Você está na página 1de 39

Caminho da

Prosperidade

Ajuste fiscal Crescimento sustentável

Despesas e Ambiente
receitas Menos de Segurança - Juros Abertura
equilibradas dívida jurídica + crédito comercial
negócios

Teto,
previdência, Privatização e
descentralização liberação de
de recursos fundos

Mais emprego

Mais dinheiro para


investimento

2
Descontrole de contas comprometeu o
crescimento do país
previsão
de mercado

-3

-6
2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

2021
Fonte: IBGE e Focus (BC)
3
Os 3Ds –
Desobrigar, Desindexar e Desvincular

4
Máquina que
gasta muito

Despesa total do governo 49,2%


PIB
62,5

50

37,5

25

12,5

0
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

Fonte: STN
Setor público consolidado
5
Solução para os
piores problemas (%PIB)

Previdência
12

6
Nova
Previdência
3

0
97
98
99
00
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
17
18
Juros*
9

3
Privatizações
0
0
0
0
0
0
0
0
0
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
Pessoal
6,4
4,8 Nova
3,2
1,6
Administração
0 Pública
01

11
97
98
99
00

02
03
04
05
06
07
08
09
10

12
13

15
16
17
18

*Setor Publico Consolidado


6
Dívida pública explodiu
nos últimos anos (%PIB)

R$ 5,6
trilhões
79
77
74

70

66

59
57 56 56
55
54
52 51 52
2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

set/19
Fonte: BCB
7
Cenário atual

De cada R$100 do Orçamento da União:

R$ 93 R$ 65
engessados em para folha de
despesas obrigatórias pagamento

8
1

0,6
1,2
1,4

0,8
dez-08
abr-09
ago-09

9
dez-09
abr-10
ago-10
dez-10
abr-11
ago-11
mais engessado

dez-11
abr-12
ago-12
dez-12
Orçamento cada vez

abr-13
ago-13
dez-13
abr-14
ago-14
dez-14
abr-15
ago-15
dez-15
abr-16
ago-16
dez-16
abr-17
ago-17
dez-17
abr-18
ago-18
dez-18
abr-19
Discricionárias
Obrigatórias

ago-19
R$ trilhão

dez-19
Fonte: Tesouro
Se nada
for feito... (%PIB)

Investimento
1,3
público tende a
zero
1,05

0,8

0,55

0,3
07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

Fonte: STN
10
Crise também
nos Estados

RN
PB
PI
AC TO
MT
GO *Estados que têm
MG
despesa de
MS
pessoal maior do
que 60% da receita
RJ
Estados já corrente líquida
em emergência
RS

Fonte: STN
11
A Transformação do Estado
Capítulos

1: O Novo Marco InsUtucional da Ordem Fiscal e o Conselho


Fiscal da República
2: Estado de Emergência
3: Plano de Fortalecimento dos Estados (Plano Mansueto)
4: Desvinculação de Fundos Públicos
5: Fortalecimento da Federação
6: Nova Administração Pública
7: Reforma Tributária
8: PrivaUzações

12
Plano Mais Brasil
Índice

Marco InsUtucional da Nova Ordem Fiscal


Autonomia com Responsabilidade
3 Ds
Fortalecimento da Federação
Contas Públicas Sustentáveis - Novas Regras
Segurança Jurídica
Estado de Emergência Fiscal

14
Marco Institucional da
Nova Ordem Fiscal

CONSELHO FISCAL DA REPÚBLICA


Representantes do governo federal, os presidentes da República, Câmara, Senado,
STF, TCU, governadores e prefeitos avaliam a sustentabilidade financeira da
Federação e garantem fundamentos sólidos.

ORIENTAÇÃO NORMATIVA DO TCU


Uniformizar a interpretação de conceitos orçamentário-financeiros para evitar
divergências entre tribunais de contas de estados e municípios.

ORÇAMENTO DE LONGO PRAZO


Programas e obras ganham previsão no orçamento para que os fluxos de recursos
não sejam interrompidos. O PPA será exSnto.

COMPROMISSO ENTRE GERAÇÕES


É direito das futuras gerações não herdar dívidas que não tenham sido feitas para
invesSmentos.

15
Marco Institucional da
Nova Ordem Fiscal

REALISMO ORÇAMENTÁRIO
Leis e decisões judiciais que criam despesas só terão eficácia quando
houver previsão no orçamento.

BENEFÍCIOS TRIBUTÁRIOS JUSTOS


Bene]cios serão reavaliados a cada 4 anos. No âmbito federal, a parSr
de 2026, não poderão ultrapassar 2% do PIB. Enquanto esSver acima
desse teto, não pode haver concessão, ampliação ou renovação de
bene]cio tributário.

16
Autonomia com Responsabilidade
DISTRIBUIÇÃO VOLUNTÁRIA
Transferência de royalUes e parUcipações especiais a todos estados e
municípios

A UNIÃO NÃO SERÁ MAIS FIADORA


Ao fortalecer as finanças regionais com repasses e com Plano de Equilíbrio
Fiscal, União só dará, a parSr de 2026, garanSas às operações de estados e
municípios com organismos internacionais.

CADA UM ASSUME SUA CONTA


Fica proibida operação de crédito entre entes da Federação, diretamente ou
por meio de fundo, autarquia, fundação ou estatal.

QUEM FEZ A DÍVIDA, ARCA COM ELA


Com mais recursos para o reequilíbrio de estados e municípios, a União fica
proibida de socorrer entes em dificuldades fiscal-financeiras a parSr de
2026.

17
Os 3Ds –
Desobrigar, Desindexar e Desvincular

AUTONOMIA DOS ESTADOS


Ao fortalecer estados e DF, a União não precisará mais dar crédito para que os entes
paguem precatórios.

MENOS BANCO, MAIS DESENVOLVIMENTO


A parcela do FAT desSnada ao BNDES será de 14%.

INDEPENDÊNCIA DO GESTOR
Estados e municípios passam a receber toda a arrecadação do salário-educação e a
definir o uso dos recursos.

LIBERDADE DENTRO DAS PRIORIDADES


Os mínimos estabelecidos para saúde e educação não serão alterados. O que será
permiSdo é o gestor administrar conjuntamente esses limites, ou seja, poderá
compensar um gasto de uma área na outra.

18
Os 3Ds –
Desobrigar, Desindexar e Desvincular

SAÍDA DE EMERGÊNCIA

Despesas obrigatórias serão desindexadas


em casos de emergência fiscal. Estão
garanUdos os reajustes dos benepcios
previdenciários e do BPC pela inflação.

19
Os 3Ds –
Desobrigar, Desindexar e Desvincular

INDEPENDÊNCIA TOTAL
Receita pública não será vinculada a órgão, fundo ou despesa.

Exceções:

{
• Taxas;
• Doações;
• FPM;
• FPE;
• Vinculação ConsStucional

20
Fortalecimento
da Federação

> 5MIL
HABITANTES
UNIDOS GASTAMOS MENOS E MELHOR
Município com menos de 5 mil
habitantes e arrecadação própria <5MIL
HABITANTES
menor que 10% da receita total será
incorporado pelo município vizinho.

MENOS É MAIS
Nova restrição na criação de
municípios.

21
Contas Públicas Sustentáveis
Novas Regras
O RECURSO É DE TODOS
PEC melhora a gestão fiscal e permite o
conUngenciamento para todos os poderes
estaduais e municipais, como já ocorre em nível
federal.

CONTROLE DA DÍVIDA PÚBLICA


Integração das regras fiscais (LRF, Regra de
Ouro e Teto de Gastos), em todas as esferas
de governo, para garanSr a sustentabilidade
da dívida pública.

22
Segurança
Jurídica

FIM DO IMPASSE DA LEI KANDIR


Com o repasse de royalSes e parScipação especial do petróleo, União e
estados encerrarão a disputa judicial sobre a Lei Kandir.

FIM DA APROPRIAÇÃO INDEVIDA


Fica proibido o uso de fundos de pensão e depósitos judiciais de ações
entre parUculares para despesas do ente federaSvo.

23
Estado de
Emergência Fiscal

União: Estados:
Quando o Congresso Quando a despesa
Nacional autorizar o corrente
desenquadramento da ultrapassar 95%
Regra de Ouro da receita corrente

Um ano de ajuste
Mecanismos automáUcos
serão acionados

24
Estado de Emergência Fiscal
Mecanismos automáticos

CONTROLE DAS CONTAS


Em emergência, União, estados e municípios não podem promover
funcionários (com exceção de serviço exterior, judiciário, membros do MP,
policiais, militares e que implique em atribuição de função).

CONTROLE DAS CONTAS 2


Também ficam impedidos de dar reajuste, criar cargo, reestruturar
carreiras, fazer concurso ou criar verbas indenizatórias.

FREIO DE ARRUMAÇÃO
Suspende a criação de despesas obrigatórias e
de bene]cios tributários.

CONTROLE DE GASTO COM PESSOAL


Permite redução de até 25% da jornada de trabalho com
adequação dos vencimentos do servidor.

25
PEC
Emergencial

A PEC está estruturada


em 2 blocos

Medidas Permanentes Medidas Temporárias

dão instrumentos a criam condições especiais


estados e municípios por 2 anos para União,
para ajustar as contas estados e municípios
públicas. recuperarem a saúde
financeira.

27
Mecanismos automáticos
de ajuste

PEC do Pacto Federativo PEC Emergencial


São acionados para a União só após o Congresso Quando as operações de crédito superarem as
autorizar desenquadramento da Regra de Ouro despesas de capital em 1 ano
Medidas automáticas por 1 ano, renováveis até o
Medidas automáticas por 2 anos
equilíbrio das contas públicas
Para estados e municípios, mecanismos são acionados sempre que despesa corrente exceder 95% da receita
corrente (1 ano)*
Não pode promover funcionário (com exceções), dar reajuste, criar cargo, reestruturar carreira, fazer
concurso e criar verbas indenizatórias

Suspende criação de despesas obrigatórias e de benefícios tributários

Permite redução de 25% da jornada do servidor com adequação dos vencimentos

Montante economizado terá toda sua alocação


25% da economia vão para projetos de infraestrutura
definida no orçamento

Suspende repasse dos recursos do FAT ao BNDES

28
Medidas Permanentes

PEC do Pacto Federativo PEC emergencial


Os mínimos estabelecidos para saúde e educação não
serão alterados. O que será permitido é o gestor _
administrar conjuntamente.

Possibilidade de adequação à Regra de Ouro poderá estar no orçamento

Inclusão das despesas com pensionistas no limite de despesas com pessoal.

Lei Complementar definirá indicadores, níveis sustentáveis de endividamento e a trajetória de convergência


da dívida.

Benefícios serão reavaliados a cada 4 anos. No âmbito federal, a partir de 2026, não poderão ultrapassar 2%
do PIB.

Destinação do excesso de arrecadação e do superávit financeiro à amortização da dívida pública.

29
Situação dos
Fundos Públicos

Há quase
R$ 220 bilhões
parados em fundos
enquanto o país está
no vermelho

Existem
281 Fundos
públicos
no Brasil

31
Alguns dos Fundos Públicos

{
Fundo de Desenvolvimento do Ensino
Profissional Marítimo

Fundo de Universalização dos Serviços de


Telecomunicações - FUST

Fundo Especial de Treinamento e


Desenvolvimento

Fundo de Garantia para a Promoção da


Competitividade - FGPC

32
Problemas atuais

Congresso não tem poder de decidir como


usar o dinheiro dos fundos

•  Não permite uso em áreas em que a


sociedade precisa;

•  Atrapalha a gestão da dívida;

•  Tira flexibilidade dos orçamentos;

•  Há dinheiro perdido também em fundos


de estados e municípios.

33
PEC dos Fundos Públicos
menos juros para a sociedade

Brasil gastou R$ 379 bilhões em juros em 2018.

Essa conta já chegou a R$ 540 bilhões em 12 meses


(jan/16).

Dinheiro parado nos fundos podem abater


endividamento e diminuir o esforço da
sociedade para controlar a dívida.

34
PEC
dos Fundos Públicos

Dinheiro já parado nos fundos será usado


(da única maneira possível): para
pagamento da dívida pública. Dívida menor

Novos recursos: serão aplicados


prioritariamente nos programas de
Erradicação da Pobreza e de + Social
Reconstrução Nacional.

ExUnção de fundos: A maior parte


será exSnta no fim do segundo ano + Investimento
subsequente à aprovação da PEC.

Exigência de lei complementar


Menos
para a criação de fundos públicos.
complicação

35
Mais investimento
Menos dívida

R$ 400 bi
da União para
estados e municípios (15 anos)

até R$ 50 bi R$ 220 bi
para investimentos parados em fundos para
em 10 anos apenas na abater juros da dívida
PEC Emergencial pública
37
Pavimentar o caminho
para o crescimento sustentável

ECONOMIA DESEMPREGO

Brasil vai virar a página do ExpectaSva de fortes fluxos


problema fiscal e pode de invesSmentos externos
voltar a receber o no setor produSvo e
“investment grade”, o retomada do crescimento
chamado grau de econômico e queda do
inves1mento. desemprego.

38