Você está na página 1de 8

INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS DE ACORDO COM OS NÍVEIS

PSICOGENÉTICOS DE LEITURA E ESCRITA DOS ALUNOS.


1 HIPÓTESE PRÉ-SILÁBICA

Atividades (Procedimentos didáticos)

Realizar atividades com os telhadinhos (nomes dos alunos), na roda, pedindo para
reconhecerem seu nome, a letra inicial e final,os nomes dos colegas e as letras iniciais e
finais. Comparar semelhanças e diferenças entre os nomes.
Contato com variado material de leitura: livros de história, revistas, livros de pesquisa,
jornais, etc.
Atividades de escrita espontânea (escrever de acordo com o tema abordado em sala.
Desenhar e escrever os nomes das partes do corpo, hábitos de higiene , nomes dos
profissionais da escola, animais mamíferos, etc.)
Agrupar na folha letras e numerais
Realizar atividades com parlendas e músicas que trabalham relação quantidade/numeral,
contagem com os dedos, materiais concretos, desenhos , contagem dos alunos e uso do
calendário.
Manipulação intensa com alfabeto móvel.
Desenho livre econforme o tema trabalhado, massinha, pintura, recorte, colagem,
dobradura, jogos de alfabetização e de construção , uso de sucata, etc.
Atividades com o grupo e depois em folha. Lista de palavras de algum campo
semântico. Os nomes são relatados pelos alunos que dizem qual letra inicial
começa.Atividade em folha. Completar as palavras com letra inicial , consultando o
retângulo com as letras.Associar ( ligar palavra ao desenho, percebendo a letra inicial da
palavra).
Classificar palavras ou nomes que se parecem – as que começam com a mesma letra,
que possuem o mesmo número de letras, palavras grandes e pequenas.
Bingo com nomes dos alunos, com letras, nomes de animais, etc.
Jogo de memória ( letra/desenho ou palavra iguais)
quebra/cabeça
jogo da trilha com alfabeto.
Jogos com alfabeto móvel: cobrir nomes com as letras, formar o nome ou colegas tendo
como suporte o telhadinho
Separar e agrupar letras iguais
Formar nomes de palavras significativas, tendo estas como suporte.
Álbuns
Com os nomes da turma ( desenho /nome)
De animais ( desenho/nome)
Da história de vida das crianças
Jogos e brincadeiras orais:
Rimas

.Adivinhações

.Telefone sem fio

. Recados orais
.Hora da novidade

. Outras atividades e brincadeiras:

. Leitura de poemas, quadrinhas, parlendas, músicas, etc.

. Planejamento da rotina da sala.

.Avaliação dos trabalhos do dia.

. Relatório oral das experiências

. Histórias mudas

. Produção de texto oral – coletivo

. Estudo e interpretação de gravuras

. Jogos de atenção

. Análise e síntese de palavras

. Interpretação oral de textos

. Reescrita com representação de desenhos de texto trabalhado.

.Reconto e reescrita de histórias

. Auto-ditado e escrita espontâneas

2 HIPÓTESE SILÁBICA

· Intervenções

· Trabalhar com os nomes dos alunos e outras palavras significativas( ênfase na análise
da primeira letra no contexto da primeira sílaba. Contraste entre palavras memorizadas
globalmente e a hipótese silábica: contagem do número de letras e desmembramento
oral das sílabas e hipóteses de repartição de palavras escritas.

· Reconhecimento do som das letras pela análise da primeira sílaba.

. Prosseguimento do estudo das formas e da posição das letras em seus dois tipos- letra
de forma ( maiúscula) e cursiva.

. Reconhecimento de diferentes gêneros e suportes textuais.


. Uso preferencial de textos, cujo conteúdo já está gravado de antemão ( poesias,
músicas, parlendas, brincadeiras, etc.)

. Proposição de localização de qualquer palavra no texto, incluindo verbo se partículas


pequenas como artigos, preposições, etc.

. Introdução a distribuição espacial do texto e orientação das frases.

Procedimentos didáticos

· Realizar atividades com os telhadinhos ( nomes dos alunos) , na roda, pedindo para
reconhecerem seu nome , a letra inicial e final,os nomes dos colegas e as letras iniciais e
finais. Comparar semelhanças e diferenças entre os nomes.

. Realizar atividades em folha com os nomes dos alunos. Copiar os nomes , escrever os
nomes de memória. Completar os nomes com letra e silaba inicial, agrupar nomes que
começam com a mesma letra, contar número de letras e sílabas, perceber semelhanças e
diferenças, pintando a letra que mudou o nome, organizar as letras dos nomes com as
letras móveis , tendo o telhadinho como suporte.

. Realizar listas de palavras de palavras de algum campo semântico . Pedir que as


crianças relatem letra e sílaba inicial. Pedir que digam quantos pedacinhos (sílabas tem
a palavra).Mostrar na palavra como se escreve cada pedacinho. ( grupo)

. Escrita espontânea de palavras de algum campo semântico.

. Contar número de letras e sílabas de palavras de algum campo semântico.

.Organizar letras das palavras de determinado campo semântico, tendo a palavra como
suporte.

. Escrita e recebimento de cartas, avisos e outros.

. Elaboração de textos coletivos e individuais ( conforme hipótese de escrita). Obs: pode


ser uma frase.

Transcrição de contose brincadeiras conhecidas, histórias inventadas pelas crianças,


acontecimentos atuais, etc.

. Reconto e reescrita de histórias.

. Leitura de poemas, músicas, parlendas e outros textos significativos e previamente


memorizados.

. Completar lacunas em textos e palavras.

. Dicionário ilustrado com desenhos e escrita dos respectivos nomes do jeito da criança.

. Ditado de palavras e frases para diagnóstico do nível conceitual do aluno.


. Ditado feito pelos alunos. Cada um falando do seu jeito como se escreve a palavra.

. Ditado com figuras , para o aluno escrever apenas a letra inicial.

. Ditado para si mesmo, cada aluno faz o seu próprio ditado e após a atividade a
professora ouve o que cada aluno quis escrever.

. Ditado para o professor. Os alunos ditam as palavras e depois de várias versões , o


professor mostra como é escrito nos livros.

.Colocar letras em ordem alfabética.

. Trabalhar com o computador.

. Construir lista de palavras com cada letra do alfabeto e expor na sala.

. Contar o número de palavras de cada frase.

3 NÍVEL SILÁBICO-ALFABÉTICO

· Características

· Fase de transição -silábico- alfabético

· Ora compõe sílabas, ora não compõe na mesma palavra

· Faz maior uso de consoantes

· Acreditam que algumas consoantes se bastam para a composição da sílaba. Ex: B= BE

. Nível alfabético

· Características

· A hipótese alfabética parece ser um fim de um longo trabalho, mas é o começo de


mais uma longa fase.

· Características

· Escreve compondo sílabas foneticamente corretas;

· Desconsideram a segmentação entre palavras;

· Hipercorreção: exagera no uso de acentos e pontuação.

· Intervenções e procedimentos didáticos para os níveis silábico –alfabético e


alfabético
. Escritas espontâneas

. Atividades com alfabeto móvel e sílabas móveis

· Cruzadinhas

· Texto lacunado

· Pedir para a criança ler o que escreveu

· Atividades em folhas xerocadas com sílabas simples e complexas para a formação de


palavras.

· Ortografia: ditado de palavras com sílabas simples e complexas. Ditado de frases.

.Uso do dicionário para verificar as palavras.

. Distribuição espacial do texto e orientação das frases.

· Produção de textos e revisão destes. Trabalhar vários estilos discursivos ,


considerando a pontuação, ortografia, coesão textual e criatividade.

· Leitura e interpretação de textos ( poemas, narrativas, textos informativos, músicas,


parlendas, etc.)

.Leitura de histórias para levar para casa e recontá-las na roda

( caderno de histórias).

.Oferecer vários gêneros textuais e estimular a leitura e escrita de poesias, narrativas,


textos informativos, textos para se comunicar (cartas e bilhetes), trava-línguas,
parlendas, etc.

· Quadro de regularidades ortográficas

· Forca

· Encontrar palavras dentro da palavra. Ex: SAPATO – PATO

· Trocar a primeira letra da palavra, mudando o sentido desta. Ex: GATO, RATO,
PATO, MATO, SAPO, etc.

· Segmentar pequenos textos (parlendas, quadrinhas, etc.)

· Pintar espaço entre palavras em pequenos textos (segmentação)

. Contar número de palavras na frase.

. Leitura de livros de história, de pesquisa, jornal, revista, etc.


. Jogos e atividades que permitem a criança brincar e recriar com a linguagem (
acróstico, rimas, entre outros)

. Classificação e seriação de palavras

. Trabalho de artes plásticas( recorte, colagem, dobradura, desenho, pintura, sucata, etc)

. Criação de história , à partir do desenho

. Produzir um livro de acordo com o tema trabalhado em sala( Os Animais, Alimentação


Saudável, Os Planetas, Os Dinossauros, etc.)

. Escrever história a partir da sequência dos quadrinhos

. Recontar uma vivência, reportagem ou passeio e produzir texto.

.Transcrição de diálogos e descrições.

.Transcrição de receitas, brincadeiras e piadas.

. Produzir um jornal com reportagens

. Escrever uma história a partir de uma imagem.

. Recorte de figuras e palavras para montagem de álbum ou dicionário.

.Utilizar jogos de alfabetização diversos. Ex: Bingo de letras e palavras ( nomes das
crianças ou palavras de determinado campo semântico), jogo da memória(
figura/palavra ou figura/letra) , dominó( letra/figura ou palavra/figura), encontrar
palavra dentro da palavra, mudar a primeira letra, transformando a palavra, etc. A escola
pode comprar esses jogos ou podemos confeccioná-los com os alunos.

Quando as crianças avançam para o nível alfabético, estas começam a ler de forma
convencional, umas silabando e outras de forma fluente. É necessário propormos muitas
atividades com leitura para que desenvolvam a fluência e a compreensão dos textos .
Neste nível aparecem as primeiras junturas de palavras ( quando as crianças escrevem
várias palavras emendadas) , assim como segmentações (separam as palavras em
sílabas). Muitas vezes as crianças não separam as palavras, porque pelo ritmo e
entonação da voz , elas acham que está tudo junto. Temos que mostrar que na frase uma
palavra fica longe da outra e falar que colocamos o espaço de um dedinho entre uma
palavra e outra. Uma das maneiras é mostrar a criança que quando dá para colocar uma
palavra entre duas que estão juntas , ela tem que separá-las. Por exemplo: Ocachorro O
famintocachorro. Dizer que certas classes gramaticais, como artigos definidos,
indefinidos e pronomes acompanham as palavras . Quanto às segmentações, propomos
que a criança leia o que escreveu e enquanto lê, ligamos as sílabas com lápis, mostrando
que na palavra estas são juntas. Mostramos também no quadro coletivamente,
escrevendo neste exemplos de alguns alunos.
No nível alfabético as crianças escrevem de forma fonética, isto é, a sua escrita é
relacionada ao som que ouvem e então enfrentam as questões ortográficas. Geralmente
o número de fonemas é igual ao número de letras. Por exemplo: /o/v/o, tem três letras e
três fonemas. Já na palavra “chuva”, isso não ocorre , porque o dígrafo“ch”, representa
o som do /x/, apresentando quatro fonemas /x/u/v/a e cinco letras.A criança começa a
descobrir questões que a colocam em dúvida se palavra é com “x” ou “ch”, pois tem o
mesmo som.Começa a pensar em questões de que existem letras que representam vários
sons. A letra “x”pode ser representada pelos sons das letras z, x e ks( exame, xale, fixa).
Nesta última palavra o "x" é dífono, isto é , simboliza o som das duas letras, que estão
em negrito (/f/i/k/s/a).

Assim como, um mesmo fonema pode representar o som de várias letras. Por exemplo:
O fonema /z/, pode ser representado pelas letras , s, z, e x, como em asa, azar, exame.

É necessário enfatizar os grupos de dígrafos ( ch, nh, lh, rr, ss, etc.), entre estes aqueles
que representam vogais nasais ( an, en, am, em, etc.), encontros consonantais ( br, cr, dr,
bl, cl fl, etc.), encontros vocálicos orais e nasais , sem ainda ser necessário que as
crianças classifiquem com nomenclaturas esses encontros. Separações e junções de
sílabas , acentuação e pontuação.Em relação ao ensino da gramática, como
verbos(ações), nomes próprios , comuns e coletivos ( substantivos) palavras que dão
características e qualidades aos nomes ( adjetivos), sinônimos/ antônimos, plural,
feminino/masculino e aumentativo/diminutivo, é necessário , pois cada vez que
produzimos e revisamos um texto, fazemos escolhas linguísticas- acionando nosso saber
gramatical. O estudo dos aspectos gramaticais precisa ser visto como um instrumento
por meio do qual o aprendiz poderá aperfeiçoar o uso que já faz da língua, melhorando
sua capacidade de compreender e produzir textos em diferentes situações de
comunicação oral e escrita. Existem, basicamente, dois tipos de atividades de reflexão
sobre a linguagem que podem ser realizadas: as epilinguísticas e as metalinguísticas.
Essas atividades, no entanto, diferenciam-se quanto aos objetivos a que visam atingir.
Uma está mais ligada aos recursos empregados em situações de interpretação e
produção de textos, e a outra , à descrição dos elementos linguísticos.
De acordo com Geraldi( 2002, p.23-25), as atividades epilinguísticas resultam de uma
reflexão que torna os próprios recursos expressivos como seu objeto, enquanto as
atividades metalinguísticas são aquelas que tornam a linguagem como objeto não mais
enquanto reflexão vinculada ao processo processo interativo, mas conscientemente
constroem uma metalinguagem sistemática com a qual se fala sobre a língua.
Nos anos inciais o trabalho de reflexão sobre a língua deve ser introduzida com as
atividades de natureza epilinguística. Pode-se também, introduzir de maneira
progressiva as de natureza metalinguística, desde que estejam didaticamente
organizadas, de modo a contribuir para o aperfeiçoamento da expressão oral e escrita.
Deste modo não é proibido empregar nomenclaturas. O que não se deve fazer é
sobrecarregar o aprendiz com uma nomenclatura excessiva, descontextualizada e sem
função, justificada pela tradição de apresentá-la. Devem-se apresentar o aprendiz apenas
os termos fundamentais para a bordagem dos conteúdos, a fim de facilitar a
comunicação nas atividades de reflexão sobre a língua.
Podemos mostrar as crianças as regras ortográficas, porém ressaltar que não existe regra
para tudo, por tanto quando temos dúvidas utilizamos o dicionário e a internet para
correção e conhecimento do significado das palavras, além de muita leitura, pois assim
gravamos como se escrevem muitas palavras.
No nível alfabético, as crianças realizam a transição da letra de forma para a letra
cursiva, além de atividades para o uso apropriado da letra maiúscula e minúscula ( letras
maiúsculas são usadas em nomes próprios e inícios de frase e minúsculas em nomes
comuns ).

As atividades devem priorizar bastante a produção de textos que trabalhem a estrutura


destes conforme o gênero (narrativa, poesia, texto informativo, carta, bilhete, convite,
etc.). É importante que as crianças aprendam a realizar textos com coesão, criatividade,
desenvolvimento (início , meio e fim), pontuação e palavras escritas de forma
ortográfica.. Devemos realizar a revisão dos textos, intervindo individualmente e
mostrando com lápis as segmentações, junturas, repetições de palavras, uso de palavras
sem necessidade, erros ortográficos e pontuação, assim como revisar coletivamente,
escrevendo no quadro o texto de algum aluno para todos irem participando e
aprendendo. É importante sempre avaliarmos a criatividade e coesão do texto dos
alunos, elogiando suas produções para que os estimulem ainda mais. Explicar que se
quisermos mostrar nossas produções para as pessoas, temos sempre que ler e reler
nossos textos, corrigindo-os, para que fiquem compreensíveis para as pessoas que irão
ler.
Devemos realizar momentos de contação de histórias e depois promover conversa sobre
esta. Estimular a leitura de livros da biblioteca da sala , levando-os para casa , pedindo
que desenhem e escrevam a resenha desta em um caderno com pauta sobre a história.
Realizar com regularidade leitura coletiva e individual (silenciosa ou um aluno começa
a leitura e outro continua onde o outro parou). Neste caso devemos digitar a mesma
história para todos. Propor uma atividade de artes plásticas ou cênica sobre a história.