Você está na página 1de 2

ARTE LITERÁRIA

Prof: Hudson

Aluno : João Marcus Jardim Fernandes

1 - Explique o que signifique dizer que a arte, diferentemente do utensílio, possui uma
finalidade em si mesmo.

R: Pois o utensílo, como o próprio nome já diz, é utilizado para algum fim específico e prático,
por exemplo um prato, um copo. Por mais que contenham algum conteúdo “artísticos” nele,
são apenas decorativos, seu papel não é o mesmo de uma obra de arte. A arte, diferente do
utensílio, é o que é. Através do objeto artístico, existe uma finalidade, uma intenção de ser.
Por exemplo, Marcel Duchamp, um dos artistas que participou do movimento Dadaísta,
utilizou um Urinol como uma peça artística, batizada como “fonte”.

A arte em si deriva de uma intenção, uma finalidade, nem que seja a arte pela arte.

2 - Que relações se podem estabelecer entre literatura e cultura?

Pois a arte é uma espécie de expressão do que é a existência humana, expressão essa que
transcreve através de suas obras a própria cultura de um povo, a registra para o futuro, e nos
mostra novos caminhos e novas possibilidades. A arte literária não está apenas conectada com
a cultura, ela faz parte dela em um fluxo criativo que as intercala.

3 - Por que o conceito de literariedade é importante para o conceito strictu sensu de


literatura?

Pois a literariedade é, segundo minha interpretação, uma figuração do que é a realidade, ou


então, do que poderia ser a realidade, por isso, a literatura no conceito strictu sensu não
possui a mesma finalidade que a lattus sensus, pois sua finalidade é outra, é trabalhar nos
reinos da criatividade, da imaginação e das possibilidades da existência humana.

4 - Como a “Máthesis” literária se distingue do conhecimento científico?

Pois o “saber” em literatura, em strictu sensu, não possui um compromisso com a realidade,
sendo assim, não existe algo que se encaixa em uma ciência exata.-

1) Explique as transformações do conceito de crítica ao longo da história e


apresente as características atuais da critica.
No século 19 a crítica literária se baseava no conceito simples de se ter o
conhecimento da literatura. Através do século 20 a crítica foi se tornando mais
enfatizada na performance do autor, no estilo de escrita e críticas sobre o conceito
do conteúdo abordado na obra.
2) Realize uma breve crítica literária do poema a seguir. Percorra ao menos as
etapas da interpretação e da análise.

AUTOPSICOGRAFIA (Fernando Pessoa)


O poeta é um fingidor
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

Através do trocadilho fala sobre o quanto o poeta cria figuras em sua arte que podem ser
tão abstratas quanto reais.

E os que lêem o que escreve,


Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

Aqui o poeta descreve a poesia que ele escreve, parte da dor que ele sente ou finge sentir,
como algo que o leitor não compreende da mesma forma que ele expressou. Não por não
conseguir entender, e sim por ser uma outra visão da obra, sem ser a do autor. [

E assim nas calhas de roda


Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Mais uma vez o poeta relatando que aquilo que ele sente é a engrenagem que faz
sua arte se movimentar.