Você está na página 1de 12

INTRODUÇÃO

Neste presente trabalho vai-se falar sobre a abordagem quantitativa da gestão que esta dividida
em três subtemas referentes: Investigação operacional, Gestão das operações, Sistemas de
informação, encontra-se assuntos ligados a funcionamento de uma organização ou empresa com
uma gestão muito eficiente e eficaz, onde a abordagem de gestão quantitativa envolve o uso de
modelagem matemática para encontrar as melhores soluções para os problemas. Para a parte das
operações também trata-se de análise do processo, classificação dos processos e processos
críticos numa gestão de operações e por fim a os sistemas de informação que envolve as suas
funções e tipos de sistemas de informação.
OBJECTIVOS

Geral:

 Identificar os aspectos relevantes relacionados a abordagem da quantitativa de gestão.

Específicos:

 Conceber as características existentes na investigação operacional;


 Descrever os processos da análise de gestão das operações;
 Interpretar a tipologia dos sistemas de informação e suas classificações.
ABORDAGEM QUANTITATIVA DA GESTÃO

A abordagem de gestão quantitativa envolve o uso de modelagem matemática para encontrar as


melhores soluções para os problemas. Isto pode ser aplicado a uma variedade de desafios de
local de trabalho, que vão desde a tomada de decisões durante o desenvolvimento de produto
para resolver conflitos de empregado. É também conhecida como pesquisa operacional e
envolve um objectivo, a abordagem estruturada a problemas ou soluções. Muitas indústrias
podem ser adequadas a esta filosofia de gestão. Um componente importante da abordagem de
gestão quantitativa é colectar informações sobre um problema e possíveis soluções. Esta
abordagem permite a avaliação mais objectiva dos problemas no local de trabalho, que pode ser
útil em locais de trabalho tensos que lidam com projectos de apostas altas. Além disso, esta
abordagem pode ajudar as empresas a estabelecer linhas de base e os objectivos que são
facilmente quantificáveis.

Investigação operacional

É uma ciência aplicada, com função de melhorar a organizar, isto e, usando recursos materiais,
financeiros, para um bom funcionamento, uma boa produtividade.

Segundo Wagner; “Investigação Operacional é um tratamento científico da resolução de


problemas de gestão”

Para Ecker e Kupfeschmid; “ Investigação Operacional é o uso de modelos quantitativos para


analisar e prever o comportamento de sistemas que são influenciados por decisões Humanas” A
revolução industrial influenciou para o aparecimento da Investigação Operacional como ciência.

Com o crescimento considerado de empresas tanto em dimensão como em complexidade, os


problemas também foram ficando cada vez maiores, problemasestes relacionados a perda da
coordenação com as actividades e objectivos, e também relacionados com o aumento da
complexidade e especialização, tornando mais difícil a distribuição dos recursos disponíveis
pelas várias actividades. O seu nome “Investigação Operacional” era referido a actividades da 2ª
Guerra Mundial. Surgindo neste mesmo período, com o objectivo de poder resolver problemas
relacionados aos recursos lógicos e as operações das forças armadas de grande dimensão e
complexas.
Natureza da investigação operacional

Aplica-se a problemas de condução e coordenação de operações ou actividades numa


organização. A natureza da organização é essencialmente imaterial: comércio, indústria,
administração civil ou militar, hospitais, etc. O método da Investigação Operacional é o método
científico, observação, formulação do problema e construção dum modelo científico
(matemático) que procura extrair a essência do problema real.

Característica da investigação operacional

 Visão sistémica: O estudo da Investigação Operacional consiste em construir um modelo


de um sistema real existente como meio de analisar e compreender o comportamento
desta situação. Esta visão é actualmente a mais importante da tendência da administração;
 A abordagem por equipa: Na Investigação Operacional é necessário utilizar a
abordagem de equipas inter-disciplinares (formação de conjuntos e subconjuntos de
equipas entre o pessoal técnico, treinado, mestres, especialistas, etc.) para fazer um
esforço conducente a determinação da melhor forma de utilização de recursos limitados.
 Uso de modelos matemáticos mais formais através de técnicas estatísticas e ou
quantitativas: esta característica facilita o processo de análise e decisão pela
visualização da estrutura real em análise e pela representação e análise das informações e
suas inter-relações;
 Buscar a optimização da solução de um problema: que consiste em seleccionar a
alternativa que melhor conduzirá a maximização dos lucros ou minimização dos custos.
 Emprego de simulação sobre os modelos: que consiste em imitar um funcionamento de
um sistema real, que não pode ser compreendido tal como está, recorrendo a uma
representação adequada para fins experimentais ou de estudo deste sistema real, desde
que o sistema real seja determinístico ou não estocástico.

Passos para a resolução de um problema

O problema deve ser analisado a partir da um sistema integrado, onde interactuam várias
componentes, todas elas interdependentes, para o qual é preciso obter uma solução óptima
que satisfaça a todas elas. Num problema mal formulado é muito difícil procurar uma
solução certa. Para resolução de problemas é necessário:

1º Formulação: Para formular correctamente um problema de investigação Operacional e


preciso definir correctamente: os objectivos (os que se pretende alcançar com a resolução do
problema), e as restrições ou limitações (definidas pelas relações de interdependência entre
as componentes integrantes do sistema).

2º Modelação: Para construir um modelo matemático, é necessário que perceber que um


modelo é uma representação simplificada de uma situação da vida real que reflecte a essência
do problema, representando as relações de interdependência. Modelo matemático é onde são
apresentados os dados de um problema, podendo ser apresentados num gráfico ou uma
tabela. O modelo matemático possibilita uma melhor compreensão de essência do problema.
Num modelo matemático, são incluídos três conjuntos principais de elementos:

 Variáveis de decisão e parâmetros: Variáveis de decisão são as incógnitas a serem


determinadas pela solução do modelo. Parâmetros são valores fixos no problema;
 Restrições: de modo a levar em conta as limitações físicas do sistema, o modelo deve
incluir restrições que limitam as variáveis de decisão a seus valores possíveis (ou
viáveis);
 Função Objectivo: é uma função matemática que define a qualidade da solução em
função das variáveis de decisão.

Metodologia da Investigação Operacional


A metodologia da Investigação Operacional utiliza 4 recursos importantes:

1. A análise sistémica e a definição do problema como pertencente a um todo, sendo


equacionadas as perspectivas de todos os sectores da empresa e recolhida toda a informação
relevante. É feita uma descrição sumária da situação, a análise do contexto do problema e do
objectivo a que se destina o estudo.
2. A interdisciplinaridade na visão do problema. Os fenómenos em estudo só são cabalmente
compreendidos quando exista o contributo de todas as áreas de especialidade relevantes para o
assunto em causa.

3. A utilização de modelos. As situações reais não são experimentáveis, logo recorre-se a


modelos, que representam a realidade de forma mais simples, para a estudar e interpretar.

Gestão de operações

Gestão de operações está envolvida ao longo de todo o processo de uma empresa, é a actividade
de gerir recursos indispensáveis para a produção e distribuição de bens e serviços. Para além de
gerir recursos ajuda a planear e a controlar o sistema.

Bem, ela trata da maneira pela qual são gerenciados os recursos destinados a produção de algum
bem e/ou serviço, afinal toda organização produz algo (produto/serviço), todavia, não se pode
olvidar que nem sempre os responsáveis pela produção ou operações são denominados Gerentes
de operações/produção, podendo em virtude da responsabilidade especifica que os mesmos
possuem serem denominados com outros títulos.

É um processo de transformação pois pega em recursos e vai:

 Desenhar;
 Melhorar;
 Planear e controlar.
Os produtos ou serviços que vão ser vendidos ao cliente.

As operações podem ser analisadas a 3 níveis:

 Ao nível de supply network;


 Ao nível das operações;
 Ao nível do processo.
Análise de Processo

Análise do processo Documentação e compreensão detalhada de como o trabalho é


desempenhado e como pode ser redesenhado.

Processo: Grupo de tarefas interligadas por fluxos de informação e bens que transformam inputs
e outputs com criação de valor.

Diagrama de processo: Representa os elementos principais do processo.

Isto inclui:

 Actividades;
 Pontos de armazenamento;
 Pontos de decisão;
 Começo ou fim do processo;
 Direcção do input.

Os processos podem ser classificados:

Produção de bens Produção de serviços


Obtém-se produtos tangíveis Obtém-se produtos intangíveis
Podem ser armazenados Não podem ser armazenados
Baixo contacto com consumidor Alto contacto com o consumidor
Capital intensivo Trabalho intensivo
A qualidade é facilmente medida A qualidade é difícil de medir
Note-se que a maior parte das empresas oferece igualmente bens e serviços.

Há 3 processos críticos na análise de processos:

 Bottleneck: Recurso que limita a capacidade da empresa para produzir mais, e


consequentemente vender mais.
 Little’sLaw: A capacidade de um processo depende do nível de inventários e do lead time
(throughput time), onde a capacidade é medida por output por unidade de tempo, e o lead
time é o tempo médio que o output leva para fazer todo o processo.
 Capacidade e variabilidade: Qualquer sistema com variabilidade, procura e tempo de
processamento precisa de ter uma capacidade acima do nível médio da procura. Uma forma
de conseguir isto é através de economias ou deseconomias de escala.

Controlo do processo

O controlo do processo preocupa-se com o controle de qualidade enquanto o produto ou serviço


está a ser produzido. Os seus objectivos são de proporcionar em tempo útil informação sobre os
itens que estão a ser produzidos, e detectar mudanças no processo que sinalizem que os produtos
futuros talvez não atendam às especificações.

O controlo estatístico do processo consiste na aplicação de técnicas estatísticas para determinar


se um processo está a satisfazer as necessidades do cliente.

Áreas de decisão das operações

Em função da natureza dos objectos de decisão, pode-se dividir as operaçõesem cinco áreas de
decisão:
 Qualidade: (o que produzir) – concepção e controlo das Características;
 Capacidade: (quanto produzir) – planeamento e programação;
 Stocks: (com o que produzir e quando) - necessidades de matérias e do mercado;
 Força de Trabalho: (com quem produzir) – qualificação, desempenho, motivação.

Sistemas de informação

Sistema: conjunto de partes integrantes e interdependentes que, conjuntamente, formam um todo


unitário com determinado objectivo e efectuam determinada função.
Informação - Dados organizados de forma a proporcionarem sentido e valor para o receptor.

Sistemas de Informação
Conjuntos de componentes inter-relacionados que coletam, processam, armazenam e distribuem
informações para apoiar ocontrolo e a tomada de decisão em uma organização.
Além do suporte à tomada de decisão, coordenação, controle, sistemas de informação auxiliam
gerentes e funcionários aanalisar problemas, visualizar soluções e tambémcriar novos produtos.
Um sistema de informação poe a disposição de uma organização toda a informação disponível
considerada útil para facilitar o seu funcionamento, a sua gestão e as tomadas de decisão. O
objetivo de um sistema de informação e suportar estrategicamente o negocio, seja qual for a
natureza deste.

Sistemas de Informação
Um Sistemas de Informação contém informação sobre uma organização e seu ambiente
Três actividades básicas produzem as necessidades deinformação da organização:
 Entrada;
 Processamento;
 Saída.
Feedback: uma saída que retorna a pessoa ou actividade apropriada na organização para avaliar
e refinar a entrada.

Classificação dos Sistemas de Informação


Os sistemas de informação podem ser considerados de vários pontos de vista, uns baseados na
tecnologia que lhes esta subjacente e outros tendo em conta a utilização que lhes e feita.
 Sistemas de processamento de dados
 Sistemas de informação para a gestão
 Sistemas de Suporte a decisão
 Sistemas de informação para executivos
 Sistemas periciais
Sistemas de Processamento de Dados
São executadas as instruções que tenham sido previamente definidas e incluídas nos programas.
Ex: Uma aplicação isolada, se salários processa os registos dos empregados para que lhes seja
pago o que lhes e devido, mantem esses registos atualizados e produz alguns documentos,
previamente definidos e programados.
Sistemas de Informação para a Gestão
É a estrutura integrada de bases de dados e de fluxos de informação, que optimiza a recolha,
transferência e apresentação da informação através dos diferentes níveis de uma organização.
Sistemas de Suporte a Decisão
São um conjunto se meios tecnológicos (hardware e Software) que põem a disposição de quem
tem que tomar decisões, tanto a nível estratégico como a nível tático, e que tendem a otimizar os
resultados obtidos, melhorando assim a qualidade das decisões.
Sistemas de Informação para Executivos
Podem ser encarados como um subconjunto dos sistemas de suporte a decisão, mas destinam-se
a ser usados pelos níveis mais elevados de gestores dentro da hierarquia das organizações.
Sistemas Periciais
Quando se fala de Sistremas periciais, entra-se no domínio da chamada inteligência artificial.Os
Sistemas Periciais são aplicações informáticas que têm por objectivo resolver problemas
complexos de forma idêntica à utilizada pelos peritos humanos. Nos sistemas periciais é
simulado, informaticamente, um sistema que actue do mesmo modo que um perito ou
especialista num determinado domínio específico.

Funções de um Sistema de Informação


 Entrada;
 Processamento;
 Saída;
 Feedback.
CONCLUSÃO
No trabalho acima abordado conclui-se que as organizações precisam desses pequenos assuntos
que acabam sendo maiores pela sua participação de uma organização com sucesso uma vez que
qualquer empresa precisa de uma investigação profunda sobre as suas operações, como são
organizadas as coisas dentro de uma organização, como são tratados os funcionários ou
colaboradores colocando a pessoa certa no lugar certo, tratando também da gestão das operações
como aspectos fundamentais para uma organização porque envolve todo funcionamento de uma
organização para alcance dos objectivos com eficiência e eficácia e também os sistemas de
informações, apresentou se aqui como os sistemas de informações numa organização são feitas e
organizados.
REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

1. Carvalho, introdução a investigação operacional, 2004;


2. LOPES, Maria J. M. (1997). Sistemas de Informação Para a Gestão. Lisboa;
3. MULENGA, Alberto C. Investigação Operacional.

Você também pode gostar