Você está na página 1de 24

PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 12.

1 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller


02/02/2017: JUNTADA DE AUTUAÇÃO DE AÇÃO PENAL. Arq: Denúncia

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
MINISTÉR 10 PÚBL ICO
kji 'do Estado do Paraná

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5UZ D4SME CA9ZZ Z4Z8Y


EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA r VARA PRIVATIVA
DO TRIBUNAL DO JÚRI DO FORO CENTRAL DA COMARCADA REGIÃO
METROPOLITANA' DE CURITIBA/PR •

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO


PARANÁ, • por sua Promotora de Justiça: no uso de suas atribuições, com base no
artigo 129, inciso I, da Constituição Federal e art. 41 e seguintes do Código de
Processo Penal, ante o contido no Inquérito Policial n° 0000258-15.2016.8.16.0006,
oriundo da 48 Delegacia de Homicídios de Curitiba, vem, â presença de Vossa
Excelência, oferecer DENÚNCIA em face de:

BRUNA PATRÍCIA KUCHLE:R, brasileira, portadora


do RG n° 11.118.021-0/PR, natural de Curitiba/PR, nascida em 02/11/1990, portanto,
com 25 (vinte e cinco) anos de idade na data dos fatos, filha de Terezinha Kuchler,
residente na Rua João Scandelari, n° 93, Barreirinha, Curitiba/PR (fis, 66/70),
atualmente foragida (mandado de prisão preventiva expedidomos autos n° 0000232-
59.2017.8.16.0013); e

DANILO KUCHLER, vulgo "Polaco", brasileiro,


portador do RG 13.310.023-7/PR, natural de Curitiba/PR', nascido em 15/11/1992,
portanto, com 23 (vinte três) anos de idade na data dos fatos, filho de Terezinha
Kuchler, residente na Rua João Escandelário, n° 93, Barreirinha, Curitiba/PR (fls.
101/104), atualmente preso (pisão preventiva - autos n° 0000232-59.2017.8.16.0013),
pela prática do seguinte fato,delituoso:

. "No dia 26 de novembro de 1015, da OlhOOmin às


04h0Omin, em via pública, na Rua João Socha, próximo
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 12.1 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE AUTUAÇÃO DE AÇÃO PENAL. Arq: Denúncia

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
NO'
.MINIST:E
- RIO PÚBLICO
do Estado do tz'arand

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5UZ D4SME CA9ZZ Z4Z8Y


ao numeral 1325, Sítio Cercado, neste município e Foro
Central da 'Comarca da Região Metropolitana de
Curitiba/PR, os denunciados BRUNA PATRICIA
KUCHLER 'e DANILO KUCHLER, vulgo "Polaco",
cientes da ilicitude e reprovabilidade de suas ações,
movidos por inequívoco propósito homicida, agindo em
comunhão de vontades e "unidade de desígnios, um
aderindo à conduta do outro, mediante divisão de
tarefas, executaram plano por eles previamente
entabulado no sentido de tirar a vida da vítima Marcos
Willian Silva. Para tanto, o denunciado DANILO
KUCHLER, vulgo "Polaco", na posse de pedras (não
apreendidas), efetuou golpes contra a referida vítima,
causando-lhe as lesões descritas no laudo de exame de
necropsia n° 2448/2015 (fls. 15), o que t constituiu a
causa eficiónte de sua morte.

Apurou-se que, embora tenha sido o denunciado


DANILO KUCHLER, vulgo "Polaco",
especificamente quem efetuou os golpes anteriormente
descritos contra a vitima, foi a denunciada BRUNA
PATRICIA KUCHLER a responsável por lhe
transmitir a ordem direta de execução do crime,
advinda do traficante Adriano Ferreira Barreto, vulgo
'Ciganinhos (falecido). Consta ainda que a denunciada
BRUNA PATRICIA KUCHLER acompanhou toda a
execução do homicido, tendo se deslocado ao local do
crime juntamente com o denunciado DANILO
KUCHLER, vulgo "Polaco", ali permanecendo
durante todo o longo tempo em que o crime era
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 12.1 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE AUTUAÇÃO DE AÇÃO PENAL. Arq: Denúncia

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
PÚ BLICO
do Estado do Parand

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5UZ D4SME CA9ZZ Z4Z8Y


praticado., ineentivado-o a desferir os golpes contra a
vítima.

Acrescente-se que, segundo apurado, os denunciados


praticaram os crimes impelidos por motivo torpe isto
é, em razão da vítima
. não ter adimplido a dívida de
drogas que possuía com o traficante Adriano Ferreira
Barreto, vulgo 'Ciganinhor.

Acrescente-se, ainda, que o crime• foi pi.aticado


mediante meio cruel pois a vítima foi agredida com
golpes de pedra por mais de 3 horas ininterruptas, o
que certamente lhe causou excessivo e desnecessário
sofrimento.

Por fim, apurou-se que o crime foi cometido mediante


recurso que dificultou a defesa da vítima pois esta foi
surpreendida pelos denunciados atrás do trailer em que
Costumava dormir, dificultando, deste modo, suas
chances de fuga ou defesa."

Assim agindo,, incidiram os denunciados BRUNA


PATRICIA KUCHLER e DANILO KUCHLER, vulgo "Polaco", no tipo penal
previsto no artigo 121, §2°, incisos I (motivo torpe), III (meio cruel) e IV (recurso
que dificultou a defesa da vitima), ele o artigo 29, ambos do Código Penal, razão
pela qual é oferecida a 'presente denúncia, que 'esperh seja recebida, citando-se os
denunciados para responderem aos termos da ação ora proposta, ouVindo-se as
testemunhas abaixo arroladas, imprimindo-se o rito procedimental do Tribunal do Júri,
previsto no artigo 406 e seguintes do Código de Processo Penal.
Papel reciclado, menor custo ambienta l:
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 12.1 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE AUTUAÇÃO DE AÇÃO PENAL. Arq: Denúncia

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
MIIVISTERIO PLI BLICQ

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5UZ D4SME CA9ZZ Z4Z8Y


ROL DE TESTEMUNHAS/INFORMANTES:

JOÃO MARIA SILVA, pai da vitima, residente na Rua Nova Aurora, rio 141,
Sitio Cercado, Curitiba/PR (fls. 12/13);

TESTEMUNHA SIGILO n° 01 (fls. 51/53), cujos,,dos encontram-se


arquivados no Cartório da r Vara Privativa do Tribunal do 4ri (envelope juntado à
contracapa dos autos);

eiro de 017.

SIMÕES
Promotora de Justiça

eciclado, menor custo ambien


PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.7 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJVP9 B6BZR ZL5EW 39N9R
ei
Aos -Q-,
JUNTADA
dias Çojnès de Ob2- do
ano de, dois mil e 4 (40 3,,ço
juntada aos presentes asar
Ctkaancar cu3 ti' 4. ni,
que adiante se•t1 Do que, ph const2r. i ,t.s.r0
(+). À d ( -))\
este temi,
m ,u Cristina Mendes de Cevei:2,
RG 4 • ,ão
1313 ...•-teriv de Pajeia o subscrevi.
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.7 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)

À P-J

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
DEPARTAMENTO DA POLICIA CIVIL
DIVISÃO DE HOMICÍDIOS E PROTEÇÃO À PESSOA
DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

TERMO DE DECLARAÇÃO

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJVP9 B6BZR ZL5EW 39N9R


Às nove horas e cinquenta e três minutos do dia dia vinte e nove do mês de novembro do
ano dois mil e quinze, nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná,na sala do cartório da
Delegacia de Homicídios de Curitiba, tendo comigo a Delegada de Polícia, Dr. Vilson
Alves de Toledo, bem como eu, Sueli dos Santos Afonso, Escrivã de Polícia que ao final
subscreve, aí compareceu:
NOME JOÃO MARIA SILVA
RG 311307068-3 SSP-PR CPF 402.875.489-53
DATA NASC. 11/11/1953 IDADE 62 ANOS
NATURALIDADE APUCARANA/PR
NACIONALIDADE BRASILEIRA
PAI GERALDO SILVA
MÃE SEBASTIANA REALINDA DE SOUZA
ESTADO CIVIL CASADO
ENDEREÇO RUA NOVA AURORA, N° 141, SITIO CERCADO,
CURITIBA/PR
TELEFONE (41) CELULAR J(41) 9613-1641
PROFISSÃO APOSENTADO
O declarante acima qualificado é pai da vítima, portanto, não presta compromisso na
forma da lei. Advertida sobre o crime de falso testemunho respondeu, a respeito do BO
2015/1241162, QUE: o declarante é pai da vítima de nome Marcos Wilian Silva,
usuário de drogas (crack) há mais de 10 anos, sendo que nos últimos dias o
declarante descobriu que a vítima também estava traficando drogas, "trabalhando"
para o traficante de alcunha "Ciganinho"; Que a vítima ficava cerca de 15 dias sem
aparecer em casa, ficando na rua e dormindo atrás de uma "carretinha" que fica
estacionada na Rua João Socha quase esquina com a Rua João Monteiro Painhas;
Que no dia 26/11/15, por imita das 06h00 recebeu um telefonema de um amigo para
ir até o local onde seu filho costumava dormir, ao chegar no local encontrou seu
filho bastante machucado, com muito Sangue saindo da cabsça,_parecia que a vítima
havia sido agredida com pedras, tanto que ao lado havitpedras de mármore de
cerca de 30 centímetros; Que o SIATE foi acionado para socorrer a vítima e f't
encaminhada ao Hospital do Trabalhador; Que a vítima ficou internada em estad

Wt d sio-, ‘If
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.7 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)

47)

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
DIVISÃO DE HOMICÍDIOS E PROTEÇÃO À PESSOA
DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

grave, com fraturas na cabeça e marcas de gpiges de faca pelo corp,o; Que a vitima

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJVP9 B6BZR ZL5EW 39N9R


veio a óbito no dia 28/11/15 as 18h30; Que o declarante não sabe informar os
agressores da vitima, mas sabe que foi a mando do traficante "Ciganinho", mas
também não sabe informar o motivo, possivelmente alguma divida de drogas; Que é
de conhecimento de • . • ulação da Vila Xapinhal que quem control rafico
nesta Vila é o ganinho" e ou os membros de sua família, inclusiv raro
várias pessoa na região por brigas m relação ao tráfico. Nada mais di e he foi
perguntado, liso e achado, vai devid ente assinado na fo • a da lei. Eu, ç4 Sueli
dos Santos Afo o, RG 6.034.152-4, Es Vão de Policia) ue digi
,1/40 6a
,::6,
±04p8de 931
poi àicia
t,- p R
(p:C=13
r
0

• • e olicial: \‘01

Depoente: •ÕãD

r, s§antosi""
Escrivão: .cn ,dub at voAcla
' £550 604,3si•A
0.. •
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.7 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
r PAGINOU PLASTIFICAM VÁLIDA EM IODO
D TEMOTORID NACIONAL
835639229 835639229

o
z.-
e o O
to 1O3 - 1O
',:',
c- O
(4 ..F.
--c- aetkak.N.1~~
^P
,,. c-
(E
Co

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJVP9 B6BZR ZL5EW 39N9R
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.29 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA


54
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
DIVISÃO DE HOMICÍDIOS E PROTEÇÃO À PESSOA
SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS -4° DELEGACIA

TERMO DE DECLARAÇÃO

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ8DL EEJJZ BCBNC J6LZB


SIGILOSA 01

CONFORME PROVIMENTO N°002/2009 DA CORREGEDORIA GERAL DA


POLÍCIA CIVIL

IP102628/2015

As 10horas e 30 minutos do dia 19 (dezenove) dias do mês de setembro do


ano de dois mil e dezesseis, nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná, na sede da
Delegacia de Homicídios, sob a presidência da Dr. Leonardo Bueno Carneiro,
Delegado de Polícia respectivo, comigo, Clereci Neves Gaivão, Escrivão de
Polícia Ad Hoc ao final assinado, aí sendo, compareceu :

Nome

RG. Apelido

Estado Civil Nacionalidade

Data nascimento Profissão

Naturalidade

Pai

Mãe

Residência

Local /Trabalho

Telefone

A qual disse saber ler e escrever passando a declarar o que segue: Que conheceu a
vitima MARCOS WILLIAN SILVA, vulgo "VIDA LOKA" há aproximadamente 2 meses
antes dele ser executado, ',cindo conhecimento de que ele tinha um filho de 11 anos
que morava com os avós; Que Marcos estava residindo em um trailer que ficava

Avenida Sete :' 1 ,itembro, 2077, Centro, Curitiba — Paraná — CEP: 80060-070
Telefone/fax: (41) 3360-1400 — e-mail: homicidiosapc.orgov. br

i...
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.29 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA


E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
DIVISÃO DE HOMICÍDIOS E PROTEÇÃO À PESSOA
SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS —4a DELEGACIA

estacionado na frente da Serralheria do senhor Paulo e que trabalhava traficando ali


na rua; Que ele vendia drogas para um traficante conhecido como "CIGANINHO",

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ8DL EEJJZ BCBNC J6LZB


cujo nome é ADRIANO FERREIRA BARRETO; Que antes de MARCOS ir morar ali
naquele trailer, ele esteve preso não sabendo pela prática de qual crime; Que
ADRIANO FERREIRA BARRETO foi morto em um confronto com a policia no dia 05
de dezembro de 2015; Que em relação a morte de MARCOS WILLIAN SILVA, diz
que tem conhecimento que quem o matou foi um rapaz chamado DANILO
KUCHLER, vulgo "POLACO" e que estava em sua companhia a pessoa de BRUNA
PATRICIA KUCHLER, a qual deu a ordem direta de execução a seu irmão Danilo;
Que o declarante estava bem próximo, e ouviu
tudo o que eles conversavam e os gritos da vitima; Que as agressões contra Marcos
começaram por volta da 01 hora da madrugada e terminou por volta das 4 h da
manhã; Que o declarante não pode fazer nada para impedir o crime,

Que
BRUNA comandava o tráfico a mando de ADRIANO FERREIRA BARRETO, o qual
ficou muito tempo preso e dava as ordens lá de dentro da prisão, inclusive as ordens
para matar; Que o ponto principal de Bruna era ali na frente da serralheria
ela costumava usar o telefone celular no viva voz, várias vezes o
declarante ouviu CIGANINHO dando essas ordens a ela, a qual em seguida

colocava em prática; 1111.111~1.11~~~~
Que o
declarante diz que Bruna é pessoa muita perigosa; Que no dia em que ocorreu o
crime o declarante ouviu BRUNA dizer a DANILO para elelazer_o_setviçaleraufeitg,
pois aquela morte teria que servir de exemplo_para.assiemais_pessoas,_que_se ‘\`••
recusassem a trabalhar para CIGANINHO;

Que o declarante afirma que o executor do crime foi a pessoa


de DANILO KUCHLER, o qual recebeu ordem direta de BRUNA PATRICIA

Avenida Sete de Setembro, 2077, Centro, Curitiba — Paraná — CEP: 80060-070


Telefone/fax: (41) 3360-1400 — homicidioseoc.orcYcw. br
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.29 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Depoimento (termo de declarações, termo de oitiva)

55
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
DIVISÃO DE HOMICÍDIOS E PROTEÇÃO À PESSOA
POLÍCIA
SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS -4a DELEGACIA

KUCHLER; Que ambos são perigosos e andam fortemente armados; Que mostrado
as fotografias de BRUNA KUCHLER e DANILO KUCHLER e perguntado se os

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ8DL EEJJZ BCBNC J6LZB


reconhece como sendo os autores do crime, respondeu que sim; Que no momento
só pode contribuir com estas informações. Nada mais disse e nem foi perguntado.
Lido e achado conforme, vai devidamente assinado. Eu, Clereci Neves Gaivão,
RG 7253792-0 PR, Escrivão de Policia u .tei e assino abaixo.

Autoridade Policial:
Leo ardo Bue Carneiro

Declarante:

Escrivão:
Clereci Neves Gaivão

Avenida Sete de Setembro, 2077, Centro, Curitiba — Paraná — CEP: 80060-070


Telefone/fax: (41) 3360-1400 — e-mail: homicidios@vc.oraov.br
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.33 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
DIVISÃO DE HOMICIDIOS E PROTECAO A PESSOA
04. DELEGACIA DE HOMICIDIOS DA CAPITAL

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJDGA VFGW6 M8VEP 9GMXB


AUTO DE INTERROGATÓRIO, QUALIFICAÇÃO E VIDA
PREGRESSA

Às dezesseis horas e trinta e oito minutos do dia dezenove do mês de setembro do ano de
dois mil e dezesseis, nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná, no(a) cartório, localizada(o)
av sete de setembro 2077, centro onde se encontra o Delegado(a) de Polícia Sr.(a) Dr.(a)
Leonardo Bueno Carneiro, RG.: I2.635.946-2-PR, comigo Clereci Neves Galvao, RG.:
7.253.792-0-PR, Escrivão(ã) ad hoc, que ao final subscreve, compareceu o(a)
INDICIADO(A) a seguir qualificado(a):

APRESENTOU DOCUMENTO DE IDENTIDADE

Nome: Bruna Patricia Kuchler

Carteira de Identidade: N° 11.118.021-0-PR CPF: 079.539.319-90

Nacionalidade: brasileira Naturalidade: Curitiba - PR

Data de Nascimento: 02/11/1990 Idade: 25

FILIAÇÃO
Mãe: Terezinha Kuchler Pai:

ENDEREÇO
Logradouro: Rua
Número: 93
Fone: 9602 - 7535 João Scandelari

Município: Curitiba -
Bairro: Barreirinha
PR

,;dix./AND- n(kam
Elabo ado por Clerec Neves Galvao

1111111 o 1D1 1111111 11111111161


000010262820150007000000000100050002
Avenida Sete de Setembro, n° 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070
Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41) 3360-1400
site: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 1
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.33 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
DIVISA() DE HOMICIDIOS E PROTECAO A PESSOA
04. DELEGACIA DE HOMICIDIOS DA CAPITAL

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJDGA VFGW6 M8VEP 9GMXB


Telefone(s):
Celular: 9588-8197

Profissão: VENDEDOR

Idade com que Começou a trabalhar:17 Estado Civil: solteiro

Relação com a(s) vítima(s):


Marcos Willian Silva - nenhum vinculo

Sabe ler e escrever: sim Grau de escolaridade: 2° grau incompleto

Dentes: bom estado

Cabelos: longo Cor dos cabelos: castanhos claros

Sobrancelhas: finas Olhos: castanhos esverdeados

Cutis: branca Nariz: caucasiano


(
Barba: não Bigode: não

Altura: 158 cm Peso: 54 Kg

É arrimo de familia:não Viveu com os pais até: 15 anos

Teve tutores: não Vive com eles: sim

Tem filhos: sim Quantos: 1

Tem vícios: sim Quais: tabaco

Já foi indiciado: não

Situação atual: livre

41

Elabo ado po Cie ec Neves Galvao

11111 lO uvIDE III 111111 It 1 1 01 1


000010262820150007000000000 00050002

/7 Avenida Sete de Setembro, n° 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070


Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41) 3360-1400
site: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 2
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.33 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
DIVISAO DE HOMICIDIOS E PROTECAO A PESSOA

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJDGA VFGW6 M8VEP 9GMXB


04. DELEGACIA DE HOMICIDIOS DA CAPITAL

Já foi processado: não

Advogado que assiste: Darei José Finger OAB: 24412

MARCAS NO CORPO

Tipo da Marca: tatuagem Região do Corpo: braco esquerdo

Descrição: roger

Tipo da Marca: tatuagem Região do Corpo: dorso

Descrição: rosa

Tipo da Marca: tatuagem Região do Corpo: perna esquerda

Descrição: filtro

Após, cientificado(a) da(s) acusação(ões) ora imputada(s) e de seus direitos


constitucionais, Art. 50 - inc. II: ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma
coisa senão em virtude de lei; inc. III: ninguém será submetido à tortura nem a tratamento
desumano ou degradante; inc. XLIX: é assegurado aos presos o respeito à integridade física e
moral; inc. LXI:ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e
fundamentada de autoridade judiciária competente; inc. XLII: a prisão de qualquer pessoa e o
local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente e à família d
preso ou à pessoa por ele indicada; inc. LXIII: o preso será informado de seus direitos, entre
os quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a assistência da família e de
advogado; inc. LXIV: o preso tem direito à identificação dos responsáveis por sua prisão ou
por seu interrogatório policial; Inc. LXVI: ninguém será levado à prisão ou nela mantido,

39- 1-(ii-v-cfin»A

1 1 1 1 I HI 1 1 III
Elaborado por: Cle ec Neves Galvao

000010262820150007000000000100050002
21)
A enida Sete de Setembro, n°2077, Centro, Curitiba - PR - C'EP 80.060-070
Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41) 3360-1400
site: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 3
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.33 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Gcl

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
DIVISAI) DE HOMICIDIOS E PROTECAO A PESSOA
04. DELEGACIA DE HOMICIDIOS DA CAPITAL

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJDGA VFGW6 M8VEP 9GMXB


quando a lei admitir a liberdade provisória, sem fiança. Passando a ser interrogado(a) e nos
termos do artigo 187, § 2° do C.P.P. ao que lhe foi perguntado RESPONDEU: Primeiramente
a interrogada esclarece que tem um filho menor, com 7 anos de idade, chamado Roger Rian
Ribeiro e caso seja presa o menor ficará aos cuidados de TEREZINHA KUCCHLER — fone:
95449897; Que a interrogada diz que não conheceu a vitima MARCOS WILLIAN SILVA,
vulgo "VIDA LOKA" e que nunca ouviu falar em referida pessoa; Que mostrada a fotografia
da vitima a interrogada, reafirma nunca tê-lo visto; Que a interrogada diz que morou no
Bairro Sitio Cercado, na Vila Parigot de Souza, há aproximadamente 18 meses, sendo que
nesse período trabalhou como vendedora autônoma de semi-jóias, Ralifla; Que a declarante se
mudou do Bairro em janeiro de 2016, passando a morar no Bairro Barreirinha, junto com sua
mãe; Que a interrogada afirma não ter envolvimento com drogas, seja como usuária, seja
como traficante; Que também não teve passagem pela polícia; Que a interrogada é irmã de
DANILO KUCHLER, vulgo "POLACO", o qual se encontra preso pela prática do crime e
Sequestro; Que a interrogada diz que não tem conhecimento se Danilo conhecia ou não a
vítima, mas acredita que não, pois enquanto a interrogada morou ali no bairro ele nunca
apareceu por lá; Que a interrogada afirma não conhecer a pessoa de ADRIANO FERREIRA
BARRETO, vulgo "CIGANINHO"; Que também desconhece se ele era traficante ali da
região e se foi morto em confronto com a policia; Que a interrogada diz que nunca esteve na
rua João Socha, no Sitio Cercado; Que em relação ao crime de homicídio que vitimou Marcos
Willian Silva, diz que não teve nenhuma participação; Perguntado a interrogada o que estava
fazendo no dia 26 de novembro de 2015, durante a madrugada, respondeu não se lembrar;
Perguntado a interrogada se sabe onde DANILO estava no momento do crime, no dia 26 de
novembro de 2016, respondeu que estava na Colônia Penal Agricola; Que a interrogada diz
que DANILO não tem conhecimento se a vitima tem envolvimento com drogas ou não, pois
não convive muito com ele; Que a interrogada nega a autoria do crime. Que também não tem
nenhum nome a declinar como suspeito de autoria; Perguntada a interrogada se este número
de celular fornecido neste interrogatório é o mesmo utilizado no mês de novembro de 2015,

Elaborado por Cle ec Neves Galvao

F)
11111 II IllIu llDlI 111111 111111111
000010262820150007000000000100050002

, venida Sete de Setembro, n° 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070


Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41) 3360-1400
site: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 4
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.33 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
DIVISA° DE HOMICIDIOS E PROTECAO A PESSOA
04. DELEGACIA DE HOMICIDIOS DA CAPITAL

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJDGA VFGW6 M8VEP 9GMXB


respondeu que não; Que não se lembra o número de celular utilizado na época dos fatos; Que
a interrogada reafirma não conhecer ADRIANO FERREIRA BARRETO, sendo que nunca
conversou com o mesmo, nem mesmo por telefone; Que não traficava para o mesmo, não
cobrava dívidas para ele e nem cobrava pedágios de comerciantes; Que não matou e nem
mandou matar Marcos Willian Silva, vulgo "VIDA LOICA"; Que não tinha motivos para
desejar a morte de Marcos Willian.Nada mais disse e nem lhe foi perguntado. Lido e achado
conforme, segue devidamente assinado. Eu, , Clereci Neves Galvao,
Escrivão(ã) ad hoc que o digitei e subscrevi.

Delegado(a) de Policia:

Indiciado(a): 1,4-WA f- tátgaim


Bruna Patricia Kuchler

Testemunha:
David Jorg 4682917-PR, CPF: 491.852.929-15- av Sete de Setembro,
2077, Curitiba - PR

Testemunha: tiop PL.-1LS


Belga Pa r io Pinheiro, RQ1: 61719407-PR - av Sete de Setembro, 2077,
Curitiba - PR

Advogado(a/s) p oras
saio: 1,B: 24432
00,
Escrivão(à) ad hoc
Clcreci lvao

Elabo ado po Cle cci Neve Galvao

111111Ifi O HM1111111111 IIIliI


000010262820150007000000000100050002

Avenida Sete de Setembro, n°2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070


Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41) 3360-1400
sitc: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 5
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.48 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5H8 MV8T7 NKKQE QY8SD
JUNTADA
dias do mêsaçrn.,_
Aos_i5_
_ , faço a JUNIgt:\ .ac °conventos
do ano
das' amante se vá.
Do qüe, para c.a star, a.vrts o piescate termo. Ea,
PoCia o SUbSCIS,
:•;itun, Escrivã de
Natttgy MAS'.
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.48 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
•• SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS
DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5H8 MV8T7 NKKQE QY8SD


AUTO DE INTERROGATÓRIO, QUALIFICAÇÃO E VIDA
PREGRESSA

Às doze horas e zero minutos do dia quinze do mês de dezembro do ano de dois mil e
dezesseis, nesta cidade de Curitiba, Estado do Paraná, no(a) DELEGACIA DE HOMICÍDIO,
localizada(o) AV SETE DE SETEMBRO onde se encontra o Delegado(a) de Policia Sr.(a)
Dr.(a) Leonardo Bueno Carneiro, comigo Nathally Marques Alves Ferreira Mourebrun,
Escrivão(à) de Policia de seu cargo, que ao final subscreve, compareceu o(à)
INDICIADO(A) a seguir qualificado(a):

NÀO APRESENTOU DOCUMENTO DE IDENTIDADE

Nome: Danilo Kuchler

Carteira de identidade: N°N.310.023-7-PR


i ) `
Nacionalidade: brasileira Naturalidade: Curitiba - PR

Data de Nascimento: 15/11/1992 Idade: 24

FILIAÇÃO
Mãe: Terezinha Kuchler Pai:

ENDEREÇO
Logradouro: João Escandelário Número: 93

Bairro: Barreirinha Município: Curitily PR

Alcunha: Polaco Velho

Profissão: JARDINEIRO 1,

s é.
Elaboradãor: Na 1 ally Marque Alves Fe 'tira Mourcbrun

11111 11111111111111111111111 DIIUI I F


HII
0000102628201 50007000000000200050002

Avenida Sete de Setembro, n" 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070


Fone: (41) 336-0-1400 Fax: (41)
E-mail: 4dh_eta@pe.pr.gov.br sitc: www.policiacivil.prgov.br
Página: 1
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.48 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS
4.° DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5H8 MV8T7 NKKQE QY8SD


Estado Civil: solteiro

Relação com a(s)vílima(s):


Marcos Willian Silvia - nenhum vinculo
N ' \A ,
Dentes: bom estado ( )

Cabelos: curto Cor dos cabelos: loiros

Sobrancelhas: finas Olhos: azuis

Cutis: branca Nariz: caucasiano

Barba: não Bigode: não

Altura: 175 cm Tem filhos: não

Quantos: O Já foi indiciado: sim

Já foi processado: sim

Após, cientificado(a) da(s) acusação(ões) ora imputada(s) e de seus direitos


constitucionais, Art. 50 - inc. II: ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma
coisa senão em virtude de leis inc. III: ninguém será submetido à tortura nem a tratamento
desumano ou degradante; inj)XLIX: é assegurado aos presos o respeito à integridade física e
I k
moral; inc. LXIminguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e
fundamentada de autoridade judiciária competente; inc. XLII: a prisão de qualquer pessoa e o
local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente e à família do
preso ou à pessoa por ele indicada; inc. LXIII: o preso será informado de seus direitos, entre
os quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a assi a da família e de
advogado; inc. LXIV: o preso tem direito à identificação dos sponsáveis sua prisão ou
por seu interrogatório policial; inc. LXVI: ninguém ser levado à prisão nela mantido,

Asa .
Elaborado por Natbally Marques Alve Fe ira Mourcbrun

FIM 111111111 1111111111 11111111N


000010262820150007000000000200050002

Avenida Sete de Setembro, n° 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070


Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41)
E-mail: 4dh_eta@pe.pr.gov.br site: www.policiacivil.pr.gov.br
• Pagina: 2
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.48 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

s%5

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
E ADMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
DEPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS
4." DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5H8 MV8T7 NKKQE QY8SD


quando a lei admitir a liberdade provisória, sem fiança. Solicitou que fosse avisado(a) de sua
prisão 00000000, através do telefone (000)00000-0000, passando a ser interrogado(a) e nos
termos do artigo 187, § 2° do C.P.P. ao que lhe foi perguntado RESPONDEU: O interrogado
informou ser irmão da pessoa de BRUNA PATRICIA KUCHLER. Informou que está preso ,
desde 2010 e que as vezes que saiu da penitenciária foi através de fuga. Ao ser questionado
sobre a vítima, respondeu desconhecer o mesmo. Foi perguntado ainda sobre o apelido da
vítima "Vida Loka" e o mesmo disse desconhecer. Informou que nunca frequentou o bairro do
Sitio Cercado, que sempre viveu e frequentou o bairro Barreirinha. Foi perguntado ao
,
interrogado sobre a,pessoa dualcunha "CIGANINHO" e o mesmo disse desconhecer. Neste
A,
ato foi mostrada a foto lia kpessda ADRIANO FERREIRA BARRETO (vulgo CIGANINHO)
e o mesmo disse desconhecer. Relatou que sempre que estava solto trabalhou com
jardinagem. Foi perguntado ao interrogado onde este estava em novembro de 2015 e este
respondeu que estava foragido e que se internou por conta própria da Clínica de Reabilitação
"Comunidade HERMON" no município de Colombo/ nou que somente podia sair
para trabalhar. Foi questionado ao interrogado rã morar ter morado por
18 meses no bairro Sítio Cercado, e o mes pondeu que nunca soube
que sua irmã morou nesse bairro. Por na, e disse nada saber
sobre o homicídio em questão.Nad tado. Lido e achado
conforme, segue devidamente assina ially Marques Alves .
Ferreira Mourebrun, Escrivão(ã) de Po

Delegado(a) de Policia:

Indiciado(a):

Elaborado por: Nathally Marques Alves', Ferreira Moure

11111111 11C11111111111E11E111111111111:111111
000°10262820150007000000000200050002
Avenida Sete de Setembro, n° 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070
Fone: (4 I ) 3360-1400 Fax: (41)
E-mail: 4dh_cta@pc.pr.gov.br sue: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 3
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 10.48 - Assinado digitalmente por Robson Luiz Keller
02/02/2017: JUNTADA DE INQUÉRITO POLICIAL. Arq: Termo de Interrogatório

IdA

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
i\ • -, E ANMINISTRAÇÃO PENITENCIARIA
r EPARTAMENTO DA POLÍCIA CIVIL
SUBDIVISÃO DE HOMICÍDIOS
4." DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJ5H8 MV8T7 NKKQE QY8SD


Testemunha: jj)./1,
1411
Hanah Pctra Blitzkow cin, RG: 129091770-PR - av Sete de Setembro,
2077, Curitiba - PR

Testemunha:
Helga Patncio Pinheiro, RG: 61719407-PR - av Sete de etembro, 2077.
Curitiba - P athally .A.F. Mourebrun
469.716-4
â de Policia
Escrivão(à) de Policia
Nathally Marques Alves Ferreira reb

Elaborado por: Natlially Marques Alves Ferreira Mourebrun

111111111111111 11111110111111111111111111111111

0000102628201 50007000000000200050002

Avenida Sete de Setembro, n° 2077, Centro, Curitiba - PR - CEP 80.060-070


Fone: (41) 3360-1400 Fax: (41)
E-mail: 4dh_eta@pe.pr.gov.br sue: www.policiacivil.pr.gov.br
Página: 4
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 251.1 - Assinado digitalmente por Thiago Flores Carvalho:10950
24/05/2018: PROFERIDA SENTENÇA CONDENATÓRIA. Arq: Sentença

Poder Judiciário

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
2ª Vara do Tribunal do Júri
Foro Central da Comarca da Região
Metropolitana de Curitiba

Autor: Ministério Público

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJZRS KP7QC AN3M8 MEPLB


Réu: Bruna Patrícia Kuchler e outro
Autos nº 0000258-15.2016.8.16.0006

Vistos e examinados os presentes autos de AÇÃO


PENAL PÚBLICA INCONDICIONADA, registrada sob o
nº 0000258-15.2016.8.16.0006, proposta pelo
MINISTÉRIO PÚBLICO contra BRUNA PATRÍCIA
KUCHLER E OUTRO

I - Relatório

O MINISTÉRIO PÚBLICO ofereceu denúncia contra


BRUNA PATRÍCIA KUCHLER, brasileira, portadora do RG n° 11.118.021-0/PR,
natural de Curitiba/PR, nascida em 02/11/1990, filha de Terezinha Kuchler e DANILO
KUCHLER, vulgo “polaco”, brasileiro, portador do RG 13.310.023-7/PR, natural de
Curitiba/PR, nascido em 15/11/1992, filho de Terezinha Kuchler, ambos pronunciados
como incursos nas sanções do artigo 121, §2º, incisos I, III e IV, c/c art. 29, ambos do
Código Penal.
Na presente sessão, os acusados foram submetidos a
julgamento, com observância das formalidades legais pertinentes.

Réu Danilo Kuchler

iib (PP) 1
Thiago Flôres Carvalho
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 251.1 - Assinado digitalmente por Thiago Flores Carvalho:10950
24/05/2018: PROFERIDA SENTENÇA CONDENATÓRIA. Arq: Sentença

Poder Judiciário

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
2ª Vara do Tribunal do Júri
Foro Central da Comarca da Região
Metropolitana de Curitiba

Autor: Ministério Público

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJZRS KP7QC AN3M8 MEPLB


Réu: Bruna Patrícia Kuchler e outro
Autos nº 0000258-15.2016.8.16.0006
Em votação específica, os Senhores Jurados
reconheceram que no dia 26 de novembro de 2015, entre 1 e 4h00, em via pública, na
Rua João Socha, próximo ao numeral 1325, Sítio Cercado, neste município e Foro
Central da 'Comarca da Região Metropolitana de Curitiba/PR, a vítima Marcos Willian
Silva recebeu golpes de pedras, que lhe causaram os ferimentos descritos no laudo de
exame de necropsia e que foram a causa de sua morte.
Decidiram que o acusado Danilo Kuchler praticou o fato,
efetuando golpes de pedra contra a vítima Marcos Willian Silva
Decidiram não absolver o acusado.
Reconheceram que o acusado praticou o crime por
motivo torpe, isto é, em razão da vítima não ter adimplido a dívida de drogas que
possuía com o traficante Adriano Ferreira Barreto, vulgo “Ciganinho”.
Decidiram que o acusado praticou o crime mediante
recurso que dificultou a defesa da vítima, pois esta foi surpreendida pelo acusado e
terceira pessoa atrás do trailer em que costumava dormir, dificultando, deste modo,
suas chances de fuga ou defesa.
Por fim, decidiram que o acusado praticou o crime por
meio cruel, pois a vítima foi agredida com golpes de pedra por mais de 3 horas
ininterruptas, o que certamente lhe causou excessivo e desnecessário sofrimento.

Ré Bruna Patrícia Kuchler

Em votação específica, os Senhores Jurados


reconheceram que no dia 26 de novembro de 2015, entre 1 e 4h00, em via pública, na
Rua João Socha, próximo ao numeral 1325, Sítio Cercado, neste município e Foro
Central da 'Comarca da Região Metropolitana de Curitiba/PR, a vítima Marcos Willian
Silva recebeu golpes de pedras, que lhe causaram os ferimentos descritos no laudo de
exame de necropsia e que foram a causa de sua morte.
Decidiram que a acusada concorreu para o fato, uma vez
que foi a responsável por transmitir ao acusado Danilo Kucheler a ordem direta de
execução do crime, advinda do traficante Adriano Ferreira Barreto, vulgo “Ciganinho”,
e também porque acompanhou toda a execução do homicídio, tendo se deslocado ao

iib (PP) 2
Thiago Flôres Carvalho
PROJUDI - Processo: 0000258-15.2016.8.16.0006 - Ref. mov. 251.1 - Assinado digitalmente por Thiago Flores Carvalho:10950
24/05/2018: PROFERIDA SENTENÇA CONDENATÓRIA. Arq: Sentença

Poder Judiciário

Documento assinado digitalmente, conforme MP nº 2.200-2/2001, Lei nº 11.419/2006, resolução do Projudi, do TJPR/OE
2ª Vara do Tribunal do Júri
Foro Central da Comarca da Região
Metropolitana de Curitiba

Autor: Ministério Público

Validação deste em https://projudi.tjpr.jus.br/projudi/ - Identificador: PJZRS KP7QC AN3M8 MEPLB


Réu: Bruna Patrícia Kuchler e outro
Autos nº 0000258-15.2016.8.16.0006
local do crime juntamente com o acusado Danilo Kuchler e ali permanecido durante
todo o longo tempo em que o crime era praticado, incentivando-o a desferir os golpes
contra a vítima.
Decidiram não absolver o acusado.
Reconheceram que o acusado praticou o crime por
motivo torpe, isto é, em razão da vítima não ter adimplido a dívida de drogas que
possuía com o traficante Adriano Ferreira Barreto, vulgo “Ciganinho”.
Decidiram que o acusado praticou o crime mediante
recurso que dificultou a defesa da vítima, pois esta foi surpreendida pelo acusado e
terceira pessoa atrás do trailer em que costumava dormir, dificultando, deste modo,
suas chances de fuga ou defesa.
Por fim, decidiram que o acusado praticou o crime por
meio cruel, pois a vítima foi agredida com golpes de pedra por mais de 3 horas
ininterruptas, o que certamente lhe causou excessivo e desnecessário sofrimento.

II - Dispositivo

Ante o exposto, considerando a soberania dos veredictos


do Conselho de Sentença, julgo procedente a acusação, para o fim de condenar o
acusado Danilo Kuchler e Bruna Patrícia Kuchler, já qualificados, como incursos
nas sanções do artigo 121, §2º, incisos I, III e IV, do Código Penal, bem como ao
pagamento das custas processuais, nos termos do art. 804 do Código de Processo
Penal1.
Passo à dosimetria da pena.

III - Da aplicação da pena

1 “Nos termos do art. 804 do CPP, as custas processuais são devidas pelo condenado.
Eventual isenção do pagamento das custas deverá ser avaliada à época da execução da
sentença condenatória, quando será apreciada a condição econômica do agente” (Tribunal
Regional Federal da 5ª Região – ACR 2006.83.00.003347-0. 4ª Turma. Relª Desª Fed.
Margarida Cantarelli. Publicação: 14.12.2006. p. 514).

iib (PP) 3
Thiago Flôres Carvalho