Você está na página 1de 9

DIRETRIZES PARA O TRABALHO FEMININO

I-DEVERES E RESPONSABILIDADES

-A liderança nacional de Mulheres em Ação, presta relatório de suas atividades, quando solicitada:

*À MEAN- Mesa Executiva e Administrativa Nacional, em suas reuniões normais, e ao Concílio Nacional;
*Ao Congresso Nacional de Mulheres em Ação;
-A Liderança Regional de Mulheres em Ação presta relatório de suas atividades, quando solicitada:

*À MEAR- Mesa Executiva e Administrativa Regional, em suas reuniões normais, ou ao Concílio Regional;
*Ao Congresso Regional de Mulheres em Ação;
-A Liderança Local de Mulheres em Ação presta relatório de suas atividades, todo final de ano, quando solicitada:

*À liderança da Igreja local em Assembléia Ordinária e em reuniões de liderança;


*À plenária de final de ano das Mulheres em Ação Local;
*À Liderança Regional de Mulheres em Ação, por ocasião dos Congressos Regionais, de 02 em 02 anos, conforme Regimento
Regional;
A liderança nacional de Mulheres em Ação; liderança regional e líderes locais não são independentes, trabalham subordinadas
à Mesa Executiva e Administrativa Nacional, à Mesa Executiva e Administrativa Regional e à Igreja local.
LIDERANÇA- NOÇÕES GERAIS:

1-Nada acontece até que haja um líder:

É uma lei da vida. A história demonstra.

Quando há problemas em sua família, nada acontece até que alguém assuma a liderança e diga: “Vamos fazer algo
a respeito”.

Tudo se edifica ou se derruba conforme a liderança.

Ao longo da história, e inclusive no mundo atual, a maioria dos problemas acontece pela falta de líderes
competentes. O mundo precisa de líderes preparados. As igrejas precisam de líderes preparados e competentes.

Onde não há líderes, as pessoas fazem o que parece certo. E a conseqüência disso é a instabilidade.

2-Liderança é influência:

Liderança é influência para o bem ou para o mal.

O líder é a pessoa para quem todos ficam olhando a fim de averiguar o que ela pensa. Cada vez que influenciamos
outra pessoa, estamos assumindo a liderança.

O apóstolo Paulo compreendia isto. Por isso escreveu em Timóteo 4:12: “Ninguém o despreze pelo fato de você ser
jovem, ma seja um exemplo para os fiéis (...)”. A liderança não é uma questão de idade. Esta nada tem a ver com a
liderança. Em qualquer idade podemos exercer influência e o certo é que você é um modelo, queira ou não. Todas
somos líderes em algum aspecto. Cada vez que influencia uma pessoa, você está assumindo a liderança.

Portanto, a questão não se você é ou não líder. A pergunta é: Você é uma boa líder?

DEFINIÇÃO BÍBLICA DE LÍDER: A Bíblia define o líder como alguém que tem capacidade dada por Deus e a
responsabilidade de influenciar um grupo de crentes a fim de que os propósitos de Deus para esse grupo sejam
cumpridos. (Leia o livro de Neemias).
3-A prova da liderança é esta: “alguém está seguindo você?”

Se você quer saber se é líder ou não, precisa apenas olhar para trás por cima do ombro. Alguém segue você?

Jesus disse: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem”. Paulo disse: “Tornem-se
meus imitadores, como eu sou de Cristo”.

A liderança não é questão de títulos ou de postos. É questão de influência. Ser líder é mais do que possuir um cargo
ou um título. Os verdadeiros líderes são os que marcam o passo, os que influenciam, os criativos que solucionam
problemas.

4-O fundamento da liderança é o caráter, e não o carisma.

Alguns líderes têm demonstrado grandes defeitos de caráter. O fundamento da liderança não é o carisma pessoal; é
o caráter. O carisma não tem nada a ver com o que torna um líder eficaz. A liderança não diz respeito a uma
personalidade encantadora e chamativa, um grande sorriso ou uma voz de veludo. O que você precisa, na verdade,
é de caráter e credibilidade. A liderança é influência, e sem credibilidade sua influência não irá muito longe.

Reputação é o que as pessoas dizem que você é. Caráter é o que você realmente é.

D. L. Moody dizia: “O caráter é o que somos em meio da escuridão, quando ninguém está nos olhando.” Em sua
carta a Timóteo, Paulo apresenta as características necessárias para o líder na igreja. Nenhuma só vez menciona
que sejam necessários estudos de seminário. A liderança não se baseia no preparo acadêmico. É questão de caráter,
de quem você é.

5-A liderança pode ser aprendida:

Todas nós temos potencial para chegar a ser grandes líderes. A Bíblia diz; “Ponham em prática tudo o que vocês
aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim”. Paulo está dizendo: “os líderes não nascem, fazem-se.”
Aprendemos a ser líderes. Não existem líderes natos. As pessoas se convertem em líderes pela forma com que
respondem às circunstâncias. Os líderes se levantam ou caem segundo as decisões que tomam.

Se você quer ser uma boa líder, precisa desenvolver uma mensagem digna de ser lembrada, ter um estilo de vida
digno de consideração e ter uma fé digna de ser imitada.

O ministério de Jesus reflete a alta prioridade que ele dava ao treinamento de líderes. A Palavra nos mostra:
“Escolheu doze, designando-os apóstolos, para que estivessem com ele, os enviasse a pregar (...).” Jesus tinha um
ministério público que compreendia a pregação, o ensino e a cura. Tinha também um ministério privado, dedicado
ao treinamento de discípulos.

Alimentou as multidões, mas passou a maior parte do seu tempo dedicando-se a treinar líderes, porque a liderança
pode ser aprendida. Você está investindo tempo em aprender a ser líder?

No momento em que deixarmos de aprender, deixaremos de ser líderes. Quando um líder deixa de aprender, deixa
também de ser líder. Para sermos eficazes, precisamos nos desenvolver, crescer e nos converter continuamente ao
que Deus quer que sejamos. O aprendizado para ser líder leva toda uma vida. Precisamos sempre buscar formas de
melhorar.

A pessoa que pensa que já sabe tudo o que precisava saber vai ficar para trás. O que diz: “preciso aprender, preciso
crescer” é o que vai ter sucesso.
A LÍDER DO MINISTÉRIO DE MULHERES EM AÇÃO E A LIDERANÇA:

“A boa presidente não é, na maioria das vezes, a mais culta, a que dispõe de mais tempo, ou a de melhor situação
financeira, mas aquela que, mesmo não possuindo estes requisitos, se coloca à disposição do trabalho, na inteira
dependência de Deus, cheia de boa vontade, dinamismo e amor pela obra do Senhor.” (Rosita Rezende).

A líder do Ministério de Mulheres em Ação precisa ser uma líder do tipo democrático, pois não só conseguirá atingir
os objetivos propostos com mais eficiência, como também é o que mais se enquadra dentro dos ideais cristãos.

O progresso do trabalho feminino depende muito da líder, quando esta é escolhida pelo grupo de irmãs, pois é ela
que tem a responsabilidade de incentivar e fazer executar as decisões tomadas em reuniões do grupo de mulheres
da igreja. O seu entusiasmo impulsiona e dá coragem às irmãs lideradas e o seu desânimo traz o enfraquecimento
e, muitas vezes, o fracasso do trabalho na igreja.

É indispensável que, além das características já mencionadas, a líder do ministério de Mulheres em Ação possua e
adquira qualidades específicas como:

-completa dependência da vontade de Deus; caráter íntegro; espírito de serviço; iniciativa; pontualidade;
assiduidade; lealdade; perseverança; coragem; decisão; tato; saúde física, emocional e mental, etc.

Características que devem ser cultivadas pela líder do Ministério de Mulheres em Ação:

-Sabedoria: capacidade de dirigir sem arrogância, com espírito humilde. (Mt. 11:28-30). A líder precisa aprender
com o Mestre Jesus, a ser mansa e humilde de coração;

-Habilidade: saber contornar as dificuldades, sem melindrar, e conciliar interesses e diferenças, sem prejudicar a
verdade e a justiça;

-Graça: linguagem simples e precisa, atitude modesta e meiga, ser respeitosa e firme. Decência no trajar e no
portar-se.

-Calma: não se dar por ofendida, nunca perder a cabeça, não se irritar, nem revelar nervosismo;

-Imparcialidade: não mostrar parcialidade, não tomar partido, manter-se acima e fora de toda a discussão. Manter a
ordem sem prejuízo das partes.

-Paciência: estar sempre pronta a repetir as propostas, suportar impertinências, reconhecer as dificuldades da
liderança, sem irritação ou murmuração. Numa reunião, há pessoas que demandam muita paciência;

-Otimismo: nunca se dar por vencida ou desanimada. Ter sempre o espírito de vitória. Animar sempre. Ser
perseverante.

-Informação: apresentar sempre conhecimento do trabalho, organização, planos, programa de ação, possibilidades,
atribuições; conhecimento das normas da igreja, relacionadas com o Ministério de Mulheres em Ação;
conhecimento das irmãs que fazem parte do ministério.

-Coordenação: dentro da visão geral do trabalho, orientar proveitosamente toda atividade, evitando desperdício e
garantindo eficiência. Procurar fazer com que o trabalho seja atraente e dinâmico, de modo a angariar o interesse e
a cooperação do maior número possível de mulheres.

A líder deve escolher corretamente suas auxiliares. Uma líder não pode fazer tudo sozinha. Faz parte de suas
atribuições, delegar responsabilidades. Escolher uma auxiliar demanda conhecer as qualidades e habilidades que
essa irmã possui. Escolher alguém, só porque é muito amiga, ou é muito espiritual, não garante o sucesso do
trabalho. Há, em todo grupo, pessoas certas para as funções certas.
ATRAIBUIÇÕES DA LÍDER DO MINISTÉRIO DE MULERES EM AÇÃO:

 Ser responsável pela coordenação geral do trabalho e representar todas as mulheres de sua igreja;
 Guiar e orientar o trabalho feminino durante sua execução;
 Dirigir as reuniões do grupo de mulheres preparando, com antecedência, sua agenda para as reuniões;
 Organizar uma pasta ou fichário, contendo todo o material do Ministério de Mulheres em Ação, como
documentos, fotos de eventos, endereços, etc;
 Estudar e conhecer todo o material existente a respeito do Ministério de Mulheres em Ação, como
relatórios, correspondências, regimentos internos, etc, para dinamização da organização;
 Convocar reuniões de interesse do Ministério de Mulheres em Ação como: oração, negócios, planejamento,
ectc.
 Informar-se de todo o trabalho proposto pelas lideranças nacional e regional e incentivar as mulheres da
igreja a participarem;
 Participar das reuniões com a liderança nacional e regional, dos retiros e encontros de líderes propostos
pela denominação que procurem melhorar o trabalho feminino;
 Trabalhar em harmonia com o pastor da igreja e demais líderes (presbíteros, diáconos e líderes de
ministérios, etc);
 Apresentar relatório das atividades do Ministério ao Congresso Regional e à igreja local;
 Levar ao conhecimento do Ministério Feminino local, as resoluções dos Congressos Regionais e Nacional,
orientando-as no sentido de colocá-las em prática.

ATRIBUIÇÕES DA VICE-LÍDER DO MINISTÉRIO DE MULHERES EM AÇÃO:

 A vice-líder deve estar prepara para substituir a Líder em sua ausência, assim como assisti-la no que for
possível;
 Assumir responsabilidades especiais delegadas pela Líder;
 Presidir reuniões, na ausência da Líder ou quando necessário, a seu pedido;
 Estar em oração pelo trabalho a ser desenvolvido dentro do Ministério;
 Conhecer todo o trabalho a ser desenvolvido pelo Ministério de Mulheres em Ação;
 Participar de encontros, cursos para liderança, retiros espirituais, visando a um maior e melhor
desenvolvimento pessoal no aprimoramento para o trabalho;
 Manter arquivo organizado de todo o material disponível para o trabalho do Ministério de Mulheres em
Ação.

ORIENTAÇÃO GERAL PARA SECRETARIA DO MINISTÉRIO DE MULHERES EM AÇÃO:

*É necessário organização e capricho para manter sempre em ordem a atualizados os livros de ata e rol de
membros do Ministério;
*Criação e atualização de pastas para arquivo dos documentos do Ministério como:
1-pasta para correspondência emitidas e recebidas;
2-Pasta para relatórios da Líder e dos ministérios;
3-Fichário com nomes das irmãs que parte do ministério sempre atualizado.

DEVERES E RESPONSABILIDADES DA SECRETÁRIA CORRESPONDENTE:

*Zelar de toda a correspondência do Ministério de Mulheres em Ação;


*Enviar resoluções das reuniões realizadas pelo Ministério zelando pela boa comunicação entre todas as
irmãs;
*Auxiliar a Líder do Ministério sempre que requisitada, cumprindo sempre com o dever de ser o elo de
comunicação do Ministério;
*Substituir a Secretária de Atas em suas ausências ou impedimentos;
*Auxiliar a Secretária de atas na organização da secretaria e arquivo;
*Sempre que mudar a liderança no Ministério, entregar à nova equipe todo o material da secretaria em
perfeita ordem;

DEVERES E RESPONSABILIDADES DA SECRETÁRIA DE ATAS:

*Redigir, transcrever em livro próprio e assinar as atas das reuniões do Ministério de Mulheres em Ação;
*Substituir a Vice-líder em suas faltas, exercendo as funções desta, quando necessário;
*Substituir a Secretária correspondente em suas ausências e impedimentos;
*Auxiliar a Líder do Ministério nas atividades realizadas;
*Organizar e zelar pela secretaria do Ministério de Mulheres em Ação;
*Cuidar do arquivo do Ministério, inclusive como guardiã dos regimentos e normas de trabalho do
Ministério.

OBSERVAÇÕES GERAIS:

*A Secretária deve manusear, prontamente e em oração, toda correspondência do Ministério de Mulheres


em ação;
*Todo o Ministério deve ter um lugar apropriado para guardar seus livros e papéis, evitando o extravio
desses documentos;
*Arquivar todos os documentos recebidos e enviados, assim como todos os relatórios recebidos de
trabalhos realizados dentro do ministério.

DEVERES E RESPONSABILIDADES DA TESOUREIRA:

1-O Ministério de Mulheres em Ação, deverá seguir o plano financeiro da Igreja local: Nas igrejas onde
houver contribuição centralizada (única), as mulheres em ação contarão com a verba que for disponibilizada
pela Mesa Administrativa. Nas igrejas onde não houver esta disposição, serão mantidas pelas mensalidades,
ofertas das integrantes, campanhas financeiras, cantina (vendas de lanches, bazares, etc.).
2-A Diretoria eleita, deverá dentro de sua realidade local, elaborar um orçamento financeiro, semestral ou
anual, para subsidiar as despesas do ministério, e também, tornar viável o calendário de atividades sugerido
pela sua região e adaptado nas condições de cada igreja local. Além, de ter o privilégio de poder ajudar
financeiramente em alguma necessidade da igreja local, missionário, seminarista, etc.
3-A tesoureira deverá fazer a escrituração no livro próprio, com folhas numeradas, termo de abertura e
encerramento;
4-Mensalmente, a tesoureira fará o relatório financeiro, das entradas e despesas e o saldo, para levar na
reunião da diretoria ou plenária. No final do ano, deverá ser entregue à líder, o balancete anual, para que
ela inclua no seu relatório e seja apresentado na Assembléia anual da igreja local (caso sua igreja faça esta
assembléia para prestar relatórios), e também seja apresentado à sua região, por ocasião do Congresso
Regional.
Da mesma forma, a tesoureira regional deverá manter em ordem o livro caixa da região, com entradas e
saídas devidamente comprovadas, fazer o relatório financeiro para apresentar nas reuniões da diretoria, ou
quando solicitada pela líder. Fazer o balancete anual, e por ocasião do congresso regional, apresentar todo o
movimento financeiro devidamente contabilizado, com notas, recibos e demais documentos
comprobatórios, para serem examinados pela comissão de exames de contas do congresso;
5-O ministério de Mulher em Ação local, que adotar o sistema de ofertas mensais, também chamadas de
mensalidades das integrantes, deverá fazer o controle destas entradas, em livro ou caderno próprio, fazendo
constar o nome da irmã e o mês que corresponde cada pagamento. Passando para o livro caixa apenas o
valor total recebido no mês.
SUGESTÕES:
-Se for necessário, a tesoureira poderá abrir uma conta bancária, com opção poupança;
-Arquivar todos os talões de extrato (xerocados para não apagar), para lançamento dos rendimentos;
-Recibos: Dar sempre feito em duas vias, ou com canhoto devidamente preenchido. A 2ª via ou
canhoto=fazer prova junto à tesouraria;
-Nunca fazer nenhum adiantamento, repasse ou qualquer outra forma de saída de dinheiro, sem um
comprovante, (recibo ou nota fiscal), podendo ser definitivo ou provisório;
LANÇAMENTO:

-Colocar todo material (recibos, notas, etc), em ordem cronológica;


-Os lançamentos devem ser feitos sem rasuras. Caso isto ocorra, que se faça um extorno ou ressalva no livro;

RELATÓRIOS:
-Especificar o saldo do mês anterior, quando for relatório mensal;
-Especificar o saldo do ano anterior, para o caso de relatório anual;
-Colocar as entradas, as saídas e achar o saldo para o próximo mês, ou exercício (ano).

ARQUIVO:
Os papéis e documentos da tesouraria devem ser arquivados em pasta única, por ano, em ordem de
recebimento ou pagamento. Todo documento deve ter o visto da líder ou de sua substituta, autorizando a
despesa. Considerando que nem sempre é possível obter nota discriminada e mesmo quando obtida o seu
tamanho varia, recomenda-se que sejam colocados os comprovantes em uma folha de papel de tamanho
uniforme, para uma boa apresentação do arquivo. Quando o comprovante estiver Semp discriminação da
despesa, convém que se anote ao pé da folha, a referência da despesa. Ex. despesas com aquisição de
presentes para as aniversariantes- R$ 100,00 (cem reais).
A assinatura de quem efetuou a compra (bem legível). Assinatura e visto da líder.
MODELOS DE ESCRITURAÇÕES:

Abertura do LIVRO: Deve ser feito pela líder com o termo:


TERMO DE ABERTURA:
Este livro contendo 100 (cem) folhas, destina-se à escrituração do movimento financeiro do Ministério de
Mulheres em Ação da ICE.........., REGIÃO..................., ICEB CIDADE.................. DATA....... Assinatura da
líder......
OBS: Deverá ser feito na folha branca antes das folhas de lançamentos.
ENCERRAMENTO DO LIVRO:
Deve ser feito pela líder em exercício com o seguinte termo:
TERMO DE ENCERRAMENTO:
Este livro contendo 100 (cem) folhas, foi usado no registro financeiro do Ministério de Mulheres em Ação da
ICE ..... (nome da cidade) região....................-ICEB, usado até a data............. folha nº.
Data..........................Assinatura da líder..................
EXTORNO:
Fazer o extorno do valor (podendo ser na coluna de entrada ou saída), mas sempre ao contrário de onde
está lançado o erro, e lança novamente no lugar correto o dado correto.
OBJETIVOS E FINS DO MINISTÉRIO DE MULHERES EM AÇÃO:
Mulheres em Ação é um departamento (ou ministério) de uma igreja ou congregação, composto de
mulheres, moças e adolescentes, membros ou congregadas de uma Igreja Cristã Evangélica do Brasil.
I-OBJETIVO:
O objetivo é auxiliar a Igreja onde se fizer necessário, sempre em sintonia com o pastor da igreja local,
liderança espiritual (presbíteros, diáconos, líderes de ministérios etc), obedecendo sempre os princípios
denominacionais. As Mulheres em Ação, em suas atividades, seguem orientações da liderança regional e
nacional de Mulheres em Ação.
II-FINS:
a- Congregar as mulheres no trabalho;
b- Cooperar com Igreja local ou congregação em todas as suas necessidades;
c- Planejar e realizar eventos como: dia e aniversário do pastor, dia das crianças, jovem cristão evangélico,
adolescentes, etc.
d- Desenvolver a espiritualidade e crescimento das integrantes através de:
-Estudo da Bíblia;
-Cultos domésticos;
-Oração;
-Contribuições.
e-Despertar a evangelização através de:
-Cultos e chás evangelísticos;
-Convites;
-Visitas;
-Distribuição de literaturas evangelísticas;
III-COMO ORGANIZAR O MINISTÉRIO DE MULHERS EM AÇÃO:
Havendo na Igreja ou Congregação mulheres crentes ou congregadas interessadas em organizar-se em
ministério de trabalho feminino, anota-se os nomes para verificação se há possibilidade de ser
organizado este departamento. Para que isto aconteça, é necessário que as pessoas sejam esclarecidas
sobre o funcionamento e o objetivo deste. Não é preciso ter um grande número de mulheres para o
início do ministério.
A líder deverá marcar uma reunião, em dia e hora determinada, sob a direção do pastor ou de uma
pessoa capacitada para este fim como: a líder regional ou local. É conveniente já ter os nomes das
pessoas que serão indicadas para a liderança e que serão apresentadas para compor a diretoria. Não
havendo número suficiente de candidatas, a diretoria pode ser constituída apenas de: líder, secretária e
tesoureira.
Obs: Nomeia-se uma secretária ad hoc (provisória) para secretariar a reunião de organização.
IV-OBSERVAÇÕES GERAIS:
a- Quem for organizar o ministério de Mulheres em Ação deverá ter em mãos:
-Livro de Atas;
-Livro de Tesouraria;
Ambos precisam ter na primeira folha em branco o TERMO DE ABERTURA.
b- Anotar os nomes de todas as pessoas presentes na reunião para ficarem arroladas na ata de
organização como sócias fundadoras, assinando todas ao final dela.
c- A irmã que não for membro da igreja local, não poderá ocupar cargo de: líder, vice-líder ou tesoureira;
e- O Ministério de Mulheres em Ação terá duas categorias de integrantes: ativas e auxiliares.

V- COMO PROCEDER A ELEIÇÃO:


Após as explicações necessárias, apresenta-se a chapa para eleição da diretoria. Se as sócias arroladas
quiserem, poderão fazer outra chapa ou sugerir nomes ou ainda troca de nomes. A votação fica a critério
do grupo (escrutínio secreto ou aclamação).
A posse da diretoria eleita poderá ser dada em uma data a ser marcada ou imediatamente após a eleição
e será feita pelo pastor, presbítero ou pela pessoa que estiver respondendo pelas atividades da Igreja ou
Congregação, ou ainda pela líder Regional de Mulheres em Ação.
Depois de empossada, a líder eleita convocará uma reunião da diretoria, a fim de planejar o trabalho e
escolher as líderes de grupos, assessorias ou departamentos.
A diretoria ou uma comissão nomeada elaborará o regimento interno do Ministério de Mulheres em
Ação, consultando o modelo de regimentos existentes com liderança regional e nacional e adptando-o à
realidade local.
GRUPO DE TRABALHO POR SETOR:
As lideranças Nacional, Regional ou Local de Mulheres em Ação, poderão criar quantos grupos de
trabalho por setor se fizerem necessários para o bom funcionamento do trabalho, destinados a cuidar
de serviços ou atividades específicas.
As diretorias e auxiliares dos referidos grupos deverão ser nomeadas pela líder assim como as
substitutas em caso de vacância.
O trabalho feminino pode ter vários critérios de divisão, de acordo com cada realidade. Se um trabalho
local tiver um número pequeno de irmãs, poderá ser dirigido pela própria líder. Porém, se possuir um
número grande de componentes, poderá ser dividido em grupos para um melhor desenvolvimento do
trabalho.
Cada grupo deverá ser dirigido por uma equipe de irmãs que prestarão contas de seu trabalho à
liderança a quem são subordinadas.
RESPONSABILIDADES DA LIDERANÇA DO GRUPO DE TRABALHO POR SETOR:
1-Conhecer a finalidade do grupo que vai dirigir;
2-Liderar o grupo;
3-Estimular as mulheres a assistirem e participarem das reuniões programadas por Mulheres em Ação;
4-Distribuir o trabalho ou as atividades procurando aproveitar todas as mulheres ligadas ao grupo;
5-Prestar relatório à liderança local das atividades desenvolvidas pelo grupo;
6-Manter-se informada sobre todas as atividades de Mulheres em Ação;
7-Treinar as mulheres no trabalho;
8-Promover entrosamento entre as líderes dos grupos, trocando informações e integração no trabalho;
9-Participar das reuniões de planejamento da liderança;
10-Dar sugestões para desenvolver melhor as atividades de Mulheres em Ação;
11-Levantar os problemas existentes em cada grupo. Ex.: o afastamento de algumas mulheres das
atividades femininas, procurando saber os motivos.
SUGESTÕES DE GRUPOS DE TRABALHO POR SETOR:
O trabalho feminino na igreja pode ser desenvolvido em duas grandes frentes: o de cultivo espiritual e o
de cultivo social.

A-CULTIVO ESPIRITUAL: o setor de cultivo espiritual poderá ser dividido em vários grupos de trabalho
para um maior rendimento. Assim sugerimos:
a- Grupo de crescimento espiritual;
b- Grupo devocional
c- Grupo de evangelização;
d- Grupo missionário;
e- Grupo de Oração e Intercessão;
f- Grupo de integração Espiritual da Família;
g- Grupo de Visitação e Discipulado;
h- Grupo de Integração Espiritual com outros ministérios da Igreja;
i- Grupo musical;
B- CULTIVO SOCIAL:
a- Grupo de Sociabilidade;
b- Grupo do Bebê;
c- Grupo de Promoções;
d- Grupo de Festas;
e- Grupo de Filantropia;
f- Grupo de Integração com outros ministérios da Igreja.
Obs: Você poderá acompanhar mais detalhes e sugestões sobre os objetivos e propostas de
atividades para cada grupo sugerido aqui, através das próximas edições da Revista Diadema
Real. Portanto, se você ainda não é assinante, faça isto agora mesmo. Você só tem a ganhar!

Bibliografia:
-“UAFs em Ação- Manual de orientação para as atividades femininas das Igrejas Cristãs Evangélicas
do Brasil-CONUAF”;
-Revista Diadema Real- edições: 73, 74 e 75;
-Liderança com Propósitos- Rick Warren- Editora Vida.