Você está na página 1de 4

ARTES PLÁSTICAS

Anita Mafaltti
Anita Catarina Malfatti nasceu em São Paulo, no
ano de 1889. Ela era pintora, desenhista,
gravadora e professora. Cada vez mais popular
após as críticas do escritor Monteiro Lobato (que
destruiu seus quadros a bengaladas!), ela desfiará
todo seu expressionismo em 22 obras. Mário de
Andrade é um de seus fãs.

Di Cavalcante
Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo
nasceu no Rio de Janeiro, em 1897, foi caricaturista,
ilustrador e pintor. Iniciou a carreira fazendo ilustrações
para a revista Fon-Fon. Em 1916, ele vai para São Paulo
e ingressa na Faculdade de Direito do Largo de São
Jorge. A partir daí, Di Cavalcanti começou a pintar. Di
Cavalcanti ajudou a idealizar e organizou a Semana de
Arte Moderna no Teatro Municipal de São Paulo,
verdadeiro ponto de inflexão no modo de ver o Brasil.

Victor Brecheret
Victor Brecheret (Farnese, 15 de
dezembro de 1894 — São Paulo, 17 de
dezembro de 1955)[1] foi um escultor ítalo-
brasileiro, considerado um dos mais importantes
do Brasil. Foi o responsável pela introdução
do modernismo na escultura brasileira. Teve
importante participação, expondo esculturas, na
Semana de Arte Moderna de 1922. Grande parte de suas esculturas está exposta em
locais públicos, principalmente na cidade de São Paulo.

ESCRITORES
Mario De Andrade
Mário Raul de Moraes Andrade nasceu em São
Paulo, em 1945. Ele foi um romancista, poeta,
musicólogo, historiador, crítico de arte e
fotógrafo. Mário foi um dos precursores do
Movimento Modernista brasileiro. Na Semana
de Arte Moderna, ele trabalhou como
pesquisador do folclore brasileiro. Fez parte de
um grupo de artistas da década de 20, o Grupo
dos Cinco (Mário de Andrade, Oswald de
Andrade, Menotti del Picchia, Tarsila do Amaral
e Anita Malfatti). Um dos idealizadores do
evento, conduzirá a palestra A Escrava que Não
É Isaura. Conheça sua proposta 
para o
abrasileiramento
 da língua portuguesa 
e a
volta ao nativismo. Abaixo ao “passadismo”!

Oswald De Andrade
José Oswald de Sousa de Andrade Nogueira nasceu
em São Paulo, em 1890. Embora tenha o mesmo
sobrenome, ele não tem parentesco com Mário de
Andrade. Oswald iniciou várias manifestações
artísticas, juntamente com os outros jovens artistas.
Ele foi um dos idealizadores da Semana de Arte
Moderna, além de ser um dos mais importantes para
o Modernismo no Brasil.
Menotti Del Picchia
Paulo Menotti del Picchia nasceu em São
Paulo, em 1892. Ele foi jornalista, advogado,
tabelião, poeta, cronista, romancista,
ensaísta, pintor e político. Participou
ativamente da Semana de Arte Moderna em
1922, sendo não apenas um dos
articuladores, como também arrebatado
militante do movimento modernista
brasileiro.

COMPOSITORES
Heitor Villa-Lobos
Heitor Villa-Lobos foi um maestro e compositor
brasileiro. Nasceu no Rio de Janeiro, em 1887.
Villa-Lobos era um ícone da música do
Modernismo no Brasil. Heitor Villa-Lobos foi um
maestro e compositor brasileiro. Nasceu no Rio
de Janeiro, em 1887. Villa-Lobos era um ícone
da música do Modernismo no Brasil. Villa-Lobos
participa da Semana da Arte Moderna. Nesse
momento, ele deu forma musical a uma boa
parte da poesia do modernismo brasileiro,
destacando-se a adaptação do lirismo íntimo de
um Manuel Bandeira

Guiomar Novaes
Guiomar Novaes[1] (São João da Boa
Vista, 28 de fevereiro de 1894 — São
Paulo, 7 de março de 1979) foi
uma pianista brasileiraque construiu
sólida carreira no exterior, particularmente nos Estados Unidos. Ficou especialmente
conhecida pelas suas interpretações das obras de Chopin e Schumann. Foi importante
divulgadora de Villa-Lobos no exterior. participou da Semana de Arte Moderna,
apresentando-se no Theatro Municipal de São Paulo, onde interpretou as obras Au
jardin du vieux serail, da Suíte andrinople, de E. R. Blanchet; O ginete do pierrozinho,
da coletânea Carnaval das crianças, de Villa-Lobos; La Soirée dans grenade, das
Estampes, de Debussy; e Minstrels, do Livro I dos Prelúdios, de Debussy. Por insistência
da plateia, executou ainda L’Arlequin, de Vallon.

Ernani Braga
Ernani Braga (nascido Hernani da Costa Braga ; [1] 10 de
janeiro de 1888 - 17 de setembro de 1948) [1] foi um
compositor, pianista e maestro brasileiro, preocupado em
pertencer à segunda geração dos nacionalistas na
música. [2] Ele compôs obras para voz, coro, orquestra e
piano. Ernâni Braga teve intensa participação na Semana de
Arte Moderna de 1922. Além das ilustrações musicais
executadas durante a conferência de Graça Aranha,
apresentou-se com destaque como pianista solista
interpretando obras de Heitor Villa-Lobos.