Você está na página 1de 23

EXERCÍCIOS COM221 – ENGENHARIA DE SOFTWARE II

UNIDADE l-A:

1. Por que Software é um meio de Armazenamento de Conhecimento?


O software é um meio de armazenamento de conhecimento, porque produzir um novo
software é um processo em que se conquista conhecimento. Fazendo assim com que o
conhecimento se torne ativo.

2. Comente a afirmativa: “Desenvolvedores de software dominam sua profissão e não


cometem erros técnicos”
Porque, quando um desenvolvedor de software comete um erro, na maioria das vezes esse
defeito está associado a incapacidade de adquirir o conhecimento sobre o que está tentando
armazenar no software.

3. Relacione as 5 Ordens de Ignorância.


As 5 ordens de ignorância têm como objetivo reconhecer o nível de ignorância que uma
pessoa tem em relação a um determinado conhecimento existente. Essas cinco ordens afetam todos
os mortais comuns.

4. Descreva a Ordem 0 (0OI) de Ignorância


A ordem 0 é a ausência de ignorância. É quando uma pessoa tem a resposta para o seu
problema, sabe o que e como fazer, conhece e incorpora ao software. É o nível desejado de
ignorância. É impossível estar no nível 0 para todo tipo de conhecimento existente.

5. Descreva a Ordem 1 (1OI) de Ignorância


A ordem 1 é a falta de conhecimento. A pessoa sabe o que não sabe, ou seja, possui uma
ignorância básica em relação a algum assunto. Sendo assim, essa pessoa tem a pergunta certa para
encontrar a resposta que deseja, além de conhecer as variáveis envolvidas mas não conhecer os seus
valores.

6. Descreva a Ordem 2 (2OI) de Ignorância


A ordem 2 é a falta de consciência. A pessoa não possui consciência sobre algo que ele não
sabe. Não tem a resposta que precisa e nem a pergunta para chegar a essa resposta. Quando se inicia
projetos, sabe-se que há muitas coisas para aprender. Porém não sabemos quais coisas são. Pessoas
com essa ordem são difíceis de lidar e pertubam o ambiente.

7. Descreva a Ordem 3 (3OI) de Ignorância


A ordem 3 é a falta de processo. Essas pessoas são perigosas para o meio ambiente onde
estão, pois ela não sabe uma maneira de encontrar aquilo que ela não sabe que não sabe. Sendo
assim, nunca irão descobrir que há coisas que não sabe que não sabe.

8. Descreva a Ordem 4 (4OI) de Ignorância


A ordem 4 é a meta ignorância. Uma pessoa está nessa ordem quando ela não conhece as
cinco ordens de ignorância.

9. O que as Ordens de Ignorância tem a ver com falta de qualidade do Software?


O processo de descoberta e codificação de conhecimento é o desenvolvimento de Sistemas de
Informação, que são realizados por pessoas que tem Ordem 0 (a pessoa sabe e demonstra na prática)
ou Ordem 1 (a pessoa não sabe, porém pede ajuda a um especialista ou a uma pessoa de Ordem 0).
A culpa, em algum lugar, é de pessoas que possuem mais de uma ordem 2 ou 3 (Ordem 2 a pessoa
“acha” que sabe e Ordem 3 a pessoa é perigosa, pois nunca vai descobrir que existem coisas que não
sabe que não sabe).
UNIDADE I-B:

1. Qual a origem, objetivo do 5S?


Origem = criada por Kaoru Ishikawa em 1950, no Japão pós-guerra, para colocar ordem na
grande confusão na qual o país se encontrava.
Objetivo = melhorar a qualidade de vida das pessoas, diminuindo os desperdícios, reduzindo
os custos e melhorando a produtividade das pessoas e organizações.

2. Qual o significado de cada um dos 5S?


Seiri (utilização), Seiton (arrumação), Seiso (limpeza), Seiketsu (saúde) e Shitsuke
(disciplina).

3. Descreva o Primeiro S – SEIRI.


Senso de utilização ou de descarte, evitar o que for desnecessário. Identifica objetos,
equipamentos, utensílios, informações, classificando-os como necessários ou desnecessários,
descartando esses itens ou dando uma devida atenção.

4. Quais são as vantagens do Primeiro S – SEIRI.


- Reduz a necessidade de espaço;
- Facilita o transporte interno, o arranjo físico, a execução do trabalho no tempo previsto;
- Traz senso de organização e economia, menor cansaço físico, maior facilidade de operação.

5. Como Praticar o Primeiro S – SEIRI.


Classificar os objetos/equipamentos/utensílios/informação como necessários e
desnecessários. Depois disso, caso tenha sido avaliado como necessário, deve-se guardá-lo em um
local em relação a frequência da sua utilização (quanto maior o uso, mais perto do local de
trabalho). Se precisar ser fixado/instalado, deve-se proceder a fixação/instalação. Caso seja
desnecessário, se for útil para outros, transfira. Se for inútil, descarte-o.

6. Descreva o Segundo S – SEITON.


Senso de arrumação ou de ordenação, cada coisa no seu lugar. Identifica o item necessário,
padroniza seu uso e guarda para que todos sigam o seu procedimento, sabendo usar quando
necessário e guardando no mesmo local, da mesma forma que encontrou.

7. Quais são as vantagens do Segundo S – SEITON.


- Desenvolve o hábito de retornar ao seu lugar correto todos os objetos necessários;
- Melhora o processamento de comunicação e interação com o ambiente;
- Evita a perda de tempo.

8. Como Praticar o Segundo S – SEITON.


- Cada coisa deve ter seu lugar definido de acordo com o grau de uso;
- Rotular os objetos, deixando-os mais fáceis de serem localizados;
- Todas as coisas devem ter espaços definidos e a indicação exata do local.

9. Descreva o Terceiro S – SEISO.


Senso de limpeza ou de conversação, manter limpo e/ou não sujar. Mostra a importância de
se manter um ambiente limpo, pois um ambiente limpo lembra qualidade e segurança.

10. Quais são as vantagens do Terceiro S – SEISO.


- Melhoria dos ambientes;
- Satisfação das pessoas por estarem em ambiente limpo;
- Maior segurança e controle sobre objeto;
- Eliminação de desperdício.

11. Como Praticar o Terceiro S – SEISO.


- Deixar os objetos e utensílios limpos depois de usá-los;
- Mesas, armários e móveis devem estar limpos;
- Nada deve ser jogado no chão;
- Não existe exceção quando se trata de limpeza.

12. Descreva o Quarto S – SEIKETSU.


Senso de saúde ou de higiene. Visa a melhoria da qualidade de vida, criando condições que
favoreçam a saúde física, mental e emocional, a partir de práticas de higiene. Reforça a necessidade
de uma mudança comportamental.

13. Quais são as vantagens do Quarto S – SEIKETSU.


- Equilíbrio físico e mental;
- Melhoria dos ambientes;
- Melhoria de áreas comuns;
- Melhoria nas condições de segurança;

14. Como Praticar o Quarto S – SEIKETSU.


- Manter sempre uma atitude mental positiva;
- Buscar padronização de melhorias;
- Manter as condições do ambiente físico propício à saúde.

15. Descreva o Quinto S – SHITSUKE.


Senso de disciplina. Compromisso pessoal com o cumprimento dos padrões éticos, morais,
técnicos e com melhoria contínua. Praticar shitsuke é conquistar a capacidade de fazer as coisas
como devem ser feitas.

16. Quais são as vantagens do Quinto S – SHITSUKE.


- Melhoria contínua de empresas e pessoal;
- Melhor qualidade de vida;
- Cultivo de bons hábitos;
- Desenvolvimento pessoal;
- Melhoria da disciplina e da ética.

17. Como Praticar o Quinto S – SHITSUKE.


- Se comprometer com a melhoria contínua;
- Ser claro e objetivo na comunicação;
- Cumprir horários marcados para compromissos;
- Criar procedimentos claros e possíveis de serem cumpridos.

18. O que se entende por KAIZEN?


Kaizen é o melhoramento contínuo. A melhoria contínua significa envolvimento de todas as
pessoas da organização no sentido de buscar o aperfeiçoamento dos produtos e dos processos.

19. Descreva as principais vantagens do KAIZEN


- Melhoria na qualidade;
- Redução de custos;
- Aumento na satisfação do cliente;
- Mais segurança;
- Redução de desperdício na empresa;
- Aumento na produtividade.

20. Relacione as principais dicas para que o KAIZEN ocorra


- Questionar práticas e padrões atuais;
- Substituir ideias fixas por novas;
- Ver o lado positivo da mudança;
- Não perseguir a perfeição;
- Quando verificar um erro, corrija-o imediatamente.

21. Relacione as Etapas da Metodologia KAIZEN e descreva cada uma delas.


- Antes do projeto: Define o líder do projeto e a equipe. Identifica oportunidades de melhoria,
estabelece metas SMART e objetivos, elabora plano de ação, analisa o processo e desenvolve uma
solução ideal.
- Durante do projeto: Execução das atividades, teste das melhorias, discussão sobre o status e
o andamento do projeto e monitora a constante de resultados.
- Depois do projeto: Apresenta e estuda os resultados, padroniza a solução e planejamento do
futuro para o início de uma nova melhoria.

22. O que são metas SMART?


São metas específicas, mensuráveis, atingíveis, realistas e temporizáveis.

23. O que é um Plano de Ação?


Plano de ação é um documento utilizado para fazer um planejamento de trabalho necessário
para atingimento de um resultado desejado ou na resolução de problemas. Possui informações
como: objetivos, ações e responsáveis com suas respectivas datas de entregas.

UNIDADE I-C1:

1. Por que se deve preocupar em Gerenciar as Mudanças?


Porque mudança é algo permanente e que gera necessidade de automação. E automação
resulta em novas mudanças. Tornando-se, assim, um ciclo vicioso e que precisa ser gerenciado.

2. Descreva o Ciclo de Vida de uma organização que está com uma curva de
crescimento conforme figura 1:
Fase l (Criativa): Identifica o produto/serviço que atenderá o mercado. Realiza-se
experimentos com várias opções e protótipos, no processo de “tentativa e erro”. A curva de
crescimento é lenta e flutuante. Nessa fase, comunicação entre gerência e colaboradores é normal e
o relacionamento de pessoas não é estruturado. Fase mais estimulante devido ao seu dinamismo e
inexistência de estruturação, já que o capital operacional é limitado. No final, o protótipo tem que se
transformar em um produto. Se isso não acontecer, o empreendimento ficará sem recursos.
Fase ll (Normativa): É o estágio que se decide o que não fazer. Trabalha com padrões bem
sucedidos, previsíveis, organizados e rotineiros. A organização foca sua energia em aperfeiçoar e
expandir padrões desenvolvidos na fase l, levando a um crescimento constante e rápido. Nessa fase,
o capital operacional é geralmente abundante e as comunicações e os procedimentos se tornam
formalizados. O maior erro nessa fase é assumir que o crescimento continuará indefinidamente. O
final dessa fase é o mais crítico, pois precisa fazer mudanças significativas para sobreviver.

3. Descreva o Ciclo de Vida de uma organização que está com uma curva de
crescimento conforme figura 2:
Fase lll (Integrativa): É fase da renovação e inovação. A empresa passa a tratar seus clientes
como parceiros no processo de criação de novos e melhores produtos e serviços. É necessário que a
empresa inteira compartilhe a mesma visão sobre a resolução de problemas de seus clientes.
Começa a criar uma nova Fase l e, ao atingir o ápice de desenvolvimento, renova seu ciclo de
crescimento através da integração eficaz de uma nova fase l e gera uma frase lll mais forte e
saudável. Para que essa fase obtenha sucesso, é necessário que as empresas sejam continuamente
inovativas, estejam abertas a mudanças, procurem oportunidades novas e integram o novo e o
invulgar.

4. Quais são as causas de insucesso e de sucesso das mudanças


Insucesso: menosprezo da cultura, falta de clareza de objetivos, manipulação em vez da
verdade, má gerência ou gerência incompetente, não investimento em Recursos Humanos,
comunicação com o público/funcionários clientes/credores/sindicatos/governo não eficazes.
Sucesso: força da cultura, clareza de objetivos, renovação em todos os níveis e a capacidade
das pessoas que a compõem, aproveitamento do potencial dos funcionários.

5. Como se deve comportar diante das mudanças para se ter sucesso? Qual é a
essência deste comportamento
Para ter sucesso, você deve: lutar contra a mudança, ignorar, voltar às origens, adaptar e
inovar.
Esse comportamento é necessário, pois ao tentar resistir as mudanças, você irá perceber que
não tem como evitá-las. Então será necessário se adaptar de acordo com a mudança “exige” para
que possa inovar.

6. Relacione o que leva a bloquear a criatividade? Que frases são mortais?


O que leva ao bloqueio da criatividade é achar que errar é errado, seguir as regras, procurar
ser prático e evitar a ambiguidade, achar que não é criativo e achar que o seu pensamento não está
relacionado com a área que atua.
Frases mortais: “Não funciona com o tipo de negócio que temos”, “Parece boa, mas...”, “Não
há tempo ou dinheiro suficiente” e “Você nunca conseguirá vende-lá para a gerência”.

7. A figura 3 representa um modelo de Mudanças, Descreva este modelo.


Finais: Parar de fazer as coisas de um jeito e começar a fazer de outro jeito.
Transições: Como nós e os funcionários podemos nos ajustar à nova direção.
Começos: Focalizar e se comprometer com a nova direção.

O modelo mostra que devemos recomeçar a fazer aquilo que já estamos fazendo, porém de uma
maneira diferente. Depois disso, deve-se pensar em como você e os funcionários da empresa podem
se ajustar à nova direção. Por fim, todos devem estar focados e comprometidos com a nova direção.

UNIDADE 1-C2:

1. O que se entende por Comunicação? Quando a mesma se torna eficaz?


Comunicação é o processo de transmitir sentimentos, ideias, opiniões e sensações em
palavras ou comportamento não verbal.
A comunicação se torna eficaz quando você e a outra pessoa alcançam o entendimento
mútuo.

2. Relacione as barreiras internas e externas que dificultam o processo de


comunicação. Por que se deve evitá-las?
Barreiras internas: idade, sexo, experiências passadas, preconceitos, cultura, estilo, clima,
motivação, necessidades, etc..
Barreiras externas: arranja da sala, tamanho da sala, temperatura, nível de ruído, aparência
física, horário, etc..

As barreiras devem ser evitadas porque afetam a sua credibilidade, levam a respostas
preconcebidas e influenciam a quantidade de tempo gasto para ouvir.

3. Quais são os pressupostos fatais da comunicação?


-Assumir que as pessoas atribuem às palavras o mesmo sentido que atribuímos;
-Assumir que estamos sendo entendidos pelos outros;
-Assumir que entendemos os outros;
-Assumir que os outros percebem o mundo da mesma maneira que nós.

4. Para que servem as perguntas?


Servem para verificar com que exatidão você está entendendo a mensagem de outra pessoa
ou a mensagem que você está transmitindo para outra pessoa, estimular a discussão, encorajar
novas formas de encarar uma informação e sondar o posto de vista da outra pessoa.

5. Que tipos de perguntas se podem usar? Quando se deve usar cada uma delas?
Perguntas abertas: deve-se usar quando visa uma informação geral ou específica.
Perguntas fechadas: deve-se usar quando procurar por uma resposta limitada.
Perguntas que bloqueiam: deve-se usar quando deseja: indicar a resposta, combinar mais de
duas perguntas em uma pergunta ou sugerir uma crítica.

6. Que tipos de perguntas bloqueiam a comunicação? Por que se deve evitá-las?


Perguntas conducente, múltipla e criticante. Pois elas atrapalham o entendimento mútuo de
uma determinada situação, deixando de ser uma comunicação eficaz.

7. Descreva os passos a serem seguidos na estratégia “sondando fazendo


perguntas”.
1- Fazer uma pergunta aberta. Isso irá dar uma oportunidade ao recebedor de responder de
várias maneiras.
2- Fazer perguntas específicas. Focar em pontos chave da resposta para obter informações
específicas.
3- Fazer perguntas fechadas. A fim de verificar o seu entendimento.

8. O que significa Ouvir Ativamente?


Significa procurar atingir os pontos centrais do que ouve através de palavras, ter o objetivo
de ouvir, suspender qualquer tipo de julgamento inicial e focalizar no interlocutor.

9. Relacione os Dez Mandamentos para uma comunicação eficaz.


1- Fale com pessoas;
2- Sorria para as pessoas;
3- Chame as pessoas pelo nome;
4- Seja amigo e prestativo;
5- Seja cordial;
6- Se interessar pelo outros;
7- Seja generoso em elogiar;
8- Saiba considerar os sentimentos dos outros;
9- Preocupar com a opinião dos outros;
10- Procure apresentar um excelente serviço.

Utilizando os dez mandamentos, será possível obter uma comunicação eficaz, ou seja, você e
a outra pessoas conseguirão alcançar um entendimento mútuo em relação a informação passada.

10. Relacione as palavras mais importantes e a menos importante na comunicação.


As 6 mais: Admito que o erro foi meu.
As 5 mais: Você fez um bom trabalho.
As 4 mais: Qual a sua opinião.
As 3 mais: Faça o favor.
As 2 mais: Muito obrigado.
A 1 mais: Nós.
A 1 menos: Eu.

A palavra menos importante é a palavra “eu”, isso por que você não leva em consideração os
outros, somente a si mesmo. As palavras mais importantes, ao contrário da menos importante, leva
em consideração o sentimento dos outros, sendo cordial, prestativo e amigo.

UNIDADE I-C3:
1. Quanto a Motivação:
a) O que se entende por Motivação?
Motivação é o impulso que faz com que as pessoas ajam para atingir seus objetivos. É a
busca da satisfação de uma necessidade, um estado ativo de carência.

b) Quais são as necessidades dos seres humanos?


De acordo com a pirâmide de Maslow: Auto realização (5), Ego/Estima (4), Social (3),
Segurança (2) e Fisiológicos (1).

Fatores higiênicos = 1, 2 e 3.
Fatores motivadores = 4 e 5.

c) Quais são os fatores higiênicos numa empresa, que se menos causam


insatisfação e desmotivam?
-Políticas da Empresa e sua administração;
-Competência da Chefia;
-Relação interpessoal;
-Condição de trabalho;
-Salário.

d) Quais são os fatores motivadores em uma empresa, que se mais causam


satisfação e motivam?
-Senso de realização;
-Reconhecimento;
-Autonomia e responsabilidade;
-Crescimento Pessoal;
-Desenvolvimento.

e) Relacione os Dez Mandamentos para a Motivação. Por que devemos segui-los?


Quando uma pessoa age de acordo com os dez mandamentos da motivação, ela irá estimular
nas outras pessoas, e nela mesma, atitudes positivas e de compreensão. Esses são os fatores
essenciais para um melhor relacionamento pessoal e, consequentemente, para um bom trabalho.

2. Quanto a Liderança:
a) O que é Liderança?
Liderança é um processo que visa influenciar o comportamento de uma pessoa ou de um
grupo.

b) O que é ser Líder?


Líder é aquela pessoa que melhor atender as necessidades de uma pessoa ou grupo em um
determinado período de tempo.

c) O que é ser Liderado?


Pessoa ou grupo cujo comportamento é ditado por influência de um determinado elemento.

d) “O processo de LIDERANÇA está intimamente ligado ao conceito de poder”. O


que este poder significa?
Poder é o potencial de influência que alguém possui sobre o comportamento de uma pessoa
ou de um grupo.

e) Quais são os tipos de poder que existem, que motiva cada um deles? Como
eles se classificam?
Poder de posição: é um poder coercitivo, de conexão, recompensa e legítimo.
Poder pessoal: é um poder especialista, de informação e referência.
f) “De qualquer forma a existência ou não do poder é uma função direta da
percepção dos liderados”. O que isto quer dizer?
Isso quer dizer que somente os lideradas poderão enxergar se existe ou não o uso de poder
pelo(s) seu(s) líder(es).

g) O que se entende por “Maturidade dos Subordinados?” O que significa “Grau de


Autonomia?”.
Grau de autonomia é resultante entre a habilidade técnica demonstrada na execução de
tarefas, auto confiança necessária e a vontade de executar uma determinada tarefa.

h) Descreva os Níveis de maturidade que um subordinado pode ter diante de uma


tarefa?
M1: Não hábil, não desejoso/inseguro.
M2: Não hábil, desejoso/seguro.
M3: Hábil, não desejoso/inseguro.
M4: Hábil, desejoso/seguro.

i) O que se entende por Liderança Situacional?


O líder deve adotar estilos de liderança diferenciados, dependendo da maturidade dos
subordinados.

j) Quais são os Estilos de Liderança e a qual nível de maturidade cada um se


aplica?
E1 (Diretivo): alta supervisão do líder. Se aplica no nível M1.
E2 (Vendedor): moderada/alta supervisão do líder. Se aplica no nível M2.
E3 (Participativo): moderada/baixa supervisão do líder. Se aplica no nível M3.
E4 (Delegador): baixa supervisão do líder. Se aplica no nível M4.

k) Quando é que cada um dos Estilos Gerenciais é efetivo?


E1 (Diretivo): dirigindo, estruturando, iniciando, dando opinião e controlando.
E2 (Vendedor): esclarecendo, questionando, trocando informações, reconhecendo,
elaborando, sintetizando, sumariando, obtendo compromisso.
E3 (Participativo): suportando, reconhecendo, encorajando, obtendo ideias, harmonizando,
mediando, facilitando, reduzindo tensões.
E4 (Delegador): ouvindo atentamente, monitorando, mostrando interesse, obtendo
informações, participando.

l) Quando é que cada um dos Estilos Gerenciais torna-se inefetivo?


E1 (Diretivo): sendo grosseiro, destruindo a personalidade, dominando,
criticando/destruindo, induzindo.
E2 (Vendedor): manipulando, justificando, acobertando, buscando reconhecimento, pulando
tópicos.
E3 (Participativo): criando dependência, acobertando, pacificando, buscando simpatia.
E4 (Delegador): Evitando, comentando, esterilmente, fugindo do assunto e da
responsabilidade.

UNIDADE I–C4

1. Quanto a trabalho em equipe:


a. O que é equipe?
b. Qual o desafio de se trabalhar em equipe?
c. Quais são as dificuldades de um trabalho em equipe?
d. “Equipes funcionam em dois níveis, quais são eles?
e. Que habilidades um líder deve exercitar para facilitar a tarefa de uma equipe?
f. Que habilidades um líder deve exercitar para facilitar a manutenção do
relacionamento em uma Equipe?
g. Descreva os comportamentos individualistas e mostre por que eles atrapalham o
trabalho em Equipe.
h. Relacione os estágios de desenvolvimento de uma Equipe.
i. Que fatores são determinantes para que um indivíduo se comprometa com os
objetivos de sua Equipe?
j. Relacione as barreiras de desenvolvimento de uma Equipe. O que não deve
ocorrer numa Equipe madura?
k. O que é uma intervenção no Equipe? Quando um líder deve intervir numa
Equipe?
l. Como deve ser a intervenção numa Equipe para que se tenha sucesso?
m. O que é uma Equipe eficaz?

Respostas:
a) Equipe é um conjunto ou grupo de indivíduos aplicados na realização de uma mesma tarefa
ou trabalho.
Uma equipe é mais eficiente que um indivíduo na resolução de um problema, portanto é
essencial o trabalho em equipe em um projeto de software.
b) “Juntar um grupo de pessoas diferentes, com talentos específicos em torno de um objetivo
comum”. Os indivíduos que compõem uma equipe devem ser flexíveis e manterem as
relações de trabalho de maneira eficaz.
c)
 Interesses individuais conflitantes;
 ego/ciúme;
 falta de agenda (conteúdo, processo);
 Falta habilidades (tarefa, relacionamento);
 problemas culturais.

a) Processo: Como a equipe realiza este trabalho.


Conteúdo: Aquilo que ela está trabalhando.

b) Buscar e fornecer informações e opiniões, avaliar o trabalho, resumir, esclarecer dúvidas.

c) Controlando a participação dos membros no projeto, harmonizando, encorajando e,


principalmente, dando e recebendo FEEDBACK.

d) Comportamento dominador: o indivíduo monopolizará as reuniões, falando muito e,


consequentemente, dificultando a participação dos outros membros.

Bloqueando o progresso: O indivíduo irá focar em detalhes irrelevantes e irá frustrar as


tentativas de consenso da equipe.

Disputando atenção especial: Suas metas não coincidem com a meta da equipe.

Procurando reconhecimento: Indivíduos que tentam atrair toda a atenção a si próprios.

e) Confusão e tentativas de organização:


 Desconfiança
 Ambiguidade
 Medo de exposição

Disputa de liderança:
 Conflitos
 Aparecem os candidatos à liderança
 Evitam-se tomadas de decisões

Definição da estrutura:
 Surgimento claro de lideranças
 Conciliações

Integração
 Confiança, entendimento
 Conflitos construtivos
 Busca de consenso
a) Atratividade do objetivo, probabilidade de sucesso, possibilidade de reconhecimento,
recompensas.

b) Falta de senso crítico, baixa criatividade, falta de planejamento, problemas de comunicação.


Em uma equipe madura não deve ocorrer:
 Excesso de reuniões
 Fuga da responsabilidade
 “Moleza” para os inoperantes

a) É uma interferência nas atividades normais da equipe.


O líder deve intervir:
 Quando a equipe se encontra em problemas que a impede de atingir suas metas.
 Para ajudar a resolver um problema interno que está bloqueando seu progresso.

a) Decidir como a equipe vai lidar com suas próprias disfunções no futuro.
“Antes de intervir na equipe, planeje o que vai dizer.”

b) É uma equipe com:


 Metas claras
 Comunicação eficaz
 Liderança centrada
 Clima de apoio

2 – Quanto a reuniões:
a) Por que uma organização deve preocupar com as reuniões?
b) Para que servem as reuniões?
c) Que estágios uma reunião passa?
d) Por que muitos odeiam reuniões?

Respostas:
a) Pois reuniões ineficazes podem ter um efeito ruim para a organização.

b) Para informar, gerar ideias, definir metas e avaliar ou dar FEEDBACKS.

c) Estágios
 Planejamento
 Início
 Estrutura e Controle
 Encerramento

a) Não tem resposta no slide.


UNIDADE II–A

1. Justifique porque o mundo de hoje não poderia viver sem software.


Tudo o que nos rodeia envolve software:
 Produtos eletrônicos
 Serviços de transporte
 Equipamentos médicos
 Telecomunicações

1. O que se entende por “Lei das Consequências não Pretendidas”?


É a dependência de novas tecnologias, principalmente do software, que o mundo atual vive.

2. Relacione 5 problemas com software.


 Altos custos
 Prazos não cumpridos
 Problemas de funcionamento
 Difíceis de usar
 Lentos

1. Relacione 3 bugs históricos.


 Mariner I – Uma fórmula matemática foi equivocadamente transcrita pelo computador,
resultando na destruição de um foguete que tinha como objetivo observar Vênus.
 Ariane 5 voo 501 – O processador primário do foguete sobrecarregou os motores, que se
desintegraram.
 Bug do milênio – Preocupação nas datas dos computadores na transição do ano 1999 para
2000.

1. Porque tantos bugs ocorrem? Qual a saída?


Falta de comunicação, falta de gerência de projetos, falta de engenharia de controle e qualidade.
A saída é investir numa gestão e gerência de projetos mais robusta.

2. Qual é a visão popular da Qualidade?


A qualidade pode ser medida através do grau de satisfação em que as pessoas avaliam determinado
produto ou serviço.
No entanto, esse produto ou serviço pode ter qualidade para algumas pessoas e para outras nem
tanto, ou seja, a qualidade é algo subjetivo.

3. Qual é a visão profissional da Qualidade?


A qualidade é o grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz aos requisitos.
Ou seja, pode-se afirmar que se algum produto ou serviço atende aos requisitos especificados,
este mesmo produto ou serviço possui a qualidade desejada.

4. Justifique a afirmativa “Raramente qualidade pode ser incorporada ao produto final,


após o processo de desenvolvimento ter terminado”.
Dos requisitos do usuário à entrega do produto final, existe um processo de desenvolvimento que é
complexo e frequentemente envolve uma série de estágios que podem comprometer a qualidade do
produto final.

5. Qual a importância de Processo de Desenvolvimento na Qualidade?


Cada produto intermediário tem certos atributos de qualidade que afetam a qualidade do produto
intermediário da próxima fase e assim, afetam a qualidade do produto final.
10. Relacione os Elementos chaves da TQM.

 Foco do cliente: Objetivo é atingir a satisfação total do cliente.


 Melhoria de processo: Objetivo é reduzir as variações de processo.
 Lado humano da qualidade: Objetivo é criar a cultura de qualidade por toda a empresa.

UNIDADE II–B

1- Relacione as características de um software sem qualidade.


 Custos e prazos não são mantidos
 Funcionalidades não planejadas do programa
 Muito defeituoso

1. Relacione as características de um software com qualidade.


 Custos e prazos sob controle
 Poucos erros durante o projeto
 Satisfação dos usuários

1. Relacione 3 definições sobre Qualidade de Software.


 “Um produto de software apresenta qualidade quando é satisfatório para o cliente”
 “Qualidade de software é quando o produto final está de acordo com os requisitos
declarados”
 “Qualidade é a totalidade de características e critérios de um produto ou serviço que exercem
suas habilidades para satisfazer às necessidades declaradas ou envolvidas”

1. Quais aspectos a 3 definições sobre Qualidade de Software enfatizam?


 Os Requisitos de Software são a base para medir a qualidade.
 Os Critérios de desenvolvimentos são importantes para orientar a maneira como o software
será criado.
 Existem Requisitos Implícitos que não são mencionados na especificação de requisitos.

1. Relacione os aspectos de qualidade do ponto de vista do usuário.


 Interesse no uso do software
 Facilidade do uso
 Desempenho
 Preço

1. Relacione os aspectos de qualidade do ponto de vista do desenvolvedor.


 Requisitos do cliente
 Aspectos internos do software

1. Relacione os aspectos de qualidade do ponto de vista do gerente.


 Aspectos de conformidade entre requisitos dos clientes e desenvolvedores
 Custo e cronograma

1. Porque a qualidade também depende do tipo de aplicação? Exemplifique.


Pois a aplicação do software pode exigir diferentes parâmetros para a definição do nível de
qualidade.
Exemplo: Caso o software vise a utilização por leigos, ele precisa ser fácil de usar e fazer
exatamente aquilo que o usuário quer.
UNIDADE II–C1

1- Qual a importância da qualidade do Processo de Software?


A qualidade do produto depende fortemente da qualidade do processo de desenvolvimento.

2. Relacione a motivação para busca da qualidade do Processo de Software.


 Aumento da qualidade do produto
 Diminuição do retrabalho
 Maior produtividade

3. Por onde deve-se começar a implantação de um programa de qualidade de software?


Começa pela definição e implantação de um processo de software.

4. O que os processos de software devem estabelecer?


 Atividades a serem realizadas durante o processo
 Artefatos requeridos e produzidos pelas atividades
 Procedimentos a serem adotados na realização das atividades
 Recursos necessários

5. Como um Processo de Software deve ser definido?


Devem ser definidos caso a caso, levando em consideração as características específicas do projeto
(Equipe, tipo de software, tecnologias a serem utilizadas, etc).

6. O que se entende por Padrões de Facto?


São padrões aplicados na prática, mas que não foram formalizados como um regulamento.

7. O que se entende por Padrões de Jure?


São os padrões criados de maneira formal, regulamentada.

8. O que se entende por Modelos de Maturidade e Capacitação para Software?


Tem como objetivo guiar organizações na melhoria de seus processos de software. Organiza os
estágios da evolução da melhoria dos processos em níveis de maturidade.

9. Relacione as Normas e os Modelos usados na Qualidade do Processo de Software.


 SEI (Software Engineering Institute)
 SOFTEX (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro)
 ISO (International Standardization Organization)

10.Qual a finalidade da ISO/IEC 12207?


Framework para processos de ciclo de vida com terminologia bem definida. Cobre todo o ciclo de
vida de desenvolvimento do software desde a concepção das ideias iniciais sobre o software até este
ser retirado de execução.

11.Relacione as classes em que os processos da ISO/IEC 12207 são agrupados.


 Processos Fundamentais
 Processos de Apoio
 Processos Organizacionais
 Processos de Adaptação

12.Quais atividades os Processos Fundamentais englobam?


Contrato entre cliente e fornecedor, desenvolvimento, operação e manutenção de software.
13. Quais atividades os Processos de Apoio englobam?
Auxiliam outros processos como parte integrante dos mesmos, contribuindo para a qualidade do
projeto de software.

14. Quais atividades os Processos de Organizacionais englobam?


Estabelecem uma estrutura que forneça uma base aos processos e ao pessoal envolvido no
desenvolvimento de software.

15. Quais atividades os Processos de Adaptação englobam?


Definem as atividades necessárias para adaptar a norma a uma organização ou projeto específico.

16. Mostre graficamente a estrutura do Modelo SW-CMM

17.O que são as KPAs do modelo SW-CMM?


São as Key Process Areas. Áreas-chave de processo. Cada KPA identifica atividades relacionadas
que, quando executadas adequadamente, atingem determinados objetivos considerados
importantes para o aumento da capacidade do processo.

18. Relaciones as Características Comuns do Modelo SW-CMM


 Compromissos para realizar (Commitment to Perform)
 Habilidade para realizar (Ability to Perform)
 Atividades a realizar (Activities Performed)
 Medição e Análise (Measurement and Analysis)
 Verificação da Implementação (Verifying Implementation)
19. Descreva as características de um processo de software imaturo
 Não é rigorosamente seguido e o cumprimento não é controlado.
 Baixa visão do progresso e da qualidade.
 Processo improvisado
 Qualidade difícil de se prever

20. Descreva as características de um processo de software maturo


 Compreendido.
 Utilizado.
 Uso disciplinado da tecnologia.
 Bem controlado, fidelidade ao processo.

21. O que são Níveis de Maturidade? Relacione os níveis do SW-CMM


Os níveis são uma forma de priorizar as ações de melhoria, de tal forma que se aumente a
maturidade do processo de software.
Os 5 níveis do SW-CMM

22. Porque o CMMI foi proposto?


Foi criado, então, com a finalidade de integrar os diversos modelos CMM.

23. Descreva os conceitos básicos do CMMI (Área de Processo, Objetivos Específicos. Práticas
Específicas, Objetivos Genéricos, Práticas Genéricas, Produtos de Trabalhos Típicos, Sub
Práticas Relacione os grupos em que as à rede de Processo do CMMI são organizadas.
Descreva cada uma delas.
Objetivos do CMMI:
 Aumento do foco nas atividades
 Integração dos processos existentes
 Eliminar inconsistências
 Reduzir duplicações

24. Relacione os tipos de representações do Modelo CMMI


 Estágios (staged): Enfatiza conjuntos de áreas de processo que definem estágios
comprovados de maturidade do processo.
 Continua (continuous): Mede resultados em cada área individualmente.

25. Relacione os níveis de maturidade do CMMI


26. Relacione os Níveis de Capacidade do CMMI

27.Qual a finalidade da Norma IOS/IEC 15504?


Apresentar um framework para avaliação (e melhoria) de processo.

28. Relacione as cinco partes da norma ISO/IEC 15504


 Visão geral e vocabulário
 Requisitos mínimos para a realização de uma avaliação visando consistência e repetibilidade
 Guia para a interpretação dos requisitos para a realização de uma avaliação
 Guia para utilização dos resultados de uma avaliação de processo, para melhoria ou
determinação de capacidade
 Exemplo de um modelo de avaliação de processo de software

29.O que se entende por dimensão da Capacidade na norma ISO/IEC 15504?


A dimensão da capacidade estabelece uma escala de capacidade de processo para processos em
geral. Qualquer processo pode estar em qualquer nível de capacidade.
30.Como a dimensão da Capacidade é medida?
Através dos Atributos de processo (Process Attributes — PA): Eles determinam se um processo
alcançou um determinado nível. Cada atributo mede um aspecto particular da capacidade de um
processo.
31. Relacione os seis níveis de capacidade da norma ISO/IEC 15504
 Incompleto: Processo não existe ou geralmente falha.
 Executado: Geralmente atinge os objetivos, mas sem padrão de qualidade e sem controle de
prazos e custos.
 Gerenciado: Planejado e acompanhado.
 Estabelecido: Projeto executado e gerenciado + eficaz e eficiente.
 Previsível: Executado dentro dos limites de controle definidos e com medições detalhadas e
analisadas.
 Otimizando: Processo melhorado continuamente de forma disciplinada.

32. Qual a finalidade do MPS.Br? Por que ele foi criado?


Melhoria de processos de software nas micros, pequenas e médias empresas (PMEs), a um custo
acessível, em diversos locais do país.

33. Mostre graficamente o que foi considerado na elaboração do MPS.Br

34.Quais Modelos compõe o MPS.Br


ISSO 12207, ISSO 15504 e CMMI.

35.Qual a finalidade do Guia Geral do MR-MPS?


Descreve o Modelo de Referência para Melhoria do Processo de Software (MR-MPS) e fornece
uma visão geral sobre os demais guias que apoiam os processos de avaliação e de aquisição.

36.Mostre graficamente a Estrutura do MR-MPS. Descreva cada um dos elementos da


estrutura
37.Relacione os Níveis de Maturidade do MR-MPS

38.Relacione para cada Níveis de Maturidade do MR-MPS os respectivos Processos


 Em Otimização: Sem processo específico
 Gerenciamento Quantitativo: Sem processo específico
 Definido:
o Gerência de decisões,
o Gerência de riscos,
o Desenvolvimento para reutilização
 Largamente Definido:
o Desenvolvimento de requisitos
o Integração do produto
o Verificação
o Validação
 Parcialmente Definido:
o Gerencia de RH
o Gerencia de reutilização
o Avaliação e melhoria do processo organizacional
 Gerenciado:
o Aquisição
o Garantia da qualidade
o Medição
o Gerencia de portfólio
 Parcialmente gerenciado
o Gerência de projetos
o Gerência de requisitos

39. O que é Capacidade do Processo? Relacione os 9 atributos de Processo.


Uma caracterização da habilidade do processo em atingir os objetivos de negócio atuais ou futuros.
 AP 1.1 – O processo é executado
 AP 2.1 – O processo é gerenciado
 AP 2.2 – Os produtos de trabalho do processo são gerenciados
 AP 3.1 – O processo é definido
 AP 3.2 – O processo está implementado
 AP 4.1 – O processo é medido
 AP 4.2 – O processo é controlado
 AP 5.1 – O processo é objeto de inovações
 AP 5.2 – O processo é otimizado continuamente

40. Qual a finalidade do Guia de Avaliação do MA-MPS?


Orientar a realização de avaliações, em conformidade com a norma ISO/IEC 15504, em empresas e
organizações que implementaram o MR-MPS.

41. Como uma equipe de avaliação pode ser composta?


 1 líder da avaliação
 1 avaliador adjunto
 1 técnico da empresa (no mínimo)

42. Relacione os tipos de avaliação do MA-MPS


 Avaliação para outro Nível MR-MPS
 Avaliação para manter o Nível MR-MPS

43. Mostre graficamente o método de avalição do MA-MPS

UNIDADE II–C2
1. O que é um Produto de Software?
Um produto de software compreende os programas e procedimentos de computador e a
documentação e dados associados, que foram projetados para serem liberados para o usuário.
2. O que é Qualidade de um Produto de Software?
 Boa fabricação. Deve durar muito.
 Bom desempenho.
 Utilizável em diferentes plataformas.
 Adaptável às minhas necessidades específicas.
 Fácil de usar.
 Sem defeitos.

3. Quanto ao Modelo de McCall, descreva os três níveis.


 FATORES (para especificar) Descrevem a visão externa do software, como vista pelos
usuários.
 CRITÉRIOS (para construir) Descrevem a visão interna do software, como vista pelo
desenvolvedor.
 MÉTRICAS (para controlar) Definidas e usadas para fornecer uma escala e métodos para
medidas.

4. Quais pontos de vista os fatores e critérios de McCall estão relacionados?


 Operação do Produto (uso do produto)
 Revisão do Produto (mudança do produto)
 Transição do Produto (mudança do produto para que ele funcione em ambiente diferente)

5. Relacione os Fatores.

6. Relacione os Critérios.

7. Apresente e descreva os elementos da equação referente a métrica de McCall

8. Quanto ao Modelo Hawlett-Packard, qual o significado de FURPS?


 Functionality (Funcionalidade)
 Usability (Usabilidade)
 Reliability (Confiabilidade)
 Performance (Desempenho)
 Supportability (Suportabilidade)

9. Relacione os Atributos dos Fatores de Qualidade do FURPS.


 Functionality (Funcionalidade)
 Usability (Usabilidade)
 Reliability (Confiabilidade)
 Performance (Desempenho)
 Supportability (Suportabilidade)

10. Qual a finalidade da ISO/IEC 9126-1?


ISO/IEC 9126 é uma norma ISO para qualidade de produto de software. Ela define um conjunto de
parâmetros com o objetivo de padronizar a avaliação da qualidade de software. Ela se enquadra no
modelo de qualidade das normas da família 9000.

11. Relacione as partes que compõe a ISO/IEC 9126


 Parte 1: Modelo de Qualidade
 Parte 2: Metricas Externas
 Parte 3: Metricas Internas
 Parte 4: Metricas da Qualidade em Uso

12. Relacione as 6 características dos Atributos de Qualidade


 Funcionalidade (O que?)
 Confiabilidade (Quando e como?)
 Usabilidade (Quando e como?)
 Eficiência (Quando e como?)
 Manutenibilidade (Quando e como?)
 Portabilidade (Quando e como?)

13. Para cada atributo de Qualidade mostre a pergunta chave correspondente


(Tá na 12 também).

14. Relacione as 4 características da Qualidade em Uso


 Eficácia
 Produtividade
 Segurança
 Satisfação

15. Qual a finalidade da norma 14598-1


O processo de avaliação dos produtos de software está definido na série de normas ISO/IEC 14598,
que pode ser utilizada em conjunto com a série ISO/IEC 9126.

16. Relacione as 6 partes que compõe a norma ISO/IEC 14598


 Parte 1: Visão geral
 Parte 2: Planejamento e gestão
 Parte 3: Processo para desenvolvedores
 Parte 4: Processo para adquirentes
 Parte 5: Processo para avaliadores
 Parte 6: Documentação de módulos de avaliação

17. Descreva resumidamente cada uma das partes da ISO/IEC 14598.


 Parte 1 fornece uma visão geral do processo de avaliação da qualidade dos produtos de
software e define toda a estrutura de funcionamento da série de normas ISO/IEC 14598;
 Parte 2 refere-se ao planejamento e gestão do processo de avaliação apresentando requisitos,
recomendações e orientações para uma função de suporte ao processo;
 Parte 3 define o processo para desenvolvedores. Destina-se ao uso durante o processo de
desenvolvimento e manutenção de software;
 Parte 4 define o processo para adquirentes, estabelecendo um processo sistemático para
avaliação;
 Parte 5 define o processo para avaliadores, fornecendo orientações para a implementação
prática de avaliação de produtos de software (quando diversas partes necessitam entender,
aceitar e confiar em resultados da avaliação);
 Parte 6 fornece orientação para documentação de módulos de avaliação.

18. Mostre graficamente Áreas do desenvolvimento de software em que a norma ISO 14598
atua e a sua relação com a norma ISO 9126.
UNIDADE II–D
1. Apresente o gráfico da Evolução da Tecnologia da Qualidade

2. Descreva as Eras da Qualidade