Você está na página 1de 41

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO

GRANDE DO SUL – UNIJUI

KASSIANO KAUFMANN

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Ijuí/RS
2019
KASSIANO KAUFMANN

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Relatório de Estágio Supervisionado I do curso de


Engenharia Civil apresentado como requisito
parcial para obtenção do grau de Engenheiro
Civil.

Orientador(a): Claudia Kraemer Legonde

Ijuí/RS
2019
LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Planta Baixa antes da ampliação ......................................................................... 8


Figura 2 - Fachada Residência a ser Ampliada - Panambi .................................................. 8
Figura 3 - 3D parcial do projeto .......................................................................................... 9
Figura 4 - Planta com a Apliação ........................................................................................ 9
Figura 5- Análise de Modelos ........................................................................................... 11
Figura 6 - Medidas da escada ............................................................................................ 12
Figura 7 - Plata baixa sobrado pav. térreo ......................................................................... 13
Figura 8 - Planta Baixa Pav. Superior ............................................................................... 14
Figura 9 - Planta baixa Técnica com 04 unidades ............................................................. 15
Figura 10 - Planta de Situação ........................................................................................... 16
Figura 11 - Planta de Localização ..................................................................................... 18
Figura 12 - Corte B-B' ....................................................................................................... 19
Figura 13 - Corte A-A' ....................................................................................................... 19
Figura 14 - Fachada Frontal .............................................................................................. 20
Figura 15 - Fachada Renderizada em 3D .......................................................................... 21
Figura 16 - Esteriogramas ................................................................................................. 23
Figura 17 - Planta Água Fria ............................................................................................. 23
Figura 18 - Planta do Sistema de Esgoto ........................................................................... 24
Figura 19 - Diagrama Unifilar ........................................................................................... 25
Figura 20 - Planta do Projeto Elétrico ............................................................................... 25
Figura 21 - Quadro de Cargas............................................................................................ 25
Figura 22 - Residência a ser Ampliada em Ijuí ................................................................. 26
Figura 23 - Detalhe da Ampliação ..................................................................................... 27
Figura 24 - Planta Baixa Pav. Inferior ............................................................................... 28
Figura 25 - Planta Baixa Pav. Principal............................................................................. 28
Figura 26 - Fachada em 3D ............................................................................................... 29
Figura 27 - Detalhe interior 3D ......................................................................................... 30
Figura 28 - Detalhe em 3D fundos da Residência ............................................................. 30
Figura 29 - Galpão a ser regularizado ............................................................................... 32
Figura 30 - Planta Baixa Galpão Pavimento Térreo .......................................................... 32
Figura 31 - Corte Galpão A-A' .......................................................................................... 33
Figura 32 - Planta baixa Galpão Pavimento superior ........................................................ 33
Figura 33 - Corte Galpão B-B'........................................................................................... 34
Figura 34 - Planta Baixa Imóvel bairro Modelo ................................................................ 35
Figura 35 – Imóvel a ser aferido ........................................................................................ 35
Figura 36 - Planta inicial Residência Santo Augusto ........................................................ 36
Figura 37 - Maquete 3D residência Santo Augusto ........................................................... 37
LISTA DE SIGLAS

ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ............................................................................................................. 6

1.1 Objetivos ............................................................................................................ 6

1.2 Apresentação da empresa ................................................................................. 6

2 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO ..................................................................... 7

2.1 Projeto de Ampliação Residencial em Panambi ............................................. 7

2.2 Projeto de Sobrados Geminados .................................................................... 10

2.2.1 Planta de Situação ............................................................................................. 16

2.2.2 Planta de Localização ........................................................................................ 17

2.2.3 Cortes ................................................................................................................ 18

2.2.4 Fachada ............................................................................................................. 20

2.2.5 Projeto Hidrossanitáro ....................................................................................... 21

2.2.6 Projeto Elétrico.................................................................................................. 24

2.3 Projeto de Ampliação Residencial em Ijuí .................................................... 26

2.4 Criação de planta baixa para Regularização de Galpão ............................. 31

2.5 Levantamento Residencial para Reforma .................................................... 34

2.6 Projeto Residencial cliente de Santo Augusto .............................................. 36

3 CONCLUSÃO ............................................................................................................. 38

REFERÊNCIAS .......................................................................................................................... 39
6

1 INTRODUÇÃO

O presente relatório integra o componente curricular de Estágio Supervisionado I do Curso


de Engenharia Civil da Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ e tem
como finalidade descrever as atividades realizadas e observadas durante o estágio. A carga horária
mínima exigida é de 90 horas, porém foram realizadas 100 horas a fim de finalizar as etapas
iniciadas e concluir os trabalhos previstos para o período.

O trabalho baseia-se na apresentação e detalhamento de todas as atividades executadas e/ou


observadas no decorrer do período. O estágio tem orientação da professora Claudia Kraemer
Legonde e supervisão da engenheira Gabriela Froncek Eder.

1.1 Objetivos

Os objetivos do estágio foram desenvolver o aperfeiçoamento técnico profissional na área


através da prática, vivência dos problemas e desafios do trabalho do profissional do engenheiro
dentro do escritório, desenvolvimento de projetos para a aprovação, além de adquirir experiência
e prática nos projetos envolvendo o programa AutoCAD, desenhos em 3D, levantamentos de
imóveis, dentre outras atividades.

1.2 Apresentação da empresa

A empresa MPa Engenharia, inscrita no CNPJ sob nº 027.812.547/0001-48, está situada às


margens da BR 285, KM458, Ijuí/RS, e tem como atividade principal a construção, reforma de
edificações, assessoria na área da engenharia civil e a criação de projetos estruturais e
arquitetônicos; tem como responsável técnico a engenheira civil Gabriela Froncek Eder.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
7

2 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO

Nesse capítulo serão descritas todas as atividades desenvolvidas durante o período do


estágio supervisionado I.

2.1 Projeto de Ampliação Residencial em Panambi

A primeira atividade desenvolvida no escritório foi de um projeto de ampliação residencial


situada na cidade de Panambi RS (figura 1) .Segundo o código de Obras do município (Panambi-
RS, 2008), As obras de construção, ampliação, reforma ou demolição somente podem ser
executadas após exame, aprovação do projeto e concessão de licença pela Municipalidade e
mediante a assunção de responsabilidade técnica pelo projeto e pela execução por profissionais
legalmente habilitados, cadastrados na Municipalidade e em dia com os tributos municipais, através
da emissão de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

O cliente solicitou a ampliação de uma residência de 59m² constituída por 2 dormitórios


um banheiro sala e cozinha (figura 2). O plano de necessidades do cliente envolvia a criação de
uma suíte, um dormitório, aumento da cozinha, lavanderia e uma sacada com churrasqueira.

Quando o estágio foi iniciado, o projeto da ampliação já estava parcialmente elaborado


(figura 3), coube a mim então, finalizar a criação da maquete em 3D, e também criar uma solução
para o posicionamento da lavanderia, pois no projeto inicial a lavanderia situava-se na parte inferior
da construção, mas o cliente solicitou que a mesma fosse incluída no mesmo pavimento da moradia
sugerindo que a lavanderia fosse anexada à suíte, mas como não é usual uma lavanderia anexada a
um dormitório efetuei mudanças na parte da escada recuando a mesma em torno de 1m e anexei a
lavanderia ao lado da cozinha com acesso pela sacada, como podemos ver na figura 4

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
8

Figura 2 - Fachada Residência a ser Ampliada - Panambi

Fonte: imagem obtida pela Eng. Gabriela Eder (2019)

Figura 1 - Planta Baixa antes da ampliação

Fonte: Fornecida pelo Proprietário (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
9

Figura 4 - Planta com a Apliação

Fonte: Planta iniciada pelo estagiário anterior, e finalizada pelo autor (2019)

Figura 3 - 3D parcial do projeto

Fonte: Autor 92019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
10

Os projetos foram enviados ao cliente, esperando a aprovação do mesmo para dar


continuidade ao projeto.

2.2 Projeto de Sobrados Geminados

A segunda atividade desenvolvida foi a criação de um projeto arquitetônico para a


construção de um conjunto de sobrados geminados. Segundo (SPERLING, 2001) um projeto
arquitetônico é normalmente dividido em etapas conforme o grau de aprofundamento do problema,
o que implica um percurso que se inicia em associações criativas e livres e se direciona para
definições com maior precisão material-dimensional. Um projeto pode ser entendido como um
conjunto de simulações que mapeiam respostas para problemas colocados, noção que pede a maior
aproximação possível do problema através do uso de ferramentas ambientes que vislumbrem o
ambiente de ação do objeto a criar.

Ainda Neufert (2013), diz que projetar é a criação de uma obra única, um processo
influenciado por diversos aspectos, dentre eles, está o espaço em que irá ocupar, as necessidades
que devem ser atendidas, a vida útil e a função sempre serão a mesma. Todo projeto, por mais
parecido que seja, se torna único, pois ocorre a mudança de localização, mudança nas
características topográficas, na cultura dos que irão frequentar a edificação.

Segundo Ferreira (2011) o projeto arquitetônico é elaborado em diferentes etapas, sendo


que cada uma contempla um número maior de informações e desenhos com maiores detalhes. A
autora informa que os desenhos arquitetônicos podem ter finalidade de estudo (chamados de
temporários) ou de apresentação (documentos definitivos). As etapas de projeto são as seguintes:
estudo preliminar, anteprojeto, projeto de execução e projeto como construído.

De acordo com De Milito (2009) ao iniciar qualquer projeto é necessário realizar uma
entrevista com o cliente interessado em executar a edificação, a fim de obter a maior quantidade
possível de informações sobre os interesses do mesmo. É fundamental reconhecer inicialmente o
que o cliente quer fazer e o que ele pode fazer (BORGES, 2009).

Primeiramente foi feito um estudo preliminar e uma análise de modelos (figura 5), para
então dar início a criação do projeto arquitetônico. O estudo preliminar se caracteriza como a etapa
da elaboração do projeto de edificações que está destinada à elaboração de análise e avaliações
______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
11

para seleção, bem como recomendação de alternativas que auxiliem na concepção da edificação e
de seus elementos, de suas instalações e de seus componentes (ABNT, 1995).

Figura 5- Análise de Modelos

Fonte: https://www.vivadecora.com.br/revista/sobrado-pequeno (Acessado em: Ago. de 2019)

Segundo Leite (2010), A realização de uma entrevista com o cliente traz inspiração ao
projetista para se executar os trabalhos profissionais necessários no desenvolvimento de projetos,
bem como consultoria para imóveis residenciais, comerciais e industriais. Salienta-se que propostas
de projetos sem entrevistas com clientes e desprovidas de conteúdos, configuram-se como o ponto
de partida para obras malfeitas, financeiramente desastrosas e que, possivelmente não atenderão às
necessidades do proprietário, encarecendo a construção e minimizando a qualidade.

Após a entrevista, o cliente manifestou suas necessidades que constituíam em construir


diversos sobrados geminados em seus terrenos como forma de investimento para a locação dos
mesmos, logo, nos foi solicitado que fosse otimizado ao máximo para incluir mais unidades em um
mesmo lote, então após a análise de modelos foram elaborados diferentes projetos, e conforme a
necessidade do cliente, chegamos em um projeto final de um sobrado com área de
aproximadamente 40m², que seriam construídos de 04 a 06 unidades geminadas dependendo do
tamanho do terreno (figura 9), e cada unidade seria constituída de lavabo, sala e cozinha conjugadas
no pavimento térreo (Figura 7), e uma suíte com sacada no pavimento superior (Figura 8).
______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
12

Apesar de ser uma obra compacta, buscou-se a preocupação em manter as dimensões de


circulação adequadas. Para a passagem de uma pessoa, recomenda-se a largura de 80 cm entre
corrimãos, para a passagem de duas pessoas, 1,00 m a 1,25 m (NEUFERT 2004). No projeto então
mantivemos a escada com uma largura de 1,00m.

Ainda seguindo a NBR9050 (ABNT,2015), que recomenda utilização da fórmula de


Blondel para o cálculo da escada, esta fórmula foi desenvolvida por Nicolas François Blondel que
nada mais é do que a energia dispendida para subir e descer escadas. Blondel observou que o passo
de uma pessoa em marcha normal varia de 63 a 64 cm e ao subir uma escada a pessoa diminui o
passo de acordo com a altura do degrau. Com isso chegamos ao dimensionamento dos degraus de
uma escada onde um espelho (altura do degrau) deve ficar entre 16 e 18 cm e o piso (pisada ou
profundidade do degrau) tem que ter no mínimo 25 cm.

Seguindo então as orientações da NBR9050, e aplicando a fórmula de Blondel (2E+P=64),


chegamos nas dimensões de 18cm para o espelho, e de 28cm para a pisada, conforme podemos ver
na figura 6.

Figura 6 - Medidas da escada

Fonte: Autor, (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
13

Figura 7 - Plata baixa sobrado pav. térreo

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
14

Figura 8 - Planta Baixa Pav. Superior

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
15

Figura 9 - Planta baixa Técnica com 04 unidades

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
16

Então, dando continuidade nos projetos restantes, que segundo a NBR 6492 (1994)
consistem em: Planta de situação, Planta de Locação, Cortes e Fachada. Além destas, o código de
obras de Ijuí exige também as plantas do projeto hidrossanitário constando na planta-baixa, fossa
séptica e sumidouro locados no terreno com suas respectivas dimensões ou ligação à rede pública,
barrilete e estereograma das instalações, e também as plantas do projeto elétrico, conforme
determinação do órgão competente.

2.2.1 Planta de Situação

Planta que compreende o partido arquitetônico como um todo, em seus múltiplos aspectos.
Pode conter informações específicas em função do tipo e porte do programa, assim como para a
finalidade a que se destina. Nota: Para aprovação em órgãos oficiais, esta planta deve conter
informações completas sobre localização do terreno (ABNT,1994).

Ainda o código de obras de Ijuí determina que a planta de situação do terreno deve ser
executada em relação à quadra, com suas dimensões e distâncias a uma das esquinas, apresentando
ainda o nome de todas as ruas que delimitam a quadra, indicação do norte magnético e nome do
bairro. A seguir podemos ver a planta de situação na figura 10.

Figura 10 - Planta de Situação

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
17

2.2.2 Planta de Localização

Planta que compreende o projeto como um todo, contendo, além do projeto de arquitetura,
as informações necessárias dos projetos complementares, tais como movimento de terra,
arruamento, redes hidráulica, elétrica e de drenagem, entre outros. Nota: A locação das edificações,
assim como a das eventuais construções complementares são indicadas nesta planta (ABNT,1994).

O código de obras de Ijuí determina que na planta de localização seja indicado:

• a posição relativa das divisas do lote, devidamente cotada;


• área total do lote;
• área ocupada pela edificação;
• taxa de ocupação;
• área total edificada;
• índice de aproveitamento;
• taxa de permeabilidade;
• número de pavimentos;
• rebaixamento do meio-fio, quando houver acesso de veículos;
A seguir podemos ver na figura 11 a planta de Localização.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
18

Figura 11 - Planta de Localização

Fonte: Autor (2019)

2.2.3 Cortes

Plano secante vertical que divide a edificação em duas partes, seja no sentido longitudinal,
seja no transversal. Nota: O corte, ou cortes, deve ser disposto de forma que o desenho mostre o
máximo possível de detalhes construtivos. Pode haver deslocamentos do plano secante onde
necessário, devendo ser assinalados, de maneira precisa, o seu início e final. Nos cortes
transversais, podem ser marcados os cortes longitudinais e vice-versa (ABNT,1994). Como
podemos ver na figura 12 o corte A-A’ e na figura 13 o corte B-B’.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
19

Figura 13 - Corte A-A'

Fonte: Autor (2019)

Figura 12 - Corte B-B'

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
20

2.2.4 Fachada

A fachada retrata a aparência externa da edificação a partir da representação gráfica de uma


ou mais vistas de suas faces, como por exemplo frontal e lateral (FERREIRA, 2011). ainda a NBR
6492 define a fachada como a representação gráfica de planos externos da edificação. Os cortes
transversais e longitudinais podem ser marcados nas fachadas (ABNT,1994). Logo abaixo na figura
14 podemos ver a Fachada frontal, e na figura 15 uma renderização do modelo 3D.

Figura 14 - Fachada Frontal

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
21

Figura 15 - Fachada Renderizada em 3D

Fonte: Autor (2019)

2.2.5 Projeto Hidrossanitáro

As instalações prediais e industriais de água fria são sistemas de abastecimento de água que
tem por objetivo principal suprir o uso deste bem comum em qualquer meio. A instalação hidráulica
envolve os trabalhos relacionados com a distribuição de água (quente e fria), rede de esgoto,
alimentação de gás e recolhimento de água pluvial (funilaria), sendo um setor que apresenta
reponsabilidade alta, exigindo projetos detalhados e fiscalização intensa na execução dos serviços
(BORGES, 2009).

A NBR 5626 (ABNT,1998) normatiza as condições de projeto e execução desses sistemas


afim de padronizar a qualidade final deste uso, sendo que, em toda vida útil da edificação deve-se
atender a alguns requisitos básicos:
• Preservar a potabilidade da água;
• Garantir o fornecimento de água de forma contínua, em quantidade adequada e com
pressões e velocidade compatíveis com o perfeito funcionamento dos aparelhos
sanitários, peças de utilização e demais componentes;
• Promover economia de água e de energia;
______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
22

• Possibilitar manutenção fácil e econômica;


• Evitar níveis de ruído inadequados à ocupação do ambiente;
Proporcionar conforto aos usuários, prevendo peças de utilização adequadamente
localizadas, de fácil operação, com vazões satisfatórias e atendendo as demais exigências do
usuário. O projeto hidráulico deve seguir os cálculos consagrados de engenharia 13 hidráulica,
onde deve atender os requisitos básicos e as especificações de cada material usado.

Ainda a NBR 8160 (ABNT, 1999, p.3) especifica que as instalações prediais de esgoto
sanitários devem ser projetadas e executadas de modo a:
• Permitir rápido escoamento dos esgotos e facilitar desobstruções;
• Vedar a passagem de gases e animais das tubulações para o interior das edificações;
• Não permitir vazamentos, escape de gases e formação de depósitos no interior das
tubulações;
• Impedir a poluição ambiental, principalmente de mananciais de água.
• Nas instalações de esgoto sanitário, os condutores recolhem individualmente as
águas utilizadas, além de realizarem o transporte até uma instalação subterrânea
única, que então, continuam o processo de transporte até o esgoto da rede pública.
A seguir podemos ver o projeto de água fria (figura 16), os estereogramas (figura 17), e a
planta do sistema de esgoto (figura 18)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
23

Figura 17 - Planta Água Fria

Fonte: Autor (2019)

Figura 16 - Esteriogramas

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
24

Figura 18 - Planta do Sistema de Esgoto

Fonte: Autor (2019)

2.2.6 Projeto Elétrico

O projeto elétrico foi efetuado baseando-se na norma NBR 5410/2004 que é a norma
brasileira para o projeto de instalações elétricas de baixa tensão, ela detalha os critérios de projeto
que devem ser adotados pelos engenheiros quando da elaboração de projetos de instalações
elétricas de baixa tensão.

Coube a mim então, realizar o dimensionamento do sistema de iluminação, o


posicionamento das luminárias, posicionamento dos interruptores, definição dos comandos, o
dimensionamento do sistema de tomadas de uso geral e específica com o posicionamento as
tomadas no projeto (figura 19) e a realização do diagrama unifilar (figura 20) e quadro de cargas
(figura 21).

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
25

Figura 20 - Planta do Projeto Elétrico

Fonte: Autor (2019)

Figura 19 - Diagrama Unifilar

Fonte: Autor (2019)


Figura 21 - Quadro de Cargas

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
26

2.3 Projeto de Ampliação Residencial em Ijuí

A terceira atividade desenvolvida foi outro projeto de ampliação residencial, mas agora no
bairro jardim na cidade de Ijuí-RS (figura 22). O código de Obras do município em seu artigo 19º
diz: Nas obras de reforma, reconstrução ou ampliação, são efetuados os mesmos procedimentos de
aprovação de projetos novos, indicando-se nas plantas as áreas a conservar, a demolir ou a construir
(figura 23) (IJUÍ, 1993).

A cliente queria ampliar uma residência que havia comprado há algum tempo, a edificação
é composta por dois quartos, sala de estar, sala de jantar, cozinha e garagem (figura 24), ainda
possui um pavimento inferior com um lavabo e lavanderia (figura25) com uma área útil de 78,20m²
do pavimento principal e 24,63m² do pavimento inferior, totalizando uma área de 102,73m². A
residência não estava sendo habitada.

Figura 22 - Residência a ser Ampliada em Ijuí

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
27

Figura 23 - Detalhe da Ampliação

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
28

Figura 25 - Planta Baixa Pav. Principal

Fonte: Autor (2019)

Figura 24 - Planta Baixa Pav. Inferior

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
29

No processo de projeto, seja ele em qualquer área de aplicação, é importante levantar em


primeiro lugar as necessidades do cliente e formular a partir destes os requisitos funcionais do
produto (SUH, 1990). Após conversa com a cliente obtivemos então o seu plano de necessidades,
o qual consiste em:
• Aumento dos dormitórios;
• Aumento do banheiro principal;
• Transformar o dormitório principal em suíte;
• Aumento da sala de estar,
• Criar um espaço para convívio social próximo a área onde será colocada a
piscina.
• Sugerimos a cliente em aumentar o pé direito da residência de 2,50 para
3,00m.
Depois de obter o plano de necessidades da cliente iniciou-se os projetos para a ampliação,
utilizando-se do programa Seketchup para um desenvolvimento em 3D para que a cliente tenha
um melhor entendimento e visualização do projeto conforme podemos ver nas figuras 26, 27, 28.

Figura 26 - Fachada em 3D

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
30

Figura 28 - Detalhe em 3D fundos da Residência

Fonte: Autor (2019)

Figura 27 - Detalhe interior 3D

Fonte: Autor (2019)

De acordo com Nascimento (2012), a modelagem de projetos em três dimensões possibilita


ao projetista o acesso a um modelo prático que permite a interação entre o observador e o objeto a

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
31

partir de alternadas faces e variadas perspectivas, o que proporciona uma melhor compreensão do
projeto como um todo e fornece maiores alternativas de análise.

Neto (2004) afirma que o nosso entorno é repleto de objetos tridimensionais, porém, os
desenhos tradicionais em duas dimensões fazem com que o observador tenha que visualizar essa
perspectiva 3D apenas mentalmente. O autor reforça a fragilidade na utilização de desenhos em 2D
para transmitir desenhos 3D, pois embora um desenhista consiga facilmente realizar essa
associação, a maioria das pessoas leigas tem dificuldade, o que pode causar problemas de
comunicação com o cliente ao se trabalhar com projetos.

O projeto 3D é uma prática adotada a fim de facilitar o contato com o cliente, sendo
utilizado em várias etapas do projeto arquitetônico. As maquetes digitais são desenvolvidas na
definição prévia da planta baixa para verificação das projeções e perspectivas, e para o cliente fica
muito mais fácil visualizar, podendo fazer alterações em tempo real no projeto.

2.4 Criação de planta baixa para Regularização de Galpão

Um galpão que estava sendo construído ainda não estava regularizado junto à prefeitura,
dentre os projetos que faltavam, foi solicitada a criação da planta baixa e dos cortes da estrutura. O
projeto de regularização iniciou-se com a visita até o local que está em situação irregular. Assim
foram realizadas as medições da edificação existente junto com fotografias que auxiliam no
momento de desenvolvimento do projeto em escritório. A Figura 29 apresenta duas imagens, uma
interna e outra externa do galpão em questão.

Após o levantamento das medidas e com ajuda das imagens, passou-se os dados para o
Autocad afim de confeccionar as plantas baixas dos dois pavimentos (figura 30 e 31) e também
foram elaborados os cortes em duas direções, os quais estão apresentados na Figura 32 e na Figura
33.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
32

Figura 29 - Galpão a ser regularizado

Fonte: Autor (2019)

Figura 30 - Planta Baixa Galpão Pavimento Térreo

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
33

Figura 32 - Planta baixa Galpão Pavimento superior

Fonte: Autor (2019)

Figura 31 - Corte Galpão A-A'

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
34

Figura 33 - Corte Galpão B-B'

Fonte: Autor (2019)

2.5 Levantamento Residencial para Reforma

O cliente solicitou o levantamento de um imóvel já edificado, localizado no bairro Modelo


em Ijuí-RS (figura 34). Por se tratar de um imóvel mais antigo, o mesmo não possuía mais nenhum
projeto arquitetônico, então foi feita visita no local para a realização de medidas e fotografias para
auxiliar no desenvolvimento da planta baixa do local, pois o cliente pretendia realizar futuras
reformas no imóvel.

Após realizadas as medidas e as fotografias, os dados coletados foram incluídos no Autocad


e então foi realizada a planta baixa do imóvel (figura 35), com as medidas exatas da edificação,
podendo assim prosseguir para as próximas etapas da reforma, a qual eu não acompanhei no
presente estágio.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
35

Figura 35 – Imóvel a ser aferido

Fonte: Autor (20019)

Figura 34 - Planta Baixa Imóvel bairro Modelo

Fonte: Autor (20019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
36

2.6 Projeto Residencial cliente de Santo Augusto

A Figura 36 apresenta a planta baixa de outro projeto iniciado durante o estágio, a planta
encontra-se no estágio inicial, pois como foi a última atividade realizada no estágio, não houve
tempo para a finalização do projeto. Conforme contato com o cliente, seu plano de necessidades
envolvia uma residência de um pavimento com 3 dormitórios, área com saída para a piscina e um
espaço para reunir a família com fogão a lenha e churrasqueira.

O projeto inicial então ficou composto por uma sala de estar, cozinha, sala de jantar, uma
segunda sala e o espaço gourmet com uma porta com abertura total para a área da piscina, ainda
possui 3 suítes, banheiro, um lavabo e garagem, constituindo uma área de aproximadamente 260
m², foi executado também uma maquete inicial em 3D (figura 37) para a avaliação do cliente.

Figura 36 - Planta inicial Residência Santo Augusto

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
37

Figura 37 - Maquete 3D residência Santo Augusto

Fonte: Autor (2019)

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
38

3 CONCLUSÃO

O período do estágio foi proveitoso, de modo que possibilitou a observação, análise e


compreensão de diversos conceitos, aplicação do conhecimento teórico aprendido em sala de aula
e o desenvolvimento das relações de trabalhos. Nesse sentido, pôde-se tomar conhecimento do dia
a dia de um escritório de Engenharia, acompanhando diferentes etapas que envolveram a execução
de diversos projetos.

Durante todo o período foi possível esclarecer muitas dúvidas durante o processo de criação
e elaboração de projetos e também se relacionar com os clientes, aprendendo como agir e se portar
nessas situações.

E por fim, fica o agradecimento à equipe da Mpa Engenharia, pela oportunidade e pela
disposição em atender à todas as dúvidas que surgiram ao longo do estágio.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
39

REFERÊNCIAS

ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRAS DE NORMAS TECNICAS (1994). NBR 6492.


Representação de Projetos de Arquitetura. Rio de Janeiro

ABNT, ASSOSIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS (1995). NBR 13531.


Elaboração de projetos de edificações – Atividades técnicas. Rio de Janeiro.

ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5626: Instalações


Prediais de Água Fria. Pág. 41 - Rio de Janeiro, 1998.

ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRAS DE NORMAS TECNICAS (1999). NBR 8160:


instalação predial de esgoto sanitário. Rio De Janeiro, 1999 a.

ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5410 - Instalações


Elétricas de Baixa Tensão - Rio de Janeiro, 2004.

ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Norma Brasleira (NBR)


9050. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. 2015.

BORGES, Alberto de Campos. Prática das pequenas construções. Volume 1. 9. Ed. rev. e
ampl. São Paulo: Blucher, 2009. 385 p.

DE MILITO, José Antônio. Técnicas de Construção Civil. São Paulo, 2009. Disponível em
Acesso em: 30/05/2019.

FERREIRA, Patricia. Desenho de Arquitetura. 2. Ed. atual. Rio de Janeiro: Imperial Novo
Milênio, 2011. 137 p.

IJUÍ. Lei Nº 2943, de 13 de dezembro de 1993. Institui o Código de Obras do município de


Ijuí e dá outras providências. Disponível em: <
https://leismunicipais.com.br/prefeitura/rs/ijui > Acesso dia 14 de maio de 2019

LEITE, W. R. (2010). Tecnologia das Construções. João Pessoa- IFPB: Apostila.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I
40

NASCIMENTO, Tiago Melo do. Uso da computação gráfica como ferramenta para o
desenvolvimento de projetos: estudo de caso de uma edificação na UEFS. 2012. 83 f.
Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) – Universidade Estadual
de Feira de Santana, Feira de Santana - BA, 23 mar. 2012.

NETO, Ruy Alberto de Assis Espinheira. Arquitetura digital: a realidade virtual, suas
aplicações e possibilidades. 2004. 83 f. Tese (Mestrado em Ciências em Engenharia Civil) –
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro - RJ, 2014.

NEUFERT, E. A arte de projetar em arquitetura. São Paulo: Gustavo Gili do Brasil, 2004.

NEUFERT, Ernst. Neufert: A arte de projetar em arquitetura. 18. ed. São Paulo: Gustavo
Gili, 2013. 567 p.

OBERG, L. Desenho Arquitetônico. 33. ed. Rio de janeiro: Ao Livro Técnico, 1997.

Panambi-RS. (18 de Agosto de 2008). Lei Complementar nº9/2008. Institui o Código de


Obras no município de Panambi, RS, p. 65.

SPERLING, D. M. (2001). O projeto arquitetônico, novas tecnologias de informação e o


museu Guggenhein de Bilbao. São Paulo.

SUH, N. P. The Principles of Design. Nova York: Oxford University Press, 1990. 418 p.

______________________________________________________________________________
Relatório de Estágio Supervisionado I

Você também pode gostar