Você está na página 1de 29

CERÔMERO

Resina Fotopolimerizável

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


O QUE É?
Durante muito tempo, o material estético mais utilizado na
confecção de peças protéticas foi a resina acrílica quimicamente
ativada, porem sua resistência à abrasão e compressão deixavam
um pouco a desejar.
Para melhorar esse fator, estudou-se adicionar partículas
inorgânicas em sua matriz orgânica, fazendo com isso uma resina
composta, porém essas partículas não se aderiam naturalmente e
soltavam-se. BOWEN é considerado o pai da resina composta,
pois desenvolveu um meio de adesão das partículas inorgânicas à
matriz, tratando-as com vinil silano, o que permite sua adesão.
Fotopolimerizador é um aparelho de luz no espectro azul com
comprimento de onda de aproximadamente 670 nanômetro que
ativa o bis-gma ( bisfenol glicidil metacrilato ) da resina
endurecendo-as.
OU SEJA; resina composta que polimeriza com luz.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


COMPOSIÇÃO

• Matriz Orgânica
• Matriz Inorgânica
• Ativadores e iniciadores de polimerização
• Inibidores de polimerização
• Pigmentos, opacificadores

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


MATRIZ ORGÂNICA

 Constituída por monômeros

 BIS-GMA ( bisfenol glicidil metacrilato ) mais


utilizado.

 UDMA (uretano dimetacrilato)

Que nomeamos como corpo da resina composta .

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


MATRIZ INORGÂNICA

 Promove estabilidade dimensional à matriz resinosa.


 Melhora as propriedades
 menos absorção de água
 aumento a resistência à tradição, compressão e abrasão
 Partículas inorgânicas de carga:
 quartzo ou vidro
 Sílica coloidal
 Bário
 Estrôncio

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


AGENTES INICIADORES E ATIVADORES

 Agentes químicos que excitados dão inicio ao processo


de polimerização

 Nos sistemas quimicamente ativados o peroxido de


benzoila é o agente iniciador ativado por uma amina
terciaria

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


AGENTES INICIADORES E ATIVADORES

 Sistemas fotopolimerizáveis

 O ativador é a luz halógena ou o LED

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


INIBIDORES DE POLIMERIZAÇÃO

 Acrescenta-se hidroquinona para que não haja


fotopolimerização prematura

 A ação da luz, temperatura e tempo podem causar a


polimerização espontânea da matriz orgânica,
diminuindo suas propriedades.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


PIGMENTOS

 Essenciais para mimetização que proporciona as


cores estruturais

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


CLASSIFICAÇÕES PELO TAMANHO DA PARTÍCULA

 Macropartículas
 Microparticulas
 Híbridas
 Micro-híbidas
 Nanoparticuladas
 Nanohíbridas

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


MACROPARTÍCULAS
 Partículas de 15 a 100 micrômeros.
 Contém geralmente entre 70 a 80% em peso de
carga inorgânica (50 a 60% de volume).
Alta resistência mecânica.
Alta rugosidade superficial.
 Péssimo polimento.
 Alto grau de manchamento.
 Radiopacidade menor que a da dentina.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


MICROPARTÍCULAS

 Partículas de 0,01 a 0,06 micrômetros.


 Média de 0,04 µm (micrometros) Alto grau de
polimento e a manutenção do mesmo.
 Baixa resistência mecânica.
 Grande quantidade de matriz orgânica.
 Alto grau de absorção de pigmentos.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


HÍBRIDAS

Partículas entre 0,6 a 3,0 micrômeros.


 Maior resistência mecânica.
 Relativo polimento superficial.
Dificuldade de oferecer e de manter polimento

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


MICROHÍBRIDAS

Partículas de 0,4 a 1,0 micrômetros.


Média de 0,6 µm
 Maior capacidade de manutenção de polimento
que as híbridas.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


NANOPARTICULADAS

Partículas de aproximadamente 5 a 70
nanômetros.
 Excelente polimento, lisura superficial e
manutenção do brilho.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


NANOHÍBRIDAS

Partículas entre 0,04 e 3,0 μm.


Resultado da inclusão de nanopartículas em
resina microhíbrida.
Características muito próximas às resinas
microhíbridas.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


QUANTO A SUA COR

As resinas sofrem variação de cor num período


de 2 a 5 anos.
O manchamento superficial está relacionado
com a penetração de corantes existentes nos
alimentos, bebidas, fumo, etc.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


FOTOPOLIMERIZADORES
 Ativadas por Luz Ultra Violeta
A primeira a surgir no mercado com finalidade restauradora foi
a "NUVA-fil", polimerizada por irradiação ultravioleta produzida
por uma fonte de luz NUVA-Lite a qual emitia uma radiação
luminosa na faixa de 320 a 365nm. Este sistema ganhou
aceitação imediata devido a vantagens como controle do
tempo de trabalho, redução da porosidade e melhor
estabilidade de cor. Entretanto, tais propriedades não
garantiram sua permanência no mercado pelos maleficios
causados pela radiação ultravioleta

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


 Ativadas por Luz Visível
Muito usada, principalmente pelo C.D. utiliza um comprimento de onda que polimeriza a
resina (Luz Azul), o comprimento de onda deve ser de 360 a 500nm.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


 Ativadas por Luz Xenon Estroboscópica
Utiliza também um comprimento de onda para polimerizar.
Ex: Forno Unixs – Sistema Kulzer – Power Lux

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


 Ativadas por Luz Dicróica.
Utiliza também comprimento de onda.
Ex: Forno Edg Lux

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


CUIDADOS NA APLICAÇÃO

Local de aplicação deve estar o mais limpo


possível
Não se deve espatular em excesso a resina, pois
possui partículas de vidro, e também pode
ocasionar bolhas
Aplicar por pequenas camadas fotopolimerizando
por mais ou menos 30 segundos e ao final 2
minutos
As camadas não devem ser superior a 1,5 mm
PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES
FIBRA
 Material utilizado para melhorar as características de
resistência dos cerômeros e resinas. Pode ser de vidro ou
carbono indicada para estrutura sem metal unitária ou fixas
com pôntico.
 Ex.: Vectús, Ribond, Connect, Angelus etc.
 Obs.: a fibra não pode ficar exposta, pois absorve liquido, o
que, pode prejudicar suas propriedades!

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


COR NATURAL DOS DENTES
Escala vita

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


PODE SER DIVIDIDA EM MATIZ, CROMA E VALOR.

Sendo a matiz a cor dominante do dente e está


relacionada à dentina, estas cores estão dentro do que
é a luz visível ao olho humano, as matizes podem ser
observadas no arco iris por exemplo ( vermelho,
verde, amarelo, azul, etc…).
Na escala é representada pelas letras A,B,C,D
A corresponde ao marrom, B ao amarelo, C ao cinza e
D vermelho

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


O croma é o grau de saturação do matiz, ou
seja, quanto mais intensa a cor mais croma
possui, esta característica esta relacionada
tanto ao esmalte quanto a dentina.
É representada na escala vita pelos números
1, 2, 3, (3,5), 4

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


O valor ou luminosidade é considerada a
quantidade de branco e cinza que a matiz
possui. Sendo observadas em zonas mais
luminosas ou de bastante translucidez no
dente natural estas regiões normalmente
apresentam uma grande quantidade de
esmalte.
 Representado pelo esmalte
Em resina foto e cerâmica é pré-determinado
qual esmalte será usado com a respectiva
dentina
PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES
Opalescência, translucidez e caracterizações,
são elementos importantes, porém não
possuem uma escala.

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES


APLICAÇÕES
• INLAYS E ONLAYS
• COROAS TOTAIS
• FACETAS LAMINADAS
• ADESIVAS
• PONTES FIXAS

PROFESSOR: RENATO MAGALHÃES