Você está na página 1de 99

J.

Teykal 01
Carga Térmica

Ventilação ou Renovação
Infiltração
VARIÁVEIS CONTROLADAS:
Escape T – UR – F – V – P

Tipos de Ventilação
Ventilação Natural (aberturas)
Ventilação Forçada (ventiladores)
Geral Diluidora
Local Exaustora
J.Teykal 02
Carga Térmica
ventilação mecânica
Qx
exaustão
P– 2 3
1

insuflação 5

P+
1 2 3 4
Qi

Qx
misto
P + ou –

Qi
J.Teykal 03
Carga Térmica

Ar-condicionado

Sem renovação forçada


Com renovação forçada
100% Ar Exterior
J.Teykal 04
Carga Térmica
sem renovação forçada

Qi (L/s) = qs (W) ÷ (1,23 x dt) Ar Padrão


Qe = m3/h pess ou Qe = vazão/m2 1,204 kg/m3

TAE
Qe F S
Qm Qi

D P+

Qm = Qe + Qr = Qi Qr Qx
Qe = Qx
D = damper F = filtro S = serpentina
J.Teykal 05
Carga Térmica
com renovação forçada

Qi (L/s) = qs (W) ÷ (1,23 x dt)


Qe = m3/h pess ou Qe = vazão/m2
Qm
CAIXA VENT F S
Qi
Qe

D P+

Qr

Qr Qx

D = damper F = filtro S = serpentina


J.Teykal 06
Carga Térmica
100% AE
Qi (L/s) = qs (W) ÷ (1,23 x dt)
Qe = m3/h pess ou Qe = vazão/m2

F S
TAE
Qi

Qe

P+
ou −

Qx

Qe = Qi D = damper F = filtro S = serpentina


J.Teykal 07
Carga Térmica
Taxa de troca = I (válido p/ Qe ou Qi)
Decreto 22.281 (GEM – trocas por hora)
Exemplo: sanitário Vo = 10m3 e I = 15 R/h (GEM)
Vazão de exaustão = Vo x I = 10 m3 x 15 R/h = 150 m3/h

ACH = air changes per hour = I


NBR 7256/2005 (m3/h.m2)  Qe ou Qi

Renovação por pessoa


Portaria 3523 (Resolução 9 ANVISA)
NBR 16401/2008 (ASHRAE 62.1.2004)
J.Teykal 08
Carga Térmica
NBR 16401/2008 (ASHRAE 62.1.2004)
vazão efetiva na zona = Qefz = Pz x Fp + A x Fa
Fp e Fa em 3 níveis de QAI

vazão suprida na zona = Qsz = Qefz / Ez


Ez = eficiência da ventilação na zona

Qr Qi

Qi Qr
piso elevado

Deslocamento Mistura
CORTE
Ez = 1,2 Ez = 1,0
J.Teykal 09
Carga Térmica
NBR 16401/2008 (ASHRAE 62.1.2004)
Qe suprida pelo sistema (várias zonas) = ΣQsz / Ev
Várias zonas Qe = [D x Σ(Pz x Fp) + Σ(A x Fa)] / Ev
Ev = eficiência do sistema em suprir Qe
Sendo D = fator de diversidade de ocupação
D = Ps / ΣPz maior Qsz / Qiz Ev
0,15 1,0
Ps = total simultâneo
ΣPz = total previsto 0,25 0,9
0,55 0,6
Qe sup sist = Qsz (zona única ou 100%AE)
J.Teykal 10
Carga Térmica
Exemplo

Qi = 2000m3/h
Qsup sist = Qe condicionador

Ez = 1,0
Qsz1 + Qsz2 = 100 + 200 = 300m3/h
Zona 1 Zona 2
D = 1,0 (100% ocupação)
Qiz1 = 1000m3/h Qiz2 = 1000m3/h
Qiz = insuflada na zona
Qsz1 = 100m3/h Qsz2 = 200m3/h
Qsz1 ÷ Qiz1 = 100 ÷ 1000 = 0,1

Qsz2 ÷ Qiz2 = 200 ÷ 1000 = 0,2 (maior relação Qsz ÷ Qiz)

Qsup sist = Qe = Σ Qsz ÷ Ev = (100 + 200) ÷ 0,9 = 333m3/h


J.Teykal 11
Carga Térmica
Planilha de Cálculo de Ar Exterior
NBR 16401 – NÍVEL 1 – UM CONDICIONADOR CENTRAL

Local Area m² Fa L/s área Pessoas Fp L/s pess Qefz L/s Qefz m3/h Ez Qsz m3/h QI m3/h Zae
reunião 6.0 0.3 1.8 4 2.5 10.0 12 42 1.0 42 400 0.11
staff circulação 72.0 0.3 21.6 11 2.5 27.5 49 177 1.0 177 2,500 0.07
comercial circul 33.0 0.3 9.9 5 2.5 12.5 22 81 1.0 81 1,000 0.08
dir adm 12.0 0.3 3.6 1 2.5 2.5 6 22 1.0 22 500 0.04
pr 13.5 0.3 4.1 1 2.5 2.5 7 24 1.0 24 500 0.05
dir mkt 15.0 0.3 4.5 1 2.5 2.5 7 25 1.0 25 500 0.05
reunião maior 18.0 0.3 5.4 8 2.5 20.0 25 91 1.0 91 700 0.13
degustação 18.0 0.3 5.4 4 2.5 10.0 15 55 1.0 55 700 0.08
recepção 23.5 0.3 7.1 1 2.5 2.5 10 34 1.0 34 500 0.07
cpd 3.0 0.3 0.9 0 2.5 0.0 1 3 1.0 3 1,000 0.00
copa 9.0 1.5 13.5 0 2.5 0.0 14 49 1.0 49 500 0.10
TOTAIS 223.0 77.7 90.0 604

VAZÃO TOTAL DO SISTEMA Correção Zae


Correção Ez (tabela simplificada) Qe/Qi Ev
Qe total área m3/h 280 Configuração da Distribuição de Ar Ez <=0,15 1.0
Qe total pessoas m3/h 324 Insuflação de ar frio pelo forro 1.0 <=0,25 0.9
Demanda pessoas 1.00 Fluxo de deslocamento baixa velocidade 1.2 <=0,35 0.8
Qe total 604 Ar reposição lado oposto ao retorno/exaustão 0.8 <=0,45 0.7
Maior Zae 0.13 <=0,55 0.6
Ev 1.00
Qe TOTAL NBR 604
J.Teykal 12
Carga Térmica
Exemplo de carga térmica

PÉ DIREITO = 3 m ALTURA DO FORRO = 40 cm

20 m
10 m

ESCRITÓRIO

14 PESSOAS / 100 M2 (NBR16401- DENSIDADE MÉDIA)


Página 11 - APOSTILA
J.Teykal 13
Carga Térmica
Exemplo de carga térmica
Projeto
14 pessoas/100m2 => 28 pessoas em 200 m2 – adotado 30 pessoas

NBR16401 (Nível 1)

Qefz = 30 pessoas x 2,5L/s.pessoa + 200 m2 x 0,3L/s.m2 = 135 L/s


eficaz na zona
Qsz = 135 L/s ÷ Ez = Qefz (Ez = 1,0) a ser suprida na zona

Qe = Qsz (zona única – não há correção de Ev)

ANVISA

Qe = 30 pessoas x 27m3/h.pessoa = 810 m3/h = 225 L/s ADOTADO

Exercício – Loja com 1000m2 e 150pessoas Nível 1 NBR16401


J.Teykal 14
Carga Térmica

Percentual de Ar Exterior (10 a 40%) = Qe/Qi

Infiltração Vedação a b c
Boa 0,15 0,010 0,007
Média 0,20 0,015 0,014
Má 0,25 0,020 0,022
ACH = a + b V + c (te – ti)

a, b, c = constantes experimentais
V = velocidade vento = 3,33m/s (= 7,5mph = 12km/h)

Exercício – Vedação média, 12km/h, te = 38C e ti = 23C

ACH = 0,20 + 0,015 x 3,33m/s + 0,014 (38 – 23) = 0,46 R/h

Infiltração desprezada se Qe = ou > que 1,5ACH (NBR 6401)


J.Teykal 15
Carga Térmica
Exemplo de Carga Térmica: Pé direito útil (abaixo do forro)

Volume do ambiente = 200 m2 x 2,6 m = 520 m3

Ar exterior calculado = 810 m3/h

Taxa renovação de ar ext = 810 m3/h ÷ 520 m3 = 1,56 R/h

 Sem infiltração

Estimativa de escape:

Qx (m3/s) = 0,872 x A (m2) x dP0,5 (Pa) sendo:

A = área de fresta porta de acesso (considerada 0,03 m2)


dP = diferença pressão na porta (adotada 20 Pa)

Qx (m3/s) = 0,872 x 0,03 x 200,5 = 0,117 m3/s = 421 m3/h


J.Teykal 16
Carga Térmica
Qualidade do Ar Interior
Síndrome do Edifício Doente (SED)
Sintomas da SED
Fatores que geram a SED
Contaminantes
mg/m3)
Particulados (m
Microbiológicos (ufc)
Químicos (CO2)

Físicos (t, UR, V, renovação, pureza)


J.Teykal 17
Carga Térmica
Portaria 3523 (Min. Saúde - 28/08/98)

Ar exterior com filtragem G1

Renovação mínima de 27 m3/h.pessoa

Manter responsável técnico para instalações


acima 5TR

Implantar e manter PMOC conforme


NBR 13917:1997
J.Teykal 18
Carga Térmica

M5

M6
J.Teykal 19
Carga Térmica
Resolução 9 (Anvisa - 16/01/03)
Define Padrões Referenciais:
- 27 ou 17 m3/h.pessoa
- Filtragem G1 (Qe) e G3 (Qm) Nosso projeto

- V ambiente ≤ 0,25m/s 23º C e 50% UR

temp C UR %
Aplicação
min max min max
Conforto em geral 23 26 40 65
Obras de arte 21 23 40 55
Acesso −− 28 −− 70
J.Teykal 20
Carga Térmica
Resolução 9 (Anvisa - 16/01/03)

Estabelece Normas Técnicas para avaliação


NT001 – concentração ufc’s (750 / m3)
NT002 – concentração CO2 (1000 ppm)
NT003 – parâmetros físicos (t, UR, V)
NT004 – concentração particulados (80 µg/m3)
J.Teykal 21
Carga Térmica

NBR 16401:2008

Parte 1 – Projeto das instalações

Parte 2 – Parâmetros de conforto térmico

Parte 3 – Qualidade do ar interior

Não aplicável a sistemas unitários cuja soma das


capacidades nominais seja < 10,0kW (2,86 TR)
J.Teykal 22
Carga Térmica

Condições internas (NBR 16401:2008)


faixa de conforto (para 1 clo e 1,0 a 1,2 met)
- to de 22,5º C a 25,5º C e UR 65%
- to de 23,0º C a 26,0º C e UR 35%

to = temperatura operativa = C ta + (1 – C) trm


ta = temperatura do ambiente (BS)
trm = temperatura radiante média
C = parâmetro adimensional
J.Teykal 23
Carga Térmica
Superfície Radiante
J.Teykal 24
Carga Térmica

Condições internas (NBR 16401:2008)


se Var ambiente < 0,2m/s ou trm – ta < 4º C
C = 0,5 e
to = 0,5ta + (1 – 0,5)trm ou
to = 0,5 (ta + trm)

se trm = ta + 4 => to = 0,5 (ta + (ta + 4)) = ta + 2

trm obtida a partir de cálculos complexos ou da


medição da temperatura de globo tg
J.Teykal 25
Carga Térmica
Condições internas (NBR 16401:2008)
Classes de Filtragem
-mínima do ar exterior G4 (EN779)
-condicionadores classe M5 (com exceções)
-admissível G3 em condicionadores de pequeno
porte se TAE c/ filtro conforme a aplicação
Filtragem recomendada nos condicionadores
Aplicação Filtragem
Escritórios em geral M5
Teatro, Cinema, Auditório, Culto, Sala de Aula M5
Residências G3
Lanchonete, Cafeteria G4
J.Teykal 26
Carga Térmica
NBR 16655:2018

Parte 1 – Projeto e instalação


Anexo A – filtragem AE = M5 se G4 no condicionador
– filtragem AE = F9 se <G4 no condicionador
(orientativo)
Parte 2 – Procedimentos para ensaio de estanqueidade,
desidratação e carga de fluido frigorífico

Parte 3 – Método de cálculo de carga térmica residencial

Aplicável a condicionadores compactos ou divididos


com capacidade nominal de até 18,0kW (5,0 TR)
J.Teykal 27
Carga Térmica
Transferência de calor
condução – em meio estacionário (sólido)
convecção – entre superfície e fluido em movimento
radiação – entre superfícies mesmo na ausência de matéria

Em construções
fluxo de calor por
condução e
fluxo de calor por convecção
condução e
convecção

radiação transmitida
radiação transmitida
te ta

SUPERFÍCIES TRANSLÚCIDAS
SUPERFÍCIES OPACAS
GC = U A DT
GC = U A DT
GC = A (Rt + Ra)
GC = Ganho de Calor
J.Teykal 28
Carga Térmica
NBR 15220-1/2
Método das Resistências

t1 > t2
t1 t2

R A
t1
t2
t2

GC

t1

GC (W) = A (m2) x (t1 – t2) oC


R (m2.oC/W)
J.Teykal 29
Carga Térmica
Várias camadas
t1 t2 t3 t4
e1 e2 e3

R1 R2 R3

t1 t2 Rt = R1 + R2 + ... + Rn
t3
t4

Camadas de Materiais Homogêneos


R (m2.oC/W) = e (m)
k (W/m.oC)
k pág. 27
J.Teykal 30
Carga Térmica

Camadas de Materiais Não Homogêneos


Ro = m2.oC/W  TABELADO OU CALCULADO
Ro
Material
m2.oC/W Ro pág. 28
Bloco de concreto 2400 kg/m3 de 39 x
19 x 9 cm (L x H x P) com 2 furos 0,1312
verticais de 16,5 x 5 cm
Tijolo cerâmico 1600 kg/m3 de 32 x 16
x 10 cm (L x P x H) com 6 furos 0,2321
horizontais de 4 x 3 cm
homogênea fluxo de calor
NBR 15220 heterogênea
J.Teykal 31
Carga Térmica
Câmaras de Ar - Rca
Resistência térmica da Câmara de Ar – Rca (m2.oC/W)
Natureza da Superfície Espessura Direção do Fluxo de Calor
NÃO METÁLICOS

Externa (cm) Horiz. Ascend. Descend.


Superfície de alta
1,0 <= e =< 2,0 0,14 0,13 0,15
emissividade
Superfície de alta
2,0 < e =< 5,0 0,16 0,13 0,18
emissividade
Superfície de alta
e > 5,0 0,17 0,14 0,21
emissividade
Superfície de baixa
1,0 <= e =< 2,0 0,29 0,23 0,29
emissividade
METÁLICOS

Superfície de baixa
2,0 < e =< 5,0 0,37 0,25 0,43
emissividade
Superfície de baixa
e > 5,0 0,34 0,27 0,61
emissividade
J.Teykal 32
Carga Térmica

Convecção
Coeficiente de filme h (W/m2.oC)
Rar = 1 / h
Rar = m2.oC/W  TABELADO (NBR 15220)

Superfície / Direção do Fluxo de Calor Rar (m2.oC/W)


Interna / Fluxo Horizontal (Paredes/Janelas) 0,13
Interna / Fluxo Descendente (Teto) 0,17
Interna / Fluxo Ascendente (Piso) 0,10
Externa / Qualquer direção 0,04
J.Teykal 33
Carga Térmica
Convecção
ambiente ambiente ambiente ambiente
externo interno interno Interno
0,04 0,13 0,13 0,13

AR COND AR COND

ambiente Ambiente Ambiente


externo interno interno
0,04 0,17 0,10 AR COND

AR COND Ambiente AR COND Ambiente Ambiente


interno interno interno
0,17 0,17 0,10

TELHADO TETO INTERNO PISO INTERNO


J.Teykal 34
Carga Térmica
EXEMPLO – centro de vidro ordinário 1/8” (sem esquadria)
Rt = Rar ext + Rv + Rar int
sendo Rv = e (m) / k (W/m.oC) = 0,003175 / 1,1 = 0,00289
(pág 27) (não considerado)

ambiente ambiente ambiente


externo interno externo
0,04 0,13 0,04

AR COND Ambiente
AR COND interno
0,17

Rt = 0,04 + 0,13 = 0,17 m2C/W Rt = 0,04 + 0,17 = 0,21 m2C/W


JANELA CLARABÓIA
Dif ~ 23,5%
J.Teykal 35
Carga Térmica
Condução e Convecção Combinadas
Rt = Rar ext + R1 + R2 + ... Rn + Rar int

Coeficiente Total de Transmissão de Calor


(ou Transmitância Térmica) te

U = 1 / Rt t1 t2

Superfícies planas t3
t4

q = U A (te – ta) ta

Sem incidência solar


J.Teykal 36
Carga Térmica

Superfícies Translúcidas

abertura centro esquadria


do vidro
borda ESQUADRIA
a) centro do vidro
b) alumínio s/ isolamento
c) alumínio c/ isolamento
d) madeira / vinil

material (a) (b) (c) (d)


vidro ordinário 3,2mm 5,91 6,42 6,07 5,55
policarbonato/acrílico 3,2mm 5,45 6,01 5,66 5,15
policarbonato/acrílico 6,4mm 5,00 5,60 5,25 4,75
J.Teykal 37
Carga Térmica NM

Exemplo de carga térmica


ÁREAS ABAIXO E ACIMA CONDICIONADAS

INTERNA NÃO CONDICIONADA

INTERNA CONDICIONADA
PÉ DIREITO = 3 m (2,6 m abaixo do forro)
INTERNA CONDICIONADA

20 m
10 m

30 pess
ESCRITÓRIO
Qe=810m3/h
23C/50%
Uv=6,07W/m2C
G4/M5
VIDRO H = 1 m

PAREDE EXTERNA NO
J.Teykal 38

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica

Levantamento geométrico

Orientação NO área bruta da fachada = 20 m x 3 m = 60 m2

vidro NO = 20 m x 1 m = 20 m2

parede NO = 60 m2 – 20 m2 = 40 m2

Parede interna = 60 m2

1 m (janela)
2,6 m 3m

CORTE
J.Teykal 39
Carga Térmica Exemplo de carga térmica
Paredes (externa e interna)
R1 – CONVECÇÃO EXTERNA
R2 – ARGAMASSA 2,5 cm
R3 – TIJOLO CERÂMICO VAZADO
R4 – ARGAMASSA 2,5 cm
R5 – CONVECÇÃO INTERNA

EXTERNA INTERNA

FLUXO DE CALOR
J.Teykal 40

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica

Transmitância da parede externa

R1 = 0,04 m2.C/W (Rar externa)

R2 = e (m) ÷ k (W/m.C) = 0,025 ÷ 1,15 = 0,0217 m2.C/W (homogênea) Pág 27

R3 = 0,2321 m2.C/W (heterogênea) Pág 28

R4 = 0,0217 m2.C/W ( = R2 )

R5 = 0,13 m2.C/W (Rar interna fluxo horizontal)

Rtotal = 0,4455 m2.C/W

U = 1 ÷ Rtotal = 2,2447 = 2,25 W/m2.C


J.Teykal 41

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica

Transmitância da parede interna

R1 = 0,13 m2.C/W (Rar interna – ambiente adjacente não condicionado)

R2 = e (m) ÷ k (W/m.C) = 0,025 ÷ 1,15 = 0,0217 m2.C/W (homogênea)

R3 = 0,2321 m2.C/W (heterogênea)

R4 = 0,0217 m2.C/W ( = R2 )

R5 = 0,13 m2.C/W (Rar interna fluxo horizontal)

Rtotal = 0,5355 m2.C/W

U = 1 ÷ Rtotal = 1,8674 = 1,87 W/m2.C − 20%)


(−
J.Teykal 42
Carga Térmica
Telhado Exemplo de carga térmica

FLUXO DE CALOR
R1 – CONVECÇÃO EXTERNA
EXTERNA

R2 – CERÂMICA 1 cm
1000 ~1300 kg/m3
R3 – CÂMARA DE AR > 5 cm

R4 – CONCRETO 10 cm
NORMAL
INTERNA
R5 – CONVECÇÃO INTERNA
J.Teykal 43

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica
Transmitância do telhado (não considerado no Projeto)

R1 = 0,04 m2.C/W (Rar externa)

R2 = e (m) ÷ k (W/m.C) = 0,01 ÷ 0,70 = 0,0143 m2.C/W (homogênea) Pág 27

R3 = 0,21 m2.C/W (Rca – alta emissiv., e>5cm e fluxo descendente) Pág 29

R4 = e (m) ÷ k (W/m.C) = 0,10 ÷ 1,75 = 0,0571 m2.C/W (homogênea)

R5 = 0,17 m2.C/W (Rar interna fluxo descendente)

Rtotal = 0,4914 m2.C/W

U = 1 ÷ Rtotal = 2,04 W/m2.C


J.Teykal 44
Carga Térmica
Redução da Transmitância com adoção de isolamento térmico:

Do cálculo anterior U = 2,04 W/m2.C e Rtotal = 0,4914 m2.C/W

Deseja-se Uteto (máx) = 0,5 W/m2.C

Rteto (min) = 1 / U = 1 / 0,5 W/m2.C = 2,0 m2.C/W

R mínima necessária do isolamento térmico (Ri): baixa


Ri (mín) = 2,0 – 0,4914 = 1,5086 m2.C/W

Adotando-se poliuretano extrudado com k = 0,03 W/m.C Pág 27

Ri (mín) = e / k sendo e a espessura em metros

e = Ri x k = 1,5086 m2.C/W x 0,03 W/m.C = 0,0453 m ~ 5 cm


J.Teykal 45
Carga Térmica

Conceitos Gerais
RI RA

Absortância = RA / RI

Refletância à radiação
RR
Transmitância à radiação RT
translúcida

Capacidade Térmica Ct = Σ ei ci ρi
(espessura, calor esp., massa esp.)
Atraso Térmico
J.Teykal 46
Carga Térmica
Exemplos: Cálculo da Capacidade (Ct) térmica de uma superfície:
NBR 15220
1- parede externa composta de cerâmica e concreto maciço

Cerâmica: espessura 1 cm, massa esp. 1000 kg/m3 e calor esp. 0,92 kJ/kg.C

Ct cerâmica = 0,01 m x 1000 kg/m3 x 0,92 kJ/kg.C = 9,2 kJ/m2.C

Concreto: espessura 20 cm, massa esp. 2300 kg/m3 e calor esp. 1,00 kJ/kg.C

Ct concreto = 0,20 m x 2300 kg/m3 x 1,00 kJ/kg.C = 460 kJ/m2.C

Capacidade térmica total da parede = 9,2 + 460 = 469,2 kJ/m2.C

2- vidro ordinário: espessura 3 mm, massa esp. 2700 kg/m3 e


calor esp. = 0,84 kJ/kg.C

Ct vidro ordinário = 0,003 m x 2700 kg/m3 x 0,84 kJ/kg.C = 6,8 kJ/m2.C


J.Teykal 47
Carga Térmica
Estimativa de Carga Térmica - Conceitos
Picos das cargas parciais não coincidentes

TR

1 5 10 15 20 24 hora
J.Teykal 48
Carga Térmica
N
Zona Térmica
1 2 2 3
O E
Sistema
4 5 5 6
Fluxos de Calor
Ganhos de Calor S

Carga Térmica ≠ Ganho de Calor


Calor Extraído ≠ Carga Térmica
Carga da Serpentina = ambiente + externas
J.Teykal 49
Carga Térmica
Ganhos de Calor
Sensíveis e Latentes

Qe
(5)
Qi
Qr
(1 e 2)

(5)
(2)
FONTES
INTERNAS (4)

sistema sem renovação forçada (3)


J.Teykal 50
Carga Térmica

Ganhos Latentes (Cargas Instantâneas)

Cargas Sensíveis (Cargas com Atraso)

Ganho de Calor % radiação % convecção


Vidro radiação sem proteção interna 100 0
Paredes externas e telhados 60 40
Iluminação fluorescente 50 50
Iluminação incandescente 80 20
Pessoas (sensível) 40 20
Equipamentos 20~80 80~20
Ar exterior e infiltração 0 100
J.Teykal 51
Carga Térmica

Ganho de Calor Sensível x Carga Térmica

carga real

calor armazenado

ganho

calor armazenado

início fim
J.Teykal 52
Carga Térmica

Metodologia de Cálculo de Carga Térmica

Ganhos Convecção Carga Taxa de


de calor Térmica extração

Radiação Convecção
(com atraso)
Calor
Armazenado
J.Teykal 53
Carga Térmica
GANHOS DE CALOR CARGAS TÉRMICAS

CLTD / CLF
Sup. Externas Sup. Externas
Sensíveis Sensíveis

Sup. Internas
Sensíveis

CARGA TÉRMICA TOTAL


Pess,Ilum,Equips CLF Cargas Internas
Sensíveis Sensíveis

Pess, Equips
Latentes

Ar Exterior
Sensível

Ar Exterior
Latente

Outras cargas externas ao ambiente


Diversos
Sensíveis
J.Teykal 54
Carga Térmica
Métodos de Cálculo
TFM (Transfer Function Method)
TETD/TA (Total Equivalent Temperature Differencial
Method with Time Averaging)
CLTD/CLF (Cooling Load Temperature Differencial
Method with Cooling Load Factors
Residencial (CLTD/CLF simplificado – NBR 16655)
HB (Heat Balance Method)
ATUAIS
RTS (Radiant Time Series Method)
J.Teykal 55
Carga Térmica
TABELAS PÁG 76
Considerações Iniciais

Características da Construção
ORIENTAÇÃO, ÁREAS, MATERIAIS

Condições Climáticas Externas


SDU GAL
%
TBS TBUc TBS TBUc
RJO 15:00hs 0,4 34,0 25,2 38,1 25,6
1,0 32,7 25,0 36,2 25,3
2,0 31,8 24,9 35,0 25,2
J.Teykal 56
Carga Térmica
Variação Diária de Temperatura Correção te
Hora Fr
te = BS – Fr x DR 08 0,84
09 0,71
DR = 6,1 C (SDU) 10 0,56
DR = 9,8 C (GAL) 11 0,39
12 0,23
BS = temperatura máxima às 15:00 hs 13 0,11
14 0,03
15 0
tm DR 16 0,03
17 0,10
18 0,21

temperatura mínima = BS – DR

Exemplo: BS15h = 35C e DR = 10C  te8h = 35 – 0,84 x 10 = 26,6C


J.Teykal 57
Carga Térmica

Condições Internas NBR 16401/ 2008


RE09 ANVISA
NBR 7256 / 2005
Temperatura de Bulbo Seco (23º C)
Temperatura Operativa
Umidade Relativa (50%)
Renovação / Insuflação (810 m3/h)
Classe de Filtragem (M5 / G4)
(ADOTADOS NO EXEMPLO)
J.Teykal 58
Carga Térmica

Fontes Internas e Schedules (horários)


Ocupação (30 pessoas – adotado no exemplo)
Calor Dissipado por Pessoas
Iluminação
Outras Cargas Sensíveis e Latentes

Mês e Hora de Cálculo (maior carga térmica)


J.Teykal 59
Carga Térmica

Superfícies Translúcidas
N
Ângulos Solares
(CALCULADOS HORA A HORA)

O E

AZIMUTE DA
Φ Ψ PAREDE

S
ALTITUDE SOLAR normal à
β fachada

AZIMUTE SOLAR
J.Teykal 60
Carga Térmica

Sombreamento Externo

Ph
Rw

Rh
Sh
LINHA DE SOMBRA Pv

LINHA DE SOMBRA
Sw

PLANTA
(BRISE)

CORTE
(MARQUISE)
J.Teykal 61
Carga Térmica

Sombreamento Externo

área de sombra variável


devido a marquise

reveal

Sombreamento Interno
Persianas e cortinas
J.Teykal 62
Carga Térmica

Carga de Resfriamento de Superfícies Translúcidas


fluxo de calor por fluxo de calor por
condução e radiação
convecção
RI RA

SHGC

te ta
RT
RR

COEFICIENTE

SHGC = Fator Solar = FS = RT + RA (parte)


FS para vidro padrão ou ordinário (1/8”) = 0,87
(ADIMENSIONAL)
J.Teykal 63
Carga Térmica

Coeficiente de Sombra (SC) = FS / FS padrão


Vidro ordinário SC = 0,87 / 0,87 = 1,00
Tipo de superfície translúcida SC
PROJETO
Vidro ordinário espessura até 6,3 mm 1,00
Vidro ordinário espessura até 12,7 mm 0,95
Vidro ordinário com veneziana cor média 0,64
Vidro ordinário com veneziana cor clara 0,55
Vidro ordinário com cortina espessa 0,35
Vidro ordinário com cortina não espessa 0,80
Policarbonato claro 0,98
Policarbonato colorido 0,74
Acrílico claro 0,98

Exemplo: Fabricante  Fator solar = 0,4  SC = 0,4 / 0,87 = 0,46


J.Teykal 64
Carga Térmica

Fator SHGF (fator de ganho de calor solar)


Fator de Ganho de Calor Solar Máximo - SHGF (W/m2)
Orientação - Latitude 24 Sul
Mês
S SE/SO E/O NE/NO N Horiz
Dez 174 581 669 369 136 880
Jan 142 555 672 407 145 877
Fev 120 492 694 511 227 874
Mar 110 375 700 650 423 839

GC = Ganho de calor máximo (W)= A (m2)x SC x SHGF (W/m2)

GANHO DE CALOR NÃO É CARGA TÉRMICA !


J.Teykal 65
Carga Térmica
Carga de Resfriamento de Superfícies Translúcidas
Radiação
q = A x SC x SHGF x CLF (radiação) PGS. 77 / 78
CLF com sombreamento interno (resposta + rápida)
CLF sem sombreamento interno (resposta – rápida) L M P

Exemplo de Carga Térmica


Vidro ordinário SC = 1,0
NO máximo MAR = 650 W/m2
sem sombreamento interno massividade média 17horas CLF = 0,59
qVR = 20 m2 x 1,0 x 650 W/m2 x 0,59 = 7670 W

SHGF máximo define MÊS de cálculo da fachada


CLF máximo define HORA de cálculo da fachada
J.Teykal 66
Carga Térmica
Carga de Resfriamento de Superfícies Translúcidas
Condução / Convecção
q = U x A x CLTDc (convecção/condução)
78F 85F
CLTDc = CLTD + (25,5 – ta) + (tm – 29,4)
tm = temperatura externa média ao longo do dia = BS – DR / 2

Exemplo de Carga Térmica


CLTD às 17h = 7 C PG. 79
ta = 23 C , BS (15h) = 38,1 e DR = 10 C
tm = 38,1 – 10 ÷ 2 = 33,1 C
CLTDcorrigido = 7 + (25,5 – 23) + (33,1 – 29,4) = 13,2 C
qVC = 6,07 W/m2.C x 20 m2 x 13,2 C = 1602 W
J.Teykal 67
Carga Térmica
Carga de Resfriamento de Superfícies Opacas
RA
RI

Condução/Convecção
q

atraso
q = U x A x CLTDc RR
(delay)

te ta

CLTDc = [(CLTD + LM) x K + (25,5 – ta) + (tm – 29,4)] x f


J.Teykal 68
Carga Térmica

Valores de U tabelados ou calculados

K = 1,00 (escura); 0,83 (média); 0,65 (clara)

f = 0,75 (ático ventilado); 1,00 (demais casos)

LM Correção LM para Latitude 24o


Mês S SE/SO E/O NE/NO N Horiz
Dez 1,6 1,6 0,0 -2,2 -3,3 0,5
Jan 0,5 1,1 0,0 -1,6 -3,3 0,5
Fev -1,1 0,0 -0,5 -0,5 -1,6 0,0
Mar -1,6 -1,6 -0,5 0,5 1,2 -1,6
J.Teykal 69
Carga Térmica
Codificação de materiais de paredes e telhados:
Códigos de materiais de construção
Descrição Código
Resistência superficial externa A0
Reboco externo A1
Tijolo ou ladrilho de face A2
13 TELHADOS
Espaço de ar B1
Isolamento térmico 25 mm B5 7 PAREDES
Isolamento térmico B6
Madeira B7 MASSIVIDADE
Telha de barro C1 E U SIMILARES
Bloco de concreto leve C2
Tijolo comum C4
Concreto pesado C5
Tijolo comum C9
Concreto pesado C10 EXEMPLO
Concreto pesado C12
Concreto leve C14 PAREDE TIPO F
Resistência superficial interna E0
Argamassa interna E2

OBS: A (resistência externa, acabamento externo); B (isolamento, madeira, espaço de ar); C (cerâmica, concreto); E
(resistência interna, acabamento interno)
J.Teykal 70

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica
Parede externa condução/convecção

CLTD às 17h NO parede tipo F = 28 C

LM MARÇO / NO = + 0,5

K cor média = 0,83

f = 1,0 (não é ático ventilado é parede)

ta = 23 C , BS (15h) = 38,1 e DR = 10 C

tm = 38,1 – 10 ÷ 2 = 33,1 C

CLTDcorrigido = [(28 + 0,5) x 0,83 + (25,5 – 23) + (33,1 – 29,4)] x 1,0 = 29,9 C

qPE = 2,25 W/m2.C x 40 m2 x 29,9 C = 2691 W


J.Teykal 71
Carga Térmica
tj ti
Superfícies Internas adjacente interno

q = U x A x (tj – ta)

tj = temperatura do ambiente adjacente

na hora de cálculo da carga térmica

1ª opção tj = te – 3oC ou

2ª opção (tj – ta) = % x (te – ta)


J.Teykal 72
Carga Térmica
Exemplo de Carga Térmica: Parede interna condução/convecção

te (17h) = BS(15h) – Fr x DR = 38,1 C – 0,1 x 10,0 = 37,1 C

ta = 23,0 C

1a opção (não adotada no projeto)


tj = te – 3 = 37,1 C – 3,0 C = 34,1 C

qPI = 1,87 W/m2.C x 60 m2 x (34,1 – 23,0) C = 1245 W

2ª opção (adotada no projeto)


tj – ta = % (te – ta) adotando 50% por exemplo

qPI = 1,87 W/m2.C x 60 m2 x 0,5 (37,1 – 23) C = 791 W

Outras considerações para ambientes quentes e sanitários


J.Teykal 73
Carga Térmica
Fontes Internas (ocupação/ilum/equips)
CLF para Cargas Sensíveis (Latentes NÃO !)
Exceções – CLF = 1,00 (sem pré-resfriamento da estrutura)

Exemplo de carga térmica – SCHEDULES DE OPERAÇÃO

OCUPAÇÃO (PESSOAS): 08:00 às 18:00 hs (10 h ocupado)

ILUMINAÇÃO: 08:00 às 18:00 hs

EQUIPAMENTOS: 08:00 às 18:00 hs

SISTEMA DE AR CONDICIONADO: 07:00 às 18:00 hs


(considerar pré-resfriamento da estrutura)
J.Teykal 74
Carga Térmica
Ocupação
latente q = N x LHGp
sensível q = N x SHGp x CLF

Calor dissipado – pessoas


Nível da atividade SHGp LHGp
Sentado em repouso 67 35
Trabalho em escritório 72 60
Atividade sedentária 82 79
Atividade média 87 133
Atividade pesada 154 271
J.Teykal 75
Carga Térmica
Ocupação
CLF para pessoas - cargas sensíveis
Horas Horas após a entrada no ambiente
total
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
2 0.49 0.58 0.17 0.13 0.10 0.08 0.07 0.06 0.05 0.04 0.04 0.03
4 0.49 0.59 0.66 0.71 0.27 0.21 0.16 0.14 0.11 0.10 0.08 0.07
6 0.50 0.60 0.67 0.72 0.76 0.79 0.34 0.26 0.21 0.18 0.15 0.13
8 0.51 0.61 0.67 0.72 0.76 0.80 0.82 0.84 0.38 0.30 0.25 0.21
10 0.53 0.62 0.69 0.74 0.77 0.80 0.83 0.85 0.87 0.89 0.42 0.34
12 0.55 0.64 0.70 0.75 0.79 0.81 0.84 0.86 0.88 0.89 0.91 0.92

Exceções – alta concentração ou


ti variável / AC desligado GC CT
(nestes casos CLF = 1,0)
J.Teykal 76

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica
PESSOAS

q PESS lat = 30 (PESS) x 60 (W / PESS) = 1800 W

CONSIDERANDO:

10 hs de ocupação total

9 hs de tempo de permanência no recinto

CLF = 0,87

q PESS sens = 30 (PESS) x 72 (W / PESS) x 0,87 = 1879 W


J.Teykal 77
Carga Térmica
Iluminação Escritórios
16 W/m2

Fluorescentes
(alta eficiência – com reator)

Incandescentes
baixa eficiência
(abolidas)
LED (Diodo Emissor de Luz)
Escritórios
(altíssima eficiência – sem reator)
32 W/m2
J.Teykal 78
Carga Térmica

Iluminação
q = W x Fsa x Fut x CLF
piso superior
qp
plenum

qi

qp = calor da luminária p/ plenum; qi = calor da luminária p/ ambiente

Condições de instalação – ganhos de calor a considerar (fluorescentes):


Suspensa – lâmpada + reator no ambiente
Embutida com retorno pelo forro – lâmpada no ambiente e reator no retorno
Embutida sem retorno pelo forro – somente lâmpada no ambiente
J.Teykal 79
Carga Térmica
Iluminação
Luminárias - classificação "a"
Taxa movimentação
a Mobiliário Tipo de fixação
de ar
0,45 pesado sem carpete Baixa V <=2,5 Embutida sem ventilação
0,55 comum sem carpete Média V >=2,5 Embutida sem ventilação
comum com ou sem
0,65 Média V >=2,5 Embutida com ventilação
carpete
Retorno dutado Embutida com ventilação ou
0,75 qualquer tipo
através das luminárias dependurada com retorno dutado
OBS: V = movimentação de ar em L/s por m2

Luminárias - classificação "b"


MASSIVIDADE

Taxa de circulação de ar e difusão


Tipo de construção e massividade do
muito
piso baixa média alta
alta
piso de madeira 50mm (50 kg/m2) B A A A
piso de concreto 75mm (200 kg/m2) B B B A
piso de concreto 150mm (370 kg/m2) C C C B
piso de concreto 200mm (590 kg/m2) D D C C
J.Teykal 80
Carga Térmica
Taxas típicas de dissipação de calor pela iluminação

Iluminação Local Tipo de Iluminação


Potência dissipada
W/m2
Escritórios e bancos Fluorescente 16
Fluorescente 17
Lojas Fluorescente compacta 23
Tabelas para Vapor metálico 28
8, 10, 12, 14 e 16 h Residências
Fluorescente compacta 9
Incandescente 30

CLF - operação por 10 horas/dia


Número de horas após ativação da iluminação
“a” “b”
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
B 0.62 0.66 0.69 0.73 0.75 0.78 0.80 0.82 0.84 0.85
0.55
C 0.66 0.68 0.70 0.72 0.74 0.75 0.77 0.78 0.79 0.81
B 0.71 0.74 0.76 0.79 0.81 0.83 0.84 0.86 0.87 0.89
0.65
C 0.74 0.75 0.77 0.78 0.80 0.81 0.82 0.83 0.84 0.85
B 0.79 0.81 0.83 0.85 0.86 0.88 0.89 0.90 0.91 0.92
0.75
C 0.81 0.82 0.83 0.84 0.85 0.86 0.87 0.88 0.89 0.89

Exceções – schedule ar cond = schedule ilum ou ilum operando 24 h


J.Teykal 81

Carga Térmica
ILUMINAÇÃO Exemplo de carga térmica
CONSIDERANDO:

W = 16 W / m2 (NBR 16401 ) x 200 m2 = 3200 W

Fsa = 1,1 (1,0 luminárias + 0,1 reatores) (reatores - considerado 10%)

Fut = 1,0 (100% ativadas)

operação do ar cond. diferente da iluminação CLF ≠ 1

embutidas com ventilação (0,65)


média taxa ventilação e 370 kg/m2 (C) CLF = 0,84
9 horas desde ativação

q ILUM ambiente = 3200 (W) x 1,0 x 1,0 x 0,84 = 2688 W

GC ILUM retorno = 3200 (W) x 0,1 x 1,0 x 1,0 = 320 W (não é CT amb.!!)
J.Teykal 82
Carga Térmica
Equipamentos Acoplados a Motores Elétricos
Taxas típicas de dissipação de calor de motores elétricos
Potência Eficência a plena Localização em relação ao espaço
nominal carga condicionado ou fluxo de ar W
motor e motor fora / motor dentro /
CV kW % equipamento equipamento equipamento
dentro dentro fora
0.33 0.24 67.0 363 243 120
0.5 0.37 68.0 541 368 173
0.75 0.55 71.0 777 552 225
1.0 0.74 78.0 944 736 208
1.5 1.10 72.7 1,519 1,104 415
2.0 1.47 78.0 1,887 1,472 415
3.0 2.21 79.3 2,784 2,208 576
4.0 2.94 82.7 3,560 2,944 616
5.0 3.68 84.6 4,350 3,680 670
6.0 4.42 84.2 5,245 4,416 829
7.5 5.52 88.5 6,237 5,520 717
10.0 7.36 89.0 8,270 7,360 910
12.5 9.20 87.7 10,490 9,200 1,290
15.0 11.04 88.3 12,503 11,040 1,463
20.0 14.72 89.8 16,392 14,720 1,672
25.0 18.40 90.1 20,422 18,400 2,022
30.0 22.08 91.0 24,264 22,080 2,184
40.0 29.44 91.0 32,352 29,440 2,912
50.0 36.80 91.7 40,131 36,800 3,331
J.Teykal 83
Carga Térmica
Equipamentos Acoplados a Motores Elétricos

Ganhos de calor:

1- Motor + equipamento movido: GC = Pm / ηm


carga do ambiente
KVA calor

KW

fan-coil com motor de 2,0 CV  GC = 1887 W (TAB)


J.Teykal 84
Carga Térmica
Equipamentos Acoplados a Motores Elétricos
Ganhos de calor:
2- Somente equipamento / fluido movido: GC = Pm

3- Somente motor elétrico: GC = Pm (1/ηm - 1)


J.Teykal 85

Carga Térmica
Equipamentos Diversos (ver NBR 16401)
Ganhos de calor sensível

Ganhos de calor latente

Conversão dos Ganhos em Carga de Resfriamento


Motores acoplados a equipamentos:
q = GC x Fut x Fca x CLF (Fca de 0,75 a 1,10)

Outros equipamentos:
q = GC x Fut x CLF (sensível) ou q = GC x Fut (latente)
J.Teykal 86
Carga Térmica

Valores de CLF para motores e equipamentos

CLF p/ equipamentos sem exaustão localizada – cargas sensíveis


Total Horas após a entrada em operação
horas
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
2 0.56 0.64 0.15 0.11 0.08 0.07 0.06 0.05 0.04 0.04 0.03 0.03
4 0.57 0.65 0.71 0.75 0.23 0.18 0.14 0.12 0.10 0.08 0.07 0.06
6 0.57 0.65 0.71 0.76 0.79 0.82 0.29 0.22 0.18 0.15 0.13 0.11
8 0.58 0.66 0.72 0.76 0.80 0.82 0.85 0.87 0.33 0.26 0.21 0.18
10 0.60 0.68 0.73 0.77 0.81 0.83 0.85 0.87 0.89 0.90 0.36 0.29
12 0.62 0.69 0.75 0.79 0.82 0.84 0.86 0.88 0.89 0.91 0.92 0.93

Exceções – ar cond não contínuo ou equips operando 24h


J.Teykal 87

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica
EQUIPAMENTOS CONSIDERADOS (MICROS)
CONSIDERANDO: 30 pessoas
GC = 110 W / MICRO x 30 MICROS = 3300 W
Fut = 0,75 (75% operando)
CONSIDERANDO: Taxas típicas de dissipação de calor de equipamentos de escritório
Uso contínuo Modo economizador
Computadores
W W
10 hs de ocupação total Computadores
Valor médio 55 20
9 hs ativados Valor com fator de segurança 65 25
Valor com fator de segurança alto 75 30
Monitores
CLF = 0,89 Pequeno (13 pol. a 15 pol.) 55 0
Médio (16 pol. a 18 pol.) 70 0
Grande (19 pol. a 20 pol.) 80 0

q EQUIPS = GC x Fut x CLF = 3300 (W) x 0,75 x 0,89 = 2203 W


J.Teykal 88
Carga Térmica
Ar Exterior Ar Padrão
1,204 kg/m3
q = 1,23 Q (te – ta) (sensível)
q = 3,01 Q (We – Wa) (latente) (g/kg)

Ganhos Diversos se M5

Motor+Ventilador – 5 a 10% da CSA (condicionador)


Dutos – Ganho de Calor = 1% da CSA
‒ Escape = 1 a 3% da CSA
J.Teykal 89

Carga Térmica
Exemplo de carga térmica
AR EXTERIOR

DA CARTA PSICROMÉTRICA:

COND. EXTERNA (15h): BS = 38,1 oC E BU = 25,6 oC  We = 16 g / kg

COND. INTERNA: ta = 23,0 oC E UR = 50%  Wa = 9 g / kg

qAE sens = 1,23 x 225 (L/s) x (37,1 – 23,0) oC = 3902 W


810 m3/h te ta

We constante para pequenas variações de temperatura externa (37,1C)

qAE lat = 3,01 x 225 (L/s) x (16 – 9) g / kg = 4741 W


We Wa

Psyclone
J.Teykal 90
Carga Térmica
Ganhos ventilador/motor - Draw Through
4
Carga térmica do ambiente

3 4

referência
coil
J.Teykal 91
Carga Térmica
Ganhos ventilador/motor - Blow Through

4 2
3 M 3

2 3
Carga térmica 4
de retorno
J.Teykal 92
Carga Térmica Exemplo de carga térmica
Cargas Sensíveis do Ambiente Cargas Latentes do Ambiente
Radiação A m2 SC SHGF CLF W Pess Lat N LHGp W
NO 20 1 650 0.59 7,670 30 60 1,800
Cond/Conv A m2 U CLTD F seg % 10 180
Vidros 20 6.07 13.2 1,602 CLA 1,980
Parede NO 40 2.25 29.9 2,691
Parede int 60 1.87 7.05 791
Pess Sens N SHGp CLF
30 72 0.87 1,879
Iluminação W Fut Fsa CLF
3,200 1.0 1.0 0.84 2,688
Equips W Fut CLF
3,300 0.75 0.89 2,203
Sub-total % 19,524
F seg % 10 1,952
CSA 21,477
Cargas Adicionais
Iluminação 320 1 1 1 320
Carga de Ar Exterior Carga de Ar Exterior
Sensível l/s te ti Latente l/s We Wi
1.23 225 37.1 23 3,902 3,010 225 0.0160 0.0090 4,741
CST 25,699 CLT 6,721

Resumo das Carga Térmica Vazão de Ar


CT 32,420 CSA ta ti
TR 9.2 AI(L/s) 21,477 23.0 12.0 1,587
FCS 0.79 AI(m3/h) 5,714
m2/TR 21.7 AI(m3/h) 5,600 23.0 11.8 adotado
J.Teykal 93
Carga Térmica
ANÁLISE DOS RESULTADOS OBTIDOS - HORA DE CÁLCULO 17 h

CT = CST + CLT = 25699 W + 6721 W = 32420 W

TR = 32420 W / 3517 TR/W = 9,2 TR

FCS total = CST / CT = 25699 W / 32420 W = 0,79

m2 / TR = 200 m2 / 9,2 TR = 21,7 m2 / TR


Vazão adotada
Cálculo da vazão de ar a insuflar 5600 m3/h

AI = CSA ÷ (1,23 x (ta –ti)


AI = 21477W ÷ (1,23 x (23 – 12)) = 1587 L/s = 5714 m3/h
J.Teykal 94
Carga Térmica

Análise dos Resultados Obtidos


Verificação dos Dados de Entrada Pág 87

Índices
m2 / TR
Tipo de atividade FCS total m3/h.TR

Condições usuais de conforto 0,60~0,85 600~850

Altas cargas sensíveis 0,90~0,99 900~1.200

Altas cargas latentes 0,40~0,55 300~550


J.Teykal 95

Carga Térmica
Exemplo de análise de carga térmica:
Auditório – área = 300 m2 - ocupação 300 pessoas
SYSTEM SIZING SUMMARY
System: Auditório
Location: Rio de Janeiro, Brazil
Prepared by: J.TEYKAL
TABLE1. SIZING DATA (COOLING)
Total Coil Load 87.500 W Load Occurs January 16:00
Sensible Coil Load 48.000 W Outdoor Db/Wb 37,8/25,5 C
Total Zone Sensible 34.000 W Coil Conditions
Supply Temperature Entering Db/Wb 27,1/19,4 C
Supply Air (Actual) 5.550 L/s Leaving Db/Wb 12,2/11,1 C
Supply Air (Standard) 5.552 L/s Apparatus Dewpoint
Ventilation Air 1.417 L/s Bypass Factor 0,200
Direct Exhaust Air 0 L/s Resulting Zone RH 57,3 %
Reheat Required 0W

Verificação: 300 pess x 17 m3/h.pess = 5100 m3/h = 1417 L/s


J.Teykal 96
Carga Térmica

Análise da Carga Térmica do Auditório (índices):

Auditório  alta carga latente

Carga Total = 87500 W = 25 TR (1 TR ~ 3500 W)

Ar insuflado = 5550 L/s = 19980 m3/h (1 L/s = 3,6 m3/h)

m2 / TR  300 m2 ÷ 25 TR = 12 m2/TR

FCS = CST ÷ CT = 48000 W ÷ 87500 W = 0,55

(m3/h) / TR  19980 m3/h ÷ 25 TR = 800 (m3/h)/TR (alto)


J.Teykal 97
Carga Térmica
Janela máxima às 9h pág 78
PAREDE EXTERNA SE

INTERNA CNDICIONADA
ESCRITÓRIO

PAREDE EXTERNA NO
J.Teykal 98
Carga Térmica TOTALIZAÇÃO DO EXEMPLO
CLTD AJUSTE CARGA SENSÍVEL

C g/kg
AJUSTE AJUSTE
BU RU
10

16

33

ÃO
U ÁREA UxA CLTD corrigido
RIO DE JANEIRO

Ç
ITEM valores tabelados latitude e mês temperatura W

TA
K (cor)

N
W/m2.C m2 W/C HR 1 HR 2 HR 3 HR 1 HR 2 HR 3 int/ext HR1 HR2 HR3 HR 1 HR 2 HR 3

IE
AMPLITUDE

26

tm

R
O
telhado 0 0 0 0 0

EXTERNA
parede SE 2.25 40 90 7 10 11 1.6 1.6 1.6 0.83 6.2 13.3 15.8 16.7 1,200 1,425 1,499
BS

38
23
15
C

CONDUÇÃO
parede 0 0 0 0 0
parede 0 0 0 0 0
23

parede 0 0 0 0 0
vidro SE 6.07 20 121 1 8 8 6.2 7.2 14.2 14.2 874 1,724 1,724
CONDIÇÕES

DIFERENÇA
EXTERNAS
INTERNAS

vidro 0 0 0 0 0
LATITUDE

TOTAL U X A 211
CIDADE

ITEM U ÁREA UxA dt C dt C dt C


INTERNA

divisória 1.87 60 112 4.0 4.0 4.0 449 449 449


teto 0 4.0 4.0 4.0 0 0 0
piso 0 4.0 4.0 4.0 0 0 0
SHG máx
ÃO
Ç ÁREA coeficiente CLF
ITEM
CORREÇÃO DRHR 1 HR 2 HR 3

RADIAÇÃO
0.1

TA
15 17

37

de sombra W/h.m2
N

m2 HR 1 HR 2 HR 3
IE
R
O

vidro SE 20 1.00 581 0.45 0.28 0.24 5,229 3,254 2,789


200
38
0

vidro 0 0 0
vidro 0 0 0
0.7
31
9

vidro 0 0 0
iluminação

hora CLF
hora estimada

t. externa (ta)

TIPO total horas W total fator


CÁLCULO DE CARGA TÉRMICA

inicial HR 1 HR 2 HR 3
ÁREA m2
fator DR

CARGAS INTERNAS

fluorescente 10 8 3,200 1.00 0.74 0.82 0.84 2,368 2,624 2,688


incandescente 1.00 0 0 0
hora CLF
equipamentos ocupação

total horas quant W/pess


inicial HR 1 HR 2 HR 3
pessoas 10 8 30 72 0.53 0.83 0.87 1,145 1,793 1,879
hora CLF
total horas W dissip.
inicial HR 1 HR 2 HR 3
equipamentos 10 8 2,475 0.6 0.85 0.89 1,485 2,104 2,203
outros sensível 0 0 0
carga sensível interna 12,750 13,371 13,231
ganhos vent. + dutos(10%) 1,275 1,337 1,323
W total reator CLF sens. interna total (CSA) 14,025 14,708 14,554
EXTERNAS
CARGAS

iluminação (pleno)
data:

3200 0.10 1.00 1.00 1.00 320 320 320


L/s fator HR 1 HR 2 HR 3
ar exterior
225 1.23 8 15.1 14.1 2,214 4,179 3,902
carga sensível total (CST) 16,559 19,207 18,776
CARGAS LATENTES
INTERNAS

quant W/pess
pessoas
30 60 1,800 1,800 1,800
equipamentos (W) 0 0 0
calculado por:

outros latente (W) 0 0 0


AMBIENTE:
PROJETO:

carga latente interna 1,800 1,800 1,800


ganhos dutos (5%) 90 90 90
L/s Wext Wint fator lat. interna total (CLA) 1,890 1,890 1,890
ar exterior
225 16 9 3.01 4,741 4,741 4,741
carga latente total (CLT) 6,631 6,631 6,631
carga total (CT) 23,190 25,838 25,407
J.Teykal 99
Carga Térmica
ESTIMATIVA PARA 9 – 15 – 17 h

Resultado considerando CLF’s das cargas internas

RESUMO DA CARGA TÉRMICA


Hora 9h 15 h 17 h
CT (W) 23,190 25,838 25,407
TR 6.6 7.3 7.2
FCS 0.71 0.74 0.74
m2/TR 30.3 27.2 27.7

09:00h 15:00h 17:00h


VAZÃO DE AR VAZÃO DE AR VAZÃO DE AR
CSA 14,495 W CSA 16,199 W CSA 15,944 W
ta 23.0 C ta 23.0 C ta 23.0 C
ti 12.0 C ti 12.0 C ti 12.0 C
AI 1,071 L/s AI 1,197 L/s AI 1,178 L/s
AI 3,857 m3/h AI 4,310 m3/h AI 4,242 m3/h

90%
Máxima às 15h  CLF

Você também pode gostar