Você está na página 1de 20

NÍVEL 3: Direção Norte

Duração: 8 horas
Pré-Requisito: Nivel 2 - Direção Oeste

Objetivo deste nível: Desenvolver o “Estado de SupraConsciência


Xamânica” (ESCX), abrindo as percepções superiores para adentrar o
Universo Holográfico do Xamã Ancestral.

Conteúdo:

A Direção Norte de R’XA ®


O Universo Holográfico Xamânico Ancestral
O Caminho do Mestre
O Simbolismo, Arquétipo e Energia do Elefante Branco e Ganesha
Mantra de Ganesha
Jornada do "Elefante Branco"
Recebimento do Mudra do Elefante
Recebimento dos toques de tambor e maracá do Mestre
Recebimento do Mantra de poder da Direção Norte
Recebimento do Símbolo Sagrado da Direção Norte
Mantra de Conexão com o Símbolo Sagrado da Direção Norte
Os Chakras palmares e a Estrela da Terra
Aplicação de R’XA ® Direção Norte com os Cristais da Estrela da Terra e
Conexão da Alma
Recebimento do Símbolo Trishula Trino
A Respiração Prânica
Os Chakras Superiores que formam o Corpo Crístico
O Fogo Rubi-Violeta e o Raio U.R.V.
Jornada "Acoplamento do Raio Ultra-Rubi-Violeta de Shiva"
Recebimento do Símbolo Trishula Séptuplo
Raio Ultra-Rubi-Violeta Grosso e Fino
Corpos Energéticos e Sistemas Energéticos
Cirurgias e Transplantes Espirituais
Ativação e Abertura das 12 fitas do DNA/RNA Sutil
Aplicando o Raio Ultra-Rubi-Violeta in loco
Auto-aplicando o Raio Ultra-Rubi-Violeta
Aplicação Holográfica do Raio Ultra-Rubi-Violeta
Manipulando os elementais Silfo e Sílfede através das impressões etéricas
Iniciação de R’XA ® Direção Norte
Rede Planetária de Cura Cósmica de R’XA ®
Potencialização da ativação da energia R’XA ® Direção Norte
A Sagrada Direção Norte de REEKSSA

Direção Norte – O Norte, no Xamanismo Ancestral, é a Direção regida


pelo Elefante Branco, associado ao caminho do Mestre que desenvolve o
eu intelectual, eu filosófico, eu científico. No Norte o xamã entende o
funcionamento do Céu e da Terra. Depois que vencemos a morte
percorrendo a Direção Oeste, alcançamos a Direção Norte, o lugar do
Mestre, onde reside toda a sabedoria dos nossos ancestrais. Aqui
aprenderemos o conhecimento do Sagrado, como meditar e como
reconhecer o poder do pensamento, através da oração. Assim, revelaremos
nossa gratidão ao Cosmos. Esta Direção nos ensina a abundância de
espírito, e nos mostra a necessidade de praticarmos sempre a ação correta.
Para alcançar a abundância de espírito, precisaremos estar atentos à
revelação do conhecimento divino, pois tal conhecimento nos remeterá às
experiências do equilíbrio, da alta intuição e da cordialidade.

Trilhando esta direção o xamã aprenderá a dar valor demasiado às palavras,


sabendo o momento correto de pronunciá-las, pois agora ele aprendeu seu
verdadeiro poder e compreende então que todo remédio é adquirido pelo
simples fato de ouvir. Reverenciar este conhecimento adquirido é adentrar
na alquimia interna inerente a cada um de nós, e encontrar o equilíbrio para
manter relações com todos os nossos irmãos e com a Divina Natureza da
Mãe-Terra.

Todos os animais brancos, assim como o Elefante Branco, Búfalo Branco,


o Leopardo da Neve, o Urso e o Lobo Branco, também trazem implícitas
qualidades da Direção Norte.

Os ensinamentos que recebemos dos nossos ancestrais nos dão o poder para
interagir com as forças da natureza e a habilidade para influenciar o curso
de nossos destinos coletivos. O aprendizado adquirido aqui é o ouvir. Pois
é ouvindo que nos conectamos com a Sabedoria dos Ancestrais.

Atributos da Direção Norte:


O ensinamento da Direção Norte é estarmos abertos aos resultados, não
preso aos resultados. A abertura e o desapego nos ajudam a recobrar os
recursos humanos da sabedoria e da objetividade.

Divindade: Vayu (Deus do Vento)


Escritura: Sama Veda
Elemento: Ar
Cor: Branca
Simbolismo: Recolhimento e espera
Recurso humano: Poder
Tipo de meditação: Em pé
Estilo de vida: Ação correta
Caminho quádruplo: Mostrar-se
Bálsamo de cura: Dança
Erva: Sálvia
Instrumento: Chocalho
Pedra/Mineral: Ametista
Estação: Inverno
Aspecto: Gasoso
Estado: Frio

O Universo Holográfico Xamânico Ancestral

O Universo é um grande holograma, um símbolo. A realidade objetiva,


assim como a doença, também não existe! O sofrimento é o resultado de
como fomos treinados a enxergar a realidade.

O Xamanismo Holográfico é o modelo de cura que leva o ser-humano a


perceber o Universo Energético que está inserido, descortinando o limite da
percepção material para compreender os níveis quânticos de cura que estão
posicionados além da matéria.

O que chamamos de realidade física na verdade é um contexto energético


que provê estímulos e sinais elétricos recebidos pelos sentidos grosseiros e
interpretados pelo cérebro, o cérebro em si tambem é uma interpretação de
algo, mas não de si próprio, pois este fica hermeticamente trancado em uma
caixa preta sem luz, sem receber qualquer estímulo externo de sí. Se ele é o
que interpreta o "mundo externo", quem O interpreta? Ele necessita de um
observador externo. Quem então é o Observador? Quem é aquele que
percebe o que o cérebro percebe?

O modelo do Xamanismo Holográfico lhe traz a compreensão que você é


tudo que existe no Universo e assim pode curar a si mesmo e outras
pessoas através da técnica da "Alteridade Quântica", que é a capacidade
auto-projetiva de reconhecer a outra pessoa como sendo outra pessoa,
assim como também perceber-se como sendo outra pessoa.
Essa técnica é a base fundamental da Cura Holográfica Xamânica, é a
habilidade de se projetar para além de si, promovendo uma desidentificação
com o corpo físico, mente e com as emoções, fatores estes que em
desequilíbrio existencial promovem os diversos níveis de doenças e
enfermidades do ser.

Identificando seu Sistema de Crenças, você poderá alterar os decretos e


vontades implantadas por outras pessoas em sua consciência, permitindo
que você encontre seu verdadeiro "Eu", remodelando sua cura e liberando
significativamente de sua memória celular, condicionamentos, limitações,
traumas, bloqueios e problemas existenciais impostos pela vontade de
terceiros.

Com a "Matriz Pessoal de Conhecimento" desenvolvida, você poderá criar


um poderoso arquétipo de auto-cura, atuando holograficamente e
dinamicamente em todos os níveis do ser.

Os símbolos xamânicos e técnicas holográficas de R'XA ® - Reiki


Xamânico Ancestral fortalecem a compreensão do Universo Holográfico
Xamânico, disponibilizando ferramentas bioenergéticas para liberações
mentais e emocionais no indivíduo.

Então, através dos Símbolos, dos Mudras, dos Mantras e Pranayama,


podemos alterar nossas ondas cerebrais, produzindo a Expansão da
Consciência e, neste estado ampliado de percepção, acessamos o Universo
Holográfico e invocamos mudanças profundas ao remodelar
holograficamente fragmentos energéticos do Ser, reconhecendo a coleção
de elementos copiados de outras personalidades que contribuíram para
formação de sua atual consciência. A remodelagem energética dissolve os
fragmentos de terceiros que não são seus, permitindo que o verdadeiro "Eu"
reapareça, brilhe e se desenvolva efetivamente.

O Simbolismo, Arquétipo e Energia do Elefante Branco e


Ganesha

Vamos conhecer agora uma história fascinante, a versão nepalesa da


história de Ganesha, um dos principais deuses do panteão Hindu, “O
Primeiro Xamã”.

Oração a Ganesha, o Guardião da Passagem


“Jai Ganesha, Jai Ganesha, Jai Ganesha Deva
Mata Shrii Parvai, Pita Mahadeva
Jai Ganesha, Jai Ganesha, Jai Ganesha Deva
Ek danta, dua danta, char bhuja dhari
Kapal bhari raato sindoor musa ko sawari
Jai Ganesha, Jai Ganesha, Jai Ganesha Deva”
(TRADUÇÃO)

“Oramos a ti Ganesha, Pai dos Deuses


Sua mãe é a senhora Parvati, seu pai Mahadeva
Oramos a ti Ganesha, Pai dos Deuses
Você que tem dois tipos de dentes e quatro braços fortes
Você que tem vermillion na testa
E cavalga em um rato
Oramos a ti Ganesha, Pai dos Deuses”

É obrigatório que todos os xamãs nepaleses — engajados em oração, ritual


ou cerimônia — primeiro invoquem o deus com cabeça de elefante,
Ganesha, já que ele foi o primeiro xamã na história do mundo. Ele foi o
primeiro ser a experimentar a morte. Devido ao seu renascimento também
foi capaz de dominar e superar a morte. Uma pessoa que deseja entender
algo sobre xamanismo precisa primeiro experimentar sua própria morte. E
essa é uma árdua tarefa! Mas como Indra Gurung, um xamã gurung do
Nepal, diz, “sem a experiência de morte, não há xamanismo”. A pessoa que
não morreu alguma vez como ser humano não pode entender nada sobre a
natureza do xamanismo. Shiva e Parvati, o Senhor do Universo e a Filha
dos Himalayas, conceberam o primeiro ser através do sexo e do erotismo.
União em desejo e amor é a verdadeira origem de qualquer coisa, de toda
criatura e todo ser humano. Sem nossos pais, nenhum de nós estaria aqui.
“Nossos pais nos convidaram a estar aqui”.

O seguinte mito nepalês explica porque Ganesha é o primeiro xamã da


história e o guardião da entrada.

Ganesha – O Primeiro Xamã


Shiva passou diversas eras na montanha sagrada de Kailash, concentrado
em si mesmo e na criação. Seu lingam de fogo sem fim, alcançando o
infinito, já havia demonstrado sua precedência e poder a Vishnu e Brahma,
seus dois colegas divinos que foram feitos carne.

Quando Shiva tomou consciência de como era solitária sua vida nas alturas
geladas, também percebeu a beleza incomparável de Parvati, a filha dos
Himalayas. Profundamente atraído por sua graça e dignidade, ele devotou
atenção total a essa deusa feminina; ele e seu lingam divino ficaram
eternamente a disposição dela.
Parvati alegremente cedeu seus encantos a Shiva. Por séculos eles se
entrelaçaram em um abraço divino, se ocupando em nada mais que o prazer
mútuo.

O sol nasceu e se pôs incontáveis vezes diante de Shiva deliciado nos


braços de sua esposa. Até ele sentir necessidade de explorar os mundos
banhados pelos raios do sol Surya e a lua Chandra. Tomado de um alegre
desejo de explorar o desconhecido e penetrar em novas realidades com todo
seu divino poder, deixou Parvati e foi andar pelos mundos.

Após séculos vagando, seu caminho o levou de volta ao lugar em que ele
experimentou sua maior glória — a terra de sua esposa divina, Parvati. Para
grande surpresa de Shiva, ele encontrou um jovem esplêndido guardando
essa familiar entrada.

Os músculos desse homem refletiam o sol poente e a graça de seus


membros se assemelhava aos do próprio Shiva. Raivoso, ele foi até o
intruso e exigiu saber quem ele era. O estranho respondeu ao onipotente em
sua frente: “Essa é a minha casa. Eu sou o guardião do entrada. Quem é
você, desconhecido, que entra em meu caminho de maneira tão pouco
amigável?”. Com isso, uma fúria descomunal tomou conta de Shiva
Mahadev. Espumando de raiva, ele decapitou o estranho com um só golpe
e entrou em seu lar, negligenciado por tanto tempo.

“Quem era aquele estranho em minha porta?”, perguntou à sua esposa,


ainda tremendo do encontro com o rival inesperado. “Aquele era o nosso
filho”, respondeu Parvati já trêmula com o que estava por vir.

“Eu acabei de matá-lo”, lamentou em tom monótono. Horrorizado e sem


esperança, o casal criador do início do espaço/tempo caiu um nos braços do
outro. “Como eu poderia saber que era meu próprio filho?”. Parvati
suspirou: “Como eu poderia te informar que você tem um filho, quando
passa tanto tempo em mundos longínquos?”.

Assombrado pelo fato de ter permitido que sua raiva o levasse a um ato tão
hediondo, Shiva Pashupati, o Senhor dos Animais, decidiu entrar na selva.
Para gerar uma segunda vida ao filho, ele sacrificaria o primeiro animal que
cruzasse seu caminho.

O primeiro que encontrou foi um elefante. Shiva Mahadev se curvou diante


do Reis das Estepes e Florestas, cortou sua cabeça, agradeceu a criatura de
quatro patas pelo sacrifício e carregou para casa a poderosa cabeça. Ele
posicionou a cabeça do animal na carcaça sem vida do filho e soprou uma
nova vida dentro dele.

Assim que Ganesha, filho de Shiva e Parvati, abriu os olhos para a nova
existência, Shiva, o Destruidor e Criador do Universo, dirigiu essas
palavras à cria divina: “Por favor, me perdoe pelo meu feito descuidado.
Agora que você ressuscitou para uma nova vida, o primeiro agradecimento
e a primeira invocação de qualquer ser vivo devem ser feitos a você. Antes
que as pessoas possam prestar suas homenagens a mim, até o fim dos
tempos elas devem primeiro oferecer seus respeitos a você.”

Ganesha, o ser com cabeça de elefante e barriga protuberante, Deus da


Benevolência, Felicidade e Riqueza (do coração, não de dinheiro), veio ao
mundo como o fruto da maior glória. Experimentou raiva, morte e uma
reanimação com amor e piedade. Ele deve sua vida a essas energias
emocionais e vitais contrastantes. Esse é o motivo dele ter se tornado o
modelo para os shamans nativos do reino Hindu (apesar do fato de que a
existência deles vem de tempos em que ainda nem havia religião
institucionalizada). Ganesha se tornou o primeiro shaman a ser iniciado.

Todos os jhankris (xamãs nepaleses) invocam Ganesha primeiro, antes


mesmo de Shiva e Agni. Eles fazem isso com a oração que introduz este
capítulo. O rabanete (Raphanus sativus ou radicula) — conhecido como
“mula” no Nepal — é a planta sagrada do Deus Elefante. Ele pode ser visto
em máscaras ou em ilustrações pictográficas. Mas, na verdade, não há
nenhuma relação real com o rabanete. Ao invés disso, trata-se de uma
planta chamada “ban mula” (rabanete selvagem), “daling”, “belu chare” ou
“pangla bung”. O gosto é similar ao do rabanete. Ela é comida afoitamente
pelos xamãs, já que seu consumo fortalece o shakti (energia vital). Essa
planta é um símbolo de Ganesha: é metade animal, metade vegetal. O
rabanete selvagem é metade raiz, metade folhas — assim é um símbolo
similar à mandrágora da Europa.

Shiva designou Ganesha como o guardião de passagens, cruzamentos e


portais de todos os tempos e mundos possíveis. Projetado no corpo
humano, Ganesha também é o Protetor dos Chakras. Ele guarda a entrada
do chakra sexual, a fonte do poder shamânico curador. Esse chakra
fundamental (muladhara chakra) é a fonte de toda a energia (shakti), sem o
qual nenhum ser humano pode viver. Essa é a diferença entre humanos e
xamãs. Humanos que não praticam tantra ou Kundalini Yoga não são
capazes de canalizarem conscientemente essa energia. Já os xamãs
transformam-na em amor incondicional e consciência universal.
A xamã Tamang, Maile Lama, explica para nós: “A energia (shakti) nasce
no chakra sexual. Dali ela ascende para o chakra do coração, onde é
transformada em amor. Esse é o poder curador xamânico. Se a energia
subir mais, até o chakra da testa, a energia-amor se transforma no estado
desperto. Alguém só é um ser humano completo quando todos os chakras
se conectam um ao outro pela energia fluindo”. A origem da criatividade é
a psicoatividade. A origem do xamanismo é Shiva.

O Mantra de Ganesha

OM GAM GANAPATAYE NAMAH


“Saudações àquele que remove obstáculos do qual Gam é o som seminal.”

O mantra é uma saudação invocando Ganapati, um dos nomes do Deus


Ganesha, para remover todo tipo de obstáculo, seja emocional, material ou
espiritual.

OM é a invocação primordial, estabelecendo contato entre o praticante e a


divindade.
GAM é um verbo sânscrito, que significa ir, mover-se, afastar-se, vir,
aproximar-se, unir-se; No Ganesha Maha Mantra significa a sílaba sagrada
que representa o próprio Senhor Ganesha.
GANAPATI é um dos nomes que Ganesha recebe. A palavra pode ser
dividida em duas: GANA+PATI e assim, GANA significa TROPA e PATI
significa SENHOR.
NAMAS é adoração. No mantra aparece como NAMAHA

Mantra de Poder da Direção Norte

OM TRYAMBHAKAM-YAJAMAHE
SUGANDHIM PUSHTI-VARDHANAM
URVA-RUKAMIVA BANDHANAN
MRITYOR MUKSHEEYA MA-AMRITAT
Descrição:

Adoramos o Senhor de Três Olhos,


Aquele que é Todo-Perfumado e
que alimenta todas as entidades vivas.

Aquele que nos liberta de todas as doenças


e nos concede imortalidade,
Assim como o pepino é tirado da escravidão da trepadeira.

Símbolo Sagrado da Direção Norte

Nome do Símbolo: Moksha-Kronn


Mantra do Símbolo: OM MOKSHA-KRONN OM

Símbolos de Ligações
Nome do Símbolo: Trishula Trino

Utilizado no implante do Raio Trino no Coração: Verde, Rosa e


Dourado

A Respiração Prânica

Técnica:

1. Não se esforce para fazer este exercício de respiração. Relaxe, pois


do contrário não conseguirá realizá-lo de modo apropriado por
períodos longos.

2. Inale lentamente e expanda o abdômen aos poucos. A inalação é feita


lenta, profunda e confortavelmente. Não inale nem expanda o
abdômen em excesso, pois a respiração se tornará irregular, anulando
assim o objetivo desta técnica respiratória, que é produzir
relaxamento e serenidade.

3. Retenha a respiração um segundo ou dois antes de exalar. Não force,


apenas relaxe.

4. Exale lentamente e contraia o abdômen gradualmente. A exalação é


feita lenta, profunda e confortavelmente. Não exale nem contraia o
abdômen excessivamente, pois do contrário a respiração se tornará
irregular.
5. Retenha a respiração um segundo ou dois antes de inspirar. Não
force, apenas relaxe.

6. Repita todo esse processo por doze ciclos. Ao fazer a respiração


prânica, não respire tão lentamente a ponto de precisar esforçar-se.
Quando a respiração se torna lenta, o fluxo caótico dos pensamentos
aos poucos cessará. Você sentirá paz, calma e serenidade raramente
sentidas pelas pessoas comuns. Essa redução do ritmo respiratório
deve se manifestar gradualmente sem muito esforço depois de um
longo período de prática.

Faça a respiração prânica todos os dias, na meditação de


Conexão com a Plataforma de Reekssa, antes e depois dos
atendimentos. Pratique a respiração prânica sempre que se sentir
tenso ou com raiva. Ela o acalmará e lhe dará condições de
regular e controlar suas emoções e sua mente.

Corpos Energéticos e Sistemas Energéticos

O ser humano é constituído por uma hierarquia de energias sutis


que estabelecem a ligação entre o corpo físico e o Universo. Os
diferentes planos de consciência (sete níveis) são os diferentes
corpos que constituem o ser vibratório. Para cada plano de
consciência verificamos a existência de um chakra
correspondente.

Estes corpos energéticos são, em ordem ascendente, segundo a


nomenclatura clássica: Físico, Etérico, Astral, Mental Inferior,
Manásico (Mental Superior), Búdico e Átmico, que em seu
conjunto constituem o quaternário da PERSONALIDADE
(Físico, Etérico, Astral e Mental Inferior) e o ternário, d a
INDIVIDUALIDADE (Mental Superior, Búdico e Átmico).

Personalidade
Mortal

1. Corpo Físico
2 - Corpo Etérico
O corpo etérico é o mais denso depois do corpo físico,
localizando-se cerca de 15/30 cm deste, sendo formado por uma
camada de energia sutil que acompanha a forma do corpo físico.
Esta estrutura constitui a matriz de energia sobre a qual se
modela e consolida a matéria física dos tecidos do corpo, que só
existem graças ao campo vital que os sustenta.
Inúmeras feridas, bloqueios e dores do corpo físico estão
presentes no corpo etérico.
É este corpo que permite ao corpo físico viver, porque é este que
o vitaliza com a energia do prana. É o veículo do prana, da força
vital universal (o Ki ). Este corpo absorve o prana ou vitalidade e
o distribui pelo corpo físico.
É a ponte entre o corpo físico e o corpo astral, transmitindo a
consciência dos contactos e as sensações físicas ao corpo astral.
Inversamente, também transmite a consciência astral e dos
corpos superiores ao cérebro físico e ao Sistema Nervoso.
3 - Corpo Astral ou Emocional

O corpo emocional é a energia sutil através da qual entramos


em contacto com o ambiente - os outros, a natureza, o planeta, o
cosmos e que o sentimos.
O Corpo astral ou emocional interpenetra o corpo etérico. É o
veículo das emoções, desejos e paixões.
Tem a forma ovóide e é constituído de radiações coloridas que
os videntes descrevem quando observam a aura. Nos homens
mais primitivos sua constituição áurica é grosseira, pois é a sede
dos instintos, das emoções fortes, desejos e paixões.
O amor terreno que vibra egoisticamente, com necessidade de
posse, ciúmes, autopiedade, tem origem nesse corpo. À medida
que evoluiu e seus sentimentos começam a se expressar nos
subplanos superiores, o indivíduo sublima este corpo e começa a
ligar-se à sua contraparte superior, ou Corpo Búdico (ou Corpo
Intuicional, ou Corpo Crístico), sede do Amor Universal
incondicional.

4 - Corpo Mental Inferior ou Mental Concreto


O corpo mental rege o intelecto. Contém a estrutura das nossas
idéias, pensamentos e processos mentais. Com uma estrutura
mais sutil e menos definida, ele contém nossos processos
mentais, nossas idéias e geralmente aparece aos videntes na
forma de uma auréola dourada.

Permite desenvolver a nossa aptidão para o raciocínio. Se esta


for muito acentuada (aspecto característico da sociedade
ocidental), dificultará o acesso a toda a dimensão intuitiva do
ser.

É o plano da transição entre os planos da matéria e os do


espírito, isto é, das energias terrestres e das energias espirituais.

Individualidade
Imortal

5 - O Corpo Manásico, ou Corpo Mental


Superior (Abstrato) ou Corpo Causal

É o corpo da nossa Mente Abstrata, que pode ligar-se à Fonte


Suprema e captar diretamente o Conhecimento Universal, sem
esforço intelectual de qualquer natureza.
Neste corpo atuam os Mestres, filósofos e gênios que trazem
novas revelações ou novos aspectos da Verdade Universal à
Humanidade.
A prática da meditação é a principal porta de acesso a este corpo.
Neste corpo reside o nosso Anjo Solar, ou nosso Mestre Interno,
ou nosso Eu Superior.

6 - O Corpo Búdico ou Intuicional ou Corpo Crístico


A palavra buddhi vem do sânscrito e traduz-se por sabedoria.
Este é o corpo da Sabedoria divina, da intuição, dos lampejos
divinos e dos sentimentos superiores. É a contraparte superior do
Corpo Astral ou Emocional. É a sede do Amor Incondicional
pelo Criador e pelo próximo, da Renúncia, do Perdão, da
Compaixão e do Desprendimento da Pureza, da Síntese, da
Unidade.

7- O Corpo Átmico ou Nirvânico

É o Corpo onde reside a Mônada (centro de força do Logos)


humana, nosso Deus Oculto que nos dá a Vida e a
Autoconsciência.

Símbolo Trishula Séptuplo

Utilizado no implante do Raio U.R.V. (Raio Ultra-Rubi-Violeta)


sobreposto na glândula Pineal:
1. Raio Vermelho-Rubi = Nataraja (o Senhor da Dança)
2. Raio Laranja-Amarelo = Rudra (o Senhor da Destruição)
3. Raio Verde = Shambo (o Senhor Benigno)
4. Raio Rosa = Pashupati (o Senhor dos Animais)
5. Raio Azul = Nilakhanta (o Senhor da Garganta Azul)
6. Ultra-Rubi-Violeta = Mritunjaya (Senhor Vencedor da Morte)
7. Branco-Cristal = Shankara (o Pai do Yoga e Xamanismo
Ancestral)

O Raio U.R.V. é utilizado na realização de Cirurgias e


Transplantes Espirituais. Trata-se do próprio Raio de
Manifestação do Senhor Shiva, encontrando expressão nesta
dimensionalidade como um Raio Laser de Alta Frequência,
altíssima eficácia e precisão.
Existem dois tipos de U.R.V. – o Laser Grosso e o Laser Fino.

Cirurgias e Transplantes Espirituais

Etapas:
- Pré-cirúrgico (anamnese, exame e diagnóstico)
- Operatório (técnicas, ferramentas e linhas de trabalho)
- Pós-operatório (instruções, acompanhamento e alta)

● Pré-Cirúrgico:

- Medicina Vibracional: aliança entre os saberes científicos e


espirituais -> paradigma holístico.

- Sintoma/doença como síntese kármica das linhas de tempo das


encarnações.

● Operatório

- Cirurgia: do grego kheir (“mão”) e ourgós (de érgon, “trabalho”) —


significa, literalmente, “trabalho feito com as mãos”.

- Transplante: transferência de células, tecidos e órgãos com a


finalidade de restabelecer uma função perdida.

- Linhas de Serviço: (Caboclos; Doutores; Povo das Estrelas)


Linha dos Caboclos - Harmonizando, transmutando e limpando
miasmas, formas pensamento e nódulos energéticos; ancorando o
campo vibracional de alta frequência para realização do ato
cirúrgico.

Linha dos Doutores - Acesso mediúnico ao corpo etérico; precisão


cirúrgica no campo das energias sutis; mãos como instrumento de
intervenção; realização do ato cirúrgico.

Povo das Estrelas - Guarnecem e sustentam vibracionalmente a


operação nas dimensões superiores; essências coloridas com Poder
Creativo; naves a serviço do tratamento das memórias e das linhas de
tempo associadas à patologia auxiliando assim no Resgate de Alma.

- Técnicas, Instrumentos e Ferramentas

RAIO U.R.V. Laser Grosso e Fino

- Xamanismo Holográfico: cirurgias quânticas – corpo etérico como


matriz holográfica.

Pós-operatório:

- Instruções a serem seguidas para a verdadeira integração da


cirurgia e continuação do tratamento.

-Retorno para avaliação da operação.

- A Santa Luz de Cura de Shiva – Reeksa como um abençoado


agente de transmutação kármica, liberador de consciências e
resgatador de almas.

As 12 Fitas do DNA/RNA Sutil

Atualmente o DNA da humanidade possui apenas duas hélices


ativas. A ativação, reconexão e recodificação do DNA, reunificam,
novamente, nossas 10 fitas “desconectadas” com nossas glândulas
endócrinas e nos reconecta com o nosso Ser Dimensional elevado.
Nossas glândulas endócrinas, especialmente o hipotálamo e a pineal,
despertam de seu estado atrofiado e começam a funcionar como
estava previsto, trazendo aos nossos corpos rejuvenescimento e uma
melhor saúde e, espiritualmente, nos dão acesso à
multidimensionalidade. Os cristais do chacra coronário começam a
ativar-se permitindo-nos receber e interpretar comunicações de
outras realidades.

Nossos 12 filamentos de DNA ativam e conectam-se aos nossos 12


Chacras, portais de energia através dos quais acessamos nosso
patrimônio Espiritual. Os 12 filamentos de DNA servem de ligação,
através dos nossos 12 chacras, com a rede de energia externa aos
nossos corpos. Os 12 chacras atuam como portais energéticos no
nosso corpo, conectando-nos às forças vitais da existência.

Como agora todos os 12 filamentos de DNA estão se formando,


qualquer questão que não tenha sido trabalhada e esclarecida
pacificamente na nossa história pessoal, criará caos. Ou seja, o DNA
SAGRADO não pode ser reconectado sem antes limparmos camada
por camada que o encobrem.

Ao liberar padrões emocionais obstruídos, ajudarão a dar um grande


salto na limpeza e recodificação do DNA, permitindo-lhe chegar à
raiz dos desequilíbrios e liberá-los com compaixão. Quanto mais
rápido liberar os bloqueios e as toxinas dos corpos físico e
emocional, mais facilmente o seu corpo pode aceitar as vibrações
altas. A energia mais densas precisam ser desacopladas á nível
celular para dar passagem, LUZ ao DNA SAGRADO. Sem antes
desse processo não há como ativar o DNA.

As células do vosso corpo contêm toda a história deste universo. O


ideal seria que percebessem a existência desta biblioteca de ouro
dentro de vocês, nesta encarnação, e que aprendessem a ler o que
está contido nela. O mais importante de tudo isto é que você pode
conceber e alterar matrizes através da visualização! Esses registros
codificados de tempo são mantidos dentro de um código cristalino
em forma de tetraedro (pirâmide de 3 lados) que existe no códex e
códon de cada filamento de DNA, dentro de cada célula do corpo,
assim como em cada célula do Universo.
Certamente, todos estes maravilhosos poderes não são concedidos
todos de uma vez. É um processo de crescimento espiritual. Todos os
que decidem acelerar o processo obterão uma mudança nas energias
de seus corpos. Inicialmente, a presença de freqüências elevadas
disparará um processo de limpeza e desintoxicação de todas as
freqüências baixas. Qualquer situação limitante do passado surgirá
para ser revista e libertada. A vibração da luz, as freqüências
emitidas por essas doze fitas jamais voltarão a ser as mesmas, pois
agora incorporam a consciência de androgenia gêmea e alquimia de
consciência. Seu DNA se misturou ao do seu Complemento Divino,
o que significa Deus e Deusa como um Ser Masculino e Feminino
casados e o poder sagrado dessa consciência combinada permitem à
Alquimia da Consciência, o despertar dos Dons e Talentos – herança
divina e a Manifestação do Ser Multidimensional como um co-
criador responsável.

Aplicação Holográfica do Raio Ultra-Rubi-Violeta

1) Meditação de ativação com a Plataforma de R’XA.

2) Abrir Portal Shiva-Shakti. Fazer Trishula de Envio com Mudra da


Serpente, do Tigre e do Elefante. Fazer o símbolo MOKSHA-KRONN.

3) Visualizar a si mesmo ou a pessoa em sua frente. (projeção holográfica)

4) Mantrar (mantra de Poder do 3 Nível), visualizando o RAIO ULTRA-RUBI-


VIOLETA LASER GROSSO Violeta se ativando e sendo transmitido.

5) Dar os Comandos Mentais de Varredura Energética (16 chakras – inclui


os da 4D e da 3D)

6) Varrendo Sistema Nervoso Central (sopro), Varrendo Medula Óssea


(sopro), Varrendo Sistema Endócrino (sopro), Varrendo Sistema
Circulatório (sopro) e Varrendo (outras necessidades do cliente)

7) Recolhendo RAIO ULTRA-RUBI-VIOLETA LASER GROSSO, Ativando e


enviando RAIO ULTRA-RUBI VIOLETA LASER FINO (SOPRO). Visualizar o
RAIO U.R.V, sendo enviado através do Trishula Séptuplo ao ponto
específico desejado.

8) Trishula de Recolhimento (3 vezes).

9) Fechar Portal Shiva-Shakti unindo mãos no centro.

10) Namastê

A prática do envio do Raio U.R.V. nos gradua no patamar do Xamanismo Quântico-


Holográfico, aliançando a sabedoria Ancestral ao mais evoluído paradigma científico
atual. Mestre Praticante, é sabido que quanto mais enviar REEKSSA, aprofundando sua
devoção ao Senhor Shiva e sua Sagrada Energia de Cura, simultaneamente estará
desenvolvendo sua mediunidade, expandindo seus canais verticais e horizontais do Ser
Multidimensional, despertando sua Visão dos Campos de Energia e potencializando seu
poder de cura! Permita-se praticar e ser um Canal Cristalino da Sagrada Energia de Cura
do Senhor Shiva, auxiliando a Humanidade e a Mãe Terra a se curarem e renascer em
um novo Nível de Consciência. Vamos juntos, Somos Um!

OM REEKSSA OM