Você está na página 1de 44

Instituto Universal Brasileiro

Administração
Luiz Fernando Diniz Naso
José Carlos Diniz Naso
Inês Diniz Naso

Gerente Geral
Modesto Pantaléa

Diretora Geral
Claudia de A. Maranhão Prescott Naso

Coordenação
Waldomiro Recchi

Editoração
Daniela Vigato Pierre

Revisão de Texto
Roseli Anastácio Silva

Autor
Maurício Malavazi

Impressão
IUBRA - Indústria Gráfica e Editora Ltda.
Rodovia Estadual Boituva - Iperó, km 1,1
Campos de Boituva - Boituva - SP
CEP 18550-000

Todos os direitos são reservados. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste curso.
SUPRIMENTOS E ARMAZENAGEM

A armazenagem é tida como uma importante função da gestão da cadeia de suprimento. Sua
importância está no fato de ser um sistema de abastecimento em relação ao fluxo logístico, que pode
assegurar um nível adequado de serviço, agregando valor ao produto. A armazenagem envolve a
administração do layout e dos espaços necessários para que os materiais sejam mantidos de acordo
com a política de estoques da empresa. O manuseio ou movimentação interna de produtos e mate-
riais está associado à armazenagem e também à manutenção dos estoques.

Aula 1
• A Aula 1, Suprimentos e Armazenagem, apresenta a Gestão da Cadeia de Suprimentos, des-
tacando a vantagem competitiva e a importância dos estoques.

Aula 2
• A Aula 2 aborda a Função, Política e Controle dos Estoques, especificando os tipos, as ca-
racterísticas e o giro de estoques..

Aula 3
• Na Aula 3 as noções básicas sobre a Organização e Manutenção dos Estoques apresentam
o Layout, Manuseio e Armazenagem de Materiais.

Aula 4
• A Aula 4 destaca o Uso de Inventários na Gestão de Estoques, apresentando os tipos mais
usados e detalhando a Curva ABC.

SAIBA MAIS

Para compreender um pouco mais sobre logística de suprimentos, acesse o site: http://
www.sistemadearmazenagem.com.br/entendaoqueelogisticadesuprimento/

Suprimentos e Armazenagem 3 Instituto Universal Brasileiro


GLOSSÁRIO

Acuracidade. Precisão e exatidão de dados e informações, quando há ausência de erros


ou equívocos.

Cotação. Valor ou referência atribuída a determinado elemento de avaliação.

Especulativo. Aplicado a estoque, tem objetivo de obter um ganho em função da valori-


zação futura de um produto. É o caso de quando se espera o dólar ficar mais caro para exportar,
ou antecipar compras de pordutos importados com o dólar baixo.

Fisco. Parte da administração pública encarregada da cobrança dos impostos. Pode ser a
nível, distrital, municipal, estadual e federal.

Inventário. Na Logística diz respeito aos estoques, por meio do inventário é feita a iden-
tificação, classificação e contagem dos produtos armazenados, com o objetivo de conferir se as
informações estão de acordo com a entrada e saída de mercadorias..

Palete. Do inglês pallet, que veio do francês pallete), é um estrado de madeira, metal ou
plástico que é utilizado para movimentação de cargas.

Ressuprimento. Reabastecimento, suprir novamente, reabastecer.

Sazonal. Faz referência ao que é temporário. Característica de um evento que ocorre sem-
pre em uma determinada estação ou época do ano.

Unitização. Ato de unificar, colocar em um mesmo volume ou local, diversas cargas, valo-
res ou informações.

Conceitos importantes

Gestão Logística X Vantagem Competitiva. A Logística está em constante evolução, sen-


do um dos elementos-chave da vantagem competitiva nas empresas. De início, logística era
entendida como transporte e armazenagem de produtos, apenas. Hoje se tornou um ponto
importantíssimo na cadeia produtiva, integrada ao gerenciamento da cadeia de suprimentos
(supply chain manegement), considerando o fluxo de informações e de produtos e a armazena-
gem em estoques.

Política de Estoques. Consiste em um conjunto de diretrizes ou padrões que funcionam


como guias para a manutenção, organização e controle de estoques numa empresa. É muito
importante, pois a política de estoques tem reflexos nas principais atividades desenvolvidas e
pode tem um grande impacto no setor financeiro, determinando a vantagem competitiva da
organização.

Layout de Armazém. Pode ser definido como um esquema descritivo das áreas de arma-
zenagem, de modo a aproveitar todo o espaço da melhor forma possível. Nesse esquema, consi-
dera-se fatores como otimização de espaço, volume de entrada e saída dos itens, movimentação
de materiais e equipamentos, impactos na produtividade entre outros.
Suprimentos e Armazenagem 4 Instituto Universal Brasileiro
Aula 1 mentos são planejar, administrar e controlar o flu-
SUPRIMENTOS E ARMAZENAGEM xo de materiais desde o fornecedor de matérias
primas até o consumidor final eficientemente e
o mais ágil possível, de forma que agregue valor
Introdução a todos da cadeia. Os objetivos organizacionais
buscam facilitar o controle de estoque em níveis
satisfatórios, mantendo um baixo valor de capital
imobilizado, utilizando de um continuo abasteci-
mento das reservas. O conceito básico da Logís-
tica é “colocar o produto certo, na hora certa, no
local certo e ao menor custo possível”.
A busca de crescimento empresarial num
ambiente amplamente competitivo e globa-
lizado têm exigido que as empresas identifi-
quem, implementem e sustentem sua vanta-
gem competitiva como estratégia.

Logística é uma área em evolução constan-


te, sendo hoje um dos pontos-chave nas estraté-
SAIBA MAIS
gias competitivas das empresas. Em concordân-
cia com o moderno gerenciamento da cadeia de Cadeia de Suprimentos + Qualidade &
suprimento (Supply Chain Manegement), a logísti- Parcerias. Atualmente existe uma tendência
ca integrada vem cuidando de todas as atividades global de se dar maior importância à logística
de movimentação e armazenagem, que facilitam como uma fonte de obtenção de vantagem
o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição competitiva. Há muitas empresas acreditando
da matéria-prima até o ponto de consumo final, que uma cadeia de suprimentos eficiente é
considerando-se inclusive o caminho percorrido determinada apenas pela velocidade e redu-
pelos insumos dentro da empresa. ção dos custos. Mas, somente estes dois fatores
O correto gerenciamento da logística, e dos não são suficientes para manter esta vantagem,
fluxos de informações, permite aos executivos ava- segundo apontam alguns estudos. Deve-se
liar os pontos fortes e fracos na sua cadeia de for- também levar em consideração a qualidade
necimento, auxiliando a tomada de decisões que requerida neste processo e, principalmente, a
resultam na redução de custos e aumento da qua- formação de parcerias, conseguindo-se desta
lidade, entre outros fatores, aumentando a com- forma a redução de tempo e custos. A junção
petitividade do produto, criando valor agregado e destes fatores gera a vantagem competitiva.
diferenciando-o em relação à concorrência.

Vantagem Competitiva
Cadeia de Suprimentos. “Conjunto
de processos requeridos para obter ma-
teriais, agregar-lhes valor dentro da con- Vantagem Competitiva. “Forma como
cepção dos clientes e consumidores e dis- a estratégia escolhida e seguida pela orga-
ponibilizar os produtos onde e quando os nização que pode determinar e sustentar o
clientes e consumidores os desejarem”. seu sucesso competitivo. Grupo de caracte-
rísticas que permitem a uma empresa ser di-
ferente por proporcionar mais valor na visão
Administração da Cadeia de Suprimentos dos clientes, se destacando da concorrência
e, por isso, obtendo vantagens no mercado”.
Os principais objetivos da Cadeia de Supri-
Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 5 Instituto Universal Brasileiro
A Gestão da Cadeia de Suprimentos tem • Níveis de Serviço X Custo
se mostrado uma nova e promissora ferramen-
ta para empresas que visam à obtenção de Com relação aos estoques, as empresas
vantagens competitivas de maneira objetiva, e justificam-se favoráveis em mantê-los com a
pode ser considerado um ponto expandido e intenção de se obter maiores níveis de serviços
atualizado da administração de materiais tradi- (probabilidade de não ter o produto próximo
cional, incluindo a gestão de toda a cadeia pro- de zero) ou com a chamada economia de custo,
dutiva de uma forma estratégica e integrada. onde se produz ou compra-se além das neces-
O SCM (Supply Chain Manegement) de- sidades por ficar, esta operação, menos onero-
termina que as empresas devem definir suas sa devido às chamadas economias de escala
estratégias competitivas e funcionais de acor- com redução do custo médio de produção, à
do com seus posicionamentos, ou seja, tanto medida que a quantidade produzida aumenta.
como fornecedores, quanto como clientes,
dentro das cadeias produtivas nas quais se • Estoques de Segurança
encontram. Assim, podemos evidenciar que o
escopo da SCM agrega toda a cadeia produti- As incertezas de demanda podem levar
va, até mesmo a relação da empresa com seus as empresas a formarem os chamados “esto-
fornecedores e clientes, e não somente a rela- ques de segurança”. Estes estoques visam pro-
ção com os seus fornecedores. tegê-las contra fatores não controlados como
Para se entender melhor, o SCM preocu- greves, desastres naturais, atrasos nos supri-
pa-se com a competitividade do produto, com mentos, quebras de equipamentos, oscilações
o desempenho da cadeia produtiva como um nas demandas etc. A compra ou a produção
todo e com o consumidor final. Entre os obje- de grandes quantidades de mercadorias po-
tivos estão: auxiliar na redução dos custos ao dem proporcionar a obtenção de descontos
longo da cadeia de suprimentos; atender às ou mesmo para antecipar aumentos de pre-
exigências dos clientes de forma mais asser- ços, os quais compensam os custos para man-
tiva e com maior qualidade. O foco das em- ter estoques adicionais. Esta estratégia reduz,
presas deve estar sempre voltado para seus por exemplo, os custos de transportes: quan-
clientes, por isso o SCM busca uma gestão de do as entregas das cargas são consolidadas,
qualidade, entregando o que o cliente deseja, os custos de frete diminuem, compensando
no preço e nas condições estabelecidas. os custos de manter estoques.

Fatores que afetam as atividades • Estoques X Desperdícios


de Suprimento e Armazenagem
Contudo, existem outras razões contrárias
à formação de estoques, como, por exemplo, os
• Controle de Estoques desperdícios, a obsolescência, os furtos, as ava-
rias e os problemas de qualidade. Os estoques
Na maioria das empresas, os investi- também podem ser considerados como desper-
mentos em estoques representam uma par- dícios, pois o dinheiro consumido poderia ter
cela significativa de seus ativos totais, além destino melhor, tais como a melhoria da produ-
de causar impacto nos custos de distribuição tividade ou da competitividade da empresa.
e no nível de serviço prestado aos clientes.
Essas proposições implicam no que tange o • Fluxo de Materiais & Informações
gerenciamento dos estoques. Se por um lado
justifica-se o controle de estoques orientado Para atingir esses objetivos logísticos, as
para minimizar custos, por outro lado deve-se empresas necessitam combinar atividades de
garantir suprimento adequado, em termos de transportes, manutenção de estoques, processa-
respostas rápidas, para atender necessidades mento de pedidos, armazenagem, manuseio de
de demandas dos clientes. materiais, programação das necessidades de pro-
Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 6 Instituto Universal Brasileiro
dução e principalmente o conjunto de informa- Podem-se conceituar os objetivos dos
ções. O fluxo de informações é essencial para evi- estoques de várias maneiras, segundo reno-
tar interrupções em qualquer parte do processo. mados autores sobre o assunto:

Fluxo de Materiais x Informações


“Estoques, tal como acontece com
disponibilidades, funcionam como amor-
Fluxo de materiais
tecedores das entradas e saídas entre duas
etapas dos processos de comercialização e
produção. Assim sendo, os estoques podem
contribuir para minimizar os efeitos de erros
Fornece- Supri-
Apoio à
Distribui- de planejamento e oscilações inesperadas de
manufa- Clientes
dores mentos
tura
ção física oferta e procura, bem como para ajudar a iso-
lar ou diminuir a interdependência e todas as
partes da organização.” (SANVICENTE, 1997)

Fluxo de informações “Estoques são acúmulos de matérias-pri-


Fonte: Adaptado de Bowersox; Closs (2001, p.44)
mas, insumos, componentes, produtos em pro-
cessos e produtos acabados que aparecem em
numerosos pontos por todos os canais logísti-
cos e de produção na empresa. Para conseguir
SAIBA MAIS uma vantagem competitiva diante dos concor-
rentes e atender os clientes no momento e na
quantidade desejada, é necessária uma admi-
Fluxo de Materiais X Fluxo de Infor-
nistração de estoques eficaz.” (BALLOU, 2001)
mações. O fluxo de materiais eficiente é muito
importante para que as empresas entreguem
seus produtos no momento, na qualidade, na Atualmente nas organizações, é comum
quantidade, no preço e no lugar certo, ou seja, estabelecer-se níveis de estoques e posicioná-
a essência do conceito de logística. O fluxo de -lo estrategicamente quanto a sua importância.
materiais é muito relacionado com o fluxo de Além disso, deve-se monitorar constantemente
informação que flui ao longo do fluxo físico. A os custos de se pedir e de se manter determina-
informação é o centro de qualquer sistema lo- do estoque, com a meta de encontrar um pla-
gístico, onde a velocidade e qualidade do flu- no de suprimento que minimize o custo total,
xo de informação tem impacto direto no custo mantendo-se o equilíbrio da quantidade ideal
e eficiência de todo o fluxo. do produto, sem falta e sem sobra.
Para estes controles, é importante que
a empresa mapeie com exatidão cada um de
Conceitos e Objetivos dos Estoques seus fornecedores, conhecendo o tempo que
necessitam para processar o pedido, produzir
e entregar. Dessa forma, torna-se possível man-
ter o equilíbrio entre o custo total, a produção
e o nível de serviço prestado aos clientes.

Principais objetivos dos estoques

• Assegurar o suprimento adequado de


matérias-primas, matériais auxiliares, peças e
insumos no processo de fabricação;

Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 7 Instituto Universal Brasileiro


estoque”. Abaixo da qual a empresa pode so-
• Manter o volume de produtos/matérias frer perda de vendas por falta de mercadoria;
primas o mais baixo possível para atendimento • Cálculo do “ponto de compra”. Esta-
compatível à demanda; belece em que momento a compra precisa ser
• Identificar itens obsoletos ou defeituo- feita para não haver falta nem excesso de es-
sos no estoque para eliminá-los; toque.
• Não permitir condições de falta ou ex-
cesso em relação à demanda; Contagem Anual de Estoques
• Prevenir-se contra perdas, danos, extra-
vios ou mau uso; Este é outro método para se valorizar
• Manter as quantidades em relação às mercadorias estocadas, inclusive para efeitos
necessidades e aos registros; contábeis, já que todas as empresas são obri-
• Fornecer bases concretas para elabora- gadas por lei a efetuar a contagem anual de
ção de dados ao planejamento; seus estoques (matérias primas e produtos
• Manter os custos nos níveis mais baixos prontos) e disponibilizar estas informações
possíveis, levando em conta os volumes de ven- para a Receita Federal. Esta obrigação é co-
das, prazos, recursos e seu efeito sobre o custo nhecida como “Balanço Patrimonial”, e deverá
da venda do produto. ter registro da atividade além de ser auditado
por empresa independente contratada. Uma
das ações do balanço é o “Inventário” que
Valorização das mercadorias em Estoque nada mais é do que informar as quantidades
de produtos estocados ao final de determina-
do período.

Inventário físico. Representa um


procedimento de controle, executado
pela contagem física dos bens e tendo o
resultado confrontado diretamente aos
registros de estoques. Por este motivo, é
recomendável que os participantes das
contagens não sejam as pessoas respon-
sáveis pela custódia dos estoques. As con-
tagens físicas devem ser realizadas pelo
A Administração de Materiais visa à ga- menos uma vez por ano. Existem empre-
rantia de existência contínua de um estoque, sas que fazem inventários físicos de todos
organizado de modo à nunca faltar nenhum os bens do estoque no final ou próximo ao
dos itens que o compõem, sem tornar exces- final do exercício social, enquanto outras
sivo o investimento total. Para a perfeita ad- procedem contagens físicas ao longo dos
ministração e valorização das mercadorias meses do ano (método rotativo), de forma
estocadas, os gestores dispõem de fórmulas e que todos os bens sejam contados pelo
indicadores logísticos que os ajudam nas to- menos uma vez durante o exercício social.
madas de decisões. O primeiro passo consiste em inventariar
os bens, depois confrontar os itens inven-
Cálculos para Controle de Estoques tariados com os registros de estoques e
finalmente ajustar estes registros. As dife-
• Cálculo do “período médio de esto- renças entre o estoque físico e o registrado
que”. Indica quantos dias, em media, um item deverão ser analisadas e investigadas para
permanece estocado na empresa; se evitar problemas futuros.
• Cálculo da “quantidade mínima de
Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 8 Instituto Universal Brasileiro
responsabilidade a administração dos tributos
PARA REFLETIR federais e o controle aduaneiro, além de atuar
no combate à sonegação, contrabando, desca-
A lei fiscal determina que, além dos li- minho, pirataria e tráfico de drogas e animais.
vros de contabilidade previstos em leis e
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Secretaria_da_Recei-
regulamentos, as pessoas jurídicas devem
ta_Federal_do_Brasil?veaction=edit
possuir um livro de registro de inventário das
matérias-primas, das mercadorias, dos produ-
tos em fabricação, dos bens em almoxarifado Métodos para Avaliação dos Estoques
e dos produtos acabados existentes na época
do balanço. Nessas condições estará a auto- Após serem efetuados os ajustes, o segun-
ridade tributária autorizada a arbitrar o lucro do passo é valorizar as quantidades que ficam nas
da pessoa jurídica sujeita à tributação com contas de estoques e as que saem dessas contas.
base no lucro real, quando esta não mantiver Os métodos mais utilizados são os seguintes:
escrituração na forma das leis comerciais e
fiscais (RIR/1999, art. 530). PEPS ou FIFO
Fonte:http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoajuridi-
ca/dipj/2005/pergresp2005/pr301a303.htm
A sigla em português, PEPS significa: Primei-
ro que Entra, Primeiro que Sai; ou FIFO, em inglês:
First-In-First-Out. A empresa que opta por esse mé-
todo, deve medir o valor das primeiras unidades
a serem vendidas, utilizando o custo unitário das
SAIBA MAIS primeiras unidades adquiridas, ou seja, não impor-
ta o valor das mercadorias que chegaram recen-
A secretaria da Receita Federal do Brasil temente, todas elas serão niveladas ao valor das
(RFB) é um órgão especifico e singular, subordi- primeiras mercadorias compradas. Para melhor
nado ao Ministério da Fazenda, que tem como entendimento, o quadro abaixo, demonstrará o
procedimento adotado pelo método PEPS.
Método de Avaliação de Estoque - PEPS
Entradas Saídas Saldos
Data Histórico
Quant. R$ Unit. Total Quant. R$ Unit. Total Quant. R$ Unit. Total
01/mar Saldo inicial - - - - - - 20 R$20,00 R$400,00
05/mar Compra 30 R$30,00 R$900,00 - - - 30 R$30,00 R$900,00
Saldo total - - - - - - 50 - R$1.300,00
- - - - - - - 10 R$20,00 R$200,00
11/mar
Venda - - - 10 R$20,00 R$200,00 30 R$30,00 R$900,00
Saldo total - - - - - - 40 - R$1.100,00
- - - - 10 R$20,00 R$200,00 - R$20,00 -
17/mar
Venda - - - 10 R$30,00 R$300,00 20 R$30,00 R$600,00
Saldo total - - - - - - 20 - R$600,00
Compra 30 R$35,00 R$1050,00 - - - 20 R$30,00 R$600,00
23/mar
- - - - - - - 30 R$35,00 R$1050,00
Saldo Total - - - - - - 50 - R$1.650,00
- - - - - - - 10 R$30,00 R$300,00
29/mar
Venda - - - 10 R$30,00 R$300,00 30 R$35,00 R$1050,00
Saldo total - - - - - - 40 - R$1.350,00

Totais 60 - R$1950,00 40 - R$1.000,00 40 - R$1.350,00


Fonte: Adaptado de Ludícibus e Arion (2010)

Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 9 Instituto Universal Brasileiro


Explicação do Quadro PEPS • Assim acontecerá até o término da pri-
meira compra, a partir de então, as saídas se-
• O estoque inicial possui um saldo (em pri- rão efetuadas de acordo com as entradas se-
meiro de março) de 20 (vinte) unidades, a um valor guintes a da primeira até o final do mês.
unitário de R$ 20,00 (vinte reais) cada, totalizando
um valor total de R$ 400,00 (quatrocentos reais). UEPS ou LIFO
• No dia 05 de março foram compradas
mais 30 (trinta) unidades, agora a um valor A sigla em português, UEPS significa: Úl-
unitário de R$ 30,00 (trinta reais), totalizando timo que Entra, Primeiro que Sai; ou LIFO, em
a aquisição em R$ 900,00 (novecentos reais), inglês: Last-In-First-Out. Esse método indica
chegando assim a um estoque final de 50 que as saídas deverão ser custeadas pelo valor
(cinquenta) unidades e um saldo total de R$ das últimas entradas, ou seja, os valores mais
1.300,00 (hum mil e trezentos reais). recentes. Nesse método, o processo utilizado
• No dia 11 de março foram vendidas 10 na obtenção do custo é o inverso do PEPS.
(dez) unidades e atendendo o método PEPS, será As últimas unidades que entrarem terão seu
utilizado o estoque inicial para ser efetuada a reti- valor como base para as mercadorias que saí-
rada das 10 (dez) unidades do estoque. Sendo as- rem para vendas. Para melhor entendimento o
sim, o valor correspondente a sua saída será de R$ quadro abaixo, demonstrará o procedimento
20,00 (vinte reais) de acordo com a sua entrada. adotado pelo método UEPS.

Método de Avaliação de Estoque - UEPS


Entradas Saídas Saldos
Data Histórico
Quant. R$ Unit. Total Quant. R$ Unit. Total Quant. R$ Unit. Total
01/mar Saldo inicial - - - - - - 20 R$20,00 R$400,00
05/mar Compra 30 R$30,00 R$900,00 - - - 30 R$30,00 R$900,00
Saldo total - - - - - - 50 - R$1.300,00
- - - - - - - 20 R$20,00 R$400,00
11/mar
Venda - - - 10 R$30,00 R$300,00 20 R$30,00 R$600,00
Saldo total - - - - - - 40 - R$1.000,00
17/mar Venda - - - 20 R$30,00 R$600,00 20 R$20,00 R$400,00
Saldo total - - - - - - 20 - R$400,00
- - - - - - - 20 R$20,00 R$400,00
23/mar
Compra 30 R$35,00 R$1050,00 - - - 30 R$35,00 R$1.050,00
Saldo Total - - - - - - 50 - R$1.450,00
- - - - - - - 20 R$20,00 R$400,00
29/mar
Compra - - - 10 R$35,00 R$350,00 20 R$35,00 R$700,00
Saldo total - - - - - - 40 - R$1.100,00

Totais 60 - R$1950,00 40 - R$1.250,00 40 - R$1.100,00

Fonte: Adaptado de Ludícibus e Arion (2010)

Explicação do Quadro UEPS reais). Chegando assim, a um estoque final de


50 (cinquenta) unidades a um valor total de R$
• O estoque inicial possui um saldo (em pri- 1.300,00 (hum mil e trezentos reais).
meiro de março) de 20 (vinte) unidades, a um valor • No dia 11 de março, foram vendidas 10
unitário de R$ 20,00 (vinte reais) cada, totalizando (dez) unidades do estoque, e sendo que o método
um valor total de R$ 400,00 (quatrocentos reais). utilizado para a sua saída é o UEPS, o valor unitário
• No dia 05 de março, foram adquiridas utilizado para a sua saída será de R$ 30,00 (trinta
mais 30 (trinta) unidades a um valor unitário reais), de acordo com a sua última entrada.
de R$ 30,00 (trinta reais), totalizando o valor • Agora restou no estoque um saldo de 40
total da aquisição em R$ 900,00 (novecentos (quarenta) unidades a um valor total de R$ 1.000,00
Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 10 Instituto Universal Brasileiro
(hum mil reais), sendo que 20 (vinte) unidades a um
valor unitário de R$ 20,00 (vinte reais) e as outras 20 - FIFO (first in, first out) – em estoques
(vinte) unidades a um valor unitário de R$ 30,00 reais. de produtos com vida útil curta;
• Sendo assim, as próximas saídas aconte- - LIFO (last in, first out) – em estoques
cerão da mesma forma e a última mercadoria que de produtos que não possuem validade.
entrar será a primeira a sair, até o final do período. - FEFO (first expire, first out) – em esto-
ques altamente perecíveis.
A tradução de FEFO (primeiro que ven-
SAIBA MAIS ce, primeiro que sai) indica que este é um
método específico, utilizado para produtos
de altíssimo giro, como os produtos com vida
Martins (2010) lembra que UEPS não é um útil ou prazo de validade curto (shelf life), por
método aceito pelo CPC (Comitê de Pronun- exemplo, produtos perecíveis e resfriados.
ciamentos Contábeis) vinculado à Comissão
Mobiliários de Valores Mobiliários (CVM), órgão
do Governo Federal. Também não é aceito pela Custo Médio ou MPM
legislação brasileira de Imposto de Renda. “Com
a utilização desse método, o saldo de estoque Custo Médio ou MPM – Média Ponderável
será valorado pelos custos mais antigos”. Móvel. Por esse método as quantidades que ficam
Para mais informações, acesse: http:// em estoque e as que saem são valorizadas pelo
www.cvm.gov.br/ / Vídeo explicativo sobre o custo unitário médio de aquisição ou fabricação.
assunto estoques e CPC: https://www.youtube. A média ponderada móvel pode ser considerada
com/watch?v=3rO4vVrIcg0 o método mais utilizado pelas empresas na atuali-
dade, pois, neste método se avalia os estoques de
uma forma que se faz uma média a cada mercado-
Vida útil do produto diferencia ria que entra no estoque.
FIFO, LIFO e ainda FEFO Este método considera o preço de todas as
retiradas do estoque ao valor unitário médio, pro-
Os sistemas utilizados apresentam porcionando um efeito estabilizante e nivelado dos
também uma diferenciação relativa à vida preços. Para melhor entendimento o quadro abaixo,
útil dos produtos em estoque: demonstrará o procedimento adotado pelo méto-
do Custo Médio ou Média Ponderável Móvel (MPM).

Método de Avaliação de Estoque - POR CUSTO MÉDIO


Entradas Saídas Saldos
Data Histórico
Quant. R$ Unit. Total Quant. R$ Unit. Total Quant. R$ Unit. Total
01/mar Saldo inicial - - - - - - 20 R$20,00 R$400,00
05/mar Compra 30 R$30,00 R$900,00 - - - 30 R$30,00 R$900,00
Saldo total - - - - - - 50 26,00 R$1.300,00
11/mar Venda - - - 10 R$26,00 R$260,00 40 R$30,00 R$1.200,00
Saldo total - - - - - - 40 26,00 R$1.040,00
17/mar Venda - - - 20 R$26,00 R$520,00 20 R$26,00 R$520,00
Saldo total - - - - - - 20 26,00 R$520,00
23/mar Compra 30 R$35,00 R$1.050,00 - - - 50 R$31,40 R$1.570,00
Saldo Total - - - - - - 50 31,40 R$1.570,00
29/mar Venda - - - 10 R$31,40 R$314,00 40 R$31,40 R$1.256,00
Saldo total - - - - - - 40 - R$1.256,00

Totais 60 - R$1.950,00 40 - R$1.094,00 40 - R$1.256,00


Fonte: Adaptado de Ludícibus e Arion (2010)

Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 11 Instituto Universal Brasileiro


Explicação do Quadro
Custo Médio ou MPM é o MPM. Essa metodologia é bastante fácil
de ser aplicada no dia a dia e é a única me-
• O estoque inicial possui um saldo (em dida válida pela contabilidade de custos por
primeiro de março) de 20 unidades, a um valor oferecer o valor de estoque, custo e lucro me-
unitário de R$ 20,00 (vinte reais) cada, totali- dianos.
zando um valor total de R$ 400,00 (quatrocen- Vamos abordar o que é esse conceito e
tos reais). quais motivos justificam sua adoção.
• No dia 05 de março, foram adquiridas
mais 30 (trinta) unidades, totalizando um sal- Método MPM: o que é?
do final de 50 (cinquenta) unidades e um va-
lor total de R$ 1.300,00 (hum mil e trezentos A Média Ponderada Móvel, ou Preço
reais). Médio Ponderado, é uma metodologia que
• Como o método utilizado tem o ob- avalia o custo médio das mercadorias.
jetivo de fazer uma média do valor unitário O cálculo é feito pela divisão do saldo
que consta em estoque, é efetuado o calcu- financeiro pelo físico. Por ser bastante sim-
lo do valor total das unidades em estoque ples é uma ferramenta indicada para o cál-
(R$ 1.300,00), dividido pela quantidade total culo de custos pela contabilidade, mas não
de unidades (50 unidades), chegando assim é recomendada para a precificação de mer-
a um valor unitário de R$ 26,00 (vinte e seis cadorias.
reais). Esse método funciona pelo controle
• No dia 11 de março, ocorreu uma saída permanente do estoque. O cálculo é refeito
de 10 (dez) unidades do estoque. Como nes- sempre que novos itens são adquiridos. Para
te método, a cada aquisição se altera o valor fazer isso é preciso adicionar os custos do
unitário, será este valor já alterado que será primeiro lote aos do segundo e dividir pela
utilizado para calcular o valor total de sua quantidade de produtos.
saída. Essa ação assegura uma rentabilidade
• Sendo assim as 10 (dez) unidades que mediana e segura devido ao preço médio do
saíram, terão um valor unitário de R$ 26,00 patrimônio que está armazenado.
(vinte e seis reais), totalizando um valor total
de saída de R$ 260,00 (duzentos e sessenta Quando utilizar o método MPM?
reais), restando em estoque 40 (quarenta) uni-
dades, a um valor unitário de R$ 26,00 (vinte A metodologia MPM é aceita pela Re-
e seis reais), e um valor total de R$ 1.040,00 ceita Federal. Uma das justificativas é o fato
(hum mil e quarenta reais). de haver uma exigência no Brasil de conse-
• O mesmo procedimento será utilizado guir o custeio por absorção real, método que
para as próximas operações, a cada entrada faz o rateio dos custos contábeis e os agrega
será somado o valor total dos itens e dividido à produção mensal.
pala quantidade total de unidades, chegando A facilidade de implementação do MPM
assim a um novo valor unitário. é outro motivo que indica porque esse é um
método válido.
Método MPM: quando vale a pena adotar? Atualmente, o MPM é a metodologia
mais utilizada pelas empresas. Isso ocorre
A avaliação dos estoques da sua empre- porque ela possui um efeito estabilizante, o
sa é uma ferramenta importante para evitar a que significa que as flutuações de valores so-
obsolescência das mercadorias e a perda de frem nivelamento e os custos reais de compra
produtos. em longo prazo são refletidos.
Escolher o modelo mais adequado depen- Disponível em: https://www.ibid.com.br/blog/metodo-m-
de do tipo de empresa. Uma das possibilidades pm-vale-pena-adotar-no-seu-negocio/. Texto Adaptado.

Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 12 Instituto Universal Brasileiro


VEJA SE APRENDEU

1. A busca de crescimento empresarial no mundo globalizado têm exigido que as empre-


sas identifiquem, implementem e sustentem a __________________ como estratégia.

a) ( ) produção eficiente
b) ( ) entrega de serviços
c) ( ) agilidade nos transportes
d) ( ) vantagem competitiva

2. Entre os fatores que afetam as atividades de suprimento e armazenagem estão os cha-


mados “estoques de segurança”. Sobre eles é correto afirmar:

I – Estes estoques visam proteger as empresas contra fatores não controlados como gre-
ves, desastres naturais, quebra de equipamentos etc.
II – Grandes quantidades de mercadorias podem proporcionar descontos que compensam
os custos dos estoques adicionais.

a) ( ) Apenas I está correta.


b) ( ) I e II estão corretas.
c) ( ) Apenas II está correta.
d) ( ) I e II estão incorretas.

3. Fluxo Logístico é o processo ou cadeia de processos fundamentais para atingir um obje-


tivo com foco no menor espaço de tempo, maior qualidade possível, visando o menor custo ou
desperdício. Os principais tipos de fluxos são:

a) ( ) Fluxo de Materiais e Fluxo de Informações.


b) ( ) Fluxo de Pessoas e Fluxo de Veículos.
c) ( ) Fluxo de Materiais e Fluxo de Pessoas.
d) ( ) Fluxo de Veículos e Fluxo de Informações.

4. Qual o método para avaliar o estoque mais utilizado pelas empresas na atualidade, que
faz uma média ponderada a cada mercadoria que entra no estoque?

a) ( ) MPM
b) ( ) UEPS
c) ( ) MPU
d) ( ) PEPS

5. A sigla em português PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai) corresponde à sigla
em inglês:

a) ( ) LIFO (Last-In-First-Out)
b) ( ) FEFO (First-Expire-First-Out)
c) ( ) FIFO (First-In-First-Out)
d) ( ) LEFO (Last-Expire-First-Out)
Suprimentos e Armazenagem - Aula 1 13 Instituto Universal Brasileiro
Tipos de Estoques
Aula 2
FUNÇÕES, POLÍTICA E Existem diferentes tipos de estoques
CONTROLE DE ESTOQUES mantidos pelas empresas ou fornecedores,
que podem exercer diferentes funções estra-
Introdução tégicas. Observe abaixo como podem funcio-
nar os estoques, com alguns exemplos.

• Estoque Pulmão

A expressão “estoque pulmão” se refere


à quantidade de materiais que aguarda pro-
cessamento ou que não podem faltar (maté-
rias-primas ou reservas). Como regulador, o
estoque pulmão tem a função de amortizar as
influências da oferta na demanda e vice-ver-
sa, variando as velocidades de entrada e saída
dos materiais.

O ambiente competitivo do mercado


atual nas organizações é de extrema incerte- Exemplo:
za. Há momentos em que não dá para calcular
com exatidão como será o consumo em deter-
minado período. Os estoques são considerados O volume armazena-
meios naturais para a empresa poder enfrentar do na caixa d’água nas re-
essa incerteza na demanda de seus produtos. sidências, para fazer fren-
A manutenção de estoques é considerada te às variações diárias de
uma atividade primária e tem como objetivo equi- abastecimento.
librar a disponibilidade do produto de acordo com
a sua demanda; ou seja, manter um estoque míni-
mo com os menores níveis possíveis, sem que se
acumulem ou faltem produtos. É interessante para • Estoque Estratégico
a empresa, utilizar os estoques como regulador de
demanda, diminuindo a espera e satisfazendo o Quando existir qualquer risco de caráter
cliente de forma mais rápida e efetiva. extraordinário, o estoque estratégico pode
assumir a função de uma resposta contingen-
cial, reduzindo o impacto da falta de oferta ou
SAIBA MAIS ruptura.

Exemplo:
Atividades Primárias X Atividades de
Apoio. Por questões didáticas, os especialistas
subdividem as funções ou atividades de logística
em: primárias e de apoio. São consideradas ativi-
dades primárias: Transportes, Manutenção de Es-
toques e Processamento de Pedidos. As ativida-
des de apoio são: Armazenagem, Manuseio de
Materiais, Embalagem de Proteção, Programa-
ção de Produtos e Manutenção de Informação.

Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 14 Instituto Universal Brasileiro


• Estoque Cíclico
Estoque estratégico de 15 dias de co-
bertura, mantido pela Petrobrás, para assegu- Apresenta regularidade, com abaste-
rar abastecimento dos serviços de emergên- cimentos sucessivos. É definido como uma
cia caso ocorra uma interrupção repentina na quantidade média de estoque destinada a sa-
importação ou produção de petróleo. tisfazer a demanda existente entre entregas
consecutivas do fornecedor, portanto a de-
manda é constante. A dimensão deste tipo de
• Estoque Especulativo estoque é resultado da produção ou da com-
pra de material em grandes lotes. Convém di-
Existem ocasiões onde empresas operam zer que as empresas normalmente produzem
como agentes financeiros, adquirindo produ- ou compram em grandes lotes com a finalida-
tos quando os preços estão em baixa para de de explorar as economias de escala.
vender quando estiverem em alta. Apesar do
alto risco, o estoque especulativo tem a fun-
ção de proteger contra o aumento de preços PARA REFLETIR
de compra e/ou aumentar os lucros de venda.

Lembre-se de que as economias de


Exemplo: escala organizam o processo produtivo
de maneira que se alcance a máxima uti-
lização dos fatores produtivos envolvidos
no processo, procurando como resultado
baixos custos de produção e o incremen-
to de bens e serviços. Ela ocorre quando
a expansão da capacidade de produção
de uma empresa ou indústria provoca um
aumento na quantidade total produzida
sem um aumento proporcional no custo
de produção. Como resultado, o custo mé-
Grande lote de sacas de grãos, com- dio do produto tende a ser menor com o
pradas a preço de liquidação, a serem co- aumento da produção.
mercializadas em médio prazo, assim que
a cotação da commodity exceder 30% do
valor de compra.
• Estoque de Segurança

Categoria dos Estoques É mantido para servir de segurança no caso


de a demanda exceder as expectativas, além de
Os estoques também são subdivididos servir contra incertezas. É um estoque estratégi-
em categorias, que permitem o enquadra- co da empresa que visa um ataque ao mercado
mento em diferentes tipos de gestões. em caso de necessidade. Sua manutenção re-
Também conhecidas por Políticas de quer custos adicionais, porém não manter este
Estoques, visam principalmente estabelecer tipo de estoque pode ocasionar perdas nas ven-
certos padrões que sirvam de guias aos pro- das, em períodos de maior demanda.
gramadores e controladores e também de cri-
térios para medir a performance do departa- • Estoque Sazonal
mento de gestão de estoques.
Estas categorias denominam os estoques É mantido visando minimizar a variabili-
em Cíclicos, de Segurança e Sazonais, com ca- dade previsível da demanda. Na adoção do es-
racterísticas bem determinadas. toque sazonal, é mantido um armazenamento
Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 15 Instituto Universal Brasileiro
de matéria-prima ou produtos acabados em
períodos de baixa demanda, antecipando-se Previsões de Estoque são classifica-
aos períodos de demanda elevada, quando das em:
não se têm capacidade de produzir o volume
requerido pelo mercado. Caso a empresa con- Quantitativas
siga se adaptar rapidamente à demanda do Têm por características os números, e
cliente, não se faz necessário manter estoques levam em consideração:
sazonais. • Evolução das vendas no passado;
• Variáveis com evolução e explicação
Política de Estoque baseada nas vendas;
• Influência da propaganda.

Política de estoque. Consiste em Qualitativas.


normas sobre o que comprar e o que pro- Caracteriza-se pela opinião quanto à
duzir, quando comprar e produzir, e em qualidade dos produtos visando que os mes-
quais quantidades. Inclui também decisões mos não faltem às linhas produtivas ou ao
sobre posicionamento e alocação de esto- consumidor final. Levam em consideração:
ques em fábricas e centros de distribuição. • Opinião dos gerentes, vendedores,
compradores;
• Pesquisas de mercado.
Principais funções da Política de Estoque

• Determinar permanência dos itens; Controle Efetivo de Estoques


• Determinar a periodicidade de reabas-
tecimento;
• Determinar o volume necessário de es-
toque para um determinado período;
• Acionar o Departamento de Compras;
• Receber, armazenar e atender os mate-
riais estocados de acordo com as necessida-
des;
• Controlar os estoques em termos de
quantidade e valor e fornecer informações so-
bre a posição do estoque;
• Manter inventários periódicos para Para que as principais funções das Políticas
avaliação das quantidades e estado dos mate- de Estoques funcionem de maneira eficaz, são
riais estocados; necessários acompanhamentos sistemáticos e
• Identificar e retirar do estoque os itens periódicos visando-se a redução de erros entre as
obsoletos e danificados. quantidades necessárias para determinados pe-
ríodos e efetivamente o que se tem armazenados.
Previsão de Estoque Para tanto, indicadores de desempenho são
cada vez mais usuais nas organizações por tratar-
De posse destas informações, os gesto- se de ferramentas de simples entendimento e efi-
res podem estimar quantidades para a cha- cácia comprovada.
mada Previsão de Estoque, que basicamente
permite decidir sobre as dimensões, e a distri- Giro de Estoque
buição no tempo, da demanda dos produtos
acabados (ou matérias primas). Para a previ- Um destes indicadores é o chamado “Giro
são de estoque, são necessários dados e infor- de Estoque”. É um tipo de indicador que, utili-
mações precisas. zando-se de fórmulas matemáticas, demonstra
Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 16 Instituto Universal Brasileiro
o desempenho de um estoque. O Giro de Esto-
que serve para medir, de forma padronizada, com estoques, nas contas a receber, no caixa,
qualidade e precisão, todas as informações rela- no banco etc. É o conjunto de valores ne-
cionadas às aplicações das políticas de estoque, cessários para a empresa fazer seus negó-
estrategicamente elaborada pela empresa. cios acontecerem (girar).
O indicador de giro de estoque pode ser
aplicado a qualquer tipo de estoque, indepen-
dente da sua complexidade ou tamanho. Primei- Exemplo prático (Giro de Estoque)
ro vamos entender o que é o giro dos estoques.
Estoque Estoque Indice
Merca- Compras Vendas / Estoque
Inicial Final de
doria / mês R$ mês R$ em dias
R$ R$ giro
Giro de estoque. É a quantidade de ve-
zes, em determinado período, que o estoque, Compu-
11.000,00 2.000,00 9.000,00 4.000,00 0,44 13
tadores
que a empresa mantém, é usado ou vendido.
Estoque inicial (EI): são todos os
materiais contabilizados no primeiro dia
do mês.
OBSERVE ESTE CASO Compras (C): são todos materiais
que entraram no estoque entre o primeiro
Vamos dar um exemplo para melhor en- e o último dia do mês. Pode-se considerar
tender o conceito: O estoque médio de uma também como material “produzido”, ao in-
torrefadora de café é de 400 sacas e a empresa vés de “comprado”.
vende 3.600 sacas ao ano, portanto o giro de es- Vendas (V): são os materiais do esto-
toques desta empresa é 3.600 dividido por 400 que que foram vendidos no mês.
= 9 giros ao ano. Neste caso fica fácil de calcular, Estoque final (EF): são todos os ma-
pois a empresa trabalha só com um produto. teriais contabilizados no último dia do
mês. (EF = EI + C - V).

O resultado apresentado pelo giro de es- Entenda o cálculo:


toque representa a quantidade de vezes que Giro = [Estoque final (no período)
cada um dos itens, foi renovado dentro de um ÷ Vendas (no mesmo período)] x política
determinado período. de estoques
Quanto maior for a frequência de entregas Ex.: Computadores = 4.000 ÷ 9.000 =
dos fornecedores, logicamente em menores lo- 0,44 (Chamado de Fator ou índice de Giro).
tes, maior será o índice de giro dos estoques. A relação estoque/vendas (fator) de 0,44
Um alto índice de rotação dos estoques é (para uma política de estoques estabelecida
fator fundamental na redução da necessidade para um mês, 30 dias) equivale a um estoque
de investimento em capital de giro para um para 13 dias: 30 dias x 0,44 = 13 (dias)
determinado nível de vendas.

SAIBA MAIS PARA REFLETIR


Convém dizer que cada empresa
Capital de giro. É uma parte do in- estabelece sua política de estoques de
vestimento que compõe uma reserva de acordo com a sua conveniência, atrelada a
recursos que serão utilizados para suprir diversos fatores (importação, exportações,
as necessidades financeiras da empresa ao distancia dos fornecedores, estratégias de
longo do tempo. Esses recursos ficam nos mercados etc.). Então, caso a política de

Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 17 Instituto Universal Brasileiro


estoques da empresa seja estabelecida em Antes de calcular o Estoque Mínimo,
10 dias, por exemplo, então o Índice de é preciso determinar o Fator:
Giro é multiplicado por 10.
Fator de Estoque Mínimo = Tempo total
÷ Política de estoques
Estoque Mínimo
A fórmula para se calcular o Estoque
O estoque mínimo é a quantidade mínima Mínimo é:
de mercadoria ou matéria-prima que a empresa
Estoque Mínimo = Demanda x Fator
deve manter em estoque baseada numa deman-
da pré-determinada e em um período também Desta forma:
pré-determinado. Serve, por exemplo, para cobrir • (3+2+7) ÷ 30 = 0,4 (Fator)
o período de espera entre a colocação de um pe- • Estoque Mínimo = Demanda x
dido e a chegada deste à empresa. Fator
Para se calcular o “Estoque Mínimo” devem- • Estoque Mínimo = 100 x 0,4 = 40
se levar em consideração as quantidades requeri- unidades
das (vendidas, produzidas, compradas etc.) num
determinado período de tempo. A este “tempo” Conclusão: Para uma demanda de 100
ou período, deve-se acrescer os prazos para co- unidades por mês, nas condições de compra e
tações, negociações, entregas etc., fatores estes dentro da política de estoque requerida, a em-
inerentes ao processo de se adquirir/produzir presa deverá manter 140 (cento e quarenta uni-
matérias primas ou produtos acabados. dades) mensalmente em seus estoques, sendo
100 unidades para vendas e mais 40 unidades
que representam os 12 dias decorridos entre a
SAIBA MAIS cotação, negociação e o prazo de entrega.

Em economia, demanda ou procura, Estoque de Segurança


é a quantidade de um bem ou serviço que
os consumidores desejam adquirir por um O Estoque de Segurança representa a
preço definido em um dado mercado, du- quantidade necessária para cobrir eventuais
rante uma unidade de tempo. atrasos nas entregas, sejam elas efetuadas pe-
los fornecedores ou ainda na própria área pro-
dutiva das empresas, se for o caso.
Exemplo prático (Estoque Mínimo) Este tipo de estoque, quando mantido, é
Uma empresa possui o seguinte históri- visto pelas organizações como falta de com-
co de ressuprimentos (ou reabastecimentos) prometimento ou ineficiência das partes en-
- Quantidade média de mercadoria volvidas, e por ser oneroso (como qualquer
vendida = 100 unidades (ao mês) tipo de estoque), é cada vez menos utilizado
- Cotação (Contatos com fornecedo- pelas empresas, que exigem cada vez mais de
res para solicitação dos preços): 3 dias seus fornecedores o total comprometimento
- Negociação (Após o recebimento da com os prazos acordados, sob pena de mul-
cotações, nova rodada de contatos para tenta- tas e rescisões de contratos.
tivas de melhorias em preços e prazos) : 2 dias
- Prazo de entrega do fornecedor:
(Terminadas as negociações o prazo para Calcula-se este tipo de estoque usan-
entrega do material é combinado): 7 dias do-se a seguinte fórmula:
- Política de estoques adotada pela (Giro Médio Mensal x Dias de Atraso) ÷ 30 dias
empresa: 30 dias Onde:

Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 18 Instituto Universal Brasileiro


- O “Giro Médio Mensal” é entendi-
do como a demanda mensal (no caso deste PARA REFLETIR
exemplo 100 unidades);
- Os “Dias de Atraso” são os dias que Convém considerar que, caso a empresa
historicamente se acrescenta no prazo de adote o Estoque de Segurança o mesmo de-
entrega de determinados fornecedores verá ser acrescido ao Lote de Compra, (que
(neste exemplo, 3 dias); neste exemplo acrescentaria mais 10 unida-
- A “Politica de Estoques” (neste des), elevando-se o total do lote para 150 uni-
exemplo, 30 dias). dades. Percebe-se, desta forma, o porquê das
Desta forma, temos a equação: empresas utilizarem cada vez menos a ma-
nutenção deste tipo de estoque.
(100 x 3) ÷ 30 = 10 unidades
Conclusão: O Estoque de Segurança
a ser mantido, para estas condições, deverá Estoque Máximo
ser de 10 unidades.
Se o estoque mínimo tem como principal
objetivo evitar a ruptura de estoque e assim
Lote de Compra eliminar qualquer chance de a sua empresa
vir a perder oportunidades de venda pelo fato
O Lote de Compra, conhecido como Lote de não possuir determinado item e não conse-
de Reposição, representa a quantidade ne- guir atender a demanda, o estoque máximo
cessária para efetuar a renovação do estoque evita a compra de produtos em excesso, que
para um determinado período. podem vir a estragar ou simplesmente ficarem
sem saída no estoque. Portanto, o estoque
máximo é essencial para evitar desperdício de
A fórmula de cálculo é a seguinte: recursos na empresa.
Giro Médio Mensal x (Tempo Total +
Política de Estoques) ÷ Política de Estoques
A fórmula para calcular o estoque má-
Onde: ximo é a seguinte:
- O “Giro Médio Mensal” é entendi-
do como a demanda mensal (no caso deste Estoque máximo = Estoque mínimo +
exemplo 100 unidades); Lote de reposição
- O “Tempo Total” são os prazos para Supondo que o estoque mínimo seja de
cotações, negociações e entregas (neste 60 unidades e que sejam comprados 45 unida-
exemplo, 12 dias); des num lote de reposição, calcula-se:
- A “Politica de Estoques” (neste
exemplo, 30 dias). Estoque máximo = (60 + 45) = 105
Desta forma, temos a equação: Conclusão: Utilizando indicadores como
100 x (12 + 30) ÷ 30 = 140 unidades o estoque mínimo e o estoque máximo no pro-
cesso de controle de estoque da empresa, cer-
Conclusão: O Lote de Compra a ser tamente serão evitados problemas com falta ou
efetuado, para estas condições, deverá ser excedente de produtos e a gestão vai ser mais
de cento e quarenta unidades. Repare que equilibrada. Entretanto, deve-se ressaltar que o
a fórmula contempla exatamente os valo- estoque máximo pode variar de acordo com o
res iniciais do exemplo: Demanda de 100 custo de aquisição de um determinado produto
unidades + 40 unidades do estoque míni- e é claro, da capacidade de da empresa armaze-
mo como foi visto anteriormente. nar determinada quantidade de estoque.

Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 19 Instituto Universal Brasileiro


VEJA SE APRENDEU

1. Estoques sejam de matérias primas, produtos intermediários ou produtos acabados ser-


vem para várias finalidades: identifique as Verdadeiras (V) e as Falsas (F).
( ) Enfrentar as incertezas na demanda de produtos.
( ) Proteger contra aumento de preços de compra.
( ) Garantir melhores vendas e lucros maiores.
a) ( ) V – F – F
b) ( ) F – V – V
c) ( ) V – V – F
d) ( ) F – F – V

2. Considere os seguintes produtos abaixo, indicando respectivamente o tipo de estoque


(cíclico, de segurança, sazonal) mais indicado para cada um deles.
I – Leite II – Carne III – Panetone
a) ( ) I – cíclico; II – de segurança; III – sazonal
b) ( ) I – sazonal; II – cíclico; III – de segurança
c) ( ) I – cíclico; II – sazonal; III – de segurança
d) ( ) I – de segurança; II – sazonal; III – cíclico

3. Assinale a alternativa que apresenta os tipos de informações necessárias para a previsão


de estoque:
a) ( ) informações quantitativas e informações variáveis.
b) ( ) informações quantitativas e informações qualitativas.
c) ( ) informações variáveis e informações qualitativas.
d) ( ) informações quantitativas e informações não variáveis.

4. Uma das funções básicas na gestão de estoques é o acompanhamento do giro de esto-


que, que permite à empresa planejar, em escala de tempo, quantos dias, semanas ou meses, um
determinado produto permanece no estoque. Considerando que um determinado item tenha
um índice de giro de 4,0 vezes ao ano, se esta informação for transformada em escala de tempo,
é correto afirmar que o estoque deste item suporta:
a) ( ) 12 meses
b) ( ) 6 meses
c) ( ) 4 meses
d) ( ) 3 meses

5. Indique a alternativa que completa corretamente os espaços abaixo.


Se o __________________ tem como principal objetivo evitar a ruptura de estoque para
atender a demanda, o _________________ evita a compra de produtos em excesso, que podem
vir a estragar ou ficar sem saída no estoque.
a) ( ) estoque mínimo / estoque máximo
b) ( ) estoque de segurança / estoque estratégico
c) ( ) estoque especulativo / estoque cíclico
d) ( ) estoque sazonal / estoque pulmão
Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 20 Instituto Universal Brasileiro
APRENDA FAZENDO

1. Dada a planilha abaixo, complete os cálculos de Giro de Estoques.

a) Considerar uma “Política de Estoques” de trinta dias;


b) Ao final dos cálculos, será possível analisar quais produtos estão com os estoques eleva-
dos, baixos ou com os volumes considerados bons para a política praticada.
c) Assinale Al para altos, Bx” para baixos e Bo para bons ao lado da coluna identificada.

Atenção. Este “volume”, identificado na tabela como “Estoque em Dias”, deve permanecer
próximo à quantidade de dias estabelecidos na “Política de Estoques” (30).

Estoque Compras / Vendas / Estoque Indice Estoque Assinale


Produtos inicial mês mês final de em “Al”, “Bx”
R$ R$ R$ R$ Giro dias ou “Bo”
Acessórios 11.000,00 2.000,00 9.000,00
Baterias 4.450,00 3.000,00 1.450,00
Calculadoras 2.400,00 1.300,00 1.100,00
Cameras digitais 17.800,00 9.700,00 8.100,00
Celulares 19.000,00 8.000,00 11.000,00
Filmadoras 16.850,00 8.500,00 8.350,00
Impressoras 13.500,00 4.500,00 9.000,00
Pen drives 4.500,00 2.500,00 2.000,00
Tablets 4.200,00 1.500,00 2.700,00
Video games 17.800,00 9.000,00 8.800,00

2. Dada a planilha abaixo, calcule os Estoques Mínimos e de Segurança, e também o Lote


de Compra.

DADOS
Média mercadorias vendidas no mês 115
Cotação (dias) 4
Negociação (dias) 2
Prazo de entrega (dias) 14
Politica de estoques (dias) 30
CALCULE:
O fator de estoque mínimo
O estoque mínimo
O lote de compras dos produtos
O estoque de segurança dos produtos:
Dias de atraso 3

Suprimentos e Armazenagem - Aula 2 21 Instituto Universal Brasileiro


Aula 3 aquele que procura minimizar a distância total
ORGANIZAÇÃO E percorrida com uma movimentação eficiente
MANUTENÇÃO DE ESTOQUES entre os materiais, com a maior flexibilidade pos-
sível e com custos de armazenagem reduzidos”.
Introdução

Exemplo de um Layout de Armazém

Um dos pontos mais importantes em um


armazém é seu espaço, pois é ele quem deter-
mina, na verdade, toda a estratégia de compra, Passos para se desenvolver
de estocagem e de distribuição dos produtos um Layout de Armazém
ali guardados. O espaço de um armazém deve
ser planejado e estabelecido para que se possa • Traçar a área global a escalar;
tirar o máximo proveito de sua área total, le- • Abranger todos os obstáculos fixos (colunas,
vando-se em consideração as três dimensões elevadores, escadas, instalações de serviços, etc.);
de sua área: Altura, Largura e Cumprimento. • Localizar as áreas de recepção e envio;
A altura deve ser utilizada ao máximo, • Localizar os vários tipos de armazenagem;
fazendo-se uso de prateleiras, porta paletes • Atribuir a cada material a sua localiza-
ou armazenagem simples através do empilha- ção de armazenagem.
mento dos materiais. No entanto, alguns pon-
tos básicos devem ser considerados, como a
resistência dos materiais que sofrerão empi-
lhamento, os equipamentos disponíveis para
PARA REFLETIR
a execução de um empilhamento seguro, a
resistência dos pisos e do pavimento, o trei- Não se deve confundir Layout com Ar-
namento dados aos funcionários no manuseio ranjo físico! Arranjo físico é a disposição físi-
das cargas a serem armazenadas etc. ca dos equipamentos, pessoas e produtos, da
maneira mais adequada ao processo produti-
Layout de Armazém vo. Significa a colocação racional dos diversos
elementos combinados para proporcionar a
facilidade na movimentação dos produtos.
Layout de armazém. É a forma como Desta forma, arranjo físico, é o planejamento
as áreas de armazenagem estão organiza- de como o espaço a ser ocupado será utiliza-
das, de forma a utilizar todo o espaço exis- do. O arranjo físico é representado pelo layout.
tente da melhor forma possível, verificando Layout é o gráfico que representa a disposi-
a coordenação entre os vários operadores, ção espacial, a área ocupada e a localização
equipamentos e espaço. O layout ideal é dos equipamentos, pessoas e produtos.

Suprimentos e Armazenagem - Aula 3 22 Instituto Universal Brasileiro


Principais aspectos do layout ser armazenados de acordo com sua frequência
de saída. Por exemplo: os materiais com saídas
Itens de estoque. As mercadorias de contínuas devem ter suas pilhas ou prateleiras
maior saída devem ser armazenadas nas ime- próximas às portas de expedição, enquanto os
diações de saída ou expedição, a fim de facili- com menores movimentações devem ocupar
tar o manuseio. O mesmo deve ser feito com as partes mais ao fundo do armazém, conforme
os itens de grande peso e volume. figura abaixo.

Corredores. Os corredores dentro do ar- Exemplo de armazenagem


mazém deverão facilitar o acesso às mercado- por critério de saídas
rias em estoque. Quanto maior a quantidade
de corredores maior será a facilidade de aces-
so. Armazenamento com prateleiras requer
um corredor para cada duas filas de pratelei-
ras. A largura dos corredores é determinada
pelo equipamento de manuseio e movimen-
tação dos produtos. A localização dos corre-
dores é determinada em função das portas de
acesso e da arrumação das mercadorias. Entre
as mercadorias e as paredes do edifício de-
vem existir passagens mínimas de 60 cm, para
acesso às instalações de combate a incêndio.

Portas de acesso. Devem permitir o


acesso ao depósito e a passagem dos equi-
pamentos de manuseios e movimentação de
materiais. Tanto sua altura como a largura SAIBA MAIS
deve ser devidamente dimensionada. O local
de expedição ou de embarque de mercadorias
deve ser projetado para facilitar as operações No Brasil existe uma Norma Regula-
de manuseio, carga e descarga. mentadora para tratar do assunto Transpor-
te, Movimentação, Armazenagem e Manu-
Prateleiras e estruturas. Quando hou- seio de Materiais. Trata-se da NR 11. Consulte
ver prateleiras ou estruturas porta paletes no o site: http://www.guiatrabalhista.com.br/
depósito, a altura máxima deverá considerar legislacao/nr/nr11.htm e leia na íntegra as
o peso dos produtos. O limite de altura das normatizações relacionadas ao tema.
pilhas de mercadorias deve se distanciar um
metro das luminárias do teto ou dos sprinklers
(equipamentos fixos de combate a incêndio) Manuseio de Materiais
de teto. As mercadorias leves devem perma-
necer na parte superior das estruturas, e as Uma das questões mais importantes nos
mercadorias mais pesadas devem ser arma- armazéns são os manuseios corretos dos ma-
zenadas nas barras inferiores da estrutura. O teriais que se encontram estocados.
piso deve ser suficientemente resistente para Conforme comentado anteriormente, é
suportar as estruturas de armazenagem, o de extrema importância que a mão de obra
peso das mercadorias estocadas e o trânsito que lida diretamente com os materiais te-
dos equipamentos de movimentação. nham treinamento mínimo referente ao as-
sunto, além de se atentarem a algumas nor-
Armazenagem por critério de saída. É mas básicas que garantam o bom estado do
importante salientar que os materiais devem produto dentro do armazém, permitindo que
Suprimentos e Armazenagem - Aula 3 23 Instituto Universal Brasileiro
o mesmo seja entregue de forma íntegra ao índice de avarias, pontualidade nas entregas
cliente final. e perfeita interação e comunicação entre a
equipe.
Cuidados importantes
Sistemas de Armazenagem
• Os produtos deverão ser transportados, de Materiais
de preferência, sempre sobre um só veículo,
evitando-se manusear muito a carga sem ne-
cessidade. As mudanças aumentam as chan- “Sistemas de Armazenagem são
ces de quedas ou choques, que danificarão o conjuntos de equipamentos que servem
material; para arrumar, de forma conveniente, as
• Deve-se sempre levar em consideração matérias-primas ou produtos acabados,
qual será a etapa seguinte que aquele produ- quer manualmente, quer utilizando equi-
to terá. Isto facilita, por exemplo, a disposição pamentos de movimentação de materiais
que o mesmo deverá ter dentro de um cami- como, por exemplo, empilhadoras e por-
nhão ou a forma que o produto será movi- ta-paletes. Existem vários tipos de siste-
mentado após a separação. Isso ajuda a evitar mas de armazenagem, utilizados de acor-
retrocesso ou voltas desnecessárias e o con- do com o tipo de produto a armazenar e
gestionamento dos corredores; área disponível, entre outros parâmetros.”
• Utilizar sempre veículos e equipamen- (Guerra, 2007).
tos para a movimentação adequados ao tipo
de produto;
• Em transportes internos, carregar até o Parâmetros a serem observados
limite máximo permitido, nunca deixando de
se observar o quesito segurança. Agir desta • Peso;
forma evita-se viagens desnecessárias que so- • Dimensões dos volumes;
brecarregariam o trânsito interno e a equipe • Possibilidade de unitização em paletes;
de pessoal de movimentação; • Espaço disponível;
• A segurança no transporte da carga, • Altura máxima do armazém (para fins
desde um simples carrinho hidráulico até veí- de aproveitamento da mesma);
culos pesados é imprescindível. Toda equipe • Condições do piso ou estrutura selecio-
deve fazer uso de EPIs (Equipamento de Pro- nada (galpões ou lajes, por exemplo).
teção Individual), dispositivos ou produto, • Por fim, deve-se ter atenção as condi-
de uso individual utilizado pelo trabalhador, ções operacionais, como por exemplo:
destinado a proteção contra riscos capazes de - a seletividade e a variedade de pro-
ameaçar a sua segurança e a sua saúde, como dutos;
capacetes, óculos, luvas, sapatos com bicos de - as quantidades de itens que serão ar-
aço, coletes refletivos, etc. Todos os equipa- mazenados;
mentos de movimentação, inclusive os veícu- - quantidades de docas de recebimen-
los transportadores (caminhões, carretas, em- tos/expedição;
pilhadeiras etc.) devem sofrer manutenções - quantidade de funcionários para ope-
preventivas. rar os equipamentos;
• No caso do uso de docas para recebi- - a velocidade requerida nas operações.
mento e expedição simultâneas, as operações
de recebimento e entrega deve ser sincroniza- Estante para paletes
da, evitando contratempos para quem retira e tipo drive-in
para quem guarda os materiais no armazém.
• Para cada tipo e armazém, existe uma Consiste num bloco de estruturas con-
realidade diferente. Os ajustes devem ser fei- tínuas com corredores, é utilizado quando a
tos visando a máxima agilidade com baixo carga pode ser paletizada, é pouco variada
Suprimentos e Armazenagem - Aula 3 24 Instituto Universal Brasileiro
e não necessita de alta seletividade ou ve- controle da velocidade do palete por parte
locidade. Neste tipo de estruturas, como a do operador da empilhadeira, o que permite
seletividade é baixa, a retirada das paletes a retirada com segurança. Uma vez removido
é feita de uma forma mais lenta. Estes tipos o primeiro palete, os outros descem a pista, fi-
de estrutura são utilizados principalmente cando sempre um na parte frontal.
quando o aproveitamento do espaço é mais
importante que a agilidade no processo de Cantilever
armazenamento.
O Sistema de Armazenagem do tipo Can-
tilever é o ideal para o armazenamento não
paletizados de materiais de grande compri-
mento, como tubos, perfis, barras em geral,
madeira e carretéis. Permite fácil acesso para
colocação e retirada dos materiais estocados,
sendo, ainda, uma estrutura completamente
desmontável, o que viabiliza a customização
de diferentes alturas e larguras dos produtos a
serem guardados, bastando para isto somente
mudar os encaixes dos suportes.

Sistema de armazenagem tipo drive in

Estante para paletes tipo push back

Semelhantes ao drive-in utilizado para


cargas paletizadas. A diferença é que os pa-
letes são colocadas em trilhos que possuem
uma leve inclinação. O primeiro palete colo-
cado é empurrado para trás pelo segundo, e
assim sucessivamente.

Sistema de armazenagem tipo cantilever

Estantes

É o tipo de estrutura que se utiliza para
o armazenamento de produtos com peque-
no volume e peso, não paletizados e com
armazenamento manual. Ideal para armaze-
nagem onde não são precisos equipamen-
Sistema de armazenagem tipo push back tos específicos para movimentações dos
volumes. Deve-se levar em consideração a
Quando se retira um dos paletes, como altura máxima como sendo a alcançada pe-
a pista de carga é um pouco inclinada, há o las mãos, evitando-se desta maneira o uso e
Suprimentos e Armazenagem - Aula 3 25 Instituto Universal Brasileiro
qualquer tipo de recurso para se guardar ou ticalmente com a colocação de pisos inter-
retirar os produtos. mediários. Como sistema de armazenagem é
utilizado para cargas a granel, caixas vazias,
embalagens em geral e partes de produtos
que estão em processo de produção. Também
podem ter o propósito de se dividir áreas, tor-
nando-as específicas para diferentes produtos
ou ainda a utilização do espaço superior para
montagem de linhas produtivas ou divisões
administrativas.

Exemplo de mezanino

Sistema de armazenagem tipo estante

Sistema flow-rack

Esta estrutura é utilizada para o arma-


zenamento de cargas leves (caixas). Neste
sistema o produto é colocado num plano in-
clinado com trilhos e este desliza até à outra
extremidade do trilho. Neste método é indu-
zido aos produtos a utilização do FIFO (First Sistema de armazenagem pode ser o
in First Out, ou PEPS Primeiro que Entra, Pri- diferencial da empresa
meiro que Sai). A armazenagem está entre os tópicos
mais importantes da cadeia logística, consi-
derada atividade de suporte. Seu valor deve-
se ao fato de visar o abastecimento em rela-
ção direta com o fluxo logístico, assegurando
um adequado nível de serviço e agregando
valor ao produto.
Portanto, a armazenagem é uma das ati-
vidades da cadeia de suprimentos que vai além
de procedimentos automatizados. A adminis-
tração do sistema deve disponibilizar de infor-
mações que permitam a tomada de decisões rá-
pidas e eficientes na organização e controle das
atividades de armazenamento e estocagem.
Um sistema de armazenagem bem apli-
cado pode solucionar e evitar diversos proble-
mas que influenciam diretamente o processo
Sistema de armazenagem tipo flow-rack
produtivo e de distribuição dos produtos, oti-
mizando espaços, diminuindo sensivelmente
Mezanino o custo do produto para o consumidor final e
aumentando a competitividade da empresa
É usado para a duplicação de uma de- no mercado.
terminada área, dividindo-se o espaço ver-
Suprimentos e Armazenagem - Aula 3 26 Instituto Universal Brasileiro
VEJA SE APRENDEU

1. Leia as afirmativas abaixo e, depois, assinale a alternativa correta.

I- Layout e arranjo físico tem o mesmo significado.


II- Sistemas de armazenagem são conjuntos de equipamentos que servem para arrumar,
de maneira conveniente, as matérias-primas ou produtos acabados.

a) ( ) I é verdadeira.
b) ( ) Todas são verdadeiras.
c) ( ) II é verdadeira.
d) ( ) Todas são falsas

2. O manuseio dos materiais para armazenagem é uma das questões mais importantes do
armazenamento. Assinale a única alternativa que não indica um dos cuidados importantes no
manuseio de materiais.

a) ( ) Os produtos devem ser transportados, preferencialmente, sempre sobre um só veículo.


b) ( ) Utilizar sempre veículos e equipamentos para a movimentação adequados ao tipo
do produto.
c) ( ) Em transportes internos, pode-se carregar ultrapassando o limite máximo permitido.
d) ( ) No caso do uso de docas para recebimento e expedição simultâneas, as operações
de recebimento e entrega deve ser sincronizada.

3. O modelo de estante para armazenamento que consiste num bloco de estruturas contí-
nuas com corredores é o tipo:

a) ( ) drive-in
b) ( ) push back
c) ( ) flow-rack
d) ( ) cantilever

4. Observe a figura a seguir e identifique o tipo de modelo de armazenamento.

a) ( ) Push back
b) ( ) Estantes
c) ( ) Cantilever
d) ( ) Mezanino
Suprimentos e Armazenagem - Aula 3 27 Instituto Universal Brasileiro
blemas, corrigi-los ou ainda evitá-los.
Aula 4
USO DE INVENTÁRIO NA Problemas a serem
GESTÃO DE ESTOQUE evitados ou corrigidos

Introdução • Diferenças em valores, entre o estoque


físico e o estoque contábil;
• Discrepância entre os registros descri-
tos nas notas fiscais de entradas e o estoque
físico ou a quantidade que realmente existe
dentro do estoque;
• Divergências entre a quantidade total
de entradas com a quantidade real de saídas;
• Soluções numéricas e corretas para o
fisco, quando se encontram “sobras” ou “faltas”
de materiais procurados nos armazéns;
• Solucionar possíveis erros de lança-
Gestão de estoques é uma área de mui- mentos e corrigir acertadamente quando os
ta relevância que determina a política de es- problemas relatados ocorrerem, antes do ba-
toques da empresa e utiliza o inventário para lanço obrigatório, realizado ao final de cada
fazer um levantamento geral, com a descrição, ano.
a quantidade existente e o local onde se en- Desta forma, é importante elaborar uma
contram os produtos. Inventário basicamente política de contagens, realizando uma conta-
é uma lista de bens e materiais disponíveis em gem paralela ao sistema informatizado, visan-
estoque que estão armazenados na empresa do a que não haja divergências, e caso ocor-
ou externamente. ram, sejam corrigidas, evitando-se problemas
Todo material estocado, seja ele maté- maiores entre as próprias áreas da empresa e
rias-primas ou produtos acabados, devem pas- o fisco.
sar por uma contagem física em determinados
períodos de acordo com o que cada empresa Tipos de Inventários
determina na sua política de estoques.

Inventário físico visa ao estabele-


cimento de auditoria permanente de es-
toques em poder do almoxarifado, e tem
como objetivo garantir a plena confiabili-
dade e exatidão de registros contábeis e fí-
sicos, essencial para que o sistema funcione
com a eficiência requerida.

O inventário demonstra organização e


preocupação da empresa em conferir e con-
fiar seus sistemas (de compras, produção, ven- A importância do inventário físico re-
das, etc.) às contagens físicas e periódicas de side no fato de que não adianta controlar os
seus itens estocados, em processos ou ainda estoques observando critérios condizentes
em transito, visando também aumentar ainda de avaliação e registro, se não se tem cer-
mais a confiabilidade dos sistemas informati- teza das reais quantidades existentes em
zados da empresa. Nesta operação de conta- estoque naquela data.
gem física, podem-se identificar alguns pro-
Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 28 Instituto Universal Brasileiro
O inventário de estoques constitui-se em Inventário Rotativo
uma ferramenta fundamental para o aperfei-
çoamento dos controles internos da organi- É uma importante ferramenta para ob-
zação, proporcionando maior confiabilidade ter uma alta acuracidade em estoques, sendo
nos custos e atendendo de forma eficiente à realizadas constantemente contagens físicas
legislação de referência, já que é uma opera- programadas.
ção obrigatória imposta pelo fisco. O objetivo é simples: aumentar ainda
Existem diversas formas de se realizar os mais a precisão dos estoques. Este tipo de
inventários, dentre as quais se destacam as contagem consegue identificar e resolver, de
mais comumente usadas: Inventário Perma- forma sistemática e eficaz, problemas como
nente; Inventário Periódico; Inventário Rota- avarias nos itens estocados, produtos próxi-
tivo. Para melhor entendimento, verifica-se mos de seus vencimentos, tempo de estoca-
abaixo como funciona cada um destes proce- gem dos itens, baixa rotatividade etc.
dimentos. Com seus critérios e ciclos definidos em
função da chamada classificação ABC (confor-
Inventário Permanente me veremos adiante), permite que os artigos
do estoque sejam contados de forma inde-
Neste tipo de inventário, os estoques e pendente: neste sentido, itens que possuem
os bancos de dados são atualizados automa- maior rotatividade ou valores são contados
ticamente sempre que um produto é recebido em um intervalo de tempo menor, enquanto
ou expedido. aqueles que possuem menor rotatividade e
Neste tipo de operação, se faz necessário valores passam pelo processo de contagem
o uso de tecnologia da informação para que em intervalos maiores.
haja instantaneamente a interação entre os Contribui também para identificações
diversos bancos de dados da empresa, infor- imediatas de eventuais falhas no processo
mando a todos os envolvidos nas operações, operacional, permitindo suas correções rapi-
os movimentos que ocorreram nos estoques, damente.
facilitando desta forma as tomadas de deci-
sões sobre compras, produções, abastecimen-
tos, transferências etc.
SAIBA MAIS
Inventário Periódico

Nesta modalidade de inventário, execu-


ta-se a contagem física, regular e aleatória dos Acuracidade vem do inglês accu-
produtos em estoque para se atualizar as in- racy, que significa “precisão”, “exatidão”
formações ou ainda confrontar com o banco e “rigor”. Acuracidade de estoque con-
de dados visando a manter um nível de con- siste na apuração ou análise comparati-
fiabilidade e segurança. va do “estoque real” (o que está presente
Para que a contagem tenha eficiência, fisicamente na loja, por exemplo), com
o inventário periódico deve ser elaborado o “estoque lógico” (os números que es-
em períodos predefinidos pela organização, tão registrados no sistema de controle
determinando-se estes tempo em semanais, de mercadorias). Para haver acuracidade
quinzenais, ou mensais, de acordo com a rota- no inventário de uma loja, por exemplo,
tividade e importância dos produtos. é necessário que as informações apura-
Convém informar que este tipo de inven- das no estoque físico sejam exatamente
tário tem efeito fiscal e deve levar em consi- compatíveis com as que estão registra-
deração todos os itens. Neste caso a obrigato- das no sistema de controle de mercado-
riedade perante o fisco é anual, geralmente ao rias do estabelecimento.
término do ano em exercício.
Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 29 Instituto Universal Brasileiro
Curva ABC
maior impacto econômico, considerados
de alta prioridade, foco de atenção do ges-
A Curva ABC, também tor de materiais, exige controle mais rigoro-
chamada Lei de Pareto ou Re- so, pois são materiais com maior valor, devi-
gra 80/20, é baseada no teo- do à sua importância econômica. Estima-se
rema do economista italiano que 20% dos itens em estoque correspon-
Vilfredo Pareto (1848-1923). dem a 80% do valor em estoque.
Num estudo realizado no sécu-
lo 19, Pareto observou que 80% Classe B (com importância, quanti-
da riqueza italiana, estavam em dade, consumo ou valor intermediário).
poder de 20% da sua popu- Compreendem os itens intermediá-
lação. Numa organização, a curva ABC é muito rios, que ainda são considerados econo-
utilizada para a administração de estoques, mas micamente valiosos, logo após os itens de
também pode ser usada para a definição de polí- categoria A, e que recebem cuidado e con-
ticas de vendas, para o estabelecimento de prio- trole mediano. Estima-se que 30% dos itens
ridades, para a programação de produção, ou em estoque correspondem a 15% do valor
ainda utilizada para classificar clientes em rela- em estoque.
ção aos seus volumes de compras ou em relação
à lucratividade proporcionada. Classe C (de menor importância, va-
lor, quantidade ou consumo).
Mas, não deixam de ter sua importân-
Para a administração de estoques, o gestor a cia, pois sua falta pode inviabilizar a conti-
usa como um parâmetro que informa sobre a ne- nuidade do processo, no entanto o critério
cessidade de aquisição de itens, mercadorias ou estabelece que seu impacto econômico não
matérias-primas, ou ainda sobre a programação do seja tão dramático, o que possibilita menos
que se deve ou não produzir. Tais decisões variam esforços e controle mais simples. Estima-se
de acordo com a demanda do consumidor e com que 50% dos itens em estoque correspon-
as quantidades contidas nos estoques, classificadas dem a 5% do valor em estoque.
pelo método ABC.
Trata-se de classificação estatística de ma-
teriais, baseada no princípio de Pareto, em que se Montando Tabela para
considera a importância dos materiais, baseada nas Cálculo da Curva ABC
quantidades utilizadas e no seu valor, a fim de rea-
lizar um controle mais apurado dos produtos em Inicialmente, e a título de exemplifica-
estoque buscando a redução de custos sem com- ção, abaixo há uma tabela com dez itens de es-
prometer o nível de atendimento ao cliente. Desta toque, seus custos e quantidades consumidas.
forma, a Curva ABC auxilia na classificação dos itens A curva pode ser montada por períodos que
em estoque de acordo com a ordem de importân- mais convier para o gestor (quinzenalmente,
cia relativa. As porcentagens são aproximadas, não mensalmente, anualmente etc.).
têm 100% de precisão, portanto, o gestor deve usar Uma vez montada a tabela e entendida
o bom senso na aproximação da regra. as fórmulas, estender a mesma à realidade da
empresa, com seus próprios produtos e inde-
pendente das quantidades, torna-se tarefa fá-
Classificação dos itens cil. Então, mãos à obra.

Classe A (de maior importância, va- Passo 1: Montando a tabela dos produtos
lor, quantidade, ou consumo).
São os itens mais importantes ou de Primeiro montamos uma tabela com os
itens que serão controlados. É importante que
Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 30 Instituto Universal Brasileiro
se coloque uma numeração (coluna 1) para 3 4 5
que se saiba quantos produtos farão parte da
curva. Esta informação será importante mais Custo Unit. Custo total R$
Quantidade
adiante. (R$) (unitário x quant.)
A seguir, relacionam-se todos os itens 115,00 1.450 166.750,00
pelos códigos ou nomes pelos quais são co-
nhecidos na empresa (coluna 2). Nesta fase 17,00 3.900 66.300,00
não há necessidade de se colocar em ordem, 295,00 718 211.810,00
a mesma pode ser aleatória ou como melhor
99,00 760 75.240,00
convier. É obrigatória a necessidade de infor-
mar o custo de cada item (coluna 3). 870,00 1.850 1.609.500,00
Estes valores podem ser facilmente con-
980,00 170 166.600,00
seguidos através das notas fiscais de entradas,
que normalmente se encontram em poder do 0,42 53.000 22.260,00
setor de contabilidade da empresa. Para con- 0,17 90.000 15.300,00
trole da curva ABC, pode-se utilizar o valor de
aquisição do item. Também será necessário in- 1,97 18.000 35.460,00
formar as quantidades dos itens contados no 23,00 35.854 824.642,00
estoque (coluna 4).
TOTAIS 3.193.862,00
Formato da Tabela com as Informações
Agora se calcula a representação de cada
1 2 3 4
item em relação ao todo (coluna seis). Para
Cód. Custo Unit.
Itens
Prod. (R$)
Quantidade isto, basta dividir cada item do estoque pelo
1 ABC 115,00 1.450 total da coluna cinco e multiplicá-lo por 100,
2 DEF 17,00 3.900 já que queremos saber o “percentual” que o
3 GHI 295,00 718
item representa do valor total do estoque.
4 JKL 99,00 760
Exemplo:
5 MNO 870,00 1.850
R$166.750,00 (primeiro item da tabela) ÷
6 PQR 980,00 170
R$3.193.862,00 (Valor total encontrado) x 100
7 STU 0,42 53.000
= 5,22%
Terminadas as multiplicações, obtém-se
8 VXY 0,17 90.000
a coluna 6:
9 WZZ 1,97 18.000
10 ÇÇÇ 23,00 35.854
6
Itens Representação
Passo 2: Calculando o valor %
de representação dos itens 1 5,22%
2 2,08%
Agora vamos verificar o quanto cada
3 6,63%
item representa do todo, ou seja, dados os
valores unitários e as quantidades dos itens 4 2,36%
estocados, qual é o percentual de valor repre- 5 50,39%
sentado por cada um deles dentro do valor to- 6 5,22%
tal do estoque. 7 0,70%
Para isto será necessário multiplicar o 8 0,48%
custo unitário (coluna 3) pela quantidade en- 9 1,11%
contrada no estoque (coluna 4). A coluna 5
10 25,82%
representa o total destas multiplicações. Após
TOTAIS 100,00%
estas multiplicações, soma-se o total obtido.
Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 31 Instituto Universal Brasileiro
Passo 3: Classificando as
representações dos itens Classificação % quantidade % valor em
ABC em estoque estoque R$

Observando-se a coluna 6 na figura (aci- A 20% 80%


ma), percebe-se que os itens se encontram em
ordem aleatória. Para que se consiga classifi- B 30% 15%
cá-los de acordo com os critérios ABC, é ne-
C 50% 5%
cessário colocá-los em ordem decrescente (do
maior para o menor percentual) de represen-
tação, criando-se assim a coluna 7. Somam-se os percentuais até a máxima
proximidade.
7 8 9 10
7 8 9 10 11 12
Classificação
Classificação Cod.
(em ordem Itens Classificação Classificação Classifi-
(% decrescente) Prod. Cód.
crescente) (% decres- (em ordem Itens
Prod.
cação %
cente) crescente) ABC
50,39% 1º 5 MNO
50,39% 1º 5 MNO
25,82% 2º 10 ÇÇÇ
6,63% 3º 1 ABC
A 76,21%
25,82% 2º 10 ÇÇÇ
5,22% 4º 3 GHI
6,63% 3º 3 GHI
5,22% 5º 6 PQR
2,36% 6º 2 DEF 5,22% 4º 1 ABC B 17,07%
2,08% 7º 4 JKL
5,22% 5º 6 PQR
1,11% 8º 7 STU
0,70% 9º 8 VXY 2,36% 6º 4 JKL
0,48% 10º 9 WZZ
2,08% 7º 2 DEF

As colunas oito, nove e dez, são colunas 1,11% 8º 9 WZZ C 6,72%


informativas que determinam as posições de 0,70% 9º 7 STU
classificações após a ordenação (coluna 8),
o número do item, agora também ordenado 0,48% 10º 8 VXY
(coluna 9) e o código do item no estoque para
facilitar a leitura da importância dos mesmos Estas proximidades poderão variar para
(coluna 10). mais ou para menos. É importante utilizar-se
do bom senso na somatória: Não ultrapassar
demasiadamente os percentuais e nem ficar
É importante observar que os itens, muito longe das mesmas. Por exemplo, se fos-
seus números e códigos de estoque não se excluído o 5º item (5,22%) da “classificação
mudaram, apenas foram reclassificados B” e o colocasse na “classificação C” os resulta-
pela ordem de importância através dos cál- dos ficariam assim:
culos efetuados.

Curva “B” 17,07% - 5,22% = 11,85%


Passo 4: Aplicando e conhecendo Curva “C” 6,72% + 5,22% = 11,94%
a Curva ABC dos produtos

Após as classificações efetuadas na colu- Observe que ambas as curvas agora fica-
na 7, aplicam-se os conceitos vistos anterior- ram longe do ideal de 15% e 5% respectiva-
mente: mente.
Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 32 Instituto Universal Brasileiro
Visualização da tabela completa da Classificação ABC

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Custo total Classifi- Classifica-


Custo Represen- Classifi-
Cód. Quanti- R$ cação (% ção (em Cód.
Itens Unit. tação Itens cação %
Prod. dade (unit. x decres- ordem Prod.
(R$) % ABC
quant.) cente) crescente)

1 ABC 115,00 1.450 166.750,00 5,22% 50,39% 1º 5 MNO

A 76,21%

2 DEF 17,00 3.900 66.300,00 2,08% 25,82% 2º 10 ÇÇÇ

3 GHI 295,00 718 211.810,00 6,63% 6,63% 3º 1 ABC

4 JKL 99,00 760 75.240,00 2,36% 5,22% 4º 3 GHI B 17,07%

5 MNO 870,00 1.850 1.609.500,00 50,39% 5,22% 5º 6 PQR

6 PQR 980,00 170 166.600,00 5,22% 2,36% 6º 2 DEF

7 STU 0,42 53.000 22.260,00 0,70% 2,08% 7º 4 JKL

8 VXY 0,17 90.000 15.300,00 0,48% 1,11% 8º 7 STU C 6,72%

9 WZZ 1,97 18.000 35.460,00 1,11% 0,70% 9º 8 VXY

10 ÇÇÇ 23,00 35.854 824.642,00 25,82% 0,48% 10º 9 WZZ

TOTAIS 3.193.862,00 100,00% 100,00% 100,00%

Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 33 Instituto Universal Brasileiro


VEJA SE APRENDEU

1. Sobre definição de inventário, leia as afirmativas a seguir e, depois, assinale a alternativa


correta.
I- O inventário físico visa ao estabelecimento de auditoria permanente de estoques, obje-
tivando a garantia da plena confiabilidade e exatidão de registros contábeis e físicos.
II- O inventário demonstra organização e preocupação da empresa em conferir e confiar
seus sistemas às contagens físicas e periódicas de seus itens estocados.
a) ( ) Todas estão corretas.
b) ( ) Apenas I é correta.
c) ( ) Apenas II é correta.
d) ( ) Todas estão erradas.

2. Existem diversas formas de se realizar os inventários. Assinale a alternativa que indica o


tipo de inventário em que os estoques e os bancos de dados são atualizados automaticamente
sempre que um produto é recebido ou expedido.
a) ( ) Inventário permanente
b) ( ) Inventário periódico
c) ( ) Inventário rotativo.
d) ( ) Inventário diário.

3. Preencha o espaço em branco e, depois, assinale a alternativa correta.


A curva ABC é baseada no teorema do economista italiano Vilfredo Pareto, também conhe-
cido como a regra __________.
a) ( ) 50/50
b) ( ) 70/30
c) ( ) 80/20
d) ( ) 90/10

4. A curva ABC auxilia na classificação dos itens em estoque de acordo com a ordem de im-
portância relativa. Segundo essa informação, os itens considerados economicamente de valor
intermediário estão classificados em qual classe?
a) ( ) Classe A
b) ( ) Classe B
c) ( ) Classe C
d) ( ) Classe D

5. Com base no método da curva ABC, assinale a opção correta.


a) ( ) No grupo A estão alocados aproximadamente 50% dos itens e o e controle pode ser
mediano, devido ao número de itens.
b) ( ) No grupo B estão alocados aproximadamente 95% dos itens e o controle pode ser
mais simples, devido ao baixo valor.
c) ( ) O conjunto de itens do grupo A corresponde a aproximadamente 80% do valor em
estoque e deve ter controle mais rigoroso.
d) ( ) O conjunto de itens do grupo C corresponde a aproximadamente 5% do valor em
estoque e deve ter controle bem rigoroso.
Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 34 Instituto Universal Brasileiro
APRENDA FAZENDO

Dada a planilha abaixo, efetue os cálculos e determine a “Curva ABC” dos produtos.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Custo Custo total Repre- Classifi- Identi- Código Classi-
Cod. Quanti- Classifi-
Itens Unit. R$ (unit. x sentação cação % ficação do pro- ficação %
Prod. dade cação
(R$) quant.) % decresc. item duto ABC
1 KA 93,00 3.200
2 UT 31,00 2.500
3 RF 212,00 320
4 ED 130,00 475
5 SE 618,00 300
6 PB 720,00 300
7 VM 0,25 25.000
8 AO 0,60 6.800
9 AE 1,25 15.000
10 WQ 6,30 3.000
11 AZ 5,40 600
12 HJ 1,10 1.000
13 OL 25,40 700
14 VN 0,35 2.000
15 ES 3,50 400
TOTAIS

Observações

• Os valores referência para determinar a Curva ABC dos produtos são:

Produtos A: responsáveis por aproximadamente 80% das vendas;


Produtos B: responsáveis por aproximadamente 15% das vendas;
Produtos C: responsáveis por aproximadamente 5% das vendas.

• Depois de calcular o custo total e a representação percentual, é preciso organizar a classificação


decrescente, do maior para o menor, assim os produtos mais representativos vão para o topo da lista.

• Daí é só fazer a classificação geral, com a identificação numérica e código de cada item.

• Com os dados em mãos, é possível somar os percentuais referentes aos produtos do topo, até
se aproximar de 80%. Estão classificados os produtos A.

• Prossiga com a soma das porcentagens dos produtos intermediários, até se aproximar de 15%.
Estão definidos os produtos classificados como B.

• Os demais produtos devem somar aproximadamente 5% e são classificados como C.

Suprimentos e Armazenagem - Aula 4 35 Instituto Universal Brasileiro


VEJA SE APRENDEU - RESPOSTAS

1. A busca de crescimento empresarial no mundo globalizado têm exigido que as empre-


sas identifiquem, implementem e sustentem a __________________ como estratégia.

a) ( ) produção eficiente
b) ( ) entrega de serviços
c) ( ) agilidade nos transportes
d) ( x ) vantagem competitiva

2. Entre os fatores que afetam as atividades de suprimento e armazenagem estão os cha-


mados “estoques de segurança”. Sobre eles é correto afirmar:

I – Estes estoques visam proteger as empresas contra fatores não controlados como gre-
ves, desastres naturais, quebra de equipamentos etc.
II – Grandes quantidades de mercadorias podem proporcionar descontos que compensam
os custos dos estoques adicionais.

a) ( ) Apenas I está correta.


b) ( x ) I e II estão corretas.
c) ( ) Apenas II está correta.
d) ( ) I e II estão incorretas.

3. Fluxo Logístico é o processo ou cadeia de processos fundamentais para atingir um obje-


tivo com foco no menor espaço de tempo, maior qualidade possível, visando o menor custo ou
desperdício. Os principais tipos de fluxos são:

a) ( x ) Fluxo de Materiais e Fluxo de Informações.


b) ( ) Fluxo de Pessoas e Fluxo de Veículos.
c) ( ) Fluxo de Materiais e Fluxo de Pessoas.
d) ( ) Fluxo de Veículos e Fluxo de Informações.

4. Qual o método para avaliar o estoque mais utilizado pelas empresas na atualidade, que
faz uma média ponderada a cada mercadoria que entra no estoque?

a) ( x ) MPM
b) ( ) UEPS
c) ( ) MPU
d) ( ) PEPS

5. A sigla em português PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai) corresponde à sigla
em inglês:

a) ( ) LIFO (Last-In-First-Out)
b) ( ) FEFO (First-Expire-First-Out)
c) ( x ) FIFO (First-In-First-Out)
d) ( ) LEFO (Last-Expire-First-Out)

Suprimentos e Armazenagem 36 Instituto Universal Brasileiro


Aula 2
FUNÇÕES, POLÍTICA E CONTROLE DE ESTOQUE

1. Estoques sejam de matérias primas, produtos intermediários ou produtos acabados ser-


vem para várias finalidades: identifique as Verdadeiras (V) e as Falsas (F).
( ) Enfrentar as incertezas na demanda de produtos.
( ) Proteger contra aumento de preços de compra.
( ) Garantir melhores vendas e lucros maiores.
a) ( ) V – F – F
b) ( ) F – V – V
c) ( x ) V – V – F
d) ( ) F – F – V

2. Considere os seguintes produtos abaixo, indicando respectivamente o tipo de estoque


(cíclico, de segurança, sazonal) mais indicado para cada um deles.
I – Leite II – Carne III – Panetone
a) ( x ) I – cíclico; II – de segurança; III – sazonal
b) ( ) I – sazonal; II – cíclico; III – de segurança
c) ( ) I – cíclico; II – sazonal; III – de segurança
d) ( ) I – de segurança; II – sazonal; III – cíclico

3. Assinale a alternativa que apresenta os tipos de informações necessárias para a previsão


de estoque:
a) ( ) informações quantitativas e informações variáveis.
b) ( x ) informações quantitativas e informações qualitativas.
c) ( ) informações variáveis e informações qualitativas.
d) ( ) informações quantitativas e informações não variáveis.

4. Uma das funções básicas na gestão de estoques é o acompanhamento do giro de esto-


que, que permite à empresa planejar, em escala de tempo, quantos dias, semanas ou meses, um
determinado produto permanece no estoque. Considerando que um determinado item tenha
um índice de giro de 4,0 vezes ao ano, se esta informação for transformada em escala de tempo,
é correto afirmar que o estoque deste item suporta:
a) ( ) 12 meses
b) ( ) 6 meses
c) ( ) 4 meses
d) ( x ) 3 meses

5. Indique a alternativa que completa corretamente os espaços abaixo.


Se o ________________ tem como principal objetivo evitar a ruptura de estoque para
atender a demanda, o _______________ evita a compra de produtos em excesso, que podem
vir a estragar ou ficar sem saída no estoque.
a) ( x ) estoque mínimo / estoque máximo
b) ( ) estoque de segurança / estoque estratégico
c) ( ) estoque especulativo / estoque cíclico
d) ( ) estoque sazonal / estoque pulmão

Suprimentos e Armazenagem 37 Instituto Universal Brasileiro


Aula 3
ORGANIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESTOQUES

1. Leia as afirmativas abaixo e, depois, assinale a alternativa correta.

I- Layout e arranjo físico tem o mesmo significado.


II- Sistemas de armazenagem são conjuntos de equipamentos que servem para arrumar,
de maneira conveniente, as matérias-primas ou produtos acabados.

a) ( ) I é verdadeira.
b) ( ) Todas são verdadeiras.
c) ( x ) II é verdadeira.
d) ( ) Todas são falsas

2. O manuseio dos materiais para armazenagem é uma das questões mais importantes do
armazenamento. Assinale a única alternativa que não indica um dos cuidados importantes no
manuseio de materiais.

a) ( ) Os produtos devem ser transportados, preferencialmente, sempre sobre um só veículo.


b) ( ) Utilizar sempre veículos e equipamentos para a movimentação adequados ao tipo
do produto.
c) ( x ) Em transportes internos, pode-se carregar ultrapassando o limite máximo permitido.
d) ( ) No caso do uso de docas para recebimento e expedição simultâneas, as operações
de recebimento e entrega deve ser sincronizada.

3. O modelo de estante para armazenamento que consiste num bloco de estruturas contí-
nuas com corredores é o tipo:

a) ( x ) drive-in
b) ( ) push back
c) ( ) flow-rack
d) ( ) cantilever

4. Observe a figura a seguir e identifique o tipo de modelo de armazenamento.

a) ( ) Push back
b) ( x ) Estantes
c) ( ) Cantilever
d) ( ) Mezanino

Suprimentos e Armazenagem 38 Instituto Universal Brasileiro


Aula 4
USO DE INVENTÁRIO NA GESTÃO DE ESTOQUE

1. Sobre definição de inventário, leia as afirmativas a seguir e, depois, assinale a alternativa


correta.
I- O inventário físico visa ao estabelecimento de auditoria permanente de estoques, obje-
tivando a garantia da plena confiabilidade e exatidão de registros contábeis e físicos.
II- O inventário demonstra organização e preocupação da empresa em conferir e confiar
seus sistemas às contagens físicas e periódicas de seus itens estocados.
a) ( x ) Todas estão corretas.
b) ( ) Apenas I é correta.
c) ( ) Apenas II é correta.
d) ( ) Todas estão erradas.

2. Existem diversas formas de se realizar os inventários. Assinale a alternativa que indica o


tipo de inventário em que os estoques e os bancos de dados são atualizados automaticamente
sempre que um produto é recebido ou expedido.
a) ( x ) Inventário permanente
b) ( ) Inventário periódico
c) ( ) Inventário rotativo.
d) ( ) Inventário diário.

3. Preencha o espaço em branco e, depois, assinale a alternativa correta.


A curva ABC é baseada no teorema do economista italiano Vilfredo Pareto, também conhe-
cido como a regra __________.
a) ( ) 50/50
b) ( ) 70/30
c) ( x ) 80/20
d) ( ) 90/10

4. A curva ABC auxilia na classificação dos itens em estoque de acordo com a ordem de im-
portância relativa. Segundo essa informação, os itens considerados economicamente de valor
intermediário estão classificados em qual classe?
a) ( ) Classe A
b) ( x ) Classe B
c) ( ) Classe C
d) ( ) Classe D

5. Com base no método da curva ABC, assinale a opção correta.


a) ( ) No grupo A estão alocados aproximadamente 50% dos itens e o e controle pode ser
mediano, devido ao número de itens.
b) ( ) No grupo B estão alocados aproximadamente 95% dos itens e o controle pode ser
mais simples, devido ao baixo valor.
c) ( x ) O conjunto de itens do grupo A corresponde a aproximadamente 80% do valor em
estoque e deve ter controle mais rigoroso.
d) ( ) O conjunto de itens do grupo C corresponde a aproximadamente 5% do valor em
estoque e deve ter controle bem rigoroso.

Suprimentos e Armazenagem 39 Instituto Universal Brasileiro


APRENDA FAZENDO - RESPOSTA

1. Dada a planilha abaixo, complete os cálculos de Giro de Estoques.

a) Considerar uma “Política de Estoques” de trinta dias;


b) Ao final dos cálculos, será possível analisar quais produtos estão com os estoques eleva-
dos, baixos ou com os volumes considerados bons para a política praticada.
c) Assinale Al para altos, Bx” para baixos e Bo para bons ao lado da coluna identificada.

Atenção. Este “volume”, identificado na tabela como “Estoque em Dias”, deve permanecer
próximo à quantidade de dias estabelecidos na “Política de Estoques” (30).

Estoque Compras / Vendas / Estoque Indice Estoque Assinale


Produtos inicial mês mês final de em “Al”, “Bx”
R$ R$ R$ R$ Giro dias ou “Bo”
Acessórios 11.000,00 2.000,00 9.000,00 4.000,00 0,44 13 BX
Baterias 4.450,00 3.000,00 1.450,00 6.000,00 4,14 124 AL
Calculadoras 2.400,00 1.300,00 1.100,00 2.600,00 2,36 71 AL
Cameras digitais 17.800,00 9.700,00 8.100,00 19.400,00 2,40 72 AL
Celulares 19.000,00 8.000,00 11.000,00 16.000,00 1,45 44 AL
Filmadoras 16.850,00 8.500,00 8.350,00 17.000,00 2,04 61 AL
Impressoras 13.500,00 4.500,00 9.000,00 9.000,00 1,00 30 BO
Pen drives 4.500,00 2.500,00 2.000,00 5.000,00 2,50 75 AL
Tablets 4.200,00 1.500,00 2.700,00 3.000,00 1,11 33 BO
Video games 17.800,00 9.000,00 8.800,00 18.000,00 2,05 61 AL

2. Dada a planilha abaixo, calcule os Estoques Mínimos e de Segurança, e também o


Lote de Compra.

DADOS
Média mercadorias vendidas no mês 115
Cotação (dias) 4
Negociação (dias) 2
Prazo de entrega (dias) 14
Politica de estoques (dias) 30
CALCULE:
O fator de estoque mínimo 0,7
O estoque mínimo 77
O lote de compras dos produtos 192
O estoque de segurança dos produtos:
Dias de atraso 3 12

Suprimentos e Armazenagem 40 Instituto Universal Brasileiro


APRENDA FAZENDO - RESPOSTA

Dada a planilha abaixo, efetue os cálculos e determine a “Curva ABC” dos produtos.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Custo Custo total Repre- Classifi- Identi- Código Classi-
Cod. Quanti- Classifi-
Itens Unit. R$ (unit. x sentação cação % ficação do pro- ficação %
Prod. dade cação
(R$) quant.) % decresc. item duto ABC
1 KA 93,00 3.200 297.600,00 30,42% 30,42 1º 1 KA
2 UT 31,00 2.500 77.500,00 7,92% 22,08 2º 6 PB
3 RF 212,00 320 67.840,00 6,93% 18,95 3º 5 SE
A 79,37

4 ED 130,00 475 61.750,00 6,31% 7,92 4º 2 UT


5 SE 618,00 300 185.400,00 18,95% 6,93 5º 3 RF
6 PB 720,00 300 216.000,00 22,08% 6,31 6º 4 ED B 15,17
7 VM 0,25 25.000 6.250,00 0,64% 1,93 7º 10 WQ
8 AO 0,60 6.800 4.080,00 0,42% 1,92 8º 9 AE
9 AE 1,25 15.000 18.750,00 1,92% 1,82 9º 13 OL
10 WQ 6,30 3.000 18.900,00 1,93% 0,64 10º 7 VM
11 AZ 5,40 600 3.240,00 0,33% 0,42 11º 8 AO
12 HJ 1,10 1.000 1.100,00 0,11% 0,33 12º 11 AZ
C 5,45

13 OL 25,40 700 17.780,00 1,82% 0,14 13º 15 ES


14 VN 0,35 2.000 700,00 0,07% 0,11 14º 12 HJ
15 ES 3,50 400 1.400,00 0,14% 0,07 15º 14 VN
TOTAIS 61.595 978.290,00 100,00%

Comentários

• Confira os valores aproximados, neste caso:

Produtos A: são responsáveis por até 79,37% das vendas;


Produtos B: são responsáveis por até 15,17% das vendas;
Produtos C: são responsáveis por até 5,45% das vendas.

• De acordo com a classificação decrescente, os produtos mais representativos do topo da lista


que somados se aproximam de 80% vão do 1º ao 4º colocado. Esta é a classificação dos produtos A,
neste caso, responsáveis por 79,37% das vendas.

• A soma das porcentagens dos produtos intermediários, até se aproximar de 15%, vai do 5º ao 7º
colocado, definindo os produtos classificados como B (15,17%).

• Os demais produtos, do 8º ao 15º colocado, correspondem aos que devem somar aproximada-
mente 5% e são classificados como C (5,45%).

Suprimentos e Armazenagem 41 Instituto Universal Brasileiro


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BALLOU, R. H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e


distribuição física. São Paulo: Atlas, 1993.

BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimen-


to. São Paulo: Saraiva 2003).

BORNIA, Antonio Cezar. Análise Gerencial de Custos. São Paulo, BR: Editora Atlas
S.A., 2010.

BOWERSOX, D. J.; CLOSS, D. J. Logistical Management: the integrated supply chain


process. New York: McGraw Hill, 1996.

CARVALHO, José Mexia Crespo de. Logística. Lisboa: Edições Silabo, 2002. Disponí-
vel em: http://www.claudioguerra.com

GUERRA, Cláudio Sei. Equipamentos de armazenagem. Sistemas de armazenagem.


São Paulo: Cláudio Sei Guerra, 2007.

IUDÍCIBUS, S; MARION, C. J.; LOPES, M. V. C. C. Curso de Contabilidade Para Não Con-


tadores. São Paulo: Atlas, 2010.

PARRA FILHO, Domingos; SANTOS, João Almeida. Metodologia cientifica. São Paulo:
Futura, 1998.

POZO, HAMILTON. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma


abordagem logística. São Paulo: Atlas, 2007.

RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Comercial. São Paulo: Saraiva, 2017.

SANTOS, Franklin. Auditoria Contábil. Disponível em: http://www.clubedeautores.


com.br (book/116857, 2007).

SANVICENTE, A. Z. Administração financeira. São Paulo: Atlas, 1997.

STONER, J. A. e FREEMAN, R. E. Administração. Rio de Janeiro: LTC Editora S.A, 1999.

VIANA, João José. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Edi-
tora Atlas, 2002.

Sites Pesquisados

http://armazenagemdemateriais2.blogspot.com.br/2012_04_01_archive.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Demanda

Suprimentos e Armazenagem 42 Instituto Universal Brasileiro


http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_de_escala

http://pt.wikipedia.org/wiki/Layout_de_armaz%C3%A9m#refTompkins1996

http://webempilhadeiras.blogspot.com.br/2010/12/porta-paletes-nos-sistemas-dri-
ve-in-e.html

http://www.fabrimetalarmazenagem.com.br/sistemasdearmazenagem

http://www.fazenda.df.gov.br/aplicacoes/legislacao/legislacao/TelaSaidaDocumen-
to.cfm?txtNumero=18955&txtAno=1997&txtTipo=6&txtParte

http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/epi.htm

http://www.jungheinrich.com.br/produtos/estruturas-de-armazenagem/armazena-
mento-de-mercadorias-longas/

http://www.mecalux.com/other-systems/mezzanine-floors

http://www.planejamento.mg.gov.br/gestao-governamental/gestao-logistica-e-pa-
trimonial/bens-moveis/manuais-e-orientacoes?download=708:apresentacao-inventario-
-anual

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoajuridica/dipj/2005/pergresp2005/
pr301a303.htm

http://www.sebraesp.com.br

http://www.significados.com.br/obsolescencia/

http://www.warehouserack.com/flow-rack-c-29_131/

http://www2.rj.sebrae.com.br/boletim/o-que-e-capital-de-giro-e-como-calcula-lo/

https://books.google.com.br/books?id=tpNVBQAAQBAJ

https://www.portal-gestao.com/item/6202-o-que-s%C3%A3o-economias-de-esca-
la.html

Suprimentos e Armazenagem 43 Instituto Universal Brasileiro

Você também pode gostar