Você está na página 1de 6

Fonte: https://www.universetoday.

com/61080/oxygen-cycle/

http://www.quimica.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=2113&evento=2

https://brasilescola.uol.com.br/quimica/camada-de-ozonio2.htm

https://www.todamateria.com.br/fotossintese/

https://aprendendoafotossntese.wordpress.com/2015/11/09/etapas-da-fotossintese/

https://brasilescola.uol.com.br/biologia/ciclo-do-oxigenio.htm
O ciclo do oxigênio movimenta o oxigênio através das três principais regiões da Terra,
a Atmosfera, a Biosfera e a Litosfera. Sendo a atmosfera a região de gases que fica
acima da superfície da Terra e é um dos maiores reservatórios de oxigênio livre do
planeta. A Biosfera é a soma de todos os ecossistemas da Terra. Também tem-se
oxigênio livre produzido a partir da fotossíntese e outros processos da vida. O maior
reservatório de oxigênio é a litosfera. A maior parte deste oxigênio está em minerais
como silicatos e óxidos.

Atmosfera: 0,35% do oxigênio

Biosfera: 0,32% de oxigênio

Restate: Litosfera (crosta terrestre)

Na atmosfera, encontra-se como oxigênio diatômico/oxigênio molecular (O2), dióxido


de carbono (CO2), ozônio (O3), dióxido de nitrogênio (NO2), monóxido de nitrogênio
(NO), dióxido de enxofre (SO2), etc

Fotólise é o processo de degradação de moléculas orgânicas por meio da radiação


luminosa. Esse processo abrange normalmente os radicais livres, que dão início ao
rompimento das ligações químicasde uma molécula, com a formação de íons.

A quantidade de ozônio na estratosfera não é constante, mas ela é diretamente


proporcional à intensidade da radiação UV. A formação das moléculas desse gás ocorre
por meio da decomposição das moléculas do gás oxigênio (O2(g)), formando oxigênio
livre que reage, em uma segunda etapa, com o gás oxigênio:
Forma-se, então, um equilíbrio químico na camada de ozônio: Reação Endotérmica.

Um dos maiores causadores da destruição da camada de ozônio são os CFCs


(Clorofluorcarbonetos, também conhecidos como Fréons®), que são compostos
formados por átomos de carbono, flúor e cloro. Os CFCs são lançados na atmosfera
principalmente pelo seu uso como propelente de aerossóis (sprays), em geladeiras e
refrigeradores, como agente expansor de plásticos e em solventes para limpar circuitos
eletrônicos.

Como se pode ver nas reações abaixo, quando o CFC atinge a estratosfera, a radiação
solar decompõe suas moléculas, liberando cloro. O cloro, por sua vez, reage com o
ozônio e isso diminui a sua concentração:
CH3Cℓ(g) → CH3(g) + Cℓ(g)
Cℓ(g) + O3(g) → CℓO(g) + O2(g)
Além disso, o CℓO formado também reage com os átomos de oxigênio livres na
atmosfera, liberando mais átomos de cloro, que irão reagir com o ozônio, destruindo
cada vez mais nossa camada protetora:
CℓO(g) + O(g) → Cℓ(g) + O2(g)

Na atmosfera, o oxigênio é liberado pelo processo chamado fotólise. É quando


uma luz solar bastante energética separa moléculas portadoras de oxigênio
para produzir oxigênio livre. Uma das fotólises mais conhecidas é o ciclo do
ozônio (O3). A molécula de oxigênio (O2) é decomposta em oxigênio atômico
pela radiação ultravioleta da luz solar. Esse oxigênio livre recombina-se com as
moléculas de O2 existentes para produzir ozônio. Este ciclo é importante
porque ajuda a proteger a Terra da maioria da radiação ultravioleta nociva,
transformando-a em calor inofensivo antes dele atingir a superfície da Terra.
Na biosfera, os principais ciclos são a respiração, a combustão e a
fotossíntese.

Nesse processo, os organismos fotossintetizantes (algas, plantas e alguns


procariotos) utilizam o gás carbônico e liberam oxigênio.

a fotossíntese tem sua importância baseada em três principais fatores:


 Promove a captura do CO2 atmosférico;
 Realiza a renovação do O2 atmosférico;
 Conduz o fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.

A fotossíntese ocorre nos cloroplastos, uma organela presente apenas nas células
vegetais, e onde é encontrado o pigmento clorofila, responsável pela cor verde dos
vegetais.

A luz solar absorvida apresenta duas funções básicas no processo de fotossíntese:


 Impulsionar a transferência de elétrons através de compostos que doam e aceitam
elétrons.
 Gerar um gradiente de prótons necessário para síntese da ATP (Adenosina Trifosfato -
energia).

Fotofosforilação significa adição de fosfato (fosforilação) em presença de luz


(foto). A substância que sofre adição de fosfato inorgânico (Pi) é
o ADP (adenosina difosfato ou difosfato de adenosina), formando ATP
(responsável pelo armazenamento de energia em suas ligações químicas para consumo
imediato).

Grande parte da energia liberada na oxidação de moléculas orgânicas


nas células fica armazenada nas moléculas de ATP, que atuam como
verdadeiras “moedas energéticas”, a serem gastas em processos
celulares.

A fotólise da água consiste na quebra da molécula de água pela energia da luz do Sol
para produzir o oxigênio e hidrogênio.

O ciclo de Calvin pode ocorrer na ausência e presença de luz e acontece no cloroplasto.


Durante essa fase, a glicose será formada a partir de CO2. Assim, enquanto a fase
fotoquímica fornece energia, na fase bioquímica acontece a fixação do carbono.

Não há necessidade direta de luz ou clorofila: ela se realiza


independentemente da presença desses dois fatores, mas precisa da
energia armazenada no ATP, produzido na fotofosforilação, e precisa
dos hidrogênios provenientes da fotólise da água. Assim, dizemos que
essa etapa depende indiretamente da luz.
Dessa etapa, participa o CO₂, do ar atmosférico. As moléculas desse gás e
as moléculas de hidrogênio ligadas aos seus transportadores participam
do ciclo de Calvin. Nesse ciclo, são formadas moléculas de carboidrato
(CH₂O) e água.
A molécula CH₂O sofre polimerização imediata, originando açúcares
simples, principalmente a glicose (C₆H₁₂O₆). A polimerização é o processo
em que moléculas iguais se reúnem e originam uma nova substância
constituída por um múltiplo dessas moléculas.

1. Fixação do Carbono
 A cada volta do ciclo, uma molécula de CO2 é adicionada e são necessárias seis
voltas completas para produzir uma molécula de glicose.

2. Produção de compostos orgânicos

 As 12 moléculas de ácido fosfoglicérico (PGAL) são reduzidas a 12 moléculas de


aldeído fosfoglicérico.

3. Regeneração da ribulose difosfato

 Das 12 moléculas de aldeído fosfoglicérico, 10 combinam-se entre si e formam 6 moléculas de


RuDP.

 As duas moléculas de aldeído fosfoglicérico que sobraram servem para dar início a síntese de
amido e outros componentes celulares
 .
A glicose produzida ao final da fotossíntese é quebrada e a energia liberada permite a
realização do metabolismo celular. O processo de quebra da glicose é a respiração
celular.

Na respiração os animais e humanos respiram consumindo oxigênio, que é


usado no processo metabólico, e exala dióxido de carbono (CO2).
A litosfera possui oxigênio na maioria em minerais como silicatos e óxidos. Na
maioria das vezes, o processo é automático e tudo o que é preciso é uma
forma pura de um elemento que entra em contato com o oxigênio, como ocorre
quando o ferro enferruja. Uma porção de oxigênio é liberada pelo intemperismo
químico. Quando um mineral portador de oxigênio é exposto aos elementos,
ocorre uma reação química que o desgasta e, no processo, produz oxigênio
livre.

99,5% do Oxigênio está localizada na crosta e no manto da Litosfera

47% da crosta terrestre é composta de Oxigênio na forma de óxidos.

Os minerais são constituídos pelo silicato (SiO2), que é o óxido mais presente
na crosta terrestre. Os diferentes tipos de minerais são devido as diferentes
conformações possíveis. Exemplo: Citrino é uma variedade de quartzo (que é
formado por SiO2 em estrutura tridimensional e ordenada) com impurezas de
ferro, por isso sua cor amarelada