES CORRENTES NA


COMPLEXA FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA
Tito Carlos Machado Oliveira
Paulo Marcos Esselin

A fronteira Brasil-Bolívia, na parte mais ao sul, teve papel importante no abastecimento do oeste brasileiro
através dos rios da Bacia do Prata no início do sec. XX, nos anos cinquenta ensaiou um processo de
industrialização, até se transformar em uma rica fronteira vibrante no final do século. Repleta de
ambiguidades, porosidades e deslizamentos a fronteira conurbada de Corumbá- Ladário-Puerto Qijarro-
Puerto Suarez tem demonstrado um rico processo de integração socioeconômica e uma complexa rede de
relações sociais e institucionais. Este texto tem a intensão de localizar as condições pretéritas da fronteira
Brasil-Bolívia e contextualizar as relações cotidianas daquela conurbação fronteiriça, sob a tutela
metodológica da historiografia e da categoria território da ciência geografia. É parta do projeto de pesquisa
“Polos geográficos de ligação” com financiamento da Fundect e do CNPq até 2016.

Palavras-chave: Fronteira Brasil-Bolívia; Conurbação fronteiriça; Integração; Polos geográficos;


Território

MEMÓRIAS HOMO-BIOGRÁFICAS DA EXTERIORIDADE: SILVIANO SANTIAGO E


SUAS/NOSSAS MIL ROSAS ROUBADAS
Pedro Henrique Alves de Medeiros

Este trabalho tem por objetivo (re)ler o romance Mil rosas roubadas (2014) de Silviano Santiago a partir,
essencialmente, do conceito de memória não enquanto lembrança, mas como esquecimento (AMARAL,
2000). Para isso, me utilizo de uma metodologia eminentemente bibliográfica assentada na Crítica
biográfica fronteiriça (NOLASCO) que, em linhas gerais, congrega tanto os Estudos Pós-coloniais
(NOLASCO, 2013) quanto os Crítico-biográficos (SOUZA, 2002). Proponho, nesse sentido, trabalhar as
discussões memorialísticas com base não no ato de lembrar, mas no de esquecer ao passo que me valho
das minhas/nossas Mil rosas roubadas para ilustrar as reflexões corroboradas. Ademais, procuro
estabelecer interrelações entre o meu bios e o de Silviano na medida em erigimos nossos discursos
atravessados por uma condição homo-biográfica da exterioridade além de, sobretudo, pensarmos e
escre(vi)vermos a partir de loci subalternos e marginalizados: o Brasil, a fronteira-sul e as Minas Gerais.

Palavras-chave: Silviano Santiago; Mil rosas roubadas; Crítica biográfica fronteiriça; Memória;
Exterioridade
15
VII

METODOLOGIAS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS NAS


FRONTEIRAS: PERSPECTIVAS DECOLONIAIS
Suzana Vinicia Mancilla Barreda
Janete Fátima Pará Velasco

Este trabalho apresenta as discussões iniciais que abordam a aplicação de metodologias de ensino e
aprendizagem de línguas em contexto escolar de fronteira. As práticas docentes observadas durante a
realização dos estágios do curso de Letras da UFMS/Campus do Pantanal em escolas públicas de
Corumbá-MS evidenciam a recorrência de concepções tanto da situação e uso das línguas em circulação
nesse âmbito, quanto do processo de ensino e aprendizagem destas, pautados em paradigmas considerados
“tradicionais”. A proposta é desenvolver estudos que tenham em vista uma reconceituação das
metodologias em uso pelos docentes na área de línguas, com o uso da Pesquisa-Ação e considerando a
perspectiva decolonial a partir das reflexões do colonialismo interno (CUSICANQUI, 2010).

Palavras-chave: Metodologias de ensino e aprendizagem de línguas; Fronteira; Perspectivas decoloniais;


Políticas linguísticas; Formação de professores

NA ENCRUZILHADA ENTRE FRONTEIRAS E CULTURA: UMA ANÁLISE DA


PRODUÇÃO ACADÊMICA E DAS REDES DE CONCEITOS E LITERATURA
Solène Marié
A literatura de Estudos Fronteiriços aponta que, apesar de ser um objeto de pesquisa multidisciplinar,
fronteiras são estudadas dentro de várias disciplinas diferentes; usando diferentes conceitos e
metodologias; e chegando a conclusões diferentes sobre os determinantes dos processos fronteiriços.
Além disto, a literatura de baseia em estudos de caso individuais, com um desequilíbrio grande entre a
produção sobre casos no Norte e no Sul. Com base nessa observação, o nosso objetivo neste artigo é
responder às seguintes perguntas: Como se caracteriza a produção sobre esse tema em cada língua?
Existem diferenças reais de volume, abordagem e objeto? Existe uma ligação entre certos conceitos e
disciplinas ou agendas de pesquisa? Para responder a essa pergunta, a bibliografia sobre o tema de
fronteiras e cultura foi extraída da base de dados do Web of Science. Ela foi analisada e transformada em
gráficos de redes sociais a partir da ferramenta VOSviewer.

Palavras-chave: Fronteiras; Cultura; Análise bibliomêtrica; Produção acadêmica; Conceitos

16
VII

NO TE PASES DE LA RAYA: ANTROPOFAGIA CARTOGRÁFICA


Kathya Milena Morón Tadic

A partir da investigação sobre os processos de contra-mapeamento nos projetos Chodoy Lof Mapu e no
Mapa Waorani, é feita uma análise em relação à apropriação de técnicas cartográficas e modos de
representação. Com base no exposto, propõe-se a ideia da antropofagia cartográfica: uma operação que
produz evidências visuais de outros entendimentos e lógicas territoriais, que são registradas sob códigos
oficiais para consolidar a reivindicação de seus territórios.

Palavras-chave: território; disputa; cartografia; dispositivo; antropofagia

O CORPO SEM FRONTEIRAS E SUAS SIGNIFICAÇÕES NOS CIBERESPAÇOS


Renara Cardoso Doyle Maia
Paulo Marcos Esselin

Este artigo apresenta um estudo sobre as novas formas de sociabilidade em ambientes virtuais em que se
questiona não ser mais necessário estar presente para interagir com outras pessoas. Tem como objetivo
analisar se nos ciberespaços, o corpo pode ou não desaparecer ao longo do tempo para tornar-se um
vestígio no espaço, com acesso ilimitado a uma humanidade livre da carne, e não ser mais uma fronteira
identitária. Para a execução do estudo adotou-se a pesquisa exploratória na Biblioteca Municipal de
Corumbá/MS e nas dissertações do Programa de Pós Graduação em Estudos Fronteiriços, área de
concentração ocupação e identidade fronteiriça, do Campus Pantanal da Universidade Federal de Mato
Grosso do Sul. Foi possível concluir que, apesar das interações ocorrerem em ambiente virtual, o corpo
ainda está sempre nos processos comunicacionais e continua sendo um elemento fundamental na
sociabilidade humana, pois é ele quem expressa emoções, afetações e sentimentos.

Palavras-chave: corpo; ciberespaço; sociabilidade; comunicação virtual; internet

17
VII

O ENTRE-LUGAR COMO ESPAÇO DAS LÍNGUAS FRONTEIRIÇAS


Mariana Vaca Conde
Lucilene Machado Garcia Arf

Este artigo tem por objetivo propor um estudo sobre as línguas presentes na região fronteiriça
compreendida entre Corumbá - Brasil e Puerto Quijarro - Bolívia. Tem como ponto de partida o estudo
das línguas presentes na região e como cenário a fronteira, território este que recebe um fluxo intenso de
migrações. Esses movimentos humanos permitem que as línguas que não são originárias do lugar se
instalem no espaço fronteiriço com seus componentes culturais e sociais, propiciando a interação e
encontro de diversas tradições e construção de novas identidades no entre-lugar, o que permite refletir
conceitos, competências, e explicar o lugar geograficamente fronteiriço com todas suas singularidades.
Para a construção deste estudo investigativo utilizou-se a metodologia de pesquisa documental de campo
e entrevistas a colaboradores locais. Para a base teórica, recorremos a autores que tratam da política da
língua, como Bhabha (1998), Garcia Marcos (1999) e Sturza (2006, 2016).
Palavras-chave: fronteira Brasil-Bolívia; entre-lugar; línguas na fronteira; imbricamento cultural;
identidade

O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO


GROSSO DO SUL COMO ELEMENTO PROMOTOR DO DESENVOLVIMENTO
ECONÔMICO E SOCIAL NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA
Wanderson da Silva Batista
Mara Aline dos Santos Ribeiro

O artigo pretende identificar as contribuições do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de


Mato Grosso do Sul – Campus Corumbá, como a única escola técnica pública na fronteira Brasil/Bolívia,
mais especificamente na conurbação formada pelas cidades de Corumbá-Ladário-Puerto Quijarro-Puerto
Soares que oferece ensino médio integrado profissionalizante na região para executar atividades
profissionais que atendam aos estudantes tanto brasileiros quanto bolivianos. Constatando que a existência
de uma escola técnica nesses moldes instalada na região fronteiriça pode contribuir sobremaneira para o
desenvolvimento econômico e social, a princípio com a inserção do tema Internacionalização no Plano de
Desenvolvimento Institucional. Para tanto, o objetivo do trabalho é “Apontar as potencialidades de uma
escola técnica federal da fronteira na perspectiva do desenvolvimento local”. A ferramenta metodológica
partiu da condição de observador participante, com levantamento bibliográfico e trabalho de campo. O
referencial teórico se apoia na interdisciplinaridade.
Palavras-chave: Fronteira; Desenvolvimento Local; Educação Profissional.; Instituto; internacionalização

18
VII

O TEXTO LITERÁRIO COMO CONSTRUCTO DE UM ESPAÇO TRANSCULTURAL E


TRANSNACIONAL
Lucilene Machado Garcia Arf

A leitura do texto literário aponta para a necessidade de um olhar crítico e profundo sobre as fronteiras,
uma vez que a mobilidade cultural revela a construção de um espaço transcultural e transnacional
diferenciado. Com este estudo, buscamos um olhar mais atento à produção literocultural da fronteira oeste
de Mato Grosso do Sul, enfatizando a necessidade de abarcar os conceitos de transculturalidade e
transnacionalidade para compreender a narratividade da existência humana, bem como vislumbrar novas
perspectivas interpretativas. Utilizamos como objeto de investigação as obras Mulas, de Luiz Taques e
Sempreviva de Antonio Callado e para referenciar esse trabalho, buscamos o pensamento de Homi Bhabha
como o principal aporte teórico para reflexões a respeito dos princípios da formação identitária,
comportamentos, impasses e avanços na fronteira. Usamos ainda Ítalo Calvino, entre outros, para falar de
literatura e sociedade e a necessidade desta no constructo da memória.

Palavras-chave: literatura; fronteira; transculturalidade; transnacionalidade; espaço

O TRABALHO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (ACS) NO ATENDIMENTO


AO ESTRANGEIRO NA REGIÃO FRONTEIRIÇA DE CORUMBÁ/MS
Talini Rodrigues
Rafael Oliveira Fonseca

O Agente Comunitário de Saúde (ACS) é um profissional do Sistema Único de Saúde (SUS) responsável
pela prevenção de doenças e promoção da saúde por meio de ação domiciliar e/ou comunitária, individual
e/ou coletiva. Numa região fronteiriça como em Corumbá/MS, os ACSs enfrentam situações envolvendo
elementos de saúde pública relacionados aos estrangeiros. Nesse cenário, visamos compreender o cenário
de ação dos ACSs no SUS em Corumbá/MS e a complexidade da atuação nesta região. Para tanto, foi
realizada uma revisão bibliográfica através de livros, artigos científicos e documentos oficias estatais.
Verificamos que o serviço de saúde em Corumbá constantemente se depara com a demanda de
estrangeiros e a Lei do Imigrante garante o acesso à saúde destes. Concluímos que apesar do cenário
complexo, os ACSs buscam sempre acolher, orientar e ajudar os estrangeiros no acesso aos SUS de forma
que eles tenham a garantia à vida e à saúde.
Palavras-chave: Estrangeiro; Agente Comunitário de Saúde; Sistema Único de Saúde; Corumbá;
Fronteira

19
VII

OUTRO CALÇADÃO DE UMA MESMA COPACABANA A CELEBRAÇÃO DA VIRGEM:


UM DIÁLOGO ENTRE A FRONTEIRA DE CORUMBÁ/BR E PUERTO QUIJARRO/BO
Gesliane Sara Vieira Chaves

Este resumo é fruto de um projeto de Doutorado (2019-2023) aprovado no PPGG/UFGD. Que propõe
analisar os territórios da celebração à Virgem de Copacabana entre a fronteira de Corumbá/BR e Puerto
Quijarro/BO, e no que eles contribuem no entendimento do modo de como as sociedades fronteiriças se
relacionam. O objetivo desta pesquisa é compreender como esses territórios religiosos contribuem nas
relações sociais e culturais compostas de aproximações e afastamentos entre brasileiros e bolivianos. Para
realização deste estudo será desenvolvida uma pesquisa de cunho qualitativa, compreendida como:
descritiva e explicativa. Para tal, será realizado trabalho de campo, para observação, descrição e análise da
referida celebração à Virgem, desde as suas preparações, perpassando os rituais e festejos. Nesse período
serão colhidas as percepções dos devotos, através de entrevistas e registros imagéticos. A finalidade desta
comunicação é dialogar o objeto da pesquisa com os campos teóricos e metodológicos dos estudos
culturais.
Palavras-chave: Virgem de Copacabana; Fronteira; Território; Corumbá; Puerto Quijarro

PAISAGEM SOCIOESPACIAL TRANSFRONTEIRIÇA: UMA PROPOSTA DE ENSINO E


PESQUISA SOBRE FRONTEIRAS
Adriana Dorfman
Edgar Garcia Velozo
Luísa Amato Caye
O presente texto apresenta uma prática voltada à propiciar aos alunos de graduação experiências de
pesquisa e aprendizagem sobre processos fronteiriços. Duas disciplinas, ministradas simultaneamente na
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil) e na State University of Arizona (Estados Unidos)
trabalharam na construção de análise comparativa de paisagens transfronteiriças em Aceguá, BR/ Acegua,
UY e Nogales, MX/ Nogales, US. Combinando uma matriz de observação transfronteiriça sistemática,
teorias geográficas sobre a paisagem e sobre o espaço, diretrizes foram estabelecidas para descrever a
paisagem sócio-espacial transfronteiriça em seus domínios, como forma, função, estrutura e dinâmica.
Com tais dados, os estudantes construíram relatórios integrando fotos, entrevistas e a descrição de cada
domínio, aliados a percepções sobre a interação transfronteiriça. O relatório final da turma contribuiu para
a produção do presente trabalho. A avaliação desta experiência foi muito positiva, na medida em que
proporcionou o amadurecimento da metodologia e a iniciação de pesquisadores através de uma
experiência de comparações cruzadas.
Palavras-chave: Cidades-gêmeas; Educação; Fronteira; Paisagem Transfronteiriça; Metodologia

20
VII

PARAGUAY-BRASIL. FRONTERAS, TERRITORIO Y PENSAMIENTO CRÍTICO


Anibal Orué Pozzo

En el presente articulo se discute las distintas formas y maneras que se presenta y construye el pensamiento
crítico en zonas de frontera, específicamente en la frontera entre las ciudades de Pedro Juan Caballero
(Paraguay) y Ponta Porã (Brasil). Parte de un proyecto de investigación sobre construcciones
socioculturales en las fronteras Paraguay-Brasil, desarrollada por investigadores de la Universidad Federal
de la Integración Latino-Americana (UNILA), en el marco del proyecto de Agenda Tríplice de la
institución. El texto se propone investigar los espacios de esta frontera desde los bordes/costados de la
institucionalidad nacional.

Palavras-chave: Frontera; Paraguay; Brasil; Pensamiento crítico; medición cultural

PATUÁ, HESPANHOL E GUARANY: DA FRONTEIRA DA LÍNGUA AO LIMIAR DO


DISCURSO
Marilene Aparecida Lemos
Matheus França Ragievicz

No presente trabalho, nos lançamos a compreender a produção do imaginário de língua em condições de


produção de fronteira. Ancorando nossa reflexão na Análise de Discurso (AD), de linha francesa,
materialista e pecheuxtiana, analisamos descrições de um viajante que esteve presente na região de Foz do
Iguaçu, em 1903. Importou-nos compreender o modo como a língua de fronteira é imaginariamente
instituída no discurso do viajante. A relação entre espaço, sujeito e discurso foi determinante no
funcionamento de tal imaginário, já que se constitui na medida em que se inscreve nas relações de poder
dos Aparelhos de Estados (AEs).

Palavras-chave: Fronteira; Discurso; Imaginário de língua

21
VII

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL: IDENTIDADE E CULTURA ENTRE FRONTEIRAS


Joselaine Dias de Lima

Resumo: A pesquisa apresenta a questão relacionada a identidade indígena, com o foco na dimensão
essencialmente política de um reconhecimento étnico na qual aborda as fronteiras a serem transpostas no
atual contexto relativas aos aspectos culturais. A proposta é promover uma reflexão referente as lutas dos
povos Guarani e kaiowá no Mato Grosso do Sul em defesa de suas terras e apontar a necessidade de
considerar que os povos indígenas tenham autonomia em sua organização social e cultural. No primeiro
momento buscaremos considerar o conceito de fronteira e cultura, na sequência, a identidade étnica no
contexto do direito.
Palavras-chave: Indígenas; Identidade; Fronteiras culturais; Direito

PUBLICAÇÕES SOBRE ESTUDOS FRONTEIRIÇOS NO BRASIL DE 2000 À 2018: UM


ESTUDO SOBRE PRINCIPAIS PERIÓDICOS E TEMÁTICAS
Vithor Amaral Prestes
Débora Mendes Pizzio
Rafael Port da Rocha
Adriana Dorfman
O artigo em questão está relacionado ao projeto Unbral Fronteiras e possui natureza quantitativa. O
objetivo central é caracterizar a publicação sobre Estudos Fronteiriços em periódicos, dando destaque
para a diversidade de temas e assuntos. Para isso, extraíram-se, na forma de tabelas, dados bibliográficos
de publicações da base de dados do Unbral Fronteiras, que possibilitaram a análise dos periódicos
publicados e das palavras-chave pertencentes a temática Fronteira. Os artigos analisados pertencem à
cinco periódicos: Revista Geopantanal, Geographia (UFF), Confins (Paris), Tempo da Ciência e Boletim
Gaúcho de Geografia. Observou-se que alguns assuntos que apresentam maior frequência estão presentes
em todas as revistas examinadas, como é o caso das palavras-chave “Brasil”, “Território” e “Identidade”,
enquanto outros concentram-se em um periódico específico. Com os dados extraídos já organizados,
tornou-se possível verificar a interdisciplinaridade do tema Fronteira, observar o êxito dos dossiers na
pesquisa acadêmica e a evolução cronológica dos assuntos mais frequentes.

Palavras-chave: assuntos; artigos; interdisciplinaridade; dossier; bibliometria

22
VII

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E CONSUMO ALIMENTAR DE FAMÍLIAS


RIBEIRINHAS RESIDENTES NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA
Bruna Fernanda Antonio Clímaco
Beatriz Lima de Paula Silva

O objetivo é identificar o estado nutricional e a frequência semanal do consumo alimentar de famílias


ribeirinhas residentes no Pantanal Sul-Mato-Grossense. Método: Estudo descritivo, realizado com
ribeirinhos de ambos os sexos, residentes em uma comunidade tradicional, na faixa de fronteira
Brasil/Bolívia. Foram coletados dados socioeconômicos, de antropometria (peso, altura, circunferência da
cintura) e consumo alimentar (formulário de marcadores de consumo alimentar). A análise qualitativa da
alimentação foi classificada de acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira. O estado nutricional
segundo os critérios adotados pela Organização Mundial da Saúde. Resultados: 61,5% estão adequados,
30,8% acima do peso e 7,7% com baixo peso. A maior prevalência de excesso de peso e risco metabólico
foi entre as mulheres. A frequência alimentar semanal das famílias se encontra insuficiente e com pouca
variedade dos grupos de alimentos protetores á saúde. Conclusão: São necessárias orientações e estratégias
que auxiliem essas famílias a melhorarem a qualidade de vida.

Palavras-chave: Frequência alimentar; Estado nutricional; Ribeirinhos; Pantanal; Fronteira

SAÚDE MENTAL E MILITARES, UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA


Isabela Faria Berno
Júlio Ricardo França
Vanessa Catherina Neumann Figueiredo
Os militares que trabalham na região fronteiriça Brasil-Bolívia vivenciam pressão constante de
treinamento, tensão e sobrecarga ao atuarem em diferentes operações de Segurança Nacional, além das
peculiaridades institucionais das organizações militares. Este artigo objetiva identificar a produção
científica sobre saúde mental de militares na fronteira Brasil-Bolívia. Por meio de uma revisão integrativa
na literatura utilizando os descritores: “saúde mental” e “militares” na base de dados SciELO, sem corte
temporal. Sete pesquisas encontradas foram categorizadas de acordo com os coletivos de trabalho. Os
estudos indicaram a ocorrência de transtorno mental comum, transtorno mental e comportamental,
doenças como etilismo, tabagismo e presenteísmo. Salienta-se que a escassez de estudos sobre as vivências
subjetivas no trabalho das forças armadas que atuam nas fronteiras do país demonstra a urgência da
realização de mais pesquisas que possam contribuir para o desenvolvimento de uma assistência psicológica
e manutenção da qualidade de vida desses profissionais.
Palavras-chave: militares; saúde mental; fronteira; forças armadas; psicodinâmica do trabalho
23
VII

Eixo temático 2 – Movimentos de população hoje e no passado:


migrações, colonização, redes, histórias e memórias

24
VII

A CONSOLIDAÇÃO DA FRONTEIRA SUL-MATO-GROSSENSE E AS RELAÇÕES COM


O PARAGUAI AO LONGO DOS DIFERENTES PERÍODOS DA HISTÓRIA BRASILEIRA
Robson de Araújo Filho
Camilo Pereira Carneiro Filho
Tito Carlos Machado de Oliveira

O presente trabalho apresenta a evolução das relações entre Brasil e Paraguai enfocando a formação da
fronteira e da zona fronteiriça do atual estado de Mato Grosso do Sul com o país vizinho, e visa demonstrar
que estas relações se incrementaram gradual e continuamente a cada período histórico, tendo as fronteiras
papel primordial em seu delineamento. Cada seção equivale a um período histórico representativo e
definidor das dinâmicas e eventos ali ocorridos. As interações entre os países abrangeram inicialmente
estratégias bélicas e de disputa territorial, passando à forma colonizadora, e são, desde o fim do governo
Stroessner e do advento do Mercosul, regidas por uma lógica neoliberal de estímulo à atividade
empreendedora através de investimentos em infraestrutura e desregulação ou simplificação tributária,
impulsionando o dinamismo nas áreas de fronteira.
Palavras-chave: Paraguai; Fronteira; Mato Grosso do Sul; Matte Larangeira; Migrações

AS IMPLICAÇÕES DO RECONHECIMENTO DA CONDIÇÃO DE REFUGIADO PARA


OS VENEZUELANOS
Francielle Vascotto Folle
Nathália Alves de Oliveira
César Augusto Silva da Silva
A Venezuela durante boa parte do século XX era atrativa e chegou a ser um local de recebimento de
migrantes. Não obstante, na segunda década do século XXI teve seu perfil migratório totalmente revertido
por conta de uma crise econômica causada pela falência na politica venezuelana. A diáspora venezuelana
apresenta a uma dinâmica única onde observa-se a fluidez e a imprevisibilidade das rotas. Observou-se a
tentativa por parte do Estado de inviabilizar a integração local que seria a alternativa douradora proposta,
optando-se pela interiozação deste grupo que primeiramente foram reconhecidos como acolhidos
humanitários temporários, mas essa definição para o ACNUR não seria a mais adequada aos migrantes
venezuelanos, pois eles são refugiados que se deslocam devido a grave e generalizada crise econômica. O
presente trabalho consiste em uma pesquisa interdisciplinar, sob a ótica das Relações Internacionais e do
Direito, com a abordagem hipotético-dedutiva através da analise bibliográfica e documental.
Palavras-chave: Venezuelanos; Refugiados; ACNUR; CONARE; Acolhida

25
VII

CORUMBÁ-MS: O RETORNO DA MIGRAÇÃO INDOCUMENTADA DE HAITIANOS NO


BRASIL
Alex Dias de Jesus

O permanente quadro de pobreza estrutural vigente no Haiti fez com que milhões de haitianos buscassem
na migração alternativas para a melhoria das condições de vida. A partir de 2010, alguns países da América
do Sul passaram a fazer parte dos destinos dos migrantes haitianos que, por meio de redes sociais,
conectam os vários espaços dessa antiga e intensa mobilidade. Entretanto, as respostas à migração haitiana
na América do Sul tem sido a implementação de políticas restritivas por parte dos governos dos países de
destino e de trânsito. Diante disso, o presente artigo objetiva analisar a recente mobilidade internacional
de haitianos que abandonam o Chile e ingressam de maneira indocumentada no Brasil através do
município de Corumbá, no estado do Mato Grosso do Sul.

Palavras-chave: Haitianos; Migração indocumentada; Chile; Bolívia; Fronteira

DIGNIDADE HUMANA SEM FRONTEIRAS: MIGRAÇÃO E REFUGIADOS NO BRASIL


Gabriela Oshiro Reynaldo
Livio Acosta Garcia Gomes
Lucio Flávio Joichi Sunakozawa

Desde os primórdios da humanidade a situação dos refugiados se perfaz como um trágico fenômeno que
assola a existência humana. Muitos são os motivos que envolvem tal problemática: raça, crença, opinião
política, dentre outros. Atualmente, tais fluxos se intensificaram tanto, a ponto da ONU indicar que o
desde a Segunda Guerra Mundial não haviam tantos deslocados pelo mundo. Assim, o presente estudo
objetiva apresentar dados gerais sobre a imigração internacional no Brasil, com foco em três dos principais
grupos de refugiados, que tem adentrado em maior número, pelas fronteiras, ao território brasileiro, que
são: bolivianos, venezuelanos e haitianos. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo e de revisão
bibliográfica. Entende-se que, apenas conceder o status de refugiado não sana a violência, a xenofobia, o
desemprego e os assassinatos dos quais esses povos vem sendo vítimas.

Palavras-chave: Refugiados; Estado Brasileiro; Direitos Humanos; Proteção aos refugiados; CONARE

26
VII

DISCUSSÕES ACERCA DA NECESSIDADE DE INSTALAÇÃO DE COLÔNIAS


AGRÍCOLAS NO SUL DE MATO GROSSO (1889-1920).
Vinicius Rajão da Fonseca

O presente artigo tem como objetivo fazer uma discussão entre a configuração da fronteira no sul de Mato
Grosso nas décadas finais do século XIX e os discursos sobre a necessidade da colonização do estado,
através da instalação de núcleos coloniais agrícolas. Essa análise foi feita com base na colônia de Terenos,
a primeira experiência de colonização pública no estado. Para tanto, utilizaremos como fonte os relatórios
de presidente de estado e intendência. A partir da análise, podemos perceber que ao longo do período
citado, os governantes mato-grossenses criaram um discurso acerca da indispensabilidade de colonizar o
território, baseando-se em argumentos como a deficiência das vias de comunicação, pequena produção
agrícola, entre outros fatores.

Palavras-chave: Colonização; Fronteira; Colônias agrícolas; Discurso; Mato Grosso

ESPACIALIDADES FRONTEIRIÇAS E PRÁTICAS SOLIDÁRIAS: BOLIVIANAS EM


RELAÇÕES DE VIZINHANÇA E DE COMÉRCIO EM CORUMBÁ, MS, BRASIL
Milton Mariani
Jéssica Canavarro Oliveira
Marco Aurélio Machado de Oliveira

Este artigo tem por objetivo demonstrar as formas como mulheres imigrantes em fronteira se articulam e
desenvolvem meios de sobrevivência. Isso, desde redes familiares a relações de vizinhança. Nossa pesquisa
foi realizada no Bairro Popular Nova, em Corumbá, MS, na fronteira Brasil-Bolívia. Fizemos uso de
procedimentos metodológicos que pudessem dar conta de uma realidade que as fontes documentais
tradicionalmente utilizadas, como protocolos, ofícios, jornais, etc., não atingem. Assim, o uso de uma
abrangente revisão bibliográfica, bem como a aplicação de técnicas da História Oral, nos possibilitou
verificar o quanto essas imigrantes tiveram a fronteira como espaço de socializações, conflitos e,
principalmente através das práticas do comércio, garantias de suas sobrevivências e de seus familiares.

Palavras-chave: Fronteira; Feminização da Imigração; Solidariedade; Corumbá; Sobrevivência

27
VII

GLOBALIZAÇÃO E A INTEGRAÇÃO INACABADA: ANÁLISE JURÍDICA DA


MIGRAÇÃO NO MERCOSUL
João Victor Maciel de Almeida Aquino
Fabiano Diniz de Queiroz
Ynes da Silva Félix

A muitos parece que o tema da globalização já resta quase que totalmente exaurido, tendo em vista o
número de produções científicas e bibliográficas que foram realizadas sobre o tema nos últimos anos em
seus mais diversos aspectos, seja o político, o econômico ou social. No entanto, vale ressaltar que o tema
ainda possui uma série de pontos a serem investigados, principalmente no tocante aos efeitos jurídicos que
se identificarão a partir do fenômeno globalizatório. Este trabalho procurou pesquisar a correlação
existente entre a globalização e a migração, abordando as decorrências jurídicas originadas desse fato no
âmbito dos fluxos migratórios na região geográfica do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL).
Palavras-chave: Migração; Mercosul; Globalização; Direitos Humanos; Direito Internacional

NOTAS INICIAIS SOBRE O SURGIMENTO DE RELAÇÕES TRANSFRONTEIRIÇAS


COTIDIANAS ENTRE PATO BRAGADO E NUEVA ESPERANZA, MUNICÍPIOS DA
ZONA DE FRONTEIRA BRASIL-PARAGUAY
Aline Kammer
Maristela Ferrari

Este trabalho tem por objetivo analisar quais os fatores que contribuíram para o surgimento de relações
transfronteiriças num segmento da zona da fronteira brasileiro-paraguaia, formado pelos municípios de
Pato Bragado (Paraná - BR) e Nueva Esperanza- (Dept. de Canindeyú - PY). A análise, parte do ano de
1982, notadamente ano da formação do Reservatório da Usina Hidrelétrica da Itaipu quando se observa a
emergência de interações transfronteiriças entre os dois municípios. Evidenciamos que as redes de
interação transfronteiriças são recentes e se devem, sobretudo, as profundas mudanças ocorridas na região,
com a formação do Lago de Itaipu, também nominado de reservatório da Hidrelétrica de Itaipu sobre o
rio Paraná. Tal fato, modificou inclusive a característica do limite internacional, de limite obstáculo tornou-
se permeável e contribuiu para o desenvolvimento de práticas sócio espaciais transfronteiriças cotidianas
que lá ocorrem à revelia dos dois Estados nacionais, pois o ponto de passagem entre os dois territórios
não foi legalizado entre Brasil e Paraguay.
Palavras-chave: Zona de fronteira; redes de interação transfronteiriças; Pato Bragado; Nueva Esperanza;
Fronteira

28
VII

O DIREITO AO DESENVOLVIMENTO DO IMIGRANTE NO BRASIL


Luiz Rosado Costa
Tania Regina Silva Garcez

O Brasil foi historicamente construído em grande parte com auxílio de braços migrantes e vem ainda
sendo movido com a força desses braços. O presente trabalho usará o método dedutivo com pesquisa
exploratória, bibliográfica documental e descritiva E visa a trazer uma análise do direito ao
desenvolvimento do imigrante diante NO ordenamento jurídico brasileiro atual e se este direito vem sendo
efetivado, protegido e garantido por estes.

Palavras-chave: Direitos Humanos; Migrações; Desenvolvimento; Política migratória; Lei 13.445/2017

O FLUXO MIGRATÓRIO NA FRONTEIRA BRASIL-VENEZUELA


Julia Paulino
Nayra Paye Pereira Kaxuyana
Matheus C. Carvalho

O presente artigo apresenta um breve relato sobre a história da República Bolivariana da Venezuela, feita
a partir de uma revisão bibliográfica para elucidar o contexto da crise e sua relação com os demais países
americanos por meio da abordagem geopolítica. Deu-se ênfase especial à análise dos impactos causados
pela migração na cidade de Pacaraima, localizada no estado de Roraima, fronteira com Santa Helena de
Uairén na Venezuela; possibilitando também uma discussão acerca da política de interiorização proposta
pelo estado brasileiro, em que são ponderados e comparados os impactos na cidade díade fronteiriça de
Pacaraima e em todo o território nacional brasileiro.

Palavras-chave: migração; Venezuela; Díade fronteiriça; geopolítica; interiorização

29
VII

OS REFLEXOS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO JUSCELINO KUBITSCHEK


(1956-1961) NOS FLUXOS MIGRATÓRIOS PARA CORUMBÁ/MS
Thais Da Silva Alpires
Claudia Araujo de Lima

Atualidade nos provoca questionamentos a cerca dos fluxos migratórios, principalmente quando estão tão
próximos do nosso cotidiano. Os fluxos de pessoas que transita pela cidade de Corumbá carregam
informações preciosas para estudo da migração. É possível que ainda haja muito que se descobrir sobre a
região, em relação à migração. Mas objetivo desse estudo é investigar os reflexos da política externa
adotada no governo de Juscelino Kubitschek, que inferiram nos fluxos de migração internacional para a
cidade de Corumbá, sendo consequência da política pública adotada em seu governo. A pesquisa tem
caráter social, pois traz contribuições da história da cidade, tem natureza descritiva, pois apresenta a politica
externa adotada no governo mencionado, assim como, faz uso de material bibliográfico. Acredita-se que
o plano governamental, ainda que de forma acidental, causou a reorientação do fluxo migratorio
internacional para a região de Corumbá.

Palavras-chave: Mato Grosso do Sul; Corumbá; Migração Internacional; Políticas Públicas; Política
Externa Brasileira

PRESENÇAS DE MIGRANTES INTERNACIONAIS NA EDUCAÇÃO E NA


ASSISTÊNCIA SOCIAL EM FRONTEIRA
Marco Aurélio Machado de Oliveira
Renata Miceno Papa de Almeida
Mabel Marinho Sahib Aguilar

Este artigo tem como objetivo demonstrar a presença de migrantes internacionais em alguns dos serviços
de educação e assistência social oferecidos em Corumbá, MS, Brasil. Nossos estudos foram balizados por
conceitos de fronteira que dessem conta de entender como as esferas administrativas em questão têm que
lidar com esse público e suas especificidades. Para tanto, as etapas metodológicas adotadas foram: ampla
revisão bibliográfica, coleta e sistematização de dados nos órgãos investigados e realização de abordagens
junto aos seus funcionários. Os resultados foram: demonstração de variadas nacionalidades e conflitos de
opiniões a respeito da presença desses grupos sociais.

Palavras-chave: Fronteira; Migrações Internacionais; Educação; Assistência Social; Política


30
VII

UM HISTÓRICO DA POLÍTICA MIGRATÓRIA BRASILEIRA A PARTIR DE SEUS


MARCOS LEGAIS (1808-2019)
Luiz Rosado Costa
José Eduardo melo de Souza
Lívia Cristina dos Anjos Barros
O Brasil careceu em sua história de marcos legais sobre migrações elaborados na vigência de regimes
democráticos: as redemocratizações ocorridas com o fim do Estado Novo e da Ditadura Militar e as
respectivas constituições, de 1946 e 1988, não romperam de imediato com as políticas migratórias
restritivas dos regimes autoritários que as antecederam. Assim, este trabalho descritivo e exploratório, por
meio dos métodos de pesquisa bibliográfica e documental, visa a analisar os principais marcos legais que
regularam as políticas migratórias estatais no Brasil de 1808 até o presente com a entrada em vigor da Lei
13.445/2017, a Nova Lei de Migração que, sob uma inédita perspectiva humanizante, passou a tratar das
migrações como um fenômeno globalmente integrado e no qual o Brasil se insere como país de trânsito,
saída e destino.

Palavras-chave: Política migratória; Legislação migratória; Direitos humanos; 1808-2018; Xenofobia

31
VII

Eixo temático 3 – Territórios e territorialidades nas fronteiras:


integração, desenvolvimento, políticas públicas, urbanização, comércio
e desenvolvimento local

32
VII

A CONTRIBUIÇÃO JURÍDICA DA MARINHA DO BRASIL NO DESENVOLVIMENTO


ECONOMICO, SOCIAL E PROTEÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DOS MUNICÍPIOS
DE CORUMBÁ E LADÁRIO-MS
Antonio José de Jesus Júnior
Lidiane de Brito Curto
Considerando a presença secular da Marinha do Brasil nos municípios de Corumbá e Ladário,objetiva-se
levar ao conhecimento do meio acadêmico e sociedade civil, com vistas a evidenciar, de maneira geral, a
importância da força naval na fronteira Oeste do país e de forma específica fortalecer a consciência
marítima no consciente coletivo das populações das regiões apreciadas e demonstrar a contribuição
econômica, social e proteção ambiental da marinha nas regiões de Corumbá e Ladário. Para tanto se
procede à metodologia de pesquisa aplicada a fim de geração de conhecimentos em fontes documentais
públicas, administrativas e jurídicas. Desse modo, observa-se que ao serem analisados os dados pertinentes
a orçamento, pagamento de pessoal, licitações, recolhimento de impostos e na proteção e fiscalização dos
aspectos ambientais, permite-se concluir que juridicamente a marinha brasileira contribui de forma difusa
e coletiva para o desenvolvimento econômico e social da região, irrigando recursos nos mais diversos
segmentos, em projetos sociais relevantes e no apoio fiscalizador de atividades que possam trazer danos
ambientais.
Palavras-chave: Marinha do Brasil; Corumbá e Ladário; Orçamento; Licitações; Meio Ambiente

A TERRITORIALIDADE DA REDE BANCÁRIA NO ESTADO DE RONDÔNIA:


CONCENTRAÇÃO E DISPERSÃO DOS AGENTES FINANCEIROS
Fábio Brito dos Santos
Décio Keher Marques
Edwarda de Paula Soares Ojopi
A finança, variável chave da dinâmica econômica e da reprodução dos interesses hegemônicos, cria novas
políticas reinventando-se por meio de formas diversas de circulação do dinheiro no território brasileiro.
Contudo, ainda que mantenha autonomia relativa na reprodução do atual período, depende também de
mecanismos que contribuem para a expansão da capilaridade das atividades financeiras. Ademais, esta
reprodução, entretanto, realiza-se em consonância com os novos arranjos organizacionais submetidos, por
sua vez, às intencionalidades de inúmeros agentes, em especial os bancos. Essa lógica também não escapa
aos bancos que possuem uma rede diversificada de fixos geográficos por todo o território nacional (Banco
do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Bradesco etc.), em particular no estado de Rondônia. Dessa
forma, partindo de uma concepção geográfica da relação da finança com o território, pretendemos
apresentar um panorama da distribuição da rede bancária no território rondoniense.
Palavras-chave: Território; Finança; Concentração e Dispersão; Rede Bancária; Rondônia

33
VII

AÇÕES PARA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO: UM ESTUDO NO CEREST DE


CORUMBÁ-MS
Dalton Monteiro de Souza
Fernando Thiago
Esta pesquisa teve como objetivo levantar e discutir as ações educativas para saúde e segurança do
trabalho, realizadas pelo Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) de Corumbá-MS. O
Cerest tem a finalidade de promover ações que tragam melhoria das condições do trabalho e qualidade de
vida dos trabalhadores, tais ações ocorrem por meio da promoção, prevenção e vigilância dos ambientes
de trabalho. Foi realizada uma pesquisa qualitativa, descritiva, utilizando a técnica de análise documental.
A amostra consistiu dos arquivos e relatórios elaborados pelo Cerest. Quanto aos resultados das ações,
todos os relatórios apontam a importância das ações educativas para a emancipação dos trabalhadores
frente aos problemas com segurança e saúde no trabalho. Mostra também que há retorno por parte dos
trabalhadores em melhorias implantadas nos ambientes de trabalho após as inspeções, fiscalizações e/ou
palestras.

Palavras-chave: Segurança do trabalho; Saúde no Trabalho; Educação para saúde e segurança no


trabalho; CEREST; Gestão Pública da Saúde

ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO NO MUNICÍPIO DE CORUMBÁ/MS:


POTENCIALIDADES E IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS
Paulo Cesar dos Santos Martins
Dr. Tomaz Espósito Neto
No Brasil, as Áreas de Livre Comércio (termo que na legislação brasileira corresponde a zonas francas)
estão presentes em regiões geográficas estratégicas, sendo criadas com o intuito de fortalecer e intensificar
o desenvolvimento econômico e industrial. Nesse sentido, e tendo como pano de fundo o Projeto de Lei
533/2015, que propõe a criação de uma Área de Livre Comércio no município de Corumbá/MS, a
presente pesquisa busca analisar os impactos advindos da possível criação de uma zona franca no
município supracitado, levando em consideração as dinâmicas regionais e a conjuntura econômica
existente. Partindo de um enfoque interdisciplinar, o presente trabalho busca compreender se o projeto
de Áreas de Livre Comércio teria elementos capazes de promover e impulsionar o desenvolvimento
econômico da região. Para além do arcabouço teórico e bibliográfico, o artigo é embasado em entrevistas
e trabalho de campo.

Palavras-chave: Área de Livre Comércio; Políticas Públicas; Desenvolvimento Econômico; Fronteiras;


Corumbá

34
VII

AS EXPERIÊNCIAS DE COMPRA DE PRODUTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR DA


BASE FLUVIAL DE LADÁRIO (BFLA)
Leonardo Barbosa Araújo
Edgar Aparecido da Costa

Este trabalho tem por objetivo apresentar algumas reflexões sobre a experiência de compra da agricultura
familiar pela Marinha do Brasil na fronteira Brasil-Bolívia. Utiliza-se de pesquisa bibliográfica, documental
e participante como procedimento metodológico. Observou-se, a partir de 2015, que a BFLa passou a
adquirir gêneros da agricultura familiar dos municípios de Ladário e Corumbá, em função da entrada em
vigor do Decreto nº 8.473/2015, que obriga os órgãos e entidades da administração pública federal a
destinar 30% do total de recursos no exercício financeiro à aquisição de gêneros alimentícios da agricultura
familiar. O 6ºDN consome, em média, dez toneladas de alimentos da agricultura familiar por ano, podendo
ampliar esse quantitativo. Há pouca participação dos agricultores nas chamadas públicas realizadas,
carecendo de novas estratégias para ampliar a participação de um maior número de famílias camponesas.
Palavras-chave: Compras públicas; Fronteira; Marinha do Brasil; agricultura familiar; administração
pública

AS TRAMAS DO CAPITALISMO ENTRELAÇANDO AS RELAÇÕES FRONTEIRIÇAS


Kamila Madureira da Silva
Matheus Martins de Araujo Irabi
Alexandre Bergamin Vieira

O presente texto discute as reflexões obtidas no Trabalho de Campo em um acampamento de luta pela
terra localizado na Linha Internacional Brasil-Paraguai, no município de Mundo Novo. Nossas
observações partiram de uma metodologia de Campo que buscou diálogo direto com os moradores,
buscando compreender a lutas pessoais e coletivas, suas trajetórias/histórias de vida e o seu cotidiano,
além das dificuldades enfrentadas nesse território. Durante a pesquisa constatamos uma divisão interna
entre as cerca de 60 famílias, relacionadas, principalmente às nacionalidades: brasileira, paraguaia e
“brasiguaios”. A instrumentalização da pesquisa através do Trabalho de Campo nos possibilitou a
percepção de um espaço complexo, disputado por diferentes forças da sociedade e que tem enfrentado
problemáticas internas e externas, para buscar sua resiliência e adquirir a posse de seu lote. Por fim, o
campo nos propiciou entender os processos de desigualdade e exclusão enfrentados no acampamento,
criando alteridade entre as famílias.
Palavras-chave: Fronteira; Território; Capitalismo; Identidade; Desigualdade

35
VII

BRASIL E PARAGUAI: OLHARES SOBRE OS SUJEITOS E SITUAÇÕES DE FRONTEIRA


Midiane Scarabeli Alves Coelho da Silva
Mirella Lacerda Teixeira de Souza

Os estudos fronteiriços nos possibilitam compreender que há fronteiras com maior fluidez, outras foram
extintas historicamente e mais algumas se posicionam como áreas de guerras, por exemplo. Neste sentido,
o intuito deste trabalho é fazer uma análise diante das observações realizadas sobre a situação dos indígenas
Guarani Kaiowá em Dourados-MS, como também a respeito da fronteira entre Brasil e Paraguai enquanto
áreas de contato que desempenham os sujeitos e situações de fronteira. Sendo assim, o percurso
metodológico adotado foi o método qualitativo, sendo produzido o levantamento do referencial teórico
sobre o tema; descrição das observações de campo e alusão aos registros das conversas informais dos
sujeitos fronteiriços. Deste modo, salienta-se que embora existam políticas de governos que tentam
delimitar, marcar, separar e/ou inibir questões de terras e fronteiras, é notável as complexidades presentes
nestes emaranhados e entrelaços de sujeitos e situações de fronteira.
Palavras-chave: Fronteira; Guarani Kaiowá; Brasil; Paraguai; Sujeitos

CARACTERIZAÇÃO GEOGRÁFICA PRELIMINAR DA FAIXA DE FRONTEIRA DO


ESTADO DO AMAZONAS
André Zumak Azevedo Nascimento
Tatiana Schor
Nicolle Figueira

A Faixa de Fronteira do Estado do Amazonas, composta por 21 Municípios, é constituída principalmente


pelas bacias dos Rios Negro, Solimões, Juruá e Purus. Toda esta região é constituída de Terras Indígenas
e possui grande diversidade cultural e ambiental. Alguns Municípios cresceram nos últimos 27 anos, e
agregado a este crescimento foram identificados alguns problemas, falta de saneamento básico e acesso a
luz elétrica. Outra contribuição dessa caracterização, e a de que a Amazônia não é uma "Terra sem
Homens", por meio do estudos das redes urbanas e de novas formas de abordagem foi possível observar
que existem muitas localidades no interior dos municípios, ao longo das bacias hidrográficas. Os processos
contemporâneos de urbanização na Amazônia, em especial na Faixa de Fronteira, precisam ser melhor
analisados. Propõe-se realizar análise espacial e demográfica das interações urbanas, fluxos e fixos, nos
municípios que pertencem a Faixa de Fronteira no Amazonas.
Palavras-chave: faixa de fronteira; demografia; rede urbana; diversidade cultural e ambiental;
desigualdade

36
VII

COOPERAÇÃO INTERNACIONAL E NÚCLEOS URBANOS COM ARTICULAÇÕES


FRONTEIRIÇAS ENTRE BRASIL E BOLÍVIA
André Vieira Freitas

A fronteira entre Brasil e Bolívia é marcada por uma diversidade de níveis de intercâmbios, em especial
em núcleos urbanos que se articulam através do limite internacional. Tendo em vista estas relações, a título
de cooperação na região, os dois países firmaram, em 2004, um acordo para garantir uma série de direitos
relativos a residência, estudo e trabalho às suas populações fronteiriças, reconhecendo alguns núcleos
urbanos como “localidades fronteiriças vinculadas”. Considerando o seu alcance geográfico e o seu
reconhecimento pela legislação de ambos os países, esta medida de cooperação é analisada neste trabalho
como uma norma que se relaciona ao uso do território e indica para uma maior porosidade na fronteira.

Palavras-chave: fronteira; território usado; Brasil; Bolívia; localidades fronteiriças vinculadas

CRUZAR A FRONTEIRA INTERNACIONAL FOZ DO IGUAÇU – CIUDAD DEL ESTE:


ADENTRANDO O PARAÍSO DO CONSUMO
Matheus Guimarães Lima

Grande parte dos fluxos transfronteiriços Foz do Iguaçu (Brasil) – Ciudad del Este (Paraguai) ocorre em
razão das transações comerciais que são possíveis na cidade paraguaia, pra onde diariamente milhares de
brasileiros se dirigem, buscando produtos diversos a preços inferiores aos praticados no Brasil, seja para
uso pessoal ou para revenda posterior com margem de lucro, que pode ser significativa. Dessa forma,
tomamos como objetivo, aparando-nos em diversas perspectivas sobre o conceito de fronteira, discorrer
sobre o significado de cruzar a fronteira internacional com o objetivo principal de fazer compras.
Metodologicamente, amparamo-nos em pesquisas bibliográficas e pesquisas de campo. O aporte
bibliográfico e as observações realizadas em campo possibilitaram aferir que, nos tempos atuais, cruzar a
fronteira entre as duas cidades simboliza, para muitos sujeitos, adentrar o “paraíso do consumo”.

Palavras-chave: Fronteira; Território; Comércio; Foz do Iguaçu; Ciudad del Este

37
VII

DINÂMICAS E ESPACIALIDADES DAS FEIRAS LIVRES NAS FRONTEIRAS ENTRE


BRASIL-BOLÍVIA E BRASIL-PARAGUAY
Éder Damião Goes Kukiel
Érica dos Santos Oliveira
Cláudia Veras da Silveira
Este trabalho tem como objetivo analisar as dinâmicas e espacialidades feiras livres nas fronteiras entre
Brasil-Bolívia e Brasil-Paraguay, nos municípios de Corumbá, Ladário e Ponta Porã, ambos no estado do
Mato Grosso do Sul, e a cidade de Pedro Juan Caballero no Departamento de Amambay, Paraguai. Como
procedimento metodológico utilizou-se de pesquisa bibliográfica e documental, cartografia e conversas
dirigidas com agentes participantes dessa pesquisa. Os resultados indicam que essas feiras localizadas nas
cidades fronteiriças representam locais de encontro e trocas, onde se comercializam diversos produtos
com destaques para as hortaliças, hortifrutis, roupas e comidas típicas. Verificou-se que a fronteira se faz
presente na forma como esses produtos são adquiridos e circulam nesse espaço ou mesmo quando
ocorrem às fiscalizações de instituições públicas.

Palavras-chave: Feira livre; Fronteira; Comércio; Limite; Trocas

FLUXOS E MOBILIDADES TRANSFRONTEIRIÇAS: UMA REFLEXÃO A PARTIR DOS


ESTUDANTES BRASILEIROS DE MEDICINA EM PEDRO JUAN CABALLERO –
PARAGUAY
Claudia Vera da Silveira
Luiz Felipe Rodrigues
Éder Damião Goes Kukiel
O objetivo do trabalho é compreender o fluxo de estudantes brasileiros para as universidades localizadas
na cidade de Pedro Juan Caballero, e a partir disso buscar identificar quais são os agentes, as motivações,
os conflitos e os efeitos desse fluxo na conjuntura dessa cidade fronteiriça. Nas cidades fronteiriças, há
uma variedade de fluxos de pessoas, mercadorias e informações que transitam de um lado ao outro da
fronteira. Essas interações são condicionadas por uma série de fatores: oscilações dos valores monetários,
diferenças na qualidade e provimento de serviços, diferença de preços e variedade de produtos, oferta de
emprego, entre outros. Nessa conjuntura, os limites possibilitam a existência de uma variedade de práticas
singulares que fazem da fronteira uma estratégia. Desse modo, compreender tais fluxos, considerando as
passagens e os bloqueios, nos permite apreender a fronteira em sua dinamicidade, bem como, suas
integrações e desintegrações.
Palavras-chave: Faculdade de medicina; Fronteira; Mobilidade; Estudantes; Estudantes brasileiros

38
VII

GESTÃO COMPARTILHADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM CIDADES DA FRONTEIRA


BRASIL-PARAGUAI.
Aline Robles Brito
Fabrício José Missio

As relações entre Brasil e Paraguai são caracterizadas por particularidades históricas, sociais, culturais,
políticas e econômicas que resultaram em situações de cooperação e conflito. Essas relações se
intensificam em razão da proximidade geográfica e do fato de que muitos dos seus recursos naturais são
indissociáveis pois ultrapassam os limites geopolíticos e jurisdicionais impondo interdependência e
vulnerabilidade ambiental. Este é o caso da gestão dos resíduos sólidos. O artigo tem por objetivo traçar
um panorama normativo acerca da gestão compartilhada de resíduos sólidos para as cidades fronteiriças
entre Brasil-Paraguai. O escopo metodológico do estudo classifica-se em descritivo e exploratório, de
natureza qualitativa e fundamentado com uma pesquisa bibliográfica-documental. As conclusões mostram
que a gestão compartilhada de RSU em cidades fronteiriças exigiria que alguns impasses institucionais e
estruturais fossem superados, o que demanda interesse político, recursos e esforços das distintas esferas
governamentais de ambos países.
Palavras-chave: Relações Internacionais.; Resíduos urbanos fronteiriços.; Gestão pública na fronteira.;
RSU no Brasil; RSU no Paraguai

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO DE ESTUDOS SOBRE DIREITO AMBIENTAL


COMPARADO DE RECURSOS NATURAIS TRANSFRONTEIRIÇOS
Fernando Lara Rocha de Almeida
Luciana Escalante Pereira

Este artigo tem como objetivo fazer um levantamento de estudos desenvolvidos sobre Direito Ambiental
Comparado em área de fronteira. Adotaram-se as técnicas Informétricas e Cienciométricas e foi
selecionada a base de dados Unbral Fronteiras. Foram utilizados os termos: Direito Ambiental, Legislação
Ambiental Comparada e Direito Ambiental Internacional. O levantamento encontrou 29 estudos, os quais
foram publicados entre 2002 e 2015 (média = 2,07 por ano). Eles têm origem em 5 estados do país: São
Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Pernambuco. São Paulo apresenta a maior
produção com 12 trabalhos desenvolvidos. O Brasil foi parâmetro em 82% dos estudos e os países do
Mercosul foram os mais analisados em relação ao direito brasileiro. Constata-se a necessidade e
importância de novos estudos que vislumbrem o Direito Ambiental Comparado no país, pois assim obter-
se-ão subsídios para melhor gerir recursos ambientais compartilhados como o Pantanal e a Amazônia.
Palavras-chave: Cienciometria; Informetria; Direito Ambiental Comparado; Unbral; Fronteira

39
VII

MOVILIDAD Y URBANIDAD EN PROCESOS DE MIGRACIÓN DE TRÁNSITO: DE LA


FRONTERA SUR AL ÁREA METROPOLITANA DE GUADALAJARA
Edilma de Jesus Desidério
Julio Santiago Hernández
Heriberto Vega Villaseñor

A migração de trânsito no território mexicano produz-se por distintas formas de mobilidade e requer de
baixos níveis de visibilidade que os expõe a riscos constantes. O objetivo é analisar a forma de uso do
transporte ferroviário conhecido como La Bestia e a produção de territorialidades migratórias no passo,
da fronteira sul à Área Metropolitana de Guadalajara. O marco teórico fundamenta-se na produção e
apropriação do espaço público e as estratégias utilizadas pelas pessoas migrantes para transportar-se e
realizar sua prática cotidiana. A metodologia retoma a informação de pesquisas aplicadas à população
migrante em trânsito, em diferentes momentos, integrando registros etnográficos e quantitativos (EMIF,
2014-2015). Os resultados mostram as contradições que se manifestam nos espaços produzidos pela
mobilidade, apropriação do transporte ferroviário e a construção de urbanidades, na perspectiva dos
grupos centro-americanos.

Palavras-chave: Mobilidades; Urbanidades; Fronteira; Migração de trânsito; México

O COMÉRCIO DE HORTALIÇAS NA FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA


Edison Di Fabio

Este trabalho tem por objetivo apresentar algumas reflexões sobre o comércio de hortaliças na fronteira
Brasil-Bolívia. Utiliza-se de pesquisa bibliográfica como procedimento metodológico. Observou-se que os
espaços fronteiriços são palcos de diversas tramas territoriais. O comércio de hortaliças é dominado pelos
bolivianos nas cidades brasileiras de Corumbá e Ladário. São territorialidades elaboradas a partir da
experimentação, simultânea e cotidiana, de distintos territórios.

Palavras-chave: Agroecologia; Cidades-gêmeas; Comércio fronteiriço; Fronteira; Território

40
VII

O DESENVOLVIMENTO SOCIAL COMO MECANISMO DE INTEGRAÇÃO REGIONAL


NA FRONTEIRA DE PONTA PORÃ E PEDRO JUAN CABALLERO
Tamyris Cristiny Souza Rocha
Tomaz Espósito Neto

Trata-se de estudo acerca da importância das fronteiras na integração regional, e no desenvolvimento


social. A integração e o desenvolvimento regional das regiões de fronteira tem sido constante objeto de
preocupações e análises, inicialmente e principalmente no âmbito econômico em razão da criação do
MERCOSUL.
Todavia, motivados pela inclusão das questões sociais na agenda do MERCOSUL, as fronteiras passaram
a ter papel importantíssimo tanto na análise das demandas existentes neste campo, como também para o
estudo de políticas públicas que permitam a efetiva cooperação entre os países do MERCOSUL, e assim
garantam a integração e desenvolvimento social.

Palavras-chave: Desenvolvimento; social; fronteiras; integração; regional

O PROCEDIMENTO DE DISCRIMINAÇÃO DAS TERRAS DEVOLUTAS INSERIDAS NO


MUNICÍPIO DE CORUMBÁ
Matias Pereira Rodrigues
Gilson da Silva Trajano

Este artigo propõe um estudo da discriminação das terras devolutas da União Federal realizadas pelo
INCRA no município de Corumbá, de acordo com as diretrizes estabelecidas na lei nº 6.383/1976. Através
das pesquisas junto ao acervo fundiário do INCRA buscou-se realizar um levantamento do histórico e a
identificação e delimitação das áreas já discriminadas e também das que são passíveis de serem instruídas
com o objetivo de arrecadação como terras devolutas na região da faixa de fronteira do município de
Corumbá. Dessa forma, apresenta a importância da organização e do ordenamento da estrutura fundiária
como estratégia governamental a ser realizado pelo Poder Público, auxiliando na compreensão dos
movimentos de uso e ocupação territorial, no desenvolvimento econômico e na preservação dos recursos
naturais do Pantanal sul-mato-grossense.

Palavras-chave: Pantanal sul-mato-grossense; Regularização fundiária; Discriminação de terras devolutas;


Faixa de fronteira; Políticas públicas

41
VII

O TRABALHO DO/DA ASSISTENTE SOCIAL EM TERRITÓRIO FRONTEIRIÇO:


POSSIBILIDADES DE AÇÃO
Natália Buginga Ramos da Costa Sachini
Mara Aline Ribeiro

Este estudo revela a atuação do profissional do Serviço Social, na fronteira Brasil/Bolívia, entre as cidades
de Corumbá e Puerto Quijarro, junto à população em condição de vulnerabilidade econômica que procura
a assistência social na Prefeitura Municipal de Corumbá, e tem como objetivo geral “Conhecer os limites
e possiblidades do exercício profissional do assistente social em uma região de fronteira”. Para tanto, o
caminho metodológico conta com levantamento bibliográfico e entrevistas semiestruturadas analisadas à
luz do Serviço Social e da interdisciplinaridade. Considerando que o projeto de pesquisa está em
andamento, os resultados ainda são preliminares.

Palavras-chave: Fronteira; Assistente Social; Imigrante

OCUPAÇÕES NO ESPAÇO DE FRONTEIRA: LUTA E RESISTÊNCIA.


Raphaella Elias Pereira
Alexandre Bergamin Vieira
Kamila Madureira da Silva

Este artigo trata das relações de uso e ocupação de área de fronteira, especificamente Brasil, Paraguai e
Argentina, diante das realidades apresentadas foram possíveis análises e reflexões sobre uso e ocupação
dos territórios fronteiriços. Ao realizar pesquisas junto aos sítios de busca virtual, encontramos
informações imprecisas sobre o assentamento “Linha Oito”, na fronteira entre o Brasil e Paraguai, assim
como da “Etnia Maká”, localizada na Ciudad del Este, Paraguai e no intuito de conhecer esses povos, sua
cultura e os motivos que os trouxeram para essas áreas, foi realizada visita a esses territórios, onde a
hospitalidade se apresentou de forma característica desses povos indígenas e não indígenas o que nos
proporcionou grande riqueza cultural e aprendizado. Na oportunidade, foi realizada a coleta de
depoimentos, durante conversas em roda de tereré, e de imagens, momentos e espaços, que demonstram
o valor do “lugar”, suas necessidades e a força da sua resistência.

Palavras-chave: Ocupação; Fronteira; Lugar; Cultura; Resistencia

42
VII

OS BOLIVIANOS COMERCIANTES DE HORTALIÇAS NA FEIRA LIVRE DE LADÁRIO


Leonardo Barbosa Araújo
Elisângela de Souza Cunha
Edgar Aparecido da Costa

Este trabalho tem por objetivo caracterizar o comércio de hortaliças realizado por feirantes bolivianos na
feira livre de sábado na cidade de Ladário, na fronteira Brasil-Bolívia. Utiliza-se de pesquisa de campo com
a técnica da observação, tendo por ferramenta o diário de campo. Observou-se que as assimetrias entre as
cidades gêmeas Ladário, Corumbá, Puerto Quijarro e Puerto Suárez funcionam como indutoras de
interações comerciais e culturais. Notam-se estratégias comerciais baseadas nas complementaridades.

Palavras-chave: Fronteira; Complementaridades; Territorialidades; Feira Livre; Ladário

OS DIREITOS TRABALHISTAS DOS RESIDENTES FRONTEIRIÇOS NO BRASIL


João Victor Maciel de Almeida Aquino
Fabiano Diniz de Queiroz
Mozart Victor Ramos da Silveira

No presente trabalho, buscar-se-á abordar os direitos trabalhistas do estrangeiro que se enquadra na figura
jurídica do residente fronteiriço. O residente fronteiriço, por força da Lei 13.4450/2017, é aquele cidadão
de país fronteiriço, que reside em município limítrofe ao Brasil e aqui exerce certas atividades, das quais se
destacam as laborais. A pesquisa parte do pressuposto de que, se inserindo nos contextos multifacetados
da fronteira, ainda existe uma zona de penumbra quanto aos direitos e garantias em matérias trabalhistas
que lhes são conferidos, não só pela novidade jurídica da figura, mas também pelo alto número de
trabalhadores fronteiriços que se encontram irregulares. Para tanto, procurou-se por meio de ampla
discussão decorrente do levantamento bibliográfico, legislativo e jurisprudencial, analisar a maneira como
a figura do residente se insere no ordenamento jurídico brasileiro, cotejando de maneira sistemática a
ordem constitucional e juslaboral.

Palavras-chave: Residente Fronteiriço; Direito do Trabalho; Lei de Migração; Trabalhador Fronteiriço;


Fronteira

43
VII

OS EFEITOS DA COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA NAS CONFIGURAÇÕES


TERRITORIAIS ESTATAIS: O CASO DO NORTE DE PORTUGAL.
Inês Gusman
Juan Manuel Trillo Santamaría
Rubén Camilo Lois González

A fronteira luso-espanhola separa dois modelos de organização territorial: do lado português, um Estado
fortemente centralizado e, do lado Espanhol, um Estado semi-federal com entidades sub-estatais dotadas
de forte autonomia. Apesar das barreiras que esta diferença gera, o enquadramento de ambos Estados na
UE(EU) tem permitido o desenvolvimento de projetos e estruturas de cooperação transfronteiriça. As
entidades territoriais do Norte de Portugal (NP) têm sido especialmente ativas, tendo criado várias pontes
com territórios do Estado Espanhol. Num momento no que se reabre o debate sobre a descentralização,
no NP a cooperação transfronteiriça marca presença nos discursos que defendem a regionalização. A
Galiza aparece de maneira destacada nos mesmos. A partir da caraterização destas estruturas e da análise
de conteúdo, recorremos a este mesmo debate, para uma primeira aproximação ao seguinte objetivo:
compreender os impactos que as dinâmicas geradas pela cooperação transfronteiriça europeia têm nas
configurações regionais dos Estados.
Palavras-chave: Cooperação transfronteiriça; União Europeia; Fronteira luso-espanhola; Configurações
regionais; Norte de Portugal

POLÍTICAS NEOLIBERAIS EM MATO GROSSO DO SUL: ENSAIOS SOBRE O


“ENTREGUISMO” ANUNCIADO
Regerson Franklin dos Santos
Adauto de Oliveira Souza
A presente reflexão, que faz parte de uma pesquisa de Doutorado em execução, estuda a relação incestuosa
entre o público e o privado como nuances de um período histórico em que o capital tenta, das maneiras
mais diversas possíveis, adentrar às coisas públicas. Nesse sentido, práticas como Privatizações, Parcerias
Público-Privadas, Terceirizações e demais instrumentos neoliberais são as ferramentas utilizadas pelos
detentores dos meios de produção para tal fim. Considerando-se que Mato Grosso do Sul faz fronteira
com cinco estados brasileiros, além do Paraguai e da Bolívia, tais práticas se relacionam também com a
problemática fronteiriça e produzem mais exclusão socioespacial. Uma vez que tais políticas se
consolidem, muitas empresas estarão nas mãos de investidores estrangeiros que estão comprometidos
unicamente com o lucro, e não com a qualidade de vida dos sul-mato-grossenses.
Palavras-chave: Políticas Públicas; Neoliberalismo; Mato Grosso do Sul; Neoliberalismo; Mato Grosso
do Sul

44
VII

POLÍTICAS PÚBLICAS NA FRONTEIRA E O ATIVISMO DO MINISTÉRIO PÚBLICO


Alcindo Cardoso do Valle Junior
Gleicy Denise Vasques Moreira

O presente trabalho tem por escopo analisar os aspectos relevantes da influência do ativismo do Ministério
Público na realização de políticas públicas na região de fronteira, em especial nas áreas específicas de saúde
e assistência social, observando-se a relevância do Poder Judiciário como filtro de possíveis excessos e
garantidor do necessário equilíbrio entre os poderes da República.

Palavras-chave: políticas; públicas; fronteira; ativismo; poderes

RECONFIGURACIÓN ESPACIAL DE LA FRONTERA Y FLUJOS NO DOCUMENTADOS


ENTRE MÉXICO Y ESTADOS UNIDOS
Sergio Peña
César M. Fuentes

El presente artículo analiza la reconfiguración espacial y escalar de la frontera México-Estados Unidos a


partir de las acciones implementadas para detener el flujo migratorio hacia el norte. EL principal
argumento es que el Programa Integral de la Frontera Sur en realidad convirtió la frontera sur de México
en una frontera extra-territorial de Estados Unidos para el control de los flujos de migrantes. Se concluye
que las fronteras como un contenedor de procesos han demostrado sus limitaciones para el control de la
migración indocumentada ya que los procesos socioeconómicos son fluidos y operan en redes.

Palavras-chave: reconfiguración espacial; economías ilícitas; migración indocumentada; tráfico de


personas; Frontera sur

45
VII

REGULAÇÃO E CLADESTINIDADE: O COMÉRCIO DE GASOLINA NO CONTEXTO


DE COMPLEMENTARIDADE ECONÔMICA DA FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA.
Vitorino José Barros da Silva

É possível observar que os comércios varejistas das cidades fronteiriças de Corumbá e Ladário, no lado
brasileiro, e de Puerto Quijarro e Puerto Suarez, no lado boliviano, apresentam um elevado grau de
complementaridade por, entre outras razões, compartilharem o mesmo mercado consumidor. O objetivo
deste trabalho é mostrar como os agentes fronteiriços, diante de imposições de Estado que atrapalham as
vivências consolidadas na fronteira, buscam alternativas para garantir sua subsistência, mesmo que tais
práticas escapem da noção de legalidade presentemente instituída. Para tal, enfocamos o comércio de
gasolina, que passou a ser fortemente regulado na última década. Foram feitas entrevistas com informantes
que trabalham, conhecem ou consomem gasolina clandestina. Constatou-se que os fronteiriços se valem
tanto de seus relacionamentos sociais aliadas a inventivas estratégias para burlar a repressão e garantir sua
vantagem econômica.

Palavras-chave: Fronteira; Complementaridade; Clandestinidade; Comércio; Gasolina

TERRITÓRIOS, IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS: COMÉRCIO FRONTEIRIÇO


ENTRE AS CIDADES DE OUANAMINTHE (HAITI) E DAJABÓN (REPÚBLICA
DOMINICANA)
Guerby Sainte

Este trabalho tem como objetivo levar uma discussão sobre territórios, impactos econômicos, e tendo
como foco comércio fronteiriço entre as cidades de Ouanaminthe (Haiti) e Dajabón (República
Dominicana). Partindo de uma análise de que o comércio fronteiriço ou internacional possuindo cada vez
maior relevância no cenário nacional e regional, vindo desde que abertura comercial, buscando se inserir
nessa dinâmica. Essa dinâmica da economia local criada na fronteira permite que as populações
comercializem bens e serviços, tornando-se atrativas quando se observar o movimento da mercadoria
binacional. Procurando analisar a importância do comércio fronteiriço para população local e regional e a
consequência desse comércio envolve na fronteira que abre lapso de novas materialidades vinculadas ao
fluxo de movimentação territorial e espacial. Essa metodologia baseá-se no levantamento bibliográfico dos
artigos científicos, teses e livros que estão relacionados o temático estudado. Os resultados mostram que
o comércio constituído na fronteira é o principal fonte de renda da população local, mesmo que as trocas
se mantém de forma desigual.

Palavras-chave: Comércio fronteiriço; Trocas de mercadoria; Fronteira; Território; Estado


46
VII

TRÊS PAÍSES, VÁRIAS FRONTEIRAS E DIFERENTES ESPETÁCULOS


Maria Cristina Lanza de Barros

Neste artigo analisa-se algumas das dinâmicas geográficas que se dão em torno da fronteira Brasil-Paraguai
e Brasil-Bolívia. Escolheu-se o espetáculo como categoria de análise para compreender as geografias que
ai se produzem. A reflexão apresentada neste artigo tem base empírica, é fruto de pesquisa de campo
realizada, nos meses de outubro/novembro de 2018 em algumas áreas limites entre Brasil e Paraguai e da
vivência cotidiana na fronteira Brasil-Bolívia. Com base nesta análise percebe-se que este debate é intenso
e constante na geografia e a discussão em torno do mesmo se dá com enfoques diferenciados. Nesse
artigo consideramos que a espetacularização que acontece nas fronteiras é provocada pela atividade do
turismo que além de consumidora é produtora de espaço. A globalização produziu tanto a fronteira quanto
o espetáculo e indissociável deste processo a sociedade do espetáculo, imprescindível para o consumo.

Palavras-chave: Fronteira; Espetacularização; Consumo; Brasil; Paraguai e Bolívia

TURISMO DE COMPRAS E PAISAGEM FRONTEIRIÇA EM PEDRO JUAN CABALLERO


(PY) E PONTA PORÃ (BR)
Janaína Costa Teixeira

A presente pesquisa trata das transformações na paisagem: dinâmica, forma, função e estrutura e de como
elas concretizam as dinâmicas das fronteiras. Para realizá-la, aprimoraremos nosso arcabouço teórico,
referencial metodológico teórico. Faremos saídas de campo e consultas ao acervo local e ao Portal Unbral
Fronteiras, analisaremos imagens, fotografias da área de estudos, elencando os elementos paisagísticos,
oriundos dos processos sociais presentes. Selecionamos local de estudo a região fronteiriça entre Pedro
Juan Caballero (PY) e Ponta Porã (BR), por trata-se de uma região de grande fluxo de pessoas e circulação
de mercadorias e serviços, onde ocorreram intervenções no traçado urbano pelos projetos paisagísticos,
devido às políticas econômicas locais e extra-locais. A paisagem fronteiriça com suas inovações e
rugosidades, seus usos e distinções, se torna única. Destaca-se a partir das próprias potencialidades e da
relevância para o aprofundamento das relações internacionais enquanto polo multicultural.

Palavras-chave: Paisagem Fronteiriça; Turismo de compras; Transfronteiridade

47
VII

Eixo temático 4 – Limites estratégicos: geopolítica, soberania e relações


internacionais, globalização, segurança pública, conflitos e violência

48
VII

A “GRANDE CORUMBÁ” E OS DESAFIOS DOS CRIMES TRANSFRONTEIRIÇOS EM


FACE DAS NOVAS FERRAMENTAS VIRTUAIS
Manix Gonçalves dos Santos
Marcos Sérgio Tiaen
Luiz Gonzaga da Silva Junior

Este artigo trata de pesquisa desenvolvida no âmbito da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, em Corumbá
e Ladário, MS fronteira com Bolívia, carreado pelo Laboratório de Estudos Fronteiriços. O objetivo foi
demonstrar como criminosos passaram a adaptar em suas ações delituosas, as mesmas ferramentas virtuais
utilizadas pelas forças de segurança. Tais ferramentas uma vez adaptadas, interferem nas rotinas das ações
de segurança na fronteira Brasil Bolívia, “A grande Corumbá”. Nossos estudos foram realizados a partir
de uma opção metodológica que permitisse conduzir a uma análise em dois sentidos: O primeiro se esteou
em ações e observações policiais, embasadas na ciência de possível ilícito existente no limite fronteiriço.
O segundo consistiu em uma revisão bibliográfica a respeito da temática investigada. As ações das forças
de segurança pública têm alcançado resultados importantes, contudo necessitando de redimensionamentos
institucionais.
Palavras-chave: Fronteira; Polícia Civil; Whatsapp; Tempo; Espaço

A QUESTÃO DO GÁS E SUAS REPERCUSSÕES NA RELAÇÃO BRASIL-BOLÍVIA: UMA


ANÁLISE SOB A LUZ DA TEORIA DA “INTERDEPENDÊNCIA COMPLEXA”
Adriana dos Santos Corrêa
Bruna Letícia Marinho Pereira

O comércio de gás boliviano para o Brasil teve inicio na década de 1990, com o advento do GASBOL e
um dos tratados em vigor tem como prazo final dezembro de 2019. Mudanças importantes sobre o
mercado nacional de gás são sinalizadas pelo o atual governo brasileiro e este fator pode gerar grandes
impactos nos novos acordos bilaterais a serem firmados para os próximos anos. O objetivo deste trabalho
é compreender a lógica de cooperação e interdependência historicamente estabelecida entre Brasil-Bolívia
na questão do gás, e apresentar as perspectivas futuras desta relação. Trata-se de uma pesquisa qualitativa,
de cunho exploratório, pautada em análise bibliográfica e documental a qual contou com as contribuições
de Keohane e Nye sobre a “interdependência complexa” nas relações internacionais.
Palavras-chave: GASBOL; Brasil; Bolívia; Teoria da Interdependência Complexa; Relações
Internacionais

49
VII

A SEGURANÇA NA FRONTEIRA ENTRE BRASIL E PARAGUAI: É POSSÍVEL


COOPERAR?
Maurício Kenyatta Barros da Costa

recorte do trabalho são as questões de defesa nacional, política externa, segurança pública e regional,
limitando o trabalho aos atores e políticas desses campos que sejam direcionados à segurança fronteiriça.
A fronteira Brasil-Paraguai corresponde ao recorte geográfico, enquanto o destaque para o período
democrático até o ano de 2015 corresponde ao recorte temporal deste trabalho. Esse artigo utilizou-se de
documentos e sites oficiais dos governos brasileiro e paraguaio, além de literatura básica do tema abordado.
O método comparado será utilizado para se chegar aos resultados. A literatura escolhida permite que nesse
artigo se possa responder a seguinte questão: por que Brasil e Paraguai não cooperam com o intuito de
integrar suas fronteiras, principalmente, no campo da segurança fronteiriça? A hipótese desse artigo é que
políticas para as fronteiras mais próximas ao paradigma realista, principalmente no campo da segurança,
para as fronteiras dificulta, senão impede, a cooperação e a integração das fronteiras.

Palavras-chave: Fronteiras; Segurança; Brasil; Paraguai; Defesa Nacional

AS DIFERENTES FACES DAS FRONTEIRAS: NOTAS SOBRE AS FRONTEIRAS


INTERNACIONAIS DE PEDRO JUAN CABALLERO (PY) E PONTA PORÃ (BR) E DE
TIJUANA (MX) E SAN DIEGO (US)
Mirella Lacerda Teixeira de Souza
Midiane Scarabeli Alves Coelho da Silva

O presente trabalho faz um levantamento de questões que diferenciam as fronteiras entre as cidades de
Tijuana e San Diego e entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, além de verificar as mudanças que
ocorreram até os dias atuais. Para tanto, foi feito um levantamento teórico que busca explicar que as
fronteiras concretas não são como as delimitadas nos mapas, mas, para além disso, apresentam uma certa
fluidez, demonstrando amplas possibilidades. Como resultado são relatadas no texto as questões
pertinentes à fronteira Estados Unidos e México, desde a história da migração da população da Inglaterra
para a América do Norte até a análise do Nafta como acordo entre ambos os países. Assim também, há
um levantamento histórico do Brasil e do Paraguai, principalmente no que se refere à Guerra da Tríplice
Aliança, o desenvolvimento da Companhia Matte Laranjeira e as questões de interação que são
desenvolvidas nas cidades.

Palavras-chave: Fronteira; Brasil; Paraguai; Estados Unidos; México


50
VII

CIDADES GÊMEAS DE PEDRO JUAN CABALLERO E PONTA PORÃ: OS IMPACTOS


DAS POLÍTICAS PÚBLICAS NA FAIXA DE FRONTEIRA DO BRASIL
Adriel Seródio de Oliveira
Gustavo de Souza Preussler

O presente trabalho foca nas cidades gêmeas de Pedro Juan Caballero e Ponta Porã e busca analisar os
impactos das políticas públicas voltadas à defesa e à segurança das fronteiras. Utiliza-se como metodologia
a pesquisa qualitativa, de cunho exploratório, pautada em análises bibliográficas e documentais. Com o
escopo de fortalecer as capacidades dos núcleos internos de populações vulneráveis, bem como para
valorizar suas peculiaridades de organização e de produção social, o governo caminhou para o
desenvolvimento de mecanismo de promoção da economia, da infra-estrutura urbana, social e política no
contexto local; sendo que faixa de fronteira do Brasil foi uma das regiões favorecidas por políticas públicas
que ocorreram sobretudo entre 2003 e 2011. Porém, a partir de 2011, as políticas passaram a focar no
controle de pessoas e na guerra às drogas, que acabaram por transformar o trabalhador fronteiriço em um
potencial criminoso em uma região já estigmatizada e criminalizada.

Palavras-chave: Pedro Juan Caballero; Ponta Porã; cidades gêmeas; PDSFF; PEF

COMÉRCIO ILEGAL E REDES NA ZONA DE FRONTEIRA BRASILEIRO-PARAGUAIA:


EXTREMO OESTE DO PARANÁ (BRA) LIMÍTROFE AOS DEPARTAMENTOS DE
CANINDEYÚ E ALTO PARANÁ (PY)
Alan Diogo Schons
Maristela Ferrari
O presente trabalho objetiva analisar como se estruturam as redes transfronteiriças de comércio ilegal na
fronteira brasileiro-paraguaia compreendida entre o extremo oeste do Estado do Paraná limítrofe aos
Departamentos de Alto Paraná e Canindeyú. Para consecução do objetivo proposto, a metodologia
consistiu em levantamento teórico-bibliográfico e pesquisa de campo. Tal segmento fronteiriço há muito
vem sendo apontado como um dos mais problemáticos da América do Sul, devido à crescente
intensificação de redes ilegais de toda ordem. Embora seja difícil indicar dados quantitativos, segundo
estimativas, o Brasil deixa de arrecadar 130 bilhões de reais, por ano, devido ao comércio ilegal. Neste
sentido, o trabalho revela que tal segmento fronteiriço vem sendo caracterizando como espaço geográfico
de tensão entre organismos de controle dos Estados nacionais e organizações criminosas que comandam
atividades de comércio ilegal e que extrapolam a escala da zona de fronteira articulando-se a outras escalas
como a internacional e/ou transnacional.
Palavras-chave: Zona de Fronteira; Redes Ilegais; Oeste Do Paraná; Canindeyú; Alto Paraná

51
VII

E-SPAÇO E SUAS FRONTEIRAS: O CIBERNÉTICO ENQUANTO CATEGORIA DE


ANÁLISE GEOGRÁFICA
Thomás Nery da Silva Teixeira
Adriana Dorfman

O presente trabalho consiste em uma discussão sobre o espaço cibernético enquanto categoria de análise
na Geografia. O objetivo do trabalho é reinterpretar conceitos utilizados na Geografia, como espaço e
fronteira, a partir do virtual, do e-spaço. Para isso, buscamos em livros e artigos referencial que nos ajude
a formar e desenvolver nossa proposta. Como resultado, conseguimos ver que o espaço cibernético amplia
as possibilidades de análise da Geografia e que é imprescindível que esta temática e objeto de estudo
possam fazer parte cada vez mais de nossa ciência. O caráter contextual, hibrido e totalizante do espaço
geográfico também comporta as dimensões do e-spaço Para além dos limites interestatais e de sua
porosidade aos fluxos virtuais, vemos desenhar-se um espaço de fluxos altamente polarizado, em que as
fronteiras apresentam-se como margens.

Palavras-chave: Espaço; E-spaço geográfico; Fronteira; Cibernético; Análise

MANISFESTAÇÕES XENOFOBICAS NAS REDES SOCIAIS NA FRONTEIRA BRASIL-


BOLÍVIA
Antonio Rosa da Conceição Junior
Gleicy Denise Vasques Moreira

A propagação de insultos xenofóbicos não é uma novidade no Brasil. Contudo, por conta da atual
conjuntura política e com o aumento da utilização de redes sociais como plataforma de debate, observa-
se que proferir impropérios contra outra pessoa em decorrência de sua origem étnica passou a ser algo
comum, sem que haja a devida tutela do Estado. E, na cidade de Corumbá-MS, fronteira entre o Brasil e
a Bolívia, o panorama de proliferação de comentários racistas contra imigrantes em redes sociais tem
seguido o mesmo ritmo de recrudescimento que nas demais regiões do país. Assim, utilizando-se print’s
da principal página de compras e vendas da cidade, o presente trabalho procura demonstrar que
manifestações preconceituosas, em especial na página do Grupo Trocas & Trocas, reverberam sem
quaisquer tipos de sanção do Poder Público.

Palavras-chave: Insultos; fronteira; xenofóbicos; racistas; imigrantes

52
VII

MIGRAÇÕES E GLOBALIZAÇÃO: UMA ANÁLISE À LUZ DOS HUMANOS DOS


MIGRANTES
Alex Maciel de Oliveira

O migrante tem sido colocado numa posição de extrema vulnerabilidade no interior dos países-destino,
panorama que resulta em graves violações de direitos destas pessoas. A situação deve-se, em parte, a falta
de tutela efetiva dos direitos desse grupo por parte dos Estados, vez que tem sido dado aos migrantes um
tratamento jurídico desigual daquele dispendido aos nacionais. Ainda contribuem para esse panorama
outros fatos desfavoráveis, como a xenofobia, falta de assistência, medo, etc. A gravidade da situação é
clara, pois entre os abusos sofridos pelos migrantes estão tráfico de pessoas, exploração sexual, trabalho
escravo e outros, os quais ocorrem, inclusive, em Estados signatários de tratados protetores dessas pessoas.
Este trabalho, então, objetiva analisar a relação entre as migrações estimuladas pela globalização e violações
de direitos dos migrantes, tendo-se como bussola os direitos humanos. O método adotado é descritivo
quanto ao objetivo, bibliográfico quanto ao procedimento e qualitativo quanto a abordagem.

Palavras-chave: Direitos humanos; Globalização; Migrações; Violações; Migrante

O ENTORNO ESTRATÉGICO BRASILEIRO: ANÁLISE DE GOVERNANÇA


AMBIENTAL NA FAIXA DE FRONTEIRA SETENTRIONAL AMAPAENSE (1997-2017)
Miguel Dhenin

Este artigo tem como objetivo apresentar o projeto de pesquisa oriundo do estágio pós-doutoral do autor,
realizado no Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O título do trabalho
enfatiza um conceito específico de “Entorno Estratégico”, que dialoga principalmente com as áreas da
Geografia e dos Estudos Estratégicos. Nosso campo de estudo é a região setentrional situada no Estado
do Amapá, apresentando o problema da governança ambiental nas últimas duas décadas. Assim, ao
considerar o “Entorno Estratégico” brasileiro, procura-se avaliar as correlações de governança ambiental
exercida pelos diversos atores institucionais que atuam na faixa de fronteira do Norte do Estado do
Amapá, particularmente entre 1997 e 2017. Esse projeto de pesquisa foi aprovado em maio de 2019 e
recebe o apoio institucional e financeiro da Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal do Ensino
Superior (CAPES).

Palavras-chave: Entorno Estratégico; Governança ambiental; Amapá; Faixa de Fronteira; Amazônia

53
VII

O ESTADO BRASILEIRO NO ENFRENTAMENTO AO CRIME DE TRÁFICO


INTERNACIONAL DE PESSOAS NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA: O CASO DE
CORUMBÁ E PORTO QUIJARRO
Mateus Moreira de Oliveira
Maria Aline dos Santos Ribeiro
Caíque Ribeiro Galícia
O tráfico internacional de pessoas é considerado uma forma contemporânea de escravidão, onde pessoas
são submetidas a um tratamento degradante e desumano. Esse tipo de crime movimenta cifras bilionárias
aproveitando-se da vulnerabilidade econômica e social das vítimas. O artigo tem por objetivo “Elencar os
aspectos legais e jurídicos de enfrentamento ao tráfico de pessoas para fim de exploração sexual na
fronteira Brasil-Bolívia”, com o escopo de desenvolver um trabalho que sirva de parâmetro e incentive
novas discussões sobre o assunto, a partir da aplicação de políticas públicas, a fim de proteger as vítimas,
punir os responsáveis e coibir a prática do ilícito penal. Para tanto, o método de aplicação se respalda em
estudos legislativos, referenciados teoricamente nas ciências jurídicas, permeados por conhecimentos
interdisciplinares que envolvem a história, antropologia, sociologia e geografia.

Palavras-chave: Fronteira; tráfico internacional de pessoas; Direitos humanos; Direito internacional;


Políticas públicas

PANORAMA DAS PRINCIPAIS INICIATIVAS DAS POLÍTICAS GOVERNAMENTAIS DE


FRONTEIRAS E DA POLÍTICA NACIONAL DE DEFESA FRENTE AOS DESAFIOS
IMPOSTOS PELA CONJUNTURA INTERNACIONAL FRONTEIRIÇA
Silvana do Valle Leone
Elisa Pinheiro de Freitas
A partir de 2011, as políticas do governo federal do Brasil para as regiões de fronteira voltaram a priorizar
a tradicional preocupação com segurança e defesa. As iniciativas criadas a partir de então efetivaram
operações como a Ágata, voltadas ao combate da criminalidade nas fronteiras do país. Severamente
impactada pela atuação de organizações criminosas, que promovem ilícitos como tráfico de drogas, armas
e pessoas, além de contrabando e mineração ilegal, a Fronteira Oeste do Brasil, mais precisamente as díades
com Paraguai e Bolívia, refletem um cenário marcado pela dificuldade de controle e vigilância por parte
do Estado brasileiro. Assim, com enfoque nas políticas públicas para a zona de fronteira, este trabalho
analisa a situação específica da Fronteira Oeste brasileira, na área correspondente ao Arco Central da faixa
de fronteira do país e verifica a eficácia das atuais políticas de segurança e defesa e seu potencial na
transformação da realidade fronteiriça.
Palavras-chave: Políticas públicas; Defesa; Segurança; Forças Armadas; Sociedade

54
VII

PODER, USO DO TERRITÓRIO, FRONTEIRAS COMO LIMITES GEOPOLÍTICOS DO


ESTADO: O CASO DO HAITI E REPÚBLICA DOMINICANA
Guerby Sainte

O objetivo deste artigo destina-se a trazer uma discussão sobre o poder, uso do território e fronteiras
como limites geopolíticos do estado, tendo como base o caso do Haiti e da República Dominicana.
Percebe-se que os dois Estados se estabelecem esforços mais ampliados para impulsionar uma cooperação
tanto política, comercial quanto estratégica para proteger as áreas de fronteira e também as soberanias
nacionais. Há uma importância crucial globalmente e nacionalmente, e, liderando o processo de
relativização múltipla do Estado. Faz-se essencial analisar como o Estado é relevante na construção do
controle do território com a consequência da dinâmica das técnicas de atravessamento, fortalecimento e
controle geopolítico dos episódios demográficos, a ampliação nas reflexões políticas de uma
interdependência de estado e segurança do seu próprio território. Este trabalho baseando em levantamento
bibliográfico, livros, artigos científicos, que tem relações a temática estudada e contribuindo de alguma
forma para a elucidação da discussão sobre a região de fronteira entre o Haiti e a República Dominicana.

Palavras-chave: Fronteira; Estado; Território; Fronteira política; Território nacional

POLÍCIA E CADEIA NA FRONTEIRA DO IMPÉRIO COM A BOLÍVIA: CORUMBÁ,


ANOS 1870 E 1880
Divino Marcos de Sena

Após 1870, o Estado procurou estar mais presente no sul de Mato Grosso. Na fronteira com a Bolívia
ocorreram diversas iniciativas voltadas para promover a defesa, manter o controle e a fiscalização do
território. A criação da delegacia de polícia e a necessidade de construir uma Cadeia Pública estiveram
ligadas a esses interesses. O objetivo deste texto é discutir o papel e a situação da Polícia e da Cadeia na
região no final do período imperial.

Palavras-chave: Fiscalização; Organização; Fronteira; Policiamento; Prisão

55
VII

PONTOS DE CONVERGÊNCIA ENTRE O DIREITO INTERNACIONAL


HUMANITÁRIO E O DIREITO INTERNACIONAL DOS REFUGIADOS: A PREVENÇÃO
DO DESLOCAMENTO COMO MECANISMO DE SOBREVIVÊNCIA
Ádria Saviano Fabricio da Silva
César Augusto S. da Silva

Objetiva-se, com este trabalho, analisar a aproximação entre o Direito Internacional Humanitário e o
Direito Internacional dos Refugiados por meio da investigação documental e bibliográfica, utilizando-se o
método dedutivo e a abordagem qualitativa. Será possível caracterizar as principais nuances de ambos os
direitos e identificar, assim, as diretrizes onde ocorrem as convergências da função protetiva do Direito
Internacional Humanitário e do Direito Internacional dos Refugiados. Abordaremos tal aproximação por
meio do estudo das normas e dos princípios fundadores de ambos os direitos através de três caminhos: a
análise histórica, a análise teórica e a análise prática, utilizando, para tanto, o referencial teórico dos autores
Antonio Augusto Cançado Trindade, Christophe Swinarsky e a doutrina amplamente divulgada pelo
Comitê Internacional da Cruz Vermelha e pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados.
Por fim faremos um breve estudo de caso da atuação da Federação Internacional da Cruz Vermelha na
Venezuela.
Palavras-chave: Direito Internacional Humanitário; Direito Internacional dos Refugiados; ACNUR;
CICV; Venezuela

SEGURANÇA E DEFESA NA FRONTEIRA OESTE: O ARCO CENTRAL E AS AMEAÇAS


NAS DÍADES COM BOLÍVIA E PARAGUAI
Camilo Pereira Carneiro
Lisa Belmiro Camara
Bruna Letícia Marinho Pereira
A partir de 2011, as políticas do governo federal do Brasil para as regiões de fronteira voltaram a priorizar
a tradicional preocupação com segurança e defesa. As iniciativas criadas a partir de então efetivaram
operações como a Ágata, voltadas ao combate da criminalidade nas fronteiras do país. Severamente
impactada pela atuação de organizações criminosas, que promovem ilícitos como tráfico de drogas, armas
e pessoas, além de contrabando e mineração ilegal, a Fronteira Oeste do Brasil, mais precisamente as díades
com Paraguai e Bolívia, refletem um cenário marcado pela dificuldade de controle e vigilância por parte
do Estado brasileiro. Assim, com enfoque nas políticas públicas para a zona de fronteira, este trabalho
analisa a situação específica da Fronteira Oeste brasileira, na área correspondente ao Arco Central da faixa
de fronteira do país e verifica a eficácia das atuais políticas de segurança e defesa e seu potencial na
transformação da realidade fronteiriça.
Palavras-chave: Fronteira Oeste; Segurança; Defesa; Arco Central; Criminalidade
56
VII

USUÁRIO E TRAFICANTES DE DROGAS: UMA ANÁLISE DOS PROCESSOS JUDICIAIS


POR DELITOS DE DROGAS NA ZONA DE FRONTEIRA DO BRASIL COM O URUGUAI
Alexandre dos Santos Cunha
Olívia Alves Gomes Pessoa

No contexto da adoção de uma nova política nacional de drogas pelo Uruguai, o presente trabalho visa
analisar os processos judiciais por uso e tráfico de drogas no lado brasileiro da fronteira entre os dois
países, de modo a compreender as dinâmicas de uso, tráfico e repressão aos mercados de drogas, bem
como possíveis impactos que a nova política possa vir a ter.

Palavras-chave: uso e tráfico de drogas; processo judicial; fronteira

57
VII

Eixo temático 5 – A natureza e seus usos: conservação,


sustentabilidade, turismo, frentes, reforma e outras dinâmicas agrárias
(assentamentos, agronegócio, agricultura familiar)

58
VII

A ATUAÇÃO DA CONSERVATION INTERNATIONAL EM ÁREAS PROTEGIDAS NA


ZONA DE FRONTEIRA
Rhuan Muniz Sartore Fernandes

As áreas protegidas têm sido cada vez mais utilizadas como a principal estratégia para a proteção dos
ecossistemas transfronteiriços. Tais unidades estão sujeitas a dinâmicas próprias na fronteira, sendo
promovidas por organizações socioambientais (públicas e/ou privadas; nacionais e/ou internacionais),
como instrumentos de integração regional e de compartilhamento de responsabilidades entre países. Esse
trabalho pretende analisar a incidência espacial de atuação da ONG Conservation International na escolha
de áreas protegidas na Faixa de Fronteira do Brasil com os diversos países da América Latina. A
operacionalização do trabalho consiste no levantamento e análise de documentos técnicos da ONG
Conservation International, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, do Instituto
Socioambiental e do Ministério do Meio Ambiente; e na elaboração e análise de gráficos, tabelas e mapas.
As informações foram complementadas com notícias da mídia regional e nacional em portais virtuais.

Palavras-chave: Zona de Fronteira; ONGs; Amazônia; Áreas Protegidas; Conservação

A FEIRA DE PRODUTOS EM TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA DO IFMS CORUMBÁ


Mariane Leticia Leite da Cruz Costa
Edgar Aparecido da Costa

O tema norteador deste trabalho é a agroecologia no espaço fronteiriço. O objetivo foi realizar um
levantamento das percepções que os técnicos administrativos do IFMS Campus Corumbá têm sobre a
feira de agroecologia que acontece no espaço institucional. Para tanto, buscou-se reunir considerações
sobre fronteira, através de pesquisa bibliográfica. Realizou-se, também, levantamento de dados primários
tendo um questionário como instrumento, que foi aplicado aos técnicos presentes na instituição, sendo
respondido por 20 pessoas. Observou-se o interesse em adquirir produtos agroecológicos como forma de
se obter uma alimentação de mais qualidade.

Palavras-chave: Agroecologia; IFMS; Fronteira

59
VII

A IMPORTÂNCIA DA FAIXA DE FRONTEIRA NA ATUAÇÃO DAS TRÊS GRANDES


ONGS CONSERVACIONISTAS (WWF, CI E TNC) NO ÂMBITO DO PROGRAMA ÁREAS
PROTEGIDAS DA AMAZÔNIA (ARPA)
Cassio do Sul Gonçalves

Este trabalho pretende identificar a importância da Faixa de Fronteira na lógica espacial de atuação das
três grandes ONGs conservacionistas internacionais (WWF, CI e TNC) no âmbito do Programa Áreas
Protegidas da Amazônia (ARPA). O ARPA foi escolhido pois foi identificado como a principal estratégia
de conservação de áreas protegidas na Amazônia Brasileira. A metodologia consiste na análise da
incidência espacial da atuação desses atores de acordo com classificação desenvolvida ao longo da pesquisa
e o cruzamento dessa incidência com outros aspectos geográficos do território. Os resultados apontam
para a relevância da Faixa de Fronteira tanto no âmbito do programa como nas escolhas de atuação das
ONGs analisadas.

Palavras-chave: Faixa de Fronteira; Unidades de Conservação; ONGs; Programa ARPA; Atuação

A OCORRÊNCIA DE PROCESSOS EROSIVOS NA REGIÃO SUL DE MATO GROSSO DO


SUL
Cleiton Soares Jesus
Pedro Alcântara de Lima
Cleiton Messias Rodrigues Abrão

Este artigo tem como objetivo identificar os processos erosivos ocorridos na região sul de Mato Grosso
do Sul (MS), nos municípios Deodápolis, Glória de Dourados, Ivinhema, Jateí, Novo Horizonte do Sul e
Vicentina, como base em trabalhos desenvolvidos anteriormente nestes municípios, relacionar os
processos erosivos ocorridos na área às praticas de uso e ocupação da terra que ocorreram com o processo
de colonização desencadeado pela CAND (Colônia Agrícola Nacional de Dourados) em 1950 e a
SOMECO (Sociedade de Melhoramentos e Colonização) em 1957. Desde seu início esse processo
provocou o desmatamento e ocupação de Áreas de Preservação Permanente – APP. Condições climáticas
com chuvas concentradas contribuíram para a formação de processo erosivo abrindo ravinas e voçorocas.
Predomina na região o Latossolo Vermelho Distrófico de textura arenosa com alta susceptibilidade a
erosão. Verificou-se em trabalho de campo que os processos erosivos em curso não vêm sendo tratado de
forma adequada pelas autoridades.
Palavras-chave: Processos Erosivos; Degradação Ambiental; Impactos Ambientais; CAND (Colônia
Agrícola Nacional de Dourados); Áreas de Preservação Permanente – APP
60
VII

APONTAMENTOS SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DA MINERAÇÃO EM CORUMBÁ-MS:


O CASO DA COMUNIDADE TRADICIONAL ANTÔNIO MARIA COELHO
Sandra Procópio da Silva
Leonardo Calixto Maruchi

Este artigo busca discutir o impacto da mineração na comunidade tradicional Antônio Maria Coelho, na
cidade de Corumbá, que fica no estado do Mato Grosso do Sul. A partir dos relatos da comunidade,
evidencia-se que a partir do grande crescimento da mineração na região nos últimos anos, a mesma passou
a sofrer com diversos problemas em consequência da exploração dos recursos naturais da região pelas
mineradoras. Problemas como poluição atmosférica e hídrica, diminuição da fauna e da flora local,
problemas de saúde e perda de terras passaram a ser um desafio para a comunidade, que em meio a tudo
isso busca resistir e se reinventar para poder continuar existindo. Portanto, neste artigo, apontaremos
aspectos de como a mineração surgiu na região e como isso afeta a comunidade, buscando também
entender como a comunidade vem resistindo a todos esses problemas.
Palavras-chave: Mineração; Problemas ambientais; Resistência; Comunidade Antônio Maria

ATERRO SANITÁRIO NA FRONTEIRA BRASIL X BOLÍVIA


Diego da Silva Ferreira Rosa

O presente artigo visa destacar uma possível solução para a disposição de resíduos sólidos na fronteira
Brasil – Bolívia, haja vista, a dificuldade enfrentada pelo município de Corumbá em estabelecer arranjo
intermunicipal, considerando apenas os municípios brasileiros. Em uma análise além do limite fronteiriço,
vislumbra-se como potencialmente possível a implantação de aterro sanitário em conjunto com as cidades
fronteiriças da Bolívia, Puerto Suarez e Puerto Quijarro. Tal realização auxiliará Corumbá e Ladário na
consecução do estabelecido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos – PERS e concomitantemente
poderá desenvolver a gestão de resíduos do país vizinho, ao menos nas cidades fronteiriças. Palavras-
chave: Meio Ambiente; Resíduos Sólidos; Fronteira.

Palavras-chave: Meio Ambiente; Resíduos Sólidos; Fronteira; Aterro Sanitário; Cooperação

61
VII

CONSERVAÇÃO AMBIENTAL E GEOGRAFIA POLÍTICA: A ATUAÇÃO DO WWF


BRASIL NA FAIXA DE FRONTEIRA BRASILEIRA
Rian de Queiroz Cunha
Rhuan Muniz Sartore Fernandes

Partindo da tensão existente entre fronteira política e conservação de ecossistemas compartilhados entre
dois ou mais países, objetivamos evidenciar e discutir o caráter político-territorial da atuação de uma ONG
ambientalista em UCs fronteiriças no Brasil. A seleção do WWF Brasil é devida a sua grande relevância no
campo da conservação no cenário nacional, sendo a região do Acre-Purus uma de suas áreas prioritárias
de atuação. Para tal, usaremos diversas fontes, como: planos de manejo de algumas unidades; informações
extraídas dos relatórios e publicações da ONG; sites institucionais, como o Instituto Chico Mendes de
Conservação da Biodiversidade, o Instituto Socioambiental e o Ministério do Meio Ambiente; e as notícias
da mídia regional e nacional em portais virtuais. Pretendemos, por fim, ressaltar que o conhecimento
produzido pela geografia política é imprescindível para a real compreensão dos processos de conservação
ambiental.
Palavras-chave: geografia política; conservação ambiental; fronteira; unidade de conservação; ONG

EVOLUÇÃO DO USO E COBERTURA DA TERRA NA FRONTEIRA CORUMBÁ-BR E


PUERTO QUIJARRO-BOL
Edson Rodrigo dos Santos da Silva
Erivelton Pereira Vick
Tayrine Pinho de Lima Fonseca

As cidades de Corumbá, Ladário, Puerto Quijarro e Puerto Suárez estão localizadas na zona de fronteira
seca entre Brasil e Bolívia, limite este estabelecido apenas por uma barreira imaginária interposta entre os
dois países. Estes limites, no entanto, limites não impedem que ocorra a mobilidade da população para
além do limite estabelecido. As relações sociais, economicas e culturais nestas regiões fronteiriças são
particulares e dinamicas, refletindo a forma com a qual as sociedades fronteiriças se apropriam do espaço.
Assim, o presente trabalho objetiva analisar a evolução do uso e cobertura da terra na região fronteiriça
entre os municípios de Corumbá, Ladário, Puerto Quijarro e Puerto Suárez entre os anos de 1987 e 2018.
Para tal foi realizado processo de Classificação digital orientada ao objeto no software eCognition® 9.2,
tendo como classes temáticas a agricultura, área construída, área de mineração, corpos de águas
continentais, pastagens, vegetação campestre alagada e vegetação natural.
Palavras-chave: Área urbana; Pastagem; Fronteira Brasil-Bolívia.; Geoprocessamento; Pantanal

62
VII

GESTÃO AMBIENTAL DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE NAVEGAÇÃO E DOS


PORTOS NACIONAIS QUE OPERAM NA HIDROVIA DO PARAGUAI-PARANÁ.
Samuel Ribeiro de Sousa
Aguinaldo Silva

A Hidrovia do Paraguai-Paraná (HPP) constitui um dos mais importantes eixos fluviais de integração da
América do Sul e vetor de desenvolvimento socioeconômico da região. Percorre cinco países (Brasil,
Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai) e sua utilização foi regulamentada pelo Acordo de Santa Cruz de
La Sierra, que consagra, entre outros, os princípios de livre trânsito e de liberdade de navegação. Esse
acordo permite o compartilhamento de território e de águas, redundando em alguns atritos. Nesse cenário
conflituoso, ressalta-se a questão ambiental. A legislação brasileira é bem rígida com a proteção ao meio
ambiente e estabelece diversos instrumentos e procedimentos destinados à preservação ambiental no
âmbito das atividades econômicas potencialmente poluidoras. Dentre esses, merece destaque a gestão
ambiental. Com este trabalho, buscou-se analisar, a partir de critérios objetivos, a eficiência da gestão
ambiental das empresas brasileiras de navegação e dos portos nacionais que operam na HPP.

Palavras-chave: Gestão Ambiental.; Fronteira.; Hidrovia Paraguai-Paraná.; Empresas de navegação;


Portos

PANTANAL SUL-MATOGROSSENSE: TERROTÓRIO E MODO DE VIDA


Juliana Cristina Ribeiro da Silva
Patricia Helena Mirandola Garcia

O presente trabalho tem como objetivo descrever e compreender o território pantaneiro, fazer uma
caracterização de seus moradores, das atividades laborais por lá realizadas. Tendo como procedimento
metodológico a descrição de experiências, vivências e percepções, a partir da pesquisa participante. Trata-
se de uma planície inundável de aproximadamente 220 mil km², subdivididas em 11 regiões, sendo a
Nhecolândia a mais central delas, e consequentemente a mais isolada. A região é caracterizada pelo período
de cheia e seca. Como atividades laborais têm-se o peão, o mais “antigo” trabalhador, o pescador que hoje
atua mais como guia de pesca ou piloteiro conduzindo pescadores amadores para locais do rio onde há
peixe e mais recentemente o trabalhador no turismo.

Palavras-chave: Pantal sul mato-grossense; Modo de vida; Percepções

63
VII

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA COMUNIDADE ACADÊMICA NO CAMPUS DE ALTO


ARAGUAIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
Jeferson Boldrini da Silva
Fernando Thiago

O objetivo desta investigação é obter um diagnóstico sobre a percepção ambiental da comunidade


acadêmica (docentes, discentes e técnicos) do Campus Universitário de Alto Araguaia da Universidade do
Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Foram analisados os hábitos de consumo sustentável, a percepção
das questões ambientais e o conhecimento das ações institucionais relacionados ao meio ambiente. Trata-
se de uma pesquisa quantitativa em que os dados foram coletados por meio de questionário estruturado e
analisados por estatística descritiva. Os resultados mostram que os participantes estão cientes das questões
ambientais, mantém hábitos que promovem o consumo sustentável, contudo, desconhecem o
planejamento e ações institucionais em promoção à proteção ambiental.
Palavras-chave: Hábitos de consumo sustentável; Percepção ambiental; Planejamento ambiental;
Sustentabilidade; Gestão Universitária

PORTO MURTINHO (MS): POTENCIALIDADE DO ECOTURISMO NO ESPAÇO


FRONTEIRIÇO BRASIL-PARAGUAI
Fernanda Cano de Andrade Marques
Juliana Luquez

O espaço fronteiriço é dinâmico. Porto Murtinho é tomada aqui como síntese concreta dessa realidade.
Localizado no sudoeste do estado de Mato Grosso do Sul, às margens do Rio Paraguai, no complexo do
baixo Pantanal e abrange parte do Chaco Paraguaio. Essa configuração de paisagem permite demonstrar
tamanha peculiaridade na área de estudo. Os objetivos são: pensar as dinâmicas territoriais em espaços
fronteiriços a partir do desenvolvimento de atividades e práticas do ecoturismo; apontar o potencial do
ecoturismo como subsídio para o planejamento e desenvolvimento de atividades atrativas para a região
fronteiriça Brasil-Paraguai. A Matriz SWOT como metodologia, analisa as forças, fraquezas, oportunidades
e ameaças. Foram realizados registros iconográficos levantado em campo. Os resultados obtidos apontam
que Porto Murtinho possui potencial para o desenvolvimento do ecoturismo, entretanto, mesmo diante
de grandes potenciais, é necessário que o poder público municipal na tomada de decisão leve em
consideração os princípios de sustentabilidade.
Palavras-chave: Pantanal; Matriz SWOT; Politicas públicas; conservação; desenvolvimento local

64
VII

TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA EM UM LOTE DE ASSENTAMENTO RURAL NA


FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA
Ianna Louise Araújo Chagas
Edgar Aparecido da Costa

A prática da agricultura convencional é potencial causadora de impactos negativos ao meio ambiente. A


produção em bases agroecológicas tem sido uma alternativa para a sustentação do ecossistema. O objetivo
deste trabalho é discutir o processo de mudança da agricultura convencional para a produção em bases
agroecológicas em um lote de assentamento rural na fronteira Brasil-Bolívia. A metodologia é baseada na
pesquisa participante, com apoio da técnica da observação. Foi realizado um curso de extensão rural com
agricultores familiares do assentamento Taquaral para iniciar os processos de transição agroecológica.
Como resultados obteve-se a implantação de consórcios de plantas amigas, soluções naturais para os
problemas encontrados e a realização de palestra com agricultores de outros lotes.

Palavras-chave: Fronteita; Agroecologia; Transição Agroecológica; Assentamento Rural; Quintal


Agroflorestal

TURISMO SEXUAL NAS ÁGUAS DO PANTANAL: O CASO DA MERCANTILIZAÇÃO


SEXUAL EM CORUMBÁ – MS
Érica dos Santos Oliveira
Éder Damião Goes Kukiel

Este trabalho tem como objetivo identificar e compreender o arranjo espacial e social do Pantanal e sua
relação com o turismo de pesca e sexual que ocorrem nas águas pantaneiras da cidade de Corumbá – MS.
Como procedimento metodológico utilizou-se entrevistas online com garotas de programa que realizam
tal atividade na cidade de Corumbá-MS e pesquisas bibliográficas relacionadas ao tema. O foco dessas
mulheres são os atores de classe média alta, ou seja, os turistas e pessoas com alto poder aquisitivo local.
Lugares paradisíacos como o Pantanal criam cenário para prática do turismo sexual, onde turistas
procuram a tranquilidade e o contato com a natureza para a prática do lazer e do prazer.

Palavras-chave: Fronteira; Turismo; Pantanal; Turismo Sexual; Corumbá

65
VII

Sessões de Pôsteres

66
VII

A CONTRIBUIÇÃO JURÍDICA DA MARINHA DO BRASIL NO DESENVOLVIMENTO


ECONOMICO, SOCIAL E PROTEÇÃO AMBIENTAL NA REGIÃO DOS MUNICÍPIOS
DE CORUMBÁ E LADÁRIO-MS
Antonio José de Jesus Junior
Lidiane de Brito Curto
Considerando a presença secular da Marinha do Brasil nos municípios de Corumbá e Ladário, fronteira
Oeste do país, objetiva-se levar ao conhecimento do meio acadêmico e sociedade civil, com vistas a
evidenciar, de maneira geral, a importância da força naval na fronteira e de forma específica fortalecer a
consciência marítima no consciente coletivo das populações das
regiões apreciadas e demonstrar a contribuição econômica, social e proteção ambiental da marinha nas
regiões de Corumbá e Ladário e Cidades Vizinhas. Para tanto se procede à metodologia de pesquisa
documental com ênfase em documentos públicos, administrativos e jurídicos. Desse modo, observa-se
que ao serem analisados os dados pertinentes a orçamento, pagamento de pessoal, licitações, recolhimento
de impostos e na proteção e fiscalização dos aspectos ambientais, permite-se concluir que juridicamente a
marinha brasileira contribui de forma difusa e coletiva para o desenvolvimento econômico e social da
região, irrigando recursos nos mais diversos segmentos, em projetos sociais relevantes e no apoio
fiscalizador de atividades que possam trazer danos ambientais.
Palavras-chave: Marinha do Brasil; Fonteira; Orçamento

A FESTA DO TORITO: NARRATIVAS, MEMÓRIAS E CULTURA POPULAR NA


FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA
Ester Chao Ojopi Simo
Auxiliadora dos Santos Pinto
Este trabalho discute sobre elementos da cultura popular presentes na Festa do Torito, na cidade de
Guajará-Mirim, na fronteira Brasil-Bolívia, destacando-se a origem, as principais características e as
contribuições da referida festa para a constituição e a valorização das memórias e das identidades culturais
na fronteira Brasil-Bolívia. O estudo justifica-se porque contribuirá para a reconstituição e registro das
manifestações da cultura popular e das identidades culturais dos povos que viveram/vivem na fronteira
Brasil-Bolívia. As análises dos dados coletados foram fundamentadas pelos estudos de: Laraia (2001),
Melo (2015), Halbwacks (2003), Hall (2016) e outros. Os dados foram coletados no ano de 2018, a partir
da audição de cantos rítmicos, entrevistas, registros fotográficos e catalogação dos vestuários e adereços
utilizados na dança. Os resultados evidenciaram que as marcas identitárias culturais e memoriais presentes
na Festa do Torito, contribuem, de forma significativa, para a constituição da cultura popular na fronteira
Brasil-Bolívia.
Palavras-chave: Memória; Fronteira; Cultura popular

67
VII

A PERCEPÇÃO DA RELAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO E PRÁTICAS SOCIAIS NOS POVOS


RIBEIRINHOS DO VALE DO GUAPORÉ NO PERÍODO DE 1932 A 1996: UMA ANÁLISE
A PARTIR DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS BRASILEIRAS.
Carlos Alberto Bosquê Jr.
Alane da Silva Gomes
Ingrid Silva Nobre

Esta investigação tem como objeto a relação entre a educação e o trabalho emanadas da experiência de
escolarização no vale do Guaporé, com enfoque no período entre 1932 a 1996, e perceber como ensejou
aquisição e o desenvolvimento de novas práticas sociais, culturais e políticas nas comunidades ribeirinhas
do vale do Guaporé. Quanto à metodologia, utilizou-se da pesquisa bibliográfica, entrevista semi
estruturada e análise documental articuladas a pressupostos qualitativos e quantitativos. Considerando o
estudo realizado, observou-se que o alcance de um ensino que reconheça as diferenças etnolinguísticas o
que exigirá de Instituições Públicas de Ensino mais que ações paliativas. Deste modo, considera-se
importante a reflexão sobre tais fatos, buscando na educação um meio de libertação e renovação da
sociedade que garanta fundamentalmente o direito à educação em que inclua a visão de mundo de seus
atores principais, os alunos, assim como, uma educação que parta do trabalho como princípio educativo.
Palavras-chave: Educação; Povos ribeirinhos; Práticas Sociais

A REPRESENTAÇÃO DO FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA NA VIDA DAS CRIANÇAS DA


COMUNIDADE FRONTEIRIÇA DE COSTA MARQUES – RO/BR
Helen Cristina Dorado
Edvania Rodrigues Quintão
Maricarla Brito Moreno
O resumo tem como base uma atividade de campo realizada na comunidade do Real Forte Príncipe da
Beira em Costa Marques – RO/BR fronteira com a comunidade de Buenas Vistas – Beni/Bolívia. Nosso
objetivo foi o de identificar o que o Forte representa para as crianças daquela localidade. Nossa
metodologia foi baseada no Estudo do Meio. Marques (2009), considera que este estudo amplia o
conhecimento do local, sua formação e história. Os sujeitos envolvidos foram crianças brasileiras e
bolivianas, na idade de 10 a 12 anos, residentes na localidade. Para a coleta das informações aplicamos a
metodologia dos Mapas Mentais conforme Kozel (2007), os mapas mentais são definidos como aqueles
concebidos a partir de observações sensíveis do lugar. A partir dos Mapas Mentais foi possível perceber
o distanciamento do Forte na vida das crianças. Um local onde o acesso é proibido e a história é
desconhecida.
Palavras-chave: Representação; Fronteira; Mapas mentais

68
VII

AS BOAS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA AMBIENTAL NO PANTANAL SUL-


MATOGROSSENSE: MEDIDAS PARA USO DE RECURSOS HÍDRICOS.
Luana Saldivar Barbosa Almeida
Dirce Sizuko Soken

Esta pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre indicadores de desempenho ambiental para
estudos de governança ambiental em cidades localizadas no Pantanal sul-matogrossense. Para além disso,
é interesse deste estudo identificar as práticas de governança adotadas pelas instituições a partir de
instrumentos de controle e acompanhamento do uso de recursos hídricos em áreas urbanas e no entorno
das cidades fronteiriças. Durante o processo de levantamento de dados foi observado que a empresa de
saneamento básico dos municípios de Corumbá e Ladário, pelo fato estar sujeita a série de regulamentações
ambientais, corrobora desde 2007 com políticas direcionadas a preservação ambiental, redução de passivos
ambientais e ações de educação ambiental e sanitária. Constatou-se que os investimentos em equipamentos
e processos operacionais e de controle foram as medidas adotadas para redução de riscos ambientais entre
os anos de 2016 e 2017.
Palavras-chave: Governança ambiental; Recursos hídricos; Cidades do Pantanal sul-matogrossense

DIAGNÓSTICO DE CLIMA ORGANIZACIONAL EM TRANSPORTADORA NA


FRONTEIRA BRASIL-BOLÍVIA
Paulo Fernandes Gomes
Fernando Thiago

Esta pesquisa teve como objetivo verificar o Clima Organizacional (CO) em transportadoras na fronteira
Brasil-Bolívia. O diagnóstico de CO verifica a percepção dos colaboradores sobre a qualidade do ambiente
interno de trabalho, auxiliando nas decisões sobre a gestão de pessoas das organizações. Foi utilizada a
técnica de pesquisa survey com dados coletados por meio da Escala de Clima Organizacional validada por
Martins (2008). Os resultados mostraram que o fator recompensa é o mais preterido pelos participantes,
enquanto que o fator melhor avaliado é o Conforto Físico. Dentre os participantes, as mulheres
perceberam o CO com melhor qualidade do que os homens. Os funcionários com maior tempo de
trabalho e os que recebem maiores salários percebem o CO melhor do que os mais novos e do que os que
recebem salários menores. Com isso, os gestores podem fundamentar suas decisões para melhorar seus
COs e consequentemente contribuir com seus resultados organizacionais.
Palavras-chave: Clima Organizacional; Gestão de Pessoas; Transportadoras

69
VII

DIÁLOGO NA FRONTEIRA: A LEITURA COMO PRÁTICA DE INTERAÇÃO ENTRE


ALUNOS BRASILEIROS E BOLIVIANOS
Jucilene Gonçalves de Oliveira
Joana do Nascimento da Silva Melo
Maricarla Brito Moreno

Este estudo é um relato de experiência da Oficina de História Bilíngue do projeto de extensão “Clube de
Leitores Pérola do Mamoré” do Campus de Guajará-Mirim da Universidade Federal de Rondônia -UNIR
realizado em 2017. A presente pesquisa se propõe em promover a interação dos alunos brasileiros e
bolivianos da fronteira das cidades gêmeas de Guajará-Mirim (BR) e Guayaramerín, em um processo de
conhecimento da literatura infantil, cultura e música dos dois países, para a promoção da prática social na
fronteira. A metodologia seguiu os princípios da pesquisa descritiva conforme Gil (2002), na análise das
situações observadas recorremos aos estudos de Vygotsky (1987), em relação a cultura, foi embasado na
ideia dos autores Candau (2003) e Bourdieu (1996). A análise das observações e entrevistas levantados até
agora indicam que a relação social com os novos idiomas (português e espanhol), possibilitam melhor
participação nas práticas sociais na fronteira.

Palavras-chave: Fronteira; Interação; Cultura

DIÁLOGOS INTERCULTURAIS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO EM REGIÕES DE


FRONTEIRAS: REFLEXÕES INICIAIS
Luis Manoel Bezerra

RESUMO. Uma das características marcantes das regiões fronteiriças é a interculturalidade. Para
compreender essa interculturalidade na escola é preciso refletir sobre a dimensão cultural da própria
educação, as características dos povos camponeses e também características específicas da nacionalidade
desses sejeitos que em regiões de fronteiras se tornam mais evidentes. Este estudo é um ensaio
bibliográfico para futura pesquisa qualitativa que será desenvolvida em uma escola rural na região de
fronteira Brasil/Bolívia e objetiva problematizar a interculturaridade num contexto de fronteira entre
Brasil e Bolívia.

Palavras-chave: Interculturalidade; Educação do Campo; Fronteira

70
VII

DINÂMICAS TERRITORIAIS E ESPAÇOS FRONTEIRIÇOS: PRODUÇÃO DO ESPAÇO,


GLOBALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
Juliana Luquez
Fernanda Marques
Valdinéia de Aguiar

A pesquisa “Dinâmicas territoriais e espaços fronteiriços: produção do espaço, globalização e urbanização”


é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa homônimo (DITEFRON) cadastrado na Plataforma do Diretório
dos Grupos de Pesquisa no Brasil do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
(CNPQ), em maio de 2019, no âmbito do curso de Geografia da Unidade da Universidade Estadual de
Mato Grosso do Sul (UEMS/Jardim), localizada na faixa de fronteira. O grupo de pesquisa nasce de uma
necessidade teórico-metodológica de construir uma agenda investigativa na qual os processos
socioespaciais históricos e contemporâneos sejam analisados a partir da realidade concreta das áreas
fronteiriças, especialmente na fronteira de expansão do agronegócio e de uma urbanização não linear, se
considerarmos o processo de urbanização do Brasil. Que espaço? Que cidades? Quem produz o espaço
urbano na fronteira? Essas e outras questões levaram-nos à organização de reflexões que perpassassem
noções e categorias inerentes à temática dos espaços fronteiriços brasileiros, quais sejam: território,
globalização, circulação, desenvolvimento e natureza.
Palavras-chave: Produção do espaço; Fronteira; Urbanização

EDUCAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E (RE) INSERÇÃO PROFISSIONAL: O CASO DOS


CATRAIEIROS DO RIO OIAPOQUE
Dilcina Loureiro de Oliveira

O escopo desta pesquisa surgiu para analisar o impacto que a liberação da Ponte Binacional provocou na
vida dos profissionais (catraieiros) que fazem a travessia do Rio Oiapoque diariamente (por meio de uma
pequena embarcação denominada catraia) de turistas, trabalhadores e pesquisadores entre as cidades
gêmeas Oiapoque, no Amapá e Saint- Georges, na França.
A pesquisa tem como objetivo coletar informações bibliográficas de pesquisadores brasileiros e franceses,
além de inquerir (por meio de entrevistas e questionários fechados) a associação dos catraieiros localizada
na cidade de Oiapoque. A pertinência desses dados será relevante para compreender até que ponto a
liberação da ponte impactou a rotina profissional dos filiados. Também, tem o propósito de analisar se
será necessária uma intervenção para capacitar esses profissionais em uma outra profissão de acordo com
a escolaridade identificada ou, se for o caso apropriar-se do notório saber.
Palavras-chave: Ponte Binacional; Catraieiros; Cidades gêmeas
71
VII

ENSINO DE GEOGRAFIA E MAPAS: UMA PROPOSTA PARA A BACIA DO RIO


OIAPOQUE
Rilton Jose Vieira Pereira

Ensino de Geografia e Mapas: Uma proposta para a Bacia do rio Oiapoque


Rilton José Vieira Pereira
O estudo busca produzir um mapa que aborde o espaço imediato do aluno, ou seja, o seu lugar perceptível
e como esse instrumento didático pode ajudá-lo na absorção do conhecimento geográfico. É observado
que o livro didático trabalhado em sala de aula dos educandários do ensino médio do município de
Oiapoque não traz mapas do cotidiano do aluno. Compreende-se uma oportunidade em elaborar uma
metodologia de ensino de modo eficaz de passagem do conhecimento. O projeto tem como objetivo
construir um atlas geográfico da bacia hidrográfica do rio Oiapoque para uso dos discentes do ensino
médio do município, na fronteira franco-brasileira. O desenvolvimento do projeto dar-se-á com pesquisa
bibliográfica, aquisição de dados e insumos, e pesquisa de campo. A concretização do projeto desenvolverá
um instrumento didático que tem por finalidade servir de apoio ao discente na aprendizagem e de material
didático ao docente para o desenvolvimento de suas aulas.

Palavras-chave: Geografia; Mapas; Fronteria

E-SPAÇO E SUAS FRONTEIRAS: O CIBERNÉTICO ENQUANTO CATEGORIA DE


ANÁLISE GEOGRÁFICA
Thomás Nery da Silva Teixeira
Adriana Dorfman

O presente trabalho consiste em uma discussão sobre o espaço cibernético enquanto categoria de análise
na Geografia. O objetivo do trabalho é reinterpretar conceitos utilizados na Geografia, como espaço e
fronteira, a partir do virtual, do e-spaço. Para isso, buscamos em livros e artigos referencial que nos ajude
a formar e desenvolver nossa proposta. Como resultado, conseguimos ver que o espaço cibernético amplia
as possibilidades de análise da Geografia e que é imprescindível que esta temática e objeto de estudo
possam fazer parte cada vez mais de nossa ciência. O caráter contextual, hibrido e totalizante do espaço
geográfico também comporta as dimensões do e-spaço Para além dos limites interestatais e de sua
porosidade aos fluxos virtuais, vemos desenhar-se um espaço de fluxos altamente polarizado, em que as
fronteiras apresentam-se como margens.
Palavras-chave: E-spaço; Espaço Geográfico; Cibernético

72
VII

ESPORTE ESCOLAR (EXTRACURRICULAR) E A INTEGRAÇÃO FRONTEIRIÇA


(BRASIL-BOLÍVIA) NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORUMBÁ-MS
Gilson Pacola
Carlo Henrique Golin

O trabalho é parte de um estudo, em andamento, que visa compreender as políticas públicas do esporte
escolar nas unidades públicas da Rede Municipal de Ensino (REME) de Corumbá/MS, sobretudo em
escolas influenciadas pelo fluxo pendular da fronteira Brasil-Bolívia. Optamos em desenvolver uma
pesquisa com os professores de Educação Física e estudantes da REME que frequentam (ou não) as
atividades esportivas extracurriculares. Considerando o contexto estrutural da REME, observamos um
grande fluxo de alunos “pendulares” nas aulas regulares de Educação Física escolar, entretanto esse mesmo
“fluxo” nos aparenta ser algo oposto ao analisarmos os dados preliminares das atividades de Iniciação
Esportiva e Treinamento Esportivo no contraturno da REME. Assim, analisaremos as consequências e
entraves da participação/inclusão desses alunos nas atividades de Iniciação e Treinamento Esportivo. Por
fim, esperamos que os dados futuros possam suplantar políticas públicas voltadas ao esporte na região
focado no intercâmbio/integração fronteiriça.

Palavras-chave: Esporte; Fronteira; Políticas Públicas

FESTA DO DIVINO: FATOR DE IDENTIDADE CULTURAL NA COMUNIDADE


QUILOMBOLA DE LARANJEIRAS
Décio Keher Marques
Ana Alice Siqueira
Isabella da Silva Palácio

O presente artigo tem como objetivo analisar a contribuição e/ou importância dos Falares da festa do
Divino Espírito Santo da Comunidade Quilombola Laranjeiras do vale do Guaporé para a manutenção da
identidade cultural. Como tal, discute as relações sociais de dominação e resistência expressas no campo
das disputas pelas representações identitárias. A intenção foi verificar como essa comunidade mantém e
como foram modificadas suas tradições. Em vista de também auxiliar às comunidades ribeirinhas do vale
do Guaporé no fortalecimento de suas identidades comunitárias.

Palavras-chave: Quilombola; Identidade; Relações sociais.

73
VII

FORMAS DE RELACIONAMIENTOS SOCIAL, EDUCATIVO, CULTURAL EN LAS


FRONTERAS DEL NORTE AMAZÓNICO BOLIVIA-BRASIL
Marcia Mercado Ortiz
Norah Nagayama Gonzalez
Eva Rodriguez Salvatierra

El presente trabajo consiste en demostrar el relacionamiento social, educativo y cultural en la frontera del
norte amazónico de Guayaramerín- Beni- Bolivia y Guajara-mirin-Rondonia Brasil. Las relaciones entre
ciudades fronterizas son un medio para fortalecer la inserción internacional de los gobiernos locales,
incrementar las oportunidades de cooperación descentralizada e intercambiar conocimiento. Posibilitar la
discusión y divulgación internacional de problemas que enfrentan sus habitantes y trabajar con aliados
estratégicos de otras localidades que tienen intereses y retos similares. Durante la investigación utilizamos
la metodología descriptiva y explicativa para dar a conocer las relaciones de identidad, cultura, educación
y bilingüismo. Se puede determinar que si bien hay un relacionamiento cultural entre Guayaramerín y
Guajara-mirin hay mucho por hacer en lo social creando políticas a nivel gubernamental y local para tener
éxito en todos los aspectos y, así de esta manera poder crecer y fortalecernos como ciudades fronterizas.
Palavras-chave: Relaciones en las fronteras; Cultura; Educación

FORTALECIENDO LA EXPRESIÓN ORAL Y ESCRITA MEDIANTE LAS TRES


PALABRAS DE REVISTAS O PERIÓDICOS
Ylvia Ayaviri Mamani
El desarrollo de la metodología del fortalecimiento de la expresión oral y escrita de los maestros en
educación regular del nivel primario del municipio de Guayaramerín ha mejorado, utilizando la estrategia
de las tres palabras para redactar los textos escritos y el objetivo fue identificar y fortalecer las estrategias
y metodologías de enseñanza-aprendizaje utilizadas en el aula siendo que existente la dificultad del bajo
rendimiento que resulto de la autoevaluación del ministerio de educación. El estudio se desarrolló
basándose en la teoría de la indígena de Chilisa y Zemelman Utilizamos los conceptos de trabajar con
sujetos y desde nuestros ancestros para fortalecer las capacidades, destrezas de los estudiantes. Realizamos
una encuesta utilizando cuestionarios abiertos y cerrados con los profesores de la Unidad Educativa
Libertador Simón, mediante una investigación realizada con estudiantes y maestros, identificamos la
necesidad de retroalimentar y fortalecer a los maestros para resolver las dificultades de la expresión oral y
escrita en los estudiantes futuros del nivel de Educación Secundario Comunitario Productivo.

Palabras clave: fortalecimiento, expresión oral y escrito, transformación.

74
VII

FRONTEIRA AMAPÁ-GUIANA FRANCESA: “PONTE E PORTA” FRONTEIRIÇA NA


AMAZÔNIA
Wendell Rodrigues Martel

Os territórios fronteiriços são, ao mesmo tempo, espaços de múltiplas características, natureza


diferenciada e alta complexidade e espaços de contato e articulação, de encontro e cooperação. Tratados,
por muito tempo, como lugares periféricos, eles têm sido assumidos como espaços estratégicos em âmbito
econômico e militar. Neste contexto, a referida pesquisa tem como propósito central de investigar os
efeitos do desenvolvimento de fronteira adquirida no mundo contemporâneo na referida área geográfica
da Amazônia brasileira, através da interação e integração fronteiriça das cidades-gêmeas Oiapoque/Estado
do Amapá/Brasil e Saint-Georges/Guiana Francesa/ França. Regiões unidas geograficamente desde 2017
pela Ponte Binacional, que oferecem um panorama das reais mudanças socioeconômicas urbanas para
brasileiros de Oiapoque e franceses da Guiana, advindas após inauguração.

Palavras-chave: Amazônia; Fronteira; Cidades-gêmeas

GESTÃO SUSTENTÁVEL NO APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO


PESCADO NA ESCOLA TÉCNICA DE PESCA DO AMAPÁ
Luciele Socorro Simoa (UNIFAP)

A pesca é uma atividade de fundamental importância econômica em diversas localidades do Brasil. Porém,
a industrialização de peixe origina uma quantidade significativa de resíduos. O descarte inadequado destes
detritos causa sérios impactos ambientais. Esta pesquisa tem como objetivo avaliar a atividade de
aproveitamento dos resíduos sólidos do pescado, com foco na sustentabilidade da cadeia produtiva do
setor pesqueiro. O estudo será realizado na Escola Técnica de Pesca, localizada no Município de Santana.
A presente pesquisa é de caráter investigativo, com abordagem quantitativa e qualitativa. A coleta de dados
será realizada através de questionários, que apresentam variáveis distintas, que serão submetidas à análise
descritiva para elaboração de tabelas e gráficos. E como possíveis resultados, busca-se conhecer novas
técnicas para a criação de subprodutos a partir destes resíduos do pescado para serem inseridos no
mercado interno e externo de forma sustentável, agregando valor e gerando renda às comunidades.

Palavras-chave: indústria da pesca; impactos ambientais; sustentabilidade.

75
VII

GLOSSÁRIO VIRTUAL DA MÚSICA DE MATO GROSSO DO SUL


Geovano Moreira Chaves
Giovanna Beatriz Bulcão Michelon
Lorraine de Freitas Rodrigues

Por meio de sua análise, verifica-se a música como documento histórico que permite o entendimento do
pensamento do autor musical, de seu posicionamento político, de sua visão de mundo e de suas influências
étnicas. Através da análise de livros e textos sobre a música produzida em Mato Grosso do Sul no século
XX e da pesquisa e seleção de artistas musicais, pretende-se evidenciar a música produzida na região como
marcada por características híbridas que representam elementos locais e fronteiriços diversos. A fronteira
com o Paraguai e Bolívia permitiu em Mato Grosso do Sul a difusão de estilos musicais específicos,
sobretudo, a Guarânia, a Polca e o Chamamé. Assim sendo, este projeto construirá um site que servirá de
hospedagem para um glossário virtual de música sul-mato-grossense, onde se poderá conhecer melhor,
através da música, os hibridismos da região, e assim possibilitar diálogos e conexões de pesquisa ou mesmo
recreação.

Palavras-chave: Glossário Virtual de Música; Mato Grosso do Sul; Fronteira

IMIGRANTES INDOCUMENTADOS FRONTEIRA BRASIL X BOLÍVIA


Lidiane de Brito Curto
Antonio Jose de Jesus Júnior
Tchoia Fina Gardenal

O Estado de Mato Grosso do Sul possui 1,5 mil quilômetros de fronteira seca com Bolívia e Paraguai e a
fronteira conurbada de Corumbá com Puerto Quijarro/BO é um dos principais corredores migratórios
da fronteira oeste, fazendo com que muitos bolivianos atravessem a fronteira buscando melhores
condições de vida no Brasil, principalmente com relação aos serviços públicos de saúde e educação. O
presente trabalho apresenta a dignidade e a cidadania como molas precursoras da proposta ação voltada
aos imigrantes indocumentados de fronteira no intuito de conhecer a realidade dos imigrantes que residem
na Bolívia e estudam no Brasil, mais especificamente na cidade de Corumbá, buscando registrar a
pendularidade marcante na região por meio da identificação de alunos filhos de imigrantes
indocumentados e apresentar-lhes alternativa para documentação no Brasil.
Palavras-chave: Indocumentados; Fronteira; Carteira de identidade

76
VII

LUTAS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO HUMANA E SOCIAL NA FRONTEIRA.


Luiz Frederico Pinto
Lidiane de Brito Curto

O presente trabalho tem como objetivo, demonstrar as contribuições das lutas como prática social,
cultural, interação para formação humana, através de análises bibliográficas, documentos, artigos e revistas,
no intuito de poder debater, apresentar pontos positivos e negativos das lutas para o desenvolvimento do
ser humano. Neste sentido, temos como objetivos específicos, analisar o papel político, cultural e social
ocupado pelas lutas ao longo da história, sua contribuição formativa social e cultural é inegável se a
tratarmos como prática corporal repleta de sentidos e significados emancipadores, ou seja: não podemos
compreendê-la como atividade negativa por sua suposta violência, pois isso também é uma de suas
características culturais, no cotidiano do aluno na fronteira. Neste sentido, demonstrar as potencialidades
das lutas como conteúdo curricular emancipador, livre dos preconceitos formados pelo senso comum e
sim estimular a aproximação das diversas nacionalidades.

Palavras-chave: Artes marciais; Educação física; Fronteiras

MECANISMOS PARA A CONTRIBUIÇÃO TEÓRICA NAS POLÍTICAS DE


SECURITIZAÇÃO NA FRONTEIRA BRASIL-FRANÇA.
Gabriela da Silva Cavalcante
Jéssica Mayara Lima Ramires

O objetivo deste trabalho em andamento é compreender o papel e os meios de atuação das instituições de
segurança nacionais e internacionais que atuam de maneira conjunta no desenvolvimento de políticas de
securitização na fronteira franco-brasileira, tendo em vista que existe um campo profícuo para as relações
na área da segurança entre o Estado do Amapá e a Guiana Francesa, com ênfase nas peculiaridades
apresentadas após a inauguração da ponte binacional em 2017. Através dos estudos preliminares realizados
através pesquisa bibliográfica e análise documental, que, levando em consideração que apesar da grande
quantidade de operações realizadas na fronteira franco-brasileira para combater e prevenir crimes, foi
possível observar que a capacitação teorica dos agentes de segurança é precária, considerando a baixa
produção de trabalhos focados nesta região fronteiriça que é peculiarmente envolvida tanto por água
quanto por terra, obrigando a criação de operações tanto marítimas quanto terrestres.

Palavras-chave: Instituições de Segurança; Fronteira; Crimes Transfronteiriços

77
VII

MEMÓRIAS, NARRATIVAS E REPRESENTAÇÕES DE IMIGRANTES BOLIVIANOS NA


CIDADE DE GUAJARÁ-MIRIM/RO, NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA
Mário Ruilova Góngora
Elizete Santos Tirina

Este trabalho apresenta resultados de uma pesquisa em andamento sobre os desafios vivenciados por
imigrantes bolivianos que residem no município de Guajará-Mirim/RO, na fronteira Brasil/Bolívia.
Pretende-se investigar como ocorre o fenômeno da imigração na fronteira-Brasil-Bolívia, destacando-se
aspectos das identidades culturais e os desafios enfrentados pelos referidos imigrantes na cidade brasileira.
O estudo do tema é relevante porque contribuirá para compreensão do processo imigratório na fronteira
Brasil-Bolívia, o qual é um fenômeno histórico-social marcado por violências, exclusões e preconceitos.
As análises dos dados coletados estão sendo fundamentadas pelos estudos de: Laraia (2001), Halbwacks
(2003), Abdala Júnior (2002), Hall (2016) e outros. Os dados foram coletados no período de janeiro a julho
de 2019, a partir da reconstituição das memórias e do registro de narrativas orais. Os resultados
preliminares demonstram que os imigrantes bolivianos expressam marcas identitárias culturais e memoriais
que evidenciam um processo de negação identitária e de hibridização cultural.
Palavras-chave: Identidade.; Fronteira.; Memória.

MIGRAÇÃO FM/AM PARA RÁDIO WEB NAS REGIÕES PANTANEIRAS: COMO FICA?
Raphael Vilalva de Queiroz
Anny Aparecida das Neves Silva
Dirce Sizuko Soken

Esta pesquisa trata de um estudo sobre o uso da radiodifusão para fins educacionais relacionando a
temática de Educação Ambiental e Cultural no Pantanal sul-matogrossense. Em termos gerais, buscou-se
levantar informações sobre o processo de migração da transmissão FM e AM para a internet. Cuja base
de dados vêm contribuindo para a discussão sobre os impactos do acesso de usuários de rádios nas regiões
pantaneiras, uma vez que a disponibilidade de sinal de internet é insuficiente. Com base nos dados
levantados, houve crescimento de 20% de usuários de FM/AM e 35% de usuários de rádio WEB referente
aos anos de 2018 e 2019. Observou-se que, as empresas de rádios da cidade de Corumbá, a Rádio Frontera
que atua no raio de 250km de transmissão FM liderou com 19% de acessos, já na transmissão via internet,
a líder foi a Rádio Ultra Conect com 37% de acessos.
Palavras-chave: Educação Ambiental e Cultural; Radiodifusão; Pantanal sul-matogrossense

78
VII

O CURRÍCULO INTERCULTURAL E A LUTA PELO DIREITO À DIVERSIDADE:


DESAFIOS DA ESCOLARIZAÇÃO.
Décio Keher Marques
Isabella da Silva Palácio
Victor Alan Rocha de Olveira

O objetivo deste artigo trata-se em produzir reflexões em relação a alunos indígenas de uma Instituição
Pública Federal de ensino e analisar os extratos dos resultados das avaliações alusivas a esses alunos no
ano letivo de 2017. Busca-se analisar também os dispositivos legais, entre eles, a Constituição de 1988, a
Lei 9394/96 e os Projetos Pedagógicos de Cursos - PPCs do ensino médio integrado ofertados em 2017
no Campus do Instituto Federal de Educação – IFRO/Guajará-Mirim. Em termos teóricos, a pesquisa é
embasada no campo de estudo do currículo, entrelaçando pressupostos pós-modernos que ensejam
palavras como interculturalidade e diferenças. Quanto a metodologia, utilizou-se do paradigma
compreensivo interpretativo, com enfoque epistemológico qualitativo e com técnicas de triangulação,
qualitativa e quantitativa: entrevista semi estruturada e análise documental. Observou-se que o ensino
exitoso aos alunos indígenas faz-se necessário a implementação de material didático bilíngüe e as aulas
ministradas também na língua materna do aluno.
Palavras-chave: Currículo; Educação; Intercultural

O ENSINO DE QUÍMICA EM UM AMBIENTE FRONTEIRIÇO: DA TEORIA A PRÁTICA


Elcimar de Sousa Barros

Na perspectiva de construção de um ensino mais eficaz, este trabalho tem como objetivo verificar se o
uso da experimentação no ensino da química promove a aprendizagem de forma significativa sobre a
percepção dos problemas que tem contribuído com a deterioração do meio ambiente e da qualidade de
vida do educando do Ensino Médio da Escola Joaquim Nabuco, localizada no município do
Oiapoque/AP. A pesquisa terá caráter exploratória e explicativa, tendo em vista as especificidades do
objeto de estudo. Os resultados da investigação serão analisados para sabermos se no momento das aulas
práticas ocorrerá uma melhoria na participação dos alunos nas discussões, maior frequência e melhor
rendimento, e se as aulas práticas ajudarão os mesmos na construção de um novo conhecimento.

Palavras-chave: Ensino de Química; Fronteira; Experimentação

79
VII

O PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE CORUMBÁ E A EFETIVIDADE DO


DIREITO DE LOCOMOÇÃO DOS CICLISTAS.
Rafael Rocha Sá
Elisa Pinheiro de Freitas

O presente artigo descreve as medidas implementadas pela administração municipal de Corumbá/MS na


garantia da circulação de ciclistas dentro da cidade. Objetivou-se averiguar a efetividade do Plano de
Mobilidade Urbana de Corumbá/MS na melhoria das condições de trânsito para os ciclistas e as principais
intervenções realizadas. Com uma abordagem qualitativa, definiram-se três etapas para investigar o
problema: pesquisa bibliográfica, análise documental e observação in-loco sob a perspectiva de pesquisa-
participante. Percebeu-se que possuindo um perímetro urbano pequeno, o ciclismo não é intenso dentro
da cidade, em decorrência da municipalidade que omite em aplicar e desenvolver as medidas apontadas na
sua política pública, impossibilitando que mais habitantes utilizem a bicicleta como meio de deslocamento,
demonstrando-se ineficiente no momento, para facilitar e garantir a circulação amistosa de bicicletas e
veículos pelo município, inviabilizando o acesso universal e igualitário no transporte dos munícipes e seus
bens.
Palavras-chave: Políticas Públicas; Bicicleta; Mobilidade Urbana

O USO DO MAPA MENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NOS ANOS


FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA
Aldineia Nunes de Abreu

A construção do conhecimento em sala de aula pode ser estimulado de diferentes maneiras, por exemplo,
com a utilização de mapas mentais. Por meio deles obtêm-se elementos de percepção pessoal, mas que
trazem resultados gerais de dada realidade. A presente proposta intenta fazer análise teórica sobre o uso
do mapa mental na disciplina de Geografia, além de realizar estudos de casos no Brasil, que apontam as
perspectivas adequadas para o uso deste método nas escolas de ensino fundamental. Como proposta de
colaboração para o melhor desenvolvimento de ensino, a construção dos mapas mentais consiste em uma
ferramenta metodológica para a leitura geográfica dos espaços fronteiriços e que servirá para produzir uma
coletânea de mapas mentais de aplicabilidade educacional sobre limites e fronteiras para os anos finais do
ensino fundamental da disciplina de Geografia na cidade de Oiapoque/AP.

Palavras-chave: Mapas mentais; limites e fronteiras; Ensino-aprendizagem

80
VII

PROBLEMAS AMBIENTAIS TRANFRONTEIRIÇOS – UMA ANALISE DA FRONTEIRA


ENTRE BRASIL E GUIANA FRANCESA
Jéssica Mayara Lima Ramires

Após o século XX, questões relacionadas à problemática ambiental passou a ser amplamente discutidas.
Nas regiões fronteiriças, essa temática tornou-se latente, tendo em vista que as proximidades geográficas
entre os Estados, muitas das vezes, os fazem compartilhar recursos. Esse é o caso da fronteira entre Brasil
e Guiana Francesa, onde distintos territórios repartem o rio Oiapoque e possuem parques nacionais nas
proximidades de suas fronteiras com recursos e problemáticas ambientais análogos. É buscando identificar
essas analogias, que este trabalho vem como objetivo de propor a construção de um relatório técnico afim
de subsidiar acordos de preservação ambiental para essa região.

Palavras-chave: Fronteira; Problema ambiental; Meio ambiente

PROPOSTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA ALUNOS DE GEOGRAFIA POR MEIO


DO DIAGNÓSTICO DA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA FRONTEIRA BRASIL-
GUIANA FRANCESA
Regina Marcia da Silva Campos Gonçalves

O correto gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos aliado à educação ambiental tem sido um desafio
para o desenvolvimento socioeconômico no Brasil. Neste contexto, o presente trabalho enfatiza
procedimentos metodológicos de pesquisa em curso sobre os resíduos sólidos na região de fronteira entre
o Brasil e Guiana Francesa, cujo o objetivo é descrever em relatório técnico a atual situação da gestão dos
resíduos sólidos no recorte territorial escolhido de forma a gerar subsídios operacionais para melhorar a
qualidade de vida dos habitantes daquela fronteira.

Palavras-chave: Educação ambiental; Resíduos Sólidos; Fronteira

81
VII

REFLEXÕES SOBRE OS PRINCÍPIOS DA LEI 13.022/14 NO ÂMBITO DE ATUAÇÃO


DAS GUARDAS MUNICIPAIS NA SEGURANÇA PÚBLICA
Alex Roberto Oliveira de Andrade
Caio Dalbert Cunha de Avellar
Lidiane de Brito Curto

A presente pesquisa versa sobre a promulgação da Lei Federal n.º 13.022/2014 - Estatuto Geral das
Guardas Municipais que criou a possibilidade de extensão de competências a partir de princípios mínimos.
Deste modo, as guardas municipais têm assumido um importante papel como força de segurança pública,
principalmente em região de fronteira na fiscalização de trânsito em relação aos carros de origem
estrangeira e em campanhas de combate à violência doméstica no território. Para fundamentar o
entendimento foram realizados levantamentos estatísticos, bibliográficos e normativos sobre a segurança
pública no Brasil, medindo a criminalidade e compreendendo as iniciativas de participação dos municípios
no seu combate, por meio das guardas municipais. Demonstrando modelo de atuação das guardas
municipais em fronteira atendendo suas peculiaridades.

Palavras-chave: segurança pública; Guarda municipal; Atribuições em fronteira

TERRITÓRIO, DROGAS E FRONTEIRA: EXPRESSÕES PARA O TRABALHO DOS CRAS


EM MUNICÍPIOS DE FRONTEIRA COM URUGUAI.
Alene Silva da Rosa

A pesquisa tem por finalidade desvelar a realidade das cidades de fronteira com o Uruguai no que se refere
às drogas e como esta temática se expressa no território e se materializa enquanto demanda para Política
de Assistência Social, especificamente no cotidiano de trabalho das equipes que compõem a proteção
social básica nos municípios de Aceguá, Barra do Quaraí e Chuí entre os anos de 2013 e 2017. Consiste
em um estudo qualitativo, assentado no método do materialismo histórico e, que utilizar-se-á de
instrumentais tais como: entrevistas semiestruturadas, análise documental, grupo focal e análise de discurso
em Michel Pêcheux. A pesquisa faz parte de uma dissertação de mestrado em andamento e, apresenta
como resultados prévios um escopo de referencial teórico que embasará a construção da dissertação.

Palavras-chave: Território; Fronteira; Política de Assistência Social

82