Você está na página 1de 3

Físico-química 11 ano

Movimento Retilíneo de queda livre


O movimento retilíneo de queda livre junto á superfície da Terra, que ocorre quando a resistência
do ar é desprezável.
A resultante das forças é o peso do corpo, ⃗𝑷
⃗ , e a correspondente aceleração é a aceleração
⃗⃗ .
gravítica, 𝒈
Como a aceleração é praticamente constante, o movimento é uniformemente variado:
uniformemente acelerado se o corpo desce e uniformemente retardado se o corpo sobe.

Como a aceleração gravítica é constante, o gráfico velocidade-tempo tem de ser uma linha reta
para que o declive das retas tangente, em cada instante, seja constante e igual á componente
escalar da aceleração gravítica.
Queda livre de um corpo á superfície da Terra:
- só atua o peso (a resistência do ar é desprezável);
- a aceleração é constante e igual a⃗⃗⃗𝑔 (g= 10 ms-2);
- Movimento é uniformemente variado;

Fig1: Gráficos velocidade-tempo para um


corpo em queda livre, quando cai
verticalmente, para as orientações
descendentes e ascendentes do eixo dos yy.

Fig2: Gráficos velocidade-tempo para um


corpo em queda livre, quando é lançado
verticalmente para cima, para as orientações
descendentes e ascendentes do eixo yy.

A forma retilínea dos gráficos anteriores


significa que se escreve a componentes escalar da velocidade, Vy, em função do tempo, t, como a
equação de uma reta. Esta é chamada equação das velocidades:

Vy = V0y + ay t com ay= g eixo dos yy no sentido descendente ( y)

ay= -g eixo dos yy no sentido ascendente ( y)

Y= b +mx
Movimento retilíneo uniformemente variado
A A equação das velocidades deduzida para a queda livre é válida para todos os movimentos
2

uniformemente variados, escrevendo-se na forma simplificada:

Equação das velocidades:

V(t): V0+at
Em que v, v0 e a são componentes escalares na direção do movimento, podendo ter valores
positivos ou negativos. Sendo a equação das velocidades do primeiro grau em t, demonstra-se que
a equação das posições, ou lei do movimento, é do segundo grau em t:
1
X(t): X0+ V0t + 2 a t2
Em que x,x0 e a são componentes escalares, podendo ter valores positivos ou negativos.
As duas equações anteriores são chamadas equações do movimento. Ficam completamente
definidas dando a aceleração, a, e as chamadas condições inicias: a posição inicial, X 0, e a
velocidade, V0.
As equações indicam o gráfico X(t) é uma parábola e que o gráfico V(t) é uma reta cujas formas
dependem de X0, V0 e a;
Tempo de queda: é independente da massa dos corpos numa queda livre com as mesmas
condições iniciais (os corpos demoram o mesmo tempo a cair).
Movimento retilíneo de queda com resistência do ar apreciável p. 82 e 83 e 84

Movimento retilíneo uniforme

No movimento do paraquedista ou noutro em que se atinja uma velocidade terminal- como no


caso das gotas de chuva ou do balão- o movimento passa a ser retilíneo e uniforme.
Neste movimento a velocidade é constante, pelo que o gráfico velocidade-tempo é uma reta
horizontal. O gráfico posição-tempo tem de ser uma reta com declive constante, uma vez que o
declive é a componente escalar da velocidade.
As equações do movimento retilíneo uniforme podem obter-se a partir das equações do
movimento retilíneo uniformemente variado tendo conta que a aceleração é nula:

V(t) = V0 + at se a =0 V(t) = V0

1
X(t) = X0+ V0t + at2
2
se a= 0 X(t) = X0+ V0t ou X(t) = X0 + vt

Posição:
Declive não nulo

Velocidade: reta horizontal