Você está na página 1de 1200

Versão 000

Versão Nome Turma


000 versão 000 somente para con- FIS069: Primeira Prova
ferência
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,00 × 10−9 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,00 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,12 × 10−2 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −6,80 × 10−4 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,15 × 100 N, (e1:B ) −6,12 × 10−6 N, (C) −4,79 × 100 N, (D) −6,58 × 10−4 N, (E) −4,10 ×
(a) 10−4 N, (F) −3,23 × 10−4 N, (G) −9,25 × 10−4 N, (H) −1,28 × 101 N, (I) −6,03 × 100 N, (J) −4,69 × 10−4 N,
(K) −1,27×10−3 N, (L) −1,42×101 N, (M) −1,89×10−3 N, (N) −8,15×100 N, (Correto:O) −6,12×10−2 N,

(5 pontos) (A) −6,22×10−2 J, (B) −2,25×10−1 J, (C) −1,85×10−1 J, (D) −2,93×10−1 J, (E) −2,63×10−1 J,
(b) (F) −1,50 × 10−1 J, (G) −1,11 × 10−1 J, (H) −9,46 × 10−2 J, (I) −3,41 × 10−1 J, (J) −8,35 × 10−2 J,
(K) −3,82 × 10−1 J, (L) −1,25 × 10−1 J, (Correto:M) −6,80 × 10−4 J, (N) −7,33 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,00 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,100 mî, b) r⃗2 =0,500 m î, c) r⃗3 =1,00 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 000

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,100 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 200 V/m
r1 (0,100 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,00 V/m
r3 (1,00 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −38,5 V/m, (B) 9,66 V/m, (C) −43,7 V/m, (Correto:D) − 200 V/m, (E) 11,9 V/m,
(a) (F) −24,6 V/m, (G) − 124 V/m, (H) 6,38 V/m, (e3:I ) 8,00 V/m, (e2:J ) 4,00 V/m, (K) − 178 V/m,
(L) −68,4 V/m, (M) 5,21 V/m, (e1:N ) 8,00 V/m, (O) 7,12 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −8,00 V/m, (B) 3,55 V/m, (C) 2,87 V/m, (D) 4,40 V/m, (E) −10,4 V/m, (F) 5,48 V/m,
(b) (G) −9,17 V/m, (e2:H ) 4,00 V/m, (I) 4,92 V/m, (J) −11,9 V/m, (K) −5,97 V/m, (L) 3,19 V/m,
(M) −6,86 V/m, (Correto:N) 0 V/m,

(2.5 pontos) (A) −9,96 V/m, (B) 0,683 V/m, (C) 1,19 V/m, (D) 0,601 V/m, (E) −8,83 V/m, (F) −6,35 V/m,
(c) (G) −7,04 V/m, (H) 0,525 V/m, (I) 1,81 V/m, (J) 1,63 V/m, (K) −11,2 V/m, (L) 0,842 V/m,
(e1:M ) −8,00 V/m, (Correto:N) 1,00 V/m, (O) 0,463 V/m,

(2.5 pontos) (A) 17,7 V, (B) 29,4 V, (e1:C ) 20,0 V, (D) 10,9 V, (E) 14,3 V, (F) 6,85 V, (e2:G) 40,0 V,
(d) (H) 22,3 V, (I) 35,2 V, (Correto:J) 1,67 V, (K) 26,1 V, (L) 13,0 V, (M) 8,37 V, (N) 15,9 V, (O) 9,66 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 000

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 000 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 000 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 000 V
a> = 1,33 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 5,93 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,33 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,42 × 10−3 m, (B) 2,75 × 10−3 m, (C) 1,91 × 10−3 m, (D) 3,24 × 10−3 m, (E) 1,63 × 10−3 m,
(a) (F) 2,15 × 10−3 m, (Correto:G) 1,33 × 10−3 m,
Versão 000

(4 pontos) (A) 3,49 × 10−9 C, (B) 2,55 × 10−9 C, (C) 6,63 × 10−10 C, (D) 9,53 × 10−10 C, (E) 1,58 × 10−9 C,
(b) (F) 1,37 × 10−9 C, (G) 2,30 × 10−9 C, (H) 3,17 × 10−9 C, (I) 7,37 × 10−10 C, (Correto:J) 5,93 × 10−10 C,
(K) 1,05 × 10−9 C, (L) 1,17 × 10−9 C, (M) 1,87 × 10−9 C, (N) 2,83 × 10−9 C, (O) 8,43 × 10−10 C,

pontos) (A) 6,07 × 10−6 m, (B) 3,93 × 10−6 m, (Correto:C) 3,33 × 10−6 m, (D) 5,37 × 10−6 m, (E) 4,43 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 001

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
001
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,19 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,43 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,14 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,74 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,14 × 10−4 N, (B) −3,72 × 100 N, (C) −6,57 × 100 N, (D) −9,87 × 100 N, (E) −5,40 ×
10−4 N, (F) −1,32 × 10−3 N, (G) −8,37 × 10−4 N, (Correto:H) −1,14 × 101 N, (e1:I ) −1,14 × 10−3 N,
(a) (J) −3,16 × 10−4 N, (K) −6,57 × 10−4 N, (L) −7,60 × 10−4 N, (M) −1,64 × 10−3 N, (N) −1,62 × 10−4 N,
(O) −5,80 × 100 N,

(5 pontos) (A) −1,02×10−1 J, (B) −6,22×10−2 J, (C) −3,82×10−1 J, (D) −2,44×10−1 J, (E) −1,72×10−1 J,
(b) (F) −6,80 × 10−4 J, (Correto:G) −2,74 × 10−1 J, (H) −7,30 × 10−2 J, (I) −1,49 × 10−1 J, (J) −1,30 × 10−1 J,
(K) −1,17 × 10−1 J, (L) −1,94 × 10−1 J, (M) −2,21 × 10−1 J, (N) −8,71 × 10−2 J, (O) −3,31 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =1,01 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,129 mî, b) r⃗2 =0,582 m î, c) r⃗3 =1,13 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 001

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,129 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 120 V/m
r1 (0,129 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,783 V/m
r3 (1,13 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 2,95 V/m, (B) −24,6 V/m, (e1:C ) 5,90 V/m, (D) −62,4 V/m, (Correto:E) − 120 V/m,
(a) (F) − 196 V/m, (G) − 146 V/m, (e3:H ) 5,90 V/m, (I) 3,67 V/m, (J) 10,6 V/m, (K) − 104 V/m,
(L) −78,1 V/m, (M) 7,60 V/m, (N) −30,8 V/m, (O) 8,54 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,4 V/m, (B) 5,64 V/m, (e2:C ) 2,95 V/m, (e1:D) −5,90 V/m, (E) 3,59 V/m, (F) 4,00 V/m,
(b) (G) 4,41 V/m, (H) −10,3 V/m, (I) −6,52 V/m, (J) −8,16 V/m, (Correto:K) 0 V/m, (L) −9,02 V/m,
(M) 4,92 V/m, (N) 3,26 V/m, (O) −7,28 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,72 V/m, (B) 1,36 V/m, (C) −6,73 V/m, (D) 0,610 V/m, (Correto:E) 0,783 V/m,
(c) (F) −8,79 V/m, (G) −10,1 V/m, (H) 0,482 V/m, (e1:I ) −5,90 V/m, (J) −11,3 V/m, (K) 1,06 V/m,
(L) 1,54 V/m, (M) −7,48 V/m, (N) 0,925 V/m, (O) 0,549 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 26,6 V, (B) 23,8 V, (C) 9,95 V, (D) 13,2 V, (E) 21,5 V, (F) 30,5 V, (G) 40,7 V, (H) 7,14 V,
(d) (I) 8,47 V, (J) 11,6 V, (K) 19,1 V, (L) 45,4 V, (M) 35,2 V, (e1:N ) 15,5 V, (Correto:O) 1,67 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼13,2 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 001

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 000 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 13,2 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 000 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 000 V
a> = 2,33 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,82 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =13,2 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,40 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 2,33 × 10−3 m, (B) 1,62 × 10−3 m, (C) 2,76 × 10−3 m, (D) 1,93 × 10−3 m, (E) 3,13 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,36 × 10−3 m,
Versão 001

(4 pontos) (A) 1,14 × 10−9 C, (B) 6,32 × 10−10 C, (C) 9,72 × 10−10 C, (D) 3,59 × 10−9 C, (E) 1,39 × 10−9 C,
(b) (F) 3,06 × 10−9 C, (G) 2,24 × 10−9 C, (H) 8,43 × 10−10 C, (I) 1,55 × 10−9 C, (Correto:J) 1,82 × 10−9 C,
(K) 2,02 × 10−9 C, (L) 2,51 × 10−9 C, (M) 7,44 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 5,60 × 10−6 m, (B) 3,87 × 10−6 m, (C) 3,40 × 10−6 m, (Correto:D) 4,40 × 10−6 m, (E) 4,87 ×
(c) 10−6 m, (F) 6,30 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 002

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
002
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−5,37 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,65 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,28 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,65 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,39 × 10−3 N, (B) −5,11 × 10−4 N, (C) −5,55 × 100 N, (e1:D) −6,28 × 10−4 N, (E) −9,12 ×
(a) 100
N, (F) −1,39×101 N, (G) −3,67×100 N, (H) −4,59×100 N, (I) −1,21×10−3 N, (Correto:J) −6,28×100 N,
(K) −1,67 × 101 N, (L) −2,57 × 100 N, (M) −4,30 × 10−4 N, (N) −7,66 × 10−4 N, (O) −2,27 × 100 N,

(5 pontos) (A) −6,80×10−4 J, (B) −7,30×10−2 J, (C) −1,99×10−1 J, (D) −1,38×10−1 J, (E) −8,39×10−2 J,
(b) (F) −3,30 × 10−1 J, (G) −1,02 × 10−1 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (Correto:I) −1,65 × 10−1 J, (J) −3,82 × 10−1 J,
(K) −2,43 × 10−1 J, (L) −2,76 × 10−1 J, (M) −1,17 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,77 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,184 mî, b) r⃗2 =0,536 m î, c) r⃗3 =1,06 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 002

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,184 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −59,1 V/m
r1 (0,184 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,890 V/m
r3 (1,06 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 11,3 V/m, (B) −26,1 V/m, (C) 6,22 V/m, (D) 4,03 V/m, (e1:E ) 6,96 V/m, (Cor-
(a) reto:F) −59,1 V/m, (G) − 196 V/m, (H) −46,7 V/m, (I) −33,9 V/m, (e3:J ) 6,96 V/m, (K) − 162 V/m,
(L) 4,77 V/m, (e2:M ) 3,48 V/m, (N) 9,83 V/m, (O) 8,10 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,7 V/m, (e2:B ) 3,48 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (D) 4,36 V/m, (E) 4,92 V/m,
(b) (F) 5,64 V/m, (G) −5,88 V/m, (H) −9,79 V/m, (I) −8,10 V/m, (J) 3,89 V/m, (K) 3,07 V/m,
(e1:L) −6,96 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,549 V/m, (B) 1,86 V/m, (C) 1,30 V/m, (D) 0,463 V/m, (E) 0,718 V/m, (Cor-
(c) reto:F) 0,890 V/m, (G) 0,640 V/m, (H) −6,05 V/m, (I) 1,54 V/m, (J) −8,26 V/m, (K) 1,10 V/m,
(L) −9,88 V/m, (M) −11,4 V/m, (N) 0,797 V/m, (e1:O) −6,96 V/m,

(2.5 pontos) (A) 16,0 V, (B) 24,5 V, (C) 35,2 V, (D) 28,4 V, (E) 31,5 V, (F) 8,03 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (H) 18,2 V, (e1:I ) 10,9 V, (J) 6,94 V, (K) 12,2 V, (L) 14,2 V, (M) 9,66 V, (N) 40,0 V, (e2:O) 20,3 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼16,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 002

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 720 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 16,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 720 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 720 V
a> = 3,24 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,50 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =16,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,53 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,80 × 10−3 m, (B) 1,51 × 10−3 m, (C) 2,26 × 10−3 m, (D) 2,88 × 10−3 m, (Correto:E) 3,24 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,01 × 10−3 m, (G) 2,55 × 10−3 m, (H) 1,37 × 10−3 m,
Versão 002

(4 pontos) (A) 1,48 × 10−9 C, (B) 9,19 × 10−10 C, (Correto:C) 3,50 × 10−9 C, (D) 2,46 × 10−9 C, (E) 2,14 ×
(b) 10−9 C, (F) 2,92 × 10−9 C, (G) 7,98 × 10−10 C, (H) 1,71 × 10−9 C, (I) 1,33 × 10−9 C, (J) 1,94 × 10−9 C,
(K) 7,14 × 10−10 C, (L) 6,26 × 10−10 C, (M) 1,17 × 10−9 C, (N) 1,06 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 4,97 × 10−6 m, (B) 4,00 × 10−6 m, (C) 6,13 × 10−6 m, (D) 3,50 × 10−6 m, (Correto:E) 5,53 ×
(c) 10−6 m, (F) 4,50 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 003

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
003
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−9,99 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,58 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,23 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −3,15 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,43×100 N, (B) −2,73×100 N, (C) −4,11×10−4 N, (D) −2,88×10−4 N, (E) −2,56×10−4 N,
(a) (e1:F ) −1,23×10−3 N, (G) −6,26×100 N, (Correto:H) −1,23×101 N, (I) −5,30×10−4 N, (J) −8,63×100 N,
(K) −3,88 × 100 N, (L) −8,73 × 10−4 N, (M) −1,89 × 101 N, (N) −4,98 × 100 N, (O) −7,54 × 100 N,

(5 pontos) (A) −1,02×10−1 J, (B) −6,80×10−4 J, (C) −1,84×10−1 J, (D) −2,33×10−1 J, (E) −7,02×10−2 J,
(b) (F) −1,61 × 10−1 J, (G) −2,09 × 10−1 J, (H) −8,27 × 10−2 J, (I) −6,22 × 10−2 J, (J) −9,15 × 10−2 J,
(K) −2,66×10−1 J, (Correto:L) −3,15×10−1 J, (M) −1,35×10−1 J, (N) −1,17×10−1 J, (O) −3,82×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,04 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,234 mî, b) r⃗2 =0,427 m î, c) r⃗3 =0,871 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 003

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,234 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −36,5 V/m
r1 (0,234 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,32 V/m
r3 (0,871 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −76,2 V/m, (B) −40,2 V/m, (C) 4,73 V/m, (D) 7,40 V/m, (E) 3,89 V/m, (F) 6,13 V/m,
(a) (G) −25,1 V/m, (Correto:H) −36,5 V/m, (e2:I ) 5,48 V/m, (J) 2,95 V/m, (K) −59,1 V/m, (e1:L) 11,0 V/m,
(e3:M ) 11,0 V/m, (N) −45,4 V/m, (O) 3,43 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,13 V/m, (e2:B ) 5,48 V/m, (C) 3,21 V/m, (D) 4,25 V/m, (E) 3,77 V/m, (F) −9,41 V/m,
(b) (G) −7,20 V/m, (Correto:H) 0 V/m, (I) 4,77 V/m, (J) 2,88 V/m, (e1:K ) −11,0 V/m, (L) −8,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,13 V/m, (B) 1,46 V/m, (Correto:C) 1,32 V/m, (D) 0,743 V/m, (e1:E ) −11,0 V/m,
(c) (F) 1,64 V/m, (G) 0,557 V/m, (H) −9,88 V/m, (I) −5,90 V/m, (J) 0,457 V/m, (K) −6,68 V/m,
(L) −8,23 V/m, (M) 0,650 V/m, (N) 1,87 V/m, (O) 0,890 V/m,

(2.5 pontos) (A) 13,5 V, (B) 25,4 V, (C) 15,7 V, (D) 18,0 V, (E) 22,4 V, (e2:F ) 20,0 V, (G) 34,1 V, (H) 28,8 V,
(d) (e1:I ) 8,55 V, (J) 10,4 V, (K) 44,0 V, (Correto:L) 1,67 V, (M) 12,1 V, (N) 38,4 V, (O) 7,41 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,8 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 003

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 240 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,8 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 240 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 240 V
a> = 1,41 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 6,66 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,8 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,93 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,07 × 10−3 m, (B) 2,37 × 10−3 m, (C) 3,24 × 10−3 m, (D) 1,77 × 10−3 m, (E) 1,58 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 1,41 × 10−3 m, (G) 2,75 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 9,99 × 10−10 C, (B) 5,96 × 10−10 C, (C) 8,83 × 10−10 C, (D) 1,43 × 10−9 C, (Correto:E) 6,66 ×
(b) 10−10 C, (F) 1,61 × 10−9 C, (G) 7,57 × 10−10 C, (H) 2,60 × 10−9 C, (I) 1,26 × 10−9 C, (J) 1,14 × 10−9 C,
(K) 1,91 × 10−9 C, (L) 2,24 × 10−9 C, (M) 3,51 × 10−9 C, (N) 3,19 × 10−9 C,
Versão 003

pontos) (A) 5,17 × 10−6 m, (Correto:B) 3,93 × 10−6 m, (C) 4,60 × 10−6 m, (D) 3,33 × 10−6 m, (E) 6,13 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
πr2 ; Área de esfera:
Área de cı́rculo: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 004

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
004
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,07 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,01 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −2,80 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −8,27 × 10−2 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,89 × 101 N, (Correto:B) −2,80 × 100 N, (C) −1,87 × 10−4 N, (e1:D) −2,80 × 10−4 N,
(E) −1,14 × 101 N, (F) −3,77 × 10−4 N, (G) −3,31 × 100 N, (H) −4,23 × 100 N, (I) −9,87 × 10−4 N,
(a) (J) −5,87 × 100 N, (K) −6,72 × 10−4 N, (L) −4,27 × 10−4 N, (M) −6,05 × 10−4 N, (N) −1,17 × 10−3 N,
(O) −7,97 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −9,19×10−2 J, (B) −1,27×10−1 J, (C) −6,80×10−4 J, (D) −1,40×10−1 J, (E) −2,44×10−1 J,
(b) (F) −7,30 × 10−2 J, (G) −1,64 × 10−1 J, (H) −1,98 × 10−1 J, (I) −2,21 × 10−1 J, (J) −1,14 × 10−1 J,
(K) −2,72×10−1 J, (L) −3,83×10−1 J, (Correto:M) −8,27×10−2 J, (N) −1,02×10−1 J, (O) −3,30×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,00 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,117 mî, b) r⃗2 =0,440 m î, c) r⃗3 =1,38 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 004

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,117 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 146 V/m
r1 (0,117 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,525 V/m
r3 (1,38 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 6,38 V/m, (B) −76,2 V/m, (C) 2,92 V/m, (D) −61,7 V/m, (E) 7,63 V/m, (Cor-
(a) reto:F) − 146 V/m, (e3:G) 10,3 V/m, (H) −53,1 V/m, (e1:I ) 10,3 V/m, (J) 11,4 V/m, (K) 4,51 V/m,
(L) − 110 V/m, (M) −28,5 V/m, (N) 8,98 V/m, (e2:O) 5,17 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,56 V/m, (B) −8,47 V/m, (C) −11,7 V/m, (e1:D) −10,3 V/m, (e2:E ) 5,17 V/m,
(b) (F) 2,97 V/m, (G) −7,57 V/m, (H) 3,61 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) −5,84 V/m, (K) 4,27 V/m,
(L) 5,83 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,04 V/m, (B) −7,20 V/m, (C) 0,812 V/m, (D) −11,8 V/m, (E) −8,33 V/m, (F) 1,37 V/m,
(c) (G) 0,718 V/m, (Correto:H) 0,525 V/m, (I) 0,640 V/m, (J) 0,463 V/m, (K) 1,53 V/m, (L) −9,21 V/m,
(M) 1,21 V/m, (N) −6,47 V/m, (e1:O) −10,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) 9,76 V, (B) 31,2 V, (C) 19,4 V, (D) 43,0 V, (E) 15,0 V, (F) 34,8 V, (e1:G) 17,1 V,
(d) (e2:H ) 38,9 V, (Correto:I) 1,67 V, (J) 8,55 V, (K) 7,02 V, (L) 11,2 V, (M) 26,4 V, (N) 13,5 V, (O) 23,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼17,9 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 004

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 540 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 17,9 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 540 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 540 V
a> = 1,85 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,14 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =17,9 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,97 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,83 × 10−3 m, (B) 2,33 × 10−3 m, (C) 1,65 × 10−3 m, (D) 1,37 × 10−3 m, (Correto:E) 1,85 ×
(a) 10−3 m, (F) 3,23 × 10−3 m, (G) 2,04 × 10−3 m,
Versão 004

(4 pontos) (A) 6,63 × 10−10 C, (B) 9,53 × 10−10 C, (C) 5,96 × 10−10 C, (D) 2,31 × 10−9 C, (E) 3,37 × 10−9 C,
(b) (F) 7,37 × 10−10 C, (G) 1,87 × 10−9 C, (H) 1,68 × 10−9 C, (Correto:I) 1,14 × 10−9 C, (J) 2,65 × 10−9 C,
(K) 1,39 × 10−9 C, (L) 2,07 × 10−9 C, (M) 8,65 × 10−10 C, (N) 2,97 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 4,10 × 10−6 m, (Correto:B) 5,97 × 10−6 m, (C) 4,53 × 10−6 m, (D) 5,10 × 10−6 m, (E) 6,63 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,50 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 005

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
005
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,13 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,56 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −8,93 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,26 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,32 × 10−3 N, (B) −7,97 × 10−4 N, (C) −5,86 × 100 N, (D) −4,38 × 10−4 N, (e1:E ) −8,93 ×
−4
(a) 10 N, (F) −5,46 × 10−4 N, (Correto:G) −8,93 × 100 N, (H) −1,17 × 101 N, (I) −9,87 × 100 N, (J) −3,79 ×
100 N, (K) −4,66 × 100 N, (L) −6,54 × 100 N, (M) −6,28 × 10−4 N, (N) −2,69 × 10−4 N, (O) −3,79 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −1,90 × 10−1 J, (B) −6,80 × 10−4 J, (C) −2,72 × 10−1 J, (D) −6,22 × 10−2 J, (Cor-
(b) reto:E) −2,26 × 10−1 J, (F) −1,17 × 10−1 J, (G) −1,67 × 10−1 J, (H) −3,22 × 10−1 J, (I) −3,83 × 10−1 J,
(J) −9,21 × 10−2 J, (K) −1,03 × 10−1 J, (L) −8,34 × 10−2 J, (M) −7,30 × 10−2 J, (N) −1,40 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,21 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,186 mî, b) r⃗2 =0,566 m î, c) r⃗3 =1,35 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 005

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,186 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −57,8 V/m
r1 (0,186 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,549 V/m
r3 (1,35 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e1:A) 6,24 V/m, (B) 3,70 V/m, (C) 5,33 V/m, (e2:D) 3,12 V/m, (E) −23,8 V/m, (F) − 185 V/m,
(a) (G) −32,5 V/m, (H) 8,54 V/m, (Correto:I) −57,8 V/m, (J) −46,7 V/m, (K) 11,3 V/m, (L) 9,83 V/m,
(M) 7,34 V/m, (N) 4,13 V/m, (e3:O) 6,24 V/m,

(2.5 pontos) (A) −9,45 V/m, (B) 4,41 V/m, (C) −7,17 V/m, (D) 3,56 V/m, (Correto:E) 0 V/m,
(b) (F) −10,9 V/m, (e1:G) −6,24 V/m, (H) 4,92 V/m, (e2:I ) 3,12 V/m, (J) 5,75 V/m, (K) 3,95 V/m,
(L) −8,06 V/m,

(2.5 pontos) (A) −9,05 V/m, (B) 0,620 V/m, (e1:C ) −6,24 V/m, (D) 0,683 V/m, (E) −6,91 V/m, (Cor-
(c) reto:F) 0,549 V/m, (G) 0,476 V/m, (H) −10,1 V/m, (I) −11,3 V/m, (J) 1,36 V/m, (K) −7,78 V/m,
(L) 1,87 V/m, (M) 0,826 V/m, (N) 1,11 V/m, (O) 0,925 V/m,

(2.5 pontos) (A) 24,9 V, (B) 8,62 V, (C) 30,9 V, (D) 9,66 V, (E) 17,0 V, (F) 37,3 V, (G) 12,3 V, (H) 7,69 V,
(d) (I) 27,7 V, (e2:J ) 19,0 V, (e1:K ) 10,8 V, (L) 15,0 V, (M) 6,67 V, (Correto:N) 1,67 V, (O) 22,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,2 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 005

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 960 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,2 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 960 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 960 V
a> = 1,65 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 9,12 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,2 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,07 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,14 × 10−3 m, (Correto:B) 1,65 × 10−3 m, (C) 1,46 × 10−3 m, (D) 2,47 × 10−3 m, (E) 3,01 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,93 × 10−3 m, (G) 3,32 × 10−3 m,
Versão 005

(4 pontos) (A) 2,46 × 10−9 C, (B) 2,73 × 10−9 C, (C) 2,17 × 10−9 C, (D) 3,60 × 10−9 C, (E) 1,74 × 10−9 C,
(b) (F) 1,29×10−9 C, (G) 6,32×10−10 C, (H) 1,49×10−9 C, (I) 7,95×10−10 C, (J) 1,01×10−9 C, (K) 3,17×10−9 C,
(L) 1,14 × 10−9 C, (M) 7,14 × 10−10 C, (Correto:N) 9,12 × 10−10 C, (O) 1,96 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 3,37 × 10−6 m, (B) 4,33 × 10−6 m, (Correto:C) 6,07 × 10−6 m, (D) 3,87 × 10−6 m, (E) 5,37 ×
(c) 10−6 m, (F) 4,83 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 006

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
006
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−5,92 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,72 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,58 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,77 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (e1:A) −6,58×10−4 N, (B) −1,14×10−3 N, (C) −3,83×100 N, (D) −7,54×100 N, (E) −4,17×10−4 N,
(a) (F) −4,22 × 100 N, (G) −1,42 × 10−3 N, (H) −5,55 × 10−4 N, (I) −6,12 × 10−6 N, (J) −2,39 × 10−4 N,
(K) −5,46×100 N, (L) −3,03×10−4 N, (M) −9,04×10−4 N, (Correto:N) −6,58×100 N, (O) −7,70×10−4 N,

(5 pontos) (Correto:A) −1,77 × 10−1 J, (B) −1,03 × 10−1 J, (C) −7,02 × 10−2 J, (D) −6,80 × 10−4 J,
(E) −1,26 × 10−1 J, (F) −2,65 × 10−1 J, (G) −3,83 × 10−1 J, (H) −1,59 × 10−1 J, (I) −7,83 × 10−2 J,
(b) (J) −6,22 × 10−2 J, (K) −2,02 × 10−1 J, (L) −3,15 × 10−1 J, (M) −2,24 × 10−1 J, (N) −8,71 × 10−2 J,
(O) −1,43 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,37 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,139 mî, b) r⃗2 =0,546 m î, c) r⃗3 =1,33 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 006

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,139 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 104 V/m
r1 (0,139 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,565 V/m
r3 (1,33 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 3,35 V/m, (B) −69,2 V/m, (C) 5,54 V/m, (D) −91,3 V/m, (E) 11,7 V/m, (F) 3,70 V/m,
(a) (G) 4,57 V/m, (H) 7,63 V/m, (e1:I ) 6,71 V/m, (J) −40,9 V/m, (e3:K ) 6,71 V/m, (L) −53,7 V/m,
(M) −23,9 V/m, (Correto:N) − 104 V/m, (O) −28,1 V/m,

(2.5 pontos) (A) 2,90 V/m, (B) 5,05 V/m, (e2:C ) 3,35 V/m, (e1:D) −6,71 V/m, (E) 3,94 V/m, (F) 4,36 V/m,
(b) (G) −11,8 V/m, (H) −8,30 V/m, (I) 5,72 V/m, (J) −6,01 V/m, (Correto:K) 0 V/m, (L) −9,83 V/m,
(M) −7,40 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,31 V/m, (B) −7,90 V/m, (C) 1,15 V/m, (D) 0,489 V/m, (Correto:E) 0,565 V/m,
(c) (F) −8,98 V/m, (G) 0,718 V/m, (H) 1,87 V/m, (I) −11,3 V/m, (J) 0,640 V/m, (e1:K ) −6,71 V/m,
(L) −5,92 V/m, (M) 0,857 V/m, (N) 1,01 V/m, (O) −9,88 V/m,

(2.5 pontos) (A) 17,0 V, (B) 19,8 V, (C) 7,17 V, (e2:D) 26,4 V, (E) 33,8 V, (F) 22,6 V, (G) 8,10 V, (H) 29,9 V,
(d) (I) 11,9 V, (J) 37,9 V, (K) 45,4 V, (Correto:L) 1,67 V, (e1:M ) 14,4 V, (N) 9,76 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 006

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 280 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 280 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 280 V
a> = 2,43 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,96 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,50 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,84 × 10−3 m, (Correto:B) 2,43 × 10−3 m, (C) 1,43 × 10−3 m, (D) 2,91 × 10−3 m, (E) 2,12 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,67 × 10−3 m, (G) 3,29 × 10−3 m,
Versão 006

(4 pontos) (A) 1,58 × 10−9 C, (B) 7,37 × 10−10 C, (C) 1,39 × 10−9 C, (D) 1,25 × 10−9 C, (E) 9,53 ×
(b) 10−10 C, (F) 2,31 × 10−9 C, (G) 2,83 × 10−9 C, (H) 3,61 × 10−9 C, (I) 3,28 × 10−9 C, (J) 8,36 × 10−10 C,
(Correto:K) 1,96 × 10−9 C, (L) 6,66 × 10−10 C, (M) 1,10 × 10−9 C, (N) 5,96 × 10−10 C, (O) 1,76 × 10−9 C,

pontos) (A) 3,87 × 10−6 m, (Correto:B) 3,50 × 10−6 m, (C) 5,23 × 10−6 m, (D) 6,40 × 10−6 m, (E) 4,50 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 007

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
007
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−5,63 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,66 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,54 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,72 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −9,91 × 10−4 N, (B) −8,00 × 100 N, (C) −1,28 × 101 N, (D) −4,34 × 100 N, (E) −2,27 × 10−4 N,
(a) (F) −5,55×100 N, (G) −2,80×100 N, (e1:H ) −6,54×10−4 N, (Correto:I) −6,54×100 N, (J) −3,04×10−4 N,
(K) −1,89 × 10−3 N, (L) −1,21 × 10−3 N, (M) −4,59 × 10−4 N, (N) −4,80 × 100 N, (O) −9,97 × 100 N,

(5 pontos) (A) −3,83×10−1 J, (B) −1,50×10−1 J, (C) −2,26×10−1 J, (D) −3,33×10−1 J, (E) −8,39×10−2 J,
(b) (F) −7,13 × 10−2 J, (G) −6,22 × 10−2 J, (H) −2,97 × 10−1 J, (I) −6,80 × 10−4 J, (J) −1,02 × 10−1 J,
(K) −1,18×10−1 J, (L) −2,65×10−1 J, (Correto:M) −1,72×10−1 J, (N) −1,31×10−1 J, (O) −2,04×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,08 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,228 mî, b) r⃗2 =0,471 m î, c) r⃗3 =1,25 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 007

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,228 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −38,5 V/m
r1 (0,228 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,640 V/m
r3 (1,25 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −29,1 V/m, (B) −56,6 V/m, (C) 6,83 V/m, (e1:D) 9,02 V/m, (E) 3,11 V/m, (Cor-
(a) reto:F) −38,5 V/m, (G) 5,86 V/m, (e2:H ) 4,51 V/m, (I) 11,4 V/m, (J) 3,64 V/m, (K) −24,3 V/m,
(L) −93,8 V/m, (e3:M ) 9,02 V/m, (N) 7,97 V/m, (O) 9,96 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,31 V/m, (B) −6,38 V/m, (C) −7,07 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) 5,24 V/m,
(b) (F) −11,8 V/m, (G) 5,92 V/m, (H) 2,96 V/m, (e1:I ) −9,02 V/m, (J) 3,95 V/m, (e2:K ) 4,51 V/m,
(L) −7,90 V/m, (M) −10,1 V/m,

(2.5 pontos) (A) −10,2 V/m, (e1:B ) −9,02 V/m, (C) −6,76 V/m, (D) 0,743 V/m, (E) −7,54 V/m, (Cor-
(c) reto:F) 0,640 V/m, (G) 0,469 V/m, (H) 1,86 V/m, (I) 0,961 V/m, (J) 1,32 V/m, (K) −5,92 V/m,
(L) 0,574 V/m, (M) 1,07 V/m, (N) 0,857 V/m, (O) 1,61 V/m,

(2.5 pontos) (A) 37,9 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 9,66 V, (e2:D) 18,6 V, (e1:E ) 8,77 V, (F) 7,49 V,
(d) (G) 30,7 V, (H) 26,6 V, (I) 15,6 V, (J) 43,0 V, (K) 33,9 V, (L) 13,5 V, (M) 22,5 V, (N) 12,0 V, (O) 10,9 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 007

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 980 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 980 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 980 V
a> = 2,66 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,36 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,33 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 2,66 × 10−3 m, (B) 1,35 × 10−3 m, (C) 3,08 × 10−3 m, (D) 2,22 × 10−3 m, (E) 1,84 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,55 × 10−3 m,
Versão 007

(4 pontos) (A) 3,61 × 10−9 C, (B) 1,90 × 10−9 C, (C) 9,72 × 10−10 C, (D) 1,25 × 10−9 C, (E) 6,20 × 10−10 C,
(b) (F) 3,18 × 10−9 C, (G) 2,83 × 10−9 C, (H) 1,11 × 10−9 C, (Correto:I) 2,36 × 10−9 C, (J) 8,36 × 10−10 C,
(K) 2,12 × 10−9 C, (L) 1,56 × 10−9 C, (M) 6,95 × 10−10 C, (N) 1,39 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 6,43 × 10−6 m, (B) 5,77 × 10−6 m, (C) 3,73 × 10−6 m, (D) 4,20 × 10−6 m, (Correto:E) 3,33 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,03 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 008

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
008
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,32 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,42 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = + 2 = −3,07 × 100 N
4πε0 r12 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,03 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −6,12 × 10−2 N, (Correto:B) −3,07 × 100 N, (C) −9,87 × 10−4 N, (D) −6,58 × 100 N,
(E) −2,57 × 10−4 N, (F) −6,13 × 10−4 N, (G) −6,99 × 10−4 N, (H) −1,99 × 100 N, (I) −7,59 × 100 N,
(a) (J) −2,57 × 100 N, (K) −4,52 × 100 N, (L) −5,40 × 100 N, (M) −1,21 × 10−3 N, (e1:N ) −3,07 × 10−4 N,
(O) −4,24 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −7,68 × 10−2 J, (Correto:B) −1,03 × 10−1 J, (C) −6,80 × 10−4 J, (D) −1,86 × 10−1 J,
(E) −3,28 × 10−1 J, (F) −1,17 × 10−1 J, (G) −2,10 × 10−1 J, (H) −2,64 × 10−1 J, (I) −2,91 × 10−1 J,
(b) (J) −6,22 × 10−2 J, (K) −8,48 × 10−2 J, (L) −1,36 × 10−1 J, (M) −2,39 × 10−1 J, (N) −1,57 × 10−1 J,
(O) −3,82 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =1,38 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,280 mî, b) r⃗2 =0,507 m î, c) r⃗3 =1,06 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 008

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,280 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −25,5 V/m
r1 (0,280 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,890 V/m
r3 (1,06 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 5,92 V/m, (B) 5,28 V/m, (C) 9,45 V/m, (D) −22,2 V/m, (E) 2,90 V/m, (F) −73,5 V/m,
(a) (G) 11,8 V/m, (e3:H ) 7,78 V/m, (e1:I ) 7,78 V/m, (e2:J ) 3,89 V/m, (K) 10,5 V/m, (L) 3,21 V/m,
(M) 4,40 V/m, (N) −83,2 V/m, (Correto:O) −25,5 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,19 V/m, (e1:B ) −7,78 V/m, (C) −6,18 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) 5,81 V/m,
(b) (F) −8,98 V/m, (G) −11,3 V/m, (H) 4,57 V/m, (e2:I ) 3,89 V/m, (J) −6,83 V/m, (K) 5,28 V/m, (L) 2,90 V/m,
(M) −10,2 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,61 V/m, (B) −8,98 V/m, (C) 1,21 V/m, (D) 0,661 V/m, (E) −6,76 V/m, (F) 0,783 V/m,
(c) (G) −6,01 V/m, (H) −10,8 V/m, (I) 0,496 V/m, (J) 1,93 V/m, (K) 1,38 V/m, (L) 0,583 V/m,
(e1:M ) −7,78 V/m, (Correto:N) 0,890 V/m, (O) 1,07 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) 7,14 V, (B) 10,9 V, (C) 34,1 V, (D) 9,66 V, (E) 24,9 V, (F) 12,3 V, (G) 19,4 V,
(d) (e2:H ) 14,1 V, (I) 8,70 V, (J) 29,3 V, (K) 44,0 V, (L) 15,8 V, (Correto:M) 1,67 V, (N) 22,2 V, (O) 38,1 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼16,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 008

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 310 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 16,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 310 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 310 V
a> = 2,10 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,48 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =16,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,53 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,62 × 10−3 m, (B) 2,71 × 10−3 m, (C) 3,03 × 10−3 m, (D) 1,81 × 10−3 m, (E) 1,41 × 10−3 m,
(a) (F) 2,41 × 10−3 m, (Correto:G) 2,10 × 10−3 m,
Versão 008

(4 pontos) (A) 1,74 × 10−9 C, (B) 2,11 × 10−9 C, (C) 1,29 × 10−9 C, (D) 2,83 × 10−9 C, (E) 7,95 × 10−10 C,
(b) (F) 3,39 × 10−9 C, (G) 2,53 × 10−9 C, (Correto:H) 1,48 × 10−9 C, (I) 6,92 × 10−10 C, (J) 1,10 × 10−9 C,
(K) 9,05 × 10−10 C, (L) 6,14 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 4,10 × 10−6 m, (B) 3,33 × 10−6 m, (C) 4,57 × 10−6 m, (Correto:D) 5,53 × 10−6 m, (E) 6,30 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,67 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 009

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
009
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,70 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,65 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −7,84 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,05 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (e1:A) −7,84×10−4 N, (B) −2,52×10−4 N, (C) −8,93×10−4 N, (D) −1,17×101 N, (E) −1,83×101 N,
(a) (F) −3,77 × 100 N, (G) −2,88 × 10−4 N, (H) −4,90 × 100 N, (I) −5,55 × 100 N, (Correto:J) −7,84 × 100 N,
(K) −4,59 × 10−4 N, (L) −8,73 × 100 N, (M) −1,30 × 10−3 N, (N) −3,31 × 10−4 N, (O) −1,30 × 101 N,

(5 pontos) (A) −6,80×10−4 J, (B) −1,62×10−1 J, (C) −2,46×10−1 J, (D) −2,95×10−1 J, (E) −1,43×10−1 J,
(b) (F) −3,84 × 10−1 J, (G) −6,22 × 10−2 J, (H) −1,81 × 10−1 J, (I) −7,68 × 10−2 J, (J) −9,35 × 10−2 J,
(K) −1,26 × 10−1 J, (L) −3,26 × 10−1 J, (M) −1,10 × 10−1 J, (Correto:N) −2,05 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,47 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,221 mî, b) r⃗2 =0,565 m î, c) r⃗3 =0,764 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 009

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,221 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −40,9 V/m
r1 (0,221 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,71 V/m
r3 (0,764 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 9,49 V/m, (B) 5,07 V/m, (C) 3,64 V/m, (D) −88,9 V/m, (E) −66,1 V/m, (F) 7,20 V/m,
(a) (e3:G) 6,27 V/m, (Correto:H) −40,9 V/m, (I) 4,05 V/m, (J) − 146 V/m, (K) −32,5 V/m, (L) 8,10 V/m,
(M) 10,8 V/m, (e1:N ) 6,27 V/m, (e2:O) 3,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,49 V/m, (B) 3,94 V/m, (e2:C ) 3,13 V/m, (D) −7,48 V/m, (E) −10,1 V/m, (F) 5,28 V/m,
(b) (Correto:G) 0 V/m, (H) −8,94 V/m, (I) −11,7 V/m, (J) 4,75 V/m, (e1:K ) −6,27 V/m, (L) 5,83 V/m,

(2.5 pontos) (A) −10,8 V/m, (B) 1,41 V/m, (C) 1,01 V/m, (D) 0,842 V/m, (E) 0,592 V/m, (Cor-
(c) reto:F) 1,71 V/m, (G) 0,450 V/m, (e1:H ) −6,27 V/m, (I) 0,743 V/m, (J) 0,503 V/m, (K) −9,29 V/m,
(L) −7,12 V/m, (M) 0,661 V/m, (N) 1,26 V/m, (O) −8,20 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,67 V, (B) 20,0 V, (C) 28,7 V, (D) 12,5 V, (E) 25,4 V, (F) 13,9 V, (e2:G) 16,0 V,
(d) (H) 34,1 V, (I) 22,3 V, (J) 18,1 V, (K) 10,9 V, (L) 44,0 V, (M) 40,0 V, (e1:N ) 9,05 V, (O) 7,43 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼15,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 009

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 850 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 15,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 850 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 850 V
a> = 2,28 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 1,74 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =15,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,78 × 10−3 m, (B) 1,52 × 10−3 m, (C) 1,93 × 10−3 m, (D) 3,14 × 10−3 m, (E) 1,69 × 10−3 m,
(a) (F) 1,33 × 10−3 m, (G) 2,52 × 10−3 m, (Correto:H) 2,28 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 1,56 × 10−9 C, (Correto:B) 1,74 × 10−9 C, (C) 2,71 × 10−9 C, (D) 2,27 × 10−9 C, (E) 7,14 ×
(b) 10−10 C, (F) 8,36 × 10−10 C, (G) 1,37 × 10−9 C, (H) 1,14 × 10−9 C, (I) 6,26 × 10−10 C, (J) 3,28 × 10−9 C,
(K) 3,67 × 10−9 C, (L) 1,98 × 10−9 C, (M) 9,76 × 10−10 C,
Versão 009

(2 pontos) (A) 4,67 × 10−6 m, (B) 4,10 × 10−6 m, (C) 6,47 × 10−6 m, (Correto:D) 5,20 × 10−6 m, (E) 5,73 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,40 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 010

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
010
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−9,75 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =4,00 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −5,11 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,99 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (e1:A) −5,11×10−4 N, (B) −9,20×10−4 N, (C) −3,07×10−4 N, (D) −4,24×100 N, (E) −8,83×100 N,
(a) (F) −6,22 × 100 N, (G) −1,33 × 10−3 N, (H) −6,17 × 10−4 N, (I) −1,54 × 101 N, (Correto:J) −5,11 × 100 N,
(K) −1,17 × 10−3 N, (L) −7,32 × 10−4 N, (M) −3,87 × 10−4 N, (N) −8,10 × 10−4 N, (O) −1,14 × 101 N,

(5 pontos) (A) −6,22 × 10−2 J, (B) −1,74 × 10−1 J, (C) −1,09 × 10−1 J, (D) −2,22 × 10−1 J, (Cor-
(b) reto:E) −1,99 × 10−1 J, (F) −1,26 × 10−1 J, (G) −8,27 × 10−2 J, (H) −3,26 × 10−1 J, (I) −1,45 × 10−1 J,
(J) −6,80 × 10−4 J, (K) −2,72 × 10−1 J, (L) −3,84 × 10−1 J, (M) −7,33 × 10−2 J, (N) −9,46 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,20 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,127 mî, b) r⃗2 =0,453 m î, c) r⃗3 =0,842 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 010

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,127 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 124 V/m
r1 (0,127 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,41 V/m
r3 (0,842 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 6,54 V/m, (B) −35,9 V/m, (C) 3,19 V/m, (D) 3,97 V/m, (E) −40,6 V/m, (F) 5,38 V/m,
(a) (G) 7,28 V/m, (e3:H ) 9,75 V/m, (I) 11,2 V/m, (Correto:J) − 124 V/m, (K) −23,8 V/m, (L) − 196 V/m,
(M) 8,72 V/m, (e1:N ) 9,75 V/m, (e2:O) 4,87 V/m,

(2.5 pontos) (A) 2,88 V/m, (e2:B ) 4,87 V/m, (C) −11,7 V/m, (e1:D) −9,75 V/m, (E) 4,06 V/m,
(b) (F) −6,38 V/m, (G) 3,32 V/m, (Correto:H) 0 V/m, (I) −7,45 V/m, (J) 5,64 V/m, (K) −8,57 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,450 V/m, (B) 0,783 V/m, (C) −7,40 V/m, (D) −8,33 V/m, (e1:E ) −9,75 V/m,
(c) (F) 0,640 V/m, (G) 1,96 V/m, (H) 0,503 V/m, (I) −6,40 V/m, (J) 0,574 V/m, (K) 1,11 V/m, (Cor-
reto:L) 1,41 V/m, (M) 0,890 V/m, (N) 1,63 V/m, (O) −11,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) 39,3 V, (B) 7,14 V, (Correto:C) 1,67 V, (D) 14,1 V, (e2:E ) 34,8 V, (F) 28,7 V, (G) 11,7 V,
(d) (H) 44,0 V, (I) 8,10 V, (e1:J ) 15,7 V, (K) 24,9 V, (L) 22,3 V, (M) 19,0 V, (N) 10,5 V, (O) 9,52 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 010

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 290 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 290 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 290 V
a> = 1,43 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 6,82 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,83 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 1,43 × 10−3 m, (B) 3,18 × 10−3 m, (C) 1,58 × 10−3 m, (D) 2,24 × 10−3 m, (E) 1,85 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,66 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 1,56 × 10−9 C, (B) 9,12 × 10−10 C, (C) 2,23 × 10−9 C, (D) 3,13 × 10−9 C, (E) 6,08 × 10−10 C,
(b) (F) 1,88 × 10−9 C, (G) 1,03 × 10−9 C, (Correto:H) 6,82 × 10−10 C, (I) 1,29 × 10−9 C, (J) 7,98 × 10−10 C,
(K) 2,68 × 10−9 C, (L) 3,63 × 10−9 C, (M) 1,14 × 10−9 C,
Versão 010

pontos) (Correto:A) 3,83 × 10−6 m, (B) 5,20 × 10−6 m, (C) 3,33 × 10−6 m, (D) 6,07 × 10−6 m, (E) 4,27 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
πr2 ; Área de esfera:
Área de cı́rculo: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 011

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
011
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,12 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,35 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −5,26 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,73 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,17 × 101 N, (B) −1,21 × 10−3 N, (C) −8,89 × 100 N, (D) −2,88 × 10−4 N, (E) −1,91 × 100 N,
(a) (F) −1,42 × 10−3 N, (G) −4,50 × 10−4 N, (H) −9,91 × 10−4 N, (I) −2,57 × 100 N, (Correto:J) −5,26 × 100 N,
(K) −8,83 × 10−4 N, (e1:L) −5,26 × 10−4 N, (M) −6,05 × 10−4 N, (N) −4,57 × 100 N, (O) −6,12 × 10−6 N,

(5 pontos) (A) −1,10×10−1 J, (B) −2,12×10−1 J, (C) −2,69×10−1 J, (D) −3,14×10−1 J, (E) −3,83×10−1 J,
(b) (F) −2,40 × 10−1 J, (G) −7,33 × 10−2 J, (Correto:H) −1,73 × 10−1 J, (I) −6,22 × 10−2 J, (J) −1,30 × 10−1 J,
(K) −9,35 × 10−2 J, (L) −8,14 × 10−2 J, (M) −6,80 × 10−4 J, (N) −1,48 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,62 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,193 mî, b) r⃗2 =0,493 m î, c) r⃗3 =1,40 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 011

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,193 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −53,7 V/m
r1 (0,193 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,510 V/m
r3 (1,40 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −69,2 V/m, (B) 10,9 V/m, (C) −37,8 V/m, (D) −33,3 V/m, (e2:E ) 4,11 V/m,
(a) (e3:F ) 8,23 V/m, (G) − 104 V/m, (H) 6,64 V/m, (I) −29,8 V/m, (Correto:J) −53,7 V/m, (K) 3,42 V/m,
(L) 9,17 V/m, (M) 2,90 V/m, (e1:N ) 8,23 V/m, (O) 4,57 V/m,

(2.5 pontos) (A) 2,98 V/m, (B) 3,38 V/m, (e2:C ) 4,11 V/m, (D) −6,76 V/m, (Correto:E) 0 V/m,
(b) (e1:F ) −8,23 V/m, (G) −10,4 V/m, (H) −11,5 V/m, (I) 4,87 V/m, (J) −5,95 V/m, (K) −9,13 V/m,
(L) 5,75 V/m,

(2.5 pontos) (A) 2,01 V/m, (B) −11,3 V/m, (C) 0,797 V/m, (D) 0,620 V/m, (E) 1,40 V/m, (F) 1,67 V/m,
(c) (G) −10,1 V/m, (H) 0,890 V/m, (I) −7,12 V/m, (e1:J ) −8,23 V/m, (K) 1,11 V/m, (Correto:L) 0,510 V/m,
(M) −5,80 V/m, (N) 0,683 V/m, (O) −6,40 V/m,

(2.5 pontos) (A) 13,5 V, (B) 28,7 V, (C) 7,02 V, (D) 8,47 V, (E) 18,3 V, (F) 32,6 V, (G) 9,35 V, (H) 11,8 V,
(d) (I) 40,2 V, (J) 46,5 V, (K) 16,4 V, (Correto:L) 1,67 V, (e1:M ) 10,4 V, (N) 24,8 V, (e2:O) 21,0 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 011

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 200 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 200 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 200 V
a> = 2,07 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,43 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,00 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,85 × 10−3 m, (Correto:B) 2,07 × 10−3 m, (C) 1,67 × 10−3 m, (D) 3,29 × 10−3 m, (E) 2,39 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,41 × 10−3 m, (G) 2,85 × 10−3 m,
Versão 011

(4 pontos) (A) 2,73 × 10−9 C, (B) 1,58 × 10−9 C, (Correto:C) 1,43 × 10−9 C, (D) 3,38 × 10−9 C, (E) 1,17 ×
(b) 10−9 C, (F) 7,84 × 10−10 C, (G) 5,93 × 10−10 C, (H) 2,24 × 10−9 C, (I) 9,57 × 10−10 C, (J) 3,03 × 10−9 C,
(K) 1,76 × 10−9 C, (L) 6,92 × 10−10 C, (M) 1,96 × 10−9 C,

pontos) (A) 5,17 × 10−6 m, (B) 3,70 × 10−6 m, (C) 6,63 × 10−6 m, (Correto:D) 6,00 × 10−6 m, (E) 4,43 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 012

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
012
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,96 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,47 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,18 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,10 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,92×100 N, (B) −9,12×10−4 N, (C) −7,70×10−4 N, (D) −1,42×10−3 N, (E) −4,85×10−4 N,
(a) (F) −2,89 × 100 N, (G) −4,61 × 100 N, (H) −1,23 × 101 N, (Correto:I) −6,18 × 100 N, (J) −7,97 × 100 N,
(K) −4,24 × 10−4 N, (L) −9,89 × 100 N, (M) −5,38 × 100 N, (N) −1,64 × 10−3 N, (e1:O) −6,18 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −1,38×10−1 J, (B) −1,11×10−1 J, (C) −1,73×10−1 J, (D) −1,54×10−1 J, (E) −7,94×10−2 J,
(b) (F) −3,84 × 10−1 J, (G) −2,56 × 10−1 J, (H) −9,19 × 10−2 J, (I) −6,80 × 10−4 J, (J) −3,18 × 10−1 J,
(K) −7,13 × 10−2 J, (Correto:L) −2,10 × 10−1 J, (M) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,65 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,279 mî, b) r⃗2 =0,544 m î, c) r⃗3 =0,949 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 012

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,279 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −25,7 V/m
r1 (0,279 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,11 V/m
r3 (0,949 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 5,36 V/m, (B) −60,4 V/m, (Correto:C) −25,7 V/m, (D) −69,2 V/m, (e1:E ) 6,76 V/m,
(a) (F) 11,7 V/m, (G) 10,5 V/m, (H) 5,92 V/m, (e2:I ) 3,38 V/m, (J) 8,16 V/m, (K) 9,29 V/m, (e3:L) 6,76 V/m,
(M) 4,08 V/m, (N) −35,9 V/m, (O) 2,88 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 3,38 V/m, (B) −11,3 V/m, (C) −8,47 V/m, (D) −7,45 V/m, (E) 2,91 V/m, (F) −5,97 V/m,
(b) (G) 4,23 V/m, (H) −10,1 V/m, (I) 3,83 V/m, (Correto:J) 0 V/m, (K) 5,43 V/m, (L) 4,73 V/m,
(e1:M ) −6,76 V/m,

(2.5 pontos) (A) −9,79 V/m, (B) 0,463 V/m, (C) 0,650 V/m, (D) −8,68 V/m, (E) 1,62 V/m, (F) −11,5 V/m,
(c) (G) 0,812 V/m, (H) −5,88 V/m, (I) 0,541 V/m, (J) 0,961 V/m, (e1:K ) −6,76 V/m, (L) 1,89 V/m,
(M) −7,54 V/m, (N) 1,43 V/m, (Correto:O) 1,11 V/m,

(2.5 pontos) (A) 8,55 V, (B) 14,7 V, (e1:C ) 7,17 V, (D) 18,1 V, (E) 10,8 V, (F) 9,66 V, (G) 44,0 V, (H) 16,4 V,
(d) (I) 22,6 V, (J) 20,3 V, (K) 26,4 V, (e2:L) 13,2 V, (M) 38,1 V, (Correto:N) 1,67 V, (O) 32,6 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,1 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 012

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 630 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,1 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 630 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 630 V
a> = 2,88 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,76 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,1 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,37 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,42 × 10−3 m, (B) 1,78 × 10−3 m, (C) 1,59 × 10−3 m, (D) 3,32 × 10−3 m, (E) 1,96 × 10−3 m,
(a) (F) 2,22 × 10−3 m, (Correto:G) 2,88 × 10−3 m, (H) 2,59 × 10−3 m,
Versão 012

(4 pontos) (A) 8,43 × 10−10 C, (B) 1,28 × 10−9 C, (C) 3,50 × 10−9 C, (Correto:D) 2,76 × 10−9 C, (E) 3,13 ×
(b) 10−9 C, (F) 9,76 × 10−10 C, (G) 1,58 × 10−9 C, (H) 6,63 × 10−10 C, (I) 1,88 × 10−9 C, (J) 7,57 × 10−10 C,
(K) 2,17 × 10−9 C, (L) 5,96 × 10−10 C, (M) 1,14 × 10−9 C, (N) 2,44 × 10−9 C,

(2 pontos) (Correto:A) 3,37 × 10−6 m, (B) 4,20 × 10−6 m, (C) 4,77 × 10−6 m, (D) 5,53 × 10−6 m, (E) 3,77 ×
(c) 10−6 m, (F) 6,30 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 013

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
013
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,89 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,87 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −8,89 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,52 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,79 × 10−4 N, (B) −9,97 × 10−4 N, (C) −4,90 × 10−4 N, (e1:D) −8,89 × 10−4 N, (E) −6,54 ×
(a) 100 N, (F) −2,27 × 10−4 N, (G) −2,80 × 10−4 N, (H) −1,17 × 101 N, (I) −1,03 × 101 N, (J) −4,24 × 10−4 N,
(K) −6,75 × 10−4 N, (Correto:L) −8,89 × 100 N, (M) −3,15 × 100 N, (N) −1,50 × 101 N, (O) −5,74 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −1,02×10−1 J, (B) −1,48×10−1 J, (C) −1,28×10−1 J, (D) −8,34×10−2 J, (E) −2,16×10−1 J,
(b) (F) −6,22 × 10−2 J, (G) −1,93 × 10−1 J, (H) −3,82 × 10−1 J, (I) −2,93 × 10−1 J, (J) −7,13 × 10−2 J,
(K) −1,14×10−1 J, (L) −3,41×10−1 J, (M) −9,21×10−2 J, (Correto:N) −2,52×10−1 J, (O) −1,67×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =3,98 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,189 mî, b) r⃗2 =0,417 m î, c) r⃗3 =1,19 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 013

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,189 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −56,0 V/m
r1 (0,189 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,706 V/m
r3 (1,19 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e3:A) 11,5 V/m, (B) −24,1 V/m, (C) 3,38 V/m, (D) 4,08 V/m, (E) 7,97 V/m, (e1:F ) 11,5 V/m,
(a) (G) −26,6 V/m, (H) − 120 V/m, (I) 9,05 V/m, (J) 10,3 V/m, (K) −35,0 V/m, (Correto:L) −56,0 V/m,
(M) 6,73 V/m, (e2:N ) 5,75 V/m, (O) −47,6 V/m,

(2.5 pontos) (A) 2,88 V/m, (B) −9,88 V/m, (C) 4,05 V/m, (e2:D) 5,75 V/m, (E) 4,53 V/m, (F) −8,86 V/m,
(b) (G) 3,20 V/m, (e1:H ) −11,5 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) −6,73 V/m, (K) −5,88 V/m, (L) 3,64 V/m,
(M) −7,57 V/m, (N) 5,05 V/m,

(2.5 pontos) (A) −9,92 V/m, (B) 1,00 V/m, (C) −5,77 V/m, (D) −7,28 V/m, (E) −6,42 V/m,
(c) (e1:F ) −11,5 V/m, (G) 1,77 V/m, (H) 1,12 V/m, (I) −8,20 V/m, (J) 0,450 V/m, (Correto:K) 0,706 V/m,
(L) 1,26 V/m, (M) 0,592 V/m, (N) 1,47 V/m, (O) 0,826 V/m,

(2.5 pontos) (A) 20,3 V, (B) 7,72 V, (C) 12,4 V, (D) 22,5 V, (E) 6,85 V, (F) 31,8 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (H) 17,0 V, (e2:I ) 25,4 V, (J) 8,62 V, (K) 28,7 V, (L) 45,4 V, (M) 38,9 V, (N) 13,8 V, (e1:O) 10,6 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,1 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 013

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 460 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,1 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 460 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 460 V
a> = 2,82 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,65 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,1 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,03 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,03 × 10−3 m, (B) 1,34 × 10−3 m, (Correto:C) 2,82 × 10−3 m, (D) 2,24 × 10−3 m, (E) 1,49 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,82 × 10−3 m, (G) 2,49 × 10−3 m, (H) 3,26 × 10−3 m,
Versão 013

(4 pontos) (A) 3,17 × 10−9 C, (B) 1,37 × 10−9 C, (C) 6,66 × 10−10 C, (D) 8,43 × 10−10 C, (E) 3,63 ×
(b) 10−9 C, (F) 2,20 × 10−9 C, (G) 5,96 × 10−10 C, (H) 1,88 × 10−9 C, (I) 1,14 × 10−9 C, (J) 1,00 × 10−9 C,
(Correto:K) 2,65 × 10−9 C, (L) 1,70 × 10−9 C, (M) 1,51 × 10−9 C, (N) 7,44 × 10−10 C,

pontos) (A) 3,33 × 10−6 m, (B) 5,03 × 10−6 m, (C) 4,27 × 10−6 m, (D) 3,73 × 10−6 m, (Correto:E) 6,03 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 014

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
014
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,87 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,25 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,17 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,97 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −7,78×10−4 N, (B) −1,36×10−3 N, (C) −4,24×10−4 N, (D) −3,31×10−4 N, (E) −1,23×101 N,
(a) (F) −2,57 × 100 N, (G) −9,12 × 100 N, (H) −9,12 × 10−4 N, (I) −4,99 × 100 N, (Correto:J) −6,17 × 100 N,
(K) −5,46 × 10−4 N, (e1:L) −6,17 × 10−4 N, (M) −2,27 × 10−4 N, (N) −1,12 × 10−3 N, (O) −4,49 × 100 N,

(5 pontos) (A) −2,97×10−1 J, (B) −1,57×10−1 J, (C) −3,82×10−1 J, (D) −1,18×10−1 J, (E) −2,66×10−1 J,
(b) (F) −9,64 × 10−2 J, (G) −8,71 × 10−2 J, (H) −6,80 × 10−4 J, (I) −7,68 × 10−2 J, (Correto:J) −1,97 × 10−1 J,
(K) −1,34 × 10−1 J, (L) −2,26 × 10−1 J, (M) −3,41 × 10−1 J, (N) −1,74 × 10−1 J, (O) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =1,12 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,207 mî, b) r⃗2 =0,538 m î, c) r⃗3 =1,34 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 014

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,207 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −46,7 V/m
r1 (0,207 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,557 V/m
r3 (1,34 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −30,5 V/m, (B) 8,57 V/m, (C) 4,15 V/m, (D) 3,01 V/m, (E) 10,0 V/m, (F) 11,5 V/m,
(a) (G) 4,77 V/m, (e2:H ) 3,45 V/m, (I) 5,77 V/m, (J) −39,2 V/m, (K) −25,3 V/m, (Correto:L) −46,7 V/m,
(e1:M ) 6,91 V/m, (N) −74,4 V/m, (e3:O) 6,91 V/m,

(2.5 pontos) (A) 5,56 V/m, (B) 5,00 V/m, (C) −6,09 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) 4,47 V/m,
(b) (F) −10,2 V/m, (G) 2,90 V/m, (e1:H ) −6,91 V/m, (I) −9,02 V/m, (J) −7,66 V/m, (e2:K ) 3,45 V/m,
(L) 3,84 V/m, (M) −11,5 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,812 V/m, (B) 0,706 V/m, (C) −8,47 V/m, (D) −7,69 V/m, (E) 0,961 V/m,
(c) (e1:F ) −6,91 V/m, (G) 1,64 V/m, (H) −11,9 V/m, (I) 0,620 V/m, (J) 1,87 V/m, (K) −5,77 V/m,
(L) 0,476 V/m, (M) −9,53 V/m, (Correto:N) 0,557 V/m, (O) −10,6 V/m,

(2.5 pontos) (A) 29,6 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 8,26 V, (D) 15,3 V, (E) 19,8 V, (F) 33,9 V, (G) 37,3 V,
(d) (H) 13,1 V, (I) 11,0 V, (e1:J ) 9,66 V, (K) 46,5 V, (L) 7,41 V, (M) 26,1 V, (e2:N ) 18,0 V, (O) 22,4 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,8 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 014

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 760 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,8 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 760 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 760 V
a> = 2,59 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,23 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,8 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,60 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,33 × 10−3 m, (B) 1,36 × 10−3 m, (C) 2,89 × 10−3 m, (D) 1,73 × 10−3 m, (E) 3,24 × 10−3 m,
(a) (F) 1,54 × 10−3 m, (Correto:G) 2,59 × 10−3 m, (H) 2,02 × 10−3 m,
Versão 014

(4 pontos) (Correto:A) 2,23 × 10−9 C, (B) 3,38 × 10−9 C, (C) 7,67 × 10−10 C, (D) 8,97 × 10−10 C, (E) 1,50 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,00 × 10−9 C, (G) 2,69 × 10−9 C, (H) 1,96 × 10−9 C, (I) 1,70 × 10−9 C, (J) 1,10 × 10−9 C,
(K) 6,20 × 10−10 C, (L) 3,02 × 10−9 C, (M) 1,28 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 3,97 × 10−6 m, (B) 5,23 × 10−6 m, (C) 4,43 × 10−6 m, (Correto:D) 3,60 × 10−6 m, (E) 6,43 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,77 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 015

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
015
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,92 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,48 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −2,69 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −9,15 × 10−2 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,08 × 10−4 N, (B) −8,73 × 10−4 N, (e1:C ) −2,69 × 10−4 N, (D) −1,64 × 101 N, (E) −3,67 ×
(a) 100
N, (Correto:F) −2,69×100 N, (G) −4,29×100 N, (H) −9,87×100 N, (I) −1,14×101 N, (J) −6,98×10−4 N,
(K) −6,13 × 10−4 N, (L) −7,84 × 100 N, (M) −5,40 × 10−4 N, (N) −6,10 × 100 N, (O) −1,21 × 10−3 N,

(5 pontos) (A) −1,18×10−1 J, (B) −6,80×10−4 J, (C) −1,32×10−1 J, (D) −1,65×10−1 J, (E) −2,21×10−1 J,
(b) (F) −3,15 × 10−1 J, (G) −8,13 × 10−2 J, (H) −1,05 × 10−1 J, (I) −6,22 × 10−2 J, (J) −2,63 × 10−1 J,
(K) −3,82×10−1 J, (Correto:L) −9,15×10−2 J, (M) −1,89×10−1 J, (N) −1,48×10−1 J, (O) −7,20×10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,51 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,217 mî, b) r⃗2 =0,532 m î, c) r⃗3 =1,41 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 015

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,217 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −42,5 V/m
r1 (0,217 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,503 V/m
r3 (1,41 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 4,03 V/m, (B) −99,2 V/m, (e1:C ) 7,07 V/m, (D) 2,96 V/m, (E) 6,07 V/m, (F) −53,7 V/m,
(a) (e2:G) 3,53 V/m, (H) − 189 V/m, (I) 10,5 V/m, (e3:J ) 7,07 V/m, (K) 4,87 V/m, (Correto:L) −42,5 V/m,
(M) 8,16 V/m, (N) −84,3 V/m, (O) −32,8 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −7,07 V/m, (B) −9,53 V/m, (C) 5,95 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) −5,88 V/m,
(b) (F) 4,40 V/m, (G) −8,20 V/m, (H) −10,9 V/m, (I) 3,11 V/m, (J) 4,00 V/m, (K) 4,96 V/m, (e2:L) 3,53 V/m,

(2.5 pontos) (A) −8,79 V/m, (Correto:B) 0,503 V/m, (C) −10,9 V/m, (e1:D) −7,07 V/m, (E) 1,95 V/m,
(c) (F) 1,30 V/m, (G) −7,87 V/m, (H) 0,826 V/m, (I) 0,610 V/m, (J) −9,79 V/m, (K) 1,12 V/m, (L) 0,683 V/m,
(M) 0,943 V/m, (N) −5,95 V/m, (O) 1,47 V/m,

(2.5 pontos) (A) 34,1 V, (B) 19,6 V, (e1:C ) 9,22 V, (D) 22,5 V, (E) 26,6 V, (F) 6,73 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (H) 29,9 V, (I) 10,9 V, (e2:J ) 17,3 V, (K) 15,3 V, (L) 12,3 V, (M) 7,91 V, (N) 13,7 V, (O) 40,0 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼15,7 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 015

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 470 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 15,7 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 470 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 470 V
a> = 2,49 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 2,07 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =15,7 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,23 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,52 × 10−3 m, (B) 3,18 × 10−3 m, (Correto:C) 2,49 × 10−3 m, (D) 1,69 × 10−3 m, (E) 2,04 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,86 × 10−3 m, (G) 1,36 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 1,29 × 10−9 C, (B) 7,57 × 10−10 C, (C) 9,99 × 10−10 C, (D) 9,05 × 10−10 C, (E) 2,90 × 10−9 C,
(b) (F) 2,49 × 10−9 C, (Correto:G) 2,07 × 10−9 C, (H) 3,39 × 10−9 C, (I) 6,14 × 10−10 C, (J) 1,81 × 10−9 C,
(K) 1,14 × 10−9 C, (L) 1,58 × 10−9 C,
Versão 015

(2 pontos) (A) 5,77 × 10−6 m, (B) 4,20 × 10−6 m, (C) 4,70 × 10−6 m, (D) 3,63 × 10−6 m, (Correto:E) 5,23 ×
(c) 10−6 m, (F) 6,43 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 016

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
016
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,50 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,21 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −3,62 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,14 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −8,93×10−4 N, (B) −7,54×100 N, (C) −3,21×10−4 N, (D) −4,99×10−4 N, (E) −1,67×101 N,
(a) (F) −9,87 × 100 N, (G) −4,40 × 10−4 N, (H) −2,88 × 10−4 N, (I) −1,23 × 101 N, (J) −5,87 × 100 N,
(K) −6,77×100 N, (L) −3,07×100 N, (e1:M ) −3,62×10−4 N, (N) −6,54×10−4 N, (Correto:O) −3,62×100 N,

(5 pontos) (A) −1,51 × 10−1 J, (B) −7,88 × 10−2 J, (C) −6,22 × 10−2 J, (Correto:D) −1,14 × 10−1 J,
(E) −1,75 × 10−1 J, (F) −3,15 × 10−1 J, (G) −1,01 × 10−1 J, (H) −3,60 × 10−1 J, (I) −2,69 × 10−1 J,
(b) (J) −6,80 × 10−4 J, (K) −9,05 × 10−2 J, (L) −2,21 × 10−1 J, (M) −7,02 × 10−2 J, (N) −1,30 × 10−1 J,
(O) −1,99 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,31 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,244 mî, b) r⃗2 =0,574 m î, c) r⃗3 =1,27 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 016

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,244 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −33,6 V/m
r1 (0,244 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,620 V/m
r3 (1,27 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e3:A) 6,07 V/m, (B) 4,36 V/m, (C) 11,6 V/m, (D) 5,43 V/m, (E) −23,0 V/m, (e2:F ) 3,04 V/m,
(a) (G) −26,1 V/m, (Correto:H) −33,6 V/m, (I) −60,4 V/m, (J) −75,3 V/m, (K) 6,86 V/m, (e1:L) 6,07 V/m,
(M) −52,6 V/m, (N) 9,05 V/m, (O) − 196 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,68 V/m, (B) 3,38 V/m, (e1:C ) −6,07 V/m, (D) 5,62 V/m, (E) −7,63 V/m, (F) 4,45 V/m,
(b) (e2:G) 3,04 V/m, (H) 3,97 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) −9,96 V/m, (K) 4,98 V/m, (L) −11,6 V/m,
(M) −8,61 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,83 V/m, (B) 1,30 V/m, (C) 0,890 V/m, (D) −9,21 V/m, (E) 0,463 V/m, (F) 0,743 V/m,
(c) (G) −8,10 V/m, (H) 0,541 V/m, (I) 1,10 V/m, (J) 1,99 V/m, (e1:K ) −6,07 V/m, (L) −11,1 V/m, (Cor-
reto:M) 0,620 V/m, (N) 1,53 V/m, (O) 1,74 V/m,

(2.5 pontos) (A) 40,0 V, (B) 45,4 V, (C) 11,0 V, (e1:D) 8,20 V, (E) 25,4 V, (F) 35,2 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (H) 16,3 V, (I) 12,3 V, (e2:J ) 14,3 V, (K) 7,22 V, (L) 19,0 V, (M) 30,9 V, (N) 9,22 V, (O) 22,2 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,2 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 016

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 920 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,2 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 920 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 920 V
a> = 1,64 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 8,97 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,2 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,40 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,41 × 10−3 m, (B) 1,96 × 10−3 m, (Correto:C) 1,64 × 10−3 m, (D) 2,32 × 10−3 m, (E) 2,91 ×
(a) 10−3 m, (F) 3,26 × 10−3 m, (G) 2,57 × 10−3 m,
Versão 016

(4 pontos) (A) 2,14 × 10−9 C, (B) 2,38 × 10−9 C, (C) 6,95 × 10−10 C, (D) 7,98 × 10−10 C, (E) 1,72 × 10−9 C,
(b) (F) 1,29×10−9 C, (G) 1,08×10−9 C, (H) 1,92×10−9 C, (I) 3,03×10−9 C, (J) 2,66×10−9 C, (K) 1,45×10−9 C,
(L) 3,45 × 10−9 C, (M) 5,93 × 10−10 C, (Correto:N) 8,97 × 10−10 C,

(2 pontos) (Correto:A) 6,40 × 10−6 m, (B) 5,60 × 10−6 m, (C) 3,33 × 10−6 m, (D) 4,40 × 10−6 m, (E) 3,73 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,03 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 017

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
017
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,89 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,05 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,34 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,30 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −8,93×10−4 N, (B) −1,14×10−3 N, (C) −6,26×100 N, (D) −6,99×10−4 N, (E) −2,80×100 N,
(a) (F) −1,87 × 10−4 N, (G) −6,26 × 10−4 N, (H) −2,73 × 10−4 N, (I) −2,45 × 100 N, (e1:J ) −4,34 × 10−4 N,
(Correto:K) −4,34 × 100 N, (L) −3,21 × 100 N, (M) −3,79 × 100 N, (N) −6,12 × 10−6 N, (O) −9,85 × 100 N,

(5 pontos) (A) −3,41 × 10−1 J, (Correto:B) −1,30 × 10−1 J, (C) −1,79 × 10−1 J, (D) −1,05 × 10−1 J,
(E) −2,26 × 10−1 J, (F) −2,87 × 10−1 J, (G) −1,53 × 10−1 J, (H) −7,02 × 10−2 J, (I) −9,35 × 10−2 J,
(b) (J) −1,16 × 10−1 J, (K) −3,82 × 10−1 J, (L) −2,57 × 10−1 J, (M) −8,39 × 10−2 J, (N) −1,99 × 10−1 J,
(O) −6,80 × 10−4 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,29 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,120 mî, b) r⃗2 =0,524 m î, c) r⃗3 =1,26 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 017

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,120 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 139 V/m
r1 (0,120 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,630 V/m
r3 (1,26 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (Correto:A) − 139 V/m, (e1:B ) 7,28 V/m, (e3:C ) 7,28 V/m, (D) 5,90 V/m, (E) −74,4 V/m,
(a) (F) −25,5 V/m, (G) 4,15 V/m, (H) −40,2 V/m, (I) −66,8 V/m, (J) 8,47 V/m, (K) 10,9 V/m, (L) 2,88 V/m,
(M) −32,5 V/m, (e2:N ) 3,64 V/m, (O) 4,77 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,24 V/m, (B) −8,61 V/m, (e2:C ) 3,64 V/m, (D) 5,24 V/m, (E) 4,13 V/m, (F) 5,92 V/m,
(b) (G) 4,59 V/m, (e1:H ) −7,28 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) 3,02 V/m, (K) −11,3 V/m, (L) −9,75 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,43 V/m, (B) 1,70 V/m, (C) −5,92 V/m, (D) 0,496 V/m, (E) −9,79 V/m, (F) −11,3 V/m,
(c) (G) 0,731 V/m, (e1:H ) −7,28 V/m, (I) 1,23 V/m, (J) 0,565 V/m, (Correto:K) 0,630 V/m, (L) −8,13 V/m,
(M) 0,842 V/m, (N) 1,01 V/m, (O) 2,00 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,67 V, (B) 22,6 V, (C) 7,60 V, (e1:D) 16,7 V, (E) 19,8 V, (F) 35,2 V, (G) 8,73 V,
(d) (H) 45,4 V, (I) 40,0 V, (e2:J ) 31,8 V, (K) 12,4 V, (L) 10,7 V, (M) 27,4 V, (N) 14,8 V, (O) 6,78 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,9 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 017

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 900 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,9 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 900 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 900 V
a> = 2,97 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 2,94 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,9 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,97 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,78 × 10−3 m, (B) 3,32 × 10−3 m, (C) 2,20 × 10−3 m, (D) 2,50 × 10−3 m, (E) 2,00 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 2,97 × 10−3 m, (G) 1,54 × 10−3 m, (H) 1,37 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 1,48 × 10−9 C, (B) 8,36 × 10−10 C, (C) 2,47 × 10−9 C, (D) 3,63 × 10−9 C, (E) 1,90 × 10−9 C,
(b) (F) 2,24×10−9 C, (G) 3,25×10−9 C, (H) 1,00×10−9 C, (I) 1,32×10−9 C, (J) 7,37×10−10 C, (K) 1,70×10−9 C,
(Correto:L) 2,94 × 10−9 C, (M) 1,13 × 10−9 C, (N) 6,29 × 10−10 C,
Versão 017

pontos) (A) 4,50 × 10−6 m, (B) 6,20 × 10−6 m, (Correto:C) 3,97 × 10−6 m, (D) 5,37 × 10−6 m, (E) 3,37 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
πr2 ; Área de esfera:
Área de cı́rculo: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 018

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
018
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,93 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,33 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,05 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,41 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (e1:A) −1,05×10−3 N, (B) −6,18×100 N, (C) −1,87×101 N, (D) −8,93×10−4 N, (E) −5,74×10−4 N,
(a) (F) −6,57 × 10−4 N, (G) −7,76 × 10−4 N, (H) −3,67 × 100 N, (I) −9,02 × 100 N, (J) −1,92 × 10−4 N,
(Correto:K) −1,05×101 N, (L) −1,50×10−3 N, (M) −4,11×100 N, (N) −4,79×10−4 N, (O) −3,23×10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,95×10−1 J, (B) −2,67×10−1 J, (C) −3,30×10−1 J, (D) −9,05×10−2 J, (E) −3,83×10−1 J,
(b) (F) −1,38 × 10−1 J, (Correto:G) −2,41 × 10−1 J, (H) −1,18 × 10−1 J, (I) −8,14 × 10−2 J, (J) −1,02 × 10−1 J,
(K) −6,80 × 10−4 J, (L) −2,02 × 10−1 J, (M) −1,70 × 10−1 J, (N) −1,53 × 10−1 J, (O) −7,30 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,94 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,145 mî, b) r⃗2 =0,507 m î, c) r⃗3 =1,13 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 018

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,145 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −95,1 V/m
r1 (0,145 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,783 V/m
r3 (1,13 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −42,1 V/m, (Correto:B) −95,1 V/m, (e2:C ) 3,89 V/m, (D) 4,71 V/m, (e1:E ) 7,78 V/m,
(a) (F) 9,53 V/m, (G) 3,08 V/m, (H) −78,1 V/m, (I) − 113 V/m, (J) −25,5 V/m, (K) 5,83 V/m, (L) 10,6 V/m,
(M) 6,54 V/m, (e3:N ) 7,78 V/m, (O) −32,5 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 3,89 V/m, (B) 3,13 V/m, (C) −8,98 V/m, (D) 5,07 V/m, (E) 3,49 V/m, (e1:F ) −7,78 V/m,
(b) (G) −6,86 V/m, (H) 4,59 V/m, (I) 5,62 V/m, (J) −6,09 V/m, (K) −11,2 V/m, (Correto:L) 0 V/m,
(M) −10,0 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,683 V/m, (B) 0,873 V/m, (C) 1,03 V/m, (D) 1,74 V/m, (E) 0,601 V/m, (F) 2,00 V/m,
(c) (e1:G) −7,78 V/m, (H) 1,46 V/m, (I) 1,19 V/m, (Correto:J) 0,783 V/m, (K) −8,83 V/m, (L) 0,496 V/m,
(M) −5,80 V/m, (N) −6,64 V/m, (O) −10,5 V/m,

(2.5 pontos) (A) 7,14 V, (B) 15,2 V, (C) 22,5 V, (Correto:D) 1,67 V, (E) 43,0 V, (F) 19,1 V, (G) 17,0 V,
(d) (e2:H ) 27,2 V, (e1:I ) 13,8 V, (J) 30,1 V, (K) 33,9 V, (L) 38,4 V, (M) 8,37 V, (N) 12,3 V, (O) 10,2 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 018

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 770 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 770 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 770 V
a> = 1,59 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 8,43 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,83 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,29 × 10−3 m, (B) 2,04 × 10−3 m, (Correto:C) 1,59 × 10−3 m, (D) 2,32 × 10−3 m, (E) 2,63 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,95 × 10−3 m, (G) 1,39 × 10−3 m, (H) 1,81 × 10−3 m,
Versão 018

(4 pontos) (A) 3,16 × 10−9 C, (B) 2,47 × 10−9 C, (C) 2,12 × 10−9 C, (D) 1,25 × 10−9 C, (Correto:E) 8,43 ×
(b) 10−10 C, (F) 1,10 × 10−9 C, (G) 9,72 × 10−10 C, (H) 1,91 × 10−9 C, (I) 5,96 × 10−10 C, (J) 7,14 × 10−10 C,
(K) 1,70 × 10−9 C, (L) 2,83 × 10−9 C, (M) 1,49 × 10−9 C, (N) 3,49 × 10−9 C,

(2 pontos) (Correto:A) 3,83 × 10−6 m, (B) 4,23 × 10−6 m, (C) 6,20 × 10−6 m, (D) 3,37 × 10−6 m, (E) 4,83 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,43 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 019

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
019
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,80 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,99 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,28 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,85 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −5,26 × 10−4 N, (B) −1,83 × 101 N, (C) −4,23 × 100 N, (D) −4,59 × 10−4 N, (E) −7,13 × 100 N,
(a) (F) −7,13 × 10−4 N, (G) −8,10 × 100 N, (H) −8,18 × 10−4 N, (I) −2,73 × 100 N, (J) −4,80 × 100 N,
(e1:K ) −6,28×10−4 N, (L) −2,47×10−4 N, (M) −1,14×101 N, (Correto:N) −6,28×100 N, (O) −2,47×100 N,

(5 pontos) (Correto:A) −1,85 × 10−1 J, (B) −7,88 × 10−2 J, (C) −7,02 × 10−2 J, (D) −9,21 × 10−2 J,
(E) −1,29 × 10−1 J, (F) −2,89 × 10−1 J, (G) −3,31 × 10−1 J, (H) −2,59 × 10−1 J, (I) −1,03 × 10−1 J,
(b) (J) −1,14 × 10−1 J, (K) −2,12 × 10−1 J, (L) −3,84 × 10−1 J, (M) −6,22 × 10−2 J, (N) −2,35 × 10−1 J,
(O) −1,54 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,95 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,239 mî, b) r⃗2 =0,450 m î, c) r⃗3 =1,21 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 019

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,239 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −35,0 V/m
r1 (0,239 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,683 V/m
r3 (1,21 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 3,81 V/m, (B) −95,1 V/m, (e1:C ) 9,88 V/m, (D) 8,36 V/m, (e2:E ) 4,94 V/m, (F) −44,9 V/m,
(a) (e3:G) 9,88 V/m, (H) 3,12 V/m, (I) 6,99 V/m, (Correto:J) −35,0 V/m, (K) −39,5 V/m, (L) −56,6 V/m,
(M) 5,62 V/m, (N) 4,27 V/m, (O) − 124 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,03 V/m, (e1:B ) −9,88 V/m, (C) −6,47 V/m, (D) 3,15 V/m, (E) 5,64 V/m, (F) −7,28 V/m,
(b) (e2:G) 4,94 V/m, (H) −11,3 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) −8,33 V/m, (K) 3,55 V/m, (L) −5,84 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,873 V/m, (B) 1,47 V/m, (C) 0,557 V/m, (e1:D) −9,88 V/m, (E) −8,10 V/m, (F) 1,89 V/m,
(c) (G) −5,75 V/m, (H) 1,64 V/m, (I) −6,42 V/m, (J) −11,3 V/m, (K) 1,13 V/m, (Correto:L) 0,683 V/m,
(M) 0,769 V/m, (N) 1,26 V/m, (O) 0,482 V/m,

(2.5 pontos) (A) 30,6 V, (B) 23,5 V, (Correto:C) 1,67 V, (D) 40,0 V, (E) 13,5 V, (F) 45,4 V, (G) 10,7 V,
(d) (H) 35,2 V, (I) 9,30 V, (J) 20,6 V, (K) 27,2 V, (e1:L) 8,37 V, (e2:M ) 18,6 V, (N) 6,85 V, (O) 16,0 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,8 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 019

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 160 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,8 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 160 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 160 V
a> = 2,39 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 1,90 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,8 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,60 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,69 × 10−3 m, (B) 1,41 × 10−3 m, (C) 1,91 × 10−3 m, (D) 2,73 × 10−3 m, (E) 2,15 × 10−3 m,
(a) (F) 3,18 × 10−3 m, (Correto:G) 2,39 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 1,70 × 10−9 C, (B) 2,77 × 10−9 C, (C) 1,48 × 10−9 C, (D) 6,51 × 10−10 C, (E) 3,13 × 10−9 C,
(b) (F) 2,34 × 10−9 C, (G) 1,29 × 10−9 C, (H) 3,61 × 10−9 C, (Correto:I) 1,90 × 10−9 C, (J) 7,95 × 10−10 C,
(K) 1,17 × 10−9 C, (L) 9,19 × 10−10 C, (M) 1,03 × 10−9 C,
Versão 019

(2 pontos) (A) 6,37 × 10−6 m, (B) 5,07 × 10−6 m, (C) 4,00 × 10−6 m, (D) 4,50 × 10−6 m, (Correto:E) 3,60 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,60 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 020

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
020
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,30 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,45 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −5,87 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,42 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (Correto:A) −5,87 × 100 N, (B) −1,07 × 101 N, (C) −4,22 × 10−4 N, (D) −2,89 × 10−4 N,
(E) −5,26 × 10−4 N, (F) −8,83 × 10−4 N, (G) −8,73 × 100 N, (H) −3,49 × 100 N, (e1:I ) −5,87 × 10−4 N,
(a) (J) −4,98 × 100 N, (K) −1,91 × 10−4 N, (L) −7,59 × 100 N, (M) −7,66 × 10−4 N, (N) −2,89 × 100 N,
(O) −4,11 × 100 N,

(5 pontos) (A) −1,59×10−1 J, (B) −8,71×10−2 J, (C) −6,80×10−4 J, (D) −3,28×10−1 J, (E) −1,17×10−1 J,
(b) (Correto:F) −1,42 × 10−1 J, (G) −2,69 × 10−1 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (I) −1,77 × 10−1 J, (J) −7,88 × 10−2 J,
(K) −7,02 × 10−2 J, (L) −3,82 × 10−1 J, (M) −2,44 × 10−1 J, (N) −1,02 × 10−1 J, (O) −2,11 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,13 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,211 mî, b) r⃗2 =0,421 m î, c) r⃗3 =1,28 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 020

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,211 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −44,9 V/m
r1 (0,211 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,610 V/m
r3 (1,28 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 5,07 V/m, (B) − 128 V/m, (e1:C ) 11,3 V/m, (D) −78,1 V/m, (Correto:E) −44,9 V/m,
(a) (e2:F ) 5,64 V/m, (G) 3,89 V/m, (H) −39,9 V/m, (I) 7,78 V/m, (e3:J ) 11,3 V/m, (K) 8,79 V/m, (L) 6,38 V/m,
(M) −24,1 V/m, (N) −59,7 V/m, (O) 3,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,98 V/m, (e2:B ) 5,64 V/m, (C) −5,77 V/m, (D) −6,38 V/m, (E) 2,95 V/m, (F) −10,0 V/m,
(b) (Correto:G) 0 V/m, (H) 4,98 V/m, (I) −7,09 V/m, (J) 3,42 V/m, (K) −8,98 V/m, (L) 4,49 V/m,
(M) −7,97 V/m, (e1:N ) −11,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,24 V/m, (B) −9,45 V/m, (e1:C ) −11,3 V/m, (D) 1,18 V/m, (Correto:E) 0,610 V/m,
(c) (F) 1,46 V/m, (G) −8,26 V/m, (H) 0,857 V/m, (I) 1,81 V/m, (J) 0,743 V/m, (K) −7,28 V/m, (L) 1,00 V/m,
(M) 1,61 V/m, (N) 0,541 V/m, (O) 0,476 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) 9,48 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 37,2 V, (D) 19,4 V, (E) 7,97 V, (F) 15,2 V, (G) 17,2 V,
(d) (H) 32,1 V, (I) 12,1 V, (J) 24,9 V, (K) 10,6 V, (L) 13,8 V, (M) 7,02 V, (N) 27,7 V, (e2:O) 22,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼17,2 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 020

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 880 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 17,2 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 880 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 880 V
a> = 2,96 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,92 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =17,2 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,73 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,49 × 10−3 m, (B) 1,81 × 10−3 m, (Correto:C) 2,96 × 10−3 m, (D) 1,33 × 10−3 m, (E) 2,26 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,03 × 10−3 m, (G) 3,30 × 10−3 m, (H) 2,59 × 10−3 m,
Versão 020

(4 pontos) (A) 2,30 × 10−9 C, (B) 1,87 × 10−9 C, (C) 8,79 × 10−10 C, (Correto:D) 2,92 × 10−9 C, (E) 9,76 ×
(b) 10−10 C, (F) 3,67 × 10−9 C, (G) 1,11 × 10−9 C, (H) 6,26 × 10−10 C, (I) 7,14 × 10−10 C, (J) 3,28 × 10−9 C,
(K) 1,29 × 10−9 C, (L) 2,60 × 10−9 C, (M) 2,08 × 10−9 C, (N) 1,55 × 10−9 C, (O) 7,91 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 4,47 × 10−6 m, (B) 4,97 × 10−6 m, (C) 6,37 × 10−6 m, (D) 3,37 × 10−6 m, (Correto:E) 5,73 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,87 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 021

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
021
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,12 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,01 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,64 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −3,28 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −6,05×10−4 N, (B) −8,82×10−4 N, (C) −6,15×100 N, (D) −7,95×100 N, (Correto:E) −1,64×
(a) 101 N, (F) −3,07 × 100 N, (G) −9,25 × 100 N, (e1:H ) −1,64 × 10−3 N, (I) −4,49 × 10−4 N, (J) −3,72 × 100 N,
(K) −1,99 × 100 N, (L) −4,32 × 100 N, (M) −2,19 × 10−4 N, (N) −5,40 × 10−4 N, (O) −3,31 × 10−4 N,

(5 pontos) (Correto:A) −3,28 × 10−1 J, (B) −7,02 × 10−2 J, (C) −7,88 × 10−2 J, (D) −1,30 × 10−1 J,
(E) −1,05 × 10−1 J, (F) −9,35 × 10−2 J, (G) −6,80 × 10−4 J, (H) −2,02 × 10−1 J, (I) −2,41 × 10−1 J,
(b) (J) −2,67 × 10−1 J, (K) −2,95 × 10−1 J, (L) −1,48 × 10−1 J, (M) −3,82 × 10−1 J, (N) −1,16 × 10−1 J,
(O) −1,74 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =3,99 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,270 mî, b) r⃗2 =0,520 m î, c) r⃗3 =1,31 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 021

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,270 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −27,4 V/m
r1 (0,270 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,583 V/m
r3 (1,31 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −59,1 V/m, (B) 9,70 V/m, (C) 6,47 V/m, (Correto:D) −27,4 V/m, (E) −46,7 V/m,
(a) (e1:F ) 7,40 V/m, (e3:G) 7,40 V/m, (H) 3,26 V/m, (I) 2,90 V/m, (e2:J ) 3,70 V/m, (K) 11,9 V/m,
(L) −36,2 V/m, (M) − 192 V/m, (N) 8,26 V/m, (O) 5,86 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 0 V/m, (B) 3,32 V/m, (C) 5,59 V/m, (D) 2,96 V/m, (e2:E ) 3,70 V/m,
(b) (F) −8,79 V/m, (G) −11,6 V/m, (H) 4,75 V/m, (I) −5,82 V/m, (J) −9,88 V/m, (K) −6,52 V/m, (L) 4,18 V/m,
(e1:M ) −7,40 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,09 V/m, (B) 1,44 V/m, (Correto:C) 0,583 V/m, (D) 0,457 V/m, (E) −8,54 V/m,
(c) (F) 0,890 V/m, (G) 1,30 V/m, (e1:H ) −7,40 V/m, (I) 1,67 V/m, (J) 0,683 V/m, (K) 1,99 V/m, (L) −10,4 V/m,
(M) 0,769 V/m, (N) 1,07 V/m, (O) −11,5 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) 7,41 V, (B) 10,9 V, (C) 22,6 V, (D) 16,1 V, (Correto:E) 1,67 V, (e2:F ) 14,2 V, (G) 8,47 V,
(d) (H) 37,3 V, (I) 30,6 V, (J) 25,3 V, (K) 12,4 V, (L) 9,48 V, (M) 19,0 V, (N) 33,9 V, (O) 45,4 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼16,9 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 021

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 120 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 16,9 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 120 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 120 V
a> = 1,71 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 9,72 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =16,9 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,63 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,51 × 10−3 m, (B) 2,76 × 10−3 m, (C) 1,96 × 10−3 m, (D) 2,26 × 10−3 m, (Correto:E) 1,71 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,36 × 10−3 m, (G) 3,32 × 10−3 m,
Versão 021

(4 pontos) (A) 2,76 × 10−9 C, (B) 2,44 × 10−9 C, (C) 6,26 × 10−10 C, (D) 2,17 × 10−9 C, (E) 1,13 × 10−9 C,
(b) (F) 1,76×10−9 C, (G) 7,57×10−10 C, (H) 1,96×10−9 C, (I) 8,43×10−10 C, (J) 1,25×10−9 C, (K) 3,16×10−9 C,
(Correto:L) 9,72 × 10−10 C, (M) 3,50 × 10−9 C, (N) 1,45 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 4,33 × 10−6 m, (Correto:B) 5,63 × 10−6 m, (C) 3,40 × 10−6 m, (D) 6,47 × 10−6 m, (E) 4,93 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,83 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 022

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
022
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,71 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,19 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −3,83 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,20 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −9,20×10−4 N, (B) −2,80×100 N, (C) −6,12×10−6 N, (D) −6,05×10−4 N, (E) −1,91×100 N,
(a) (F) −4,46 × 10−4 N, (G) −2,27 × 100 N, (H) −9,53 × 100 N, (I) −8,13 × 10−4 N, (J) −4,61 × 100 N,
(K) −5,99×100 N, (L) −1,32×101 N, (e1:M ) −3,83×10−4 N, (Correto:N) −3,83×100 N, (O) −1,27×10−3 N,

(5 pontos) (A) −8,34×10−2 J, (B) −2,61×10−1 J, (C) −6,22×10−2 J, (D) −7,30×10−2 J, (E) −1,54×10−1 J,
(b) (F) −1,34 × 10−1 J, (G) −9,67 × 10−2 J, (Correto:H) −1,20 × 10−1 J, (I) −3,15 × 10−1 J, (J) −6,80 × 10−4 J,
(K) −1,73 × 10−1 J, (L) −1,95 × 10−1 J, (M) −2,17 × 10−1 J, (N) −3,60 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,91 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,260 mî, b) r⃗2 =0,482 m î, c) r⃗3 =0,838 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 022

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,260 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −29,6 V/m
r1 (0,260 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,42 V/m
r3 (0,838 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 11,5 V/m, (B) −69,2 V/m, (C) 10,1 V/m, (D) 6,45 V/m, (E) − 124 V/m, (e3:F ) 8,61 V/m,
(a) (G) 5,05 V/m, (e2:H ) 4,30 V/m, (I) −60,4 V/m, (e1:J ) 8,61 V/m, (Correto:K) −29,6 V/m, (L) 7,63 V/m,
(M) 2,88 V/m, (N) −83,2 V/m, (O) −40,6 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 4,30 V/m, (B) −9,79 V/m, (C) 4,94 V/m, (e1:D) −8,61 V/m, (E) 5,75 V/m,
(b) (F) −6,40 V/m, (G) 3,42 V/m, (H) 2,90 V/m, (I) −5,75 V/m, (J) −7,20 V/m, (Correto:K) 0 V/m,
(L) 3,79 V/m, (M) −11,2 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,890 V/m, (B) −9,66 V/m, (C) −6,86 V/m, (e1:D) −8,61 V/m, (E) 2,00 V/m,
(c) (F) 0,783 V/m, (Correto:G) 1,42 V/m, (H) −5,90 V/m, (I) 1,19 V/m, (J) 1,71 V/m, (K) −10,9 V/m,
(L) 1,00 V/m, (M) 0,661 V/m, (N) 0,583 V/m, (O) 0,482 V/m,

(2.5 pontos) (A) 19,8 V, (B) 25,4 V, (C) 10,1 V, (D) 8,55 V, (E) 12,3 V, (F) 40,0 V, (G) 6,90 V, (e2:H ) 16,0 V,
(d) (I) 14,1 V, (J) 30,3 V, (K) 46,5 V, (L) 33,8 V, (Correto:M) 1,67 V, (e1:N ) 7,69 V, (O) 22,4 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 022

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 290 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 290 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 290 V
a> = 2,76 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,55 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,45 × 10−3 m, (B) 3,32 × 10−3 m, (C) 1,84 × 10−3 m, (D) 1,44 × 10−3 m, (E) 1,63 × 10−3 m,
(a) (F) 2,12 × 10−3 m, (Correto:G) 2,76 × 10−3 m,
Versão 022

(4 pontos) (A) 2,83 × 10−9 C, (B) 1,51 × 10−9 C, (C) 8,97 × 10−10 C, (Correto:D) 2,55 × 10−9 C, (E) 6,20 ×
(b) 10−10 C, (F) 7,98 × 10−10 C, (G) 7,14 × 10−10 C, (H) 9,99 × 10−10 C, (I) 1,37 × 10−9 C, (J) 2,02 × 10−9 C,
(K) 1,22 × 10−9 C, (L) 1,80 × 10−9 C, (M) 3,45 × 10−9 C, (N) 2,23 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 5,03 × 10−6 m, (B) 3,37 × 10−6 m, (C) 6,23 × 10−6 m, (D) 5,60 × 10−6 m, (E) 3,73 × 10−6 m,
(c) (Correto:F) 4,20 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 023

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
023
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,75 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,84 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −8,94 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,50 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −7,59×10−4 N, (B) −3,62×10−4 N, (C) −9,91×100 N, (D) −4,30×10−4 N, (E) −3,87×100 N,
(a) (F) −6,98 × 100 N, (G) −6,18 × 100 N, (H) −4,99 × 100 N, (I) −2,47 × 100 N, (e1:J ) −8,94 × 10−4 N,
(Correto:K) −8,94×100 N, (L) −5,11×10−4 N, (M) −1,64×101 N, (N) −1,27×10−3 N, (O) −1,05×10−3 N,

(5 pontos) (A) −1,43×10−1 J, (B) −3,82×10−1 J, (C) −2,76×10−1 J, (D) −1,86×10−1 J, (E) −7,30×10−2 J,
(b) (F) −9,46 × 10−2 J, (G) −3,15 × 10−1 J, (H) −8,48 × 10−2 J, (I) −2,10 × 10−1 J, (J) −6,80 × 10−4 J,
(K) −1,27×10−1 J, (Correto:L) −2,50×10−1 J, (M) −1,11×10−1 J, (N) −1,69×10−1 J, (O) −6,22×10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =3,00 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,176 mî, b) r⃗2 =0,557 m î, c) r⃗3 =1,46 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 023

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,176 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −64,6 V/m
r1 (0,176 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,469 V/m
r3 (1,46 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 4,05 V/m, (B) 5,43 V/m, (C) 9,17 V/m, (D) − 185 V/m, (Correto:E) −64,6 V/m,
(a) (F) 11,2 V/m, (e3:G) 6,45 V/m, (H) −28,1 V/m, (I) −43,3 V/m, (J) −32,5 V/m, (e2:K ) 3,22 V/m,
(L) 7,51 V/m, (M) − 104 V/m, (e1:N ) 6,45 V/m, (O) 3,61 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 3,22 V/m, (B) 5,41 V/m, (C) 2,87 V/m, (D) 4,77 V/m, (E) −7,23 V/m, (e1:F ) −6,45 V/m,
(b) (G) −5,80 V/m, (H) −8,10 V/m, (I) 3,59 V/m, (J) 4,11 V/m, (K) −11,3 V/m, (L) −9,79 V/m, (Cor-
reto:M) 0 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,46 V/m, (B) 0,683 V/m, (C) 0,907 V/m, (D) 1,02 V/m, (Correto:E) 0,469 V/m,
(c) (e1:F ) −6,45 V/m, (G) 0,592 V/m, (H) 1,75 V/m, (I) −9,75 V/m, (J) −7,78 V/m, (K) −11,8 V/m,
(L) 2,00 V/m, (M) 1,19 V/m, (N) −8,83 V/m, (O) 0,783 V/m,

(2.5 pontos) (A) 9,52 V, (e2:B ) 20,4 V, (C) 30,9 V, (D) 23,5 V, (e1:E ) 11,4 V, (F) 16,1 V, (G) 8,47 V,
(d) (H) 14,3 V, (I) 6,90 V, (J) 27,4 V, (K) 40,0 V, (Correto:L) 1,67 V, (M) 35,2 V, (N) 7,60 V, (O) 12,9 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,4 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 023

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 900 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,4 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 900 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 900 V
a> = 2,63 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,31 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,4 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,13 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,59 × 10−3 m, (B) 2,22 × 10−3 m, (C) 3,01 × 10−3 m, (D) 1,85 × 10−3 m, (E) 3,32 × 10−3 m,
(a) (F) 1,39 × 10−3 m, (Correto:G) 2,63 × 10−3 m,
Versão 023

(4 pontos) (A) 2,06 × 10−9 C, (B) 1,00 × 10−9 C, (Correto:C) 2,31 × 10−9 C, (D) 7,95 × 10−10 C, (E) 1,36 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,87 × 10−9 C, (G) 3,18 × 10−9 C, (H) 6,45 × 10−10 C, (I) 2,83 × 10−9 C, (J) 7,14 × 10−10 C,
(K) 1,64 × 10−9 C, (L) 3,68 × 10−9 C, (M) 8,97 × 10−10 C, (N) 1,13 × 10−9 C,

pontos) (A) 6,63 × 10−6 m, (B) 6,00 × 10−6 m, (C) 5,03 × 10−6 m, (Correto:D) 4,13 × 10−6 m, (E) 3,37 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 024

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
024
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,91 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,75 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,69 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,72 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −8,93 × 10−4 N, (B) −3,02 × 100 N, (C) −6,52 × 100 N, (D) −5,87 × 100 N, (E) −4,10 × 100 N,
(a) (F) −6,02×10−4 N, (G) −2,63×10−4 N, (H) −9,85×10−4 N, (I) −7,95×10−4 N, (Correto:J) −4,69×100 N,
(K) −5,26 × 100 N, (L) −3,16 × 10−4 N, (e1:M ) −4,69 × 10−4 N, (N) −1,83 × 101 N, (O) −7,32 × 100 N,

(5 pontos) (A) −8,34×10−2 J, (B) −1,10×10−1 J, (C) −3,83×10−1 J, (D) −6,22×10−2 J, (E) −1,90×10−1 J,
(b) (F) −9,99 × 10−2 J, (G) −7,30 × 10−2 J, (Correto:H) −1,72 × 10−1 J, (I) −6,80 × 10−4 J, (J) −1,25 × 10−1 J,
(K) −1,54 × 10−1 J, (L) −3,41 × 10−1 J, (M) −2,78 × 10−1 J, (N) −2,30 × 10−1 J, (O) −1,39 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,67 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,243 mî, b) r⃗2 =0,589 m î, c) r⃗3 =0,791 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 024

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,243 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −33,9 V/m
r1 (0,243 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,60 V/m
r3 (0,791 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e3:A) 5,77 V/m, (e1:B ) 5,77 V/m, (e2:C ) 2,88 V/m, (D) −86,6 V/m, (E) 3,60 V/m,
(a) (F) −25,9 V/m, (G) 8,50 V/m, (H) 6,42 V/m, (Correto:I) −33,9 V/m, (J) 10,1 V/m, (K) 5,05 V/m,
(L) − 111 V/m, (M) 4,13 V/m, (N) 7,12 V/m, (O) 11,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,04 V/m, (Correto:B) 0 V/m, (C) −8,72 V/m, (D) −6,38 V/m, (E) 3,80 V/m,
(b) (F) 4,23 V/m, (G) 5,33 V/m, (H) 5,95 V/m, (I) −9,92 V/m, (J) −11,4 V/m, (e1:K ) −5,77 V/m, (L) 3,23 V/m,
(e2:M ) 2,88 V/m, (N) −7,87 V/m, (O) 4,73 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,87 V/m, (Correto:B) 1,60 V/m, (C) 0,873 V/m, (e1:D) −5,77 V/m, (E) 0,457 V/m,
(c) (F) 0,718 V/m, (G) 0,961 V/m, (H) −6,42 V/m, (I) −8,10 V/m, (J) 0,620 V/m, (K) −11,8 V/m,
(L) −7,23 V/m, (M) 0,557 V/m, (N) −9,88 V/m, (O) 1,23 V/m,

(2.5 pontos) (A) 16,9 V, (B) 26,6 V, (C) 37,2 V, (D) 7,02 V, (E) 9,52 V, (F) 44,0 V, (G) 10,5 V, (H) 12,3 V,
(d) (I) 21,1 V, (J) 23,5 V, (e1:K ) 8,23 V, (L) 18,7 V, (Correto:M) 1,67 V, (e2:N ) 14,0 V, (O) 30,1 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,4 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 024

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 390 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,4 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 390 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 390 V
a> = 1,46 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 7,14 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,4 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,47 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,88 × 10−3 m, (B) 2,55 × 10−3 m, (C) 1,99 × 10−3 m, (Correto:D) 1,46 × 10−3 m, (E) 2,26 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,80 × 10−3 m, (G) 1,61 × 10−3 m, (H) 3,33 × 10−3 m,
Versão 024

(4 pontos) (A) 1,36 × 10−9 C, (B) 3,03 × 10−9 C, (C) 1,68 × 10−9 C, (D) 2,40 × 10−9 C, (E) 2,75 × 10−9 C,
(b) (F) 6,17 × 10−10 C, (G) 1,22 × 10−9 C, (Correto:H) 7,14 × 10−10 C, (I) 1,50 × 10−9 C, (J) 3,45 × 10−9 C,
(K) 1,91 × 10−9 C, (L) 2,17 × 10−9 C, (M) 9,99 × 10−10 C, (N) 8,65 × 10−10 C,

(2 pontos) (Correto:A) 6,47 × 10−6 m, (B) 4,27 × 10−6 m, (C) 5,03 × 10−6 m, (D) 3,33 × 10−6 m, (E) 5,80 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,83 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 025

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
025
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,02 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,22 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −3,21 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,01 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (Correto:A) −3,21 × 100 N, (B) −4,88 × 10−4 N, (C) −4,34 × 10−4 N, (D) −7,66 × 100 N,
(E) −4,59 × 100 N, (F) −3,83 × 10−4 N, (G) −5,11 × 100 N, (H) −1,27 × 10−3 N, (I) −1,67 × 10−3 N,
(a) (J) −9,94 × 100 N, (K) −6,75 × 10−4 N, (L) −1,14 × 10−3 N, (e1:M ) −3,21 × 10−4 N, (N) −6,54 × 100 N,
(O) −2,69 × 10−4 N,

(5 pontos) (Correto:A) −1,01 × 10−1 J, (B) −1,80 × 10−1 J, (C) −3,83 × 10−1 J, (D) −1,30 × 10−1 J,
(b) (E) −8,27 × 10−2 J, (F) −2,95 × 10−1 J, (G) −6,80 × 10−4 J, (H) −7,33 × 10−2 J, (I) −2,46 × 10−1 J,
(J) −3,26 × 10−1 J, (K) −1,54 × 10−1 J, (L) −1,13 × 10−1 J, (M) −6,22 × 10−2 J, (N) −2,05 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,07 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,290 mî, b) r⃗2 =0,497 m î, c) r⃗3 =0,857 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 025

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,290 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −23,8 V/m
r1 (0,290 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,36 V/m
r3 (0,857 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −28,9 V/m, (e2:B ) 4,05 V/m, (C) 5,67 V/m, (D) −47,6 V/m, (E) 7,12 V/m, (F) −40,9 V/m,
(a) (G) 3,25 V/m, (H) 4,85 V/m, (I) 10,5 V/m, (J) 3,59 V/m, (e3:K ) 8,10 V/m, (e1:L) 8,10 V/m, (M) −35,3 V/m,
(N) 6,40 V/m, (Correto:O) −23,8 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,03 V/m, (B) −6,91 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (e1:D) −8,10 V/m, (e2:E ) 4,05 V/m,
(b) (F) 3,42 V/m, (G) −8,98 V/m, (H) 2,92 V/m, (I) 5,41 V/m, (J) −10,0 V/m, (K) −11,3 V/m, (L) 4,85 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,28 V/m, (B) 0,496 V/m, (C) 0,450 V/m, (D) 1,70 V/m, (E) 1,89 V/m, (F) 0,925 V/m,
(c) (G) 1,10 V/m, (H) −6,42 V/m, (I) −11,1 V/m, (e1:J ) −8,10 V/m, (Correto:K) 1,36 V/m, (L) −9,88 V/m,
(M) 0,797 V/m, (N) 0,565 V/m, (O) 0,683 V/m,

(2.5 pontos) (A) 30,3 V, (B) 8,97 V, (C) 35,3 V, (D) 16,2 V, (E) 39,3 V, (F) 12,4 V, (G) 18,5 V, (H) 21,3 V,
(d) (I) 24,9 V, (e2:J ) 13,9 V, (K) 10,7 V, (L) 7,81 V, (Correto:M) 1,67 V, (N) 46,5 V, (e1:O) 6,90 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,2 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 025

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 960 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,2 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 960 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 960 V
a> = 2,32 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 1,80 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,2 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,40 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 2,32 × 10−3 m, (B) 1,38 × 10−3 m, (C) 3,30 × 10−3 m, (D) 2,85 × 10−3 m, (E) 1,63 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,85 × 10−3 m, (G) 2,07 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 6,42 × 10−10 C, (B) 2,00 × 10−9 C, (C) 8,86 × 10−10 C, (D) 1,37 × 10−9 C, (E) 7,98 × 10−10 C,
(b) (F) 1,53 × 10−9 C, (G) 2,26 × 10−9 C, (Correto:H) 1,80 × 10−9 C, (I) 1,01 × 10−9 C, (J) 3,16 × 10−9 C,
(K) 3,68 × 10−9 C, (L) 1,13 × 10−9 C, (M) 7,14 × 10−10 C, (N) 2,68 × 10−9 C,
Versão 025

(2 pontos) (A) 3,93 × 10−6 m, (B) 6,30 × 10−6 m, (C) 4,43 × 10−6 m, (Correto:D) 3,40 × 10−6 m, (E) 5,07 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,60 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 026

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
026
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−5,62 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,32 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,23 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,38 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −2,64 × 10−4 N, (B) −4,77 × 10−4 N, (C) −1,67 × 10−3 N, (D) −9,97 × 10−4 N, (Cor-
reto:E) −4,23 × 100 N, (F) −2,47 × 100 N, (G) −5,50 × 100 N, (H) −3,31 × 100 N, (I) −1,12 × 10−3 N,
(a) (J) −2,88 × 100 N, (K) −7,78 × 10−4 N, (L) −7,97 × 100 N, (M) −1,83 × 101 N, (e1:N ) −4,23 × 10−4 N,
(O) −6,16 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −9,99 × 10−2 J, (B) −3,82 × 10−1 J, (C) −6,22 × 10−2 J, (D) −2,10 × 10−1 J, (Cor-
(b) reto:E) −1,38 × 10−1 J, (F) −3,33 × 10−1 J, (G) −1,16 × 10−1 J, (H) −2,43 × 10−1 J, (I) −1,59 × 10−1 J,
(J) −7,13 × 10−2 J, (K) −8,14 × 10−2 J, (L) −1,84 × 10−1 J, (M) −6,80 × 10−4 J, (N) −2,89 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,26 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,146 mî, b) r⃗2 =0,447 m î, c) r⃗3 =0,945 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 026

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,146 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −93,8 V/m
r1 (0,146 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,12 V/m
r3 (0,945 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 3,21 V/m, (Correto:B) −93,8 V/m, (C) −31,7 V/m, (e1:D) 10,0 V/m, (E) 4,05 V/m,
(a) (F) −39,5 V/m, (G) 5,84 V/m, (H) 6,71 V/m, (e2:I ) 5,00 V/m, (J) −25,5 V/m, (K) − 151 V/m,
(e3:L) 10,0 V/m, (M) 8,13 V/m, (N) −47,1 V/m, (O) 11,4 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,79 V/m, (e2:B ) 5,00 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (D) −7,17 V/m, (E) 2,98 V/m,
(b) (F) −11,5 V/m, (G) −6,05 V/m, (H) −8,33 V/m, (I) 4,34 V/m, (J) 3,38 V/m, (e1:K ) −10,0 V/m,
(L) 5,72 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,672 V/m, (B) −5,95 V/m, (C) 0,756 V/m, (D) −8,20 V/m, (E) 0,961 V/m,
(c) (e1:F ) −10,0 V/m, (G) 0,592 V/m, (H) 1,41 V/m, (I) −11,3 V/m, (J) 1,74 V/m, (K) −6,56 V/m,
(L) 1,57 V/m, (M) −7,34 V/m, (Correto:N) 1,12 V/m, (O) 0,450 V/m,

(2.5 pontos) (A) 38,5 V, (B) 18,9 V, (C) 16,0 V, (D) 22,2 V, (E) 33,9 V, (Correto:F) 1,67 V, (G) 26,6 V,
(d) (e1:H ) 13,7 V, (I) 7,49 V, (J) 6,67 V, (K) 46,5 V, (L) 8,55 V, (M) 11,1 V, (N) 10,0 V, (e2:O) 30,6 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 026

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 560 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 560 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 560 V
a> = 2,52 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,12 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,50 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,75 × 10−3 m, (Correto:B) 2,52 × 10−3 m, (C) 1,59 × 10−3 m, (D) 1,37 × 10−3 m, (E) 2,83 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,24 × 10−3 m, (G) 2,01 × 10−3 m, (H) 3,27 × 10−3 m,
Versão 026

(4 pontos) (A) 6,42 × 10−10 C, (B) 1,86 × 10−9 C, (C) 1,61 × 10−9 C, (D) 1,01 × 10−9 C, (E) 1,37 × 10−9 C,
(b) (F) 2,58 × 10−9 C, (Correto:G) 2,12 × 10−9 C, (H) 3,39 × 10−9 C, (I) 7,44 × 10−10 C, (J) 1,14 × 10−9 C,
(K) 2,96 × 10−9 C, (L) 2,34 × 10−9 C, (M) 9,12 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 3,87 × 10−6 m, (Correto:B) 3,50 × 10−6 m, (C) 5,47 × 10−6 m, (D) 6,30 × 10−6 m, (E) 4,87 ×
(c) 10−6 m, (F) 4,33 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 027

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
027
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,10 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,33 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,68 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,08 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,32 × 10−3 N, (B) −6,05 × 10−4 N, (Correto:C) −4,68 × 100 N, (D) −7,54 × 100 N,
(E) −1,14 × 10−3 N, (F) −1,43 × 101 N, (G) −8,64 × 100 N, (e1:H ) −4,68 × 10−4 N, (I) −8,17 × 10−4 N,
(a) (J) −9,97 × 10−4 N, (K) −3,08 × 10−4 N, (L) −3,16 × 100 N, (M) −3,50 × 100 N, (N) −5,23 × 100 N,
(O) −6,03 × 100 N,

(5 pontos) (A) −1,22×10−1 J, (B) −2,17×10−1 J, (C) −1,84×10−1 J, (D) −7,13×10−2 J, (E) −1,63×10−1 J,
(b) (F) −6,22 × 10−2 J, (Correto:G) −1,08 × 10−1 J, (H) −9,35 × 10−2 J, (I) −3,82 × 10−1 J, (J) −3,28 × 10−1 J,
(K) −2,64 × 10−1 J, (L) −7,94 × 10−2 J, (M) −2,93 × 10−1 J, (N) −6,80 × 10−4 J, (O) −1,39 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =2,95 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,147 mî, b) r⃗2 =0,569 m î, c) r⃗3 =0,707 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 027

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,147 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −92,6 V/m
r1 (0,147 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 2,00 V/m
r3 (0,707 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 7,66 V/m, (B) −50,5 V/m, (e2:C ) 3,09 V/m, (D) −29,6 V/m, (E) 10,5 V/m, (F) 4,92 V/m,
(a) (G) 3,94 V/m, (H) 11,8 V/m, (e3:I ) 6,18 V/m, (Correto:J) −92,6 V/m, (e1:K ) 6,18 V/m, (L) 9,21 V/m,
(M) − 154 V/m, (N) −59,7 V/m, (O) 6,83 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,94 V/m, (B) −7,01 V/m, (C) 4,36 V/m, (D) 3,92 V/m, (E) 5,62 V/m, (e2:F ) 3,09 V/m,
(b) (e1:G) −6,18 V/m, (Correto:H) 0 V/m, (I) 3,56 V/m, (J) −11,4 V/m, (K) −9,70 V/m, (L) 4,89 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 2,00 V/m, (B) −11,5 V/m, (e1:C ) −6,18 V/m, (D) 1,15 V/m, (E) 0,769 V/m,
(c) (F) 1,72 V/m, (G) −7,28 V/m, (H) 0,496 V/m, (I) −8,98 V/m, (J) 0,683 V/m, (K) 1,01 V/m, (L) 0,890 V/m,
(M) −10,1 V/m, (N) 0,620 V/m, (O) 1,56 V/m,

(2.5 pontos) (A) 16,0 V, (B) 6,90 V, (C) 32,1 V, (Correto:D) 1,67 V, (E) 26,7 V, (e1:F ) 13,6 V, (G) 8,97 V,
(d) (H) 17,8 V, (I) 46,5 V, (J) 11,6 V, (K) 20,4 V, (e2:L) 23,9 V, (M) 10,3 V, (N) 40,0 V, (O) 7,97 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼15,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 027

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 470 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 15,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 470 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 470 V
a> = 1,82 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 1,11 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =15,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,00 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,24 × 10−3 m, (B) 2,26 × 10−3 m, (Correto:C) 1,82 × 10−3 m, (D) 2,01 × 10−3 m, (E) 1,44 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,53 × 10−3 m, (G) 2,83 × 10−3 m, (H) 1,62 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 7,67 × 10−10 C, (B) 1,31 × 10−9 C, (C) 9,99 × 10−10 C, (D) 6,63 × 10−10 C, (E) 2,83 × 10−9 C,
(b) (F) 8,83 × 10−10 C, (G) 3,70 × 10−9 C, (H) 5,96 × 10−10 C, (I) 1,51 × 10−9 C, (Correto:J) 1,11 × 10−9 C,
(K) 2,47 × 10−9 C, (L) 1,69 × 10−9 C, (M) 1,86 × 10−9 C, (N) 2,24 × 10−9 C, (O) 3,28 × 10−9 C,
Versão 027

(2 pontos) (A) 3,67 × 10−6 m, (B) 4,10 × 10−6 m, (C) 6,13 × 10−6 m, (Correto:D) 5,00 × 10−6 m, (E) 5,50 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,33 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 028

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
028
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,31 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,78 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,59 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,26 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −5,19 × 100 N, (B) −3,83 × 10−4 N, (e1:C ) −4,59 × 10−4 N, (D) −6,70 × 100 N, (E) −9,25 ×
(a) 10−4 N, (F) −6,58 × 10−4 N, (G) −9,02 × 100 N, (H) −1,27 × 101 N, (I) −8,18 × 10−4 N, (Correto:J) −4,59 ×
100 N, (K) −1,13 × 10−3 N, (L) −2,73 × 10−4 N, (M) −1,27 × 10−3 N, (N) −3,92 × 100 N, (O) −7,76 × 100 N,

(5 pontos) (A) −9,99 × 10−2 J, (B) −3,82 × 10−1 J, (C) −1,12 × 10−1 J, (Correto:D) −1,26 × 10−1 J,
(E) −3,28 × 10−1 J, (F) −2,33 × 10−1 J, (G) −2,60 × 10−1 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (I) −1,81 × 10−1 J,
(b) (J) −8,14 × 10−2 J, (K) −7,20 × 10−2 J, (L) −6,80 × 10−4 J, (M) −2,89 × 10−1 J, (N) −2,05 × 10−1 J,
(O) −1,48 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,31 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,110 mî, b) r⃗2 =0,558 m î, c) r⃗3 =1,35 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 028

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,110 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 165 V/m
r1 (0,110 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,549 V/m
r3 (1,35 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 3,21 V/m, (B) −45,4 V/m, (Correto:C) − 165 V/m, (D) 7,66 V/m, (E) −30,5 V/m,
(a) (F) −24,6 V/m, (e3:G) 6,42 V/m, (H) 10,7 V/m, (I) 5,77 V/m, (J) 4,98 V/m, (K) −88,9 V/m, (L) −35,9 V/m,
(M) 4,45 V/m, (e1:N ) 6,42 V/m, (O) 3,64 V/m,

(2.5 pontos) (A) 5,75 V/m, (B) 4,51 V/m, (e2:C ) 3,21 V/m, (D) 4,03 V/m, (E) −7,12 V/m, (e1:F ) −6,42 V/m,
(b) (G) −11,8 V/m, (H) −9,62 V/m, (I) −10,6 V/m, (Correto:J) 0 V/m, (K) 5,05 V/m, (L) −5,77 V/m,
(M) −8,06 V/m, (N) 3,56 V/m, (O) 2,87 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,05 V/m, (B) 0,826 V/m, (C) 0,482 V/m, (D) −8,54 V/m, (E) 1,36 V/m, (F) −10,5 V/m,
(c) (G) −7,12 V/m, (e1:H ) −6,42 V/m, (I) 0,610 V/m, (J) 1,18 V/m, (Correto:K) 0,549 V/m, (L) 1,96 V/m,
(M) −9,45 V/m, (N) 1,60 V/m, (O) 0,706 V/m,

(2.5 pontos) (A) 15,4 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 39,3 V, (D) 12,3 V, (E) 21,5 V, (F) 9,22 V, (G) 6,97 V,
(d) (H) 23,9 V, (e1:I ) 18,2 V, (J) 10,8 V, (K) 27,8 V, (L) 7,81 V, (M) 45,4 V, (e2:N ) 32,6 V, (O) 13,6 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 028

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 160 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 160 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 160 V
a> = 2,39 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,90 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,77 × 10−3 m, (B) 1,59 × 10−3 m, (Correto:C) 2,39 × 10−3 m, (D) 3,09 × 10−3 m, (E) 1,39 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,68 × 10−3 m, (G) 1,99 × 10−3 m,
Versão 028

(4 pontos) (A) 8,86 × 10−10 C, (B) 1,17 × 10−9 C, (C) 3,12 × 10−9 C, (D) 1,45 × 10−9 C, (E) 2,38 × 10−9 C,
(b) (F) 3,61 × 10−9 C, (Correto:G) 1,90 × 10−9 C, (H) 6,42 × 10−10 C, (I) 1,01 × 10−9 C, (J) 7,44 × 10−10 C,
(K) 1,31 × 10−9 C, (L) 2,14 × 10−9 C, (M) 1,64 × 10−9 C, (N) 2,78 × 10−9 C,

(c) (2 pontos) (A) 4,23 × 10−6 m, (B) 3,57 × 10−6 m, (C) 5,03 × 10−6 m, (Correto:D) 6,20 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 029

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
029
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,08 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,44 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −8,37 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,02 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −2,73 × 100 N, (B) −9,89 × 10−4 N, (C) −3,31 × 100 N, (D) −3,62 × 10−4 N, (E) −1,11 × 101 N,
(a) (F) −5,79 × 10−4 N, (G) −1,21 × 10−3 N, (H) −7,32 × 10−4 N, (e1:I ) −8,37 × 10−4 N, (Correto:J) −8,37 ×
100 N, (K) −6,12 × 10−6 N, (L) −5,97 × 100 N, (M) −4,38 × 100 N, (N) −2,56 × 10−4 N, (O) −4,29 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −8,27×10−2 J, (B) −3,83×10−1 J, (C) −3,22×10−1 J, (D) −2,50×10−1 J, (E) −7,22×10−2 J,
(b) (Correto:F) −2,02 × 10−1 J, (G) −1,13 × 10−1 J, (H) −2,87 × 10−1 J, (I) −6,80 × 10−4 J, (J) −1,80 × 10−1 J,
(K) −1,63 × 10−1 J, (L) −1,26 × 10−1 J, (M) −9,71 × 10−2 J, (N) −1,39 × 10−1 J, (O) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,56 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,261 mî, b) r⃗2 =0,491 m î, c) r⃗3 =0,738 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 029

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,261 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −29,4 V/m
r1 (0,261 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,84 V/m
r3 (0,738 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e3:A) 8,30 V/m, (e2:B ) 4,15 V/m, (C) 5,88 V/m, (D) 7,40 V/m, (E) 4,96 V/m, (F) −35,0 V/m,
(a) (Correto:G) −29,4 V/m, (H) −40,6 V/m, (I) −57,8 V/m, (J) 11,3 V/m, (K) −50,0 V/m, (L) 3,11 V/m,
(e1:M ) 8,30 V/m, (N) 9,83 V/m, (O) −24,1 V/m,

(2.5 pontos) (A) 5,75 V/m, (B) −11,4 V/m, (C) 5,00 V/m, (D) −5,75 V/m, (e1:E ) −8,30 V/m,
(b) (e2:F ) 4,15 V/m, (G) −7,40 V/m, (H) 3,64 V/m, (I) 2,88 V/m, (J) −6,47 V/m, (Correto:K) 0 V/m,
(L) −10,1 V/m, (M) 3,22 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,84 V/m, (B) 0,450 V/m, (C) 0,890 V/m, (D) 1,19 V/m, (E) −7,40 V/m,
(c) (F) −10,8 V/m, (G) 0,797 V/m, (H) −5,77 V/m, (I) 0,640 V/m, (J) 1,02 V/m, (K) −6,47 V/m,
(e1:L) −8,30 V/m, (M) 1,44 V/m, (N) 0,510 V/m, (O) 0,706 V/m,

(2.5 pontos) (A) 39,3 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 12,2 V, (e1:D) 7,66 V, (E) 22,6 V, (F) 20,1 V, (e2:G) 15,6 V,
(d) (H) 17,8 V, (I) 27,2 V, (J) 6,73 V, (K) 10,3 V, (L) 8,73 V, (M) 35,2 V, (N) 14,0 V, (O) 30,7 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,2 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 029

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 840 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,2 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 840 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 840 V
a> = 3,28 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,59 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,2 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,73 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,39 × 10−3 m, (B) 1,85 × 10−3 m, (C) 1,66 × 10−3 m, (Correto:D) 3,28 × 10−3 m, (E) 2,39 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,10 × 10−3 m, (G) 2,71 × 10−3 m,
Versão 029

(4 pontos) (A) 1,08 × 10−9 C, (B) 3,19 × 10−9 C, (C) 6,20 × 10−10 C, (D) 2,73 × 10−9 C, (E) 1,55 × 10−9 C,
(b) (F) 8,36 × 10−10 C, (G) 7,14 × 10−10 C, (H) 9,27 × 10−10 C, (I) 2,24 × 10−9 C, (Correto:J) 3,59 × 10−9 C,
(K) 1,29 × 10−9 C, (L) 1,76 × 10−9 C, (M) 1,96 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 3,33 × 10−6 m, (B) 5,20 × 10−6 m, (C) 4,67 × 10−6 m, (Correto:D) 3,73 × 10−6 m, (E) 6,60 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,97 × 10−6 m, (G) 4,17 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 030

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
030
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,64 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,32 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −3,49 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,14 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −2,98 × 10−4 N, (B) −8,63 × 100 N, (C) −4,40 × 100 N, (D) −6,26 × 100 N, (E) −2,39 × 10−4 N,
(a) (F) −1,39×101 N, (G) −2,87×100 N, (H) −1,21×101 N, (I) −4,43×10−4 N, (J) −6,75×10−4 N, (K) −5,55×
100 N, (L) −8,63 × 10−4 N, (e1:M ) −3,49 × 10−4 N, (Correto:N) −3,49 × 100 N, (O) −1,06 × 10−3 N,

(5 pontos) (A) −1,70 × 10−1 J, (B) −2,52 × 10−1 J, (C) −9,67 × 10−2 J, (D) −6,22 × 10−2 J, (Cor-
reto:E) −1,14 × 10−1 J, (F) −7,02 × 10−2 J, (G) −2,78 × 10−1 J, (H) −1,90 × 10−1 J, (I) −1,51 × 10−1 J,
(b) (J) −1,35 × 10−1 J, (K) −2,16 × 10−1 J, (L) −8,35 × 10−2 J, (M) −3,83 × 10−1 J, (N) −3,14 × 10−1 J,
(O) −6,80 × 10−4 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,13 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,289 mî, b) r⃗2 =0,566 m î, c) r⃗3 =0,833 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 030

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,289 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −23,9 V/m
r1 (0,289 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,44 V/m
r3 (0,833 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 3,12 V/m, (e3:B ) 6,24 V/m, (C) −37,2 V/m, (D) 3,49 V/m, (e1:E ) 6,24 V/m,
(a) (F) 10,4 V/m, (G) 4,49 V/m, (H) − 128 V/m, (I) 7,87 V/m, (J) −65,3 V/m, (K) −84,3 V/m, (L) 8,72 V/m,
(Correto:M) −23,9 V/m, (N) 5,05 V/m, (O) −43,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,27 V/m, (B) 5,75 V/m, (C) 3,73 V/m, (D) −6,99 V/m, (E) −11,7 V/m, (F) −10,6 V/m,
(b) (G) −9,41 V/m, (e1:H ) −6,24 V/m, (e2:I ) 3,12 V/m, (J) −8,20 V/m, (Correto:K) 0 V/m, (L) 4,83 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,44 V/m, (B) −7,28 V/m, (C) 0,549 V/m, (D) 1,61 V/m, (E) 1,26 V/m,
(c) (F) 0,812 V/m, (G) 0,482 V/m, (H) −11,0 V/m, (I) 1,10 V/m, (J) 0,925 V/m, (K) 0,630 V/m, (L) −9,79 V/m,
(M) 1,89 V/m, (N) −8,50 V/m, (e1:O) −6,24 V/m,

(2.5 pontos) (A) 10,9 V, (e2:B ) 12,2 V, (C) 27,7 V, (D) 13,7 V, (E) 38,5 V, (F) 17,1 V, (G) 8,73 V, (H) 34,1 V,
(d) (I) 44,0 V, (e1:J ) 6,92 V, (K) 15,2 V, (Correto:L) 1,67 V, (M) 19,3 V, (N) 24,8 V, (O) 9,71 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,3 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 030

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 260 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,3 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 260 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 260 V
a> = 2,42 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 1,95 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,3 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,43 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,16 × 10−3 m, (B) 1,93 × 10−3 m, (C) 1,59 × 10−3 m, (D) 3,12 × 10−3 m, (Correto:E) 2,42 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,73 × 10−3 m, (G) 1,44 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 2,75 × 10−9 C, (B) 7,14 × 10−10 C, (C) 3,13 × 10−9 C, (D) 3,56 × 10−9 C, (E) 5,96 × 10−10 C,
(b) (F) 2,41×10−9 C, (G) 7,95×10−10 C, (H) 1,61×10−9 C, (I) 1,39×10−9 C, (J) 8,83×10−10 C, (K) 1,25×10−9 C,
(L) 1,13 × 10−9 C, (M) 1,00 × 10−9 C, (Correto:N) 1,95 × 10−9 C,
Versão 030

(2 pontos) (A) 5,70 × 10−6 m, (Correto:B) 6,43 × 10−6 m, (C) 4,40 × 10−6 m, (D) 5,00 × 10−6 m, (E) 3,77 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,37 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 031

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
031
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,28 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,61 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −2,73 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −9,64 × 10−2 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −5,83×100 N, (B) −6,05×10−4 N, (C) −4,56×10−4 N, (D) −4,23×100 N, (E) −7,70×10−4 N,
(a) (F) −6,54 × 100 N, (e1:G) −2,73 × 10−4 N, (H) −1,96 × 100 N, (I) −1,18 × 10−3 N, (J) −3,78 × 10−4 N,
(K) −9,87 × 10−4 N, (L) −3,23 × 100 N, (M) −3,83 × 100 N, (Correto:N) −2,73 × 100 N, (O) −2,27 × 100 N,

(5 pontos) (Correto:A) −9,64 × 10−2 J, (B) −2,22 × 10−1 J, (C) −8,13 × 10−2 J, (D) −6,80 × 10−4 J,
(b) (E) −1,70 × 10−1 J, (F) −3,83 × 10−1 J, (G) −1,95 × 10−1 J, (H) −2,60 × 10−1 J, (I) −7,22 × 10−2 J,
(J) −1,42 × 10−1 J, (K) −6,22 × 10−2 J, (L) −2,95 × 10−1 J, (M) −3,41 × 10−1 J, (N) −1,16 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,88 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,184 mî, b) r⃗2 =0,517 m î, c) r⃗3 =1,35 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 031

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,184 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −59,1 V/m
r1 (0,184 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,549 V/m
r3 (1,35 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 11,3 V/m, (B) −29,1 V/m, (Correto:C) −59,1 V/m, (e3:D) 7,48 V/m, (E) − 122 V/m,
(a) (F) 6,42 V/m, (G) −48,5 V/m, (H) 2,98 V/m, (e1:I ) 7,48 V/m, (J) 8,83 V/m, (K) 5,67 V/m, (L) −35,0 V/m,
(e2:M ) 3,74 V/m, (N) −24,3 V/m, (O) 4,18 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,85 V/m, (B) 5,64 V/m, (C) 3,35 V/m, (D) 4,13 V/m, (E) −10,4 V/m, (F) −8,26 V/m,
(b) (G) −6,38 V/m, (e1:H ) −7,48 V/m, (I) −11,7 V/m, (e2:J ) 3,74 V/m, (K) −9,21 V/m, (Correto:L) 0 V/m,
(M) 3,01 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −7,48 V/m, (B) −6,52 V/m, (Correto:C) 0,549 V/m, (D) 1,36 V/m, (E) 0,610 V/m,
(c) (F) 0,743 V/m, (G) 1,54 V/m, (H) 0,826 V/m, (I) 1,84 V/m, (J) 1,12 V/m, (K) −8,40 V/m, (L) 1,00 V/m,
(M) 0,489 V/m, (N) −9,96 V/m, (O) −11,2 V/m,

(2.5 pontos) (A) 8,73 V, (B) 31,5 V, (C) 35,3 V, (D) 14,4 V, (E) 39,3 V, (F) 16,5 V, (G) 7,49 V, (Cor-
(d) reto:H) 1,67 V, (e2:I ) 21,0 V, (J) 23,5 V, (K) 12,8 V, (L) 18,2 V, (e1:M ) 10,9 V, (N) 27,2 V, (O) 9,76 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 031

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 330 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 330 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 330 V
a> = 1,78 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,05 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,35 × 10−3 m, (Correto:B) 1,78 × 10−3 m, (C) 2,26 × 10−3 m, (D) 1,96 × 10−3 m, (E) 2,92 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,59 × 10−3 m, (G) 1,55 × 10−3 m, (H) 3,26 × 10−3 m,
Versão 031

(4 pontos) (A) 6,14 × 10−10 C, (B) 3,25 × 10−9 C, (C) 1,25 × 10−9 C, (D) 1,70 × 10−9 C, (Correto:E) 1,05 ×
(b) 10−9 C, (F) 9,19 × 10−10 C, (G) 1,49 × 10−9 C, (H) 2,90 × 10−9 C, (I) 3,63 × 10−9 C, (J) 2,17 × 10−9 C,
(K) 1,95 × 10−9 C, (L) 7,37 × 10−10 C, (M) 2,57 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 3,77 × 10−6 m, (B) 4,70 × 10−6 m, (C) 6,47 × 10−6 m, (D) 5,33 × 10−6 m, (E) 3,37 × 10−6 m,
(c) (Correto:F) 4,20 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 032

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
032
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,10 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,37 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,04 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,43 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −2,87 × 10−4 N, (B) −3,07 × 100 N, (C) −2,47 × 100 N, (D) −6,99 × 100 N, (E) −8,10 × 10−4 N,
(a) (F) −1,99 × 100 N, (e1:G) −1,04 × 10−3 N, (H) −2,47 × 10−4 N, (I) −1,39 × 10−3 N, (J) −4,74 × 100 N,
(Correto:K) −1,04 × 101 N, (L) −6,13 × 10−4 N, (M) −1,87 × 101 N, (N) −5,40 × 100 N, (O) −4,50 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −3,83×10−1 J, (B) −8,48×10−2 J, (C) −7,02×10−2 J, (D) −3,22×10−1 J, (E) −1,25×10−1 J,
(b) (F) −1,54 × 10−1 J, (G) −6,80 × 10−4 J, (H) −2,74 × 10−1 J, (I) −1,38 × 10−1 J, (J) −6,22 × 10−2 J,
(K) −1,10×10−1 J, (L) −9,64×10−2 J, (M) −1,74×10−1 J, (Correto:N) −2,43×10−1 J, (O) −2,04×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,60 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,250 mî, b) r⃗2 =0,544 m î, c) r⃗3 =1,10 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 032

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,250 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −32,0 V/m
r1 (0,250 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,826 V/m
r3 (1,10 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −93,8 V/m, (B) − 110 V/m, (Correto:C) −32,0 V/m, (D) 7,60 V/m, (E) −76,2 V/m,
(a) (F) 10,1 V/m, (G) 5,95 V/m, (e2:H ) 3,38 V/m, (e1:I ) 6,76 V/m, (J) −41,3 V/m, (K) − 200 V/m,
(L) 11,3 V/m, (M) 8,47 V/m, (e3:N ) 6,76 V/m, (O) 3,97 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −6,76 V/m, (B) 5,59 V/m, (C) −8,40 V/m, (D) 4,89 V/m, (E) −11,3 V/m,
(b) (e2:F ) 3,38 V/m, (G) −6,07 V/m, (H) −7,51 V/m, (I) 4,06 V/m, (J) 2,91 V/m, (K) −9,66 V/m, (Cor-
reto:L) 0 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,02 V/m, (B) −11,4 V/m, (C) −9,62 V/m, (Correto:D) 0,826 V/m, (E) 0,743 V/m,
(c) (e1:F ) −6,76 V/m, (G) −5,82 V/m, (H) 0,463 V/m, (I) 1,95 V/m, (J) 0,630 V/m, (K) 0,525 V/m,
(L) 1,38 V/m, (M) −7,94 V/m, (N) 1,57 V/m, (O) 1,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 44,0 V, (B) 26,6 V, (C) 9,48 V, (e2:D) 14,7 V, (E) 18,6 V, (F) 33,9 V, (G) 6,85 V, (H) 12,5 V,
(d) (I) 29,6 V, (Correto:J) 1,67 V, (K) 22,6 V, (L) 10,9 V, (M) 40,0 V, (e1:N ) 8,00 V, (O) 16,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 032

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 800 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 800 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 800 V
a> = 2,60 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,26 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,87 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,33 × 10−3 m, (B) 1,55 × 10−3 m, (C) 1,74 × 10−3 m, (D) 2,86 × 10−3 m, (Correto:E) 2,60 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,10 × 10−3 m, (G) 1,34 × 10−3 m, (H) 2,33 × 10−3 m,
Versão 032

(4 pontos) (A) 1,04 × 10−9 C, (Correto:B) 2,26 × 10−9 C, (C) 3,61 × 10−9 C, (D) 7,67 × 10−10 C, (E) 1,36 ×
(b) 10−9 C, (F) 6,29 × 10−10 C, (G) 8,65 × 10−10 C, (H) 3,19 × 10−9 C, (I) 1,22 × 10−9 C, (J) 2,51 × 10−9 C,
(K) 2,83 × 10−9 C, (L) 1,61 × 10−9 C, (M) 6,95 × 10−10 C, (N) 1,86 × 10−9 C,

pontos) (A) 5,30 × 10−6 m, (B) 4,43 × 10−6 m, (C) 3,40 × 10−6 m, (Correto:D) 3,87 × 10−6 m, (E) 6,37 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 033

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
033
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,99 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,09 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −7,78 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,37 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,46 × 100 N, (B) −6,16 × 10−4 N, (C) −4,88 × 100 N, (D) −2,39 × 100 N, (E) −4,93 × 10−4 N,
(a) (F) −9,89 × 100 N, (e1:G) −7,78 × 10−4 N, (H) −1,37 × 10−3 N, (I) −3,67 × 10−4 N, (J) −6,57 × 100 N,
(K) −8,56 × 100 N, (L) −9,25 × 10−4 N, (M) −4,38 × 100 N, (Correto:N) −7,78 × 100 N, (O) −3,07 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −1,35 × 10−1 J, (B) −9,35 × 10−2 J, (C) −3,84 × 10−1 J, (D) −2,76 × 10−1 J, (Cor-
(b) reto:E) −2,37 × 10−1 J, (F) −7,68 × 10−2 J, (G) −6,22 × 10−2 J, (H) −1,49 × 10−1 J, (I) −3,30 × 10−1 J,
(J) −1,20 × 10−1 J, (K) −6,80 × 10−4 J, (L) −1,05 × 10−1 J, (M) −1,78 × 10−1 J, (N) −2,10 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =1,98 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,277 mî, b) r⃗2 =0,577 m î, c) r⃗3 =1,36 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 033

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,277 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −26,1 V/m
r1 (0,277 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,541 V/m
r3 (1,36 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −41,3 V/m, (B) 5,12 V/m, (C) −35,3 V/m, (e3:D) 6,01 V/m, (e2:E ) 3,00 V/m,
(a) (e1:F ) 6,01 V/m, (G) −75,3 V/m, (Correto:H) −26,1 V/m, (I) −91,3 V/m, (J) 10,5 V/m, (K) −47,6 V/m,
(L) 8,36 V/m, (M) 3,70 V/m, (N) 6,78 V/m, (O) −53,7 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,90 V/m, (B) 5,67 V/m, (C) 3,80 V/m, (e1:D) −6,01 V/m, (E) −9,75 V/m,
(b) (F) −11,8 V/m, (G) 5,07 V/m, (H) 4,29 V/m, (I) −6,68 V/m, (e2:J ) 3,00 V/m, (K) 3,45 V/m, (Cor-
reto:L) 0 V/m, (M) −8,72 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,5 V/m, (B) −9,13 V/m, (C) 1,95 V/m, (D) 0,743 V/m, (E) 1,39 V/m, (F) 0,610 V/m,
(c) (G) 1,61 V/m, (Correto:H) 0,541 V/m, (e1:I ) −6,01 V/m, (J) 0,961 V/m, (K) 0,842 V/m, (L) −8,13 V/m,
(M) −10,2 V/m, (N) 1,23 V/m, (O) −7,28 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 12,5 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 14,8 V, (D) 10,8 V, (E) 8,37 V, (e1:F ) 7,22 V, (G) 38,4 V,
(d) (H) 31,5 V, (I) 23,3 V, (J) 17,5 V, (K) 28,1 V, (L) 9,22 V, (M) 34,8 V, (N) 44,0 V, (O) 20,3 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,3 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 033

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 990 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,3 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 990 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 990 V
a> = 2,33 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,81 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,3 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,10 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,63 × 10−3 m, (Correto:B) 2,33 × 10−3 m, (C) 3,13 × 10−3 m, (D) 2,03 × 10−3 m, (E) 1,36 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,72 × 10−3 m, (G) 1,82 × 10−3 m,
Versão 033

(4 pontos) (A) 7,91 × 10−10 C, (B) 1,36 × 10−9 C, (C) 3,60 × 10−9 C, (D) 7,14 × 10−10 C, (E) 2,17 × 10−9 C,
(b) (F) 2,83 × 10−9 C, (G) 1,61 × 10−9 C, (H) 9,05 × 10−10 C, (Correto:I) 1,81 × 10−9 C, (J) 5,93 × 10−10 C,
(K) 3,21 × 10−9 C, (L) 1,13 × 10−9 C, (M) 1,01 × 10−9 C, (N) 2,53 × 10−9 C,

pontos) (A) 4,70 × 10−6 m, (B) 3,60 × 10−6 m, (C) 5,63 × 10−6 m, (D) 6,30 × 10−6 m, (Correto:E) 4,10 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 034

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
034
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−5,65 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,04 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,11 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,25 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,49 × 100 N, (B) −6,54 × 10−4 N, (C) −4,68 × 10−4 N, (e1:D) −1,11 × 10−3 N, (E) −1,89 ×
−3
(a) 10 N, (F) −5,80 × 100 N, (G) −4,32 × 100 N, (H) −2,56 × 10−4 N, (Correto:I) −1,11 × 101 N, (J) −1,64 ×
101 N, (K) −2,09 × 100 N, (L) −3,79 × 10−4 N, (M) −6,12 × 10−6 N, (N) −6,57 × 100 N, (O) −9,53 × 100 N,

(5 pontos) (A) −1,11×10−1 J, (B) −1,25×10−1 J, (C) −1,63×10−1 J, (D) −2,59×10−1 J, (E) −3,33×10−1 J,
(b) (F) −8,39 × 10−2 J, (G) −6,80 × 10−4 J, (H) −3,82 × 10−1 J, (I) −1,84 × 10−1 J, (Correto:J) −2,25 × 10−1 J,
(K) −6,22 × 10−2 J, (L) −1,48 × 10−1 J, (M) −7,33 × 10−2 J, (N) −9,99 × 10−2 J, (O) −2,93 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =3,56 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,224 mî, b) r⃗2 =0,559 m î, c) r⃗3 =1,49 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 034

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,224 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −39,9 V/m
r1 (0,224 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,450 V/m
r3 (1,49 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −87,7 V/m, (e1:B ) 6,40 V/m, (Correto:C) −39,9 V/m, (D) 4,10 V/m, (E) 11,3 V/m,
(a) (F) 4,81 V/m, (G) − 175 V/m, (H) 7,48 V/m, (I) − 117 V/m, (J) − 139 V/m, (K) −53,7 V/m, (L) 10,0 V/m,
(e3:M ) 6,40 V/m, (e2:N ) 3,20 V/m, (O) −28,5 V/m,

(2.5 pontos) (A) −5,75 V/m, (B) 2,88 V/m, (C) 4,10 V/m, (D) 5,95 V/m, (E) −8,79 V/m, (F) −7,12 V/m,
(b) (G) −11,3 V/m, (H) −7,94 V/m, (I) −9,83 V/m, (e2:J ) 3,20 V/m, (K) 4,57 V/m, (L) 5,31 V/m,
(e1:M ) −6,40 V/m, (N) 3,60 V/m, (Correto:O) 0 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,62 V/m, (B) 1,86 V/m, (C) −8,50 V/m, (D) 0,510 V/m, (E) 0,718 V/m, (F) −9,96 V/m,
(c) (G) 1,46 V/m, (H) −11,3 V/m, (I) 1,19 V/m, (J) 0,592 V/m, (K) −7,54 V/m, (e1:L) −6,40 V/m,
(M) 0,812 V/m, (N) 1,02 V/m, (Correto:O) 0,450 V/m,

(2.5 pontos) (A) 17,8 V, (B) 22,6 V, (e1:C ) 8,93 V, (e2:D) 16,0 V, (E) 19,8 V, (F) 25,6 V, (G) 11,2 V,
(d) (H) 30,9 V, (I) 13,2 V, (J) 7,17 V, (K) 35,2 V, (L) 8,03 V, (M) 40,0 V, (N) 10,0 V, (Correto:O) 1,67 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 034

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 670 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 670 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 670 V
a> = 2,22 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,65 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,50 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,51 × 10−3 m, (B) 1,65 × 10−3 m, (C) 1,95 × 10−3 m, (D) 1,40 × 10−3 m, (Correto:E) 2,22 ×
(a) 10−3 m, (F) 3,32 × 10−3 m, (G) 2,88 × 10−3 m,
Versão 034

(4 pontos) (A) 1,19 × 10−9 C, (B) 2,90 × 10−9 C, (Correto:C) 1,65 × 10−9 C, (D) 3,28 × 10−9 C, (E) 1,06 ×
(b) 10−9 C, (F) 9,49 × 10−10 C, (G) 2,44 × 10−9 C, (H) 1,48 × 10−9 C, (I) 1,33 × 10−9 C, (J) 3,68 × 10−9 C,
(K) 1,87 × 10−9 C, (L) 2,07 × 10−9 C, (M) 7,67 × 10−10 C, (N) 6,51 × 10−10 C,

(c) (2 pontos) (A) 5,03 × 10−6 m, (B) 4,23 × 10−6 m, (Correto:C) 3,50 × 10−6 m, (D) 6,03 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 035

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
035
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,78 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,11 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −3,23 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −9,86 × 10−2 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −5,00 × 100 N, (B) −1,23 × 10−3 N, (C) −2,88 × 10−4 N, (D) −4,11 × 100 N, (E) −8,89 × 100 N,
(a) (e1:F ) −3,23×10−4 N, (G) −2,47×100 N, (H) −1,02×10−3 N, (Correto:I) −3,23×100 N, (J) −2,19×100 N,
(K) −6,57 × 10−4 N, (L) −2,57 × 10−4 N, (M) −5,87 × 100 N, (N) −4,46 × 10−4 N, (O) −1,31 × 101 N,

(5 pontos) (Correto:A) −9,86 × 10−2 J, (B) −1,26 × 10−1 J, (C) −2,89 × 10−1 J, (D) −2,50 × 10−1 J,
(E) −6,80 × 10−4 J, (F) −3,31 × 10−1 J, (G) −8,71 × 10−2 J, (H) −1,56 × 10−1 J, (I) −3,83 × 10−1 J,
(b) (J) −2,10 × 10−1 J, (K) −1,09 × 10−1 J, (L) −1,74 × 10−1 J, (M) −7,68 × 10−2 J, (N) −1,40 × 10−1 J,
(O) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,03 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,239 mî, b) r⃗2 =0,421 m î, c) r⃗3 =1,21 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 035

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,239 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −35,0 V/m
r1 (0,239 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,683 V/m
r3 (1,21 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 5,64 V/m, (e1:B ) 11,3 V/m, (C) 7,12 V/m, (D) −49,5 V/m, (E) 2,92 V/m, (Cor-
(a) reto:F) −35,0 V/m, (G) 10,1 V/m, (H) − 101 V/m, (I) −65,3 V/m, (J) 8,57 V/m, (K) 4,23 V/m,
(L) − 124 V/m, (e3:M ) 11,3 V/m, (N) 6,40 V/m, (O) 3,77 V/m,

(2.5 pontos) (A) −5,77 V/m, (Correto:B) 0 V/m, (C) 4,25 V/m, (D) −6,52 V/m, (e2:E ) 5,64 V/m,
(b) (e1:F ) −11,3 V/m, (G) −7,60 V/m, (H) −8,83 V/m, (I) 2,92 V/m, (J) −10,1 V/m, (K) 3,74 V/m,
(L) 4,89 V/m, (M) 3,33 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,19 V/m, (e1:B ) −11,3 V/m, (C) −10,1 V/m, (D) 1,40 V/m, (E) 1,07 V/m, (F) 0,769 V/m,
(c) (G) 0,549 V/m, (Correto:H) 0,683 V/m, (I) −7,75 V/m, (J) −5,80 V/m, (K) −6,83 V/m, (L) 0,482 V/m,
(M) 1,61 V/m, (N) −8,86 V/m, (O) 1,93 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,67 V, (B) 9,85 V, (C) 32,9 V, (D) 23,5 V, (E) 11,9 V, (F) 17,7 V, (G) 46,5 V,
(d) (H) 6,97 V, (I) 37,9 V, (J) 26,4 V, (e1:K ) 8,37 V, (e2:L) 19,9 V, (M) 14,2 V, (N) 15,7 V, (O) 29,6 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼16,4 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 035

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 750 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 16,4 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 750 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 750 V
a> = 2,25 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,69 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =16,4 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,47 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,32 × 10−3 m, (B) 2,50 × 10−3 m, (C) 1,49 × 10−3 m, (D) 1,85 × 10−3 m, (Correto:E) 2,25 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,88 × 10−3 m, (G) 1,35 × 10−3 m, (H) 1,66 × 10−3 m,
Versão 035

(4 pontos) (A) 3,68 × 10−9 C, (B) 6,82 × 10−10 C, (C) 7,67 × 10−10 C, (D) 5,96 × 10−10 C, (E) 1,26 × 10−9 C,
(b) (F) 2,92 × 10−9 C, (G) 2,44 × 10−9 C, (Correto:H) 1,69 × 10−9 C, (I) 3,33 × 10−9 C, (J) 1,51 × 10−9 C,
(K) 1,10 × 10−9 C, (L) 1,98 × 10−9 C, (M) 9,19 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 3,77 × 10−6 m, (Correto:B) 5,47 × 10−6 m, (C) 6,23 × 10−6 m, (D) 4,87 × 10−6 m, (E) 4,33 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,37 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 036

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
036
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,96 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,79 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −2,88 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,06 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (e1:A) −2,88 × 10−4 N, (B) −5,46 × 10−4 N, (C) −1,54 × 101 N, (D) −7,32 × 100 N, (E) −4,61 ×
(a) 10−4 N, (F) −3,87 × 100 N, (G) −5,81 × 100 N, (H) −1,17 × 10−3 N, (I) −9,91 × 100 N, (J) −6,55 × 100 N,
(K) −3,49×10−4 N, (Correto:L) −2,88×100 N, (M) −2,56×10−4 N, (N) −6,15×10−4 N, (O) −1,04×10−3 N,

(5 pontos) (A) −6,80×10−4 J, (B) −3,26×10−1 J, (C) −1,20×10−1 J, (D) −2,02×10−1 J, (E) −6,22×10−2 J,
(b) (F) −9,35 × 10−2 J, (G) −1,78 × 10−1 J, (H) −2,66 × 10−1 J, (I) −2,30 × 10−1 J, (J) −8,39 × 10−2 J,
(K) −1,40×10−1 J, (L) −3,84×10−1 J, (M) −7,22×10−2 J, (Correto:N) −1,06×10−1 J, (O) −1,55×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,27 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,206 mî, b) r⃗2 =0,590 m î, c) r⃗3 =1,48 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 036

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,206 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −47,1 V/m
r1 (0,206 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,457 V/m
r3 (1,48 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e1:A) 5,75 V/m, (B) −24,3 V/m, (C) 11,7 V/m, (D) 6,96 V/m, (E) 4,73 V/m, (F) 9,70 V/m,
(a) (G) 8,26 V/m, (H) −33,6 V/m, (e2:I ) 2,87 V/m, (J) − 162 V/m, (K) − 128 V/m, (Correto:L) −47,1 V/m,
(M) −74,4 V/m, (e3:N ) 5,75 V/m, (O) 4,03 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,54 V/m, (B) 4,13 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (D) −9,88 V/m, (E) −11,0 V/m,
(b) (F) −6,42 V/m, (G) 4,73 V/m, (H) 3,73 V/m, (e1:I ) −5,75 V/m, (J) −8,79 V/m, (K) 5,26 V/m, (L) 3,21 V/m,
(e2:M ) 2,87 V/m, (N) 5,92 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,4 V/m, (B) −6,96 V/m, (C) 1,89 V/m, (D) 1,25 V/m, (E) −10,1 V/m, (F) 0,797 V/m,
(c) (G) −7,87 V/m, (e1:H ) −5,75 V/m, (I) 1,51 V/m, (J) 0,525 V/m, (K) 0,620 V/m, (Correto:L) 0,457 V/m,
(M) −9,05 V/m, (N) 1,10 V/m, (O) 0,683 V/m,

(2.5 pontos) (A) 20,0 V, (e1:B ) 9,71 V, (C) 6,78 V, (D) 43,0 V, (E) 14,3 V, (F) 8,73 V, (G) 22,1 V,
(d) (Correto:H) 1,67 V, (I) 25,6 V, (J) 31,2 V, (e2:K ) 16,5 V, (L) 13,0 V, (M) 11,5 V, (N) 7,72 V, (O) 37,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼13,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 036

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 960 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 13,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 960 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 960 V
a> = 3,32 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,68 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =13,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,50 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 3,32 × 10−3 m, (B) 1,71 × 10−3 m, (C) 1,33 × 10−3 m, (D) 2,67 × 10−3 m, (E) 2,98 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,49 × 10−3 m, (G) 2,33 × 10−3 m, (H) 2,02 × 10−3 m,
Versão 036

(4 pontos) (A) 1,76 × 10−9 C, (B) 3,21 × 10−9 C, (C) 1,10 × 10−9 C, (D) 2,14 × 10−9 C, (Correto:E) 3,68 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,32 × 10−9 C, (G) 2,86 × 10−9 C, (H) 2,38 × 10−9 C, (I) 6,42 × 10−10 C, (J) 1,94 × 10−9 C,
(K) 9,19 × 10−10 C, (L) 1,48 × 10−9 C, (M) 7,67 × 10−10 C,

pontos) (A) 5,30 × 10−6 m, (B) 3,53 × 10−6 m, (C) 6,20 × 10−6 m, (D) 4,00 × 10−6 m, (Correto:E) 4,50 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 037

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
037
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,56 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,47 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = + 2 = −4,79 × 100 N
4πε0 r12 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,17 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,89 × 101 N, (e1:B ) −4,79 × 10−4 N, (Correto:C) −4,79 × 100 N, (D) −2,47 × 10−4 N,
(E) −7,95 × 100 N, (F) −6,12 × 10−2 N, (G) −6,28 × 10−4 N, (H) −3,15 × 10−4 N, (I) −6,90 × 100 N,
(a) (J) −1,21 × 101 N, (K) −5,49 × 10−4 N, (L) −4,22 × 100 N, (M) −1,64 × 10−3 N, (N) −3,31 × 100 N,
(O) −6,17 × 100 N,

(5 pontos) (A) −2,12 × 10−1 J, (B) −1,59 × 10−1 J, (C) −1,05 × 10−1 J, (D) −8,27 × 10−2 J, (Cor-
reto:E) −1,17 × 10−1 J, (F) −7,33 × 10−2 J, (G) −1,42 × 10−1 J, (H) −1,80 × 10−1 J, (I) −9,21 × 10−2 J,
(b) (J) −2,54 × 10−1 J, (K) −2,89 × 10−1 J, (L) −3,22 × 10−1 J, (M) −6,80 × 10−4 J, (N) −3,84 × 10−1 J,
(O) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,01 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,152 mî, b) r⃗2 =0,421 m î, c) r⃗3 =1,38 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 037

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,152 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −86,6 V/m
r1 (0,152 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,525 V/m
r3 (1,38 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 9,92 V/m, (B) 6,27 V/m, (e1:C ) 11,3 V/m, (D) 7,75 V/m, (E) −26,1 V/m, (F) −39,2 V/m,
(a) (G) −65,3 V/m, (H) 8,72 V/m, (Correto:I) −86,6 V/m, (J) − 120 V/m, (K) 3,26 V/m, (L) − 196 V/m,
(M) 5,07 V/m, (e2:N ) 5,64 V/m, (e3:O) 11,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,90 V/m, (B) 4,77 V/m, (C) 3,56 V/m, (D) −9,02 V/m, (E) 3,19 V/m, (Cor-
(b) reto:F) 0 V/m, (G) 4,13 V/m, (H) −5,92 V/m, (I) −10,1 V/m, (e1:J ) −11,3 V/m, (K) 2,90 V/m,
(e2:L) 5,64 V/m, (M) −6,83 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,890 V/m, (B) 1,23 V/m, (C) −10,1 V/m, (D) 0,592 V/m, (E) 0,661 V/m, (F) −7,28 V/m,
(c) (G) 1,61 V/m, (H) 1,40 V/m, (Correto:I) 0,525 V/m, (J) −8,16 V/m, (K) 2,01 V/m, (e1:L) −11,3 V/m,
(M) 0,797 V/m, (N) 1,03 V/m, (O) −6,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 11,7 V, (B) 37,9 V, (Correto:C) 1,67 V, (e2:D) 31,3 V, (E) 22,5 V, (F) 9,17 V, (G) 27,2 V,
(d) (H) 18,0 V, (e1:I ) 13,2 V, (J) 44,0 V, (K) 16,1 V, (L) 8,20 V, (M) 20,0 V, (N) 7,19 V, (O) 10,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼14,4 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 037

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 970 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 14,4 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 970 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 970 V
a> = 1,99 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,32 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =14,4 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,80 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 1,99 × 10−3 m, (B) 1,65 × 10−3 m, (C) 3,19 × 10−3 m, (D) 1,41 × 10−3 m, (E) 2,78 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,41 × 10−3 m,
Versão 037

(4 pontos) (A) 1,70 × 10−9 C, (B) 1,11 × 10−9 C, (C) 2,98 × 10−9 C, (D) 2,32 × 10−9 C, (E) 2,66 × 10−9 C,
(b) (F) 1,48 × 10−9 C, (G) 5,93 × 10−10 C, (H) 8,43 × 10−10 C, (I) 7,57 × 10−10 C, (J) 1,97 × 10−9 C, (K) 6,82 ×
10−10 C, (L) 3,59 × 10−9 C, (M) 9,99 × 10−10 C, (Correto:N) 1,32 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 3,77 × 10−6 m, (B) 4,27 × 10−6 m, (C) 3,37 × 10−6 m, (D) 5,47 × 10−6 m, (E) 6,37 × 10−6 m,
(c) (Correto:F) 4,80 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 038

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
038
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−9,51 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,10 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −8,18 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,50 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,05×101 N, (B) −1,12×10−3 N, (C) −2,88×100 N, (D) −4,88×10−4 N, (E) −9,91×10−4 N,
(a) (F) −2,47×100 N, (G) −4,56×100 N, (H) −3,02×10−4 N, (e1:I ) −8,18×10−4 N, (Correto:J) −8,18×100 N,
(K) −5,95 × 100 N, (L) −9,20 × 100 N, (M) −7,32 × 10−4 N, (N) −3,73 × 100 N, (O) −1,62 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,16×10−1 J, (B) −6,22×10−2 J, (C) −9,71×10−2 J, (D) −1,39×10−1 J, (E) −6,80×10−4 J,
(b) (F) −1,10 × 10−1 J, (Correto:G) −2,50 × 10−1 J, (H) −1,26 × 10−1 J, (I) −3,82 × 10−1 J, (J) −1,94 × 10−1 J,
(K) −7,20 × 10−2 J, (L) −3,28 × 10−1 J, (M) −2,97 × 10−1 J, (N) −1,59 × 10−1 J, (O) −8,71 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,81 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,155 mî, b) r⃗2 =0,450 m î, c) r⃗3 =1,28 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 038

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,155 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −83,2 V/m
r1 (0,155 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,610 V/m
r3 (1,28 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 4,94 V/m, (B) − 196 V/m, (C) 6,27 V/m, (Correto:D) −83,2 V/m, (E) 11,2 V/m,
(a) (F) 2,95 V/m, (G) 8,30 V/m, (e1:H ) 9,88 V/m, (I) 3,81 V/m, (J) − 157 V/m, (K) −36,5 V/m, (L) 3,42 V/m,
(M) −74,4 V/m, (e3:N ) 9,88 V/m, (O) −24,6 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,20 V/m, (B) 4,34 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (D) −11,3 V/m, (E) −8,06 V/m,
(b) (F) −5,77 V/m, (G) 5,81 V/m, (e1:H ) −9,88 V/m, (I) 3,28 V/m, (J) −6,49 V/m, (K) 3,83 V/m, (L) 2,92 V/m,
(e2:M ) 4,94 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,26 V/m, (B) 1,70 V/m, (C) 0,463 V/m, (D) 0,541 V/m, (E) 0,769 V/m, (F) 1,39 V/m,
(c) (G) 0,873 V/m, (e1:H ) −9,88 V/m, (I) −11,4 V/m, (J) −5,80 V/m, (K) 0,683 V/m, (L) 1,93 V/m,
(M) 1,05 V/m, (N) −8,16 V/m, (Correto:O) 0,610 V/m,

(2.5 pontos) (A) 10,7 V, (B) 15,5 V, (C) 33,8 V, (Correto:D) 1,67 V, (E) 17,5 V, (e2:F ) 28,7 V, (G) 19,5 V,
(d) (H) 21,5 V, (I) 7,07 V, (J) 25,4 V, (e1:K ) 12,9 V, (L) 37,9 V, (M) 8,03 V, (N) 9,26 V, (O) 44,0 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 038

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 940 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 940 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 940 V
a> = 1,65 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 9,05 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,09 × 10−3 m, (B) 2,33 × 10−3 m, (C) 1,82 × 10−3 m, (D) 2,03 × 10−3 m, (E) 2,65 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 1,65 × 10−3 m, (G) 1,41 × 10−3 m,
Versão 038

(4 pontos) (A) 2,26 × 10−9 C, (B) 1,29 × 10−9 C, (C) 2,92 × 10−9 C, (D) 6,08 × 10−10 C, (E) 7,95 ×
(b) 10−10 C, (F) 1,58 × 10−9 C, (G) 7,14 × 10−10 C, (H) 1,87 × 10−9 C, (I) 3,38 × 10−9 C, (J) 2,49 × 10−9 C,
(Correto:K) 9,05 × 10−10 C, (L) 1,10 × 10−9 C,

pontos) (A) 5,83 × 10−6 m, (Correto:B) 4,20 × 10−6 m, (C) 6,53 × 10−6 m, (D) 4,97 × 10−6 m, (E) 3,60 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 039

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
039
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,42 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,11 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,28 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,31 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,49×10−4 N, (B) −3,45×100 N, (C) −8,73×10−4 N, (D) −8,17×100 N, (E) −7,13×10−4 N,
(a) (F) −5,46 × 10−4 N, (G) −1,36 × 101 N, (H) −4,50 × 100 N, (e1:I ) −6,28 × 10−4 N, (J) −2,14 × 10−4 N,
(K) −3,25 × 10−4 N, (L) −5,55 × 100 N, (Correto:M) −6,28 × 100 N, (N) −4,98 × 100 N, (O) −2,57 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,10×10−1 J, (B) −1,48×10−1 J, (C) −1,90×10−1 J, (D) −6,22×10−2 J, (E) −9,15×10−2 J,
(b) (F) −2,41 × 10−1 J, (G) −7,20 × 10−2 J, (H) −6,80 × 10−4 J, (Correto:I) −1,31 × 10−1 J, (J) −1,12 × 10−1 J,
(K) −2,76 × 10−1 J, (L) −8,14 × 10−2 J, (M) −3,84 × 10−1 J, (N) −1,63 × 10−1 J, (O) −3,30 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,57 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,170 mî, b) r⃗2 =0,468 m î, c) r⃗3 =1,16 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 039

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,170 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −69,2 V/m
r1 (0,170 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,743 V/m
r3 (1,16 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 11,3 V/m, (B) 7,17 V/m, (C) −26,1 V/m, (D) − 196 V/m, (e1:E ) 9,13 V/m, (F) 3,38 V/m,
(a) (G) 4,06 V/m, (Correto:H) −69,2 V/m, (I) −48,5 V/m, (e3:J ) 9,13 V/m, (K) 2,95 V/m, (L) − 175 V/m,
(M) 5,41 V/m, (N) −32,0 V/m, (e2:O) 4,57 V/m,

(2.5 pontos) (A) −5,88 V/m, (B) 2,91 V/m, (C) −7,78 V/m, (D) −6,83 V/m, (E) −10,1 V/m, (F) 3,31 V/m,
(b) (G) −11,8 V/m, (H) 5,12 V/m, (e2:I ) 4,57 V/m, (Correto:J) 0 V/m, (K) 5,72 V/m, (e1:L) −9,13 V/m,
(M) 3,81 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −9,13 V/m, (B) −10,5 V/m, (C) −5,86 V/m, (Correto:D) 0,743 V/m, (E) 0,620 V/m,
(c) (F) 1,60 V/m, (G) 1,44 V/m, (H) −7,01 V/m, (I) 0,549 V/m, (J) −8,16 V/m, (K) 0,476 V/m, (L) 1,30 V/m,
(M) 0,826 V/m, (N) 1,15 V/m, (O) 1,00 V/m,

(2.5 pontos) (A) 13,9 V, (B) 9,30 V, (C) 10,4 V, (e2:D) 25,1 V, (E) 35,2 V, (F) 8,10 V, (G) 30,9 V, (H) 16,2 V,
(d) (I) 46,5 V, (J) 6,78 V, (K) 18,9 V, (Correto:L) 1,67 V, (M) 27,8 V, (e1:N ) 11,8 V, (O) 39,3 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 039

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 480 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 480 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 480 V
a> = 3,16 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,33 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,83 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,71 × 10−3 m, (Correto:B) 3,16 × 10−3 m, (C) 2,02 × 10−3 m, (D) 2,33 × 10−3 m, (E) 1,55 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,74 × 10−3 m, (G) 1,33 × 10−3 m,
Versão 039

(4 pontos) (A) 1,61 × 10−9 C, (B) 8,43 × 10−10 C, (C) 1,10 × 10−9 C, (D) 1,88 × 10−9 C, (Correto:E) 3,33 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,00 × 10−9 C, (G) 3,67 × 10−9 C, (H) 2,53 × 10−9 C, (I) 2,83 × 10−9 C, (J) 5,96 × 10−10 C,
(K) 6,66 × 10−10 C, (L) 1,29 × 10−9 C, (M) 2,23 × 10−9 C, (N) 7,44 × 10−10 C, (O) 1,43 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 5,53 × 10−6 m, (Correto:B) 3,83 × 10−6 m, (C) 6,30 × 10−6 m, (D) 4,23 × 10−6 m, (E) 3,37 ×
(c) 10−6 m, (F) 4,93 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 040

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
040
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,77 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,05 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = + 2 = −4,24 × 100 N
4πε0 r12 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,27 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −6,12 × 10−2 N, (Correto:B) −4,24 × 100 N, (C) −6,72 × 100 N, (D) −8,10 × 10−4 N,
(E) −3,23 × 10−4 N, (F) −4,69 × 10−4 N, (G) −1,12 × 101 N, (H) −2,45 × 100 N, (I) −3,23 × 100 N,
(a) (J) −3,62 × 100 N, (K) −6,18 × 10−4 N, (L) −5,55 × 100 N, (M) −7,42 × 100 N, (e1:N ) −4,24 × 10−4 N,
(O) −2,35 × 10−4 N,

(5 pontos) (Correto:A) −1,27 × 10−1 J, (B) −6,22 × 10−2 J, (C) −1,85 × 10−1 J, (D) −2,87 × 10−1 J,
(E) −2,10 × 10−1 J, (F) −7,22 × 10−2 J, (G) −9,64 × 10−2 J, (H) −6,80 × 10−4 J, (I) −1,12 × 10−1 J,
(b) (J) −1,56 × 10−1 J, (K) −8,13 × 10−2 J, (L) −3,83 × 10−1 J, (M) −3,28 × 10−1 J, (N) −1,40 × 10−1 J,
(O) −2,55 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,67 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,171 mî, b) r⃗2 =0,438 m î, c) r⃗3 =0,931 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 040

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,171 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −68,4 V/m
r1 (0,171 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,15 V/m
r3 (0,931 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 8,61 V/m, (e3:B ) 10,4 V/m, (C) −31,7 V/m, (D) −36,5 V/m, (E) 2,90 V/m, (e1:F ) 10,4 V/m,
(a) (G) 11,7 V/m, (H) 4,59 V/m, (I) 3,98 V/m, (J) 3,56 V/m, (K) 5,97 V/m, (L) 6,76 V/m, (Cor-
reto:M) −68,4 V/m, (e2:N ) 5,21 V/m, (O) − 101 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 0 V/m, (B) 4,36 V/m, (C) 3,81 V/m, (D) −6,71 V/m, (e1:E ) −10,4 V/m,
(b) (F) −8,98 V/m, (G) 3,42 V/m, (H) −11,7 V/m, (I) 3,05 V/m, (J) −6,07 V/m, (e2:K ) 5,21 V/m, (L) 5,83 V/m,
(M) −7,90 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,5 V/m, (B) 1,30 V/m, (e1:C ) −10,4 V/m, (D) 1,61 V/m, (E) −6,71 V/m, (F) 1,01 V/m,
(c) (G) 0,496 V/m, (Correto:H) 1,15 V/m, (I) −5,84 V/m, (J) 0,610 V/m, (K) 0,812 V/m, (L) −8,90 V/m,
(M) 0,907 V/m, (N) 1,87 V/m, (O) −8,06 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,67 V, (B) 10,4 V, (C) 7,02 V, (D) 8,47 V, (E) 14,2 V, (e2:F ) 26,7 V, (G) 23,2 V,
(d) (H) 33,9 V, (I) 44,0 V, (J) 38,9 V, (e1:K ) 11,7 V, (L) 18,8 V, (M) 9,35 V, (N) 30,5 V, (O) 16,3 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,7 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 040

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 590 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,7 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 590 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 590 V
a> = 2,53 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,14 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,7 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,23 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,95 × 10−3 m, (B) 3,33 × 10−3 m, (C) 1,37 × 10−3 m, (D) 1,74 × 10−3 m, (E) 1,55 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 2,53 × 10−3 m, (G) 2,07 × 10−3 m,
Versão 040

(4 pontos) (A) 2,78 × 10−9 C, (B) 1,51 × 10−9 C, (C) 6,29 × 10−10 C, (D) 2,46 × 10−9 C, (E) 1,87 × 10−9 C,
(b) (F) 9,99×10−10 C, (G) 1,10×10−9 C, (H) 8,40×10−10 C, (I) 1,68×10−9 C, (J) 3,56×10−9 C, (K) 3,18×10−9 C,
(Correto:L) 2,14 × 10−9 C, (M) 1,29 × 10−9 C, (N) 7,37 × 10−10 C,

(2 pontos) (Correto:A) 4,23 × 10−6 m, (B) 5,97 × 10−6 m, (C) 3,37 × 10−6 m, (D) 4,93 × 10−6 m, (E) 3,73 ×
(c) 10−6 m, (F) 6,60 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 041

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
041
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,99 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,09 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,05 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,84 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −7,54 × 100 N, (B) −9,85 × 10−4 N, (Correto:C) −6,05 × 100 N, (D) −1,14 × 101 N,
(E) −6,12 × 10−2 N, (e1:F ) −6,05 × 10−4 N, (G) −3,16 × 100 N, (H) −9,46 × 100 N, (I) −7,54 × 10−4 N,
(a) (J) −4,45 × 100 N, (K) −1,64 × 101 N, (L) −4,17 × 10−4 N, (M) −1,67 × 10−3 N, (N) −1,86 × 101 N,
(O) −2,09 × 100 N,

(5 pontos) (A) −7,83×10−2 J, (B) −1,02×10−1 J, (C) −6,22×10−2 J, (D) −2,61×10−1 J, (E) −3,31×10−1 J,
(b) (F) −1,59 × 10−1 J, (G) −2,89 × 10−1 J, (H) −3,83 × 10−1 J, (I) −7,02 × 10−2 J, (J) −1,14 × 10−1 J,
(K) −1,39×10−1 J, (Correto:L) −1,84×10−1 J, (M) −2,17×10−1 J, (N) −6,80×10−4 J, (O) −9,15×10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,13 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,215 mî, b) r⃗2 =0,575 m î, c) r⃗3 =0,738 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 041

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,215 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −43,3 V/m
r1 (0,215 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,84 V/m
r3 (0,738 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e3:A) 6,05 V/m, (B) 3,67 V/m, (e2:C ) 3,02 V/m, (D) 10,1 V/m, (E) −62,4 V/m, (F) −91,3 V/m,
(a) (G) − 189 V/m, (e1:H ) 6,05 V/m, (Correto:I) −43,3 V/m, (J) − 120 V/m, (K) 5,21 V/m, (L) 8,54 V/m,
(M) −72,6 V/m, (N) 7,09 V/m, (O) −81,1 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 3,02 V/m, (B) −11,3 V/m, (C) −9,92 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) −8,94 V/m,
(b) (F) 3,45 V/m, (G) −6,83 V/m, (H) 5,92 V/m, (I) 5,31 V/m, (J) −7,78 V/m, (K) 4,45 V/m, (e1:L) −6,05 V/m,
(M) 3,94 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,04 V/m, (B) −7,94 V/m, (C) 1,40 V/m, (D) 1,61 V/m, (E) −8,90 V/m, (F) −10,9 V/m,
(c) (G) 0,610 V/m, (H) 0,718 V/m, (e1:I ) −6,05 V/m, (Correto:J) 1,84 V/m, (K) 0,489 V/m, (L) 0,873 V/m,
(M) 1,04 V/m, (N) 0,541 V/m, (O) 1,18 V/m,

(2.5 pontos) (A) 19,0 V, (B) 23,5 V, (C) 7,02 V, (D) 12,7 V, (Correto:E) 1,67 V, (F) 10,9 V, (G) 21,1 V,
(d) (H) 32,3 V, (I) 43,0 V, (J) 8,20 V, (e2:K ) 16,2 V, (L) 37,2 V, (M) 14,2 V, (e1:N ) 9,30 V, (O) 26,6 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼10,1 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 041

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 110 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 10,1 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 110 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 110 V
a> = 2,70 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,44 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =10,1 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,37 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 2,70 × 10−3 m, (B) 3,08 × 10−3 m, (C) 2,04 × 10−3 m, (D) 1,63 × 10−3 m, (E) 1,85 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,36 × 10−3 m, (G) 2,41 × 10−3 m,
Versão 041

(4 pontos) (Correto:A) 2,44 × 10−9 C, (B) 1,61 × 10−9 C, (C) 3,32 × 10−9 C, (D) 3,70 × 10−9 C, (E) 2,98 ×
(b) 10−9 C, (F) 8,43 × 10−10 C, (G) 1,36 × 10−9 C, (H) 6,42 × 10−10 C, (I) 1,13 × 10−9 C, (J) 9,53 × 10−10 C,
(K) 2,17 × 10−9 C, (L) 1,89 × 10−9 C, (M) 7,37 × 10−10 C, (N) 2,69 × 10−9 C,

pontos) (Correto:A) 3,37 × 10−6 m, (B) 4,60 × 10−6 m, (C) 3,77 × 10−6 m, (D) 6,03 × 10−6 m, (E) 5,23 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 042

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
042
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,67 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,03 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −9,25 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,86 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,99 × 10−4 N, (B) −4,46 × 100 N, (C) −5,00 × 10−4 N, (Correto:D) −9,25 × 100 N,
(E) −2,57 × 100 N, (F) −6,17 × 100 N, (G) −3,15 × 10−4 N, (H) −8,00 × 10−4 N, (I) −2,39 × 10−4 N,
(a) (J) −1,03 × 10−3 N, (K) −1,21 × 101 N, (e1:L) −9,25 × 10−4 N, (M) −1,69 × 101 N, (N) −7,47 × 100 N,
(O) −6,28 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,17 × 10−1 J, (B) −2,87 × 10−1 J, (C) −1,43 × 10−1 J, (Correto:D) −1,86 × 10−1 J,
(b) (E) −1,17 × 10−1 J, (F) −6,80 × 10−4 J, (G) −1,02 × 10−1 J, (H) −2,57 × 10−1 J, (I) −8,48 × 10−2 J,
(J) −3,84 × 10−1 J, (K) −1,64 × 10−1 J, (L) −7,30 × 10−2 J, (M) −3,22 × 10−1 J, (N) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =3,02 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,195 mî, b) r⃗2 =0,434 m î, c) r⃗3 =0,953 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 042

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,195 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −52,6 V/m
r1 (0,195 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,10 V/m
r3 (0,953 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 3,79 V/m, (B) 7,20 V/m, (C) −25,7 V/m, (D) 2,90 V/m, (E) 8,23 V/m, (e2:F ) 5,31 V/m,
(a) (e3:G) 10,6 V/m, (H) −42,5 V/m, (Correto:I) −52,6 V/m, (J) 11,8 V/m, (K) −35,9 V/m, (L) −70,0 V/m,
(M) 6,22 V/m, (N) 4,29 V/m, (e1:O) 10,6 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,06 V/m, (B) −6,99 V/m, (C) 5,92 V/m, (D) −8,00 V/m, (Correto:E) 0 V/m,
(b) (e2:F ) 5,31 V/m, (G) −9,53 V/m, (e1:H ) −10,6 V/m, (I) 3,20 V/m, (J) −11,8 V/m, (K) 3,56 V/m,
(L) −5,90 V/m, (M) 4,57 V/m, (N) 2,90 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,510 V/m, (B) 1,95 V/m, (C) 1,30 V/m, (D) −6,83 V/m, (E) −11,7 V/m, (F) 0,718 V/m,
(c) (G) −8,83 V/m, (H) 0,943 V/m, (I) −7,75 V/m, (e1:J ) −10,6 V/m, (K) −6,07 V/m, (L) 1,68 V/m,
(M) 0,842 V/m, (N) 0,620 V/m, (Correto:O) 1,10 V/m,

(2.5 pontos) (A) 9,26 V, (e1:B ) 10,3 V, (C) 14,8 V, (D) 27,7 V, (E) 8,37 V, (F) 7,27 V, (e2:G) 23,6 V,
(d) (H) 39,3 V, (I) 13,0 V, (J) 21,0 V, (K) 18,3 V, (Correto:L) 1,67 V, (M) 35,2 V, (N) 30,9 V, (O) 16,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,3 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 042

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 470 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,3 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 470 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 470 V
a> = 3,16 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,32 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,3 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,43 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,84 × 10−3 m, (Correto:B) 3,16 × 10−3 m, (C) 1,54 × 10−3 m, (D) 2,11 × 10−3 m, (E) 1,78 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,36 × 10−3 m, (G) 2,51 × 10−3 m,
Versão 042

(4 pontos) (A) 1,53 × 10−9 C, (B) 2,12 × 10−9 C, (C) 1,39 × 10−9 C, (D) 3,68 × 10−9 C, (E) 2,77 × 10−9 C,
(b) (F) 1,71 × 10−9 C, (G) 1,05 × 10−9 C, (H) 2,47 × 10−9 C, (I) 8,97 × 10−10 C, (J) 1,19 × 10−9 C, (Cor-
reto:K) 3,32 × 10−9 C, (L) 7,44 × 10−10 C, (M) 1,91 × 10−9 C, (N) 6,45 × 10−10 C,

(2 pontos) (Correto:A) 6,43 × 10−6 m, (B) 3,43 × 10−6 m, (C) 4,23 × 10−6 m, (D) 3,83 × 10−6 m, (E) 5,40 ×
(c) 10−6 m, (F) 4,77 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 043

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
043
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,82 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,98 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,66 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,81 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,14×100 N, (e1:B ) −4,66×10−4 N, (C) −7,97×100 N, (D) −8,18×10−4 N, (E) −6,09×100 N,
(a) (F) −5,38 × 100 N, (G) −9,87 × 100 N, (H) −1,36 × 10−3 N, (Correto:I) −4,66 × 100 N, (J) −1,14 × 101 N,
(K) −9,20 × 10−4 N, (L) −5,40 × 10−4 N, (M) −2,57 × 100 N, (N) −2,89 × 10−4 N, (O) −1,30 × 101 N,

(5 pontos) (A) −2,91×10−1 J, (B) −2,26×10−1 J, (C) −8,39×10−2 J, (D) −3,82×10−1 J, (E) −2,55×10−1 J,
(b) (F) −7,02 × 10−2 J, (G) −1,22 × 10−1 J, (H) −9,71 × 10−2 J, (I) −6,22 × 10−2 J, (Correto:J) −1,81 × 10−1 J,
(K) −1,49 × 10−1 J, (L) −6,80 × 10−4 J, (M) −3,41 × 10−1 J, (N) −1,08 × 10−1 J, (O) −2,02 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,13 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,224 mî, b) r⃗2 =0,582 m î, c) r⃗3 =1,10 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 043

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,224 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −39,9 V/m
r1 (0,224 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,826 V/m
r3 (1,10 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 2,95 V/m, (B) − 124 V/m, (C) 9,88 V/m, (D) −56,6 V/m, (E) −46,2 V/m, (Cor-
(a) reto:F) −39,9 V/m, (G) 7,34 V/m, (e3:H ) 5,90 V/m, (I) 11,5 V/m, (J) 8,68 V/m, (K) 4,81 V/m,
(L) 4,34 V/m, (M) −31,2 V/m, (N) −35,0 V/m, (e1:O) 5,90 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,5 V/m, (B) −6,52 V/m, (e2:C ) 2,95 V/m, (e1:D) −5,90 V/m, (E) −7,28 V/m,
(b) (F) 3,28 V/m, (G) 4,59 V/m, (H) −9,88 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) −8,10 V/m, (K) 3,67 V/m,
(L) 4,13 V/m, (M) 5,56 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,75 V/m, (B) −11,8 V/m, (C) 1,40 V/m, (D) −6,86 V/m, (E) 1,12 V/m, (F) −10,5 V/m,
(c) (G) −8,98 V/m, (Correto:H) 0,826 V/m, (I) 1,63 V/m, (J) 0,450 V/m, (K) 0,557 V/m, (L) 0,925 V/m,
(M) 0,683 V/m, (N) 0,503 V/m, (e1:O) −5,90 V/m,

(2.5 pontos) (A) 19,1 V, (B) 35,2 V, (C) 30,9 V, (D) 27,2 V, (e2:E ) 15,3 V, (F) 6,97 V, (G) 16,9 V, (H) 7,81 V,
(d) (I) 11,0 V, (J) 23,5 V, (K) 10,0 V, (e1:L) 8,93 V, (M) 13,2 V, (Correto:N) 1,67 V, (O) 40,0 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,8 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 043

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 640 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,8 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 640 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 640 V
a> = 1,55 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 7,98 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,8 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,27 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 1,55 × 10−3 m, (B) 3,29 × 10−3 m, (C) 2,26 × 10−3 m, (D) 1,85 × 10−3 m, (E) 2,93 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,52 × 10−3 m, (G) 1,35 × 10−3 m,
Versão 043

(4 pontos) (A) 8,83 × 10−10 C, (B) 1,95 × 10−9 C, (C) 1,76 × 10−9 C, (D) 1,35 × 10−9 C, (E) 3,59 × 10−9 C,
(b) (F) 1,04 × 10−9 C, (G) 6,08 × 10−10 C, (Correto:H) 7,98 × 10−10 C, (I) 2,86 × 10−9 C, (J) 2,17 × 10−9 C,
(K) 6,92 × 10−10 C, (L) 3,19 × 10−9 C, (M) 2,53 × 10−9 C, (N) 1,17 × 10−9 C, (O) 1,50 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 4,27 × 10−6 m, (B) 4,83 × 10−6 m, (Correto:C) 6,27 × 10−6 m, (D) 5,43 × 10−6 m, (E) 3,87 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,50 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 044

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
044
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−9,61 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,47 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,63 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,25 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,04×101 N, (B) −7,42×10−4 N, (C) −8,83×10−4 N, (D) −3,08×10−4 N, (E) −1,21×10−3 N,
(a) (F) −1,07 × 10−3 N, (G) −4,40 × 100 N, (H) −3,87 × 10−4 N, (I) −4,70 × 10−4 N, (Correto:J) −6,63 × 100 N,
(e1:K ) −6,63 × 10−4 N, (L) −5,86 × 100 N, (M) −5,26 × 100 N, (N) −9,04 × 100 N, (O) −3,88 × 100 N,

(5 pontos) (A) −7,20×10−2 J, (B) −3,31×10−1 J, (C) −2,02×10−1 J, (D) −1,81×10−1 J, (E) −7,94×10−2 J,
(b) (F) −1,06 × 10−1 J, (G) −2,93 × 10−1 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (I) −2,52 × 10−1 J, (J) −1,22 × 10−1 J,
(K) −1,64×10−1 J, (L) −1,36×10−1 J, (M) −9,15×10−2 J, (N) −3,84×10−1 J, (Correto:O) −2,25×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,77 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,117 mî, b) r⃗2 =0,435 m î, c) r⃗3 =1,33 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 044

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,117 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 146 V/m
r1 (0,117 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,565 V/m
r3 (1,33 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) − 189 V/m, (B) − 124 V/m, (C) −35,9 V/m, (D) 7,78 V/m, (E) −91,3 V/m, (e2:F ) 5,28 V/m,
(a) (e1:G) 10,6 V/m, (H) − 162 V/m, (I) 6,24 V/m, (e3:J ) 10,6 V/m, (K) −48,5 V/m, (Correto:L) − 146 V/m,
(M) 4,57 V/m, (N) 11,8 V/m, (O) 3,79 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,8 V/m, (e2:B ) 5,28 V/m, (C) −6,45 V/m, (D) 4,73 V/m, (E) −8,20 V/m, (F) 3,31 V/m,
(b) (G) 2,92 V/m, (H) −9,02 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) 3,81 V/m, (K) −7,45 V/m, (e1:L) −10,6 V/m,
(M) 5,92 V/m, (N) 4,20 V/m, (O) −5,84 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,873 V/m, (B) −5,95 V/m, (e1:C ) −10,6 V/m, (D) 0,783 V/m, (E) 1,19 V/m,
(c) (F) 0,661 V/m, (G) −9,41 V/m, (H) 1,58 V/m, (I) −6,71 V/m, (J) −8,10 V/m, (K) 0,457 V/m, (L) 1,07 V/m,
(M) 1,41 V/m, (N) 1,89 V/m, (Correto:O) 0,565 V/m,

(2.5 pontos) (A) 9,95 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 7,55 V, (D) 19,8 V, (E) 44,0 V, (e2:F ) 39,3 V, (G) 6,78 V,
(d) (H) 15,2 V, (I) 8,51 V, (J) 11,9 V, (K) 32,9 V, (L) 29,6 V, (M) 24,5 V, (N) 13,5 V, (e1:O) 17,1 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,8 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 044

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 6 310 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,8 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 6 310 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

6 310 V
a> = 2,10 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,48 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,8 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,60 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,61 × 10−3 m, (B) 1,38 × 10−3 m, (C) 3,09 × 10−3 m, (D) 1,81 × 10−3 m, (E) 2,76 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 2,10 × 10−3 m, (G) 2,36 × 10−3 m,
Versão 044

(4 pontos) (A) 2,17 × 10−9 C, (B) 3,45 × 10−9 C, (C) 2,46 × 10−9 C, (D) 6,66 × 10−10 C, (E) 3,03 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,13 × 10−9 C, (G) 1,94 × 10−9 C, (H) 2,72 × 10−9 C, (I) 1,76 × 10−9 C, (J) 5,96 × 10−10 C,
(Correto:K) 1,48 × 10−9 C, (L) 1,01 × 10−9 C, (M) 8,43 × 10−10 C, (N) 7,37 × 10−10 C, (O) 1,27 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 5,93 × 10−6 m, (B) 3,33 × 10−6 m, (C) 5,33 × 10−6 m, (Correto:D) 6,60 × 10−6 m, (E) 4,20 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,77 × 10−6 m, (G) 4,67 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA = π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 045

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
045
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,76 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,15 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,37 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,93 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −6,13 × 100 N, (B) −4,85 × 100 N, (C) −3,07 × 10−4 N, (D) −4,29 × 100 N, (E) −9,25 × 10−4 N,
(a) (F) −9,04×100 N, (G) −8,18×10−4 N, (H) −8,10×100 N, (Correto:I) −1,37×101 N, (e1:J ) −1,37×10−3 N,
(K) −1,86 × 10−3 N, (L) −7,13 × 10−4 N, (M) −1,21 × 10−3 N, (N) −5,46 × 100 N, (O) −3,77 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −6,22 × 10−2 J, (B) −3,82 × 10−1 J, (C) −1,81 × 10−1 J, (D) −1,22 × 10−1 J, (Cor-
(b) reto:E) −2,93 × 10−1 J, (F) −1,64 × 10−1 J, (G) −9,35 × 10−2 J, (H) −1,35 × 10−1 J, (I) −2,05 × 10−1 J,
(J) −2,50 × 10−1 J, (K) −6,80 × 10−4 J, (L) −1,03 × 10−1 J, (M) −7,68 × 10−2 J, (N) −3,28 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =2,58 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,266 mî, b) r⃗2 =0,452 m î, c) r⃗3 =0,765 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 045

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,266 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −28,3 V/m
r1 (0,266 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,71 V/m
r3 (0,765 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e3:A) 9,79 V/m, (B) − 196 V/m, (C) −23,1 V/m, (e2:D) 4,89 V/m, (Correto:E) −28,3 V/m,
(a) (F) −95,1 V/m, (G) −40,2 V/m, (H) −35,9 V/m, (I) 3,64 V/m, (J) 2,96 V/m, (K) 6,45 V/m, (e1:L) 9,79 V/m,
(M) 5,75 V/m, (N) −46,7 V/m, (O) 7,63 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,67 V/m, (B) −8,72 V/m, (e1:C ) −9,79 V/m, (D) −11,2 V/m, (E) 4,11 V/m,
(b) (e2:F ) 4,89 V/m, (Correto:G) 0 V/m, (H) 3,32 V/m, (I) 2,90 V/m, (J) −7,90 V/m, (K) −6,86 V/m,
(L) −6,13 V/m, (M) 5,43 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,718 V/m, (Correto:B) 1,71 V/m, (C) 1,53 V/m, (D) −8,06 V/m, (E) 0,583 V/m,
(c) (F) 0,873 V/m, (e1:G) −9,79 V/m, (H) 1,95 V/m, (I) −5,75 V/m, (J) −7,07 V/m, (K) 0,525 V/m,
(L) −11,0 V/m, (M) 1,09 V/m, (N) −6,42 V/m, (O) 1,23 V/m,

(2.5 pontos) (A) 23,3 V, (B) 45,4 V, (e1:C ) 7,52 V, (D) 9,48 V, (E) 14,3 V, (F) 8,47 V, (G) 10,7 V, (H) 12,3 V,
(d) (Correto:I) 1,67 V, (J) 38,5 V, (K) 26,1 V, (L) 19,8 V, (M) 29,3 V, (e2:N ) 16,6 V, (O) 32,9 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼15,9 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 045

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 200 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 15,9 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 200 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 200 V
a> = 2,40 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,92 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =15,9 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,30 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,16 × 10−3 m, (B) 1,41 × 10−3 m, (C) 1,75 × 10−3 m, (D) 2,66 × 10−3 m, (E) 3,32 × 10−3 m,
(a) (F) 2,99 × 10−3 m, (G) 1,59 × 10−3 m, (H) 1,96 × 10−3 m, (Correto:I) 2,40 × 10−3 m,
Versão 045

(4 pontos) (A) 6,14 × 10−10 C, (B) 1,72 × 10−9 C, (C) 9,27 × 10−10 C, (D) 1,26 × 10−9 C, (E) 6,95 × 10−10 C,
(b) (F) 1,48×10−9 C, (G) 3,39×10−9 C, (H) 2,83×10−9 C, (I) 2,17×10−9 C, (J) 1,05×10−9 C, (K) 7,98×10−10 C,
(L) 2,49 × 10−9 C, (Correto:M) 1,92 × 10−9 C,

(2 pontos) (Correto:A) 5,30 × 10−6 m, (B) 6,37 × 10−6 m, (C) 4,23 × 10−6 m, (D) 3,73 × 10−6 m, (E) 3,37 ×
(c) 10−6 m, (F) 4,67 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 046

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
046
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,73 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,07 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −9,02 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,85 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −5,94 × 10−4 N, (B) −5,58 × 100 N, (e1:C ) −9,02 × 10−4 N, (D) −1,83 × 101 N, (E) −1,69 ×
(a) 10−3 N, (F) −3,31 × 100 N, (G) −2,89 × 10−4 N, (H) −5,26 × 10−4 N, (I) −4,38 × 100 N, (J) −1,09 × 10−3 N,
(K) −6,54 × 10−4 N, (Correto:L) −9,02 × 100 N, (M) −1,05 × 101 N, (N) −7,78 × 10−4 N, (O) −4,99 × 100 N,

(5 pontos) (A) −7,33 × 10−2 J, (B) −3,33 × 10−1 J, (Correto:C) −1,85 × 10−1 J, (D) −1,20 × 10−1 J,
(b) (E) −6,22 × 10−2 J, (F) −2,12 × 10−1 J, (G) −2,50 × 10−1 J, (H) −1,02 × 10−1 J, (I) −3,83 × 10−1 J,
(J) −1,57 × 10−1 J, (K) −2,93 × 10−1 J, (L) −8,71 × 10−2 J, (M) −1,37 × 10−1 J, (N) −6,80 × 10−4 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =1,12 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,229 mî, b) r⃗2 =0,470 m î, c) r⃗3 =1,15 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 046

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,229 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −38,1 V/m
r1 (0,229 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,756 V/m
r3 (1,15 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −95,1 V/m, (B) 5,95 V/m, (C) 7,12 V/m, (D) 5,24 V/m, (Correto:E) −38,1 V/m,
(a) (e3:F ) 9,05 V/m, (e2:G) 4,53 V/m, (H) 3,92 V/m, (e1:I ) 9,05 V/m, (J) 3,38 V/m, (K) −48,5 V/m,
(L) −25,7 V/m, (M) −23,0 V/m, (N) 11,2 V/m, (O) 7,97 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 0 V/m, (B) 5,43 V/m, (C) −6,71 V/m, (D) −7,48 V/m, (E) 2,93 V/m,
(b) (F) −10,5 V/m, (G) 3,95 V/m, (e1:H ) −9,05 V/m, (I) 3,38 V/m, (e2:J ) 4,53 V/m, (K) −11,7 V/m,
(L) −6,01 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,510 V/m, (e1:B ) −9,05 V/m, (C) −7,12 V/m, (Correto:D) 0,756 V/m, (E) 0,592 V/m,
(c) (F) −10,6 V/m, (G) 1,67 V/m, (H) −7,94 V/m, (I) 0,672 V/m, (J) 0,890 V/m, (K) 1,48 V/m, (L) 1,12 V/m,
(M) −6,45 V/m, (N) 0,463 V/m, (O) 1,89 V/m,

(2.5 pontos) (A) 46,5 V, (e2:B ) 18,6 V, (C) 20,6 V, (Correto:D) 1,67 V, (E) 10,0 V, (F) 15,3 V, (G) 25,4 V,
(d) (H) 22,9 V, (I) 11,4 V, (J) 7,41 V, (K) 35,2 V, (L) 13,1 V, (M) 40,0 V, (N) 31,2 V, (e1:O) 8,73 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,7 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 046

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 190 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,7 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 190 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 190 V
a> = 3,06 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,13 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,7 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,23 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 3,06 × 10−3 m, (B) 1,73 × 10−3 m, (C) 2,04 × 10−3 m, (D) 1,54 × 10−3 m, (E) 1,36 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,75 × 10−3 m, (G) 2,47 × 10−3 m,
Versão 046

(4 pontos) (Correto:A) 3,13 × 10−9 C, (B) 8,36 × 10−10 C, (C) 1,33 × 10−9 C, (D) 1,06 × 10−9 C, (E) 2,26 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,90 × 10−9 C, (G) 6,92 × 10−10 C, (H) 3,47 × 10−9 C, (I) 1,17 × 10−9 C, (J) 6,08 × 10−10 C,
(K) 2,58 × 10−9 C, (L) 1,61 × 10−9 C, (M) 9,34 × 10−10 C,

pontos) (A) 4,67 × 10−6 m, (B) 3,43 × 10−6 m, (C) 4,17 × 10−6 m, (D) 5,33 × 10−6 m, (Correto:E) 6,23 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 047

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
047
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,55 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,09 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −3,94 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,20 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −5,23 × 10−4 N, (e1:B ) −3,94 × 10−4 N, (C) −3,23 × 100 N, (D) −8,94 × 10−4 N, (E) −1,06 ×
(a) 101 N, (F) −2,09 × 100 N, (G) −3,45 × 10−4 N, (H) −6,61 × 10−4 N, (I) −7,42 × 100 N, (Correto:J) −3,94 ×
100 N, (K) −1,96 × 10−4 N, (L) −4,46 × 100 N, (M) −1,21 × 101 N, (N) −5,83 × 10−4 N, (O) −1,36 × 101 N,

(5 pontos) (A) −9,15×10−2 J, (B) −6,80×10−4 J, (C) −1,06×10−1 J, (D) −7,02×10−2 J, (E) −1,70×10−1 J,
(b) (F) −3,83 × 10−1 J, (G) −2,10 × 10−1 J, (H) −3,22 × 10−1 J, (I) −2,65 × 10−1 J, (J) −2,33 × 10−1 J,
(Correto:K) −1,20×10−1 J, (L) −6,22×10−2 J, (M) −7,88×10−2 J, (N) −1,48×10−1 J, (O) −1,88×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =2,78 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,188 mî, b) r⃗2 =0,476 m î, c) r⃗3 =0,895 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 047

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,188 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −56,6 V/m
r1 (0,188 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,25 V/m
r3 (0,895 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e1:A) 8,83 V/m, (B) 7,40 V/m, (C) −76,2 V/m, (D) 3,89 V/m, (E) −46,7 V/m, (e3:F ) 8,83 V/m,
(a) (G) 3,26 V/m, (H) 11,5 V/m, (I) 6,42 V/m, (J) 9,88 V/m, (K) −37,8 V/m, (e2:L) 4,41 V/m, (M) −29,8 V/m,
(Correto:N) −56,6 V/m, (O) − 146 V/m,

(2.5 pontos) (A) 3,89 V/m, (B) 5,89 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (D) 3,32 V/m, (E) −7,57 V/m,
(b) (e1:F ) −8,83 V/m, (G) −5,75 V/m, (H) −6,40 V/m, (I) −11,9 V/m, (e2:J ) 4,41 V/m, (K) −10,8 V/m,
(L) 5,21 V/m, (M) 2,94 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,718 V/m, (B) −7,45 V/m, (C) −5,84 V/m, (D) 0,592 V/m, (e1:E ) −8,83 V/m,
(c) (F) 0,489 V/m, (G) −11,3 V/m, (H) 1,83 V/m, (I) 1,00 V/m, (J) 1,64 V/m, (Correto:K) 1,25 V/m,
(L) 1,40 V/m, (M) 0,826 V/m, (N) −9,83 V/m, (O) 1,10 V/m,

(2.5 pontos) (A) 24,8 V, (B) 7,81 V, (C) 28,3 V, (D) 44,0 V, (E) 8,85 V, (F) 12,6 V, (G) 37,0 V, (H) 32,9 V,
(d) (I) 6,85 V, (Correto:J) 1,67 V, (K) 18,8 V, (L) 15,9 V, (e1:M ) 10,6 V, (e2:N ) 22,3 V, (O) 14,2 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 047

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 230 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 230 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 230 V
a> = 1,41 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 6,63 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,00 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (Correto:A) 1,41 × 10−3 m, (B) 1,96 × 10−3 m, (C) 1,61 × 10−3 m, (D) 2,53 × 10−3 m, (E) 2,20 ×
(a) 10−3 m, (F) 3,24 × 10−3 m, (G) 2,89 × 10−3 m,
Versão 047

(4 pontos) (A) 3,13 × 10−9 C, (B) 1,96 × 10−9 C, (C) 5,93 × 10−10 C, (D) 2,40 × 10−9 C, (E) 1,04 × 10−9 C,
(b) (Correto:F) 6,63 × 10−10 C, (G) 9,12 × 10−10 C, (H) 1,50 × 10−9 C, (I) 2,68 × 10−9 C, (J) 1,74 × 10−9 C,
(K) 7,67 × 10−10 C, (L) 3,63 × 10−9 C, (M) 1,24 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 3,33 × 10−6 m, (B) 4,87 × 10−6 m, (C) 3,67 × 10−6 m, (D) 6,63 × 10−6 m, (E) 4,10 × 10−6 m,
(c) (F) 5,37 × 10−6 m, (Correto:G) 6,00 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 048

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
048
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,81 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,81 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,49 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,67 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,99 × 10−4 N, (e1:B ) −4,49 × 10−4 N, (C) −1,23 × 10−3 N, (D) −3,62 × 100 N, (E) −5,55 ×
(a) 10−4 N, (F) −1,03 × 101 N, (G) −4,99 × 100 N, (H) −3,94 × 10−4 N, (I) −2,57 × 100 N, (J) −3,04 × 10−4 N,
(K) −8,00 × 10−4 N, (Correto:L) −4,49 × 100 N, (M) −8,56 × 100 N, (N) −2,87 × 100 N, (O) −1,09 × 10−3 N,

(5 pontos) (A) −3,26 × 10−1 J, (B) −8,14 × 10−2 J, (C) −6,80 × 10−4 J, (Correto:D) −1,67 × 10−1 J,
(E) −6,22 × 10−2 J, (F) −2,95 × 10−1 J, (G) −1,48 × 10−1 J, (H) −1,29 × 10−1 J, (I) −3,82 × 10−1 J,
(b) (J) −7,20 × 10−2 J, (K) −9,46 × 10−2 J, (L) −1,85 × 10−1 J, (M) −1,16 × 10−1 J, (N) −2,11 × 10−1 J,
(O) −2,41 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =5,80 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,263 mî, b) r⃗2 =0,530 m î, c) r⃗3 =1,26 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 048

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,263 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −28,9 V/m
r1 (0,263 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,630 V/m
r3 (1,26 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 11,7 V/m, (B) −59,1 V/m, (C) −46,2 V/m, (D) −24,6 V/m, (E) 8,50 V/m, (F) 5,83 V/m,
(a) (Correto:G) −28,9 V/m, (e3:H ) 7,12 V/m, (I) 4,45 V/m, (e2:J ) 3,56 V/m, (K) − 118 V/m, (L) 10,3 V/m,
(M) 3,92 V/m, (N) 5,21 V/m, (e1:O) 7,12 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,20 V/m, (e1:B ) −7,12 V/m, (C) 2,95 V/m, (e2:D) 3,56 V/m, (E) −8,10 V/m, (Cor-
(b) reto:F) 0 V/m, (G) 4,94 V/m, (H) 5,46 V/m, (I) −11,4 V/m, (J) −9,02 V/m, (K) −10,1 V/m, (L) −5,97 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,482 V/m, (B) 0,565 V/m, (C) −6,03 V/m, (e1:D) −7,12 V/m, (E) 1,26 V/m, (F) 1,71 V/m,
(c) (Correto:G) 0,630 V/m, (H) 0,812 V/m, (I) −8,98 V/m, (J) −8,06 V/m, (K) 1,11 V/m, (L) −10,7 V/m,
(M) 0,718 V/m, (N) 0,943 V/m, (O) 1,41 V/m,

(2.5 pontos) (A) 11,4 V, (B) 39,3 V, (C) 35,2 V, (D) 24,8 V, (E) 8,97 V, (F) 30,9 V, (e1:G) 7,60 V, (H) 19,6 V,
(d) (I) 6,78 V, (J) 12,7 V, (K) 10,1 V, (Correto:L) 1,67 V, (e2:M ) 14,3 V, (N) 44,0 V, (O) 16,7 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
Versão 048

é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 890 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 890 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 890 V
a> = 1,96 × 10−3 m
3,00 ×106 V/m
b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos
calcular

Q = 4πε0 aV = 1,29 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,87 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,92 × 10−3 m, (B) 3,27 × 10−3 m, (C) 2,50 × 10−3 m, (D) 1,42 × 10−3 m, (E) 1,73 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 1,96 × 10−3 m, (G) 2,24 × 10−3 m,

(4 pontos) (A) 7,91 × 10−10 C, (B) 8,83 × 10−10 C, (C) 2,24 × 10−9 C, (D) 2,78 × 10−9 C, (E) 1,14 × 10−9 C,
(b) (F) 3,54×10−9 C, (G) 1,70×10−9 C, (H) 1,00×10−9 C, (I) 6,14×10−10 C, (J) 6,82×10−10 C, (K) 1,43×10−9 C,
(Correto:L) 1,29 × 10−9 C, (M) 2,49 × 10−9 C, (N) 3,19 × 10−9 C, (O) 1,91 × 10−9 C,
Versão 048

pontos) (A) 3,37 × 10−6 m, (Correto:B) 3,87 × 10−6 m, (C) 5,20 × 10−6 m, (D) 6,27 × 10−6 m, (E) 4,43 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
πr2 ; Área de esfera:
Área de cı́rculo: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 049

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
049
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−8,85 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,17 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,54 × 101 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −3,31 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −8,10 × 10−4 N, (B) −1,03 × 101 N, (C) −3,04 × 10−4 N, (e1:D) −1,54 × 10−3 N, (E) −1,30 ×
−3
(a) 10 N, (F) −3,87 × 100 N, (G) −6,52 × 100 N, (H) −4,03 × 10−4 N, (I) −6,90 × 10−4 N, (J) −7,66 × 100 N,
(K) −3,16×100 N, (Correto:L) −1,54×101 N, (M) −6,09×10−4 N, (N) −4,99×10−4 N, (O) −9,02×10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,10×10−1 J, (B) −6,80×10−4 J, (C) −8,48×10−2 J, (D) −1,42×10−1 J, (E) −2,44×10−1 J,
(b) (F) −1,25 × 10−1 J, (G) −1,85 × 10−1 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (Correto:I) −3,31 × 10−1 J, (J) −3,82 × 10−1 J,
(K) −1,05 × 10−1 J, (L) −7,20 × 10−2 J, (M) −2,97 × 10−1 J, (N) −1,62 × 10−1 J, (O) −9,35 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =2,19 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,188 mî, b) r⃗2 =0,435 m î, c) r⃗3 =0,847 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 049

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,188 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −56,6 V/m
r1 (0,188 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,39 V/m
r3 (0,847 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 8,94 V/m, (e2:B ) 5,28 V/m, (C) 7,17 V/m, (D) 2,96 V/m, (E) −23,0 V/m, (Cor-
(a) reto:F) −56,6 V/m, (G) 3,39 V/m, (H) −26,1 V/m, (e3:I ) 10,6 V/m, (J) −65,3 V/m, (e1:K ) 10,6 V/m,
(L) 4,25 V/m, (M) 5,82 V/m, (N) −39,9 V/m, (O) −35,3 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,05 V/m, (B) −7,45 V/m, (C) −11,8 V/m, (D) −8,30 V/m, (E) 2,87 V/m,
(b) (e1:F ) −10,6 V/m, (G) −6,76 V/m, (H) 4,62 V/m, (Correto:I) 0 V/m, (J) 3,60 V/m, (e2:K ) 5,28 V/m,
(L) 5,81 V/m, (M) −5,90 V/m, (N) 3,21 V/m, (O) −9,45 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,39 V/m, (B) 0,826 V/m, (C) 1,03 V/m, (D) −7,94 V/m, (e1:E ) −10,6 V/m,
(c) (F) 0,549 V/m, (G) 1,56 V/m, (H) 0,731 V/m, (I) −7,09 V/m, (J) −6,40 V/m, (K) 0,482 V/m, (L) 0,661 V/m,
(M) 1,93 V/m, (N) 1,18 V/m, (O) −9,02 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) 10,6 V, (e2:B ) 24,5 V, (C) 28,3 V, (D) 44,0 V, (Correto:E) 1,67 V, (F) 21,0 V, (G) 14,4 V,
(d) (H) 18,4 V, (I) 8,37 V, (J) 38,4 V, (K) 16,5 V, (L) 32,6 V, (M) 12,3 V, (N) 6,97 V, (O) 9,35 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼15,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 049

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 570 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 15,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 570 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 570 V
a> = 2,86 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,72 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =15,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,09 × 10−3 m, (B) 1,66 × 10−3 m, (C) 1,46 × 10−3 m, (D) 3,18 × 10−3 m, (E) 1,84 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 2,86 × 10−3 m, (G) 2,36 × 10−3 m,
Versão 049

(4 pontos) (A) 3,54 × 10−9 C, (B) 1,45 × 10−9 C, (C) 5,96 × 10−10 C, (D) 6,63 × 10−10 C, (E) 8,65 × 10−10 C,
(b) (F) 1,10 × 10−9 C, (Correto:G) 2,72 × 10−9 C, (H) 2,24 × 10−9 C, (I) 1,67 × 10−9 C, (J) 1,24 × 10−9 C,
(K) 1,87 × 10−9 C, (L) 7,84 × 10−10 C, (M) 3,19 × 10−9 C, (N) 9,53 × 10−10 C,

pontos) (A) 6,30 × 10−6 m, (B) 3,87 × 10−6 m, (Correto:C) 5,20 × 10−6 m, (D) 4,60 × 10−6 m, (E) 3,37 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 050

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
050
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,15 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,24 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −6,77 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,50 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,03 × 100 N, (B) −2,09 × 10−4 N, (C) −3,23 × 10−4 N, (D) −9,94 × 100 N, (E) −8,00 × 100 N,
(a) (F) −5,58 × 100 N, (Correto:G) −6,77 × 100 N, (H) −1,11 × 10−3 N, (I) −2,47 × 100 N, (J) −9,02 × 100 N,
(K) −1,13 × 101 N, (e1:L) −6,77 × 10−4 N, (M) −4,68 × 100 N, (N) −7,84 × 10−4 N, (O) −4,23 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,65 × 10−1 J, (Correto:B) −1,50 × 10−1 J, (C) −6,22 × 10−2 J, (D) −6,80 × 10−4 J,
(E) −3,83 × 10−1 J, (F) −7,02 × 10−2 J, (G) −1,26 × 10−1 J, (H) −1,10 × 10−1 J, (I) −2,97 × 10−1 J,
(b) (J) −3,41 × 10−1 J, (K) −2,25 × 10−1 J, (L) −9,67 × 10−2 J, (M) −7,88 × 10−2 J, (N) −1,74 × 10−1 J,
(O) −1,94 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =1,09 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,269 mî, b) r⃗2 =0,479 m î, c) r⃗3 =1,13 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 050

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,269 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −27,6 V/m
r1 (0,269 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,783 V/m
r3 (1,13 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −50,5 V/m, (B) 5,05 V/m, (C) 7,07 V/m, (Correto:D) −27,6 V/m, (e2:E ) 4,36 V/m,
(a) (e3:F ) 8,72 V/m, (G) 11,7 V/m, (e1:H ) 8,72 V/m, (I) 3,09 V/m, (J) − 178 V/m, (K) − 196 V/m,
(L) −45,4 V/m, (M) −81,1 V/m, (N) − 117 V/m, (O) 5,97 V/m,

(2.5 pontos) (A) 5,17 V/m, (B) −6,09 V/m, (C) −10,1 V/m, (D) 3,55 V/m, (E) −7,75 V/m, (e2:F ) 4,36 V/m,
(b) (G) −11,2 V/m, (H) −6,96 V/m, (I) 3,01 V/m, (J) 3,92 V/m, (Correto:K) 0 V/m, (L) 5,92 V/m,
(e1:M ) −8,72 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −8,72 V/m, (B) −11,5 V/m, (C) 1,93 V/m, (D) 1,60 V/m, (E) −6,16 V/m, (F) 0,694 V/m,
(c) (G) 0,469 V/m, (Correto:H) 0,783 V/m, (I) 1,40 V/m, (J) 0,592 V/m, (K) 1,03 V/m, (L) 0,890 V/m,
(M) −6,83 V/m, (N) −10,1 V/m, (O) −7,75 V/m,

(2.5 pontos) (A) 21,3 V, (B) 46,5 V, (C) 17,1 V, (D) 12,1 V, (E) 27,2 V, (F) 10,6 V, (e2:G) 15,5 V, (H) 19,1 V,
(d) (I) 8,89 V, (J) 40,2 V, (e1:K ) 7,43 V, (L) 13,6 V, (M) 23,9 V, (N) 31,8 V, (Correto:O) 1,67 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 050

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 230 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 230 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 230 V
a> = 2,41 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,94 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,20 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,32 × 10−3 m, (B) 1,36 × 10−3 m, (C) 2,12 × 10−3 m, (D) 1,73 × 10−3 m, (E) 2,95 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 2,41 × 10−3 m, (G) 1,54 × 10−3 m,
Versão 050

(4 pontos) (A) 1,01 × 10−9 C, (B) 6,92 × 10−10 C, (C) 1,29 × 10−9 C, (D) 2,55 × 10−9 C, (E) 2,90 × 10−9 C,
(b) (F) 8,79×10−10 C, (G) 1,14×10−9 C, (H) 1,70×10−9 C, (I) 3,21×10−9 C, (J) 1,43×10−9 C, (K) 7,67×10−10 C,
(L) 2,14 × 10−9 C, (M) 5,96 × 10−10 C, (Correto:N) 1,94 × 10−9 C, (O) 3,61 × 10−9 C,

pontos) (A) 6,60 × 10−6 m, (B) 5,17 × 10−6 m, (C) 5,80 × 10−6 m, (D) 3,47 × 10−6 m, (Correto:E) 4,20 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 051

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
051
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,28 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,81 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −7,59 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,11 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,14 × 101 N, (B) −8,40 × 10−4 N, (C) −6,12 × 10−6 N, (Correto:D) −7,59 × 100 N,
(E) −1,04 × 10−3 N, (F) −1,64 × 101 N, (G) −1,31 × 101 N, (H) −2,69 × 10−4 N, (I) −6,05 × 100 N,
(a) (e1:J ) −7,59 × 10−4 N, (K) −1,39 × 10−3 N, (L) −9,89 × 100 N, (M) −4,10 × 10−4 N, (N) −6,03 × 10−4 N,
(O) −5,19 × 100 N,

(5 pontos) (A) −8,39×10−2 J, (B) −1,84×10−1 J, (C) −6,22×10−2 J, (D) −7,20×10−2 J, (E) −2,95×10−1 J,
(b) (F) −1,55 × 10−1 J, (G) −6,80 × 10−4 J, (H) −9,99 × 10−2 J, (I) −1,27 × 10−1 J, (J) −3,83 × 10−1 J,
(K) −3,41×10−1 J, (Correto:L) −2,11×10−1 J, (M) −2,33×10−1 J, (N) −2,60×10−1 J, (O) −1,13×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =4,99 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,236 mî, b) r⃗2 =0,444 m î, c) r⃗3 =1,25 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 051

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,236 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −35,9 V/m
r1 (0,236 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,640 V/m
r3 (1,25 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 5,80 V/m, (B) 7,28 V/m, (e3:C ) 10,1 V/m, (Correto:D) −35,9 V/m, (E) 3,34 V/m,
(a) (F) −92,6 V/m, (G) −40,6 V/m, (H) − 139 V/m, (e1:I ) 10,1 V/m, (J) 11,7 V/m, (K) −28,1 V/m,
(e2:L) 5,07 V/m, (M) 3,84 V/m, (N) 8,54 V/m, (O) 6,47 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −10,1 V/m, (B) −6,24 V/m, (C) 3,26 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) 5,70 V/m,
(b) (F) 3,76 V/m, (G) −8,20 V/m, (H) 2,92 V/m, (I) −11,3 V/m, (J) −7,01 V/m, (K) −9,05 V/m, (L) 4,36 V/m,
(e2:M ) 5,07 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,489 V/m, (Correto:B) 0,640 V/m, (C) 1,84 V/m, (e1:D) −10,1 V/m, (E) 0,731 V/m,
(c) (F) 0,873 V/m, (G) 1,61 V/m, (H) −8,06 V/m, (I) 1,41 V/m, (J) 1,02 V/m, (K) 1,18 V/m, (L) 0,565 V/m,
(M) −8,98 V/m, (N) −6,42 V/m, (O) −11,3 V/m,

(2.5 pontos) (e2:A) 19,1 V, (B) 46,5 V, (C) 12,0 V, (D) 14,4 V, (E) 15,9 V, (F) 32,6 V, (G) 27,7 V, (H) 22,6 V,
(d) (I) 7,02 V, (J) 24,9 V, (K) 10,6 V, (L) 37,9 V, (M) 9,62 V, (e1:N ) 8,47 V, (Correto:O) 1,67 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,4 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 051

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 240 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,4 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 240 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 240 V
a> = 3,08 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,17 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,4 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,47 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,36 × 10−3 m, (B) 1,53 × 10−3 m, (C) 1,78 × 10−3 m, (D) 1,98 × 10−3 m, (E) 2,74 × 10−3 m,
(a) (F) 2,25 × 10−3 m, (Correto:G) 3,08 × 10−3 m,
Versão 051

(4 pontos) (A) 1,76 × 10−9 C, (B) 2,54 × 10−9 C, (C) 1,36 × 10−9 C, (D) 3,59 × 10−9 C, (E) 6,32 × 10−10 C,
(b) (F) 2,83×10−9 C, (G) 9,19×10−10 C, (H) 2,02×10−9 C, (I) 7,67×10−10 C, (J) 1,22×10−9 C, (K) 1,58×10−9 C,
(L) 2,26 × 10−9 C, (Correto:M) 3,17 × 10−9 C, (N) 1,10 × 10−9 C,

(2 pontos) (A) 5,53 × 10−6 m, (Correto:B) 6,47 × 10−6 m, (C) 4,93 × 10−6 m, (D) 4,23 × 10−6 m, (E) 3,77 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,40 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 052

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
052
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−9,82 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,38 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −7,13 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −2,37 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,17 × 10−4 N, (Correto:B) −7,13 × 100 N, (C) −1,54 × 101 N, (D) −1,50 × 10−3 N,
(E) −6,18 × 10−4 N, (F) −2,73 × 10−4 N, (G) −4,90 × 100 N, (H) −1,92 × 100 N, (I) −5,50 × 100 N,
(a) (J) −3,15 × 10−4 N, (K) −3,07 × 100 N, (L) −9,46 × 10−4 N, (M) −8,15 × 10−4 N, (N) −3,92 × 100 N,
(e1:O) −7,13 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −3,82×10−1 J, (B) −6,22×10−2 J, (C) −2,93×10−1 J, (D) −9,67×10−2 J, (E) −2,63×10−1 J,
(b) (F) −1,81 × 10−1 J, (G) −2,02 × 10−1 J, (H) −1,42 × 10−1 J, (I) −3,31 × 10−1 J, (J) −1,64 × 10−1 J,
(K) −8,35×10−2 J, (L) −7,22×10−2 J, (M) −1,28×10−1 J, (Correto:N) −2,37×10−1 J, (O) −1,10×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,48 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,245 mî, b) r⃗2 =0,411 m î, c) r⃗3 =1,27 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 052

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,245 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −33,3 V/m
r1 (0,245 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,620 V/m
r3 (1,27 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −83,2 V/m, (B) 6,86 V/m, (Correto:C) −33,3 V/m, (D) −40,2 V/m, (e3:E ) 11,8 V/m,
(a) (e1:F ) 11,8 V/m, (G) −57,8 V/m, (H) 9,49 V/m, (I) 3,05 V/m, (J) −50,5 V/m, (K) −99,2 V/m,
(e2:L) 5,92 V/m, (M) −24,6 V/m, (N) −29,8 V/m, (O) 7,94 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,57 V/m, (B) −6,42 V/m, (C) 4,08 V/m, (Correto:D) 0 V/m, (E) −7,28 V/m,
(b) (F) −5,77 V/m, (G) −8,30 V/m, (H) 2,88 V/m, (I) −10,5 V/m, (J) 3,18 V/m, (e2:K ) 5,92 V/m,
(L) −9,53 V/m, (e1:M ) −11,8 V/m, (N) 5,26 V/m, (O) 3,60 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,07 V/m, (B) 0,549 V/m, (C) 1,19 V/m, (Correto:D) 0,620 V/m, (E) −6,27 V/m,
(c) (F) 1,07 V/m, (G) 0,857 V/m, (H) 0,463 V/m, (e1:I ) −11,8 V/m, (J) 1,56 V/m, (K) 0,683 V/m, (L) 1,84 V/m,
(M) −8,16 V/m, (N) 1,39 V/m, (O) −9,66 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) 8,16 V, (B) 34,8 V, (e2:C ) 19,9 V, (D) 9,01 V, (E) 17,5 V, (F) 15,8 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (H) 6,67 V, (I) 12,3 V, (J) 38,9 V, (K) 46,5 V, (L) 10,6 V, (M) 23,2 V, (N) 14,1 V, (O) 29,9 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼12,7 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 052

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 9 870 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 12,7 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 9 870 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

9 870 V
a> = 3,29 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 3,61 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =12,7 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,23 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,26 × 10−3 m, (B) 1,87 × 10−3 m, (Correto:C) 3,29 × 10−3 m, (D) 1,36 × 10−3 m, (E) 2,88 ×
(a) 10−3 m, (F) 1,61 × 10−3 m, (G) 2,61 × 10−3 m,
Versão 052

(4 pontos) (A) 1,80 × 10−9 C, (B) 8,43 × 10−10 C, (Correto:C) 3,61 × 10−9 C, (D) 2,58 × 10−9 C, (E) 1,17 ×
(b) 10−9 C, (F) 2,17 × 10−9 C, (G) 1,61 × 10−9 C, (H) 3,18 × 10−9 C, (I) 1,05 × 10−9 C, (J) 6,14 × 10−10 C,
(K) 9,34 × 10−10 C, (L) 1,43 × 10−9 C, (M) 2,86 × 10−9 C, (N) 7,37 × 10−10 C,

pontos) (A) 3,50 × 10−6 m, (B) 5,07 × 10−6 m, (Correto:C) 4,23 × 10−6 m, (D) 6,30 × 10−6 m, (E) 5,63 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 053

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
053
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,45 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,93 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −1,87 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −7,13 × 10−2 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −6,70×10−4 N, (B) −2,87×10−4 N, (C) −6,98×100 N, (D) −3,83×100 N, (E) −1,32×10−3 N,
(a) (F) −5,50 × 100 N, (G) −4,46 × 10−4 N, (H) −4,90 × 100 N, (I) −7,66 × 10−4 N, (J) −1,13 × 101 N,
(e1:K ) −1,87×10−4 N, (L) −9,02×100 N, (M) −3,16×10−4 N, (Correto:N) −1,87×100 N, (O) −2,64×100 N,

(5 pontos) (A) −2,25×10−1 J, (B) −8,77×10−2 J, (C) −1,17×10−1 J, (D) −1,31×10−1 J, (E) −3,83×10−1 J,
(b) (F) −3,41 × 10−1 J, (G) −6,80 × 10−4 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (I) −2,66 × 10−1 J, (J) −7,88 × 10−2 J,
(Correto:K) −7,13×10−2 J, (L) −2,95×10−1 J, (M) −1,56×10−1 J, (N) −1,84×10−1 J, (O) −1,02×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,74 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,141 mî, b) r⃗2 =0,431 m î, c) r⃗3 =0,832 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 053

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,141 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 101 V/m
r1 (0,141 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,44 V/m
r3 (0,832 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) 6,16 V/m, (B) − 132 V/m, (C) 6,83 V/m, (D) −87,7 V/m, (e3:E ) 10,8 V/m, (F) −25,3 V/m,
(a) (G) −72,6 V/m, (H) −29,1 V/m, (I) 4,49 V/m, (J) 8,47 V/m, (Correto:K) − 101 V/m, (e2:L) 5,38 V/m,
(e1:M ) 10,8 V/m, (N) 9,70 V/m, (O) −59,1 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,9 V/m, (B) −7,12 V/m, (e1:C ) −10,8 V/m, (D) 5,92 V/m, (E) 3,84 V/m,
(b) (F) −5,75 V/m, (G) 2,95 V/m, (H) 4,27 V/m, (e2:I ) 5,38 V/m, (J) 3,43 V/m, (K) −9,05 V/m, (L) 4,73 V/m,
(Correto:M) 0 V/m, (N) −6,40 V/m, (O) −8,20 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,943 V/m, (Correto:B) 1,44 V/m, (C) 1,87 V/m, (D) 0,842 V/m, (E) 0,718 V/m,
(c) (F) 0,457 V/m, (G) −6,24 V/m, (H) 0,640 V/m, (I) 0,557 V/m, (e1:J ) −10,8 V/m, (K) −7,12 V/m,
(L) −9,66 V/m, (M) 1,68 V/m, (N) −8,06 V/m, (O) 1,07 V/m,

(2.5 pontos) (A) 18,2 V, (B) 44,0 V, (C) 9,66 V, (D) 10,7 V, (Correto:E) 1,67 V, (e2:F ) 32,9 V, (G) 8,20 V,
(d) (H) 29,6 V, (I) 12,0 V, (J) 16,2 V, (K) 20,3 V, (L) 37,3 V, (M) 6,97 V, (N) 24,9 V, (e1:O) 14,2 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,9 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 053

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 070 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,9 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 070 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 070 V
a> = 1,36 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 6,14 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,9 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,63 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,71 × 10−3 m, (B) 1,61 × 10−3 m, (C) 2,40 × 10−3 m, (D) 1,84 × 10−3 m, (Correto:E) 1,36 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,10 × 10−3 m, (G) 3,12 × 10−3 m,
Versão 053

(4 pontos) (A) 1,91 × 10−9 C, (B) 6,95 × 10−10 C, (C) 2,24 × 10−9 C, (D) 2,47 × 10−9 C, (Correto:E) 6,14 ×
(b) 10−10 C, (F) 3,55 × 10−9 C, (G) 2,97 × 10−9 C, (H) 1,55 × 10−9 C, (I) 1,39 × 10−9 C, (J) 1,26 × 10−9 C,
(K) 9,76 × 10−10 C, (L) 8,43 × 10−10 C, (M) 1,72 × 10−9 C, (N) 1,11 × 10−9 C,

pontos) (Correto:A) 6,63 × 10−6 m, (B) 3,60 × 10−6 m, (C) 5,47 × 10−6 m, (D) 4,20 × 10−6 m, (E) 4,83 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 054

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
054
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,04 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,11 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −5,58 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,17 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −7,59×100 N, (B) −3,16×10−4 N, (C) −1,64×101 N, (D) −3,62×10−4 N, (E) −1,21×10−3 N,
(a) (F) −2,64 × 10−4 N, (G) −6,22 × 100 N, (H) −3,46 × 100 N, (Correto:I) −5,58 × 100 N, (J) −2,14 × 10−4 N,
(K) −4,66 × 10−4 N, (L) −6,32 × 10−4 N, (e1:M ) −5,58 × 10−4 N, (N) −9,46 × 100 N, (O) −4,10 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,10×10−1 J, (B) −3,14×10−1 J, (C) −1,56×10−1 J, (D) −1,74×10−1 J, (E) −6,22×10−2 J,
(b) (F) −9,86 × 10−2 J, (G) −8,14 × 10−2 J, (H) −6,80 × 10−4 J, (I) −3,84 × 10−1 J, (J) −7,20 × 10−2 J,
(K) −2,34 × 10−1 J, (L) −2,74 × 10−1 J, (M) −1,40 × 10−1 J, (Correto:N) −1,17 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =6,72 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,210 mî, b) r⃗2 =0,422 m î, c) r⃗3 =0,784 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 054

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,210 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −45,4 V/m
r1 (0,210 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,63 V/m
r3 (0,784 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −39,9 V/m, (e3:B ) 11,2 V/m, (C) 7,63 V/m, (D) 2,92 V/m, (Correto:E) −45,4 V/m,
(a) (F) −86,6 V/m, (e2:G) 5,62 V/m, (H) −51,5 V/m, (I) −33,9 V/m, (J) 9,83 V/m, (K) 4,51 V/m, (L) 6,24 V/m,
(M) −29,8 V/m, (e1:N ) 11,2 V/m, (O) 3,42 V/m,

(2.5 pontos) (A) 2,92 V/m, (B) −7,78 V/m, (Correto:C) 0 V/m, (D) 4,81 V/m, (E) 3,83 V/m,
(b) (F) −8,57 V/m, (G) 4,23 V/m, (e1:H ) −11,2 V/m, (I) −5,75 V/m, (J) −6,40 V/m, (e2:K ) 5,62 V/m,
(L) −9,83 V/m, (M) 3,39 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,40 V/m, (B) 1,00 V/m, (e1:C ) −11,2 V/m, (D) −7,12 V/m, (E) −8,16 V/m, (F) 2,01 V/m,
(c) (G) 0,706 V/m, (H) −6,05 V/m, (I) 0,450 V/m, (J) 0,601 V/m, (K) 0,503 V/m, (L) −9,79 V/m, (Cor-
reto:M) 1,63 V/m, (N) 0,812 V/m, (O) 1,19 V/m,

(2.5 pontos) (A) 32,8 V, (B) 10,5 V, (C) 6,90 V, (D) 26,6 V, (E) 20,1 V, (e2:F ) 22,6 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (H) 37,3 V, (I) 16,1 V, (e1:J ) 9,52 V, (K) 8,47 V, (L) 17,8 V, (M) 29,4 V, (N) 14,4 V, (O) 12,2 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 054

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 160 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 160 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 160 V
a> = 2,72 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,47 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,33 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,32 × 10−3 m, (B) 2,00 × 10−3 m, (C) 1,41 × 10−3 m, (D) 1,81 × 10−3 m, (E) 3,23 × 10−3 m,
(a) (F) 1,62 × 10−3 m, (Correto:G) 2,72 × 10−3 m,
Versão 054

(4 pontos) (Correto:A) 2,47 × 10−9 C, (B) 2,11 × 10−9 C, (C) 1,61 × 10−9 C, (D) 2,90 × 10−9 C, (E) 1,17 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,36 × 10−9 C, (G) 7,14 × 10−10 C, (H) 1,00 × 10−9 C, (I) 3,38 × 10−9 C, (J) 1,86 × 10−9 C,
(K) 6,17 × 10−10 C, (L) 8,43 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 4,33 × 10−6 m, (B) 3,83 × 10−6 m, (C) 5,60 × 10−6 m, (D) 3,37 × 10−6 m, (E) 4,90 × 10−6 m,
(c) (Correto:F) 6,33 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 055

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
055
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−4,10 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,72 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = + 2 = −4,56 × 100 N
4πε0 r12 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,22 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −3,31 × 10−4 N, (B) −3,16 × 100 N, (Correto:C) −4,56 × 100 N, (D) −8,00 × 100 N,
(E) −1,33 × 10−3 N, (F) −8,75 × 10−4 N, (G) −1,14 × 101 N, (H) −2,64 × 10−4 N, (I) −5,97 × 10−4 N,
(a) (J) −6,18 × 100 N, (e1:K ) −4,56 × 10−4 N, (L) −1,62 × 10−4 N, (M) −1,17 × 10−3 N, (N) −7,45 × 10−4 N,
(O) −1,32 × 101 N,

(5 pontos) (Correto:A) −1,22 × 10−1 J, (B) −7,68 × 10−2 J, (C) −3,31 × 10−1 J, (D) −1,08 × 10−1 J,
(E) −3,82 × 10−1 J, (F) −2,05 × 10−1 J, (G) −2,30 × 10−1 J, (H) −6,22 × 10−2 J, (I) −2,59 × 10−1 J,
(b) (J) −1,35 × 10−1 J, (K) −6,80 × 10−4 J, (L) −1,85 × 10−1 J, (M) −1,65 × 10−1 J, (N) −2,89 × 10−1 J,
(O) −9,35 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =2,93 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,140 mî, b) r⃗2 =0,465 m î, c) r⃗3 =0,781 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 055

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,140 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 102 V/m
r1 (0,140 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,64 V/m
r3 (0,781 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e2:A) 4,62 V/m, (B) 7,51 V/m, (C) −86,6 V/m, (D) 3,31 V/m, (Correto:E) − 102 V/m,
(a) (F) 11,4 V/m, (e3:G) 9,25 V/m, (e1:H ) 9,25 V/m, (I) −26,4 V/m, (J) − 124 V/m, (K) 2,94 V/m,
(L) −49,0 V/m, (M) 5,75 V/m, (N) 6,71 V/m, (O) −39,5 V/m,

(2.5 pontos) (A) −5,75 V/m, (B) −6,40 V/m, (C) 5,12 V/m, (D) −11,8 V/m, (E) 5,89 V/m, (F) −8,23 V/m,
(b) (G) 3,15 V/m, (e1:H ) −9,25 V/m, (I) −7,40 V/m, (J) 3,74 V/m, (Correto:K) 0 V/m, (e2:L) 4,62 V/m,
(M) −10,5 V/m, (N) 4,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 0,476 V/m, (Correto:B) 1,64 V/m, (C) 1,46 V/m, (D) 2,00 V/m, (E) −8,06 V/m,
(c) (F) 0,873 V/m, (G) −10,4 V/m, (H) −11,8 V/m, (I) 0,756 V/m, (J) 0,630 V/m, (K) 1,03 V/m, (L) −6,38 V/m,
(M) 0,533 V/m, (e1:N ) −9,25 V/m, (O) −7,17 V/m,

(2.5 pontos) (A) 7,97 V, (B) 45,4 V, (e2:C ) 30,7 V, (e1:D) 14,3 V, (E) 16,5 V, (Correto:F) 1,67 V, (G) 34,1 V,
(d) (H) 12,3 V, (I) 21,5 V, (J) 39,3 V, (K) 9,22 V, (L) 18,9 V, (M) 25,4 V, (N) 10,9 V, (O) 6,90 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼11,6 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 055

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 050 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 11,6 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 050 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 050 V
a> = 1,35 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 6,08 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =11,6 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 3,87 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,04 × 10−3 m, (B) 3,33 × 10−3 m, (Correto:C) 1,35 × 10−3 m, (D) 1,59 × 10−3 m, (E) 2,93 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,43 × 10−3 m, (G) 1,85 × 10−3 m,
Versão 055

(4 pontos) (A) 7,37 × 10−10 C, (Correto:B) 6,08 × 10−10 C, (C) 2,72 × 10−9 C, (D) 3,03 × 10−9 C, (E) 3,60 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,50 × 10−9 C, (G) 1,01 × 10−9 C, (H) 2,47 × 10−9 C, (I) 1,81 × 10−9 C, (J) 1,29 × 10−9 C,
(K) 2,14 × 10−9 C, (L) 8,72 × 10−10 C, (M) 1,14 × 10−9 C,

(2 pontos) (Correto:A) 3,87 × 10−6 m, (B) 3,37 × 10−6 m, (C) 6,63 × 10−6 m, (D) 5,97 × 10−6 m, (E) 4,43 ×
(c) 10−6 m, (F) 5,07 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 056

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
056
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,78 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,09 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = + 2 = −5,87 × 100 N
4πε0 r12 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,78 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −2,80 × 10−4 N, (Correto:B) −5,87 × 100 N, (C) −9,87 × 100 N, (D) −1,87 × 10−3 N,
(E) −2,64 × 100 N, (F) −2,14 × 10−4 N, (G) −5,26 × 100 N, (H) −4,79 × 10−4 N, (I) −4,11 × 10−4 N,
(a) (J) −4,46 × 100 N, (K) −6,61 × 10−4 N, (e1:L) −5,87 × 10−4 N, (M) −8,56 × 100 N, (N) −1,15 × 10−3 N,
(O) −8,40 × 10−4 N,

(5 pontos) (Correto:A) −1,78 × 10−1 J, (B) −1,30 × 10−1 J, (C) −6,80 × 10−4 J, (D) −1,17 × 10−1 J,
(E) −8,48 × 10−2 J, (F) −7,68 × 10−2 J, (G) −2,22 × 10−1 J, (H) −9,67 × 10−2 J, (I) −1,49 × 10−1 J,
(b) (J) −6,22 × 10−2 J, (K) −2,00 × 10−1 J, (L) −3,41 × 10−1 J, (M) −2,78 × 10−1 J, (N) −3,82 × 10−1 J,
(O) −2,50 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,90 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,244 mî, b) r⃗2 =0,445 m î, c) r⃗3 =1,27 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 056

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,244 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −33,6 V/m
r1 (0,244 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,620 V/m
r3 (1,27 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −65,3 V/m, (B) −78,1 V/m, (C) 3,19 V/m, (D) 6,24 V/m, (e3:E ) 10,1 V/m, (Cor-
(a) reto:F) −33,6 V/m, (e2:G) 5,05 V/m, (H) − 189 V/m, (I) 7,94 V/m, (J) 2,87 V/m, (K) 3,59 V/m,
(L) −40,2 V/m, (M) 11,7 V/m, (N) 4,10 V/m, (e1:O) 10,1 V/m,

(2.5 pontos) (A) −6,45 V/m, (Correto:B) 0 V/m, (C) −7,20 V/m, (D) −5,84 V/m, (E) 3,97 V/m,
(b) (F) 3,22 V/m, (e2:G) 5,05 V/m, (e1:H ) −10,1 V/m, (I) −11,2 V/m, (J) 3,56 V/m, (K) 5,64 V/m,
(L) 4,49 V/m, (M) 2,87 V/m, (N) −8,26 V/m,

(2.5 pontos) (A) −11,5 V/m, (Correto:B) 0,620 V/m, (C) 1,10 V/m, (D) 0,525 V/m, (E) 0,743 V/m,
(c) (e1:F ) −10,1 V/m, (G) −6,76 V/m, (H) 0,450 V/m, (I) 0,857 V/m, (J) 1,25 V/m, (K) −8,00 V/m,
(L) 1,87 V/m, (M) 1,68 V/m, (N) 0,961 V/m, (O) −6,13 V/m,

(2.5 pontos) (A) 7,27 V, (Correto:B) 1,67 V, (C) 44,0 V, (D) 20,3 V, (E) 14,0 V, (F) 28,8 V, (e1:G) 8,20 V,
(d) (H) 37,2 V, (I) 10,7 V, (J) 9,09 V, (e2:K ) 18,4 V, (L) 12,3 V, (M) 32,8 V, (N) 15,8 V, (O) 24,5 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼14,0 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 056

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 8 160 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 14,0 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 8 160 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

8 160 V
a> = 2,72 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,47 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =14,0 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 4,67 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,24 × 10−3 m, (B) 1,51 × 10−3 m, (Correto:C) 2,72 × 10−3 m, (D) 1,35 × 10−3 m, (E) 1,77 ×
(a) 10−3 m, (F) 2,39 × 10−3 m, (G) 1,96 × 10−3 m,
Versão 056

(4 pontos) (A) 6,23 × 10−10 C, (B) 7,67 × 10−10 C, (Correto:C) 2,47 × 10−9 C, (D) 3,50 × 10−9 C, (E) 1,29 ×
(b) 10−9 C, (F) 3,12 × 10−9 C, (G) 6,95 × 10−10 C, (H) 2,07 × 10−9 C, (I) 2,73 × 10−9 C, (J) 1,43 × 10−9 C,
(K) 1,73 × 10−9 C, (L) 1,06 × 10−9 C, (M) 9,34 × 10−10 C,

(2 pontos) (A) 5,77 × 10−6 m, (Correto:B) 4,67 × 10−6 m, (C) 5,17 × 10−6 m, (D) 6,60 × 10−6 m, (E) 3,97 ×
(c) 10−6 m, (F) 3,47 × 10−6 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 057

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
057
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−7,38 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,79 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −4,29 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,59 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −4,99×10−4 N, (B) −2,39×10−4 N, (C) −3,67×10−4 N, (D) −6,55×100 N, (E) −2,87×100 N,
(a) (F) −1,54 × 10−3 N, (G) −6,05 × 10−4 N, (H) −7,54 × 10−4 N, (I) −5,83 × 100 N, (Correto:J) −4,29 × 100 N,
(K) −3,21 × 100 N, (L) −7,45 × 100 N, (M) −1,42 × 101 N, (N) −1,04 × 10−3 N, (e1:O) −4,29 × 10−4 N,

(5 pontos) (A) −2,37 × 10−1 J, (B) −6,22 × 10−2 J, (Correto:C) −1,59 × 10−1 J, (D) −2,63 × 10−1 J,
(b) (E) −7,68 × 10−2 J, (F) −1,79 × 10−1 J, (G) −1,43 × 10−1 J, (H) −3,82 × 10−1 J, (I) −1,02 × 10−1 J,
(J) −8,77 × 10−2 J, (K) −6,80 × 10−4 J, (L) −1,20 × 10−1 J, (M) −2,10 × 10−1 J, (N) −3,15 × 10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =3,23 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,168 mî, b) r⃗2 =0,418 m î, c) r⃗3 =1,00 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 057

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,168 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −70,9 V/m
r1 (0,168 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,00 V/m
r3 (1,00 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (e1:A) 11,4 V/m, (B) 7,01 V/m, (C) −39,2 V/m, (Correto:D) −70,9 V/m, (E) 4,08 V/m,
(a) (F) 2,98 V/m, (G) 10,1 V/m, (H) −26,1 V/m, (I) 8,54 V/m, (J) − 102 V/m, (e3:K ) 11,4 V/m, (L) −59,7 V/m,
(e2:M ) 5,72 V/m, (N) −81,1 V/m, (O) 3,60 V/m,

(2.5 pontos) (A) −5,75 V/m, (e2:B ) 5,72 V/m, (C) 4,92 V/m, (D) −9,70 V/m, (e1:E ) −11,4 V/m,
(b) (F) −8,72 V/m, (G) 2,98 V/m, (H) −6,42 V/m, (I) 4,10 V/m, (J) −7,07 V/m, (K) −7,87 V/m, (L) 3,59 V/m,
(Correto:M) 0 V/m,

(2.5 pontos) (e1:A) −11,4 V/m, (B) 0,592 V/m, (C) −7,94 V/m, (D) −5,90 V/m, (E) −10,1 V/m,
(c) (Correto:F) 1,00 V/m, (G) 0,857 V/m, (H) 0,756 V/m, (I) −7,20 V/m, (J) 1,60 V/m, (K) 1,23 V/m,
(L) 0,450 V/m, (M) −9,05 V/m, (N) 1,44 V/m, (O) 1,95 V/m,

(2.5 pontos) (A) 8,10 V, (B) 37,0 V, (C) 9,22 V, (D) 32,1 V, (E) 13,6 V, (e1:F ) 11,9 V, (Correto:G) 1,67 V,
(d) (e2:H ) 28,5 V, (I) 22,2 V, (J) 10,4 V, (K) 43,0 V, (L) 24,9 V, (M) 16,1 V, (N) 6,73 V, (O) 19,7 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼15,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 057

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 4 240 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 15,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 4 240 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

4 240 V
a> = 1,41 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 6,66 × 10−10 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =15,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 5,17 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 2,28 × 10−3 m, (B) 2,55 × 10−3 m, (C) 3,23 × 10−3 m, (D) 2,04 × 10−3 m, (E) 1,73 × 10−3 m,
(a) (Correto:F) 1,41 × 10−3 m, (G) 2,86 × 10−3 m,
Versão 057

(4 pontos) (Correto:A) 6,66 × 10−10 C, (B) 5,93 × 10−10 C, (C) 1,01 × 10−9 C, (D) 1,53 × 10−9 C, (E) 1,71 ×
(b) 10−9 C, (F) 2,14 × 10−9 C, (G) 8,65 × 10−10 C, (H) 7,44 × 10−10 C, (I) 1,39 × 10−9 C, (J) 1,14 × 10−9 C,
(K) 3,47 × 10−9 C, (L) 1,89 × 10−9 C, (M) 2,49 × 10−9 C, (N) 2,96 × 10−9 C,

pontos) (A) 3,60 × 10−6 m, (B) 3,97 × 10−6 m, (C) 4,60 × 10−6 m, (Correto:D) 5,17 × 10−6 m, (E) 6,30 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 058

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
058
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−3,72 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =3,28 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −2,87 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −9,21 × 10−2 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −6,12×10−6 N, (B) −1,32×101 N, (C) −6,52×10−4 N, (D) −4,93×10−4 N, (E) −6,70×100 N,
(a) (Correto:F) −2,87 × 100 N, (G) −3,88 × 10−4 N, (H) −4,30 × 100 N, (I) −4,79 × 100 N, (J) −2,45 × 10−4 N,
(K) −4,29 × 10−4 N, (L) −6,03 × 100 N, (M) −3,31 × 10−4 N, (e1:N ) −2,87 × 10−4 N, (O) −7,42 × 100 N,

(5 pontos) (A) −2,50×10−1 J, (B) −6,80×10−4 J, (C) −2,26×10−1 J, (D) −7,68×10−2 J, (E) −1,09×10−1 J,
(b) (F) −3,41 × 10−1 J, (G) −3,83 × 10−1 J, (H) −2,97 × 10−1 J, (I) −1,25 × 10−1 J, (Correto:J) −9,21 × 10−2 J,
(K) −2,02 × 10−1 J, (L) −1,49 × 10−1 J, (M) −1,69 × 10−1 J, (N) −6,22 × 10−2 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =8,64 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,141 mî, b) r⃗2 =0,503 m î, c) r⃗3 =1,30 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 058

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,141 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = − 101 V/m
r1 (0,141 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 0,592 V/m
r3 (1,30 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) −47,6 V/m, (B) −84,3 V/m, (C) 5,21 V/m, (D) −33,6 V/m, (Correto:E) − 101 V/m,
(a) (F) 10,8 V/m, (e2:G) 3,95 V/m, (e3:H ) 7,90 V/m, (I) 3,21 V/m, (J) 5,95 V/m, (K) 9,66 V/m, (L) −26,1 V/m,
(e1:M ) 7,90 V/m, (N) 6,96 V/m, (O) −60,4 V/m,

(2.5 pontos) (A) 4,49 V/m, (Correto:B) 0 V/m, (C) 2,98 V/m, (e1:D) −7,90 V/m, (E) −9,92 V/m,
(b) (F) 5,03 V/m, (G) −7,07 V/m, (H) 3,42 V/m, (I) 5,62 V/m, (J) −11,2 V/m, (K) −6,42 V/m, (L) −5,75 V/m,
(M) −8,98 V/m, (e2:N ) 3,95 V/m,

(2.5 pontos) (A) 1,19 V/m, (B) −11,4 V/m, (C) 1,44 V/m, (D) 1,61 V/m, (E) 0,731 V/m, (F) −10,1 V/m,
(c) (G) −8,94 V/m, (Correto:H) 0,592 V/m, (I) 0,907 V/m, (J) 1,01 V/m, (K) −6,35 V/m, (e1:L) −7,90 V/m,
(M) −7,09 V/m, (N) 0,482 V/m, (O) 2,00 V/m,

(2.5 pontos) (A) 33,9 V, (B) 10,3 V, (e2:C ) 28,2 V, (D) 24,9 V, (E) 18,0 V, (Correto:F) 1,67 V, (G) 7,78 V,
(d) (H) 16,2 V, (I) 45,4 V, (e1:J ) 14,2 V, (K) 38,4 V, (L) 21,5 V, (M) 9,09 V, (N) 6,94 V, (O) 12,4 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼19,3 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 058

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 7 590 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 19,3 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 7 590 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

7 590 V
a> = 2,53 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 2,14 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =19,3 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,43 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 1,73 × 10−3 m, (B) 2,02 × 10−3 m, (C) 2,26 × 10−3 m, (D) 2,82 × 10−3 m, (E) 1,54 × 10−3 m,
(a) (F) 3,14 × 10−3 m, (Correto:G) 2,53 × 10−3 m, (H) 1,33 × 10−3 m,
Versão 058

(4 pontos) (A) 7,14 × 10−10 C, (Correto:B) 2,14 × 10−9 C, (C) 1,86 × 10−9 C, (D) 2,52 × 10−9 C, (E) 1,22 ×
(b) 10−9 C, (F) 8,36 × 10−10 C, (G) 3,42 × 10−9 C, (H) 5,93 × 10−10 C, (I) 1,56 × 10−9 C, (J) 2,91 × 10−9 C,
(K) 9,99 × 10−10 C, (L) 1,37 × 10−9 C,

pontos) (A) 3,53 × 10−6 m, (Correto:B) 6,43 × 10−6 m, (C) 4,90 × 10−6 m, (D) 5,73 × 10−6 m, (E) 4,10 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(b) (1 pontos) (e1:A) 1, (Correto:B) 0,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E
1 2
Versão 059

Versão Nome Turma


FIS069: Primeira Prova
059
1(a) 1(b) 2(a) 2(b) 2(c) 2(d) 3(a) 3(b) 3(c) 4(a) 4(b) 4(c) 4(d) 4(e) Nota

• Marque suas respostas no quadro acima e a última resposta literal à caneta .

• Documente seu raciocı́nio. Resolva os problemas de forma literal e somente no resultado final
calcule os valores numéricos.

• Entregue as folhas dos calculos. Assim, é possivel analisar os raciocı́nios e não somente os
resultados.

• É permitido o uso de calculadora.

1 Três cargas, q1 =2,00 × 10−9 C, q2 =−6,54 × 10−7 C e q3 =9,00 × 10−7 C, estão em


posições fixas ao longo de uma reta, separadas pelas distâncias r1 =1,00 cm e r2 =2,71 cm
conforme a figura.
a) Encontre a força sobre carga q2 .
b) Encontre a energia eletrostática U do sistema.

qQ
Solução: a) usando a Lei de Coulomb temos a força F = 4πε0 r
, a força em q2 é:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3
F2 = F21 + F23 = 2
+ 2 = −7,32 × 100 N
4πε0 r1 r2
qQ
b) A energia eletrostática de um par de cargas é com referência no infinito é U = 4πε0 |rq −rQ |
,
para três cargas temos:
[ ]
1 q1 q2 q2 q3 q1 q3
U = U12 + U23 + U13 = + + = −1,96 × 10−1 J
4πε0 r1 r2 r1 + r2

(5 pontos) (A) −1,17×101 N, (B) −3,34×100 N, (C) −4,45×100 N, (D) −1,36×101 N, (Correto:E) −7,32×
(a) 100
N, (F) −1,03 × 10−3 N, (G) −4,59 × 10−4 N, (H) −1,96 × 100 N, (I) −6,09 × 100 N, (J) −2,69 × 10−4 N,
(K) −3,21 × 10−4 N, (e1:L) −7,32 × 10−4 N, (M) −5,23 × 100 N, (N) −3,87 × 100 N, (O) −1,04 × 101 N,

(5 pontos) (A) −6,22×10−2 J, (B) −2,74×10−1 J, (C) −1,59×10−1 J, (D) −3,31×10−1 J, (E) −2,41×10−1 J,
(b) (F) −2,16 × 10−1 J, (G) −1,18 × 10−1 J, (H) −6,80 × 10−4 J, (I) −1,32 × 10−1 J, (J) −1,75 × 10−1 J,
(K) −7,13×10−2 J, (Correto:L) −1,96×10−1 J, (M) −9,99×10−2 J, (N) −8,77×10−2 J, (O) −3,82×10−1 J,

2 Uma esfera metálica oca de raio externo b =0,600 m, raio interno


a =0,400 m e carga total positiva 3Q possui em seu interior uma es-
fera metálica maciça de raio R =7,84 cm e carga total negativa −2Q,
concêntrica com a esfera oca, de acordo com a figura.
Considerando o valor de Q = 4πε0 Vm e o centro das esferas na ori-
gem do sistema de coordenadas, deduza a expressão literal para o campo
elétrico para todo o espaço e depois determine o valor do campo elétrico
nas seguintes posições: a) r⃗1 =0,165 mî, b) r⃗2 =0,483 m î, c) r⃗3 =0,732 m î.
d) Encontre a expressão literal para a diferença de potencial entre a e b e
depois calcule seu módulo e marque nos resultados.
Versão 059

Solução: A superfı́cie da esfera interna tem carga −2Q. A superfı́cie interna da casca de
raio ra tem carga de sinal oposto e mesmo valor da carga da esfera interna 2Q, assim o campo
dentro do metal é nulo. O campo na parte externa da casca de raio rb pela conservação da
carga na casca é: q = 3Q − 2Q = Q.
a) Aplicaremos a Lei de Gauss numa esfera de raio r1 =0,165 m que está entre a esfera de raio
R e a casca esférica. Para isso temos que saber a carga dentro dessa superficie, que é a propria
carga da esfera interna q = −2Q. Aplicando a Lei de Gauss:
I
⃗ = q => E4πr12 = −2Q => E = −2Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r12
Como Q = 4πε0 e estamos interessados no módulo tiramos o sinal negativo, temos:

2 2
E= 2
= = −73,5 V/m
r1 (0,165 m)2

b) para r2 , estamos dentro do metal e o campo elétrico tem que ser zero.
c) Para r > 3 temos que a carga interna é q = q1 + q2 = −2Q + 3Q = Q. Aplicando a Lei de
Gauss temos:
I
⃗ = q => E4πr32 = Q => E = Q
⃗ · dA
E
S ε0 ε0 4πε0 r32
Como Q = 4πε0 :

1 1
E= 2
= = 1,87 V/m
r3 (0,732 m)2
∫a
d) Como Va −Vb = − b
Edr, basta integrar o campo elétrico entre as superfı́cies para encontrar
o potencial.
∫ ∫
a b
−2 −2 b 2(b − a)
V =− Edr = dr = = = 1,67 V
b a r2 r a ab

(2.5 pontos) (A) − 192 V/m, (B) −32,8 V/m, (C) −25,5 V/m, (D) 10,1 V/m, (e3:E ) 8,57 V/m, (F) −87,7 V/m,
(a) (e2:G) 4,29 V/m, (H) 5,90 V/m, (I) −57,8 V/m, (J) 3,11 V/m, (Correto:K) −73,5 V/m, (e1:L) 8,57 V/m,
(M) 11,5 V/m, (N) − 104 V/m, (O) 6,76 V/m,

(2.5 pontos) (A) −10,8 V/m, (Correto:B) 0 V/m, (C) −6,22 V/m, (D) 3,32 V/m, (E) 5,41 V/m,
(b) (e2:F ) 4,29 V/m, (G) 3,84 V/m, (H) −7,12 V/m, (I) 4,73 V/m, (J) −11,9 V/m, (K) 3,00 V/m, (L) −9,45 V/m,
(e1:M ) −8,57 V/m,

(2.5 pontos) (A) −7,45 V/m, (B) −6,22 V/m, (C) −11,5 V/m, (D) −9,70 V/m, (E) 1,54 V/m,
(c) (e1:F ) −8,57 V/m, (Correto:G) 1,87 V/m, (H) 0,756 V/m, (I) 1,00 V/m, (J) 0,650 V/m, (K) 0,583 V/m,
(L) 0,873 V/m, (M) 1,39 V/m, (N) 0,510 V/m, (O) 1,21 V/m,

(2.5 pontos) (Correto:A) 1,67 V, (B) 38,4 V, (e1:C ) 12,1 V, (D) 32,8 V, (e2:E ) 25,1 V, (F) 28,1 V,
(d) (G) 13,4 V, (H) 9,48 V, (I) 21,0 V, (J) 18,2 V, (K) 6,73 V, (L) 10,8 V, (M) 8,37 V, (N) 15,3 V, (O) 7,41 V,

3 Os relâmpagos são fenômenos que se originam de descargas elétricas na atmosfera. Uma


descarga elétrica é uma reação em cadeia que se da quando um elétron tem energia suficiente
para ionizar uma molécula de ar (essa energia e de ∼18,5 eV). A energia que os elétrons ganham
vem do campo elétrico que permeia o meio. Assim, se o campo elétrico for muito grande, o
elétron ira ionizar uma molécula de ar, os novos elétrons livres irão ionizar mais duas moléculas
Versão 059

e assim por diante. Em condições normais de pressão e temperatura, o ar irá descarregar (isto
é, vai perder suas qualidades isolantes) quando o campo for de 3,00 ×106 V/m (rigidez dielétrica
do ar).
a) Suponha que queremos manter uma esfera condutora isolada a 5 350 V. Qual é o raio mı́nimo
que a esfera deve ter para não resultar em descarga?
b) Qual é a carga total da esfera neste raio?
c) Agora considere um elétron livre no ar, muito próximo da esfera. Se esse elétron esta
inicialmente em repouso, que distancia radial irá viajar antes de alcançar uma energia cinética
de 18,5 eV? Assuma um campo constante e que não há colisão com moléculas de ar durante
esse deslocamento.

Solução: a) Seja a o raio da esfera, sabemos que fora da superficie de uma esfera condutora
o campo elétrico esta dado por

Q
E(r = a) =
4πε0 a2
E o potencial (entre o raio da esfera e o infinito) é

Q
V (r = a) =
4πε0 a
Comparando as duas equações encontramos a relação entre E e V :

V (r = a)
E(r = a) =
a
Para uma tensão fixa de 5 350 V, o campo aumenta quando a diminui. Já que queremos um
campo menor que a rigidez dielétrica do ar E <3,00 ×106 V/m, para que não aconteça uma
descarga precisamos:

5 350 V
a> = 1,78 × 10−3 m
3,00 ×10 V/m
6

b) Da equação do campo ou do potencial, usando o valor do raio já encontrado, podemos


calcular

Q = 4πε0 aV = 1,06 × 10−9 C

c) Um elétron fora da esfera vai ser acelerado radialmente devido ao campo elétrico. A energia
que vai adquirir se movimentando num campo de 3,00 ×106 V/m é de K =18,5 eV, de acordo
com eEl = K (Força vezes distância é a energia potencial) podemos encontrar l:

K
l= = 6,17 × 10−6 m
eE
De fato o campo não é constante, e decai com a distância à esfera, mas para uma disttância de
alguns micrometros a aproximação é valida.

(4 pontos) (A) 3,29 × 10−3 m, (B) 1,41 × 10−3 m, (C) 1,96 × 10−3 m, (D) 2,95 × 10−3 m, (E) 2,52 × 10−3 m,
(a) (F) 1,59 × 10−3 m, (Correto:G) 1,78 × 10−3 m, (H) 2,24 × 10−3 m,
Versão 059

(4 pontos) (A) 2,00 × 10−9 C, (B) 7,37 × 10−10 C, (C) 3,51 × 10−9 C, (D) 2,23 × 10−9 C, (Correto:E) 1,06 ×
(b) 10−9 C, (F) 1,31 × 10−9 C, (G) 9,27 × 10−10 C, (H) 1,49 × 10−9 C, (I) 3,17 × 10−9 C, (J) 6,32 × 10−10 C,
(K) 1,17 × 10−9 C, (L) 2,83 × 10−9 C, (M) 2,54 × 10−9 C, (N) 1,70 × 10−9 C,

pontos) (Correto:A) 6,17 × 10−6 m, (B) 3,93 × 10−6 m, (C) 4,53 × 10−6 m, (D) 5,43 × 10−6 m, (E) 3,40 ×
(c) (2 −6
10 m,

4 Marque 1 para verdadeiro ou 0 para falso nas questões abaixo. Não serão consideradas as
respostas sem justificativa. Atenção para posição do 1(V) e do 0(F) que varia em cada item.
a) ( ) Em objetos metálicos de forma arbitrária, ocos ou não, o campo elétrico é nulo em seu
interior.
b) ( ) Um objeto isolante com a mesma distribuição de cargas da questão acima porém, não
possui o campo elétrico nulo em seu interior.
c) ( ) Se duas cascas esféricas de raios diferentes, muito distantes entre si, são carregadas de
modo a ficarem com a mesma diferença de potencial, a de maior raio possui a maior carga.
d) ( ) Uma carga puntual q está localizada no centro de uma superfı́cie gaussiana cúbica. Neste
caso, podemos dizer que o fluxo do campo elétrico sobre cada base do cubo será q/(6ε0 )
e) ( ) Um triângulo equilátero é formado por duas cargas positivas e uma negativa. Outro
triângulo equilátero de mesmas dimensões é formado por duas cargas negativas e uma positiva.
O valor de todas as cargas, em módulo, é o mesmo. Pode-se dizer que as energias potenciais
dos dois conjuntos são iguais em módulo e sinal.

(a) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(b) (1 pontos) (Correto:A) 0, (e1:B ) 1,

(c) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

(d) (1 pontos) (Correto:A) 1, (e1:B ) 0,

(e) (1 pontos) (e1:A) 0, (Correto:B) 1,

ε0 = 8,85 × 10−12 F/m


q2 H q
E = −∇V
⃗ ;U = ⃗ ⃗
2C ; U = qV ; S E·dA =π = 3.14; Perı́metro de cı́rculo: 2πr; Volume de esfera: 43 πr3 ;
ε0 ;
Área de cı́rculo: 2
πr ; Área de esfera: F⃗ = q E;
4πr2 ; ⃗ dU = −dW = −q E ⃗ · d⃗l; dV = −E ⃗ · d⃗l;
⃗ dq −19
dE = 4πε0 r2 r̂; e = 1.602 × 10 C; q = CV ; u = 2 ε0 E