Você está na página 1de 17

Apontamentos Anuais de CFQ – 7ºano

UNIVERSO
1.1 Constituição do Universo
Planetas:
- não têm luz própria (são corpos celestes iluminados);
- movem-se sempre à volta das estrelas, como acontece com a
Terra à volta do Sol;
- podem ter satélites que se movem à volta deles, como acontece
com a Lua à volta da Terra.
Estrelas:
- são astros com luz própria (são corpos celestes luminosos);
- fabricam energia que é irradiada para o espaço (por isso
brilham);
- o seu brilho depende da sua massa e da temperatura.
Enxames de Estrelas:
- grupo de estrelas com a mesma origem e idade, movendo-se no
seu conjunto em torno de um ponto;
- existem enxames abertos (são pequenos) e enxames fechados
ou globulares (grandes – podem conter milhões de estrelas).
Galáxias:
- são enormes grupos de estrelas, gases e poeiras que se movem
em conjunto à volta de um ponto, o centro da galáxia.
- galáxias em espiral: Têm um núcleo central brilhante do qual
partem vários braços com estrelas de diferentes idades;
- galáxias elípticas: são as mais comuns, têm um forma
quase esférica e são formadas por estrelas mais velhas;
- galáxias irregulares: não têm forma definida e são formadas por
estrelas muito jovens, ricas em gases e poeiras.
Enxames de galáxias:
- são conjuntos de galáxias que se movem em volta de um mesmo
ponto;
Superenxames de galáxias:
- são formados por vários enxames de galáxias que se movem em
volta de um mesmo ponto, são as maiores estruturas do universo
O lugar da Terra no Universo:
A terra move-se em torno de uma estrela, o Sol, que pertence à
galáxia Via Láctea, ao enxame Grupo Local ao Superenxame Local
ou da Virgem.

1.2 Observação do Céu


Esfera celeste:
- É uma esfera imaginária que envolve a terra;
- a superfície da terra que os nossos olhos abrangem e a partir da
qual começa a esfera celeste designa-se por horizonte do lugar;
Constelações:
- São grupos de estrelas que parecem estar próximas umas das
outras, formando na Esfera Celeste determinadas figuras;
- os nomes de muitas delas estão associados a lendas antigas.
Hemisfério Norte: Ursa maior, Ursa menor, Cassiopeia são
as principais.
Hemisfério Sul: Cruzeiro do Sul (quatro estrelas que formam uma
cruz).

Estrela Polar: é a última estrela da cauda da Ursa Menor,


encontra-se na direção do eixo terrestre e só é observada no
hemisfério norte (permite localizar o ponto cardeal norte).

1.3 Evolução do nosso conhecimento sobre o Universo


Os corpos celestes emitem luz que pode ser:
Luz visível: a que os nossos olhos veem;
Luz não visível: a que os nossos olhos não veem;
O Universo foi sendo imaginado de modo diferente ao longo dos
tempos:
Modelo geocêntrico: defendido por Ptolomeu, considerava que a
Terra estava em repouso no centro do universo e que todos os
astros se moviam à sua volta; (Idade Média)
Modelo Heliocêntrico: defendido por Copérnico e Galileu,
considerava que o Sol ocupava o centro do Universo, movendo-se
todos os astros, incluindo a Terra, à sua volta. (Renascimento)
Galileu, telescópio e modelo heliocêntrico:
Foi pioneiro na utilização do telescópio (luneta) e efetuou
descobertas que contribuíram para apoiar o modelo
heliocêntrico, como por exemplo:
- que a superfície da lua não era lisa, tendo vales e cadeias
montanhosas;
- à volta de Júpiter havia quatro satélites ou Luas;
- o planeta Vénus era visto com formas diferentes e também
tamanhos diferentes em sucessivas observações, apresentando
fases como acontece com a Lua;
Telescópios – são meios de observação dos corpos celestes que
detetam a luz por eles emitida ou refletida.
Podem ser: (ver imagens página 26)
Telescópios óticos: se detetam luz visível ou radiotelescópios, os
de luz não visível;
Telescópios terrestres: que estão no solo;
Telescópios espaciais: que orbitam a terra.

Missões espaciais:
Para o conhecimento do Universo são importantes as missões
espaciais, tripuladas e não tripuladas.
Naves espaciais: Veículos com sistema propulsor que permite
viajar além da atmosfera terrestre. Podem ser tripuladas ou não.
Sondas espaciais: Naves não tripuladas.
Agências espaciais: Têm programas com missões tripuladas e não
tripuladas e observatórios no solo que muito têm contribuído para
a evolução do conhecimento do Universo.
Existem dois projetos tripulados:
Programa Apollo- com naves tripuladas, foi responsável pelo
envio do primeiro homem à lua.
Estação Espacial Internacional – iniciou em 1998, orbita a Terra a
350 km de altitude, dando cerca de 16 voltas por dia. É o maior
satélite artificial visível da terra.
Origem e evolução do Universo – teoria do Big-Bang
Universo – Formou-se há cerca de catorze mil milhões de anos;
Idade do Universo – 14 000 000 000 anos.
Teoria do Big-Bang – O Universo começou com uma enorme
explosão a partir de uma pequena massa densa e quente que se
foi expandindo e arrefecendo.

SISTEMA SOLAR
2.1 Astros do Sistema Solar
Sistema solar:
- é constituído pelo sol, 8 planetas que o orbitam, planetas anões,
muitos satélites de planetas, incontáveis asteroides, cometas e
meteoroides;
Está dividido em três:
1 – Sistema Solar Interno (onde se encontram os quatro primeiros
planetas - rochosos);
2 – Sistema Solar Externo (onde se encontram os quatro últimos
planetas – gasosos);
3 – Cintura de Kuiper (descoberta em 1992, é semelhante na
forma à cintura de asteroides, mas mais inclinada e expandida.
Situa-se nela plutão e outros planetas anões gelados).

Planetas:
- são astros que se movem em volta do sol e têm massa suficiente
para que a sua órbita seja bem definida e livre de outros astros.
Podem ser classificados quanto:
- à sua constituição:
Rochosos, terrestres ou telúricos – Mercúrio, Vénus, Terra, Marte;
Gasosos ou gigantes gasosos – Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno.
- à sua localização:
Interiores – quatro primeiros a contar do sol (mercúrio, vénus,
terra, marte);
Exteriores – quatro últimos a contar do sol (Júpiter, Saturno,
Urano, Neptuno).
Todos os planetas têm movimento de transladação à volta do sol
e movimento de rotação em torno do eixo imaginário e
acompanham os planetas no seu movimento à volta do sol.
Planetas Anões – movem-se à volta do sol, movem-se em torno
de um eixo imaginário e alguns têm satélites. A massa dos
planetas anões é menor do que a dos planetas.
Ex. Plutão, Ceres, Éris, Makemake, Haumea.
Sol – é a estrela que nos ilumina e aquece.
- Tem movimento de translação (demora 225 milhões de anos
para efetuar uma volta completa)
- Tem movimento de rotação – zonas do equador demoram 27
dias terrestres para efetuar uma rotação completa e zonas polares
demoram 30 dias terrestres.
Massa: 333 mil vezes maior que a da Terra;
Diâmetro: 1,4 milhões de quilómetros;
Temperatura: 5800 ºC
Asteroides: São pequenos pedaços de rocha que se
movem em torno do sol. Na sua grande maioria formam a cintura
de asteroides, que se situa entre Marte e Júpiter;
Cometas: São pequenos corpos gelados que têm órbitas muito
alongadas. São constituídos por poeiras, gases que solidificaram e
gelo;
Quando passam perto do sol tornam-se visíveis. São constituídos
por núcleo, cabeleira e cauda.
Meteoroides: São pedaços de rocha que se movem no espaço
interplanetário. Quando caem para a terra, os mais pequenos
chamam-se meteoros e os maiores meteoritos.
Chuva de estrelas: Aparição de vários meteoros que parecem vir
do mesmo ponto do céu.
A atmosfera e os meteoroides
A atmosfera tem um papel muito importante na proteção da terra
contra as consequências do impacto causado pela queda de
meteoroides por ela atraídos. Mercúrio, que é um planeta sem
atmosfera, assim como a Lua, têm a superfície repleta de enormes
crateras resultantes da queda de meteoritos.
2.2 Os planetas e as características que os distinguem
Os planetas apresentam diversas características que os
distinguem. Entre outras, os seus movimentos de rotação e de
translação.
- Período de rotação: É o tempo que um planeta demora para
realizar uma rotação completa em torno do seu eixo e
corresponde a um dia nesse planeta. O período de rotação é
diferente de planeta para planeta.
- Período de translação: É o tempo que um planeta
demora a completar uma órbita em volta do sol e corresponde a
um ano nesse planeta. Depende da distância do planeta ao sol.
O planeta mais próximo do sol demora menos tempo a completar
a órbita correspondendo-lhe, por isso, um período de translação
menor.
3. Distâncias no Universo
3.1 Distâncias na Terra, no Sistema Solar e para além do Sistema
Solar
Unidades de comprimento: metros é a unidade SI
Unidades de tempo: segundos é a unidade SI
Unidade astronómica: as distâncias no Sistema Solar medem-se
em unidades astronómicas. 1 ua = 150 milhões de Km
Ano – luz: a luz percorre aproximadamente 9,5 biliões km. 1 al =
9,5 biliões de km
4. A Terra, a Lua e forças gravíticas
4.1 Os movimentos da terra e as suas consequências
Ao receber a luz do sol, a terra fica com:
- metade da sua superfície iluminada, onde é dia;
- a outra metade da sua superfície não iluminada, onde é noite.

O Sol e a orientação durante o dia


Ao nascer do sol – Sol (este); Sombra (oeste)
Sol no ponto mais alto – Sol (sul); Sombra (norte)
Ao pôr do sol – Sol (oeste); Sombra (este)

Variação da sombra dos objetos durante o dia


- quando o sol nasce, os raios solares são muito inclinados em
relação ao horizonte;
- o sol vai subindo em relação ao horizonte e a inclinação dos raios
solares vai diminuindo;
- depois de atingir o ponto mais alto, o Sol vai descendo
em relação ao horizonte e a inclinação dos raios solares vai
aumentando.

O movimento de translação da Terra e as estações do ano


As estações do ano existem porque a terra tem movimento de
translação e o eixo de rotação da terra é inclinado em relação ao
plano da sua órbita.
O eixo de rotação da Terra faz um ângulo de 23,5 graus com a linha
perpendicular ao plano da órbita.
Os equinócios e os solstícios dividem o ano em quatro partes – as
quatro estações do ano.
As estações do ano são opostas nos dois hemisférios.
Alguns planetas do Sistema Solar não têm estações do ano.
4.2 Movimentos da Lua e fases da Lua
Períodos de rotação e de translação da Lua
O tempo que a Lua demora a realizar uma rotação completa é
igual ao necessário para realizar uma translação completa: 27 dias
e 7 horas.
Período de rotação da Lua = Período de translação da Lua
É por este motivo que a Lua tem sempre a mesma face voltada
para a Terra.
Fases da Lua
A lua é vista da terra com formas diferentes, a isso chama-se fases
da Lua.

4.3 Os eclipses
Um eclipse é ocultação total ou parcial de um astro pela sombra
ou penumbra de outro astro.
Eclipses da Lua
Os eclipses da lua ocorrem quando a terra está exatamente entre
o Sol e a Lua. A Lua passa na sombra ou na penumbra da Terra e
deixamos de a ver.
Eclipses do Sol
Os eclipses do sol ocorrem quando a Lua está exatamente entre a
terra e o sol. A sombra e a penumbra da Lua projetam-se numa
zona da Terra, escondendo o sol.

4.4 Forças: o que são


Força é toda a causa capaz de provocar o movimento de um corpo
que está em repouso, de alterar o movimento de um corpo ou de
provocar a sua deformação (alteração da forma de um corpo).

Como se caracterizam e representam as forças


Para caracterizar uma força é necessário saber a sua intensidade,
direção, sentido e ponto de aplicação. As forçar representam-se
por vetores.
Como se mede a intensidade das forças
A intensidade das forças mede-se com dinamómetros e exprime-
se em newtons, símbolo N.
4.5 Força gravítica
Força responsável pela queda dos corpos
A força responsável pela queda dos corpos para a Terra chama-se
força gravítica. É exercida pela Terra e tem:
- ponto de aplicação – no corpo;
- direção – da reta que passa pelo centro da Terra e pelo corpo;
- sentido – do corpo para a terra.
A intensidade da força gravítica que a Terra exerce nos corpos
depende:
- da massa dos corpos;
- da distância do corpo ao centro da terra.
A intensidade da força gravítica exercida pela terra é tanto maior
quanto maior for a massa do corpo e quanto menor for a distância
ao centro da terra.
A força responsável pela translação dos planetas à volta do Sol e
dos satélites à volta dos planetas é a força gravítica.
4.6 Peso e massa
Peso dos corpos
O peso de um corpo é a força com que a terra o atrai.
O valor do peso dos corpos mede-se em dinamómetros.
A unidade SI que exprime o valor do peso é o newton (N).
Massa dos corpos
Um corpo é como uma porção limitada de matéria. Se um corpo é
formado por mais matéria do que outro, diz-se que esse corpo
tem maior massa.
A unidade SI em que se exprime a massa chama-se
quilograma (Kg).

Relação entre peso e massa


No mesmo lugar da terra, o peso de um corpo é tanto maior
quanto maior for a sua massa.
Peso : massa = constante
Na terra: P (N) : m (kg) = 9,8 N/g

5. A diversidade de materiais e a sua utilização


Classificação de materiais
Materiais naturais e manufaturados

São materiais naturais (os que provêm diretamente da natureza):


- a madeira que retiramos das árvores, usada, por exemplo, para
acender uma lareira;
- a água do rio ou de um poço, usada para regar;
- a areia, usada na construção civil.

São materiais manufaturados (os materiais resultantes do


tratamento ou transformação dos naturais e os que são
totalmente produzidos em laboratório – sintéticos):
- a madeira tratada e envernizada para o fabrico de móveis;
- o papel, obtido a partir da celulose da madeira;
- a água da torneira, que foi submetida a processos de tratamento
para a podermos utilizar em segurança na alimentação;
- o nylon, produzido industrialmente, usado no fabrico de
redes e fios de pesca.
A utilização de recursos naturais e a sustentabilidade na Terra
Os recursos naturais devem ser explorados e utilizados de forma
regrada para não comprometer a vida das populações vindouras.
A solução do problema dos resíduos passa por reduzir a
quantidade de materiais utilizados que originam lixos, reutilizar
materiais já utilizados e reciclar, produzindo novos materiais a
partir dos resíduos.
5.1 Substâncias e misturas; tipos de misturas
Distinção entre substância e mistura
Substâncias – materiais que têm um só componente na sua
constituição, ou seja, uma só substância; ex.: água destilada
Misturas – materiais constituídos por dois ou mais componentes.
cada componente é uma substância. ex.: granito, ar, água mineral
Significado do termo puro
O termo puro tem significados diferentes:
- O conceito químico da palavra “puro” é: material constituído por
uma só substância:
- o significado na linguagem do dia a dia da palavra “puro” é:
material não contaminado.
Misturas heterogéneas, homogéneas e coloidais
Heterogéneas – distinguem-se alguns dos seus componentes
Coloidais – parecem homogéneas. Observadas com instrumentos
de ampliação mostram-se heterogéneas
Homogéneas – Não se distinguem os componentes
5.2 Soluções
Solução, soluto e solvente