Você está na página 1de 23

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA

PROFª.: MSC. MARIANA NASCIMENTO OLIVEIRA


ECONOMIA EMPRESARIAL
DISCPLINA: ADMINISTRAÇÃO ECONOMICO FINANCEIRA

GESTÃO EMPREENDEDORA COM ÊNFASE NO


PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

04 DE SETEMBRO DE 2019
IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO MUNDO EMPRESARIAL

A decisão de empreender, seja por realização de um sonho ou por necessidade, deve ser
acompanhada pelo conhecimento do caminho que irá ser trilhado rumo ao sucesso.
Observe o diálogo retirado do livro Alice no País das Maravilhas de Lewis Carrol:

Alice: Poderia me dizer, por favor, que caminho devo tomar para sair daqui?
Gato: Isso depende bastante de onde você quer chegar.
Alice: O lugar não importa muito.
Gato: Então não importa o caminho que você vai tomar.
ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA
É um modelo de administração que enfatiza sua própria flexibilidade e fluidez.
O que é estratégia?
A palavra estratégia vem de strategos (estratos – exército, e ego – liderança/comando),
portanto incialmente seu conceito estava relacionado à “arte do general”.
Ao longo do tempo, o ambiente de negócios passa a incorporar o pensamento
estratégico de modo a acompanhar as transformações da sociedade, economia e das
empresas e sobretudo, enfrentar a competitividade em seus mercados.
As diretrizes estratégias são constituídas por missão, visão, valores e políticas
organizacionais, isto é, as diretrizes são a base para a formulação das estratégias.
Na perspectiva estratégica, consideramos a empresa como um agente social.

VARIÁVEIS MACROAMBIENTE
ECONÔMICAS

VARIÁVEIS
SOCIOPOLÍTICAS VARIÁVEIS
ECONÔMICAS
FORNECEDORES
MICROAMBIENTE
CLIENTES
VARIÁVEIS EMPRESA
LEGAIS
VARIÁVEIS
CONCORRENTES TECNOLÓGICAS
AGÊNCIAS
REGULADORAS
VARIÁVEIS
ECOLÓGICAS
VARIÁVEIS
DEMOGRÁFICAS

Fonte: Adaptado de Chiavenato, Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações, 1999.
NÍVEIS DE PLANEJAMENTO OU ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS

A cúpula empresarial define um plano de negócios (estratégias de


longo-prazo);
ESTRATÉGICO
Alta administração

Os gerentes desenvolvem estratégias específicas de suas


TÁTICO
funções (estratégias de médio-prazo);
Gerentes

As estratégias se tornam mais detalhadas e são


OPERACIONAL
assumidas num plano de ação (estratégias de curto-
Supervisores
prazo);

Fonte: OLIVEIRA, D. P. R., Planejamento Estratégico - Conceitos, Metodologia e Práticas. São Paulo: Atlas, 2002.
https://www.youtube.com/watch?v=7FwKogLzJAc
EXERCÍCIO – Construa estratégias para tirar a empresa desta situação. É possível?
DIVÃ DO EMPREENDEDOR / Edição 255 - Abril/2010
Como posso salvar a empresa?

Meu cunhado tem uma loja de conserto e troca de escapamentos há dez anos, a Santo André
Thor Escapamentos. Tem dois funcionários registrados, que deixam a desejar no atendimento
ao cliente: preferem fazer um reparo simples a perder tempo. Por falta de verba não
consegue demiti-los. A loja é alugada e o movimento não cobre todas as despesas, o que há
tempos tem exigido o uso do cheque especial. O saldo negativo é de R$ 15 mil. Outra
dificuldade é reter a clientela, pois é comum as pessoas entrarem, pedirem um orçamento e
fecharem com o concorrente, que tem um estoque bem melhor de produtos, consegue baixar
o preço dos serviços e ainda aceita a forma de pagamento que o cliente quiser. Também por
questões de custo, ele deixou de aceitar cartões de crédito, trabalha apenas com dinheiro e
cheque. Como é possível mudar essa situação? Ainda há tempo para salvar o negócio?
Grata,
Lilian Araújo, Santo André, SP
RESPOSTA DO ANALISTA DA REVISTA PEQUENAS EMPRESAS E GRANDES NEGÓCIOS – Eduardo Bom Ângelo
CENÁRIO Uma forma alternativa de tentar olhar para o mesmo quadro é procurar revertê-lo, sob a hipótese de
que seu cunhado é um bom empreendedor, conhece as técnicas do trabalho que executa e, portanto, sem
tantos obstáculos pode reiniciar as atividades da loja sob novas bases. Para tanto, seria necessário avaliar o
negócio como se fosse novo. Uma boa ferramenta é um plano de negócios, um exercício simples para quem é
do ramo, conhece os concorrentes, fornecedores e clientes.
EQUIPE O primeiro passo é entrar em acordo com os atuais funcionários, sem motivação e com baixa
competência, substituindo-os por outros de perfil comprometido com o negócio e com os clientes.
"Saiam de dentro da loja e do problema, reflitam detalhadamente sobre cada alternativa e tomem uma
atitude. A única possibilidade inaceitável é deixar como está"
CARTÕES É essencial renegociar o valor do cheque especial por um período mais longo e com taxas menores
de juros. É preciso, também, reativar com urgência os cartões de crédito, sem os quais não se consegue
trabalhar.
SOLUÇÃO PROTELADA Com tantos problemas aparentemente sem solução rápida, a resposta mais simples,
menos indolor e provavelmente de menor custo seria jogar a toalha, como se faz no boxe, e fechar o negócio
com o propósito de limitar o tamanho das atuais perdas. Entendo que para tomar essa decisão sozinho, pesam
a solidão e os dez anos de batalha para que o negócio funcionasse adequadamente. Quanto mais se enreda no
problema maior a paralisia para resolvê-lo. É relativamente comum observarmos este comportamento tanto
nos empreendedores como no ambiente corporativo.
Roteiro de um Plano Estratégico

1. Definição do negócio

2. Declaração de visão, missão e valores

3. Análise do Ambiente externo: tendências, cenários,


oportunidades e ameaças;

4. Análise do ambiente interno. Elaboração da matriz SWOT

5. Formulação das estratégias competitivas

6. Implantação e controle: planos de ação

Fonte: Adaptado de Lobato et al, Estratégia de empresas, 2009.


Missão: É a finalidade da existência de uma organização. É aquilo que da direção e
significado a sua existência. A missão da organização está diretamente ligada aos seus
objetivos institucionais, aos motivos pelos quais foi criada, à medida que representa
sua razão de ser.
Qual o negócio da organização?
Quem é o seu cliente? Qual o escopo da organização ?
Qual a sua vantagem competitiva?
Qual a sua contribuição social?

Exemplo: GOOGLE
"A missão do Google é organizar as informações do mundo e torná-las mundialmente
acessíveis e úteis”.
Visão: expressa a maneira como a organização deve ser reconhecida no futuro, ou seja,
representa um sonho que deve ser viável na implementação e deve apresentar conteúdo
inspirador que consiga motivar toda a organização na construção do futuro desejado.
No que a empresa quer se tornar?
• Qual direção é apontada?
• Onde nós estaremos?
• O que a empresa será?
• Em que direção eu devo apontar meus esforços?
• Eu estou ajudando a construir o que?

Exemplo: Vale
“Ser a empresa de recursos naturais global número um em criação de valor de longo prazo,
com excelência, paixão pelas pessoas e pelo planeta”.
Olhar estratégico...

Visão ampla e visão restrita:


Valores: crenças ou princípios intrínsecos da organização que orientam o
comportamento/conduta dos funcionários.
• Como os empregados se relacionam com os clientes?
• Como a empresa faz negócios?
• Qual a nossa responsabilidade frente a sociedade?
• Que valores, crenças ou princípios são importantes para a empresa fazer o que faz, para
quem faz e para o que ela quer se tornar?

Exemplo: MC Donald’s
• Oferecemos Qualidade, Serviço & Limpeza aos nossos Clientes.
• Incentivamos o Espírito Empreendedor.
• Temos um forte compromisso com a nossa Gente.
• Maximizamos a Rentabilidade das nossas operações.
• Operamos um negócio em um ambiente Ético e Responsável.
• Contribuímos com o desenvolvimento das Comunidades nas quais atuamos.
Portanto, temos aqui a primeira etapa de um Plano Estratégico:

1. Definir um negócio e responder qual é a missão, a visão e os valores do mesmo.

O começo é a parte mais importante do trabalho.


Platão
Análise do Ambiente Externo

O macroambiente, ou ambiente geral, é constituído dos elementos que formam a própria


vida da sociedade e que influenciam de maneira direta ou indireta as organizações.

• Demográfico (tamanho e taxa de crescimento da população, faixa etária, etnia, etc.)


• Geográfico (localização cliente, fornecedor, canal de distribuição)
• Econômico (evolução do índice de preços, taxa de juros, PIB, emprego e renda, etc.)
• Sociopolítico (comportamento, hábitos, diversidade cultural, lei trabalhista e tributária,
políticas)
• Tecnológico (Investimento em P&D, estratégias de inovação, etc).

A partir daí elaboramos cenários (possíveis mudanças identificadas): otimista,


intermediário ou pessimista.
Análise do Ambiente Interno

São os elementos que a empresa pode controlar, organizar. Em geral, está relacionado
com a capacidade de aproveitar o potencial, as forças ou limitações, fraquezas inerentes
à organização.

•Consumidor/Cliente (quem consome meus pordutos/serviços? Qual meu público-alvo?


Quem faz parte do meu nicho de Mercado?)
•Fornecedor (Fornece os recursos seja matérias-prima, financeiros, tecnológicos,
humanos, etc.).
•Concorrentes (tenho concorrentes diretos e indiretos? O que diferencia o meu produto
da concorrência?)
•Agências Reguladoras ( empresas que regulam, fiscalizam e monitoram seu negócio).
MATRIZ SOWT (FOFA)

É uma ferramenta de análise empresarial, criada nos anos de 1960/70 por Albert
Humphrey na Universidade de Stanford, considerada um excelente complemento para o
planejamento estratégico.

O termo SWOT é basicamente um acrônimo das palavras em inglês: Strengths,


Weaknesses, Opportunities e Threats.

Também popularmente conhecida como FOFA: Forças, Fraquezas, Oportunidades e


Ameaças.
Qual a importância da Matriz SWOT?

• Para embasar a tomada de decisão;


• Conhecer cenário;
• Saber a posição da empresa em relação aos concorrentes;
• Antecipar –se aos movimentos externos;
• Auxiliar na formação de estratégias que irão compor o plano de ação.
A análise Swot parte de duas importantes perspectivas: interna e externa.

Análise interna: são fatores que possuem total ou relativo controle por parte da
empresa e que representam os pontos fortes e fracos dentro de um empreendimento.

Análise externa: são os fatores que estão totalmente fora do controle da empresa, mas
ao serem estimados/identificados podem resultar em ameaças ou em oportunidades de
mercado.

AMBIENTE PONTOS POSITIVOS PONTOS NEGATIVOS


INTERNO FORÇAS FRAQUEZAS
EXTERNO OPORTUNIDADES AMEAÇAS
1. STRENGHTS (FORÇAS): representa os pontos fortes da empresa, ou seja, tudo aquilo
que pode agregar valor e servir de diferencial competitivo dentro dos controles da
empresa.
✓ Que aspectos vantajosos minha empresa possui?
2. WEAKNESS (FRAQUEZAS): são os aspectos negativos que atrapalham ou não
produzem competitividade, os quais também estão no controle da empresa.
✓ Que aspectos devem ser melhorados?
3. OPPORTUNITIE (OPORTUNIDADE): são eventos externos à empresa e que por isso ela
não tem o poder de influenciar, porém são mudanças que afetam de forma benéfica a
organização ou criam um ambiente favorável à expansão e incrementos produtivos.
✓ Constituem oportunidades a serem aproveitadas?
4. THREAT (AMEAÇA): as empresas, em geral, não possuem forças para intervir nas
ameaças, que são fatores que podem prejudicar o negócio.
✓ São ameaças das quais devo proteger-me?
MATRIZ SOWT
DIAGNÓSTICO E ESTRATÉGIAS

DIAGNÓSTICO OPORTUNIDADES AMEAÇAS


1. CAPACIDADE DE AÇÃO

DESENVOLVIMENTO
OFENSIVA

MANUTENÇÃO
2. CAPACIDADE DEFENSIVA
• De mercado;
PONTOS FORTES • De produtos; • Estabilidade;
• Financeiro; • Nicho;
• De capacidade; • Especialização.
• Diversificação.

SOBREVIVÊNCIA
CRESCIMENTO

3. DEBILIDADES 4. VULNERABILIDADES

PONTOS FRACOS • Inovação; • Redução de custos;


• Internacionalização; • Desinvestimento;
• Expansão. • Liquidação do negócio;
OBJETIVOS E METAS

Os objetivos estão relacionados à visão da organização, ou seja, é onde se pretende


chegar, a direção que a empresa almeja conquistar.
De acordo com o Sebrae, as metas são definidas por meio dos objetivos e dados
levantados ao longo de um estudo estratégico. As metas são fundamentais para monitorar
o progresso da empresa, por isso precisam conter uma unidade de medida e deixar claro o
que quer se alcançar.
Metas Smart (específica, mensurável, atingível, relevante e temporal).