Você está na página 1de 10

UNIP – UNIVERSIDADE PAULISTA

PÓLO CIDADE NOVA

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA

ALUNO : WALLABE RAMALHO DA COSTA

RA 1001871

PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR II


PHARMA FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO

Ananindeua
2010
RESUMO

Trabalho escolar na modalidade projeto, sobre características e práticas de gestão


de uma organização real, relacionando-as de forma crítica com os fundamentos
teóricos aprendidos em classe, das disciplinas Recursos Materiais e Patrimoniais,
Economia e Mercado e Matemática Aplicada, como prática complementar do
processo de aprendizagem.
Palavras-chave: Práticas de gestão. Fundamentos teóricos.
ABSTRACT

School work in project mode, on characteristics and management practices of a real


organization, comparing them critically with the theoretical foundations learned in class, the disciplines
Material Resources and Equity, Market and Economy and Applied Mathematics, as complementary
practice process learning.

Keywords: management practices. Theoretical foundations.


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO .............................................................................................4
2 DESCRIÇÃO DA EMPRESA PESQUISADA ...............................................5
2.1 Denominação e forma de Constituição ......................................................5
2.2 Dados e fatos relevantes da origem da organização ................................ 5
2.3 Natureza e Ramo de Atuação ....................................................................5
2.4 Porte da Empresa........................................................................................5
2.5 Relação de Filiais ...................................................................................... 5
2.6 Número de Funcionários............................................................................ 5
2.7 Principais Produtos.....................................................................................5
2.8 Principais fornecedores, insumos,matérias-prima e serviços.....................5
2.9 Principais Mercados ...................................................................................6
2.10 Principais concorrentes.............................................................................6
2.11 Organograma ...........................................................................................6
3 RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS................................................7
3.1 Recursos Materiais, Patrimoniais, Humanos, Financeiros e Tec................7
3.2 Administração de Materiais.........................................................................7
3.2.3 O Planejamento e Controle de Estoques ...............................................7
3.2.4 Processo de Compras... ..........................................................................7
3.2.5 Transporte e Produção ............................................................................7
3..2.6 Estocagem, Distribuição e Atendimento ao cliente.................................7
3.2.7 Custos de Estoque...................................................................................7
3.2.8 Inventário Físico ..................................................................................... 7

4 ECONOMIA E MERCADO............................................................................8
4.1 Identificar e compreender as formas de organização que prevaleceram no
País até a data atual, situando a empresa escolhida no contexto...................8
4.2 Analisar os fatores responsáveis pela diversidade dos aspectos físicos e
humanos do território brasileiro e as conseqüências no ramo de atuação
analisado..........................................................................................................8
4.3 Avaliar o efeito da globalização no negócio, bem como o papel do Estado
nas atividades empresariais............................................................................8

5 APLICAÇÕES DA MATEMÁTICA...............................................................9
5.1 Matemática aplicada à administração da empresa

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS ........................................................................10

REFERENCIAS...............................................................................................12
item de recursos tecnológicos, além da já citada compra de uma nova
máquina que agrega inovações tecnológicas, a PHARMA tem demonstrado
muito interesse em se manter atualizada tecnologicamente. Vemos a
aquisição de softwares para a administração e linha de produção, bem como
a substituição ou upgrade de computadores.

3.2 Administração de Materiais


A administração de materiais tem por objetivo controlar os fluxos de compras,
recebimento, controle de qualidade e estoques, otimizando a utilização
racional dos insumos e materiais auxiliares, zelando pela qualidade dos
produtos acabados a serem comercializados, níveis de estoque adequados e
sobretudo pela economia do processo, buscando fazer mais com menos.
A Pharma tem suas ferramentas de gestão na área de administração de
materiais como veremos nos tópicos que tratam especificamente de compras,
transporte, produção,estocagem,distribuição e atendimento ao cliente.

3.2.3 O planejamento e controle de estoques


O planejamento do estoque é item fundamental na administração de
materiais. O nível de estoque deve estar na medida certa: nem em excesso
para não onerar a empresa com custos de capital que poderiam estar melhor
aplicados no mercado financeiro e nem em quantidades menores que as
necessidades da produção para não comprometer o atendimento ao cliente e
prejudicar vendas com falta de produtos. Observamos que a metodologia
empregada pela Pharma para planejamento do estoque consiste numa
mescla de métodos quantitativos e qualitativos.
No aspecto quantitativo a empresa utiliza o método da média móvel, como
ferramenta para prever a demanda de estoque. O método consiste em
consultar o registro estatístico das vendas de um período passado,
projetando-a para o futuro a fim de determinar a necessidade de estoque. Ato
contínuo, a projeção passa pelo feeling  dos fundadores da empresa, que
com sua experiência trazem o método qualitativo ao processo, ponderando
períodos atípicos e sazonalidades .
Convém observar que no planejamento do estoque devem ser levadas em
conta as demandas independentes e dependentes. Ao analisar o registro de
vendas, por exemplo, o analista de estoque terá uma idéia das vendas dos
produtos vendidos ao mercado, como unidades prontas. Essa é a demanda
independente, assim chamada pois não depende da empresa mas das
condições do mercado (o quanto será vendido). A demanda dependente é
aquela que está no controle direto da empresa e diz respeito às partes e
componentes das unidades prontas. Assim, se o registro de vendas diz que
foram vendidas 10 unidades de um produto qualquer e esse produto utiliza 02
unidades de um componente x , por exemplo, o analista deve considerar em
sua previsão de estoque esta demanda dependente de 20 componentes x.
No caso específico da Pharma isto é feito com bastante acurácia. Para cada
produto ou kit comercializado, existe uma correspondente relação,
informatizada, explicitando os insumos, inclusive de embalagens, que aponta
a demanda de estoque necessária para aquele nível de vendas projetado.

Outra ferramenta empregada na gestão de estoques é a aferição de sua


rotatividade. Essa aferição nos indicará quantas vezes o estoque girou em
determinado período, tendo como regra geral o quanto mais, melhor, pois
mostra que o estoque não ficou parado, onerando os custos da empresa. O
giro do estoque, dado pela relação entre o valor consumido no período e o
valor do estoque médio no período, segundo Martins (2005), nos leva a outro
indicador importante: o tempo de cobertura do estoque.

O tempo de cobertura do estoque, fornecido pela relação entre o nº. de dias


do período que se quer levantar e o giro do estoque nesse mesmo período,
indica o tempo que os níveis de estoque suportariam as operações da
empresa. Assim, se o índice de tempo de cobertura do estoque de
determinada empresa é igual a 10, deve-se entender que seus níveis de
estoque, ao giro observado no período, são suficientes para suportar 10 dias
de operação. Essa informação é estratégica para a reposição dos estoques
levando-se em conta a logística dos fornecedores que atendem a região da
empresa, para que não se corra riscos de desabastecimento.
A Pharma tem um giro de estoque que lhe permite um tempo de cobertura de
15 dias, satisfatório para a região amazônica, muito distante dos grandes
centros fornecedores e com condições adversas de transporte pela
precariedade das estradas.

3.2.4 Processo de Compras


Num mercado cada vez mais competitivo, o processo de compras não deve
apenas se limitar ao contato com os fornecedores e à formalização dos
pedidos de estoques. É preciso comprar bem e com qualidade, aos melhores
custos sem comprometer a qualidade, os prazos e as operações da empresa.
O departamento de compras deve estar atento ao que comprar, quando e
quanto comprar, como também observar o momento adequado para as
reposições. Claro está que o setor de Compras deve ter, em tempo real, o
controle contábil do estoque para estar atento a essas necessidades.

Nas atuais tendências da administração de materiais, Compras deixa de ser


uma atividade burocrática para estar conectada a um conceito de maior
integração com a empresa, compondo o seu processo logístico como um
todo. Deve estar atrelada à marketing, produção e estoque para alcançar os
resultados almejados pela empresa.
Os recursos tecnológicos, de informática sobretudo, têm impulsionado uma
maior segurança à Compras na hora de repor estoques.Martins (2002) cita
por exemplo a tecnologia EDI (Eletronic Data Interchange) onde por meio de
tecnologias de comunicação eletrônica por internet, o computador de uma
empresa-cliente troca dados com o computador da empresa fornecedora,
mostrando o momento de efetuar reposição de estoques,bastando somente a
validação do pedido pelo departamento de compras. Essa tecnologia é
coadjuvada pela estratégia ECR (Efficient Consumer Response) que por meio
de recursos de informática e códigos de barras,consegue identificar as
12
REFERÊNCIAS

CAMPOS, José Carlos Sampaio Moura. Fundamentos da Administração.


São Paulo: 2010. (Apostila Unip Curso Gestão Financeira 1/2010).

YAMAMOTO, Iara. Comunicação Empresarial. São Paulo:2010 (Apostila


Unip Curso Gestão Financeira 1/2010).

MÔNACO, Elisângela; SOUZA, Luciano. Técnicas de Informática. São


Paulo:2010. (Apostila Unip Curso Gestão Financeira 1/2010).

Mankiw, N. Gregory. Introdução à Economia : edição compacta. São


Paulo:Pioneira Thomson Learning,2005. 575 p.

Você também pode gostar