Você está na página 1de 2

ESTUDAR SOZINHO PODE SER A RAIZ DO SUCESSO -

Especialistas garantem que qualquer pessoa é candidata em potencial a ser autoditada

Você já tentou aprender algo sem a ajuda de um professor? Tem gente que jura que isso é possível. Já outros
dizem que estudar sozinho é como se a pessoa estivesse no meio de um oceano sem saber para onde nadar.
Entretanto, em várias das áreas de atuações artísticas e profissionais, sempre pode-se encontrar quem se diz
autodidata.

Segundo a professora do curso de Medicina da Universidade de Brasília – UnB, Celeste Aída, qualquer pessoa
pode ser autodidata. Ela, que coordenou o primeiro curso de extensão em autodidatismo da UnB
(Autodidatismo: Educação sem Limite), afirma que existem técnicas específicas para quem quiser estudar
sozinho. “Um dos primeiros passos para isso é o estabelecimento de metas”, disse. O autodidatismo, destaca a
professora, é uma coisa muito pessoal. “Só dá certo porque a metodologia valoriza as individualidades”.

O analista de sistemas Weber Takaki, professor de autodidatismo do Instituto Internacional de Projeciologia e


Conscienciologia - IIPC (Pólo de Brasília), diz que aprender sozinho ou por se próprio não é novidade. “O que é
importante é saber se organizar, descobrir os pontos críticos e personalizar o seu estudo. Ou seja, criar um
programa cheio de temas que você goste e intercalar com assuntos que tenha menos simpatia”, explica. E
mais, todos devem entender que o responsável pelo aprendizado é a própria pessoa. “É necessário saber o que
você quer”.

Patrícia Matias, arquiteta e professora do IIPC, diz que existe muita semelhança entre o autodidata e o aluno do
futuro (aquele que faz cursos à distância). “A autonomia é a tônica do aprendizado. Em países como a China,
onde não há espaço físico para que todos possam estudar, o ensino à distância tem sido uma excelente opção”,
afirma. Nesta modalidade de educação, a organização e administração do tempo é essencial. “A pessoa precisa
ser muito realista para poder atingir a sua autonomia intelectual”, ressalta a professora.

Para o engenheiro mecatrônico e também professor do IIPC, Renato Sampaio, para ser autodidata é preciso ter
muita autocrítica. “Você precisa admitir suas deficiências e, por mais que não saiba sobre as coisas, é
importantíssimo que você procure a melhor forma de aprender e apreender. Para isso existem as técnicas do
autodidatismo”. Segundo ele, a criticidade é a maneira mais inteligente de compreender e selecionar as
informações. “Assim nós adquirimos o melhor do conhecimento”.

As pessoas que participaram do curso de autodidatismo da UnB aprovam e recomendam o estudo. “Não
conseguia me concentrar de maneira alguma. Hoje eu posso”, disse o funcionário público Marcus Cotrim. Para
ele, ninguém sai do curso sem uma direção. “Superou as minhas expectativas e o bom é que não tem muita
teoria. É prática mesmo”, destaca. Marcus diz que recomenda o curso para todos.

A auxiliar de enfermagem, Abadia Calácia, diz que o curso surgiu num momento que gostaria de mudar
algumas coisas na sua vida. “Estava há muito tempo sem estudar e queria ampliar os meus conhecimentos”.
De acordo com ela, é muito mais fácil aprender com pessoas que já desenvolveram uma metodologia
específica. “Muitas vezes tentamos estudar por nós mesmos, mas, esbarramos na falta de tempo. No curso de
autodidatismo, aprendemos a fazer uma planilha para organizar o nosso dia-a-dia”. Abadia faz questão de dizer
que depois que fez o curso, o tempo é o que não lhe falta. “Além disso, o meu grau de concentração é muito
maior, tenho mais curiosidade e aumentou o meu rendimento no trabalho”.

Confira algumas dicas para estudar

O seu ambiente de estudos deve ser limpo e organizado, bem iluminado (iluminação deficiente ou exagerada
provoca fadiga), fresco e bem arejado, silencioso e tranqüilo. E, também, é ideal que os móveis sejam
confortáveis para reduzir a fadiga física. Não se esqueça de evitar a presença de elementos dispersivos (TV,
telefone, aparelho de som e fotografias) e tenha sempre um bom dicionário ao alcance da mão. Outro ponto
muito importante é manter sempre o mesmo local de estudos e manter a paciência e perseverança para manter
o ritmo inicial de estudos.

Além disso, não se esqueça de cuidar da saúde. Observe a qualidade de sono diário, realize exercícios físicos
regulares (45min, três vezes por semana), ingira líquidos e alimente-se de modo saudável, procure manter a
coluna ereta durante o estudo e corrija problemas de visão com o uso de lentes adequadas.

Entender autodidatismo
Em abril o Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia – IICP vai promover várias palestras
gratuitas sobre o autodidatismo. No dia dois o professor Alexandre Mello vai falar sobre o Autodidatismo e
Inteligência Evolutiva. Dia nove, Renato Sampaio fala sobre Autodidatismo: uma ferramenta de autopesquisa.
Weber Takaki palestra sobre os Desafios do Autodidatismo no dia 16 e Juliana Cardoso fala sobre
Autodidatismo e Auto-estima no dia 30.

Matéria extraída do Jornal da Comunidade de Brasília/26-03-2005