Você está na página 1de 186

ITEM 1 - Conhecimentos Básicos em Administração: características básicas das organizações, natureza, finalidade, evolução,

níveis e departamentalização; Funções do processo administrativo: planejamento, organização, direção e controle

Segundo Robbins: “planejamento é a principal função da Administração. E nesta função são determinados os
objetivos, ocorrem às tomadas das decisões, são feitas previsões e iniciadas estratégicas”.

Segundo Chiavenato (1995) o planejamento é a função administrativa que determina antecipadamente o que
sedeve fazer e quais objetivos devem ser alcançados, e visa dar condições racionais para que se organize e
dirija aempresa ou seus departamentos ou divisões a partir de certas hipóteses a respeito da realidade atual e futura.

O planejamento é uma função administrativa que determina antecipadamente quais são os objetivos que devem ser
atingidos e como se deve fazer para alcançá-los.

Planejar é definir os objetivos e escolher antecipadamente o melhor curso para alcançá-los.

O planejamento é um processo constituído de uma série seqüencial de seis passos, a saber:


- definir os objetivos;
- verificar qual a situação atual em relação aos objetivos;
- desenvolver premissas quanto às condições futuras;
- analisar as alternativas de ação;
- escolher um curso de ação entre as várias alternativas;
- implementar o plano e avaliar os resultados.
A elaboração do planejamento evita a adoção de ações improvisadas, casuais, contribuindo para reduzir o nível
deincerteza e possibilitando maior segurança quanto ao desempenho da empresa. O planejamento, segundo
Chiavenato(1995) apresenta as seguintes características:

a) é um processo permanente e contínuo, pois é realizado de forma sistemática dentro da empresa e não se esgota na
simples montagem de um plano de ação;

b) é sempre voltado para o futuro e está intimamente ligado com a previsão, embora não se confunda com ela. O conceito
de planejamento inclui o aspecto de temporalidade e futuro:o planejamento é uma relação entre coisas a fazer e o tempo
disponível para fazê-las;

c) se preocupa com a racionalidade da tomada de decisões, pois ao estabelecer esquemas para o futuro funciona como
um meio de orientar o processo decisório, dando-lhe maior racionalidade e subtraindo incerteza subjacente a qualquer
tomada de decisão;

d) visa relacionar, entre várias alternativas disponíveis, um determinado curso de ação, em


função de suas conseqüências futuras e das possibilidades de sua execução e realização.
O curso de ação escolhido pode ter uma duração variável - desde curto à longo prazo - e pode ter uma amplitude igualmente
variável - abrangendo a empresa como um todo até uma determinada unidade de trabalho;

e) é sistêmico, pois deve considerar a empresa ou o órgão ou a unidade como uma totalidade. O planejamento deve
considerar tanto o sistema como os subsistemas que o compõem, bem como as relações e compromissos internos e
externos;

f) é interativo. Como o planejamento se projeta para o futuro, ele deve ser suficiente e prudentemente flexível para
aceitar ajustamentos e correções. Pressupõe avanços e recuos, alterações e modificações em função de eventos novos,ou
diferentes que ocorram tanto no ambiente interno quanto externo da empresa;

g) é uma técnica de alocação de recursos de forma antecipadamente estudada e


decidida.Deverá refletir a otimização na alocação e dimensionamento dos recursos com os quais a empresa ou o
órgão dela poderá contar no futuro para suas operações;

h) é uma técnica cíclica. A medida que é executado, passa a ser realizado. Conforme vai sendo executado e
realizado, permite condições de avaliação e mensuração para novos planejamentos, com informações e perspectivas mais
seguras e corretas;

i) é função administrativa que interage dinamicamente com as demais. Está intimamente relacionado com as
demais funções administrativas, como a organização, o controle e a avaliação, influenciando e sendo influenciado por
elas, a todo o momento e em todos os níveis da empresa;
j) é uma técnica de coordenação. Permite a coordenação de varias atividades no sentido da realização dos objetivos desejados
e de maneira eficaz;

2
l) é uma técnica de mudança e inovação. O planejamento é uma das melhores maneiras
de se introduzir deliberadamente mudança e inovação dentro de uma empresa, sob uma forma previamente
definida e escolhida e devidamente programada.

NÍVEIS DO PLANEJAMENTO.

Nível Organizacional Tipo de Planejamento Conteúdo Tempo Amplitude


Institucional Estratégico Genérico e abrangente Longo prazo Macroorientado: aborda a
empresa como uma
totalidade.
Intermediário Tático Menos genérico e mais Médio prazo Aborda cada unidade da
detalhado empresa separadamente.
Operacional Operacional Detalhado e específico Curto prazo Microorientado: aborda
apenas cada tarefa ou
operação.

Desta forma, o planejamento estratégico se refere à organização de modo global e é focado no longo prazo. Este tipo de
planejamento tem uma visão forte no ambiente externo, ou seja, em como preparar a organização para os desafios do meio
ambiente (economia, clientes, governos, concorrentes, fornecedores, etc.). Os objetivos neste nível devem ser mais gerais, ou
seja, pouco detalhados.

O Planejamento Estratégico tem como principais fases:


A definição do negócio, missão, visão e valores da organização, o diagnóstico estratégico (composto da análise
interna e externa da organização), a formulação da estratégia, a implantação dela e o controle de todo o processo.
Ou seja, a organização deve primeiro analisar qual sua razão de existir, seus valores e como ela quer impactar a
sociedade (missão, visão, negócio). Após isto, a organização deve decidir aonde quer chegar, ou seja, qual é o
“destino” desejado (visão) e qual é a situação atual (diagnóstico estratégico).
A estratégia então é o “caminho” escolhido para que a organização possa chegar neste “destino desejado” pela visão
estratégica.
De acordo com Matos e Chiavenato, o planejamento estratégico consiste de cinco características principais:
1) O planejamento estratégico está relacionado com a adaptação da organização a um ambiente mutável
2) O planejamento estratégico é orientado para o futuro
3) O planejamento estratégico é compreensivo
4) O planejamento estratégico é um processo de construção de consenso
5) O planejamento estratégico é uma forma de aprendizagem organizacional
No gráfico abaixo podemos ver as principais fases do planejamento estratégico:

3
Ao elaborar um planejamento estratégico devem ser examinadas as principais forças indutoras:
1 Oportunidades e desafios: concorrências – consumidores – tecnologia – fontes de matéria-prima.
2 Problemas e oportunidades: competência dos funcionários, tecnologia das máquinas, dos equipamentos e dos processos,
disponibilidade de capital, entre outros elementos.

O processo de planejamento estratégico consiste em definir objetivos levando em conta os desafios e as oportunidades
internas e externas.
É uma seqüência de análises e decisões a serem tomadas agrupadas em:
1 análise da situação estratégica
2 análise externa (análise das ameaças e oportunidades do ambiente)
3 análise interna (análise dos pontos fortes e fracos dos sistemas internos da organização)
4 definição do plano estratégico: objetivos e estratégias.

(1) ANÁLISE DA SITUAÇÃO ATUAL A análise da situação atual da organização tem importância relevante por permitir o
melhor conhecimento da empresa, seus pontos fortes e seus pontos fracos, de modo a melhor posicioná-la no mercado.
Alguns merecem destaque nesta análise: qual a missão, negócio e visão; exame dos clientes e dos mercados; exame dos
produtos e serviços; identificação das vantagens competitivas com relação à concorrência; e o exame do desempenho obtido.

(2) ANÁLISE DO AMBIENTE É o exame do ambiente externo com a identificação das ameaças e das oportunidades. Pode ser
feita uma (a) análise da concorrência; uma (b) análise do mercado; e uma (c) análise de outros segmentos do mercado que
podem representar alternativas estratégicas para a organização.

(3) DEFINIÇÃO DE OBJETIVOS Objetivos com relação a clientes e mercados, produtos e serviços, vantagens competitivas,
participação de mercado e desempenho.
Exemplos:
a) manter posição de liderança entre as empresas da indústria automobilística (Volkswagen)
b) manter a segunda posição entre as redes de televisão (SBT)
c) recuperar os prejuízos e sobreviver (Varig)
d) crescer (fundos de pensão)
e) entrar em novos mercados (Método Engenharia)
f) Colocar um computador em cada lar (Microsoft)

4) SELEÇÃO DE ESTRATÉGIAS As estratégias empresariais podem ser agrupadas, segundo Michael PORTER em grupos de
estratégias genéricas (MAXIMIANO, 2000: 226):

4. 1 ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO – consiste na busca de identidade própria para o produto ou serviço, tornando
distinto dos produtos ou serviços dos concorrentes. Para que isto ocorra é necessário que sejam enfatizadas vantagens
competitivas relacionadas com qualidade, serviço, prestígio para o consumidor. Adotam esta estratégia: a McDonald’s quando
procura se diferenciar com produtos de qualidade uniforme, rapidez no atendimento, 9 limpeza e higiene nas instalações; a
IBM e Boeing com ênfase na qualidade superior e tecnologia avançada; a Montblanc com diferenciação na exclusividade e
prestígio dos seus clientes; a BIC com ênfase na praticidade.

4. 2 ESTRATÉGIA DE LIDERANÇA DE CUSTO – consiste na busca pela oferta de produtos ou serviços pelo menor valor de
venda ocasionada pela sua obtenção a menor custo. Adotam esta estratégia as empresas fabricantes de computadores, os
fabricantes de relógios e automóveis japoneses.
4.3 ESTRATÉGIA DE FOCO – consiste na busca de um nicho de mercado pouco explorado para dominá-lo de forma
exclusiva, evitando enfrentar acirrada concorrência. Adotam esta estratégia todas as empresas que procuram atender clientes

4
especiais como produtos naturais, administradores de condomínios, fabricantes de roupas de tamanho grande, clientes da
terceira idade.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
 Visão Macro
 Objetivos Organizacionais
 Futuro
 Longo Prazo
 Atingi toda Organização
 Verifica Ambiente Interno e Externo – SWOT

DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO - ANÁLISE SWOT.

Dentre as fases do planejamento, uma das mais importantes é a fase do diagnóstico estratégico. Nesta fase, analisa-se o
ambiente externo e interno da empresa para que o gestor saiba qual a real situação em que se encontra a organização e
possa definir quais tipos de estratégia são mais adequados no momento.
Uma das ferramentas mais utilizadas é a análise SWOT (Abreviação dos termos em Inglês: Strengths = forças; Weakness =
fraquezas; Opportunities = oportunidades; Threats = ameaças).
Portanto, é uma análise das forças e fraquezas da organização (ambiente interno) e das ameaças e oportunidades que
ela pode ter de enfrentar (ambiente externo).
A principal diferença entre o ambiente interno e externo é que no primeiro caso (ambiente interno) as variáveis são
controláveis, e no segundo caso (ambiente externo), não!
Pontos fracos são fatores internos que, de alguma forma, deixam a empresa em desvantagem em relação aos seus
concorrentes..
Já os pontos fortes são o contrário, ou seja, fatores internos que deixam a empresa em vantagem perante seus pares!
Já as ameaças e oportunidades são variáveis externas e, a princípio, não-controláveis!
Portanto, as ameaças são fatores externos (um novo concorrente no mercado, um aumento nos impostos, uma aumento no
câmbio, etc.) que podem prejudicar a empresa e as oportunidades
são fatores externos que podem beneficiar a empresa (crescimento econômico do país, a quebra de uma empresa rival,
etc.).

MISSÃO E VISÃO E VALORES.

A missão e a visão de uma organização são muito importantes em um processo de planejamento estratégico, pois dão um
“norte” para todos os atores envolvidos neste processo.
A missão de uma organização é a razão de existir desta. É o motivo pelo qual ela foi criada, o que ela veio contribuir ou
resolver na sociedade.
5
Por exemplo, uma universidade deve fazer o quê? Gerar conhecimento, não é mesmo? Portanto, uma missão de uma
universidade poderia ser algo assim:
“Gerar conhecimento e contribuir para o desenvolvimento sociocultural da comunidade, gerando oportunidades e valorizando
seus colaboradores.”
Desta forma, a missão serve para deixar claro qual é a função maior daquela organização, para definir quais serão as
necessidades que devem ser atendidas e para buscar o comprometimento dos colaboradores.

MAPAS ESTRATÉGICOS: permitem que as organizações descrevam e ilustrem de forma nítida e detalhada todos os seus
objetivos, iniciativas, mercados-alvo, indicadores de desempenho e as ligações entre todos os elementos de sua estratégia.
Além disso, proporcionam uma visão clara aos colaboradores de como suas funções estão ligadas aos objetivos gerais da
organização, permitindo que trabalhem de forma colaborativa em prol das metas planejadas pela empresa. Em um mapa
estratégico, os indicadores do BSC estabelecem uma relação de causa e efeito entre os vetores e o resultado da estratégia.
Segundo Kaplan e Norton, o mapa estratégico, ajustado à estratégia específica da organização, descreve como os ativos

6
intangíveis impulsionam melhorias de desempenho dos processo internos da organização, que exercem o máximo de
alavancagem no fornecimento de valor para os clientes, os acionistas e as comunidades.

PLANEJAMENTO OPERACIONAL
PLANEJAMENTO TÁTICO OU FUNCIONAL  Rotina
 Planejamento por Departamentos  O que fazer e como fazer
 Otimizar determinada área  Procedimentos = Manuais de Procedimentos
operacionais/Formulários
 Base para o planejamento operacional
 Orçamentos= Dinheiro
 Representado pelos Planos
 Cronograma=Tempo
 No nível tático temos a coordenação das áreas de
 Regulamentos=Comportamento
Marketing, Finanças, Produção, RH...
7
• Definir critérios e procedimentos que possibilitem a
O QUE É UM MANUAL? execução uniforme dos serviços;
Manuais são documentos elaborados dentro de uma • Coordenar as atividades dos departamentos, permitindo a
empresa com a finalidade de uniformizar os consecução racional dos propósitos da empresa.
procedimentos que devem ser observados nas diversas
áreas de atividade, sendo, portanto, um ótimo Conteúdo
Os elementos principais que fazem parte do Manual de
instrumento de racionalização de métodos, de
Normas e Procedimentos são:
aperfeiçoamento de sistema de comunicações,
• Normas: documentos que contêm orientações e instruções
favorecendo a integração dos diversos subsistemas necessárias ao
organizacionais, quando elaborados cuidadosamente desenvolvimento de determinadas atividade que são de
com base na realidade da cultura organizacional. interesse e aplicação por todas as unidades administrativas
Os manuais são instrumentos de gerência, de relativa da empresa.
duração, reunidos dentro de uma capa característica, de • Procedimentos: é o detalhamento da operacionalização
fácil identificação, classificados, providos de índices das atividades que compõem um sistema.
organizados a fim de tornar máximo seu valor como obra de
• Formulários: é a indicação dos impressos que circulam no
referência. A relativa duração dos documentos inseridos
processo administrativo, bem como da forma de
nos manuais não os torna eternos – muito pelo contrário –
devendo, portanto, ser encarados como um instrumento manipulação;
executivo-normativo, cuja utilidade para a organização está • Fluxogramas: é a indicação dos gráficos representativos
na razão direta de sua flexibilidade e rapidez em se adaptar dos diversos procedimentos descritos;
às mudanças processadas em quaisquer das matérias que • Anexos (tabelas, documentos, reproduções de textos,
os integram. legislação, ou qualquer outra informação referente ao
Normalmente um manual é constituído de diversos tomos, assunto específico).
segundo os subsistemas integrantes da empresa. Estes
tomos compõem-se de normas, instruções, rotinas e outros MANUAL DE INSTRUÇÕES ESPECIALIZADAS
instrumentos complementares como quadros, tabelas, É aquele que agrupa instruções de aplicação específica a
fluxogramas, catálogos, listas etc. determinado tipo de atividade ou
tarefa.
VANTAGENS DO USO DE MANUAIS ADMINISTRATIVOS Tem como finalidade possibilitar maior e melhor
- importante e constante fonte de informações sobre os treinamento e capacitação a determinado grupo de
trabalhos na empresa; funcionários no desenvolvimento das atividades.
- facilitam o processo de efetivar normas, procedimentos e Ex.: Manual do Vendedor, Manual da Secretária, Manual de
funções administrativas;
Operações , etc.
- possibilitam treinamento aos novos e antigos funcionários
da empresa;
MANUAL DE INTEGRAÇÃO
- são um instrumento efetivo de consulta, orientação e
treinamento na empresa; É aquele que agrupa informações sobre a empresa, que
- representam uma restrição para a improvisação propiciam ao novo funcionário um rápido entendimento da
inadequada que aparece na empresa nas mais variadas organização, explicitam os deveres e direitos e facilitam seu
formas; posterior treinamento.
- ajudam a fixar critérios e padrões, além de uniformizarem
a terminologia técnica básica do processo administrativo; Conteúdo Usual
- representam um legado histórico da evolução • Atividades desenvolvidas pela empresa:
administrativa da empresa; e • Breve resumo histórico
- aumentam a predisposição do pessoal para assumir • Explicação sobre o sistema de autoridade:
responsabilidades, visto que aquilo que deverá ser feito
está claramente estabelecido por escrito. • Direitos e obrigações dos funcionários:
• Normas de comportamento básico e de cumprimento
MANUAL DE ORGANIZAÇÃO obrigatório para todo o pessoal:
Tem por objetivo enfatizar e caracterizar os aspectos • Serviços que a empresa presta aos funcionários:
formais das relações entre os diferentes departamentos (ou • Regimes de incentivo e de sanção e outros.
unidades organizacionais) da empresa, bem como ESTRUTURA DE UM MANUAL
estabelecer os deveres e responsabilidades relacionados a Normalmente um manual pode conter as seguintes partes
cada um dos cargos de chefia ou assessoria da empresa. básicas:
Finalidades • apresentação
• identificar de maneira formal e clara como a empresa está • índice numérico ou sumário
organizada; • instruções de uso
• estabelecer os níveis de autoridade e as • conteúdo básico
responsabilidades inerentes a cada unidade organizacional • glossário ( dicionário de termos técnicos)
da empresa. • bibliografia

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS O QUE É UM FORMULÁRIO?


(operacionais)
FORMULÁRIO é o instrumento de base que recebe uma
Tem como objetivo descrever e detalhar o desenvolvimento informação, seja ela constante e/ou variável, para seu
ou a operacionalização das atividades que compõem os armazenamento, recuperação, leitura e interpretação por
diversos sistemas funcionais da empresa. qualquer meio ou forma, considerando uma série de regras
preestabelecidas tanto para sua estrutura, forma, conteúdo
Finalidades ou apresentação, sejam elas rígidas ou flexíveis.

8
OBJETIVO  As habilidades pessoais do chefe em lidar com os
subordinados;
 Serve para uniformizar procedimentos de registro e  O nível de capacitação profissional do chefe;
manutenção de informações.  O nível de mutação da empresa perante o
 Oficializar e legalizar os atos, fatos e procedimentos ambiente O nível de estabilidade interna da empresa;
empresariais.  A habilidade dos subordinados em se relacionar
 Reduzir o custo e o esforço de produção associado ao com as pessoas;
fluxo de informações.  O nível de capacitação profissional dos
 Facilitar a execução de controles sobre as operações subordinados;
das áreas e da empresa como um todo.
 O grau de delegação de autoridade existente;
 Definir quais as informações devem ou não ser
registradas, quais informações devem ou não ser  O grau de utilização de assessores;
armazenadas.  O nível de motivação existente;
 Minimizar o nível de repetição das informações.  O nível do tipo de liderança existente;
 Sintetização ou consolidação das informações  O grau de interdependência das unidades

disponíveis. organizacionais;
 Estabelecer padrões para o relacionamento entre os  O nível e o tipo de controle exercido;
dados existentes e as formas alternativas de proporcionar  O nível e o tipo de coordenação exercida;
um fluxo de informações racional, adequado e dinâmico.  A existência das restrições pessoais à amplitude
 facilitar o processamento eletrônico de dados. de controle;
 O nível de clareza, comunicação e aceitação dos
OUTRA CLASSIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES objetivos; e ;
 O nível de definição, simplicidade e repetitividade
Modelo Mecanicista: Hierarquizadas; Burocráticas; das atividades dos subordinados.
Especializadas; Adequadas a condições ambientais
estáveis; A medida que uma pessoa sobre numa estrutura
Modelo Orgânico: Flexíveis; Redefinição contínua de organizacional, sua amplitude de controle torna-se
tarefas; Organogramas de pouca utilidade; Adequadas a menor. No mesmo nível hierárquico, haverá
ambientes instáveis. considerável variação na amplitude de controle, pois
existe relação entre amplitude de controle e níveis
DIREÇÃO hierárquicos, quanto maior o número de subordinados
por chefe, menor será o número de níveis hierárquicos
 Execução e vice-versa.
 Alcance de objetivos
 Analisar o planejamento CONTROLE
 Toma decisão
 Comunicação  Assegurar que resultados foram atingidos
 Ordens (Delegação)  Planejamento x Execução
 Descentralização (Poder de Decisão)  Estabelece um Padrão
 Dirigir é a capacidade de liderar e motivar os  Observação
colaboradores.  Comparação entre o Planejado x Executado
 Exercer a Liderança  Correção
 Faz um feedback ao introduzir correções no
LIDERANÇA – Capacidade de influenciar pessoas para sistema.
atingir objetivos;  O bom controlador é competente e imparcial
 LIDER – Capacidade de conduzir pessoas; SÃO CARACTERÍSTICAS DO CONTROLE
Características do Lider: Criatividade, Coragem, não é ADMINISTRATIVO:
Orgulhoso, Comunicabilidade e Competência.  Maleabilidade: possibilitar a introdução de
 CHEFIA – Capacidade de gerenciar pessoas;
mudanças decorrentes de alterações nos planos e
nas ordens.
TIPOS DE DECISÕES:
 Instantaneidade: acusar o mais depressa possível
 Decisões Programadas: são as decisões rotineiras,
as faltas e os erros verificados.
que envolvem problemas estruturados e que não envolvem
 Correção: permitir a reparação das faltas e dos
critérios complexos de decisão.
erros, evitando-se sua repetição.
 Decisões não programadas: Analise de dados de para
QUANTO AOS TIPOS, VAMOS MENCIONAR O
problemas novos.
CONTROLE:
 Preliminar: é exercido antes da execução de uma
AMPLITUDE DE CONTROLE DA DIREÇÃO
função.
 Concomitante: é aquele que se estabelece ao
Conceito: Também denominada amplitude
mesmo tempo em que as ações vão se
administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-
desenvolvendo.
se ao número de subordinados que um chefe pode
 Pós-Controle: é exercido após a execução de
supervisionar pessoalmente, de maneira efetiva e
uma função.
adequada.
O QUE É ADMINISTRAÇÃO E ORGANIZAÇÃO?
Alguns fatores que influenciam a amplitude de controle
nas empresas:
AS TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO
 Os deveres pessoais do chefe;
9
conhecido como fluxograma.
Podemos dividir a história da administração em três etapas.
A PRIMEIRA é a FASE TEOCRÁTICA onde os Assim, essa é a ferramenta utilizada para efetuar o
administradores diziam-se profetas e administravam em mapeamento e a modelagem dos processos. Desta
nome e como mandatários de Deus. forma, ele é utilizado para descrever, de modo gráfico,
A SEGUNDA é a FASE EMPÍRICO-PRÁTICA na qual os um processo através do uso de símbolos e linhas.
administradores agiam de acordo com suas
experiências. Procuravam repetir os atos e fatos que Dessa maneira, com ele fica mais fácil visualizar e
davam resultados positivos e rejeitavam os que davam conhecer melhor um processo, de forma que
resultados negativos. possamos propor melhorias e mudanças. O objetivo,
A TERCEIRA é a FASE CIENTÍFICA na qual passou-se a portanto, da utilização dessa ferramenta é simplificar o
estudar a relação de causa e efeito e conhecendo, até com trabalho de mapeamento e facilitar o entendimento de como
antecedência, quais seriam os resultados que estavam os processos de trabalho funcionam.
diretamente relacionados com a aplicação dos princípios.
Isso deu a eles a possibilidade de intervir no processo - NATUREZA DAS ORGANIZAÇÕES
administrativo a fim de corrigi-lo. Até o início da
Revolução Industrial não havia um modelo de
administração e os que existiam eram baseados nos  Natureza Econômica: são as organizações que têm
modelos administrativos da igreja e da organização militar. caráter específico de empresa e buscam finalidade
A Revolução Industrial cria a necessidade de um novo lucrativa. Elas assumem riscos, e são dirigidas por uma
modelo de administração, que foi a administração filosofia de negócio.
industrial, esta, sem dúvida, vital para o desenvolvimento  Natureza Social: são as organizações voltadas às
das organizações estabelecendo, definitivamente, o cenário ações comuns ou de utilidade pública. Fundamentam-se na
para o desenvolvimento da ciência da administração. aceitação dos valores e das normas sociais, sem finalidade
Concluindo, podemos dizer que a administração lucrativa.
nasceu lá na pré-história, mas passou a ser estuda
como ciência a partir da Revolução Industrial. - FINALIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

A Administração é o processo de conjugar recursos Coelho afirma que o motivo da existência das
humanos e materiais de forma a atingir fins desejados, organizações é a necessidade que a sociedade possui
através de uma organização. É um processo de tomar
em relação a bens e serviços. As organizações são
decisões sobre objetivos e recursos.
responsável pela produção destes bens e serviços,
através da transformação ou combinação dos recursos
(pessoas, informação, capital, materiais, tecnologia,
etc). Assim, as organizações existem para atender às
necessidades e desejos da sociedade e do mercado.
- Evolução das Organizações

Segundo Cury no decorrer do século XX as


organizações evoluíram, sofreram mudanças e passaram
por três modelos distintos de administração:
. Uma organização é um sistema de recursos que
1. O modelo tradicional onde havia predominância da
procura realizar algum objetivo (ou conjunto de
abordagem mecanicista, sendo proeminente as
objetivos), segundo Fayol.
contribuições de Adam Smith, Taylor e Fayol. Era voltado
ORGANIZAÇÃO:
para a análise das atividade da empresa, apresentava
um caráter autoritário, hierárquico, vertical e
 Divisão do Trabalho (departamentalização);
burocrático, baseado em normas, padrões, divisão do
 Alocar recursos; trabalho, semelhante aos do modelos autoritário
 Contratar pessoas; coercitivo e autoritário benevolente de Likert. A tomada
 Distribuir responsabilidades; de decisão é centralizada na figura do chefe.
 Mostrar a cadeia de comando;
 Forma de comunicação; 2. O modelo moderno que se prolongou do início da
 Mostrar que pode tomar as decisões. década de 20 até os primeiros anos da de 40.
 Mostra a amplitude da organização; A organização é tratada como um sistema aberto,
 Mostra a estrutura formal; cooperativo, onde é constatada a organização informal.
 É composta por um conjunto de pessoas ou grupos; Há influência dos fatores motivadores estudados por
 Possui objetivos próprios; Maslow e Herzberg, aproxima-se do perfil dos sistemas
 Representa interesses comuns; consultivo e participativo de Likert. Existe interação com o
 Estrutura que pode ser modificada ao longo do ambiente, o feedback externo é fundamental para o
tempo; ciclo vital da empresa. A tomada de decisão é por meio do
 Responsável por melhor dispor ou ordenar os processo decisório, com base na situação, para ultimar
recursos disponíveis em uma estrutura o processo administrativo.

ORGANOGRAMA É DIFERENTE DE FLUXOGRAMA 3. O modelo contemporâneo que surge pela


necessidade das organizações se adaptarem as
O Fluxograma Consiste de um conjunto de notações mudanças que ocorriam no mundo, consequência de
gráficas, ou seja, um conjunto de símbolos fatores como a globalização, o avanço tecnológico, e o
padronizados que servem para que possamos acirramento da concorrência que levou as empresas a
descrever e redesenhar um processo. Esse diagrama firmarem parcerias com seus fornecedores, motivarem
que nos permite visualizar um processo também é
10
os funcionários, para poder alcançar a excelência
empresarial. A organização passa a dar ênfase no cliente
e no não-cliente, que a empresa passa a buscar, também
passa a ter confiança no empregado, que é incluso
efetivamente no processo administrativo. A organização
tem uma visão holística por fazer parte de um mundo
globalmente interligado, tem como características a
gerência participativa e organização horizontal. Quanto ao
processo de decisão é um sistema grupal, compartilhado,
fazendo uso de sistemas de informações que atinjam todos
os níveis hierárquicos sem restrições.

Classificação das Organizações quanto ao objetivo:

Pública – Tem por finalidade o interesse público na


prestação de serviços ao coletivo, sem finalidade de lucro.

Privada – Foco é a prestação de bens e serviços com


objetivo de lucros;

Terceiro setor – Entidades privadas que fornecem bens e A representação gráfica da Estrutura Organizacional =
serviços a sociedade, mas sem fins lucrativos. ORGANOGRAMA.

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ORGANIZAÇÕES • Gráfico que representa a estrutura formal da


organização num determinado momento
As principais características de uma ORGANIZAÇÃO • Deve ser usado como instrumento de trabalho
FORMAL são, conforme teoria clássica de FAYOL. • Requisitos:
 Divisão do Trabalho – maneira pela qual um – Fácil leitura
processo complexo pode ser decomposto em uma – Permitir boa interpretação dos componentes da
série de pequenas tarefas. organização
 Especialização – a concentração de esforços em – Fazer parte de um processo organizacional de
campos limitados permite incrementar a representação estrutural
quantidade e qualidade da produção. – Ser flexível
 Hierarquia – é a divisão da organização em níveis • Demonstrar a divisão do trabalho
de autoridade (linhas de comando) – Dividindo a organização em frações organizacionais
 Autoridade – é o direito de dar ordens e fazê-las (partes
menores)
serem obedecidas.
• Destacar a relação superior-subordinado e a
 Responsabilidade – é a obrigação de fazer e
delegação de autoridade e responsabilidade
prestar contas do que foi feito. • Evidenciar o trabalho desenvolvido em cada unidade,
 Racionalismo – os membros da organização detalhando:
devem se comportar de acordo com as normas – O tipo de trabalho desenvolvido
prescritas. – Os cargos existentes
 Comunicação formal e informal: é a forma de – Os nomes dos titulares
comunicação na cadeia de comando. – Quantidade de pessoas por unidade
– A relação funcional além da relação hierárquica
ORGANIZAÇÃO INFORMAL • Facilitar a análise organizacional
É a relação diária entre os indivíduos, de forma
 Cada função pode ser representada por um
não-planejada, a partir das relações humanas. Assim,
retângulo:
nem sempre o gerente que tem autoridade formal
– Os retângulos devem conter os títulos dos cargos
conseguirá atuar como exercem formalmente nenhum
cargo de chefia. Esse é um fenômeno que as – Se há necessidade do nome do ocupante, este deve
organizações devem levar em conta, no que diz respeito à aparecer fora do retângulo (ou dentro com letra de tipo
influência das relações humanas sobre o desempenho diferente)
global da organização.

11
 Canal de Comunicação;
 Unidade de Comando
 Autoridade e Hierarquia;
 Centralização das decisões.
 Mais antiga, tem um aspecto piramidal.
 Princípio da unidade de comando.
 Linhas formais de comunicação.

FUNCIONAL

TÉCNICA UTILIZADA PARA REPRESENTAR A MAIORIA


DAS ORGANIZAÇÕES
• No alto da folha, deve constar o nome da organização
• Linhas:
– A linha cheia é de autoridade (vertical) e de coordenação
(horizontal) Ligado por funcões;
– A linha tracejada ou pontilhada deve ter seu significado na Um setor/Departamento pode está ligando a várias
funções;
legenda
• Deve ser feito por grupamento de unidades LINHA – STAFF
– Das unidades maior hierarquia (direção) às de menor
hierarquia (operacionais)
– Unidades de mesmo nível devem estar na mesma linha
horizontal
• Em unidades do mesmo grupo, deve ser obedecida a
ordem alfabética
• Autoridade funcional é a autoridade sobre uma função

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL VERTICAL: a. Vertical,


segundo os níveis de autoridade e responsabilidade
(como na escala hierárquica de Fayol ou no princípio
escalar de Mooney), definindo os escalões da organização
que detêm diferentes níveis de autoridade. A autoridade
ESTRUTURA ORGANIZACIONAL HORIZONTAL: b.
aumenta na medida em que se sobe na hierarquia da
Horizontal, segundo os diferentes tipos de atividades da
organização. A hierarquia define a graduação das organização, isto é, com base na especialização do
responsabilidades conforme os graus de autoridade. Em trabalho. No mesmo nível hierárquico cada departamento
toda organização há uma escala hierárquica de autoridade ou seção passa a ser responsável por uma atividade
específica e própria, SENDO O CRITÉRIO BASE PARA O
(princípio escalar ou cadeia escalar). Daí a denominação
PROCESSO DE DEPARTAMENTALIZAÇÃO.
autoridade de linha para significar a autoridade de Para suprir às exigências internas e externas, cada
comando de um superior sobre um subordinado. organização desenvolve um tipo de desenho
LINHA departamental. O desenho departamental constitui uma
característica fundamental da estrutura de uma
organização, partindo do principio da divisão do
trabalho, na especialização horizontal, que consiste em
escolher modalidades para obter homogeneidade nas
tarefas e atividades em cada órgão, agrupando os
componentes da organização em unidades organizacionais
como departamentos, divisões ou equipes.
FUNCIONAL
 Atividades (Especialidades)
 Estabilidade e poucas mudanças

12
 Tarefas repetitivas e especializadas  Ficam atentas as mudanças no consumo
 Difícil adaptação em ambientes que exigem 
mudanças Diretoria
 Tende a ser mais burocratizada Comercial
 Orienta as pessoas para uma específica
atividade, concentrando sua capacidade de Departamento Departamento Departamento
Feminino Infantil Masculino
maneira eficaz,
 Mantém a estabilidade e as definições precisas
das tarefas. PROCESSO
 Dificulta a adaptação e flexibilidade a  Foca as ETAPAS de produção
mudanças externas  Visa à eficiência em cada etapa de produção
 A concentração de pessoas com a mesma  Sofre grande influência da tecnologia
competência técnica em unidades especializadas  Cada departamento representa uma etapa de
de trabalho, sendo uma organização por produção
competência de especialização.
Biblioteca
Diretoria
Geral
Aquisição Catalogação Classificação Acervo

Gerência de Gerência Gerência de Gerência


Produção Financeira Marketing de RH REDES
 Conectado pela internet
 Forma de estrela
PRODUTO OU SERVIÇOS
 Permite utilizar recursos em qq lugar
 Focada no Produto
 Flexível
 Tem Departamento específico por produto
 Independente
 Observa-se em empresa que produzem em
 Motivação
larga escala
 Eficiência
 Adapta-se em ambientes instáveis e mutáveis
 Foca o coletivo
 É possível mudanças nas equipes dos
 O Poder de comando é diluído
produtos sem mudanças na estrutura
 Não depende de proximação física, com
organizacional transposição de fronteiras
 É mais fácil de introduzir mudanças nos
produtos
 Orçamento próprio para os produtos
 Permite flexibilidade, pois as unidades de
produção podem ser maiores ou menores,
conforme as condições mudem.
 As tomadas de decisões são mais
independentes e pode-se responder melhor aos
requisitos e necessidades do cliente em
relação ao produto ofertado
PROJETOS
Diretoria  Tem início e fim
Geral  Adaptada a ambientes mutáveis e instáveis
 Usa muito a tecnologia
 Bastante usada para cumprimento de prazos
Gerência da Gerência da Gerência da  Aproveita muito o seu corpo técnico
Divisão Têxtil Divisão Farmacêutica Divisão Química

Diretoria
LOCALIZAÇÃO OU REGIÕES

Administração e Comercial Projetos


 Foco na Região
Finanças
 Empresas que estão espalhadas em grandes
áreas geográficas
 Organiza-se conforme as regiões Projeto A Projeto B
MATRICIAL
Departamento  Duas bases de departamentalização (Funcional
de Tráfego Aéreo e Projetos)
 Não tem forma piramidal
Região Região Região
 Duplicidade de comandos
Norte Centro Sul  Depende de muita colaboração das pessoas
das equipes
CLIENTES
 Foco é o cliente
 Tem ênfase no Consumidor

13
CENTRALIZAÇÃO A) um conjunto de encargos funcionais a cujas prescrições
 Concentração e normas de comportamento todos os seus membros se
 Poder de decisão Centralizado devem sujeitar.
 Fayol B) um processo complexo mais geral decomposto em
 Foco nas Decisões mais globais atividades de menor complexidade.
 Em regra, quem toma decisão é o mais qualificado C) a simplificação das tarefas, atribuindo a cada posto de
 Pode causar distorções nas decisões trabalho tarefas simples e repetitivas.
D) a divisão da organização em níveis de autoridade, tendo
 Gera uma maior uniformidade nas decisões
as unidades administrativas superiores autoridade sobre as
inferiores.
DESCENTRALIZAÇÃO
 Desconcentração de decisões e atividades 03 COMPERVE Ao conduzir o governo em suas três
 Tendência atual esferas, a administração pública desempenha uma
 Aumenta a eficiência e a motivação função do processo administrativo. Nessa função, são
 Ganho de tempo registradas também as linhas de base das metas de
 Pode gerar uma falta de uniformidade nas gestão, cujos objetivos são acompanhados por meio de
decisões indicadores de resultado. A função do processo
 Decisões mais próximas da realidade administrativo na qual esse registro ocorre denomina-
se
DELEGAÇÃO A) planejamento. B) decisão. C) direção. D) controle.
 Delegação de poderes e autoridade
 Flexibilidade de atendimento 04 COMPERVE O gestor que traça os objetivos mais
amplos da organização e provê os recursos
 Empoderamento
necessários para que os demais setores possam
 Organização formal
cumprir com eficiência e eficácia suas atribuições está
situado no nível
QUESTÕES A) operacional. B) tático. C) estratégico. D) técnico.

01 COMPERVE - Uma entidade da administração 05 COMPERVE As atividades de uma organização


pública direta pode realizar a distribuição de podem ser divididas em função de vários critérios de
competências e de serviços entre as unidades da departamentalização. Dependendo do tipo de
mesma pessoa jurídica. Esse processo é denominado organização, critérios diferentes podem ser utilizados,
A) descentralização. como a departamentalização funcional, que consiste no
B) desconcentração. agrupamento de atividades em unidades independentes
C) desdobramento. A) com base em problemas ou em questões relativas a
D) departamentalização. produtos.
B) com base no tipo de atribuições desempenhadas.
02 COMPERVE - Uma das características básicas de C) em torno de categorias de clientes ou de usuários
uma organização formal é a hierarquia, que significa comuns.
D) em torno de um processo e suas várias etapas.
06 COMPERVE Alocar recursos financeiros e contratar D) descrever, detalhadamente, os processos de trabalho,
pessoas para os projetos criados por um departamento as rotinas, os equipamentos e a documentação utilizada na
de uma universidade pública são exemplos de realização de uma determinada atividade.
A) controle. B) liderança. C) organização. D) projeção. 12 COMPERVE Ao retroalimentar um processo de
07 COMPERVE O organograma é o gráfico que representa administração com informações referentes a valores
a estrutura formal de uma organização. Para sua observados nos relatórios de gestão, especialmente em
elaboração, alguns cuidados são essenciais. Em relação a relação aos objetivos delineados e suas respectivas metas,
esses cuidados, analise as afirmações a seguir. a função administrativa desempenhada pelo responsável da
I Os órgãos devem ser representados por retângulos, sendo unidade é:
o de maior dimensão representado pelo órgão máximo. A) liderança. B) direção. C) controle. D) projeção.
II As linhas verticais e horizontais representam as vias de
comunicação formal. 13 COMPERVE Uma organização é definida por Bernardes
III Recomenda-se o uso de abreviações, na identificação e Marcondes (1999, p.14) como “uma unidade social
das unidades administrativas, para facilitar a visualização. artificialmente criada e estruturada, continuamente alterada
IV As linhas funcionais entre as unidades devem ser feitas para se manter no tempo, e com a função de atingir
utilizando-se as linhas interrompidas tracejadas, no sentido resultados específicos que são a satisfação das
horizontal ou vertical. necessidades de clientes existentes na sociedade e,
Os cuidados que se deve ter na elaboração desse também, a de seus participantes.” Considerando essa
organograma estão presentes nos itens definição, leia as características presentes nos itens a
A) I, III e IV. B) I e II apenas. C) II e III apenas. D) I, II e IV. seguir.

08 COMPERVE Na representação de um fluxograma I É composta por um conjunto de pessoas ou grupos.


analítico, são utilizados vários símbolos, sendo um deles o II Possui objetivos próprios.
retângulo, que é usado para representar III Representa interesses comuns.
A) um documento que é gerado na rotina de trabalho. IV Estrutura permanente ao longo do tempo.
B) uma ação desenvolvida dentro de uma rotina de
trabalho. São características de uma organização as que estão
C) o encerramento da tramitação de um documento na A) nos itens I, II e III. B) nos itens II, III e IV.
rotina. C) apenas nos itens I e III. D) apenas nos itens II e IV.
D) a remessa de um documento ou de informação de um
setor para outro. 14 COMPERVE Uma organização pode ser classificada
como pública, privada ou do terceiro setor. Diferentemente
09 COMPERVE Na gestão, uma das ferramentas utilizadas das demais, a organização privada
é o cronograma. Este é entendido como uma representação A) promove a geração de emprego e renda para a
gráfica comunidade.
A) do tempo investido em uma determinada tarefa ou B) possui fins lucrativos que podem ser distribuídos entre os
projeto, ajudando a controlar e a visualizar o progresso do sócios.
trabalho. C) contribui com a preservação do meio ambiente.
B) do movimento e da operação de pessoas, documentos, D) atende a interesses político-partidários.
informações ou materiais entre as diversas unidades da
organização. 15 COMPERVE A departamentalização de uma
C) do arranjo físico de móveis, máquinas, ferramentas e organização pode ser observada a partir de tipos de
equipamentos de um determinado local de trabalho. estrutura organizacional que possuem características
D) de informações a qual auxilia na identificação de distintas. A estrutura matricial
possíveis causas de um determinado problema (efeito). A) está fortemente sustentada na responsabilidade
compartilhada, exigindo nível de confiança mútuo e
10 COMPERVE A liderança baseia-se na capacidade de dinamismo.
uma pessoa influenciar outras para agir de forma a atingir B) permite a organização das divisões, de acordo com cada
metas pessoais e organizacionais, para que haja um bom produto ou serviço.
desempenho em determinada função administrativa. Essa C) apresenta todas as atividades agrupadas por função
função é denominada de comum.
A) acompanhamento. D) consiste no agrupamento de atividades de acordo com
B) organização. os lugares onde estão localizadas as operações.
C) planejamento.
D) direção. 16 COMPERVE O processo organizacional de determinar o
agrupamento das atividades denomina -se
11 COMPERVE Os Manuais são instrumentos de A) descentralização
documentação das políticas, das diretrizes, das instruções B) departamentalização.
de trabalho e de outras informações que garantem a
C) centralização.
memória administrativa da organização. Um desses
D) organização.
manuais é o Manual Operacional, que objetiva
A) reunir informações de cunho estrutural, tecnológico,
estratégico e comportamental das várias áreas da 17 COMPERVE Na administração de uma organização,
instituição. existem três níveis: o estratégico, o tático e o operacional.
B) divulgar as políticas e as diretrizes aprovadas pelos Analise as afirmações a seguir , relativas a esses níveis.
órgãos superiores que dizem respeito, especificamente, à I Tem como competência básica traduzir as incertezas de
função da organização. um mercado altamente dinâmico, visando ao
C) orientar a ação dos executivos na direção,
estabelecimento de objetivos.
estabelecendo a forma de atuação da empresa, dentro e
fora de seus limites.

15
II Por meio das atividades de planejamento, organização e A) é responsável pela implementação de tarefas
controle, de forma coordenada, objetiva-se atingir os macro- administrativas.
objetivos da organização. B) é responsável pelo estabelecimento de objetivos e
III Por meio de planos e projetos específicos para cada estratégias da organização.
área, as estratégias são detalhadas em ações para C) realiza planejamento, organização, direção e controle
execução no nível mais inferior. das atividades rotineiras.
IV As decisões estão ligadas ao controle e às atividades D) realiza a supervisão das pessoas na execução das
mais básicas da organização, vinculadas à execução dos tarefas.
projetos.
As afirmações relacionadas ao nível estratégico estão 23 COMPERVE No processo de estruturação, algumas
presentes nos itens organizações necessitam de um critério mais adaptativo,
A) I e IV. B) III e IV. C) I e II d) II e III. que possa aproveitar melhor os recursos tecnológicos
disponíveis e o pessoal qualificado presente no seu corpo
18 COMPERVE Considerando a abordagem clássica da técnico.
Administração, as quatro funções administrativas Essas organizações caracterizam-se por utilizarem a
desempenhadas pelos administradores são: departamentalização por
A) planejamento, organização, direção e controle. A) processos.
B) planejamento, orçamento, liderança e acompanhamento. B) projetos.
C) plano de negócio, organograma, fluxograma e C) produtos.
D) funções.
orçamento.
D) plano de negócio, organização, direção e orçamento.
24 COMPERVE Organizar é um processo de dispor
qualquer coleção de recursos em uma estrutura,
19 COMPERVE Há um instrumento no qual se estabelecem
classificação ou ordem. A departamentalização é uma das
diretrizes, objetivos e metas da administração pública por
etapas desse processo e tem por objetivo:
um prazo de, pelo menos, quatro anos. Ele também é
A) dividir a carga total de trabalho, em tarefas que possam
utilizado para destacar quais são os investimentos mais
ser realizadas por um grupo de pessoas.
importantes dentro de um projeto de desenvolvimento
B) definir a quem indivíduos ou grupos devem se
nacional, regional ou municipal. Quando o administrador
subordinar, na organização.
elabora esse instrumento, a função administrativa
C) combinar e agrupar as tarefas e as pessoas de maneira
desempenhada por ele é a de
lógica e eficiente , em unidades organizacionais
A) planejamento. B) organização. C) direção. D) controle.
específicas.
D) estabelecer mecanismos para integrar as unidades
20 COMPERVE A determinação dos recursos e das
departamentais em um todo coerente.
atividades necessárias para se atingir em os objetivos de
uma instituição é uma das funções administrativas. Nesse
25 COMPERVE Pode-se encontrar vários tipos de
caso, é necessário designar a responsabilidade de atingir
estruturas organizacionais. Uma delas demonstra,
os objetivos a empregados responsáveis e delegar a esses
claramente, a unidade de comando e o princípio de
indivíduos a autoridade necessária para realizar essas
escalonamento hierárquico. Esse tipo de estrutura é
tarefas. O responsável por essa função administrativa deve
denominado de estrutura
A) realizar auditoria interna com vistas a melhorar os
A) linear.
processos administrativos da unidade de gestão de
B) funcional.
pessoas
C) matricial.
B) contratar pessoas e alocar recursos financeiros para os
D) comissional.
projetos criados durante o planejamento.
C) elaborar um plano de ação para ampliação da central de
26 COMPERVE Nas organizações, encontramos pessoas
atendimento a alunos numa universidade.
que exercem atividades “de linha” e outras que exercem
D) conceder a dispensa de aviso prévio a um funcionário
atividades “de assessoria”. As pessoas que realizam
que pediu demissão para assumir um cargo público em
atividades de assessoria são aquelas que
outra instituição.
A) exercem ações de aconselhamento, análise e estudo
das atividades dos processos da organização.
21 COMPERVE Qualquer administrador deve delinear os
B) têm ação de comando como por exemplo, os gerentes,
meios que lhe deem certeza de que o desempenho
os diretores e os chefes de setores.
planejado será realmente atingido, considerando os
C) executam serviços de apoio como os relacionados à
indicadores atuais, para que, dessa forma, consiga medir o manutenção e conservação do patrimônio.
desempenho alcançado com as decisões tomadas. As D) exercem ações relacionadas aos processos finalísticos
outras três funções da administração não podem estar da organização, ou seja, realizam os objetivos almejados
desvinculadas desta que, se não existisse, tornaria as pela mesma.
outras ineficazes pela falta de acompanhamento. A função
administrativa descrita é 27 COMPERVE Sabe-se que numa organização é
A) controle. B) planejamento. C) organização. D) direção. necessária a existência de uma estrutura na qual esteja
apresentada, de forma clara, a relação entre as pessoas e
22 COMPERVE De acordo com a complexidade das tarefas os grupos. Essa estrutura pode ser representada, de forma
executadas, a administração de uma organização pode ser simplificada, através de um
dividida em três níveis: alta administração, média A) diagrama de processos.
administração e administração operacional. B) fluxograma.
No tocante à alta administração, é correto afirmar que C) organograma.

16
D) diagrama de afinidades. organização.
28 COMPERVE Uma empresa de limpeza urbana Referem-se respectivamente aos planejamentos Tático e
municipal, diante do problema de desenvolver novos Estratégico, o que consta em
projetos para atender às demandas da população por uma A) III e I.
cidade limpa e bonita, contratou um consultor que, após B) I e II.
analisar o processo decisório e o fluxo de informações na C) I e III.
empresa, propôs, para resolver o problema, uma estrutura D) II e III.
organizacional como a esquematizada no organograma ao E) III e II.
lado.
Considerando esse organograma, é correto afirmar que o 32 COMPERVE –Em uma análise do ambiente
consultor propôs uma estrutura: organizacional, a análise SWOT investiga
A) forças do ambiente geral.
B) fraquezas do ambiente interno.
C) ameaças do ambiente interno.
D) oportunidades do ambiente total.

33 COMPERVE O planejamento que inclui atividades que


envolvem a definição da missão da organização, o
estabelecimento de seus objetivos e planos que
possibilitem o sucesso das operações no seu ambiente é o
planejamento
A) operacional.
B) tático.
C) administrativo.
D) estratégico.

34 COMPERVE - Na execução das ações de uma


empresa, o planejamento estratégico tende a ser
responsabilidade dos
A) gerentes administrativos.
B) altos executivos.
C) supervisores masters.
D) diretores de produção.
A) Funcional
B) Geográfica
35 COMPERVE Uma empresa municipal de limpeza
C) Por cliente
D) Matricial urbana realizou uma análise SWOT (pontos fortes,
E) Por produtos/serviços pontos fracos, oportunidades e ameaças), como parte
da construção de seu plano estratégico para os
29 COMPERVE Considerando ainda o organograma acima, próximos cinco anos. Nessa situação, NÃO fez parte do
é correto afirmar que a estrutura recomendada pelo resultado dessa análise a conclusão:
consultor apresenta maior risco de surgimento de conflitos A) A demanda por certos tipos de resíduos sólidos urbanos
em função da com potencial de comercialização constitui uma
A) falta de unidade de comando nos projetos. oportunidade.
B) falta de mobilidade de conhecimento especializado. B) A capacidade técnica e a ética dos seus gestores
C) falta de adequada distribuição geográfica.
constituem um ponto forte.
D) dispersão dos trabalhos das equipes.
C) A interferência política, na execução dos projetos da
E) necessidade de contínuo treinamento das equipes.
empresa, constitui uma ameaça.
30 COMPERVE Com referência ao nível funcional, o D) A falta de um plano de cargos, carreira e salários, na
planejamento estratégico tem como objetivo empresa, constitui um ponto fraco.
A) determinar a missão da empresa, em termos de E) O número insuficiente, na empresa, de agentes de
segmento de mercado. limpeza e a idade avançada de muitos deles constituem
B) definir as unidades de negócios geridas como centros de uma ameaça.
lucro.
C) alocar os recursos segundo a lucratividade das unidades 36 COMPERVE Matriz SW OT é um instrumento de
de negócio. análise que serve de apoio ao Planejamento
D) alinhar as ações das áreas/departamentos com as
Estratégico. Por seu intermédio, pode-se relacionar, de
estratégias de negócios e a missão da organização.
forma sistemática,
E) influir na tomada de decisões de longo prazo que a
empresa deva tomar. A) os processos administrativos e as metas financeiras.
B) as forças e fraquezas, as oportunidades e as ameaças.
31. COMPERVE Considere: C) as restrições dos sistemas produtivos e gerenciais.
I. É o planejamento de curto prazo e refere-se geralmente à D) os fluxos de produtos e serviços, os gargalos e a
operação específica. capacidade.
II. Trata de objetivos globais e definidos no longo prazo. 37 COMPERVE - Quanto à divisão no trabalho, assinale a
III. Traz, geralmente, objetivos divisionais ou alternativa correta.
departamentais relacionados com as áreas da

17
A) a organização se caracteriza por uma divisão do E) downsizing.
trabalho indefinida.
B) na divisão horizontal, a autoridade aumenta na medida 42 COMPERVE O modelo de departamentalização que
em que se sobe na hierarquia da organização. estabelece mais de uma base de departamentalização
C) as organizações com maior divisão do trabalho são como critério para composição das partes da estrutura de
pouco eficientes, se comparadas com outras em que a uma organização, é conhecido por:
divisão do trabalho é menor. A) Departamentalização Regional.
D) a divisão do trabalho conduz à especialização e à B) Departamentalização Matricial.
diferenciação das tarefas, ou seja, à heterogeneidade. C) Departamentalização Clássica.
E) na divisão vertical, cada departamento ou seção passa a D) Departamentalização Funcional.
ser responsável por uma atividade específica, no mesmo
nível hierárquico. 43 COMPERVE O modelo de departamentalização
estabelece como regra de composição das partes da
38 COMPERVE Assinale a alternativa que não apresenta estrutura de uma organização, as necessidades do nicho
característica(s) da estrutura organizacional linear. de mercado, é conhecido por:
A) autoridade funcional dividida; comunicações sem A) Departamentalização Mista.
interferências. B) Departamentalização Processo.
B) centralização das decisões. C) Departamentalização Funcional.
C) mais antiga, tem um aspecto piramidal. D) Departamentalização por Cliente.
D) princípio da unidade de comando.
E) Linhas formais de comunicação. 44 COMPERVE - A estrutura organizacional que adota uma
estratégia de maior segurança na execução de tarefas e
39 COMPERVE - Durante o processo de reorganização do relacionamento entre colegas, busca a especialização de
órgão, os responsáveis propuseram que a recursos em virtude de possuir poucas linhas de produtos
departamentalização levasse em consideração as ou serviços e evita que pessoas recebam atribuições
atividades executadas, de forma que houvesse a criação de temporárias ou técnicas, é identificada como
uma unidade organizacional. Assim, seria possível uma departamentalização
maior especialização nas atividades e um maior controle a A) por projetos
respeito das tarefas executadas. Dessa forma, chegou-se B) geográfica.
aos departamentos de gestão de pessoas, de C) funcional.
administração e de tecnologia da informação. Considerando D) linear.
esse tema e conceitos de departamentalização, é correto E) por processos.
afirmar que o texto apresenta características da
departamentalização 45 COMPERVE - A representação gráfica um grupo
A) por território. de atividades realizadas numa sequência lógica com o
B) por cliente. objetivo de produzir um bem ou serviço que tem valor para
C) matricial. um grupo específico de clientes é denominado
D) mista. A) processo.
E) funcional. B) ciclo pdca.
C) kaizen.
40 COMPERVE Com relação às abordagens para a D) fluxograma.
departamentalização em organizações, assinale a opção
correta. 46 COMPERVE - No processo de estruturação, algumas
organizações necessitam de um critério mais adaptativo,
A) A departamentalização por localização é caracterizada
que possa aproveitar melhor os recursos tecnológicos
pelo parcelamento das operações da organização em
disponíveis e o pessoal qualificado presente no seu corpo
componentes temporais. técnico. Essas organizações caracterizam-se por utilizarem
B) Na departamentalização por processos, observam-se os a departamentalização por
processos desenvolvidos com base nas especialidades A) processos. B) projetos. C) produtos. D) funções.
executadas.
C) Na departamentalização por produto, consideram-se as 47 COMPERVE - Em uma organização, os cargos devem
áreas funcionais da organização. estar dispostos dentro de uma estrutura organizacional. A
D) Na departamentalização funcional, observam-se as ferramenta utilizada para representar graficamente a
estrutura é chamada de
etapas de produção de um produto na organização como
A) quadro de distribuição do trabalho.
base para a definição dos departamentos. B) formulário.
E) Organizações que destinam um departamento para C) organograma.
clientes industriais e outro para clientes varejistas adotam a D) manual de descrição de cargos.
departamentalização por clientes.
48 COMPERVE - O tipo de departamentalização que se
41 COMPERVE O conceito: especialização horizontal na caracteriza por agrupar todas as atividades relacionadas a
organização através da criação de departamentos para um mesmo produto é a departamentalização por
cuidar das atividades organizacionais; é decorrente da A) produto.b) processo. C) função. D) território.
divisão do trabalho e da homogeneização das atividades 49 COMPERVE - O desenho departamental, ou
refere-se a departamentalização, apresenta uma variedade de
A) centralização. atividades(especialidades), dentre eles o
B) descentralização. A) linear. B) staff. C) funcional.
C) departamentalização. D) programático. E) empresarial.
D) reengenharia.

18
50 COMPERVE - De acordo com a Teoria Clássica, a B) 1.
divisão do trabalho processa-se de duas maneiras distintas: C) 2.
vertical e horizontal. A divisão do trabalho no sentido D) 3.
horizontal é denominada E) 4.
A) departamentalização.
B) estrutura organizacional.
54 – COMPERVE - Segundo Fayol, uma das funções
C) padronização.
D) administração científca. administrativas é o controle. Qual das afirmativas a seguir
não corresponde ao controle?
51 COMPERVE- A tendência de grande parte das A) acompanhar o andamento do programa adotado.
organizações é manter estruturas tradicionais ou B) permitir que os colaboradores realizem tarefas a sua
departamentalizadas. Este modelo, chamado de vontade.
departamentalização, pode ser desenhado baseando-se em C) o bom controlador é competente e imparcial.
alguns critérios, como, por exemplo, um departamento D) identificar os procedimentos errôneos para evitar
industrial que reúne subdivisões de etapas de produção reincidências.
de uma Usina de combustível, em departamento usinagem E) Ao controle compete também sancionar
leve, usinagem pesada, montagem, try-out etc. Trata-se de
Departamentalização
55 FGV As afirmativas a seguir estão baseadas em três
A) funcional.
dos cinco componentes da função administração, como
B) por cliente.
preconizadas por Fayol. Analise-as e assinale V para a
C) por processo.
afirmativa verdadeira e F para a falsa.
D) por produto.
( ) Planejamento: avalia o futuro e elabora um plano de
52 COMPERVE Acerca do conceito de hierarquia e ação de curto prazo.
autoridade, assinale a alternativa correta. ( ) Organização: consolida a estrutura de profissionais,
A) na medida em que se sobe na escala hierárquica, o de materiais e de equipamentos para realizar o
volume de autoridade do administrador diminui. empreendimento.
B) a autoridade é um poder formal, ou seja, o direito de dar ( ) Controle: garante que os planos elaborados e as
ordens, de comandar outros; a maneira considerada pelo ordens dadas sejam rigorosamente obedecidos.
possuidor dessa autoridade, como adequada para a
realização dos objetivos da empresa ou do órgão. As afirmativas são, respectivamente,
C) a autoridade flui da base até o topo da organização, A) F, F e F.
sendo que as posições do topo têm mais autoridade do que B) F, V e F.
as posições da base. C) F, V e V.
D) Os administradores têm autoridade de acordo com as D) V, F e V.
competências e habilidades que possuem. Outros E) V, V e V.
administradores nas mesmas posições não têm
necessariamente a mesma autoridade. 56 FGV Os três tipos de planejamento (estratégico, tático e
operacional) têm diferentes amplitudes. De um modo geral,
53- IFRN - O planejamento produz um resultado imediato: os planejamentos podem ser descritos como segue:
o plano. O plano é o produto do planejamento e constitui o I. é macro-orientado, abrange a totalidade da empresa.
evento intermediário entre os processos de elaboração e de II. aborda cada unidade da empresa separadamente.
implementação do planejamento. Todos os planos têm um III. é micro-orientado, abrange apenas as tarefas da
propósito comum: a previsão, a programação e a operação.
coordenação de uma sequência lógica de eventos, os quais
deverão conduzir ao alcance dos objetivos que os Os itens I, II e III referem-se, respectivamente, aos
comandam. planejamentos
O plano é um curso predeterminado de ação sobre um A) estratégico, tático e operacional.
período específico que representa uma resposta a uma
B) tático, operacional e estratégico.
antecipação ao tempo no sentido de alcançar um objetivo
C) operacional, tático e estratégico.
formulado.
D) estratégico, operacional e tático.
CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da
Administração. Rio de Janeiro: Campus, 1999. E) tático, estratégico e operacional.
Com base no texto acima e nos seus conhecimentos acerca
dos planos administrativos, julgue os itens a seguir. 57 IADES O tipo de departamentalização representado
nessa figura é a
I - Regulamentos ou normas são planos relacionados com
métodos.
II - Programas ou programações são planos relacionados
com dinheiro.
III - Orçamentos são planos relacionados com tempo.
IV - Procedimentos são planos relacionados com
comportamentos.

A quantidade de itens certos é igual a


A) 0.
19
palavra. É preciso também compreender o papel que a
administração desempenha para as organizações e para
sociedade" (MAXIMIANO, 2000). Segundo o autor acima
citado, pode-se ter os seguintes conceitos para
administração, EXCETO:
A) Objetivos, decisões e recursos são palavras- chaves na
definição do conceito de administração.
B) Administração é o processo de tomar e colocar em
prática decisões sobre objetivos e utilização de recursos.
C) A administração é processo ou atividade dinâmica que
consiste em tomar decisões sobre objetivos e recursos.
D) O processo de administrar (ou processo administrativo) é
incompatível com qualquer situação em que haja pessoas
utilizando recursos para atingir algum tipo de objetivo.
E) A finalidade última do processo de administrar é garantir
a realização de objetivos por meio da aplicação de
recursos.

61 IBFC Dentre as principais funções do processo de


A) funcional. B) por região geográfica. C) por produto. gestão estão o planejamento, a organização, a direção, a
D) por projeto. E) por mercado. comunicação, o controle e avaliação. Leia as sentenças
abaixo que relatam algumas considerações sobre o tema e
58 IADES Assinale a alternativa que representa assinale a alternativa INCORRETA:
corretamente os tipos de departamentalização. A) O planejamento se baseia exclusivamente nas decisões
A) Por Produto ou Serviço; Geográfica; Por Suprimento; que foram colocadas em prática no passado.
Centralização. B) O processo de organização deve dispor os recursos em
B) Por Cliente; Funcional; Geográfica; Sistêmica. uma estrutura que facilite a realização dos objetivos.
C) Por Produto ou Serviço; Por Processo; Regional; Por C) Direção é o processo de trabalhar com pessoas para
Suprimento. possibilitar a realização de objetivos.
D) Por Cliente; Por Produto ou Serviço; Geográfica; Por D) O processo de controle procura assegurar a realização
Processo. dos objetivos através da comparação do que foi planejado
E) Sistêmica; Centralização; Regional; Por Suprimento. com o que está sendo executado.
E) O processo de comunicação visa a, entre outros pontos,
59 FUNDATEC O conceito básico de organização com a assegurar que as informações essenciais para o fluxo
estrutura representada na figura abaixo é atingir o objetivo produtivo sejam transmitidas e armazenadas correta e
proposto diante do um controle de conflitos entre grupos de fidedignamente.
administradores que têm a responsabilidade específica de
um projeto, produto ou programa e outro grupo de 62 IBFC As sentenças abaixo discorrem sobre
executivos que tê responsabilidade especificamente planejamento. Baseado no tema, analise-as, atribua valores
funcional. verdadeiro ou falso e assinale a alternativa que representa
a seqüência correta de cima para baixo:
( )Planejar é um processo de reflexão e tomada de decisão
sobre o futuro.
( ) Planejar é definir objetivos ou resultados que devem ser
alcançados no futuro.
( ) Durante o planejamento deve-se definir os meios que
deverão possibilitar a realização dos resultados esperados,
dentro de um espaço de tempo indefinido.

A) V, V, F. B) F, F, V. C) V, F, V. D) F, V, F e) V, V, V.

63 IDECAN Quanto aos tipos de planejamento em função


de curto, médio e longo prazos, assinale a alternativa em
que os conceitos de planejamento estão corretamente
relacionados.
A) tático: sintético e detalhado; longo prazo; aborda cada
tarefa separadamente.
B) estratégico: genérico e sintético; curto prazo; aborda a
organização como um todo.
C) operacional: sintético e analítico; médio prazo; aborda
Assinale a alternativa que indica a estrutura representada cada tarefa separadamente.
pela figura acima. D) estratégico: detalhado e analítico; longo prazo; aborda
A) Estrutura Operacional. cada unidade organizacional.
B) Estrutura Funcional. E) Tático: menos genérico e mais detalhado; médio prazo;
C) Estrutura Autônoma aborda cada unidade organizacional.
D) Estrutura Processual. 64 ESAF - O processo administrativo compõe-se de quatro
E) Estrutura Matricial funções básicas. Indique a opção correta.
60 FUNDATEC "Para entender o que significa a A) A função organização refere-se ao sistema de defi nição
administração, é preciso ir além da interpretação da de objetivos, alocação de recursos e os meios para

20
alcançá-los. A de direção ao agrupamento das atividades longo prazos, definindo datas de realização das mesmas.
em órgãos e cargos, definindo níveis de autoridade e
responsabilidade. 68 – COMPERVE Sobre fluxogramas, é correto afirmar
B) A função planejamento possibilita o monitoramento do que são
desempenho organizacional e a tomada de ações A) ferramentas que descrevem as rotinas e os cargos da
corretivas. A de organização a divisão do trabalho e organização.
designação de processos e atividades. B) representações gráficas da estrutura organizacional
C) A função controle permite a execução de atividades e C) representações gráficas que detalham os processos
alocação de recursos para atingir os objetivos. A de direção organizacionais.
o exercício da liderança e coordenação de esforços. D) ferramentas que descrevem as funções de cada cargo.
D) A função planejamento possibilita a defi nição da missão
organizacional e a programação de atividades. A de direção 69 - COMPERVE Sr. Paulo, o gerente geral da fábrica de
a orientação da mão-de-obra e a coordenação de esforços. balas Sonho Doce, afirmou: “É praticamente impossível
E) A função controle permite desenhar o trabalho a ser controlar tudo aqui na empresa. Tenho de focar no que
executado e coordenar atividades. A de organização o está fora do padrão.”
exercício da comunicação, liderança e motivação. Essa afirmação refere-se à
A) aceitação.
65 ESAF - Indique se as frases a seguir são verdadeiras (V) B) objetividade.
ou falsas (F). C) ênfase na exceção.
D) economia.
( ) O controle é uma das fases do processo administrativo
destinado a obter informações sobre o ambiente da 70 - COMPERVE A função administrativa que define
organização. objetivos e decide sobre os recursos necessários para
( ) São elementos do processo de controle a definição de alcançá-los, adequadamente, é
padrões, a obtenção de informações, a comparação, a A) a direção.
tomada de decisão e a ação. B) a organização.
( ) O controle só deve ser exercido no final da linha de C) o controle.
produção visto que possibilita a prevenção de erros e o D) o planejamento.
descarte de produtos fora do padrão.
( ) As informações relativas ao controle podem ser obtidas 71 - COMPERVE Carlos, consultor organizacional, foi
por meio de inspeção visual, dispositivos mecânicos, contratado para liderar um processo de
questionários, sistemas informatizados, gráficos, relatórios
descentralização de uma organização. No entanto, ele
e mapas.
precisa convencer os executivos de que é mais
Escolha a opção correta. vantajoso pensar em uma ESTRUTURA
A) F, V, F, V B) V, F, V, F C) F, F, V, V DESCENTRALIZADA.
D) F, V, V, V E) V, V, F, F Para isso, Carlos deve citar como vantagem da
descentralização
66 COMPERVE - Tradicionalmente, a administração é A) a agilidade na tomada de decisão, mesmo que possam
conceituada como um conjunto de atividades dirigidas à faltar informações.
utilização eficiente e eficaz dos recursos, no sentido de B) a delegação do poder, mesmo que o trabalho torne-se
alcançar um ou mais objetivos organizacionais. Em relação mais lento.
à eficiência e eficácia, é correto afirmar: C) o aumento da especialização, decorrente da divisão do
A) Eficiência está relacionada ao alcance dos objetivos e
trabalho.
eficácia está associada à resolução de problema.
D) o aumento do controle, devido ao tratamento uniforme
B) Eficiência trata da realização de tarefas e eficácia está
associada à resolução de problemas. dos problemas.
C) Eficiência está relacionada ao alcance dos objetivos e
eficácia está relacionada ao acerto nas soluções propostas. 72 COMPERVE São quatro as funções do
D) Eficiência trata da realização de tarefas e eficácia está administrador: planejamento, organização , direção e
relacionada ao acerto nas soluções propostas. controle. Em relação a essas funções é correto afirmar
que
67 – COMPERVE Dentre os diversos exemplos de A) O planejamento estratégico corresponde ao
técnicas ou métodos de organização do trabalho ou de planejamento das áreas funcionais da empresa.
seus processos, existe o fluxograma, que é B) A função direção está relacionada à capacidade de
A) a representação gráfica da previsão da execução de um
liderar e motivar os colaboradores.
trabalho, na qual se indicam os prazos em que deverão ser
C) O controle está relacionado à hierarquia e à divisão do
cumpridas as diversas ações.
B) a representação gráfica de um processo de trabalho trabalho.
contendo informações que possibilitem a visualização do D) A função organização corresponde à utilização de
processo, das ações a serem desenvolvidas para que seja técnicas de avaliação de desempenho.
realizado o trabalho, assim como dos responsáveis/atores 73 COMPERVE Qualquer administrador deve delinear
que desempenham tais ações. os meios que lhe deem certeza de que o desempenho
C) uma ferramenta de apoio na definição de ações de curto planejado será realmente atingido, considerando os
prazo, para a implementação de soluções e/ou de seu indicadores atuais, para que, dessa forma, consiga
encaminhamento. nela, devem ser definidos os medir o desempenho alcançado com as decisões
responsáveis pelas ações bem como os resultados tomadas. As outras três funções da administração não
esperados e seus respectivos indicadores podem estar desvinculadas desta que, se não existisse,
D) uma ferramenta de planejamento, das ações de médio e tornaria as outras ineficazes pela falta de
acompanhamento. A função administrativa descrita é
21
A) controle. D) ameaças e pontos fortes.
B) planejamento. E) pontos fracos e oportunidades.
C) organização.
D) direção. GABARITO
74 COMPERVE Considerando a abordagem clássica da
1-D 2-D 3-A 4-C 5-B 6-C 7-D 8-B 9-A 10-D 11-D
Administração, as quatro funções administrativas
desempenhadas pelos administradores são: 12-C 13-A 14-B 15-A 16-B 17-C 18-A 19-A 20-B 21-A
A) planejamento, organização, direção e controle. 22-B 23-B 24-C 25-A 26-A 27-C 28-D 29-A 30-D 31-E
B) planejamento, orçamento, liderança e acompanhamento. 32-A 33-D 34-B 35-E 36-B 37-D 38-A 39-E 40-E 41- C
C) plano de negócio, organograma, fluxograma e 42-B 43-D 44-C 45-D 46-B 47-C 48-A 49- C 50-A 51-C
orçamento. 52-B 53-A 54-B 55-C 56-A 57-A 58-D 59-E 60-D
D) plano de negócio, organização, direção e orçamento. 61 –A 62 –A 63 –E 64 –D 65 –A 66 – D 67- B 68-C 69 – C
70- D 71 – A 72 – B 73 –A 74 – A 75 - C 76- B 77- B
75 CESPE A definição de missão da organização, é: 78- A 79- A
A) ampla declaração de onde a organização quer estar no
futuro.
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO – PROVA 2016.1
B) um roteiro que especifica a alocação de recursos,
programações e outras ações necessárias para alcançar as
metas. 01. Do ponto de vista formal, uma organização consiste
C) a razão da existência da organização. em um conjunto de encargos funcionais e hierárquicos,
D) o passo da ação pelo qual uma organização pretende orientados para o objetivo de produzir bens ou prestar
atingir as metas estratégicas. serviços. Algumas das principais características da
E) o ato de determinar as metas da organização e os meios organização formal são:
de alcançá-las. A) hierarquia, divisão do trabalho e cultura organizacional.
B) racionalismo, especialização e relações sociais
76- CESPE Considerado uma ferramenta de mudança espontâneas.
organizacional, o planejamento estratégico pode ser C) especialização, hierarquia e autoridade não sujeitas ao
caracterizado pelas seguintes afirmações, exceto: controle da direção.
A) está relacionado com a adaptação da organização a um D) divisão do trabalho, especialização e distribuição da
ambiente mutável, sujeito à incerteza a respeito dos autoridade.
eventos ambientais.
B) é orientado para o futuro. seu horizonte de tempo são o 02. Os níveis hierárquicos representam o conjunto de
curto e o médio prazos. cargos na empresa com um mesmo nível de autoridade.
C) é compreensivo, envolve a organização como um todo, Em relação a esse aspecto, analise as afirmações a
no sentido de obter efeitos sinergísticos de todas as seguir.
capacidades e potencialidades da organização.
D) é um processo de construção de consenso, pois oferece
um meio de atender a todos na direção futura que melhor
convenha à organização.
E) é uma forma de aprendizagem organizacional, pois
constitui uma tentativa constante de aprender a ajustar-se a
um ambiente complexo, competitivo e suscetível a
mudanças.
77 EXATUS A predominância de ameaças e pontos
fortes indica a adoção pela organização de uma postura Das afirmações, estão corretas
estratégica de: A) APENAS II E IV.
A) Sobrevivência. B) APENAS I E III.
B) Manutenção. C) I, II E IV.
C) Desenvolvimento. D) I, II e III
D) Crescimento.
78 - (FCC O diagnóstico estratégico da organização 03. Governo, administração pública e gestão pública
apresenta componentes que consideram o ambiente e são termos que andam juntos, embora expressem
suas variáveis relevantes no qual está inserida. As conceitos e finalidades diversas. Nesse sentido, a
oportunidades de negócios compõem esse ambiente finalidade da administração pública é
estratégico e constitui a variável A) exercer a direção suprema dos negócios públicos,
A) externa e não controlável. reunindo o conjunto de poderes e órgãos constitucionais.
B) interna e não controlável. B) realizar as funções da gerência pública nos negócios do
C) interna e controlável. governo, em uma determinada fase de mandato.
D) externa e controlável. C) prestar, de forma perene e sistemática, legal e técnica,
E) interna híbrida. os serviços próprios do estado ou por ele assumidos em
79 - (FCC No planejamento estratégico, a análise benefício da coletividade.
externa tem por finalidade estudar a relação existente D) exercer as funções do estado em contexto de conflitos
entre a empresa e seu ambiente em termos de históricos, sociais, políticos, culturais e econômicos.
A) oportunidades e ameaças.
B) pontos fortes e pontos fracos.
C) oportunidades e pontos fortes.
04. A estrutura de uma organização pode ser departamentalizada segundo vários critérios, e um deles está
representado na figura reproduzida a seguir.

22
Nessa figura, as Pró-Reitorias estão departamentalizadas B) organização.
por C) direção.
A) programas. D) Planejamento.
B) função.
C) processos.
09. O processo de Organização é composto de
D) localização geográfica.
decisões que precisam ser tomadas em relação à
divisão do trabalho, à atribuição de responsabilidades,
05. O desenho de uma estrutura organizacional pode
à definição de autoridade e ao desenho da estrutura
assumir diversas formas. Uma delas é a organização
organizacional. A definição de autoridade diz respeito
por área de conhecimento, que tem como uma de suas
A) ao processo por meio do qual uma tarefa é dividida em
características
partes, cada uma das quais é atribuída a uma pessoa ou
A) a orientação para a eficiência e a eficácia dos processos
grupo de pessoas.
chaves, com objetivos específicos de desempenho.
B) ao direito legal que os chefes ou gerentes têm de dirigir
B) a possibilidade de oferecer potencial de capacitação das
ou de comandar o comportamento dos integrantes de sua
pessoas com visão de diferentes culturas regionais.
equipe.
C) a possibilidade de atender às necessidades específicas
C) às obrigações ou deveres das pessoas (ocupantes de
de planejamento, fabricação e distribuição de diferentes
um cargo) quanto à realização de tarefas ou atividades.
serviços.
D) à divisão do trabalho em unidades ou blocos, de acordo
D) a concentração de pessoas com a mesma competência
com os critérios que sejam mais apropriados.
técnica em unidades especializadas de trabalho.

06. O planejamento figura como a primeira função AUXILIAR EM ADMINISTRAÇÃO – 2016.1


administrativa, por servir de base para as demais. Essa
função pode ser definida como 10. A função administrativa responsável por melhor
A) o processo de conduzir as atividades das pessoas que dispor ou ordenar os recursos disponíveis em uma
atuam na organização. estrutura é chamada de
B) o ato de organizar, estruturar e integrar os recursos e os A) organização. B) planejamento. C) direção. D) controle.
órgãos incumbidos de administrar.
C) o processo de estabelecer objetivos e decidir a maneira 11. As funções do administrador são planejar,
de alcançá-los. organizar, dirigir e controlar. Em relação a essas
D) o ato de medir e avaliar o desempenho das atividades
bem como promover ações corretivas, quando necessário. funções, é correto afirmar:
A) controlar está relacionado à divisão do trabalho.
07. O planejamento pode ser desenvolvido em níveis B) planejar envolve apenas as decisões na alta
distintos dentro da organização. Um deles é o administração.
planejamento estratégico, que realiza C) dirigir é a capacidade de liderar e motivar os
A) a avaliação das forças internas e externas e a das colaboradores.
limitações da organização. D) Organizar corresponde apenas à definição de objetivos.
B) o desdobramento dos planos táticos de cada 12. No tocante à função controlar, é correto afirmar:
departamento em planos operacionais, com seus A) o controle estratégico monitora o desempenho global da
orçamentos. organização.
C) a divisão sucessiva de um objetivo em objetivos B) o controle nas áreas funcionais observa a concorrência e
menores, formando uma cadeia de meios, fins e resultados. os fatores externos.
D) a tradução e a interpretação das decisões de nível C) o controle operacional focaliza as áreas de finanças,
institucional em planos operacionais. marketing, produção e rh.
08. A função administrativa que determina, D) O controle eficaz é realizado com informações ao final
antecipadamente, o que se deve fazer, quais os de cada atividade.
objetivos a serem atingidos, quais controles serão 13. Tomar decisão é uma atividade inerente ao
adotados e que tipo de gerenciamento será pertinente administrador. De acordo com o nível da organização,
para alcançar resultados satisfatórios é denominada as tomadas de decisão se diferenciam, podendo ser de
A) controle.
23
Específica - Wolmer Barboza
natureza estratégica, tática ou operacional. As decisões em uma visão abrangente, que considere a intuição e que
tomadas na alta administração envolvem promova uma abordagem criativa e inovadora.
A) o controle das atividades rotineiras. C) a sensibilidade, isto é, a capacidade de perceber e
B) a implementação de tarefas administrativas. interpretar a realidade vivida nas organizações.
C) o estabelecimento de objetivos e estratégias da D) a análise metódica e sistematizada de fatos e evidências
organização. que são experimentados na prática cotidiana.
D) a supervisão das pessoas na execução das tarefas.
03 Uma organização deve ser departamentalizada de
14. Em relação ao processo de tomada de decisão, é
acordo com os critérios que melhor atendam aos seus
possível identificar dois tipos de decisões: as
programadas e as não programadas. Sobre esses dois objetivos. Suponha um governo estadual que está
tipos de decisões, analise as afirmações a seguir: departamentalizado conforme a figura abaixo:

Das afirmativas, estão corretas


A) II e IV. B) I e III. C) II e III. D) I e IV.

15. As unidades departamentais e os níveis da estrutura


de uma empresa são representadas graficamente em
um
A) quadro de distribuição do trabalho.
B) cronograma.
C) organograma.
D) manual de descrição de cargos.

16. O conjunto de símbolos padronizados que


descrevem um processo é chamado de
A) fluxograma. Com base nessa figura, depreende-se que o critério de
B) matriz bcg. departamentalização utilizado é
C) formulário. A) por serviços.
D) manual de procedimentos. B) funcional.
C) por usuários.
1. D 2. C 3. C D) matricial.
4. B 5. D 6. C
7. A 8. C 9. B 04 Alguns tipos de departamentalização podem ser
10. A 11. C 12. A considerados mais modernos, uma vez que podem
13. C 14. D 15. C provocar maior impacto e atuar com maior abrangência
16. A 17. 18. nas organizações. Um desses modelos de
departamentalização é a governança corporativa. O que
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 2016.2 caracteriza esse tipo de departamentalização é o fato de
ela
01 As organizações, independentemente do seu porte, A) proporcionar a otimização das interações entre os
são estruturadas em níveis, de modo que seu perfil se acionistas, os conselhos, as auditorias e a diretoria
assemelha ao da pirâmide. No meio da pirâmide, está a executiva.
média gerência que B) consolidar os resultados esperados de um negócio e
A) estabelece e monitora o cumprimento das metas desenvolver uma ou mais áreas estratégicas da
departamentais específicas. organização.
B) produz os bens e os serviços da organização, C) proporcionar a integração entre empresas, visando
trabalhando em tarefas específicas. consolidar vantagens competitivas.
C) estabelece os objetivos gerais da organização e D) possibilitar a responsabilidade compartilhada entre os
desenvolve estratégias para o alcance desses objetivos. departamentos e os projetos a serem realizados.
D) supervisiona o trabalho dos funcionários operacionais, COMENTÁRIOS: A questão foi retirada do Livro
acompanhando as atividades que são realizadas. Sistemas, Organização e Métodos do Autor Djalma de
Oliveira, que não é muito cobrado em termos de
Específica - IAP CURSOS

02 A palavra Administração está associada ao processo concursos públicos, e podemos considerá-lo


dinâmico de tomar decisões sobre a utilização de minoritário. Para o autor a Departamentalização por
recursos materiais, humanos, financeiros e Governança Corporativa é : “Modelo de gestão que, a
tecnológicos, de forma a possibilitar a realização de partir da otimização das interações entre acionistas ou
objetivos organizacionais. Pela sua complexidade, a cotistas, conselhos – administração e fiscal –,
Administração é uma ciência, pois requer auditorias – externa e interna – e diretoria executiva,
A) a utilização de ferramentas tecnológicas que facilitem a proporciona a adequada sustentação para o aumento
vida do administrador, e tornem seu trabalho mais eficaz. da atratividade da empresa no mercado – financeiro e
B) a leitura e a interpretação de eventos organizacionais, comercial – e, consequentemente, incremento no valor
24
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
da empresa, redução do nível de risco e maior administrativo e, mais especificamente, à função de
efetividade da empresa ao longo do tempo.” A) controle.
B) organização.
C) direção.
D) planejamento.

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO – UFERSA 2016

01 Organizações são entidades sociais


deliberadamente criadas para atingir metas específicas
e possuem, dentre outras, as seguintes características:
A) coordenação de atividades e sistema fechado.
B) estrutura organizacional permanente e pouca mobilidade
nos cargos.
C) tempo de encerramento definido e valores
compartilhados.
D) agrupamento de pessoas e interesses comuns.

02 As organizações podem ser classificadas segundo


diferentes aspectos: em relação ao lucro, elas podem
ter ou não fins lucrativos; em relação ao tamanho ou
porte, podem ser pequenas, médias ou grandes. As
organizações podem ainda ser de natureza pública,
privada ou de terceiro setor. Em relação a essa última
05 O processo administrativo contempla quatro
funções básicas que interagem entre si, sendo a classificação, é correto afirmar:
primeira delas o planejamento. Considere as seguintes A) as organizações privadas atuam na administração direta
afirmativas sobre essa função: e indireta e são subdivididas em fundações, associações e
I Deve-se planejar quando é necessário escolher cooperativas.
prioridades e diferentes cursos de ação. B) as organizações públicas prestam serviços à sociedade
II O planejamento consiste na previsão do futuro, nos níveis federal, estadual e municipal.
supondo que os eventos ocorrerão conforme C) as organizações do terceiro setor são responsáveis pela
concebidos no plano. produção de bens e serviços à sociedade, como alimentos
III Planejar é conceber ações e operações para atingir
e roupas.
um objetivo.
IV O planejamento consiste na aferição do alcance dos D) as organizações públicas e do terceiro setor têm
objetivos traçados. atribuições semelhantes atuam com e sem fins lucrativos,
Estão corretas as afirmativas respectivamente.
A) I e II.
B) I e III. 03 Em uma organização, é possível dividir as atividades
C) II e IV. de gestão em três níveis hierárquicos: estratégico,
D) III e IV.
tático e operacional. Em relação a esses níveis, analise
06 A organização é uma das funções do processo as afirmações abaixo:
administrativo que é desempenhada de forma I Os administradores atuam nos três níveis
sistêmica, juntamente com as demais funções. Como hierárquicos, no entanto, faz-se necessário que eles
função do processo administrativo, a organização trabalhem de forma coordenada.
compreende II No nível tático, situam-se os executivos, responsáveis
A) toda entidade socialmente construída e dirigida por
pelas decisões estratégicas da organização.
metas, desenhadas como sistemas de atividades
integradas com o ambiente externo. III O nível operacional é o mais baixo da hierarquia, e
B) a disposição de pessoas em grupos que trabalham com seus gestores têm a responsabilidade de articular o
o propósito de alcançar um objetivo determinado nível estratégico e o tático.
institucionalmente, no nível estratégico ou tático. IV Os gestores no nível estratégico são responsáveis
C) toda a estrutura de bens e serviços oferecidos à pela interação da organização com o seu ambiente
sociedade, garantindo-lhe o atendimento de suas externo.
necessidades e das necessidades das instituições.
Específica - IAP CURSOS

Dentre as afirmações, estão corretas


D) a disposição de qualquer conjunto de recursos em uma A) I e IV.
estrutura que facilite a realização de planos definidos B) I e II.
previamente. C) II e III.
D) III e IV
07 A Pró-Reitora de Administração de uma instituição
de ensino superior discutia com seus assessores 04 Algumas empresas adotam hoje uma estrutura
durante uma oficina de trabalho, quando afirmou que matricial, que normalmente contempla mais de um
“só é possível fazer várias apostas em cenários critério de departamentalização. Nesse tipo de
dinâmicos”. Neste momento, ela se referia ao processo
25
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
estrutura, é possível combinar, por exemplo, a
departamentalização funcional com a
departamentalização por projetos. Quando utilizada,
esse tipo de estrutura pode levar a uma
A) unidade de comando.
B) falta de aproveitamento do conhecimento especializado
das pessoas.
C) dupla subordinação.
D) distribuição uniforme das pessoas nos projetos.

05 O organograma a seguir, que representa


parcialmente a estrutura da Universidade Federal Rural
do Semi-árido, servirá de base para a questão.

Disponível
em:<www.governancainovadora.seplan.rn.gov.br> .
Acesso em: 25 ago. 2016.

No tocante às fases de elaboração do planejamento


estratégico, os estudos preparatórios correspondem à
etapa de
A) diagnóstico estratégico.
B) implementação da estratégia.
C) definição da missão.
O critério de departamentalização predominante no D) controle estratégico.
nível das pró-reitorias é
A) por produto. 08 Os indicadores servem para monitorar o
B) por projeto. desempenho e o alcance das metas, sendo
C) geográfico. considerados uma ferramenta de
D) funcional. A) planejamento das operações.
B) controle operacional.
06 A leitura do organograma possibilita afirmar que a C) planejamento tático.
Unidade de Auditoria Interna D) controle estratégico.
A) toma decisões sobre as atividades de ensino, pesquisa e
extensão da Universidade. 09 Alberto é chefe do almoxarifado de uma organização
B) toma decisões sobre as áreas funcionais, exercendo pública, atuando há vários anos na função, e prestando
uma clara função de linha. um bom serviço aos usuários. Ao contrário de Alberto,
C) exerce uma função de assessoria, responsável por dar alguns servidores do almoxarifado não estão realizando
suporte e aconselhar dentro de sua área de atuação. o trabalho da forma correta, além de não cumprirem as
D) define as normas e diretrizes da Universidade, determinações superiores. Os usuários já começaram a
possuindo uma clara definição de autoridade e gestão perceber as falhas e alguns estão reclamando da
estratégica. qualidade do serviço que está sendo prestado. Em
07 A figura a seguir, representativa do processo de razão disso, Carlos, superior de Alberto, considerou
elaboração do Planejamento Estratégico do Governo do que era necessário desenvolver uma liderança mais
Estado do Rio Grande do Norte, servirá de base para a efetiva e motivar os servidores. Essas atribuições são
Específica - IAP CURSOS

questão. características da função administrativa de


A) direção.
B) organização.
C) controle.
D) planejamento.
10 O excerto abaixo corresponde a uma parte do
discurso do Presidente da Assembleia Legislativa do
Rio Grande do Norte, proferido no dia 01/03/2016.
Excelentíssimos Senhores Deputados e
26
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
Excelentíssimas Senhoras Deputadas, Estamos aqui D) divisão do trabalho.
hoje para, em nome de toda a Mesa Diretora desta Casa,
reafirmar o compromisso de bem cumprir com os ITEM 3 - RELAÇÕES HUMANAS NO TRABALHO E
deveres institucionais, políticos e administrativos que a LIDERANÇA: O PAPEL DO GESTOR, ESTILOS DE
Presidência nos impõe. LIDERANÇA, ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO NA
Ser capaz de transformar a Assembleia em um órgão ORGANIZAÇÃO, FATORES QUE INFLUENCIAM NA
mais eficiente como exemplo na área pública não é MOTIVAÇÃO (HIERARQUIA DE NECESSIDADES DE
tarefa pouco laborosa. E esta Casa tem sido colocada MASLOW E FATORES HIGIÊNICOS E MOTIVACIONAIS
em xeque por parte da sociedade, que lhe exige DE HERZBERG).
respostas. E não vamos nos furtar.
Em fevereiro de 2015, há exatamente um ano, adotamos RELAÇÕES HUMANAS estão relacionadas ao ciclo
um Planejamento Estratégico. Documento este RELAÇÕES HUMANAS estão relacionadas ao ciclo
entregue a todos os poderes e órgãos de controle de
(Atividades – Interação- Sentimentos)
nosso Estado. Esse planejamento nos garante a
capacidade de gerir estrategicamente uma organização
01 IDECAN Os grupos podem diferir em sua aparência e
pública significativa, dando a possibilidade mais
tangível, e talvez a única, de atingir os objetivos comportamento, no entanto, interiormente todos têm três
institucionais. elementos básicos: interação, atividades e
A) recursos.
E, nesse Planejamento Estratégico, há etapas a serem
B) atitudes.
cumpridas. Seguimos um cronograma de ações,
projetos e medidas que estão sendo tomadas pela atual C) sistemas.
gestão. D) sentimentos.
Foi a partir do Planejamento Estratégico que E) raciocínios.
economizamos R$ 15 milhões no custeio da Casa em
2015. RELACIONAMENTO INTERPESSOAL – POSITIVO
O Planejamento Estratégico, senhores deputados e (Cooperação) e NEGATIVO (Acomodação).
senhoras deputadas, estabelece 36 planos de ação, PALAVRAS CHAVES: Interação, Comunicação, Contatos,
com os quais reduzimos 20% das despesas com a Autoconhecimento, Motivação, Apoio aos colegas,
manutenção e funcionamento da Assembleia. Iniciativa, Tratar bem as pessoas, Comprometimento, Lidar
Disponível com as diferenças, Entender o elemento cultural das
em:<http://novojornal.jor.br/politica/discurso-do- relações humanas, Empatia, Compreensão Mútua,
presidente-da-assembleia-rn-ezequiel-ferreira-de- Respeito ao próximo.
souza> . Acesso em: 25 ago. 2016. [Adaptado]
02 IDECAN Analise as afirmativas a seguir.
No tocante ao planejamento, é correto afirmar que I. Os sentimentos despertados nas relações interpessoais
influenciam negativa ou positivamente as interações e as
A) a elaboração do planejamento estratégico assegura o
próprias atividades.
total alcance das metas estabelecidas pela organização.
II. A diminuição das interações, bem como o afastamento
B) o planejamento estratégico é um importante insumo para das atividades com queda de produção, está intimamente
os órgãos de controle. vinculadas aos sentimentos positivos de simpatia.
C) o cronograma de ações é o desdobramento do III. Sentimentos – interação – atividades relacionam‐se
planejamento estratégico em planos operacionais. diretamente à competência técnica de cada pessoa.
D) os planos de ação fazem parte do monitoramento do IV. Na participação em um determinado grupo há na pessoa
planejamento estratégico. uma base interna de diferenças que englobam valores,
atitudes e experiências pregressas.
11 No processo de elaboração do planejamento, em Estão corretas apenas as afirmativas
especial no planejamento operacional, é preciso A) I e IV. B) III e IV. C) I, II e III. D) II, III e IV.
considerar a existência de riscos, caracterizados como
eventos ou condições que afetam a realização ou 03 IDECAN De acordo com as relações humanas no
resultado de uma atividade. Dessa forma, planejar trabalho, analise as afirmativas.
ações preventivas e corretivas em relação aos riscos é I. Todo atendente de uma empresa deve preparar‐se bem
uma etapa importante do planejamento operacional. A para essa função, já que requer cortesia, atenção e respeito
ferramenta que auxilia os gestores na avaliação de no tratamento aos usuários.
riscos é II. A apresentação pessoal, a forma como se veste e se
A) a curva ABC. apresenta ao trabalho, é prescindível a todo profissional de
B) a matriz de probabilidade e impacto. uma empresa.
C) o gráfico de Gantt. III. A discrição é uma qualidade invejável no ser humano,
dessa forma, há necessidade de ser menos extrovertido
D) o diagrama de redes.
nos seus relacionamentos interpessoais.
IV. Nas relações humanas, a tolerância pode evitar
12 Carlos José realizou recentemente uma consultoria
Específica - IAP CURSOS

conflitos, tensão e desconforto emocional.


em uma organização pública e identificou a Estão corretas apenas as afirmativas
necessidade de estruturar melhor as atividades dos A) I e IV.
servidores, para que estes viessem a se tornar capazes B) II e IV.
de realizar, com destreza, uma parte do processo da C) I, II e III.
prestação de serviço da instituição. Com isso, Carlos D) I, III e IV.
José promoveu a 04 IDECAN Para que as relações interpessoais sejam
A) centralização da supervisão. estabelecidas de forma harmoniosa no ambiente
B) tomada de decisão. profissional, são considerados essenciais os seguintes
C) comunicação interpessoal. aspectos, EXCETO:
27
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
A) ter equilíbrio emocional. Divisão de Tarefas Formam um
B) respeitar as diferenças individuais. unidade/Trabalho em
C) prevalecer o objetivo individual. Conjunto
D) assumir a responsabilidade pelos próprios atos. Ênfase no trabalho O trabalho é em conjunto
E) Comunicar‐se de forma adequada. individual formando uma unidade.
Habilidades técnicas são Habilidade interpessoais
05 FCC Considerando as relações humanas no trabalho,
valorizadas (interdisciplinares) são
assinale a opção incorreta.
valorizadas
A. O convívio regular entre os membros de uma instituição
Chefes determinam o Chefe/Líder e equipe
caracteriza uma relação humana.
trabalho planejam e determinam o
B. Relações harmoniosas entre os membros da
trabalho em conjunto.
organização podem ser alcançadas com uma atitude de
São recompensados Existem recompensas
respeito pela maneira de sentir e de entender as situações
apenas os desempenhos individuais e de equipes
de cada pessoa.
individuais
C. Ressentimentos no grupo de trabalho podem ser
Conflitos são evitados Conflitos podem significar
gerados pela maneira ríspida com que um colega trata os inovações e podem ser
demais. encorajados.
D. Os problemas que os membros da organização Sinergia Neutra Sinergia Positiva
vivenciam devem ser resolvidos por cada um deles, sem a Responsabilidade Responsabilidade
necessidade de auxílio mútuo. Individual Individual e Mútua
As habilidades dos As habilidades são
TIPOS DE COMPORTAMENTOS
trabalhadores são complementares
aleatórias
COMPORTAMENTO RECEPTIVO - ocorre quando o
Adesão as metas
sujeito está aberto para as sugestões alheias. É aquele
Cooperação
naturalmente aberto, solícito, prestativo, objetivo, claro, sem
Confiança
rodeios, indo direto ao ponto da necessidade do atendido;
Proatividade
Comunicação ativa/eficaz
COMPORTAMENTO DEFENSIVO OU AGRESSIVO -
O líder ver os conflitos
Nesse tipo de comportamento, a pessoa percebe uma como oportunidade de
ameaça ou presente um ataque a si. Em função disso, mudança.
mesmo prestando atenção à mensagem, dedica parte
apreciável das energias a defender-se e a proteger-se. 07 FCC Existem várias diferenças entre trabalho em grupo
e trabalho em equipe, principalmente quanto à sua
COMPORTAMENTO ASSERTIVO - comportamento eficaz. caracterização. A esse respeito, considere as
Nesse tipo de comportamento ocorre a comunicação características abaixo.
afirmativa onde nos colocamos empaticamente no ambiente I - Mantém a responsabilização do indivíduo.
interpessoal, de modo a respeitar as ideias alheias e a se II - Compartilha ou faz rodízio de liderança.
expor sem agressividade. III - Possui produtos do trabalho individual.
IV - Encoraja discussões abertas em reuniões.
COMPORTAMENTO NÃO ASSERTIVO OU PASSIVO - ele V - Mede eficácia pelo trabalho coletivo.
está mais preocupado em evitar um conflito do que VI - Discute, decide e delega trabalho.
satisfazer às suas próprias necessidades.
Referem-se ao trabalho em equipe APENAS as
EMPATIA - A capacidade de colocar-se no lugar do outro características
para entender suas ideias e facilitar a convivência no local A) I, II e III.
de trabalho. Ato Unilateral B) I, IV e VI.
C) II, III e V.
COMPREENSÃO MÚTUA - A capacidade de colocar-se no D) II, IV e V.
E) III, V e VI.
lugar do outro para entender suas ideias e facilitar a
convivência no local de trabalho. Ato Bilateral
08 FCC No ambiente de trabalho, são atitudes que
06 IDECAN “O(A) ____________________ como contribuem para o trabalho em equipe:
mecanismo de defesa requer tal esforço da pessoa que A) diálogo, motivação, impaciência.
acaba por impedi-la de se concentrar na mensagem que B) responsabilidade, individualismo, cortesia.
está recebendo e faz com que ela distorça o real significado C) egocentrismo, empatia, controle.
do que está sendo transmitido.” Assinale a alternativa que D) solidariedade, entrosamento, união.
E) negociação, inflexibilidade, autonomia.
Específica - IAP CURSOS

completa corretamente a afirmativa anterior.


A) empatia
B) comportamento receptivo 09 IDECAN Em relação às equipes de trabalho, assinale a
C) assertividade alternativa CORRETA.
D) comportamento defensivo A) Esforço conjunto, aprendizagem mútua e troca de
E) compreensão mútua experiências, respeito às características individuais e
compromisso com os objetivos definidos são exemplos de
Grupos Equipes características inerentes a essas equipes.
Mais de uma pessoa É um grupo B) A competição entre os membros da equipe deve ser
prioridade para promover o desempenho e os destaques
28
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
individuais, como principais atributos para o alcance dos ACERCA DO DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES? Sim,
resultados. segundo Kopittke (2000), temos as seguintes fases:
C) No trabalho em equipe, não há espaço para
divergências. a) formação: neste estágio, as pessoas ainda estão
D) No trabalho em equipe, os conflitos devem ser evitados, aprendendo a lidar umas com as outras; pouco trabalho é
pois são sempre prejudiciais e desagregadores.
feito;
E) As equipes de trabalho têm apenas o fundamental papel
de assessoramento a unidades de negócio.
E) sistema de avaliações, desempenho e recompensas que b) tormenta, ajuste ou ERUPÇÃO: tem-se uma época de
reflitam as contribuições da equipe. difícil negociação das condições sob as quais a equipe vai
trabalhar, o que será realizado, quem e qual maneira
TIPOS DE EQUIPES realizar, é a fase de ajuste.
FUNCIONAL – Setor de trabalho;
c) aquiescência ou NORMALIZAÇÃO: é a época na qual
MULTIDISCIPLINAR – Competências diversas; os papéis são aceitos (posse do problema) e as
AUTOGERIDAS – Operam por conta própria; informações circulam livremente;

FORÇA-TAREFA – Equipes com base tempóraria; d) REALIZAÇÃO: quando a execução do trabalho atinge
níveis ótimos (não há mais problema).
ALTA GERÊNCIA – Equipe de Comando – Alta
Administração;
e) Desintegração: Caracteriza-se pelo fim da equipe.
AFINIDADE – Equipes de setores diferentes que se
unem por laços de afinidade; 10 FCC Equipes de trabalho cujos membros, no início, se
submetem à administração, mas logo começam a operar
VIRTUAIS OU EM REDE – Usam a tecnologia; por conta própria, assumindo as responsabilidades
definidas em conjunto no interior da equipe denominam-se
A) ad hoc.
DE DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES B) autogeridas.
Como sabemos, é necessário um tempo para que C) de comando.
a equipe se alinhe, não é apenas pela junção de vários D) de assessoria.
talentos em uma sala que teremos uma equipe de alto E) mentoring.
desempenho. Segundo Moscovici (1996), as equipes
apresentam os seguintes estágios de desempenho: 11 IDECAN “Uma determinada empresa criou uma equipe
composta de funcionários das áreas de produção,
a) Pseudo-equipe: neste grupo, pode-se definir um planejamento, qualidade, ferramentaria, engenharia de
trabalho, mas não há preocupação com o desempenho projeto e sistemas de informação para automatizar o
coletivo apreciável. Prevalece a individualidade. programa de fabricação de um produto. As sugestões
dadas por esse grupo resultaram em uma grande redução
b) Grupos de trabalho: não existe estímulo para de custos e de tempo dos processos, além da melhoria da
transformar-se em equipe. Partilham informações entre si, qualidade.” A equipe descrita classifica-se como
porém mantêm-se, de forma individual, as A) virtual.
responsabilidades e objetivos. Não se produz B) grupo permanente.
desempenho coletivo. C) multifuncional.
D) resolução de problemas.
c) Equipe potencial: existe intenção de produzir E) autogerenciada.
desempenho coletivo. Necessita assumir compromisso
quanto ao resultado de grupo e requer esclarecimentos 12 FCC A equipe de trabalho formada para resolver
das finalidades, objetivos e abordagem de tarefa. determinados assuntos ou problemas específicos, em
bases temporárias, denomina-se
d) Equipe real: composta de pessoas que, além de A) comissão.
possuírem habilidades que se complementam, se B) equipe funcional.
comprometem umas com as outras, através da missão C) força-tarefa.
e objetivos comuns e da abordagem de trabalho bem D) equipe de comando.
definida. Existe confiança entre os membros do grupo, E) coaching.
Específica - IAP CURSOS

assumindo responsabilidade plena sobre o desempenho.


13 UFT Com relação às diferentes possibilidades e formas
e) Equipe de elevado desempenho: equipe com membros de trabalho em equipe é possível afirmar, EXCETO:
profundamente comprometidos com o crescimento pessoal A) Equipes Multidisciplinares são formadas por diversos
de cada indivíduo e com o sucesso deles mesmos e dos profissionais com competências diferentes que se
outros. Possuem resultados muito além das complementam e favorecem os processos de melhoria da
expectativas. qualidade, aumento da produtividade permitindo
Temos alguma outra CLASSIFICAÇÃO estabelecer sua efetiva contribuição para os resultados.
B) As equipes funcionais compõem-se de pessoas que
29
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
executam tarefas similares, numa mesma unidade
ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS
organizacional.
C) As equipes autogeridas são forças-tarefas criadas para
O conflito é caracterizado pela divergência de
levar a cabo uma atribuição, sem características de percepção e idéias. Nele, pessoas se colocam em
continuidade, podendo envolver pessoas de diferentes posições antagônicas. Os conflitos são inevitáveis e
áreas que dedicam parte de seu tempo produtivo a esse necessários, podendo ser:
fim.
D) As equipes em rede ou virtuais são comuns em TIPOS DE CONFLITOS
organizações com sede em diferentes lugares e que
utilizam recursos de tecnologia da informação para que
seus membros mantenham-se em contato entre si.

14 IDECAN Com relação à capacidade de trabalhar em


equipe, elemento essencial no processo de relações
humanas no trabalho, é correto afirmar:
A) o elemento central do trabalho em equipe é o
planejamento, a capacidade de se antecipar a todas as
possibilidades. O verdadeiro líder de equipe é aquele que
controla todas as variáveis internas, evitando os conflitos, e
externas, eliminando as incertezas;
B) o trabalho em equipe só funciona quando o líder
compreende as necessidades de cada membro e procura
satisfazê-las. Isso evita insatisfações, conflitos internos e o O QUE PODE GERAR O CONFLITO
surgimento de competição em torno da liderança;
C) o trabalho em equipe exige elevada disciplina, senso de
PAPEL AMBÍGUO – Ocorre quando o empregado não
hierarquia e disposição de sacrifício dos membros em
sabe o que é esperado dele, ou o que deve fazer
relação às decisões do líder;
exatamente. RECURSOS ESCASSOS – Se faltam recursos
D) no trabalho em equipe, as habilidades de cada um são
complementares, os conflitos são resolvidos pelo diálogo e para todos na organização, alguém ficará insatisfeito!
a liderança se afirma pela confiança dos demais na sua INTERDEPENDÊNCIAS – Quando dependemos do
competência para conduzir a equipe; trabalho de outras pessoas para fazer nossos trabalhos.
E) uma equipe de trabalho eficaz baseia-se na confiança de OBJETIVOS CONFLITIVOS – Quando os objetivos da
cada um e na sua competência individual. Quando cada um organização não são bem desenhados, ou são ambíguos.
faz o que considera mais adequado, o trabalho tende a se DIFERENCIAÇÃO – Diferenças na estrutura da
harmonizar de forma espontânea, sem a necessidade de organização ou no perfil das pessoas de áreas diferentes
uma liderança forte. podem causar conflitos.
FALHAS DE COMUNICAÇÃO – Uma comunicação
15 IADES Em relação às equipes de trabalho, assinale a deficiente pode levar a desentendimentos e interpretações
alternativa correta. incorretas de parte a parte.
A) Esforço conjunto, aprendizagem mútua e troca de CHOQUE DE PERSONALIDADES – Muitas vezes as
experiências, respeito às características individuais e pessoas simplesmente não se “bicam”. Personalidades.
compromisso com os objetivos definidos são exemplos de CONFLITOS ANTERIORES – Quando já ocorreram
características inerentes a essas equipes. conflitos entre algumas pessoas e estes não foram bem
B) A competição entre os membros da equipe deve ser resolvidos, existirão ressentimentos.
prioridade para promover o desempenho e os destaques
individuais, como principais atributos para o alcance dos 01 IDECAN A existência de conflitos é inevitável nas
resultados. organizações. Por isso, o gestor pode identificar formas de
C) No trabalho em equipe, não há espaço para prevenção de conflitos, conhecendo condições que, via de
divergências. regra, conduzem a situações conflituosas. Uma dessas
condições é a interdependência de atividades, que se
D) No trabalho em equipe, os conflitos devem ser evitados,
constitui quando:
pois são sempre prejudiciais e desagregadores. A) expectativas são pouco claras ou confusas, levando as
Específica - IAP CURSOS

E) As equipes de trabalho têm apenas o fundamental papel pessoas a trabalharem para propósitos incompatíveis;
de assessoramento a unidades de negócio. B) cada grupo realiza ou desenvolve tarefas, objetivos,
concepções e atitudes diferenciadas;
C) determinado grupo não consegue realizar tarefas a
GABARITO
menos que outro grupo realize a sua;
D) recursos organizacionais são limitados ou escassos e
01 D 02 A 03 A 04 C 05 D 06 D 07 D 08 D 09 E 10 B 11 C precisam ser compartilhados;
12 C 13 C 14 D 15 A E) a especialização de tarefas conduz ao estabelecimento
de metas concorrentes.
30
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
02 FGV Com relação às fontes dos conflitos B) se somente a afirmativa II estiver correta;
organizacionais, analise as afirmativas a seguir. C) se somente a afirmativa III estiver correta;
I. Os recursos limitados são uma fonte de conflito D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas;
organizacional. E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
II. A diferenciação é uma fonte de conflito organizacional.
III. A ausência de interdependência de tarefas é uma fonte GRAVIDADE DO CONFLITO
de conflito organizacional.
Assinale: PERCEBIDO OU LATENTE - É o que se chama de conflito
A) se somente a afirmativa I estiver correta; latente, pois as partes percebem que ele existe
B) se somente a afirmativa II estiver correta; potencialmente. EXPERENCIADO OU OCULTO OU
C) se somente a afirmativa III estiver correta; VELADO - É o chamado conflito velado, pois ocorre de
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas; modo dissimulado, oculto e não manifestado externamente
E) se todas as afirmativas estiverem corretas. com clareza.
MANIFESTADO OU ABERTO - É o chamado conflito
03 CESGRANRIO Considere as afirmativas a seguir acerca aberto, pois se manifesta sem dissimulação.
do conflito nas organizações.
I - O conflito é uma ocorrência natural e inevitável nos 05 IDECAN Em alguns tipos de conflitos, as pessoas
grupos e nas organizações, podendo, se bem gerenciado, necessitam de coerência e senso lógico para atingir uma
ser benéfico. sensação de bem-estar e harmonia umas com as outras.
II - O conflito de relacionamento se refere a discordâncias e Quando um conflito se manifesta sem dissimulação entre as
divergências quanto à forma de realizar uma tarefa. partes envolvidas, denomina-se conflito
III - O conflito é uma disfunção nos comportamentos de A) latente.
grupos nas organizações, resultando, somente, de falhas B) percebido.
de comunicação. C) manifestado.
Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s) D) experienciado.
A) I, apenas. E) velado.
B) II, apenas.
C) III, apenas. COMO GERIR O CONFLITO
D) I e III, apenas.
E) I, II e III. ESTRUTURAL - modificar condições organizacionais que
determinam o conflito (distinções entre as pessoas,
04 FGV Com relação às fontes dos conflitos diferenças na distribuição de recursos, distribuição de
organizacionais, analise as afirmativas a seguir. poder, espaço físico
I. Os recursos limitados são uma fonte de conflito
organizacional. PROCESSUAL - consiste na intervenção direta sobre o
II. A diferenciação é uma fonte de conflito organizacional. evento do conflito, por meio de: confrontação; cooperação;
III. A ausência de interdependência de tarefas é uma fonte desativação. redução de conflitos por meio da modificação
de conflito organizacional. do processo, intervindo-se no conflito.
Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta; MISTA – combinação da estrutural + processual

EVOLUÇÃO DOS CONFLITOS

Específica - IAP CURSOS

31
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza

ESTILOS DE CONFLITOS

ASSERTIVIDADE - interesse pessoal é o que importa;


COOPERAÇÃO – interesse dos outros é o que importa.

Estilo Postura Características


Competição/dominação Assertivo e não cooperativo Grande preocupação com interesses próprios
e baixa preocupação com interesses dos
outros – é imposto o ponto de vista de um dos
dois lados
Colaboração/integração Assertivo e cooperativo Envolve abertura, troca de informação e
exame das diferenças a fim de alcançar uma
solução efetiva e aceita por ambos os lados
Evitação/abstenção Não assertivo e não cooperativo Ignorância ou desatenção à situação
conflitante
Acomodação Não assertivo e cooperativo A pessoa acomodada negligencia seu próprio
ponto de vista em favor da outra parte
Compromisso/ negociação Níveis intermediários de “dar e receber”, onde ambas as partes abrem
assertividade e cooperação mão de algo a fim de encontrar um resultado
aceitável para ambos.

06 IDECAN A respeito da gestão de conflitos, analise as 07 UFMT Qual a técnica de resolução de conflito que
afirmativas a seguir. procura suprimir o conflito ou evadir-se dele?
I. O estilo de abstenção prevê uma postura não-assertiva e A) Compromisso
não-cooperativa. B) Competição
II. O estilo de transigência reflete uma moderada porção de C) Colaboração
Específica - IAP CURSOS

cooperação. D) Não enfrentamento


III. O estilo de acomodação reflete um alto grau de
cooperação. 08 CESGRANRIO Considere as afirmativas a seguir
Assinale: acerca do conflito nas organizações.
A) se somente a afirmativa I estiver correta. I - O conflito é uma ocorrência natural e inevitável nos
B) se somente a afirmativa II estiver correta. grupos e nas organizações, podendo, se bem gerenciado,
C) se somente a afirmativa III estiver correta. ser benéfico.
D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. II - O conflito de relacionamento se refere a discordâncias
E) se todas as afirmativas estiverem corretas. e divergências quanto à forma de realizar uma tarefa.
32
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
III - O conflito é uma disfunção nos comportamentos de a garantir o envolvimento das partes com a solução
grupos nas organizações, resultando, somente, de falhas identificada conjuntamente, gerando ganho e perdas para
de comunicação. ambas as partes. Esse tipo de administração de conflitos
Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s) diz respeito a um estilo de
A) I, apenas. A) confrontação.
B) II, apenas. B) cooptação.
C) III, apenas. C) compromisso.
D) I e III, apenas. D) acomodação.
E) I, II e III. E) colaboração.

09 IDECAN Em relação à abordagem quanto à 14 IDECAN A visão interacionista considera que o conflito é
administração de conflitos, marque o item que A) inevitável e poderá ser ou não gerenciado.
apresenta as três abordagens à disposição do gerente. B) contraproducente e deve ser evitado.
A) Espera, tensão e resolução. C) uma ocorrência natural nos grupos e nas organizações e
B) Estrutural, mista e de processo. devem ser aceitos.
C) Impasse, vitória-derrota e conciliação. D) necessário para o desempenho eficaz de um grupo.
D) Ganhar/perder, perder/perder e ganhar/ganhar. E) sinônimo de irracionalidade e causa prejuízos a
organização.
10 IDECAN O alcance dos objetivos organizacionais
pode ser facilitado pelo uso adequado do poder e pela 15 COMPERVE Um bom relacionamento humano no
solução dos conflitos organizacionais. Sobre a gestão trabalho, contribui para a qualidade de vida do servidor
de conflitos, é correto afirmar que: público e, consequentemente, para a melhoria do
A) o conflito é essencialmente disfuncional e causa a trabalho em equipe. Em relação a esse aspecto, analise
estagnação do progresso organizacional; as afirmações a seguir.
B) na natureza dos processos reivindicatórios que emergem I O bom relacionamento entre os integrantes de uma
nas organizações, dimensões individuais não podem ser equipe de trabalho é influenciado por fatores como a
consideradas; familiaridade das pessoas umas com as outras e com
C) a participação, direta ou indireta, constitui uma forma de suas experiências profissionais.
restaurar o equilíbrio de poder e de se buscar a solução de II Um grupo coeso torna-se estável, não alterando sua
conflitos; forma de agir com a chegada de um novo membro no
D) o conflito surge do desequilíbrio entre as possibilidades e grupo.
aspirações individuais, advindo de fatores internos à III A habilidade de redação e a rapidez de raciocínio são
organização, sem a influência de fatores externos. fatores que contribuem para a formação de uma boa
equipe de trabalho.
11 FCC Existem cinco estilos distintos de administrar IV A principal característica de uma equipe eficaz é a
conflitos: acomodação, dominação, compromisso e solução sinergia, a capacidade de seus integrantes trabalharem
integrativa de problemas e evitação. Na solução coletivamente.
integrativa de problemas busca-se Das afirmações, estão corretas
A) encontrar uma solução que atenda aos interesses de A) I, III e IV.
todas as partes envolvidas. B) apenas II e III.
B) encobrir o conflito, diminuindo sua importância e C) apenas I e IV.
aguardando que ele se resolva por si só. D) I, II e III.
C) impor uma solução considerada a mais adequada para
resolver de forma rápida e precisa o conflito. 16 COMPERVE As relações interpessoais na
D) encontrar uma solução que satisfaça parcialmente aos organização são muito influenciadas pelo tipo de poder
envolvidos. exercido pelos chefes ou superiores. No poder de
E) rejeitar discussões que não se baseiem em dados e competência, os liderados
fatos mensuráveis.
A) percebem que o fracasso em atender às exigências do
12 IDECAN A respeito da gestão de conflitos, analise as líder poderá levá-los a sofrer algum tipo de punição.
afirmativas a seguir. B) identificam o líder como alguém que detém certos
I. O estilo de abstenção prevê uma postura não-assertiva e conhecimentos ou que domina certos conceitos que
não-cooperativa. excedem os seus.
II. O estilo de transigência reflete uma moderada porção de C) esperam ganhar alguma recompensa, incentivo, elogio
cooperação. ou reconhecimento pelo seu trabalho.
III. O estilo de acomodação reflete um alto grau de D) admiram o líder por alguns traços de sua personalidade
cooperação. e pelo carisma que possuem.
Assinale:
A) se somente a afirmativa I estiver correta.
17 COMEPRVE O desempenho de uma equipe de
B) se somente a afirmativa II estiver correta.
C) se somente a afirmativa III estiver correta. trabalho é um processo bastante complexo, passando
Específica - IAP CURSOS

D) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. por vários estágios de desenvolvimento. Um desses


E) se todas as afirmativas estiverem corretas. estágios é o da tormenta, no qual
A) os membros da equipe apresentam uma visão
13 IDECAN O gerente de Tecnologia da Informação de compartilhada, aliada à motivação e ao conhecimento do
uma empresa percebeu um conflito que está impactando os
grupo, resultando em um comportamento autônomo.
resultados de sua área nas entregas das demandas de
B) os indivíduos sabem pouco sobre os outros membros
desenvolvimento junto a determinados clientes internos.
Após consultar a equipe de gestão de pessoas, o gerente da equipe e, ainda assim, procuram apresentar o melhor
decidiu ser assertivo, discutindo abertamente sobre os de seu comportamento, pois querem ser aceitos pelos
problemas, erros e acertos que merecem atenção, de forma outros e evitar conflitos.
33
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
C) os membros da equipe começam a apreciar as A COMUNICAÇÃO PODE FLUIR NOS SEGUINTES
habilidades e experiências de cada um e passam a apoiar- SENTIDOS:
se mutuamente, preparando-se para mudar visões
preconcebidas. LATERAL/HORIZONTAL = Mesmo nível
VERTICAL ASCENDENTE/DESCENDENTE = Canais
D) os indivíduos são levados pelo gestor a focar nos
Hierárquicos
objetivos da equipe para evitar que seus membros se
distraiam por questões emocionais e de relacionamento. TRÊS TIPOS DE COMUNICAÇÃO:

GABARITO COMUNICAÇÃO ORAL: é a comunicação transmitida


oralmente.
1C 2D 3A 4D 5C 6E 7D 8A 9B 10C 11A 12E 13C COMUNICAÇÃO ESCRITA: como o próprio nome diz, é a
14 D 15 C 16 B 17 D comunicação que é feita por meio escrito em cartas,
memorandos, relatórios, faxes, etc
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL (SÍMBOLOS): esta
comunicação nem é oral nem escrita. Na verdade ela não
COMUNICAÇÃO = Relação Interpessoal; se utiliza de uma linguagem codificada (verbal) para
expressão. É a linguagem do próprio corpo, sendo
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL = englobam os desenvolvida de forma natural pelas pessoas.
canais e os veículos de comunicação entre organização e
pessoas, entre as pessoas que mantêm relação de trabalho 01 COMPERVE No processo de comunicação em uma
com a organização e entre pessoas, organização e organização, o elemento que propicia uma melhor
comunidade, ISTO É, a comunicação organizacional compreensão da mensagem enviada, mediante o
deve ser vista nas perspectivas INTERNA (Público retorno do que foi recebido como interpretação do que
interno) E EXTERNA (Púclico Externo). foi transmitido, ou mesmo um questionamento para
esclarecer a mensagem enviada, é denominado
No processo da comunicação deve-se leva em conta: A) receptor.
1) o que deve ser comunicado; B) feedback.
2) como deve ser comunicado; C) transmissor.
3) quando deve ser comunicado; D) fonte.
4) para quem deve ir a comunicação.
02 COMPERVE Várias interferências podem impedir que
ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO
a mensagem vá do transmissor ao receptor, as quais
podem estar onde se desenvolve o processo de
comunicação ou fora dele. Essas interferências podem
ser provenientes de
A) ambiente interno.
B) fonte de ruído.
C) ambiente externo.
D) canal.

03 COMPERVE As relações interpessoais dentro de


uma organização podem ocorrer de diversas formas
para, entre outros objetivos, criar um ambiente
agradável no trabalho e, consequentemente, aumentar a
produtividade. Nessa perspectiva, a comunicação
interpessoal é um processo que pode ocorrer
informalmente. Sobre essa forma de comunicação, é
TIPOS DE RUÍDOS: correto afirmar que
Excesso de Informação; A) está diretamente relacionada aos níveis hierárquicos da
Filtragem – Emissor;
organização, não devendo ser utilizada para desenvolver
Percepção Seletiva – Receptor;
Emoções; relações interpessoais.
Idioma/Semântica; B) depende da hierarquia ou do cargo que as pessoas
Silêncio; envolvidas ocupam, devendo ser utilizada para comunicar
Diferenças de Gênero. atos administrativos oficialmente.
C) não possui relação com os níveis hierárquicos da
Específica - IAP CURSOS

CLASSIFIÇÃO: organização e deve ser utilizada para transmitir


FORMAL - que pode ser Vertical (Ascendente – mensagens oficiais da direção, como a transferência de
Subordinado/Superior e Descendente – um funcionário para outro setor.
Superior/Subordinado) ou Horizontal/Lateral (mesmo nível D) não depende da hierarquia ou do cargo que as pessoas
de hierarquia); envolvidas ocupam, não tendo cunho oficial.

INFORMAL – Não há hierarquia, também conhecida como 04 COMPERVE O processo de comunicação acontece,
Rádio Corredor, Rádio Peão, Rede de Rumores, Rede de de duas formas: oral e não oral. São exemplos
Fofocas.... exclusivos de comunicação não oral:
34
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
A) correio eletrônico, conversas “frente a frente” e cartazes. a eficácia da comunicação. No que se refere aos ruidos
B) sms, chamadas telefônicas e cartas. da comunicação, assinale a alternativa incorreta.
C) whatsapp, contatos pessoais e mala direta. A) O excesso de mensagens que são veiculadas aos
D) outdoor, mídias impressas e e-mail. destinatários é considerado ruido de comunicação.
B) A codificação da mensagem por parte do emissor,
05 FCC As habilidades humanas relacionadas ao envio quando não é eficaz, pode se tornar um ruído no processo
e recebimento de informações, pensamentos,
de comunicação,
sentimentos e atitudes são de
C) O ruido é considerado como interferências que distorcem
A) comunicação.
B) pensamento crítico. a mensagem e impedem a transmissão e a recepção da
C) controle. informação,
D) avaliação de desempenho. D) O ruido é considerado o canal por onde a mensagem é
E) planejamento. veiculada e que permite ao receptor ter acesso à
mensagem e decodificá-la.
06 CONSULPLAN Em relação à comunicação nas
organizações, analise. 10 IDECAN A competência de comunicação deve ser
I. Uma comunicação eficaz é um processo horizontal, um objetivo básico dos administradores de
em que todos os envolvidos mantêm uma ética organizações e das pessoas de modo geral. Sobre o
relacional. passo de comunicação, é correto afirmar que
II. É possível melhorar a comunicação por meio de A) independe de um canal de comunicação.
treinamento e desenvolvimento de pessoal. B) pode conter receptor e não conter emissor.
C) as mensagens não podem ser representadas por
III. A comunicação é elemento acessório no processo
símbolos.
de busca de qualidade nas organizações.
D) o emissor e a mensagem são suficientes para compor o
Assinale processo de comunicação.
A) se apenas a afirmativa I estiver correta. E) a dificuldade de expressão do emissor, no processo de
B) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas. comunicação, denomina‐se ruído.
C) se apenas a afirmativa II estiver correta.
D) se apenas a afirmativa III estiver correta. 11 IDECAN Quanto ao processo de comunicação no
âmbito da administração pública, marque a alternativa
07 IADES A Comunicação Institucional refere-se correta.
A) ao relacionamento da empresa com o seu público interno A) o receptor é o cidadão.
e externo, por meio de diversos tipos de ferramentas. B) a mensagem pode ser verbal.
B) a divulgação dos produtos e serviços da instituição por C) a comunicação é escrita.
meio da propaganda e publicidade. D) o emissor é o servidor público.
C) ao efeito motivacional causado nos colaboradores E) É vedado o uso de símbolo.
internos para a ampliação dos valores éticos da
organização. 12 IDECAN É correto afirmar que o processo de
D) ao relacionamento entre instituições governamentais, de comunicação é composto pelas seguintes partes:
acordo com o estabelecido pelos tribunais de conta. A) canais formais, emissor, ruído e feedback.
B) receptor, ruído, canais informais e mensagem.
08 UFPE Nas relações humanas, a comunicação C) emissor, canais formais e informais, ruído e feedback.
interpessoal é imprescindível. Dessa forma, considere D) emissor, mensagem, canal, receptor, ruído e feedback.
as afirmativas a seguir. E) Ruído, canais formais e informais, receptor e mensagem.
I. Na comunicação, a técnica do ruído auxilia a
compreensão da mensagem enviada. 13 IDECAN O sistema de comunicação informal, dentro
II. A crítica construtiva, normalmente, fornece de um grupo ou organização, denomina-se
informações objetivas em relação ao comportamento A) reunião.
profissional. B) radio corredor.
III. Nas relações humanas, o sentimento de empatia C) comunicação horizontal.
tende a contribuir para um bom relacionamento. D) comunicação ascendente.
IV. O conflito pode ser considerado um fator positivo E) comunicação descendente.
para a organização, por estimular a inovação e a
criatividade. 14 IDECAN Um gerente recebeu uma avalição negativa
Assinale a alternativa correta. do desempenho da sua equipe. Surpreso com os
A) Somente as afirmativas I e II são corretas resultados, ele convocou a equipe, apresentou os
Específica - IAP CURSOS

B) Somente as afirmativas I e IV são corretas. resultados e perguntou como aquilo podia ter
C) Somente as afirmativas III e IV são corretas acontecido, se todos os relatórios e informações que
D) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. recebia dos subordinados apontavam que as
E) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. atividades estavam sendo desempenhadas sem
problemas e os resultados estavam sendo atingidos.
09 CIARR Durante um evento para os colaboradores, o Os subordinados reconheceram que muitas vezes
diretor da Mercadosul Ltda., empresa do setor varejista amenizaram as más notícias, para evitar “problemas
de vestuário, afirmou que o processo de comunicação com o chefe". Essa atitude dos subordinados indica
está sofrendo com o problema de ruidos, o que impede que ocorreu a seguinte barreira à comunicação:

35
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
A) sobrecarga de informações; maus hábitos de escuta e diferenças de percepção,
B) canal inadequado; entre outros.
C) feedback inadequado; II Para um processo de comunicação eficaz, nem
D) percepção seletiva sempre é preciso que o receptor emita um feedback da
E) filtragem mensagem recebida.
III Na escuta ativa, o emissor envia uma mensagem
15 IDECAN A resolução de problemas suficientemente clara, e o emissor, provavelmente,
intradepartamentais, a coordenação interdepartamental entenderá a maior parte do que o emissor está tentando
e as iniciativas de melhoria e mudança ensejam comunicar.
comunicação organizacional do tipo IV O feedback voltado para a melhoria do trabalho deve
A) vertical de cima para baixo. ser impessoal e descritivo, em vez de ser crítico ou
B) horizontal e vertical de baixo para cima. avaliativo.
C) vertical de baixo para cima.
D) vertical de cima para baixo e horizontal. Estão corretas apenas as afirmativas presentes nos
E) horizontal ou lateral. itens
A) I e IV.
16 IDECAN A qualidade no atendimento ao público B) II e IV.
passa por um processo de comunicação eficaz e C) I, II e III.
eficiente. Sobre esse tema, assinale a alternativa D) II, III e IV.
INCORRETA.
A) Para uma comunicação eficiente, a capacidade de falar é 20 COMPERVE A avaliação da qualidade na prestação
mais relevante que a capacidade de ouvir. dos serviços pode ser feita levando-se em conta
B) A comunicação envolve um fluxo de mão dupla. algumas dimensões. Uma das dimensões da qualidade
C) No processo de codificação/decodificação da
em serviços é a empatia , de acordo com a qual
mensagem, geralmente ocorrem distorções.
A) os funcionários transmitem confiança na organização,
D) A retroinformação (feedback) possibilita a obtenção de
uma comunicação melhor, reduzindo as distorções. bem como são corteses e têm o conhecimento para
E) Objetividade e linguagem adequada são características responder às perguntas feitas pelos usuários dos serviços.
de uma boa comunicação. B) a organização oferece o serviço correto na primeira vez,
sem cometer nenhum erro, bem como entrega o produto ou
17 CKM - O processo organizacional deve possuir em seu o serviço dentro do prazo estipulado.
escopo os elementos de como a sua comunicação é C) os funcionários da organização de serviços estão
realizada. Dessa forma, a organização deve preocupar-se dispostos a ajudar os usuários e a atender aos seus
com a comunicação em duas perspectivas: requisitos, bem como informá-los quando o serviço será
A) interna e externa. prestado.
B) rápida e precisa. D) a organização entende os problemas dos seus usuários
C) técnica e rápida. e realiza o serviço tendo em vista seus interesses, bem
D) simples e direta. como lhes dá a atenção necessária.
E) Interna e técnica.

18 COMPERVE O processo de comunicação afeta as 21 COMPERVE Os mecanismos oficiais para se


relações entre as pessoas numa organização, sendo estabelecer a comunicação dentro e fora de uma
constituído pelos seguintes elementos: Emissor, organização pública são vários, desde memorandos e
Codificação, Mensagem, Decodificação, Receptor, ofícios até avisos. Esses documentos podem ser
Feedback. Em relação a esse processo, analise as enviados por meio físico ou eletronico.
afirmações a seguir.
Independentemente da forma como são enviados, eles
I O destinatário de uma mensagem é chamado de
receptor. podem gerar problemas no processo de comunicação.
II No processo de comunicação, não há ruído nem A esse respeito, analise os itens a seguir:
interferência. I interpretação equivocada da mensagem.
III O feedback significa o retorno da informação para o II extravio do documento.
emissor.
III percepção errada da comunicação não verbal.
IV As mensagens devem ser enviadas ao receptor
através de canais adequados. IV ausência de feedback do emissor da mensagem.
Das afirmações, estão corretas São problemas de comunicação escrita oficial, em uma
A) apenas I e IV. organização pública, os constantes nos itens
B) I, III e IV. A) III e IV.
Específica - IAP CURSOS

C) II, III e IV. B) II e III.


D) apenas II e III. C) I e IV.
D) I e II.
19 COMPERVE A comunicação entre os membros de
uma organização é um processo ou fluxo que vai do GABARITO
emissor ao receptor da mensagem. Sobre esse
processo, analise as afirmativas a seguir:
I Em um processo de comunicação eficaz, são 01 B 02 B 03 D 04 D 05 A 06 C 07 A 08 E 09 D 10 E 11 B
consideradas barreiras, as diferenças de linguagem, 12 D 13 B 14 E 15 E 16 A 17 A 18 A 19 A 20 D 21 D

36
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza
MOTIVAÇÃO Necessidade de realização/ sucesso = aspira alcançar
metas elevadas
MOTIVAÇÃO denomina em psicologia e em outras Necessidade de poder = desejo de controlar os outros e
ciências humanas a condição do organismo que influenciá-los
influencia a direção do comportamento. Em outras
palavras... ...é o impulso interno que leva à ação. HERBERG: FATORES MOTIVACIONAIS E HIGIÊNICOS

Os fatores de HIGIENE, também chamados


INSATISFACIENTES, são fatores EXTRÍNSECOS, ou
exteriores ao trabalho. Para Herzberg, eles podem
causar a insatisfação e desmotivação se não atendidos,
mas, se atendidos, não necessariamente causarão a
motivação. Entre estes fatores, estão os seguintes:
“segurança, status, relações de poder, vida pessoal,
salário, condições de trabalho, supervisão, política e
administração da empresa”.
Os fatores MOTIVADORES, também chamados
SATISFACIENTES, são os fatores INTRÍNSECOS,
internos ao trabalho. Estes fatores podem causar a
satisfação e a motivação. Entre eles, estão os
seguintes: “crescimento, progresso, responsabilidade,
o próprio trabalho, o reconhecimento e a realização”

AS TEORIAS DE CONTEÚDO DA MOTIVAÇÃO


concentram-se nas necessidades internas que motivam o
comportamento. Num esforço para reduzir ou satisfazer
suas necessidades, as pessoas agem de determinadas
maneiras. Esta abordagem é associada a pensadores
como MASLOW, MCGREGOR, HERZBERG,
MCCLELLAND E ALDERFER.

MCGREGOR: TEORIA X E Y

CARACTERÍSTICAS DA TEORIA X:
O ser humano tem uma aversão natural ao trabalho;
A maioria das pessoas precisa ser controlada, dirigida,
coagida e punida, para que finalmente trabalhe;
O ser humano não consegue assumir responsabilidades;
A participação dos funcionários é um instrumento de
manipulação dos mesmos;
O líder adota um estilo autocrático.

CARACTERÍSTICAS DA TEORIA Y:
Integração entre objetivos individuais e MASLOW: HIERARQUIA DAS NECESSIDADES
organizacionais; querer se esforçar fisicamente e
mentalmente no trabalho é uma atitude tão natural, De acordo com Maslow, as necessidades
quanto querer descansar; FISIOLÓGICAS constituem a sobrevivência do indivíduo e
A maioria das pessoas busca naturalmente se auto-corrigir, a preservação da espécie: alimentação, sono, repouso,
para atingir os objetivos que propuseram alcançar; abrigo etc.
O compromisso com um objetivo depende das
recompensas que se espera receber com sua consecução; As necessidades de SEGURANÇA constituem a busca de
O ser humano não só aprende a aceitar as proteção contra a ameaça ou privação, preservação do
responsabilidades, como passa a procurá-las; emprego, moradia.
Específica - IAP CURSOS

A participação dos funcionários é uma forma de valorizar


suas potencialidades intelectuais como: imaginação, As necessidades SOCIAIS incluem a de associação, de
criatividade e engenhosidade; participação, de aceitação por parte dos companheiros,
O líder adota um estilo participativo. de troca de amizade.

MCCLELLAND: A necessidade de ESTIMA envolve a autoapreciação, a


autoconfiança, a necessidade de aprovação social e de
Necessidade de afiliação = procura relações interpessoais respeito, de status, de responsabilidade, de prestígio e
fortes, procura aprovação dos outros para suas opiniões e de consideração, além de desejo de força e de
atividades adequação, de confiança perante o mundo.
37
WWW.IAPCURSOS.COM
Específica - Wolmer Barboza

As necessidades de AUTORREALIZAÇÃO são as mais elevadas. Cada pessoa quer realizar o próprio potencial e
autodesenvolver-se continuamente, buscando autonomia, liberdade, crescimento pessoal e profissional.

TEORIA DE ALDERFER

A teoria ERG é uma teoria contemporânea e pode ser


considerada uma revisão da Teoria das Necessidades de
Abraham Maslow. Esta teoria é um modelo que surgiu em
1969 num artigo de psicologia intitulado "An Empirical Test
of a New Theory of Human Need". Numa reacção à famosa
Hierarquia de Necessidades de Maslow, Alderfer
condensou as cinco necessidades humanas de Maslow em
apenas três categorias: Existência, Relação e
Crescimento (growth em inglês).

NECESSIDADES DE EXISTÊNCIA: incluem todos os TEORIAS DE PROCESSO DE MOTIVAÇÃO


desejos materiais e fisiológicos (ex. comida, água, ar,
segurança, sexo, etc.). Corresponde aos primeiros dois Enquanto as teorias de conteúdo se preocupam
níveis de Maslow; com as necessidades, as teorias de processo procuram
verificar como o comportamento é dirigido, mantido e
NECESSIDADES DE RELAÇÃO: referem-se à motivação ativado. As Teorias de processo se concentram no
modo em que o comportamento é motivado (seria o
que as pessoas têm para manter relações interpessoais
COMO essa motivação ocorre).
(envolvimento com família, amigos, colegas de trabalho e
Os teóricos que trabalham com essas teorias
patrões). Esta categoria tem as mesmas características das
acreditam que as pessoas são mais propensas a se
Específica - IAP CURSOS

necessidades sociais de Maslow (terceiro e quarto níveis da


comportar com “motivação” se três condições
pirâmide de Maslow);
acontecem: as pessoas creem que as ações atingirão o
desempenho desejado; que esse desempenho levará ao
NECESSIDADES DE CRESCIMENTO: refere-se ao desejo
resultado buscado e o resultado é realmente desejado
intrínseco de desenvolvimento pessoal, às necessidades de
por elas
estima e auto-realização (desejo de ser criativo, produtivo e
completar tarefas importantes). Corresponde ao quinto nível Principais Teorias: Skinner, Fixação de Objetivos,
(topo da pirâmide) de Maslow. Vronn e Adams

38
WWW.IAPCURSOS.COM
SKINNER : REPETIR ATITUDE QUE EXPERIMENTA O poder obter cada resultado (que ele chama de
SUCESSO "EXPECTATIVA").

Skinner baseou suas teorias na análise das condutas Assim, para que uma pessoa esteja "motivada" a fazer
observáveis. O reforço é o elemento-chave na alguma coisa é preciso que ela, simultaneamente:
teoria S-R de Skinner. Um reforço é qualquer coisa que . atribua valor à compensação advinda de fazer essa coisa;
fortaleça a resposta desejada. Pode ser um elogio . acredite que fazendo essa coisa ela receberá a
verbal, uma boa nota, ou um sentimento de realização compensação esperada e
ou satisfação crescente. A teoria também cobre . acredite que tem condições de fazer aquela coisa.
reforços negativos - uma ação que evita uma Em termos de uma equação, essa definição poderia ser
consequência indesejada. escrita da seguinte forma:

EDWIN LOCKE E GARY LATHAM - TEORIA DA - MOTIVAÇÃO = [EXPECTATIVA] X


FIXAÇÃO DE OBJETIVOS [INSTRUMENTALIDADE] X [VALOR], o que significa que
todos os termos têm que ser maiores do que zero
Parte do princípio de que as metas devem possuir (nenhum dos fatores pode estar ausente).
características que podem provocar um maior nível de
motivação, uma vez que a falta de motivação, muitas CONCEITO DE TEORIA DA EQUIDADE
vezes, deixa o indivíduo sem direcionamento. Sendo A Teoria da Equidade, geralmente atribuída a J. Stacy
assim, é necessário que as metas sejam Adams, é uma das várias teorias sobre motivação que
sistematicamente identificadas e definidas, para coloca a ênfase na percepção pessoal do indivíduo sobre a
direcionar o comportamento do indivíduo e manter o nível razoabilidade ou justiça relativa na sua relação laboral com
de motivação elevado. No entanto objetivos fixados a organização. De facto, a Teoria da Equidade parte do
devem representar um desafio, porém devem ser princípio de que a motivação depende do equilíbrio entre o
realista. Metas difíceis exigem maior desempenho, que a pessoa oferece à organização através do sistema
contudo metas impossíveis podem desestimular e produtivo (o seu desempenho) e aquilo que recebe através
estressar o indivíduo. do sistema retributivo (a sua compensação).

TEORIA DA EXPECTATIVA - VROMM: VEI - VALÊNCIA, Segundo os autores da teoria, as pessoas sentem-se
EXPECTATIVA E INSTRUMENTALIDADE motivadas sempre que esperam receber
da organização (seja em forma monetária,
Vroom, em sua teoria da expectativa, afirma reconhecimento público, promoção, transferências, ou
que há uma interdependência entre força da inclinação outra) uma compensação justa pelos os seus esforços
e a força da expectativa de que essa ação trará certo em favor da organização. A justiça desta compensação
é avaliada pelas pessoas através da comparação entre
resultado e da atração que esse resultado exerce sobre
o que recebem outras pessoas cujos contributos são
o indivíduo.
semelhantes.
Em termos mais práticos, um funcionário sente-
se motivado a despender um esforço quando acredita que
isso resultará em uma boa avaliação de desempenho; QUESTÕES DE FIXAÇÃO
que a boa avaliação resultará em recompensas
organizacionais, como uma bonificação, um aumento de 01 COMPERVE Um dos modelos mais conhecidos da
motivação é a Hierarquia de Necessidades de Maslow,
salário ou uma promoção, e que essas recompensas
que trata do modelo da motivação humana organizada
satisfarão suas metas pessoais.
numa hierarquia de cinco níveis básicos. Os cinco
níveis básicos referentes à Hierarquia de Necessidades
de Maslow, desc ritos na ordem do mais baixo para o
mais alto, são
A) necessidade de segurança; necessidade social;
necessidade de realização pessoal; necessidade fisiológica;
necessidade do ego.
B) necessidade fisiológica; necessidade de segurança;
necessidade social; necessidade do ego e necessidade de
realização pessoal.
C) necessidade fisiológica; necessidade de realização
pessoal; necessidade social; necessidade de segurança;
necessidade do ego.
D) necessidade de segurança; necessidade fisiológica;
necessidade de real ização pessoal; necessidade do ego e
necessidade social.

. do valor que ela atribui ao resultado advindo de cada 02 COMPERVE Umas das teorias mais conhecidas
alternativa (que ele chama de "VALÊNCIA"); sobre motivação é a Teoria da Hierarquia das
Necessidades, de Maslow, que considera a existência
. da percepção de que a obtenção de cada resultado está de uma hierarquia composta por cinco necessidades:
fisiológicas, de segurança, sociais, de estima e de
ligada a uma compensação (que ele chama de
autorrealização. As necessidades de estima são
"INSTRUMENTALIDADE") e da expectativa que ela tem de satisfeitas por meio de
A) proteção física, moradia e estabilidade no emprego.

39
B) afeição, aceitação e sentimento de pertencer a um para uma área que não era de seu interesse pessoal. O
grupo. motivo que o levou a fazer essa inscrição é a
C) crescimento, autodesenvolvimento e promoção. dificuldade em manter financeiramente o sustento de
D) status, reconhecimento e autonomia. sua família. A situação acima descrita envolve uma
motivação baseada em uma necessidade
03 FEPESE Analise o texto abaixo: A) social B) fisiológica C) de estima
Dentro da teoria motivacional, o cientista ........................ D) de segurança E) de realização
emitiu o conceito do reforço no comportamento, ou
seja, o trabalhador que experimenta o sucesso após 09 IBFC As sentenças abaixo discorrem sobre
assumir uma atitude tende a repetir aquela atitude, e
motivação. Baseado no tema, analise estas sentenças,
um comportamento recompensado tende a ser
e assinale a alternativa correta:
repetido.
Assinale a alternativa que completa corretamente a
lacuna do texto. I. Pode-se dizer que a motivação para o trabalho é um
A) skinner B) maslow C) vromm D) herzberg E) McGregor estado psicológico de disposição, interesse ou vontade
de perseguir, realizar uma meta, uma tarefa.
04 FGV Segundo a Hierarquia das Necessidades de II. A pessoa motivada para o trabalho apresenta uma
Maslow, a amizade dos colegas no trabalho é uma disposição favorável ou positiva para a realização deste
necessidade do tipo: trabalho.
A) fisiológica; B) de segurança; C) social; III. A motivação para o trabalho é resultante de uma
complexa interação entre motivos externos e internos,
D) de estima; E) de autorrealização.
não sendo influenciada pelos estímulos vindos das
situações e nem do ambiente.
05 FCC A Teoria da Hierarquia das Necessidades parte
do princípio de que as pessoas são motivadas Estão corretas as afirmativas:
continuamente pela satisfação de suas necessidades, A) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
que obedecem a uma hierarquia. As necessidades que B) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.
têm relação com as possibilidades de desenvolvimento C) Apenas as afirmativas II e III estão corretas.
das capacidades e talentos das pessoas são D) Todas as afirmativas estão corretas.
conhecidas por: E) Nenhuma afirmativa está correta.
A) autorrealização;
B) estima e prestígio; 10 COMEPRVE A motivação para o trabalho das
C) sociais; pessoas é resultante de uma interação complexa entre
D) segurança;
os seus motivos pessoais e os estímulos do ambiente
E) fisiológicas e de sobrevivência.
de trabalho. Segundo Maslow, as pessoas são
motivadas por uma espécie de hierarquia de
06. FUNRIO A motivação pode ser definida como o necessidades, que partem da base até o topo da
desejo de exercer altos níveis de esforço em direção a pirâmide. Considerando essa direção, as necessidades
determinados objetivos. A teoria da motivação proposta pessoais são:
por Herzberg é conhecida como a teoria dos fatores A) sociais, de estima, de autorealização, de segurança e
satisfacientes e insatisfacientes. NÃO consiste em um fisiológicas.
B) de segurança, fisiológicas, de estima, autorrealização e
fator satisfaciente:
sociais.
A) a realização pessoal;
C) fisiológicas, de segurança, sociais, de estima e de
B) o progresso profissional;
autorrealização.
C) as condições de trabalho;
D) de autorrealização, de estima, de segurança, fisiológicas
D) o trabalho em si;
E) a responsabilidade. e sociais.

07 IDECAN As teorias organizacionais e administrativas 11 COMPERVE Uma determinada organização promove


sempre foram responsáveis pela introdução de várias mensalmente, com a presença do diretor da unidade,
concepções acerca da motivação. Na teoria dos dois um momento recreativo, durante o qual são
fatores, Frederick Herzberg, através de ampla pesquisa comemorados os aniversários do mês. Esse tipo de
de campo, observou que os fatores responsáveis pela ação contribui para melhorar o relacionamento
motivação eram substancialmente diferentes daqueles interpessoal entre os seus servidores. Nessa
que determinavam a insatisfação e a desmotivação no oportunidade, o servidor estará satisfazendo
trabalho. Definiu que os fatores motivacionais seriam, determinadas necessidades, que são denominadas por
EXCETO: Maslow como
A) O salário. A) necessidades sociais.
B) A realização. B) necessidade de segurança.
C) O reconhecimento. C) necessidade de reforço da autoestima.
D) O exercício de responsabilidade. D) necessidade de estímulo à autorealização.
E) As possibilidades de crescimento. 12 Ano: 2017Banca: COMPERVEÓrgão: UFRNProva:
08 FUNRIO Por já estar há dois anos desempregado, Assistente em Administração
um profissional inscreveu-se em um concurso público

40
Segundo a teoria dos dois fatores proposta por - O líder é um membro normal do grupo, porém sem
Herzberg, são exemplos de fatores motivacionais no encarregar-se muito das tarefas. É objetivo e limita-se
aos fatos em suas críticas e elogios.
trabalho:
A) políticas da organização, salários e reconhecimento do ▪ LIBERAL: LAISSEZ-FAIRE
trabalho. - O grupo tem toda a liberdade para decidir, o líder
B) realização pessoal, reconhecimento do trabalho e participa minimamente.
responsabilidade. - O líder tem uma participação limitada nos debates,
C) responsabilidade, condições de trabalho e relações com apresentando materiais variados ao grupo, e fornecendo
os colegas. alguma informação se solicitada.
- O líder não participa; tanto a divisão das tarefas
D) realização pessoal, prêmios de produção e relação com quanto a escolha de companheiros fica a cargo do grupo.
a chefia. - O líder não avalia nem regula o curso dos
acontecimentos.
13 Ano: 2017Banca: COMPERVEÓrgão: UFRNProva:
Assistente em Administração RELAÇÃO DE LIDERANÇA VOLTADA PARA PESSOAS
A motivação das pessoas na organização pode ser E VOLTADA PARA RESULTADOS
explicada por meio da Hierarquia de Necessidades de
Segundo os estudos da Universidade de Michigan os
Maslow. Uma das necessidades é a de estima, que líderes orientados para o empregado acentuam o
inclui fatores como aspecto de relacionamento da sua função. Acham que
A) autorrespeito, autonomia, senso de competência e cada empregado é importante e se interessam por cada
status. um, aceitando sua individualidade e suas necessidades
B) afeição, filiação, amizade e aceitação social. pessoais. Já a orientação para a produção enfatiza a
produção e os aspectos técnicos da função;
C) segurança e proteção contra ameaça ou perigo físico e
emocional. - LIDERANÇA SITUACIONAL (RELAÇÃO ENTRE L
D) impulso de ser aquilo que é capaz de ser e de maximizar O conceito de liderança situacional é bem
as aptidões. simples, esse tipo de liderança é voltado para situações
diferentes, ou seja, ela se adequa a diferentes tarefas
propostas; é o estilo que tem de se ajustar à situação.
GABARITO
O principal problema que essa teoria busca resolver é
descobrir qual estilo deve ser usada em cada situação.
01 B 02 D 03 A 04 C 05 A 06 C 07 A 08 B 09 A 10 C 11 A
12 B 13 A A GRADE GERENCIAL
Blake e Mouton (citados por CHIAVENATO, 1999)
LIDERANÇA criaram uma grade gerencial para mostrar que a
preocupação com a produção e a preocupação com as
pessoas são aspectos complementares e não mutuamente
Liderança é a influência interpessoal exercida excludentes. Para eles, os líderes devem unir essas duas
numa situação e dirigida através do processo da preocupações, a fim de conseguir resultados eficazes das
comunicação humana à consecução de um ou de pessoas. No grid gerencial, cinco tipos diferentes de
diversos objetivos específicos (Tannenbaum). liderança baseados na preocupação com a produção
(tarefa) e pessoas (relacionamento) são dispostos em dois
A Teoria dos Três Estilos de Liderança eixos: o eixo horizontal se refere à preocupação com a
produção, isto é, com o trabalho a ser realizado, enquanto
ESTILOS DE LIDERANÇA - SOBRE A PERSONALIDADE que o eixo vertical se refere à preocupação com as
DO LIDER pessoas, isto é, com sua motivação, liderança, satisfação,
comunicação, etc. Cada eixo está subdividido em nove
graduações. A graduação mínima é 1 e significa
▪ AUTOCRÁTICA:
pouquíssima preocupação por parte do administrador. A
- Diretrizes fixadas pelo líder, sem a participação do
graduação máxima é 9 e significa a máxima preocupação
grupo. possível. A Figura abaixo ilustra a grade gerencial.
- O líder determina as providências e as técnicas para a
execução das tarefas, uma de cada vez, conforme a
necessidade, sendo assim, imprevisíveis para o grupo.
- O líder determina a tarefa a ser executada e qual o
companheiro de trabalho de cada um.
- O líder é dominador e pessoal, tanto nos elogios quanto
nas críticas ao trabalho de cada membro.

▪ DEMOCRÁTICA:
- Diretrizes debatidas e decididas pelo grupo com a
assistência e estímulo do líder.
- O grupo esboça as providências e técnicas para a
execução das tarefas, solicitando ao líder aconselhamento
quando necessário. Sempre que solicitado o líder oferece
duas ou mais alternativas, provocando o debate no grupo.
- A divisão de tarefas fica a cargo do grupo e cada ...o administrador deve avaliar o seu estilo de liderança e
membro escolhe seus companheiros de trabalho. verificar onde está situado na grade gerencial. O objetivo é
tentar gradativamente movê-lo para atingir o estilo 9.9, que

41
constitui o estilo da excelência gerencial: a ênfase na PODER DO TALENTO (OU DE PERÍCIA): É a influência
produção e nos resultados, simultaneamente com a ênfase exercida por alguém pela perícia, por uma habilidade
nas pessoas e nas atitudes e comportamentos específica ou conhecimento que possui.
(CHIAVENATO, 1999, cap. 16, p 569).
PODER DE REFERÊNCIA OU REFERENTE: Baseia-se
A LIDERANÇA SERVIDORA na identificação com uma pessoa por esta possuir
A liderança servidora na administração recursos ou traços desejáveis. É semelhante ao
consiste em aplicar o pensar não somente nos carisma. Surge do desejo de se parecer com alguém com
negócios, mas também nas pessoas. Essa é talvez a características admiráveis.
mais importante mudança que deve ocorrer nas
empresas para torná-las mais competitivas no mercado. QUESTÕES DE FIXAÇÃO
LACERDA (2005) relata que o maior propósito
dessa liderança é ajudar a sua equipe a se desenvolver, 01 COMPERVE Suponha que o ocupante da pasta da
é estar mais preocupado em servir os seus liderados, Secretaria de Administração de uma determinada
do que apenas dar ordens. É aquele que percebe que o Prefeitura defendia a estrutura formal linear que
seu sucesso depende diretamente de sua equipe.
predominava na organização. Mandava quem detinha
Pensando e agindo assim, recebe mais retornos que os
alguma posição de chefia. O restante do pessoal tinha
outros tipos de liderança. Trata-se de um líder
espiritualizado, que ajuda em vez de ser servido e acima de de obedecer às ordens recebidas. Essa é uma
tudo é ético. característica predominante no estilo de liderança
A) Autocrática.
LIDERANÇA CARISMÁTICA B) Democrática.
Em uma base sólida, quando o contexto organizacional C) Liberal.
é mais estável, líderes com características ou D) Situacional.
qualidades pessoais como carisma, propósito e
realização ajudam a influenciar, persuadir e inspirar os 02 COMPERVE No ambiente de trabalho, os líderes e os
liderados, talvez até fazendo com que eles tornem-se seus liderados encontram-se numa relação de influência
súditos fiéis rumo aos objetivos e metas organizacionais.
recíproca. No estilo de liderança democrática
No entanto, quando o contexto organizacional se
encontra menos estável, líderes carismáticos podem A) as diretrizes são debatidas pelo grupo, que é estimulado
não possuir os atributos substanciais para exercer a e assistido pelo líder.
liderança (por exemplo, competência, autoconhecimento e B) o líder fixa apenas as diretrizes, sem qualquer
a preocupação com os outros). O seu jeito influenciador e participação do grupo.
sedutor pode ofuscar a sua incompetência. C) as decisões grupais ou individuais independem da
participação do líder.
LIDERANÇA TRANSACIONAL OU DIRETIVO D) o líder está muito mais preocupado com a tarefa do que
Robbins define o líder transacional como "tipo de líder que com o que o grupo executa.
guia ou motiva seus seguidores na direção de metas
estabelecidas, esclarecendo as exigências do papel e 03 COMPERVE Liderança faz parte das relações
da tarefa." Ou seja, são líderes que valorizam o trabalho
interpessoais. Nesse sentido, há relação contínua de
padronizado e tarefas orientadas.
trocas entre líderes e liderados. O líder que se preocupa
LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL OU muito com o dia a dia da organização e com a
INCENTIVADORA realização das tarefas, objetivando o alcance das
Robbins destaca que "a liderança transformacional é metas, assume um estilo de liderança
aquela em que os líderes oferecem considerações A) servidora.
individualizadas e estímulo intelectual a seus liderados, B) autocrática.
além de possuírem carisma." C) democrática.
D) transacional.
SEGUNDO FRENCH E RAVEN SÃO CLASSIFICADAS
CINCO BASES OU FONTES DE PODER:
04 COMPERVE Nas organizações, as pessoas estão em
PODER COERCITIVO (COERÇÃO): É aquela baseada no constante interação. Realizam trocas, comunicam-se,
medo. A pessoa se submete ao poder de outra por medo influenciam e são influenciadas pelos membros do
das consequências negativas do comportamento. Emana, grupo em diversas situações. Cabe aos líderes
portanto, da aplicação (ou possibilidade) de sanções. direcionarem esforços para evitar problemas de
relacionamento interpessoal que possam afetar o clima
PODER DE RECOMPENSA: Baseada no benefício que
da organização. Sobre as relações humanas nas
outra pessoa pode ofertar. Vista como oposta ao poder de
coerção. Uma pessoa se submete ao poder de outra porque organizações, analise as afirmações a seguir:
esta pode distribuir recompensas consideradas por aquela I As relações de poder e liderança não exercem
como valiosas. influência sobre as relações interpessoais nas
organizações.
PODER LEGÍTIMO/LEGITIMADO (DE POSIÇÃO OU II O trabalho em equipe é influenciado pela forma como
LEGITIMIDADE): Representa o poder que uma pessoa as pessoas lidam com as diferenças individuais.
recebe pela posição hierárquica formal na organização. III Os conflitos entre a cultura da organização e os
É a aceitação da autoridade de um cargo. valores individuais podem gerar conflitos nas relações
interpessoais.

42
IV As pessoas devem realizar julgamento prévio das 09 FCC A divisão dos poderes de decisão entre o chefe
ações dos outros integrantes da equipe como forma de e a equipe é uma característica do estilo de liderança
denominado
agilizar o trabalho.
A) situacional.
Dentre as afirmações, estão corretas B) autocrático.
A) II e III. C) laissez-faire.
B) I e II. D) demagogo.
C) III e IV. E) democrático.
D) I e IV.
10 FCC O tema da liderança nas organizações tem sido
objeto de estudo na literatura e apresenta diferentes
05 COMPERVE As relações interpessoais na
abordagens, dentre elas, as denominadas teorias
organização são muito influenciadas pelo tipo de poder
situacionais, as quais apontam, entre outros preceitos:
exercido pelos chefes ou superiores. No poder de A) a importância da ênfase na produção e nas tarefas,
competência, os liderados relativizando o papel das características pessoais do líder.
A) percebem que o fracasso em atender às exigências do B) que a liderança é uma condição inata das pessoas,
líder poderá levá-los a sofrer algum tipo de punição. passível de transmissão apenas em situações peculiares.
B) identificam o líder como alguém que detém certos C) a possibilidade do desenvolvimento de traços de
conhecimentos ou que domina certos conceitos que personalidade ligados às tarefas, sendo inviável
excedem os seus. desenvolver aqueles ligados à gestão.
C) esperam ganhar alguma recompensa, incentivo, elogio D) que o líder deve agir de acordo com as contingências e
ou reconhecimento pelo seu trabalho. situações apresentadas pelo ambiente.
E) que fatores exógenos não influenciam o comportamento
D) admiram o líder por alguns traços de sua personalidade
do líder autêntico, eis que este deve sempre ter o domínio
e pelo carisma que possuem.
da equipe.

06 Ano: 2017Banca: COMPERVEÓrgão: UFRNProva: 11 FCC Teorias situacionais ou contingenciais apontam


Assistente em Administração para dois tipos de liderança: as orientadas para
A postura do líder pode ser explicada de acordo com pessoas e as orientadas para
várias teorias. Uma delas é a dos estilos de liderança, A) autoridade.
que define a conduta do líder como B) tarefas.
A) Inteligente, Otimista e Criativo. C) poder.
D) liberdade.
B) Orientada para as tarefas e Orientada para as pessoas.
E) recompensas.
C) Autocrática, Liberal e Democrática.
D) Habilidade de interpretar objetivos e Facilidade em 12 FCC A respeito do conceito de liderança, segundo
orientar pessoas. um dos modelos de análise comportamental dos líderes
conhecido por Grid (ou grade) Gerencial, o gestor
07 FCC Neste modelo de liderança, o líder não tem orienta a ação para:
facilidade em escutar e dialogar com os seus liderados. I. ênfase na produção: preocupação com os resultados
Tem sua ideia e forma de trabalho como sendo única, dos esforços dos subordinados, isto é, com os
por isso, sempre impõe às pessoas como elas devem resultados das tarefas.
conduzir situações e realizar trabalhos. Na grande
II. ênfase nas pessoas: preocupação com as pessoas,
maioria das vezes, não tem um bom relacionamento sejam subordinadas, colegas ou chefes.
com as pessoas, o que faz com que o clima da III. binômio autoridade/participação: foco nas relações
organização seja desfavorável; e sua liderança é interpessoais e consequências para os processos
orientada para tarefas. Trata-se do modelo
produtivos.
A) situacional.
B) bidimensional. Está correto o que consta APENAS em
C) democrático. A) II.
D) liberal.
B) III.
E) autocrático.
C) I.
08 FCC Considerando as lideranças Autocrática e D) I e II.
Democrática, é correto afirmar que o líder E) I e III.
A) autocrático é amigável, enquanto o líder democrático
dedica parte significativa de seu tempo à orientação dos 13 FCC A influência exercida pelo líder em virtude da
integrantes de sua equipe. afeição e do respeito que as pessoas têm por ele
B) democrático toma decisões sem consultar a equipe, denomina-se poder
enquanto o líder autocrático insiste na necessidade de se A) situacional.
cumprir uma meta. B) legítimo.
C) autocrático pede opinião ou sugestões, enquanto o líder C) do saber.
democrático toma decisões sem consultar a equipe. D) circunstancial.
D) autocrático dá ênfase à cobrança da avaliação do E) referente.
desempenho dos seus funcionários, enquanto o líder 14 FCC Trata-se de comportamento de liderança
democrático é amigável. caracterizado por amabilidade e preocupação como
E) democrático define com precisão as responsabilidades bem estar, a prosperidade e as necessidades dos
individuais e designa tarefas específicas para pessoas
colaboradores. Este estilo é denominado liderança
específicas, enquanto o líder autocrático toma decisões
a) flexível.
sem consultar a equipe.
b) incentivadora.

43
c) orientada para resultados. exata e confiável. Assim, o ato de registrar informações
d) situacional. possibilita a geração de documentos.
e) diretiva. Sob essa perspectiva, é correto afirmar:
A) no estado verbal, a informação constitui um instrumento
15 FCC Um líder chama seu colaborador e explica-lhe confiável.
detalhamente o que ele deve fazer, oferecendo-lhe B) a função para a qual o documento é criado determina
diretrizes claras e estabelecendo padrões de
seu uso e o destino de seu armazenamento.
desempenho bem definidos, assim como indicando
C) a confiabilidade da informação depende do suporte.
controles e impondo-lhe comportamentos que
garantam que todas as regras e procedimentos sejam D) O registro da informação ocorre de maneira homogênea.
cumpridos. Esse líder prioritariamente está utilizando
um estilo de liderança 04. COMPERVE Os documentos produzidos por uma
A) transformacional. entidade pública ou privada e que apresentam as
B) democrático. características de prova e de prazo destinam-se a
C) inspirador. A) museus.
D) participativo. B) bibliotecas.
E) diretivo. C) hemerotecas.
D) arquivos.
GABARITO
05 UFT Em relação ao arquivo, NÃO se pode afirmar que:
01A 02A 03NULO 04A 05B 06C 07E 08D 09E 10D A) É um conjunto de documentos produzidos e acumulados
11B 12D 13E 14B 15E por uma entidade coletiva pública.
B) É um conjunto de documentos produzidos e acumulados
ITEM 02- TÉCNICAS DE ARQUIVO E CONTROLE DE por uma entidade coletiva privada.
DOCUMENTOS: CLASSIFICAÇÃO, CODIFICAÇÃO, C) É um conjunto de documentos produzidos e acumulados
CATALOGAÇÃO E ARQUIVAMENTO DE por uma pessoa ou família.
DOCUMENTOS. D) A natureza do suporte é o que determina se o conjunto
de documentos é arquivo ou não.
CONCEITO DE ARQUIVO (Lei 8.159/1991)
Art. 2º Consideram-se arquivos, para os fins desta lei, os CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS
conjuntos de documentos produzidos e recebidos por
órgãos públicos, instituições de caráter público e entidades QUANTO AO GÊNERO:
privadas, em decorrência do exercício de atividades
específicas, bem como por pessoa física, qualquer que
Refere-se à maneira de representar o documento de
seja o suporte da informação ou a natureza dos
acordo com o seu suporte.
documentos.
INFORMAÇÃO + SUPORTE = DOCUMENTO
Textuais: Documentos escritos.
Iconográficos: Documentos com imagens estáticas.
E Documento Arquivístico? É a informação registrada
Exemplos:
independente da forma ou do suporte, produzida ou
fotografias, desenhos, negativos, diapositivos, gravuras.
recebida no decorrer das atividades de uma instituição ou
Cartográficos: mapas e plantas.
pessoa, dotada de organicidade, que possui elementos
Micrográficos: microfilmes.
constitutivos suficientes para servir de prova dessas
Sonoros: Documentos cuja informação esteja em forma de
atividades.
som.
Filmográficos: Filmagens. Vídeos.
01 COMPERVE As entidades públicas ou privadas
Informáticos/Digitais: Documentos em meio digital.
produzem determinados documentos que apresentam as
características de prova e de prazo. Esses documentos
A questão do concurso 2016.1 – foi tirado do
destinam -se a:
documento, abaixo destacado:
A) museus.
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivos_set
B) bibliotecas.
oriais/apostila_secretarias.pdf
C) arquivos.
D) escolas.
Configuração que assume um documento de acordo
02 COMPERVE - Arquivo pode ser conceituado como um com o sistema de signos utilizados na comunicação de
conjunto de documentos produzidos e acumulados por uma seu conteúdo.
entidade coletiva pública ou privada, pessoa ou família, no Exemplos: audiovisual (filmes); fonográfico (discos, fitas);
desempenho de suas atividades, independentemente da
iconográfico (obras de arte, fotografias, negativos, slides,
natureza dos suportes.
Sobre os arquivos, é cor reto afirmar: microformas); textual (documentos escritos de uma forma
A) São locais que não devem ter contato com as demais geral); tridimensionais (esculturas, objetos, roupas);
áreas da organização magnéticos/informáticos (disquetes, CD-ROM, etc).
B) Exercem função estratégica para as organizações. QUANTO À NATUREZA DO ASSUNTO
C) Servem apenas para guardar documentos fora de uso.
D) Guardam a memória histórica individual e coletiva, fatos, SIGILOSOS: Documentos que, por sua natureza, devam se
leis, criações científicas, etc. de conhecimento restrito e, portanto, requeira medidas
especiais de salvaguarda para sua custódia e divulgação.
03.COMPERVE Para que a informação seja vista como um (DIVIDEM EM: ULTRA-SECRETOS (25 anos),
instrumento de comunicação e de fornecimento de dados, é SECRETOS (15 anos) E RESERVADOS (05 anos).
necessário que seja efetuado um registro para torná-la

44
A Lei no 12.527/2011, no seu art. 35, inciso III,
parágrafo 2o, fala sobre a prorrogação apenas para a Formato (pág 14): é a configuração física de um suporte
informação “ultrassecreta”, uma única vez. de acordo com a sua natureza e o modo como foi
confeccionado:
INFORMAÇÕES PESSOAIS http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivos_set
oriais/apostila_secretarias.pdf
Art. 31. O tratamento das informações pessoais deve
06 IDECAN No âmbito da classificação dos documentos,
ser feito de forma transparente e com respeito à
caderno, declaração, declaração de bens, papel e cópia
intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas,
são, respectivamente, exemplos de:
bem como às liberdades e garantias individuais. A) tipo, forma, formato, suporte e espécie.
§ 1o As informações pessoais, a que se refere este artigo, B) forma, tipo, espécie, suporte e formato.
relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem: C) espécie, forma, tipo, formato e suporte.
I - terão seu acesso restrito, independentemente de D) formato, espécie, tipo, suporte e forma.
classificação de sigilo e pelo prazo máximo de 100 E) suporte, tipo, espécie, formato e forma.
(cem) anos a contar da sua data de produção, a
agentes públicos legalmente autorizados e à pessoa a 07 FCC Do ponto de vista documental, um relatório de
que elas se referirem; e prestação de contas é exemplo de
II - poderão ter autorizada sua divulgação ou acesso por A) tipo. B) forma. C) formato. D) espécie. E) gênero.
terceiros diante de previsão legal ou consentimento
expresso da pessoa a que elas se referirem. 08 IDECAN Considerando a terminologia arquivística e as
§ 2o Aquele que obtiver acesso às informações de que características e atributos dos documentos arquivísticos, é
trata este artigo será responsabilizado por seu uso correto afirmar que sigiloso, atestado de frequência,
certidão, textual, caderneta, rascunho e pergaminho são,
indevido.
respectivamente,
A) espécie, natureza do assunto, forma, suporte, tipo,
OSTENSIVOS: Documentos cuja divulgação não prejudica
formato e gênero.
a administração. B) espécie, tipo, formato, suporte, forma, natureza do
assunto e gênero.
QUANTO A ESPÉCIE E TIPO C) natureza do assunto, espécie, tipo, gênero, forma,
formato e suporte.
ESPÉCIE é a configuração que assume um documento de D) natureza do assunto, tipo, espécie, gênero, formato,
acordo com a disposição e a natureza das informações nele forma e suporte.
contidas. Exemplos: boletim, certidão, declaração e E) tipo, natureza do assunto, formato, suporte, gênero,
relatório. espécie e forma.

Espécie: é a configuração que assume um documento de 09 UFGO As organizações desenvolvem diversas


acordo com a disposição e a natureza das informações atividades de acordo com as suas atribuições, e os
nesse contidas. documentos a ela inerentes refletem essas atividades,
A questão do concurso 2016.1 – foi tirado do porque fazem parte do conjunto de seus produtos. Portanto,
documento, abaixo destacado: sao variados os tipos de documentos por ela produzidos e
acumulados, bem como são diferentes as configurações em
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivos_set
que se apresentam dentro de um arquivo. As classificações
oriais/apostila_secretarias.pdf de documentos de um arquivo são:
A) forma, espécie, gênero e tipo de documento.
TIPOLOGIA DOCUMENTAL é a configuração que assume B) tamanho, objetivo, destinatário e emissor.
uma espécie documental, de acordo com a atividade que a C) destinatário, emissor, objeto e processo.
gerou. Exemplos: boletim de ocorrência, boletim escolar, D) finalidade, processo, emissor e destinatário.
certidão de nascimento e declaração de bens.
10 UFT A classificação de segurança refere-se:
A) Ao arquivo de segurança.
Tipo de documento: é a configuração que assume um
B) À alienação de um documento.
documento de acordo com a atividade que a gerou.
C) Aos graus de sigilo.
A questão do concurso 2016.1 – foi tirado do
D) À sigilografia.
documento, abaixo destacado:
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivos_set PRINCIPIOS
oriais/apostila_secretarias.pdf PRINCÍPIO DA PROVENIÊNCIA OU DO RESPEITO AOS
FUNDOS - Princípio básico da arquivologia segundo o qual
FORMA o arquivo produzido por uma entidade coletiva, pessoa ou
família não deve ser misturado aos de outras entidades
É classificação relacionada quanto à forma do seu estágio produtoras.
de preparação do documento. São as formas documentais: FUNDO – Conjunto de Documentos da mesma
Rascunho ou Minuta; Original e Cópia.
proveniência.
FORMATO
Existe uma diferença entre FUNDO ABERTO E FUNDO
Denomina-se formato de um documento o seu aspecto FECHADO.
físico, independente da informação nele registrada. São PRINCÍPIO DA INDIVISIBILIDADE - Os fundos de arquivo
formatos documentais, a Ficha, livro, caderno devem ser preservados sem dispersão, mutilação,
alienação, destruição não autorizada ou adição indevida,
A questão do concurso 2016.1 – foi tirado do preservando a integridade do conjunto.
documento, abaixo destacado: PRINCÍPIO DA UNICIDADE - Não obstante, forma, gênero,
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivos_set tipo ou suporte, os documentos de arquivo conservam seu
oriais/apostila_secretarias.pdf
45
caráter único, em função do contexto em que foram  Servir a Administração (Pode ser considerada a
produzidos. principal finalidade);
PRINCÍPIO DO RESPEITO À ORDEM ORIGINAL - Os  Servir a História;
documentos devem ser mantidos no arquivo na mesma  Guarda;
ordem que lhe foi atribuída nos setores que os criaram.  Preservação e
Não se explica quando os documentos na fase corrente não  Consulta as informações disponíveis em seu
receberam uma organização adequada. acervo.
PRINCÍPIO DA ORGANICIDADE - O acervo deve refletir
a estrutura interna e as competências / atribui- ções de Função do arquivo: A função básica do arquivo é tornar
seu órgão produtor, mantendo a inter-relação dos disponíveis as informações contidas no acervo
conjuntos de um fundo. documental sob sua guarda.
PAES, Marilena Leite. Arquivo: Teoria e Prática. 3. ed. Rio
PRINCÍPIO DA CUMULATIVIDADE/NATURALIDADE - o
de Janeiro : FGV, 2004. p. 20
arquivo é uma formação progressiva, natural e orgânica.
PRINCIPIO DA TERRITORIEDADE – O arquivo deve está Finalidades dos arquivos: A principal finalidade dos
na mesma base territorial de quem produziu ou acumulou. arquivos é servir à administração, constituindo-se, com o
decorrer do tempo, em base do conhecimento da
EXISTEM DIFERENÇAS ENTRE ARQUIVO X MUSEU X história.
BIBLIOTECA X CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO, VOCÊ PAES, Marilena Leite. Arquivo: Teoria e Prática. 3. ed. Rio
SABIA? de Janeiro : FGV, 2004. p. 20

O ARQUIVO é órgão receptor (recolhe naturalmente o 11 COMPERVE. Os documentos produzidos por uma
que produz a administração pública ou privada à qual entidade pública ou privada e que apresentam
serve) e em seu acervo os conjuntos documentais características de unicidade, de prova e de prazo destinam-
estão reunidos segundo sua origem e função, isto é, se a
suas divisões correspondem ao organograma da A) hemerotecas.
respectiva administração; os objetivos primários do B) bibliotecas.
arquivo são jurídicos, funcionais e administrativos e os C) arquivos.
D) museus.
fins secundários serão culturais e de pesquisa
histórica, quando estiver ultrapassado o prazo de 12 COMPERVE Quanto aos princípios arquivísticos, é
validade jurídica dos documentos (em outras palavras, correto afirmar que eles se constituem por
quando cessarem as razões por que foram criados); e a A) preservabilidade, institucionalidade, unicidade,
fonte geradora é única, ou seja, é administração ou a indivisibilidade, cumulatividade.
pessoa à qual o arquivo é ligado. (BELLOTTO, 2006, B) preservabilidade, organicidade, confiabilidade,
p.38). indivisibilidade, permeabilidade.
C) proveniência, confiabilidade, unicidade,
A BIBLIOTECA é órgão colecionador (reúne institucionalidade, permeabilidade.
artificialmente o material que vai surgindo e D) proveniência, organicidade, unicidade, indivisibilidade,
interessando à sua especialidade), em cujo coleção as cumulatividade.
unidades estão reunidas pelo conteúdo (assunto); os 13 COMPERVE O Dicionário Brasileiro de Terminologia
objetivos dessa coleção são culturais, técnicos e Arquivística (2005) define o Princípio da Proveniência como
científicos; e seus fornecedores são múltiplos (diferentes sendo o:
livrarias, editoras, empresas gráficas, empresas a) “princípio básico da museologia, segundo o qual a massa
jornalísticas, laboratórios de microfilmes etc.). falida produzida por uma ent idade coletiva, pessoa ou
(BELLOTTO, 2006, p.38). família não deve ser misturada à de outras entidades
produtoras”.
O MUSEU é órgão colecionador, isto é, a coleção é B) “princípio básico, segundo o qual o arquivo deveria
artificial e classificada segundo a natureza do material conservar o arranjo dado pela entidade coletiva, pessoa ou
e a finalidade específica do museu a que pertence; e família que o produziu”.
seus objetivos finais são educativos e culturais, C) “princípio básico do arquivo, segundo o qual as
fotografias produzidas por uma entidade coletiva, pessoa ou
mesmo custodiando alguns tipos de documentos
família não devem ser misturadas às de outras entidades
originariamente de cunho funcional. (BELLOTTO, 2006, produtoras”.
p.39). D) “Princípio básico da arquivologia, segundo o qual o
arquivo produzido por uma entidade coletiva, pessoa ou
O CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO representa uma
família não deve ser misturado aos de outras entidades
mescla das entidades anteriormente caracterizadas, sem
produtoras”.
se identificar com nenhuma delas. Reúne, por compra,
doação ou permuta, documentos únicos ou múltiplos de 14 COMPERVE. A moderna arquivística dentro dos seus
origens diversas (sob a forma de originais ou cópias) e/ou princípios teóricos aplica-se a:
referências sobre uma área específica da atividade A) coleções de instituições públicas e privadas.
humana. Esses documentos e referências podem ser B) arquivos e acervos de bibliotecas.
tipificados como de arquivo, biblioteca e/ou museu C) acervos arquivísticos privados e públicos.
D) coleções arquivísticas de grande porte.
FUNÇÃO E FINALIDADES DO ARQUIVO
15 COMPERVE. Os princípios arquivísticos são a base da
FUNÇÃO DO ARQUIVO:
Guardar e organizar os documentos, tornando-os teoria arquivística e responsáveis por diferenciá-la das
disponíveis as informações mantidas sob sua guarda. demais ciências documentais. Nesse sentido, quando
tratamos do Principio da Integridade Arquivística estamos
FINALIDADES DO ARQUIVO: fazendo referência ao fato de que
46
A) os arquivos demonstram uma formação progressiva, I – a qualidade segundo a qual os arquivos espelham a
natural e orgânica. estrutura, funções e atividades da entidade
B) os arquivos devem ser preservados em obediência à produtora/acumuladora em suas relações internas e
competência e às atividades da instituição responsável pela externas;
II – o arquivo é uma formação progressiva, natural e
produção dos documentos.
orgânica.
C) os arquivos espelham a estrutura, funções e gêneros
Referem-se, respectivamente, aos princípios:
dos documentos da instituição. A) unicidade e organicidade;
D) os documentos e os respectivos fundos devem ser B) cumulatividade e organicidade;
preservados sem mutilação, alienação, dispersão, adição C) organicidade e cumulatividade;
ou destruição não permitida. D) organicidade e unicidade;
E) integridade e organicidade.
16 IFPB Quanto ao contexto arquivístico, Não se configura
como Princípio Arquivístico: CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS:
A) Princípio da Proveniência ou do Respeito aos Fundos. Os Arquivo podem ser classificados em 5 TIPOS.
B) Princípio da Organicidade. Segundo o (a):
C) Princípio da Desordem Original.
Entidade Mantenedora: (Público ou Privado)
D) Princípio da Unicidade.
Natureza dos documentos: (Especial ou Especializado)
E) Princípio da Indivisibilidade ou Integridade Arquivística.
Estágio de Evolução: (Corrente, Intermediário e
Permanente)
17 COMPERVE Todos os princípios arquivísticos devem
Extensão de sua atuação: (Setorial ou Central)
estar na raiz da organização e do funcionamento dos
Quanto a estrutura organizacional: (Centralizada e
arquivos. Analise os seguintes princípios:
Descentralizada)

TEORIA DAS 3 IDADES (Ciclo de Vida dos Documentos)

47
Art. 8º Os documentos públicos são identificados como  Não há necessidade de serem conservados próximos
correntes, intermediários e permanentes. Lei 8.159/1991 aos escritórios. A permanência dos documentos nesses
arquivos é transitória. Por isso, são também chamados de
ARQUIVO CORRENTE
“limbo” ou “purgatório”.
 Sendo conservados nos arquivos centrais ou gerais;
Arquivo Corrente ou de Gestão – também conhecido
 Documentos com valor primário ou administrativo
como de Primeira Idade ou Ativo. São conjuntos de
decrescente
documentos estreitamente vinculados aos objetivos
 Pode ser eliminado ou recolhido.
imediatos para os quais foram produzidos e que se
 O arquivo intermediário justifica-se por questões
conservam junto aos órgãos produtores em razão de sua
econômicas.
vigência e freqüência de uso. São muito usados pela
 .Acesso restrito a quem produziu ou com a sua
administração. autorização.
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivo
 Serve a Administração
s_setoriais/apostila_secretarias.pdf
Art. 8º - § 2º Consideram-se documentos intermediários
Arquivo de 1ª Idade, Corrente, Ativo ou “Arquivo em
aqueles que, não sendo de uso corrente nos órgãos
movimento” ou arquivo de gestão.
produtores, por razões de interesse administrativo,
 Constituído de documentos em curso ou consultados aguardam a sua eliminação ou recolhimento para guarda
freqüentemente; permanente. Lei 8.159/1991
 Conservados nos escritórios ou nas repartições que os
receberam e os produziram ou em dependências próximas ARQUIVO PERMANENTE
de fácil acesso.
 Fica no arquivo setorial; Arquivo Permanente – também conhecido como de
 Possui valor primário ou administrativo; Terceira Idade ou Histórico. São os conjuntos documentais
 Pode ser eliminado, transferido ou recolhido. custodiados em caráter definitivo, em função do seu valor.
 Acesso restrito ao setor. O acesso é público.
 Serve a Administração
Arquivo de 3ª Idade, Permanente, “Arquivo morto”,
Art. 8º - § 1º Consideram-se documentos correntes
“Arquivo propriamente dito”, Arquivo Mnemônico ou
aqueles em curso ou que, mesmo sem movimentação,
Arquivo de Custódia
sejam objeto de consultas freqüentes. Lei 8.159/1991
 Constituído de documentos que perderam todo valor de
natureza administrativa, que se conservam em valor de seu
ARQUIVO INTERMEDIÁRIO
valor histórico ou documental e que constituem os meios de
conhecer o passado e sua evolução.
Arquivo Intermediário – também conhecido como de
 Documentos de Arquivo Permanente JAMAIS poderão
Segunda Idade ou Semi-Ativo. São Arquivos que
ser eliminados;
aguardam em depósito de armazenamento temporário, sua  Serve a História.
destinação final. Apresenta pequena freqüência de uso pela  Acesso franqueado ao publico em geral.
administração.
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivo AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS / TABELA DE
s_setoriais/apostila_secretarias.pdf TEMPORALIDADE

 Arquivo de 2ª Idade, Intermediário, “Arquivo Limbo ou  Avaliação é a definição dos prazos de guarda e da
Purgatório; destinação final dos documentos, tendo como base os
 Constituído de documentos que deixaram de ser VALORES DOS DOCUMENTOS.
freqüentemente consultados, mas cujos órgãos que os É realizada por uma Comissão de Avaliação e resulta na
receberam e os produziram podem ainda solicitá- los, para elaboração da tabela de temporalidade da instituição
tratar de assuntos idênticos ou retomar um problema
novamente focalizado.

48
Valor = Importância dada aos documentos, sendo esse
valor Administrativo ou Histórico. PASTA
Conjuntos de documentos não relacionados entre si.
VALOR DOS DOCUMENTOS
18 COMPERVE Os documentos possuem um ciclo vital,
Valor Primário: ciclo esse que tem relação com o seu prazo de guarda.
 Documentos que servem de apoio às atividades da Para se determinar o prazo de guarda de um documento,
instituição; deve-se levar em conta
 Todo documento nasce com esse valor e depois o A) a estrutura física de onde se guarda o documento.
perde; B) a frequência de uso do documento.
 É um valor temporário C) a quantidade de pessoas que produziu o documento.
 Valor Primário é Fiscal, Jurídico ou Legal D) o tamanho do documento.

Valor Secundário: 19 COMPERVE. No ciclo vital dos documentos, os papéis


 Documentos que preservam a memória/história da que já ultrapassaram o prazo de validade jurídico–
instituição; administrativa ainda podem ser utilizados por qualquer
 Nem todo documento apresentará esse valor; instituição.
 É um valor definitivo (permanente). Essa fase corresponde ao:
 Valor Secundário é Informativo (mostra a relação entre A) arquivo de movimento.
pessoas no passado) ou Probatório (prova fatos no B) arquivo intermediário.
passado) C) arquivo geral.
D) Arquivo Corrente.
1ª idade C Corrente Valor Primário
2ª idade I Intermediário 20 COMPERVE. A Tabela de Temporalidade Documental
3ª idade P Permanente Valor Secundário (TTD) é o instrumento que resulta de um processo de
avaliação, o qual fixa critérios para:
MODELO DA TABELA DE TEMPORALIDADE A) eliminar indivíduos que não sejam relevantes para
determinada instituição.
B) permitir que se faça uma varredura na vida de um
Código Assunto Prazo de Guarda Destinação
indivíduo.
Corrente Intermedi final C) trabalhar com a finalidade de detectar a história de vida
ária dos ocupantes de cargo público.
002 Planos e 5 anos 9 anos Guarda D) Eliminar determinados papéis sem relevância para
projetos Permanente pesquisas históricas.
de
trabalho 21 COMPERVE . Caracteriza-se por Arquivo Permanente o
022.11 Cursos 5 anos - Guarda conjunto de documentos que
internos Permanente A) completaram as funções para as quais foram produzidos,
024.1 Folha de 5 anos 95 anos Eliminação porém ao longo do tempo permaneceram no arquivo
pagament intermediário, necessitando ser avaliados conforme a
o legislação em vigor.
024.2 Escala de 7 anos - Eliminação B) completaram as funções para as quais foram produzidos,
Férias porém possuem grande valor e uso funcional, necessitando
ser preservados.
OBS: Para a banca COMPERVE a DEFINIÇÃO DOS C) completaram as funções para as quais foram produzidos
PRAZOS DE GUARDA deve-se levar em conta a e necessitam ser guardados durante o período que a
freqüência de uso. legislação obriga, pois são, na sua maioria, documentos
financeiros.
TIPOS DE UNIDADES DE ARQUIVAMENTO D) completaram as funções para as quais foram
produzidos, porém possuem grande valor informativo,
As unidades de arquivamento podem ser de três tipos: histórico e de investigação, necessitando ser preservados .
processo, dossiê ou pasta.
22 COMPERVE. No Ciclo de Vida da Gestão Documental,
UNIDADE DE ARQUIVAMENTO: menor conjunto de os documentos cujos assuntos são vigentes, ou
documentos reunidos de acordo com o arranjo simplesmente estão em andamento, permanecem na 1ª
estabelecido. Idade do Arquivo
A) Custódia.
DOSSIÊ B) Intermediário ou Central.
Conjunto de documentos relacionados entre si por assunto C) Permanente.
(ação, evento, pessoa, lugar, projeto), que constitui uma D) Corrente.
unidade de arquivamento. 23 COMPERVE Para reduzir o grande volume de
PROCESSO documentos produzidos pela Administração Pública, a
Conjunto de documentos oficialmente reunidos no decurso solução que foi adotada e que se mostrou bastante
de uma ação administrativa ou judicial, que constitui uma eficiente, o documento produzido no processo de
unidade de arquivamento.
avaliação é conhecida como:
49
A) teoria das Três Idades. 30 COMPERVE instrumento que resulta de um processo de
B) gestão de Documentos. avaliação e que tem por objetivo definir prazo de guarda e
C) tabela de Temporalidade. destinação de documentos arquivísticos denomina-se
D) incineração. A) tabela de pha.
B) tabela de classificação decimal universal.
24 COMPERVE. Em virtude do seu valor histórico e C) tabela de temporalidade.
servindo como subsídio para se conhecer o passado, a D) Tabela de Classificação Decimal de Dewey.
massa documental que já perdeu o seu valor administrativo
está armazenada no 31 COMPERVE. Os arquivos considerados de custódia
A) arquivo corrente. armazenam documentos de valor
B) arquivo de segunda idade. A) administrativo. B) histórico. C) jurídico. D) legislativo.
C) arquivo de movimento.
D) Arquivo de custódia. 32 COMPERVE Sobre os conceitos básicos de
arquivamento, leia as afirmativas.
25 COMPERVE. O arquivo, como estrutura organizacional, I. O prazo de guarda varia de documento para documento e
pode ser estará expresso na tabela de temporalidade da instituição.
A) centralizado e descentralizado. II. Os documentos podem ser eliminados nas fases corrente
B) descentralizado e permanente.
e intermediária.
C) centralizado e temporário.
D) descentralizado e contínuo. III. Todo documento passa pela fase corrente, mas nem
sempre pelas fases intermediária e permanente.
25 COMPERVE Os arquivos podem ser IV. Transferência é o envio de documentos da fase corrente
A) ativo, inativo e morto. para a fase intermediária.
B) físico, virtual e on line. V. Recolhimento é o envio de documentos da fase corrente
C) ativo, morto e on line. ou intermediária para a fase permanente.
D) oficial, informal e morto
Está INCORRETO o que se afirma em:
Anulada, pois não tem resposta correta. A) somente quatro das afirmações.
B) somente três das afirmações.
26 COMPERVE. A massa documental que, embora tendo C) nenhuma das afirmações.
perdido seu valor administrativo, ainda é mantida, em D) somente duas das afirmações.
virtude do seu valor histórico, pois serve de subsídio para E) somente uma das afirmações.
se conhecer o passado ou a evolução de certos eventos,
33 COMPERVE. Toda instituição produz documentos. Na
deve ser armazenada em
tentativa de estabelecer uma relação entre a documentação
A) arquivo de movimento.
de gestão e a destinada a ser preservada para fins de
B) arquivo de segunda idade. pesquisa, os documentos de uma instituição são
C) arquivo de custódia. classificados como de primeira, de segunda ou de terceira
D) arquivo corrente. idade. Sobre as idades dos documentos, afirma-se:

27 COMPERVE Para a Associação de Arquivistas


Brasileiros, “Arquivo é o conjunto de documentos que,
independentemente da natureza ou do suporte, são
reunidos por acumulação ao longo das atividades de
pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas”.
Considerando essa definição, são exemplos de
classificação de arquivos, segundo os estágios de sua
avaliação:
A) simples e complexo.
B) mínimo e máximo
C) corrente e intermediário.
D) estrutural e sintético.

28 COMPERVE. O ciclo vital dos documentos compreende


três idades, definidas por características específicas.
Pertence à primeira idade o arquivo
Estão corretas as afirmativas:
A) comprobatório.
A) II e III.
B) informativo.
B) I e III.
C) normativo. C) II e IV.
D) corrente. D) III e IV
29 COMPERVE. O documento cujo assunto estiver em 33 COMPERVE Consideram-se os conjuntos de
litígio ou simplesmente em andamento deverá permanecer documentos de valor histórico, probatório e informativo e
no arquivo que devem ser definitivamente preservados, como:
A) intermediário. B) corrente. C) permanente. D) central. A) correntes. B) intermediários. C) permanentes.
D) circulares. E) esporádicos.

50
34 COMPERVE Como ensina Marilena Leite Paes sobre os
estágios de evolução dos arquivos:
A) arquivo de primeira idade também é denominado arquivo - SISTEMA DIRETOS: São aqueles em que a busca é feita
intermediário. diretamente no local em que o documento se encontra
B) os arquivos correntes são os de segunda idade. arquivado, sem a necessidade de um índice auxiliar.
C) terceira idade ou permanente são os arquivos
propriamente ditos. Caracteriza os métodos que organizam os documentos por
D) “limbo” ou “purgatório” são outras denominações para nome (alfabético / geográfico / dicionário /
arquivos de terceira idade. enciclopédico).
E) em todas as fases, a maneira de conservar e tratar os
documento é sempre igual.
- SISTEMAS INDIRETOS: São aqueles que necessitam de
35 FGV Assinale a alternativa que indica a atividade um índice alfabético que permita localizar o número em que
arquivística essencial que determima o ciclo de vida
documental. o documento está arquivado. Caracteriza os métodos que
A) Avaliação. B) Classificação C) Indexação organizam os documentos por número (numérico / decimal /
D) Ordenamento E) Descrição duplex).
MIRANDA, Élvis C. Arquivo para concursos. Brasília :
SISTEMA DE ARQUIVAMENTO – É UM CONJUNTO DE Vestcon, 2007
PRINCÍPIOS COORDENADOS ENTRE SI - FORMA DE
ACESSO – DIRETO E INDIRETO – É

ACONDICIONAMENTO - ARQUIVAMENTO HORIZONTAL: os documentos são dispostos uns sobre os outros e arquivados
em caixas ou estantes (nos arquivos permanentes ou de custódia), como também em escaninhos (para documentos do gênero
cartográfico – mapas, plantas). Obs.: Os escaninhos são pequenos compartimentos em gavetas.

ACONDICIONAMENTO - ARQUIVAMENTO VERTICAL: os documentos são colocados uns ao lado dos outros (lateral) ou
atrás (frontal), possibilitando uma consulta mais ágil, sem precisar retirar outros documentos. Os documentos são
armazenados, geralmente, em arquivos de aço. Nos arquivos correntes este tipo de arquivamento é o mais utilizado nos dias
de hoje, por ser fácil de ser executado, conservado e atualizado. Além disso, são mais econômicos e ocupam menor espaço.

MÉTODOS DE ARQUIVAMENTO – FORMA DE ORGANIZAÇÃO – BÁSICO E PADRONIZADO

Alfabético – 13 Regras

Geográfico – 03 Regras (País/Estado/Cidade)

Simples

Numéricos Cronológico
Básico Dígito - Terminal
Enciclopédico
Alfabético Dicionário
Ideográficos
(Assunto) Duplex

Numérico
Decimal

Conceito de Variadex: O método variadex é uma variante do método alfabético. Neste


Padronizados método, há a utilização de cores para facilitar o arquivamento. PAES, Marilena Leite.
Arquivo: Teoria e Prática. 3. ed. Rio de Janeiro : FGV, 2004. p. 92

Conceito de Soundex: Usa-se para arquivar nomes, reunindo-se pela semelhança da


pronúncia apesar de a grafia ser diferente. Arquivo: Teoria e Prática. 3. ed. Rio de Janeiro :
FGV, 2004. p. 92

Conceito de Mnemônico: Usa-se para codificar os assuntos através da combinação de


letras em lugar de números. As letras são consideradas símbolos, pelo fato de este método
pretender auxiliar a memória do arquivista, a fim de possibilitar, de forma mais ágil, a
recuperação da informação.

Conceito de Rôneo: Combina letras, números e cores. Está obsoleto.

1ª REGRA Nos nomes de pessoas físicas, considera-se o último


sobrenome e depois o prenome.

51
4ª REGRA – INICIAIS ABREVIATIVAS

As iniciais abreviativas de prenomes têm precedência na


classificação de sobrenomes iguais.

5ª REGRA – ARTIGOS E PREPOSIÇÕES


2ª REGRA – SOBRENOMES COMPOSTOS
Os artigos e preposições, tais como a, o, de, d´, da, do, e,
Sobrenomes compostos de um substantivo e um adjetivo um, uma, não são considerados.
ou ligados por hífen não se separam.

3ª REGRA – SOBRENOMES COM NOMES DE SANTOS


6ª REGRA – SOBRENOMES DE PARENTESCO
Os sobrenomes que exprimem grau de parentesco como
Os sobrenomes formados com as palavras Santo, Santa Filho, Júnior, Neto, Sobrinho são considerados parte
ou São seguem a regra anterior. integrante do último sobrenome.
Exceção: No caso de Homônimos.

52
O´Brien, Gordon

10ª REGRA – NOMES ESPANHÓIS / HISPÂNICOS


Os nomes espanhóis são registrados pelo penúltimo
sobrenome.

7ª REGRA – TÍTULOS QUE ACOMPANHAM O NOME


Os títulos não são considerados na alfabetação. São
11ª REGRA – NOMES ORIENTAIS E ÁRABES
colocados após o nome, entre parênteses.
Exceção: No caso de Homônimos. Os nomes orientais – japoneses, chineses e árabes – são
registrados como se apresentam.

8ª REGRA – NOMES ESTRANGEIROS


12ª REGRA – NOMES DE INSTITUIÇÕES
Mesmas regras dos nomes brasileiros Os nomes de firmas, empresas, instituições e órgãos
governamentais devem se transcritos como se
apresentam, colocando-se os artigos iniciais entre
parênteses após o nome.

9ª REGRA – PARTÍCULAS DE NOMES ESTRANGEIROS


As partículas de nomes estrangeiros podem ou não ser
consideradas. O mais comum é considerá-las como parte
integrante do nome quando escrita com letra maiúscula.
Capri, Giulio di
Mc Adam, John

53
Quando o Arquivo é organizado por cidade, sem a
separação por estado, deverão:
As CIDADES deverão ficar em ordem alfabética;
Indicar ao final de cada cidade, o estado correspondente.

MÉTODO NUMÉRICO

 método numérico é aquele que organiza os


documentos por número;
 método numérico pode ser subdividido em: simples,
cronológico e dígito-terminal;
 Cronológico: organiza os documentos por data;
 Numérico simples: os documentos são organizados
pelo número inteiro. É indicado para números pequenos;
Lembre que também podemos verificar o índice alfabético
remissivo como aplicação do numérico simples.
13ª REGRA – NOMES DE EVENTOS
 Numérico dígito-terminal: organiza os documentos
Nos títulos de congressos, conferências, reuniões, em grupos de dois algarismos.
assembléias e assemelhados os números devem aparecer
no fim, entre parênteses. PAES, Marilena Leite. Arquivo: Teoria e Prática. 3. ed.
Rio de Janeiro : FGV, 2004. p. 70-77

Números a Método Método


serem Numérico Numérico
organizados Simples Digito-Terminal
34.758 7.666 03-47-58
254.786 34.758 00-76-66
915.698 254.786 25-47-86
7.666 477.998 91-56-98
477.998 915.698 47-79-98

Organizados em Ordenação feita a


ordem crescente partir dos dois
últimos dígitos

Organizados em
ordem crescente

IDEOGRÁFICOS ALFABÉTICO

DICIONÁRIO – Ordenação alfabética, como um dicionário,


não necessitando de entrada geral.
MÉTODO GEOGRÁFICO

O método geográfico é aquele que organiza os


documentos pela procedência ou local. PAES, Marilena
Leite. Arquivo: Teoria e Prática. 3. ed. Rio de Janeiro :
FGV, 2004. p. 68

Pode ser organizado por País, Estado e Cidade.


PAÍS:

Os PAÍSES deverão ficar em ordem alfabética;


Dentro de cada país, a 1ª cidade deverá ser a CAPITAL;
As demais cidades seguem em ordem alfabética.

ESTADO:

Os ESTADOS deverão ficar em ordem alfabética;


Dentro de cada estado, a 1ª cidade deverá ser a CAPITAL;
As demais cidades seguem em ordem alfabética. ENCICLOPEDICO – Organizados, agrupados sob títulos
CIDADE:
gerais e dentro dele alfabeticamente.
54
na procedência ou local. Nessa situação, o método de
arquivamento adotado denomina-se:
A) por assunto. B) onomástico.
C) geográfico. D) ideográfico.

38 COMPERVE Ordenação é a disposição dos documentos


dentro de pastas e destas dentro do arquivo. A escolha da
forma de ordenação depende muito da natureza dos
documentos. Considerando essa afirmação, é um exemplo
de método básico de ordenação dos documentos a
A) elástica. B) assistida. C) cronológica. D) sustentável.

39 COMPERVE No processo de organização de arquivo,


utilizam-se os métodos de alfabetação, os quais necessitam
de um instrumento auxiliar denominado:
A) catálogo. B) índice. C) sumário. D) kardex.

40 COMPERVE. Para se recuperar documentos em


arquivos, existe o método de organização conhecido por
“Alfabetação”. Utilizando-se esse método, a forma correta
de entrada para o nome ANTÔNIO
GARCIA DE MIRANDA NETO é:
A) ANTÔNIO GARCIA DE MIRANDA NETO
IDEOGRÁFICO NUMÉRICO B) NETO, Antônio Garcia de Miranda.
C) MIRANDA NETO, Antônio Garcia de
D) GARCIA DE MIRANDA NETO, Antônio.
DECIMAL ou Decimal de Dewey
 É LIMITADO a divisão de 10 classes; 41 COMPERVE. Dentre os métodos de alfabetação
 É o método utilizado pelo CONARQ; utilizados no processo de organização de arquivos, alguns
 Atribuídos do Geral para o Particular. necessitam de um instrumento auxiliar denominado de
 Utilizado no Plano de Classificação dos A) índice. B) kardex. C) catálogo. D) sumário
Documentos, observado na Tabela de
Temporalidade documental 42 COMPERVE. As remissivas são indicações feitas no
arquivo, com a finalidade de
DUPLEX A) orientar os usuários e o próprio organizador do arquivo
 NÃO possui limitação de criação de classes na localização rápida dos documentos.
B) garantir aos usuários acesso rápido aos documentos
DUPLEX DECIMAL ou Dewey ainda não arquivados devidamente.
1 – PESSOAL 000 – Administração C) permitir economia de espaço nas pastas suspensas,
1.1 Férias 010 – Pessoal contribuindo para uma melhor organização do arquivo.
1.2 Admissão 011 – Aperfeiçoamento D) possibilitar ao organizador do arquivo o controle dos
1.3 Salários e treinamento documentos confidenciais.
1.4 Demissão 012 – Cursos
2 – FINACEIRO 012.1 – Promovidos 43 COMPERVE. De acordo com o método utilizado na
2.1 Contas a por outra instituição organização dos documentos em um arquivo, a forma
pagar 012.11 – No correta de entrada do nome RUI DE CASTRO JÚNIOR é:
2.2 Contas a Brasil A) CASTRO JÚNIOR, Rui de
receber 012.12 – No B) JÚNIOR, Rui de Castro
3 – MATERIAL Exterior C) DE CASTRO JÚNIOR, Rui
3.1 Material de 020 – Estágios D) DE CASTRO, Rui Júnior
consumo 020.1 – Promovidos
3.2 Material 020.11 – No Brasil
44 COMPERVE. No planejamento que define o tipo de
permanente 020.12 – No Exterior
sistema de arquivamento a ser adotado na organização,
100 – Ciências
vários fatores são considerados. Sobre o sistema de
110.1 – Naturais
arquivamento semi-indireto, é correto afirmar:
110.11 - da flora
A) é utilizado nos arquivos onde os usuários buscam
900 - Outros
sozinhos informações, mas contam com uma tabela no
próprio arquivo que os auxilia.
36 COMPERVE. Os sistemas básicos utilizados na
B) é adotado quando os usuários necessitam de índice para
organização de arquivos correspondem
localização de documentos.
A) à uniformização de papéis. C) é recomendado quando os usuários não conhecem, em
B) ao estudo do material a ser arquivado.
sua plenitude, todo o acervo arquivado.
C) à transferência de arquivos.
D) é empregado em arquivos cujos documentos são de livre
D) ao conjunto de princípios coordenados entre si. acesso a qualquer pessoa.
37 COMPERVE Considere que os documentos de um
45 COMPERVE. Notação é
determinado setor da UFRN estejam organizados com base
A) a catalogação dos dados nas “fichas”.
B) a especificação feita na tabela de temporalidade.

55
C) a transcrição das informações documentais para as 50 COMPERVE. A organização de qualquer setor de uma
janelas do arquivo. instituição pressupõe o desenvolvimento de várias etapas
D) a inscrição alfabética, numérica ou alfanumérica, feita na de trabalho. Para a organização de arquivos, a sequência
“projeção”. correta de ações é:
A) 1 - coleta de dados; 2 - procedimentos administrativos; 3
46 COMPERVE. Na organização de arquivos por regiões, - avaliação de coleções.
utilizam-se métodos que facilitam a recuperação de B) 1 - levantamento estatístico; 2 - estratégias de busca; 3 -
documentos. O método adequado para esse tipo de fontes de informação e serviços eletrônicos.
arquivamento é o C) 1 - abertura de conta; 2 - acompanhamento de dados; 3 -
A) numérico. B) cronológico. C) geográfico. D) duplex. análises estatísticas.
D) 1 - Levantamento de dados; 2 - Análise dos dados
47 COMPERVE. Na organização de um aquivo, o material coletados; 3 - Planejamento de implantação e
será arquivado visando ao interesse da instituição a que ele acompanhamento.
serve. Para tanto, serão adotados mecanismos que
facilitem a busca, localização e recuperação da informação. 51 CESGRANRIO Sabendo-se que arquivo é o conjunto de
Tais mecanismos denominam-se documentos recebidos e produzidos por uma instituição no
A) sistemas de indexação. decorrer de suas atividades, é lógico que o conhecimento
B) avaliações de documentos. dessa instituição, seus objetivos, funções e estrutura, com
C) levantamentos de materiais. suas alterações, é fundamental para o entendimento da
D) métodos de arquivamento. própria documentação. Nesse sentido, uma efetiva
organização de arquivos deve-se iniciar pelo exame de
47 COMPERVE O método de arquivamento que separa os estatutos, regulamentos, regimentos, normas e
documentos por assunto é o organogramas, além de outros documentos constitutivos da
A) ideográfico b) alfabético. C) numérico. D) geográfico. instituição. Esta fase da organização dos arquivos é
denominada:
48 UFMG - Assinale a alternativa INCORRETA quanto às A) avaliação; B) seleção; C) triagem;
regras de alfabetação. D) planejamento; E) levantamento.
A) Os sobrenomes que exprimem grau de parentesco como
Filho, Júnior, Neto, Sobrinho são considerados parte GESTÃO DE DOCUMENTOS
integrante do último sobrenome, mas não são considerados
na ordenação alfabética. Conjunto de procedimentos e operações técnicas
B) Os artigos e preposições, tais como a, o, de, d´; da, do, referentes às atividades de produção, tramitação e uso,
um, uma, devem ser considerados. avaliação e arquivamento de documentos em fases
C) Os títulos não são considerados na alfabetação. São corrente e intermediária, visando a sua eliminação ou
colocados após o nome completo, entre parênteses. recolhimento para guarda permanente. Lei 8.159/1991 -
D) Os nomes estrangeiros são considerados pelo último § 3º
sobrenome, salvo nos casos de nomes espanhóis e
52 IDECAN Segundo Indolfo (2007, p. 40), a gestão de
orientais.
documentos, que trouxe novas reflexões e práticas para
Arquivologia, é conceituada no Brasil como
49. (FCC) Uma instituição adota o método dígito- terminal A) “Conjunto de procedimentos e operações técnicas
para classificar os prontuários de seus servidores: referentes ao tratamento do documento permanente”.
1) 001.299 - Hilary Jenkinson B) “Programa que consiste em garantir, exclusivamente, a
2) 032.699 - Eugenio Casanova segurança dos documentos eletrônicos”.
3) 129.129 - T. R. Schellenberg C) “Sistemática que visa, de forma prioritária, impactar na
4) 159.544 - Luciana Duranti qualidade dos registros documentais e seus assuntos”.
5) 305.218 - Angelika Menne-Hantz D) “Conjunto de procedimentos e operações técnicas
6) 306.818 - Bruno Delmas referentes à produção, tramitação, uso, avaliação e
7) 588.029 - Paola Carucci arquivamento de documentos em fase corrente e
8) 246.344 - Michel Duchein intermediária, visando sua eliminação ou recolhimento”.
E) “Conjunto de procedimentos e operações técnicas que
A adequada ordenação de tais prontuários é: garantem o sigilo absoluto das informações contidas nos
A) 1,2,3,4,8,5,6,7 b) 5,6,7,3,8,4,1,2. C) 5,6,2,1,4,8,7,3 documentos”.
D) 7,2,6,8,4,1,5,3. E) 7,2,6,8,4,5,1,3.
FASES DA GESTÃO DE DOCUMENTOS
ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO (QUERO ELABORAR UM Produção – Utilização - Destinação
ARQUIVO, O QUE DEVO FAZER?)
PLANO DE CLASSIFICAÇÃO
O código de classificação de documentos de arquivo é
Numa organização e administração de arquivos, são
um instrumento de trabalho utilizado para classificar
quatro as etapas de trabalho:
todo e qualquer documento produzido ou recebido por
 levantamento de dados;
um órgão no exercício de suas funções e atividades.
 análise dos dados coletados;
A classificação por assuntos é utilizada com o objetivo de
 planejamento; agrupar os documentos sob um mesmo tema, como forma
 execução ou implantação e acompanhamento. de agilizar sua recuperação e facilitar as tarefas
arquivísticas relacionadas com a avaliação, seleção,
eliminação, transferência, recolhimento e acesso a esses
56
documentos, uma vez que o trabalho arquivístico é - Controlar o inventário patrimonial do Órgão.
realizado com base no conteúdo do documento, o qual - Registrar freqüência de funcionários.
reflete a atividade que o gerou e determina o uso da - Proceder ao cadastro de funcionários.
informação nele contida. A classificação define, portanto, a - Controlar férias.
organização física dos documentos arquivados, - Solicitar materiais de consumo/almoxarifado.
constituindo-se em referencial básico para sua - Solicitar aquisição de materiais permanentes.
recuperação. - Administrar convênios e contratos.
No código de classificação, as funções, atividades,
espécies e tipos documentais genericamente
Classifique as atividades de acordo com as atribuições
denominados assuntos, encontram-se
hierarquicamente distribuídos de acordo com as afins ou maiores (classes) ordenando-as em sub-
funções e atividades desempenhadas pelo órgão. Em classes:
outras palavras, os assuntos recebem códigos numéricos, At. 1 Assessorar Diretoria
os quais refletem a hierarquia funcional do órgão, 1.1 Assessorar Reuniões da Diretoria (pautas,
definida através de classes, subclasses, grupos e atas)
subgrupos, partindo-se sempre do geral para o particular. 1.2 Elaborar/Minutas de Correspondências
Notação/Pastas - 1. Asses. Diretoria
Elaboração de Plano de Classificação (VISÃO 1.1 Reuniões/Diretoria
COMPERVE) 1.2
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/arquivo Correspondências/Convocações
s_setoriais/apostila_secretarias.pdf
RESUMO : CLASSIFICAÇÃO – Plano de Classificação
É interessante que a sua Unidade, Órgão ou área de
dos Documentos
trabalho tenha um plano de classificação para que você
1) Codificação – Número / Assunto
possa guardar os documentos dentro dos dossiês ou pastas
certas. Para a Classificação deverá levar em conta:
Classificação é, portanto, a seqüência de operações 2) Atividades e funções
que, de acordo com as diferentes estruturas e 3) Estrutura Organizacional
atividades da entidade produtora, visam a distribuir os
documentos de um arquivo (CAMARGO; BELLOTTO, APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE
1996, p. 16). DOCUMENTOS DE ARQUIVO (IMPORTANTE PARA
Todas as Unidades possuem planos de classificação de VISÃO DAS PROVAS DA COMPERVE)
documentos. Cada área identifica suas pastas, caixas e etc. A classificação é uma das atividades do
do modo como conhecem. Mas, é interessante entender processo de gestão de documentos arquivísticos, o qual
como é a sistemática para se montar um plano que facilite o
inclui procedimentos e rotinas específicas que possibilitam
trabalho de arquivamento, acesso e destinação dos
maior eficiência e agilidade no gerenciamento e controle
documentos.
Vamos apresentar um modelo denominado das informações.
ESTRUTURAL/FUNCIONAL que se baseia nas Desta forma, para que o Código de
estruturas e funções da instituição, pode ser utilizado classificação de documentos de arquivo possa ser aplicado
por qualquer unidade da UNICAMP. eficientemente, apresentam-se, a seguir, as operações e
rotinas para classificação e arquivamento de documentos.
Siga as etapas abaixo sugeridas:
a) Identifique as atribuições e atividades da instituição CLASSIFICAÇÃO E ARQUIVAMENTO DE
e da área em que você trabalha Você poderá encontrar DOCUMENTOS
essas informações pesquisando nos atos legais que são:
Portarias, Deliberações, Resoluções, Regimento e Estatuto.
CLASSIFICAÇÃO
Você poderá encontrar essas informações também em Atas
e/ou Relatórios da sua área. Em último caso, analise as
atividades desenvolvidas e as descreva. A classificação deve ser realizada por
servidores treinados, de acordo com as seguintes
b) Relacione e organize o que você levantou operações.
Dica: aproveite e organize uma pasta com os atos relativos a) ESTUDO: consiste na leitura de cada
a implantação de sua Unidade, Órgão ou área, baseado documento, a fim de verificar sob que assunto deverá ser
nas informações que você conseguiu descrever. classificado e quais as referências cruzadas que lhe
corresponderão. A referência cruzada é um mecanismo
c) Identifique os tipos de documentos que são adotado quando o conteúdo do documento se refere a dois
produzidos a partir do cumprimento das atividades ou mais assuntos.
identificadas. Relacione-os abaixo das suas respectivas b) CODIFICAÇÃO: consiste na atribuição do
atividades que foram levantadas. Obs.: uma atividade pode código correspondente ao assunto de que trata o
gerar vários documentos e um tipo de documento pode ser documento.
produzido em grande escala. ROTINAS CORRESPONDENTES ÀS OPERAÇÕES DE
MONTAGEM DO PLANO DE CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO
Relacione as atividades da sua área 1. Receber o documento para classificação;
Exemplos: 2. Ler o documento, identificando o assunto
- Agendar pacientes para atendimento odontológico. principal e o(s) secundário(s) de acordo com
- Assessorar reuniões da Diretoria. seu conteúdo;
- Preparar minutas de correspondências para Diretoria.
57
3. Localizar o(s) assunto(s) no Código de documentos, tanto por lei como por necessidade do serviço
classificação de documentos de arquivo, e da preservação da memória do Órgão.
utilizando o índice, quando necessário;
4. Anotar o código na primeira folha do DATAR: marcar a data de entrada do documento no
documento; arquivo.
5. Preencher a(s) folha(s) de referência (ver
item 2.2), para os assuntos secundários. REGISTRO: registrar diariamente, em um livro (ou outro
sistema) os documentos que darão entrada no arquivo ou
no expediente. Colocar a data de entrada, origem, nº do
OBS: Quando o documento possuir anexo(s), este(s)
deverá(ão) receber a anotação do(s) código(s) documento/ano, espécie documental, assunto, local de
arquivo (classificação), observações. Isso possibilitará
correspondente(s).
estabelecer uma estatística diária de arquivamentos
De acordo com o manual técnico de organização de efetuados, e facilitará a busca.
arquivos correntes e intermediários, da Universidade
Obs.: Se o seu setor também cuidar do expediente da área
Estadual de Campinas - Agência de Formação
Profissional - Arquivo Central do Sistema de Arquivos, fazer esse registro quando o documento entrar na área ou
temos a seguinte redação: (IMPORTANTE VISÃO PARA quando se é expedido. Assim sendo, coloque todas as
A BANCA COMPERVE) informações necessárias e no campo de localização
preencha para onde ele foi encaminhado.
“Antes de se guardar os documentos nas pastas,
CLASSIFICAÇÃO: Determinar como será arquivado o
dossiês e móveis correspondentes, os funcionários do
arquivo deverão obedecer a uma sequência de etapas: documento, de acordo com o método e a classificação
Conferência, Leitura, Seleção, Data da entrada, adotado pela organização. Escrever a lápis no documento
Registro, Classificação, Ordenação, Arquivamento e onde deverá ser arquivado. Para que os documentos
Empréstimo de Documentos”. públicos de uso diário estejam conservados de maneira
http://www.siarq.unicamp.br/siarq/images/siarq/pesquis ordenada e acessível é necessário que os mesmos estejam
a/textos_tecnicos/organizacao_arquivos_correntes_inte bem arquivados e bem classificados.
rmediarios.pdf Acesso em 27/08/2015.
ORDENAÇÃO: é à disposição dos documentos dentro das
SEQUENCIA DE ARQUIVAMENTO DOS DOCUMENTOS pastas e destas dentro do arquivo. A escolha da forma de
ordenação depende muito da natureza dos documentos.
Antes de guardar documentos, dossiês e móveis nas Vejam os métodos básicos:
pastas correspondentes, os funcionários do arquivo
deverão seguir algumas etapas: conferência, leitura,
Ordenação Alfabética: disposição dos documentos ou
seleção, marcação da data de entrada, registro,
classificação, ordenação, arquivamento e empréstimo pastas de acordo com a seqüência das letras do alfabeto.
dos documentos. Pode ser classificada em enciclopédico e dicionário quando
se trata de assuntos.
CONFERÊNCIA: consiste na verificação de cada
documento quanto ao seu destino, pois este pode chegar Ordenação Cronológica: disposição dos documentos ou
ao arquivo por diversos motivos:
pastas de acordo com a sucessão temporal.
a) para arquivamento;
b) para solicitar informação;
c) para verificar a existência de antecedentes, ser anexado Ordenação Geográfica: disposição de acordo com as
a outro etc.; unidades territoriais (países, estados, municípios, distritos,
d) em obediência a uma rotina. bairros e outras).

É importante que o funcionário ao fazer esta conferência, Ordenação Temática: disposição de acordo com temas ou
verifique se os documentos possuem autorização para
serem arquivados (Ok, arquive- se) e se a ação nele assuntos.
contida já foi cumprida e encerrada. Verificar o último
despacho. Ordenação Numérica: disposição de acordo com a
seqüência numérica atribuída aos documentos. Depende de
Nesta conferência também será examinado se os um índice auxiliar para busca de dados.
documentos possuem anexos e se esses estão no
documento. ARQUIVAMENTO: guarde os documentos dentro das
Aqueles que se encontrarem irregulares deverão retornar pastas e das caixas já contidas no setor ou monte-as de
ao setor de origem, ou se for do seu conhecimento
completá-lo. acordo com o plano de classificação. Nesse último caso
faça as etiquetas indicando o código da atividade
LEITURA: cada documento deve ser lido cuidadosamente a correspondente. Não se esqueça de anotar no canto
fim de verificar o seu conteúdo e sob que classificação superior esquerdo da pasta os códigos da
deverá ser arquivado. (se já existe pasta ou se há Unidade/Órgão/área respectivos.
necessidade de abrir nova). EMPRÉSTIMO DE DOCUMENTOS: para se controlar
SELEÇÃO: selecionar o material que será realmente melhor os documentos que saem do arquivo e para garantir
arquivado, daquele que poderá ser descartado a integridade do mesmo, é interessante que se adote um
imediatamente, sem prejuízo para a instituição (como
sistema de controle de empréstimo de documentos.
cópias, comunicados passageiros).

Atenção: o responsável pela seleção deve conhecer as 53 FCC Antes de arquivar um documento, é Fundamental:
exigências e valores que determinam a conservação de A) Registro e expedição.
B) Expedição e ordenação.
58
C) Ordenação e descarte. D) Seleção, Classificação, Codificação, Agrupamento e
D) Leitura e ordenação. Arquivamento

54 COMPERVE Ao estabelecer as classes do plano de 58 COMPERVE Uma vez classificado e tramitado, um


classificação de um arquivo, podem ser seguidos dois documento deverá ser arquivado, obedecendo a certas
critérios principais não mutuamente excludentes: o operações. Uma delas refere-se ao exame do documento
funcional e o estrutural. Quando se tem uma entidade para verificar se este se destina realmente ao
estruturada adequadamente, a classificação é mais arquivamento, se possui anexo e se a classificação
facilitada e não existe a necessidade de optar por um atribuída será mantida ou alterada. A outra é relativa à
desses critérios, porque reunião dos documentos classificados sob um mesmo
A) as estruturas presentes devem, em princípio, guardar assunto, objetivando agilizar o seu arquivamento, minimizar
correspondência com funções por ele assumidas e a possibilidade de erros e mantê-los reunidos quando
desenvolvidas. relacionados ao mesmo assunto, organizando-os
B) as unidades administrativas são claramente definidas, e previamente para o arquivamento. Essas duas operações
as funções são desenvolvidas de forma independente. são denominadas, respectivamente,
C) os setores, as divisões e os departamentos não A) ordenação e codificação.
correspondem à estrutura organizacional estabelecida no B) inspeção e ordenação.
C) codificação e classificação.
plano de gestão por funções.
D) classificação e inspeção.
D) os níveis hierárquicos superiores tendem a absorver a
responsabilidade pela classificação, impedindo a definição ARQUIVAMENTO (PRINCIPALMENTE VISÃO
de uma estrutura funcional. COMPERVE)
Uma vez classificado e tramitado, o
Resposta: Anulada (Erro material). No gabarito documento deverá ser arquivado, obedecendo às
preliminar, apresenta-se a Letra A como resposta seguintes operações:
correta.
a) INSPEÇÃO: consiste no exame do(s)
GABARITO OFICIAL: ANAULADA - RAZÕES documento(s) para verificar se o(s) mesmo(s) se destina(m)
realmente ao arquivamento, se possui(em) anexo(s) e se a
Em resposta aos recursos, a Banca Examinadora
classificação atribuída será mantida ou alterada.
afirma: "Na opção de resposta, inicialmente,
considerada correta, foi grafado o pronome 'ELE', que b) ORDENAÇÃO: consiste na reunião dos
gera confusão na interpretação. O pronome correto documentos classificados sob um mesmo assunto. A
seria: 'ELAS'". Desse modo, a questão foi anulada ordenação tem por objetivo agilizar o arquivamento,
devido a erro material; ignorando-se esse equívoco, a minimizando a possibilidade de erros. Além disso, estando
alternativa A permaneceria correta. ordenados adequadamente, será possível manter reunidos
todos os documentos referentes a um mesmo assunto,
55 COMPERVE Com relação às técnicas de arquivo e ao organizando-os previamente para o arquivamento.
Após a ordenação, os documentos
controle de documentos, existe um procedimento utilizado
classificados sob o mesmo código formarão dossiês
cuja orientação é a de que, a partir da análise do organismo acondicionados em capas apropriadas com prendedores
produtor de documentos de arquivo, devem ser criadas plásticos, com exceção dos processos e volumes. Os dados
categorias relativas às funções e atividades detectadas, referentes ao seu conteúdo (código, assunto e, se for o
estejam elas configuradas ou não em estruturas caso, nome de pessoa, órgão, firma ou lugar) serão
específicas, como departamentos, divisões, etc. Esse registrados na capa de forma a facilitar sua identificação.
procedimento realizado na organização de um arquivo é Os dossiês, processos e volumes serão arquivados em
pastas suspensas ou em caixas, de acordo com suas
denominado dimensões. Esta operação possibilita:
A) Ordenação. B) classificação
– racionalizar o arquivamento, uma vez que
C) análise documental. D) identificação documental.
numa mesma pasta poderão ser arquivados vários dossiês
correspondentes ao mesmo grupo ou subclasse,
56. (CONSULPLAN) Assinale a alternativa que
diminuindo, assim, o número de pastas.
corresponde ao instrumento utilizado nos arquivos
correntes para classificar todo e qualquer documento
produzido ou recebido por um órgão no exercício de suas Exemplo:
funções e atividades: Pasta: 061 – PRODUÇÃO EDITORIAL
A) plano de classificação. Dossiês: 061.1 – EDITORAÇÃO.
B) plano de arquivo. PROGRAMAÇÃO VISUAL
C) taxonomia de documentos. 061.2 –
D) tabela de temporalidade. DISTRIBUIÇÃO. PROMOÇÃO. DIVULGAÇÃO
E) Código de tramitação. – organizar internamente cada pasta,
57 COMPERVE. Na organização de arquivos, as etapas da separando os documentos referentes a cada pessoa, órgão,
preparação do material a ser arquiva do devem obedecer à firma ou lugar, sempre que a quantidade de documentos
seguinte sequência: justificar e desde que relativos a um mesmo assunto.
A) seleção, agrupamento, arquivamento, codificação e Exemplo:
classificação. Pasta: 021.2 – EXAMES DE SELEÇÃO
B) arquivamento, agrupamento, codificação, classificação e Dossiês: Será criado um dossiê para
seleção. cada tipo de exame e título de
C) agrupamento, arquivamento, codificação, classificação e concurso, ordenados
seleção. alfabeticamente.

59
determinam a disposição física de um dado conjunto de
c) ARQUIVAMENTO: consiste na guarda do documentos é denominado
documento no local devido (pasta suspensa, prateleira, A) identificação documental. B) classificação.
caixa), de acordo com a classificação dada. Nesta fase C) análise documental. D) ordenação.
deve-se ter muita atenção, pois um documento arquivado
erroneamente poderá ficar perdido, sem possibilidades de 61 COMPERVE Antes de guardar documentos, dossiês e
recuperação quando solicitado posteriormente. móveis nas pastas correspondentes, os funcionários do
arquivo deverão seguir algumas etapas, obedecendo à
ROTINAS CORRESPONDENTES ÀS OPERAÇÕES DE sequência especificada na opção:
ARQUIVAMENTO (CONARQ) A) leitura, conferência, ordenação, seleção, marcação da
1.Verificar a existência de antecedentes data de entrada, registro, classificação e arquivamento.
(documentos que tratam do mesmo assunto); B) arquivamento, conferência, leitura, seleção, marcação da
2.Reunir os antecedentes, colocando-os em ordem data de entrada, registro, classificação e ordenação.
cronológica decrescente, sendo o documento com C) conferência, leitura, seleção, marcação da data de
data mais recente em primeiro lugar e assim entrada, registro, classificação, ordenação e arquivamento.
sucessivamente; D) classificação, conferência, leitura, seleção,
3.Ordenar os documentos que não possuem arquivamento, marcação da data de entrada, registro,
antecedentes, de acordo com a ordem estabelecida classificação e ordenação.
(cronológica, alfabética, geográfica ou outra),
formando dossiês. Verificar a existência de cópias, 62 COMPERVE As etapas da preparação do material a ser
eliminando-as. Caso o original não exista, manter arquivado obedecem a esta seqüência:
uma única cópia; A) seleção, classificação, codificação, agrupamento e
4.Fixar cuidadosamente os documentos às capas arquivamento.
apropriadas com prendedores plásticos, com B) arquivamento, agrupamento, codificação, classificação e
exceção dos processos e volumes que, embora seleção.
inseridos nas pastas suspensas, permanecem soltos C) agrupamento, codificação, classificação, arquivamento e
para facilitar o manuseio; seleção.
5.Arquivar os documentos nos locais devidos, D) classificação, codificação, agrupamento, seleção e
identificando de maneira visível as pastas arquivamento.
suspensas, gavetas e caixas;
6.Manter reunida a documentação seriada, como por 63 COMPERVE A Lei nº 8.159, de 08/01/1991, conhecida
exemplo boletins e atas, em caixas apropriadas, como Lei Nacional de Arquivos, evidencia os princípios
procedendo o registro em uma única folha de federalistas e de autonomia que definem os arquivos
referência, arquivada em pasta suspensa, no brasileiros, estabelecendo a rede de arquivos existentes no
assunto correspondente, repetindo a operação País. Contempla também a criação do Conselho Nacional
sempre que chegar um novo número. de Arquivos (CONARQ) e do Sistema Nacional de Arquivos
(SINAR). Em relação ao CONARQ e ao SINAR, é correto
afirmar que:
59 COMPERVE Uma das principais importâncias do
A) o conarq é o órgão que tem competência para definir a
arquivamento é a facilidade de localização dos documentos política nacional de arquivos públicos e privados, atuando
quando necessários. Caso haja arquivamento errôneo, será como órgão central do sinar.
muito difícil recuperá-lo posteriormente e, para evitar esse B) o conarq é o órgão que tem competência para definir a
problema, são estabelecidas rotinas correspondentes à política institucional, atuando como órgão descentralizador
operação de arquivamento. Analise as rotinas seguintes do sinar.
C) o conarq é o órgão que tem competência para definir a
com vistas a identificar sua correspondência com as de
política institucional de arquivos públicos, e atua como
arquivamento. órgão central do sinar em arquivos privados.
I Verificar a existência de antecedentes (documentos que D) O CONARQ é o órgão que tem competência para definir
tratam do mesmo assunto). formação de coleções, atuando como órgão operacional do
II Preencher a(s) folha(s) de referência para os assuntos SINAR.
secundários.
III Ler o documento, identificando o assunto principal e o(s) 64 COMPERVE A conservação de acervos documentais é
secundário(s) de acordo com seu conteúdo. tarefa primordial nos arquivos, bibliotecas e museus.
IV Fixar, cuidadosamente, os documentos às capas Entende-se por conservação o “Ato ou efeito de promover
apropriadas com prendedores plásticos, com exceção dos a:
processos e volumes que, embora inseridos nas pastas A) preservação de documentos por meio de controle
suspensas, permanecem soltos para facilitar o manuseio. ambiental, conscientização e tratamentos específicos”.
As rotinas consideradas de arquivamento estão B) erradicação de documentos por meio de tratamento
presentes nos itens digital, organização e tratamento documental”.
A) I e IV. B) III e IV. C) II e III. D) I e II. C) digitalização de documentos por meio de controle
ambiental, conscientização e tratamentos específicos”.
60 COMPERVE A codificação dos documentos é realizada D) higienização de documentos por meio de tratamento
para facilitar a organização do arquivo, que passa a ter digital, organização e tratamento documental”.
códigos específicos indicativos de localização, categoria,
número, local de procedência, objeto ou tema, entre outros 65 COMPERVE O gestor documental enfrenta desafios
elementos. A partir dessa codificação, o procedimento diferenciados e precisa, dentre outras atividades, entender
responsável por estabelecer um ou mais critérios que a vida útil dos materiais do acervo. Por exemplo, a
desinfestação é uma das atividades desenvolvidas para

60
impedir o avanço das formas biológicas de deterioração dos 3 Separar a correspondência oficial (ostensiva e
documentos. Para combater os insetos, o método sigilosa ).
considerado o mais eficiente é: 4 Separar a correspondência particular.
A) o controle de umidade. 5 Encaminhar correspondência sigilosa para o
B) a fumigação. destinatário.
C) o controle de pesticidas. Obs: A correspondência sigilosa não será aberta por
D) a ação do homem. nenhum servidor. A correspondência será recebida e
encaminhada ao destinatário.
66 COMPERVE Ao estabelecer a remessa de uma 6 Distribuir a correspondência particular.
correspondência para um fornecedor esporádico de 7 Abrir correspondência oficial ostensiva destinada ao
materiais, uma instituição pública pode optar por alguns
órgão ou demais Unidades vinculadas ao Protocolo,
tipos de serviço postal. Por ser necessário um documento
desde que não haja identificação específica de
que comprove a entrega da correspondência, com validade
judicial e fé pública, deve-se contratar um serviço cujo destinatário e/ou identificação de conteúdo.
documento seja anexado ao objeto postal e preenchido no 8 Verificar se existe algum documento que já se refere
momento da entrega com a data, a hora e os dados da ao assunto para verificar se é necessário realizar
pessoa que recebeu a correspondência, para juntada.
encaminhamento imediato ao remetente. Esse serviço que 9. Classificar a correspondência, atribuindo um
comprova a entrega do documento ao destinatário código(Tabela de Classificação dos documentos), ao
denomina-se assunto em tela.
A) mão própria (MP).
10. Colocar o carimbo do protocolo, com o número do
B) registro.
Protocolo e da Classificação, sempre que possível, no
C) aviso de recebimento (AR) .
D) malote. canto superior direito do documento.
11. Registrar o documento no caderno de protocolo,
67 COMPERVE No Brasil, existe uma norma que de acordo com sua tipologia (fatura, ofício, circula interna
estabelece diretrizes para a descrição de documentos etc.), que será feita em livro ou em sistema
arquivísticos. Um dos objetivos dessa norma é informatizado.
A) estabelecer o perfil adequado do profissional arquivista. 12. Realizar a distribuição dos documentos aos
B) definir um formato final de apresentação das descrições. destinatários (primeiro movimentação do documento
C) padronizar os procedimentos em sistemas de arquivos. que é diferente de tramitação), a distribuição pode ser
D) estabelecer o que deve ser arquivado. informatizada ou por meio de “livros de protocolo”.
13. Efetuar o controle da movimentação documental,
Anulada, pois não constava tal assunto no edital.
informando a localização dos documentos, quando
ROTINAS E PROCEDIMENTOS INERENTES AO SETOR solicitado.
DE REGISTRO E PROTOCOLO E PROTOCOLOS DAS
DEMAIS CORRESPONDÊNCIAS ROTINAS PARA EXPEDIÇÃO
Expedição de Documentos: A expedição consiste no
As rotinas apresentadas a seguir foram adaptadas das envio dos originais (com anexos, se for o caso) aos
rotinas sugeridas na obra de Paes (2004, p.55-60). destinatários, via correio (ECT), malotes ou em mãos.
O Protocolo realiza as seguintes atividades/operações: Faz parte ainda do processo de expedição o envio das
• Recebimento cópias, devidamente classificadas acompanhadas dos
• Classificação antecedentes que lhes deram origem, ao setor de
• Registro
arquivamento (ao Arquivo propriamente dito).
• Autuação
• Expedição/Distribuição
PASSOS ROTINAS
• Controle/Movimentação
1 Receber a correspondência para expedição.
Não devem ser abertos e nem registrados pelo protocolo, 2. Os envelopes deverão ser fechados, após
devendo ser encaminhados diretamente aos destinatários: verificar se faltam folhas ou não, se a numeração está
 Documentos particulares correta, separando os originais das cópias.
 Documentos sigilosos 3. Colocar com o endereçamento da correspondência
Devem ser abertos e registrados pelo protocolo: correto e completo.
 Documentos ostensivos 4. Expedir o original, com os anexos se for o caso,
pelo correios, malotes ou em mãos;
Obs: Protocolo não empresta DOCUMENTOS. CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA EXPEDIÇÃO DE
PASSOS ROTINAS DE DOCUMENTOS:
RECEBIMENTO/CLASSIFICAÇÃO/REGISTRO E
DISTRIBUIÇÃO Definições importantes para expedição de documentos,
acerca dos serviços de postagem e remessa de
1 Receber a correspondência remetida a Unidade correspondências:
Central ou demais Unidades (malotes, balcão, ect). Tanto
do publico interno quanto externo, dando um número  Mala Direta Postal: serviço não urgente para envio
do protocolo. exclusivo de periódicos, livros, malas diretas, catálogos e
2 Emitir, quando for o caso, recibo (em formulário materiais promocionais.
próprio) do recebimento do documento. Por exemplo:  Carta Comercial: serviço urgente para envio de
documentos de licitação. documentos, com peso máximo de 500g.
61
JUNTADA
 Malote: serviço de coleta, transporte e entrega de  Será executada pelo protocolo Central ou Setorial,
objetos reunidos em volume, sendo utilizada para interligar mediante despacho
todos os órgãos e entidades.  ANEXAÇÃO: Dependência entre processos a serem
anexados
 Encomenda Pac: é o serviço de encomenda da linha  APENSAÇÃO: Não há dependências entre os
econômica para o envio exclusivo de encomendas, processos
permitindo o acompanhamento do trâmite da encomenda,
desde a postagem até a entrega. JUNTADA POR ANEXAÇÃO
• O processo acessório é renumerado
 Encomenda Sedex: é o serviço de remessa expressa • Lavrar termo de anexação na última folha do mais
de documentos ou encomendas. antigo
• Anotar na capa do principal o nº do acessório
 Aviso de recebimento: um documento que comprove a (anexado)
entrega da correspondência, com validade judicial e fé • Registrar no sistema a juntada por anexação
pública, deve-se contratar um serviço cujo documento seja • É uma juntada definitive
anexado ao objeto postal e preenchido no momento da
entrega com a data, a hora e os dados da pessoa que JUNTADA POR APENSAMENTO
recebeu a correspondência, para encaminhamento imediato • Colocar os processos um sob o outro, ficando em
ao remetente. segundo plano o processo que pediu a juntada.
• Cada processo continua com sua numeração original
 Mão Própria ou Em Mãos: Entrega feita pela • Lavrar termo de apensação no processo mais antigo,
administração por meios de veículos próprios. que ficará em primeiro lugar
• Anotar no processo que ficará em primeiro lugar o nº
ROTINA DE TRABALHO EM RELAÇÃO AO PROCESSO do apensado
• Registrar nos sistema a juntada por apensação
Procedimento administrativos em relação ao processo • É uma juntada temporária

Processo é documento ou conjunto de documentos que DESAPENSAMENTO


exigem estudo detalhado e procedimentos expressados  Após decisão final o processo poderão ser
por despachos, pareceres técnicos, anexo, instruções de desapensados nos protocolo setorial onde se encontrem
pagamento de despesa. Que a partir de autuados, são  É executada mediante indicação em despacho
autorizados pelo órgão a executar tal procedimento.  A desapensação ocorrerá antes do arquivamento
 Lavrar o termo de desapensação no processo que
 Autuação solicitou a juntada
 Numeração de folhas  Colocar despacho de encaminhamento em cada
processo
 Juntada
 Registrar em sistema a desapensação
 Juntada por anexação
 Juntada por apensação DESENTRAMENTO DE PEÇAS
 Desapensação  A retirada de folha ou peça acontecerá onde se
 Desentranhamento de peças encontrar o processo, mediante despacho
 Desmembramento de peças  Sempre que houver retirada colocar, lavrar termo de
 Diligência desentramento após o último despacho
 abertura de volume  A numeração continua a mesma
 Encerramento de processo  É vedada a retirada da folha ou peça inicial do
 Abertura de volume processo
 Reconstituição de processo
DESMEMBRAMENTO DE PEÇAS
AUTUAÇÃO • É feita para forma outro processo, ocorrerá mediante
 Serão numeradas em ordem crescente, sem rasura, despacho.
com carimbo próprio para colocação de número. Colocar • Retirar o documento que constituirá outro processo
no canto superior direito da página. • Apor termo de desentramento no local onde foi retirado
 A primeira folha é a número 1 o documento
 A capa não será numerada • Proceder autuação do documento retirado e renumerar
 A numeração inicial é feita no protocolo central ou as páginas do novo processo
setorial
 Cada unidade que receber o processo e colocar mais DILIGÊNCIA
peças deverá numerá-las  Quando o processo, tendo deixado de atender a uma
 A peça que estiver em tamanho reduzido deverá ser formalidade indispensável ou disposição legal é devolvido
colocada em folha branco maior ao órgão para sanar a pendência. Deverá ser enviado a
 Processos vindos de outros órgãos públicos só serão instituição para que em prazo especificado devolva com a
renumerados se a respectiva numeração estiver incorreta diligencia sanada.
 Qualquer solicitação ou informação, deverá ser feita  Vencido o prazo sem a conclusão da exigência, a
por despacho no próprio documento ou em folha de instituição anexara cópia da convocação e o devolverá ao
despacho. órgão que pediu diligência

62
ENCERRAMENTO Vamos uma breve descrição dos principais métodos de
• O encerramento acontecerá quando: restauração (não se preocupe em gravar os detalhes de
• Pleito indeferido cada um, mas apenas quais são os métodos de
• Pleito atendido, ou cumprimento dos compromissos restauração):
arbitrados • SILKING: Esse método utiliza tecido de sedã de grande
• Pela expressa desistência do interessado durabilidade, mas devido ao uso de adesivo à base de
• Concluído o Processo amido, afeta suas qualidades permanentes. Tanto a
legibilidade quanto a flexibilidade, a reprodução e o
ABERTURA DE VOLUME exame pelos entanto, um processo de difícil execução e
• Um processo não deve exceder a 200 folhas em regra cuja matéria-prima é de alto custo.
• A colocação de colchetes deverá ser a 2 cm da • BANHO DE GELATINA: Consiste em mergulhar o
margem esquerda documento em banho de gelatina ou cola, o que aumenta a
• Colocar na última folha do volume anterior o termo de sua resistência, não prejudica a visibilidade e
flexibilidade e proporciona a passagem dos raios
encerramento de volume, devidamente numerado
ultravioletas e infravermelhos. Os documentos, porém,
• Colocar no novo volume, logo depois da capa o termo
tratados por este processo, que é manual, tornam-se
de abertura de volume suscetíveis ao ataque de insetos e fungos, além de
exigir habilidade do executor.
PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO DOCUMENTAL • TECIDO: Processo de reparação em que são usadas
Os documentos podem sofrer degradação causada por
folhas de tecido muito fino, aplicadas com pasta de amido.
diversos agentes, normalmente classificados em:
A durabilidade do papel é aumentada consideravelmente,
• FÍSICOS - luminosidade, temperatura, umidade etc.
• QUÍMICOS - acidez do papel, poluição atmosférica, tintas mas o emprego do amido propicia o ataque de insetos e
etc. fungos, impede o exame pelos raios ultravioletas e
• BIOLÓGICOS - insetos, fungos, roedores etc. infravermelhos, além de reduzir a legibilidade e
• AMBIENTAIS - ventilação, poeira etc. flexibilidade.
• LAMINAÇÃO : Processo em que se envolve o
Há uma série de tratamentos e técnicas que podem ser documento, nas duas faces, com uma folha de papel de
utilizadas na conservação dos documentos. Sendo as seda e outra de acetato de celulose, prensado sob pressão
quatro principais operações de CONSERVAÇÃO: e temperatura elevada.

• DESINFESTAÇÃO: Processo de destruição ou inibição da 68 COMPERVE. Com base no conhecimento sistematizado


atividade de insetos. em processos administrativos, é correto afirmar que, nas
• HIGIENIZAÇÃO ou limpeza: Retirada, por meio de organizações,
técnicas apropriadas, de poeira e outros resíduos. A) os serviços de protocolo devem ser os responsáveis pelo
• ALISAMENTO: consiste em colocar os documentos em
controle do trâmite dos documentos.
bandejas de aço inoxidável e expô-los à ação do ar com
B) os documentos considerados de valor secundário são
forte percentagem de umidade, durante uma hora e, em
arquivados ou eliminados na segunda fase do ciclo
seguida, passá-los a ferro, folha por folha.
intermediário.
• CLIMATIZAÇÃO: Processo de adequar, por meio de
C) os documentos arquivados que apresentem grau de
equipamentos, a temperatura e a umidade relativa do ar a
sigilo urgente deverão ser armazenados em arquivos de
parâmetros favoráveis à preservação dos documentos.
segurança máxima.
• DESACIDIFICAÇÃO: Processo pelo qual o valor do pH do
D) os serviços de classificação determinam os prazos para
papel é elevado a um mínimo de 7, com vistas à sua
preservação. transferência, recolhimento, eliminação e mudança de
• ENCAPSULAÇÃO: Processo de preservação no qual o suporte de documentos.
documento é protegido entre folhas de poliéster
transparente, cujas bordas são seladas. 69 COMPERVE. O método de arquivamento no qual as
• FUMIGAÇÃO: Exposição de documentos a vapores pastas são ordenadas de acordo com o registro de entradas
químicos, geralmente em câmaras especiais, a vácuo ou correspondentes e que se utiliza de um índice alfabético
não, para destruição de insetos, fungos e outros
microorganismos. remissivo para a codificação das pastas é chamado de
• LUMINOSIDADE: deve-se procurar usar luz artificial (com A) método numérico simplex.
parcimônia), enquanto que a luz do dia deve ser evitada, B) sistema numérico duplex.
pois acelera o desaparecimento da tinta e enfraquece o C) classificação decimal universal.
papel. D) Método de arquivamento decimal.
• UMIDADE: ar muito seco enfraquece o papel e ambientes
muito úmidos causam o aparecimento de mofo, o ideal é 70 COMPERVE. Por meio da análise dos registros
uma umidade intermediária (45%-60%). documentais, é possível desenvolver um método básico
• TEMPERATURA: não deve sofrer muitas oscilações – pelo qual se possa alcançar a compreensão do passado,
ambientes muito quentes podem destruir a fibra do papel. tanto imediato quanto histórico. Os registros documentais
Ou seja, o ideal sempre é o meio termo: nem muito frio, deverão ter as seguintes características:
nem muito quente; nem muito seco, nem muito úmido. A
A) imparcialidade, autenticidade, naturalidade, inter-
única exceção é a luminosidade, que sempre deve ser
relacionamento e unicidade
pouca.
B) individualidade, interdisciplinaridade, informalidade e
comunicabilidade
RESTAURAÇÃO DE DOCUMENTOS
C) impessoalidade, pluralidade, multiplicidade e cooperação

63
D) interdisciplinaridade, informalidade, cooperação e 76 COMPERVE Paulo foi transferido para o setor de
pluralidade arquivo de uma Universidade. Antes do seu efetivo
exercício no novo setor, ele foi convidado a fazer
71. COMPERVE Suponha que você é responsável pela um curso de capacitação em Noções de Arquivos. No
organização dos documentos utilizados pelos primeiro dia de curso, o instrutor assegurou-lhe
corretamente que
motoristas para viagem de campo com professores.
A) a codificação utilizada é criada dentro da
Considerando a natureza da atividade, os documentos
organização, que produz seu próprio sistema de
devem ser organizados em determinada ordem, que
códigos.
consiste na disposição destes de acordo com B) a codificação deve ser atribuída na origem do
A) a sucessão temporal. documento, facilitando o trabalho de quem vai arquivá-
B) a sequência das letras do alfabeto. lo.
C) a unidade territorial. C) a classificação deve ser realizada com base na
D) a sequência numérica atribuída aos documentos. leitura do documento e posterior codificação.
D) a classificação de um documento por grau de sigilo
72. COMPERVE Considerando a natureza dos determina que código deve ser aplicado a ele.
documentos a serem arquivados, a organização pode
instituir vários tipos de arquivos. O que guarda 77 COMPERVE A unidade responsável pelo
documentos estreitamente vinculados aos objetivos gerenciamento das informações do corpo discente
imediatos para os quais foram produzidos é de uma universidade é normalmente um setor
A) o arquivo morto. onde tramita uma expressiva quantidade de
B) o arquivo temporário. documentos. Fernanda, estagiária desse setor,
C) o arquivo permanente. identificou um grande número de documentos
D) o arquivo de gestão. arquivados no local que não eram mais necessários
à realização das atividades da unidade. Ela propôs
73. COMPERVE No arquivo de uma organização, há ao chefe da unidade reorganizar o arquivo,
documentos com informação em poder dos órgãos e deixando no setor apenas os documentos que
entidades públicas, observado o seu teor e em razão de estão tramitando ou que ainda podem ser
sua imprescindibilidade à segurança da sociedade ou consultados. A proposição de Fernanda está baseada
na classificação de arquivos
do Estado. O prazo máximo de restrição de acesso às
A) pelos estágios de evolução, podendo ser correntes,
informações consideradas reservadas é de
intermediários ou permanentes.
A) 25 anos.
B) pelo gênero, que podem ser divididos em impressos ou
B) 5 anos. manuais.
C) 15 anos. C) pela natureza do assunto, sendo separados em
D) 10 anos. documentos ostensivos ou sigilosos.
D) pelo sigilo, classificados como secretos ou não secretos.
74 COMPERVE Os documentos produzidos por uma
organização são de natureza diversa. A configuração 78 COMPERVE Ao classificar a natureza dos
que assume um documento de acordo com a sua assuntos dos documentos de interesse da
natureza e o modo como foi confeccionado é administração superior, o chefe do gabinete da
denominada reitoria da Universidade Federal da Gama Beta
A) espécie. constatou que as atas dos resultados dos
B) formato. concursos públicos para docentes do magistério
C) gênero. superior deveriam ser do tipo
D) suporte. A) ostensivo
75 COMPERVE As instituições devem organizar os B) sigiloso
documentos produzidos e recebidos no exercício de C) informático
suas atividades, de forma a constituir-se em um D) textual
referencial para a sua recuperação. Para tanto, é
preciso utilizar um código de classificação de 79 COMPERVE A secretária do curso de Gestão de
documentos de arquivos. Nas organizações públicas, Companhias Aéreas necessita excluir dos autos de
utiliza-se uma classificação decimal que serve para um processo a folha de número 4 (justificativa
A) classificar os documentos por assunto, deixando-os em apresentada junto com o requerimento), uma vez
cada unidade de origem. que esta foi tornada sem efeito a pedido do
B) ordenar os documentos do arquivo em uma sequência aluno interessado que solicitara revisão de
cronológica. rendimentos. Esse ato devidamente autorizado pela
C) definir a organização física dos documentos autoridade competente é denominado
arquivados, facilitando o seu processo de recuperação. A) eliminação
D) facilitar a organização do arquivo, tendo em vista B) desapensação
que estes não serão mais utilizados futuramente. C) desentranhamento
D) transferência

64
Este método foi desenvolvido por Deming a partir da análise
de que a maioria dos problemas em um processo,
GABARITO
considerados como oportunidades de melhoria, são
causados pela diferença entre as necessidades dos clientes
1-C 2-B 3-B 4-D 5-D 6-D 7-A 8-D 9-A 10-C 11-C e o desempenho do processo.
12-D 13-D 14-C 15-D 16-C 17-C 18-B 19-B 20-D 21-D Ou seja, que deveria existir uma melhoria contínua dos
22-D 23- 24-D 25-A 26-C 27-C 28-D 29-B 30-C 31-B processos para que estes conseguissem “entregar”
32-C 33-C 34-C 35- 36-D 37- 38-C 39-B 40-C 41-A exatamente o produto ou serviço necessário ao cliente.
42-A 43-A 44-A 45-D 46-C 47-D 47-A 48-B 49- 50-D Assim sendo, seus passos principais são vistos abaixo no
51- 52- 53- 54-A 55-B 56- A 57-D 58-B 59-A 60-D gráfico.
61-C 62-A 63-A 64- A 65-B 66-C 67- C 68 – A 69 – A
70 – A 71 – A 72 – D 73 – B 74-B 75 –C 76 – C 77 – A
78 – A 79 – C

ITEM – 05 - QUALIDADE NO SERVIÇO PÚBLICO:


FERRAMENTAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (CICLO
PDCA, SERVQUAL, 5S, FLUXOGRAMA, DIAGRAMA DE
PARETO, DIAGRAMA DE ISHIKAWA, FOLHAS DE
VERIFICAÇÃO, HISTOGRAMA);

O quadro abaixo apresenta algumas definições de


qualidade:

Excelência - Qualidade significa o melhor que se


pode fazer, o padrão mais elevado de
desempenho em qualquer campo de
atuação.
Valor - Qualidade significa ter mais
atributos; usar materiais ou serviços
raros, que custam mais caro.
- Qualidade como valor é conceito
relativo, que depende do cliente e
seu poder aquisitivo.
Especificações - Qualidade planejada; projeto do
produto ou serviço; definição de
como o produto ou serviço deve ser. As etapas do PDCA são as seguintes:
PLAN (PLANEJAR) – nesta etapa devem-se estabelecer
Conformidade - Produto ou serviço de acordo com
os objetivos e metas, de forma que sejam estabelecidos
as especificações do projeto. quais serão as ações e métodos para que estes
Regularidade - Uniformidade; produtos ou serviços objetivos sejam alcançados.
idênticos.
Adequação ao - Qualidade de projeto e ausência de DO (EXECUTAR) – nesta fase o que foi planejado será
Uso deficiências; projeto excelente e executado, ou seja, entrará em ação. Além disso, nesta
produto/serviço de acordo com o fase deverão ser coletados os dados para que possamos
analisar os dados na próxima fase. Além deste fato, nesta
projeto. fase devem-se treinar os funcionários nas atividades e
Fonte: TGA – Antônio César Amaru Maximiano – Atlas – tarefas específicas que devem executar.
2000. CHECK (VERIFICAR E CONTROLE) – nesta etapa existe
FERRAMENTAS DA GESTÃO DA QUALIDADE a verificação dos resultados das ações implementadas
na fase anterior. Para isso, serão utilizadas uma série de
CICLO DEMING OU PDCA ferramentas para a tomada de decisão, como
histogramas, diagramas de Ishikawa, cartas de
O ciclo de Deming ou como é mais conhecido – PDCA é controle, dentre outras.
uma ferramenta na busca da melhoria contínua, do ACT (AGIR DE FORMA CORRETIVA) – nesta etapa
Kaizen. O objetivo da ferramenta é simplificar o podem ocorrer duas coisas distintas. Se os resultados
processo de melhoria dos processos e a correção de forem bons deve existir um esforço de padronização
problemas e fazer com que qualquer funcionário da das ações e dos planejamentos adotados, já que
organização possa participar deste processo e alcançaram o objetivo.Entretanto, se os resultados
melhorar a qualidade da organização. forem ruins devem-se buscar as razões para as falhas,
É chamado de ciclo, pois não deve nunca terminar, de modo a revisar o processo e evitar que os
sendo seu processo sempre reiniciado. Os resultados de problemas voltem a acontecer.
uma passagem do ciclo são considerados no planejamento Um dos objetivos do PDCA é, portanto, aumentar a
da próxima passagem. previsibilidade nos processos organizacionais e
aumentar a chance de sucesso da empresa. Esta
O ciclo PDCA é um método gerencial para a promoção previsibilidade ocorre pela padronização dos processos
da melhoria contínua e reflete, em suas quatro fases, a de sucesso.
base da filosofia do melhoramento contínuo.
EFICIÊNCIA, EFICÁCIA E EFETIVIDADE
65
Os conceitos de EFICIÊNCIA, EFICÁCIA E EFETIVIDADE  6 (Avaliação do cliente em relação à empresa) –
são temas dos mais “batidos” em provas de concursos. 5 (Expectativa do cliente) = 1 (Qualidade de serviço)
Eficiência se relaciona com o uso dos recursos que temos Isso significa que sua empresa supera as expectativas do
disponíveis para atingir nossos objetivos. Portanto, quando cliente nesse aspecto.
falamos que alguém foi eficiente é porque esta pessoa
utilizou os recursos que tinha de forma adequada. O método avalia o que considera serem as 5 dimensões
mais relevantes na prestação de serviços de qualidade:
Eficácia é fazer a coisa certa!O conceito é relacionado
não com a utilização dos recursos, mas se atingimos
 Confiabilidade (Reliability);
realmente o objetivo que traçamos.  Garantia (Assurance);
 Tangíveis (Tangibles);
A Efetividade refere-se ao impacto das ações! Como a  Empatia (Empathy);
execução de um programa pode ou não alterar uma  Capacidade de resposta (Responsiveness).
realidade.
Podemos encontrar também a EFETIVIDADE com a Devido as iniciais em inglês de cada dimensão (entre
junção de EFICIÊNCIA e EFICÁCIA. parênteses), o método também ficou conhecido
como RATER, que coincidentemente ou não,
SERVQUAL significa avaliador em inglês.

O SERVQUAL mede a qualidade do serviço baseando-se CONFIABILIDADE: avalia a capacidade da sua empresa
nas expectativas do cliente em contraponto com a de realizar o serviço de maneira confiável, precisa e de
percepção que esse mesmo cliente tem em relação ao acordo com o que foi prometido para o cliente. Em outras
serviço que recebeu. palavras, significa fazer o que você prometeu quando
prometeu fazer.
A metodologia busca saber quais fatores o cliente
considera mais importantes na prestação de um
GARANTIA: é a competência da sua organização em
serviço. Dividido em duas etapas, o método consiste em 2
transmitir confiança e segurança para os clientes. Se
entrevistas que devem ser realizadas com vários clientes,
focando em 22 perguntas preestabelecidas em cada uma. seus colaboradores são altamente especializados e seu
Em ambas as entrevistas, o cliente deve atribuir uma cliente não sabe disso, você está perdendo pontos nesse
pontuação relativa a qualidade dos serviços nas critério.
organizações. A pontuação pode ser estabelecida por
você, mas geralmente são utilizadas notas entre 0 e 6 TANGÍVEIS: mede a qualidade dos recursos físicos
pontos. necessários para a prestação do serviço, desde a
infraestrutura, passando pelos equipamentos usados e a
A primeira entrevista questiona o cliente em relação ao
aparência dos colaboradores. Uma empresa que loca
que ele acha ideal ou mais importante para que uma
carros para noivas chegarem ao altar, por exemplo, deve
empresa realize o serviço avaliado.
ter atenção redobrada quanto aos trajes que o
Já a segunda visa entender o que o cliente acha de uma motorista usa e ao estado de conservação dos veículos,
empresa específica. Quando você aplicar o SERVQUAL
ou seja, seus aspectos tangíveis.
na sua empresa, a segunda entrevista será
direcionada ao que ele pensa da sua organização.
EMPATIA: mede o quanto o atendimento ao cliente
Feitas as entrevistas, basta pegar a nota que o cliente pode ser personalizado e individualizado de acordo
deu a sua empresa (2ª entrevista) e subtrair a nota que
com suas necessidades. Além disso, sua equipe deve
ele atribuiu ao que considerava ideal (1ª entrevista),
estar sensível a entender qual a melhor maneira de
assim:
tratar seu cliente, pois isso irá impactar a percepção dele
em relação ao serviço prestado.
AV – EX = QUAL CAPACIDADE DE RESPOSTA: avalia o quão rápido a
AV: Avaliação do cliente em relação à empresa sua empresa consegue prestar seu serviço e qual a sua
EX: Expectativa do cliente disposição em solucionar as dúvidas do cliente.Quanto
QUAL: Qualidade de serviço tempo você demora para responder um cliente? Isso é
um indicador para avaliar sua Capacidade de resposta.
O resultado será o nível de qualidade do seu serviço na
visão dos seus clientes. RESULTADOS Analisar essas dimensões possibilita compreender os
POSITIVOS significam que a qualidade está acima do níveis de satisfação do cliente e os Gaps da
esperado pelo cliente, RESULTADOS Qualidade, áreas que precisam de maior atenção na
NEGATIVOS significam que sua empresa está deixando a empresa.
desejar naquele requisito.

Por exemplo, uma das perguntas do questionário está


relacionada ao equipamento utilizado pela empresa. Ela
pode ser elaborada dessa forma:

 De 0 a 6, qual é a importância de o
Equipamento da empresa ser moderno e atualizado?

Se na 1ª entrevista, que avalia o desempenho ideal de


uma organização, o cliente atribuiu nota 5 a esse requisito
e na 2ª entrevista, que avalia o desempenho da sua
empresa, o cliente atribuíu nota 6 ao seu equipamento.
Então a conta ficaria assim:

66
que levam a determinado resultado que desejamos obter
através da representação gráfica.
Para elaborar o diagrama Ishikawa definiu as chamadas
“causas principais” de qualquer problema, que também são
chamadas de 6 M’s: “mão de obra”, qualquer fator
relacionado à falha humana ou relacionado às pessoas;
“materiais”, problemas ou fatores relacionados com
componentes, insumos ou matérias-primas; “máquinas”,
problemas ou fatores relacionados com equipamentos;
“métodos”, problemas ou fatores relacionados com
métodos; “meio ambiente”, problemas ou fatores
relacionados com meio/local; “medição”, problemas ou
fatores relacionados com controle do processo,
monitoramento.

DIAGRAMA DE PARETO

O Diagrama de Pareto está intrinsecamente relacionado


com a Lei de Pareto, também conhecida como princípio 80-
20, ou lei 20/80. O Diagrama de Pareto tem o objetivo de
compreender a relação ação - benefício, ou seja, prioriza
a ação que trará o melhor resultado. O diagrama é
composto por um gráfico de barras que ordena as
frequências das ocorrências em ordem decrescente, e
permite a localização de problemas vitais e a eliminação de
futuras perdas. O diagrama é uma das sete ferramentas
básicas da qualidade e baseia-se no princípio de que a
maioria das perdas tem poucas causas, ou que poucas
causas são vitais, sendo a maioria trivial.
De acordo com esta lei, 80% das consequências
DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO decorrem de 20% das causas. Esta lei foi proposta por
Joseph M. Juran, famoso consultor de negócios, que
Este diagrama é mais uma das sete ferramentas básicas da deu esse nome como homenagem ao economista italiano
qualidade e foi criado pelo professor da Universidade de Vilfredo Pareto.
Tóquio, Kaoru Ishikawa em 1943. Durante as suas pesquisas, Pareto descobriu que 80%
O Diagrama de Causa e Efeito, também chamado de da riqueza estava nas mãos de apenas 20% da
“Diagrama de Ishikawa” ou “Diagrama Fishbone”, tem população. Através desta lei é possível afirmar que:
como objetivo facilitar a identificação das causas de 20% dos clientes são responsáveis por mais de 80% dos
problemas que devem ser sanados ou mesmo os fatores lucros de uma determinada empresa;

67
Mais de 80% das descobertas no mundo científico resultam
de 20% dos cientistas.

In v es tim e n to %

100
95

70

A B C

0 10 50 100 Itens
%
Obs: 10% dos itens (classe A) correspondem a 70% do valor investido
e o maior numero de itens (classe C), ou seja, 50% do total em
estoque, representa apenas 5% do valor. E, entre estes limites, estão
compreendidos 40% dos itens (classe B), correspondendo a 25% das
aplicações, é importante salientar que os percentuais das classes
variam de acordo com o cenário em questão.

FLUXOGRAMAS
O Fluxograma Consiste de um conjunto de notações
gráficas, ou seja, um conjunto de símbolos
padronizados que servem para que possamos
descrever e redesenhar um processo, isto é, um
mapeamento do processo.

Assim, essa é a ferramenta utilizada para efetuar o


mapeamento e a modelagem dos processos. Desta
forma, ele é utilizado para descrever, de modo gráfico,
um processo através do uso de símbolos e linhas.

Dessa maneira, com ele fica mais fácil visualizar e


conhecer melhor um processo, de forma que possamos
propor melhorias e mudanças. O objetivo, portanto, da
utilização dessa ferramenta é simplificar o trabalho de
mapeamento e facilitar o entendimento de como os
processos de trabalho funcionam.

OBJETIVO DO FLUXOGRAMA
I. padronizar a representação dos métodos e os
procedimentos administrativos.
II. maior rapidez na descrição dos métodos e formas de
trabalho.
III. facilitar a leitura e o entendimento dos métodos de
trabalho.
IV. facilitar a localização e identificação dos aspectos mais
importantes nas etapas das rotinas de trabalho.

5W2H

O 5W2H, basicamente, é um checklist de determinadas


atividades que precisam ser desenvolvidas com o
máximo de clareza possível por parte dos
colaboradores da empresa. Ele funciona como um
mapeamento destas atividades, onde ficará
estabelecido o que será feito, quem fará o quê, em qual
período de tempo, em qual área da empresa e todos os
motivos pelos quais esta atividade deve ser feita.

68
Prof. Wolmer Barboza
WHAT – O QUE SERÁ FEITO (ETAPAS)
WHY – POR QUE SERÁ FEITO (JUSTIFICATIVA)
WHERE – ONDE SERÁ FEITO (LOCAL)
WHEN – QUANDO SERÁ FEITO (TEMPO)
WHO – POR QUEM SERÁ FEITO (RESPONSABILIDADE)
HOW – COMO SERÁ FEITO (MÉTODO)
HOW MUCH – QUANTO CUSTARÁ FAZER (CUSTO

Específica - IAP CURSOS

WWW.IAPCURSOS.COM
MATRIZ GUT

Ferramenta muito utilizada pelas empresas para priorizar


os problemas que devem ser atacados pela gestão,
bem como para analisar a prioridade que certas
atividades devem ser realizadas e/ou desenvolvidas, em
situações como: solução de problemas, estratégias,
desenvolvimento de projetos, tomada de decisões etc. Esta
ferramenta se chama Matriz GUT, sigla utilizada para
resumir as palavras Gravidade, Urgência e Tendência.

É uma ferramenta muito importante para a gestão de


problemas dentro de uma empresa, e se mostra bastante
eficaz, apesar da simplicidade no desenvolvimento e
manutenção. Ela está ligada, geralmente, à Matriz SWOT e
sua análise dos ambientes interno e externo da empresa,
onde analisa a prioridade de resolução de um problema, PRINCÍPIOS DO 5S
que pode estar dentro ou fora da empresa.
O conceito de 5S possui como base as cinco palavras
japonesas cujas iniciais formam o nome do programa. As
palavras são Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke,
que migradas para o Português foram traduzidas como
“sensos”, visando não descaracterizar a nomenclatura do
programa. São eles: senso de utilização, senso de
organização, senso de limpeza, senso de saúde e senso
de autodisciplina. Vejamos separadamente os conceitos
de cada um dos 5S:
1) SEIRI – Senso de Utilização
HISTOGRAMA
Significa utilizar materiais, ferramentas, equipamentos,
dados, etc. com equilíbrio e bom senso. Onde é
O Histograma é uma ferramenta muito útil para que realizado o descarte ou realocação de tudo aquilo
possa visualizar a distribuição de frequências de considerado dispensável para realização das atividades. Os
qualquer evento. Ele normalmente aparece como um resultados da aplicação do Senso de Utilização são
UM GRÁFICO DE BARRAS, que representam a imediatamente evidenciados.
frequência de cada um dos eventos analisados, com
base em uma tabela de levantamento dos dados. Ganho de espaço
Facilidade de limpeza e manutenção
Melhor controle dos estoques
Redução de custos
Preparação do ambiente para aplicação dos demais
conceitos de 5S

2) SEITON – Senso de Organização

70
O senso de organização pode ser interpretado como a Melhor qualidade, produtividade e segurança no
importância de se ter todas as coisas disponíveis de trabalho;
maneira que possam ser acessadas e utilizadas Trabalho diário agradável;
imediatamente. Para isto devem-se fixar padrões e utilizar Melhoria nas relações humanas;
algumas ferramentas bem simples como painéis, etiquetas, Valorização do ser humano;
estantes, etc. Tudo deve estar bem próximo do local de uso Cumprimento dos procedimentos operacionais e
e cada objeto deve ter seu local específico. Podemos administrativos;
identificar como resultados do senso de organização:
A convivência com os cinco sensos apresentados leva
Economia de tempo;
os indivíduos a compreenderem melhor o seu papel
Facilidade na localização das ferramentas;
Redução de pontos inseguros. dentro de uma organização e os torna parte da pirâmide
dos resultados alcançados, fazendo nascer a
3) SEISO – Senso de Limpeza consciência de que é preciso ser disciplinado mesmo
quando não há cobranças. Por isso, os Programas de
A tradução para a palavra Seiketsu é limpeza. Este Qualidade têm auxiliado as empresas no processo de
senso define a importância de eliminar a sujeira, melhoria contínua dos produtos ou serviços, principalmente
resíduos ou mesmo objetos estranhos ou através da mudança cultural, a fim de se obter a vantagem
desnecessários ao ambiente. Trata-se de manter o aceio competitiva necessária que será colhida a curto, médio e
do piso, armários, gavetas, estantes, etc. O senso de longo prazo.
limpeza pode ir além do aspecto físico, abrangendo
também o relacionamento pessoal onde se preserva um
ambiente de trabalho onde impere a transparência, QUESTÕES DE REVISÃO E FIXAÇÃO
honestidade, franqueza e o respeito. A aplicação do senso
de limpeza traz como resultado: 01 COMPERVE A qualidade é definida por JURAN
como adequação ao uso. Esse conceito prioriza
Ambiente saudável e agradável; elementos como
Redução da possibilidade de acidentes; A) controle das não-conformidades dos processos.
Melhor conservação de ferramentas e equipamentos; B) leveza, embalagem do produto e normas de
Melhoria no relacionamento interpessoal. processamento.
C) atendimento cortês e competente e programa de
4) SEIKETSU – Senso de Padronização e Saúde treinamento.
D) características de um produto ou serviço que atende às
O senso de padronização é traduzido na fixação de padrões necessidades do consumidor/usuário.
de cores, formas, iluminação, localização, placas, etc.
Como abrange também o conceito de saúde, é importante
02 COMPERVE O planejamento para a qualidade
que sejam verificados o estado dos banheiros, refeitórios,
envolve a adoção de estratégias básicas como
salas de trabalho, etc. afim de que sejam identificados
problemas que afetam a saúde dos colaboradores como os A) tomar decisões sobre ações preventivas, eliminando as
problemas ergonômicos, de iluminação, ventilação, etc. improvisações e intuições surgidas no dia-a-dia da
Este senso tem como principal finalidade manter os 3 organização.
primeiros S’ (seleção, ordenação e limpeza) de forma que B) tomar decisões sobre os altos
eles não se percam. Podem-se evidenciar como principais índices de desperdícios detectados relatórios
resultados da aplicação deste conceito: gerenciais e que requerem ações imediatas.
C) tomar decisões imediatas sobre o elevado índice de
Facilidade de localização e identificação dos objetos e reclamação dos clientes.
ferramentas; D) tomar decisões sobre avaliação de desempenho dos
Equilíbrio físico e mental; colaboradores.
Melhoria de áreas comuns (banheiros, refeitórios, etc); 03 IADES A característica central dos modelos de
Melhoria nas condições de segurança. gestão baseados na qualidade total tem o foco
A) nos usuários/clientes dos produtos e serviços.
5) SHITSUKE – Senso de Disciplina ou Autodisciplina B) no aperfeiçoamento contínuo do processo produtivo.
C) na melhoria do desempenho, com base nas melhores
A última etapa do programa 5S é definida pelo práticas dos competidores.
D) no aprendizado e inovação contínuos por meio da
cumprimento e comprometimento pessoal para com as
experiência.
etapas anteriores. Este senso é composto pelos
E) no alinhamento entre processos gerenciais e estratégias
padrões éticos e morais de cada indivíduo. Esta etapa de longo prazo.
estará sendo de fato executada quando os indivíduos
passam a fazer o que precisa ser feito mesmo quando não 04 FGV A organização Y adota uma abordagem
há a vigilância geralmente feita pela chefia ou quando disciplinada para assegurar que um determinado
estendem estes conceitos para a vida pessoal processo melhore de forma incremental e permaneça
demonstrando seu total envolvimento. Diante de um atingindo seus objetivos.
ambiente autodisciplinado a cerca dos princípios 5S é Nessa perspectiva, é correto afirmar que se trata de:
possível que se tenha: A) melhoria contínua de processo;
B) melhoria de processo de negócios;
C) reengenharia de processo;

71
D) análise estatística de processo; Essa prática refere-se à etapa de:
E) redesenho de processo. A) Act ou Agir;
B) Do ou Executar;
05 IFSP Tanto o desenvolvimento quanto a certificação C) Plan ou Planejar;
do sistema de qualidade de uma empresa são
D) Check ou Checar;
complexos e trabalhosos. No entanto, oferecem frutos
E) Define ou Definir.
muito positivos, desde que sejam corretamente
administrados e mantidos dinamicamente sob controle.
10 CESPE Determinada instituição não alcançou as
Muitas ferramentas podem ser aplicadas para melhor
metas planejadas e agora busca as causas
dirigir as ações necessárias de desenvolvimento e
fundamentais a fim de prevenir a repetição dos efeitos
manutenção de um sistema de qualidade. É sempre
indesejados. Essa fase do PDCA é denominada:
importante conhecer tais ferramentas e, inclusive, tudo
A) Plan – Definir metas e métodos.
que diz respeito à série ISO 9000. Nesse contexto, é
B) Do – Executar as tarefas e coletar dados.
correto afirmar que duas das ferramentas, muito
C) Act – Agir corretivamente ou padronizar.
comumente utilizadas, são
D) Check – Verificar os resultados da tarefa executada.
A) o Ciclo PDCA e o Diagrama de Causa e Efeito, também
E) Do – Educar e treinar.
denominado Diagrama de Pareto.
B) o Ciclo PDCA e o Diagrama de Causa e Efeito, também
11 FCC Tratando-se da gestão da qualidade, o ciclo
denominado diagrama de Ishikawa.
PDCA é
C) o Diagrama de Pareto e o Ciclo PDCA, também
A) uma ferramenta de representação das possíveis causas
denominado SWOT.
que levam a um determinado efeito.
D) o SWOT e o PDCA, cuja letra C representa a fase de
B) um método gerencial para a promoção contínua e reflete
aplicação de ações corretivas e padronizações.
a base da filosofia do melhoramento contínuo
C) um diagrama que auxilia na visualização da alteração
06 COMPERVE O princípio básico de uma das
sofrida por uma variável quando outra se modifica.
ferramentas da qualidade total é a identificação de
pontos críticos do processo em que “alguns elementos D) o desdobramento de dados, a partir de levantamento
são vitais”. A ferramenta que utiliza esse princípio é o ocorrido, em categorias e grupos para determinar sua
(a) composição, objetivando a análise e pesquisa para o
A) Brainstoreming. desenvolvimento de oportunidades de melhorias.
B) diagrama de causa e efeito. E) a representação gráfica que mostra a distribuição de
C) diagrama de Pareto. dados por categorias.
D) folha de verificação.
12 FCC O conceito de eficiência na gestão pública
07 COMPERVE A gestão de uma organização pública corresponde ao
pode ser feita por meio do uso de uma ferramenta A) grau de alcance das metas; é uma medida de resultados
conhecida como “Ciclo PDCA”. Esse instrumento para avaliar o desempenho da administração.
combina ação e aprendizagem, exigindo agir de acordo B) uso racional e econômico dos insumos na produção de
com o pensamento e pensar de acordo com as ações, o bens e serviços.
que leva a uma melhoria contínua de todo o processo C) impacto final das ações, ou seja, o grau de satisfação
de gestão. A capacitação das pessoas para realizar as das necessidades e dos desejos da sociedade pelos
atividades para o atingimento das metas é uma ação serviços prestados pela organização.
que compõe o D) grau de alcance dos indicadores de resultados
A) “P”, que significa PLAN, elaborar o plano. estabelecidos no planejamento estratégico da organização.
B) “D”, que significa DO, executar o plano. E) resultado da avaliação de desempenho e grau de
C) “C”, que significa CHECK, verificar os resultados. satisfação com os serviços disponibilizados.
D) “A”, que significa ACTION, realizar ação corretiva. 13 ESAF A ferramenta de gestão amplamente
08 CESPE Com o objetivo principal de tornar os divulgada por Willian Deming, cujo objetivo é
processos da gestão da instituição em que trabalha implementar um processo de melhoria contínua,
mais ágeis, claros e objetivos, um Assistente em através de ciclos de planejamento e controle de uma
Administração sugeriu uma técnica administrativa que determinada atividade, é denominada
está dividida em quatro principais passos: A) Ciclo 5S.
planejamento, execução, verificação e ação. Que B) Ciclo PDCA.
metodologia foi apresentada como sugestão? C) Diagrama de Ishikawa.
A) Ciclo PDCA D) Diagrama de Pareto.
E) Fluxograma.
B) Cronograma físico
C) Orçamento matricial
14 FCC O denominado Ciclo PDCA pode ser entendido
D) Análise FOFA como um método ou técnica para controle de
processos que
09 CESPE O PDCA é uma ferramenta que busca A) é focado no gerenciamento de riscos, com aplicação de
aprimorar as práticas de gestão nas organizações por instrumentos de compliance.
meio de um conjunto de ações organizadas em etapas. B) é pautado pela redução de custos e otimização dos
No PDCA é recomendado aos gestores a prática de recursos humanos e materiais existentes.
“verificar se o executado está conforme o planejado e C) tem como objetivo a drástica redução do tempo
se a meta foi alcançada dentro do método definido”. necessário para o cumprimento de todas as etapas do
processo.
72
D) contempla, entre outras etapas, a de controle e a C) Eficiência está relacionada ao alcance dos objetivos e
corretiva, buscando a minimização de erros. eficácia está relacionada ao acerto nas soluções propostas.
E) propõe a redução de interfaces e o estabelecimento de D) Eficiência trata da realização de tarefas e eficácia está
um fluxo horizontal de ações e decisões. relacionada ao acerto nas soluções propostas.

15 IADES A gestão da qualidade total pode ser definida 19 COMPERVE


como a busca pela perfeição, com o objetivo de agradar A) A eficácia preocupa-se com os métodos e
clientes cada vez mais conscientes das facilidades de procedimentos mais indicados, que precisam ser
consumo e variedades de organizações a lhes devidamente planejados e organizados, a fim de assegurar
oferecerem produtos. Em resumo, a qualidade deve a otimização da utilização dos recursos disponíveis.
adequar-se às expectativas dos clientes. Sendo assim, B) O alcance dos objetivos visados não entra na esfera de
ao longo dos anos, foram criadas ferramentas capazes competência da eficácia; é um assunto ligado à eficiência.
de medir e analisar dados, conforme a aplicação C) A eficiência não se preocupa com os fins, mas
adequada em cada caso. simplesmente com os meios.
D) Na medida em que o administrador se preocupa em
fazer corretamente as coisas, ele estará se voltando para a
eficácia, ou seja, para uma melhor utilização dos recursos
disponíveis.
E) Eficiência é uma medida do alcance de resultados,
enquanto a eficácia é uma medida da utilização dos
recursos nesse processo.

20 FCC É consenso que a atuação da Administração


pública deve estar pautada pela busca do atendimento
das necessidades e das expectativas da sociedade
pelos serviços prestados. Quando o impacto final das
ações da Administração atinge tal escopo, é correto
dizer que seu desempenho corresponde ao grau de
A) eficácia
B) eficiência.
C) efetividade.
Considerando as informações apresentadas, é correto D) economicidade.
afirmar que a figura representa a ferramenta E) accountability.
denominada
A) gráfico de barras. 21 FCC Assinale a afirmativa correta.
B) fluxograma. A) Tudo que é efetivo também é efi ciente.
C) folha de verificação. B) Tudo que é eficaz também é eficiente.
D) diagrama de pareto. C) Algo não pode ser efetivo se não for eficiente.
E) gráfico de Ishikawa. D) Algo pode ser eficaz e não ser eficiente.
E) Algo não pode ser eficaz se não for eficiente.
16 CESPE O método do Ciclo PDCA está associado ao 22 FCC - O conceito de eficiência na gestão pública
conceito de corresponde ao
A) análise do ambiente concorrencial. A) grau de alcance das metas; é uma medida de resultados
B) job enrichment. para avaliar o desempenho da administração.
C) planejamento estratégico. B) uso racional e econômico dos insumos na produção de
D) benchmarking. bens e serviços.
E) melhoria contínua de processos. C) impacto final das ações, ou seja, o grau de satisfação
17 COMPERVE Os princípios constitucionais são a das necessidades e dos desejos da sociedade pelos
base de sustentação do Modelo de Excelência na serviços prestados pela organização.
Gestão Pública. Dentre esses princípios, tem-se a D) grau de alcance dos indicadores de resultados
eficiência, cujo significado é estabelecidos no planejamento estratégico da organização.
E) resultado da avaliação de desempenho e grau de
A) utilizar da melhor maneira os recursos disponíveis,
satisfação com os serviços disponibilizados.
realizando os serviços com o máximo de qualidade ao
menor custo possível. 23 CESPE É consenso que a atuação da Administração
B) alcançar o efeito esperado ou desejado por meio da pública deve estar pautada pela busca do atendimento
realização de um ação. das necessidades e das expectativas da sociedade
C) atender às expectativas dos usuários por meio de uma pelos serviços prestados. Quando o impacto final das
ação planejada . ações da Administração atinge tal escopo trazendo
D) atingir os objetivos desejados por meio de determinada mudanças na realidade, é correto dizer que seu
ação sem levar em conta os mecanismos utilizados. desempenho corresponde ao grau de
A) eficácia
18 COMPERVE Tradicionalmente, a administração é B) eficiência.
conceituada como um conjunto de atividades dirigidas C) efetividade.
à utilização eficiente e eficaz dos recursos, no sentido
D) economicidade.
de alcançar um ou mais objetivos organizacionais. Em
E) accountability.
relação à eficiência e eficácia, é correto afirmar:
A) Eficiência está relacionada ao alcance dos objetivos e
24 CESPE No momento em que o Governo avalia o
eficácia está associada à resolução de problema.
desempenho de suas organizações e servidores por
B) Eficiência trata da realização de tarefas e eficácia está
metas ou objetivos alcançados, ele está avaliando a
associada à resolução de problemas.
73
gestão pública através de qual medida de B) SWOT
desempenho? C) de Brainstorming
A) Eficiência. D) de Delphi
B) Eficácia. E) de Pareto
C) Efetividade.
D) Qualidade. 28 CESPE Uma determinada empresa que presta
E) Custos. serviços em telefonia móvel numa grande cidade,
recebeu significativo número de reclamações de
25 ESAF Ao avaliar um programa de governo, é clientes por falta de sinal para fazer e receber ligações.
necessário lançar mão de critérios cuja observação A partir da origem das reclamações, identificou-se que
confirmará, ou não, a obtenção de resultados. Assim, 80% do problema de sinal estava relacionado a 20% dos
quando se deseja verificar se um programa qualquer
clientes que residiam ou tentaram utilizar o serviço na
produziu efeitos (positivos ou negativos) no ambiente
externo em que interveio, em termos econômicos, zona sul da metrópole. Ao analisar o mapa da rede e as
técnicos, socioculturais, institucionais ou ambientais, antenas disponíveis, verificou-se que estes clientes da
deve-se usar o seguinte critério: zona sul estavam muito afastados das antenas
A) eficiência. disponíveis, e esta configuração de antenas deverá ser
B) eficácia. ampliada para melhorar a qualidade do sinal nessa
C) sustentabilidade. zona. Assim, a técnica utilizada para mensurar os
D) efetividade. percentuais acima apresentados foi:
E) satisfação do beneficiário. A) Análise de Custo-Benefício.
B) Mapa mental.
63 ESAF C) Brainstorming.
D) Gráfico de Gantt.
E) Análise de Pareto.

29 FCC Em administração, o processo de registrar onde


se pretende chegar, o que deve ser feito, quando, como
e em que sequência, tendo como ferramenta de
representação e conhecido como
A) 5W2H.
B) Pareto.
C) planejamento.
D) Causa e Efeito

30 COMPERVE Existem diversas ferramentas para


otimizar o processo de trabalho numa organização. A
ferramenta de auxílio para a priorização de ações,
especialmente quando elas não apresentam dados
quantificáveis, é
A) A Técnica de Moderação por cartelas.
B) O Método GUT (gravidade, urgência e tendência).
C) O Cadastro de Indicadores.
D) Diagrama de Interação do Processo.
31 CESGRANRIO A Matriz GUT é uma ferramenta da
Acerca da avaliação e mensuração do desempenho qualidade utilizada para
governamental, correlacione as Colunas I e II e, ao A) priorizar problemas detectados no processo produtivo.
FINAL, assinale a opção que contenha a sequência B) definir a política de qualidade da empresa.
correta para a Coluna II. C) definir e documentar procedimentos.
A) 2, 1, 3 D) monitorar as atividades e apurar indicadores.
B) 3, 1, 2 E) acompanhar o desempenho de produtos e serviços.
C) 1, 3, 2
D) 1, 2, 3 32 FCC A matriz GUT é uma ferramenta utilizada para
E) 2, 3, 1 A) verificar o treinamento e conhecimento do pessoal.
B) analisar o grau técnico e único de pessoal.
26 COMPERVE - A definição de tarefas prioritárias é C) análise das priorizações na empresa.
essencial para o processo de padronização das D) comparar e garantir a agilidade nos trâmites processuais
atividades de uma organização. No tocante às tarefas e administrativos.
prioritárias, é correto afirmar: E) analisar os resultados projetados com os resultados
A) Afetam fortemente a qualidade do produto. obtidos.
B) Estão relacionadas à definição de estratégias
competitivas. 33 CESPE Na gestão da qualidade
C) Estão relacionadas aos processos de pagamento de I. o ciclo PDCA é um método gerencial para a promoção
fornecedores. da melhoria contínua e reflete, em suas quatro fases, a
D) Alteram a forma de mensurar o desempenho das base da filosofia do melhoramento contínuo.
pessoas. II. no diagrama de causa e efeito as causas são
agrupadas por categorias (máquinas, métodos, mão de
27 CESPE O Diagrama de Ishikawa é também obra, materiais) e semelhanças previamente
denominado Diagrama
A) Espinha de Peixe
74
estabelecidas, ou percebidas durante o processo de B) ponto de decisão, terminal, operação e transporte.
classificação. C) escolha de alternativas, transporte, terminal e
III. a matriz GUT é o gráfico de causa e efeito que movimento.
representa os riscos potenciais, por meio de D) operação, terminal, ponto de decisão e movimento.
quantificações que buscam estabelecer resultados para E) escolha de alternativas, processo, operação e transporte.
abordá-los, visando minimizar os custos do processo.
IV. a ferramenta 5W2H é utilizada principalmente no 37 CESPE - Pode-se conceituar um fluxograma como
mapeamento e padronização de processos, na uma representação gráfica de uma sequência de
elaboração de planos de ação e no estabelecimento de atividades. Com relação a esse assunto, assinale a
procedimentos associados a indicadores. opção correta.
V. processo é um grupo de atividades realizadas numa A) Os fluxogramas também são conhecidos como
sequência intermitente com o objetivo de produzir bem organogramas.
ou serviço que tem valor para a empresa. B) Um dos principais objetivos dos fluxogramas é propiciar
Está correto o que consta SOMENTE em uma visão mais rápida de um processo nas suas diversas
A) II, III e V. etapas.
B) I, II e IV. C) Um fluxograma vertical se presta mais à representação
C) III e IV. de rotinas complexas.
D) II e V. D) Os fluxogramas são padronizados para todos os tipos de
E) I, III e IV. empresas.

34 FCC Ao analisar a viabilidade de implementação 38 COMPERVE - Sobre fluxogramas, é correto afirmar


da faixa reversível na avenida Brasil, foi solicitado ao que são
agente de administração que apresentasse os horários A) ferramentas que descrevem as rotinas e os cargos da
de maior pico de utilização da via, no período da organização.
manhã. Para demonstrar estes horários, o agente de B) representações gráficas da estrutura organizacional
administração utilizou um gráfico de barras conforme C) representações gráficas que detalham os processos
apresentado na Figura 01: Utilização da via, a seguir: organizacionais.
D) ferramentas que descrevem as funções de cada cargo.

39 IFSC Existem algumas ferramentas que auxiliam o


gestor na otimização do trabalho. Entre elas, gráficos
que representam a sequência de procedimentos ou de
rotinas, devidamente formalizados e padronizados.
Esse conceito é o conceito de ____________________.
Assinale a alternativa que CORRETAMENTE preenche a
lacuna do texto acima.
A) Departamentalização.
B) Fluxograma.
C) Organograma.
D) Liderança.
E) Almoxarifado.
Figura 01: Utilização da via 40 UFRPE As organizações públicas utilizam o
O gráfico utilizado pelo agente de administração (Figura fluxograma para representar graficamente o fluxo de
01) é denominado de: processos de forma racional, concisa e de fácil
A) histograma entendimento para os servidores’ e usuários do
B) pareto serviço, de modo a padronizar os procedimentos
C) controle administrativos. Os fluxogramas são representados por
D) dispersão símbolos que delimitam a origem, o processo e o
destino da informação. Dos símbolos de um fluxograma
35 ACESSO PÚBLICO - A representação gráfica de um vertical apresentados a seguir, qual o que representa
passo a passo de ações que envolvem um determinado um arquivo definitivo?
processo, ou seja,mostra visual de situações, fatos,
movimentos e relações de todo tipo a partir de
símbolos denomina-se:
A) Organograma. A) B) C) D) E)
B) Cronograma.
C) Fluxograma. 41 AOCP A apresentação em formato de figura,
D) Mapa Estratégico. demonstrada a seguir, representa um
E) Plano de Ação.

36 FUNIVERSA

Os símbolos acima apresentados significam, da


esquerda para a direita,
A) ponto de decisão, operação, terminal e movimento.

75
45 FCC- Dentre as vantagens de se utilizar um
fluxograma destaca-se a de
a) evitar a padronização da representação dos métodos e
procedimentos administrativos.
b) usar convenções e simbologias tornando necessária a
análise de um especialista em métodos administrativos para
sua leitura.
c) ser praticamente isenta de erros, por representar um
sistema fechado.
d) ressaltar as etapas críticas da operação, evitando a
dispersão de uma visão global, por ser focado nos detalhes
do processo.
e) permitir o rápido entendimento de qualquer alteração
A) Pictograma. proposta nos sistemas existentes, por mostrar claramente
B) Histograma. as modificações introduzidas.
C) Fluxograma.
D) Organograma.
E) Planograma. 46 UFSE - O objetivo principal de um fluxograma é
descrever a sequência (fluxo) de um processo, seja
42 FCC Fluxograma é uma ferramenta que mostra as manual ou mecanizado, especificando os recursos
etapas de um processo ou o inter-relacionamento de (documento, papel, disco, formulário ou qualquer outro)
variáveis. Para a construção de um fluxograma, usados como fonte para os dados e as informações.
utilizam-se símbolos padrão. Assinale a alternativa que Em sua confecção, são usados símbolos
identifica INCORRETAMENTE os símbolos abaixo na convencionados, que permitem poucas variações.
construção dessa ferramenta. Considerando os símbolos convencionados para os
A) fluxogramas e os sentidos a eles atribuídos, numere a
segunda coluna de acordo com a primeira.

B)

C)

D)

43 COMPERVE - Dentre os diversos exemplos de


técnicas ou métodos de organização do trabalho ou de
seus processos, existe o fluxograma, que é
A) a representação gráfica da previsão da execução de um
A alternativa que representa a sequência CORRETA de
trabalho, na qual se indicam os prazos em que deverão ser
cumpridas as diversas ações. numeração da segunda coluna, de cima para baixo, é
B) a representação gráfica de um processo de trabalho A) III – V – IV – I – II
contendo informações que possibilitem a visualização do B) II – V – IV – I – III
processo, das ações a serem desenvolvidas para que seja C) II – IV – I – III – V
realizado o trabalho, assim como dos responsáveis/atores D) V – II – IV – I - III
que desempenham tais ações. E) IV – I – III – V – II
C) uma ferramenta de apoio na definição de ações de curto 47 CETRO - O fluxograma objetiva evidenciar a
prazo, para a implementação de soluções e/ou de seu sequência de um trabalho, permitindo a visualização
encaminhamento. nela, devem ser definidos os das rotinas, seu fluxo lógico e racional. Entre outros, os
responsáveis pelas ações bem como os resultados principais objetivos do fluxograma são:
esperados e seus respectivos indicadores I. padronizar a representação dos métodos e os
D) uma ferramenta de planejamento, das ações de médio e procedimentos administrativos.
longo prazos, definindo datas de realização das mesmas. II. armazenar dados e informações, sendo que este
aspecto está relacionado à vida e à história dos vários
44 COMPERVE - Sobre fluxogramas, é correto afirmar assuntos da instituição.
que são III. função de controle. Para isso, o registro de todos os
A) ferramentas que descrevem as rotinas e os cargos da campos é imprescindível.
organização. IV. maior rapidez na descrição dos métodos e formas
B) representações gráficas da estrutura organizacional de trabalho.
C) representações gráficas que detalham os processos V. facilitar a leitura e o entendimento dos métodos de
trabalho.
organizacionais.
VI. facilitar a localização e identificação dos aspectos
D) ferramentas que descrevem as funções de cada cargo.
mais importantes nas etapas das rotinas de trabalho.
É correto o que está contido em

76
A) II, III, IV e VI, apenas. “5S”. Sua implementação requer um passo a passo no
B) I, IV, V e VI, apenas. qual o último dos “sensos” corresponde ao senso de
C) I, III, IV e V, apenas. A) utilização.
D) I, II, V e VI, apenas. B) ordenação.
E) III, IV, V e VI, apenas. C) autodisciplina.
D) limpeza.
48 FCC - Quanto às vantagens da utilização dos E) higiene.
fluxogramas, é INCORRETO afirmar que
A) permitem compreender ou estabelecer, com clareza e 52 FCC O Programa 5S, criado no Japão, foi
facilidade as relações entre as unidades simples ou disseminado como ferramenta para promover bons
complexas de trabalho. hábitos no ambiente de trabalho, como forma de
B) possibilitam identificar, no órgão em estudo, as relações melhorar a produtividade. Entre os cinco “sensos",
que possam ser eliminadas ou devam ser alteradas. inserem-se,
C) facilitam a identificação das fases de execução que
A) organização e limpeza.
ficariam mais bem situadas em outro ponto do fluxo de
B) rapidez e disciplina.
trabalho.
D) permitem identificar e suprimir os movimentos inúteis de C) benevolência e cooperação.
um elemento qualquer, como por exemplo, um documento. D) responsabilidade e comprometimento.
E) possibilitam caracterizar a forma pela qual uma posição E) hierarquia e respeito.
se relaciona com as demais dentro do órgão, isto é, seu
nível de responsabilidade. 53 AOCP O conceito ou programa 5S é entendido como
uma filosofia voltada para a mobilização dos
49 CESGRANRIO O gerente de marketing de uma
colaboradores, por meio da implantação de mudanças
transportadora, após receber algumas reclamações,
no ambiente de trabalho. Assinale a alternativa que
contratou um consultor externo. Depois de visitar todas
as unidades da empresa no país, o consultor apontou NÃO corresponde ao modelo de resultados esperados
em seu relatório que os veículos estão em bom estado no programa 5S.
de conservação, assim como as instalações físicas da A) Eliminação de documentos sem utilização.
transportadora de maneira geral. O treinamento dos B) Aumento de estoques intermediários.
funcionários da transportadora parece correto, os C) Melhoria no layout.
prazos de entrega são atendidos com precisão e, D) Economia de tempo e esforço.
raramente, o serviço não é completado na primeira vez. E) Maior aproveitamento dos espaços.
O atendimento ao cliente é rápido e cordial, e os
funcionários parecem inspirar confiança nos clientes. 54 MPERS A utilização do sistema 5S objetiva melhorar
Há um relatório dos percursos e prazos de entrega
as condições do ambiente de trabalho e, assim,
realizados nos últimos meses, e as informações a
diminuir o desperdício, o número de acidentes, e
respeito das encomendas despachadas podem ser
acessadas pelos clientes. Entretanto, a intensa melhorar a produtividade. Sabendo-se que a cada
atividade da companhia parece ser incompatível com palavra do 5S corresponde uma determinada intenção
eventuais necessidades especiais de clientes. Clientes ou senso, associe corretamente o bloco inferior ao
que apresentaram algum tipo de necessidade superior.
específica foram tratados da mesma forma que todos
os outros, ou lhes foi sugerido que procurassem outra PALAVRAS
transportadora. Com base no modelo SERVQUAL, a 1. Seiton
deficiência da transportadora identificada pelo 2. Seiketsu
consultor está relacionada ao fator 3. Seiri
A) confiabilidade
4. Shitsuke
B) segurança
C) empatia 5. Seisou
D) itens tangíveis SENSOS
50 CESGRANRIO A necessidade de instrumentos mais ( ) Senso de limpeza
sensíveis de medição, capazes de identificar e de ( ) Senso de utilização ou descarte
registrar elementos relativos à qualidade, fez com que ( ) Senso de ordenação
um grupo de bibliotecários desenvolvesse e ( ) Senso de autodisciplina ou manutenção
implementasse, em 2002, uma avaliação apoiada numa ( ) Senso de higiene
metodologia chamada SERVQUAL, já adotada por
outras bibliotecas. A sequência correta de preenchimento dos parênteses,
As 5 dimensões analisadas por esse modelo são: de cima para baixo, é
tangibilidade, confiabilidade, receptividade, além de A) 1 – 2 – 3 – 4 – 5.
A) satisfação e rapidez B) 4 – 1 – 3 – 5 – 2.
B) flexibilidade e credibilidade C) 5 – 3 – 1 – 4 – 2.
C) razoabilidade e reciprocidade D) 5 – 1 – 2 – 4 – 3.
D) ambiente e feedback E) 2 – 3 – 5 – 1 – 4.
E) garantia e empatia
DECRETO Nº 9.094, DE 17 DE JULHO DE 2017
51 FCC Com o objetivo de melhorar o ambiente de
trabalho, reduzir o desperdício e aumentar a Dispõe sobre a simplificação do atendimento prestado
produtividade, um determinado órgão público decidiu aos usuários dos serviços públicos, ratifica a dispensa
implementar o programa de qualidade conhecido como do reconhecimento de firma e da autenticação em
77
documentos produzidos no País e institui a Carta de
Serviços ao Usuário. Parágrafo único. Quando não for possível a obtenção dos
documentos a que a que se refere o art. 2º diretamente do
órgão ou da entidade responsável pela base de dados
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que oficial, a comprovação necessária poderá ser feita por
lhe confere o art. 84, caput, inciso VI, alínea “a”, da meio de declaração escrita e assinada pelo usuário dos
Constituição, serviços públicos, que, na hipótese de declaração falsa,
ficará sujeito às sanções administrativas, civis e penais
DECRETA: aplicáveis.

Art. 4º Os órgãos e as entidades responsáveis por bases


Art. 1º Os órgãos e as entidades do Poder Executivo
de dados oficiais da administração pública federal prestarão
federal observarão as seguintes diretrizes nas relações orientações aos órgãos e às entidades públicos
entre si e com os usuários dos serviços públicos: interessados para o acesso às informações constantes das
bases de dados, observadas as disposições legais
I - presunção de boa-fé; aplicáveis.

II - compartilhamento de informações, nos termos da lei; Art. 5º No atendimento aos usuários dos serviços públicos,
os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal
observarão as seguintes práticas:
III - atuação integrada e sistêmica na expedição de
atestados, certidões e documentos comprobatórios de I - gratuidade dos atos necessários ao exercício da
regularidade; cidadania, nos termos da Lei nº 9.265, de 12 de fevereiro
de 1996;
IV - racionalização de métodos e procedimentos de
controle; II - padronização de procedimentos referentes à utilização
de formulários, guias e outros documentos congêneres; e
V - eliminação de formalidades e exigências cujo custo III - vedação de recusa de recebimento de requerimentos
econômico ou social seja superior ao risco envolvido; pelos serviços de protocolo, exceto quando o órgão ou a
entidade for manifestamente incompetente.
VI - aplicação de soluções tecnológicas que visem a
simplificar processos e procedimentos de atendimento aos § 1º Na hipótese referida no inciso III do caput, os serviços
de protocolo deverão prover as informações e as
usuários dos serviços públicos e a propiciar melhores
orientações necessárias para que o interessado possa dar
condições para o compartilhamento das informações; andamento ao requerimento.

VII - utilização de linguagem clara, que evite o uso de § 2º Após a protocolização de requerimento, caso o agente
siglas, jargões e estrangeirismos; e público verifique que o órgão ou a entidade do Poder
Executivo federal é incompetente para o exame ou a
VIII - articulação com os Estados, o Distrito Federal, os decisão da matéria, deverá providenciar a remessa
Municípios e os outros Poderes para a integração, imediata do requerimento ao órgão ou à entidade do Poder
Executivo federal competente.
racionalização, disponibilização e simplificação de serviços
públicos.
§ 3º Quando a remessa referida no § 2º não for possível, o
interessado deverá ser comunicado imediatamente do fato
Parágrafo único. Usuários dos serviços públicos são as
para adoção das providências necessárias.
pessoas físicas e jurídicas, de direito público ou privado,
Art. 6º As exigências necessárias para o requerimento
diretamente atendidas por serviço público.
serão feitas desde logo e de uma só vez ao interessado,
CAPÍTULO I
justificando-se exigência posterior apenas em caso de
DA RACIONALIZAÇÃO DE EXIGÊNCIAS E DA TROCA
dúvida superveniente.
DE INFORMAÇÕES
Art. 7º Não será exigida prova de fato já comprovado pela
Art. 2º Salvo disposição legal em contrário, os órgãos e
apresentação de documento ou informação válida.
as entidades do Poder Executivo federal que
necessitarem de documentos comprobatórios da
Art.8º Para complementar informações ou solicitar
regularidade da situação de usuários dos serviços
esclarecimentos, a comunicação entre o órgão ou a
públicos, de atestados, de certidões ou de outros
entidade do Poder Executivo federal e o interessado poderá
documentos comprobatórios que constem em base de
ser feita por qualquer meio, preferencialmente eletrônico.
dados oficial da administração pública federal deverão
obtê-los diretamente do órgão ou da entidade
Art. 9º Exceto se existir dúvida fundada quanto à
responsável pela base de dados, nos termos do
autenticidade ou previsão legal, fica dispensado o
Decreto nº 8.789, de 29 de junho de 2016, e não poderão
reconhecimento de firma e a autenticação de cópia dos
exigi-los dos usuários dos serviços públicos.
documentos expedidos no País e destinados a fazer prova
junto a órgãos e entidades do Poder Executivo federal.
Art. 3º Na hipótese dos documentos a que se refere o art.
2º conterem informações sigilosas sobre os usuários dos
Art. 10. A apresentaç de documentos por usuários dos
serviços públicos, o fornecimento pelo órgão ou pela
serviços públicos poderá ser feita por meio de cópia
entidade responsável pela base de dados oficial fica
autenticada, dispensada nova conferência com o
condicionado à autorização expressa do usuário, exceto
documento original.
nas situações previstas em lei.
78
§ 1º A autenticação de cópia de documentos poderá ser VII - os mecanismos para a consulta pelos usuários
feita, por meio de cotejo da cópia com o documento original, acerca das etapas, cumpridas e pendentes, para a
pelo servidor público a quem o documento deva ser realização do serviço solicitado;
apresentado.
VIII - o tratamento a ser dispensado aos usuários
§ 2º Constatada, a qualquer tempo, a falsificação de firma quando do atendimento;
ou de cópia de documento público ou particular, o órgão ou
a entidade do Poder Executivo federal considerará não IX - os elementos básicos para o sistema de sinalização
satisfeita a exigência documental respectiva e, no prazo de visual das unidades de atendimento;
até cinco dias, dará conhecimento do fato à autoridade
competente para adoção das providências administrativas, X - as condições mínimas a serem observada
civis e penais cabíveis. s pelas unidades de atendimento, em especial no que
se refere à acessibilidade, à limpeza e ao conforto;
CAPÍTULO II
DA CARTA DE SERVIÇOS AO USUÁRIO XI - os procedimentos para atendimento quando o
sistema informatizado se encontrar indisponível; e
Art. 11. Os órgãos e as entidades do Poder Executivo
federal que prestam atendimento aos usuários dos XII - outras informações julgadas de interesse dos
serviços públicos, direta ou indiretamente, deverão usuários.
elaborar e divulgar Carta de Serviços ao Usuário, no
âmbito de sua esfera de competência. CAPÍTULO III
DA RACIONALIZAÇÃO DAS NORMAS
§ 1º A Carta de Serviços ao Usuário tem por objetivo
informar aos usuários dos serviços prestados pelo órgão ou Art. 12. A edição e a alteração das normas relativas ao
pela entidade do Poder Executivo federal as formas de atendimento dos usuários dos serviços públicos observarão
acesso a esses serviços e os compromissos e padrões de os princípios da eficiência e da economicidade e
considerarão os efeitos práticos tanto para a administração
qualidade do atendimento ao público.
pública federal quanto para os usuários.
§ 2º Da Carta de Serviços ao Usuário, deverão constar
CAPÍTULO IV
informações claras e precisas sobre cada um dos
serviços prestados, especialmente as relativas: DA SOLICITAÇÃO DE SIMPLIFICAÇÃO

I - ao serviço oferecido; Art. 13. Os usuários dos serviços públicos poderão


apresentar Solicitação de Simplificação, por meio de
II - aos requisitos e aos documentos necessários para formulário próprio denominado Simplifique!, aos
acessar o serviço; órgãos e às entidades do Poder Executivo federal,
quando a prestação de serviço público não observar o
III - às etapas para processamento do serviço; disposto neste Decreto.

IV - ao prazo para a prestação do serviço; § 1º A Solicitação de Simplificação deverá ser


apresentada, preferencialmente, por meio eletrônico, em
V - à forma de prestação do serviço; canal único oferecido pela Ouvidoria-Geral da União, do
VI - à forma de comunicação com o solicitante do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da
serviço; e União.

VII - aos locais e às formas de acessar o serviço. § 2º Sempre que recebida por meio físico, os órgãos e as
entidades deverão digitalizar a Solicitação de Simplificação
§ 3º Além das informações referidas no § 2º, a Carta de e promover a sua inserção no canal a que se refere o § 1º.
Serviços ao Usuário deverá, para detalhar o padrão de
qualidade do atendimento, estabelecer: Art. 14. Do formulário Simplifique! deverá constar:

I - os usuários que farão jus à prioridade no I - a identificação do solicitante;


atendimento;
II - a especificação do serviço objeto da simplificação;
II - o tempo de espera para o atendimento;
III - o nome do órgão ou da entidade perante o qual o
III - o prazo para a realização dos serviços; serviço foi solicitado;

IV - os mecanismos de comunicação com os usuários; IV - a descrição dos atos ou fatos; e

V - os procedimentos para receber, atender, gerir e V - facultativamente, a proposta de melhoria.


responder às sugestões e reclamações;
Art. 15. Ato conjunto dos Ministros de Estado da
VI - as etapas, presentes e futuras, esperadas para a Transparência e Controladoria-Geral da União e do
realização dos serviços, incluídas a estimativas de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão disciplinará o
prazos; procedimento aplicável à Solicitação de Simplificação.

79
CAPÍTULO VIII
CAPÍTULO V DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS
DAS SANÇÕES PELO DESCUMPRIMENTO
Art. 21. O Ministério da Transparência e Controladoria-
Art. 16. O servidor público ou o militar que descumprir Geral da União terá prazo de cento e oitenta dias, contado
o disposto neste Decreto estará sujeito às penalidades da data de publicação deste Decreto, para disponibilizar os
previstas, respectivamente, na Lei nº 8.112, de 11 de meios de acesso à Solicitação de Simplificação e ao
Simplifique!.
dezembro de 1990, e na Lei nº 6.880, de 9 de dezembro
de 1980.
Art. 22. Os Ministros de Estado da Transparência e
Controladoria-Geral da União e do Planejamento,
Parágrafo único. Os usuários dos serviços públicos Desenvolvimento e Gestão poderão expedir normas
que tiverem os direitos garantidos neste Decreto complementares ao disposto neste Decreto.
desrespeitados poderão representar ao Ministério da
Transparência e Controladoria-Geral da União. Art. 23. O Decreto nº 8.936, de 2016, passa vigorar com as
seguintes alterações:
Art. 17. Cabe ao Ministério da Transparência e
Controladoria-Geral da União e aos órgãos integrantes do “Art. 3º ..................................................................
sistema de controle interno do Poder Executivo federal zelar
pelo cumprimento do disposto neste Decreto e adotar as V - ...........................................................................
providências para a responsabilização dos servidores
públicos e dos militares, e de seus superiores hierárquicos, b) tempo médio de atendimento;
que praticarem atos em desacordo com suas disposições.
c) grau de satisfação dos usuários; e
CAPÍTULO VI d) número de Solicitações de Simplificação relativas ao
DA DIVULGAÇÃO AOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS serviço.” (NR)
PÚBLICOS
Art. 24. Este Decreto entra em vigor na data de sua
Art. 18. A Carta de Serviços ao Usuário, a forma de publicação.
acesso, as orientações de uso e as informações do
Art. 25. Ficam revogados:
formulário Simplifique! deverão ser objeto de
permanente divulgação aos usuários dos serviços I - o Decreto nº 6.932, de 11 de agosto de 2009; e
públicos, e mantidos visíveis e acessíveis ao público:
II - o Decreto nº 5.378, de 23 de fevereiro de 2005.
I - nos locais de atendimento;
Brasília, 17 de julho de 2017; 196º da Independência e 129º
da República.
II - nos portais institucionais e de prestação de serviços
na internet; e MICHEL TEMER
Dyogo Henrique de Oliveira
III - no Portal de Serviços do Governo federal, Wagner Campos Rosário
disponível em www.servicos.gov.br. 01 COMPERVE Um importante instrumento de gestão
Art. 19. As informações do formulário Simplifique!, de que na administração pública, com foco em resultados, é a
trata o art. 14, serão divulgadas no painel de monitoramento Carta de Serviços ao Cidadão, em que o órgão ou a
do desempenho dos serviços públicos prestados a que se entidade pública deve se comprometer em observar os
refere o inciso V do caput do art. 3º do Decreto nº 8.936, de padrões de qualidade, eficiência e eficácia na execução
19 de dezembro de 2016. de suas atividades , perante seu público-alvo e a
sociedade em geral. Portanto, a Carta de Serviços é
CAPÍTULO VII uma carta de compromisso com padrões de qualidade,
DA AVALIAÇÃO E DA MELHORIA DOS SERVIÇOS visando à satisfação do cidadão. Em relação ao
PÚBLICOS atendimento ao público, analise as diretrizes a seguir:

Art. 20. Os órgãos e as entidades do Poder Executivo


federal deverão utilizar ferramenta de pesquisa de
satisfação dos usuários dos seus serviços, constante
do Portal de Serviços do Governo federal, e do Sistema
de Ouvidoria do Poder Executivo federal, e utilizar os
dados como subsídio relevante para reorientar e ajustar
a prestação dos serviços.

§ 1º Os canais de ouvidoria e as pesquisas de satisfação


objetivam assegurar a efetiva participação dos usuários dos
serviços públicos na avaliação e identificar lacunas e
deficiências na prestação dos serviços. Para um adequado atendimento ao público, estão
corretas as diretrizes
§ 2º Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal
A) I e II.
deverão dar ampla divulgação aos resultados das
pesquisas de satisfação. B) I e III.
C) II e IV.

80
D) III e IV. Art. 2º órgãos e as entidades do Poder Executivo
federal observarão as seguintes diretrizes nas relações
02 COMPERVE Em relação ao padrão de atendimento entre si e com os usuários dos serviços públicos:
aos cidadãos previsto em uma Carta de Serviços, o
1) I - presunção de boa-fé; - V
servidor público deve ser capaz de
A) tratar cuidadosamente os usuários dos serviços,
2) II – Não compartilhamento de informações, nos termos
aperfeiçoando o processo de comunicação e contato com o da lei; - F
público.
B) passar uma informação imprecisa a um cidadão para 3) III - atuação integrada e sistêmica na expedição de
evitar aborrecê-lo. atestados, certidões e documentos comprobatórios de
C) modificar a qualidade do atendimento em função das regularidade; - V
características do cidadão.
D) prestar atendimento baseado na concessão da 4) IV - racionalização de métodos e procedimentos de
informação correta, independentemente da forma como ela controle; - V
é transmitida.
5) V – Não eliminação de formalidades e exigências cujo
custo econômico ou social seja superior ao risco envolvido;
03 CESPE Assinale a alternativa que NÃO
-F
corresponda à definição de um processo.
A) Conjunto definido de passos para a realização de uma 6) VI - aplicação de soluções tecnológicas que visem a
tarefa. burocratizar processos e procedimentos de atendimento
B) Grupo de atividades realizadas em uma seqüência aos usuários dos serviços públicos e a propiciar melhores
lógica. condições para o compartilhamento das informações; F
C) Ordenação ad hoc de atividades.
D) Qualquer atividade que recebe um input, adiciona valor e 7) VII - utilização de linguagem clara, com a possibilidade
fornece um output. de uso de siglas, jargões e estrangeirismos; F
E) Estrutura de ação.
8) VIII – Não articulação com os Estados, o Distrito Federal,
04 AOCP A gestão por processos ou administração por os Municípios e os outros Poderes para a integração,
processos é uma importante tendência organizacional racionalização, disponibilização e simplificação de serviços
cujo resultado é públicos. F
A) uma estrutura vertical de processos criada pela cadeia de
comando. 9) Parágrafo único. Usuários dos serviços públicos são as
B) uma cadeia de valor em cada departamento e seus pessoas físicas, mas não as pessoas jurídicas, de direito
processos. público ou privado, diretamente atendidas por serviço
C) uma cadeia formada pelos dirigentes com os processos. público. F
D) uma cadeia horizontal de processos interligados. CAPÍTULO I
E) uma estrutura com departamentalização independente. DA RACIONALIZAÇÃO DE EXIGÊNCIAS E DA TROCA
05 FCC É o conjunto integrado e sincrônico de DE INFORMAÇÕES
insumos, infraes- truturas, regras e transformações,
que adiciona valor às pessoas que fazem uso dos 10) Art. 2º Salvo disposição legal em contrário, os
produtos e/ou serviços gerados: órgãos e as entidades do Poder Executivo federal que
A) processo. necessitarem de documentos comprobatórios da
B) diretriz organizacional. regularidade da situação de usuários dos serviços
C) política empresarial. públicos, de atestados, de certidões ou de outros
D) estratégia. documentos comprobatórios que constem em base de
E) missão. dados oficial da administração pública federal não
poderão obtê-los diretamente do órgão ou da entidade
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO responsável pela base de dados, nos termos do
Decreto nº 8.789, de 29 de junho de 2016, e não poderão
MARQUE CERTO OU ERRADO exigi-los dos usuários dos serviços públicos. F

DECRETO Nº 9.094, DE 17 DE JULHO DE 2017 11) Art. 3º Na hipótese dos documentos a que se refere o
art. 2º conterem informações sigilosas sobre os usuários
Dispõe sobre a simplificação do atendimento prestado dos serviços públicos, o fornecimento pelo órgão ou pela
aos usuários dos serviços públicos, ratifica a dispensa entidade responsável pela base de dados oficial fica
do reconhecimento de firma e da autenticação em condicionado à autorização expressa do usuário, exceto
documentos produzidos no País e institui a Carta de nas situações previstas em lei. V
Serviços ao Usuário.
12) Parágrafo único. Quando não for possível a obtenção
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que dos documentos a que a que se refere o art. 2º diretamente
lhe confere o art. 84, caput, inciso VI, alínea “a”, da do órgão ou da entidade responsável pela base de dados
Constituição, oficial, a comprovação necessária não poderá ser feita
por meio de declaração escrita e assinada pelo usuário
DECRETA: dos serviços públicos, que, na hipótese de declaração falsa,

81
ficará sujeito às sanções administrativas, civis e penais 25) § 1º A autenticação de cópia de documentos poderá
aplicáveis. F ser feita, por meio de cotejo da cópia com o documento
original, pelo servidor público a quem o documento deva ser
13) Art. 4º Os órgãos e as entidades responsáveis por apresentado. V
bases de dados oficiais da administração pública federal
prestarão orientações aos órgãos e às entidades públicos 26) § 2º Constatada, a qualquer tempo, a falsificação de
interessados para o acesso às informações constantes das firma ou de cópia de documento público ou particular, o
bases de dados, observadas as disposições legais órgão ou a entidade do Poder Executivo federal considerará
aplicáveis. V satisfeita a exigência documental respectiva e, no prazo de
até cinco dias, dará conhecimento do fato à autoridade
Art. 5º No atendimento aos usuários dos serviços públicos, competente para adoção das providências administrativas,
os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal civis e penais cabíveis.F
observarão as seguintes práticas:
CAPÍTULO II
14) I - gratuidade dos atos necessários ao exercício da DA CARTA DE SERVIÇOS AO USUÁRIO
cidadania, nos termos da Lei nº 9.265, de 12 de fevereiro
de 1996; V 27) Art. 11. Os órgãos e as entidades do Poder
Executivo federal que prestam atendimento aos
15) II - padronização de procedimentos referentes à usuários dos serviços públicos, direta ou
utilização de formulários, guias e outros documentos indiretamente, poderão elaborar e divulgar Carta de
congêneres; e V Serviços ao Usuário, no âmbito de sua esfera de
competência.F
16) III – poderá haver recusa de recebimento de
requerimentos pelos serviços de protocolo, exceto quando o 28) § 1º A Carta de Serviços ao Usuário não tem por
órgão ou a entidade for manifestamente incompetente. F objetivo informar aos usuários dos serviços prestados pelo
órgão ou pela entidade do Poder Executivo federal as
17) § 1º Na hipótese referida no inciso III do caput, os formas de acesso a esses serviços e os compromissos e
serviços de protocolo não deverão prover as informações e padrões de qualidade do atendimento ao público. F
as orientações necessárias para que o interessado possa
dar andamento ao requerimento. F 29) § 2º Da Carta de Serviços ao Usuário, deverão
constar informações claras e precisas sobre cada um
18) § 2º Após a protocolização de requerimento, caso o dos serviços prestados, especialmente as relativas:
agente público verifique que o órgão ou a entidade do
Poder Executivo federal é incompetente para o exame ou a 30) I - ao serviço oferecido; V
decisão da matéria, deverá providenciar a remessa
imediata do requerimento ao órgão ou à entidade do Poder 31) II - aos requisitos e aos documentos necessários
Executivo federal competente. V para acessar o serviço; V
19) § 3º Quando a remessa referida no § 2º não for 32) III - às etapas para processamento do serviço; V
possível, o interessado não deverá ser comunicado
imediatamente do fato para adoção das providências 33) IV - ao prazo para a prestação do serviço; V
necessárias. F
34) V - a não prestação do serviço; F
20) Art. 6º As exigências necessárias para o requerimento
serão feitas desde logo e de uma só vez ao interessado, 35) VI - à forma de comunicação com o solicitante do
justificando-se exigência posterior apenas em caso de serviço; V
dúvida superveniente. V
36) VII – não é obrigado a informar os locais e às
21) Art. 7º Será exigida prova de fato já comprovado pela formas de acessar o serviço. F
apresentação de documento ou informação válida. F
§ 3º Além das informações referidas no § 2º, a Carta de
22) Art.8º Para complementar informações ou solicitar Serviços ao Usuário deverá, para detalhar o padrão de
esclarecimentos, a comunicação entre o órgão ou a qualidade do atendimento, estabelecer:
entidade do Poder Executivo federal e o interessado poderá
ser somente por meio eletrônico. F 37) I - os usuários que farão jus à prioridade no
atendimento; V
23) Art. 9º Exceto se existir dúvida fundada quanto à
autenticidade ou previsão legal, fica dispensado o 38) II – não é obrigado a estabelecer o tempo de espera
reconhecimento de firma e a autenticação de cópia dos para o atendimento; F
documentos expedidos no País e destinados a fazer prova
junto a órgãos e entidades do Poder Executivo federal. V 39) III - o prazo para a realização dos serviços; V

24) Art. 10. A apresentação de documentos por usuários 40) IV - os mecanismos de comunicação com os
dos serviços públicos não poderá ser feita por meio de usuários; V
cópia autenticada, dispensada nova conferência com o
documento original. F 41) V – não é obrigado a informar os procedimentos
para receber, atender, gerir e responder às sugestões e
reclamações; F

82
58) Art. 15. Ato conjunto dos Ministros de Estado da
42) VI - as etapas, presentes e futuras, esperadas para a Transparência e Controladoria-Geral da União e do
realização dos serviços, incluídas a estimativas de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão disciplinará o
prazos; V procedimento aplicável à Solicitação de Simplificação. V

43) VII - não é obrigado a informar os mecanismos para CAPÍTULO V


a consulta pelos usuários acerca das etapas, DAS SANÇÕES PELO DESCUMPRIMENTO
cumpridas e pendentes, para a realização do serviço
59) Art. 16. O servidor público ou o militar que
solicitado; F
descumprir o disposto neste Decreto estará sujeito às
penalidades previstas, respectivamente, na Lei nº 8.112,
44) VIII - não é obrigado a informar o tratamento a ser
de 11 de dezembro de 1990, e na Lei nº 6.880, de 9 de
dispensado aos usuários quando do atendimento; F dezembro de 1980. V

45) IX - os elementos básicos para o sistema de 60 ) Parágrafo único. Os usuários dos serviços públicos
sinalização visual das unidades de atendimento; V que tiverem os direitos garantidos neste Decreto
desrespeitados poderão representar ao Ministério da
46) X - as condições mínimas a serem observadas pelas Justiça e Controladoria-Geral da União. F
unidades de atendimento, em especial no que se refere
61) Art. 17. Cabe ao Ministério da Transparência e
à acessibilidade, à limpeza e ao conforto; V Controladoria-Geral da União e aos órgãos integrantes do
sistema de controle interno do Poder Executivo federal zelar
47) XI - os procedimentos para atendimento quando o pelo cumprimento do disposto neste Decreto e adotar as
sistema informatizado se encontrar indisponível; V providências para a responsabilização dos servidores
públicos e dos militares, e de seus superiores hierárquicos,
48) XII - outras informações julgadas de interesse dos que praticarem atos em desacordo com suas disposições. V
usuários.
CAPÍTULO VI
V DA DIVULGAÇÃO AOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS
PÚBLICOS
CAPÍTULO III
DA RACIONALIZAÇÃO DAS NORMAS Art. 18. A Carta de Serviços ao Usuário, a forma de
acesso, as orientações de uso e as informações do
formulário Simplifique! deverão ser objeto de
49) Art. 12. A edição e a alteração das normas relativas ao permanente divulgação aos usuários dos serviços
atendimento dos usuários dos serviços públicos observarão públicos, e mantidos visíveis e acessíveis ao público:
os princípios da eficiência, mas não da economicidade e
considerarão os efeitos práticos tanto para a administração 62) I - nos locais de atendimento, somente; F
pública federal quanto para os usuários.F QUESTÕES DE REVISÃO
CAPÍTULO IV
DA SOLICITAÇÃO DE SIMPLIFICAÇÃO 01) De acordo com o Decreto 9094/2017, os órgãos e as
entidades do Poder Executivo federal observarão as
50) Art. 13. Os usuários dos serviços públicos poderão seguintes diretrizes nas relações entre si e com os
apresentar Solicitação de Simplificação, por meio de usuários dos serviços públicos, EXCETO:
formulário próprio denominado REVOLUCIONE!, aos A) presunção de boa-fé;
órgãos e às entidades do Poder Executivo federal, B) compartilhamento de informações, nos termos da lei;
quando a prestação de serviço público não observar o C) atuação integrada e sistêmica na expedição de
disposto neste Decreto. F atestados, certidões e documentos comprobatórios de
regularidade;
51) § 1º A Solicitação de Simplificação deverá ser
D) racionalização de métodos e procedimentos de controle;
apresentada, exclusivamente, por meio eletrônico, em canal
único oferecido pela Ouvidoria-Geral da União, do E) utilização de linguagem complexa, que não evite o uso
Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da de siglas, jargões e estrangeirismos.
União. F
02) Assinale a alternativa INCORRETA.
52) § 2º Sempre que recebida por meio físico, os órgãos e A) Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal
as entidades deverão digitalizar a Solicitação de que necessitarem de documentos comprobatórios da
Simplificação e promover a sua inserção no canal a que se regularidade da situação de usuários dos serviços públicos,
refere o § 1º. V de atestados, de certidões ou de outros documentos
comprobatórios que constem em base de dados oficial da
Art. 14. Do formulário Simplifique! deverá constar: administração pública federal não deverão obtê-los
diretamente do órgão ou da entidade responsável pela base
53) I - a identificação do solicitante; V de dados.
B) No caso dos órgãos conterem informações sigilosas
54) II - a especificação do serviço objeto da simplificação; V sobre os usuários dos serviços públicos, o fornecimento
pelo órgão ou pela entidade responsável pela base de
55) III - o nome do órgão ou da entidade perante o qual o
dados oficial fica condicionado à autorização expressa do
serviço foi solicitado; V
usuário, exceto nas situações previstas em lei.
56) IV - a descrição dos atos ou fatos; V C) Quando não for possível a obtenção dos documentos
dos usuários diretamente do órgão ou da entidade
57) V - obrigatoriamente , a proposta de melhoria. F responsável pela base de dados oficial, a comprovação

83
necessária poderá ser feita por meio de declaração escrita destinados a fazer prova junto a órgãos e entidades do
e assinada pelo usuário dos serviços públicos, que, na Poder Executivo federal.
hipótese de declaração falsa, ficará sujeito às sanções D) Será exigida prova de fato já comprovado pela
administrativas, civis e penais aplicáveis. apresentação de documento ou informação válida.
D) Os órgãos e as entidades responsáveis por bases de
dados oficiais da administração pública federal prestarão
MARQUE VERDADEIRO OU FALSO NAS AFIRMAÇÕES
orientações aos órgãos e às entidades públicos
interessados para o acesso às informações constantes das ABAIXO:
bases de dados, observadas as disposições legais
aplicáveis. 06) A apresentação de documentos por usuários dos
serviços públicos poderá ser feita por meio de cópia
03) De acordo com o Decreto 9094/2017, no autenticada, dispensada nova conferência com o
atendimento aos usuários dos serviços públicos, os documento original. V
órgãos e as entidades do Poder Executivo federal
observarão as seguintes práticas, EXCETO: 07) A autenticação de cópia de documentos não poderá ser
A) gratuidade dos atos necessários ao exercício da feita, por meio de cotejo da cópia com o documento original,
cidadania, nos termos da Lei nº 9.265, de 12 de fevereiro pelo servidor público a quem o documento deva ser
de 1996; apresentado. F
B) padronização de procedimentos referentes à utilização
de formulários, guias e outros documentos congêneres; e 08) Constatada, a qualquer tempo, a falsificação de firma
C) vedação de recusa de recebimento de requerimentos ou de cópia de documento público ou particular, o órgão ou
a entidade do Poder Executivo federal considerará não
pelos serviços de protocolo, exceto quando o órgão ou a
satisfeita a exigência documental respectiva e, no prazo de
entidade for manifestamente incompetente.
até dez dias, dará conhecimento do fato à autoridade
D) os serviços de protocolo não deverão prover as competente para adoção das providências administrativas,
informações e as orientações necessárias para que o civis e penais cabíveis. F
interessado possa dar andamento ao requerimento.
09) Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal
04) Assinale a opção correta, de acordo com o Decreto que prestam atendimento aos usuários dos serviços
9094/2017. públicos, direta ou indiretamente, não deverão elaborar e
A) As exigências necessárias para o requerimento serão divulgar Carta de Serviços ao Usuário, no âmbito de sua
feitas desde logo e de uma só vez ao interessado, esfera de competência. F
justificando-se exigência posterior apenas em caso de 10) A Carta de Serviços ao Usuário tem por objetivo
dúvida superveniente. informar aos usuários dos serviços prestados pelo órgão ou
B) Será exigida prova de fato já comprovado pela pela entidade do Poder Executivo federal as formas de
apresentação de documento ou informação válida. acesso a esses serviços e os compromissos e padrões de
C) Para complementar informações ou solicitar qualidade do atendimento ao público. V
esclarecimentos, a comunicação entre o órgão ou a
entidade do Poder Executivo federal e o interessado poderá 11) Da Carta de Serviços ao Usuário, deverão constar
ser feita por qualquer meio, exceto por meio eletrônico. informações claras e precisas sobre cada um dos serviços
D) Fica dispensado o reconhecimento de firma e a prestados, especialmente as relativas ao serviço oferecido.
autenticação de cópia dos documentos expedidos no País e V
destinados a fazer prova junto a órgãos e entidades do 12) Da Carta de Serviços ao Usuário, deverão constar
Poder Executivo federal, mesmo se existir dúvida fundada informações claras e precisas sobre cada um dos serviços
quanto à autenticidade ou previsão legal. prestados, especialmente as relativas aos requisitos e aos
documentos necessários para acessar o serviço. V
05 ) João , usuário do serviço público, requereu no
órgão público certidão para tirar um passaporte, em 13) Da Carta de Serviços ao Usuário, deverão constar
conformidade com o de acordo com o Decreto informações claras e precisas sobre cada um dos serviços
9094/2017, podemos afirmar que: prestados, especialmente as relativas às etapas para
A) Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal processamento do serviço. V
que necessitarem de documentos comprobatórios da
regularidade da situação de usuários dos serviços públicos, 14) Da Carta de Serviços ao Usuário, deverão constar
de atestados, de certidões ou de outros documentos informações claras e precisas sobre cada um dos serviços
comprobatórios que constem em base de dados oficial da prestados, mas não relativas aos locais e às formas de
administração pública federal deverão obtê-los diretamente acessar o serviço. F
do órgão ou da entidade responsável pela base de dados.
B) Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal 15) Na Carta de Serviços ao Usuário deverá, para detalhar
que necessitarem de documentos comprobatórios da o padrão de qualidade do atendimento, não deverá
regularidade da situação de usuários dos serviços públicos, estabelecer os usuários que farão jus à prioridade no
de atestados, de certidões ou de outros documentos atendimento. F
comprobatórios que constem em base de dados oficial da
administração pública federal não deverão obtê-los 16) Na Carta de Serviços ao Usuário deverá, para detalhar
diretamente do órgão ou da entidade responsável pela base o padrão de qualidade do atendimento, estabelecer o tempo
de dados. de espera para o atendimento. V
C) Não ficará dispensado o reconhecimento de firma e a
autenticação de cópia dos documentos expedidos no País e
84
17) Na Carta de Serviços ao Usuário deverá, para detalhar serviços oferecidos, as formas de acesso a estes serviços e
o padrão de qualidade do atendimento, deverá estabelecer os respectivos compromissos e padrões de qualidade
o prazo para a realização dos serviços. V estabelecidos em relação ao atendimento.V

29) A Carta de Serviços deverá dar conhecimento das


18) Na Carta de Serviços ao Usuário deverá, para detalhar
competências institucionais da organização e detalhar as
o padrão de qualidade do atendimento, deverá estabelecer informações sobre os serviços oferecidos, como também a
os mecanismos de comunicação com os usuários. V forma de atendimento para a prestação dos serviços
(presencial, virtual, telefônico e outros), somente. F
19) Na Carta de Serviços ao Usuário deverá, para detalhar
o padrão de qualidade do atendimento, não deverá 30) Na Carta de Serviços não deverá conter os prazos
máximos para cumprimento dos serviços e respectivas
estabelecer os procedimentos para receber, atender, gerir e
etapas presentes e futuras. F
responder às sugestões e reclamações. F
31) A elaboração das Cartas de Serviços ao Cidadão
20) A edição e a alteração das normas relativas ao ocorrerá em articulação com o planejamento estratégico do
atendimento dos usuários dos serviços públicos observarão órgão ou entidade, com mobilização, sensibilização e
os princípios da eficiência e da economicidade, mas não capacitação dos servidores para sua adequada
implementação e desenvolvimento das ferramentas
deverá considerar os efeitos práticos tanto para a
logísticas e de tecnologia da informação. V
administração pública federal quanto para os usuários. F
32) Os compromissos com o atendimento são referenciais
21) Os usuários dos serviços públicos poderão apresentar das organizações que deverão ser comunicados aos
Solicitação de Simplificação, por meio de formulário próprio cidadãos e aos servidores, mas não constituem os padrões
denominado Simplifique!, aos órgãos e às entidades do de qualidade a serem observados pelos órgãos e entidades
Poder Executivo federal, quando a prestação de serviço públicos no processo de elaboração da Carta de Serviços.
público não observar o disposto neste Decreto. V F
33) Para divulgar os compromissos com o atendimento e
22) A Solicitação de Simplificação deverá ser apresentada, seus respectivos padrões de qualidade, os órgãos e
entidades deverão utilizar uma linguagem complexa e de
somente por meio eletrônico, em canal único oferecido pela fácil entendimento para o cidadão, constituído de termos
Ouvidoria-Geral da União, do Ministério da Transparência e técnicos e siglas. F
Controladoria-Geral da União. F 34) Os órgãos e entidades não avaliarão o grau de
23) Do formulário Simplifique! deverá constar a satisfação dos seus usuários com o atendimento e
especificação do serviço objeto da simplificação e o nome divulgarão anualmente os resultados da avaliação de seu
do órgão ou da entidade perante o qual o serviço foi desempenho em relação aos padrões de qualidade do
solicitado e obrigatoriamente, a proposta de melhoria. F atendimento fixados. F

24) O servidor público ou o militar que descumprir o 35 O usuário do serviço público visando encaminhar
disposto neste Decreto não estará sujeito às penalidades uma proposta de melhoria do serviço público poderá
previstas, respectivamente, na Lei nº 8.112, de 11 de utilizar o formulário Simplifique! deverá consta, as
dezembro de 1990, e na Lei nº 6.880, de 9 de dezembro de seguintes orientações obrigatórias, EXCETO:
1980. F A) a identificação do solicitante;
B) a especificação do serviço objeto da simplificação;
25) A Carta de Serviços ao Usuário, a forma de acesso, as C) o nome do órgão ou da entidade perante o qual o serviço
orientações de uso e as informações do formulário foi solicitado;
Simplifique! deverão ser objeto de permanente divulgação D) a proposta de melhoria.
aos usuários dos serviços públicos, mas não mantidos
visíveis e acessíveis ao público. F SIMULADO – GESTÃO DA QUALIDADE

26) Os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal


01 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
deverão utilizar ferramenta de pesquisa de satisfação dos
usuários dos seus serviços, constante do Portal de Serviços Qualidade
do Governo federal, e do Sistema de Ouvidoria do Poder Ano: 2018Banca: IADESÓrgão: CFMProva: Assistente
Executivo federal, e utilizar os dados como subsídio Operacional
relevante para reorientar e ajustar a prestação dos serviços. Assinale a alternativa que apresenta somente requisitos
V para um atendimento de boa qualidade.
Marque verdadeiro ou falso em relação à INSTRUÇÃO A) Pontualidade, autoridade e liderança.
NORMATIVA Nº 1, DE 6 DE JANEIRO DE 2010, que B) Criatividade, liderança e higiene.
dispõe sobre a elaboração e a publicação de Carta de C) Profissionalismo, pontualidade e autoridade.
Serviços ao Cidadão e a aplicação de pesquisas de D) Boa vontade, profissionalismo e respeito ao público.
satisfação do usuário.
E) Informalidade, assiduidade e respeito ao público.
27) A elaboração e a publicação da Carta de Serviços não
são obrigatórias para todos os órgãos e entidades da
administração federal que prestem atendimento direto ao 02 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
cidadão. F Qualidade
Ano: 2018Banca: CESGRANRIOÓrgão: PetrobrasProva:
28) Na Carta de Serviços deverá constar de maneira Administrador
objetiva e clara todas as informações pertinentes aos

85
Uma pesquisa de satisfação numa rede com quatro Considerando as características dessa matriz, a
postos de abastecimento identificou que a avaliação da atribuição dessa nota pode ser interpretada como:
qualidade do atendimento prestado aos motoristas A) o problema possui baixa urgência para ser resolvido;
variava muito. Após observação de campo, verificou-se B) o problema possui urgência mediana para ser resolvido;
– entre outras constatações – que alguns atendentes C) o problema possui alta urgência para ser resolvido;
são muito atenciosos, outros nem tanto. D) o problema não pode mais ser resolvido;
Uma ação para equilibrar a qualidade desses serviços é E) o problema já está resolvido.
A) aumentar a divulgação dos diferenciais da marca para os
motoristas. 06 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
B) encerrar as pesquisas de satisfação e utilizar essa verba Qualidade
para que outras providências sejam tomadas. Ano: 2018Banca: FGVÓrgão: Câmara de Salvador -
C) implantar um serviço de compra simulada para monitorar BAProva: Analista Legislativo
o atendimento em toda a rede. Após girar o ciclo PDCA em sua empresa, um gestor
D) incrementar o uso de promoções em combustíveis de chegou a uma fase em que, por meio de indicadores de
alta performance. desempenho, era verificado se os resultados haviam
E) padronizar o processo de execução do serviço em todos sido alcançados.
os postos. Depois de realizada a verificação, de acordo com a
ordem do ciclo, a próxima fase é a de:
03 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
A) execução;
Qualidade
B) ação;
Ano: 2018Banca: FGVÓrgão: Câmara de Salvador -
BAProva: Analista Legislativo C) planejamento;
O chefe de repartição de um órgão público de D) avaliação;
educação, ao perceber o estado de desorganização no E) checagem.
qual se encontrava o ambiente de trabalho, com
servidores desmotivados e com pouca interação entre 07 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
eles, decide promover, com o apoio do departamento Qualidade
de recursos humanos, a utilização do programa Ano: 2018Banca: FGVÓrgão: Câmara de Salvador -
japonês 5S. BAProva: Analista Legislativo
Seguindo a ordem dessa metodologia, após a fase de O ciclo PDCA, uma das principais ferramentas
sensibilização, compreendida pelos 3Ss iniciais, será utilizadas na gestão da qualidade, baseia-se na
implementada a fase da: realização de 4 etapas e tem como objetivo primordial:
A) correção; A) a aplicação do benchmarking;
B) padronização; B) a departamentalização processual;
C) reversão; C) a prevenção de choques na cultura organizacional;
D) utilização; D) a horizontalidade decisória;
E) aceitação. E) a melhoria contínua dos processos.

04 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão 08 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
Estratégica Qualidade
Ano: 2018Banca: FGVÓrgão: Câmara de Salvador - Ano: 2018Banca: FGVÓrgão: Câmara de Salvador -
BAProva: Analista Legislativo BAProva: Analista Legislativo
Uma fabricante de envelopes de papel, buscando Ao perceber um problema nos resultados das análises
reduzir os custos, decide contratar um especialista em laboratoriais, Severino, gerente de qualidade da Labos
qualidade. Ao analisar o problema, o especialista S.A., decidiu esmiuçar as possíveis causas do
desenvolve ações para minimizar a produção de problema, por meio da metodologia 6M. Realizada a
produtos defeituosos, conseguindo, com isso, reduzir análise, chega à conclusão de que o defeito advinha do
pela metade a quantidade de papel utilizada no fato de o clima estar extraordinariamente seco, o que
processo. modificava a composição das substâncias e
Após esse incidente, é correto afirmar que a comprometia os resultados.
organização melhorou: Tomando como base o Diagrama de Ishikawa, esse
A) a eficácia; problema está relacionado à categoria:
B) a equidade; A) meio ambiente;
C) o faturamento; B) método;
D) a eficiência; C) máquinas;
E) a rotatividade. D) matéria-prima;
E) mão de obra.
05 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
Qualidade 09 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão
Ano: 2018Banca: FGVÓrgão: Câmara de Salvador - Estratégica
BAProva: Analista Legislativo Ano: 2018Banca: FCCÓrgão: DPE-AMProva: Analista -
Na elaboração de uma matriz GUT, um dos problemas Administrador
recebeu uma nota 5 no quesito urgência.
86
Cada vez mais a Administração pública vem sendo E) Eficácia se refere ao relacionamento entre entradas e
instada a atuar de forma eficiente, eficaz e efetiva, com saídas de recursos da organização.
foco no cliente cidadão. Nem sempre, contudo, atinge
simultaneamente esses objetivos. Por exemplo, quando 13 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
consegue usar racionalmente os recursos colocados à Qualidade
sua disposição e, ao mesmo tempo, cumprir Ano: 2017Banca: FCCÓrgão: TSTProva: Analista
determinado objetivo fixado, mas não atende, Judiciário - Área Administrativa
plenamente, às expectativas do cidadão em relação à O ciclo PDCA consiste em uma técnica para controlar e
ação governamental correspondente, pode-se dizer que melhorar as atividades de um processo que
a atuação administrativa compreende uma sequência de fases, entre as quais se
A) foi apenas eficiente, porém não se mostrou eficaz, pois inclui:
não atingiu seu objetivo final. I. A avaliativa e corretiva, que corresponde à fase final,
B) pautou-se pela efetividade, descurando, contudo, da quando são identificadas as principais falhas e
eficácia, que é a vinculação com as expectativas da adotadas medidas para melhorar a execução.
sociedade. II. A fase inicial, de planejamento, onde são
C) mostrou-se eficiente, pelo uso racional dos recursos e estabelecidos objetivos e meios para alcança-los.
eficaz, pelo atingimento do objetivo fixado, porém não foi III. O controle ou verificação de resultados, fase
alcançada a efetividade. intermediária, onde é identificado o grau de
D) foi efetiva, porquanto materializou um resultado cumprimento do que foi planejado.
mensurável, carecendo, contudo, de eficiência e eficácia. IV. O desenvolvimento, que consiste na segunda etapa
E) não atendeu a nenhum desses preceitos, posto que o do ciclo, onde são fixadas as metas e os indicadores
cliente cidadão restou desatendido em suas expectativas. estratégicos.

10 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da Está correto o que consta APENAS em
Qualidade A) I, II e III.
Ano: 2018Banca: CESPEÓrgão: TCE-PBProva: Auxiliar B) I, II e IV.
de Documentação C) I, III e IV.
O método gerencial de tomada de decisão denominado D) III e IV.
ciclo PDCA — do inglês plan, do, check, act — constitui E) II e III.
elemento basilar do sistema de gerenciamento pela
qualidade nos processos. De acordo com essa 14 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
perspectiva, coletar dados e definir metas são Qualidade
atividades a serem realizadas, respectivamente, nas Ano: 2017Banca: CESPEÓrgão: TRT - 7ª Região
fases de (CE)Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa
A) planejamento e verificação. Na gestão da qualidade, conformidade se refere ao
B) execução e verificação. nível de correspondência entre determinado produto ou
C) planejamento e correção. serviço e a sua
D) execução e planejamento. A) qualidade do projeto, que corresponde ao uso adequado
E) verificação e correção. do produto ou serviço.
B) categoria de excelência, que corresponde ao padrão de
11 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da qualidade estabelecido para o produto ou serviço.
Qualidade C) especificação, que corresponde à qualidade planejada
Ano: 2017Banca: QuadrixÓrgão: COFECIProva: Auxiliar para esse produto ou serviço.
administrativo D) regularidade, que corresponde à uniformidade entre
Com relação à gestão da qualidade, julgue o item seguinte. produtos ou serviços de mesma categoria.
A melhoria contínua é uma técnica de mudança
organizacional, radical e temporária, centrada nas 15 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
atividades em grupo das pessoas. Qualidade
Certo Errado Ano: 2017Banca: CS-UFGÓrgão: IF-GOProva:
Assistente em Administração
12 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão No processo de resolução e controle de problemas de
Estratégica qualidade, alguns diagramas apoiam a tomada de
Ano: 2017Banca: CCV-UFCÓrgão: UFCProva: decisão. O diagrama que tem por objetivo apoiar o
Assistente em Administração processo de identificação das possíveis causas de um
A Administração se refere ao processo de fazer com problema é o
que as coisas sejam executadas com eficiência e A) diagrama de Ishikawa
eficácia. Identifique a alternativa correta sobre B) diagrama de correlação.
eficiência e eficácia. C) diagrama de Pareto.
A) Eficiência significa alcançar a meta. D) diagrama de processos
B) Eficiência não é obtida se não houver eficácia.
C) Eficácia ocorre quando se utiliza menos recursos. 16 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
D) Eficiência significa executar a tarefa corretamente. Qualidade

87
Ano: 2017Banca: CS-UFGÓrgão: IF-GOProva: Dentre as ferramentas de qualidade listadas a seguir,
Assistente em Administração assinale a que se apoia no conceito de “poucos, mas
O método aplicado na gestão da qualidade baseado nos vitais”.
sensos de utilização, organização, limpeza, saúde e A) Ciclo PDCA.
disciplina, visando motivar e conscientizar toda a B) Diagrama de Ishikawa.
empresa para a Qualidade Total, é: C) Brainstorming.
A) PDCA. D) Folha de verificação.
E) Gráfico de Pareto.
B) Kaizen.
C) 5S.
21 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
D) 6 Sigma.
Qualidade
Ano: 2017Banca: IF-TOÓrgão: IF-TOProva: Professor -
17 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
Engenharia Química
Qualidade
Ano: 2017Banca: CESPEÓrgão: TCE-PEProva: Analista Uma certa empresa do ramo de embalagens de aço
de Gestão - Administrador fornece cerca de 600 milhões de latas por ano
No que tange à gestão da qualidade, julgue o item totalmente recicláveis para vários fabricantes de
subsecutivo. produtos alimentícios. Para a implementação do seu
O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta utilizada para sistema de gestão ambiental, foi aplicada a ISO
identificar relações de causa e efeito apenas em processos 14001:2015 que segue o ciclo PDCA (Planejar,
administrativos. Desenvolver, Checar, Agir). Neste processo, as
Certo Errado atividades de levantamento de impactos ambientais e
avaliação de conformidades pertencem a que partes
18 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da desse ciclo, respectivamente?
Qualidade A) Desenvolver e agir.
Ano: 2017Banca: COMPERVEÓrgão: UFRNProva: B) Agir e checar.
Assistente em Administração
C) Desenvolver e checar.
As ferramentas da gestão da qualidade são utilizadas
D) Planejar e desenvolver.
com o objetivo de identificar, analisar e propor
E) Planejar e checar.
soluções para problemas que interferem na excelência
dos serviços prestados ao usuário. Uma dessas
22 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
ferramentas é o Diagrama de Pareto que significa a
Qualidade
representação gráfica
Ano: 2017Banca: FGVÓrgão: IBGEProva: Agente
A) da sequência de atividades necessárias para a
Censitário
realização de um processo, de sua análise e de sua
Um hospital constatou um problema de atraso nas
melhoria.
cirurgias. Algumas das suas causas foram identificadas
B) de barras verticais que mostram informações de modo a
em aspectos relativos a pessoal, procedimentos e
identificar as causas mais vitais e prioritárias para a solução
instalações. A diretora responsável pela qualidade dos
de problema.
serviços do hospital quer organizar e analisar as
C) da relação entre as características da qualidade (efeito)
informações, estabelecendo as relações de causa e
e as possíveis razões que fazem com que um problema
efeito no problema do atraso nas cirurgias.
ocorra.
Para isso, a diretora deve utilizar a seguinte ferramenta:
D) da frequência de pontos observados durante um
A) carta de controle;
determinado período, mostrando informações para a
B) histograma;
tomada de decisão.
C) gráfico de acompanhamento;
D) diagrama de dispersão;
19 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
E) diagrama espinha de peixe.
Qualidade
Ano: 2017Banca: FGVÓrgão: Prefeitura de Salvador - 23 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
BAProva: Técnico de Nível Superior Qualidade
O Ciclo PDCA foi descrito para obter uma forma Ano: 2017Banca: QuadrixÓrgão: CRMV-DFProva:
sistematizada e dinâmica de promover a gestão da Agente Administrativo
qualidade e a obtenção de resultados sempre melhores. Julgue o item seguinte com relação à gestão da
Assinale a opção que nomina as etapas do ciclo PDCA. qualidade.
A) Planejar, realizar, verificar e atuar corretivamente. O ciclo PDCA analisa os processos com vistas a realizá-los
B) Promover, desenvolver, configurar e avaliar. de maneira otimizada e inclui as seguintes etapas:
C) Planejar, desenvolver, controlar e avaliar. planejamento (plan) – estabelece objetivos e metas e meios
D) Prever, descrever, controlar e avaliar. para alcançá-los; execução (do) – monitora a
E) Promover, realizar, controlar e atuar corretivamente. implementação e verifica o grau de cumprimento do que foi
planejado; controle/verificação (check/control) – executa as
20 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da atividades propostas no planejamento; e ação
Qualidade avaliativa/corretiva (act to correct) – identifica eventuais
Ano: 2017Banca: FGVÓrgão: Prefeitura de Salvador - falhas e as corrige a fim de melhorar a execução das
BAProva: Técnico de Nível Superior atividades e os resultados.

88
Certo Errado B) gestão de pessoas, aplicando dinâmicas de grupo e
treinamentos para aprimorar o desempenho de suas
24 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da funções.
Qualidade C) controlar e melhorar as atividades de um processo,
Ano: 2017Banca: QuadrixÓrgão: CRMV-DFProva:
padronizando informações de controle e reduzindo erros.
Agente Administrativo
D) avaliação de desempenho, com repercussão direta na
Acerca de qualidade no atendimento ao público, julgue
o próximo item. remuneração conforme o atingimento de objetivos pré-
O servidor público cumpre o princípio da eficiência quando estabelecidos.
atende o usuário de forma objetiva, com atenção e E) gerenciamento de projetos, a partir de um
buscando alternativas para sanar suas dúvidas ou resolver escalonamento estabelecido em função do grau de
seus problemas dentro dos limites da lei. prioridade para a organização.
Certo Errado
28 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da
25 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da Qualidade
Qualidade Ano: 2017Banca: UFMT Órgão: UFSBA Prova:
Ano: 2017Banca: QuadrixÓrgão: CRMV-DFProva:
Administrador
Agente Administrativo
Na Qualidade Total, ferramentas da qualidade são
Acerca de qualidade no atendimento ao público, julgue
o próximo item. métodos utilizados com o objetivo de verificar, avaliar e
A Carta de serviços ao cidadão é um instrumento instituído apresentar soluções para os problemas que afetam o
pelo Decreto n.º 6.932/2009 que dispõe sobre a desempenho dos processos de trabalho. Marque a
simplificação do atendimento público prestado ao cidadão e alternativa que apresenta duas dessas ferramentas.
ratifica a dispensa do reconhecimento de firma em A) Fluxograma e Avaliação de Desempenho
documentos produzidos no Brasil. B) Avaliação 360º e Organograma
Certo Errado C) Diagrama Ishikawa e Diagrama de Pareto
26 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da D) PDCA e Gestão por competências
Qualidade
ITEM 8 - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E
Ano: 2017Banca: FCCÓrgão: TRT - 24ª REGIÃO
ORÇAMENTÁRIA: O PROCESSO ORÇAMENTÁRIO -
(MS)Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa
PLANO PLURIANUAL, LEI DE DIRETRIZES
Um dos instrumentos disponíveis para a melhoria dos
processos de uma organização é o Ciclo PDCA, com a ORÇAMENTÁRIAS
padronização e a redução de erros. As etapas
necessárias para aplicação de tal metodologia CONCEITO DE ORÇAMENTO
consistem em
COM FOCO NA COMPERVE
A) promover a redução de fases; desenvolver estratégias;
corrigir desvios e avaliar o desempenho dos envolvidos no DEFINIÇÕES
processo.
B) mapear os processos; desenvolver estratégias de ação; Conceito clássico de orçamento – Uma peça que
controlar os prazos de execução; avaliar os resultados contempla a previsão das receitas e a autorização das
obtidos. despesas para um determinado período. Documento
C) planejar; executar as atividades previstas no eminentemente contábil e financeiro.
planejamento; verificar o grau de cumprimento do que foi Crítica: Não se preocupava com o planejamento
planejado; identificar eventuais falhas e adotar ações governamental, nem com as efetivas necessidades da
corretivas. população. Orçamento estático.
D) estabelecer metas; definir ações necessárias para
Conceito atual –“Lei que contempla a previsão de
atingimento das metas; avaliar o cumprimento das metas;
receitas e despesas, programando a vida econômica e
redesenhar os processos. financeira do Estado, por um certo período”. (Regis
E) identificar os processos principais; planejar as atividades Fernandes).
e tempos de execução; controlar a execução; agir para
remover obstáculos. Ou: “Ato pelo qual o Poder Legislativo autoriza o Poder
Executivo, por um certo período e, em por menor, as
27 Administração Geral Disciplina - Assunto Gestão da despesas destinadas ao funcionamento dos serviços
Qualidade públicos e outros fins adotadas pela política econômica do
Ano: 2017Banca: FCCÓrgão: TRT - 11ª Região (AM e País, assim como a arrecadação das receitas criadas em
RR) Prova: Analista Judiciário - Oficial de Justiça lei”. (Aliomar Baleeiro).
Avaliador
Segundo Pascoal, o orçamento público
O denominado Ciclo PDCA, também conhecido como
caracteriza-se por ser um verdadeiro instrumento de
Ciclo da Melhoria Contínua, é um método utilizado, planejamento, dinâmico, que leva em conta aspectos do
precipuamente, para passado, a realidade presente e as projeções para o
A) planejamento estratégico da organização, estabelecendo futuro.
indicadores e metas de curto, médio e longo prazo.
O orçamento é um processo contínuo,
dinâmico e flexível, que traduz, em termos financeiros,

89
para determinado período, os planos e programas de  É uma lei ESPECIAL (de conteúdo determinado e
trabalho, ajustando o ritmo de execução ao fluxo de processo legislativo peculiar)
recursos previstos, de modo a assegurar a contínua e  É uma lei ORDINÁRIA ( aprovada por maioria
oportuna liberação desses recursos. simples)

Assim, observe as características fundamentais Atenção para este ponto: no tocante às despesas, o
do orçamento público: orçamento apenas fixa seu limite máximo. Assim, diz-se
 Documento legal, elaborado pelo Poder que o orçamento é autorizativo que é diferente do
Executivo e autorizado pelo Poder Legislativo, impositivo
que pode fazer alterações no mesmo (emendas
ao orçamento); Desde a década de 1930 o orçamento público
 Compreende um determinado período de foi utilizado como forma de ampliação da atividade
tempo (doze meses, o chamado ano fiscal) e econômica e como forma de política fiscal do governo.
tem sua vigência limitada a este período, O exemplo claro foi na crise de 2008, quanto do
também chamado de exercício financeiro que governo utilizou o orçamento público como forma de
aumentar a atividade econômica, com os incentivos
coincidirá com o ano civil, conforme art. 34 da
fiscais.
lei 4320/64.
 Constitui-se num plano de trabalho do Governo
Orçamento público pode ser visto por vários aspectos:
nesse mesmo período de tempo, descrevendo
as ações que serão executadas;
Político – O Parlamento, formado por representantes do
 Contém uma previsão das diversas receitas a POVO, autoriza o gasto público, levando em conta as
serem arrecadadas pelo Poder Público; necessidades coletivas. Fiscalização é feita pelo
 Contém uma autorização para as diversas Parlamento (representantes);
despesas a serem realizadas, na realização das Econômico – Instrumento de atuação do Estado no
ações previstas. domínio econômico por meio de superavits e deficits;
 É uma lei TEMPORÁRIA (vigência temporária) Financeiro – Fluxo de receitas e despesas – programação
financeira.

TIPOS DE ORÇAMENTO

EVOLUÇÃO DO ORÇAMENTO PÚBLICO

ORÇAMENTO TRADICIONAL um limitador à sua ação. As finanças públicas tinham


um caráter “neutro” sobre a vida econômica. Era
Enquanto instrumento formal, o orçamento surgiu preciso somente mantê-las sobre controle, para evitar
na Inglaterra, por volta do século XIX, em pleno que o Estado afetasse a economia de modo indesejável.
desenvolvimento do Liberalismo Econômico. Sua Isto significa que o Orçamento Tradicional servia
principal função era a de controle político, na medida apenas como uma controle político dos gastos e não
em que foi uma forma pela qual o Parlamento pôde um instrumento de administração e planejamento da
limitar os poderes do Rei, no tocante à criação de ações do Estado.
novos impostos. Nesse contexto, o orçamento se resumia a uma
Assim, o Estado Liberal que surgia naquela relação de valores previstos discriminados pelas
época passava a contar com um mecanismo de diversas unidades administrativas que compunham o
disciplina e controle das ações do poder executivo, Estado, e identificados também de acordo com os diversos
visando manter o equilíbrio financeiro nas contas itens de receita e de despesa.
públicas, limitando o crescimento exagerado dos ORÇAMENTO DE DESEMPENHO OU POR
gastos e reduzindo a possibilidade de aumentos REALIZAÇÕES.
excessivos da carga tributária. No orçamento tradicional,
o aspecto econômico tinha posição menos importante do O orçamento tradicional evoluiu para o orçamento
que o aspecto político. O orçamento não era visto como de desempenho, também conhecido como orçamento de
um plano de trabalho do Governo, mas, sobretudo, como realizações. Neste tipo de orçamento, o gestor começa a

90
se preocupar com o que o governo realiza e não com o da execução destas, quantificados no tempo por metas.
que compra, ou seja, preocupa-se agora em saber “as
coisas que o governo faz e não as coisas que o Sendo assim, pode-se dizer que o orçamento passa a ser
governo compra”. um instrumento de operacionalização das ações do
O orçamento de desempenho é o processo orçamentário governo, viabilizando seus
que se caracteriza por apresentar duas dimensões do projetos/atividades/operações especiais em
orçamento: o objeto de gasto e um programa de consonância com os planos e diretrizes formuladas no
trabalho, contendo as ações desenvolvidas.
planejamento.
Apesar de ser um passo importante, o orçamento de
desempenho ainda se encontra desvinculado de um
planejamento central das ações do governo, ou seja, Programa
embora já interligue os objetos de gastos aos objetivos, não
poderia, ainda, ser considerado um orçamento-programa, Programa é um conjunto articulado de ações estruturas
visto que lhe faltava uma característica essencial: a e pessoas motivadas ao alcance de um objetivo
vinculação ao Sistema de Planejamento. comum. Este objetivo é concretizado num resultado
(solução de um problema ou atendimento de demanda
ORÇAMENTO DE BASE ZERO OU POR ESTRATÉGIA. da sociedade), expresso pela evolução de indicadores
no período de execução do programa, possibilitando-se,
Orçamento Base Zero (OBZ) teve sua origem nos assim, a avaliação objetiva da atuação do Governo.
Estados Unidos, pela Texas Instruments Inc., durante o ano
de 1969. Foi adotado pelo Estado da Geórgia no governo O programa é o instrumento de organização da atuação
Jimmy Carter, com vistas ao ano fiscal de 1973. As governamental que articula um conjunto de ações que
principais características são: análise, revisão e concorrem para um objetivo comum preestabelecido,
avaliação de todas as despesas propostas, e não
mensurado por indicadores instituídos no plano,
apenas das solicitações que ultrapassam o nível de
visando a solução de um problema ou o atendimento de
gasto já existente; todos os programas devem ser
determinada necessidade ou demanda da sociedade.
justificados cada vez que se inicia um novo ciclo
orçamentário. Toda ação do Governo está estruturada em programas
O Orçamento Base Zero é uma previsão orçamentária orientados para a realização dos objetivos estratégicos
projetada, na qual não se leva em consideração o que definidos para o período do Plano Plurianual – PPA,
ocorreu nos anos anteriores. que é de 4 anos. O programa é o módulo comum
Com o OBZ, temos que aprender a esquecer. O OBZ não integrador entre o plano e o orçamento. Em termos de
utiliza o orçamento do ano anterior ou despesas no estruturação, o plano termina no programa e o
orçamento começa no programa, o que confere a esses
estabelecimento de um novo orçamento, uma vez que as
instrumentos uma integração desde a origem. O
circunstâncias e as finanças da organização podem ter
programa, como único módulo integrador e as ações, como
mudado. instrumento de realização dos programas.
Ao construir um orçamento a partir de uma base zero,
A organização das ações do Governo sob a forma de
todas as despesas devem ser justificadas. Tal fato
programas visa proporcionar maior racionalidade e
ajuda a controlar os gastos, porque o orçamento é
montado a partir de zero, em vez de ser construído em eficiência na administração pública e ampliar a visibilidade
cima daquilo que foi gasto durante o período prévio dos resultados e benefícios gerados para a sociedade, bem
final, sendo que, na maioria das vezes, esses números já como elevar a transparência na aplicação dos recursos
estão poluídos. públicos.

B) ORÇAMENTO PROGRAMA também chamado na Cada programa contém objetivo, indicador que
COMPERVE de ORÇAMENTO MODERNO quantifica a situação que o programa tenha por fim
modificar e os produtos (bens e serviços) necessários
Essa técnica orçamentária foi introduzida na esfera para atingir o objetivo. A partir do programa são
federal pelo Decreto-Lei nº 200, de 23/2/67, que identificadas as ações sob a forma de atividades,
menciona o orçamento-programa como plano de ação do projetos ou operações especiais, especificando os
Governo Federal, quando, em seu art. 16, determina: “em respectivos valores e metas e as unidades
cada ano será elaborado um orçamento-programa que orçamentárias responsáveis pela realização da ação. A
pormenorizará a etapa do programa plurianual a ser cada projeto ou atividade só poderá estar associado um
realizado no exercício seguinte e que servirá de roteiro produto, que, quantificado por sua unidade de medida, dará
à execução coordenada do programa anual”. origem à meta.

A concepção do orçamento-programa está ligada à


idéia de planejamento. De acordo com ela, o orçamento
deve considerar os objetivos que o Governo pretende
alcançar, durante um período determinado de tempo.
Com base nesta característica, o orçamento-programa
ultrapassa a fronteira do orçamento como simples
documento financeiro, aumentando sua dimensão.

O ordenamento das ações do Governo sob a forma de


programas visa dar maior visibilidade aos resultados e
benefícios gerados para a sociedade, garantindo AÇÃO
objetividade e transparência à aplicação dos recursos
públicos. Às ações que compõem o programa, estão Os programas são compostos de ações, gênero de que
associados os produtos (bens ou serviços) resultantes são espécies os projetos, as atividades e as operações
91
especiais. As operações especiais poderão fazer parte dos transferências a qualquer título (não confundir com
programas quando efetivamente contribuírem para a descentralização), fundos de participação, operações
consecução de seus objetivos. O enquadramento de uma de financiamento (concessão de empréstimos),
ação em um dos três itens depende do efeito gerado pela ressarcimentos, indenizações, pagamento de inativos,
sua implementação. participações acionárias, contribuição a organismos
nacionais e internacionais, compensações financeiras,
PROJETO bolsa família, vale gás entre outras.

Instrumento de programação para alcançar o objetivo de META FÍSICA


um programa, envolvendo um conjunto de operações,
limitadas no tempo, das quais resulta um produto que Meta física é a quantidade de produto a ser ofertado, de
concorre para a expansão ou aperfeiçoamento da ação do forma regionalizada (se for o caso), por ação num
Governo. determinado período e instituída para cada ano. Vale
Exemplo: “Implantação da rede nacional de bancos de leite ressaltar que o critério para regionalização de metas é o da
humano”. localização dos beneficiados pela ação.Exemplo: No caso
da vacinação de crianças, a meta será regionalizada pela
Atividade quantidade de crianças a serem vacinadas ou de vacinas
empregadas em cada Estado, ainda que a campanha seja
É o instrumento de programação utilizado para alcançar o de âmbito nacional e a despesa paga de forma
objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de centralizada. O mesmo ocorre com a distribuição de livros
operações que se realizam de modo contínuo e didáticos.
permanente, das quais resulta um produto ou serviço
necessário à manutenção da ação de Governo. Assim, podemos concluir que os elementos essenciais do
Exemplo: “Fiscalização e Monitoramento das Operadoras orçamento-programa são os seguintes:
de Planos e Seguros Privados de Assistência à Saúde”. a) Objetivos e propósitos perseguidos pelo ente
OPERAÇÃO ESPECIAL público, e para cuja consecução são empregados os
recursos orçamentários;
São despesas que não contribuem para a manutenção, b) Programas, isto é, instrumentos de integração dos
expansão ou aperfeiçoamento das ações de Governo, esforços governamentais no sentido da concretização dos
das quais não resulta um produto e não geram objetivos pretendidos;
contraprestação direta em bens ou serviços. Porém um c) Custos dos programas, mensurados através da
grupo importante de ações com natureza de operações identificação dos meios ou insumos (pessoal, material de
especiais, quando associadas a programas finalísticos, consumo, equipamentos, serviços de terceiros, etc)
podem apresentar uma medição correspondente a volume necessários para a obtenção dos resultados;
ou carga de trabalho. d) Medidas de desempenho com a finalidade de permitir
a avaliação das realizações (produto final obtido) e os
A ausência de produto, no caso das operações especiais, esforços despendidos na execução dos diversos programas
deve ser caracterizada em relação ao ciclo produtivo objeto de governo;
de orçamentação. Particularizando o orçamento da União, e) A integração com o planejamento das atividades, na
identifica-se uma operação especial quando o seu gestor medida em que o orçamento deixa de ser apenas um
(ou gestores) não combina fator de produção nem se
controle contábil e passa a funcionar também como
responsabiliza pela geração do produto, que se materializa
instrumento de gestão.
em um outro ciclo orçamentário (Estado, Município, por
f) Avaliação do resultado e
exemplo).
g) Controle - Entenda que o CONTROLE visa a avaliar a
São despesas passíveis de enquadramento como eficiência e eficácia das atividades governamentais e a
operação especial: amortização e encargos, aquisição alocação.
de títulos, pagamento de sentenças judiciais,

92
01 COMPERVE - O tipo de orçamento adotado pelos nos resultados. O Orçamento Base Zero se caracteriza
governos no Brasil, cujo principal objetivo é a articulação por:
com o planejamento, denomina-se A) inferir, no final do exercício ou do período sugerido
A) orçamento-programa. estrategicamente, se os produtos, gerados pelas ações
B) orçamento participativo. governamentais, atenderam as metas, objetivos e diretrizes
C) orçamento por desempenho. estabelecidas previamente, sob a égide da eficiência,
D) orçamento clássico. eficácia e efetividade dos resultados.
E) orçamento de base zero. B) ter uma participação direta e efetiva das comunidades na
elaboração da proposta orçamentária de governo. Inspira-
02 COMPERVE. O orçamento é uma importante ferramenta se nos princípios democráticos e no postulado da cidadania
da gestão pública. Em relação a esse assunto, analise as participativa. A sociedade civil é ouvida quando da definição
afirmações a seguir. das metas e dos programas prioritários.
C) fazer um reexame crítico dos dispêndios de cada área
governamental. Exige que o administrador, a cada
exercício, justifique detalhadamente os recursos solicitados;
tem como características: análise, revisão e avaliação de
todas as despesas propostas e não apenas das solicitações
que ultrapassam o nível de gasto já existente.
D) dar ênfase nos resultados, procurando saber daquilo que
o governo faz e não do que ele compra, porém não há
nenhuma vinculação do orçamento ao planejamento
governamental. Inspira-se no princípio democrático,
redefinindo prioridades, com o objetivo na efetividade dos
resultados.
Das afirmações, estão corretas
A) I, III e IV. 04 COMPERVE De acordo com a política de Gestão
B) II, III e IV. Financeira e Orçamentária pública, o orçamento público
C) I, II e IV. é um instrumento
D) I, II e III. A) único de eficiência na administração pública.
B) de opção do estado na gestão pública.
03 COMPERVE O orçamento público passou por C) restritivo do índice de gestão descentralizada (igd).
grandes evoluções: inicialmente, era focado nos D) estratégico de planejamento das ações do Estado.
insumos, em seguida, surgiram os orçamentos focados 05 COMPERVE Assinale a opção correta que apresenta
o tipo de orçamento moderno, que enfatiza a vinculação

93
entre planejamento e orçamento e o estabelecimento de
metas e objetivos. PRINCÍPIO DA PUBLICIDADE: Esse princípio determina
A) orçamento participativo que o conteúdo do orçamento deve ser divulgado por
B) orçamento de desempenho ou por realização veículos oficiais de comunicação para conhecimento da
C) orçamento tradicional sociedade e para eficácia de sua validade
D) orçamento-programa
DA LEGALIDADE (conforme a lei) e DA RESERVA
PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS (bastante cobrado na LEGAL (competência exclusiva do executivo)
COMPERVE)
PRINCÍPIO DA NÃO-AFETAÇÃO DAS RECEITAS: Esse
Muito cobrado na COMPERVE: princípio postula que as receitas públicas, em geral,
Na lei 4320/67: Art. 2° A Lei do Orçamento conterá a não poderão ser reservadas ou comprometidas para
discriminação da receita e despesa de forma a atender a determinados órgãos, objetivos ou gastos.
evidenciar a política econômica financeira e o programa Exceções:
de trabalho do Govêrno, obedecidos os princípios de  A repartição da arrecadação dos impostos
UNIDADE UNIVERSALIDADE E ANUALIDADE. (arts. 158 e 159);
 A destinação de recursos para ações e
PRINCÍPIO DA ANUALIDADE OU PERIODICIDADE: serviços públicos de saúde (art. 198, § 2°); EC
orçamento tem sua vigência limitada no tempo, durante 29/00;
um ano;  A destinação de recursos para a manutenção e
o desenvolvimento do ensino (art. 212);
PRINCÍPIO DA UNIVERSALIDADE: o orçamento deve  Os recursos para realização de atividades da
conter a totalidade das receitas do Estado, sejam elas administração tributária (art. 37, III) EC 42/03;
provenientes de tributos, rendas diversas, etc.  A prestação de garantias às operações de ARO
Igualmente deve conter a totalidade das despesas a (art. 165, § 8°);
cargo da administração pública.  A prestação de garantias ou contragarantia à
União e para pagamento de débitos com esta
PRINCÍPIO DA UNIDADE: O orçamento público é uno, (art. 167, §4°);
pois engloba todas as instituições e atividades de cada
um dos três poderes: Executivo, Legislativo e PRINCÍPIO DA PROGRAMAÇÃO
Judiciário. Para cada entidade da federação (União, Medida em que expressa os objetivos, programas,
Estados, Distrito Federal e Municípios) deve existir um metas e respectivos custos. Uma vez que o orçamento-
único orçamento para o exercício financeiro programa se concentra no atendimento de demandas
correspondente. da coletividade e é os meios para atingir os fins.

PRINCÍPIO DO ORÇAMENTO BRUTO: A Lei 4.320/64, 06 COMPERVE O Artigo 2º da Lei 4320/64 determina que o
em seu art. 6°, dispõe sobre este princípio nos orçamento público obedece aos princípios de
seguintes termos "todas as receitas e despesas A) autenticidade, funcionalidade e institucionalidade.
constarão da Lei de Orçamento pelos seus totais, B) legalidade, aplicabilidade e formalidade.
vedadas quaisquer deduções". C) unidade, universalidade e anualidade.
D) conversibilidade, funcionalidade e operacionalidade.
PRINCÍPIO DA EXCLUSIVIDADE: As normas constantes
da lei orçamentária não devem conter matéria estranha 07 COMPERVE Uma forma de definir os procedimentos
ao próprio orçamento, ou seja, outros assuntos que orçamentários do setor público é através dos princípios
extrapolem a esfera da execução orçamentária: a estabelecidos em lei. Um desses princípios estabelece
que o orçamento público (estimativa da receita e
previsão das receitas e autorização das despesas.
fixação da despesa) deve ser elaborado por um tempo
EXCEÇÕES: Abertura de créditos suplementares e
determinado (geralmente um ano). Esse princípio é
Contratação de operações de crédito, ainda que por denominado de
antecipação de receita orçamentária (ARO). A) periodicidade.
B) especificação.
PRINCÍPIO DA ESPECIFICAÇÃO, DISCRIMINAÇÃO OU C) publicidade.
ESPECIALIZAÇÃO: As despesas devem ser D) programação.
classificadas de forma detalhada, para facilitar sua
análise e compreensão. 08 COMPERVE Na elaboração do orçamento público
devem ser observados os seguintes princípios:
PRINCÍPIO DA FLEXIBILIZAÇÃO: flexibilização da sua A) universalidade, unidade, orçamento líquido,
execução, mediante ajustes que se façam necessários temporalidade, não-aferição das receitas, discriminação ou
para atender aos objetivos do Governo. especialização, exclusividade, equilíbrio, clareza,
publicidade, exatidão.
B) unidade, universalidade, orçamento bruto, anualidade,
PRINCÍPIO DA CLAREZA: orçamento deve ter uma
não-afetação das receitas, discriminação ou especialização,
linguagem clara e compreensível, não só aos técnicos, exclusividade, equilíbrio, clareza, publicidade, exatidão.
mas a todas as pessoas que precisam consultá-lo. C) individualidade, universalidade, orçamento líquido,
PRINCÍPIO DO EQUILÍBRIO FINANCEIRO: O orçamento anualidade, não-afetação das contas, discriminação ou
deve manter um equilíbrio do ponto de vista financeiro especialização, inclusividade, equilíbrio fiscal, clareza,
– o montante da despesa autorizada não deve publicidade, exatidão.
ultrapassar a receita prevista para o período

94
D) unidade, universalidade, orçamento bruto, anualidade, • prevê que o poder público deve divulgar o orçamento
não-aferição das receitas, discriminação ou especialização, público, de forma ampla, à sociedade, publicar
exclusividade, equilíbrio fiscal, clareza, publicidade, relatórios sobre a execução orçamentária e a gestão
exatidão e constitucionalidade. fiscal.

09 COMPERVE A programação de receitas e despesas Analisando as definições acima, verifica-se que elas
públicas deve obedecer a um conjunto de princípios correspondem, respectivamente, aos princípios
orçamentários recomendados pela legislação, cujo orçamentários:
objetivo é facilitar a gestão e o controle do orçamento. A) universalidade – exclusividade – orçamento bruto –
Um deles prevê que a Lei Orçamentária Anual deve transparência.
conter todas as despesas e receitas da administração B) transparência – totalidade – exclusividade – publicidade.
pública, englobando todos os poderes, incluindo os C) exclusividade – universalidade – legalidade– publicidade.
fundos, os órgãos e as entidades da administração D) unidade – orçamento bruto – legalidade – transparência.
pública. Esse princípio é denominado:
A) especificação. 14 COMPERVE – CONTADOR - Considere os itens
B) anualidade. abaixo.
C) universalidade. I. Autorização para abertura de créditos suplementares.
D) programação. II. Autorização para contratação de operações de
crédito.
10 COMPERVE A programação de receitas e despesas III. Autorização para contratação de operações de
públicas deve obedecer a um conjunto de princípios
crédito por antecipação da receita orçamentária.
orçamentários recomendados pela legislação, cujo
Em atendimento ao princípio orçamentário da
objetivo é facilitar a gestão e o controle do orçamento.
Um deles prevê que a Lei Orçamentária Anual deve exclusividade, a Lei Orçamentária Anual não conterá
conter todas as despesas e receitas da administração dispositivo estranho à previsão de receita e à fixação
pública, englobando todos os poderes, incluindo os da despesa. É exceção legal a essa regra o que consta
fundos, os órgãos e as entidades da administração em
pública. Esse princípio é denominado: A) I, apenas.
A) especificação. B) II e III, apenas.
B) anualidade. C) I, II e III.
C) universalidade. D) I e II, apenas.
D) programação.
15 COMPERVE Os Princípios Orçamentários visam
11 COMPERVE - ASSISTENTE - O orçamento público é estabelecer regras norteadoras básicas, a fim de
elaborado com a finalidade de auxiliar os gestores na conferir racionalidade, eficiência e transparência para
alocação adequada dos recursos públicos. Sua os processos de elaboração, execução e controle do
elaboração deve obedecer a alguns princípios. A Orçamento Público, sendo válidos para os Poderes
apresentação detalhada das receitas e despesas no Executivo, Legislativo e Judiciário de todos os entes
orçamento está diretamente associada ao princípio da federativos. Esses princípios são estabelecidos e
A) exclusividade disciplinados
B) especificação A) por normas constitucionais, infraconstitucionais e pela
C) publicidade doutrina.
D) transparência B) exclusivamente por normas constitucionais.
C) pela lei de diretrizes orçamentárias.
12 COMPERVE – ASSISTENTE - Os princípios D) pelo Orçamento Anual.
orçamentários são premissas a serem observadas na
concepção da proposta orçamentária. São 16 COMPERVE A lei do orçamento conterá a
considerados princípios orçamentários os de discriminação da receita e despesa de forma a
A) clareza, maximização do lucro e generalização. evidenciar a política econômica financeira e o programa
B) publicidade, competitividade e diversidade.
de trabalho do Governo, obedecidos aos princípios
C) universalidade, anualidade e exclusividade.
orçamentários. Acerca dos Princípios Orçamentários,
D) exatidão, divisão e importação.
assinale a opção correta.
13 COMPERVE – CONTADOR - Vários são os princípios A) O princípio da unidade determina que a lei de orçamento
orçamentários que estabelecem regras para não consignará dotações globais destinadas a atender
racionalidade, eficiência e transparência para a indiferentemente a despesas de pessoal, material, serviços
elaboração e execução do orçamento público. Abaixo de terceiros, transferências ou quaisquer outras.
apresentamos algumas definições desses princípios: B) Segundo o princípio da não-afetação da receita é vedada
a vinculação de receitas de tributos a órgão, fundo ou
• prevê com a finalidade de evitar múltiplos orçamentos despesa, ressalvadas as exceções constitucionais.
paralelos, associados a uma mesma pessoa política. C) O princípio da exclusividade determina que “a Lei
Orçamentária Anual não conterá dispositivo estranho à
• prevê a obrigatoriedade do registro das receitas e previsão da receita e à fixação de despesa, incluindo-se na
despesas na LOA, sem nenhuma dedução. proibição à autorização para abertura de créditos
• prevê que cabe ao poder público fazer ou deixar de suplementares”.
fazer somente aquilo que a lei expressamente autorizar; D) De acordo com o princípio da universalidade, todas as
subordina o orçamento aos ditames da lei. receitas e todas as despesas devem estar previstas na lei
orçamentária.

95
17 COMPERVE Em relação aos princípios orçamentários básicos para elaboração, execução e controle do orçamento,
definidos pela CF/88 e pela Lei nº 4.320/64, afirma-se:

Das afirmativas acima, estão corretas:


A) III, IV e V
B) I, II e IV
C) I, III e V
D) II, IV e V

DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS desenvolvimento econômico e social. A novidade, na


No Brasil, as principais normas jurídicas norma constitucional, é a criação da LDO, com a
relativas ao Orçamento Público encontram se contidas finalidade, dentre outras, de destacar, da programação
nos seguintes dispositivos legais: plurianual, as prioridades e metas a serem
 Constituição Federal da República, de 1988, contempladas nos orçamentos anuais, e orientar a sua
nos seus artigos 163 a 169 (Capítulo II – Das elaboração.
Finanças Públicas); Quanto aos planos, a Constituição Federal
 Lei Federal no 4.320/64 – Estatui Normas Gerais concebe duas modalidades: o plano plurianual que
de Direito Financeiro para elaboração e controle estabelece as diretrizes, objetivos e programas
dos orçamentos e balanços da União, dos governamentais para o período de quatro anos, orientando
Estados, dos Municípios e do Distrito Federal
as programações orçamentárias anuais, e os planos
(importante também chamada pela COMPERVE
nacionais, regionais e setoriais de desenvolvimento cujo
DE LEI DO ORÇAMENTO)
 Lei Complementar no 101/2000 – Lei de conteúdo deve está sempre em consonância com o plano
Responsabilidade Fiscal – LRF – Estabelece plurianual.
Normas de Finanças Públicas voltadas para a
responsabilidade na gestão fiscal e dá outras O PLANO PLURIANUAL – PPA
providências;
O Plano Plurianual – PPA é o instrumento de
A Constituição Federal de 1988 trata das funções de planejamento estratégico das ações do Governo para
planejamento e orçamento em vários dos seus dispositivos, um período de 4 anos. É um planejamento de médio
mais especificamente nos arts. 165 a 169, instituindo três prazo.
instrumentos básicos a serem estabelecidos por leis de
iniciativa do Poder Executivo da União, dos Estados, do De acordo com o que dispõe o artigo 165, § 1º,
Distrito Federal e dos Municípios. da Constituição Federal, a lei que instituir o plano
plurianual estabelecerá, de forma regionalizada, as
Art. 165 - Leis de iniciativa do Poder Executivo diretrizes, objetivos e metas da administração pública
estabelecerão: federal para as despesas de capital e outras delas
I - o plano plurianual; decorrentes e para as relativas aos programas de
II - as diretrizes orçamentárias; duração continuada.
III - os orçamentos anuais.
D..................Diretrizes
Ao instituir estes três instrumentos, a CF/88 prevê O..................Objetivos
claramente a necessidade de integração entre as funções M..................Metas
de planejamento e orçamento, exigindo a
compatibilização e a consonância com o plano Importante:
plurianual dos planos gerais, setoriais e regionais de
96
... de forma regionalizada: o planejamento da aplicação (22/12), conforme art. 57 da CF/88, com a nova redação
de recursos públicos para diminuir as desigualdades entre dada pela EC nº 50.
as regiões brasileiras, não sendo necessário que seja essa
regionalização seja da forma tradicional como região Art. 57 da Constituição Federal: “O Congresso Nacional
sudeste, norte, nordeste, sul e centro-oeste. reunir-se-á, anualmente, na Capital Federal, de 2 de
... as diretrizes: princípios que nortearão a captação e o fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de
gasto público com vistas a alcançar os objetivos. dezembro.”
... objetivos: discriminação dos resultados que se quer
alcançar com a execução de ações governamentais. Você sabia que nenhum investimento cuja execução
... metas: quantificação, física ou financeira, dos objetivos. ultrapasse um exercício financeiro poderá ser iniciado
... as despesas de capital: despesas realizadas com o sem prévia inclusão no plano plurianual, ou sem lei que
propósito de formar e/ou adquirir um bem de capital. autorize a inclusão, sob pena de crime de
Abrangem, entre outras ações, o planejamento e a responsabilidade?
execução de obras, a compra de instalações,
equipamentos, material permanente. Isso mesmo. É proibido o início de um investimento,
... outras delas decorrentes: despesas que ocorrem em como por exemplo, uma obra, que ultrapasse um
decorrência das despesas de capital, tais como despesas exercício financeiro sem que esteja incluída no PPA ou
de manutenção. sem lei que autorize a inclusão.
... as relativas aos programas de duração continuada:
despesa vinculadas a programas com duração superior a Vale lembrar que de acordo com a Lei nº 4.320/64, o
um exercício financeiro. exercício financeiro coincide com o ano civil. Logo,
exercício financeiro corresponde ao período entre 1º de
DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS DO PPA janeiro a 31 de dezembro.
 Os orçamentos fiscais e de investimentos das
empresas devem ser compatibilizados com o A vigência do PPA com o mandato do chefe do Poder
PPA; Executivo não coincide. Apesar de ambos serem de 4
anos, o primeiro ano de vigência do PPA será o
 O início de qualquer investimento, cuja
segundo ano do mandato do chefe do Poder Executivo.
execução ultrapasse um exercício financeiro,
No caso da União, o chefe do Poder Executivo é o
dependerá de sua prévia inclusão no PPA, sob Presidente da República; nos Estados, o Governador; e
pena de crime de responsabilidade; nos municípios, o Prefeito.
 Os planos e programas nacionais, regionais e Essa não-coincidência entre a vigência do PPA e o
setoriais serão elaborados em consonância mandato do chefe do Poder Executivo ocorre para que
com o PPA e aprovados pelo Congresso não haja descontinuidade de programas
Nacional ou Assembléia Legislativa. governamentais na transição de um governo a outro.

O prazo para envio do projeto de Lei do PPA ao


Poder Legislativo é o dia 31 de agosto do primeiro
exercício do mandato do Chefe do Poder Executivo.
Aprovado, o PPA vigora do segundo exercício do
mandato governamental até o primeiro exercício do
mandato subseqüente.

Pontos Importantes:
As bancas examinadoras gostam dessas características do
PPA. Não se esqueça do DOM. DOM é relacionado com
o PPA.
O Presidente da República poderá enviar mensagem ao
O importante é lembrar que PPA é DOM. Congresso Nacional para propor modificação no
projeto de lei do plano plurianual enquanto não iniciada
Tanto o PPA, a LDO e a LOA são leis de iniciativa do a votação, na comissão mista de orçamento, da parte
Poder Executivo. Cabe, então, ao Legislativo a cuja alteração é proposta. Ou seja, enquanto não
discussão do projeto de lei (fazendo alterações por iniciada a votação da parte do projeto de lei do plano
meio de emendas) e a sua aprovação. A sanção cabe ao plurianual, na comissão mista de orçamento, cuja
Presidente da República. alteração o Presidente da República propõe em realizar,
Outro importante item sobre o PPA é o prazo de
poderá ser enviada mensagem presidencial ao
encaminhamento do projeto de lei, que como já vimos é
Congresso Nacional solicitando a proposição de
de iniciativa do Poder Executivo, para o Legislativo.
alteração.
O prazo de encaminhamento do projeto do PPA pelo
Executivo, para discussão e aprovação no Congresso A LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – LDO
Nacional, deve ser feito até quatro meses antes do A Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO é
encerramento do primeiro exercício financeiro do instrumento de planejamento de curto prazo e tem como
mandato presidencial (31/8) e devolvido para sanção funções básicas:
presidencial até o encerramento da sessão legislativa
Conforme art. 165, § 2º da CF:
97
§ 2º - A lei de diretrizes orçamentárias compreenderá as  Normas relativas ao controle de custos e à
metas e prioridades da administração pública federal, avaliação dos resultados dos programas
incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro financiados com recursos dos orçamentos; e
subseqüente, orientará a elaboração da lei orçamentária  Demais condições e exigências para
transferências de recursos a entidades
anual, disporá sobre as alterações na legislação tributária e
públicas e privadas.
estabelecerá a política de aplicação das agências
financeiras oficiais de fomento. Também, a partir da LRF, dois anexos integram a
LDO: a) Anexo de Metas Fiscais, onde estabelece metas
Então podemos destacar (já foi objeto de prova da anuais, em valores correntes e constantes, relativas a
COMPERVE): Quais as funções da LDO? receitas, despesas, resultados nominal e primário e
montante da dívida pública, para o exercício a que se
 Estabelecer as metas e prioridades da referirem e para os dois seguintes; e b) Anexo de Riscos
Administração Pública federal para o exercício Fiscais, onde consta a avaliação dos passivos contingentes
financeiro seguinte; e outros riscos capazes de afetar as contas públicas,
informando as providências a serem tomadas, caso se
concretizem.
 Orientar a elaboração da Lei Orçamentária
Anual - LOA;
A mensagem que encaminhar o PLDO apresentará, em
anexo específico, os objetivos das políticas monetária,
 Alteração da legislação tributária; e creditícia e cambial, bem como os parâmetros e as
projeções para seus principais agregados e variáveis, e
 Estabelecer a política de aplicação das ainda as metas de inflação, para o exercício subseqüente.
agências financeiras oficiais de fomento.
O encaminhamento do projeto de lei de diretrizes
Deve ser elaborada em harmonia com o PPA e orientará orçamentárias - PLDO pelo Presidente da República,
a elaboração da Lei Orçamentária Anual - LOA. para discussão e aprovação pelo Congresso Nacional,
deve ser feito até oito meses e meio antes do
encerramento do exercício financeiro (15/4) e devolvido
Pontos Importantes:
para sanção presidencial até o encerramento do
primeiro período legislativo (17/7). (Importante saber o
Estabelece as METAS E PRIORIDADES DA prazo de envio da LDO)
ADMINISTRAÇÃO, incluindo as despesas de capital,
para o exercício financeiro subseqüente. É importante destacar que a sessão legislativa não
poderá ser interrompida sem a discussão, votação e
Quando lembrar de LDO, lembre em MP: aprovação do projeto de lei de diretrizes orçamentárias,
conforme o art. 57, § 2º CF/88:
M ................... METAS § 2º - A sessão legislativa não será interrompida
P..................... PRIORIDADES sem a aprovação do projeto de lei de diretrizes
orçamentárias.
... metas: quantificação, física ou financeira, dos objetivos.
A LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL – LOA
... prioridades: são os programas e ações constantes do
Anexo I da LDO, os quais terão precedência na alocação A composição da Lei Orçamentária Anual está
dos recursos no projeto e na Lei Orçamentária Anual e na prevista na CF/88, art. 165, § 5°:
sua execução, não se constituindo, todavia, em limite à
programação da despesa. § 5º - A lei orçamentária anual compreenderá:
... as despesas de capital: despesas realizadas com o I - o orçamento fiscal referente aos Poderes da União,
propósito de formar e/ou adquirir um bem de capital. seus fundos, órgãos e entidades da administração direta e
Abrangem, entre outras ações, o planejamento e a indireta, inclusive fundações instituídas e mantidas pelo
execução de obras, a compra de instalações, Poder Público;
equipamentos, material permanente. II - o orçamento de investimento das empresas em
... para o exercício financeiro subseqüente: o exercício que a União, direta ou indiretamente, detenha a maioria do
financeiro compreende 1º de janeiro a 31 de dezembro. capital social com direito a voto;
Olha só! Ainda tem bastante coisa! A LDO, além de III - o orçamento da seguridade social, abrangendo
estabelecer as metas e prioridades da Administração todas as entidades e órgãos a ela vinculados, da
Pública federal para o exercício financeiro seguinte; orientar administração direta ou indireta, bem como os fundos e
a elaboração da Lei Orçamentária Anual - LOA; dispor fundações instituídos e mantidos pelo Poder Público.
sobre alteração da legislação tributária; e estabelecer a § 6º - O projeto de lei orçamentária será acompanhado
política de aplicação das agências financeiras oficiais de de demonstrativo regionalizado do efeito, sobre as receitas
fomento, a LDO, com o advento da Lei de e despesas, decorrente de isenções, anistias, remissões,
Responsabilidade Fiscal – LRF, disporá também sobre subsídios e benefícios de natureza financeira, tributária e
(essa parte nunca foi abordado na COMPERVE) creditícia.
§ 7º - Os orçamentos previstos no § 5º, I e II, deste
 Equilíbrio entre receitas e despesas; artigo, compatibilizados com o plano plurianual, terão entre
 Critérios e forma de limitação de empenho; suas funções a de reduzir desigualdades inter-
regionais, segundo critério populacional.

98
 Autorização para abertura de créditos
· ORÇAMENTO FISCAL, incluindo todas as receitas e suplementares;
despesas, referentes aos Poderes do Estado, seus  Autorização para contratação de operações de
fundos, órgãos da administração direta, autarquias, crédito, inclusive por antecipação de receita
fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público; orçamentária (ARO) na forma da lei.

· ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO das empresas em Porém, se a prova pedir conforme o Art. 3º da lei 4320,
que o Estado, direta ou indiretamente, detenha a que também já foi objeto de prova da COMPERVE diz
que:
maioria do capital com direito a voto;
Art. 3º : A Lei de Orçamentos compreenderá todas as
receitas, inclusive as de operações de crédito autorizadas
· ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL, abrangendo
em lei.
todos os órgãos e entidades da administração direta ou Parágrafo único. Não se consideram para os fins deste
autárquica, bem como os fundos e fundações artigo as operações de credito por antecipação da receita,
instituídas pelo Poder Público, vinculados à saúde, as emissões de papel-moeda e outras entradas
previdência e assistência social. compensatórias, no ativo e passivo financeiros.
O orçamento fiscal e de investimentos serão
Constitui matéria exclusiva da lei orçamentária compatibilizados com o PPA e terão a função de reduzir
a previsão da receita e a fixação da despesa, podendo
as desigualdades inter-regionais, segundo critérios de
conter, ainda segundo a norma constitucional em seu
população e renda per capita.
art. 165: (já caiu na prova da COMPERVE)
As emendas ao projeto de LOA ou aos projetos que o
modifiquem terão que ser compatíveis com o PPA e com a
§ 8º - A lei orçamentária anual não conterá LDO, para serem aprovadas. O prazo para envio do
dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da projeto da LOA ao Poder Legislativo é até 31 de agosto.
despesa, não se incluindo na proibição a autorização para No prazo de trinta dias após o encerramento de cada
abertura de créditos suplementares e contratação de bimestre, o Poder Executivo publicará relatório
operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, resumido da execução orçamentária.
nos termos da lei.

PRAZOS ORÇAMENTÁRIOS
Na União

PROJETO DE LEI ENVIO AO PL DEVOLUÇÃO AO PE VIGÊNCIA

Plano Plurianual Até Quatro meses antes do Até o encerramento da Até o final do primeiro exercício
encerramento do primeiro sessão legislativa (22/12) financeiro do mandato
exercício financeiro do presidencial subseqüente
mandato presidencial (quatro anos)
(31/08)

Lei de Diretrizes Até oito meses e meio Até o encerramento Até o final do exercício
Orçamentárias antes do encerramento do doprimeiro período da sessão Financeiro subsequente
exercício financeiro (15/04) legislativa (17/07)

Lei Orçamentária Até Quatro meses antes do Até o encerramento da Até o final do exercício
Anual encerramento do exercício sessão legislativa (22/12) Financeiro subsequente (um
financeiro (31/08) ano)

18 COMPERVE A Lei de Diretrizes Orçamentárias tem a 19 COMPERVE - O instrumento previsto na CF no qual


finalidade precípua de orientar a elaboração dos se enfatizam prioridades e metas e mediante o qual são
orçamentos fiscal e da seguridade social e de operadas mudanças na legislação tributária, definidas
investimento das empresas estatais. De acordo com o políticas de financiamento para as agências de fomento
parágrafo 2º do Art. 165 da CF, a LDO: e relacionadas despesas de capital denomina- se de
I. Compreenderá as metas e prioridades da A) plano plurianual.
administração pública, incluindo as despesas de capital B) lei orçamentária anual.
para o exercício financeiro subsequente. C) lei de diretrizes orçamentárias.
II. Orientará a elaboração da LOA. D) Lei de Responsabilidade Fiscal.
III. Disporá sobre as alterações na legislação tributária.
IV. Estabelecerá a política de aplicação das agências 20 COMPERVE Definindo o orçamento como um ato de
financeiras oficiais de fomento. previsão da receita e fixação da despesa, a elaboração
Estão corretas apenas as afirmativas: do Projeto de Lei Orçamentária é de iniciativa
A) I, II A) do Poder Executivo.
B) II, III, IV B) da Administração Direta e Indireta do ente público.
C) I, IV C) do Poder Legislativo.
D) I, II, III, IV D) do Poderes Executivo e Legislativo.

99
21 COMPERVE É o plano de médio prazo, por meio do ferramentas previstas na legislação. Essas ferramentas
qual procura-se ordenar as ações do governo que são:
levem ao atingimento dos objetivos e metas fixados A) Plano Operacional, Orçamento de Caixa e Orçamento de
para um período de quatro anos, ao nível do governo Investimentos.
federal, estadual e municipal: B) Plano Estratégico, Orçamento de Receitas e Orçamento
A) de orçamento anual. de Despesas.
B) de diretrizes orçamentárias. C) Plano Plurianual, Receitas Anuais e Despesas Anuais.
C) plurianual.
D) Plano Plurianual, Diretrizes Orçamentárias e Orçamento
D) de responsabilidade fiscal.
Anual.
22 COMPERVE - Segundo o parágrafo do artigo 165
da Constituição Federal de 1988, bem como o artigo
26 COMPERVE A Constituição Federal de 1988, em seu
da Lei de Responsabilidade Fiscal, o projeto de lei que
artigo 165, estabelece como instrumentos de
compreende os orçamentos fiscal, de investimento das
planejamento da ação governamental, três leis que
empresas que a União detenha o controle acionário e
devem ser compatíveis entre si: Plano Plurianual PPA,
da seguridade social, refere-se
Lei de Diretrizes Orçamentárias LDO e Lei Orçamentária
A) à LOA - Lei Orçamentária Anual.
Anual LOA. Em relação aos instrumentos de
B) ao PPA - Plano Plurianual.
planejamento, é correto afirmar que
C) à LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias.
A) a Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO compreenderá
D) à LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal.
as metas da administração pública, incluindo as despesas
correntes para o exercício financeiro subsequente, orientará
23 COMPERVE Considerando os termos da
a elaboração da Lei Orçamentária Anual.
Constituição Federal de 1988, o sistema orçamentário
B) a Lei Orçamentária poderá consignar dotação para
brasileiro compõe-se das leis orçamentárias, dos
investimento com duração superior a um exercício
órgãos envolvidos no processo orçamentário e nas
financeiro que não esteja previsto no Plano Plurianual.
normas que regem a elaboração dessas leis. O Plano
C) o plano plurianual estabelecerá, de forma regionalizada,
Plurianual – PPA é
A) um instrumento de gestão, com ênfase nos aspectos as diretrizes, objetivos e metas da administração pública
financeiros e físicos, estimando a receita e fixando as federal para as despesas de capital e outras delas
despesas, visando ao atingimento de objetivos pré- decorrentes e para às relativas aos programas de duração
estabelecidos na política governamental. continuada.
B) a lei que estabelece as metas e prioridades do governo D) o Plano Plurianual – PPA é elaborado conforme as
para cada exercício e as regras a serem observadas na diretrizes da Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO e
elaboração e na execução do orçamento. integra-se à Lei Orçamentária Anual – LOA, através dos
C) a lei orçamentária que define as ações de governo para programas de governo.
um período de quatro anos, evidenciando quais serão os
programas de trabalho a serem implementados pelos 27 COMPERVE
gestores públicos, durante esse período. Congresso aprova Orçamento de 2016 com cortes de
D) um instrumento de gestão, com o objetivo de estabelecer gastos e previsão de CPMF
restrições orçamentárias, visando a preservar a situação
fiscal dos entes federativos. Da Redação | 17/12/2015, 17h18 - ATUALIZADO EM
29/01/2016, 10h08
24 COMPERVE A Constituição Federal de 1988, em seu
artigo 165, estabelece como instrumentos de O Congresso Nacional aprovou nesta quinta-feira (17) a
planejamento da ação governamental, três leis que Lei Orçamentária Anual
devem ser compatíveis entre si: Plano Plurianual PPA, (LOA) para 2016. O texto final traz cortes de gastos em
Lei de Diretrizes Orçamentárias LDO e Lei Orçamentária órgãos públicos e programas sociais, de modo a
Anual LOA. Em relação aos instrumentos de garantir superávit fiscal, e prevê receitas decorrentes
planejamento, é correto afirmar que da eventual recriação da CPMF. O Orçamento segue
A) a Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO compreenderá
agora para sanção presidencial.
as metas da administração pública, incluindo as despesas
Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2016.
correntes para o exercício financeiro subsequente, orientará
a elaboração da Lei Orçamentária Anual. Com base nesse trecho, constata-se que o Congresso
B) a Lei Orçamentária poderá consignar dotação para cumpriu sua tarefa de discutir e votar o orçamento
investimento com duração superior a um exercício anual
financeiro que não esteja previsto no Plano Plurianual. A) no prazo correto, que se encerra em 31 de dezembro.
C) o plano plurianual estabelecerá, de forma regionalizada, B) fora do prazo correto, que se encerra em 20 de agosto.
as diretrizes, objetivos e metas da administração pública C) no prazo correto, que se encerra em 22 de dezembro.
federal para as despesas de capital e outras delas D) fora do prazo correto, que se encerra em 30 de
decorrentes e para às relativas aos programas de duração setembro.
continuada.
D) o Plano Plurianual – PPA é elaborado conforme as O SISTEMA INTEGRADO DE PLANEJAMENTO E
diretrizes da Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO e ORÇAMENTO - SIOP
integra-se à Lei Orçamentária Anual – LOA, através dos
programas de governo. É o sistema informatizado que suporta processos de
planejamento e orçamento do Governo Federal. Por meio
25 COMPERVE Nas organizações públicas, o processo do acesso à internet, os usuários dos diversos Órgãos
orçamentário é feito por meio da utilização de Setoriais, Unidades Orçamentárias e Agentes Técnicos

100
integrantes do Sistema de Planejamento e Orçamento da
União, bem como outros sistemas automatizados, registram Ao chegar no Poder Legislativo, o projeto da LOA
suas opera- ções e efetuam suas consultas on-line. O SIOP será apreciado pelos congressistas (COMISSÃO MISTA
é um sistema estruturante composto por módulos, DE ORÇAMENTO) que poderão propor emendas ao
desenvolvido e colocado em operação pela Secretaria texto inicial, dando origem a um texto substitutivo.
de Orçamento Federal - SOF/MP, em parceria com a O projeto da LOA cumprirá um rito peculiar das
Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos - demais leis que tramitam pelo Congresso Nacional, sendo
SPI/MP, e o Departamento de Coordenação e Governança exigido apenas maioria simples para sua aprovação,
das Empresas Estatais - DEST/MP, para: nesse caso por ser uma Lei Ordinária e a aprovação é
I - elaboração do Projeto de Lei de Diretrizes feita em sessão plenária do CONGRESSO NACIONAL.
Orçamentárias - PLDO: ferramentas para que todos os
envolvidos no processo possam propor alterações ao Para que haja a aprovação das emendas
texto do Projeto de Lei; dependerá, conforme art. 166, § 3º da CF/88.
II - elaboração do Projeto de Lei Orçamentária Anual -
PLOA: ferramentas para estimativa de receitas, revisão § 3º - As emendas ao projeto de lei do orçamento
dos cadastros (Ações, Localizadores e Planos anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem
Orçamentários), fixação dos limites, captação da ser aprovadas caso:
proposta e formalização dos Volumes do Projeto de Lei; I - sejam compatíveis com o plano plurianual e com a
III - elaboração e revisão do Projeto de Lei do Plano lei de diretrizes orçamentárias;
Plurianual - PLPPA: ferramentas para revisão dos II - indiquem os recursos necessários, admitidos
cadastros (Programas, Indicadores, Objetivos, apenas os provenientes de anulação de despesa, excluídas
Iniciativas, Medidas Institucionais e Financiamentos as que incidam sobre:
Extra orçamentários), fixação dos limites plurianuais, a) dotações para pessoal e seus encargos;
captação da proposta plurianual e formalização dos b) serviço da dívida;
Anexos ao Projeto de Lei; c) transferências tributárias constitucionais para
IV - alterações orçamentárias: ferramentas para Estados, Municípios e Distrito Federal; ou
permitir os ajustes necessários ao orçamento durante a III - sejam relacionadas:
execução: créditos suplementares, créditos especiais, a) com a correção de erros ou omissões; ou
créditos extraordinários e ajustes em classificações;
b) com os dispositivos do texto do projeto de lei.
V - acompanhamento das Estatais: ferramentas para
§ 4º - As emendas ao projeto de lei de diretrizes
permitir acompanhar a execução orçamentária das
Empresas Estatais; e orçamentárias não poderão ser aprovadas quando
VI - acompanhamento orçamentário: ferramentas para incompatíveis com o plano plurianual.
permitir o registro físico das Ações orçamentárias da
União. Por isso, podemos concluir que as emendas
ao Orçamento feitas na Comissão Mista podem
SIOPLegis – É o sistema de consulta à legislação que ser:
reúne documentos oficiais publicados, como leis, decretos, Emendas de Receita, de Despesas e de
portarias, instrumentos normativos, regulamentos, decisões, Correção de Texto.
declarações, comunicações e outros cujo assunto seja
relacionado direta ou indiretamente ao orçamento público Emendas de Receita: Os parlamentares não
ou sobre ele cause impacto. Qualquer cidadão pode podem aumentar a receita prevista pelo Executivo
acessar o conteúdo, sem necessidade de cadastro prévio. e conforme o art. 12, § 1o da LRF temos:

SIOP Relatórios – Disponibiliza uma série de informações § 1o Reestimativa de receita por parte do Poder
sobre o Orçamento da União, suas alterações e execução Legislativo só será admitida se comprovado erro
no ano corrente e dados históricos de forma gerencial ou ou omissão de ordem técnica ou legal.
operacional, facilitando a análise e o acompanhamento da
execução orçamentária por meio de relatórios pré- Já as emendas de Despesas, devem ser observados as
formatados. Para acessar as informações é necessário seguintes regras:
acesso identificado.  Da sua compatibilidade com o PPA e a LDO;
SIOP Gerencial-BI – Permite acesso amplo e facilitado às  Da indicação dos recursos necessários,
informa- ções do SIOP, SIAFI e a outras bases de dados admitidos apenas os provenientes de anulação
sobre planos e orçamentos públicos por meio de uma única
de despesa, desde que não incidam nas
ferramenta de consulta de Business Intelligence – BI. O
dotações para pessoal e encargos, serviço da
módulo disponibiliza informa- ções do Orçamento da União,
suas alterações, execução do ano corrente e restos a dívida, transferências tributárias
pagar, e também dados históricos desde 1994. Para constitucionais para Estados, Distrito Federal e
acessar os dados é necessário acesso identificado. Municípios, e Seguridade Social;
SIOP Acesso Público – Tem como objetivo fornecer Já as emendas de correção de texto:
acesso a todos os cidadãos que tenham interesse de  Sejam relacionadas com a correção de erros ou
acompanhar as informações sobre a Lei Orçamentária omissões e com os dispositivos do texto do
Anual - LOA, utilizando a base de dados do SIOP. Qualquer projeto de lei.
cidadão com acesso à Internet pode consultar as
informações atualizadas sobre a LOA, sem necessidade de Modalidades de Emendas ao projeto de lei
autenticação, autorização ou mesmo um cadastro prévio. orçamentária anual:

DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA LEI ORÇAMENTÁRIA

101
Podem existir as emendas individuais e coletivas, que ESPECIAIS: são os destinados a despesas para
podem ser de Receita, despesa e correção de texto: as quais não haja dotação orçamentária específica; e
EXTRAORDINÁRIOS: são os destinados a
Emendas Individuais - são de iniciativa de cada
parlamentar, num máximo de 20, excluídas do limite as despesas urgentes e imprevisíveis, como as em caso de
que se destinam ao texto da lei e ao cancelamento total guerra, comoção interna ou calamidade pública.
ou parcial de dotações orçamentárias; Os créditos suplementares e especiais
Emendas Coletivas - são de iniciativa das Comissões necessitam de autorização do Poder Legislativo para
Permanentes do Senado Federal e da Câmara dos serem abertos. Dessa forma, eles são autorizados por
Deputados, das bancadas estaduais e das bancadas lei e abertos por decreto executivo.
regionais no Congresso Nacional. Importante! Cai em prova!
A abertura se dá por decreto EXECUTIVO e não por
Após a devida aprovação (em sessão plenário do
decreto legislativo!
Congresso) da LOA, com ou sem emendas, o Poder
Legislativo devolve para o Poder Executivo, para A abertura dos créditos suplementares e especiais
sanção ou veto. Sendo sancionada pelo Presidente da depende da existência de recursos disponíveis para
República, a LOA agora será promulgada, e com sua ocorrer a despesa e será precedida de exposição
publicação no Diário Oficial da União, estará justificativa.
produzindo os seus devidos efeitos legal. São considerados recursos para abertura dos créditos
suplementares e especiais, desde que não
IMPORTANTE: se todas as etapas ocorrerem dentro dos
comprometidos:
prazos legais previstos, a lei orçamentária começará a ser
executada no início do exercício financeiro, após o I - o superávit financeiro apurado em balanço
detalhamento da despesa, feito por meio do Quadro de patrimonial do exercício anterior;
distribuição da despesa. II - os provenientes de excesso de arrecadação;
III - os resultantes de anulação parcial ou total de
Podemos constatar 03 situações possíveis caso no dotações orçamentárias ou de créditos adicionais,
processo de aprovação das lei orçamentária anual:
autorizados em Lei;
1) O chefe do poder executivo não envia a LOA: IV - o produto de operações de crédito autorizadas, em
Solução: Passa a valer a lei em vigor. forma que juridicamente possibilite ao poder executivo
2) O chefe do poder executivo envia a LOA, mas realizá-las.
não foi ainda aprovada pelo Congresso: Veja bem, atenção: Se um determinado órgão fizer uma
Solução é a entrega de duodécimos aos órgãos
economia de seus gastos, por exemplo: estava previsto
do montante do orçamento planejado até que
o gasto em despesas públicas em R$ 100,00 e ele
seja aprovado.
gastou somente R$ 50,00, isto é, teve uma economia de
3) O chefe do poder executivo envia a LOA, foi
aprovada pelo Congresso e não foi sancionada R$ 50,00. Como isso, o órgão não poderá utilizar essa
nem publicada pelo chefe do executivo: sobra como créditos.
Solução é a entrega de duodécimos aos órgãos
do montante do orçamento planejado até que a Entende-se por superávit financeiro a diferença positiva
sua publicação. entre o ativo financeiro e o passivo financeiro, conjugando-
se, ainda, os saldos dos créditos adicionais transferidos e
O que é “duodécimo”? É o instituto que possibilita aos as operações de credito a eles vinculadas.
órgãos, caso autorizado na LDO, a executar a cada mês do Entende-se por excesso de arrecadação, para os fins
exercício financeiro, um doze avos do projeto de lei deste artigo, o saldo positivo das diferenças acumuladas
orçamentária que está sendo apreciado de modo a não
mês a mês entre a arrecadação prevista e a realizada,
prejudicar totalmente a execução prevista para o exercício.
considerando-se, ainda, a tendência do exercício.
CRÉDITOS ADICIONAIS
Para o fim de apurar os recursos utilizáveis,
O assunto é disposto principalmente na Lei nº provenientes de excesso de arrecadação, deduzir-se-á
4.320/64 e na Constituição Federal de 1988. Veja que os a importância dos créditos extraordinários abertos no
tópicos sobre orçamento que estudamos até agora e os que exercício.
ainda virão sempre terão relação com a Constituição Significa o seguinte: dos recursos utilizáveis, provenientes
Federal, Lei nº 4.320/64 e Lei de Responsabilidade Fiscal – de excesso de arrecadação deverão ser deduzidos, caso já
LRF. Ou seja, essas três leis, além, é claro, do PPA, da tenha ocorrido uma abertura de crédito extraordinário no
exercício.
LDO e da LOA são o cerne do Orçamento.
RELEMBRANDO: Os créditos suplementares e
Os créditos adicionais são as autorizações de especiais são autorizados por lei e abertos por decreto
despesa não computadas ou insuficientemente dotadas executivo. Porém, no crédito extraordinário não existe
na Lei de Orçamento. autorização legislativa e sim comunicação imediata ao
Sua classificação se dá em: Poder Legislativo. Ou seja, os créditos extraordinários
serão abertos por decreto do Poder Executivo, que
SUPLEMENTARES: são os destinados a reforço
deles dará imediato conhecimento ao Poder Legislativo,
de dotação orçamentária; conforme dispõe a Lei nº 4.320/64.

102
No entanto, a Constituição Federal, em seu artigo 167,
§3º, c/c (combinado com) o art. 62, dispõe que a 1 - Créditos Suplementares = destinados a reforço de
abertura de crédito extraordinário somente será dotação orçamentária.
admitida para atender a despesas imprevisíveis e São autorizados por lei e abertos por decreto executivo.
urgentes, como as decorrentes de guerra, comoção Dependem da existência de recursos disponíveis para
interna ou calamidade pública, e que em caso de ocorrer a despesa e será precedida de exposição
relevância e urgência, o Presidente da República justificativa.
poderá adotar medidas provisórias, com força de lei,
devendo submetê-las de imediato ao Congresso 2 - Créditos Especiais = destinados a despesas para as
Nacional. quais não haja dotação orçamentária específica.
Desse modo, na União, a abertura de créditos São autorizados por lei e abertos por decreto executivo.
extraordinários é realizada por meio de medida Dependem da existência de recursos disponíveis para
provisória, haja vista disposto constitucional, porém, nos ocorrer a despesa e será precedida de exposição
estados ou municípios em que não haja dispositivo na justificativa.
constituição estadual ou na lei orgânica (município)
prevendo o instituto da medida provisória para abertura 3 - Créditos Extraordinários = destinados a despesas
de crédito extraordinário, deve-se fazer por decreto do urgentes e imprevistas, em caso de guerra, comoção
executivo. intestina ou calamidade pública.
Os créditos adicionais terão vigência adstrita ao São abertos por decreto do Poder Executivo, que deles
exercício financeiro em que forem abertos, salvo dará imediato conhecimento ao Poder Legislativo (Lei nº
expressa disposição legal em contrário, quanto aos 4.320/64).
especiais e extraordinários, se o ato de autorização for São abertos por medida provisória, devendo submetê-la de
promulgado nos últimos quatro meses daquele imediato ao Congresso Nacional (art. 167, §3º, c/c
exercício, caso em que, reabertos nos limites de seus (combinado com) art. 62 da CF/88).
saldos, serão incorporados ao orçamento do exercício
financeiro subseqüente.
Espécie de Suplementar Especial Extraordinário
crédito
Finalidade Reforço de dotação Atender à categoria De Atender a Despesas
orçamentária existente na programação não Contemplada Imprevisíveis e Urgentes.
Loa na LOA.
Autorização Prévia, podendo ser Incluída Prévia, em lei Especial. Sem necessidade Prévia.
na própria LOA em lei
especial
Forma de Decreto do PE, após Decreto do PE, após Autorização Por meio de Medida
Abertura Autorização Legislativa, até Legislativa, até o limite Provisória
o limite estabelecido em lei. estabelecido em lei. (União) ou Decreto
(Estados e Municípios)

Recursos Indicação obrigatória. Indicação obrigatória. Independe de Indicação,


ou seja, é facultativa.
Valor/limite Obrigatório, indicado na lei Obrigatório, indicado na lei de Obrigatório, Indicado na
de autorização e no decreto autorização e no decreto de Medida provisória (União)
de abertura. abertura. ou no Decreto (Estados e
Municípios).
Vigência Sempre no exercício Em princípio, no exercício Em princípio, no exercício
Financeiro em que foi financeiro em que foi aberto financeiro em que foi
Aberto. aberto
Prorrogação Não permitida Quando autorização nos últimos Quando autorizado nos
4 meses do exercício financeiro. últimos 4 meses do
exercício financeiro.

28 COMPERVE Conforme artigo 43 da lei nº 4.320/64, a abertura dos créditos suplementares e especiais depende da
existência de recursos disponíveis para ocorrer a despesa. Consideram –se recursos para esse fim, desde que não
comprometidos,
A) os provenientes de excesso de arrecadação.
B) o superávit financeiro apurado em balanço financeiro do exercício anterior.
C) os resultantes de anulação parcial ou total de dotações orçamentárias , exceto os de créditos adicionais.
D) o produto de operações de crédito por antecipação de receita.

29 COMPERVE O orçamento anual pode ser alterado por meio de créditos adicionais , que são classificados em:
A) suplementares, especiais e extraordinários.
B) complementares, suplementares e especiais.
C) ordinários, extraordinários e efetivos.

30 COMPERVE Nos termos da Lei nº 4320/64, que estatui normas gerais de Direito Financeiro para elaboração e controle dos
orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, analise os itens a seguir:

103
Estão corretas as afirmativas
A) III e IV.
B) II e III.
C) I e IV.
D) I e II.

31 FCC - Suponha que um ente público, necessitando pelo Governo do Estado, será classificada como um
reforçar uma dotação orçamentária, apresente a crédito
seguinte situação: excesso (acumulado) de A) especial.
arrecadação: R$ 550.000,00; economia (acumulada) de B) extraordinário.
despesa: R$ 230.000,00; superávit financeiro do último C) suplementar.
balanço patrimonial: R$ 460.000,00; créditos especiais D) discricionário
reabertos no exercício: R$ 110.000,00.
A) 1.200.000,00 34 COMPERVE Com o intuito de contribuir para a
B) 1.010.000,00 retomada do crescimento do país, um grupo de
C) 1.240.000,00 tecnólogos em gestão pública vinculado ao governo
D) 1.300.000,00 federal preparou uma proposta a ser apresentada aos
E) 2.000.000,00 governantes, contendo a definição das metas e
prioridades da administração pública federal, incluindo
32 COMPERVE No ano de 2010, uma Prefeitura estava as despesas de capital para o próximo exercício
executando alguns orçamentos-programa. Um deles financeiro, bem como as alterações na legislação
precisou passar por ajustes feitos por meio de créditos tributária. Observando o que determina a Constituição
adicionais, conforme ilustrado no quadro abaixo. Federal de 1988, em seu § 2o do art.165, a proposta a
ser apresentada deve compor o instrumento do
orçamento público denominado
A) Lei de Responsabilidade Fiscal.
B) Lei Orçamentária Anual.
C) Lei Orgânica.
D) Lei de Diretrizes Orçamentárias.
35 COMPERVE Um deputado federal pretende
apresentar uma proposta para alterar a política de
aplicação de uma determinada agência financeira oficial
de fomento, pois considera que será necessário ampliar
os investimentos no setor privado para subsidiar o
financiamento da inovação tecnológica. Conhecedor da
finalidade e da relação de cada um dos instrumentos de
Os mecanismos de alteração e retificação utilizados planejamento na administração pública, especialmente
foram: quanto ao previsto no § 4o do art. 165 da Constituição
A) Crédito suplementar e remanejamento Federal de 1988, o parlamentar deverá propor uma
B) Crédito suplementar e transferência emenda ao projeto da
C) Crédito especial e transferência A) Lei Orçamentária Anual (LOA), independente de
D) Crédito especial e remanejamento compatibilidade com o Plano Plurianual (PPA).
B) Lei Orçamentária Anual (LOA), verificando sua
33 COMPERVE Diante de uma situação de estado de compatibilidade com o Plano Plurianual (PPA).
calamidade pública provocada pela crise na segurança C) Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), independente de
pública, a Universidade Estadual do Vale do Beta compatibilidade com o Plano Plurianual (PPA).
decidiu solicitar créditos adicionais para recuperar a D) Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), verificando sua
cantina que foi explodida. Essa verba, caso autorizada compatibilidade com o Plano Plurianual (PPA).

104
A) contém falha, pois o correto seria destiná-la ao Tribunal
36 COMPERVE A gestão do Plano Plurianual (PPA), no de Contas, e não ao Poder Legislativo.
âmbito da União e de seus programas, orienta para B) não contém falha, pois faz referência à Lei de Diretrizes
resultados eficientes, eficazes e efetivos. Nesse Orçamentárias, que é o instrumento mais importante do
sentido, um Programa de Governo Plano Plurianual.
A) consiste em realizar operações limitadas no tempo e C) não contém falha, pois os valores da Receita e da
que resultam em bens ou serviços para atender aos Despesa fixados precisam ser iguais.
objetivos do Programa. D) contém falha, pois o correto seria Receita Prevista e
B) é o instrumento que articula um conjunto de ações Despesa Fixada.
orçamentárias e não orçamentárias para enfrentar um
problema, e seus resultados devem ser passíveis de 40 FGV IBGE AUDITOR Considere o diagrama
aferição por meio de indicadores coerentes com os apresentado a seguir, que se refere às principais etapas
objetivos do Programa. do Ciclo Orçamentário:
C) é um instrumento que permite identificar e medir
aspectos de um problema da realidade social ou da
realidade construída pela ação do governo.
D) visa otimizar os resultados da aplicação dos recursos
públicos por meio da convergência territorial e da
focalização em torno da sociedade.

37 COMPERVE O orçamento é essencial no


contexto da gestão pública. Em relação a essa
temática, é correto afirmar:
A) o orçamento público é um instrumento contábil que
apenas estima as receitas para determinado ano.
B) a elaboração e a execução do orçamento não
conferem poderes políticos, sociais e econômicos.
C) o orçamento público define que receitas serão
arrecadadas e que despesas serão financiadas.
D) a consecução de orçamento não é aplicada para o
interesse geral, mas apenas para determinados nichos.

38 COMPERVE A Constituição Federal de 1988 No ciclo orçamentário, a competência para a aprovação


estabelece que cada ente Federativo deve elaborar da proposta orçamentária é:
três instrumentos de planejamento e orçamento, A) delegada ao Poder Legislativo;
quais sejam, as Leis de Planos Plurianuais, as Leis B) compartilhada entre os poderes;
de Diretrizes Orçamentárias e as Leis Orçamentárias C) exclusiva do Poder Executivo;
Anuais. A lei orçamentária anual compreenderá D) exclusiva do Poder Legislativo;
E) reservada ao chefe do Poder Executivo.
A) o orçamento correspondente às dotações
orçamentárias, entendidas como créditos
CLASSIFICAÇÃO DA RECEITA E DESPESA
suplementares e especiais destinados aos órgãos dos
Poderes Legislativo e Judiciário, do Ministério Público e RECEITA PÚBLICA
da Defensoria Pública. Receita pública são os recursos instituídos e
B) o orçamento de investimento das empresas em que a arrecadados pela administração pública com a
União detenha diretamente a maioria do capital social sem finalidade de atender as necessidades da sociedade.
direito a voto. Pode-se dizer que receita é todo recurso arrecadado pelo
C) o orçamento da seguridade social da administração estado para atender as despesas públicas.
direta, dos fundos e das fundações instituídos e A receita pública apresenta diversas CLASSIFICAÇÕES,
mantidos pelo Poder Público. sendo as mais consagradas pela doutrina:
D) o orçamento fiscal referente aos Poderes da União, _ Quanto à natureza;
seus fundos, órgãos e entidades da administração _ Quanto à categoria econômica;
direta e indireta, bem como as fundações instituídas e _ Quanto à afetação patrimonial;
mantidas pelo Poder Público. _ Quanto à regularidade;
_ Quanto à procedência;
39 COMPERVE Da análise da Lei de Diretrizes _ Quanto ao poder de tributar.
Orçamentárias para o exercício de 2006, elaborado pelo
Poder Executivo e encaminhado ao Poder Legislativo, TOME NOTA! As receitas, quanto à NATUREZA, se
foi observada a seguinte assertiva: dividem em ORÇAMENTÁRIA E EXTRA-
“As metas e prioridades da administração municipal ORÇAMENTÁRIA.
devem ser compatíveis com o Plano Plurianual (PPA)
para o quadriênio 2006-2009, na fixação da despesa e
da receita da lei orçamentária para o exercício de 2006,
no valor de R$ 650.000.000,00, cujas diretrizes estão
definidas em programas integrados de forma articulada
em eixos estruturais.”.
Com base nessa assertiva, pode-se concluir que a
mensagem

105
Os recursos arrecadados pelo estado e que incorporam questão. A ARO não é uma receita nova que se incorpora
definitivamente ao patrimônio do Estado são chamados ao Estado, é simplesmente uma antecipação da receita
de receitas orçamentárias. Assim as receitas orçamentária prevista no orçamento e que, no entanto
orçamentárias são aquelas que se integram ainda não se realizou. O procedimento normal é o governo
definitivamente ao estado sem qualquer esperar a receita se realizar para aí sim gastá-lo, mas às
correspondência no passivo, estejam estas receitas vezes por problemas de indisponibilidade de caixa o Estado
previstas ou não no orçamento. não pode esperar essa realização acontecer. Assim o
governo faz um empréstimo e se compromete a pagá-lo
NÃO CAIA NESSA: A receita para ser orçamentária não com a receita orçamentária que se realizará, por isso é
precisa estar prevista na LOA. preciso contabilizar a ARO como extra-orçamentária sob
pena do Estado duplicar sua receita.
Os recursos arrecadados pelo estado, mas que geram Interessante lembrar que uma receita extra-orçamentária
um passivo, ou seja, terão que ser restituídos, poderá se converter em receita orçamentária, a partir do
posteriormente, são denominados receitas extra- momento que se constatar que não caracteriza mais uma
orçamentárias. Ou seja, são receitas que não estão
obrigação a pagar.
previstas no orçamento, e corresponde a uma entrada de
recurso que gera para o Estado a obrigação de posterior
devolução. Ex. Depósitos diversos, Restos a pagar, ATENÇÃO  Não confundir receita de operações de
serviço da dívida a pagar, Aro, emissão de moedas etc. crédito, que é receita orçamentária, com operação de
crédito por antecipação da receita (ARO), que é receita
ATENÇÃO! As receitas extra-orçamentárias por serem extraorçamentária.
apenas entrada de recursos com caráter devolutivo, não
são consideradas receitas stricto sensu, tendo em vista que Características dos ingressos orçamentários:
são registradas como receitas somente para controle e _ Registrados como receita orçamentária corrente ou de
posterior devoluções. Mas poderá se tornar orçamentária. capital;
_ Financiam as despesas orçamentárias;
Exemplificando: recebimento de caução em dinheiro para _ Geram desembolsos orçamentários;
garantia de contrato, o fornecedor deposita um montante na _ Seguem as classificações econômicas, institucionais e
conta bancária do governo, no entanto este recurso não por fonte de recursos;
pertence ao Estado, assim no momento de contabilizar esta _ Tem caráter permanente;
_ Pertencem ao Estado.
receita será registrado um débito no banco e em
contrapartida um crédito em conta do passivo, evidenciando
Características dos ingressos extra-orçamentários:
o caráter devolutivo do recurso.
_ Registrados como passivo financeiro;
_ Não financiam as despesas orçamentárias;
IPC! As operações de crédito por antecipação de
_ Geram desembolsos extra-orçamentários;
receita são receitas extraorçamentárias, conforme
_ Não passam pelos estágios da receita;
artigo 3º da Lei 4320/64.
_ Seguem classificação contábil;
_ Tem caráter temporário;
O concurseiro antenado pode perguntar: mas por quê
_ Pertencem a terceiros.
uma operação de crédito por antecipação da receita é
extra-orçamentária e uma operação de crédito normal é TOME NOTA! As receitas, quanto à categoria
orçamentária, sendo que as duas geram uma obrigação econômica, se classificam em: Receitas Correntes e
para o Estado? Receitas de Capital.
Fácil, o próprio nome da operação de crédito por ARO
(Antecipação da receita orçamentária) já mata esta

A Lei 4320/64 classificou a receita orçamentária em duas CATEGORIAS ECONÔMICAS:

106
Receitas Correntes – São os recursos recebidos de outras pessoas de direito público ou de direito privado, quando
destinados a atender despesas classificáveis em despesas correntes.

Receitas de Capital – São recursos recebidos de outras pessoas de direito público ou de direito privado destinados a atender
despesas classificáveis em despesas de capital e ainda o superávit do orçamento corrente.

IMPORTANTE: Apesar de ser um pouco chato ficar contraprestação direta em bens e serviços a quem efetuou
decorando estas classificações, é um assunto bastante essa transferência. Por outro lado, a utilização dos recursos
cobrado em concursos, então tente memorizá-las fazendo recebidos vincula-se à determinação constitucional ou legal,
esquemas e lembre-se de revisá-las antes da prova. ou ao objeto pactuado. Tais transferências ocorrem entre
entidades públicas de diferentes esferas ou entre entidades
Origens que compõem as RECEITAS CORRENTES: públicas e instituições privadas.
Impostos, Taxas e Contribuições de Melhoria: são
decorrentes da arrecadação dos tributos previstos no art. Outras Receitas Correntes: constituem-se pelas receitas
145 da Constituição Federal. cujas características não permitam o enquadramento nas
demais classificações da receita corrente, tais como
Contribuições: são oriundas das contribuições sociais, de
indenizações, restituições, ressarcimentos, multas previstas
intervenção no domínio econômico e de interesse das
em legislações específicas, entre outras.
categorias profissionais ou econômicas, conforme preceitua
o art. 149 da CF.
Origens que compõem as RECEITAS DE CAPITAL:
Receita Patrimonial: são provenientes da fruição de
patrimônio pertencente ao ente público, tais como as Operações de Crédito: recursos financeiros oriundos da
decorrentes de aluguéis, dividendos, compensações colocação de títulos públicos ou da contratação de
financeiras/royalties, concessões, entre outras. empréstimos junto a entidades públicas ou privadas,
internas ou externas.
Receita Agropecuária: receitas de atividades de Alienação de Bens: ingressos financeiros provenientes da
exploração ordenada dos recursos naturais vegetais em alienação de bens móveis, imóveis ou intangíveis de
ambiente natural e protegido. Compreende as atividades de propriedade do ente público. O art. 44 da LRF veda a
cultivo agrícola, de cultivo de espécies florestais para aplicação da receita de capital derivada da alienação de
produção de madeira, celulose e para proteção ambiental, bens e direitos que integram o patrimônio público para o
de extração de madeira em florestas nativas, de coleta de financiamento de despesa corrente, salvo se destinada por
produtos vegetais, além do cultivo de produtos agrícolas. lei aos regimes de previdência social, geral e próprio dos
servidores públicos.
Receita Industrial: são provenientes de atividades
industriais exercidas pelo ente público, tais como a extração Amortização de Empréstimos: ingressos financeiros
e o beneficiamento de matérias-primas, a produção e a provenientes da amortização de financiamentos ou
comercialização de bens relacionados às indústrias
empréstimos que o ente público haja previamente
mecânica, química e de transformação em geral.
concedido. Embora a amortização do empréstimo seja
origem da categoria econômica Receitas de Capital, os
Receita de Serviços: decorrem da prestação de serviços
juros recebidos associados ao empréstimo são
por parte do ente público, tais como comércio, transporte,
classificados em Receitas Correntes / de Serviços /
comunicação, serviços hospitalares, armazenagem,
Serviços e Atividades Financeiras / Retorno de Operações,
serviços recreativos, culturais, etc. Tais serviços são
Juros e Encargos Financeiros, pois os juros representam a
remunerados mediante preço público, também chamado de
remuneração do capital.
tarifa.

Transferências Correntes: são provenientes do Transferências de Capital: recursos financeiros recebidos


recebimento de recursos financeiros de outras pessoas de de outras pessoas de direito público ou privado destinados
direito público ou privado destinados a atender despesas de a atender despesas com investimentos ou inversões
manutenção ou funcionamento que não impliquem financeiras, independentemente da contraprestação direta a

107
quem efetuou essa transferência. Por outro lado, a
utilização dos recursos recebidos vincula-se ao objeto
pactuado. Tais transferências ocorrem entre entidades
públicas de diferentes esferas ou entre entidades públicas e
instituições privadas.

Outras Receitas de Capital: registram-se nesta origem


receitas cujas características não permitam o
enquadramento nas demais classificações da receita de
capital, tais como resultado do Banco Central, remuneração
das disponibilidades do Tesouro, entre outras.

REGRA DE OURO: MUITO COBRADO EM CONCURSO!


O montante previsto para as receitas de operações de
crédito não poderá ser superior ao das despesas de
capital constantes do projeto de lei orçamentária.

Apesar do § 2º da Lei 101/00 (LRF) estar suspenso por


força da ADIN nº 2238, do STF, a regra de ouro continua
em vigor porque ela está prevista também no artigo 167
da Constituição Federal. Inclusive o motivo da ADIN do
§ 2º é justamente porque a LRF extrapolou a CF/88, ou
seja, a própria constituição prevê exceção a regra de
ouro e a LRF foi mais restrita e não observou nenhuma A ORIGEM é o detalhamento das categorias econômicas
exceção. A finalidade da regra de ouro é evitar o Receitas Correntes e Receitas de Capital, com vistas a
endividamento do Estado, porém a regra comporta identificar a procedência das receitas no momento em que
exceção. ingressam nos cofres públicos.

ATENÇÃO: A CF prevê exceção a regra de ouro: as ESPÉCIE, nível de classificação vinculado à origem,
receitas de operações de crédito poderiam ser superiores permite qualificar com maior detalhe o fato gerador das
às despesas de capital, desde que autorizadas, durante o receitas. Por exemplo, dentro da origem “Contribuições”,
identificam-se as espécies “Contribuições Sociais”,
exercício financeiro, mediante créditos suplementares ou
“Contribuições Econômicas” e “Contribuições para
especiais com finalidade precisa, aprovados pelo Poder
Entidades Privadas de Serviço Social e de Formação
Legislativo por maioria absoluta. Profissional”.

ATENÇÃO! O superávit do orçamento corrente é receita de DESDOBRAMENTOS PARA IDENTIFICAÇÃO DE


capital extra-orçamentária. PECULIARIDADES DA RECEITA
Mas por que o superávit do orçamento corrente é Foram reservados 4 dígitos para desdobramentos com a
receita de capital e ainda por cima receita extra- finalidade de identificar peculiaridades de cada receita, caso
orçamentária? Simples, o superávit é considerado receita seja necessário. Desse modo, esses dígitos podem ou não
de capital, porque normalmente é utilizado para cobrir ser utilizados conforme a necessidade de especificação do
déficit de capital. Como essa receita já foi considerada recurso.
como orçamentária no exercício em que houve o resultado
positivo ela é contabilizada como extra-orçamentária para O TIPO, correspondente ao último dígito na natureza de
que não haja duplicidade de receita. receita, tem a finalidade de identificar o tipo de arrecadação
a que se refere aquela natureza, sendo:
CODIFICAÇÃO DA RECEITA - “0”, quando se tratar de natureza de receita não
valorizável ou agregadora;
- “1”, quando se tratar da arrecadação Principal da
receita;
- “2”, quando se tratar de Multas e Juros de Mora da
respectiva receita;
- “3”, quando se tratar de Dívida Ativa da respectiva
receita; e
- “4”, quando se tratar de Multas e Juros de Mora da
Dívida Ativa da respectiva receita.

108
Receita Originária – Consiste na receita proveniente da
exploração do patrimônio público, ou seja, são
produzidas pelos ativos do Estado. O Estado atua como
particular por meio da exploração de atividades privadas,
exemplos: serviços comerciais, industriais; alugueis, etc. A
receita originária também é classificada na categoria receita
corrente.

Receitas Derivadas – Consistem nas receitas


provenientes do exercício do poder de tributar, do
Estado, os rendimentos ou o patrimônio da coletividade,
essa receita é obtida pelo Estado em função da sua
soberania, por meio de tributos, indenizações e restituições.
A receita derivada é classificada na categoria receita
corrente.

TOME NOTA! As receitas, quanto à AFETAÇÃO TOME NOTA! As receitas, QUANTO AO PODER DE
PATRIMONIAL, se dividem em EFETIVA E NÃO TRIBUTAR, se classificam em FEDERAL, ESTADUAL E
EFETIVAS. MUNICIPAL.

As receitas orçamentárias podem causar aumento no Quanto ao Poder de Tributar – Classifica as receitas
patrimônio, ou seja, podem causar variação na situação segundo o poder de tributar que compete a cada ente da
líquida, neste caso são chamadas de receita efetiva. federação, considerando e distribuindo as receitas obtidas
Essas receitas integram o patrimônio sem quaisquer como pertencentes aos respectivos entes, quais sejam:
condições, restrições ou correspondências no passivo, Governo Federal; Estadual; do Distrito Federal e Municipal.
inserindo-se no conceito de fato contábil modificativo
aumentativo. ESTÁGIOS DA RECEITA
Exemplos: receita tributária, receita de serviços, etc. A receita orçamentária passa por quatro estágios ou fases,
Há, no entanto, casos em que os ingressos de recursos que são: previsão, lançamento, arrecadação e
orçamentários não provocam afetação no patrimônio recolhimento.
líquido por serem oriundas de fatos permutativos,
essas receitas são denominadas receitas não efetivas ATENÇÃO! Previsão é a fase de planejamento da
ou receitas por mutações patrimoniais. Exemplo: receita.
receitas de operações de crédito, receita de amortização de
empréstimos concedidos, etc. ATENÇÃO! Lançamento, arrecadação e o recolhimento
são estágios de execução da receita.
IMPORTANTE: As receitas correntes, em regra, são
receitas efetivas, porém também existe uma exceção, a ATENÇÃO! MUITO COBRADO NA COMPERVE: Os
DÍVIDA ATIVA, que apesar de ser registrada como estágios da receita são: previsão, lançamento,
receita corrente dentro da subcategoria “outras receitas arrecadação e recolhimento.
correntes”, causa uma mutação patrimonial, referente à
baixa do direito.

As receitas de capital, via de regra, são receitas não


efetivas, pois toda a vez que se registra uma receita de
capital faz-se o registro de uma mutação patrimonial, a
exceção são receitas de TRANSFERÊNCIAS DE
CAPITAL, que não geram uma mutação patrimonial, PREVISÃO: A previsão da receita, também conhecida
decorrente da incorporação de um direito ou de um como receita orçada, é a estimativa de quanto se espera
bem ou da baixa de obrigações. arrecadar durante o exercício financeiro. Com base na
estimativa da receita, o governo planeja e define os gastos
TOME NOTA! As receitas, QUANTO À REGULARIDADE, que comporão a LOA.
se classificam em ORDINÁRIAS E EXTRAORDINÁRIAS. LANÇAMENTO: O estágio do lançamento consiste no
Receitas Ordinárias – Ingressos permanentes e estáveis procedimento administrativo onde se verifica a
do Estado, arrecadados regularmente em cada período procedência do crédito fiscal, quem e quando se deve
financeiro, ou seja, possuem caráter de continuidade, sendo pagar e inscreve em débito o contribuinte.
fonte perene de recursos para o Estado.
IMPORTANTE! O estágio de lançamento aqui tratado não
Receitas Extraordinárias – Ingressos com caráter de não pode ser confundido com o lançamento contábil.
continuidade, a sua arrecadação acontece de maneira
excepcional, provenientes de calamidade pública, doações, IMPORTANTE! Pode ter receitas que não necessitam de
etc. lançamento para serem arrecadadas. (Ex: Receitas
extraorçamentarias)
TOME NOTA! As receitas, quanto a PROCEDÊNCIA, se
classificam em ORIGINÁRIAS E DERIVADAS.

109
ARRECADAÇÃO: A arrecadação é o momento em que disponibilidades do Tesouro Nacional, existentes nos
os contribuintes comparecem perante os agentes agentes financeiros, foram transferidas para o Banco
arrecadadores e realizam o pagamento dos seus Central do Brasil, em uma conta única centralizada,
tributos ou outros débitos para com o Estado. exercendo o Banco do Brasil a função de agente financeiro
do Tesouro Nacional.
Considerando que o artigo 35 da Lei 4320/64 define que A conta única do Tesouro Nacional mantida no Banco
pertencem ao exercício financeiro as receitas nele Central constitui a unificação de todas as disponibilidades
legalmente arrecadadas, conclui-se que é no momento financeiras das unidades gestoras do governo federal
da arrecadação que se inicia a realização da receita. participantes do Sistema Integrado de Administração
Desta forma, em atendimento ao regime de caixa adotado Financeira - SIAFI.
pela contabilidade pública para o registro da receita. A A partir da edição da Medida Provisória nº 1.782, de
contabilidade pública apresenta diversas particularidades, 14.12.1998, atual MP 2.170-36, de 23.08.2001, as
dentre as quais, podemos citar o regime contábil misto, disponibilidades das Autarquias, Fundos e Fundações
desta forma adotá-se o regime de caixa para a receita e públicas passaram obrigatoriamente a ser movimentados
o regime de competência para a despesa. sob os mecanismos da conta única.
Art. 1º Os recursos financeiros de todas as fontes de
ATENÇÃO! CAI NO CONCURSO DA COMPERVE: O receitas da União e de suas autarquias e fundações
regime contábil adotado pela regime orçamentário públicas, inclusive fundos por elas administrados,
público é o misto, sendo de caixa para a receita e de serão depositados e movimentados exclusivamente por
competência para a despesa. intermédio dos mecanismos da conta única do Tesouro
Nacional, na forma regulamentada pelo Poder
RECOLHIMENTO: O recolhimento compreende a Executivo.
entrega do produto da arrecadação pelas referidas Parágrafo único. Nos casos em que características
repartições e estabelecimentos bancários ao Banco do operacionais específicas não permitam a
Brasil para crédito da conta única do Tesouro, referente movimentação financeira pelo sistema de caixa único
à receita da União no Tesouro Nacional. do Tesouro Nacional, os recursos poderão,
excepcionalmente, a critério do Ministro de Estado da
IMPORTANTE! O recolhimento de todas as receita far- Fazenda, ser depositados no Banco do Brasil S.A. ou
se-á em estrita observância ao princípio de unidade de na Caixa Econômica Federal.
tesouraria, vedada qualquer fragmentação para criação
de caixas especiais. INGRESSOS DE RECURSOS NA CONTA ÚNICA DA
UNIÃO
O RECONHECIMENTO DA RECEITA PÚBLICA
A Lei nº 4.320/64, em seu artigo 35, estabelece que
pertencem ao exercício financeiro as receitas nele
arrecadadas. Em decorrência dessa determinação diz-se
que na contabilidade pública adota-se o regime de caixa
para a classificação da receita.
Atualmente, as receitas ingressam no caixa único do
Tesouro Nacional basicamente de três formas e são assim
reconhecidas:
a) Receitas administradas pela Secretaria da Receita
Federal – SRF – São arrecadadas por meio de
Documento de Arrecadação de Receitas Federais–
DARF.

b) Receitas Administradas pelo Instituto Nacional do


Seguro Social – INSS – São arrecadadas por meio da
Guia da Previdência Social – GPS, mediante pagamento
junto à rede arrecadadora credenciada pelo INSS.

C) Receitas Diretamente Arrecadadas – são arrecadas


por meio de guia de recolhimento da união – GRU 01 COMPERVE De acordo com o Art. 35 da Lei nº 4.320,
CONTA ÚNICA DO TESOURO NACIONAL de 17 de março de 1964, a administração pública adota
o ...... para as receitas efetivamente ingressadas no
O Decreto-Lei 200, de 25 de fevereiro de 1967, ao exercício financeiro e o ...... para as despesas
promover a organização da Administração Federal e empenhadas pagas e não pagas no exercício
estabelecer diretrizes para a Reforma Administrativa, financeiro.
determinou ao Ministério da Fazenda que promovesse a Para completá-lo corretamente as lacunas devem ser
unificação dos recursos movimentados pelo Tesouro preenchidas, respectivamente, por
Nacional, através de sua Caixa junto ao agente financeiro A) regime de caixa - regime de competência.
da União, com o objetivo de obter maior economia B) sistema contábil - sistema fiscal.
operacional e racionalizar a execução da programação C) regime de competência - regime de caixa.
financeira de desembolso. D) princípio da não-retroatividade - princípio da anualidade.
Essa determinação legal foi cumprida em setembro de E) princípio da anualidade - princípio da não-retroatividade.
1988, com a promulgação da Constituição, quando todas as

110
02 COMPERVE Receitas extraorçamentárias são C) A origem, segundo nível da codificação da receita
ingressos financeiros de caráter temporário que não orçamentária, é utilizada para identificar a natureza da
integram a Lei Orçamentária Anual. O Estado é mero procedência das receitas no momento em que ingressam
depositário desses recursos, que constituem passivos no orçamento público.
exigíveis e cujas restituições não se sujeitam à D) Para caracterizar-se como tal, a receita orçamentária
autorização legislativa. É exemplo de receita deve provocar variação na situação patrimonial líquida.
extraorçamentária:
A) operações de crédito. 07 COMPERVE As receitas orçamentárias são
B) amortização de empréstimos concedidos. classificadas, segundo os critérios de natureza, como
C) entradas compensatórias no ativo e passivo financeiros. fonte/destinação de recursos e indicador de resultado
D) doação recebida primário. A classificação por natureza visa a identificar
a origem do recurso, segundo o fato gerador. Essa
03 COMPERVE. Com vistas a conferir os procedimentos classificação é formada por código numérico de 8
contábeis da Prefeitura Municipal de Ficha Limpa, o dígitos que subdivide-se em seis níveis: categoria
auditor recolheu as seguintes informações na econômica, origem, espécie, rubrica, alínea e subalínea.
Secretaria de Orçamento e Finanças: Quanto à origem, a receita que é realizada entre órgãos
e demais entidades da administração pública,
integrantes do orçamento fiscal e do orçamento da
seguridade social, do mesmo ente federativo, que não
representa novas entradas de recursos nos cofres
públicos do ente, é
A) transferências de capital.
B) receita intraorçamentária.
C) receita de serviço.
D) patrimonial.

08 COMPERVE Considere as afirmações abaixo, acerca


As Receitas Extraorçamentárias registradas somaram, em dos ingressos extraorçamentários:
reais: I São recursos financeiros de caráter temporário.
A) R$ 220.000. II Integram a Lei Orçamentária Anual.
B) R$ 125.000. III O Estado é mero depositário desses recursos.
C) R$ 175.000. IV Constituem passivos exigíveis, cujas restituições se
D) R$ 150.000. sujeitam à autorização legislativa.
Analisando as afirmações apresentadas, observa-se
04 COMPERVE Para fins contábeis, quanto ao impacto que:
na situação líquida patrimonial, a receita pode ser A) apenas as afirmações I, II e III estão corretas.
“efetiva” ou “não-efetiva”, São exemplos, B) apenas as afirmações II e IV estão corretas.
respectivamente, de receita efetiva e receita não efetiva, C) apenas as afirmações I e III estão corretas.
a receita D) apenas as afirmações II, III e IV estão corretas.
A) patrimonial e de recebimento de dívida ativa.
B) agropecuária e patrimonial. 09 COMPERVE Uma das classificações da receita
C) de serviços e de contribuições. orçamentária é feita com base na natureza da categoria
D) industrial e transferências correntes. econômica. A natureza da receita é a menor célula de
informação no contexto orçamentário para as receitas
05 COMPERVE O superávit do orçamento corrente públicas. Essa classificação é formada por um código
resultante do balanceamento dos totais das receitas e numérico de 8 dígitos, que se subdivide em seis níveis,
despesas correntes é classificado, na categoria como apresentado no exemplo abaixo:
econômica, de
A) receita corrente.
B) receita de capital.
C) despesa corrente.
D) despesa de capital.
06 COMPERVE As receitas orçamentárias são O número “1”, que aparece na 2ª posição do código
disponibilidades de recursos financeiros que apresentado, representa:
ingressam durante o exercício orçamentário. A) a origem.
Instrumento por meio do qual se viabiliza a execução B) a espécie.
das políticas públicas, as receitas são utilizadas pelo C) a rubrica.
Estado em programas e ações cuja finalidade precípua D) a alínea.
é atender às necessidades públicas e demandas da
sociedade. Acerca das receitas públicas, é correto 10 COMPERVE O número “1”, que aparece na 3ª
afirmar: posição do código apresentado, representa:
A) A classificação orçamentária, por natureza, é formada A) a rubrica.
por um código numérico de 6 dígitos que subdivide-se em 4 B) a alínea.
níveis – categoria econômica, origem, grupo e elemento. C) a origem.
B) A origem, segundo nível da codificação da receita D) a espécie.
orçamentária, é um agregador de elementos com as
mesmas características quanto ao objeto.

111
11 COMPERVE O número “1”, que aparece na 1ª 4.320/64. Nesses termos, o ato da repartição
posição do código apresentado, indica que esse código competente que verifica a procedência do crédito fiscal
se refere a: e a pessoa que lhe é devedora e inscreve o débito desta
A) uma receita corrente. é denominado
B) uma receita de capital. A) inscrição para o recolhimento.
C) uma receita tributária. B) programação.
D) uma receita extraordinária. C) previsão.
D) lançamento.
12 COMPERVE Com relação às receitas correntes e às
receitas de capital, assinale a opção correta. 18 COMPERVE O Sistema Orçamentário Brasileiro é
A) As receitas de capital são classificadas em patrimonial e composto de leis orçamentárias, que constituem as
industrial. bases para um processo amplo de planejamento. Sobre
B) São receitas correntes as provenientes de empréstimo e a Lei do Plano Plurianual é correto afirmar:
de financiamento destinados a investimentos. A) Compreende a elaboração do cenário fiscal equivalente
C) As receitas de impostos e de contribuições classificam-
ao mandato presidencial.
se como receitas correntes.
B) Estabelece as metas e prioridades do governo para cada
D) As operações de crédito são classificadas como receitas
exercício e as regras a serem observadas no orçamento
correntes.
anual.
13 COMPERVE As fontes de Receita Pública são C) Define as ações e programas de governo para um
divididas em Receitas Correntes e Receitas de Capital. período de quatro anos.
Assinale a alternativa que apresenta somente D) Dispõe sobre metas e riscos fiscais, programação
elementos da Receita Corrente. financeira, limitação de empenho e movimentação
A) Receita Impostos, Receita Industrial e Operações de financeira.
Crédito.
B) Receita de Contribuição, Transferências Correntes e 19 COMPERVE As receitas são os recursos financeiros
Alienação de Bens. que o governo tem a sua disposição para pagar as suas
C) Receita Agropecuária, Receita Industrial e despesas. Sobre as receitas patrimoniais, é correto
Transferências de Capital. afirmar que são aquelas oriundas de
D) Receita Patrimonial, Receita de Serviços e Receita de A) serviços industriais.
taxas. B) participações e dividendos.
C) contribuições de melhoria.
14 COMPERVE Com relação à classificação da receita D) arrecadação de impostos.
orçamentária, por categoria econômica, a venda de dois
imóveis, por determinado ente da federação, é uma 20 COMPERVE. A receita compreende as seguintes
receita categorias econômicas:
A) financeira
A) receitas correntes e receitas de capital.
B) capital.
B) receitas orçamentárias e receitas suplementares.
C) corrente
D) patrimonial. C) receitas tributárias e receitas financeiras.
D) receitas patrimoniais e receitas de contribuições.
15 COMPERVE As receitas são os recursos financeiros
que o governo tem a sua disposição para pagar as 21 COMPERVE Os ingressos de valores financeiros,
despesas do governo. São receitas correntes nos cofres do Estado, podem ser provenientes de
A) as receitas de impostos, de contribuições, patrimonial, receitas orçamentárias e ingressos extraordinários. As
agropecuária, industrial, de serviços e outras. receitas orçamentárias constituem elementos novos
B) as receitas provenientes da realização de recursos
para o patrimônio público, já as receitas
financeiros oriundos de constituição de dívidas, da
conversão em espécie e outros. extraorçamentárias são recursos financeiros de caráter
C) o superávit do orçamento corrente resultante do temporário e não integram a LOA, mas também são
balanceamento dos totais das receitas e despesas objeto de registro, individualização e controle contábil.
correntes. São exemplos de receitas extraorçamentárias:
D) os repasses que os governos fazem mediante convênio A) emissão de moedas e operações de créditos por
ou contrato para a prestação de determinado serviço ou antecipação de receita.
realização de obras. B) caução e receita agropecuária.
16 COMPERVE A realização da receita se dá em três C) transferência corrente e operações de crédito.
estágios. A transferência dos valores arrecadados à D) fianças e amortização de empréstimos concedidos a
conta específica do Tesouro, responsável pela longo prazo.
administração e controle da arrecadação e
programação financeira, observando-se o princípio da 22 FCC Considere os dados relativos às receitas
unidade de tesouraria ou de caixa, constitui o estágio arrecadadas pela prefeitura do município XZR no
de realização da receita denominado: exercício de X1:
A) vinculação.
B) recolhimento.
C) apropriação.
D) arrecadação

17 COMPERVE Na elaboração e execução do


orçamento, tanto a previsão como a arrecadação das
receitas devem obedecer às fases previstas na Lei n°

112
orçamentária.

A segunda etapa, apresentada na figura como “XXX”,


corresponde
A) ao lançamento.
B) ao reconhecimento.
A receita de capital foi, em milhares de reais, C) à realização.
A) 1.520 D) à vinculação.
B) 1.580
C) 1.880 28 COMPERVE As receitas públicas, do ponto de vista
D) 2.280 orçamentário, podem ser classificadas como receitas
E) 3.330 orçamentárias e extraorçamentárias. Assinale a opção
correspondente a receitas extraorçamentárias.
23 FCC É uma receita patrimonial aquela originária A) valores registrados em depósitos administrativos e
A) do imposto sobre a propriedade predial e territorial judiciais
urbana.
B) receitas patrimoniais e agropecuárias
B) da prestação de serviços de telecomunicação.
C) receitas auferidas pela união em decorrência de
C) de dividendos recebidos.
atividade empresarial
D) de serviços recreativos e culturais.
D) receitas tributárias e de contribuições
E) de restituições de convênios.
E) impostos sobre patrimônio e renda
24 FCC O recebimento pelo Estado de valores inscritos
em dívida ativa corresponde a uma 29 COMPERVE A Receita Pública pelo Regime
A) redução de dívida fundada. Orçamentário tem o seu reconhecimento no estágio
B) receita extra-orçamentária. A) Previsão.
C) despesa extra-orçamentária. B) Arrecadação.
D) despesa orçamentária. C) Lançamento.
E) receita orçamentária. D) Recolhimento.
25 FCC Uma receita que pode ser considerada como de
30 COMPERVE As receitas orçamentárias são
capital é aquela oriunda
disponibilidades de recursos financeiros que
A) do recebimento de multas.
B) da amortização de empréstimos concedidos. ingressam durante o exercício orçamentário.
C) da arrecadação tributária. Instrumento por meio do qual se viabiliza a execução
D) da exploração do patrimônio público. das políticas públicas, as receitas são utilizadas pelo
E) de transferências para cobrir despesas correntes. Estado em programas e ações cuja finalidade precípua
é atender às necessidades públicas e demandas da
26 FCC É exemplo de receita de capital: sociedade. Acerca das receitas públicas, é correto
A) receita decorrente de prestação de serviços. afirmar:
B) receita industrial. A) A classificação orçamentária, por natureza, é formada
C) receita da venda de títulos da dívida pública.
por um código numérico de 6 dígitos que subdivide-se em 4
D) receita decorrente da exploração de atividade
níveis – categoria econômica, origem, grupo e elemento.
agropecuária.
E) receita de aluguéis, foros e laudêmios. B) A origem, segundo nível da codificação da receita
27 COMPERVE A figura a seguir representa, orçamentária, é um agregador de elementos com as
esquematicamente, as etapas da receita pública mesmas características quanto ao objeto.
C) A origem, segundo nível da codificação da receita
orçamentária, é utilizada para identificar a natureza da
procedência das receitas no momento em que ingressam
no orçamento público.
D) Para caracterizar-se como tal, a receita orçamentária
deve provocar variação na situação patrimonial líquida.

113
31 COMPERVE Para fins contábeis, quanto ao impacto contabilidade propriamente dita abordaremos com mais
na situação líquida patrimonial, a receita pode ser detalhes esse assunto.
“efetiva” ou “não-efetiva”. Esses dois tipos de receita
constituem, respectivamente, fatos contábeis Extra-Orçamentárias: representam a saída de recursos
A) modificativo aumentativo e modificativo aumentativo. financeiros transitórios, anteriormente registrados como
B) permutativo e permutativo. receita extra-orçamentária, são as despesas que não
C) modificativo aumentativo e permutativo. constam na lei orçamentária anual ou em créditos
D) permutativo e modificativo aumentativo. adicionais como, por exemplo: restituição de cauções,
pagamento de restos a pagar, resgate de ARO, etc.
32 COMPERVE No âmbito do orçamento público, as As despesas extra-orçamentárias não necessitam de
receitas podem ser categorizadas em correntes e de autorização orçamentárias para se efetivarem, pois não são
capital. De acordo com a Lei 4.320/64, entre as receitas propriedades dos órgãos piiblicos.
de capital estão
A) as operações de crédito e a alienação de bens. Características dos dispêndios orçamentários:
B) as tributárias e as operações de crédito. Registrados como despesa orçamentária corrente ou de
C) as tributárias e a patrimonial. capital;
D) as amortizações de empréstimos e serviços. Não são oriundos de ingressos extra-orçamentários;
São financiados pelas receitas Orçamentárias;
DESPESA PÚBLICA Passam pelos estágios da fixação, empenho, liquidação e
pagamento;
Seguem a classificação econômica;
CONCEITO: É o conjunto de dispêndios do Estado ou de
Necessitam de autorização em lei orçamentária.
outra pessoa jurídica de Direito Público a qualquer título,
para o funcionamento e manutenção dos serviços
Características dos dispêndios EXTRA-orçamentários:
prestados à sociedade.
Diminuem o passivo financeiro (depósitos de terceiros,
cauções em dinheiro, etc.);
CLASSIFICAÇÃO
São oriundos de ingressos extra-orçamentários;
Assim como ocorre com a receita, a despesa da Não são financiados pela receita orçamentária;
Administração pública possui diversas classificações, Não passam por estágios;
sendo as mais consagradas pela doutrina: Seguem a classificação contábil;
> Quanto à natureza; Não necessitam de autorização em lei orçamentária.
> Quanto à categoria econômica;
> Quanto à afetação patrimonial; TOME NOTA! A DESPESA, QUANTO À CATEGORIA
> Quanto à competência institucional; ECONÔMICA, SE CLASSIFICA EM: DESPESA
> Quanto à regularidade. CORRENTE E DESPESA DE CAPITAL.
Despesa Corrente: são as despesas que não contribuem,
diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de
TOME NOTA! A DESPESA, QUANTO À NATUREZA, SE
capital.São despesas destinadas a manutenção e ao
CLASSIFICA EM: ORÇAMENTÁRIA E EXTRA-
funcionamento dos serviços piblicos, esses recursos geram
ORÇAMENTÁRIA. diminuição no patrimônio.
Orçamentárias: são as despesas fixadas na lei
orçamentária anual ou na lei de créditos adicionais abertos Despesa de Capital: são as despesas que contribuem,
durante o exercício. Devem obedecer as fases da despesa: diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de
fixação, empenho, liquidação e pagamento. capital, ao contrário das despesas correntes geram
Em Atendimento ao artigo 35 da Lei 4320/64, a despesa acréscimo patrimonial resultante de mutação compensatória
orçamentária deverá ser reconhecida no exercício do bem.
financeiro em que for realizada, independentemente do
momento em que ocorrer seu pagamento, ou seja, a CLASSIFICAÇÃO DA DESPESA DE ACORDO COM A
despesa deve ser reconhecida pelo regime de competência LEI 4320/64
e não de caixa.
IMPORTANTE! O ARTIGO 12 DA LEI 4320/64
IMPORTANTE! Na contabilidade piiblica adota-se o regime CLASSIFICA A DESPESA NAS SEGUINTES
contábil misto: regime de caixa para a receita e de CATEGORIAS ECONÔMICAS:
competência para despesa.
DESPESAS CORRENTES
O regime de competência está previsto no artigo 35 da Lei
Despesas de Custeio.
432 0/64, como segue:
Transferências Correntes.
“Pertencem ao exercício financeiro: DE TRAN (macete para decorar)
1-...
II— as despesas nele legalmente empenhadas. “. DESPESAS DE CAPITAL
De acordo com o artigo citado, devem ser apropriadas Investimentos.
como despesa do exercício financeiro o valor empenhado Inversões Financeiras.
no exercício, este procedimento no final do exercício, tem Transferências de Capital.
como finalidade contemplar os restos a pagar não IN IN TRAN (macete para decorar)
processado. As despesas correntes se dividem em subcategorias
O regime de competência da despesa, assim como econômicas: despesas de custeio e transferências
acontece na receita, possui exceção, sendo a mais correntes
conhecida e cobrada em concursos a inscrição de resto a
pagar não processado. Quando entrarmos na parte da

114
Despesas de custeio: são as dotações destinadas a categoria econômica, grupo de despesa e modalidade de
manutenção de serviços anteriormente criados, inclusive aplicação.
para atender obras de conservação e adaptação de bens A classificação da despesa elaborada pela Secretaria do
imóveis, pagamento de serviços de terceiros, pagamento de Tesouro Nacional — STN, através da Portaria STN/SOF
pessoal e encargos, material de consumo, etc. 01/2011 ficou assim definida:

Transferências correntes: são as dotações para 3 — Despesas Correntes (categoria econômica)


despesas, as quais não corresponda contraprestação direta 1 - Pessoal e Encargos Sociais (grupo)
em bens ou serviços, tais como transferências de 2 — Juros e Encargos da Dívida (grupo)
assistência e previdência social, pagamento de salário 3 — Outras Despesas Correntes (grupo)
família, juros da dívida, incluindo as contribuições e
subvenções destinadas a atender a manutenção de outras 4 — Despesas de Capital (categoria econômica)
entidades de direito público ou privado. 4 — Investimentos (grupo)
5 — Inversões Financeiras (grupo)
As despesas de capital se dividem em: investimento, 6 — Amortização da Dívida (grupo)
inversões financeiras e transferência de capital.
Investimentos: são as dotações para o planejamento e a
execução de obras, inclusive as destinadas à aquisição de
imóveis, considerados necessários à realização destas
últimas, bem como para os programas especiais de
trabalho, aquisição de instalações, equipamento e material
permanente e a constituição ou o aumento de capital de
empresas que não sejam de caráter comercial ou
financeiro. No conceito econômico, as despesas de capital A.B.CD.EF. HH (codificação quanto a natureza)
classificadas como investimento geram serviços que
contribuem para o acréscimo ou incremento do Produto A = Categoria Econômica
Interno Bruto — PIB. 3 - Despesas Correntes
4 - Despesas de Capital
Inversões Financeiras: são as dotações destinadas à
aquisição de imóveis ou de bens de capital já em utilização, B = Grupo de Despesa
à obtenção de títulos representativos do capital de 1 -> Pessoal e Encargos Sociais
empresas ou entidades de qualquer espécie, já 2 -> Juros e Encargos da Dívida
constituídas, quando a operação não importe aumento de 3 -> Outras Despesas Correntes
capital; e, ainda, a constituição ou aumento de capital de 4 -> Investimentos
entidades ou empresas que visem objetivos comerciais ou 5 -> Inversões Financeiras
financeiros, inclusive operações bancárias ou de seguro. No 6 -> Amortizações da Divida
conceito econômico, as inversões financeiras não geram
serviço que contribuem para o acréscimo ou implemento do CD = Modalidade de Aplicação
Produto Interno Bruto — PIB. 15 -> Transferências Intragov. as entidades não integrantes
dos Orç. Fisc. e Seg Social
Transferência de Capital: são as dotações destinadas a 30 -> Transferências a Estados e ao DF.
investimento ou inversões financeiras que outras pessoas 40 -> Transferências a Municípios
de Direito Público ou Privado devam realizar, 90 -> Aplicações Diretas
independentemente de contraprestação direta em bens ou
serviços, constituindo essas transferências auxílios ou EF = Elementos de Despesa
contribuições, segundo derivam diretamente da lei de 01 -> Aposentadorias e Reformas
orçamento ou de lei especial anterior, bem como as 02 -> Pensões
dotações para amortização da dívida publica. 47 -> Obrigações tributárias e Contributivas
23 -> Juros, Deságios e Descontos da Dívida Mobiliária...
ATENÇÃO! Segundo a lei 4320/64 na Lei de orçamento a 30 -> Material de Consumo
discriminação da despesa far-se-á “no mínimo” por 61 -> Aquisição de Imóveis
elemento. 65 -> Constituição ou Aumento de Capital de Empresas

CLASSIFCAÇÃO DA DESPESA CONFORME PORTARIA “HH” — desdobramento ,facultativo, do elemento de


despesa.
STN/SOF 01/2011
Desta maneira, temos que só são possíveis as seguintes
A Portaria Interministerial STN/SOF 01/2011 define que combinações:
a classificação da despesa, segundo a sua natureza Despesas Correntes
compõe-se de: 3.1.00.00 - Pessoal e Encargos Sociais
3.2.00.00 - Juros e Encargos da Dívida
> Categoria econômica (dígito 3 para Despesas correntes e 3.3.00.00 - Outras Despesas Correntes
4 para Despesa de capital); Despesas de Capital
> Grupo de natureza da despesa (dígitos de 1 a 6); 4.4.00.00 - Investimentos
> Elemento de despesa (dígitos variam de 01 a 99). 4.5.00.00 - Inversões Financeiras
4.6.00.00 - Amortizações da Dívida Interna
ATENÇÃO, já foi tema de prova! Na LOA, a discriminação
da despesa, quanto à natureza, far-se-á, no mínimo, por

115
A - CATEGORIA ECONÔMICA ente da Federação e suas respectivas entidades, isto é, se
3- DESPESAS CORRENTES
foi feito transferência do crédito, e objetiva, precipuamente,
4- DESPESAS DE CAPITAL
possibilitar a eliminação de dupla contagem dos recursos
B - GRUPOS DE NATUREZA DE DESPESA transferidos ou descentralizados.
O grupo de despesas é a agregação de elementos de
despesa que apresentam as mesmas características quanto
ao objeto do gasto. D - ELEMENTOS DE DESPESA
O elemento de despesa tem por finalidade identificar os
1 - Pessoal e Encargos Sociais objetos de gasto, tais como vencimentos e vantagens
Despesas de natureza remuneratória decorrente do efetivo
fixas, juros, diárias, material de consumo, etc. A portaria
exercício de cargo, emprego ou função de confiança no
setor publico, do pagamento dos proventos de 163/01 traz um rol de 96 elementos como por exemplo:
aposentadorias, reformas e pensões, das obrigações 01 — Aposentadorias e Reformas;
trabalhistas de responsabilidade do empregador, incidentes 14 — Diárias — Civil;
sobre a folha de salários, contribuição a entidades fechadas
30 — Material de Consumo;
de previdência, outros benefícios assistenciais classificáveis
neste grupo de despesa, bem como soldo, gratificações, 61 — Aquisição de Imóveis;
adicionais e outros direitos remuneratórios, pertinentes a 91 — Sentenças Judiciais.
este grupo de despesa, previstos na estrutura
remuneratória dos militares, e ainda, despesas com o
ressarcimento de pessoal requisitado, despesas com a ATENÇÃO! A portaria 163/01 traz um rol exemplificativo,
contratação temporária para atender a necessidade de das naturezas de despesas, podendo ser ampliada para
excepcional interesse publico e despesas com contratos de atender as necessidades de execução de cada ente.
terceirização de mão-de-obra que se refiram à substituição
de servidores e empregados puíblicos, em atendimento ao
disposto no art. 18, § lo , da Lei Complementar no 101, de É IMPORTANTE! Saber o que cada dígito da codificação
2000; (ALTERADO CONFORME ART. 1° DA PORTARIA da despesa significa:
INTERMINISTERIAL N.° 519, DE 27/11/2001) 1° dígito = identifica a categoria econômica.
2° dígito = identifica o grupo de natureza de despesa.
2 - Juros e Encargos da Dívida
Despesas com o pagamento de juros, comissões e outros 3° e 4° dígitos = identifica a modalidade de aplicação.
encargos de operações de crédito internas e externas 5° e 6° dígitos = identifica o elemento de despesa (objeto
contratadas, bem como da dívida pública mobiliária. do gasto).
3 - Outras Despesas Correntes Exemplo, a natureza de despesa 3.3.90.30.00.
Despesas com aquisição de material de consumo,
pagamento de diárias, contribuições, subvenções, auxílio 1° dígito: 3 — categoria
Despesa Corrente
alimentação, auxílio-transporte, além de outras despesas econômica.
da categoria econômica “Despesas Correntes?! não Outras Despesas
2° dígito: 3 — grupo de despesa.
classificáveis nos demais grupos de natureza de despesa; Correntes
(ALTERADO CONFORME ART. 1° DA PORTARIA 3° e 4° dígitos: 90 — Modalidade
INTERMINISTERIAL N.° 519, DE 27/11/2001) de aplicação. Aplicações Diretas

4 - Investimentos 5° e 6° dígitos: 30 — Elemento


Material de Consumo
Despesas com o planejamento e a execução de obras, de despesa.
inclusive com a aquisição de imóveis considerados
necessários à realização destas últimas, e com a aquisição Segue a estrutura, conceitos e especificação da despesa
de instalações, equipamentos e material permanente. segundo a portaria 163/2001. Essa estrutura está adequada
ao SIAF e SIAFEM, devendo ser utilizada por estados e
5 - Inversões Financeiras municípios, com os ajustes necessários as suas
Despesas com a aquisição de imóveis ou bens de capital já peculiaridades.
em utilização; aquisição de títulos representativos do capital
de empresas ou entidades de qualquer espécie, já TOME NOTA! A DESPESA, QUANTO À AFETAÇÃO
constituídas, quando a operação não importe aumento do PATRIMONIAL, CLASSIFICA-SE EM: EFETIVAS OU NÃO
capital; e com a constituição ou aumento do capital de
EFETIVAS (POR MUTAÇÕES PATRIMONIAIS).
empresas.
Despesas Efetivas: são as despesas que alteram o
6 - Amortização da Dívida
Despesas com o pagamento e/ou refinanciamento do Patrimônio do Piblico, já que contribuem para o seu
principal e da atualização monetária ou cambial da dívida decréscimo, provocando um fato contábil modificativo
pública interna e externa, contratual ou mobiliária. diminutivo, sem a respectiva produção de mutação
patrimonial. As despesas correntes, regra geral, são
C - MODALIDADES DE APLICAÇÃO
despesas efetivas (pessoal, encargo sociais, juros,
A modalidade de aplicação, segundo a portaria, é uma aluguéis, etc.), como também a transferência de
informação gerencial, a qual tem a finalidade de indicar se recursos para serem aplicados em despesas de capital.
os recursos são aplicados diretamente por órgão ou
entidade no âmbito da mesma esfera de Governo ou outro
116
Despesas não efetivas: também conhecida como despesa despesas de capital são despesas não efetivas
por mutação patrimonial, são as despesas que não (investimentos, inversões financeiras, amortização da
provocam alteração no Patrimônio Público, já que possuem dívida, outras despesas de capital (excetuadas as citadas
como fundamento um fato contábil permutativo, como efetivas)), porém dentro das despesas correntes
constituindo-se em alterações compensatórias por meio de encontramos a aquisição de material permanente que
mutações nos elementos patrimoniais. Em regra, as também é uma despesa não efetiva.

TOME NOTA! A DESPESA, QUANTO À COMPETÊNCIA


INSTITUCIONAL, CLASSIFICA-SE EM: FEDERAL,
ESTADUAL E MUNICIPAL.

Federal: despesas de competência da União, visando


realizar gastos para atender serviços e encargos
demandados por dispositivo constitucional, pro leis ou
contratos. CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL: a classificação
institucional representa a estrutura organizacional e
Estadual: despesas de competência dos Estados, visando administrativa governamental e está estruturada em dois
realizar gastos para atender serviços e encargos níveis hierárquicos: órgão orçamentário e unidade
demandados por dispositivo legal. orçamentária. Esta classificação tem como finalidade
identificar qual o órgão ou unidade orçamentária em que
Município: despesas de competência dos Municípios, está consignada parte da despesa aprovada na LOA. Essa
visando realizar gastos para atender serviços e encargos classificação é representada por um código de cinco
demandados por dispositivo legal. dígitos: XX.XXX, onde os dois primeiros dígitos identificam
o órgão ou entidade e os três iltimos dígitos a unidade
TOME NOTA! A DESPESA, QUANTO À NATUREZA, SE orçamentária. Exemplo:
CLASSIFICA EM: ORDINÁRIA E EXTRA-ORDINÁRIA. AB.CDE

Ordinárias: sãs as despesas destinadas a manutenção AB - indicam o órgão


contínua dos serviços piiblicos e, por isso, se repetem em
todos os exercícios, exemplo: serviço de terceiro, material CDE - indicam a Unidade Orçamentária
de consumo, encargos, etc.
C - também faz a separação das Unidades Orçamentárias
Extraordinárias: são as despesa de caráter esporádico ou da Administração Direta e da Administração Indireta e dos
excepcional, provocadas por circunstâncias especiais e Fundos Especiais.
inconstantes e, por isso, não aparecem todos os anos nas
dotações orçamentárias, exemplo: guerra, comoção interna, 01.000— Câmara dos Deputados
enchentes, etc. 01.101 - Câmara dos Deputados
02.000 — Senado Federal
ALÉM DAS CLASSIFICAÇÕES CITADAS, EXISTEM 02.104 — Secretaria Especial de Editoração e Publicação
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES DAS QUAIS PODEMOS 12.000 — Justiça Federal
DESTACAR: 12.101 — Justiça Federal de 1 Grau.
20.000 – Poder Executivo
CLASSIFICAÇÃO POR ESFERA:
IMPORTANTE! A CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL,
segundo o Manual Técnico de Orçamento — MTO — 2015,
117
responde a indagação: “quem” é o responsável pela de funções e subfunções prefixadas, que serve como
programação? agregador dos gastos públicos por área de ação
governamental, nas três esferas.

O que é função e subfunção?


As funções que são representadas por um código de dois
dígitos (XX), e se identificam com a área de atuação de
cada um dos órgãos ou entidades do governo, representam
o maior nível de agregação das diversas áreas da despesa
que competem ao setor piiblico. Exemplo:

01 — Legislativa
04 - Administração
10—Saude
12— Educação
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL: A classificação funcional-
programática, para atender a nova concepção das As subfunções, cuja codificação é composta de três
atividades de planejamento, precisou ser reformulada, dígitos (XXX), são a grande novidade desta nova
passando a ser chamada simplesmente de funcional. classificação (funcional), representam um desdobramento
das funções e tem a finalidade de agregar determinado
subconjunto de despesas do setor público e identificar a
natureza básica das ações que se aglutinam em torno das
funções.
Exemplo:
031 — Ação legislativa;
301 — Atenção básica;

IMPORTANTE! A classificação funcional, segundo o


Manual Técnico de Orçamento — MTO — 2015, responde
a indagação: “em que” área de ação governamental a
despesa será realizada.

A classificação funcional está definida na portaria 42119/99-


MPOG e foi implantada a partir do ano de 2000 na União,
Estados e Distrito Federal e no ano de 2002 nos
municípios. Por ser de aplicabilidade obrigatória no âmbito
de todos os entes da federação a classificação funcional
permitirá a consolidação nacional dos gastos do setor
piblico.

A classificação funcional atual está estruturada em dois


níveis de agregação: FUNÇOES e SUBFUNÇOES, as
quais estão vinculadas em PROGRAMAS, que possuem
em sua estrutura PROJETOS, ATIVIDADES e
OPERAÇOES ESPECIAIS, reagrupados de acordo com o
critério de afinidade ou tipicidade.

A classificação funcional é de uso obrigatório para os


municípios e estados, para possibilitar e facilitar a
consolidação das contas nacionais. A codificação da
classificação funcional é composta de cinco dígitos,
sendo distribuídos da seguinte forma: XX = Função e XXX
= Subfunção. CLASSIFICAÇÃO POR PROGRAMAS
FG.HIJ. KLMN.OPQR.STUV A classificação por programas, também conhecida como
estrutura programática, passou a ser utilizada nas peças
FG - Função orçamentárias a partir do ano de 2000, em substituição à
HIJ - Subfunção classificação funcional-programática, até então existente.
KLMN - Programa A classificação programática está assim estruturada:
OPQR - Ação (projeto, atividade e operação especial) Programas: O programa, que possui a codificação de
STUV Subtítulo ou Localizador de Gasto (Subprojeto e quatro dígitos: XXXX, é o instrumento de organização
Subatividade) da atuação governamental que articula um conjunto de
ações que concorrem para um objetivo comum
ATENÇÃO! A classificação funcional é composta de um rol preestabelecido, mensurado por indicadores instituídos

118
no plano, visando à solução de um problema ou o Ações: As ações, que tem a codificação representada por
atendimento de determinada necessidade ou demanda quatro dígitos: XXXX, representam o desdobramento dos
da sociedade (Manual Técnico de Orçamento — MTO). programas.

IMPORTANTE! O programa é o módulo comum integrador As ações se classificam nas seguintes categorias:
entre o plano e o orçamento. a) Projetos: Instrumento de programação para atingir o
objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de
Os programas serão enquadrados nas seguintes categorias
operações limitadas no tempo, das quais resulta um
ou tipos:
produto que concorre para a expansão ou o
aperfeiçoamento da ação governamental.

b) Atividades: Instrumento de programação para alcançar


o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de
operações que se realizam de modo contínuo e
permanente, das quais resulta um produto necessário à
manutenção das ações de governo.

c) Operações especiais: São ações que não contribuem


para a manutenção das ações de governo, das quais não
resulta um produto e não geram contraprestação direta
sob a forma de bens ou serviços, representam
basicamente o detalhamento da função “Encargos
Especiais”, por exemplo: amortização e encargos,
aquisição de títulos, pagamento de sentenças judiciais,
transferências a fundo de participação, concessão de
empréstimos, ressarcimentos, indenizações, etc.

Subtítulos: As ações de governo (atividades, projetos e operações especiais) são desdobradas em subtítulos, utilizados
especialmente, para especificar a sua localização física, não podendo haver, por conseguinte, alteração da finalidade, do
produto e das metas estabelecidas. O subtítulo é composto de quatro dígitos: XXXX e representa o menor nível de categorias
de programação.

A classificação da despesa deve ser caracterizada de quatro formas:

Classificação Classificação Classificação Classificação


Institucional Funcional Programática Econômica
Natureza da
Órgão UO Função Subfunção Programa P/A/O
Despesa
xx xxx xx xxx xxxx xxxx xxxxxx

Formação do Código do Programa de Trabalho completo:


De acordo com a estrutura utilizada pelo Governo Federal, elaborada com base no SIOP, além das classificações estudadas
até o momento, incorporam outras a fim de gerenciar em rede o processamento das informações do ciclo orçamentário

119
adotado pela União.

ESTÁGIOS DA DESPESA É o correspondente à despesa com montante perfeitamente


Estágios da despesa são etapas que devem ser conhecido, cujo pagamento deva ser efetuado de uma só
observadas na realização da despesa pública. São vez, após sua regular liquidação.
estágios da despesa pública: Fixação, programação, 2) Empenho estimativo
licitação e contratação, o empenho, a liquidação e o É utilizado nos casos cujo montante da despesa não se
possa determinar, podendo o pagamento ser efetuado uma
pagamento.
única vez ou parceladamente. Por essa razão, estima-se
um valor e se estabelece um cronograma de pagamento.
O EMPENHO é o primeiro estágio da despesa pública. É
Os empenhos estimativos normalmente são aqueles
ato emanado de autoridade competente que cria, para o
utilizados para despesas tais como: energia elétrica,
Estado, obrigação de pagamento pendente, ou não, de
telefonia, água, imprensa oficial e outras para as quais não
implemento de condição. E a garantia de que existe o
se possa definir o valor exato da fatura.
crédito necessário para a liquidação de um compromisso
3) Empenho global
assumido. O empenho da despesa não poderá exceder o
É o utilizado para atender despesas contratuais e outras,
limite dos créditos concedidos. E vedada a realização de
sujeitas a parcelamento, cujo valor exato possa ser
despesa sem prévio empenho.
determinado. Exemplos: aluguéis, prestação de serviços
por terceiros etc.
A Nota de Empenho é o documento utilizado para registrar
A diferença entre o empenho estimativo e o global é que o
as operações que envolvem despesas orçamentárias
estimativo permite o reforço já o global não, tendo em vista
realizadas pela Administração Pública federal, ou seja, o
que no empenho global já se sabe o valor total da despesa
comprometimento de despesa, seu reforço ou anulação,
enquanto que no estimativo não.
indicando o nome do credor, a especificação e o valor da
despesa, bem como a dedução desse valor do saldo da
A IIQUIDACÃO é o segundo estágio da despesa pública. É
dotação própria.
o procedimento realizado sob a supervisão e
IPC! Não poderá ter despesa sem empenho, mas
responsabilidade do ordenador de despesas para verificar o
poderá sem nota de empenho, em casos especiais
direito adquirido pelo credor, ou seja, que a despesa foi
previsto na legislação específica.
regularmente empenhada e que a entrega do bem ou
serviço foi realizada de maneira satisfatória, tendo por base
Modalidades de Empenho
os títulos e os documentos comprobatórios da despesa.
1) Empenho ordinário
Essa verificação tem por fim apurar: a) a origem e o objeto
120
do que se deve pagar; b) a importância exata a pagar; e c) numerário e compreendida dentro do período fixado ara
a quem se deve pagar a importância, para extinguir a aplicação, em nome do órgão emissor do empenho.
obrigação. Não se concederá suprimento de fundos:
A Nota de Lancamento é o documento utilizado para  a responsável por dois suprimentos;
registrar a apropriação/liquidação de receitas e despesas,
bem como outros atos e fatos administrativos.  a servidor que tenha a seu cargo a guarda ou a
O PAGAMENTO é o último estágio da despesa pública. É utilização do material a adquirir, salvo quando não houver
quando se efetiva o pagamento ao ente responsável pela na repartição outro servidor;
prestação do serviço ou fornecimento do bem, recebendo a
devida quitação. Caracteriza-se pela emissão do cheque ou  a responsável por suprimento de fundos que, esgotado
ordem bancária em favor do credor, facultado o emprego de o prazo, não tenha prestado contas de sua aplicação; e
suprimento de fundos, em casos excepcionais. O
pagamento da despesa só será efetuado quando ordenado  O servidor declarado em alcance, entendido como tal o
após sua regular liquidação. que não prestou contas no prazo regulamentar ou o que
A Ordem Bancária é o documento utilizado para o teve suas contas recusadas ou impugnadas em virtude de
desvio, desfalque, falta ou má aplicação dos recursos
pagamento de compromissos, bem como à liberação de
recebidos.
recursos para fins de adiantamento (suprimento de fundos).
RESTOS A PAGAR
Os restos a pagar constituem compromissos financeiros
exigíveis que compõem a dívida flutuante e podem ser
caracterizados como as despesas empenhadas, mas não
pagas até o dia 31 de dezembro de cada exercício
financeiro. A Inscrição em Restos a Pagar decorre da
observância do Regime de Competência para as despesas.
SUPRIMENTO DE FUNDOS
PAGAMENTO DOS RESTOS A PAGAR
O regime de adiantamento, suprimento de fundos, é Em se tratando de pagamento de despesa inscrita em
aplicável aos casos de despesas expressamente definidas Restos a Pagar, pelo valor estimado, poderão ocorrer duas
em lei com a finalidade de realizar despesas que pela situações:
excepcionalidade, a critério do Ordenador de Despesa e a) o valor real a ser pago é superior ao valor inscrito. Nessa
sob sua inteira responsabilidade, não possam subordinar-se condição, a diferença deverá ser empenhada à conta de
ao processo normal de aplicação, nos seguintes casos: despesas de exercícios anteriores;
b) o valor real é inferior ao valor inscrito. O saldo existente
• para atender despesas eventuais, inclusive em viagem e deverá ser cancelado.
com serviços especiais, que exijam pronto pagamento em O órgão competente para exercer o controle e disciplinar o
espécie; tratamento de Restos a Pagar é a Secretaria do Tesouro
Nacional.
• quando a despesa deva ser feita em caráter sigiloso,
conforme se classificar em regulamento; e DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES (DEA)
São as despesas relativas a exercícios encerrados, para as
• para atender despesas de pequeno vulto, assim quais o orçamento respectivo consignava crédito próprio,
entendidas aquelas cujo valor, em cada caso, não com dotação suficiente para atendê-las, mas que não se
ultrapassar limite estabelecido em Portaria do Ministro da tenham processado na época própria, bem como os restos
Fazenda. a pagar com prescrição interrompida e os compromissos
reconhecidos após o encerramento do exercício
correspondente. Poderão ser pagos, à conta de dotação
A concessão de suprimento de fundos deverá respeitar os
específica consignada no orçamento, discriminada por
estágios da despesa pública: empenho, liquidação e
elemento, obedecida, sempre que possível, a ordem
pagamento.
cronológica. (art. 37, Lei nº4.320, de 17 de março de 1964).

É vedada a aquisição de material permanente por QUESTÕES DE REVISÃO E FIXAÇÃO


suprimento de fundos.
01 COMPERVE Ao realizar o controle de custos de uma
O servidor que receber Suprimento de Fundos é obrigado a instituição de federal de ensino superior, o
prestar contas de sua aplicação, procedendo-se, administrador pode se utilizar da classificação dos
automaticamente, à tomada de contas se não o fizer no gastos públicos, que divide as despesas em dois
prazo assinalado pelo Ordenador de Despesa, sem prejuízo principais grupos: despesas de capital e despesas
das providências administrativas para apuração das correntes, incluindo-se, nessa última classe,
responsabilidades. A) pessoal, encargos sociais e juros da dívida.
B) encargos da dívida, custeio e inversões financeiras.
A importância aplicada até 31 de dezembro será C) consultorias, transferências e amortização da dívida.
comprovada até 15 de janeiro seguinte. D) juros da dívida, investimentos e reserva de contingência.

A comprovação das despesas realizadas deverá estar 02 COMPERVE No orçamento público, as despesas de
devidamente atestada por outro servidor que tenha custeio e transferências correntes são classificadas
conhecimento das condições em que estas foram como despesas correntes. São despesas correntes
efetuadas, em comprovante original cuja emissão tenha A) aquisição de imóveis.
ocorrido em data igual ou posterior a de entrega do
121
B) pagamento de inativos. D) Efetiva, pois, no momento de sua realização, não
C) aquisição de equipamentos. provoca mudança quantitativa no patrimônio público.
D) pagamento de encargos diversos. 09 COMPERVE De acordo com a Lei no 4.320/64, a
QUESTÃO ANULADA aquisição de um terreno para a construção de uma
03 COMPERVE As despesas públicas são organizadas Unidade Básica de Saúde é classificada, na entidade
no orçamento, segundo a classificação, em despesa pública que adquiriu o imóvel, como
corrente e despesa de capital. São exemplos de
A) inversão financeira.
despesas correntes:
B) despesa de custeio.
A) despesas com o pagamento do funcionalismo público.
B) despesas com o planejamento e execução de obras. C) investimento.
C) despesas com aquisição de imóveis. D) outras despesas correntes.
D) despesas com o pagamento da dívida pública.
10 COMPERVE A classificação da despesa
04 COMPERVE Classificam-se como despesas de orçamentária, segundo sua natureza, compõe-se de
custeio as dotações para categoria econômica, grupo de natureza da despesa e
A) aquisição de materiais de consumo e bens permanentes elemento de despesa. A modalidade de aplicação, por
previstos no orçamento, com discriminação da despesa por sua vez, indica se os recursos são aplicados
elementos, em cada unidade administrativa ou órgão. diretamente por órgãos ou entidades no âmbito da
B) contraprestação direta em bens ou serviços, inclusive
mesma esfera de governo ou por outro ente da
contribuições e subvenções destinadas a atender a
federação e suas entidades.
manifestação de outras entidades de direito público.
C) execução de obras civis e investimentos planejados
anteriormente, inclusive aquisição de instalações,
equipamentos e material permanente.
D) manutenção de serviços anteriormente criados, inclusive
as destinadas a atender a obras de conservação e
adaptação de bens imóveis.

05 COMPERVE O superávit do Orçamento Corrente é O quadro acima apresenta exemplos de:


considerado uma receita A) espécies de categoria econômica.
A) patrimonial. B) financeira. C) de capital. D) de terceiro. B) grupos de natureza da despesa.
C) elementos de despesa.
06 COMPERVE Segundo o critério da categoria
D) modalidades de aplicação.
econômica, as despesas podem ser classificadas em
despesas correntes e despesas de capital. São
exemplos de des pesas correntes: 11 COMPERVE A despesa orçamentária é o fluxo que
A) despesas com pagamento de juros, comissões e deriva da utilização de crédito consignado no
encargos da dívida pública interna e externa. orçamento da entidade. A despesa orçamentária,
B) despesas com planejamento e execução de obras, bem quando realizada,
como aquisição de bens imóveis. A) pode ou não diminuir a situação líquida patrimonial.
C) despesas com aquisição de títulos ou aumento do capital B) sempre reduz a situação líquida patrimonial.
da empresa, bem como concessão de empréstimos. C) para fins contábeis classifica-se em corrente e efetiva.
D) despesas com pagamento da dívida pública e sua D) para fins orçamentários classifica-se em corrente e não-
atualização monetária ou cambial.
efetiva.
07 COMPERVE São alguns dos procedimentos
fundamentais para a execução da Lei Orçamentária 12 COMPERVE Uma universidade pública está
(LOA): ampliando sua oferta de cursos na área de saúde. Para
A) cronograma de desembolso, licitação, empenho, tanto, foi necessário adquirir novos equipamentos a
liquidação e pagamento. um valor monetário de R$ 150.000,00. Essa
B) elaboração de plano, projeto, atividade, liquidação e aquisição deve ser classificada como
pagamento. A) despesa.
C) definição do problema, objetivos do programa, plano de B) investimento.
ação, estratégias e indicadores. C) custo.
D) cenário fiscal, definição de prioridades, publicação da lei D) receita.
e execução do orçamento .
13 COMPERVE Com vistas ao planejamento de
08 COMPERVE As transferências de capital da União ações, à administração de sua execução e ao
para os municípios são consideradas na União como controle dos gastos, a legislação brasileira
Despesa Orçamentária estabeleceu a classificação das despesas públicas
A) Efetiva, pois, no momento de sua realização, reduz a conforme sua
situação líquida patrimonial.
A) natureza, unidade orçamentária e unidade federativa a
B) Não Efetiva, pois, no momento de sua realização,
que se destina.
constitui fato contábil permutativo.
C) Não Efetiva, pois, no momento de seu pagamento, B) natureza, finalidade e unidade federativa a que se
constitui fato contábil permutativo. destina.
C) finalidade, natureza e o órgão responsável.

122
D) unidade orçamentária, finalidade e o órgão responsável. 17 COMPERVE

Estão corretas as afirmativas presentes nos itens


A)I e II
B)I e III
C)II e IV
D)III e IV

18 COMPERVE

14 COMPERVE De acordo com a tabela 1, do total de


gastos realizados pelo Ministério da Educação no
Hospital Universitário Alfa em 2011, o valor
correspondente a despesas de capital em relação ao
total de gastos do ano equivale a
A) 89,83%.
B) 47,19%.
C) 10,51%.
D) 10,17%
Estão corretas as afirmativas presentes nos itens
15 COMPERVE Observando os dados contidos na A) I e II
tabela 1 e considerando apenas o critério da B) II e IV
C) I e III
classificação uncional das despesas públicas, é
D)III e IV
correto afirmar que foram gastos mais de
A) R$ 28 milhões com educação no referido hospital. 19 COMPERVE Atualmente, as organizações públicas
B) R$ 28 milhões com despesas correntes. federais dispõem de um sistema de informações que
C) R$ 2,8 milhões com despesas de capital. consiste no principal instrumento utilizado para
D) R$ 2,8 milhões com investimentos. registro, acompanhamento e controle da execução
orçamentária, financeira e patrimonial. Esse sistema é
denominado de
16 COMPERVE O chefe do departamento de Ciências
A) SIOP.
Naturais da Universidade Gama solicitou ao setor B) SIDOR.
financeiro que providenciasse a reserva R$ C) SPOF.
435.000,00 de parte da dotação orçamentária para D) SIAFI.
aquisição de um microscópio digital de ultra
20 COMPERVE A classificação da despesa
precisão. Imediatamente após atender e registrar o
orçamentária, segundo a sua natureza, compõe-se de
pedido, consultou o sistema orçamentário. categoria econômica, grupo de natureza da despesa,
Considerando que o registro foi realizado modalidade de aplicação e elemento de despesa. As
corretamente e que não houve nenhuma outra categorias do grupo de natureza da despesa são:
alteração no sistema, o setor financeiro constatará A) pessoal e encargos sociais; juros e encargos da dívida;
despesas financeiras; investimentos; inversões financeiras;
um aumento de igual valor no saldo das despesas
amortização da dívida.
A) pagas
B) pessoal e encargos sociais; juros e encargos da dívida;
B) liquidadas outras despesas correntes; investimentos; inversões
C) empenhadas financeiras; amortização da dívida.
D) amortizadas
123
C) despesas correntes; despesas financeiras; outras B) É vedada a realização de operações de créditos que
despesas correntes; investimentos; inversões financeiras; excedam o montante das despesas de capital, ressalvadas
amortização da dívida. as autorizadas, mediante créditos suplementares ou
D) despesas correntes; juros e encargos da dívida; outras especiais, com finalidade precisa, aprovados pelo Poder
despesas correntes; despesa de capital; investimentos; Legislativo por maioria simples .
amortização da dívida. C) É vedada a realização de operações de créditos que
excedam o montante das despesas de capital, ressalvadas
21 COMPERVE A respeito da classificação da despesa as autorizadas, mediante créditos suplementares ou
orçamentária, é correto afirmar: especiais, com finalidade precisa, aprovados pelo Poder
A) O conjunto de informações que constitui a natureza de Legislativo por maioria absoluta .
despesa orçamentária forma um código estruturado que D) É vedada a realização de despesas de capital que
agrega a categoria econômica, o grupo, a modalidade de excedam o montante das operações de créditos,
aplicação e o elemento. ressalvadas as autorizadas, mediante créditos
B) A classificação orçamentária da despesa inclui os grupos suplementares ou especiais, com finalidade precisa,
"Pessoal e Encargos Sociais", "Juros e Encargos da Dívida" aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta.
“Despesas Financeiras”, “Investimentos” e de “alienação de
bens”. 26 COMPERVE Classificam-se como despesas de
C) Os itens "Pessoal e Encargos Sociais", "Juros e custeio as dotações para
Encargos da Dívida" e "Outras Despesas Correntes" fazem A) aquisição de materiais de consumo e bens permanentes
parte da classificação da despesa por elementos. previstos no orçamento, com discriminação da despesa por
D) A classificação da despesa orçamentária, por categorias elementos, em cada unidade administrativa ou órgão.
econômicas, divide as despesas públicas em originárias e B) contraprestação direta em bens ou serviços, inclusive
derivadas. contribuições e subvenções destinadas a atender a
manifestação de outras entidades de direito público.
22 COMPERVE Tem por finalidade indicar se os C) execução de obras civis e investimentos planejados
recursos são aplicados diretamente por órgãos ou anteriormente, inclusive aquisição de instalações,
entidades no âmbito da mesma esfera de Governo ou equipamentos e material permanente.
por outro ente da Federação e suas respectivas D) manutenção de serviços anteriormente criados, inclusive
entidades. Indica se os recursos serão aplicados as destinadas a atender a obras de conservação e
diretamente pela unidade detentora do crédito ou adaptação de bens imóveis.
mediante transferência para entidades públicas ou
privadas e permite a eliminação de dupla contagem no 27 COMPERVE Na Contabilidade Aplicada ao Setor
orçamento. Público, o 13° salário, a ser pago no final do ano, deve
O conceito acima descrito refere-se a: ser reconhecido a cada mês trabalhado, mas o
A) transferência de capital. empenho, a liquidação e o pagamento da despesa
B) transferência corrente. orçamentária só acontecerão no mês do pagamento.
C) modalidade de aplicação. Sendo assim, o reconhecimento mensal do 13º salário
D) grupo de natureza da despesa. devido caracteriza uma variação patrimonial
A) quantitativa diminutiva.
23 COMPERVE Para a classificação da despesa quanto B) quantitativa aumentativa.
à sua natureza deve ser analisada a categoria C) qualitativa diminutiva.
econômica, o grupo ao qual pertence, a modalidade de D) qualitativa aumentativa.
aplicação e o objeto de gasto. Quanto à modalidade de
aplicação, pode ser classificada como despesa 28 COMPERVE A prefeitura de uma capital nordestina
A) direta ou por transferência. elaborou o Plano Plurianual 2014-2017 cuja previsão de
B) corrente ou de capital. recursos disponíveis é apresentada no quadro a seguir:
C) com pessoal, encargos sociais ou da dívida.
D) com investimentos, inversões financeiras ou amortização
de dívida.
E) de custeio, transferências correntes, investimentos ou
transferências de capital.

24 COMPERVE Os gastos de custeio e de manutenção


das atividades dos órgãos da administração pública
são classificados como
A) Gasto Nominal.
B) Despesas Correntes.
C) Despesas de Capital.
D) Despesas Financeiras.
E) Necessidades de Financiamento do Setor Público.

25 COMPERVE Em relação à Regra de Ouro na


Administração Pública, tendo em vista o que estabelece
o artigo 167, inciso III da Constituição Federal, é correto
afirmar:
A) É vedada a realização de operações de créditos que
excedam o montante das despesas de capital.

124
Uma vez que a prefeitura pretende realizar alguns 32 COMPERVE Na Prefeitura Municipal de
gastos ainda nessa gestão, ela deve considerar que “ANTICORRUPÇÃO”, durante o exercício financeiro de
A) as despesas de funcionamento de uma unidade de 2013, já encerrado, foram registrados os seguintes
pronto atendimento (UPA) a ser construída no período de eventos:
2016 a 2017 estariam limitadas a um pouco menos de R$
180 milhões, conforme orçamento da rubrica manutenção.
B) a construção de um viaduto iniciada em Agosto de 2015
e que terminará em Dezembro de 2016 deve estar
contemplada em algum dos programas desse PPA, para os
quais estão previstos recursos correspondentes a quase R$
5 trilhões.
C) haverá uma quantia de mais de R$ 9 trilhões disponível
para as despesas de capital a serem realizados no Considerando o regime de competência, será
reconhecido como despesa orçamentária do exercício
quadriênio, somadas às outras despesas delas decorrentes.
financeiro de 2013 o valor de
D) estão disponíveis para os investimentos do período do
atual mandatário a quantia correspondente a um pouco A) R$ 79.000,00. C) R$ 62.000,00.
mais de R$ 4,9 trilhões, que estarão reservados e B) R$ 17.000,00. D) R$ 30.000,00.
vinculados aos gastos a serem realizados até o final de seu
atual mandato, uma vez que o próximo prefeito deverá 33 COMPERVE "É aquele emitido para determinado
credor e relativo a uma prestação, de valor indivisível.
apresentar um novo PPA que contemple seu plano de
Refere-se a um determinado fornecimento de material, à
governo.
prestação de um certo serviço ou à execução de uma
29 COMPERVE Acerca das receitas e despesas obra". Segundo Angélico (2006), a modalidade de
constantes do orçamento público, bem como suas empenho a que o texto se refere é:
classificações, assinale a opção correta. a) Subempenho
A) A administração pública, ao fazer investimento com a b) Empenho-global
obtenção de títulos representativos de participação no c) Empenho-ordinário
capital social de outras entidades em funcionamento, d) Empenho-estimativa
deverá classificar o gasto como despesas de capital —
34 COMPERVE - A verificação do direito adquirido pelo
inversões financeiras.
B) Todas as despesas, sejam elas classificadas como credor, tendo por base títulos e documentos
comprobatórios do respectivo crédito é o estágio da
orçamentárias ou extraorçamentárias, demandam
despesa denominado
autorização legislativa para serem realizadas.
C) No orçamento federal, o pagamento dos juros pela a) Execução.
rolagem da dívida pública e as parcelas de amortização do b) Liquidação.
principal da dívida são classificados como despesas de c) Empenho.
capital, na modalidade transferência de capital. d) Programação.
D) A entrega de um conjunto habitacional para moradia
popular indica, na previsão orçamentária, o aumento da 35 COMPERVE - No setor público, o regime
receita corrente de contribuições, advinda da expectativa de orçamentário reconhece a despesa orçamentária no
aumento da arrecadação da taxa de limpeza pública. exercício financeiro
E) A receita de dívida ativa proveniente da inclusão do a) da emissão do empenho e a receita orçamentária pela
nome de contribuintes que não efetuam o pagamento de arrecadação.
seus impostos até o final do exercício financeiro deve ser b) em que ocorreu seu fato gerador e a receita
classificada, pela administração pública, como receita orçamentária pelo recolhimento.
corrente tributária. c) em que ocorreu seu fato gerador, o mesmo ocorrendo
com a receita orçamentária.
30 COMPERVE Receitas extraorçamentárias são d) da liquidação e a receita orçamentária pela arrecadação.
ingressos financeiros de caráter temporário que não
integram a Lei Orçamentária Anual. O Estado é mero 36 COMPERVE Considere as seguintes afirmativas, que
depositário desses recursos, que constituem passivos se referem ao estágio da liquidação da despesa:
exigíveis e cujas restituições não se sujeitam à
autorização legislativa. É exemplo de receita
extraorçamentária:
A) operações de crédito.
B) amortização de empréstimos concedidos.
C) entradas compensatórias no ativo e passivo financeiros.
D) doação recebida

31 COMPERVE Para fins contábeis, quanto ao impacto


na situação líquida patrimonial, a receita pode ser
“efetiva” ou “não-efetiva”, São exemplos,
respectivamente, de receita efetiva e receita não efetiva,
a receita
A) patrimonial e de recebimento de dívida ativa.
B) agropecuária e patrimonial.
C) de serviços e de contribuições. Estão corretas as afirmativas
D) industrial e transferências correntes. A) I, II e IV. B) I, II e III. C) I e III apenas. D) II e IV apenas.

125
37 COMPERVE Dentre os estágios da despesa, é A) cronograma de desembolso, licitação, empenho,
correto afirmar: liquidação e pagamento.
A) Existem quatro modalidades de empenho: ordinário, B) elaboração de plano, projeto, atividade, liquidação e
global, por estimativa e por nota de empenho. pagamento.
B) Empenho consiste na verificação do direito adquirido C) definição do problema, objetivos do programa, plano de
pelo credor, tomando-se por base os títulos e documentos ação, estratégias e indicadores.
que comprovam o respectivo crédito. D) cenário fiscal, definição de prioridades, publicação da lei
C) Existem duas modalidades de empenho: ordem de e execução do orçamento .
pagamento e nota de empenho.
D) Empenho é o ato emanado de autoridade competente 42 COMPERVE Dentre os estágios da despesa, é
que cria para o Estado obrigação de pagamento, pendente correto afirmar:
ou não de implementação de condição. A) Existem quatro modalidades de empenho: ordinário,
global, por estimativa e por nota de empenho.
38 COMPERVE Após a conclusão do processo B) Empenho consiste na verificação do direito adquirido
licitatório, o responsável pela ordenação da despesa pelo credor, tomando-se por base os títulos e documentos
necessita executar os três estágios clássicos da que comprovam o respectivo crédito.
despesa: o empenho, a liquidação e o pagamento. C) Existem duas modalidades de empenho: ordem de
Dentro desse processo, ocorre a inscrição da pagamento e nota de empenho.
respectiva dotação em restos a pagar D) Empenho é o ato emanado de autoridade competente
A) quando, durante o exercício, a despesa é empenhada, que cria para o Estado obrigação de pagamento, pendente
mas o pagamento será realizado em parcelas no mesmo ou não de implementação de condição.
exercício.
B) quando, ao final do exercício, a despesa é empenhada, 43 COMPERVE Dentre os estágios da despesa, é
mas ainda não foi paga, facultando ao gestor continuar correto afirmar:
realizando a despesas no exercício seguinte. A) Existem quatro modalidades de empenho: ordinário,
C) quando a emissão de uma ordem de pagamento é global, por estimativa e por nota de empenho.
realizada no início do exercício, mas a liquidação ocorre B) Empenho consiste na verificação do direito adquirido
somente no exercício seguinte. pelo credor, tomando-se por base os títulos e documentos
D) quando o reconhecimento de que os bens e serviços que comprovam o respectivo crédito.
adquiridos estão em desconformidade com o contrato, C) Existem duas modalidades de empenho: ordem de
devendo o empenho ser realizado até o final do exercício. pagamento e nota de empenho.
D) Empenho é o ato emanado de autoridade competente
39 COMPERVE As despesas que poderão ser pagas à que cria para o Estado obrigação de pagamento, pendente
conta de dotação específica consignada no orçamento ou não de implementação de condição.
como despesas de exercícios anteriores são:
A) os restos a pagar reconhecidos no encerramento do 32 COMPERVE No final de um determinado exercício, o
exercício correspondente. Órgão Administrativo apurou o Balanço Orçamentário e
B) as despesas de exercícios encerrados, para as quais o Financeiro, cuja identificação de algumas contas se
orçamento respectivo consignava crédito próprio, com saldo encontra abaixo. Considere que a despesa do exercício
suficiente para atendê-las, que não se tenham processado apresenta a seguinte situação:
na época própria.  Fixada R$ 200.000
C) as despesas de exercícios encerrados, para as quais o  Economia orçamentária R$ 50.000
orçamento respectivo não consignava crédito próprio, com  Liquidada R$ 125.000
saldo suficiente para atendê-las, que se tenham processado  Paga R$ 80.000
na época própria.
D) os restos a pagar reconhecidos após o encerramento do
Os restos a pagar não processados têm valor de
exercício correspondente.
A) 75.000. B) 45.000. C) 25.000. D) 120.000.
40 COMPERVE As despesas que poderão ser pagas à
conta de dotação específica consignada no orçamento 33 COMPERVE Considere as seguintes afirmativas a
como despesas de exercícios anteriores são: respeito de restos a pagar:
A) os restos a pagar reconhecidos no encerramento do
exercício correspondente.
B) as despesas de exercícios encerrados, para as quais o
orçamento respectivo consignava crédito próprio, com saldo
suficiente para atendê-las, que não se tenham processado
na época própria.
C) as despesas de exercícios encerrados, para as quais o
orçamento respectivo não consignava crédito próprio, com
saldo suficiente para atendê-las, que se tenham processado
na época própria.
D) os restos a pagar reconhecidos após o encerramento do
exercício correspondente.

41 COMPERVE São alguns dos procedimentos


fundamentais para a execução da Lei Orçamentária
(LOA):
Estão corretas as afirmações

126
A) II, III e V. utilizando-se de superávit financeiro apurado em
B) I, II, e IV. balanço patrimonial do exercício anterior, conforme
C) I, IV e V. disposto no §1º do art. 43, da Lei 4.320/1964. O
D) II, III e IV. programa de reforma da escola municipal Joaquim
Teixeira tinha orçado as seguintes despesas correntes
38 COMPERVE As despesas orçamentárias e de capital: serviço de consultoria, outros serviços de
empenhadas e não pagas até o final do exercício serão terceiros - pessoa jurídica, material de consumo. Neste
inscritas em Restos a Pagar, passando a constituir caso, a escola irá precisar orçar despesas com
A) o déficit financeiro. passagens e despesas com locomoção, que deverão
B) o saldo orçamentário. ser classificadas como crédito adicional do tipo:
C) a dívida flutuante. A) crédito especial.
D) a renúncia onerosa. B) crédito extraordinário.
C) crédito suplementar.
39 COMPERVE Conforme o Art. 36 da Lei 4.320/64, D) crédito vinculado
consideram-se Restos a Pagar as despesas
empenhadas mas não pagas até o dia 31 de dezembro, 44 COMPERVE As etapas da despesa orçamentária
distinguindo-se as processadas das não processadas.
compreendem etapas de planejamento e execução.
Considere que durante determinado período uma
Cada etapa é subdividida em estágios. Na execução, as
prefeitura empenhou R$15.000,00 de despesas, sendo
liquidadas R$ 10.000,00 e pagas apenas R$ 8.000,00. despesas passam pelos estágios de empenho,
Sobre restos a pagar, é correto afirmar: liquidação e pagamento. Caso uma prefeitura tenha um
A) Restos a pagar (processados e não processados) compromisso decorrente de aluguel, seu empenho
somam R$ 7.000,00. deverá ser na forma de
B) Restos a pagar processados somam R$ 5.000,00. A) empenho ordinário.
C) Restos a pagar não processados somam R$ 7.000,00. B) empenho estimativo.
D) Restos a pagar (processados e não processados) C) empenho global.
somam R$ 5.000,00. D) empenho vinculado.

40 COMPERVE A classificação da despesa pública, 45 COMPERVE Sobre empenho, afirma-se:


segundo a sua natureza, compõe -se de
A) programação da despesa, emissão de empenho e
provisão ou pagamento.
B) empenho, liquidação e pagamento.
C) elemento de despesa, classificação funcional e
programação.
D) categoria econômica, grupo de natureza da despesa e
elemento de despesa. Das afirmativas, estão corretas
A) I, II e III.
41 COMPERVE Uma prefeitura precisou adquirir uma B) apenas I e II.
placa de memória para substituição em um C) apenas I e III.
computador. Porém, essa placa possui uma maior D) apenas II e III.
capacidade do que a anterior. Sabendo que, para a
classificação da despesa, devem ser observados
46 COMPERVE. A despesa pública é o conjunto de
alguns parâmetros que distinguem esses materiais
dispêndios realizados pelos entes públicos para o
(durabilidade, fragilidade, perecibilidade,
incorporabilidade e transformabilidade), a despesa funcionamento e a manutenção dos serviços públicos
orçamentária com a troca da placa deve ser classificada prestados à sociedade. Os dispêndios, assim como os
quanto à categoria econômica, grupo de natureza e ingressos, são tipificados em orçamentários e
elemento de despesa, respectivamente, como extraorçamentários. Em uma de suas classificações, as
A) Despesa Corrente – Outras despesas correntes – despesas públicas são agrupadas em despesas
Material de Consumo. correntes e despesas de capital. Essa classificação é
B) Despesa de Capital – Investimento – Material de realizada por
Consumo. A) definição institucional.
C) Despesa de Capital – Investimento – Equipamento e
B) estrutura programática.
Material Permanente.
D) Despesa Corrente – Outras C) divisão funcional.
D) categoria econômica.
42 COMPERVE Para fins contábeis, as despesas
orçamentárias podem ser classificadas , quanto ao 47 COMPERVE O Plano Plurianual (PPA) é um
impacto na situação líquida patrimonial em: despesa instrumento de planejamento governamental que define
orçamentária efetiva e despesa orçamentária não-
estratégias, objetivos e metas da administração pública
efetiva. Das despesas abaixo, as classificadas como
efetivas são: federal para determinadas despesas. O Governo
A) despesas com adiantamento. Federal estabeleceu iniciativas para o PPA 2016-2019,
B) despesas com materiais para estoque. como as que constam do quadro abaixo, pertencentes a
C) despesas de transferência de capital. diversos programas temáticos.
D) despesas de obras e instalações.
43 COMPERVE A Prefeitura de Mauá precisa fazer um
ajuste no orçamento de determinado programa,

127
§ 2o As disposições desta Lei Complementar
obrigam a União, os Estados, o Distrito Federal e os
Municípios.
§ 3o Nas referências:
I - à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos
Municípios, estão compreendidos:
a) o Poder Executivo, o Poder Legislativo, neste
abrangidos os Tribunais de Contas, o Poder Judiciário e o
Ministério Público;
Dessas iniciativas, as que estão diretamente relacionadas à b) as respectivas administrações diretas, fundos,
geração de despesas de capital são autarquias, fundações e empresas estatais dependentes;
A) I e III. II - a Estados entende-se considerado o Distrito
B) I e II. Federal;
C) III e IV. III - a Tribunais de Contas estão incluídos: Tribunal de
D) II e IV Contas da União, Tribunal de Contas do Estado e, quando
houver, Tribunal de Contas dos Municípios e Tribunal de
Presidência da República Contas do Município.
Casa Civil Art. 2o Para os efeitos desta Lei Complementar,
Subchefia para Assuntos Jurídicos entende-se como:
LEI COMPLEMENTAR Nº 101, DE 4 DE MAIO DE 2000. I - ente da Federação: a União, cada Estado, o
Estabelece normas de Distrito Federal e cada Município;
finanças públicas voltadas II - empresa controlada: sociedade cuja maioria do
para a responsabilidade na capital social com direito a voto pertença, direta ou
gestão fiscal e dá outras indiretamente, a ente da Federação;
providências. III - empresa estatal dependente: empresa
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o controlada que receba do ente controlador recursos
Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei financeiros para pagamento de despesas com pessoal ou
Complementar: de custeio em geral ou de capital, excluídos, no último caso,
CAPÍTULO I aqueles provenientes de aumento de participação acionária;
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES IV - receita corrente líquida: somatório das receitas
Art. 1o Esta Lei Complementar estabelece normas de tributárias, de contribuições, patrimoniais, industriais,
finanças públicas voltadas para a responsabilidade na agropecuárias, de serviços, transferências correntes e
gestão fiscal, com amparo no Capítulo II do Título VI da outras receitas também correntes, deduzidos:
Constituição. a) na União, os valores transferidos aos Estados e
§ 1o A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe Municípios por determinação constitucional ou legal, e
a ação planejada e transparente, em que se previnem as contribuições mencionadas na art. 239 da
riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio Constituição;
das contas públicas, mediante o cumprimento de metas Art. 239. A arrecadação decorrente das contribuições para
de resultados entre receitas e despesas e a obediência o Programa de Integração Social, criado pela Lei
a limites e condições no que tange a renúncia de Complementar nº 7, de 7 de setembro de 1970, e para o
receita, geração de despesas com pessoal, da Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público,
seguridade social e outras, dívidas consolidada e criado pela Lei Complementar nº 8, de 3 de dezembro de
mobiliária, operações de crédito, inclusive por 1970, passa, a partir da promulgação desta Constituição, a
antecipação de receita, concessão de garantia e financiar, nos termos que a lei dispuser, o programa do
inscrição em Restos a Pagar. seguro
desemprego e o abono de que trata o § 3º deste
DÍVIDA PÚBLICA CONSOLIDADA OU FUNDADA: artigo. (Regulamento)
montante total, apurado sem duplicidade, das obrigações b) nos Estados, as parcelas entregues aos
financeiras do ente da Federação, assumidas em virtude de Municípios por determinação constitucional;
leis, contratos, convênios ou tratados e da realização de c) na União, nos Estados e nos Municípios, a
operações de crédito, para amortização em prazo superior contribuição dos servidores para o custeio do seu
a doze meses; sistema de previdência e assistência social e as
DÍVIDA PÚBLICA MOBILIÁRIA: dívida pública receitas provenientes da compensação financeira
representada por títulos emitidos pela União, inclusive os do citada no § 9º do art. 201 da Constituição.
Banco Central do Brasil, Estados e Municípios; § 9º Para efeito de aposentadoria, é assegurada a
contagem recíproca do tempo de contribuição na
01 COMPERVE A LRF define “dívida pública administração pública e na atividade privada, rural e
consolidada ou fundada” como sendo o montante total,
urbana, hipótese em que os diversos regimes de
apurado sem duplicidade, das obrigações financeiras
previdência social se compensarão financeiramente,
do ente da Federação, assumidas em virtude de leis,
contratos, convênios ou tratados e da realização de segundo critérios estabelecidos em lei.(Incluído dada pela
operações de crédito, para amortização Emenda Constitucional nº 20, de 1998)
A) em prazo superior a doze meses. § 1o Serão computados no cálculo da receita corrente
B) em prazo superior a dezoito meses. líquida os valores pagos e recebidos em decorrência da, e
C) em prazo não inferior a vinte e quatro meses. do fundo previsto pelo art. 60 do Ato das Disposições
D) em prazo não inferior a trinta e seis meses. Constitucionais Transitórias.

128
§ 2o Não serão considerados na receita corrente d) (VETADO)
líquida do Distrito Federal e dos Estados do Amapá e de e) normas relativas ao controle de custos e à
Roraima os recursos recebidos da União para atendimento avaliação dos resultados dos programas financiados
das despesas de que trata o inciso V do § 1o do art. 19. com recursos dos orçamentos;
§ 3o A receita corrente líquida será apurada
f) demais condições e exigências para
somando-se as receitas arrecadadas no mês em
transferências de recursos a entidades públicas e
referência e nos onze anteriores, excluídas as
duplicidades. privadas;
II - (VETADO)
02 COMPERVE O art. 2°, IV, da LRF define Receita III - (VETADO)
Corrente Líquida como sendo a soma das receitas § 1o Integrará o projeto de lei de diretrizes
correntes, consideradas algumas reduções, e que tem orçamentárias Anexo de Metas Fiscais, em que serão
como principal objetivo servir de parâmetro para o estabelecidas metas anuais, em valores correntes e
montante de reservas de contingência e para os limites constantes, relativas a receitas, despesas, resultados
da despesa total com pessoal, da dívida consolidada nominal e primário e montante da dívida pública, para o
líquida, das operações de créditos, do serviço da exercício a que se referirem e para os dois seguintes.
dívida, das operações de créditos por antecipação de
§ 2o O Anexo conterá, ainda:
receita orçamentária e das garantias do ente da
Federação. No que compete ao município, é I - avaliação do cumprimento das metas relativas
considerada dedução da receita para cálculo da Receita ao ano anterior;
Corrente Líquida: II - demonstrativo das metas anuais, instruído com
a) determinados valores provenientes da formação do memória e metodologia de cálculo que justifiquem os
FUNDEB. resultados pretendidos, comparando-as com as fixadas nos
b) transferências constitucionais e legais.
três exercícios anteriores, e evidenciando a consistência
c) contribuição PIS/PASEP.
d) contribuições de empregadores e trabalhadores para delas com as premissas e os objetivos da política
Seguridade Social. econômica nacional;
III - evolução do patrimônio líquido, também nos
A LRF estabelece limites e restrições para os gastos últimos três exercícios, destacando a origem e a aplicação
públicos, tendo como referência, para cálculo dos dos recursos obtidos com a alienação de ativos;
limites, o montante da RCL arrecadada.
IV - avaliação da situação financeira e atuarial:
A RCL é apurada somando-se as receitas arrecadadas
no mês em referência e nos onze meses anteriores. a) dos regimes geral de previdência social e
A RCL é demonstrada no anexo III do relatório próprio dos servidores públicos e do Fundo de Amparo
resumido da execução orçamentária (LRF: art. 53, I): ao Trabalhador;
b) dos demais fundos públicos e programas
Receitas correntes ===> tributária + contribuições + estatais de natureza atuarial;
patrimonial + agropecuária + industrial + serviços + V - demonstrativo da estimativa e compensação da
transferências correntes + outras receitas correntes (I) renúncia de receita e da margem de expansão das
despesas obrigatórias de caráter continuado.
Deduções (II) § 3o A lei de diretrizes orçamentárias conterá Anexo
(transferências constitucionais e legais) de Riscos Fiscais, onde serão avaliados os passivos
(contribuição de empregadores e trabalhadores para contingentes e outros riscos capazes de afetar as
seguridade social) contas públicas, informando as providências a serem
(contribuição para o plano de previdência do servidor) tomadas, caso se concretizem.
(contribuição para o custeio das pensões militares)
§ 4o A mensagem que encaminhar o projeto da União
(compensação financeira entre regimes de previdência)
apresentará, em anexo específico, os objetivos das políticas
(dedução de receita para formação do FUNDEB)
monetária, creditícia e cambial, bem como os parâmetros e
(contribuições para PIS e PASEP)
as projeções para seus principais agregados e variáveis, e
= Receita corrente líquida ===> I (-) II
ainda as metas de inflação, para o exercício subseqüente.
CAPÍTULO II
DO PLANEJAMENTO 03 COMPERVE O Anexo de Metas Fiscais que integra a
Seção I LDO, segundo determina a LRF, deverá conter, entre
Do Plano Plurianual outros,
Art. 3o (VETADO)
A) demonstrativo de metas anuais comparadas com os
Seção II
Da Lei de Diretrizes Orçamentárias últimos cinco anos.
Art. 4o A lei de diretrizes orçamentárias atenderá o B) previsão de metas estabelecidas para os dois exercícios
disposto no § 2o do art. 165 da Constituição e: seguintes.
I - disporá também sobre: C) avaliação do cumprimento das metas relativas ao ano
a) equilíbrio entre receitas e despesas; anterior.
b) critérios e forma de limitação de empenho, a ser D) demonstrativo da evolução do patrimônio líquido dos
efetivada nas hipóteses previstas na alínea b do inciso II últimos cinco anos.
deste artigo, no art. 9o e no inciso II do § 1o do art. 31;
c) (VETADO)

129
04 COMPERVE A Lei Complementar 101/2000 (LRF), em § 2o O impacto e o custo fiscal das operações
seu Art. 4º, dispõe que o ente deverá estabelecer realizadas pelo Banco Central do Brasil serão
normas relativas ao controle de custos e à avaliação demonstrados trimestralmente, nos termos em que dispuser
dos resultados dos programas financiados com a lei de diretrizes orçamentárias da União.
§ 3o Os balanços trimestrais do Banco Central do
recursos dos orçamentos. Tais informações devem
Brasil conterão notas explicativas sobre os custos da
estar contidas no seguinte instrumento:
remuneração das disponibilidades do Tesouro Nacional e
A) Plano Plurianual da manutenção das reservas cambiais e a rentabilidade de
B) Lei Orçamentária Anual sua carteira de títulos, destacando os de emissão da União.
C) Lei de Diretrizes Orçamentárias Seção IV
D) Relatório de Execução Fiscal Da Execução Orçamentária e do Cumprimento das
Metas
Seção III Art. 8o Até trinta dias após a publicação dos
Da Lei Orçamentária Anual orçamentos, nos termos em que dispuser a lei de
Art. 5o O projeto de lei orçamentária anual, diretrizes orçamentárias e observado o disposto na
elaborado de forma compatível com o plano plurianual, alínea c do inciso I do art. 4o, o Poder Executivo
estabelecerá a programação financeira e o cronograma
com a lei de diretrizes orçamentárias e com as normas
de execução mensal de desembolso. (Vide Decreto nº
desta Lei Complementar:
4.959, de 2004) (Vide Decreto nº 5.356, de 2005)
I - conterá, em anexo, demonstrativo da
compatibilidade da programação dos orçamentos com os
05 FUNRIO Por exigência da Lei Complementar nº
objetivos e metas constantes do documento de que trata o
101/00 até trinta dias após a publicação dos
§ 1o do art. 4o;
orçamentos, nos termos em que dispuser a lei de
II - será acompanhado do documento a que se refere
diretrizes orçamentárias, o Poder Executivo deverá:
o § 6o do art. 165 da Constituição, bem como das medidas
A) programar os pagamentos em estrita obediência a ordem
de compensação a renúncias de receita e ao aumento de
cronológica de apresentação.
despesas obrigatórias de caráter continuado;
B) publicar a liberação da execução do orçamento da
III - conterá reserva de contingência, cuja forma de
receita e da despesa.
utilização e montante, definido com base na receita
C) criar a programação da execução financeira a receita.
corrente líquida, serão estabelecidos na lei de diretrizes
D) efetuar as alterações na execução orçamentária para
orçamentárias, destinada ao:
adequação com o fluxo de caixa.
a) (VETADO)
E) estabelecer a programação financeira e o cronograma de
b) atendimento de passivos contingentes e outros
execução mensal de desembolso.
riscos e eventos fiscais imprevistos.
§ 1o Todas as despesas relativas à dívida pública,
mobiliária ou contratual, e as receitas que as atenderão, 06 COMPERVE O planejamento do governo precisa
constarão da lei orçamentária anual. estar, adequadamente, refletido na lei orçamentária
§ 2o O refinanciamento da dívida pública constará para que se produzam os resultados desejados. O
separadamente na lei orçamentária e nas de crédito prazo e os instrumentos que precisam ser cumpridos
adicional. pelo governo para adequar o ritmo de execução das
§ 3o A atualização monetária do principal da dívida despesas ao ritmo de ingresso de recursos financeiros
mobiliária refinanciada não poderá superar a variação do são, respectivamente,
índice de preços previsto na lei de diretrizes orçamentárias, A) Após 30 dias da publicação da LOA, o governo precisa
ou em legislação específica. solicitar os créditos complementares e o cronograma
§ 4o É vedado consignar na lei orçamentária mensal de desembolso.
crédito com finalidade imprecisa ou com dotação B) Após 60 dias da publicação da LOA, o governo precisa
ilimitada. editar o cronograma mensal de desembolso e a solicitação
§ 5o A lei orçamentária não consignará dotação de créditos suplementares.
para investimento com duração superior a um exercício C) Após 30 dias da publicação da LOA, o governo precisa
financeiro que não esteja previsto no plano plurianual editar o cronograma mensal de desembolso e a
ou em lei que autorize a sua inclusão, conforme programação financeira dos órgãos.
disposto no § 1o do art. 167 da Constituição. D) Após 60 dias da publicação da LOA, o governo precisa
§ 6o Integrarão as despesas da União, e serão editar a programação financeira dos órgãos e as cotas
incluídas na lei orçamentária, as do Banco Central do orçamentárias.
Brasil relativas a pessoal e encargos sociais, custeio
administrativo, inclusive os destinados a benefícios e Parágrafo único. Os recursos legalmente vinculados a
assistência aos servidores, e a investimentos. finalidade específica serão utilizados exclusivamente para
§ 7o (VETADO) atender ao objeto de sua vinculação, ainda que em
Art. 6o (VETADO) exercício diverso daquele em que ocorrer o ingresso.
Art. 9o Se verificado, ao final de um bimestre, que a
Art. 7o O resultado do Banco Central do Brasil,
realização da receita poderá não comportar o
apurado após a constituição ou reversão de reservas,
cumprimento das metas de resultado primário ou
constitui receita do Tesouro Nacional, e será transferido até nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais, os
o décimo dia útil subseqüente à aprovação dos balanços Poderes e o Ministério Público promoverão, por ato
semestrais. próprio e nos montantes necessários, nos trinta dias
§ 1o O resultado negativo constituirá obrigação do subseqüentes, limitação de empenho e movimentação
Tesouro para com o Banco Central do Brasil e será financeira, segundo os critérios fixados pela lei de
consignado em dotação específica no orçamento. diretrizes orçamentárias.

130
§ 1o No caso de restabelecimento da receita Art. 13. No prazo previsto no art. 8o, as receitas
prevista, ainda que parcial, a recomposição das previstas serão desdobradas, pelo Poder Executivo, em
dotações cujos empenhos foram limitados dar-se-á de metas bimestrais de arrecadação, com a especificação, em
forma proporcional às reduções efetivadas. separado, quando cabível, das medidas de combate à
§ 2o Não serão objeto de limitação as despesas que evasão e à sonegação, da quantidade e valores de ações
constituam obrigações constitucionais e legais do ente, ajuizadas para cobrança da dívida ativa, bem como da
inclusive aquelas destinadas ao pagamento do serviço evolução do montante dos créditos tributários passíveis de
da dívida, e as ressalvadas pela lei de diretrizes cobrança administrativa.
orçamentárias.
§ 3o No caso de os Poderes Legislativo e Judiciário 07 FUNRIO Segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal,
e o Ministério Público não promoverem a limitação no a instituição, previsão e efetiva arrecadação de todos
prazo estabelecido no caput, é o Poder Executivo os tributos da competência constitucional do ente da
autorizado a limitar os valores financeiros segundo os Federação constituem
critérios fixados pela lei de diretrizes A) ações de caráter facultativo.
orçamentárias. (Vide ADIN 2.238-5) B) vedações ao orçamento público.
§ 4o Até o final dos meses de maio, setembro e C) requisitos essenciais da responsabilidade na gestão
fevereiro, o Poder Executivo demonstrará e avaliará o fiscal.
cumprimento das metas fiscais de cada quadrimestre, D) vedações ao último ano de mandato do chefe do poder
em audiência pública na comissão referida no § 1o do art. executivo.
166 da Constituição ou equivalente nas Casas Legislativas E) ações que não afetam o resultado da gestão fiscal.
estaduais e municipais. Seção II
§ 5o No prazo de noventa dias após o encerramento Da Renúncia de Receita
de cada semestre, o Banco Central do Brasil apresentará, Art. 14. A concessão ou ampliação de incentivo ou
em reunião conjunta das comissões temáticas pertinentes benefício de natureza tributária da qual decorra
do Congresso Nacional, avaliação do cumprimento dos renúncia de receita deverá estar acompanhada de
objetivos e metas das políticas monetária, creditícia e estimativa do impacto orçamentário-financeiro no
cambial, evidenciando o impacto e o custo fiscal de suas exercício em que deva iniciar sua vigência e nos dois
operações e os resultados demonstrados nos balanços. seguintes, atender ao disposto na lei de diretrizes
Art. 10. A execução orçamentária e financeira orçamentárias e a pelo menos uma das seguintes
identificará os beneficiários de pagamento de sentenças condições: (Vide Medida Provisória nº 2.159, de
judiciais, por meio de sistema de contabilidade e 2001) (Vide Lei nº 10.276, de 2001)
administração financeira, para fins de observância da I - demonstração pelo proponente de que a
ordem cronológica determinada no art. 100 da Constituição. renúncia foi considerada na estimativa de receita da lei
CAPÍTULO III orçamentária, na forma do art. 12, e de que não afetará
DA RECEITA PÚBLICA as metas de resultados fiscais previstas no anexo
Seção I próprio da lei de diretrizes orçamentárias;
Da Previsão e da Arrecadação II - estar acompanhada de medidas de
Art. 11. Constituem requisitos essenciais da compensação, no período mencionado no caput, por meio
responsabilidade na gestão fiscal a instituição, do aumento de receita, proveniente da elevação de
previsão e efetiva arrecadação de todos os tributos da alíquotas, ampliação da base de cálculo, majoração ou
competência constitucional do ente da Federação. criação de tributo ou contribuição.
Parágrafo único. É vedada a realização de § 1o A renúncia compreende anistia, remissão,
transferências voluntárias para o ente que não observe o subsídio, crédito presumido, concessão de isenção em
disposto no caput, no que se refere aos impostos. caráter não geral, alteração de alíquota ou modificação
Art. 12. As previsões de receita observarão as normas de base de cálculo que implique redução discriminada
técnicas e legais, considerarão os efeitos das alterações na de tributos ou contribuições, e outros benefícios que
legislação, da variação do índice de preços, do crescimento correspondam a tratamento diferenciado.
econômico ou de qualquer outro fator relevante e serão § 2o Se o ato de concessão ou ampliação do incentivo
acompanhadas de demonstrativo de sua evolução nos ou benefício de que trata o caput deste artigo decorrer da
últimos três anos, da projeção para os dois seguintes condição contida no inciso II, o benefício só entrará em
àquele a que se referirem, e da metodologia de cálculo e vigor quando implementadas as medidas referidas no
premissas utilizadas. mencionado inciso.
§ 1o Reestimativa de receita por parte do Poder § 3o O disposto neste artigo não se aplica:
Legislativo só será admitida se comprovado erro ou I - às alterações das alíquotas dos impostos previstos
omissão de ordem técnica ou legal. nos incisos I, II, IV e V do art. 153 da Constituição, na forma
§ 2o O montante previsto para as receitas de do seu § 1o;
operações de crédito não poderá ser superior ao das II - ao cancelamento de débito cujo montante seja
despesas de capital constantes do projeto de lei inferior ao dos respectivos custos de cobrança.
orçamentária. (Vide ADIN 2.238-5) (REGRA DE OURO) CAPÍTULO IV
§ 3o O Poder Executivo de cada ente colocará à DA DESPESA PÚBLICA
disposição dos demais Poderes e do Ministério Público, no Seção I
mínimo trinta dias antes do prazo final para Da Geração da Despesa
encaminhamento de suas propostas orçamentárias, os Art. 15. Serão consideradas não autorizadas,
estudos e as estimativas das receitas para o exercício irregulares e lesivas ao patrimônio público a geração de
subseqüente, inclusive da corrente líquida, e as respectivas despesa ou assunção de obrigação que não atendam o
memórias de cálculo. disposto nos arts. 16 e 17.

131
Art. 16. A criação, expansão ou aperfeiçoamento § 3o Para efeito do § 2o, considera-se aumento
de ação governamental que acarrete aumento da permanente de receita o proveniente da elevação de
despesa será acompanhado de: alíquotas, ampliação da base de cálculo, majoração ou
I - estimativa do impacto orçamentário-financeiro criação de tributo ou contribuição.
no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois
§ 4o A comprovação referida no § 2o, apresentada pelo
subseqüentes;
proponente, conterá as premissas e metodologia de cálculo
II - declaração do ordenador da despesa de que o
aumento tem adequação orçamentária e financeira com utilizadas, sem prejuízo do exame de compatibilidade da
a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano despesa com as demais normas do plano plurianual e da lei
plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias. de diretrizes orçamentárias.
§ 1o Para os fins desta Lei Complementar, considera- § 5o A despesa de que trata este artigo não será
se: executada antes da implementação das medidas referidas
I - adequada com a lei orçamentária anual, a despesa no § 2o, as quais integrarão o instrumento que a criar ou
objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja aumentar.
abrangida por crédito genérico, de forma que somadas § 6o O disposto no § 1o não se aplica às despesas
todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a destinadas ao serviço da dívida nem ao reajustamento de
realizar, previstas no programa de trabalho, não sejam
remuneração de pessoal de que trata o inciso X do art. 37
ultrapassados os limites estabelecidos para o exercício;
da Constituição.
II - compatível com o plano plurianual e a lei de
diretrizes orçamentárias, a despesa que se conforme com § 7o Considera-se aumento de despesa a prorrogação
as diretrizes, objetivos, prioridades e metas previstos daquela criada por prazo determinado.
nesses instrumentos e não infrinja qualquer de suas Seção II
disposições. Das Despesas com Pessoal
§ 2o A estimativa de que trata o inciso I do caput será Subseção I
acompanhada das premissas e metodologia de cálculo Definições e Limites
utilizadas. Art. 18. Para os efeitos desta Lei Complementar,
§ 3o Ressalva-se do disposto neste artigo a despesa entende-se como despesa total com pessoal: o
considerada irrelevante, nos termos em que dispuser a lei somatório dos gastos do ente da Federação com os
de diretrizes orçamentárias.
ativos, os inativos e os pensionistas, relativos a
§ 4o As normas do caput constituem condição prévia
mandatos eletivos, cargos, funções ou empregos, civis,
para:
I - empenho e licitação de serviços, fornecimento de militares e de membros de Poder, com quaisquer
bens ou execução de obras; espécies remuneratórias, tais como vencimentos e
II - desapropriação de imóveis urbanos a que se refere vantagens, fixas e variáveis, subsídios, proventos da
o § 3o do art. 182 da Constituição. aposentadoria, reformas e pensões, inclusive
Subseção I adicionais, gratificações, horas extras e vantagens
Da Despesa Obrigatória de Caráter Continuado pessoais de qualquer natureza, bem como encargos
Art. 17. Considera-se obrigatória de caráter sociais e contribuições recolhidas pelo ente às
continuado a despesa corrente derivada de lei, medida entidades de previdência.
provisória ou ato administrativo normativo que fixem
para o ente a obrigação legal de sua execução por um § 1o Os valores dos contratos de terceirização de
período superior a dois exercícios. mão-de-obra que se referem à substituição de
servidores e empregados públicos serão contabilizados
08 COMPERVE De acordo com a LRF, considera-se como "Outras Despesas de Pessoal".
obrigatória, de caráter continuado, a despesa corrente
§ 2o A despesa total com pessoal será apurada
derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo
normativo que somando-se a realizada no mês em referência com as
A) definam como obrigatório o seu pagamento dentro do dos onze imediatamente anteriores, adotando-se o
prazo do orçamento anual aprovado. regime de competência.
B) fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por Art. 19. Para os fins do disposto no caput do art. 169
um período superior a dois exercícios. da Constituição, a despesa total com pessoal, em cada
C) garantam ao fornecedor ou executante a inclusão do
período de apuração e em cada ente da Federação, não
pagamento em Restos a Pagar até o final do exercício.
D) gerem a possibilidade de manutenção dessa despesa poderá exceder os percentuais da receita corrente
pelo período do mandato do governante. líquida, a seguir discriminados:
I - União: 50% (cinqüenta por cento);
II - Estados: 60% (sessenta por cento);
§ 1o Os atos que criarem ou aumentarem despesa
de que trata o caput deverão ser instruídos com a III - Municípios: 60% (sessenta por cento).
estimativa prevista no inciso I do art. 16 e demonstrar a § 1o Na verificação do atendimento dos limites
origem dos recursos para seu custeio. definidos neste artigo, não serão computadas as
§ 2o Para efeito do atendimento do § 1o, o ato será despesas:
acompanhado de comprovação de que a despesa I - de indenização por demissão de servidores ou
criada ou aumentada não afetará as metas de
empregados;
resultados fiscais previstas no anexo referido no § 1o do
art. 4o, devendo seus efeitos financeiros, nos períodos II - relativas a incentivos à demissão voluntária;
seguintes, ser compensados pelo aumento permanente III - derivadas da aplicação do disposto no inciso II
de receita ou pela redução permanente de despesa. do § 6o do art. 57 da Constituição;

132
§ 6º A convocação extraordinária do Congresso Nacional a) 3% (três por cento) para o Legislativo, incluído o
far-se-á: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 50, Tribunal de Contas do Estado;
de 2006) b) 6% (seis por cento) para o Judiciário;
I - pelo Presidente do Senado Federal, em caso de c) 49% (quarenta e nove por cento) para o
decretação de estado de defesa ou de intervenção federal, Executivo;
de pedido de autorização para a decretação de estado de d) 2% (dois por cento) para o Ministério Público
sítio e para o compromisso e a posse do Presidente e do dos Estados;
Vice-Presidente- Presidente da República; III - na esfera municipal:
II - pelo Presidente da República, pelos Presidentes da
a) 6% (seis por cento) para o Legislativo, incluído o
Câmara dos Deputados e do Senado Federal ou a
Tribunal de Contas do Município, quando houver;
requerimento da maioria dos membros de ambas as Casas,
em caso de urgência ou interesse público relevante, em b) 54% (cinqüenta e quatro por cento) para o
todas as hipóteses deste inciso com a aprovação da Executivo.
maioria absoluta de cada uma das Casas do Congresso § 1o Nos Poderes Legislativo e Judiciário de cada
Nacional. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº esfera, os limites serão repartidos entre seus órgãos de
50, de 2006) forma proporcional à média das despesas com pessoal, em
IV - decorrentes de decisão judicial e da percentual da receita corrente líquida, verificadas nos três
competência de período anterior ao da apuração a que exercícios financeiros imediatamente anteriores ao da
se refere o § 2o do art. 18; publicação desta Lei Complementar.
V - com pessoal, do Distrito Federal e dos Estados § 2o Para efeito deste artigo entende-se como
do Amapá e Roraima, custeadas com recursos órgão:
transferidos pela União na forma dos incisos XIII e XIV I - o Ministério Público;
do art. 21 da Constituição e do art. 31 da Emenda II - no Poder Legislativo:
Constitucional no 19; a) Federal, as respectivas Casas e o Tribunal de
VI - com inativos, ainda que por intermédio de fundo Contas da União;
específico, custeadas por recursos provenientes: b) Estadual, a Assembléia Legislativa e os Tribunais
a) da arrecadação de contribuições dos segurados; de Contas;
b) da compensação financeira de que trata o § 9o do c) do Distrito Federal, a Câmara Legislativa e o
art. 201 da Constituição; Tribunal de Contas do Distrito Federal;
c) das demais receitas diretamente arrecadadas por d) Municipal, a Câmara de Vereadores e o Tribunal de
fundo vinculado a tal finalidade, inclusive o produto da Contas do Município, quando houver;
alienação de bens, direitos e ativos, bem como seu III - no Poder Judiciário:
superávit financeiro. a) Federal, os tribunais referidos no art. 92 da
§ 2o Observado o disposto no inciso IV do § 1o, as Constituição;
despesas com pessoal decorrentes de sentenças judiciais b) Estadual, o Tribunal de Justiça e outros, quando
serão incluídas no limite do respectivo Poder ou órgão houver.
referido no art. 20. § 3o Os limites para as despesas com pessoal do
Art. 20. A repartição dos limites globais do art. 19 Poder Judiciário, a cargo da União por força do inciso XIII
não poderá exceder os seguintes percentuais: do art. 21 da Constituição, serão estabelecidos mediante
I - na esfera federal: aplicação da regra do § 1o.
a) 2,5% (dois inteiros e cinco décimos por cento) § 4o Nos Estados em que houver Tribunal de Contas
para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas da dos Municípios, os percentuais definidos nas
União; alíneas a e c do inciso II do caput serão, respectivamente,
b) 6% (seis por cento) para o Judiciário; acrescidos e reduzidos em 0,4% (quatro décimos por
c) 40,9% (quarenta inteiros e nove décimos por cento).
cento) para o Executivo, destacando-se 3% (três por § 5o Para os fins previstos no art. 168 da Constituição,
cento) para as despesas com pessoal decorrentes do que a entrega dos recursos financeiros correspondentes à
dispõem os incisos XIII e XIV do art. 21 da Constituição e despesa total com pessoal por Poder e órgão será a
o art. 31 da Emenda Constitucional no 19, repartidos de resultante da aplicação dos percentuais definidos neste
forma proporcional à média das despesas relativas a cada artigo, ou aqueles fixados na lei de diretrizes orçamentárias.
um destes dispositivos, em percentual da receita corrente § 6o (VETADO)
líquida, verificadas nos três exercícios financeiros Subseção II
imediatamente anteriores ao da publicação desta Lei Do Controle da Despesa Total com Pessoal
Complementar; (Vide Decreto nº 3.917, de 2001)
Art. 21. É nulo de pleno direito o ato que provoque
Art. 21
aumento da despesa com pessoal e não atenda:
XIII - organizar e manter o Poder Judiciário, o Ministério
I - as exigências dos arts. 16 e 17 desta Lei
Público do Distrito Federal e dos Territórios e a Defensoria
Pública dos Territórios;(Redação dada pela Emenda Complementar, e o disposto no inciso XIII do art. 37 e no §
Constitucional nº 69, de 2012) (Produção de efeito) 1o do art. 169 da Constituição;
XIV - organizar e manter a polícia civil, a polícia militar e o II - o limite legal de comprometimento aplicado às
corpo de bombeiros militar do Distrito Federal, bem como despesas com pessoal inativo.
prestar assistência financeira ao Distrito Federal para a Parágrafo único. Também é nulo de pleno direito o
execução de serviços públicos, por meio de fundo ato de que resulte aumento da despesa com pessoal
próprio; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, expedido nos cento e oitenta dias anteriores ao final do
de 1998) mandato do titular do respectivo Poder ou órgão
d) 0,6% (seis décimos por cento) para o Ministério referido no art. 20.
Público da União;
II - na esfera estadual:

133
Art. 22. A verificação do cumprimento dos limites LIMITE LEGAL
estabelecidos nos arts. 19 e 20 será realizada ao final Da Fiscalização da Gestão Fiscal
de cada quadrimestre. Art. 59. O Poder Legislativo, diretamente ou com o
Parágrafo único. Se a despesa total com pessoal auxílio dos Tribunais de Contas, e o sistema de controle
exceder a 95% (noventa e cinco por cento) do limite, interno de cada Poder e do Ministério Público, fiscalizarão o
cumprimento das normas desta Lei Complementar, com
são vedados ao Poder ou órgão referido no art. 20 que
ênfase no que se refere a:
houver incorrido no excesso:
§ 1o Os Tribunais de Contas alertarão os Poderes ou
I - concessão de vantagem, aumento, reajuste ou órgãos referidos no art. 20 quando constatarem:
adequação de remuneração a qualquer título, salvo os II - que o montante da despesa total com pessoal
derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou ultrapassou 90% (noventa por cento) do limite;
contratual, ressalvada a revisão prevista no inciso X do art.
37 da Constituição;
RESUMO:
II - criação de cargo, emprego ou função; UNIÃO
III - alteração de estrutura de carreira que implique Limite máximo (40,9%)
aumento de despesa; Limite "prudencial" (38,55%)
IV - provimento de cargo público, admissão ou Limite alerta (36,81%)
contratação de pessoal a qualquer título, ressalvada a ESTADO
reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento Limite máximo (49%)
Limite "prudencial" (46,55%)
de servidores das áreas de educação, saúde e
Limite alerta (44,1%)
segurança; MUNICÍPIO
V - contratação de hora extra, salvo no caso do Limite máximo (54%)
disposto no inciso II do § 6o do art. 57 da Constituição e as Limite "prudencial" (51,30%)
situações previstas na lei de diretrizes orçamentárias. Limite alerta (48,60%)
Art. 23. Se a despesa total com pessoal, do Poder
ou órgão referido no art. 20, ultrapassar os limites 09 COMPERVE. A LRF definiu os limites para a despesa
definidos no mesmo artigo, sem prejuízo das medidas total com pessoal para os entes da federação. Esses
limites foram determinados como percentuais
previstas no art. 22, o percentual excedente terá de ser
específicos da
eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo A) receita líquida arrecadada.
pelo menos um terço no primeiro, adotando-se, entre B) receita orçamentária anual.
outras, as providências previstas nos §§ 3º e 4o do art. C) receita orçamentária e extraorçamentária.
169 da Constituição. D) receita corrente líquida.
§ 1o No caso do inciso I do § 3º do art. 169 da
Constituição, o objetivo poderá ser alcançado tanto 10 COMPERVE A Lei Complementar nº 101, sancionada
pela extinção de cargos e funções quanto pela redução em maio do ano 2000 pelo então presidente da
dos valores a eles atribuídos. (Vide ADIN 2.238-5) República, Fernando Henrique Cardoso, estabeleceu,
§ 2o É facultada a redução temporária da jornada para toda a federação, direta ou indiretamente, limites
de trabalho com adequação dos vencimentos à nova de dívida consolidada, garantias, operações de crédito,
carga horária.(Vide ADIN 2.238-5) restos a pagar e despesas de pessoal, com o intuito de
§ 3o Não alcançada a redução no prazo propiciar o equilíbrio das finanças públicas e instituir
estabelecido, e enquanto perdurar o excesso, o ente instrumentos de transparência da gestão fiscal. Essa lei
não poderá: determina que a despesa total com pessoal em cada
I - receber transferências voluntárias; período de apuração, nos estados da Federação, não
II - obter garantia, direta ou indireta, de outro ente; poderá ser superior a
III - contratar operações de crédito, ressalvadas as A) 50% da receita orçamentária total.
destinadas ao refinanciamento da dívida mobiliária e as B) 60% da receita orçamentária total.
que visem à redução das despesas com pessoal. C) 50% da receita corrente líquida.
§ 4o As restrições do § 3o aplicam-se D) 60% da receita corrente líquida.
imediatamente se a despesa total com pessoal exceder
o limite no primeiro quadrimestre do último ano do 14 COMPERVE A Lei Complementar nº 101, de 04 de
mandato dos titulares de Poder ou órgão referidos no maio de 2000, conhecida como “Lei de
art. 20. Responsabilidade Fiscal”, estabelece normas de
finanças públicas voltadas para a responsabilidade na
gestão fiscal. Segundo essa lei, o percentual máximo
PODERES UNIÃO ESTADOS MUNICÍPIOS
que pode ser comprometido com despesa total com
EXECUTIVO 40,9% 49,0% 54%
pessoal nos municípios é de 60% da receita corrente
LEGISLATIVO 2,5% 3% 6%
líquida, sendo assim distribuído:
JUDICIÁRIO 6% 6% - A) 6% para o Legislativo e 54% para o Executivo.
MINISTÉRIO B) 25% para o Legislativo e 35% para o Executivo.
0,6% 2% -
PÚBLICO C) 14% para o Legislativo e 46% para o Executivo.
50,00% 60,00% 60,00% D) 10% para o Legislativo e 50% para o Executivo.

134
15 COMPERVE De acordo com a Lei de A) na União, a despesa total com pessoal, em cada período
Responsabilidade Fiscal, a despesa total com pessoal, de apuração e , em cada ente da Federação, não poderá
em cada período de apuração, pode ser de, no máximo, exceder 60% da receita corrente líquida.
60% da receita líquida corrente B) na verificação do atendimento dos limites das despesas
A) na União e no Distrito Federal. com pessoal, não serão computadas, as despesas de
B) na União, nos Estados e nos Municípios. indenização por demissão de servidores ou empregados,
C) nos Estados e nos Municípios. bem como as relativas a incentivos à demissão voluntária.
D) nos Estados e na União. C) nos Estados, a despesa total com pessoal, em cada
período de apuração e , em cada ente da Federação, não
16 COMPERVE Até a segunda metade do século XX, o poderá exceder 50% da receita corrente líquida.
controle da gestão orçamentária tinha cunho, D) nos Municípios, a despesa total com pessoal, em cada
essencialmente, formal e legalista. A partir da chamada período de apuração e , em cada ente da Federação, não
era da Administração Pública Gerencial, os aspectos da poderá exceder 50% da receita corrente líquida.
fiscalização formal e da avaliação de desempenho
passar am a ser exercidas em instâncias diferentes. A 19 COMPERVE A Lei Complementar nº 101/2000, no que
definição do princípio fundamental do Controle Externo se refere ao controle da despesa com pessoal,
é uma prerrogativa do estabelece que
A) Ministério Público. A) a verificação do cumprimento dos limites para a despesa
B) Poder Executivo. com pessoal deve ser realizada anualmente, ao final do
C) Poder Judiciário. exercício.
D) Poder Legislativo. B) é vedado ao poder que exceder a 90% do limite para a
despesa com pessoal a criação de cargo, emprego ou
17 COMPERVE Sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal função.
(LRF) , afirma-se: C) em regra geral, é permitida a contratação de qualquer
I. O descumprimento das normas estabelecidas na LRF espécie de operação de crédito, ainda que extrapolado
implica em sanções para o Município, tais como: 100% do limite para a despesa com pessoal e não tenha
proibição para receber transferências voluntárias, obter ocorrido a recondução no prazo previsto em lei.
garantias, e outras; exceto contratar operações de D) mesmo que o Poder exceda a 95% do limite para a
créditos. despesa com pessoal pode haver reposição decorrente de
II. Com a Lei da Responsabilidade Fiscal foram falecimento de servidor para a área da segurança.
implementados dois anexos à LDO, o primeiro dos
quais foi o Anexo de Metas Fiscais, que terá como um 20 FGV IBGE AUDITOR Os instrumentos de
dos itens a ser exposto o demonstrativo da estimativa e planejamento orçamentário vigentes no Brasil devem
a compensação da renúncia da receita e da margem de apresentar conteúdos específicos legalmente definidos.
expansão das despesas obrigatórias de caráter Dados os instrumentos (PPA, LDO e LOA) e os
continuado; e o outro, o Anexo de Riscos Fiscais, onde seguintes conteúdos:
serão avaliados os passivos contingentes e outros (1) PPA (2) LDO (3) LOA
riscos capazes de afetar as contas públicas. ( ) Autorização para abertura de créditos adicionais
III . A LRF define limites e restrições para os gastos ( ) Avaliação da situação financeira e atuarial dos regimes
públicos, utilizando como referência para os cálculos o de previdência
montante da Receita Corrente Líquida efetivamente ( ) Despesas relativas aos programas de duração
arrecadada. continuada
IV. No Balanço Orçamentário, deverão ser apresentadas ( ) Dotação relativa à reserva de Contingência
as despesas executadas, segundo a LRF, as despesas ( ) Evolução do patrimônio líquido
efetivamente liquidadas no período e a despesa ( ) Normas relativas ao controle de custos
empenhada, no final do exercício.
Das afirmativas: A sequência que apresenta a associação correta é:
A) Apenas I é falsa. A) 1-3-2-1-3-1;
B) I e IV são falsas.
B) 2-1-3-2-1-2;
C) I e III são verdadeiras.
D) Apenas II é verdadeira. C) 2-2-1-2-1-3;
D) 3-1-3-3-2-1;
18 COMPERVE Para os efeitos da Lei de E) 3-2-1-3-2-2.
Responsabilidade Fiscal, entende-se como despesa
total com pessoal: o somatório dos gastos do ente da 21 COMPERVE Segundo a Lei Complementar Federal
Federação com os ativos, os inativos e os pensionistas, nº 101, de 4 de maio de 2000 e alterações, as metas
relativos a mandatos eletivos, cargos, funções ou anuais, em valores correntes e constantes, relativas a
empregos, civis, militares e de membros de Poder, com receitas, despesas, resultados nominal e primário e
quaisquer espécies remuneratórias, tais como
montante da dívida pública, para o exercício a que se
vencimentos e vantagens, fixas e variáveis, subsídios,
referirem e para os dois seguintes, serão estabelecidas
proventos da aposentadoria, reformas e pensões,
inclusive, adicionais, gratificações, horas extras e no Anexo de Metas Fiscais, que integrará
vantagens pessoais de qualquer natureza, bem como A) o projeto de lei de diretrizes orçamentárias.
encargos sociais e contribuições recolhidas pelo ente B) o relatório de gestão fiscal.
às entidades de previdência. No que diz respeito aos C) o plano destinado a abertura de créditos adicionais.
limites das despesas com pessoal, é correto afirmar D) a estimativa das receitas tributárias.
que, E) a lei orçamentária anual.

135
22 COMPERVE A Lei de Responsabilidade Fiscal
estabelece que o ente da Federação que não instituir e
arrecadar todos os impostos de sua competência
constitucional, estará impedido de receber
A) dívida ativa não tributária.
B) taxas de prestação de serviços públicos.
C) patrocínios privados para eventos culturais.
D) transferências voluntárias.

23 COMPERVE De acordo com a Lei Complementar Analisando as afirmativas apresentadas, com base na LRF,
Federal nº 101, de 4 de maio de 2000 e alterações, na verifica-se que estão corretas
apuração da receita corrente líquida da União, deverá A) I e II.
ser deduzida a B) I e IV.
A) importância integral dos impostos diretamente C) II e III.
arrecadados. D) III e IV.
B) arrecadação integral da receita industrial.
C) receita de serviços arrecadada no mês de apuração. 25 COMPERVE Ao estabelecer os limites de gastos com
D) contribuição dos servidores para o custeio do seu pessoal, a LRF também prevê vedações para o Poder
sistema de previdência e assistência social. ou Órgão que exceder esses limites, como, por
exemplo, a criação de cargo, de emprego ou de função.
24 COMPERVE A Lei Complementar nº 101, de 4 de Essas vedações ocorrerão sempre que o Poder ou
maio de 2000, conhecida como Lei de Responsabilidade Órgão exceder em
Fiscal ou, simplesmente, LRF, estabelece normas de A) 95% o limite máximo de gastos com pessoal.
finanças públicas voltadas para a responsabilidade na B) 100% o limite máximo de gastos com pessoal.
gestão fiscal. Nela, encontra-se a definição de receita C) 90% o limite máximo de gastos com pessoal.
corrente líquida (RCL). Considere as afirmações a D) 97,5% o limite máximo de gastos com pessoal.
seguir sobre a RCL.
26 COMPERVE A “Regra de Ouro” foi estabelecida pela
Constituição Federal de 1988 e reforçada pela Lei de
Responsabilidade Fiscal, com vistas a conter o excesso
de operações de crédito que endividavam os entes
públicos, muitas vezes contratadas sem critérios e para
fins não relevantes. A seguir, trechos desses dois
instrumentos legais:

Face o exposto, a aplicação da “Regra de Ouro” Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), art. 12, parágrafo
determina que 2º), assinale a alternativa correta.
A) o montante contraído por meio de operações de crédito A) Apesar da suspensão pelo Superior Tribunal Federal
não pode custear despesas correntes. (STF) do dispositivo que trata da Regra de Ouro na LRF,
B) o montante das operações de crédito não pode exceder essa regra permanece válida por força do que dispõe a
o montante das despesas de capital. Constituição Federal, que é menos restritiva que a referida
C) despesas correntes sejam financiadas por ingressos lei.
extraorçamentários. B) Com a suspensão da aplicabilidade da Regra de Ouro
D) despesas de capital sejam financiadas por ingressos pelo STF, não há mais limite para as receitas de operações
orçamentários. de crédito arrecadadas pelo ente da Federação.
C) A aplicabilidade da Regra de Ouro não comporta
27 COMPERVE No que se refere à chamada Regra de exceções.
Ouro (Constituição Federal de 1988, art. 167, inciso III, e

136
D) Constitui-se violação da Regra de Ouro a previsão na lei concessão de subvenções e a participação em constituição
orçamentária de receita de capital superior às despesas de ou aumento de capital.
capital. Art. 27. Na concessão de crédito por ente da
E) As operações de crédito autorizadas mediante créditos Federação a pessoa física, ou jurídica que não esteja sob
suplementares ou especiais, aprovadas pelo Poder seu controle direto ou indireto, os encargos financeiros,
Legislativo por maioria de seus membros, poderão, nessas comissões e despesas congêneres não serão inferiores aos
condições, exceder as receitas de capital. definidos em lei ou ao custo de captação.
Parágrafo único. Dependem de autorização em lei
CAPÍTULO V específica as prorrogações e composições de dívidas
DAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS decorrentes de operações de crédito, bem como a
Art. 25. Para efeito desta Lei concessão de empréstimos ou financiamentos em
Complementar, entende-se por transferência voluntária desacordo com o caput, sendo o subsídio correspondente
a entrega de recursos correntes ou de capital a outro consignado na lei orçamentária.
ente da Federação, a título de cooperação, auxílio ou Art. 28. Salvo mediante lei específica, não poderão ser
utilizados recursos públicos, inclusive de operações de
assistência financeira, que não decorra de
crédito, para socorrer instituições do Sistema Financeiro
determinação constitucional, legal ou os destinados ao
Nacional, ainda que mediante a concessão de empréstimos
Sistema Único de Saúde. de recuperação ou financiamentos para mudança de
§ 1o São exigências para a realização de controle acionário.
transferência voluntária, além das estabelecidas na lei § 1o A prevenção de insolvência e outros riscos ficará
de diretrizes orçamentárias: a cargo de fundos, e outros mecanismos, constituídos pelas
I - existência de dotação específica; instituições do Sistema Financeiro Nacional, na forma da
II - (VETADO) lei.
III - observância do disposto no inciso X do art. 167 da § 2o O disposto no caput não proíbe o Banco Central
Constituição; do Brasil de conceder às instituições financeiras operações
Art. 167. São vedados: de redesconto e de empréstimos de prazo inferior a
X - a transferência voluntária de recursos e a concessão de trezentos e sessenta dias.
empréstimos, inclusive por antecipação de receita, pelos CAPÍTULO VII
Governos Federal e Estaduais e suas instituições DA DÍVIDA E DO ENDIVIDAMENTO
financeiras, para pagamento de despesas com pessoal Seção I
ativo, inativo e pensionista, dos Estados, do Distrito Federal Definições Básicas
e dos Municípios. ( de 1998) Art. 29. Para os efeitos desta Lei Complementar, são
IV - comprovação, por parte do beneficiário, de: adotadas as seguintes definições:
a) que se acha em dia quanto ao pagamento de I - dívida pública consolidada ou fundada: montante
tributos, empréstimos e financiamentos devidos ao ente total, apurado sem duplicidade, das obrigações financeiras
transferidor, bem como quanto à prestação de contas de do ente da Federação, assumidas em virtude de leis,
recursos anteriormente dele recebidos; contratos, convênios ou tratados e da realização de
b) cumprimento dos limites constitucionais relativos à operações de crédito, para amortização em prazo superior
educação e à saúde; a doze meses;
c) observância dos limites das dívidas consolidada e II - dívida pública mobiliária: dívida pública
mobiliária, de operações de crédito, inclusive por representada por títulos emitidos pela União, inclusive os do
antecipação de receita, de inscrição em Restos a Pagar e Banco Central do Brasil, Estados e Municípios;
de despesa total com pessoal; III - operação de crédito: compromisso financeiro
d) previsão orçamentária de contrapartida. assumido em razão de mútuo, abertura de crédito, emissão
§ 2o É vedada a utilização de recursos transferidos em e aceite de título, aquisição financiada de bens,
finalidade diversa da pactuada. recebimento antecipado de valores provenientes da venda
§ 3o Para fins da aplicação das sanções de suspensão a termo de bens e serviços, arrendamento mercantil e
de transferências voluntárias constantes desta Lei outras operações assemelhadas, inclusive com o uso de
Complementar, excetuam-se aquelas relativas a ações de derivativos financeiros;
educação, saúde e assistência social. IV - concessão de garantia: compromisso de
CAPÍTULO VI adimplência de obrigação financeira ou contratual assumida
DA DESTINAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS PARA O por ente da Federação ou entidade a ele vinculada;
SETOR PRIVADO V - refinanciamento da dívida mobiliária: emissão
Art. 26. A destinação de recursos para, direta ou de títulos para pagamento do principal acrescido da
indiretamente, cobrir necessidades de pessoas físicas atualização monetária.
ou déficits de pessoas jurídicas deverá ser autorizada § 1o Equipara-se a operação de crédito a assunção,
por lei específica, atender às condições estabelecidas o reconhecimento ou a confissão de dívidas pelo ente
na lei de diretrizes orçamentárias e estar prevista no da Federação, sem prejuízo do cumprimento das
orçamento ou em seus créditos adicionais. exigências dos arts. 15 e 16.
§ 1o O disposto no caput aplica-se a toda a § 2o Será incluída na dívida pública consolidada da
administração indireta, inclusive fundações públicas e União a relativa à emissão de títulos de responsabilidade do
empresas estatais, exceto, no exercício de suas atribuições Banco Central do Brasil.
precípuas, as instituições financeiras e o Banco Central do § 3o Também integram a dívida pública
Brasil.
consolidada as operações de crédito de prazo inferior a
§ 2o Compreende-se incluída a concessão de
doze meses cujas receitas tenham constado do
empréstimos, financiamentos e refinanciamentos, inclusive
as respectivas prorrogações e a composição de dívidas, a orçamento.

137
§ 4o O refinanciamento do principal da dívida mobiliária término dos três subseqüentes, reduzindo o excedente
não excederá, ao término de cada exercício financeiro, o em pelo menos 25% (vinte e cinco por cento) no
montante do final do exercício anterior, somado ao das primeiro.
operações de crédito autorizadas no orçamento para este § 1o Enquanto perdurar o excesso, o ente que nele
efeito e efetivamente realizadas, acrescido de atualização houver incorrido:
monetária. I - estará proibido de realizar operação de crédito
Seção II interna ou externa, inclusive por antecipação de receita,
Dos Limites da Dívida Pública e das Operações de ressalvado o refinanciamento do principal atualizado da
Crédito dívida mobiliária;
Art. 30. No prazo de noventa dias após a publicação II - obterá resultado primário necessário à
desta Lei Complementar, o Presidente da República recondução da dívida ao limite, promovendo, entre
submeterá ao: outras medidas, limitação de empenho, na forma do art.
I - Senado Federal: proposta de limites globais para o 9o .
montante da dívida consolidada da União, Estados e § 2o Vencido o prazo para retorno da dívida ao
Municípios, cumprindo o que estabelece o inciso VI do art. limite, e enquanto perdurar o excesso, o ente ficará
52 da Constituição, bem como de limites e condições também impedido de receber transferências voluntárias
relativos aos incisos VII, VIII e IX do mesmo artigo; da União ou do Estado.
II - Congresso Nacional: projeto de lei que estabeleça § 3o As restrições do § 1o aplicam-se
limites para o montante da dívida mobiliária federal a que imediatamente se o montante da dívida exceder o limite
se refere o inciso XIV do art. 48 da Constituição, no primeiro quadrimestre do último ano do mandato do
acompanhado da demonstração de sua adequação aos Chefe do Poder Executivo.
limites fixados para a dívida consolidada da União, atendido § 4o O Ministério da Fazenda divulgará,
o disposto no inciso I do § 1o deste artigo. mensalmente, a relação dos entes que tenham
§ 1o As propostas referidas nos incisos I e II do caput e ultrapassado os limites das dívidas consolidada e
suas alterações conterão: mobiliária.
I - demonstração de que os limites e condições § 5o As normas deste artigo serão observadas nos
guardam coerência com as normas estabelecidas nesta Lei casos de descumprimento dos limites da dívida
Complementar e com os objetivos da política fiscal; mobiliária e das operações de crédito internas e
II - estimativas do impacto da aplicação dos limites a externas.
cada uma das três esferas de governo; Seção IV
III - razões de eventual proposição de limites Das Operações de Crédito
diferenciados por esfera de governo; Subseção I
IV - metodologia de apuração dos resultados primário Da Contratação
e nominal. Art. 32. O Ministério da Fazenda verificará o
§ 2o As propostas mencionadas nos incisos I e II cumprimento dos limites e condições relativos à realização
do caput também poderão ser apresentadas em termos de de operações de crédito de cada ente da Federação,
dívida líquida, evidenciando a forma e a metodologia de sua inclusive das empresas por eles controladas, direta ou
apuração. indiretamente.
§ 3o Os limites de que tratam os incisos I e II § 1o O ente interessado formalizará seu pleito
do caput serão fixados em percentual da receita corrente fundamentando-o em parecer de seus órgãos técnicos e
líquida para cada esfera de governo e aplicados igualmente jurídicos, demonstrando a relação custo-benefício, o
a todos os entes da Federação que a integrem, interesse econômico e social da operação e o atendimento
constituindo, para cada um deles, limites máximos. das seguintes condições:
§ 4o Para fins de verificação do atendimento do limite, I - existência de prévia e expressa autorização para a
a apuração do montante da dívida consolidada será contratação, no texto da lei orçamentária, em créditos
efetuada ao final de cada quadrimestre. adicionais ou lei específica;
§ 5o No prazo previsto no art. 5o, o Presidente da II - inclusão no orçamento ou em créditos adicionais
República enviará ao Senado Federal ou ao Congresso dos recursos provenientes da operação, exceto no caso de
Nacional, conforme o caso, proposta de manutenção ou operações por antecipação de receita;
alteração dos limites e condições previstos nos incisos I e II III - observância dos limites e condições fixados pelo
do caput. Senado Federal;
§ 6o Sempre que alterados os fundamentos das IV - autorização específica do Senado Federal, quando
propostas de que trata este artigo, em razão de se tratar de operação de crédito externo;
instabilidade econômica ou alterações nas políticas V - atendimento do disposto no inciso III do art. 167 da
Constituição;
monetária ou cambial, o Presidente da República poderá
VI - observância das demais restrições estabelecidas
encaminhar ao Senado Federal ou ao Congresso Nacional
nesta Lei Complementar.
solicitação de revisão dos limites. § 2o As operações relativas à dívida mobiliária federal
§ 7o Os precatórios judiciais não pagos durante a autorizadas, no texto da lei orçamentária ou de créditos
execução do orçamento em que houverem sido incluídos adicionais, serão objeto de processo simplificado que
integram a dívida consolidada, para fins de aplicação dos atenda às suas especificidades.
limites. § 3o Para fins do disposto no inciso V do § 1o,
Seção III considerar-se-á, em cada exercício financeiro, o total dos
Da Recondução da Dívida aos Limites recursos de operações de crédito nele ingressados e o das
Art. 31. Se a dívida consolidada de um ente da despesas de capital executadas, observado o seguinte:
Federação ultrapassar o respectivo limite ao final de um I - não serão computadas nas despesas de capital as
quadrimestre, deverá ser a ele reconduzida até o realizadas sob a forma de empréstimo ou financiamento a

138
contribuinte, com o intuito de promover incentivo fiscal, Art. 36. É proibida a operação de crédito entre uma
tendo por base tributo de competência do ente da instituição financeira estatal e o ente da Federação que a
Federação, se resultar a diminuição, direta ou indireta, do controle, na qualidade de beneficiário do empréstimo.
ônus deste; Parágrafo único. O disposto no caput não proíbe
II - se o empréstimo ou financiamento a que se refere instituição financeira controlada de adquirir, no mercado,
o inciso I for concedido por instituição financeira controlada títulos da dívida pública para atender investimento de seus
pelo ente da Federação, o valor da operação será deduzido clientes, ou títulos da dívida de emissão da União para
das despesas de capital; aplicação de recursos próprios.
III - (VETADO) Art. 37. Equiparam-se a operações de crédito e estão
§ 4o Sem prejuízo das atribuições próprias do Senado vedados:
Federal e do Banco Central do Brasil, o Ministério da I - captação de recursos a título de antecipação de
Fazenda efetuará o registro eletrônico centralizado e receita de tributo ou contribuição cujo fato gerador ainda
atualizado das dívidas públicas interna e externa, garantido não tenha ocorrido, sem prejuízo do disposto no § 7o do art.
o acesso público às informações, que incluirão: 150 da Constituição;
I - encargos e condições de contratação; II - recebimento antecipado de valores de empresa em
II - saldos atualizados e limites relativos às dívidas que o Poder Público detenha, direta ou indiretamente, a
consolidada e mobiliária, operações de crédito e concessão maioria do capital social com direito a voto, salvo lucros e
de garantias. dividendos, na forma da legislação;
§ 5o Os contratos de operação de crédito externo não III - assunção direta de compromisso, confissão de
conterão cláusula que importe na compensação automática dívida ou operação assemelhada, com fornecedor de bens,
de débitos e créditos. mercadorias ou serviços, mediante emissão, aceite ou aval
Art. 33. A instituição financeira que contratar operação de título de crédito, não se aplicando esta vedação a
de crédito com ente da Federação, exceto quando relativa à empresas estatais dependentes;
dívida mobiliária ou à externa, deverá exigir comprovação IV - assunção de obrigação, sem autorização
de que a operação atende às condições e limites orçamentária, com fornecedores para pagamento
estabelecidos. a posteriori de bens e serviços.
§ 1o A operação realizada com infração do disposto Subseção III
nesta Lei Complementar será considerada nula, Das Operações de Crédito por Antecipação de Receita
procedendo-se ao seu cancelamento, mediante a Orçamentária
Art. 38. A operação de crédito por antecipação de
devolução do principal, vedados o pagamento de juros e
receita destina-se a atender insuficiência de caixa
demais encargos financeiros.
durante o exercício financeiro e cumprirá as exigências
§ 2o Se a devolução não for efetuada no exercício de
mencionadas no art. 32 e mais as seguintes:
ingresso dos recursos, será consignada reserva específica
I - realizar-se-á somente a partir do décimo dia do
na lei orçamentária para o exercício seguinte.
início do exercício;
§ 3o Enquanto não efetuado o cancelamento, a II - deverá ser liquidada, com juros e outros
amortização, ou constituída a reserva, aplicam-se as encargos incidentes, até o dia dez de dezembro de cada
sanções previstas nos incisos do § 3o do art. 23. ano;
§ 4o Também se constituirá reserva, no montante III - não será autorizada se forem cobrados outros
equivalente ao excesso, se não atendido o disposto encargos que não a taxa de juros da operação,
no inciso III do art. 167 da Constituição, consideradas as obrigatoriamente prefixada ou indexada à taxa básica
disposições do § 3o do art. 32. financeira, ou à que vier a esta substituir;
Subseção II IV - estará proibida:
Das Vedações a) enquanto existir operação anterior da mesma
natureza não integralmente resgatada;
Art. 34. O Banco Central do Brasil não emitirá títulos
b) no último ano de mandato do Presidente,
da dívida pública a partir de dois anos após a publicação
Governador ou Prefeito Municipal.
desta Lei Complementar. § 1o As operações de que trata este artigo não serão
Art. 35. É vedada a realização de operação de crédito computadas para efeito do que dispõe o inciso III do art.
entre um ente da Federação, diretamente ou por intermédio 167 da Constituição, desde que liquidadas no prazo
de fundo, autarquia, fundação ou empresa estatal definido no inciso II do caput.
dependente, e outro, inclusive suas entidades da § 2o As operações de crédito por antecipação de
administração indireta, ainda que sob a forma de novação, receita realizadas por Estados ou Municípios serão
refinanciamento ou postergação de dívida contraída efetuadas mediante abertura de crédito junto à instituição
anteriormente. financeira vencedora em processo competitivo eletrônico
§ 1o Excetuam-se da vedação a que se refere promovido pelo Banco Central do Brasil.
§ 3o O Banco Central do Brasil manterá sistema de
o caput as operações entre instituição financeira estatal e
acompanhamento e controle do saldo do crédito aberto e,
outro ente da Federação, inclusive suas entidades da
no caso de inobservância dos limites, aplicará as sanções
administração indireta, que não se destinem a: cabíveis à instituição credora.
I - financiar, direta ou indiretamente, despesas Seção VI
correntes; Dos Restos a Pagar
II - refinanciar dívidas não contraídas junto à própria Art. 41. (VETADO)
instituição concedente. Art. 42. É vedado ao titular de Poder ou órgão
§ 2o O disposto no caput não impede Estados e referido no art. 20, nos últimos dois quadrimestres do
Municípios de comprar títulos da dívida da União como seu mandato, contrair obrigação de despesa que não
possa ser cumprida integralmente dentro dele, ou que
aplicação de suas disponibilidades.
tenha parcelas a serem pagas no exercício seguinte
139
sem que haja suficiente disponibilidade de caixa para e apreciação pelos cidadãos e instituições da
este efeito. sociedade.
Parágrafo único. Na determinação da Parágrafo único. A prestação de contas da União
disponibilidade de caixa serão considerados os conterá demonstrativos do Tesouro Nacional e das
encargos e despesas compromissadas a pagar até o agências financeiras oficiais de fomento, incluído o
final do exercício. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e
Social, especificando os empréstimos e financiamentos
CAPÍTULO IX concedidos com recursos oriundos dos orçamentos
DA TRANSPARÊNCIA, CONTROLE E FISCALIZAÇÃO fiscal e da seguridade social e, no caso das agências
Seção I financeiras, avaliação circunstanciada do impacto fiscal
Da Transparência da Gestão Fiscal de suas atividades no exercício.
Art. 48. São instrumentos de transparência da Seção II
gestão fiscal, aos quais será dada ampla divulgação, Da Escrituração e Consolidação das Contas
inclusive em meios eletrônicos de acesso público: os Art. 50. Além de obedecer às demais normas de
planos, orçamentos e leis de diretrizes orçamentárias; contabilidade pública, a escrituração das contas
as prestações de contas e o respectivo parecer prévio; públicas observará as seguintes:
o Relatório Resumido da Execução Orçamentária e o I - a disponibilidade de caixa constará de registro
Relatório de Gestão Fiscal; e as versões simplificadas próprio, de modo que os recursos vinculados a órgão, fundo
desses documentos. ou despesa obrigatória fiquem identificados e escriturados
Parágrafo único. A transparência será assegurada de forma individualizada;
também mediante incentivo à participação popular e II - a despesa e a assunção de compromisso serão
realização de audiências públicas, durante os processos de registradas segundo o regime de competência,
elaboração e de discussão dos planos, lei de diretrizes apurando-se, em caráter complementar, o resultado dos
orçamentárias e orçamentos. fluxos financeiros pelo regime de caixa;
Parágrafo único. A transparência será assegurada III - as demonstrações contábeis compreenderão,
também mediante: (Redação dada pela Lei isolada e conjuntamente, as transações e operações de
Complementar nº 131, de 2009).
cada órgão, fundo ou entidade da administração direta,
I – incentivo à participação popular e realização de
autárquica e fundacional, inclusive empresa estatal
audiências públicas, durante os processos de
elaboração e discussão dos planos, lei de diretrizes dependente;
orçamentárias e orçamentos; (Incluído pela Lei IV - as receitas e despesas previdenciárias serão
Complementar nº 131, de 2009). apresentadas em demonstrativos financeiros e
II – liberação ao pleno conhecimento e orçamentários específicos;
acompanhamento da sociedade, em tempo real, de V - as operações de crédito, as inscrições em Restos a
informações pormenorizadas sobre a execução Pagar e as demais formas de financiamento ou assunção
orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de de compromissos junto a terceiros, deverão ser
acesso público; (Incluído pela Lei Complementar nº 131, escrituradas de modo a evidenciar o montante e a variação
de 2009). da dívida pública no período, detalhando, pelo menos, a
III – adoção de sistema integrado de administração
natureza e o tipo de credor;
financeira e controle, que atenda a padrão mínimo de
VI - a demonstração das variações patrimoniais dará
qualidade estabelecido pelo Poder Executivo da União
e ao disposto no art. 48-A. (Incluído pela Lei destaque à origem e ao destino dos recursos provenientes
Complementar nº 131, de 2009) (Vide Decreto nº da alienação de ativos.
7.185, de 2010) § 1o No caso das demonstrações conjuntas, excluir-se-
Art. 48-A. Para os fins a que se refere o inciso II do ão as operações intragovernamentais.
parágrafo único do art. 48, os entes da Federação § 2o A edição de normas gerais para consolidação das
disponibilizarão a qualquer pessoa física ou jurídica o contas públicas caberá ao órgão central de contabilidade da
acesso a informações referentes a: (Incluído pela Lei União, enquanto não implantado o conselho de que trata o
Complementar nº 131, de 2009). art. 67.
I – quanto à despesa: todos os atos praticados § 3o A Administração Pública manterá sistema de
pelas unidades gestoras no decorrer da execução da
custos que permita a avaliação e o acompanhamento da
despesa, no momento de sua realização, com a
gestão orçamentária, financeira e patrimonial.
disponibilização mínima dos dados referentes ao
número do correspondente processo, ao bem fornecido Art. 51. O Poder Executivo da União promoverá, até
ou ao serviço prestado, à pessoa física ou jurídica o dia trinta de junho, a consolidação, nacional e por
beneficiária do pagamento e, quando for o caso, ao esfera de governo, das contas dos entes da Federação
procedimento licitatório realizado; (Incluído pela Lei relativas ao exercício anterior, e a sua divulgação,
Complementar nº 131, de 2009). inclusive por meio eletrônico de acesso público.
II – quanto à receita: o lançamento e o recebimento § 1o Os Estados e os Municípios encaminharão suas
de toda a receita das unidades gestoras, inclusive contas ao Poder Executivo da União nos seguintes prazos:
referente a recursos extraordinários.(Incluído pela Lei I - Municípios, com cópia para o Poder Executivo do
Complementar nº 131, de 2009). respectivo Estado, até trinta de abril;
Art. 49. As contas apresentadas pelo Chefe do II - Estados, até trinta e um de maio.
Poder Executivo ficarão disponíveis, durante todo o § 2o O descumprimento dos prazos previstos neste
exercício, no respectivo Poder Legislativo e no órgão artigo impedirá, até que a situação seja regularizada, que o
técnico responsável pela sua elaboração, para consulta ente da Federação receba transferências voluntárias e

140
contrate operações de crédito, exceto as destinadas ao II - Presidente e demais membros da Mesa Diretora ou
refinanciamento do principal atualizado da dívida mobiliária. órgão decisório equivalente, conforme regimentos internos
Seção III dos órgãos do Poder Legislativo;
Do Relatório Resumido da Execução Orçamentária III - Presidente de Tribunal e demais membros de
Art. 52. O relatório a que se refere o § 3o do art. 165 Conselho de Administração ou órgão decisório equivalente,
da Constituição abrangerá todos os Poderes e o conforme regimentos internos dos órgãos do Poder
Ministério Público, será publicado até trinta dias após o Judiciário;
encerramento de cada bimestre e composto de: IV - Chefe do Ministério Público, da União e dos
I - balanço orçamentário, que especificará, por Estados.
categoria econômica, as: Parágrafo único. O relatório também será assinado
a) receitas por fonte, informando as realizadas e a pelas autoridades responsáveis pela administração
realizar, bem como a previsão atualizada; financeira e pelo controle interno, bem como por outras
b) despesas por grupo de natureza, discriminando definidas por ato próprio de cada Poder ou órgão referido
a dotação para o exercício, a despesa liquidada e o no art. 20.
saldo; Art. 55. O relatório conterá:
II - demonstrativos da execução das: I - comparativo com os limites de que trata esta Lei
a) receitas, por categoria econômica e fonte, Complementar, dos seguintes montantes:
especificando a previsão inicial, a previsão atualizada a) despesa total com pessoal, distinguindo a com
para o exercício, a receita realizada no bimestre, a inativos e pensionistas;
realizada no exercício e a previsão a realizar; b) dívidas consolidada e mobiliária;
b) despesas, por categoria econômica e grupo de c) concessão de garantias;
natureza da despesa, discriminando dotação inicial, d) operações de crédito, inclusive por antecipação de
dotação para o exercício, despesas empenhada e receita;
liquidada, no bimestre e no exercício; e) despesas de que trata o inciso II do art. 4o;
c) despesas, por função e subfunção. II - indicação das medidas corretivas adotadas ou a
§ 1o Os valores referentes ao refinanciamento da adotar, se ultrapassado qualquer dos limites;
dívida mobiliária constarão destacadamente nas receitas de III - demonstrativos, no último quadrimestre:
operações de crédito e nas despesas com amortização da a) do montante das disponibilidades de caixa em trinta
dívida. e um de dezembro;
§ 2o O descumprimento do prazo previsto neste artigo b) da inscrição em Restos a Pagar, das despesas:
sujeita o ente às sanções previstas no § 2o do art. 51. 1) liquidadas;
Art. 53. Acompanharão o Relatório Resumido 2) empenhadas e não liquidadas, inscritas por
demonstrativos relativos a: atenderem a uma das condições do inciso II do art. 41;
I - apuração da receita corrente líquida, na forma 3) empenhadas e não liquidadas, inscritas até o limite
definida no inciso IV do art. 2o, sua evolução, assim como a do saldo da disponibilidade de caixa;
previsão de seu desempenho até o final do exercício; 4) não inscritas por falta de disponibilidade de caixa e
II - receitas e despesas previdenciárias a que se refere cujos empenhos foram cancelados;
o inciso IV do art. 50; c) do cumprimento do disposto no inciso II e na
III - resultados nominal e primário; alínea b do inciso IV do art. 38.
IV - despesas com juros, na forma do inciso II do art. § 1o O relatório dos titulares dos órgãos mencionados
4 o; nos incisos II, III e IV do art. 54 conterá apenas as
V - Restos a Pagar, detalhando, por Poder e órgão informações relativas à alínea a do inciso I, e os
referido no art. 20, os valores inscritos, os pagamentos documentos referidos nos incisos II e III.
realizados e o montante a pagar. § 2o O relatório será publicado até trinta dias após o
§ 1o O relatório referente ao último bimestre do encerramento do período a que corresponder, com amplo
exercício será acompanhado também de acesso ao público, inclusive por meio eletrônico.
demonstrativos: § 3o O descumprimento do prazo a que se refere o §
I - do atendimento do disposto no inciso III do art. 167 2 sujeita o ente à sanção prevista no § 2o do art. 51.
o

da Constituição, conforme o § 3o do art. 32; § 4o Os relatórios referidos nos arts. 52 e 54 deverão


II - das projeções atuariais dos regimes de previdência ser elaborados de forma padronizada, segundo modelos
social, geral e próprio dos servidores públicos; que poderão ser atualizados pelo conselho de que trata o
III - da variação patrimonial, evidenciando a alienação art. 67.
de ativos e a aplicação dos recursos dela decorrentes. Seção V
§ 2o Quando for o caso, serão apresentadas Das Prestações de Contas
justificativas: Art. 56. As contas prestadas pelos Chefes do
I - da limitação de empenho; Poder Executivo incluirão, além das suas próprias, as
II - da frustração de receitas, especificando as medidas dos Presidentes dos órgãos dos Poderes Legislativo e
de combate à sonegação e à evasão fiscal, adotadas e a Judiciário e do Chefe do Ministério Público, referidos
adotar, e as ações de fiscalização e cobrança. no art. 20, as quais receberão parecer prévio,
Seção IV separadamente, do respectivo Tribunal de Contas.
Do Relatório de Gestão Fiscal § 1o As contas do Poder Judiciário serão
Art. 54. Ao final de cada quadrimestre será emitido apresentadas no âmbito:
pelos titulares dos Poderes e órgãos referidos no art. I - da União, pelos Presidentes do Supremo Tribunal
20 Relatório de Gestão Fiscal, assinado pelo: Federal e dos Tribunais Superiores, consolidando as dos
I - Chefe do Poder Executivo; respectivos tribunais;
II - dos Estados, pelos Presidentes dos Tribunais de
Justiça, consolidando as dos demais tribunais.

141
§ 2o O parecer sobre as contas dos Tribunais de § 3o O Tribunal de Contas da União acompanhará o
Contas será proferido no prazo previsto no art. 57 pela cumprimento do disposto nos §§ 2o, 3o e 4o do art. 39.
comissão mista permanente referida no § 1o do art. 166 da .......
Constituição ou equivalente das Casas Legislativas Art. 73. As infrações dos dispositivos desta Lei
estaduais e municipais.
Complementar serão punidas segundo o Decreto-Lei
§ 3o Será dada ampla divulgação dos resultados da
no 2.848, de 7 de dezembro de 1940(Código Penal); a Lei
apreciação das contas, julgadas ou tomadas.
no 1.079, de 10 de abril de 1950; o Decreto-Lei no 201, de
Art. 57. Os Tribunais de Contas emitirão parecer
27 de fevereiro de 1967; a Lei no 8.429, de 2 de junho de
prévio conclusivo sobre as contas no prazo de
1992; e demais normas da legislação pertinente.
sessenta dias do recebimento, se outro não estiver
estabelecido nas constituições estaduais ou nas leis
Art. 73-A. Qualquer cidadão, partido político,
orgânicas municipais.
associação ou sindicato é parte legítima para denunciar
§ 1o No caso de Municípios que não sejam capitais
ao respectivo Tribunal de Contas e ao órgão
e que tenham menos de duzentos mil habitantes o
competente do Ministério Público o descumprimento
prazo será de cento e oitenta dias.
das prescrições estabelecidas nesta Lei
§ 2o Os Tribunais de Contas não entrarão em recesso
Complementar. (Incluído pela Lei Complementar nº 131,
enquanto existirem contas de Poder, ou órgão referido no
de 2009).
art. 20, pendentes de parecer prévio.
Art. 73-B. Ficam estabelecidos os seguintes
Art. 58. A prestação de contas evidenciará o
prazos para o cumprimento das determinações
desempenho da arrecadação em relação à previsão,
dispostas nos incisos II e III do parágrafo único do art.
destacando as providências adotadas no âmbito da
48 e do art. 48-A: (Incluído pela Lei Complementar nº
fiscalização das receitas e combate à sonegação, as
131, de 2009).
ações de recuperação de créditos nas instâncias
I – 1 (um) ano para a União, os Estados, o Distrito
administrativa e judicial, bem como as demais medidas
Federal e os Municípios com mais de 100.000 (cem mil)
para incremento das receitas tributárias e de
habitantes; (Incluído pela Lei Complementar nº 131, de
contribuições.
2009).
Seção VI
II – 2 (dois) anos para os Municípios que tenham
Da Fiscalização da Gestão Fiscal
entre 50.000 (cinquenta mil) e 100.000 (cem mil)
Art. 59. O Poder Legislativo, diretamente ou com o
habitantes; (Incluído pela Lei Complementar nº 131, de
auxílio dos Tribunais de Contas, e o sistema de
2009).
controle interno de cada Poder e do Ministério Público,
III – 4 (quatro) anos para os Municípios que tenham
fiscalizarão o cumprimento das normas desta Lei
até 50.000 (cinquenta mil) habitantes. (Incluído pela Lei
Complementar, com ênfase no que se refere a:
Complementar nº 131, de 2009).
I - atingimento das metas estabelecidas na lei de
Parágrafo único. Os prazos estabelecidos neste
diretrizes orçamentárias;
artigo serão contados a partir da data de publicação da
II - limites e condições para realização de operações
lei complementar que introduziu os dispositivos
de crédito e inscrição em Restos a Pagar;
referidos no caput deste artigo. (Incluído pela Lei
III - medidas adotadas para o retorno da despesa total
Complementar nº 131, de 2009).
com pessoal ao respectivo limite, nos termos dos arts. 22 e
Art. 73-C. O não atendimento, até o encerramento
23;
dos prazos previstos no art. 73-B, das determinações
IV - providências tomadas, conforme o disposto no art.
contidas nos incisos II e III do parágrafo único do art. 48
31, para recondução dos montantes das dívidas
e no art. 48-A sujeita o ente à sanção prevista no inciso
consolidada e mobiliária aos respectivos limites;
I do § 3o do art. 23. (Incluído pela Lei Complementar nº
V - destinação de recursos obtidos com a alienação de
131, de 2009).
ativos, tendo em vista as restrições constitucionais e as
desta Lei Complementar;
01 COMPERVE De conformidade com o Art. 52 da Lei
VI - cumprimento do limite de gastos totais dos
Complementar 101/2000 (LRF), o seguinte item deverá
legislativos municipais, quando houver.
constar no Relatório Resumido de Execução
§ 1o Os Tribunais de Contas alertarão os Poderes
Orçamentária:
ou órgãos referidos no art. 20 quando constatarem:
A) demonstrativo, no último quadrimestre, do montante das
I - a possibilidade de ocorrência das situações
disponibilidades de caixa em 31 de dezembro, e o
previstas no inciso II do art. 4o e no art. 9o;
comparativo, com os limites de que trata a LRF, com as
II - que o montante da despesa total com pessoal
dívidas consolidada e mobiliária.
ultrapassou 90% (noventa por cento) do limite;
B) demonstrativo da execução da receita por categoria
III - que os montantes das dívidas consolidada e
econômica e fonte, especificando a previsão inicial, a
mobiliária, das operações de crédito e da concessão de
previsão atualizada para o exercício, a receita realizada no
garantia se encontram acima de 90% (noventa por
bimestre, a realizada no exercício e a receita a realizar.
cento) dos respectivos limites;
C) indicação das medidas corretivas adotadas ou a adotar,
IV - que os gastos com inativos e pensionistas se
se ultrapassados
encontram acima do limite definido em lei;
quaisquer limites estabelecidos na LRF.
V - fatos que comprometam os custos ou os D) indicação das operações de crédito junto a organismo
resultados dos programas ou indícios de financeiro internacional ou a instituição de crédito e fomento
irregularidades na gestão orçamentária. para o repasse de recursos externos.
§ 2o Compete ainda aos Tribunais de Contas
verificar os cálculos dos limites da despesa total com 02 COMPERVE A Administração Pública tem a
pessoal de cada Poder e órgão referido no art. 20. prerrogativa de transferir recursos , através da
execução da despesa orçamentária, que são
destacadas na CF, na Lei 4.320/1964 e na LRF. São
142
despesas orçamentárias destinadas a atender a A) Após 30 dias da publicação da LOA, o governo precisa
despesas de investimentos ou inversões financeiras de solicitar os créditos complementares e o cronograma
outras esferas de governo ou de entidades privadas , mensal de desembolso.
sem fins lucrativos, previstas no §6º do art. 12 Lei nº B) Após 60 dias da publicação da LOA, o governo precisa
4.320/1964, devendo ser observado o disposto nos arts editar o cronograma mensal de desembolso e a solicitação
25 e 26 da Lei Complementar nº 101/2000: de créditos suplementares.
A) auxílios. C) Após 30 dias da publicação da LOA, o governo precisa
B) subvenções. editar o cronograma mensal de desembolso e a
C) delegação de despesas orçamentárias. programação financeira dos órgãos.
D) transferências constitucionais e legais. D) Após 60 dias da publicação da LOA, o governo precisa
editar a programação financeira dos órgãos e as cotas
03 COMPERVE O controle e a avaliação das contas orçamentárias.
públicas é feita através de vários mecanismos. A esse
respeito, analise as afirmações a seguir. 05 COMPERVE Com o objetivo de facilitar o controle
das contas públicas, a Constituição Federal determina,
em seu art. 165 §3º, a publicação de uma série de
demonstrativos ao longo do ano. Em relação à
publicação das contas públicas, é correto afirmar que
A) os representantes dos três poderes divulgam o
respectivo relatório de gestão fiscal, sessenta dias após o
quadrimestre.
B) o governante deve enviar a prestação de contas
referentes ao ano anterior, cento e vinte dias após a
abertura da sessão legislativa.
C) o poder executivo deve publicar um relatório resumido
da execução orçamentária, trinta dias após cada bimestre.
D) o Poder Executivo elabora os balanços e demonstrativos
Das afirmações, estão corretas contábeis do governo, ao final de cada mês.
A) II e III.
B) I e II. 06 COMPERVE São relatórios de publicação
C) I e IV. obrigatória, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal,
D) III e IV. A) Relatório de Gastos com Pessoal e Relatório de
Arrecadação Fiscal.
I- Certo: CF : Art. 165. Leis de iniciativa do Poder B) Relatório Resumido da Execução Orçamentária e
Executivo estabelecerão: Relatório da Gestão Fiscal.
§ 3º - O Poder Executivo publicará, até trinta dias após C) Relatório de Auditoria Externa e Relatório de
o encerramento de cada bimestre, relatório resumido da Responsabilidade do Gestor.
execução orçamentária. D) Relatório de Despesas Pagas e Relatório de Restos a
PE = BI + 30 = RREO. Pagar.
II- Errado: LRF: Art. 54 Ao final de cada quadrimestre
será emitido pelos titulares dos Poderes e órgãos 07 COMPERVE Sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal
referidos no art. 20 Relatório de Gestão Fiscal, assinado (LRF) , afirma-se:
I. O descumprimento das normas estabelecidas na LRF
pelo:
implica em sanções para o Município, tais como:
P = Q + 30 = RGF
III- Errado: Lei 4320/1964: Art. 112. Para cumprimento proibição para receber transferências voluntárias, obter
garantias, e outras; exceto contratar operações de
do disposto no artigo precedente, a União, os Estados,
créditos.
os Municípios e o Distrito Federal remeterão ao
mencionado órgão, até 30 de abril, os orçamentos do II. Com a Lei da Responsabilidade Fiscal foram
implementados dois an