Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

MBA EM COMUNICAÇÃO E MARKETING


EM MÍDIAS DIGITAIS

Resenha Crítica de Caso


Albaly Mendes de Sousa

Trabalho da disciplina Negócios Digitais


Tutor: Prof. Marcelo Vasques de Oliveira

Vitória – E.S.
2019

3
RADIOHEAD: MÚSICA PELO PREÇO QUE QUISER PAGAR

Referência:
RADIOHEAD: MÚSICA PELO PREÇO QUE QUISER PAGAR. Harvard Business
School, setembro, 2009. Disponível em:
http://pos.estacio.webaula.com.br/ead/supportMaterialDetails/728/support/728 . Acesso em:
07/10/2019.

a) Introdução

O Radiohead é uma banda formada em 1985. Formada por cinco amigos ingleses, é
uma das bandas mais populares e mais significativas do final do século XX e início
do XXI, conhecida por seu estilo emotivo. Seu nome foi dado devido ao nome de
uma música da banda Talking Heads, outra banda do mesmo gênero.

Como forma de inovação em seu mercado, lançaram em 2007 o álbum In Rainbows,


apenas em forma digital, com a seguinte novidade: os fãs escolheriam o valor que
desejariam pagar pelo álbum. As vendas seriam apenas pelo site da banda.

Os seus produtores questionaram: seria essa ação uma inovação de marketing, ou


seria mais um erro no mercado decadente da música?

b) Desenvolvimento

O seu single Creep foi o que a tornou conhecida no mercado, em 1993. Como
estava fazendo sucesso no Reino Unido, a gravadora Capitol Records fez a estreia
da banda uma prioridade no plano de ação daquele ano, lançando juntamente o
álbum Pablo Honey na MTV e nas rádios de rock da época. As vendas foram bem
altas, e o álbum atingiu dois milhões de cópias em 1995.

Em sua carreira, a banda lançou outros 5 álbuns entre 1995 e 2003, atingindo oito
milhões de cópias. A Radiohead ganhou o primeiro Grammy da banda como melhor
música alternativa. Os demais álbuns da banda sempre foram muito bem recebidos
pela crítica.

3
O Radiohead sempre foi ousado e inusitado em seus lançamentos. Lançou músicas
sem refrão, com mudanças de ritmo, bem fora dos padrões. Lançou trechos de
músicas na MTV e no seu site, em vez da música inteira, como forma de divulgação.
Tony Wadsworth, presidente e CEO da EMI dizia que o Radiohead buscava formas
diferentes de se mostrar a fim de ampliar o alcance de suas músicas.

Em 2003, eles optaram por trabalhar independentemente, não renovando o contrato


com a gravadora. Achavam que precisavam continuar a inovação pois viam o
mercado como um negócio em decadência.

Sempre diferentes e focados na inovação, o sétimo álbum da banda – In Rainbows –


foi criado com o feedback dos fãs, que iam aos shows, ouviam as músicas e as
escolhiam.

Com a inovação e mudança do mercado fonográfico, devido à digitalização das


músicas, houve uma queda enorme nas vendas de CDs. Os canais de vendas
digitais começaram a crescer vertiginosamente.

Em 2001, houve o advento do ITunes e sua liderança, sendo responsável por cerca
de 70% de todos os downloads de músicas em 2006. As vendas de faixas
individuais de músicas eram as que mais saiam. Existiam também os serviços de
assinatura, como o Rhapsody, que ofereciam acesso ilimitado a milhões de faixas
cobrando apenas uma mensalidade de US$13.

c) Conclusão

Paralelo a isso, houve um enorme crescimento da música pirata em formato digital,


com um custo global em torno de US$12,5 bilhões ao ano, relativos a perda desse
setor. Os artistas perdiam tanto que tiveram que criar formas alternativas para lidar
com o mercado.

In Rainbows foi um álbum independente e lançado com uma estratégia diferente e


inovadora que deu certo. Era necessário acompanhar essa “sociedade digital” e
oferecer meios de se fidelizá-la.

Você também pode gostar