Você está na página 1de 3

Educação Física e Esportes

Perspectivas para o século XXI

Hellmann, Silvia Mara


Universidade Estadual de Ponta Grossa
1º ano, 1.997

Resumo do Texto
Educação Física e Esportes
Perspectivas para o século XXI

1. Educação Física
2. Educação Física - Estudo e ensino
3. Esportes escolares I. Gebara, Ademir. II Moreira, Wagner Wey.

Educação física e Esportes: perspectivas para o século XXI


Ademir Gebara ...[et al] ; Wagner Wey Moreira organizador
- Campinas, S.P. - Papirus, 1.992

Introdução

O texto “Educação Física e Esportes: Perspectivas para o século XXI” de Ademir Gebara, procura
mostrar o surgimento da Educação Física, dentro de um sistema de evolução, problematização e solução.
Define o que é Educação Física buscando seu significado no passado e trazendo uma definição mais
ampla para o presente com intenção de melhoras para o futuro.

“Para falar do presente e futuro é necessário conhecer o passado”

Assim ao falar das perspectivas para a Educação Física no Brasil é necessário viajar ao passado e buscar
suas bagagens.
No período de 1.850 e o final do século, evidenciou-se o significado da “Educação Física”. A partir daí,
novas pesquisas foram feitas a fim de buscar o seu núcleo gerador que deparasse com uma resposta conclusiva.
Em 1.890 na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, foi encontrada(e, ainda hoje é disponível) uma obra
chamada “Tratado”(Mello Franco) que expõe um conjunto de conhecimentos sobre higiene e pediatria. Certas
questões estavam interligadas a que se pretendia em Educação Física, atualmente esse manual não corresponde
ao que pretendemos na área.
Em 1.854, desenvolveu-se regras às mães com preocupação com o meio ambiente, alimentação e
atividade física , tornando a Educação Física mais complexa.
O Brasil traz consigo um nível grande de alterações, na política , educação e cultura e, devido a isso, a
busca para compreender o homem brasileiro tornou-se evidente. A Educação Física foi interpretada de várias
formas  como “educação corpórea” , “arte da conservação dos meninos”, “educação medicinal”, “educação
natural”  foi consagrada em 1.761, na Academia de Harlem.
A Educação implica o intelectual, moral e físico e também, o desenvolvimento do espírito e dos
costumes.
Em meados do século passado a Educação Física foi vista num ramo de educação e medicina.
OBJETO DE ESTUDO

SABER MÉDICO SABER PEDAGÓGICO

A Educação Física não deve se limitar somente no físico, e sim, no intelectual também.

1.978 - ênfase aos fatores sociais - relação atividade física e saúde

Também merece destaque o “tratamento militarista” a fim de reeducar o corpo do homem militar
tornando-o mais dócil, corajoso e subordinado, e, conseqüentemente, apto a passar as resultantes da ginastica aos
seus descendentes. Assim, se encontrando num mesmo ponto de vista a “instrução física” e a “Ed. Física”.
A relação da ginástica escolar e medicina é um ângulo importante, pois a ginástica seria uma parte da
medicina que ensina como conservar e restabelecer a saúde por meio do exercício, permitindo um porte físico
mais adequado, desenvolvimento físico melhor, fortalecimento da saúde , disciplina escolar, e progresso nos
estudos, constituindo assim, um corpo sadio e disciplinado. A ginástica tem uma seção teórica e outra prática
para menores e maiores de 10 anos.
Para os menores - a teoria fica a segundo plano e a prática compõe exercícios livres.
Para os maiores de 10 anos - a teoria abrange várias fontes para um melhor conhecimento do corpo
humano, tais como: anatomia, anatomia animal, estrutura do corpo, peso do corpo, estrutura humana e tamanhos
fora do comum, ciclo vital, aparelhos e funções, órgãos do movimento, esqueleto, beleza plástica, osteologia,
artrologia.

“Para a prática é necessário conhecer a teoria.”

No início do século XX, a introdução dos esportes modernos no Brasil viriam compor a “Educação
Física”. Exemplo : futebol.
E , em 1.920, ocorreu a sua escolarização que significa a prática obrigatória da Educação Física nas escolas
brasileiras, com mais ênfase nos anos 30(serviu na construção da nacionalidade brasileira). A legislação criou
um projeto pedagógico isolando a disciplina das outras.
Depois dos anos 60, novidades permitiram um desenvolvimento histórico na área, como o movimento
ETP(tese de mestrado por Kátia Brandão), e a consolidação da educação Física no 3º grau e pós-graduação.
Essa disciplina é acadêmica, embora restam dúvidas se ela alcançou esse status. Pois está diante do
objeto de estudo  movimento humano, mas fragmentado pelo conhecimento.
O problema da Educação Física no 3ºgrau é que repete o que se trabalha no 2ºgrau, não se envolve
profundamente na reflexão e conhecimento, se encontra esterilizado, assim a pós-graduação propiciara
condições para o desequilíbrio qualitativo do ensino/pesquisa.
Um dos Problemas se encontra na teoria, pois é necessário um estudo mais aprofundado para um melhor
conhecimento. A insuficiência de orientadores efetivos e recursos materiais, a ausência de pesquisa na área, a
inexistência de uma política de estímulo, permitem uma disciplina estagnada. Por isso, o acréscimo de propostas
de integrar especializações aos mestrados.
Alguns fatos significativos ocorreram de 1.987 a 1.991 → “desenvolvimento do sistema” (surgimento
de novas conquistas na área com crescimento lento e mais integração, diversificação e política), avanço na
produção acadêmica(com definição de áreas de conhecimento) e melhoria da infra-estrutura do sistema.
Atualmente, os acadêmicos são mais multipolarizados, integrados, diversificados e politicamente mais
organizados e menos corporativos.

Para avaliar a educação Física é necessária uma discussão mais aprofundada para suas perspectivas
futuras. Trata-se de um objeto historicamente conformado e colado a práticas sociais, culturais, afetivas,
ambientais. A à crise da Educação Física deve ser pensada com as premissas dialéticas e como um estado
permanente, intrínseco ao objeto. As perspectivas para a área apresentam-se capazes de incorporar outras áreas
de conhecimento: (ação motriz) - a despoluição também merecerá destaque diante da política diante da política e
prática do lazer. E se tratando dos dispositivos, será importante o sistema de comunicação no mundo
contemporâneo que continuarão sendo apreciados na educação Física.
A novidade será o desporto espetáculo, uma área parcialmente autônoma da Educação Física.

Conclusão

É muito importante a atual preocupação diante do profissional de Educação Física para o próximo
século. Para que haja um avanço na área, o profissional deve buscar aperfeiçoar seu conhecimento com mais
profundidade.
Procurar conhecer o corpo humano detalhadamente, buscar uma linguagem de fácil aprendizagem,
mergulhar na filosofia. Não deve parar no tempo e sim, caminhar junto com a evolução.
É necessário conhecer o seu passado, buscar suas origens para que o presente seja melhor e o futuro
mais garantido, buscando, assim, trabalho dentro da área, novos métodos de ensinar e de linguagem visando um
sucesso maior para a Educação Física.

Texto gentilmente cedido por Palmiro Sartorelli Neto (palmiro@aguianet.com.br)

www.sti.com.br