Você está na página 1de 4

Trecho extraído do Liber Azerate

Apep – O Dragão do Caos


(A Gênese Caosófica Egípcia.)

Antes do início dos tempos, tudo era um eterno mar de caos sem forma. A escuridão,o
silêncio e o vazio reinavam e apenas os oito deuses da inexistência existiam nesse caos
sem fim. Estes oito deuses do caos reinaram sobre os oceanos negros do caos Nun, e
juntos eles reinaram sobre a não-ordem original.
Estes deuses eram Ogdoden - Os oito animais: Nun e Nunet, os deuses do mar sem
fundo, Heh e Hehet, os deuses do espaço infinito, KEK e Keket, deuses escuros e Amun
e Amunet, os deuses invisíveis.
Por causa de todas as possibilidades disponíveis no caos eterno, é dito que as energias
viriam a formar o espírito do demiurgo Atum-Rá que começou a tomar forma na
informe escuridão do mar,Quando o espírito Demiurgo tinha crescido bastante forte
começou sua natureza falsa e suja afetar o ambiente imediato ao seu redor.
Este ocorreu até o primeiro Lotus subir das profundezas. Abrir lentamente o azul da flor
de Lotus, até suas pétalas demiurgas se revelarem, na forma de um jovem Deus, que
estava sentado em meio ao ouro. A luz, que não estava em harmonia com o caos, fluiu
para fora do corpo da criança “divina”. As crianças que estavam no Demiurgo AtumRá,
conseguiram com sucesso conter a sua luz imunda que rodeava e passaram para a
escuridão caótica
Mas as forças do caos nunca foram derrotadas pelo demiurgo indigno, o ambiente
cáotico o rodeava em forma de cobras, monstros demoníacos e dragões terríveis, pelo
caos original e os oito Ogdoden, cuja a escuridão estava contaminada por Atum-Rá.
Estes que começaram a ferver de raiva, gerando da agua negra de Nun ( Aguas
primordiais caóticas) O mais terrível de todos os dragões.
O nome do dragão da morte era Apep e seu único propósito na existência era destruir
Atum-Rá e apagar a sua luz, para assim, restaurar a pura escuridão original.
Mas, então, Atum-Rá, que estava cercado e cego pela sua própria luz, sentiu a presença
do irado dragão do caos, o poderoso Apep, ele se encheu de medo e percebeu o quão só
ele estava em uma guerra que ele deliberadamente começou contra as eternas forças do
caos.
Essa solidão tornou-se insuportável e Atum-Rá ansiava por outros seres que o apoiariam

Tradução por O.L.L.


e confortariam. Por isso, Atum-Rá, criou da sua primeira ejaculação, e sua vontade,
Shu, deus do ar, e Tefenet, deusa da umidade, mas devido ao fato de Atum-Rá estar tão
cheio de medo dos poderes do caos furioso, cuja a presença era constante, deixou que
Shu e Tenefet caísse nas profundezas caóticas do oceano. O Demiurgo Atum-Rá, então
entrou em pânico, ele arrancou um de seus olhos e encheu-o com as suas forças para
que o brilho fosse de sua luz.
Atum-Rá chamou o olho de sua filha e nomeou-a Hathor, e depois mandou-a para fora
em escuridão para procurar seus filhos desaparecidos. A luz do olho forçou através do
caos escuro e conseguiu encontrar Shu e Tefenet e trouxe-os de volta para Ra.
Em recompensa a ela,o demiurgo colocou o olho na sua testa, na forma de uma grande
cobra venenosa, a cobra Uraeus (Símbolo de soberania e poder). Ele prometeu que seu
poder seria sempre grande, e que no futuro os deuses e os homens deveriam temê-la.
Em seguida, Atum-Rá abraçou seu primeiro filho, Shu e Tefenet, e chorou de felicidade
e alívio.
Mas o que Atum-Rá não sabia é que estavam portando a chama negra, como sabemos,
Shu e Tefenet estavam em um mar de caos, ambos estavam estuprados pelo Dragão do
caos furioso, e as sementes do dragão tinham penetrado profundamente em Shu e
Tefenet e se esconderam em suas formas.
Esta semente anti-cósmica, semente-dragão, que com a ajuda da primeira descendência
de Atum-Rá, penetrou através da aura protetora do Demiurgo, no qual será a guerra
final entre a luz e as trevas, transformou-se em flor para ajudar a rasgar do interior, a
criação de Atum-Rá.
Entretanto Shu e Tefenet, que pela magia de Apep, não sabiam sobre o anti-cósmico
ato de estupro, amavam um ao outro e eventualmente, Shu deu a luz a gêmeos para
Tefenet, do qual eram Geb, deus da Terra, e Nuit a bela deusa dos céus.
Sem descobrir, transferiu a semente do nosso mestre Apep para Nuit e Geb.
A semente do mal, a semente anti-cósmica, que agora estava dormindo no céu e terra,
esperando pacientemente para volta do nosso pai Apep, para ascender as forças escuras
na matéria, embora o Grande dragão da morte, Apep, estava fora das barreiras de luz,
ele, no entanto, estava sob total controle de si mesmo, que ele através de sua ação astuta
teve o sucesso de penetrar na criação do Demiurgo. O terrível dragão que vivia no mar
furioso do caos, poderia agora, graças à essência anti-cósmica da sua semente do mal,
monitorar os eventos do mundo desprezível do Demiurgo.
Pela segunda vez, o silêncio foi quebrado em meio ao caos que uma vez tinha sido
mares tranquilos. Mas desta vez foi a risada de nosso pai que cortou a profana quietude.
Apep agora sabia que ele iria ganhar a guerra final contra o deus sujo de luz criadora.
Geb amava sua irmã Nuit e durante longos séculos eles se abraçaram, desconhecendo a
essência escura que eles carregavam dentro de si. Nuit pressionou os céus contra Geb /
terra, de tal maneira que não havia espaço para mais nada existir entre eles.
Quando o demiurgo Atum-Rá viu isso, ele ficou com ciúmes, porque ele tinha criado
esses deuses, para eles fazer-lhe companhia, e agora parecia que nenhum deles se
preocupavam com ele.
Eventualmente, Atum-Rá comandou Shu (ar) que era pai de Geb e Nuit para que
separasse os dois. Como o deus do ar era obediente; Shu, guiou seu próprio filho, Geb, e
em sua mão aberta, ele levantou a sua filha,Nuit, segurou-a no alto de seu irmão,
separando céus e terra.
O ciumento e estúpido Atum-Rá não se contentava com isso, pois sabia que Nuit
durante sua associação com Geb engravidou, Por isso, ele colocou uma maldição sobre
Nuit, para que ela em nenhum dos dias no ano em que ele havia estabelecido, pudesse
ter filhos.
Geb, que agora estava sob os pés de seu pai, lutou para se libertar e Nuit, chorava
lágrimas escuras, tentando correr para baixo, mas um ao outro não poderiam se
alcançar novamente.
O Demiurgo, que tinha cansado desses deuses ingratos, criou muitas outras criaturas
que ele esperava que fossem mais fiéis a ele. Entre estes estava Thoth, que viria a ser

Tradução por O.L.L.


um dos mais sábios dos deuses.
Quando Thoth viu o belo corpo triste de Nuit, que estava estendido acima da terra, ele
se sentiu triste por ela e decidiu ajudá-la.
Thoth inventou o “Jogo Senet” e desafiou os outros deuses, para jogar com ele por
alguns dias, eventualmente conseguiu Thot ganhar tanto tempo com os outros deuses
que durou cinco dias. O Demiurgo já havia decidido que cada ano seria composto por
360 dias, mas o Thot astuto adicionou o tempo que ele tinha ganho, e assim ele criou
cinco dias extras. Estes dias extras não foram incluídos na maldição de Atum-Rá, de
modo que Nuit agora era capaz de alimentar seus filhos neste tempo extra.
No primeiro dia Nuit deu à luz a uma criança que já havia sido coroada rei por ela
mesma; e seu nome foi chamado de Osíris.
No segundo dia, Nuit deu à luz a sua filha, Isis, que mesmo antes dela nascer, estava
caindo de amor para com o fraco Osíris.
A semente do mal, que se escondia no interior de Nuit, tinha instruções a partir do
dragão da morte, Apep, para penetrar mais profundamente na criação do Demiurgo,
preenchendo Nuit poderosamente. Mas quando a semente do mal, cujo nome era ISFET,
viu Osíris encolhido dentro do útero de Nuit, ela sabia que Osíris não era digno de ser
permeado da essência mais íntima do dragão. ISFET, que podia ver no vazio chamado
futuro, podia ver que o destino de Osíris era para ser derrotado, desmembrado e para
sempre condenado a morte por um deus mais poderoso, por isso escolheu ISFET não
fundir-se através do corpo de Osíris para renascer.
O mesmo com o segundo filho de Nuit; Isis, foi analisada e rejeitada pela ISFET antes
do seu nascimento.
ISFET que podia ver o futuro, viu que Isis viria a representar a natureza, as leis
cósmicas e da criação de formulário causal. Isso encheu ISFET de nojo e ódio, portanto,
escolheu ISFET , não fundir-se com o corpo da criada prostituta Isis.
Mas, durante o terceiro dia, antes que Nuit desse luz ao seu terceiro filho, ISFET
recebeu a ordem de nosso pai, Apep, que dizia que o tempo havia chegado para ela
tomar forma e ocupar Nuit em seu terceiro filho, cujo nome foi definido como Set.
Quando ISFET ouviu a voz do dragão em sua mente, ela partiu mais uma vez pronto
para examiná-lo. Ela viu que o grande Set que estava no útero de Nuit tinha seus sonhos
escuros de dominação mundial e caos. Isso encheu o ISFET de alegria. ISFET
contemplou o futuro, por ter certeza de que Set era o homem certo para se conectar a
ela.
Ela viu Set-Qayin , sentado em um trono negro de ônix, cercado pelos corpos
desmembrados de todos os deuses cósmicos que abaixo de seus pés estariam, então
ISFET riu ao ver o demiurgo Atum-Rá com a própria cabeça decepada. Isso fez com
que ISFET ficasse muito feliz, pois ela agora sabia que o destino de Set era lutar contra
a ordem cósmica (Maat), cujo derrotará os indignos deuses. ISFET penetrou em nome
de Apep no corpo de Set e fez com que ele acordasse.
O grande Set, que agora possuía o colérico poder do caos, abriu os olhos vermelhos
brilhantes, revelando sua Khem Sedjet (Chama negra) e gritou seu ódio.
Set que sabia que ele era o mais poderoso entre os deuses, estava cheio de ódio para
com sua mãe Nuit. Pois ele sabia que era seu direito, como o mais forte, ter sido o
primogênito. Mas ao invés disso Nuit teve a indignidade de ter dado a luz a Osíris
primeiro, portanto, lhe dando a coroa. Set estava possuído por uma raiva profana,
rasgou Nuit internamente e abriu um buraco em seu lado, emergindo do ventre, a partir
do qual ele forçou-se para fora.
Desta forma mais natural, nasceu nosso rei, durante este nascimento aterrorizante Nuit
gritou de dor e chorou sangue, mas nenhum entre os outros deuses se atreveu a ajudá-la.
Quando Set se arrancou do corpo de Nuit, ele amaldiçoou os outros apavorados deuses e
afastou-se para o deserto vermelho, que se tornaria um de seus muitos reinos. Por isso,
foi ele o escolhido para ser o deus solitário e orgulhoso, do qual seria o portador do caos
e provocador de tempestades dentro do cosmos.
No quarto dia, o dia após o nascimento de Set, Nuit se recuperou o suficiente para dar à

Tradução por O.L.L.


luz ao seu quarto filho e segunda filha, chamada Néftis.
Néftis, também chamada de Nebhet, odiava seu irmão Set do qual tinha deixado-a
sozinha. Pois, mesmo antes do nascimento tinha Néftis conhecido a terrível força que
esperava para ela, como Isis era casada com Osiris; Néftis.iria se casar com o poderoso
Set.
Mas Set, que zombavam da fraqueza dos deuses, não ficou interessado no amor, devido
a isso, Néftis se juntou com os outros deuses, os mesmos que iriam acabar em guerra
com Set.
O Demiurgo, que se tornou intoxicado e cego pelo poder que ele tinha sob os outros
deuses, que viviam para o servi, criou muitos outros deuses e deusas. Ele encheu do Céu
à terra e debaixo da terra, com inúmeros espíritos, animais, demônios e outros deuses
menores. Um desses deuses, no qual o demiurgo em seu confuso e embriagado Estado
havia criado, foi nomeado Khnum.
Khnum foi encarregado para criar as formas que o demiurgo queria encher sua criação,
como foi dito.
O Demiurgo ordenou Khnum para criar os primeiros seres humanos usando Geb
(argila/terra), como parte da semente de Apep estava adormecida dentro de Geb, esta
veio à vida.
Esta parte da semente do dragão furioso, que era chamada de Khem Sedjet, ou seja, a
chama negra.
A Khem Sedjet de Apep foi despertada pelos gritos do além e governada por instintos
compartilhando o caos em 72 chamas. As chamas se espalharam e se esconderam no
fundo da lama, do qual Khnum fez o uso para dar forma à nova criação, o homem.
Assim 72 formas humanas, foram invadidas pelo Khem Sedjet , a essência antes da
vida que Atum-Rá tinha os dado.
Assim misturando a porção da semente de Apep dentro de Geb, em 72 pessoas
selecionadas. Estes 72 filhos do dragão , vivem além dos portões do Nun, o lugar sem
lei, do qual nosso pai Apep faz parte.
Nós, que somos sacerdotes e sacerdotisas do caos, somos devidamente assim, pelas
diferentes partes e aspectos dos originais Khem Sedjet (Chamas negras), que trabalham
dentro de nós.
Nossa forma cósmica pode morrer, mas as nossas chamas negras, que fazem parte do
outro lado do cosmos, que é o caos, são eternas e sem fim.
Estamos na criação de Atum-Rá, onde a semente de Apep queima, com a nossa
informe devoradora chama negra e nosso pai Apep , juntamente com nosso poderoso rei
de nome Set, somos nós, os eleitos, para restaurar o caos primordial e quietude.
Para ISFET o Khem Sedjet é mais forte que Maat, sendo Apep e Set mais forte que
toda multidão de deuses cósmicos indignos.
Da mesma forma, nós também, somos os 72 mais forte do que o resto da humanidade
desprezível. Para cada um de nós, para quem possui a chama negra, pode se ver além do
momento finito e ver o infinito.
Quando as 72 chamas se reunirem e darem vida a 218 novas chamas, o sol de Atum-Rá
para sempre será extinto, em seguida, Set tomará o seu lugar como o eterno vencedor,
no trono negro de Ônix. Porque nós somos a essência escura do dragão. Aquele que
enxerga no escuro vazio que é o futuro, sabe que a vitória final pertence ao nosso
poderoso pai, Apep.

Tradução por O.L.L.