Você está na página 1de 3

Algoritmo para Solução da Equação de

Colebrook-White pelo método iterativo de


Newton-Raphson
Bruno Ponciano Marques
Universidade Federal de Itajubá
Itajubá, Brasil
bruno.ponciano1999@gmail.com

I. R ESUMO
1 r
O objetivo deste trabalho foi elaborar um método computa- fturbulentorugoso = √ = −2.log[ ]
f 3, 7
cional iterativo para solucionar a Equação de Colebrook para
o cálculo do fator de atrito, buscando assim uma forma mais (4)
eficiente para realizar cálculos de perda de carga e escoamento
do fluido.
Palavras Chave: Newton-Raphson, Equação de Colebrook, Alternativamente ao anterior, o coeficiente de atrito pode
Algoritmo, Perda de Carga ser determinado de forma gráfica mediante o diagrama
de Moody. Tanto entrando-se com o número de Reynolds
II. I NTRODUÇ ÃO
(regime laminar) quanto com o número de Reynolds e a
O fator de atrito ou coeficiente de resistência de Darcy- rugosidade relativa (regime turbulento).
Weisbach, algumas vezes citado como fator de fricção (f) é
um parâmetro adimensional que é utilizado para calcular a Para regime turbulento rugoso também é possivel utilizar
perda de carga em uma tubulação devida ao atrito. O cálculo a Equação(5) de Colebrook-White que descreve o dia-
do fator de atrito e a influência de dois parâmetros (número grama de Moody. De maneira comum esta equação é
de Reynolds Re e rugosidade relativa r) depende do regime de resolvida de forma recursiva, pois o coeficiente de atrito
fluxo[1]. não pode ser isolado de um lado da equação.
• Para regime laminar (Re menor que 2000) o fator de atrito
é calculado como mostra a Equação (1): 1 r 2, 51
fturbulentorugoso = √ = −2log( + √ ) (5)
64 f 3, 7D Re f
flaminar = (1)
Re Uma vez conhecido o coeficiente de atrito pode-se calcu-
• Para regime turbulento (Re maior que 4000) o fator de lar a perda de carga em uma tubulação devida ao atrito
atrito é calculado em função do tipo de regime: mediante a Equação (6) de Darcy-Weisbach:
• Para regime turbulento liso, se utiliza a 1ª Equação(2) de
L v2
Karmann-Prandtl: h = f. . (6)
D 2g
1 2, 51 Visto a grande dificuldade de solucionar a equação
f turbulentoliso = √ = −2.log( √ ) (2)
f Re. f de Colebrook-White, este projeto propõe realizar
• Para regime turbulento intermediário se utiliza a Equação iterações após manipulação algébrica desta, explicando
(3) de Colebrook simplificada, mais conhecida como as minúcias de tais procedimentos.
equação de Haaland:
1 6, 9 r 1,1
ftur bint = √ = −1, 8.log[ + ] III. M ÉTODO DE N EWTON -R APHSON
f Re 3, 7
(3) O método de Newton-Raphson, desenvolvido por Isaac
Newton e Joseph Raphson, tem o objetivo de estimar as raı́zes
de uma função. O primeiro passo é escolher uma aproximação
inicial. Após isso, calcula-se a equação da reta tangente (por
• Para regime turbulento rugoso se utiliza a 2ª Equação (4) meio da derivada) da função nesse ponto e a interseção dela
de Karmann-Prandtl: com o eixo das abcissas, a fim de encontrar uma melhor
aproximação para a raiz. Repetindo-se o processo, cria-se um
método iterativo para se encontrar a raiz da função. O método x = −2log(a + bx) (12)
iterativo é dado pela Equação (7):
Assim, pode-se determinar a equação completa de acordo com
f (xn ) a Equação (13):
xn+1 = xn − 0 (7)
f (xn )
(x) = x + 2log(a + bx) = 0 (13)
Onde xn é a aproximação inicial dada, n indica a n-ésima
iteração do algoritmo e f 0 (xn ) é a derivada da função f (xn ) Com isso, tem-se uma equação possı́vel de ser aplicada o
no ponto xn . método iterativo. Como foi utilizado o método de Newton-
Raphson, este requer a derivada da função a ser iterada. A
IV. P OSSIBILIDADES DE R ESOLUÇ ÃO Equação (14) mostra a derivação:
A equação de Colebrook é uma ferramenta muito útil para
resolução de cálculo de fator de carga, entretanto, trata-se de ∂g 2b
= g0 = 1 + (14)
uma equação transcedental, isto é, a equação contém uma ∂x a + bx
função que não é redutı́vel a uma fração entre polinômios, Em posse da derivada da função que se quer aplicar o
e cuja solução não pode ser expressa através de funções método iterativo, basta aplicar a Equação de Newton-Raphson
elementares [2]. Com isso, buscou-se duas soluções para a e substituir g(x) e g’(x). Da Equação(15), vem:
resolução do cálculo do fator de carga, os quais foram os
seguintes: xk + 2log(a + bxk )
xk+1 = xk − [ 2b
] (15)
1 + a+bx k

• Manipular algebricamente a equação de Colebrook-White Simplificando a equação, da Equação(16), vem:


para realização do método iterativo por Newton-Raphson.
• Utilizar a Equação de Swamee-Jain como substituta, 2bxk − 2(a + bxk )log(a + bxk )
xk k + 1 = (16)
pois apresenta resultados muito próximos e sua solução (a + bxk + 2b)
é trivial em posse de métodos iterativos.
Por fim, é necessário escolher a variável inicial xinicial .
Analisando o gráfico de Moody, é possı́vel perceber que o
Considerou-se em um primento momento realzar a aplicação valor a ser escolhido é um valor muito elevado em relação
da Equação de Swamee-Jain, todavia, a equação que seria ao fator de atrito [4]. Tal valor foi adotado pois de acordo
resolvida pelo método iterativo não seria de fato a Equação com os métodos iterativos a solução deverá convergir para
de Colebrook-White, (apesar de apresentar resultados quaisquer valores menores presentes no gráfico de Moody.
semelhantes) proposta deste trabalho. A Figura(1) mostra o gráfico de Moody indicando o ponto
escolhido e os demais valores de fator de atrito:
V. M ANIPULAÇ ÃO ALG ÉBRICA PARA A APLICAÇ ÃO DO
M ÉTODO ITERATIVO
Então, foi realizada a manipulação algébrica para que a
Equação de Colebrook- White pudesse ser implementada no
método iterativo. Utilizando a Equação (8) como princı́pio do
desenvolvimento, vem:

1 r 2, 51
fturbulentorugoso = √ = −2log( + √ ) (8)
f 3, 7D Re f
A primeira etapa, trata-se de reduzir as variáveis da
Equação[3]. Desta forma, adotou-se como mostra as Equações
(9),(10) e (11):
1
x= √ (9)
f
e  Figura (I) : Gráfico de Moody
D
a= (10) Portanto, xinicial foi definido como:
3, 7
e por fim 1
2, 51 xinicial = √ (17)
b= (11) 0.1
R
Substituindo os termos suprimidos pelos novos definidos, E finalmente, a resposta dada pelo algoritmo irá retornar o
vem: valor do fator de atrito do sistema, segundo a Equação(18):
[4] UMANAND, L. Numerical solution - Colebrook
1 formula. Disponı́vel em:
f= , (18) www.youtube.com/watch?v=VSx4s5ScFcot=307s. Acesso em
x2
19 de Outubro de 2019,
Onde: x é o valor calculado pelo algoritmo e f é o fator de
atrito do sistema

VI. A PLICAÇ ÃO DO M ÉTODO I TERATIVO E A N ÁLISE DE


R ESULTADOS
Após a implementação do algoritmo para a resolução da
Equação de Colebrook, foi realizada a verificação das
soluções para analisar a eficácia do algoritmo tal como
calcular o erro associado. Foram usados exemplos de
referências bibliográficas e também valores aleatorios
baseados no Diagrama de Moody:

/D Re f calculado f real Erro absoluto


0,00015 609600 0,014 0,013 0,001
0,005 1000000 0,0304 0,03 0,0004
0,000333 100000 0,0196 0,019 0,0006
0,0008 1540000 0,0188 0.019 0,0002
0,0000002 1000 0,0344 0,035 0,0006
0,1 100 0,0625 0,064 0,0015

VII. C ONCLUS ÃO


• O algoritmo possui ótima precisão em relação aos valores
reais;
• O programa é eficiente, isto é, realiza a operação de
forma muito rápida, otimizando o processo de resolução
da equação;
• Pode ser aplicado para qualquer situação-problema en-
volvendo cálculo de fator de atrito.

R EFER ÊNCIAS

[1] WHITE, Frank (2008). Mecánica de Fluidos, 6ª edição,


McGraw-Hill. ISBN 978-84-481-6603-8.

[2] MENDONÇA, Fernando.AULA 7 – ROTEIRO.


Disponı́vel em:
www.leb,esalq.usp.br/leb/disciplinas/Fernando/leb472/Aula 7
/Aula%207 Hidrodinamica%20-%Perdas%20de%20carga.pdf
Acesso em 19 de Outubro de 2019.

[3] SPERB, Cibele. OLIVEIRA, Estevãn. DUARTE, Lucas.


HECK, Rosane. Estimativa de fator de atrito em tubos
comerciais limpos através do método iterativo direto de
Newton-Raphson.
Disponı́vel em:
www.academia.edu/17285795/Aplica%C3%A7%C3%A3o de
Calc Num%C3%A9rico
Acesso em 19 de Outubro de 2019.

Você também pode gostar