Você está na página 1de 6

REFLETINDO SOBRE ALGUMAS TEORIAS DE ENFERMAGEM A PARTIR DO

MODELO DE AVALIAÇÃO DE MELEIS


Talita Piccoli1, Simony Fabiola Lopes Nunes1, Priscilla Cibele Tramontina1, Roberta Juliane Tono de Oliveira1,
Evanguelia Kotzias Atherino dos Santos2, Lúcia Narazeth Amante2

Enfermeira. Mestranda em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis-SC-Brasil.


1

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis-SC-Brasil.


2

RESUMO: Este artigo teve como objetivo a realização de uma reflexão comparativa das teorias de enfermagem
de Paterson e Zderad, Parse, Watson e Meleis, a partir do modelo de avaliação de teorias e seus componentes
funcionais: foco, cliente, enfermagem, saúde, interação paciente-enfermagem, ambiente, problemas e cuidado
de enfermagem proposto por Meleis. A escolha das teóricas justificou-se por serem teorias emergentes e que
aderem ao paradigma atual, convergindo para visão holística do ser humano. Após reflexão teórica, concluiu-se
que nas teorias analisadas a definição de enfermagem é clara e explícita, destacando sua ação na promoção
da saúde e da qualidade de vida.
DESCRITORES: Teoria de enfermagem; Filosofia em enfermagem; Enfermagem.

REFLECTING ON SOME NURSING THEORIES REFLEXIONANDO ACERCA DE ALGUNAS


BASED ON MELEIS’ EVALUATION MODEL TEORÍAS DE ENFERMERÍA CON BASE EN EL
MODELO DE EVALUACIÓN DE MELEIS
ABSTRACT: This article aimed to undertake a comparative RESUMEN: Este artículo tuvo como objetivo la realización
reflection on the theories of nursing of Paterson and de una reflexión comparativa de las teorías de enfermería
Zderad, Parse, Watson and Meleis, based on the theory de Paterson e Zderad, Parse, Watson y Meleis, con base
evaluation model and its functional components: focus, en el modelo de evaluación de teorías y sus componentes
client, nursing, health, patient-nursing interaction, funcionales: foco, cliente, enfermería, salud, interacción
environment, problems, and nursing care, as proposed by paciente enfermería, ambiente, problemas y cuidado de
Meleis. The choice of the academic theorists was explained enfermería propuesto por Meleis. La elección de las teorías
as these are emerging theories and adhere to the current se justificó en su emergencia y por adherir al paradigma
paradigm, converging towards the holistic view of the actual, convergiendo para visión holística del ser humano.
human being. After theoretical reflection, it was concluded Después de la reflexión teórica, se concluyó que, en las
that, in the theories analyzed, the definition of nursing is teorías analizadas, la definición de enfermería es evidente
clear and explicit, emphasizing its action in the promotion y explícita, destacando su acción en la promoción de la
of health and quality of life. salud y de la cualidad de vida.
DESCRIPTORS: Nursing theory; Philosophy in nursing; DESCRIPTORES: Teoría de enfermería; Filosofía en
Nursing. enfermería; Enfermería.

Autor Correspondente: Recebido: 22/09/2014


Talita Piccoli Finalizado: 28/04/2015
Universidade Federal de Santa Catarina
Rua Reitor João David Ferreira Lima, s/nº - 88040-970 - Florianópolis-SC-Brasil.
E-mail: talitapiccoli@gmail.com

Cogitare Enferm. 2015 Abr/Jun; 20(2):437-42 437


INTRODUÇÃO humanístico, que vai além da concepção que
saúde é apenas a ausência de doenças.
Com a evolução da Enfermagem como ciência, Neste contexto, o estudo é construto da
os profissionais passaram a se questionar sobre disciplina Concepções Teórico-Filosóficas no
a forma de utilização das práticas tradicionais, Processo de Cuidar em Enfermagem e Saúde,
emergindo apontamentos que levaram ao do Mestrado Acadêmico, do Programa de Pós-
desenvolvimento de um corpo de conhecimento Graduação em Enfermagem da Universidade
específico como embasamento para o exercício da Federal de Santa Catarina (PEN/UFSC), na área
Enfermagem. Buscando atender esta necessidade, de concentração Filosofia e Cuidado em Saúde
surgem as teorias de enfermagem, as quais e Enfermagem, e teve por objetivo realizar uma
proporcionaram o fortalecimento da disciplina reflexão comparativa entre a Teoria Humanística
no sentido de atuar de forma significativa na (1976), a Teoria Homem-Vida-Saúde (1987),
promoção, prevenção, recuperação e reabilitação Teoria do Cuidado Transpessoal (1988) e a Teoria
da saúde. Esse corpo de conhecimento vem se das Transições (2010), utilizando os componentes
transformando ao longo dos anos e assumindo funcionais, descritos segundo o Modelo de
modos de expressão diversos em sua trajetória Avaliação de Teorias(3).
de construção(1-2).
Uma teoria é definida como articulação
organizada e sistematizada de um conjunto DESCRIÇÃO DOS COM P ONENTES
de conceitos relacionados às questões de uma FUNCIONAIS DAS TEORIAS E APLICABILIDADE
disciplina, fornecendo meios para conhecer NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM
a realidade concreta (3) . No que tange a
enfermagem, a teoria é um conjunto de conceitos Josephine E. Paterson e Loretta T. Zderad
relacionados à realidade da enfermagem, seus publicaram a Teoria Humanística em 1976,
fenômenos e a relação entre eles. As teorias produto das experiências em enfermagem clínica,
servem para descrever, explicar, diagnosticar e na reflexão e na exploração destas experiências
prescrever medidas para a prática assistencial, vivenciadas pelas autoras. Trata-se de uma
oferecendo respaldo científico para as ações de teoria voltada para a prática, a qual propõe
enfermagem(3-4). que as enfermeiras abordem a enfermagem
Entretanto, para responder a pertinência de forma consciente e deliberadamente como
ou não de uma teoria no contexto da prática uma experiência existencial. Preocupa-se com
assistencial são utilizados os modelos de análise as experiências fenomenológicas vividas pelos
de teoria. Dos modelos existentes, destaca-se indivíduos, buscando obter uma visão ampla
o Modelo de Avaliação de Teorias proposto do potencial do ser humano. Defendem que
por Meleis(3), filosoficamente baseado em uma as sínteses das descrições fenomenológicas
visão histórica de ciência, que contempla cinco constroem e explicam a ciência de Enfermagem(5).
segmentos para a análise: descrição, análise, Rosimarie Rizzo Parse criou a Teoria de
crítica, teste e suporte. enfermagem chamada “Homem-Vida- Saúde”,
Nesse estudo, a reflexão terá como sob influência dos princípios e conceitos de
foco o segmento descrição, por identificar Rogers e trabalhos de Heidegger, Sartre e
os elementos conceituais centrais da teoria, Merleau-Ponty na perspectiva do pensamento
através dos componentes funcionais: foco, existencial-fenomenológico. Realizou a teoria
cliente, enfermagem, saúde, interação paciente- como uma alternativa às práticas de Enfermagem,
enfermagem, ambiente, problemas de enfermagem que na época eram voltadas ao modelo médico,
e cuidado de enfermagem. Estes componentes demonstrando a importância de estudar o
devem estar claros e objetivos para que a proposta indivíduo como unidades vivas participativas,
seja considerada uma teoria de enfermagem. levando em consideração suas experiências nas
As teóricas escolhidas para este estudo situações de saúde e conferindo ao cliente o papel
apresentam teorias de enfermagem emergentes como principal responsável em fazer escolhas e
e que aderem ao paradigma atual, convergindo tomar decisões que impliquem na mudança de
para visão holística do ser humano, cuidado saúde, baseados nas ciências humanas(6).

438 Cogitare Enferm. 2015 Abr/Jun; 20(2):437-42


Jean Wat son publicou sua teoria de transformações individuais e consequente
enfermagem em 1988, denominada Teoria adaptação do cuidado.
do Cuidado Transpessoal na qual o principal Em relação ao componente cliente encontram-
enfoque da enfermagem está nos fatores de se semelhanças entre Paterson e Zderad e
cuidado que derivam da perspectiva humanística, Parse no sentido de que ambas acreditam na
combinados com a base de conhecimentos responsabilização dos seres humanos por suas
científicos. Defende que o cuidado pode auxiliar escolhas e decisões proporcionando diferentes
a pessoa a obter o controle, tornar-se versátil e padrões de vida que influenciam na sua saúde.
promover as modificações na saúde baseado Nessa perspectiva, Meleis e Watson trazem a
no sistema humanístico de valores que prevê ideia de interação entre as partes, seja homem
autonomia, liberdade de escolha, com ênfase ao e ambiente, estabelecendo uma relação de
autoconhecimento e autocontrole(7). proximidade entre os conceitos.
A Teoria das Transições proposta por Afaf Para o componente saúde, as teóricas
I. Meleis teve influência do interacionismo Paterson e Zderad, Parse e Meleis convergem
simbólico e das ideias de Florence Nightingale. A no sentido de acreditar que saúde é resultado
teórica elenca sete razões pelas quais a transição das experiências de vida, enquanto Watson
deve ser considerada o foco da enfermagem uma vislumbra a saúde do ser humano como algo que
vez que os enfermeiros auxiliam indivíduos e seus transcende o físico para uma dimensão espiritual.
familiares na vivência de diversas situações e a Por fim, no que tange o componente ambiente,
lidar com a multiplicidade de alterações que essas as teóricas expõem a inter-relação entre homem
situações ocasionam. Assim, define transição e ambiente, no sentido de interconectividade,
como um “processo complexo multidimensional exercendo influência no homem, seja interna ou
que pode causar e afetar mudanças na vida, externamente de modo a ocasionar uma relação
saúde, relacionamentos e meio ambiente”(8:359). de troca e evolução conjunta.
Os componentes funcionais de uma teoria O Quadro 2 representa a análise comparativa
dos componentes funcionais em relação às
indicam uma descrição que analisa a relação das
questões centrais sobre a Enfermagem, e
pressuposições com os conceitos e as proposições
revela que nas quatro teorias a definição de
da teoria (3). A análise desses componentes
enfermagem é clara e explícita, destacando sua
resulta em definições explícitas e implícitas,
ação na perspectiva da promoção da saúde
identificando na teoria avaliada o direcionamento
e da qualidade de vida. Contudo, enfatiza-se
do foco, oferecendo uma visão ampliada a cerca
que Watson e Parse fortalecem a enfermagem
do problema de enfermagem e suas possíveis
como ciência, enquanto que Meleis e Paterson
intervenções.
e Zderad enfocam a enfermagem como agente
Nessa perspectiva, o Quadro 1 destaca a facilitador que auxilia o indivíduo para o alcance
comparação entre componentes funcionais das de melhores níveis de saúde.
teorias de enfermagem de Paterson e Zderad, As teorias oferecem insight no que concerne
Parse, Watson e Meleis a seguir, demonstra a intervenção de enfermagem, uma vez que
cada um dos componentes funcionais propostos esta se realiza através de um plano de cuidados
pelos teóricos em cada perspectiva, de modo a adequado para melhor assistir à saúde do
possibilitar uma reflexão teórica comparativa das cliente, família e comunidade. Contudo, as
mesmas. quatro teóricas revelam a ideia de que o
Analisando as propostas apresentadas pelas cuidado de enfermagem transcende as práticas e
teóricas acerca do componente foco observa- procedimentos de enfermagem, por depender da
se que Paterson e Zderard vislumbram este relação estabelecida entre profissional/paciente e
como uma relação dialógica e intersubjetiva, reforçam que é necessário cuidar do indivíduo de
ao passo que Parse responsabiliza os indivíduos forma global.
e famílias pela mudança nas suas práticas de As teorias de Parse e Paterson e Zderad não
cuidado. Para Watson o mesmo está ancorado oferecem uma ideia clara sobre os problemas de
na visão humanística do cuidado, mesclado enfermagem, entretanto, em uma profundidade maior
com o conhecimento científico e para Meleis, as constata-se que assim como as outras duas teorias os
transições ocorridas ao longo da vida acarretam problemas possuem origem no próprio ser humano.

Cogitare Enferm. 2015 Abr/Jun; 20(2):437-42 439


O componente funcional interação paciente/ que suas práticas acontecem a partir das
enfermagem enfatiza a relação terapêutica interações entre paciente/enfermeiros, ao passo
existente entre enfermeira e paciente, nesse que na teoria Homem-Vida-Saúde a interação
sentido as teorias possuem pressuposições básicas é ampliada e aplicada nas circunstâncias de
a esta relação como essência do propósito da crise e mudanças vivenciadas pelo indivíduo,
enfermagem. A teoria do Cuidado Transpessoal família e comunidade, partindo inicialmente do
e a teoria das Transições destacam fortemente enfermeiro(9).

Quadro 1 - Comparação entre componentes funcionais das teorias de enfermagem de Paterson e Zderad,
Parse, Watson e Meleis. Florianópolis-SC, 2014

Teoristas
Componentes
Paterson e Zderad Parse Watson Meleis
Foco Foco é a relação dialógica Foco é a orientação para O foco está nos fatores O foco é facilitar as
intersubjetiva vivenciada mudanças na prática da de cuidado a partir da transições que ocorrem
por seres humanos para enfermagem e direciona perspectiva humanística ao longo da vida, sendo
a utilização de seus as pessoas a participarem combinado com a base o conceito de transição
potenciais para estar como responsáveis do d e c o nh e cim e nt o s central para os cuidados
melhor(5). cuidar de sua saúde(9). científicos(10). de enfermagem(8).
Cliente O cliente tem a O cliente é valorizado O cliente é um
capacidade de conhecer O cliente é o elemento
em si mesmo e para si ser humano com
a si e ao seu mundo que co manda e o
mesmo para ser cuidado necessidades
interior, refletir, valorizar, principal responsável por
e auxiliado. Reflete a e s p e cí f ic a s e q u e
para vir a ser mais. suas decisões. Assim, ele
visão filosófica de um interage com o
determina as atividades
O s s ere s humanos ser completamente meio em que e s t á
q u e ir á m o di f ic a r
são considerados a integrado, e é visto envolvido, e que
em seus padrões de
partir de uma estrutura como maior e diferente possui a capacidade
vida e é orientado
existencial que se dá que a soma das de se adaptar às suas
p ela e nf e r m eir a (9) .
através de escolhas(5). partes(10). mudanças(8).
Saúde É definida como um É um proce sso de
A saúde é mais do
bem- estar e estar “vir-a-ser”, vivenciado
q u e sim p l e s m e n t e
melhor. O conceito de pelo homem e que se A saúde refere-se à
ausência de doença,
saúde pressupõe que a inter-relaciona com unidade e a harmonia
é a adapt ação e a
doença, pouco faz para o ambiente. A saúde na mente, no corpo e na
manifestação da
determinar a capacidade consiste nas experiências alma. A saúde também
consciencialização,
que se tem para a vividas. É um processo está associada com o
empoderamento e
saúde. É um processo de mudança contínua, grau de congruência
controle sobre a vida,
de encontrar sentido d e t r an s f o r maç ão, entre o ser como
e, quando ocorre o
na vida, logo, a saúde percebido por meio da percebido e o ser como
desequilíbrio desses
é experimentada no troca de energia com apresentado(10).
elementos inicia-se o
processo de envolver- as pessoas e com o
processo de transição(8).
se em cada momento(5). ambiente(9).
Ambiente Define que existem O ambiente é o
O ambiente é O ambiente permite
dois ambientes em contexto onde o
construído a par tir o desenvolvimento do
que o ser humano indivíduo se insere e
das experiências potencial enquanto a
vive. O primeiro é que pode favorecer
vividas pela pessoa. pessoa escolhe para
o interno, sendo ele para a concepção de
O ser humano está si a melhor ação em
subjetivo, onde os condições favoráveis de
no ambiente de determinado momento.
valores, as crenças e os transição, podendo ser,
maneira conjunta e Considera que o
sentimentos se originam a família, comunidade
simultânea. Relaciona ambiente de cuidado
e a reflexão permite e as condições físicas,
Homem-Vida-Saúde agradável m elhora
a percepção desses naturais e artificiais.
com ambiente, ambos o e st ado afetivo,
sentimentos e o segundo A interação com o
participam na criação facilita as interações e
é o ambiente externo, ambiente é influenciada
um do outro e que promove uma sensação
composto por objetos, por fatores internos e
evoluem juntos(9). de satisfação(10).
pessoas e coisas (5) . por fatores externos(8).

440 Cogitare Enferm. 2015 Abr/Jun; 20(2):437-42


Quadro 2 – Comparação entre os componentes funcionais das teorias de enfermagem de Paterson e Zderad,
Parse, Watson e Meleis. Florianópolis-SC, 2014

Teoristas
Componentes
Paterson e Zderad Parse Watson Meleis
Enfermagem É re sp ons ável p or
É a p r o f is s ão q u e
desenvolver o bem estar
A enfermagem é definida tem o maior contato
e atua na direção de
como uma ciência e A enfermagem é ciência com quem é afetado
auxiliar nas escolhas do
arte, fundamentada humana de pessoas e pela transição e está
enfermeiro, a partir de
nas ciências humanas experiências de saúde- preocupada com o
necessidades percebidas.
antes que nas ciências doença humanas que desenvolvimento,
O significado da
naturais e que utiliza seu são mediadas pelas p r o m o ç ão e
enfermagem como ato
conhecimento em prol transações dos cuidados recuperação dos
humano está no próprio
e a serviço das pessoas. profissionais, pessoais, índivíduos. É o agente
ato. Para entendê-lo é
A meta da enfermagem científicos, estéticos e que facilita a gerir a
necessário considerá-lo
é a q u alid a d e d e éticos(10). transição e contribuir
“existente”, um fenômeno
vida das pessoas (9) . para a manutenção e
que ocorre no mundo real
promoção da saúde(8).
das vivências humanas(5).
Interação A interação está centrada
A interação paciente-
Paciente- no estar com o outro. A in t e r aç ã o p a r t e
Na interação paciente- enfermagem é
Enfermagem O sujeito-objeto, que do principio que as
enfermagem, o organizada em torno
é possível conhecer enfermeiras promovem
enfermeiro é visto de um propósito que
uma pessoa em sua saúde quando formam
como um professor e acarreta diversas
individualidade única, relacionamentos pessoa
agente de mudanças terapêuticas de
já o sujeito-sujeito que é a pessoa, em oposição
que guia e orienta o enfermagem para
quando duas pessoas estão aos relacionamentos de
cliente e famílias (9) . promover, restaurar a
abertas entre si de forma manipulação(10).
saúde(8).
plenamente humana(5).
Problemas de Um dos problemas O problema consiste
Enfermagem apresentados por Parse Os problemas de
não apenas na expressão
seria na implicação enfermagem são
biofísica da doença,
do uso do processo visualiz ad o s como
mas também nas
de enfermagem, que sendo algo que insere
dimensões psicofísicas
A s a u t o r a s segundo ela, a prática de as estratégias de
e psicossociais, isso
problematizam a prática enfermagem é criativa e cuidado na apreensão
p o r q u e o si s t e m a
de enfermagem, por inovadora e não está presa da transição, a partir da
de cuidado prevê a
meio dos pressupostos em regras prescritivas. perspectiva de quem
criação de sistema de
da fenomenologia(5). a vivencia e propicia
O processo de valores humanístico,
a identificação das
enfermagem torna o fé e esperança,
n e c e s sidad e s p ar a
indivíduo ou família “fixos”, relacionamento de
o cuidado com essa
não sendo compatível autoconfiança, expressão
abordagem(8).
c o m s u a t e o r ia (9) . d e s e nt im e nt o s (10 ) .
Cuidados de Tratam o cuidado de
Enfermagem enfermagem como
um encontro vivido
e dialogado, onde o O cuidado de
paciente e a enfermeira se Sustentam-se em guiar A formação de valores
completam dentro deste enfermagem é o
o ser humano, chamado humanístico-altruísta,
cuidado integral e holístico. núcleo de ação dos
também como unidade cultivo da fé, esperança
A enfermagem atua no enfermeiros, sendo o
fortalecimento do bem de vida, na escolha e sensibilidade, ajuda-
processo facilitador
estar e a qualidade de vida. da s p o s sibilidad e s confiança, promoção
para transições bem
Assim, enxerga além das sobre o processo de e a aceitação da
partes. Enquanto cuidadora sucedidas, as quais
s aú d e , a t r av é s d e expressão de emoções.
tem a possibilidade de se caracterizam por
uma par ticipação A provis ão d e um
conhecer o paciente bem-estar emocional,
através do diálogo. intersubjetiva com as ambiente mental, físico,
domínio e bem-estar
Cada ato de cuidar se pessoas e famílias(9). social e espiritual(10).
relacional(8).
relaciona ao compartilhar.
Cada um participa da
situação de acordo
com seu modo de ser(5).

Cogitare Enferm. 2015 Abr/Jun; 20(2):437-42 441


CONSIDERAÇÕES FINAIS in practice and research. New York: Nacional league
for nursing press; 1995.

O conhecimento das teorias de enfermagem 7. Watson J. Art and aesthetics in nursing. New York:
consolida a enfermagem enquanto profissão Nacional lengue for nursing press; 1994.
e ciência, uma vez que a articulação destes
8. Meleis AI. Transitions Theory: Middle range and
conhecimentos teóricos e a prática profissional situation-specific theories in research and nursing
promovem um cuidado de enfermagem de practice. New York: Springer Publishing Company;
excelência(4). Construir essa reflexão comparativa 2010.
proporcionou o aprofundamento acerca dos
conceitos centrais das teorias e uma visão 9. Lins GAI, Armendaris MK, Pinho DLM, Kamada I,
Jesus CAC, Reis PED. Teoria de tornar-se humano
generalizada da relação entre os eventos do na enfermagem ecológica: aplicando o método de
núcleo das mesmas. avaliação de Meleis. Texto Contexto Enferm. [Internet]
Esta avaliação direcionou a adequação 2013;22(4) [acesso em 13 jun 2014]. Disponível: http://
dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000400037
das teorias à ação de enfermagem e para o
entendimento de como essa profissão pode 10. Chistóforo BEB, Zagonel IPS, Car valho DS.
interagir com o cliente/paciente/família no Relacionamento enfermeiro-paciente no pré-
contexto em que estão inseridos, trazendo ideias operatório: uma reflexão à luz da teoria de Joyce
de conectividade entre alguns componentes Travelbee. Cogitare enferm. [Internet] 2006;11(1)
[acesso em 19 jun 2015]. Disponível: http://dx.doi.
como ambiente, enfermagem e interação
org/10.5380/ce.v11i1.5977
paciente-enfermagem.
Portanto, as reflexões teóricas deste estudo
contribuem para avanços das ações de cuidado de
enfermagem ao paciente em diversos momentos
de sua vida, transições e/ou mudanças advindas
no processo saúde-doença. Assim, a atenção
especial ao cuidado humanizado, pautados em
teorias, facilitam o processo de compreensão e
visualização do ser humano e profissional de
enfermagem como um todo.

REFERÊNCIAS

1. Braga GC, Silva JV. Teorias de Enfermagem. 1ª ed. São


Paulo: Iátria; 2011.

2. Garcia TR, Nóbrega MML. Contribuição das teorias de


enfermagem para a construção do conhecimento da
área. Rev. Bras. Enferm. [Internet] 2004;57(2) [acesso
em 13 jun 2014]. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/
S0034-71672004000200019

3. Meleis AI. Theoretical nursing: development and


progress. 5th ed. Philadelphia: Wolters Kluwer/
Lippincont Williams & Wilkins; 2012.

4. Bousso RS, Poles K, Crus DALM. Conceitos e Teorias


na Enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP. [Internet]
2014;48(1) [acesso em 13 jun 2014]. Disponível: http://
dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000100018

5. Paterson JG, Zderad LT. Enfermería humanística.


México: Editorial Limusa; 1979.

6. Parse RR. Illuminations: The human becoming theory

442 Cogitare Enferm. 2015 Abr/Jun; 20(2):437-42