Você está na página 1de 5

Departamento de Físico-Química (DFQ) - IQ-UFRJ

Disciplina: Físico-Química Experimental (IQF-367)

Professora: Grazieli Simões

Data de realização da prática: 24/04/2017

Data de entrega do relatório: 02/05/2017

Alunos: Arthur Bernardo Flores Moreira


Felipe Praxedes

Prática 6

Título:

VERIFICAÇÃO EXPERIMENTAL DA LEI DE LAMBERT-


BEER
I) Introdução:
A capacidade que as diversas substâncias químicas têm de absorver luz em
determinados comprimentos de onda pode ser utilizada para a sua determinação
quantitativa e qualitativa, uma vez que o espectro de absorção é característico para uma
determinada substância e a quantidade de absorção (intensidade) é dependente da
concentração do composto.

A espectrofotometria pode ser conceituada como um procedimento analítico


através do qual se determina a concentração de espécies químicas mediante a absorção
de energia radiante (luz). Portanto presta-se tanto para a medida de concentração de
compostos naturalmente corados, como daqueles incolores, mas passíveis de receberem
cores mediante o emprego de certos reativos.

Neste sentido, a Lee de Lambert-Beer possui aplicabilidade clara, ao relacionar a


Absorvância de uma dada solução de um analito, com a absortividade característica de
determinado composto, bem como o caminho óptico utilizado na análise e a
concentração deste analito dentro de uma faixa de trabalho.

II) Objetivos:
O objetivo desta prática é verificar experimentalmente a lei de Lambert-Beer na
solução de Sulfato de Cromo III em um intervalo de concentrações de 0,001 a 0,01M.

III) Procedimento experimental:

Materiais:
 1 espectrofotômetro
 2 cubetas
 1 bequer para descarte
 Pipetas de 10, 15 e 20 mL
 Solução de Sulfato de Cromo III (0,01M)
 5 balões volumétricos de 25mL

Metodologia:
A partir da solução de Sulfato de Cromo III (0,01M) prepara-se uma solução
0,004M e determina-se a curva de absorção da solução de Sulfato de Cromo III
(0,004M) a fim de obter o comprimento de onda ideal onde teremos a maior
Absorvância. Mede-se então a transmitância dessa solução em diversos comprimentos
de onda, entre 440 nm e 640nm. Com os valores de trasmitância obtidos, é possível
calcular as respectivas absorvâncias e achar o comprimento onde a absorvância é maior.
Esse valor é obtido traçando um gráfico da Absorvância X comprimento de onda;

Obtido esse valor de comprimento de onda, preparam-se Soluções de Sulfato de


Cromo III com concentrações iguais a 0,008M;0,006M;0,004M;0,002M e 0,001M.

Depois de preparadas as soluções devemos medir a trasnmitância, calculando


posteriormente a absorvância, de cada solução utilizando o valor de comprimento de
onda obtido anteriormente.

Deve-se traçar então um gráfico Absorvãncia X Concentração da Solução e


verificar a lei de Lambert-Beer.

IV) Resultados e Discussão

A partir das medidas para a transmitância da solução de sulfato de cromo III


0,004M nos diferentes comprimentos de onda, obtiveram-se os resultados abaixo:

λ(µm) 440 460 480 500 520 540 560 570 580 590 600 620 640
T(%) 65,4 75,5 84,5 83,7 77,9 69,5 61,9 60,4 59,4 57,8 62,2 68,4 74,8
As 0,184 0,122 0,073 0,077 0,108 0,158 0,208 0,219 0,226 0,238 0,206 0,165 0,126

Onde :

T= Transmitância

As = Absorvância (calculada por –log(T))

Observando os dados da tabela, é possível verificar que no comprimento de onda


de 590 nm, foi verificado o menor valor de transmitância e maior valor de absorvância,
o que indica que neste comprimento de onda as variações na concentração da solução de
sulfato de cromo serão acompanhas por maiores variações das medidas analíticas de
transmitância, o que concederá uma precisão analítica maior.

Os resultados das medidas das transmitância (e cálculo da absorvância) para as


demais soluções de diferentes concentrações, segue abaixo:
Solução n° Concentração (M) T(%) Absorvância (As)
1 0,001 86,7 0,062
2 0,002 76,9 0,114
3 0,004 57,8 0,238
4 0,006 49,5 0,305
5 0,008 38,5 0,415
6 0,01 30,5 0,516

Os gráficos do espectro de absorção nos diferentes comprimentos de onda para o


sulfato de cromo III, bem como a curva padrão com as concentrações da tabela acima
seguem em anexo ao fim do relatório.

Relacionando os pontos dos valores de concentração com os valores de


absorvância calculados, é possível verificar que existe uma relação linear entre eles e
que obedece a equação abaixo:

As = 49,7589 x M + 0,01791

R2=0,996

V.1 – Discussão dos resultados obtidos e cálculo da absortividade

A lei de Lambert-Beer pode ser expressa matematicamente pela relação: T= 10-a . b . x

Onde:

T= Transmitância

a= Constante

b= Caminho óptico (comprimento que o feixe de luz atravessa dentro da a solução)

De forma equivalente, podemos afirmar que:

Absorvância = a . b . x

Podemos observar pela equação acima que o produto a.b será igual ao
coeficiente angular do gráfico de concentração versus absorvância.

Para obter o valor da absortividade molar, será necessário então, dividir o valor
do coeficiente angular obtido, pelo caminho óptico da solução durante a análise.
Que será aproximado pelo comprimento da cubeta utilizada no espectrofotômetro
(10mm).
Como sabemos que o coeficiente angular do gráfico possui unidades de (mol/L)-1 pois a
absorvância é um valor admensional, temos então que:

Absortividade molar =

Que é, portanto, o valor da absortividade molar da solução de sulfato de cromo


III.

VI) Conclusão
Podemos concluir então que a solução de Sulfato de Cromo III segue a Lei de
Lambert-Beer no intervalo de concentrações de 0,001M até 0,01M, possuindo um ponto
de máxima absorção do seu comprimento de onda em 590nm, de acordo com os testes
feitos durante o experimento.

VII) Referências
Baccan, N.; de Andrade, J. C.; Godinho, O. E. S.; Barone, J. S. Química
Analítica Quantitativa Elementar, Edgard Blücher LTDA, São Paulo, 1979.

Você também pode gostar