Você está na página 1de 8

Questões Direito Penal III

1) Ana, após realizar exame médico, descobriu estar grávida. Estando


convicta de que a gravidez se deu em decorrência da prática de relação
sexual extraconjugal que manteve com Pedro, seu colega de faculdade,
e temendo por seu matrimônio decidiu por si só que queria praticar um
aborto. A jovem comunicou a Pedro que estava grávida e pretendia
realizar um aborto em uma clínica clandestina. Pedro, por sua vez,
procurou Robson, colega que cursava medicina, e convenceu a praticar o
aborto em Ana. Assim, alguns dias depois de combinar com Pedro,
Robson encontrou Ana e realizou o procedimento de aborto. Mencione a
situação jurídico penal dos personagens.

2) Enquanto Larissa estudava para prova de concurso público, Tatiana, sua


vizinha realizava uma festa em sua residência, com música em alto
volume. Incomodada com o barulho que vinha da casa da vizinha, Larissa
se dirigiu ao local para reclamar, iniciando-se uma intensa discussão.
Durante a discussão, Tatiana se alterou e jogou a garrafa de cerveja que
segurava em sua mão na direção dos braços de Larissa, com a intenção
de causar-lhe lesão. Larissa se abaixou e a garrafa acabou atingindo sua
cabeça, causando-lhe grave ferimento, que, embora não gerasse risco à
sua vida, fez com que ficasse internada no hospital por dois meses.
Descobertos os fatos Tatiana deverá ser indiciada pela prática de algum
crime? Justifique.

3) Uma mulher que, em razão de acordo verbal com os pais, cuida de uma
criança percebe que esta caiu por caso fortuito num poço profundo e,
embora esteja viva, precisa ser retirada por adultos. Voluntariamente, a
mulher omite do grupo de busca que tem conhecimento de onde se
encontra a criança, que é considerada desaparecida. Passadas algumas
horas, a criança morre por falta de alimentação. Identifique o crime
praticado pela mulher.

4) João com intenção de matar, desferiu golpes de faca em seu irmão José.
Antes de desferir o golpe fatal, atendendo aos apelos de sua mãe que
implorava para que poupasse a vida de José. João parou de agredir o
irmão. Por insistência de sua mãe, João socorreu José, que sobreviveu
com lesões corporais que, embora tenham causado risco de vida, se
regeneraram em 20 dias. Mencione a situação jurídico penal de João.

5) A policial Michele Putin, na noite de 14 de março de 2018, quando


retornava para a sua casa, após liderar uma exitosa operação contra o
tráfico de entorpecentes na comunidade de “Miracema do Norte”, foi
abordada por dois homens armados e friamente assassinada. Num
fenomenal trabalho investigatório, a Policia Civil logrou o êxito em
identificar os assassinos como sendo os irmãos Jorge e Ernesto Petralha,
apurando que tal homicídio se deu em represália pelas prisões ocorridas
quando da citada operação policial. Mencione a situação jurídico penal.

6) A médica M. deseja matar o paciente P.Para tanto entrega ao enfermeiro


E uma ampola contendo substância venenosa, rotulando-a como
medicamento e dizendo a E. que o conteúdo da ampola deve ser
ministrado imediatamente a P. mediante injeção. E. injeta em P. a
substância venenosa, indo P. imediatamente a óbito. Levando em
consideração o caso hipotético acima, mencione a situação jurídico penal
da médica M e do enfermeiro E.

7) A respeito da criminologia, da lei penal e da teoria geral do crime, julgue


o seguinte item.
Conforme a teoria do perigo desprotegido, se, durante excursão, um
professor permitir que seus alunos nadem em rio perigoso, apesar da
existência de placa ostensiva de advertência do perigo, e um dos alunos
vier a morrer afogado, tal conduta caracterizará a assunção do risco do
resultado, razão por que o professor responderá por homicídio doloso por
omissão imprópria.
Certo ou errado?

8) No trato de tema de intenso interesse prático, como é o caso dos crimes


omissivos, a doutrina brasileira colaciona o seguinte exemplo: “dois
irmãos, sem qualquer acordo prévio, estão nadando em águas profundas.
Um deles, de repente, acometido de câimbras, começa a afogar-se. O
outro nada faz para ajudá-lo. Ao avaliar um caso desta natureza, verifica-
se que:
I - Seria o irmão sobrevivente responsável pelo resultado morte.
II - O irmão omitente deve ser responsabilizado somente por omissão de
socorro.
III - A simples relação de parentesco, nos termos do art. 13, § 2°, torna o
agente garantidor.
IV - A relação entre irmãos gera um vínculo social de proteção maior, mas
não o torna garantidor.
V - O irmão omitente cometeu homicídio qualificado.

Quais assertivas estão corretas?

9) Sandra, jovem de dezessete anos de idade, inabilitada para conduzir


veículo automotor, com a devida autorização de seu genitor senhor
Getúlio D. Za Tento, saiu para passear com o veículo de propriedade do
pai e dirigindo em alta velocidade atropelou Maria das Dores, causando-
lhe lesões corporais gravíssimas as quais causaram a morte da vítima.
Acerca da situação hipotética proposta, é correto afirmar à luz do Código
Penal, que Getúlio responderá por:

A) lesões corporais dolosas seguidas de morte (crime comissivo por


omissão).
B) homicídio doloso (crime omissivo).
C) homicídio doloso (crime comissivo por omissão).
D) homicídio culposo (crime comissivo por omissão).
E) homicídio culposo (crime comissivo).

10) JOÃO e JOSÉ estão na praia e resolveram entrar no mar. Em


determinado momento eles começam a se afogar. Havia naquele local um
salva-vidas que, ao avistar apenas JOÃO, notou que ele era seu desafeto
e se recusou a salvá-lo; próximo a eles havia também um surfista, este
avistou apenas JOSÉ pedindo socorro, mas, por ser seu inimigo, não
atendeu aos pedidos dele, resolvendo sair do local. As duas pessoas
acabam se afogando e morrendo. Em relação ao caso, qual das
alternativas abaixo está CORRETA?
A) O salva-vidas responde por homicídio doloso por omissão.
B) O salva-vidas responde por omissão de socorro.

C)O surfista responde por homicídio doloso por omissão.

D) A conduta do surfista é atípica.

E) O surfista responde por homicídio culposo.

11) Maria da Silva é médica pediatra, trabalhando no hospital municipal em


regime de plantão. De acordo com a escala de trabalho divulgada no início
do mês, Maria seria a única médica pediatra com obrigação de trabalhar
no plantão que se iniciava no dia 5 de janeiro, às 20h e findava no dia 6
de janeiro, às 20h. Contudo, depois de passar toda a noite do dia 5 sem
nada para fazer, Maria resolve sair do hospital para participar da
comemoração do aniversário de uma prima sua, um churrasco que se
realizaria em uma casa a poucas quadras do hospital. Maria deixa o
hospital às 12h do dia 6 de janeiro sem, contudo, avisar onde estaria.
Maria deixou o número de seu telefone celular, mas o papel que o
continha se extraviou do quadro de avisos. Maria não retornou mais ao
hospital até o final do plantão. Ocorre que, às 14h do dia 6 de janeiro,
Manoel de Souza, criança de apenas 6 anos, é levado ao hospital por
parentes precisando de socorro médico imediato. Embora houvesse
outros médicos de plantão (um cardiologista e uma ortopedista), ambos
se recusam a examinar Manoel, alegando que não eram especialistas e
que a responsável pelo plantão da emergência era Maria da Silva. Manoel
de Souza morre de meningite cerca de oito horas depois, na porta do
hospital, sem ter sido atendido. Qual foi o crime praticado por Maria?

A) Homicídio culposo.
B) Nenhum crime.
C) C) Omissão de socorro.
D) D) Homicídio doloso, na modalidade de ação comissiva por omissão.
E) Homicídio doloso, na modalidade de ação omissiva.

12) Carlos Cristiano trabalha como salva-vidas no clube municipal de


Tartarugalzinho. O clube abre diariamente às 8hs, e a piscina do clube
funciona de terça a domingo, de 9 às 17 horas, com um intervalo de uma
hora para o almoço do salva-vidas, sempre entre 12 e 13 horas.Carlos
Cristiano é o único salva-vidas do clube e sabe a responsabilidade de seu
trabalho, pois várias crianças utilizam a piscina diariamente e muitas
dependem da sua atenção para não morrerem afogadas.
Normalmente, Carlos Cristiano trabalha com atenção e dedicação, mas
naquele dia 2 de janeiro estava particularmente cansado, pois dormira
muito tarde após as comemorações do reveillon. Assim, ao invés de voltar
do almoço na hora, decidiu tirar um cochilo. Acordou às 15 horas, com os
gritos dos sócios do clube que tentavam reanimar uma criança que entrara
na piscina e fora parar na parte funda. Infelizmente, não foi possível
reanimar a criança. Embora houvesse outras pessoas na piscina,
ninguém percebera que a criança estava se afogando.
Assinale a alternativa que indique o crime praticado por Carlos Cristiano:

A) Homicídio culposo.
B) Nenhum crime.
C) Omissão de socorro.
D) Homicídio doloso, na modalidade de ação comissiva por omissão.
E) Homicídio doloso, na modalidade de ação omissiva.

13) Uma mulher que, em razão de acordo verbal com os pais, cuida de uma
criança percebe que esta caiu por caso fortuito num poço profundo e,
embora esteja viva, precisa ser retirada por adultos. Voluntariamente, a
mulher omite dos grupos de busca que tem conhecimento de onde se
encontra a criança, que é considerada desaparecida. Passadas algumas
horas, a criança morre por falta de alimentação. Assinale a alternativa que
identifica o crime praticado pela mulher.

A) Homicídio doloso por comissão (tipo comissivo).


B) Homicídio doloso por omissão (tipo omissivo impróprio).
C) Homicídio doloso por omissão (tipo omissivo próprio).
D) Maus-tratos com resultado morte (tipo comissivo ou omissivo
preterdoloso).
E) Abandono de incapaz com resultado morte (tipo omissivo próprio
preterdoloso).

14) A, decidido a matar B, sua namorada, leva-a a passeio de barco. No


decorrer deste, B tropeça num banco, desequilibra-se, cai no lago e morre
afogada, ante a inércia de A, que se abstém de qualquer socorro, não
obstante saber nadar, dispor de bote salva-vida na embarcação e não
correr risco pessoal. Assinale a alternativa correta.

A. A deve responder por homicídio doloso por omissão.


B. A deve responder por homicídio culposo agravado pela omissão de
socorro.
C. A não pode ser punido em decorrência da atipicidade da conduta.
D. A deve responder por crime de omissão de socorro, qualificado pela morte
da vítima.
15) Instrução: Para responder a questão, considere as situações
respectivamente descritas.

O agente policial A, empregou métodos truculentos contra a vítima Z


(causando-lhe intenso sofrimento físico) a fim de obter confissão acerca de
um suposto crime de estelionato que ela teria praticado. Como decorrência,
embora o agente policial A não tenha agido diretamente com unimus necandi,
a vítima Z veio a óbito. O agente B, superior imediato do agente A, podia e
devia ter agido para evitar o ocorrido, já que a tudo assistiu; entretanto,
preferiu se omitir para “não se incomodar".

Nesse caso, que delitos foram cometidos pelos agentes A e B?

a. Homicídio qualificado pela tortura em concurso de pessoas.


b. Homicídio qualificado pela tortura e omissão de socorro, respectivamente.
c. Homicídio qualificado pela tortura e omissão de socorro, respectivamente.
d. Tortura dolosa e homicídio doloso como garantidor, respectivamente.
e. Tortura seguida de morte e tortura por omissão, respectivamente.

16) Analise as alternativas e assinale a correta.

a. Tentativa cruenta de homicídio é aquela que causa sofrimento


desnecessário à vítima ou revela uma brutalidade incomum, em contraste
com o mais elementar sentimento de piedade humana.
b. O latrocínio (roubo qualificado com resultado morte) é uma modalidade
especial de homicídio.
c. O crime de homicídio não pode ser causado por omissão.
d. As circunstâncias legais contidas na figura típica do homicídio privilegiado
são de natureza subjetiva.
17) Rapaz de 30 (trinta) anos, que não estuda, nem trabalha e convive com o
genitor, diz-lhe, pela primeira vez, que quer se matar, sem condutas
antecedentes que denunciassem tal intenção. O pai, que nunca cogitou
matar o filho, sem falar nada, imediatamente antes de sair pela porta da
casa e deixar o rapaz sozinho, entrega um frasco com veneno, que é
ingerido pelo moço, que morre minutos depois:

a. É caso de autoria mediata, respondendo o pai por homicídio comissivo


por omissão, pois o filho encontra-se sob sua guarda;
b. Trata-se de homicídio qualificado pelo emprego de veneno, com
incidência da agravante de crime praticado contra descendente;
c. O pai responderá por homicídio culposo, porque atuou com imprudência,
violando dever objetivo de cuidado;
d. O caso é atípico, pois a lei não pune o suicídio;
e. O pai responderá por crime de auxílio ao suicídio, com incidência de
agravante genérica de crime praticado contra descendente.