Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA – UCB

ESCOLA DE DIREITO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO

ALBERTO BASTOS BALAZEIRO

A ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO NO


COMBATE À CORRUPÇÃO.

Brasília

2017
ALBERTO BASTOS BALAZEIRO

A ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO NO


COMBATE À CORRUPÇÃO.

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-


Graduação Stricto Sensu em Direito, Escola de
Direito, Universidade Católica de Brasília, como
requisito para obtenção do grau de Mestre em
Direito.
Orientador: Profa. Dra. Leila Bijos

Brasília
2017
Dedico essa dissertação a todos os membros
do Ministério Público que lutam pelo
combate à corrupção em nossos país.
AGRADECIMENTO

Agradeço à Escola Superior do Ministério Público da União pela oportunidade única de


qualificação que me foi proporcionada.

Agradeço a todos os colegas de Mestrado que compartilharam comigo das dificuldades e da


busca por realizar trabalhos sólidos e que ajudassem a construir também um Brasil melhor.

Agradeço aos meus colegas do Ministério Público que também enfrentaram esse desafio de
exercer as nossas atividades laborais em exercício cumulativo com a frequência de aulas e
avaliações do Mestrado

Agradeço ao corpo docente do Mestrado em Direito da Universidade Católica de Brasília, de


modo especial minha orientadora e grande incentivadora da pesquisa, Professora Doutora Leila
Bijos.

Agradeço a minha família, personificada em pai Alberto, modelo de retidão, probidade


competência e dedicação incondicional à família que me impõe a tarefa de honrar sempre o seu
nome, em minha mãe Angela, espelho de serenidade e amor, e, por fim a Karen, minha esposa,
encontro de amor incondicional, cumplicidade e companheirismo.

Muito Obrigado!
“Ah, se as propriedades títulos e cargos / Não
fossem fruto da corrupção! e se as altas
honrarias / Se adquirissem só pelo mérito de
quem se detém! / Quantos, então, não estariam
hoje melhor do que estão? / Quantos, que
comandam, não estariam entre os
comandados? ”
SHEAKESPEARE, O Mercador de Veneza,
Ato II. Palavras de Aragão.
RESUMO

BALAZEIRO, Alberto Bastos. A Atuação do Ministério Público do Trabalho no Combate


à Corrupção. 2017. 107 f. Dissertação (Mestrado em Direito)–Pós-Graduação Stricto Sensu
em Direito, Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2017.

O combate à corrupção exige a união de todas as instituições do estado brasileiro. O Ministério


Público do Trabalho tem de ser integrado ao rol de instituições que tem o combate à corrupção
como uma de suas metas, já que se trata de uma mazela transversal que também atinge as
relações de trabalho, notadamente quando envolve a administração pública. A atuação do
Ministério Público do Trabalho no combate à corrupção deve se nortear pela busca da
resolutividade e pela estruturação de soluções mais perenes. Há instrumentos legais de que se
pode valer o Ministério Público do Trabalho no combate à corrupção. É preciso ser retomado o
debate acerca da aplicação dos institutos da Lei de Improbidade Administrativa na jurisdição
trabalhista e, da mesma forma, serem utilizadas ferramentas e conceitos da chamada Lei
Anticorrupção (12.846/2013) nas cláusulas de termos de ajuste de conduta propostos e nos
pedidos das ações civis públicas ajuizadas pelo Parquet laboral. Deve o Ministério Público do
Trabalho atuar em conjunto com outros ramos do Ministério Público brasileiro em ações de
combate à corrupção, articulando também perante o Congresso Nacional emendas à
Constituição brasileira que confiram competência criminal à Justiça do Trabalho. É possível
propor aos envolvidos e ao Poder Judiciário que sejam adotadas decisões estruturantes que
possibilitem o combate mais profundo da corrupção que também atinge as relações de trabalho.
O Ministério Público do Trabalho precisa assumir o seu papel de relevo no tema, instituindo
projeto institucional específico para tratar do combate à corrupção e contribuindo para que
sejam as relações de trabalho sejam pautadas na ética e probidade.

Palavras-chave: Corrupção. Relações de Trabalho. Administração Pública. Ministério Público


do Trabalho. Atuação. Soluções Estruturais. Pacto Juslaboral e Ética.
ABSTRACT

The fight against corruption requires the union of all the institutions of the Brazilian state. The
Public Labor Ministry has to be integrated with the list of institutions that have the fight against
corruption as one of its goals, since it is a transversal issue that also affects labor relations,
especially when it involves public administration. The work of the Public Prosecutor's Office
in the fight against corruption must be guided by the search for resolve and the structuring of
more perennial solutions. There are legal instruments that can be used by the Public Ministry
of Labor in the fight against corruption. It is necessary to resume the debate about the
application of the Institutes of the Administrative Improbity Act in the labor jurisdiction and,
likewise, to use tools and concepts of the so-called Anti-Corruption Law (12.846 / 2013) in the
clauses of proposed terms of conduct and in requests for civil actions filed by Parquet. The
Public Prosecutor's Office must work together with other branches of the Brazilian Public
Prosecutor's Office in actions to combat corruption, also articulating before the National
Congress amendments to the Brazilian Constitution that confer criminal jurisdiction to the
Labor Court. It is possible to propose to the parties involved and to the Judiciary that structuring
decisions be adopted that will enable a deeper fight against corruption that also affects working
relationships. The Public Prosecutor's Office needs to assume its important role in the subject,
instituting a specific institutional project to deal with the fight against corruption and
contributing to the fact that work relations are based on ethics and probity.

Keywords: Corruption. Work relationships. Public administration. Ministry of Labor. Acting.


Structural Solutions. Pact Labor and Ethics.

Você também pode gostar