Você está na página 1de 27

AVALIAÇÃO DE FORMAÇÕES / 1EPG38A1

1. Equação da Difusividade

2. Variáveis Adimensionais

3. Forma Adimensional da Equação da Difusividade

4. Solução para Equação de Difusividade Adimensional

5. Solução para Pressão no Poço / Reservatório Infinito

6. Solução para Pressão no Poço / Reservatório Finito

7. Raio de Investigação

8. Tempo de Estabilização
Equação da Difusividade
Equação da Difusividade:
𝜕 1 a) Condição de contorno interna:
𝜙 𝜌 = 𝛻 ∙ 𝜌 𝜅 𝛿 𝛻p
𝜕𝑡 𝜇 2 𝜋 𝜅 ℎ 𝑟 𝜕𝑝
𝑞=
Aplicando-se a solução para fluxo radial: 𝐵𝜇 𝜕𝑟

1 𝜕 𝜕𝑝 𝜙 𝜇 𝑐 𝜕𝑝 Especificando-se a vazão do poço (r=rw):


𝑟 =
𝑟 𝜕𝑟 𝜕𝑟 𝜅 𝜕𝑡 𝜕𝑝 𝑞𝐵𝜇
= 𝑡>0
𝑜𝑛𝑑𝑒: 𝜕𝑟 𝑟=𝑟𝑤
2𝜋𝜅ℎ𝑟 𝑟=𝑟𝑤

𝜅 𝜕𝑝
= difusividade hidráulica Ou seja, especificar-se a vazão significa especificar-se :
𝜕𝑟
𝜙𝜇𝑐
Equação da Difusividade

b) Condição de contorno externa:


lim 𝑝 = 𝑝𝑖 𝑡≥0
𝑟→∞

c) Condição inicial:
𝑝 𝑡 = 0, 𝑟 = 𝑝𝑖
Variáveis Adimensionais

𝑟 𝑞𝜇𝐵
𝑟𝐷 = 𝑞𝐷 =
𝑟𝑤 2 𝜋 𝑝𝑖 𝜅 ℎ
𝑜𝑛𝑑𝑒: 𝑜𝑛𝑑𝑒:
𝑟𝐷 = raio adimensional 𝑞𝐷 = vazão adimensional
𝑟 = raio (qualquer distância do poço − linha de centro do mesmo) 𝑞 = vazão
𝑟𝑤 = raio do poço 𝜇 = viscosidade
𝐵 = fator volume de formação
qD > 0
𝑝𝑖 = pressão inicial
(depleção)
r 𝜅 = permeabilidade
qD = 0
q=0 ℎ = espessura
rw
qD < 0
(pressurização)
Variáveis Adimensionais
𝑝𝑖 − 𝑝 𝜅𝑡
Δ𝑝𝐷′ = 𝑡𝐷 =
𝑝𝑖 𝜙 𝜇 𝑐 𝑟𝑤2
𝑜𝑛𝑑𝑒: 𝑜𝑛𝑑𝑒:
Δ𝑝𝐷′ = queda de pressão "provisória ou temporária" adimensional 𝑡𝐷 = tempo adimensional
𝑝 = pressão 𝜇 = viscosidade
𝑝𝑖 = pressão inicial 𝑐 = compressibilidade
𝑡 = tempo
DpD’ > 0 𝜅 = permeabilidade
( depleção ) DpD’ = 0 𝜙 = porosidade
( p = pi )
𝑝𝑖 𝑟𝑤 = raio do poço
Δ𝑝𝐷′ Δ𝑝 2 𝜋 𝜅 ℎ Δ𝑝
Δ𝑝𝐷 = = =
𝑞𝐷 𝑝𝑖 𝑞𝐷 𝑞𝜇𝐵 DpD’ < 0
𝑜𝑛𝑑𝑒: ( pressurização )
Δ𝑝𝐷 = queda de pressão adimensional
Assim, DpD ≥ 0
Δ𝑝 = 𝑝𝑖 − 𝑝 = queda de pressão
( sempre! )
Forma Adimensional da Equação de Difusividade

Assim, a equação de difusividade reduz-se à forma adimensional a seguir:


1 𝜕 𝜕Δ𝑝𝐷 𝜕Δ𝑝𝐷
𝑟 =
𝑟𝐷 𝜕𝑟𝐷 𝐷 𝜕𝑟𝐷 𝜕𝑡𝐷
Forma Adimensional da Equação de Difusividade
Forma Adimensional da Equação de Difusividade

Assim, por exemplo, a


expressão de qD para fluxo radial-
cilíndrico de líquido para
unidades de campo será:
𝐵 𝑞𝑆𝐶 𝜇
𝑞𝐷 = 141,2
𝜅 ℎ 𝑝𝑖
Forma Adimensional da Equação de Difusividade
Solução para Equação de Difusividade Adimensional
A equação da difusividade na forma adimensional do fluxo radial-cilíndrico,

1 𝜕 𝜕Δ𝑝𝐷 𝜕Δ𝑝𝐷
𝑟𝐷 =
𝑟𝐷 𝜕𝑟𝐷 𝜕𝑟𝐷 𝜕𝑡𝐷

Em geral, a partir de problemas de fluxo radial-cilíndrico com vazão especificada


no poço são obtidas soluções para três tipos de condição de contorno externa:
 Reservatório infinito;
 Reservatório circular finito, sem fluxo na fronteira externa (reservatório
volumétrico);
 Reservatório circular finito com pressão constante na fronteira externa
(manutenção de pressão através de aquífero).
Solução para Equação de Difusividade Adimensional
Soluções para reservatórios com fronteiras
regulares (por exemplo: retangular,
poligonal, etc.) → solução de reservatórios
infinitos → princípio da superposição no
espaço.

Testes de pressão em poços → fluxo circular


(radial-cilíndrico), infinito, com especificação
de vazão constante → suficiente na maioria
dos casos.

Variação de vazão durante teste → solução


pode ser obtida através do princípio da
superposição no tempo.
Solução para Equação de Difusividade Adimensional
Quando aplicadas as condições de contorno e inicial descritas anteriormente –
reservatório infinito, pressão inicial pi e vazão de poço especificada – possui a seguinte
solução:

1 𝑟𝐷2 1 𝜙 𝜇 𝑐 𝑟2 1
Δ𝑝𝐷 = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 −𝑋
2 4 𝑡𝐷 2 4𝜆𝑘𝑡 2
onde:
𝑋 −𝜉
𝑒
𝐸𝑖 −𝑋 = 𝑑𝜉 = função exponencial integral
∞ 𝜉
𝑟𝐷2 𝜙 𝜇 𝑐 𝑟2
𝑋= = com 𝜆 obtido na tabela 2−4.
4 𝑡𝐷 4𝜆𝑘𝑡
𝑋2 1 𝑋3 1 𝑋4 1 −𝑋 𝑛
1
𝐸𝑖 −𝑋 = ln 1,781 𝑋 − 𝑋 + − + − ⋯+ +⋯
2 2! 3 3! 4 4! 𝑛 𝑛!
∞ 𝑛
−𝑋 1 Repare que:
𝐸𝑖 −𝑋 = ln 1,781 𝑋 +
𝑛 𝑛! 𝐸𝑖 −𝑋 = ln 1,781 𝑋 para 𝑋 < 0,01
𝑛=1
𝐸𝑖 −𝑋 = 0 para 𝑋 > 5
Solução para Equação de Difusividade Adimensional
Solução para Equação de Difusividade Adimensional

Assim, por exemplo, da figura


2-6 obtemos:
𝐸𝑖 −0,2 = −1,25
Enquanto que o uso da tabela
acima obtemos:
𝐸𝑖 −0,2 = −1,223

No Excel (Office):
𝐸𝑖 𝑋 = 𝐸𝑋𝑃𝐼𝑁𝑇(𝑋)
Tente!!!
Solução para Equação de Difusividade Adimensional

Solução para Reservatório Infinito:


Input: rD e tD
Output: DpD

Nos problemas relacionados aos testes de pressão de poço, o rD de interesse vale 1 (r = rw). Assim, definindo-se Pt:

1 1 1
𝑃𝑡 = Δ𝑝𝐷 = − 𝐸𝑖 − = ln 𝑡𝐷 + 0,809 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑡𝐷 > 25
poço 2 4 𝑡𝐷 2
Solução para Equação de Difusividade Adimensional
Exemplo: um poço / reservatório com as características abaixo produz somente óleo a uma taxa
constante de 20 STB/D durante um teste de pressão. Calcule as pressões no poço, 1, 10 e 100 ft de
distância (linha de centro do poço) após 3 horas de fluxo. Obs.: considerar que durante o período de
teste, as fronteiras externas do reservatório não foram atingidas e que o fluxo é radial-cilíndrico.

Solução: calcula-se o tempo adimensional para o escoamento de líquido em unidades de campo a partir das
tabelas 2-3, 2-4 e 2-5:
𝜅𝑡 0,1 𝑚𝐷 3 ℎ
𝑡𝐷 = 2,637𝑥10−4 2
= 2,637𝑥10−4 = 127,392
𝜙 𝜇 𝑐 𝑟𝑤 0,23 0,72 𝑐𝑃 1,5𝑥10−5 𝑝𝑠𝑖 −1 0,5 𝑓𝑡 2

𝑞𝜇𝐵 20 𝑆𝑇𝐵/𝐷 0,72 𝑐𝑃 1,475 𝑏𝑏𝑙/𝑆𝑇𝐵


𝑞𝐷 = 141,2 = 141,2 = 0,0666464
𝑝𝑖 𝜅 ℎ 3000 𝑝𝑠𝑖 0,1 𝑚𝐷 150 𝑓𝑡
Solução para Equação de Difusividade Adimensional

a) No poço:
1 1 1
𝑃𝑡 = Δ𝑝𝐷 = − 𝐸𝑖 − = ln 𝑡𝐷 + 0,809 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑡𝐷 > 25
poço 2 4 𝑡𝐷 2
1 1
𝑃𝑡 = ln 𝑡𝐷 + 0,809 = ln 127,392 + 0,809 = 2,828
2 2
𝑝𝑖 − 𝑝
Δ𝑝𝐷 = → 𝑝 = 𝑝𝑖 − 𝑝𝑖 𝑞𝐷 Δ𝑝𝐷 = 3000 𝑝𝑠𝑖 − 3000 𝑝𝑠𝑖 0,0666464 2,828 = 2434,5 𝑝𝑠𝑖
𝑝𝑖 𝑞𝐷

b) Para um raio de 1 ft de distância:


𝑟 1
𝑟𝐷 = = =2
𝑟𝑤 0,5
1 𝑟𝐷2 1 2 2 1 1
Δ𝑝𝐷 = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 −0,007849786 = − −4,259 = 2,1295
2 4 𝑡𝐷 2 4 127,392 2 2
𝑝𝑖 − 𝑝
Δ𝑝𝐷 = → 𝑝 = 𝑝𝑖 − 𝑝𝑖 𝑞𝐷 Δ𝑝𝐷 = 3000 𝑝𝑠𝑖 − 3000 𝑝𝑠𝑖 0,0666464 2,1295 = 2574 𝑝𝑠𝑖
𝑝𝑖 𝑞𝐷
Solução para Equação de Difusividade Adimensional

c) Para um raio de 10 ft de distância:


𝑟 10
𝑟𝐷 = = = 20
𝑟𝑤 0,5
1 𝑟𝐷2 1 20 2 1 1
Δ𝑝𝐷 = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 −0,784978649 = − −0,322 = 0,161
2 4 𝑡𝐷 2 4 127,392 2 2
𝑝𝑖 − 𝑝
Δ𝑝𝐷 = → 𝑝 = 𝑝𝑖 − 𝑝𝑖 𝑞𝐷 Δ𝑝𝐷 = 3000 𝑝𝑠𝑖 − 3000 𝑝𝑠𝑖 0,0666464 0,161 = 2968 𝑝𝑠𝑖
𝑝𝑖 𝑞𝐷

d) Para um raio de 100 ft de distância:


𝑟 100
𝑟𝐷 = = = 200
𝑟𝑤 0,5
1 𝑟𝐷2 1 200 2 1 1
Δ𝑝𝐷 = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 − = − 𝐸𝑖 −78,4978 = − 0 = 0
2 4 𝑡𝐷 2 4 127,392 2 2
𝑝𝑖 − 𝑝
Δ𝑝𝐷 = → 𝑝 = 𝑝𝑖 − 𝑝𝑖 𝑞𝐷 Δ𝑝𝐷 = 3000 𝑝𝑠𝑖 − 3000 𝑝𝑠𝑖 0,0666464 0 = 3000 𝑝𝑠𝑖
𝑝𝑖 𝑞𝐷
Solução para Pressão no Poço / Reservatório Infinito
Soluções para pressão no poço com fluxo radial-cilíndrico, reservatório
finito com poço produzindo à vazão constante

Conforme visto anteriormente, a solução da pressão no poço para


reservatório infinito é:

1 1 1
𝑃𝑡 = Δ𝑝𝐷 poço = − 𝐸𝑖 − = ln 𝑡𝐷 + 0,809 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑡𝐷 > 25
2 4 𝑡𝐷 2
Solução para Pressão no Poço / Reservatório Finito

Para o caso de reservatórios Reservatório finito com Pressão constante na


finitos, definindo-se o raio de fronteira externa (suporte de aquífero):
drenagem efetiva:
𝑃𝑡 = ln 𝑟𝑒 𝐷
𝑟𝑒
𝑟𝑒𝐷 = Reservatório finito sem fluxo na fronteira
𝑟𝑤
externa (reservatório volumétrico):
onde:
𝑟𝑒𝐷 = raio efetivo de drenagem (adimensional) 2 𝑡𝐷 3
𝑟𝑒 = raio externo 𝑃𝑡 = 2 + ln 𝑟𝑒 𝐷 −
𝑟𝑒 𝐷 4
𝑟𝑤 = raio do poço

MUITO IMPORTANTE: Repare que os valores de Pt são os valores da pressão diferencial adimensional no poço
após o mesmo “sentir” os efeitos da fronteira externa. Como deveria ser esperado, o regime de pressão constante na
fronteira mantem o diferencial de pressão constante, independente do tempo, ao contrário do reservatório com
depleção volumétrica (sem fluxo na fronteira). Então, até que o poço não “sinta” a fronteira externa, Pt será a de um
reservatório infinito.
Solução para Pressão no Poço / Reservatório Finito
Repare que:
 Até um determinado tempo → qualquer tipo de condição de contorno
externa → solução de Pt → idêntica à solução para reservatório infinito;
 Para tempos tardios → escolhemos as soluções acima de acordo com o tipo
de condição de contorno externa.

Soluções para os
tempos t1, t2 e t3
independem da
condição de contorno
externa. A partir de t3,
a solução depende da
condição externa.
Solução para Pressão no Poço / Reservatório Finito
a) RES infinito → reta no gráfico log-
log (𝑟𝑒𝐷 = ∞) corresponde à
solução da pressão no poço;
b) RES finito pressão constante na
fronteira externa → as entradas do
gráfico log-log são o tempo
adimensional (tD) e raio efetivo de
drenagem (𝑟𝑒𝐷 ), que são as curvas
abaixo da reta correspondente à
solução infinita;
c) RES finito sem fluxo na fronteira
externa: as entradas do gráfico log-
log são o tempo adimensional (tD) e
raio efetivo de drenagem (𝑟𝑒𝐷 ), que
são as curvas acima da reta
correspondente à solução infinita;
Raio de Investigação

Se fecharmos o poço por um período


infinitamente longo, a pressão estabilizada é chamada
de pressão média do reservatório (𝑝𝑅 ), então: 𝑝𝑖 −
𝑝𝑅 é uma medida da depleção do reservatório.
Quando em fluxo, a pressão média do reservatório é
definida como a pressão num ponto distante rd do
poço. Pode-se demonstrar matematicamente que o
raio de drenagem (rd) vale:
𝑟𝑑 = 0,472 𝑟𝑒
Agora, trazendo para discussão a definição de raio
de investigação (rinv), o gráfico com as soluções da
equação de difusividade para fluxo radial, homogêneo
e isotrópico - reservatório infinito, finito sem fluxo na
fronteira externa e finito com pressão constante na
borda externa – mostra pontos de partida, onde as 2
soluções de reservatórios finitos começam a desviar-se
da solução para reservatório infinito:
Raio de Investigação

1
𝑃𝑡 = ln 𝑡𝐷 + 0,809
2

𝑃𝑡 = ln 𝑟𝑒 𝐷

2
𝑡𝐷 = 𝑟𝑒 𝐷
(departure time)
2 𝑡𝐷 3
𝑃𝑡 = + ln 𝑟𝑒𝐷 −
𝑟𝑒 2𝐷 4
Raio de Investigação
Então, deve-se seguir o protocolo abaixo para o cálculo de Pt de reservatório finito:
 Reservatório finito com manutenção de pressão:
1
1. Calcular Pt para reservatório infinito: 𝑃𝑡 = 2 ln 𝑡𝐷 + 0,809

2. Calcular Pt para reservatório finito com pressão constante na fronteira externa (suporte
de aquífero): 𝑃𝑡 = ln 𝑟𝑒 𝐷

3. Assumir o Pt para reservatório infinito quando tD < tD, departure. Assumir o Pt para
reservatório finito quando tD > tD, departure
 Reservatório finito sem fluxo na fronteira externa
1
1. Calcular Pt para reservatório infinito: 𝑃𝑡 = 2 ln 𝑡𝐷 + 0,809

2. Calcular Pt para reservatório finito sem fluxo na fronteira externa (reservatório


2 𝑡𝐷 3
volumétrico): 𝑃𝑡 = + ln 𝑟𝑒 𝐷 − 4
𝑟𝑒 2𝐷

3. Assumir o Pt para reservatório infinito quando tD < tD, departure. Assumir o Pt para
reservatório finito quando tD > tD, departure
Tempo de Estabilização
Então, o tempo adimensional que representa o tempo
quando as soluções começam a desviar-se vale:
2
2
𝑟𝑒
𝑡𝑑 = 0,25 𝑟𝑒𝐷 = 0,25
𝑟𝑤
Repare que nesta discussão (investigação dos limites
do reservatório), re significa raio de investigação e não raio
externo! Por exemplo, se há a suspeita de uma falha
selante a uma distância de 1000 ft, deve-se garantir que o
tempo de teste será maior que o necessário para rinv = 1000
ft.
Agora, considere um reservatório sem fluxo na borda
externa (reservatório volumétrico). O tempo necessário
para que a pressão do poço seja estabilizada:
Tempo de Estabilização
Fisicamente → tempo de estabilização → tempo necessário para que todo
ponto do reservatório sinta a influência do poço → regime “pseudo-permanente”.
𝜕𝑝𝑡 𝜕𝑝𝑡
=
𝜕𝑡𝐷 reservatório infinito 𝜕𝑡𝐷 reservatório finito sem fluxo externo

𝜕 1 𝜕 2 𝑡𝐷 3
− ln 𝑡𝐷 + 0,80907 = 2 + ln 𝑟𝑒𝐷 −
𝜕𝑡𝐷 2 𝜕𝑡𝐷 𝑟𝑒𝐷 4

1 2
= 2
2 𝑡𝐷 𝑟𝑒𝐷

1 𝜙 𝜇 𝑐 𝑟𝑒2
Assim, 𝑡𝑆 =
4 𝜆𝜅

Você também pode gostar