Você está na página 1de 26

40 DICAS

- que você não pode


deixar de ler-
PARA A 1ª FASE DO
XXX EXAME DE
ORDEM
Todos os direitos reservados
@viciodeumaestudante
www.viciodeumaestudante.com.br
PROCESSO CIVIL
1) AÇÃO DE EXECUÇÃO E CUMPRIMENTO DE SENTENÇA

AÇÃO DE EXECUÇÃO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA


• Título executivo extrajudicial • Título executivo judicial

• Ação autônoma, mas distribuído por • Mesmos autos da ação de


dependência conhecimento

• Independe de garantia prévia • Independe de garantia prévia

• Cabe embargos de execução • Cabe impugnação à execução

2) RECURSOS EM ESPÉCIE

APELAÇÃO
Cabe da sentença + decisão interlocutória NÃO passível de Agravo de Instrumento
(preliminar de apelação)
O juízo de admissibilidade é feito nos Tribunais. O juízo de 1 grau somente vai intimar a
parte contrária para apresentar as contrarrazões).
AGRAVO DE INSTRUMENTO
Cabível das decisões interlocutórias
Hipóteses mais importantes (ver art. 1015 CPC):
- tutela provisória
- rejeição ou revogação de gratuidade da justiça
- exclusão ou limitação de pedido de litisconsortes
- intervenção de terceiros
3) INTERVENÇÃO DE TERCEIROS

CHAMAMENTO AO
ASSISTÊNCIA DENUNCIAÇÃO À LIDE
PROCESSO
•Terceiro juridicamente •Tem por finalidade fazer • Tem por finalidade fazer
interessado com que o terceiro com que terceiros
•Cabível em qualquer venha litigar em (outros devedores
procedimento e em conjunto com o solidários) venham ligitar
todos os graus de denunciante. em conjunto com o
jurisdição. •Hipóteses: evicção ou chamante,
ação regressiva •Somente admitido pelo
•admitido por qualquer réu
das partes •Hipóteses: fiança ou
obrigação solidária

DESCONSIDERAÇÃO DA
AMICUS CURIAE PERSONALIDADE OPOSIÇÃO
JURÍDICA
•Terceiro que defende •Cabível em todas as •NÃO é mais considerado
uma posição institucional fases do processo, uma intervenção de
intervem no processo inclusive na execução. terceiros conforme o
para apresentar NCPC. Está previsto nos
argumentos e procedimentos especiais.
informações que possam
contribuir para o
processo.
•Busca qualificar o
contraditório.

4) LITISCONSÓRCIO

LISTISCONSÓRCIO:
- comunhão de direitos ou obrigações
- conexão pelo pedido ou causa de pedir
- afinidade de questões comuns de fato ou de direito.
NECESSÁRIO FACULTATIVO
Indispensabilidade de todos os sujeitos, por Faculdade das partes entrarem em
imposição da lei ou pela natureza jurídica do comunhão.
objeto do litígio. O juiz pode delimitar conforme o caso
concreto.
UNITÁRIO SIMPLES
A decisão de mérito terá que ser uniforme A decisão pode ser desmembrada (cada um é
para todos. tratado como parte autônoma).
5) COMPETÊNCIA

COMPETENCIA ABSOLUTA COMPETENCIA RELATIVA


Fundada em interesse público Fundada no interesse das partes
Não pode ser alterada por vontade das partes. Pode ser alterada por vontade das partes
Reconhecida de ofício pelo juiz. (depende de provocação)
Pode ser arguida a qualquer momento e Pode ser arguida no primeiro momento para
qualquer grau de jurisdição. se manifestar no processo (preliminar de
Após o trânsito em julgado, cabe ação contestação).
rescisória. Caso não alegado, ocorre a PRORROGAÇÃO
DE COMPETÊNCIA
- Em razão da matéria - Em razão do lugar (territorial)
- Em razão da pessoa - Em razão do valor da causa
- Em razão da função
DIREITO CIVIL
1) PARTE GERAL – NEGÓCIO JURÍDICO

NEGÓCIO JURÍDICO NULO NEGÓCIO JURIDICO ANULÁVEL

- celebrado por pessoa absolutamente por incapacidade relativa do agente;


incapaz

- for ilícito, impossível ou indeterminável o por vício resultante de:


seu objeto;
- erro

- dolo

- coação,

- estado de perigo

- lesão

- fraude contra credores

- o motivo determinante, comum a ambas as


partes, for ilícito

- não revestir a forma prescrita em lei;

- for preterida alguma solenidade que a lei


considere essencial para a sua validade;

tiver por objetivo fraudar lei imperativa;

- a lei taxativamente o declarar nulo, ou


proibir-lhe a prática, sem cominar sanção

- simulação

OBS: pode ser alegada por qualquer OBS: Em regra, o prazo decadencial para
interessado ou pelo MP. E também podem pleitear a anulação é de 4 anos.
ser pronunciadas de ofício pelo juiz.
Entretanto, quando a lei dispuser que
determinado ato é anulável, sem estabelecer
prazo para pleitear-se a anulação, será este de
dois anos, a contar da data da conclusão do
ato.
2) OBRIGAÇÕES – DIFERENÇAS ENTRE AS MODALIDADES

OBRIGAÇÃO DE DAR COISA INCERTA OBRIGAÇÃO ALTERNATIVA

Obrigação simples Obrigação composta (+ 1 uma prestação)

Obrigação de dar Obrigação de dar, fazer ou não fazer

Mesmo gênero Gênero distintos

OBRIGAÇÃO ALTERNATIVA OBRIGAÇÃO FACULTATIVA

Obrigação composta (qualquer uma delas Obrigação simples (só há 1 prestação e junto
pode ser exigida) dela vem uma faculdade, que seria uma 2º
opção dada ao devedor)

OBRIGAÇÃO INDIVISÍVEL OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA

Decorre da natureza da prestação Decorre da lei ou da vontade das partes

Se convertida em perdas e danos à a Se convertida em perdas e danos à a


indivisibilidade é extinta. solidariedade permanece.

3) CONTRATOS – REVISÃO CONTRATUAL

REVISÃO NO CÓDIGO CIVIL REVISÃO NO CÓDIGO DE DEFESA DO


CONSUMIDOR

TEORIA DA IMPREVISÃO TEORIA DA BASE OBJETIVA

Fato imprevisível + onerosidade excessiva Fato superveniente + onerosidade excessiva

4) DIREITO DAS COISAS - HIPÓTESES DE USUCAPIÃO

EXTRAORDINÁRIA ORDINÁRIA RURAL


(art. 1238 CC) (art. 1242 CC) (art. 1239 CC)
• Animus domini - 15 • Justo título + boa fé - • Moradia ou trabalho
anos 10 anos • Area rural de até 50ha
• Função social - 10 anos • Função social + • Não ser proprietário
aquisição onerosa - 5 de outro imóvel
anos urbano ou rural
• 5 anos
URBANA COLETIVA
URBANA INDIVIDUAL FAMÍLIA
(art. 10 a 14 do Estatuto da
(art. 1240 CC) (art. 1240-A CC)
Cidade)
•Moradia •Moradia •Moradia
•Area urbana de até 250m² •Area urbana de mais de •Imóvel urbano até 250 m²
•Não ser proprietário de 250m² •Area urbana de mais de
outro bem imóvel urbano ou •Não ser proprietário de 250m²
rural outro bem imóvel urbano ou •Não ser proprietário de
•5 anos. rural outro bem imóvel urbano ou
•5 anos rural
•Não ser possivel a •2 anos de posse exclusiva
individualização. • Proprietário em regime de
condomínio
•Abandono do lar pelo ex-
conjuge.

5) DIREITO DE FAMÍLIA – ALIMENTOS

ALIMENTOS

- Imprescritíveis

- Irrenunciáveis

- Personalíssimo

- Irrepetível

AÇÃO DE COBRANÇA DE ALIMENTOS: Uma vez fixados os alimentos já fixados, começa a correr
o prazo prescricional de 2 anos, contando do vencimento da parcela.

NÃO CORRE A PRESCRIÇÃO:

- Entre ascendentes e descendentes durante o poder familiar

- Contra absolutamente incapazes (até os 16 anos)

Uma vez cessado o poder familiar o a incapacidade do menor, começa a correr o prazo
prescricional de 2 anos.
PROCESSO PENAL
1) PROCEDIMENTO DE JURI

DECISÃO DO JUIZ NA FASE CONCEITO RECURSOS


DA ACUSAÇÃO
(PRAZOS DE 5 DIAS)

Quando há indícios de autoria e de


provas
PRONÚNCIA RESE

O juiz não se convence da


materialidade do crime ou da
autoria.

Faz coisa julgada FORMAL (pode


IMPRONÚNCIA ser processado normalmente APELAÇÃO
havendo nova prova)

O juiz tem um fundamento, está


convencido que o réu é inocente.
ABSOLVIÇÃO SUMÁRIA APELAÇÃO
Faz coisa julgada MATERIAL

Muda a classificação do crime e


remete os autos para a vara
DESCLASSIFICAÇÃO RESE
competente.

2) PRISÕES

PRISÃO PREVENTIVA PRISÃO TEMPORÁRIA

Lei 7.960/89 Arts 311 a 316 CPP

Fase investigatória ou processual. Fase investigatória (inquérito policial ou outros


procedimentos investigatórios)

Fase investigatória: depende de provocação.


JAMAIS pode ser decretada de ofício pelo juiz.
Depende de provocação da autoridade policial
Fase processual: pode ser decretada de
ou MP.
ofício.

Pelo menos em regra, não há prazo Prazo de 5 dias, prorrogáveis por igual período.
determinado.
Crimes hediondos: 30 dias prorrogáveis por igual
período.

3) CRIMES COM VIOLENCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR

APLICA-SE A LEI MARIA DA PENHA

NÃO SE APLICA A LEI E NEM OS INSTITUTOS DA LEI DE JUIZADOS ESPECIAIS

Quando envolve crime condicionada à representação no contesto da violência doméstica, é


necessária uma audiência especial para a retratação, podendo ser realizada até o RECEBIMENTO
da denúncia.

LESÃO CORPORAL LEVE/CULPOSA Ação penal pública incondicionada

LESÃO CORPORAL GRAVE/GRAVISSÍMA Ação penal pública incondicionada

AMEAÇA/ ESTUPRO Ação penal pública condicionada à


representação.

4) COMPETENCIA CRIMINAL

CRIME DOLOSO CONTRA A VIDA +

+ CRIME COMUM PREVALECE O TRIBUNAL DO JÚRI

+ INFRAÇÃO DE MENOR POTENCIAL PREVALECE O TRIBUNAL DO JÚRI. A única diferença é


OFENSIVO que deve-se oportunizar a transação penal e a
composição civil dos danos.

+ CRIME DE COMPETÊNCIA FEDERAL JURI NA ESFERA FEDERAL

+ CRIME DE COMPETÊNCIA DA SEPARAÇÃO DOS PROCESSOS


JUSTIÇA ESPECIAL

+ AGENTE COM PRERROGATIVA DE Se o foro de prerrogativa de função for estabelecido


FUNÇÃO pela Constituição Federal: TRIBUNAL COM FORO DE
PRERROGATIVA PREVALECE

Se o foro de prerrogativa for estabelecido pela


Constituição Estadual: TRIBUNAL DO JURI PREVALECE
5) INQUÉRITO POLICIAL E AÇÃO PENAL

PROCEDIMENTO PRAZOS PARA O ENCERRAMENTO DO


INQUÉRITO POLICIAL

JUSTIÇA ESTADUAL 10 dias (preso)

30 dias (solto)

JUSTIÇA FEDERAL 15 dias (preso)

30 dias (solto)

LEI DE DROGAS 30 dias (preso)

90 dias (solto)

PROCEDIMENTO PRAZO PARA OFERECIMENTO DA DENÚNCIA

CÓDIGO DE PROCESSO PENAL 5 dias (preso)

15 dias (solto)

LEI DE DROGAS 10 dias (réu solto ou preso)


DIREITO PENAL
1) DESISTENCIA VOLUNTÁRIA, ARREPENDIMENTO EFICAZ E ARREPENDIMENTO POSTERIOR

DESISTENCIA VOLUNTÁRIA ARREPENDIMENTO EFICAZ ARREPENDIMENTO


POSTERIOR

Interrompe os atos Esgota os atos executórios, mas O agente, quando o crime já


executórios por vontade pratica um ato evitando o está consumado, repara o
própria (voluntária) resultado, antes da dano ou restitui a coisa ATÉ o
consumação. recebimento da
denúncia/queixa.

OBS: o crime praticado tem


que ser SEM violência ou grave
ameaça.

Responde pelos atos já Responde pelos atos já Diminuição da pena de 1/3 a


praticados, se típicos. praticados, se típicos. 2/4

2) ERRO DE TIPO E ERRO DE PROIBIÇÃO

ERRO DE TIPO/ERRO SOBRE O ELEMENTO DO ERRO DE PROIBIÇÃO/ERRO SOBRE A


TIPO ILICITUDE DO FATO

O agente não sabe que pratica um fato descrito O agente sabe o que está fazendo, mas falta
na lei como crime. potencial consciência que aquela conduta é
ilícita.
Falta percepção da realidade.

Ex: Supondo ser um animal, o agente atira na Ex: holandês que carrega maconha livremente
floresta, mas era uma pessoa. no Brasil (na Holanda o consumo é liberado)

EFEITOS: EFEITOS:

INVENCÍVEL: exclusão do dolo e da culpa (o INEVITÁVEL: isento de pena (exclusão da


fato é atípico) culpabilidade)

VENCÍVEL: exclusão do dolo e responde pela EVITÁVEL: responde pelo delito com redução
culpa, se tiver previsão legal. de pena de 1/6 a 1/3.
3) ERRO DO TIPO ACIDENTAL

ERRO DE TIPO ACIDENTAL: é aquele que recai sobre aos elementos SECUNDÁRIOS do
crime, não isentando o agente de pena.

O agente confunde a pessoa que queria atingir com


uma pessoa diversa. (PESSOA X PESSOA)

àAqui, a vítima virtual NÃO corre nenhum perigo.


ERRO SOBRE A PESSOA “error in
persona”: àConsideram-se, na dosimetria da pena, as condições
e qualidades da vítima contra qual o agente queria
praticar o crime (vítima virtual)

O agente, por acidente ou erro no uso dos meios de


execução, ao invés de atingir a pessoa que pretendia
ofender, atinge pessoa diversa (PESSOA X PESSOA)

àAqui, a vítima virtual corre perigo.

àConsideram-se, na dosimetria da pena, as condições


e qualidades da vítima contra qual o agente queria
praticar o crime (vítima virtual)

ESPÉCIES:
ERRO NA EXECUÇÃO
- Unidade simples: somente atinge a pessoa diversa da
“aberratio ictus” desejada. A solução será idêntica ao erro quanto a
pessoa.

- Unidade complexa: atinge as duas vítimas (real e


virtual). Nesse caso, o agente responde pelos crimes
em CONCURSO FORMAL IMPERFEITO.

O agente queria praticar um determinado crime, mas


por erro, acabou praticando crime diverso. (CRIME X
CRIME)

ESPÉCIES:

- Unidade simples: o agente pratica somente o crime


RESULTADO DIVERSO DO diverso do desejado.
PRETENDIDO “aberratio delicti” ou
O agente responde por CULPA, se o fato for previsto
“aberratio criminis”
como crime.

- Unidade complexa: O agente pratica o crime


desejado + crime diverso, por culpa.

Responde pelo crime em CONCURSO FORMAL.


4) CONCURSO DE CRIMES

CONCURSO MATERIAL (concurso real)

Pluralidade de condutas + pluralidade de crimes

Aplica-se o sistema de cúmulo material Soma das penas de todos os crimes


praticados pelo agente.

CONCURSO FORMAL (concurso ideal)

Unidade de conduta + pluralidade de crimes

Perfeito ou próprio NÃO há desígnios Sistema da exasperação


autônomos. (aplica-se a pena mais grave
aumentando de 1/6 até ½)

Imperfeito ou Impróprio HÁ desígnios autônomos. Sistema do cúmulo material


(soma de penas)
A ação é necessariamente
DOLOSA

5) CRIMES EM ESPÉCIE – CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO

EXTORSÃO ROUBO

Constranger alguém mediante violência ou Subtrair coisa móvel mediante violência ou


grave ameaça; grave ameaça;

A conduta da vítima é necessária para o crime. A conduta da vítima é insignificante para o


resultado.

Crime FORMAL. Crime MATERIAL (precisa existir a inversão


da posse)

ESTELIONATO FURTO MEDIANTE FRAUDE

Utiliza-se o meio fraudulento para se apossar Utiliza-se da fraude para poder subtrair a
da coisa. coisa.

A vítima ENTREGA a coisa, agindo em erro. Vítima tem o seu objeto SUBTRAÍDO.
TRIBUTÁRIO
1) EXCEÇÕES DOS PRINCÍPIOS TRIBUTÁRIOS

Alteração de alíquota dos tributos federais:


II
IE
EXCEÇÕES DO PRINCÍPIO DA IPI
LEGALIDADE IOF
CIDE sobre combustíveis
II
IE
IOF
Empréstimo compulsório (despesas extraordinárias
EXCEÇÕES DO PRINCÍPIO DA decorrentes de calamidade pública ou guerra externa ou
ANTERIORIDADE COMUM sua iminência)
Imposto extraordinário na iminência ou no caso de
guerra externa
IPI
CIDE combustíveis
ICMS sobre combustíveis e lubrificantes
Contribuições sociais
II
IE
IOF
Empréstimo compulsório (despesas extraordinárias
decorrentes de calamidade pública ou guerra externa ou
EXCEÇÕES DO PRINCÍPIO DA sua iminência)
ANTERIORIDADE NONAGESIMAL Imposto extraordinário na iminência ou no caso de
guerra externa
IR
Base de cálculo do IPVA
Base de cálculo do IPTU
2) COMPETENCIA E CAPACIDADE TRIBUTÁRIA ATIVA

COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA CAPACIDADE TRIBUTÁRIA ATIVA


A Constituição Federal outorga poderes aos Funções de:
entes federativos para que estes criem - arrecadar
tributos. - fiscalizar
- executar
É indelegável É delegável para outra pessoa jurídica de direito
público.
Somente pode ser alterada por Emenda à A capacidade tributária passiva independe:
Constituição.
I - da capacidade civil das pessoas naturais;

II - de achar-se a pessoa natural sujeita a


medidas que importem privação ou limitação do
exercício de atividades civis, comerciais ou
profissionais, ou da administração direta de seus
bens ou negócios;

III - de estar a pessoa jurídica regularmente


constituída, bastando que configure uma
unidade econômica ou profissional.

3) RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA

O adquirente do imóvel se torna devedor dos tributos


existentes em razão da propriedade:
SUCESSÃO IMOBILIÁRIA - impostos de bens imóveis
(art 130 CTN) - taxas de serviço referentes ao imóvel
- contribuição de melhoria
SALVO se apresentar prova da quitação.
Se torna responsável pelos créditos tributários, se
continuar a exploração da atividade.
Essa responsabilidade do adquirente é:
ADQUIRENTE DE ESTABELECIMENTO - INTEGRAL: caso o vendedor encerre a exploração de
COMERCIAL qualquer atividade empresarial
(art. 133 CTN) - SUBSIDIÁRIA: caso o vendedor continue a
exploração de atividade empresarial (a mesma ou
outra) ou retorne as atividades dentro de 6 meses
contados da alienação.
4) SUSPENSÃO, EXTINÇÃO E EXCLUSÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO

SUSPENSÃO EXTINÇÃO EXCLUSÃO


- moratória - pagamento - isenção
- depósito do montante - compensação - anistia
integral - transação
- reclamações e os recursos, - remissão
nos termos das leis - prescrição e decadência
reguladoras do processo - conversão de depósito em
tributário administrativo renda
- a concessão da medida - pagamento antecipado e a
liminar em MS homologação do lançamento
- a concessão de medida - consignação em pagamento
liminar ou de tutela antecipada - decisão administrativa
em outras ações irreformável
- o parcelamento - decisão judicial com transito
em julgado
- dação em pagamento de
bens imóveis.

5) LANÇAMENTO

LANÇAMENTO DE OFÍCIO LANÇAMENTO POR LANÇAMENTO POR


DECLARAÇÃO HOMOLOGAÇÃO
Tudo é com o fisco. É uma mistura de intervenção O sujeito passivo declara a sua
É desnecessária qualquer do fisco e do sujeito passivo. atividade economia ao Estado,
intervenção do sujeito Está praticamente em desuso apura o montante devido e faz
passivo. nos dias atuais. o pagamento no prazo previsto
em lei.
Ex: IPTU e IPVA Ex: ITBI e ITCD Ex: PIS, COFINS, IPI, IR, ICMS e
ISS
DIREITO EMPRESARIAL
1. PRAZO PRESCRICIONAL DOS TÍTULOS DE CRÉDITO

PRAZO Devedor principal e Co-devedores, Direito de regresso


PRESCRICIONAL avalista endossantes e (entre co-devedores)
avalistas

SACADO/ACEITANTE SACADOR 6 meses, a contar da


data em que foi pago
LETRA DE CÂMBIO 3 anos, a contar da data do 1 ano, a contar da
ou ele foi
VENCIMENTO data do PROTESTO
demandado

EMITENTE 6 meses, a contar da


data em que foi pago
3 anos, a contar do 1 ano, contado do
ou ele foi
VENCIMENTO PROTESTO
NOTA PROMISSÓRIA demandado

SACADO 1 ano, contados da


data em que tenha
3 anos, contados da data 1 ANO, contado da
sido feito o
de VENCIMENTO data de PROTESTO
DUPLICATA pagamento

EMITENTE 6 meses, contatos do


pagamento ou de
6 meses, contato do fim 6 meses, contatos do
quando demandado
do prazo de PROTESTO
CHEQUE
APRESENTAÇÃO

2) PROTESTO

PROTESTO OBRIGATÓRIO FACULTATIVO

LETRA DE CÂMBIO Ação de regresso contra o SACADOR, Contra o SACADO


endossantes e avalistas

NOTA PROMISSÓRIA Contra endossantes e seus avalistas Contra o EMITENTE e seus


avalistas
Contra os endossantes e avalistas Contra o SACADO, salvo por
falta de aceite

*Se não tiver o aceite é


DUPLICATA
necessário para executar:
Protesto e comprovante do
recebimento da mercadoria.

Contra os endossantes e avalistas,


exceto por declaração do SACADO,
CHEQUE Contra o EMITENTE e seus
escrita e datada sobre o cheque, com
avalistas
indicação do dia da apresentação.

3) ACEITE/ENDOSSO/AVAL

ACEITE ENDOSSO AVAL

Manifestação de concordância A manifestação de vontade do Uma pessoa (avalista) assume


com a ordem de pagamento credor (endossante) que uma obrigação cambiária
dada. Ele é ato PRIVATIVO do transmite o direito ao valor autônoma e incondicional de
SACADO, que passa a ser constante no título a outra garantir o pagamento do título.
devedor principal. pessoa (endossatário),
ficando, em regra, responsável
pela EXISTÊNCIA e pelo *Não há benefício de ordem
PAGAMENTO do título

Aceite Parcial: É possível, Endosso Parcial: É NULO! Aval Parcial:


podendo ser LIMITATIVO ou
O CC/2002 veda.
MODIFICATIVO
A LUG permite.

Letra de câmbio Letra de câmbio Letra de câmbio

Duplicata (é OBRIGATÓRIO) Nota promissória Nota promissória

Duplicata Duplicata

Cheque Cheque

Assinatura do sacado no Assinatura no VERSO (atrás) Assinatura do avalista no


ANVERSO (frente) do título do endossante. ANVERSO (frente) do título
4) MEI/ ME/ EPP

MICROEMPREENDEDOR MICROEMPRESA (ME) EMPRESA DE PEQUENO


INDIVIDUAL (MEI) PORTE (EPP)

- Empresário individual - Empresário individual - Empresário individual

- Sociedade empresária - Sociedade empresária

- EIRELI - EIRELI

- Sociedade simples - Sociedade simples

Receita bruta anual até 81 Receita bruta anual igual ou Receita bruta anual superior a
mil inferior a R$ 360.000,00 R$ 360.000,00 e igual ou
inferior a R$ 4.800.000,00

5) EMPRESÁRIO INDIVIDUAL

É a pessoa natural (pessoa física) que individualmente, de forma profissional, exerce uma
atividade econômica organizada para a produção ou circulação de bens.

Requisitos:

- pleno gozo da capacidade civil

- não ter impedimento legal

OBS: o incapaz, portanto, não pode ser empresário individual, mas pode ser SÓCIO de
sociedade.

EXCEÇÕES:

- Sucessão hereditária

- Incapacidade superveniente
DIREITO ADMINISTRATIVO
1) CARACTERÍSTICAS DO ATO ADMINISTRATIVO

ATRIBUTOS/CARACTERÍSTICAS DO ATO ADMINISTRATIVO

Todo ato é presumidamente legal e todo administrador


público é presumidamente legítimo (presunção relativa)
Presunção de legitimidade
Imposição de obrigações pela administração pública
independentemente da vontade do particular;

Ex: parar na blitz.


Imperatividade

Exceção: atos negociais.

Imposta a obrigação, esta pode ser exigida mediante


COAÇÃO INDIRETA.
Exigibilidade
Ex: multa de trânsito

Imposta e exigida a obrigação, esta pode ser


implementada mediante COAÇÃO DIRETA (uso da força)
Autoexecutoriedade
Ex: remoção ou retenção do veículo.

OBS: para a sua aplicação, depende de:


OBS: Celso Antônio Bandeira de Melo
divide em EXIGIBILIDADE (meios - previsão expressa na lei
indiretos de coação) e
EXECUTORIEDADE (meios diretos de - situação de urgência no uso da coação
coação).

Tipicidade Todo ato administrativo deve está previsto em lei.

2) ANULAÇAO E REVOGAÇÃO DO ATO

ANULAÇÃO REVOGAÇÃO

ILEGALIDADE INCONVENIENTE OU INOPORTUNO (mérito


administrativo)

Pode ser realizado por: Só pode ser realizada pela administração pública
- Poder judiciário (controle de legalidade)

-Administração pública (princípio da


autotutela)

Efeito ex tunc Efeito ex nunc

*Pode haver a modulação de efeitos.

Prazo decadencial: 5 anos, contados da data NÃO PODEM SER REGOVADOS:


que foram praticadas, por pessoas de boa fé.
- Atos vinculados
*Beneficiários de má-fé não há prazo.
- Atos exauridos

- Atos meramente enunciativos

- Atos que geram direito adquirido

3) PODERES DA ADMINISTRACAO PÚBLICA

PODER PODER DISCIPLINAR PODER PODER DE POLÍCIA


HIERÁRQUICO REGULAMENTAR

É o poder conferido É o poder conferido a É o poder conferido ao É o poder conferido ao


ao administrador administração que lhe administrador para administrador que lhe
para distribuir e permite punir, apenar edição de decretos e permite condicionar,
escalonar as funções a prática de infrações regulamentos para restringir o exercício
dos seus órgãos, funcionais dos oferecer fiel execução de atividade e direitos
ordenar e reaver a servidores. a lei. pelos particulares em
atuação de seus nome do interesse da
agentes, coletividade.
estabelecendo uma
relação de
hierarquia, de
subordinação.
4) ORGANIZACAO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

DESCONCENTRAÇÃO DESCENTRALIZAÇÃO

É a distribuição interna de competências, entre Buscando maior eficiência, o estado transfere


órgãos e agentes de uma mesma pessoa jurídica. a responsabilidade para o exercício de
atividades administrativas a pessoas jurídicas
auxiliares por ele criada para esse fim ou para
particulares.

- Criação de ORGAOS - Criação de ENTIDADES


- Há subordinação pelo poder hierárquico - Não há subordinação, mas CONTROLE
FINALISTICO.

5) EMPRESAS ESTATAIS

EMPRESA PÚBLICA SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA

Capital 100% público (administração direta e Capital misto, mas o publico deve ser a maioria
indireta)
Registrada como qualquer forma societária Registrada como S/A
admitida em direito
Exemplo: Caixa Econômica Federal Exemplo: Petrobras e Banco do Brasil
DIREITO CONSTITUCIONAL
1) AÇOES DO CONTROLE CONCENTRADO DE CONSTITUCIONALIDADE

ADI ADC ADO ADPF

Busca declarar a Busca declarar a Permite o exercício Ação residual.


inconstitucionalidade constitucionalidade do direito previsto na Somente cabível
de lei ou ato de lei ou ato Constituição que não quando o objeto não
normativo. normativo, pode ser usufruído for abrangido por
transformando a por falta de lei outra ação.
presunção de regulamentadora.
constitucionalidade
em absoluta.

Objeto: lei ou ato Objeto: lei ou ato Objeto: normas Objeto: leis
normativo federal e normativo federal constitucionais de municipais e normas
estadual eficácia limitada. anteriores a
constituição de 88.

2) CONTROLE CONCRETO X CONTROLE ABSTRATO DE CONSTITUCIONALIDADE

CONTROLE CONCRETO DE CONTROLE ABSTRATO DE


CONSTITUCIONALIDADE CONSTITUCIONALIDADE

Aquele controle que é realizado a partir de Declara a inconstitucionalidade da norma em


um caso concreto, onde há partes. tese.

O controle de constitucionalidade é feito de Não há partes.


forma incidental e é necessário para
Aqui a declaração da inconstitucionalidade é
solucionar o caso concreto.
a objeto principal da ação.
Há proteção de direitos SUBJETIVOS.

CONTROLE DIFUSO DE CONTROLE CONCENTRADO DE


CONSTITUCIONALIDADE CONSTITUCIONALIDADE

Realizado por qualquer juiz ou tribunal. Realizada pelo STF (quando o parâmetro for a
Constituição federal) ou pelo TJ (quando o
parâmetro for a Constituição Estadual)
3) LEGITIMIDADOS ATIVOS DAS AÇÕES DE CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

LETIGIMADOS UNIVERSAIS LEGITIMADOS ESPECIAIS (necessitam


comprovar a pertinência temática)

- Presidente da República; - Mesa de Assembleia Legislativa ou da


Câmara Legislativa do Distrito Federal;
- Mesa do Senado Federal;
- Governador de Estado ou do Distrito
- Mesa da Câmara dos Deputados; Federal;

- Procurador-Geral da República; - Confederação sindical ou entidade de classe


de âmbito nacional.
- Conselho Federal da Ordem dos Advogados
do Brasil;

- Partido político com representação no


Congresso Nacional

4) TRATADOS INTERNACIONAIS

TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE TRATADOS INTERNACIONAIS SOBRE


DIREITOS HUMANOS OUTROS ASSUNTOS

ANTES DA EMENDA DEPOIS DA EMENDA Status de lei ordinária


45 DE 45

O STF decidiu que Status de emenda


esses tratados constitucional, caso
devem ter status de sejam aprovados, em
norma SUPRALEGAL cada Casa do
(abaixo da Congresso Nacional,
constituição e acima em dois turnos, por
da legislação) três quintos dos
votos dos respectivos
membros
5) PROCESSO DE CRIAÇÃO DE EMENDA CONSTITUCIONAL

- de um terço, no mínimo, dos membros da


Câmara dos Deputados ou do Senado
Federal;

- do Presidente da República;
PROPOSTA
- de mais da metade das Assembleias
Legislativas das unidades da Federação,
manifestando-se, cada uma delas, pela
maioria relativa de seus membros.
- Em cada casa do Congresso Nacional

VOTAÇÃO - Em 2 turnos

- 3/5 dos votos dos respectivos membros em


amos os turnos.
promulgada pelas Mesas da Câmara dos
Deputados e do Senado Federal, com o
PROMULGAÇÃO respectivo número de ordem.

OBS: não há necessidade de veto/sanção


presidencial.
A Constituição não poderá ser emendada na
vigência de intervenção federal, de estado de
defesa ou de estado de sítio.
LIMITAÇOES
A matéria constante de proposta de emenda
rejeitada ou havida por prejudicada não pode
ser objeto de nova proposta na mesma
sessão legislativa.
Não será objeto de deliberação a proposta de
emenda tendente a abolir:

- a forma federativa de Estado;

CLÁUSULAS PÉTREAS - o voto direto, secreto, universal e periódico;

- a separação dos Poderes;

- os direitos e garantias individuais.

OBS: as emendas podem tratar desses temas


somente se for para abranger o direito,
nunca para restringir/abolir o alcance.
@viciodeumaestudante

Espero que tenham gostado das 40 dicas em

formas de tabelas. 

Tudo foi feito com muito carinho para que você

consiga a tão sonhada aprovação.

Conte comigo e venha fazer parte do

#timedosaprovadosdavicio