Você está na página 1de 2

Voluntários ou chamados?

Texto base: Hebreus 11:8

Existe um pensamento mundano que sutilmente vem tomando lugar: A ideia de que
a obra de Deus é feita com voluntários. Antes de tudo é preciso esclarecer que um
coração voluntário é sim algo bom e bíblico, mas neste texto, nos referimos a um tipo
de mentalidade, de uma forma de ver a obra de Deus, na qual as pessoas resolvem
“fazer algo para ajudar”. Mesmo pessoas tocadas por Deus para liderar uma Célula
podem ter essa mentalidade de voluntário.

Deus não trabalha com voluntários, mas com chamados!

Se nossos Líderes possuem essa mentalidade de voluntários e estão aqui “apenas para
ajudar”, então teremos apenas um movimento que brevemente se dissipará. Se, por
outro lado, nossos Líderes possuem uma clara convicção de que foram
comissionados por Deus e receberam uma ordem de liderarem e apascentarem o
rebanho, então uma revolução acontecerá.

Eu creio que cada Líder de Célula foi chamado por Deus para liderar uma Célula no
mesmo dia em que Deus o enviou para ser Membro de uma Igreja em Células. A
pergunta é somente se Deus o enviou para aquela Igreja, o que fará ali já está
implícito.

Como um Membro de nossa Igreja pode dizer que Deus não o chamou para liderar
uma Célula se, ao mesmo tempo, o chamou para ser parte de nossa Igreja? Deus não
é incoerente.

VOLUNTÁRIOS NÃO GERAM FRUTOS, APENAS “AJUDAM” A FAZER UM


TRABALHO. Não estamos aqui para, meramente, fazer um trabalho e nos organizar
em Células. O alvo não é o trabalho, mas sim os frutos. Pessoas comissionadas por
Deus recebem autoridade de Deus e, onde quer que haja autoridade, ali se manifesta
o poder de Deus, e onde quer que haja poder de Deus, os frutos virão.

VOLUNTÁRIOS TEM MENTALIDADE DE TRABALHAR E NÃO DE SERVIR.


Há uma grande diferença nisso. Trabalhar significa que “eu escolho” o que desejo
fazer. Certamente fazem para o Senhor, mas fazem aquilo que gostam, podem ou
julgam mais importante. Servos não escolhem trabalho, servos obedecem.

VOLUNTÁRIOS FAZEM O QUE QUEREM, começam e param quando bem


entendem, mas os chamados se submetem ao Corpo da Igreja.
A primeira exigência na obra de Deus é um chamado divino, tudo depende dele. A
intenção humana ainda que boa, nunca pode tomar o lugar da iniciativa divina. O
problema de hoje em dia, é que muitos saíram para fazer o trabalho, mas não foram
enviados.

O VOLUNTÁRIO ESCOLHE COMO SERVIR: Lv 10:1-2. Nadabe e Abiú eram


voluntários, perceberam que não havia fogo e resolveram dar uma ajudinha
arrumando um fogo. Fogo estranho é aquele que Deus não ordenou. Aos olhos
naturais, tudo é fogo, assim como nas Células é o mesmo trabalho, mas, se liderarmos
por iniciativa própria e não por obediência a uma ordem de Deus, oferecemos fogo
estranho e o resultado é a morte.

O VOLUNTÁRIO ESCOLHE QUANDO SERVIR: 1 Cr 13:7-10. Uzá é um grande


exemplo de voluntário. Você não pensa que a disposição de Uzá de amparar a Arca
para que ela não caísse, é até uma postura louvável? Então por que Deus se irou
com ele? O motivo é que Deus quer pessoas que obedeçam às Suas ordens mais do
que O ajudem em Sua obra. Nosso trabalho para Deus deve ser fruto de obediência
ao Seu chamado.

O VOLUNTÁRIO NÃO DEPENDE DE DEUS, MAS DA FORÇA PRÓPRIA, o


voluntário não aceita cobrança, não se dispõe ao sacrifício. Não se pode cobrar de
um voluntário, mas temos sempre que esperar pela sua disposição, se ele amanhecer
indisposto, ele não fará coisa alguma.

O VOLUNTÁRIO NÃO ACEITA COBRANÇA: A expectativa do voluntário


sempre está no reconhecimento do “grande” sacrifício que ele supõe estar fazendo.
Eles sempre supervalorizam aquilo que estão fazendo, contando tudo o que deixaram
de desfrutar para que tal trabalho fosse realizado.

Quando sabemos que fomos chamados para liderar, a nossa atitude muda
completamente. Evidentemente, isso também aumenta muito as nossas
responsabilidades. Não há nada mais sério do que desobedecer ou ignorar uma ordem
ou chamado de Deus.

ADAPTADO DO LIVRO 21 DIAS NA VIDA DE UM LÍDER DE CÉLULA – PR.


ALUÍZIO A. SILVA