Você está na página 1de 4

Esboço do sermão Herculano.

Texto base: 2 Crônicas 20

Pericope: 2 Crônicas 20.1-12

Ideia central: Por piores que sejam nossos inimigos e adversidades que enfrentamos,
precisamos lembrar que temos o Deus da aliança, que reivindica, preserva e restaura o
seu povo, por isso podemos descansar.

Introdução

A violência atrelada à impunidade, tem gerado em nós a sensação de abandono,


insegurança e medo. Todos os dias os jornais, anunciam crimes e mais crimes, dos mais
assustadores possíveis. A sensação é que estamos completamente entregues ao
destino e que podemos ser a próxima vitima, e que a qualquer momento algo ruim
pode chegar até nós, ou a algum parente ou conhecido nosso. Certamente alguns de
vocês já vivenciou ou conhece alguém que foi vítima de algum tipo de violência, e
certamente sabem que isso gera medo, insegurança e em casos mais graves, traumas
irreversíveis e até mesmo a morte. Diante dessas situações ficamos angustiados,
ansiosos por uma resposta, com medo, nos sentimos sem forças, e sem saber o que
fazer nessa realidade.

Contextualização

O texto que lemos narra o momento em que Judá está sobre o reinado de Josafá, e
recebe a notícia que um exército numeroso está vindo atacá-los. Trata-se de Moabe,
Amom e os Meunitas. Amom e Moabe tem sua origem, com as filhas de Ló (Gn 19.38),
O rei de Moabe certa vez, vendo que estava perdendo a guerra, oferece seu próprio
filho em sacrifício ao deus Moloque (2 Re 3.27).Sendo estes parentes de Israel, mas
apesar do parentesco por toda a peregrinação no deserto, estes se ajuntaram com
outros povos para atacar a israel. Contratam Balaão para amaldiçoar Israel, e por isso
Deus não permitiu que eles fizessem parte da assembleia (Dt 23.3-4), no tempo dos
juízes se juntam aos amalequitas para subjugar a Israel e isso por 18 anos, até que
Eúde matou a Eglom rei de Moabe (Jz 3.15).
E agora mais uma vez eles estão vindo contra Judá na tentativa de subjuga-los e
destruí-los. E ao saber desta noticia Josafá tem medo e todo Judá passa a pedir socorro
a Deus, pois reconhecem que neles não há força para vencer essa multidão e não
sabem o que fazer. ( 2 Cr 20.3ª -4- 12b).
Mas a narrativa segue e vamos perceber que todo o Judá passa a buscar a Deus, e
percebem que diante dessa adversidade eles podem descansar pois tem o Deus da
aliança reivindica, preserva e restaura o seu povo.
Tema: Descanse em Deus, Ele salva o seu povo!

Divisões

1- Descanse em Deus, Ele reivindica o seu povo. (14-17)

Ilustração: José preso no Egito, inocente, Deus reivindica sua causa, Israel aprisionado
no Egito, Deus reivindica seu povo, cativeiro babilônico, Daniel + cova, Três jovens +
fornalha, reivindica a causa de Judá diante da ameaça de Moabe e Amom, nós em
nossos medos, incertezas e pecados.
Cristo reivindica nossa causa, ele absorve nossos pecados, nos declara justos, nos livra
de nosso inimigo, anula a sentença que nos era contraria.

2- Descanse em Deus, Ele preserva seu povo. (22-26)

Ilustração: Deus preserva José naquela prisão, Deus preserva seu povo no Egito, no
deserto, na terra prometida, preserva a Judá diante de Moabe e Amom.
Cristo nos preserva em meio a uma sociedade hostil, em aspectos sociais e religiosos
que são opostos a Deus. Cristo nos preserva de nossos pecados, nos santificando.
Cristo nos preserva no caminho, até os céus.

3- Descanse em Deus, Ele restaura o seu povo. (27-30)


Ilustração: Restaura José da prisão, israel do cativeiro do Egito, da Babilonia, restaura
a paz e a alegria de Judá, diante da ameaça de Moabe e Amom.
Cristo restaura em nós a alegria perdida por quebrarmos a aliança com Deus, e
restaura em nós a paz, pois vivíamos em guerra com o Senhor.

Conclusão

Sabedores que temos a Deus que reivindica o seu povo, preserva as nossas vidas e nos
restaura, cabe a nós confiarmos nesse Deus, busca-Lo de todo nosso coração, adorá-lo
como nossas vidas, nos alegrarmos Nele, e descansarmos o nosso coração, na certeza
que mesmo em uma sociedade violenta e hostil, em Cristo podemos ter paz por todos
os lados!
Sermão quatro paginas.

Limitação humana. (Vs 3a; 4 a,12)


(Expressões chave- Medo, socorro, não há força, não sabem o que fazer).
Soberania de Deus. (Vs 5-9)
(Expressões chave- Deus nos céus, dominas sobre os reinos dos povos, força e poder,
minguem resiste, deu a terra a seu povo, ouvirás e livrarás)
Cuidado de Deus. (Vs 15-30)
(Expressões chave- diz o Senhor, não temais, não assusteis, a peleja é de Deus, tomem
posição, vejam o salvamento do Senhor, o Senhor é convosco, O Senhor pôs
emboscadas, foram desbaratados, corpos mortos, riquezas em abundancia, com
alegria, o Senhor os alegrara, inimigos, paz, repouso.)

Introdução

A violência atrelada à impunidade, tem gerado em nós a sensação de abandono,


insegurança e medo. Todos os dias os jornais, anunciam crimes e mais crimes, dos mais
assustadores possíveis. A sensação é que estamos completamente entregues ao
destino e que podemos ser a próxima vitima, e que a qualquer momento algo ruim
pode chegar até nós, ou a algum parente ou conhecido nosso. Certamente alguns de
vocês já vivenciou ou conhece alguém que foi vítima de algum tipo de violência, e
certamente sabem que isso gera medo, insegurança e em casos mais graves, traumas
irreversíveis e até mesmo a morte. Diante dessas situações ficamos angustiados,
ansiosos por uma resposta, com medo, nos sentimos sem forças, e sem saber o que
fazer nessa realidade.

P1- Problema: O medo distorcide a realidade.

Ao tomar conhecimento que Moabe e Amom viria contra Judá, Josafá a princípio sente
medo, e isso se da, naquele momento porque ele passa a Enxergar a realidade na ótica
humana, que é totalmente limitada pelo pecado, excluindo assim a providência divina.

P2-Solução: Nossos medos distorcem a nossa realidade.

Em nossos dias o medo e a incerteza tem tomado conta de corações, devido a


violência e a hostilidade presentes em nossa sociedade, e isso tem feito com que
pessoas percam a fé em Deus, e passem a viver uma vida de incredulidade, tristeza e
inquietude. Passam a buscar em terapias, psicólogos, e muitas vezes no álcool, nas
drogas a solução de seus dilemas.

Deus manifesta a sua salvação a Judá, revelada na sua providência que livra, salva,
lança fora o medo, derrota os inimigos, produz riquezas em abundancia, gera alegria e
paz. Diante disso podemos descansar nesse Deus na certeza de que Ele continua
soberano sobre todas as situações, inclusive as adversas, e por isso podemos
descansar Nele, porque Ele reivindica, preserva e restaura o seu povo, e por isso
devemos confiar em Deus, devemos busca-Lo de todo nosso coração, ter uma vida de
adoração e contemplação diante de seus feitos.

P3- Deus salva o seu povo de seus medos.

Apesar da multidão numerosa contra Judá, apesar do medo que sentiam, de


reconhecerem que neles não havia força e que não sabiam o que fazer, Deus os salva,
colocando emboscadas contra Moabe e Amom não sobrevivendo nenhum deles, e
Deus assim alegra a Judá e da paz a eles por todos os lados. Eles não fizeram
absolutamente nada, apenas viram o salvamento que o Senhor os deu.
Quando lembramos da nossa luta mencionada por Paulo, na carta aos Efésios, contra
os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as
forças espirituais do mal, nas regiões celestes (Ef 6.12) e de outra luta, conforme
(Hebreus 12.4) que em nossa luta contra a carne ainda não temos resistido até ao
sangue. Em nossa vida, é certo que não enfrentamos nenhum exército como esse que
veio contra Judá, mas é certo que enfrentamos um outro inimigo e uma outra batalha
e nos sentimos como Josafá, como medo, sem forças para resistir e sem saber o que
fazer.
É exatamente nesse momento que recorremos a Cristo, que venceu a luta por nós, que
nos deu vida estando mortos em nossos pecados, perdoou a nossa divida, e despojou
os principados e potestades e os expos ao desprezo, triunfando deles na cruz! E
através de Cristo nós podemos sim, vencer as ciladas do diabo e vencer sim o pecado,
porque aqueles que são de Cristo já crucificaram a sua carne vencendo as sua paixões
e concupiscências (Gl 5.24), e aqueles que são de Cristo o maligno não pode vos tocar.
(1 Jo 5.18)

P4- Deus continua salvando o seu povo!

Assim como Deus salvou a Judá, que estava com medo, reconheceu que neles não
havia força e que nem sabiam o que fazer, mesmo em uma sociedade hostil, mesmo
aterrorizados com noticias de crimes bárbaros, mesmo diante de um quadro de
corrupção e insegurança, mesmo diante da incredulidade, Deus continua salvando seu
povo.

Assim como Josafá e Jaaziel, foram instrumentos de Deus para anunciar ao seu povo o
que Deus iria fazer naquele momento, hoje somos salvos por Cristo e comissionados a
anunciar ás outras pessoas o que Cristo fez por nós, Ele reivindica o seu povo, Ele
preserva o seu povo e Ele restaura o seu povo.