Você está na página 1de 98

Schneider Electric Brasil

Marco Aurélio Vilela de Oliveira


marco.aurelio@schneider-electric.com
Fone - 047 3331 0363
Celular - 047 9147 7576
Índice
Schneider em números
O que é Eletrocentro, outros nomes e como pode ser classificado fiscalmente.
Quem é Schneider e o que pode oferecer.
Economia de energia

Incentivos fiscais
Prazo de entrega

Modularização

Vida útil

Transporte

Requisitos para elaboração de propostas

Fábrica e exemplos

2
Schneider Electric Brasil em números

Mais de 60 anos de presença local

Mais de 5000 colaboradores

11 filiais comerciais
300 consultores de negócios no campo
9 fábricas
1a. Empresa em Smart Grid no Brasil:
> 30.000 pontos monitorados.
Pontos-de-venda em todo o Brasil

P&D local
3
Marcas da Schneider Electric

Tour Andover Controls

4
A realidade das obras... Dificuldades
adversas.
Atualizado em 14/03/2014
Em RO, fiscais proíbem transporte de trabalhadores de Jirau
por BR-364
Rodovia tem 1m de água sobre o asfalto, que também está
desmanchando.
Delegacia do Trabalho vê risco a 3,5 mil pessoas; Usinas
recorrem à justiça.

5
A realidade das obras...Situações
incontroláveis.
Greves em estádios da Copa já paralisaram obras por mais de
três meses

03/04/2012 - Grupo ataca canteiro de obras de Jirau e incendeia


alojamentos – um trabalhador morre.
6
A realidade das obras... Atrasos.
Atualizado em 23/04/2014
Greve paralisa obras de ampliação do Canal do Panamá
Trabalhadores da construção pedem aumento de 20% dos
salários.
Obras acumulam atraso de um ano.

7
A realidade das obras... problemas sociais
Belo Monte: grande número de trabalhadores aumenta
movimento nas casas de prostituição da região
28/04/2012 -

8
Eletrocentro minimiza estes problemas

A Schneider desenvolveu times de gerenciamento


de projetos e centros de soluções técnicas para
que a sua empresa dedique-se a sua atividade
principal, sem se preocupar com problemas na
obra.

9
Eletrocentro

10
O que é Eletrocentro?
Surgiu nos anos 50 como um excelente método para controle de
custos na implantação de projetos.

Também chamado de Power House, eHouse, Packaged Control Rooms,


Switchgear House, Control Center ou Power Control Room entre outros.

É caracterizado como um “Equipamento” aplicado na produção.

11
Porque Eletrocentro? ...Simplificação
Em uma subestação elétrica há centenas de itens a
serem entregues em tempos distintos.

Somos especialistas em gerenciamento de projetos,


com ferramentas específicas para garantir a chegada de
todos os componentes no tempo correto.
12
Porque Eletrocentro? ...Custo

Um erro muito comum na comparação entre alvenaria e


eletrocentro é a comparação do m² da sala vazia
(apenas com ar condicionado e iluminação) nos dois
casos.
O custo do m² do eletrocentro vazio é maior que o da
solução em alvenaria, porém a grande vantagem do
eletrocentro está na mão-de-obra de instalação, start up
e testes, ou seja, SERVIÇOS EM CAMPO.

13
Porque Eletrocentro? ...Custo

Além da custo da mão-de-obra ser


menor do que em campo, com os
recursos disponíveis em fábrica, tais
como ponte rolante, ar comprimido e
todo tipo de ferramenta necessária a
melhor eficiência, as horas necessárias
para instalação e pré testes também são
menores e, portanto, o custo de
instalação compensa com vantagens o
custo maior do m².

14
Porque Eletrocentro? ...Disponibilidade

Normalmente não é possível encontrar os profissionais com as


qualificações adequadas em locais de instalação definitiva das
salas elétricas.
O desafio de convencer um profissional a trabalhar em uma obra
específica por 15 dias é completamente diferente de uma missão
de 4 a 6 meses.

15
Porque Eletrocentro? ...Segurança

Os times de fabricação, instalação e pré testes executam os


serviços sempre no mesmo ambiente, onde são controlados os
riscos inerentes a esta atividade de forma sistemática.

16
Porque Eletrocentro? ...Flexibilidade
Não há um padrão de tamanho para o eletrocentro, podendo
variar de alguns m² até várias centenas de m².
Os projetos são desenvolvidos por uma equipe especializada de
engenheiros mecânicos e elétricos para cada caso.
Os equipamentos podem ser instalados com acesso traseiro,
espaço para expansão, área livre para extração de disjuntores,
instalados no solo ou em pilotis, onde neste caso dispensa porão
de cabos.

17
Porque Eletrocentro? ...Flexibilidade
Atendendo as necessidades do projeto, pode-se incluir sistemas a
prova de explosão, pressurização especial, ar condicionado
específico para equipamentos, ventilação forçada ou apenas
circulação de ar naturalmente.
Paredes com isolação com lã de rocha, fibra de vidro ou
poliuretano expandido.
Controle de acesso com biometria, sistema de vídeo vigilância,
salas segregadas para automação, banco de baterias, escritório,
copa ou até banheiros.

18
Porque Eletrocentro? ...Flexibilidade
É possível, e usual, projetar um eletrocentro com uma parede
removível, onde pode-se acoplar um novo módulo para
incrementar funções ou simplesmente completar uma expansão
previamente estabelecida.
Desta forma seria possível expandir uma subestação conforme a
necessidade do projeto com o mínimo de interferência no sistema
atual.

19
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Há pelo menos 4 disciplinas essenciais ao funcionamento do
sistema, que são:
Elétrica;
Mecânica;
Climatização e
Automação.
Qualquer falha em qualquer destas disciplinas pode comprometer
o funcionamento do sistema total.
A Schneider possui
especialistas dedicados a
cada uma destas
disciplinas.

20
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
A instalação de ar condicionado não é um pré requisito da solução
em eletrocentro.
Em alguns locais o nível de poeira, gases ou umidade prejudicam
a vida útil ou até mesmo impedem o funcionamento dos
equipamentos de potência. Nestas circunstâncias faz se
necessário isolar todo o sistema do ambiente externo e, neste
caso, o sistema de ar condicionado com pressurização é
indispensável.
Nestes caso quanto maior a isolação térmica da parede maior será
a eficiência do sistema de refrigeração e menor os custos de
operação de toda a subestação.
Inclusive abaixo do piso.

21
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Existe sistemas de ar condicionado de precisão, onde além do
menor consumo de energia para refrigerar os equipamentos, é
preparado para utilização 8760 h/ano.
Os equipamentos de conforto são para aplicações onde o calor
latente (úmido) produzido pela presença de pessoas no local é
significativo em relação dos equipamentos, porém usualmente são
projetados para atuarem 1200h/ano.
Ambos os casos podem ser do tipo
wall mounted, split ou self contained
e instalados em salas específicas
ou no mesmo ambiente de que os
equipamentos de potência.

22
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Porém, quando demandada, e por ser um sistema essencial, a
climatização deve ser redundante, visto que em caso de falha
destes equipamentos a temperatura interna ao eletrocentro atingirá
temperaturas de 60°C em minutos, obrigando o desligamento de
todo o sistema.

23
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Para preservar os equipamentos de poeira, gases ou maresias,
deve-se pressurizar o eletrocentro através de filtros adequados e
sistemas que proporcionem uma pressão, de acordo com normas
técnicas, de no mínimo 25Pa.

O sistema deve possuir filtros F e G


com granulação própria para cada
situação e sistema com manutenção
com uma periodicidade adequada.

24
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Blindagem metálica abaixo do piso...

Evita entrada de animais,


perda de eficiência térmica e
entrada de poeira.
25
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Aterramento tecnicamente mais simples.

26
Porque Eletrocentro? ...Qualidade técnica
Para garantir a qualidade dos eletrocentros, a Schneider realizou
testes de suportabilidade a fogo por 2h em laboratório
reconhecimento centro de referência internacional na França.

27
Porque Eletrocentro? Características
técnicas
Um eletrocentro pesa em torno de 10%
do peso de uma sala elétrica em
alvenaria (ou concreto armado) do
mesmo tamanho e, portanto, a
fundação pode ser muito menor do que
em construções tradicionais.
Além disto, enquanto se monta e testa
o eletrocentro em fábrica, há tempo
suficiente para a construção da base
em campo.

Sendo assim, o serviço em campo é reduzido no tempo, valor e


em quantidade de pessoas. 28
Porque Eletrocentro?...Testes completos
Toda a FAT (teste de aceitação final) é realizada dentro do
eletrocentro ainda em fábrica, minimizando desta forma possíveis
defeitos que só seriam detectados em campo.
Em campo são refeitos os testes de continuidade e isolação para
garantir que nada foi alterado no transporte.

29
Porque Eletrocentro?...Testes completos
Com o TAF realizado dentro do eletrocentro, não só os painéis são
testados mas todas as conexões de potência, energia auxiliar e
controle seguem inalteradas.

30
Porque Eletrocentro?...Testes completos
Todo o sistema é testado em conjunto, como por exemplo: sistema
de ar condicionado, energia auxiliar, controle de acesso, vídeo
vigilância, iluminação (normal e de emergência).

31
Porque Eletrocentro?

A ideia é fazer o máximo possível em fábrica


para que o serviço em campo seja simples e
reduzido, diminuindo desta forma os
problemas inerentes a ele.

32
Conceito
● Consiste em uma sala elétrica modular e transportável de um único
fornecedor, através de uma ordem de compra com uma entrega única.
● A solução de eletrocentros inclui as engenharias:
● Construção da sala
● Sistema de climatização e pressurização
● Sistema de iluminação
● Sistema de detecção e combate de incêndio
● Serviços auxiliares
● Cabeamento e montagem, etc.
● Os equipamentos são montados e pré-comissionados na fábrica da
Schneider de forma que um mínimo de trabalho seja realizado no campo

33
Vantagens
 A responsabilidade de integração está em uma só mão com
apenas um interlocutor
Otimização do processo de compra
Redução do prazo do projeto com atividades simultâneas na
fábrica do fornecedor e no campo – preparação do terreno e
construção da sala
Facilidade de instalação. A sala chega pronta para instalação no
campo
Necessidade de recursos mínimos no campo para instalação
Tempo mínimo para colocação em marcha uma vez que os
equipamentos foram todos testados pela Schneider
Unificação e integração da engenharia

34
Vantagens
Estocagem dos equipamentos diretamente dentro das salas
dispensando a criação de almoxarifado especializado no campo
Controle maior do projeto inclusive nos períodos chuvosos

35
Outras vantagens técnicas
A forma construtiva das paredes e telhado do eletrocentro proporciona
resistência mecânica e flexibilidade para suportar o transporte e acomodações
dos terrenos.

O eletrocentro Schneider suporta até 20kPa de explosão.


36
Escopo de equipamentos da Schneider
Possui equipamentos próprios que podem ser colocados
dentro do Eletrocentro, como por exemplo:

Os equipamentos de infraestrutura: UPS, carregadores de


baterias, ar condicionado, circuito fechado de TV, controle de
acesso e...
Os equipamentos principais: CCMs, transformadores a seco e
a óleo, painéis de média e baixa tensão, drivers de média e
baixa tensão e todos o sistema de automação tanto da planta
elétrica como de processo.
Tem experiência internacional em projetos com a utilização de
eletrocentros em processos industriais.

37
Fazer mais utilizando cada vez menos
do nosso planeta…

Isso é Schneider Electric


38
Sistemas de alta eficiência...
● Equipamentos de ar condicionado com alto fator de calor
sensível (>90%);
● Isolação térmica nas paredes, teto e abaixo do piso;

● Paredes hermeticamente vedadas, impedindo a entrada


de vapores de água;
● Distribuição do ar condicionado através de dutos de
forma adequada;
● Equipamentos de potência com baixa dissipação térmica;

● Energia auxiliar (DC e ou AC) de alta performance.

39
Ganhos em eficiência

Um ambiente com temperatura interna controlada de 25°C e temperatura


externa de 40°C a isolação no teto e abaixo do piso representa uma barreira
para que a maior temperatura externa não sobrecarregue o sistema de ar
condicionado;
As máquinas de ar-condicionado com alto fator de calor sensível representam
uma maior eficiência de 30% em relação as máquinas de conforto comumente
aplicadas;

40
Ganhos em eficiência

A impossibilidade da entrada de vapores de água na sala elétrica,


como ocorre em paredes de alvenaria, proporciona um ganho
significativo de energia elétrica;

O PUE de um Eletrocentro é muito maior


do que o de uma sala de alvenaria.

41
… quanto representa financeiramente esta
eficiencia?
É comum uma sala elétrica com dissipação
interna de 1MW o que representa 8.760
MWh/ano e (@R$150,00/MWh) tem-se um gasto
de R$ 1,3M/ano. Uma economia de 30%
representa R$400K/ano.
Em um período de 30 anos de vida útil teríamos um ganho
operacional extra de R$ 12 milhões.
Para que uma redução neste valor seja possível o cliente tem que
considerar o custo de aquisição e de operação – Total Cost of
Ownership - TCO
Esta estimativa depende de diversos fatores.
42
Um estudo de caso...
O problema do cliente...

O cliente necessita expandir uma planta em operação e


possui as seguintes restrições:
• a área disponível para as novas subestações é restrita
• pretende comparar, além do valor do investimento inicial, o custo
de operação deste projeto por um período de 30 anos
• necessita entrar em operação no menor prazo possível.

44
O problema do cliente...

• A subestação escolhida para este exemplo possui drives de


média tensão cuja potência dissipada, dentro do Powerhouse, é
de 263kW que somado aos outros equipamentos totalizam 308kW.

• Os painéis de proteção e controle possuem tensões de 34,5kV,


13,8kV, 4,16kV, 480V e 380V, além de retificadores, UPSs, painéis
de automação e etc.
• A temperatura externa poderia chegar a 42ºC, eventualmente.

45
A solução Schneider...Drives.

Trabalhando em conjunto com a nossa


fábrica de drives, optou-se por separar os
transformadores defasadores, que ficariam
imediatamente abaixo do circuitos de
potência.

Transformador do
tipo Resiglas
46
A solução Schneider...Drives.

Desta forma, após uma simulação térmica, verificou-se que seria


possível reduzir a dissipação interna ao Powerhouse em
130kW, pois os transformadores suportam uma temperatura de
até 55ºC e podem ser resfriados por circulação forçada de ar.
Já os circuitos de potência ficaram em um ambiente com
temperatura controlada, pois necessitam de temperaturas
inferiores a 40ºC para o perfeito funcionamento.

47
A solução Schneider...HVAC.

Com a utilização de máquinas de ar condicionado


específicas para esta aplicação, paredes, telhado e
abaixo do piso com isolação térmica com lã de
rocha e equipamentos mais eficientes, reduz-se em
35% o consumo de energia elétrica para manter a
temperatura sob controle, o que equivale a uma
redução no custo operacional de 5% do
investimento de implementação do projeto,
considerando os 30 anos de operação.

48
A solução Schneider...Dimensional.

Foram selecionados painéis de média tensão que não necessitam acesso


traseiro e, portanto, puderam ser encostados na parede. Associando-se a
retirada dos transformadores dos drives e outras otimizações, a redução total
em relação ao lay out original chegou a 59%, sendo a única opção do mercado
capaz de atender a este requisito do cliente final.

49
A solução Schneider...Prazo.

Como o Powerhouse pode ser fabricados em paralelo a preparação do terreno e


fundações, o prazo de entrega destas soluções podem ser até 50% menor que
a opção em alvenaria.

50
A solução Schneider...Prazo.

O risco de não cumprir o prazo de implementação utilizando Powerhouse é muito


menor, pois a dependência de fatores climáticos, como chuva em excesso ou
incidência de raios, por exemplo, é menor.

51
A solução Schneider...Prazo.

O fato de 95% de todos os equipamentos, internos ao Powerhouse, serem de


fabricação da Schneider, contribui para redução do tempo de entrega de toda a
solução. Não é apenas um painel ou um pequeno sistema, mas sim uma
solução com um valor agregado muito maior.
A área total de todos os Powerhouses neste projeto ultrapassa os 4000m² e para
integração e teste de vários ao mesmo tempo é necessário uma infraestrutura
fabril de ao menos 10.000m² de modo que haja espaço
para o posicionamento de todos módulos
para os testes e movimentações dos
caminhões ao redor.

A Schneider possui a infraestrutura


necessária para projetos deste porte.

52
A solução Schneider...Investimento.

O Eletrocentro pode ser financiado pelo FINAME, pois normalmente possui


índices de nacionalização maiores que 60% em peso e valor, obtendo-se
assim as melhores taxas de juros do mercado.

53
A solução Schneider...Investimento.
Controle de Crédito do ICMS de Ativo Permanente (CIAP)
CIAP é um incentivo dos governos estaduais que devolve o ICMS de
equipamentos aplicados na produção, em 48 parcelas mensais.
PIS/COFINS
Com o mesmo objetivo de incentivar a melhoria do parque industrial e
portanto a renovação dos equipamento de produção, o governo
federal devolve, em forma de crédito de impostos, o PIS/COFINS em
parcela única, conforme previsão legal (lei 12.546/2011). Desta
forma a solução em Powerhouse tem uma vantagem comparada a
salas elétricas em alvenaria de 9,25% de PIS/COFINS e mais o ICMS
do estado, que pode ser de 7, 12 ou 17%.

54
A solução Schneider...Investimento.

Na classificação fiscal (NCM) em que enquadra-se o


Powerhouse, 9406.00.92, o IPI é 0% e portanto
todos os sub componentes que compõe este
equipamento também são fornecidos com 0% de
IPI. Pode se ter uma redução de 5, 15 ou até 20%
em produtos como UPSs, retificadores para energia
auxiliar, sistemas de ar condicionado, sistemas de
detecção e combate a incêndio, vídeo vigilância e
etc.

55
Incentivos Fiscais

Enquanto uma sala elétrica em alvenaria deve, por regra,


ser depreciada em 25 anos, um equipamentos pode ser
depreciado em 5 anos, ou seja, 20% do investimento
pode ser lançado a custo todos os anos, melhorando o
resultado apresentado no balanço financeiro.

Um equipamento não recolhe IPTU ou ITR.


Por ser um imposto municipal, depende de cada prefeitura.

56
Facilidade de Manutenção
Em um Eletrocentro a maior parte da manutenção pode ser feita
pelo lado de dentro, proporcionando segurança e conforto aos
técnicos, principalmente em noites chuvosas.

57
Reduções Extras de Custos Operacionais

O fato das paredes serem isoladas com lã de rocha, que


suporta fogo em até 2 horas, reduz significativamente o
custo do seguro contra incêndio.
Incêndio ocorrido em
uma planta na
Lumwana em 2008

58
Instalações sem
combate automático
de incêndio e sem
proteção passiva.

59
Custo de produção
A instalação, teste e solução de problemas de todos os
equipamentos que compõem a sala elétrica é muito mais
eficiente quando realizada em fábrica, onde todos os
recursos estão a mão.
O custo da mão-de-obra onde não é necessário
deslocamentos, alojamentos, refeições extras e
adicionais de viagens, reduzem o valor total da obra.

60
Tempo de produção
Além do menor tempo despendido na produção, enquanto é
preparado o local de instalação do Eletrocentro com o desmatamento,
terraplanagem, construção da fundação e eventualmente dos pilares
de concreto, todos os equipamentos estão sendo montados e testados
em um ambiente controlado e em paralelo.
Com estas características é possível disponibilizar um Eletrocentro em
até metade do tempo do que seria necessário em uma sala produzida
em alvenaria

Qual a vantagem financeira em antecipar o início da operação em


3 meses?

61
Otimização do Tempo

Muitas vezes a sala elétrica não é o ponto crítico em


questão de prazo, mas o fato do Eletrocentro demandar
menos tempo para ser fabricado resulta que o início da
fabricação pode começar após uma maior maturação do
projeto, resultando em menor retrabalho e menor perda de
tempo e recursos, inclusive financeiros.

62
Otimização do Tempo

O progresso da construção da sala elétrica em alvenaria


necessita da definição dos painéis elétricos em função das
diferenças de tamanhos, entradas de cabos, espaços para
extrair disjuntores entre outras diferenças ou projetar uma
sala muito maior que o necessário para cobrir todas as
possibilidades. Resultando em custo ou prazo maiores.

63
Serviços oferecidos pela Schneider
● Projeto elétrico e definição da solução;
● Projeto detalhado de instalação (de/para);
● Projeto de climatização;
● Projeto da solução mecânica;
● Instalação de todos equipamentos;
● Teste da solução completa;
● Transporte até o local de instalação;
● Instalação em campo, start up e comissionamento.
64
Transporte
Os limites de tamanho dos módulos
para transporte estipulados pelo DNIT
são:
Comprimento até 24m
Largura até 2,6m - sem restrições
É fundamental a
análise do percurso até de 2,6m até 5m - com batedor da
o local de instalação transportadora
para determinar o maior
tamanho de módulo acima de 5m com batedor oficial.
possível. Altura de até 5m em cima do caminhão.

65
Possibilidade de transporte multimodal

66
Modularização
Para montagem de
Eletrocentros de 700, 1000
ou1500m2, é necessário a
produção em módulos
adequados ao transporte.

67
Vida Útil Projetada
A vida útil projetada para o
Eletrocentro é de 30 anos.
Os Eletrocentros suportam
manutenções como por exemplo
substituição total de uma parede
ou estruturas como escada,
plataformas e etc.
Portanto com as devidas Torre Eiffel com
manutenções corretivas e 7000 Ton de aço a
preventivas não há limite de tempo mais de 125 anos
de utilização destes equipamentos.
68
Vida Útil Projetada
A vida útil dos selantes é de 15 anos e deverá ser substituída neste
prazo, porém estes itens são referentes a junção de dois módulos e
não deverá haver dificuldades nesta substituição.

69
Vida Útil Projetada
A Schneider pode fabricar os Eletrocentros com
paredes na espessura e tipo de metal designados em
projeto, facilitando a manutenção.

70
Suportabilidade a Descarga Atmosféricas.
Segundo a norma brasileira, o teto e paredes dos eletrocentros são
fabricados com chapas de 2,5mm para suportar incidências de raios.

71
Vantagens Extras

A fabricação própria de todas as etapas da produção dos


eletrocentros e infraestrutura adequada, garante o controle do
processo, qualidade e cumprimento dos prazos.
72
Vantagens Extras
Como a maior parte do trabalho é realizado em fábrica,
diminui se o número de colaboradores necessários
para instalação em campo, reduzindo o risco de
acidentes no site, pois reduz se na proporção de 10
para 1 a quantidade pessoas e de 4 a 6 meses para 20
dias o tempo de permanência na obra.
Com isto reduz se a necessidade de refeitórios,
alojamentos, água potável, banheiros...

73
Requisitos para Elaboração de Propostas
• Tamanho do Eletrocentro – ou dimensões dos equipamentos que
irão seu interior para elaboração do layout;
• Carga máxima de piso, telhado e vento – peso dos equipamentos
mais significativos;
• Requisitos de HVAC – dissipação dos equipamentos que serão
instalados no interior do EC, temperatura mínima e máxima
suportadas, temperatura e umidade externa;
• Local de instalação com vias de acesso, dimensões e peso
máximos permitidos;
• Requisitos de encaminhamento de cabos;
• Zona classificada ou não;
74
Requisitos para Elaboração de Propostas
• Requisitos de suportabilidade a explosão interna e externa;
• Requisitos de suportabilidade a incêndio interno e externo, e
definição de tipo de combate, se aplicável;
• Requisitos de agressividade do ambiente onde será instalado o
EC, como por exemplo maresia, poeira e gases;
• Necessidade de pressão positiva e tipos de filtros para captação
de ar externo – dependendo da atmosfera externa.

Exemplo de filtro de captação de ar


externo em duas etapas, rotativo, alto
limpante e com pressurizador.

75
Conclusão.

Powerhouse é a melhor opção em termos de eficiência energética,


preço, prazo e qualidade no cenário atual, onde diversas empresas
em todo o mundo estão optando por estas solução.

76
Unidade fabril no Brasil

77
Unidade Blumenau
Blumenau (SC)
● Área total: 58.000 m²
● Fabricação de painéis de baixa e média tensão,
transformadores de distribuição a seco de média tensão,
transformadores e reatores de baixa tensão. Soluções
completas para sistemas de distribuição de energia em
baixa, média e alta tensão até 230kW
● Certificações: ISO 9001:2000

78
Exemplos de Aplicações

79
E-HOUSE
AES ELETROPAULO GERMANIA
88kV/138kV - SÃO PAULO - BRASIL

The E-House
project was
started on
July/2009 and
energized on
January/2010.

80
Clipper to MMM Business
Yamana Gold – Project Ernesto and Pau-a-pique
Gold mine in Mato Grosso state in Brazil
●2 Clippers with 54m²
●MV 16 FBX panels;
●Engineering;
●Installation service;
●Start up, test and configuration service;

81
Clipper to O&G Business
RNEST– Project Bardella / Petrobras
Refinery Gasoline
●5 Clippers with 12m² - total
●MV 1 PIX panel - each;
●It is a simple system with fans and lights;

82
Clipper to Utilities Business
Infraero (airport infrastructure’s company)
Airport in São Paulo city
1 Clipper with 17m²
7x SM6 panels;
Engineering;
Full integrated FAT and configuration
service;
This Clipper was homologated for AES
Eletropaulo (the biggest energy supplier
of South America).

83
Clipper to Utilities Business
CISCEA (Committee implementation of airspace
control)
2 Clippers with 30m²;
14 x SM6 panels;
Engineering;
Full integrated FAT and
configuration service;

84
Clipper to Utilities Business
CEMP - CINDACTA

2 Clippers with 30m²;


14 x SM6 panels;
Engineering;
Full integrated FAT and
configuration service;

85
Clipper to MMM (Metal, Mineral and Mine) Business
Vale (the biggest iron miner of world)
Corumbá project
2 x Clippers with 60m² each
SM6 panels;
Blockset panels;
DC system
Air conditioning system;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

86
Clipper to Industrial Business
Kraft Foods

1 x Clippers with 24,5m²


MV panels;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

87
Clipper to O&G Business
Petrobras - REDUC

2 x Clippers with 64m²


LV panels;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

88
Clipper to O&G Business
Petrobras - RLAN

2 x Clippers with 27m²


MV panels;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

89
Clipper to MMM Business
Vale – TFPM project

1 x Clippers with 90m²


SM6 panels;
Blockset panels;
DC system
Air conditioning system;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

90
Clipper to MMM Business
Vale – Correntes Sul project

6 x Clippers with 872m²


SM6 panels;
Blockset panels;
DC system
Air conditioning system;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

91
Clipper to O&G Business
Air Liquide – Suzano project

1 x Clippers with 150m²


PIX panels;
Blockset panels;
AC and DC system (Gutor)
Air conditioning system;
Engineering;
Installation service in factory;
Full integrated FAT and configuration
service;

92
Clipper to O&G Business
Petrobras – Potencial – Urucu project
1 x Clippers with 420m² - Installation service in factory;
- Blockset panels; -- Full integrated FAT and
- DC system (Gutor) configuration service;
- Air conditioning system (Uniflar); -- Office, bathroom and kitchen.
- Engineering;

93
Clipper to Industrial Business
Industrial - Infraero
5 x Clippers with 12m² - Installation service in factory;
- SM6 panels; -- Full integrated FAT and
- Dry transformer configuration service;

94
Clipper to Industrial Business
Industrial - Brasfeels
Clippers with 60m² - Blokset panels;
- PIX panels; - Installation service in factory;
- Oil transformer - Full integrated FAT and
configuration service;

95
Clipper to Industrial Business
Industrial – Tunel Santa Luzia.
2 x Clippers with 120m² each - Power Generator;
- SM6 panels; - Installation service in factory;
-- Dry transformer; -- Full integrated FAT and
-- Prisma panels; configuration service;
-- APC (CP) UPS -- Bathroom.

96
Clipper to Industrial Business
Industrial – Nacala Airport (by Odebrecht)
- Clippers with 5,3m² - Installation service in factory;
- SM6 panels; -- Full integrated FAT and
- Dry transformer configuration service;

97
Clipper to MMM Business
Vale – TIG (by Grupo SANTIN)
- 2 x Clippers with 36m² each; - Installation service in factory;
- MCSET Panels (MV); - Full integrated FAT and
- BlockSet Panels (LV); configuration service;
- Earthing Resistance;
- HVAC and Pressurization System

98

Você também pode gostar