Você está na página 1de 4

Aqua-Rio SPE S.A.

(Companhia fechada)

Notas explicativas às informações trimestrais


Período de três meses findo em 31 de março de 2010
(Em Reais)

Contexto operacional

A Companhia foi constituída em 8 de julho de 2009 sob a forma de uma


sociedade anônima de capital fechado, tendo com principal objetivo: i)
implementar e executar as atividades necessárias à viabilização da
construção e implementação do Museu Aquário Marinho do Rio de Janeiro;
ii) geriro Museu Aquário Marinho do Rio de Janeiro; iii) estruturar e
coordenar serviços relacionados à lazer, pesquisa, conservação e educação
ambiental do Museu Aquário Marinho do Rio de Janeiro; iv) gerir e
comercializar bens próprios; v) prestar serviços decorrentes das atividades
descritas acima

O faturamento esperado da Companhia será composto de 58% da venda de


bilheteria e 42% de prestação de serviços (estacionamento, loja própria,
locação de espaço) e patrocínios. (*)

Todas as premissas usadas para elaboração do Business Plan foram


baseadas em benchmarks dos maiores e melhores aquários do mundo, com
o apoio de especialistas e técnicos em biologia marinha. (*)

A Companhia possui Business Plan concreto, com premissas conservadoras.


Em 2010 estima-se o início da construção de sua unidade com
investimentos estimados em R$ 121 milhões (*), sendo:

• R$ 107 milhões para obra civil e outras despesas pré-operacionais; (*)


• R$ 14 milhões de equipamento técnico. (*)

A fonte de financiamento dos investimentos será realizada por meio de


Certificado de Cédula Bancárias

(*) Informações não revisadas pelos auditores independentes.


Apresentação das informações trimestrais

As informações trimestrais foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no


Brasil, as quais abrangem a legislação societária, os Pronunciamentos, as Orientações e as
Interpretações emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), e as normas
emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

As principais práticas contábeis adotadas pela Companhia na elaboração destas informações


trimestrais correspondem às normas e orientações vigentes para as informações trimestrais
encerradas em 31 de março de 2010, que são diferentes daquelas que serão utilizadas para as
demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 2010, conforme descrito a seguir, na Nota
Explicativa nº 4.

Resumo das principais práticas contábeis

a. Disponibilidades

Incluem dinheiro em caixa e depósitos bancários registrados pelo valor de custo que não
excede o seu valor de mercado ou realização.

b. Apuração do resultado

O resultado é apurado em conformidade com o regime de competência.

c. Moeda estrangeira

A Administração da Companhia definiu que sua moeda funcional é o real de acordo com as
normas descritas no CPC 02 - Efeitos nas Mudanças nas Taxas de Câmbio e Conversão de
Demonstrações Contábeis.

d. Passivo circulante

O passivo circulante é demonstrado pelo valo conhecido ou calculável acrescido, quando


aplicável dos correspondentes encargos incorridos até a data do balanço.

e. Imposto de renda e contribuição social

Durante o período de três meses findo em 31 de março de 2010, a Companhia apresentou


prejuízo fiscal que poderá ser compensado à base de 30% dos lucros tributáveis anuais,
sem prazo de prescrição.

Os impostos ativos diferidos decorrentes de prejuízos fiscais não foram constituídos em


função da fase pré-operacional em que a Companhia se encontra e a expectativa de geração
de lucros tributáveis futuros. Os créditos fiscais serão reconhecidos contabilmente quando
a sua realização for julgada provável.

f. Instrumentos financeiros

Durante o período, não houve a contratação de instrumentos financeiros derivativos.


Alterações nas práticas contábeis adotadas no Brasil

Dentro do processo de convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil para as normas
internacionais de relatórios financeiros (IFRS), diversos pronunciamentos, interpretações e
orientações foram emitidas durante o ano de 2009 com aplicação mandatória para os exercícios
encerrados a partir de dezembro de 2010 e para as demonstrações financeiras de 2009 a serem
divulgadas em conjunto com as demonstrações de 2010 para fins de comparação.

A Administração da Companhia está em processo de avaliação dos potenciais efeitos relativos a


esses pronunciamentos, interpretações e orientações, os quais poderão ter impacto nas
demonstrações financeiras relativas ao período de 8 de julho a 31 de dezembro de 2009 a serem
apresentadas comparativamente às demonstrações financeiras relativas ao exercício a findar-se
em 31 de dezembro de 2010, bem como sobre os próximos exercícios.

Disponibilidades

31/03/10 31/12/09

Caixa 1.000 1.000

Contas a pagar

31/03/10 31/12/09

Prestadores de serviços 9.000 -

Passivo a descoberto

a. Capital social

O capital social inicial autorizado e subscrito é de R$ 10.000 (dez mil reais) divididos por
10.000 (dez mil) ações ordinárias sem valor nominal, sendo R$ 1.000 (hum mil reais)
integralizados em moeda corrente nacional no ato da subscrição e o saldo a integralizar em
30 (trinta) parcelas, estando assim distribuído entre os acionistas:

Quantidade Porcentagem
de ações %

Aqualittera Editorial, Cultural e Educacional Ltda. 4.999 49,99

Marcelo Szpilman 4.999 49,99

Roseny Soares Szpilman 1 0,01

Marco Túlio de Barros Castro 1 0,01

10.000 100,00
Eventos subsequentes
Em 28 de abril de 2010 por meio das assembléias gerais Ordinárias e Extraordinárias foi
aprovada a alteração da denominação social da Companhia de “Aqua-Rio SPE S.A.” para
“Aqua-Rio S.A.”.

* * *

Marcelo Szpilman
Diretor-presidente

Jorge Luiz Nunes Martins


Contador CRC 062.277/O-0