Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS – UEA

CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE TEFÉ – CEST


LICENCIATURA EM QUÍMICA

RELATÓRIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE CIÊNCIAS E QUÍMICA II

TEFÉ-AM
2019
MICHEL ALVES DA SILVA
RELATÓRIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE CIÊNCIAS E QUÍMICA II
REALIZADO NA ESCOLA ESTADUAL FREI ANDRÉ DA COSTA

Relatório de Estágio apresentado como requisito para


obtenção de nota parcial da disciplina Prática de Ensino
de Ciências e Química II do Curso Licenciatura em
Química – Noturno 8º Período, da Universidade do
Estado do Amazonas – UEA/ CEST.

Orientador: Marcus Lúcio de Sousa

TEFÉ-AM
2019
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ......................................................................................................................... 04

1 DESENVOLVIMENTO........................................................................................................ 04

1. 1 OBJETIVO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL.................................................................... 05

1.2 HISTÓRICO ESCOLAR.................................................................................................... 05

1.3 DIAGNOSTICO DA COMUNIDADE............................................................................... 06

1.4 ASPECTOS FÍSICOS ......................................................................................................... 06

1.5 MEIO ECONÔMICO, SOCIAL E CULTURAL............................................................... 07

1.6 AMBIENTE HUMANO..................................................................................................... 07

1.7 AMBIENTE DE APRENDIZAGEM................................................................................. 08

1.8 INDICADORES DA ESCOLA............................................................................................ 09

1.9 RELATOS DA OBSERVAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E REGENCIA................................. 09

2 CONCLUSÃO......................................................................................................................... 12

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANEXO
INTRODUÇÃO

O presente relatório tem como objetivo dissertar quanto ao desempenho do Estágio


Supervisionado II, do curso de licenciatura em Química CEST-UEA elaborado pelo
estagiário Michel Alves da Silva na Escola Estadual Frei André da Costa. Neste relatório
são fornecidas informações acerca da atuação do estagiário e da instituição ondo foi
desempenhado o estágio.
O discente efetuou esse estágio com a realização das observações, onde relatou sobre as
estruturas físicas das salas de aula, comportamento dos alunos, procedimentos
metodológicos dos professores em atividades em sala de aula, entre outras. Nas
participações teve-se a oportunidade de auxiliar os alunos em resoluções de atividades
atribuídas pelos professores, e em correções e aplicações de provas entre outras
participações.

1. DESENVOLVIMENTO

Durante o período do dia 29 de agosto a 27 de Outubro de 2017 em que foi realizado o


estágio supervisionado II, onde o estagiário esteve atuando em sala de aula, e pôde colocar em
prática boa parte dos conhecimentos adquiridos na universidade. E neste tempo transcorrido
obteve grandes experiências, na aplicação de suas metodologias de ensino, que este adquiriu
observando seus professores de ensino superior e médio, porém modificando seus métodos e,
propondo novas abordagens de conteúdo, todavia tendo como base os modos de ensino de
seus docentes, como afirma (PIMENTA E LIMA, 2012 p.111,112).

O exercício de qualquer profissão é prático, no sentido de que se trata de aprender a


fazer “algo” ou “ação”. A profissão de professor também é prática. E o modo de
aprender a profissão, conforme a perspectiva da imitação, será a partir da
observação, imitação, reprodução e, às vezes, reelaboração dos modelos existentes
na prática consagrados como bons. Muitas vezes nossos alunos aprendem conosco
nos observando, imitando, mas também elaborando seu próprio modo de ser. Nesse
processo escolhem, separam aquilo que consideram adequados, acrescentam novos
modos, adaptando-se aos contextos nos quais se encontram. Para isso, lançam mão
de suas expetativas e dos saberes que adquiriram.
1.1 OBJETIVO DO ESTAGIO PROFISSIONAL

O Estagio Profissional II é importante para que o futuro professor possa está


conhecendo as metodologias de ensino e aprendizagem, a organização pedagógica, o processo
de gestão escolar e da secretaria adequadas para o desenvolvimento do saber, o
relacionamento comunidade e escola, professor e aluno. O estagio é um enriquecimento, uma
experiência para a profissão, desta forma também se pode sentir como realmente lidar com
todo corpo docente, discente, pedagógica, documentação, e demais funcionários da escola, e
isto exige a preparação profissional e emocional do acadêmico.

1.2 HISTÓRICO DA ESCOLA

A Escola Estadual Frei André da Costa foi organizada graças aos esforços da Prelazia
de Tefé e do Instituto das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria, ambas atuando há anos,
no campo missionário e educacional da nossa região.
Assim em 1948 se inicia a história da escola com a criação da Escola Rural Santa
Tereza, fundada pelas Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria com o objetivo de formar
professores rurais.
A Escola Rural Santa Tereza, após várias denominações, em 1970 foi nomeada,
Colégio Estadual de Tefé, através de um convênio com a Secretaria de Educação e Cultura
(SEDUC). Todavia a administração permanecia com as Irmãs Franciscanas Missionárias de
Maria.
Em 1980 a escola recebeu a nomeação de Escola de 1º e 2º Graus de Tefé, agora sob a
administração da Unidade Educacional de Tefé.
Em 1981, através do Decreto 6.047 do Diário Oficial do Estado, a Escola de 1º e 2º
Graus de Tefé, passou a chamar-se, Escola de 1º e 2º Grau Frei André da Costa, em
homenagem ao fundador da cidade.
Em 1989 - Recebeu definitivamente o nome de Escola Estadual Frei André da Costa,
situada à Rua Getúlio Vargas, nº 198, Centro. Seu prédio é alugado a SEDUC e atende alunos
de Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Fundamental e Médio Mediado por
Tecnologia.
1.3 DIAGNÓSTICO DA COMUNIDADE
A Escola Estadual Frei André da Costa está situada na Rua Getúlio Vargas, 198, Bairro
centro no Município de Tefé do Estado do Amazonas. A distribuição da comunidade está
composta por casas residenciais. Possuem estabelecimentos comerciais, praças, igreja
católicas e escolas estaduais, esses serviços se localizam próximo à escola, Frei André da
Costa.
A população desta comunidade é de classe baixa, no presente bairro apresenta um
péssimo nível de desemprego, visto que muitos são donos de tabernas comunitárias que
vendem produtos alimentícios além de possuírem empresas, e isso são chamados de serviços
autônomos, e a maioria dos alunos que estuda e frequenta o colégio Frei André da Costa são
filhos de autônomo comunitários do bairro perto da escola e muitos também são filhos de
agricultores.
No entanto, a escola atende alunos do Bairro de Olaria, Centro, Santo Antônio, Santa
Luzia, Nossa senhora de Fátima, que são filhos de Agricultores, Pescadores, dona de casa,
Moto taxi, Garis, pequenos comerciantes, Vendedores Ambulantes que vendem seus alimentos
como salgadinhos churrascos, bomboniere e outros.

Na comunidade as ruas nem todas possuem calçadas pavimentadas em perfeitas


condições para os pedestres andarem, tem-se faixa de pedestres e iluminação pública bem
estruturada, no bairro também tem uma concentração de igreja católicas, evangélicas e isso
faz com que o bairro fique mais frequentado.

1.4 ASPECTOS FÍSICOS DA ESCOLA

A Escola Estadual Frei André da Costa possui em sua estrutura física:

12 (doze) Salas de aula, 01 (uma) TV escola, 02 (duas) Sala da Diretoria, 01 (uma) Sala da
Secretaria, 01 (um) Laboratório, 01 (uma) Sala da Biblioteca, 01 (uma) Sala dos Professores,
01 (uma), Sala de apoio pedagógico, 01 (uma) Cozinha, 01 (uma) Sala do Laboratório de
Informática, 01 (um) Refeitório, 01 (uma) Área de Serviço, 01 (um) Depósito para Guardar
Material de Limpeza, 02 (dois) Banheiros, 02 (duas) Dispensa para Guardar a Merenda
Escolar e 01 (uma) Quadra não coberta.
1.5 MEIOS ECONÔMICO, SOCIAL E CULTURAL.

Na observação e comparação dos alunos da constituição da rede de ensino de famílias


de classe Média são bastante diversificadas. A maioria dos alunos é de família pobre de baixa
renda, o que gera vários tipos de problemas sociais como, por exemplo, alcoolismo à
dependência de drogas, gravidez na adolescência, gerando formas de desorganização
familiares entre outros.
Hoje a Escola atende alunos do Bairro de Olaria, Centro, Santo Antônio, Santa Luzia,
Nossa senhora de Fátima, com os seguintes níveis de ensino: Ensino Médio, Ensino Médio
Mediação Tecnológica.
A Escola tem como entidade mantenedora o Estado, responsável pelo pagamento dos
funcionários e despesas referentes o material de limpeza, escritório, merenda escolar,
Refeitório, e livros didáticos.

Além disso, a escola oferece um espaço para a prática de esportes (quadra poliesportiva)
que também é utilizada para eventos culturais tanto da escola quanto da comunidade tefeense.

1.6 AMBIENTE HUMANO

Tendo uma gestão embasada na democracia, as decisões do trabalho são tomadas no


grupo, uma relação de respeito e liberdade de expressão entre funcionários e gestora que
trabalham juntos em harmonia, e demonstração de respeito com as crianças e com a própria
educação, elemento fundamental para o desenvolvimento integral do ser humano de forma a
integrá-lo a sociedade com dignidade. Durante reuniões e encontros pedagógicos a gestora
sempre reforça a importância da união, do companheirismo, a dedicação ao que faz a
responsabilidade com o seu trabalho e o respeito multo dentro da instituição e fora como
qualquer cidadão de bem.
As atividades pedagógicas são planejadas quinzenalmente, um momento de reflexão
das práticas ressente, trocas de ideias e experiências entre professores, também se faz análise
geral do que já foi realizado do Plano de Ação Anual da escola e o que ainda vai ser feito para
poder organizar as atividades previstas num cronograma de acordo com a clientela atendida
no seu devido tempo e espaço, visto que, se trabalha com o Ensino Médio.

Como qualquer instituição de ensino as dificuldades e os problemas existem, como: a


falta de compromisso dos pais com a educação familiar dos seus filhos; a falta de
responsabilidade no comprimento do horário de entrada e saída dos alunos na escola seguindo
as normas do Regimento Escolar. Esses são problemas rotineiros que levam a escola,
juntamente com o seu corpo docente pedagógica fazer reflexões na busca de estratégia de
soluções para essas problemáticas do dia a dia, visto que, está lhe dando com seres humanos
pouco instruídos e concepções de vida diferenciada ou ultrapassada, requer desses
profissionais maior dedicação. A escola chama os pais e responsáveis a cumprir os termos
expostos no Regime Escolar para que a instituição possa desenvolver um bom trabalho,
podendo assim compartilha suas alegrias e conquista de uma boa educação com a comunidade
escolar e sociedade.

1.7 AMBIENTE DE APRENDIZAGEM

O ambiente onde os funcionários da escola como os professores atuam, possuem salas


climatizadas, ventiladores todos funcionando normalmente nas salas que é frequentada em
média por 35 alunos, as salas contêm carteiras para todos os alunos embora algumas estejam
em mau estado. Nas turmas há uma quantidade de alunos significativa, ou seja, as turmas são
todas lotadas, com cerca de trinta e cinco a quarenta alunos cada turma, de maneira que chega
a sobrecarregar os professores. Embora a escola possua alguns pontos negativos o ambiente
de aprendizagem ainda é eficaz embora não seja o ideal para os alunos e para os professores.

1.8 INDICADORES DA ESCOLA

Conforme dados de 2016, a Escola Estadual Frei André da Costa teve o seguinte
rendimento: No ensino médio havia um total de 708 alunos (532 aprovados, 65 reprovados e
111 desistentes); No ensino médio mediação tecnológica havia um total de 234 alunos (196
aprovados, 11 reprovados e 27 desistentes).
1 RELATOS DA OBSERVAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E REGÊNCIA DE CLASSE.

Observação 1º ano 01 e 02
No primeiro dia de observação no dia 29/08/17 no 1º ano 01, os estagiários foram
apresentados aos alunos e foi relatado pela professora sobre o papel dos universitários em
relação à atuação em sala de aula. No início da aula a professora questionou se os alunos
tinham terminado o exercício proposto, e como foi observado uma minoria havia feito.
A sala de aula possuía em sua estrutura física dois ar-condicionado, 6 lâmpadas e uma
delas não estava funcionado, a sala possuía algo interessante na parede havia uma tabela
periódica em tamanho grande.
No 1º ano 02 no dia 29/08/17 houve apresentação dos estagiários para a turma, esta
por sua vez se encontrava bastante agitada. E em relação às condições estruturais da sala de
aula, estava equipada com dois ar-condicionados funcionando normalmente, lâmpadas
fluorescentes, sendo que uma estava com defeito. A professora chamou atenção dos alunos
quanto ao mau comportamento dos mêsmos, por não estarem fazendo os exercícios que lhes
foram atribuídos.
Em 31/08/17 no 1º ano 02 a professora iniciou o assunto sobre ligações químicas
utilizando projetor como recurso didático em suas aulas.

Observação 2º ano 01 e 02

No dia 29/08/17 no 2º ano 02, os estagiários foram apresentados normalmente e foi


falado sobre o objetivo do estágio e quanto a participação dos estagiários. Neste dia foi
aplicada uma prova para os alunos sobre o conteúdo de soluções, e a professora disponibilizou
no quadro algumas equações acerca de como encontrar, a concentração comum, concentração
molar e cálculo para números de mols.

Neste mesmo dia no 2º ano 01 foi feita rapidamente apresentação dos universitários
para os alunos, devido a prova que seria aplicada logo em seguida. A turma parecia está bem
concentrada na prova, também foi disponibilizado algumas equações no quadro. A turma era
composta por 37 alunos, e a sala era equipada com dois ar-condicionados em função de
proporcionar um melhor ambiente de trabalho.
No dia 30/08/17 no 2º 01 a professora realizou a chamada normalmente dos 37 anos
alunos, ela também copiou um texto no quadro sobre título, porcentagem e parte por milhão.

Observação 3º ano 01, 02 e 03


Em 30/08/17 no 3º ano 03 foi realizada a apresentação do estagiário, parte dos
universitários que foram apresentados já eram conhecidos dos alunos devido às atividades do
programa de iniciação a docência PIBID, que estes efetuavam em sala de aula. Neste dia a
professora fez a chamada de todos os alunos como de costume e entregou as provas para
turma, que era composta por 35 alunos, e em seguida fez a correção das questões da prova no
quadro.
Neste mesmo dia no 3º ano 01, houve a apresentação dos universitários para a turma,
onde houve uma boa interação com os alunos, em seguida a professora deu continuidade ao
assunto sobre, cetona, aldeído e ácidos carboxílico.
No 3º ano 02 foi feita uma boa recepção aos universitários, em seguida a professora
entregou as provas dos alunos, alguns tiraram nota máxima enquanto que outros não
conseguiram alcançar uma boa nota, e iriam realizar uma prova de recuperação paralela.

Participação 1º ano 01 e 02

No dia 14/09/17 a 26/09/17 ocorreu a contribuição do estagiário para com os alunos


em atividades escolar, como ajuda em assuntos e resoluções de exercícios, participação em
aplicações de provas e ajuda em resoluções de atividades.

Participação 2º ano 01 e 02

A participação do estagiário no 2º ano 02 e 2º ano 01, foi elaborada entre os dias


12/09/17 a 03/10/17 com auxílio em revisão de assuntos para prova, atividade de assunto de
prova, realizações de chamada de frequência e ajuda no desempenho de aula prática no
laboratório de ciências.

Participação 3º ano 01, 02 e 03


Entre os dias 31/08/17 a 14/09/17 foi efetuada a participação do estagiário como em
aplicações de provas de recuperação paralela, no dia em que foi aplicada essa prova de
recuperação o estagiário juntamente com os outros estagiários ficaram responsáveis pela
aplicação e fiscalização das provas. Também houve auxílio em aplicações de outras provas em
outra turma do 3º ano. Ocorreu também a efetuação de chamadas de frequência.

Regência 1° ano

No dia 24 de Outubro foi ministrada a regência no 1º ano 01 abordando o conteúdo de


ligações metálicas, com o objetivo de mostrar as características dos metais e a teoria do mar
de elétrons, definição de ligação metálica, propriedade dos metais, ligas metálicas e suas
aplicações no cotidiano.

A aula foi expositiva desenvolvida de acordo com o cronograma que segue em anexo,
preparada pelo estagiário que no decorrer de sua apresentação utilizou materiais didáticos
como, projetor de mídia, quadro branco, computador e pinceis. A aula foi tranquila, os alunos
se encontravam calmos e atentos à explicação, porém com pouco interação com aula,
pareciam não está com muito interesse no assunto. O universitário utilizou exemplos com
imagens, e exemplos de como as liga metálicas estão presente no cotidiano de cada um, como
por exemplo, o aço inoxidável do qual são fabricado os talheres, o ouro 18 quilates que é feito
com 75% de ouro, 13% de prata e 12% de cobre, entre outros. E foi aplicada em outra aula a
parte prática com uma lista de exercício acerca da aula sobre ligações metálicas.

Regência 2° ano

No dia 26 de Outubro foi efetuada a apresentação da regência no 2º ano 02 com a


abordagem do conteúdo termoquímica. Nesta aula foi ministrado aos alunos uma pequena
revisão sobre processos endotérmicos e exotérmicos, definição de entalpia e variação de
entalpia, reconhecimento de reações endotérmicas e exotérmicas pelo valor da variação de
entalpia ∆H.
Em sua metodologia o estagiário contou com recursos didáticos como, projetor de mídia,
computador, pincel e quadro branco. A aula foi bem desempenhada, com exemplos práticos
no quadro para resolver o cálculo da variação de entalpia, e interação com os alunos.

A parte prática desse assunto foi realizada pela aplicação de exercícios em folha A4 no dia
27/10/2017.

Regência 3º ano

No dia 22 de Setembro foi realizada no 3º ano 01 a apresentação da regência acerca do


conteúdo éter, que é uma função oxigenada. Nesta ministração o estagiário contou com
recursos didáticos como, projetor de mídia, computador, pincéis e quadro branco, para melhor
proporcionar aos alunos conhecimento sobre o assunto.

A aula foi expositiva e dialogada, e teve por objetivo expor a definição do Éter, apresentar
alguns Éteres do cotidiano como o durepoxi, massa utilizada em confecção de artesanatos e
reparos caseiros, mostrar a obtenção de éter pela reação de desidratação intermolecular de
álcoois, explicar a nomenclatura oficial de Éter.

A atividade prática deste conteúdo foi efetuada através de exercícios em folha A4 no dia
25/09/2017.

2. CONCLUSÃO

Portanto, no decorrer do estágio supervisionado II, o estagiário presenciou a realidade


do processo de ensino desenvolvida na instituição de ensino cuja denominação era Escola
Estadual Frei André da Costa, e durante este período de experiência vivenciada, ele pôde
analisar alguns aspectos característicos dos alunos no que se refere aos estudos propostos para
serem elaborados em casa, como: tarefas, conteúdos que posteriormente seriam aplicados na
forma de exercícios e provas. Chegou-se a conclusão de que boa parte dos alunos não possui o
hábito de estudar em suas residências, dificultando desta forma o aprendizado dos mesmos.
Durante esse período também, o estagiário colocou em prática conhecimentos recebidos na
universidade. Para o estagiário a experiência de atuar na mesma escola em que já atua como
bolsista do programa de iniciação a docência, facilitou o estágio em relação a interação com
os alunos da instituição. Os alunos receberam bem o estagiário, e este demonstrou
contentamento ao se deparar com a nova modalidade de contribuição para com os alunos, pois
agora estaria auxiliando como estagiário e futuro docente, e não somente como bolsista do
pibid.
Inúmeras são as experiências que o estagiário levará consigo, entre elas estão o
comportamento do professor diante dos alunos, maneiras de como se comportar diante de
questionamentos, a utilização de boas metodologias de ensino e a demonstração de
profissionalismo como docente. Portanto o estágio supervisionado II é de suma importância
na vida do futuro profissional da educação, pois este tem a oportunidade se deparar com a
realidade da educação brasileira, observando, participando, e contribuindo com o professor ao
tempo que aprende muito com eles também.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFIA

PIMENTA, S. G.; LIMA. M. S. L. Estágio e docência. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2012.
ANEXOS

Você também pode gostar